Você está na página 1de 31

Prémio Leaders & Achievers-Flecha Diamante 2019 PMR África

mozabanco.co.mz
0DSXWRGH0DLRGH‡$12;;9,‡1o‡3UHoR0W‡0RoDPELTXH

Comité Central testa temperatura na Frelimo

Pág. 2 e 3

Um ano sem Dhlakama Pág. 4 e 6

APOSTE NO SEU TELEMÓVEL, TOTOBOLA EXTRA 


DISPONIVEL SÓ NO www.sojogo.co.mz 
LOTARIA ~ TOTOLOTO ~JOKER 
SOJOGO ESTÁ DAR. *124# 

Sojogo está a dar agora pelo celular
facebook.com/sgjsm e Whatsapp 848189934,SMS 82/84/861010
TEMA DA SEMANA
2 Savana 03-05-2019

CC testa temperatura na Frelimo

Ajuste de contas pode acontecer


A
reunião do Comité Cen- mito” venha a constituir a principal
tral (CC) da Frelimo, que agenda da sessão do CC. Diz mes-
arranca esta sexta-feira e mo que só poderá ser discutido se o
se prolonga até ao próxi- Comité de Verificação o levar a de-
mo domingo, na escola do partido, bate. “Esse assunto só é importante
na Matola, pode vir a ficar na his- para a media, não é importante para
tória. Se os sectores que atacam a o partido”, afirmou Manasse, consi-
actual liderança resolverem passar derando Samito como um membro
as hostilidades das redes sociais igual a qualquer outro membro da
para a reunião magna do partido Frelimo.
entre congressos. De acordo com o porta-voz, o foco
da reunião será sobre a vida do par-
Oficialmente, a sessão de três dias, tido e as eleições que se avizinham.
de 3 a 5 de Maio, irá analisar o rela- Nem sempre as reuniões do Comi-
tório da Comissão Política (CP), do té Central obedecem a uma agenda
Gabinete de Eleições, o Programa previamente definida. Quando Joa-
Quinquenal do Governo e o Rela- quim Chissano ainda alimentava
tório do Comité de Verificação do esperanças de uma nova escolha
partido. para a presidência, o CC decidiu
É durante a discussão do Relatório indicar Armando Guebuza como
do Comité de Verificação que po- candidato. Mais recentemente, e já
derá sobressair aquele que pode ser no tempo da “caça às bruxas”, os
o tema mais fracturante da sessão: históricos da Frelimo foram permi-
o “caso Samora Machel Jr. (SMJ)”. só concorreu pela AJUDEM depois última reunião do CC, Guebuza tidos a assistirem e tomarem a pala-
O filho de Samora e Josina Machel, de ver fracassadas tentativas de ob- tentou “colar” Nyusi à “engenharia” vra nas reuniões do CC, mesmo não
dois históricos da Frelimo, está ter esclarecimentos da direcção do das dívidas ocultas, mas a reunião sendo membros do órgão e, à boca
numa guerra aberta contra o actual partido, que o ignorou. optou por “não engolir a isca”, a ex-
das eleições de 2014, foi permitido
presidente do partido e do país, Fi- Acusado pelo Comité de Verifi- pressão usada pela nossa fonte.
que mais candidatos se apresentas-
lipe Nyusi. cação da Frelimo de ter violado os A surgirem vozes contestatárias a
sem à presidência, à revelia do que
Tudo pode ter começado na luta estatutos do partido ao concorrer Nyusi, na reunião deste fim-de-
tinha sido decidido previamente
pelas internas, em 2014, sendo da fora do partido, “Samito”, como é -semana, o partido voltará às con-
pela omnipresente Comissão Polí-
percepção do círculo de apoios a conhecido SMJ, foi contundente vulsões que abalaram o movimento
na reacção. Mais do que responder, tica da Frelimo.
Nyusi que Graça Machel defendeu de libertação nos finais dos anos 60,
a inclusão de mais candidatos às atacou fortemente a direcção do com a contestação a Eduardo Mon-
“primárias” da Frelimo, onde apos- partido. dlane e Marcelino dos Santos.
tava claramente em Luísa Diogo, “Pela violação dos estatutos do par- O grupo de apoio a Nyusi tentou
a antiga Primeira-Ministra, vista tido devem ser acusados individual montar a melhor coreografia à sua
como a mais preparada para chegar e solidariamente o camarada pre- Samora Machel Jr. volta, nomeadamente uma publi-
à Presidência da República. A con- sidente, Filipe Jacinto Nyusi, e se- citada reunião da bancada parla-
frontação ganhou novos contornos, cretário-geral, Roque Silva Samuel, do o envolvimento de Nyusi nas mentar Frelimo para reafirmar o
quando SMJ foi afastado das inter- por grosseira violação do artigo 21”, ilicitudes, tendo vazado sucessivos apoio ao presidente. Na terça-feira,
nas para as autárquicas de Outu- lê-se na resposta. documentos da época para as redes Filipe Nyusi reuniu, na Escola do
bro do ano passado, alegadamente, De acordo com SMJ, o presidente sociais e para os jornais da praça. partido, na Matola, com a bancada
por ordens da direcção do partido. e o SG não permitem que os mem- Outro dos “ódios de estimação” da maioritária (144 deputados) da As-
A Comissão Política interveio no bros do partido tenham a mais am- oposição a Filipe Nyusi é o super- sembleia da República que, através
processo eleitoral e indicou Eneas pla liberdade de crítica e de opinião -ministro Celso Correia, a quem da sua chefe, Margarida Talapa,
Comiche como candidato à cidade e não estimulam o diálogo. Acusa tentam a todo o custo desacredi- também vista em muitos sectores
de Maputo. o presidente de não garantir o res- tar, nomeadamente, através de uma como apoiante de Guebuza, decla- Caifadine Manasse
Na sequência, SMJ viria a concor- peito pelos princípios e valores da gravação manipulada a partir de rou apoio à recandidatura de Filipe
rer pela Associação Juvenil para o Frelimo e que viola, gravemente, os uma conversa alegadamente gra- Nyusi às presidenciais deste ano. Adriano Nuvunga:
Desenvolvimento de Moçambique estatutos. vada por Inês Moiane, a antiga se- Quem também reitera apoio a can- “O Estado está a colapsar
(AJUDEM). Mas a lista encabe- cretária particular de Guebuza, ora didatura de Filipe Nyusi é a Asso- nas mãos de Nyusi”
çada pelo filho do proclamador da Movimento anti-Nyusi? detida, acusada de envolvimento na ciação dos Combatentes da Luta Para fazer o prognóstico do CC, um
independência viria a ser eliminada Nas teorias de conspiração, ventila- partilha de dinheiros derivados dos de Libertação Nacional (ACLLN), docente de ciência política. Adria-
na Comissão Nacional de Eleições -se que, a despeito de todas as suas financiamentos ilícitos. o mais importante órgão social da no Nuvunga entende que a reunião
(CNE), num duvidoso processo reivindicações, Samito pode vir a Outra parte da oposição a Nyusi Frelimo. “Reiteramos que o candi- será histórica. E diz por quê: “é a
com “crimes e ilícitos eleitorais e ser apenas o rosto de um movimen- tem conotações regionais, nomea- dato para Outubro é o engenheiro primeira vez que um presidente
compra de consciência”, tudo “com to interno interessado em desacre- damente o “grupo de Nampula” Nyusi”, afirmou Fernando Faustino, termina um primeiro mandato, tre-
beneplácito da direcção do partido”, ditar a liderança de Filipe Nyusi, desconfortável com a perda de po- o controverso secretário-geral da mendamente, fragilizado e a tentar
como mais tarde acusou SMJ na sua abrindo espaço a outros candidatos der e influência na actual conjun- ACLLN. navegar para um segundo mandato
bombástica resposta ao Comité de para Outubro. tura e o “grupo do Sul”, historica- O porta-voz da Frelimo, Caifadine e com um candidato que lhe desa-
Verificação do partido. O lobby das dívidas ocultas, ligado mente dominante na Frelimo, mas Manasse, à beira do CC, põe água fia abertamente”. Esse candidato é
No documento, explicou ainda que ao ex-estadista Armando Guebu- descontente com a possibilidade de na fervura e nega que o “caso Sa- SMJ, sobre quem Nuvunga não tem
za, é considerado o que mais está o seu regresso à liderança passar por dúvidas de estar a disputar, clara-
interessado na remoção de quem, mais dois potenciais mandatos a mente, o lugar de Nyusi na Frelimo.
nos últimos tempos, tem vindo, cla- partir de 2024, a serem atribuídos a Perguntámos a Nuvunga por quê
ramente, a se demarcar de um ne- um candidato presidencial da zona acha que Nyusi vai ao CC, tremen-
gócio no qual ele mesmo é citado. centro. damente, fragilizado. Por um con-
Este lobby, que esperava um pacto Mas, segundo pôde constatar o junto de factores, respondeu ele. À
em que o assunto seria esquecido, SAVANA, há sectores menos en- altura da entrevista, na terça-feira,
vem subindo de tom nos seus ata- tusiasmados que não esperam gran- disse que o factor mais próximo era
ques, sobretudo depois que a PGR des surpresas contra um presidente que os funcionários públicos não ti-
procurou ouvir no início de De- que já foi aclamado, em 2017, no XI nham os seus salários. E quando a
zembro, o antigo presidente Gue- Congresso como candidato natural alternativa é ir buscar crédito à ban-
buza, considerado “a cabeça do pol- às presidenciais deste ano. Esperam, ca para pagar salário, significa que o
vo” no esquema dos financiamentos isso sim, uma reunião de “paz po- Estado está a colapsar. “E o Estado
ilícitos. Os seus apoiantes, entre os dre”, que passe à margem das ques- está a colapsar nas mãos de Filipe
quais se contam muitos elementos tões mais fracturantes do partido. Jacinto Nyusi”, disse. O também di-
Margarida Talapa do Comité Central, têm reafirma- Segundo apurou o SAVANA, na Fernando Faustino rector do ADS, um think tank sobre
TEMA DA SEMANA
Savana 03-05-2019 3

vanguardista do desenvolvimento. partidos políticos, mata o desenvol- permitir que a economia funcione. Frelimo”, refere.
O entrevistado é da opinião que, vimento político e democrático das “Isso não está a acontecer”, ataca. Diz que o assunto não pode ser vis-
diante da actual Frelimo, corrupta, sociedades e esteriliza as possibili- Para Nuvunga, nem as detenções no to como de SMJ, porque ele é ape-
que rouba a esperança do povo e das dades de desenvolvimento”, observa âmbito nas dívidas ocultas safam a nas a pessoa que as bases viram para
crianças, pode ser que, pelas suas o director do ADS. imagem, tremendamente, fragiliza- conduzir a causa. Diz tratar-se de
origens históricas, valha a pena ter Sobre as correntes que defendem da de Filipe Nyusi. Pelo contrário, uma segunda revolução em marcha.
um candidato como SMJ, que não novos candidatos na Frelimo, Nu- prossegue, elas mostram um desa- “De facto, a terra e os homens estão
está envolvido nas dívidas ocultas. vunga afirma que, a existirem, é certo institucional muito grande. libertos, mas há outros aspectos ine-
E lembra a sua origem histórica: “é mais pelo estilo de liderança do “São detenções cosméticas que mis- rentes à independência do homem
filho de Josina e Samora Machel. presidente Nyusi não estar a gerar turam dívidas ilegais com ajustes que ainda não estão a ser tratados
O filho primogénito destas duas frutos. intrapartidários de contas, com uma nesta primeira revolução e Samora
pessoas não pode ser afastado da “As pessoas querem solução. Pas- PGR totalmente não profissional, Machel Jr. é este que está a aparecer
corrida municipal por um qualquer sar toda a hora a falar de Guebu- não séria”, afirma. como quem conduz o processo da
secretário que não conheceu Samo- za, porque foi Guebuza, porque foi Para ele, são detenções de sobrevi- segunda revolução”, argumenta.
Adriano Nuvunga ra e Josina”. Guebuza, isso não traz comida para vência política e estão orientadas Defende abertura de espaço para
Vê numa possível expulsão de SMJ as pessoas. Guebuza saiu do poder para aqueles que não têm poder. debate no CC, incluindo a discus-
desenvolvimento, liderança e juven- a continuação do que chama de “Se fosse uma coisa séria que Nyusi são sobre novos candidatos.
tude, e originário da mesma provín- há cinco anos. Deixou os proble-
processo fracturante e fragilizador estivesse a fazer, ele ia deter parte Albino Forquilha avisa que, se o
cia dos Machel, aponta como outra mas que deixou. Você disse que era
do próprio partido, como quando de alguns dos seus ministros, que “caso Samito” não for bem gerido,
fragilidade de Filipe Nyusi o que o candidato certo para os resolver.
foi excluído nas autárquicas do ano são igualmente corruptos. Aliás, pode resultar em convulsões sociais
chama de paralisia da economia e Que os resolva. Passar a vida a fa-
passado. Mas sob ponto de vista de alguma evidência mostra que ele jamais vistas nos últimos 40 anos.
da sociedade, caracterizada por falta lar de Guebuza, não nos resolve o
legitimidade pública do movimento próprio pode ter participado deste Mas é cauteloso sobre o futuro em
de actividade, porque as pequenas e assunto. Peguem a ele, metam na
de libertação nacional, será como processo. Então, ele está a proteger caso de expulsão. O que deixa claro
médias empresas fecharam, em par- que um comboio continuar sem cadeia, mas você resolva o problema
os dele e a deter os outros”, diz. é que encontrar-se-á uma platafor-
te, porque são devidas pelo próprio alma, compara. do emprego para os jovens, do in-
ma política para acomodar os valo-
Estado. “Em toda a África, a expulsão de vestimento directo que tem de vol- Trata-se da segunda res que diz, na verdade, serem dos
Feita a introdução, Nuvunga argu- vozes contestatárias é uma carac- tar para permitir que as pequenas e revolução – Albino moçambicanos.
menta que, dependendo da maneira terística comum e isso representa o médias empresas possam funcionar, Forquilha Redacção
como vai gerir o “caso Samito”, a autoritarismo das lideranças africa- possa financiar a economia e possa Albino Forquiha é o ponta de lan-
Frelimo pode estar à beira do fim. nas, que usam os estatutos para ex- pôr o país a andar para frente. É ça de SMJ. Era o número dois da
“A expulsão de Samora Machel cluir outros, ao invés de permitir o isso que os moçambicanos querem lista da AJUDEM chumbada pela
Jr. pode ser o fim, porque Samora aprofundamento democrático”, diz. ver”, rebate o cientista político, para CNE. Falou ao SAVANA e deixou
Machel Jr. vai levar consigo um seg- E prossegue: “ao invés de aprofun- quem “passar a vida a nos entreter o posicionamento da “ala Samito”,
mento importantíssimo da popu- dar o debate democrático, se usa com os assuntos do passado, isso nas vésperas do CC.
lação, vai fracturar a Frelimo e vai esse tipo de instrumento para silen- não é boa liderança”. Para ele, os membros do principal
fracturá-la no pior momento da sua ciar e expulsar e dada a economia Diz que é verdade que Guebuza órgão entre os congressos devem
existência, onde, fundamentalmen- política da governação, onde se você causou e causa dor aos moçambi- ter coragem de atacar o “caso Sa-
te, faltam ideias iluminadas”, atira. não está com aqueles que governam, canos, mas, quatro anos depois, já mito” que, na verdade, tem que ver
“Não há ideias ali”, reitera, em alu- está sujeito a viver mal e até correr se devia assistir o presidente Nyusi com democracia interna, corrupção,
são à liderança máxima do partido. risco de vida, faz com que as pessoas a afirmar o seu próprio estilo de li- calote, falta de justiça, entre outros
Um partido, prossegue, que está, se arregimentem, tenham de ficar derança e governação, e esse estilo males do país.
completamente, divorciado do seu ali a ser seguidistas, e isso mata o gerar frutos, a dar emprego aos mo- “Se o CC se furtar a tratar esses
processo histórico, emancipador e desenvolvimento democrático dos çambicanos mais investimentos e a aspectos, estará a afundar a própria Albino Forquilha

Vacancy Announcement
3ROLF\2IÀFHU*RYHUQDQFH+XPDQ5LJKWVDQG*HQGHU WREHEDVHGLQ0DSXWR
Context ‡(QVXULQJJHQGHUUHOHYDQFHLQWKH(PEDVV\·VSRUWIROLRRIDFWLYLWLHVE\VXSSRU-
ting the different thematic experts in mainstreaming gender equality.
The Embassy of the Kingdom of The Netherlands in Maputo aims to contribu- ‡3XWWLQJIRUZDUGWKH(PEDVV\·VDJHQGDLQVXSSRUWLQJIHPDOHHQWUHSUHQHXUVE\
te to inclusive and sustainable development in Mozambique, with an increa- supporting initiatives aiming to stimulate business operations and to provide
sed focus on the transition from ‘aid to trade’. The aid programme focuses on tools for business development.
the thematic areas (i) water and sanitation, (ii) food and nutrition security, (iii) ‡6XSSRUWLQJWKHUROHRIFLYLOVRFLHW\LQSURPRWLQJJHQGHUHTXDOLW\JRRGJRYHU-
energy and (iv) sexual and reproductive health and rights. The involvement nance, accountability and democracy (including support to elections) and con-
of the private sector (Dutch and Mozambican) in the Embassy’s programme tributing to the policy dialogue with (and on) civil society organizations.
is growing and trade related activities play an increasingly important role in ‡$GYRFDF\ZRUNWRZDUGVWKHUHGXFWLRQRIFKLOGPDUULDJHDQGWKHLPSOHPHQWD-
the portfolio. In addition, climate, gender and governance are important cross tion of the national strategy to reduce child marriage.
cutting issues; synergies between the four thematic priorities and the cross cut- ‡0DQDJLQJDVHWRIDFWLYLWLHVLQWKHDUHDVRIJRYHUQDQFHKXPDQULJKWVDQGJHQ-
ting themes are actively promoted. The Netherlands contributes to inclusive GHU LGHQWLÀFDWLRQGHVLJQPRQLWRULQJDQGHYDOXDWLRQ 
development through a regional focus in the poorest areas of the country: in the ‡ 3HUIRUPLQJ RWKHU WDVNV WR VXSSRUW WKH LPSOHPHQWDWLRQ RI WKH 0XOWL$QQXDO
Zambezi Valley, in the city of Beira and in Cabo Delgado. Country Strategy, if necessary.

-RESURÀOH .QRZOHGJHVNLOOVDQGH[SHULHQFH

7KH(PEDVV\LVORRNLQJIRUDGHGLFDWHGDQGÁH[LEOHSURIHVVLRQDOWRFRQWULEXWHWR ‡0LQLPXPRI0DVWHUVOHYHOGHJUHHLQUHODWHGDUHDV
strategic results in the areas of governance and human and women’s rights, as ‡([SHULHQFHRIZRUNLQJLQDG\QDPLFHQYLURQPHQWWRGHOLYHUKLJKTXDOLW\SUR-
formulated in the Multi-Annual Country Strategy 2019-2022. Promoting demo- gramme and policy results that contribute to inclusive and sustainable develo-
cracy and gender equality, stimulating female entrepreneurship and supporting pment.
civil society are key elements of this position. The right candidate thinks out-of- ‡([SHULHQFHZLWKWKHPDQDJHPHQWRIDVHWRISURMHFWDFWLYLWLHV
WKHER[LVHQHUJHWLFDQGKDVDSUDJPDWLFFDQGRDSSURDFK7KH3ROLF\2IÀFHU ‡([SHULHQFHLQZRUNLQJZLWKDQGLQÁXHQFLQJNH\SDUWQHUVDWVHQLRUOHYHOV²LQ-
for Governance, Human Rights and Gender works under the guidance of the cluding government ministries, NGO’s and development partners.
Head of Development Cooperation and in close collaboration with the Ambas- ‡8QGHUVWDQGLQJRIWKHUHOHYDQWJRYHUQPHQWIUDPHZRUNVDQGOHJLVODWLRQUHODWHG
sador, the other thematic experts and the controlling unit. Salary indication: to the policy areas or ability to acquire this knowledge rapidly.
maximum USD 5.887 per month. ‡3URYHQDELOLW\WREXLOGDQGPDLQWDLQLQWHUQDODQGH[WHUQDOQHWZRUNV
‡6NLOOVLQWUDQVODWLQJLQVLJKWVDQGLQIRUPDWLRQLQWRDGYLFHVSODQVDQGUHSRUWVDQG
.H\UHVSRQVLELOLWLHV LQDVVHVVLQJWKHLUSROLF\DQGÀQDQFLDOLPSOLFDWLRQV
‡([FHOOHQWRUDODQGZULWWHQVNLOOVLQ(QJOLVKDQG3RUWXJXHVH
‡0RQLWRULQJRI DQGDGYLVLQJRQ UHOHYDQWQDWLRQDODQGLQWHUQDWLRQDOGHYHOR- ‡$ELOLW\WRDGDSWWRHPHUJLQJLVVXHVDQGFKDQJLQJSULRULWLHV
pments in the areas of governance, human rights and gender and translating
WKHVHLQWRFRQVHTXHQFHVIRUWKH(PEDVV\·VÀHOGRIZRUN $SSOLFDWLRQVRITXDOLÀHGFDQGLGDWHVDUHLQYLWHG3OHDVHVHQG\RXU&9DQGPRWL-
‡$FWLYHO\SDUWLFLSDWLQJLQUHOHYDQWSROLF\DQGSURJUDPPLQJGLVFXVVLRQVLQVLGH vation letter in English in WORD format to the email MAP@minbuza.nl by 9 May
and outside the Embassy and representing the Embassy. 3OHDVHFOHDUO\LQGLFDWHLQWKH´6XEMHFWµWKHYDFDQF\\RXDUHDSSO\LQJIRU
TEMA DA SEMANA
4 Savana 03-05-2019

Afonso Dhlakama

Um ano sem o eterno resistente


Por Argunaldo Nhampossa

O
regulado de Mangunde, Criticou a demora na eleição do novo Ossufo Momade entra na história
no distrito de Chibabava, presidente do partido e do secretário- pelo facto de ser o primeiro líder da
província de Sofala, volta a -geral, que no seu entender, deve- Renamo a ver as suas decisões desa-
curvar-se, esta sexta-feira, riam ter ocorrido seis meses depois fiadas de forma permanente, como
para prestar homenagem a uma das da morte de Dhlakama, o que teria está a acontecer na delegação de So-
figuras incontornáveis na história dado tempo ao partido para a afinar a fala, que só amainou graças ao ciclone
política do país nos últimos 40 anos. máquina partidária rumo às próximas Idai.
eleições. Quanto à disputa pela lide- Este tipo de desafios pode atingir
Hoje, passa exactamente um ano, após rança da delegação política provincial proporções alarmantes nos próximos
a morte de Afonso Dhlakama, o em- de Sofala e da cidade da Beira, disse dias com a indicação dos cabeças-de-
blemático líder da Renamo. tratar-se dum teste à capacidade de -lista para governadores provinciais,
Membros do partido, familiares, sim- liderança do Ossufo Momade. Assembleia da República e assem-
patizantes e convidados vão celebrar Domingos diz que esta é uma opor- bleias provinciais.
uma missa no cemitério familiar onde tunidade para a nova liderança da Esse processo, continuou, se não for
jazem os seus restos mortais em Man- Renamo mostrar a sua capacidade de bem gerido, pode criar tensões e fra-
gunde. Renamo ainda ressente-se da morte do seu líder resolução de problemas, quer persua- gilizar a Renamo.
De princípio, as cerimónias serão di- dindo ou impondo as suas delibera- O académico entende que já é hora de
rigidas pelo presidente da Renamo, precipitaram o país para mais uma dito que era ultrajante ele ter de ir ao ções à força. a Renamo se focar no debate político
Ossufo Momade. tensão político-militar, que também encontro de Dhlakama.
e mostrar a sua visão do que pretende
A homenagem ao histórico líder será culminou com perseguições e atenta- Raul Domingos, actual presidente do Renamo procura deste país, ou seja, o que vai fazer de
replicada ao nível das delegações pro- dos até um novo exílio em Novembro Partido para Paz Democracia e De- identidade diferente em relação à actual governa-
vinciais do partido. de 2015. senvolvimento (PDD), diz que, em O Politólogo João Pereira considera ção do país.
Mais do que celebrar a morte, os A 03 de Maio de 2018, a sua voz ca- parte, o legado político de Dhlaka- que a Renamo ainda se ressente da João Pereira aponta como perigo para
membros do partido, segundo expli- lou para sempre numa altura em que ma tem sido dado continuidade pelo ausência de um líder como Dhlakama
as negociações para uma paz efectiva a estabilidade do principal partido da
cou o porta-voz José Manteigas, em seu partido, dado que foi aprovado e é preciso tempo para que o país se
e duradoura com o chefe de Estado oposição o facto de não estar consoli-
contacto com o SAVANA a partir o pacote da descentralização, que na habitue à nova direcção do partido.
estavam no seu ponto mais alto de dado financeiramente.
de Portugal, vão celebrar a sua vida e sua óptica passa a valorizar o voto da Lembrou que Dhlakama era um líder
viragem. Essa dificuldade poderá limitar a ca-
obra para a edificação e consolidação população que passa a eleger o gover- carismático e a prova disso é que as
Ossufo Momade foi o escolhido para pacidade de promoção da imagem de
da democracia rumo a um Moçambi- nador provincial, numa primeira fase suas teleconferências tinham mais
dar continuidade ao projecto político e, a posterior, o administrador. Ossufo Momade às presidenciais, a
que diferente. peso em relação às de Ossufo Mo-
de Dhlakama, numa primeira fase, Criticou aquilo que chamou de “se- tempo e horas.
Nascido a 01 de Janeiro de 1953, a made.
como coordenador interino da Co- guimento religioso”, no que diz res- Pereira diz não duvidar de que a Re-
vida de Afonso Dhlakama dividiu Mas também diz notar uma fraca
missão Política e desde Janeiro, como peito à criação da figura do Secretário namo, como partido, tem a sua marca
correntes: vilão para uns e “messias” intervenção do actual presidente em
presidente do partido eleito pelo con- consolidada no seio das bases, mas
para tantos outros, principalmente os assuntos candentes da nação, o que
gresso. não tem a mesma garantia quanto a
que se sentem marginalizados pelas revela a sua inexperiência política em
Momade, juntamente com Nyusi, Ossufo Momade.
políticas e práticas da Frelimo, par- comparação ao falecido líder.
tido no poder desde a independência prossegue com as negociações, tendo Para o académico, a Renamo está à
nacional em 1975. alcançado avanços significativos nos Um retrocesso
procura da sua identidade para saber
acordos, como a aprovação da revisão A activista dos direitos humanos Ali-
Dhlakama era inveterado na defesa se impor na arena política nacional,
pontual da Constituição da Repú- ce Mabota diz não restar dúvidas de
das causas em que acreditava. Com- por isso, vai se ocupando em assuntos
blica, que abre espaço para a eleição que, embora passe um ano, a morte
prometeu-se com o manifesto da luta como acomodação dos seus efectivos
pela democracia e por ele morreu, dos governadores províncias (2019) e de Dhlakama foi um retrocesso na
nas Forças de Defesa e Segurança.
confinado a um minúsculo ponto da administradores distritais, a partir de democracia nacional e para a Renamo.
Alerta para a necessidade de o partido
Serra da Gorongosa, onde vivia cerca- 2024, bem como a sua regulamenta- Avança que a Renamo precisa de uma
abraçar um projecto de âmbito nacio-
do pelo exército moçambicano. ção. direcção forte, que apresente uma vi-
nal e não se conformar com a acomo-
Ironia das ironias, sobreviveu a ba- Noutra frente, os dois líderes conse- são estruturante sobre o país, pois, se a
dação das suas elites partidárias, que
las e morreu vítima de diabetes, uma guiram a reintegração de 14 oficias só vai abranger meia dúzia de pes-
doença que dada a sua idade avança- superiores e generais da Renamo para soas, deixando à deriva o resto do seu
da e estatura social era perfeitamente cargos de chefia e direcção nas Forças eleitorado.
Armadas de Defesa de Moçambique. Raúl Domingos
controlável. Congratulou-se com a revisão cons-
Apesar das diferentes visões sobre a Recentemente, a Renamo submeteu de Estado na Província (SEP), en- titucional, porque traz garantias de
figura de Dhlakama, há unanimidade uma lista de 10 oficias seus para se- quanto existe o governador provincial, efectivação dos acordos e de que nin-
em relação ao facto de que foi um líder rem promovidos a cargos de chefia, ao que no seu entender constitui uma guém vai mexer nos governadores ou
carismático e dava voz ao sentimento nível da Polícia da República de Mo- sobreposição devido à falta de clareza administradores.
de muitos moçambicanos, incluindo çambique (PRM). nos poderes de cada um. Lamenta, contudo, a falta de emendas
de dirigentes e membros da Frelimo, Louvou o avanço do processo de constituições que assegurem a des-
desiludidos com o rumo do país. Foi um líder profético Desarmamento, Desmilitarização e partidarização das Forças de Defesa
Com apenas 23 anos, juntou-se, em Raul Domingos, antigo número dois Reintegração (DDR), mas deplorou o e Segurança.
1979, à Resistência Nacional de Mo- da Renamo, recordou o seu antigo lí- facto de não se fazer menção à rein- “Os oficiais da Renamo reintegrados
çambicana (Renamo) de André Mat- der, como uma pessoa que, em vida, tegração dos efectivos da Renamo no nas fileiras da FADM e dos que irão
sangaíssa para combater, durante 16 bateu-se pela democracia, estado de Serviços de Informação e Segurança à PRM podem ser, a qualquer mo-
anos, o então sistema comunista im- direito democrático e dos direitos hu- do Estado (SISE). mento, removidos e ou terão de ir à Alice Mabota
plantado pela Frelimo. manos. Disse que a exclusão do SISE cria um reforma”, assinala.
Com a morte de Matsangaíssa em “Ficou conhecido pelas suas interven- perigo iminente de retorno à guer- O debate que a Renamo deve iniciar, Frelimo sobreviveu até aqui, depois da
1979, assume a liderança do então ções precisas e contundentes e que, ra, porque a que foi movida 20 anos na visão do académico, é a elaboração morte de Samora Machel, foi graças
movimento de guerrilha no auge da se fosse vivo, estaria a congratular-se depois do AGP resultou em parte da de uma política de defesa e seguran- ao aparelho do Estado, porque tudo
guerra civil, o que mais tarde veio a com aquilo que está a vir ao de cima não restruturação da secreta nacional ça apartidária, que leve a emendas foi escangalhado.
culminar com a assinatura do Acordo com as detenções dos mentores dos e da PRM. constitucionais para que o país não Mabota vê em Afonso Dhlakama
Geral de Paz (AGP), a 4 de Outubro escândalos de corrupção, que desgra- “Se a reintegração no SISE não for seja privatizado pelas duas principais um líder que dialogava com todas as
de 1992. çaram milhares de moçambicanos”, acautelada, estaremos a adiar um forças deste país, Frelimo e Renamo. esferas da sociedade para perceber e
É por muitos considerado um dos assinalou. problema que pode ter repercussões esboçar um projecto que abarcasse os
percursores da democracia nacional, Isto porque, segundo explica Domin- desastrosas daqui a 10 ou 30 anos”, diferentes sentimentos dos moçambi-
sendo-lhe apontado a autoria do óbi- gos, o seu antigo líder tinha uma visão advertiu. canos.
to do sistema de partido único. profética, por ter advertido os mo- Para o dirigente do PDD, é difícil su- A antiga presidente da Liga dos Di-
Sofreu perseguições e atentados, com çambicanos sobre a perigosidade do ceder um líder como Dhlakama, que reitos Humanos (LDH) diz-se preo-
destaque para 2013, quando se foi exi- actual regime em termos de corrupção já havia se apropriado do partido em cupada com o facto de Dhlakama não
lar em Satungira. Saiu das matas em e enriquecimento ilícito. termos de gestão, dado o tempo em ter preparado alguém a tempo e horas
2014, para assinar o Acordo de Ces- Sublinhou que nessa missão profética, que estava na direcção. para dar continuidade ao seu projecto
sação das Hostilidades Militares em Dhlakama disse: “estão a marginali- Apesar disso, prosseguiu, o partido político.
Setembro, o que veio criar condições zar-me, mas um dia vão se ajoelhar está articulado, cumpre com os seus As lutas titânicas no interior da Re-
para que participasse das eleições ge- diante de mim”. programas, participou das eleições au- namo, afirma, eram impensáveis no
rais marcadas para esse ano. Esta profecia, de acordo com Domin- tárquicas, organizou um congresso de tempo do falecido líder.
Os resultados eleitorais que confe- gos, cumpriu-se com a ida de Filipe sucessão e agora o conselho nacional A activista dos direitos humanos cri-
riram a vitória presidencial a Filipe Nyusi à Serra da Gorongosa para que elegeu o Secretário Geral e está tica igualmente a falta de um projecto
Nyusi, num cenário em que o Afonso negociar a paz, depois do séquito do tudo encaminhado para participar nas nacional por parte da nova direcção
Dhlakama ganhou em seis províncias, seu antecessor Armando Guebuza ter eleições gerais. João Pereira do principal partido da oposição.
PUBLICIDADE
TEMA DA SEMANA
Savana 03-05-2019 5
SOCIEDADE
6 Savana 03-05-2019

José Macuane:

“Legado de Dhlakama na política ainda se faz sentir”


Por Argunaldo Nhampossa

P
assa hoje um ano após a tencialmente gerador de conflitos, partido e os seus ideais que, repito,
morte do histórico líder que eventualmente podem envolver são ainda vagos e precisam ser mais
da Renamo, principal par- outros protagonistas que não seja a claros e com substância, o que dará
tido da oposição, Afonso Frelimo e a Renamo. Podemos pen- uma base mais sólida para a acção.
Dhlakama, que dirigiu o movi- sar, por exemplo, nas potenciais cau- Depois da prestação positiva que
mento durante quase 38 anos. Em sas da insurgência de Cabo Delgado a Renamo teve nas autárquicas de
entrevista ao SAVANA, o politó- e em que medida ela pode ser pro- 2018, o que podemos esperar nas
logo José Jaime Macuane faz no- duto de um sistema que priorizou o eleições gerais de Outubro próxi-
tar que um ano depois, o legado pacto bipartidário em detrimento mo?
de Dhlakama na política nacional de um pacto social mais amplo. Se as eleições no país fossem livres
ainda se faz sentir, “provavelmente e justas, seria mais fácil prever o que
porque o seu capital político ainda Liderança de Momade se pode esperar. Assim mesmo, po-
está a ser explorado pela Renamo, Substituir Dhlakama é uma tare- demos tentar prever alguns cenários
mas ao mesmo tempo há um vazio fa que não se afigura fácil. Ossufo nas eleições provinciais, presiden-
na sua função de canal de expres- Momade foi o eleito para tal, acha ciais e legislativas. Nas eleições pro-
são de parte dos actores políticos que está a conseguir alinhar o par- vinciais, existe uma grande possibi-
excluídos, principalmente no pro- tido nos ideais outrora defendidos lidade de a Renamo ter maioria em
cesso de paz, mais especificamente por Dhlakama? algumas províncias e, consequente-
no processo de descentralização”, Fica difícil fazer essa comparação, mente, indicar seus governadores.
afirma Macuane, numa entrevis- porque apesar de se conhecer a As possibilidades me parecem altas
ta em que também comenta sobre histórica oposição e contestação ao na Zambézia, Nampula e Sofala.
a actual liderança da Renamo e Governo da Frelimo e também a Temos também províncias em que
tenta prever cenários nas eleições sua autodenominação como pai da a Renamo é forte, como Manica e
gerais de Outubro próximo, argu- José Jaime Macuane diz que Dhlakama sabia inserir no seu discurso as democracia, Dhlakama não tinha
preocupações do eleitorado excluído
Tete. Tete é particularmente uma
mentando que existe uma grande um corpo claro de ideais políticos. província com um histórico consi-
possibilidade de a Renamo ter Era essencialmente um líder caris- derável de irregularidades eleitorais.
pela Renamo, mas ao mesmo tempo e democratizante. A partidarização
maioria em algumas províncias e, mático e populista, que sabia inse- Mas estes resultados dependem de
há um vazio na sua função de canal do Estado e do aparelho de segu-
consequentemente, indicar seus rir no seu discurso as preocupações
de expressão de parte dos actores rança não deve ser substituída por dois factores: um é o que já indiquei,
governadores. do momento com as quais os elei-
políticos excluídos, principalmente uma “bipartidarização”, porque no a justeza das eleições. Na falta desta,
tores, principalmente os excluídos
no processo de paz, mais especifi- fim o resultado líquido será o mes- mesmo em tradicionais bastiões da
Como é que olha para o rumo da das redes clientelistas do regime,
camente no processo de descentra- mo: não teremos forças de defesa e Renamo, como os que acima indi-
política nacional, um ano após a se identificavam. Por isso mesmo,
lização. segurança republicanas. Da mesma quei, podem ocorrer surpresas. Se
morte de Afonso Dhlakama? é pouco objectivo se dizer se a ac-
Que Renamo temos hoje? forma, criar um sistema de partilha a máquina partidária da Renamo
Vejo a morte de Dhlakama como tual liderança está ou não alinhada.
Uma Renamo que ainda precisa se de poder que substitui o clientelis- continuar frágil como tem sido, este
tendo implicações diferentes na po- Quando começar a fazer a campa-
encontrar. Uma das consequências mo monopartidário por um cliente- cenário poderá ser mais provável. O
lítica nacional, em duas vertentes: nha política (repare que não estou
da liderança carismática (e con- lismo de dois partidos não levará a a dizer eleitoral, estou a falar para segundo factor é a mudança da lide-
a eleitoral e a política. Sob o ponto sequentemente personalista) de um país mais justo sob o ponto de rança da Renamo e as potenciais dis-
de vista eleitoral, sem a presença de além dos períodos eleitorais) isso fi-
Dhlakama foi o enfraquecimento vista socioeconómico e a uma paz cará claro. Daí eventualmente ficará putas internas, que em alguns casos
Dhlakama, a Renamo passou por da Renamo como partido. Um ano social efectiva. Um dos legados de podem minar a coesão do partido e
um teste nas eleições autárquicas claro que visão o partido tem e que
após a sua morte ainda não são vi- Dhlakama foi um quadro institu- ideias tem para materializar a tal vi- isso afectar as suas possibilidades de
de 2018 no qual se pode dizer que síveis os necessários esforços de cional que dividiu o poder entre a vitória em províncias onde tem sido
teve um desempenho positivo, ten- são. Além de se auto definir como
fortalecimento da máquina parti- Renamo e a Frelimo. Isso pode ser democracia cristã, anti-comunista, forte. Nas eleições presidenciais não
do em conta o número de autarquias dária, ao mesmo tempo que a nova espero grandes surpresas, a Renamo
visto no Conselho Constitucional, representante dos excluídos e ferre-
ganhas e aquelas em que teve uma liderança do partido se expõe pouco, tem um candidato ainda pouco co-
na CNE e em outras instituições. nha anti-frelimista, a Renamo não
boa votação, além das que os resul- quase não dialoga com a sociedade nhecido e que surpreendentemente
Este legado de partilha de poder fornece elementos para entender
tados oficiais são duvidosos, pelas e as suas ideias são pouco conheci- ainda se expõe pouco, faltando seis
não foi capaz de garantir a paz que ideais políticos tem. E isso faz
razões que assistimos. Para alguns das. Até aqui as aparições têm sido meses para as eleições. Isso pode
efectiva e não creio que tenha sido falta para que ela possa ir para além
isso pode significar que a Renamo mais reactivas. Também a crise da ser uma fraqueza que jogará contra,
porque em muitos casos foi mal im- de um partido cujas lideranças são
consegue sobreviver eleitoralmente eleição dos delegados provinciais do plementado, mas sim porque alie- “homens fortes” para se tornar numa porque mesmo num cenário de su-
sem o seu líder histórico, mas eu partido, após o Congresso da Rena- nou outros actores sociais e políticos organização política mais consoli- cesso eleitoral, será mais justificável
acho que ainda é muito cedo: falta a mo deixa dúvidas de que haja uma deste pacto, que acabou repousando dada. Um dos desafios que a nova li- manipular eleições de um candidato
eleição presidencial, em que a figura aposta na democratização do parti- sob bases frágeis. Esse legado pode derança tem é talvez de clarificar os pouco conhecido do que um mais
da liderança partidária é mais im- do, o que em si seria uma forma de ter sido importante para garantir a ideais do partido e evitar o erro de conhecido. Nas eleições legislativas,
portante. Sob o ponto de vista polí- fortalecê-lo. paz, após o Acordo Geral de Paz em ligar os destinos deste a sua lideran- a Renamo está bem posicionada
tico, ainda não vejo mudanças subs- O legado político de Dhlakama 1992, mas não deve ser celebrado ça. Neste sentido, até seria positivo para aumentar o número de depu-
tantivas, porque o processo de paz está a ser ou não continuado, quer como modelo para um quadro ins- ter um outro tipo de liderança dife- tados, mas duvido que a Frelimo vá
continuou sem grande mudanças, o a nível partidário, quer a nível das titucional e político de busca de paz rente da de Dhlakama, como forma ceder a maioria legislativa e tudo
que pode ser considerado como um negociações com o governo mo-
efectiva, porque é excludente e po- de clarificar o alinhamento entre o fará para impedir que isso ocorra.
legado da negociação de Dhlakama çambicano rumo ao alcance da paz
com Nyusi. Desse processo veio o efectiva?
actual pacote de descentralização, Em certa medida sim, conforme
com as suas imperfeições e assim anteriormente referi. No entanto,
mesmo continuou a tendência de a continuação desse legado não é
exclusão de outras opiniões, princi- necessariamente uma coisa positiva,
palmente aquelas que estão fora do uma vez que o modelo de diálogo
parlamento. que se adoptou é excludente, deixa
Nisso, não me parece que a política de fora as outras forças políticas e a
tenha mudado muito. O que talvez sociedade civil. Isso levanta dúvidas
se note como um vazio é que pelo sobre que resultados esse legado há-
seu lado populista, mesmo tendendo -de ter. No meu entender, a curto
a defender o seu partido, Dhlakama prazo, poderá garantir a acomoda-
era mais receptivo à opinião públi- ção momentânea da Renamo no
ca e isso contribuía para entrada de poder e acesso aos benefícios deste.
outras perspectivas na discussão dos Mas também há assuntos que saí-
assuntos relacionados ao pacote da ram da agenda, como a inclusão das
paz, pelo menos aqueles que não forças da Renamo nos Serviços de
envolvessem questões militares. Em Informação e Segurança do Estado.
síntese, o legado de Dhlakama na Isto é um assunto que sempre preo-
política nacional ainda se faz sentir, cupou a Renamo. Mas repare que
provavelmente porque o seu capital esses arranjos todos não levam a um
político ainda está a ser explorado resultado necessariamente inclusivo Instantes que marcaram o velório de Afonso Dhlakama na cidade da Beira
TEMA
PUBLICIDADE
DA SEMANA
Savana 03-05-2019 7
SOCIEDADE
8 Savana 03-05-2019

1º. De Maio com ideologia na gaveta

'HVÀOHGHPDUFDVRXVLQGLFDWRV"
Por Cleusia Chirindza

E
m desfiles que praticamen- fixando a nova base em 4.467,75
te se tornaram num “muro meticais, contra os 4.255 meticais
de lamentações” e uma que vinham sendo praticados desde
plataforma de promoção a última revisão. Na função pública,
de marcas e empresas, na capi- o aumento abrange todas as catego-
tal, cerca de 25 mil trabalhadores rias.
marcaram presença quarta-feira, Para o sector da agricultura, o rea-
nas cerimónias centrais alusivas juste foi de 5.78%, passando o novo
a celebração do dia Internacional ordenado mínimo a ser de 4.390
do Trabalhador. As comemorações meticais, no sector de Pesca e In-
foram replicadas nas principais ci- dústria, o salário mais baixo a pagar
dades do país, à excepção de Pem- é de 5.370 meticais.
ba, por força do ciclone Kenneth. O subsector da Pesca do kapen-
Ostentando dísticos que variavam ta também registou um aumento
entre a publicidade e mensagens de 5.0%, com o novo mínimo nos
de repúdio ao desrespeito dos di- 4.266,68 meticais. Na Indústria de
reitos laborais, com destaque para Extracção Mineira e Grandes Em-
baixos salários, discriminação, fal- presas, o novo salário mínimo é de
ta de pagamento de horas extras e 9.254,60 meticais, resultado de um
sindicalização da função pública, aumento a uma taxa de 12%. As Pe-
os trabalhadores marcharam, can- dreiras e Areeiros tiveram de 10%,
taram e dançaram, aparentemente elevando para 6.379 meticais.
satisfeitos com as camisetes que Nas Salinas a taxa de aumento
ganharam dos seus patrões para foi de 6%, elevando o salário para
participarem no desfile. para trabalhadores e empresas. mais, alvo de uma grande ofensiva deste ano se pretende demonstrar 5.318,06 meticais. Os trabalhadores
A classe trabalhadora diz que não do Conselho Autárquico contra a o compromisso na salvaguarda dos do sector da distribuição de electri-
Foram cerca de quatro horas que venda nos passeios e nas bermas cidade, gás e água passam a auferir
quer ser aldrabada e pretende que direitos laborais e sindicais sobre o
trabalhadores de diferentes em- das estradas. Comiche, o novo edil, um salário mínimo de 8.300 meti-
os salários sejam pagos na totalida- trabalho digno, como desencorajar
presas nacionais, alguns em regime presente no desfile, prometeu que cais, que resulta dos 6.41% acres-
de, sendo que as “dívidas ocultas” as atitudes anti-sindicais de algu-
de conta própria ou empregados em breve vai promover uma reu- centados. A mesma percentagem
devem ser pagas pelos que as con- mas entidades empregadoras que
domésticos, que sob o lema “Sindi- nião alargada para discutir as pro- foi adoptada nas pequenas empresas
traíram. O presidente da central violam a legislação laboral vigente.
catos Juntos na Luta Pelos Direitos blemáticas dos informais. deste sector, onde o salário mínimo
sindical, habitualmente “cinzento” O Presidente da OTM abordou
Laborais e Sindicais” desfilaram na A falta de um plano de saúde foi passa a ser de 6.760 meticais.
nos seus pronunciamentos, saudou também a questão do aumento
tradicional marcha alusiva ao 1º de uma das notas do caderno de rei- Na área da construção, o reajuste
as iniciativas da PGR e defendeu salarial, tendo apontando que este
Maio. vindicação apresentado pelos foi de 6.04%, com salário mínimo
que os culpados nas dívidas devem ano foi muito difícil negociá-lo
Nem a aprovação, esta terça-feira, funcionários da empresa de dis- a corresponder 6.136,70 meticais,
ser punidos. comparativamente aos anos ante-
pelo Conselho de Ministros de no- tribuição de dados e conteúdos, a nos serviços não financeiros o novo
Os trabalhadores do sector privado riores e citou a conjuntura nacional
vos salários mínimos, que variam “TVCABO”, que preferiram des- salário e de 6.850 meticais que cor-
queixaram-se da violação dos seus que não favoreceu.
de 5 a 12%, foram suficientes para filar em silêncio como forma de responde a 9.6%. A indústria hote-
direitos laborais por parte do patro-
silenciar a massa laboral que uma manifestar o seu descontentamento leira tem um vencimento de 6.478
vez mais voltou a considerá-lo ir-
nato, exigiram um salário justo e a Novos salários mínimos meticais, resultantes do reajuste de
canalização dos descontos ao Insti- e sem uniforme, alegando que o pa-
risório para aquilo que é o custo de Reunido em mais uma sessão de 10.2%.
tuto Nacional de Segurança Social tronato não disponibilizou.
vida, apesar da inflacção oficial se Conselho de Ministros, o executivo No sector de bancos e seguradoras,
(INSS) e que este esteja ao serviço O processo de fusão das empresas
ter situado nos 3,2% em 2017. moçambicano aprovou a nova tabe- o aumento foi de 7.25%, fixando-se
do trabalhador e não das elites po- Telecomunicações de Moçambique
Segundo a classe trabalhadora, o la de salários mínimos por sector, nos 12.760,18 meticais. No ramo
líticas nacionais. (TDM) e a Moçambique Celular
custo de vida está cada vez mais (Mcel), em Tmcel, ainda não tran- que passam a vigorar com efeitos de microfinanças, o incremento foi
As empresas de segurança priva- retroactivos a partir de 1 de Abril. igualmente de 7.25%, passando o
caro, os preços dos produtos são quiliza alguns trabalhadores que
das que operam no país, no côm- Assim, na função pública, o salário salário mínimo para 11.336,93 me-
sufocantes, o salário mínimo do temem serem afectados com redu-
puto geral, lamentam os sucessivos mínimo foi revisto na ordem de 5%, ticais.
trabalhador não cobre as necessida- ção da mão-de-obra na empresa.
atrasos no pagamento de salário
des básicas, o reajuste somente veio Mas caso sejam afectados apelam
que chegam a atingir cinco meses.
agudizar o sofrimento. ao bom senso para que sejam de-
Em cânticos e dísticos apelaram
Deste modo, entendem que na ac- vidamente observadas as questões
ao governo para que faça a devida
tual conjuntura nacional, 19 mil referentes as suas indemnizações,
fiscalização das empresas que não
meticais (MT) seria o salário mí- porque caso não, prometem travar
nimo justo. Os aumentos decreta- cumprem com as suas obrigações.
uma batalha sem cessar. “Não va-
dos com força de lei atingem pouco Estas empresas, por seu turno,
mos sair e deixar o dinheiro”, di-
mais de 12 mil meticais para os sec- queixam-se das enormes dívidas
zia a mensagem do dístico que foi
tores mais privilegiados, a área da que estão a suportar, por força da
reproduzida em cântico. A pressão
actual conjuntura.
banca e seguros. dos trabalhadores e o lobby junto do
As “dívidas ocultas” que precipi- partido Frelimo, têm vindo a adiar
taram o país a uma crise sem pre- Trabalho doméstico decisões estratégicas nos “excessos”
cedentes nos últimos tempos não A carga horária excessiva e maior de trabalhadores na grande maioria
foram esquecidas. A massa laboral segurança no trabalho foram outras das empresas estatais, alvo de uma
pede para que não seja sacrifica- componentes exigidas pelos sin- gestão desastrosa, centrada nos in-
da de modo que o governo use os dicatos e comités que lutam pela teresses partidários e dos seus di-
recursos que estavam destinados justiça social de todos os trabalha- rigentes. Mateus Magala, o antigo
a melhoria da sua condição sala- dores, sem a exclusão de ninguém. PCA da EDM, é apontado como
riar para o pagamento das dívidas Aqui destaque vai para a exigência uma das cabeças que rolou por ten-
estimadas em cerca USD 2,2 mil da ractificação da convenção 189 tar implementar um plano de redu-
milhões contratadas ao arrepio das que protege o trabalho doméstico. ção drástica de força de trabalho.
normas. As “dívidas ocultas” con- A ocupação neste sector dá empre- O Presidente da Organização dos
traídas pela administração Guebu- go a uma faixa importante da po- Trabalhadores de Moçambique-
za, fizeram o metical desvalorizar pulação das grandes cidades, mas -Central Sindical (OTM-CS),
em 100%, passando dos 30 meticais os direitos destes trabalhadores têm Alexandre Munguambe disse que,
por dólar americano para os 60 me- sido muito negligenciados devido à a questão das dívidas ocultas, bem
ticais dos últimos anos. Este ano, o precaridade de muitas destas rela- como a corrupção generalizada são
metical está de novo a deslizar, es- ções laborais. assuntos que preocupam os tra-
tando um dólar agora para 65 Mt., Outro “sector problemático”, que balhadores. Mais adiante, Mun-
antecipando novas dificuldades esteve no desfile foram os infor- guambe afirmou que com o lema
PUBLICIDADE
Savana 03-05-2019 9
PUBLICIDADE
SOCIEDADE
10 Savana 03-05-2019

Municípios na província de Nampula

“Herdamos autarquias saqueadas pela Frelimo”


— Edis da Renamo
Por Raúl Senda

N
o próximo dia 07 de Maio, os Ao SAVANA, Américo Adamugy, Ilha de Moçambique
órgãos autárquicos, eleitos presidente cessante, refutou as acusa- O rol de lamentações vem também
nas eleições de 10 de Outu- ções e disse que é tudo mentira, visto do município da cidade de Ilha de
bro de 2018, completam três que, a sua equipa cumpriu com todas Moçambique, liderado por Gulamo
meses, após a sua investidura. Para formalidades e procedimentos. Mamudo. A autarquia foi ganha pela
medir o pulsar dos primeiros 90 dias, Referiu que a entrega de pastas foi Renamo nas eleições de 2018.
o SAVANA revisitou três autarquias feita publicamente. Foi testemunhada O autarca contou ao SAVANA que,
na província de Nampula, todas lide- pelos representantes da tutela admi- quando tomou posse, encontrou um
radas pela Renamo. Mas a segunda nistrativa, do governo provincial, do município completamente saqueado e
maior força política em Moçambique, distrito, bem como dos membros da com grande parte do património van-
alega que herdou municípios “com- Assembleia Autárquica. dalizado.
pletamente saqueados” pelos edis da “No relatório entregue ao novo gover- Segundo Gulamo Mamudo, no sa-
Frelimo na hora de deixar o poder. no autárquico, constava tudo, desde as lão de eventos do município foram
dívidas, património autárquico, bem saqueadas mais de 100 cadeiras, no
Trata-se dos municípios de Angoche, como dos projectos em curso. Quan- edifício municipal retirados aparelhos
liderado por Ossufo Rajá; da cida- Cidade de Angoche: um dos municípios, dirigidos pela Renamo, cujo património do recebeu o documento o meu cole- de ar condicionado, ventoinhas, com-
de da Ilha de Moçambique, chefiado terá sido saqueado ga não fez nenhum questionamento. putadores e algum mobiliário.
por Gulamo Mamudo e da cidade de Referiu que parte do material infor-
Como está a dizer isso agora? Acho
Nacala Porto, sob direcção de Raúl do parque automóvel do município Segundo Rajá, o processamento de mático foi encontrado nas residências
que está a procura de desculpas para
Novinte. Nas três autarquias, a rea- para os serviços de apoio. Mas, estra- salários do mês de Janeiro de 2019 es- dos funcionários do município, que
justificar seus fracassos”, acusou.
lidade é similar. Todos alegaram que nhamente, quando assumiu as fun- teve a cargo do anterior executivo. O usavam computadores para assistir
Américo Adamugy disse que quer filmes.
encontraram os cofres vazios. Falam ções, todas viaturas estavam avariadas, tal sucedeu e o dinheiro foi transferido
o gabinete do presidente, bem como De acordo com o edil, nas viaturas do
de saque às contas bancárias, do patri- incluindo a viatura protocolar e do do governo central para o município a
a residência protocolar foram entre- município foram retirados baterias,
mónio público, dívidas sem suportes presidente da Assembleia Autárquica. fim de se proceder com os pagamen-
tos. Contudo, o dinheiro desapareceu. gues em perfeitas condições. Quanto pneus e outros acessórios. Coincidên-
documentais e até de sabotagens. Rajá frisou que, em 2017, o município
adquiriu uma viatura de marca Toyota Referiu que todos casos foram comu- a viatura protocolar, o então edil disse cia ou não, um dia antes da tomada
No caso concreto do município de
Angoche, o edil disse que levou o caso Hilux para o presidente. Quando fal- nicados à ministra da Função Pública que se envolveu num acidente de via- de posse, a empresa responsável pelo
à ministra de tutela autárquica bem tavam 10 dias para a tomada de posse e Administração Estatal, através do ção, quando regressava da cidade de fornecimento de água na Ilha de Mo-
como ao Ministério Público (MP), do novo edil, a viatura acidentou e fi- seu representante na província, ao go- Nampula e ficou danificada, mas que çambique foi cortar água na residência
para abertura de acção penal contra cou completamente danificada. Foi na verno da província de Nampula, assim o município tem outras viaturas que o oficial.
como a Procuradoria da República no presidente pode, enquanto cria condi- De acordo com Gulamo Mamudo, o
os potenciais suspeitos. Contudo, até mesma altura, acrescenta, que o auto-
distrito de Angoche. Porém, estranha- ções para aquisição de um outro meio. seu elenco encontrou dívidas na or-
hoje, ninguém está dar conta do reca- móvel afecto ao presidente da Assem-
Para Adamugy, o novo edil não ocu- dem de sete milhões de meticais com
do. bleia Autárquica, também teve avaria mente, nenhuma dessas entidades to-
pou a residência protocolar por razões diferentes entidades públicas e priva-
Os antecessores negam as acusações e grossa e de difícil reparação. mou conta do recado.
meramente pessoais e não porque está das.
dizem que são truques para justificar o Sublinhou que a residência protocolar Sublinhou que, no primeiro mês de
degradada. O estranho, continuou, é que gran-
mau desempenho. também não escapou dos actos de sa- actividades, a edilidade de Angoche
de parte do valor em dívida não tem
“Quando chegámos, encontrámos botagem. Todo mobiliário da sala, dos teve de recorrer a favores de amigos e
documentos que suportam a sua exis-
saldo zero nas contas do município. quartos, cortinados, geleiras, congela- pessoas de boa fé para garantir o fun- Nacala tência. Nos processos, não consta para
Fomos verificar os processos e nos dores, aparelhos de ar condicionados e cionamento. Raúl Novinte, presidente do Conselho que fim foi gasto o dinheiro e nem
deparámos com uma dívida de 8.3 televisores foram retirados e fechadu- Os problemas de Angoche não param Autárquico da cidade de Nacala, elei- justificativos que comprovam esses
milhões de meticais com diferentes ras danificadas. por aí. Segundo Rajá, neste momento, to pela Renamo, também afirmou ter gastos. Apenas constam facturas.
agentes económicos ao nível das ci- “Quando cheguei à residência oficial o município deve salários dos meses herdado um legado caracterizado por Por exemplo, disse Gulamo, há dívi-
dades de Angoche e Nampula. Não encontrei tudo escangalhado. Soube de Janeiro, Março e Abril. vários problemas. Falou da existência das com empreiteiros, mas que nos
tínhamos papel, tonner, viatura, nem que o imóvel havia sido reabilitado e Ossufo Rajá disse que a falta de salá- de funcionários fantasmas e avultadas processos não consta a documentação
combustíveis para trabalhar. Tivemos mobilado, mas tudo desapareceu. As- rios não resulta da incompetência da dívidas. Quase todos meios circulan- atinente aos concursos públicos para
de começar tudo de zero. Foi muito sim, continuo a residir na minha casa e edilidade, mas sim da falta de desem- tes do município de Nacala estavam
estou sem viatura de Estado. Para me bolsos do governo central.
completamente inoperacionais devido
deslocar, dependo da boa vontade de “O governo central é que desembolsa
a vandalização.
um amigo que cedeu a sua viatura. É fundos para o pagamento de salários
A residência oficial do presidente do
doloroso usar viatura de um particular, aos funcionários efectivos. Diferen-
município está em condições deplo-
para trabalhos de município”, lamen- temente do que acontece noutras
ráveis e parte do património do mu-
tou. autarquias, o município de Angoche
nicípio foi transferido para o governo
Ossufo Rajá disse que encontrou dívi- não recebe esse fundo há alguns me-
do distrito de Nacala, sob égide da
das na ordem de um milhão de meti- ses. Primeiro diziam que o problema
Frelimo.
cais resultantes da falta de pagamento resultava da falta de documentação,
No património que passou do mu-
de água, assim como com o Instituto visto que, com a mudança do governo,
nicípio para o governo do distrito,
Nacional de Segurança Social (INSS). as pessoas que tramitavam esses expe-
acrescentou, consta um imóvel recém
Realçou que o elenco de Américo dientes, emprestando suas assinatu-
ras, foram substituídas. Já resolvemos reabilitado pelos fundos da autarquia.
Adamugy (presidente cessante) não
A reabilitação do edifício custou, a
canalizava os descontos de segurança o problema e todos processos foram Gulamo Mamudo, edil da Ilha de
“Vivo na minha casa porque, a residência submetidos à Direcção Provincial de edilidade, cerca de três milhões de Moçambique
social ao INSS e, em virtude disso, o
protocolar foi vandalizada”, Ossufo Rajá valor das dívidas atingiu mais de um Economia e Finanças de Nampula, meticais.
milhão de meticais. mas até agora ainda não foi resolvido. Segundo Novinte, quando o novo edil essas obras e os vistos do Tribunal
difícil”, queixou-se Ossufo Rajá, edil “Há dias fomos contactados por uma Se os fundos não forem canalizados chegou a autarquia, a viatura proto- Administrativo.
de Angoche. firma que terá fornecido aparelhos de não temos como pagar salários. O go- colar tinha desparecido. “Foi preciso Sobre os salários, o edil disse que o
O edil contou que, dos 8.3 milhões de verno está a dever de 15 a 16 milhões esperar vários dias para ter de volta”, município da Ilha está a dever apenas
ar condicionado a autarquia. A empre-
meticais que o município devia, cerca de meticais ao município de Ango- precisou. o mês de Abril, porque o governo cen-
sa vinha exigir o pagamento de uma
de três milhões de meticais estavam Para além de património usurpado tral ainda não transferiu os fundos.
dívida na ordem de 500 mil meticais. che”, disse.
relacionados com despesas referentes e contratos rubricados fora dos pro- O edil queixou-se do facto dos fun-
Trouxe-nos comprovativos de factu- Ossufo Rajá disse que, por se tratar
a compra de peixe. cedimentos legais, a nova liderança cionários herdados do então elenco
ras e termos de entrega do material, dum ano político, o objectivo do go-
Sublinhou que o município de An- municipal de Nacala disse que herdou obstruírem todos esforços que visam o
contudo, os aparelhos não constam no verno da Frelimo é desgastar a ima- desenvolvimento da Ilha.
goche chegou a gastar entre 20 e 40 património do município. Foram des- gem dos governos da Renamo e usar dívidas na ordem de 40.7 milhões de
Sobre os bens saqueados, Gulamo
mil meticais/dia na compra de peixe. viados. Também encontrámos excesso isso como trunfo eleitoral. meticais. Confrontado com a situação,
Mamudo disse que ainda não apre-
Contudo, avança o edil, o estranho de mão-de-obra. Para todos serviços Mesmo debaixo de dificuldades, o o edil cessante, Rui Chong Saw, não
sentou a queixa-crime contra os pre-
é que o peixe não faz parte de meios municipais precisamos de 250 pessoas, presidente do Conselho Autárquico reconheceu os factos e disse que são
sumíveis infractores, porque o objecti-
materiais que a autarquia precisa para mas a autarquia tinha perto de 500 de Angoche afirmou que está atento falsidades. vo primário é recuperar o património
trabalhar. trabalhadores. Fizemos levantamentos as manobras políticas e, internamente, Saw referiu que a dívida que é do seu retirado. Contudo, em caso de resis-
“O peixe não entra na lista dos nossos e verificamos que mais de 200 pes- busca soluções para a resolução de al- domínio foi aprovada pela Assembleia tência o caso chegará as autoridades
consumíveis, mas foi o item que mais soas não prestavam nenhum serviço à guns problemas como recolha de lixo, Municipal, e é de 20 milhões de me- judiciárias.
endividou o município. É no mínimo edilidade, mas mensalmente auferiam reabilitação de vias de acesso e cons- ticais. Gulamo contou que as receitas estão
ridículo, é estranho”, desabafou. salários. São pessoas ligadas às estru- trução de mercados. “As pessoas que difundem essas in- num nível estacionário. O município
Ossufo Rajá apontou outros desman- turas do partido Frelimo ao nível do “Aumentámos a nossa base tributá- formações só querem sujar a minha colectou mensalmente cerca de 250
dos que, no seu entender, roçam a sa- distrito de Angoche, mas que os seus ria de cerca de um milhão para 1.6 imagem e de toda equipa que comigo mil meticais, um valor bastante ínfimo
botagem e até crimes. ordenados eram pagos pelo municí- milhões de meticais mensalmente”, governou a cidade de Nacala”, defen- para aquilo que são as reais despesas
Contou que oito viaturas fazem parte pio”, explicou. vangloriou-se. deu-se do município.
PUBLICIDADE
Savana 03-05-2019 11

$+LGURHOpFWULFDGH&DKRUD%DVVDGHVHMD
DWRGRVRVWUDEDOKDGRUHVPRoDPELFDQRV
XP)HOL]GLDLQWHUQDFLRQDO
GRVWUDEDOKDGRUHV
INTERNACIONAL
PUBLICIDADE
12 Savana 03-05-2019

Rússia denuncia “interferência” dos EUA


Juan Guaidó, o líder
O
ministro dos Negócios Es- na daquele Estado soberano, inclusive e a realização de novas eleições, mas o
trangeiros da Rússia, Sergey apoiando a mudança dos seus líderes, Presidente [Trump] deixou claro que,

oposicionista que Lavrov, criticou nesta quar-


ta-feira duramente o secre-
tário de Estado norte-americano Mike
Pompeo pela “interferência” na crise
é uma grave violação da lei internacio-
nal”. E defendem que a “continuação
desta agressiva atitude trará sérias con-
sequências.”
num certo momento, é preciso saber
tomar decisões”, acrescentou Pompeo.
As autoridades norte-americanas refor-

desafiou Maduro
çaram na terça-feira as pressões sobre
política na Venezuela. O secretário de Estado norte-america-
as chefias militares e figuras chave do
no, Mike Pompeo, disse que uma “acção
regime para que apoiem o levantamen-
Uma nota do gabinete do ministro disse militar” é “possível”, se for “necessária”
to liderado pelo autoproclamado Presi-

E
que Lavrov e Pompeo falaram por tele- para favorecer a transição política na
fone, por iniciativa dos Estados Unidos. Venezuela. dente interino Juan Guaidó e responsa-
ngenheiro de 35 anos que iniciou carreira política como bilizaram a Rússia e Cuba por Maduro
De acordo com a mesma fonte, “o foco “A acção militar é possível. Se for ne-
dirigente estudantil chegou à chefia da oposição na Ve- se manter no poder.
foi a situação na Venezuela, onde um cessário, é o que os Estados Unidos fa-
nezuela quase por acaso. Ascensão veio graças ao vazio dia antes a oposição (...) tentou tomar o Juan Guaidó desencadeou, na madru-
rão”, afirmou Pompeo numa entrevista
deixado pelas lideranças perseguidas pelo regime. Ao se poder” com o “evidente apoio” dos Es- à estação de televisão norte-americana gada de terça-feira, um acto de força
autoproclamar “chefe de Estado interino” da Venezuela no dia tados Unidos. Fox. contra o regime de Nicolás Maduro,
23 de Janeiro, Juan Guaidó desafiou o homem mais forte da na- Os russos consideram que “a interfe- “Nós preferíamos uma transição pacífi- em que envolveu militares e para o qual
ção caribenha, Nicolás Maduro, como nenhum outro político rência de Washington na ordem inter- ca para o poder, com a saída de Maduro apelou à adesão popular.
opositor.

Até 4 de Janeiro de 2019, véspera de assumir a presidência rota-


tiva do Parlamento, nada deixava antever que o engenheiro indus-
trial de 35 anos estivesse disposto a chegar tão longe.
República de Moçambique
Sua condição de integrante do Vontade Popular - tido como o República de Moçambique Ministério da Justiça, Assuntos
mais radical dos partidos antichavistas - permitia prever uma ges- Ministério da Indústria e Comércio Constitucionais e Religiosos
tão legislativa assertiva, mas sua breve biografia não dava base para
se imaginar um cenário como o que atualmente protagoniza: de
golpe. Nem os próprios venezuelanos conheciam bem Guaidó.
Descrito como “centrista” por aqueles que o conhecem, apesar de
seu partido ser membro da organização Internacional Socialista
(IS), Juan Guaidó começou sua carreira política como dirigente
CONVITE
estudantil social-democrata na Universidade Católica Andrés
Bello, na capital venezuelana, Caracas. Pouco depois, seu nome
apareceria entre os dos que fundaram o Vontade Popular em 2009.
Foi como representante da legenda que obteve seu primeiro car- Consulta Pública no âmbito da revisão
go. Guaidó foi designado deputado suplente para o período entre
2010 e 2015. Em 2015, participou de uma greve de fome exigindo
que as autoridades eleitorais - alinhadas com o governo - marcas-
do Código Comercial
sem eleições parlamentares.
Seu sacrifício parece ter valido a pena: nas eleições legislativas de
6 de Dezembro daquele ano, a oposição arrebatou do chavismo O Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e
a maioria dos lugares no Parlamento, e Guaidó foi nomeado de-
putado pelo Estado de Vargas, com mais de 97 mil votos, para o Religioso, o Ministério da Indústria e Comércio com o
período de 2016 a 2021. No seu caso, o resto é história em pleno
desenvolvimento.
apoio do projeto da USAID, SPEED+ estão a trabalhar
com uma equipa de consultores nacionais e internacio-
Salto na hierarquia nais na revisão geral do Código Comercial de modo a
“Juan Guaidó chegou à presidência do Parlamento por acaso. E
com isso não estou insinuando que ele não tenha os méritos re-
alinhar com as melhores práticas internacionais, com os
queridos para exercer o cargo”, ressalta o sociólogo venezuelano requisitos de um código comercial moderno que apoia a
Héctor Briceño, professor visitante da Universidade de Rostock.
“O que quero dizer é que, na hierarquia de seu partido, existem competitividade no sector privado.
dirigentes de maior peso que foram sendo inabilitados um a um.
Isso abriu caminho para Guaidó.”
As sessões de consulta pública vão obedecer o seguinte
Leopoldo López, o líder do Vontade Popular, está preso em regi- calendário:
me domiciliar; Freddy Guevara, ex-vice-presidente do Parlamen-
to, está refugiado na residência do embaixador chileno em Caracas
desde que o regime de Maduro o acusou de orquestrar os protestos
contra o governo de 2017 e retirou sua imunidade parlamentar; ‡GH0DLR0DSXWRGDVKDVK
e Carlos Vecchio, ex-coordenador do partido, optou pelo exílio
quando foi acusado de responsabilidade pelas mortes ocorridas nas
‡GH0DLR1DPSXODGDVKDVK
manifestações de 2014. ‡GH0DLR4XHOLPDQHGDVKDVK
Quando ganharam juntos as últimas eleições legislativas, em De-
zembro de 2015, os membros da Mesa da Unidade Democrática
(MUD) - a aliança de partidos de maior sucesso do antichavismo
- concordaram em ocupar a presidência do Parlamento de forma
Este convite é dirigido a empresários nacionais e inter-
rotativa: o Acção Democrática assumiu em 2016, o Primeiro Jus- nacionais, advogados e instituições com interesse no as-
tiça, em 2017, e Um Novo Tempo, em 2018.
sunto.
3RUIDYRUFRQÀUPHDVXDSDUWLFLSDomRDWUDYpVGRVHJXLQ-
te contacto:
Ana Muianga: e-mail: ana_muianga@speed-program.com

Parceiros:
PUBLICIDADE
Savana 03-05-2019 13
NO CENTRO DO FURACÃO
14 Savana 03-05-2019 Savana 03-05-2019 15

No rasto do ciclone Idai


Por Fernando Gonçalves
Ciclone Kenneth

Um “buldózer” passou por Cabo Delgado


A
Estrada Nacional Número da casa, tentei assegurá-las, mas dada Por Buanamade Assane, em Pemba
Seis, que estabelece a liga- a intensidade do vento larguei-as e

U
ção entre a cidade portuária organizei toda a família para fugir-
da Beira e a vila fronteiriça mos e irmos nos refugiar na Casa da ma funcionária das Março e Kenneth em Abril – foi
de Machipanda, é de uma qualidade Agricultura”, acrescenta, montado na Nações Unidas usou intensificado pelas alterações cli-
que a compara favoravelmente com sua bicicleta, passeando sem propósi- a metáfora da passa- máticas”, declarou a porta-voz
muitas vias modernas em qualquer to no campo de acomodação de John gem de um buldózer da Organização Meteorológica
canto do mundo. Segredo, no Sétimo Bairro, onde se para dar ao mundo a imagem Mundial (OMM), Clare Nullis.
encontram alojadas outras pessoas do inferno deixado pelo ciclone Nullis explicou que o aumento do
Para além da intervenção de melho- afectadas pela intempérie. Kenneth em várias comunida- nível do mar na costa de Moçam-
ramento feita sobre o asfalto, a es- Manuel Zeca Jemusse, também de 27 des dos distritos da província de bique provocou uma ondulação
trada foi ampliada em certos sectores anos, encontra-se refugiado num out- Cabo Delgado. mais elevada, enquanto “as chu-
para incluir faixas de ultrapassagem, ro acampamento na mesma região. vas tão fortes que se registaram
e com quatro faixas nos seus seg- Também montado na sua bicicleta, “Vi comunidades inteiras arrasa- em Moçambique são compatíveis
mentos urbanos, o que permite uma diz que perdeu o tio e um filho deste, das, como se tivesse passado por as resultantes das alterações cli-
maior fluidez do trafego nas zonas de ambos arrastados pelas águas. lá um buldózer”, descreveu a fun- máticas”.
maior concentração. Nestes centros Os números oficiais sobre mortes cionária, no regresso de uma via- Moçambique nunca tinha regis-
directamente causadas pelo ciclone gem de helicóptero pelas zonas tado dois grandes ciclones em
urbanos, a estrada tem um separador
Idai podem se revelar inconclusivos, apanhadas pelo temporal. uma única temporada.
central que foi elevado a um nível que
dada a possibilidade da existência de “Sim, os escombros em que fica- Também nunca tinha ocorrido
não permite automobilistas indisci-
corpos que nunca serão recuperados. ram edifícios de algumas zonas um fenómeno meteorológico
plinados de o galgar para se posicion- são de um buldózer”, apoiou um
arem nas faixas contrárias, como tem Será talvez necessário que as autori- deste tipo tão a norte da costa
dades instituam um sistema que per- quadro sénior de um dos minis- oriental do continente, como se
sido hábito neste país. a proximidade térios do Governo moçambicano.
à cidade da Beira tem seis faixas. Já mite a familiares reportarem casos de verificou com o segundo destes
entes seus dados como desaparecidos. O Kenneth não teve a escala do
lá vão os dias dos congestionamen- ciclones.
A cidade da Beira, apesar de ter so- Idai, que a 14 de Março arrasou
tos com camiões provenientes dos O acesso da população aos ali-
o centro de Moçambique, princi-
países vizinhos ou do interior se di- frido mais danos materiais, teve um Ciclone Kenneth destruiu habitações, deixando muitas famílias sem abrigo mentos é uma preocupação das
palmente a cidade da Beira, mas
numero reduzido de mortes, em parte agências humanitárias para o lon-
rigem ao porto. O único senão são também deixou a sua marca de O centro de saúde da vila-sede, a de- que se encontravam numa residência algumas das vítimas do deslizamento
graças à acção de mobilização levada go prazo, uma vez que os ciclones
os sinais de limite de velocidade para “lúcifer”. pendência do BCI e infra-estruturas morreram, quando a lixeira da cidade da lixeira.
a cabo pelas autoridades municipais, destruíram mais de 31 mil hec-
40 quilómetros por hora em alguns Até terça-feira, estavam contados sociais e económicas foram varridas. cedeu à pressão da água. Apesar das medidas de precaução,
aconselhando as pessoas a não se tares de culturas, em plena época
pontos. 41 mortos, número que poderá
exporem ao perigo. Mas ainda é vi- Na ilha do Ibo, a hotelaria e turismo, Na manhã de segunda-feira, foi reti- muitas casas ficaram destruídas pelas de colheitas.
Já na segunda metade dos anos no- subir, à medida que mais áreas
sível o cenário de casas com o telhado bem como casas de particulares não rado do local o corpo de uma mulher enxurradas na capital da província, as
venta, tinha acompanhado as obras atingidas voltarem a ficar acessí-
destruído ou coberturas com chapas veis. escaparam à fúria do Kenneth. Mais que, conjuntamente com o marido, estradas transformaram-se em rios Desespero
que transformaram esta via de uma
de zinco que foram arrancadas ou Ventos com rajadas fortes, que de quatro mil pessoas foram afecta- terão ignorado apelos para abando- com mais de um metro. Nos bairros O director-executivo da Adel,
lingueta de alcatrão para uma estrada torcidas pelo vento. chegaram perto dos 200 qui- das. narem a zona da lixeira. O marido de Paquitequete e Josina Machel, uma ONG parceira da Oxfam,
mais convencional. Por estas alturas, todos os troncos lómetros e chuvas torrenciais, O distrito de Quissanga ficou com o continua soterrado. as casas ficaram submersas, com as Carlos Dias, descreveu assim os
Seguindo-a no sentido oeste-este de árvores caídas nas várias estradas deixaram as populações da Ilha centro de saúde da vila sede parcial- “Conseguimos retirar o corpo da mi- águas a atingir ao nível da cobertura efeitos do Kenneth.
para a Beira, este cenário de mod- da cidade já foram removidos, em do Ibo, Quisssanga, Macomia e mente danificado. nha cunhada, mas o do marido não das casas. “A situação em Ibo, Macomia e
ernidade e conforto é interrompido grande parte graças a uma ação de Pemba a lutar pela vida. Na sequência da catástrofe, Quissan- foi possível. Ainda assim, outras 10 Mesmo em momentos de grave emer- Quissanga é terrível, porque fo-
exactamente no ponto onde começa voluntarismo levada a cabo pela pop-
Parte da EN6 que não resistiu ao ciclone Idai A caminho, entre os dias 25 e ga e Metuge estão literalmente iso- famílias continuam soterradas na gência, as pessoas não se desapegam ram os distritos mais atingidos”,
a planície de Nhamatanda. É aqui ulação que ofereceu os seus préstimos 27 do mês passado, o “Kenneth” lados da capital provincial, Pemba. O mesma área”, declarou um jornalista, dos seus bens. Muitas famílias resisti- declarou.
onde a estrada sofreu quatro cortes que se abateu sobre aquela região estrada, nota-se, nos pontos afecta- riam ter evitado os estragos que se à edilidade. O fornecimento de ener- afectou 35.228 famílias, destruiu acesso só pode ser feito via aérea. que tem laços de familiaridade com ram a apelos de retirada das casas por As pessoas tentam retomar as
na sequência das chuvas que acom- pode não ter sido apenas resultado da dos, já de si propensos a cheias em abateram sobre a estrada. gia eléctrica foi parcialmente resta- recearem a perda de património, que suas vidas, mas as suas casas es-
panharam o ciclone Idai, que se aba- chuva. É preciso saber como é que se época chuvosa, que a elevação da Apesar das águas se terem evapo- belecido, mas há bairros da periferia podia ser surripiado por oportunistas. tão inundadas e muitas perderam
teu sobre a região central do país no comportaram as barragens localiza- quota literalmente funcionou como rado ou vazado para outros pontos, onde a escuridão ainda prevalece. tecto.
dia 14 de Março, provocando muita das perto da zona do sinistro, incluin- uma barreira para impedir a pas- são ainda visíveis as marcas dos da- Nos bairros circunvizinhos há tam- “As estradas estão destruídas e
dor, luto e miséria. O primeiro sinal do no vizinho Zimbabwe. Os princi- sagem das águas para o outro lado. nos; palhotas destruídas e casas com bém histórias do pânico e horror que Factura das alterações precisamos de agir rapidamente
de destruição está na portagem de pais rios da região, nomeadamente o Estas, vindas na direcção norte-sul, cobertura em chapas de zinco que se visitou sobre a população local. Tal climáticas para limitar o impacto da fome e
Nhamatanda, onde do tecto restam Revue, o Pungoe e o Buzi despejaram carcomeram a o subsolo e a camada foram torcidas pela força dos ven- é o caso de Florência Macate, uma O ciclone Kenneth, que veio a seguir doença”, afirmou Carlos Dias.
apenas fios suspensos e algumas para a vasta planície quantidades in- inferior do asfalto, antes de galgarem tos. Todo o percurso ao longo da jovem de 21 anos de idade, curso ao Idai, deixam cada vez mais encur- Em Pemba, continuou, bombei-
placas de plástico. Faço este percurso calculáveis de água que a tornaram a estrada e encontrar o seu caminho planície está povoado de centros de superior de comunicação acabo de ralados os cépticos das mudanças cli- ros brasileiros envolveram-se ac-
exactamente um mês e um dia depois num oceano do interior. para o outro lado. Especialistas che- acomodação com tendas erguidas concluir e à procura de emprego, que máticas, consideram especialistas. tivamente no resgate de vítimas.
que esta região foi fustigada pelo Idai. Mas os estragos na estrada não terão gam mesmo a falar de “erros de en- para alojar os novos deslocados. Cada diz ter contraído ferimentos ligeiros As Nações Unidas assinalam que as Alima, 19 anos, cuja casa em Ma-
Não está feita ainda uma avaliação sido apenas resultado de ter chovido genharia”, sublinhando que uma série acampamento representa uma or- quando uma chapa de zinco atingiu e alterações no clima agravaram o im- comia foi destruída, afirmou: “O
completa sobre o que realmente ac- em grandes quantidades. Apesar de de pequenas pontes com sistemas de ganização humanitária das tantas que partiu o vidro de uma janela da casa pacto dos dois ciclones que se aba- vento e a chuva eram tão fortes.
onteceu, mas a quantidade de água todo o melhoramento feito sobre a passagens de água por baixo pode- vieram de todos os cantos do mundo onde vive com os pais e irmãos. teram sobre Moçambique, em me- Tudo foi destruído, tinha muito
para ajudar a aliviar o sofrimento. O emblemático campo de golfe tor-
nos de dois meses, se bem que não medo e ainda estou com medo.
Ninguém nesta zona não tem uma es- nou-se numa mata de capim alto.
tenham sido a causa directa destes Precisamos de comida, água e de
tória para contar sobre as consequên- O Hotel Moçambique, no centro da
eventos extremos. uma nova casa. Agora, dormimos
cias do Idai no seio da sua própria cidade, também sofreu alguns danos,
família. São pessoas que viveram na “O que podemos dizer é que o im- fora e as crianças já começaram
mas nem por isso deixa de ser o prin-
pele o que aconteceu a partir do fim cipal aquartelamento para militares pacto de ambos os ciclones – Idai em a tossir”.
da tarde daquela Quita Feira em que sul africanos, incluindo da força aé-
o centro de Moçambique tornou-se rea, que ainda realizam algumas op- parcialmente 32 mil casas e outras Os distritos do norte da província,
completamente isolado do resto do erações de alívio em distritos próxi- duas mil completamente e ainda nomeadamente Mocímboa da Praia,
mundo. mos afectados pelo ciclone. devastou 31 mil hectares. Mueda, Muidumbe, Palma e Nan-
Uma dessas pessoas é Domingos José Pela manhã, o restaurante do hotel Além destes danos, o ciclone des- gade também estão isolados do resto
Nico, de 27 anos de idade, que residia assemelha-se a uma messe onde os truiu 117 postes de média tensão e de Cabo Delgado, desde o dia 25 do
no posto administrativo de Muda, na militares tomam o pequeno almoço afectou 21 mil alunos de diferen- mês passado, devido ao desabamento
aldeia Maringue. antes de partirem para mais um dia tes escolas. da ponte sobre o rio Muagamula, dis-
“Quando o ciclone veio destruiu de trabalho, socorrendo-se de heli- Hospitais, casas, maioritariamente
trito de Macomia, que cedeu à fúria
todas as casas e machambas”, disse cópteros que se encontram parquea- construídas com material precário,
das chuvas.
ele, mostrando as cicatrizes de feri- dos na placa principal do Aeroporto escolas, estradas e postes de ener-
mentos que sofreu quando tentava Internacional da Beira. Ibo, Macomia Quissanga e Melu-
gia foram presas fáceis para o mau
segurar chapas de zinco que se des- “Ainda há muito trabalho”, diz um tempo. co ficaram sem luz, porque Kenneth
prendiam da cobertura da casa onde dos militares. “Nunca vi coisa igual na Macomia foi o mais castigado por derrubou os postes de transporte.
vivia com os pais, três irmãos e igual minha vida, e claro que no fim disto, esta reacção da natureza aos maus
número de sobrinhos. Eram cerca das muitos de nós precisaremos de uma tratos que lhe tem sido infligidos Lixeira de Pemba
José Domingos Nico (à direita) sofreu ferimentos quando tentava assegurar chapas de zinco que se desprendiam da vinte horas. terapia pós-traumática devido à cru- pelo homem, dizem especialistas. Na cidade de Pemba, cinco pessoas
casa onde morava. O seu companheiro, Manuel Zeca Jemusse, perdeu dois familiares arrastados pelas águas. “As chapas estavam a desprender-se eldade que tivemos de testemunhar”.
PUBLICIDADE
16 Savana 03-05-2019

Visite agora e mantenha-se informado,


(integridade & independência)
Assinatura do jornal
https://www.savana.co.mz A partir de 01 de Agosto de 2017

DESTINO PERÍODO
Trimestral Semestral Anual
Agenda Cultural TODO O PAÍS 1.000,00mt 1.850,00mt 3.500,00mt
USD 20,00 USD 35,00 USD 60,00
Cine-Gilberto Mendes
PAÍSES DA SADC USD 40,00 USD 75,00 USD 130,00
Sextas, Sábados, Domingos e Feriados 18h30
Apresenta“Mae Coragem” RESTO DO MUNDO USD 50,00 USD 100,00 USD 200,00

1.550,00Mt 2.480,00Mt 4.340,00Mt


Maputo Waterfront Assinatura versao
electrónica USD 25,00 USD 40,00 USD 70,00
Todas Sextas, 19h
Cada período é renovável em qualquer altura do ano.
Jantar Dancante com Alexandre Mazuze Entrega ao domicílio nas Cidades de Maputo, Matola e Beira.
Todos Sábados, 19h Aceitamos propostas para novos agentes, distribuidores
e angariadores de assinaturas em todo território nacional.
Música com Zé Barata ou Fernando Luís
Todos Domingos, das 13/18h Para mais informação contacte:
Animacao com DJ Miguel Bila, 82 4576190 / 84 0135281 / 87 0135281
(miguel.bila@mediacoop.co.mz, mediafax@mediacoop.co.mz, mediafaxm@gmail.com)
Chefs Restaurante Danilo Matsimbe, 82 7356980 / 84 5723175
Todas Sextas, 19h APBX, 21 327631 / 21 301737 / 82 3171100 / 84 3171100
Fax, 21 302402 / 21 304265 admc@mediacoop.co.mz
Música ao vivo
PUBLICIDADE
Savana 03-05-2019 17

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA


ANÚNCIO DE CONCURSO PARA FORNECIMENTO DE
BENS E PRESTAÇÃO DE SERVÍÇOS CONVOCATÓRIA
2)DQHOR<D0LQD )<0 pXPDRUJDQL]DomRVHPÀQVOXFUDWLYRVHVWDEHOHFLGDHP
+RMHR)<0SRVVXLXPDSUHVHQoDFUHVFHQWHHP0RoDPELTXHHMRJDXPSDSHO 1RVWHUPRVGRDUWLJRGRV(VWDWXWRVGR)DQHOR<D0LQDFRPVHGH
SUHSRQGHUDQWHLQWHUQDFLRQDOPHQWH2)<0WUDEDOKDFRPLQVWLWXLo}HVGRJRYHUQR QD$YHQLGDGH6HWHPEURQR(GLItFLR7LPHV6TXDUHV%ORFR,,
DJrQFLDV GD 1Do}HV 8QLGDV H ELODWHUDLV VRFLHGDGH FLYLO H FRPXQLGDGHV HP SURO
GD DÀUPDomR GRV GLUHLWRV KXPDQRV H GD LJXDOGDGH GH JpQHUR HQTXDQWR GLUHLWRV
5&HP0DSXWRFRQYRFRD$VVHPEOHLD*HUDO2UGLQiULDSDUDVHUHX-
XQLYHUVDOPHQWHJDUDQWLGRVjWRGRVRVPHPEURVGDVVRFLHGDGHVDFWXDLVLQGLVWLQWD- QLUQRSUy[LPRGLDGH0DLRGHSHODVKRUDVQDVHGHGD
PHQWH PHVPDFRPDVHJXLQWHRUGHPGHWUDEDOKRV
$RUJDQL]DomRFRQYLGDDVHPSUHVDVLQWHUHVVDGDVSDUDDSUHVHQWDUHPSURSRVWDVIH-
FKDGDVSDUDRVFRQFXUVRVDEDL[RGHVFULPLQDGRV
3RQWR$SUHFLDomRHGHOLEHUDomRVREUHDSUHVWDomRGHFRQWDVGH

/RWH&RQWUDWDomRGHIRUQHFLPHQWRGHPDWHULDOHFRQVXPtYHLVGHHVFULWyULR 3RQWR$SUHFLDomRHGHOLEHUDomRVREUHRUHODWyULRQDUUDWLYRÀQDOGR
/RWH&RQWUDWDomRGHIRUQHFLPHQWRGHSURGXWRVGHKLJLHQHHOLPSH]D )DQHOR<D0LQD
/RWH&RQWUDWDomRGHSUHVWDomRGHVHUYtoRVGHDVVLVWrQFLDMXUtGLFROHJDO
/RWH&RQWUDWDomRGHSUHVWDomRGHVHUYtoRVGHPDQXWHQomRGRHTXLSDPHQWRLQ-
IRUPiWLFR 3RQWR$SUHFLDomRHGHOLEHUDomRVREUHRUHODWyULRÀQDQFHLURÀQDO
/RWH&RQWUDWDomRGHSUHVWDomRGHVHUYtoRVGHSURGXomRGHPDWHULDLVGHFRPX-
QLFDomR 3RQWR$SUHFLDomRHGHOLEHUDomRVREUHRUHODWyULRGHDXGLWRULDGR
/RWH&RQWUDWDomRGHSUHVWDomRGHVHUYtoRVGHDJHQFLDPHQWRGHYLDJHQV
/RWH&RQWUDWDomRGHVHUYtoRVGHWD[L
)DQHOR<D0LQD

$VSURSRVWDVGHYHUmRVHUDSUHVHQWDGDVHPH[HPSODUHVHVHUmRDEHUWDVHPVHVVmR 3RQWR$SUHFLDomRHDSURYDomRGRSODQRDQXDOGH
S~EOLFDQRHQGHUHoRDEDL[RFRPRVHJXLQWHFURQRJUDPD

‡/RWHSHODVKRUDV 3RQWR'LYHUVRV
‡/RWHSHODVKRUDV
0DSXWRGH$EULOGH
‡/RWHSHODVKRUDV
‡/RWHSHODVKRUDV
23UHVLGHQWHGD0HVDGD$VVHPEOHLD*HUDO
‡/RWHSHODVKRUDV
‡/RWHSHODVKRUDV
‡/RWHSHODVKRUDV

$VTXHVW}HVSRGHUmRVHUFRORFDGDVHOHFWURQLFDPHQWHQRVHPDLOVDEDL[RLQGLFDGRV
DWpDRGLDHDVUHVSRVWDVVHUmRHQYLDGDVDWpDRGLD ,167,7872)$1(/2<$0,1$
$YHQLGDGH6HWHPEURQž(GLItFLR7LPHV6TXDUH%ORFR,,5&7HO  
$VHVSHFLÀFDo}HVWpFQLFDVGRVEHQVHRVWHUPRVGHUHIHUrQFLDVGRVVHUYtFRVSRGHUmR HPDLOI\P#IDQHOR\DPLQDRUJ:HEVLWHKWWSZZZIDQHOR\DPLQDRUJ
VHUVROLFLWDGRVSHORVVHJXLQWHVHQGHUHoRVHOHFWUyQLFRV )DFHERRNZZZIDFHERRNFRPIDQHOR\DPLQDRUJ
IHOL[#IDQHOR\DPLQDRUJ ou ÁVHQJXODQH#KRWPDLOFRP 0DSXWR0RoDPELTXH

ADESÃO DE NOVOS MEMBROS


2,QVWLWXWR)DQHOR<D0LQD ,)<0 FRQVWLWXtGRHP0DUoRGHpXPD VRFLDOEHPFRPRHPWRGRVRVGRPtQLRVGDYLGDSROtWLFDHS~EOLFDTXHHPERUD
RUJDQL]DomRTXHWUDEDOKDFRPLQVWLWXLo}HVGRJRYHUQRDJrQFLDVGD1Do}HV HVWUXWXUDQWHVGHXPDFLGDGDQLDDFWLYDHUHVSRQViYHODLQGDWHPGLPLQXWDH[-
8QLGDV H ELODWHUDLV VRFLHGDGH FLYLO H FRPXQLGDGHV HP SURO GD DÀUPDomR SUHVVLYLGDGH
GRVGLUHLWRVKXPDQRVHGDLJXDOGDGHGHJpQHURHQTXDQWRGLUHLWRVXQLYHU- eQHVWHTXDGURTXHWHQGRHPFRQWDDVXDVHQVLELOLGDGHSHUÀOHDFWLYLVPRHP-
VDOPHQWHJDUDQWLGRVDWRGRVRVPHPEURVGDVVRFLHGDGHVDFWXDLVLQGLVWLQ- SHQKDGRQHVWDPDWpULDYLPRVFRQYLGiOD R DMXQWDUVHDR)DQHOR<D0LQDHFRP
WDPHQWH&RQWXGRGiDWHQomRHVSHFLDODGHIHVDGRVGLUHLWRVGDVFULDQoDV HOHOHYDUSRUGLDQWHHRPDLVORQJHSRVVtYHODEDQGHLUDHRVYDORUHVGDLJXDOGDGH
UDSDULJDVHPXOKHUHV3DUDRHIHLWRXWLOL]DDERUGDJHQVGHHQJDMDPHQWRGH HP 0RoDPELTXH &RQWDPRV FRQVLJR SDUD D FRQVWUXomR H YDORUL]DomR GH XPD
KRPHQVHUDSD]HVSRUIRUPDDPHOKRUDURVUHVXOWDGRVGHVD~GHVH[XDOUH- YHUGDGHLUDFXOWXUDGDLJXDOGDGHGHJpQHURQRSDtV
SURGXWLYDLQFOXtQGRRSODQHDPHQWRIDPLOLDUVD~GHQHRQDWDOFULDQoDHGD
PXOKHUSDWHUQLGDGHUHVSRQViYHO+,9H6,'$YLROrQFLDEDVHDGDQRJpQH- 0DSXWRGH0DLRGH
URDVVLPFRPRRVSURFHVVRVGHPRQLWRULDGDHTXLGDGHGHJpQHURQRVVHFWR-
UHVGDSURWHFomRVRFLDOHGXFDomRHQRWUDEDOKRHHPSUHJR $'LUHFomR([HFXWLYD
1HVWHTXDGURDYLVmRPLVVmRHYDORUHVSRUTXHR,)<0VHPRYHFRQFRU-
UHPSDUDDFRQVROLGDomRGDSROtWLFDQDFLRQDOQRGRPtQLRGDLJXDOGDGHGH
JpQHURHGRVGLUHLWRVGDVPXOKHUHVUDSDULJDVHFULDQoDV(IHFWLYDPHQWHDV
SROtWLFDVGHLJXDOGDGHHQWUHPXOKHUHVHKRPHQVWRUQDUDPVHFDGDYH]PDLV
IXQGDPHQWDLV SDUD XPD YLYrQFLD SOHQD GH XPD FLGDGDQLD TXH LQWHJUD RV
GLUHLWRVKXPDQRVHFRQWULEXLSDUDRDSURIXQGDPHQWRGDGHPRFUDFLD8UJH
DVVLP GHVHQYROYHU XP HVIRUoR FRQFHUWDGR GH FRPEDWH DRV HVWHUHyWLSRV
GHJpQHURHPWRGDVDViUHDVHHPSDUWLFXODUQDHGXFDomRHIRUPDomRQD &HOPD(OL]DEHWK'H0HQH]HV
VD~GHQRPHUFDGRGHWUDEDOKRQRGHVSRUWRHQDFXOWXUDQDFRPXQLFDomR

N.B.2VLQWHUHVVDGRVSRGHUmRPDQLIHVWDUDVXDDGHVmRDR)DQHOR<D0LQDFRQWDFWDQGRQRVSRUHPDLO IHOL[#IDQHOR\DPLQDRUJÁVHQJXODQH#KRWPDLOFRP SRUWHOH-


IRQH  RXDWUDYpVGRVQRVVRVHVFULWyULRVVLWRVQD$YHQLGDGH6HWHPEURQž(GLÀFLR7LPHV6TXDUH%ORFR,,5&QDFLGDGHGH0DSXWRRQGH
SRGHUmRREWHURIRUPXOiULRGHDGHVmR

,167,7872)$1(/2<$0,1$
$YHQLGDGH6HWHPEURQž(GLItFLR7LPHV6TXDUH%ORFR,,5&7HO  
HPDLOI\P#IDQHOR\DPLQDRUJ:HEVLWHKWWSZZZIDQHOR\DPLQDRUJ)DFHERRNZZZIDFHERRNFRPIDQHOR\DPLQDRUJ
0DSXWR0RoDPELTXH
OPINIÃO
18 Savana 03-05-2019

Cartoon
EDITORIAL
A revolução devora os
seus próprios filhos
A
Frelimo reúne-se, este fim de semana, em mais uma sessão do seu
Comité Central, numa altura de uma grave crise interna, que de-
pendendo da forma como for abordada, será determinante no deli-
neamento da trajectória do partido para o futuro.
Desta sessão se tornará mais claro ainda se a Frelimo vai às próximas elei-
ções como uma organização coesa e determinada a manter-se no poder,
ou se um aglomerado de fragmentos cada um puxando o barco para a sua
direcção.
Nunca antes, na história do partido, terá sido necessário que seis meses antes
das eleições, qualquer grupo dentro da Frelimo se sinta na obrigação de vir
a público manifestar o seu apoio incondicional ao presidente como único
candidato às eleições presidenciais.
Agora, mesmo depois de no décimo primeiro congresso, em Setembro pas-
sado, ter sido decidido que Filipe Nyusi era o candidato do partido, são
visíveis sectores do partido que têm se desdobrado em fazer questão de rei-
terar esse facto, sugerindo, por isso, a ausência de um consenso total sobre
a matéria.

Enigmas: a salsa e a fé
Os sintomas mais marcantes da profundidade da crise interna na Frelimo
revelam-se no indisfarçável conflito existente entre o Presidente Filipe Nyu-
si e um dos membros do seu Comité Central, Samora Machel Júnior.
Se este conflito já era palpável na forma caótica e desestruturada como
Samora Machel Júnior foi barrado de concorrer nas eleições internas para

D
candidato à presidência do município da cidade de Maputo, em Outubro
passado, ele tornou-se mais notório recentemente pelas posições assumidas eitado na tépida banheira de ger, conforme quiserem os meus ami- dia ao “fenómeno”. Os primeiros dois
por ele em resposta a um processo interno que lhe foi instaurado na sequên- água, tamborilo no ar os dedos gos, embora pedalando com a humilda- homossexuais de que me lembro, eram
cia da sua decisão de concorrer como cabeça de lista da Associação de Jovens dos pés e beberico um Martini, de que me aproximará da Coincidência justificados por causa de um desastre
para o Desenvolvimento (AJUDEM). enquanto o meu olho direito onde todos os meus músculos serão de automóvel de que haviam sido víti-
Na sua defesa, Samora Machel Júnior não esconde o seu sentimento de percorre oblíquo um parágrafo de um embebidos pelo informe Princípio. mas: fora o efeito colateral.
revolta, responsabilizando pessoalmente o presidente da Frelimo e o Secre- belo livro de Gabriela Bal, “Silêncio E descortino a meta. Porém, de repen- Depois descobri que o meu tio. Que
tário Geral, Roque Silva, por aquilo que considera ter sido uma “grosseira” e Contemplação/ Uma introdução a te, a bicicleta estaca. Pedalo em vão. E dois amigos de infância, e três da ado-
violação dos estatutos do partido e dos procedimentos para a candidatura de Plotino”, e o olho esquerdo pensa em à minha frente ergue-se Plotino, de lescência. E que uma namorada um
membros a eleições internas.
sexo. sobrolho assanhado como um Ada- pouco rezinga que tive, afinal. Eu pró-
Ao acusar Nyusi de não estar “a empenhar a sua magistratura moral e po-
E vem a minha mulher interromper- mastor. prio a dado momento senti-me um mi-
lítica”, de não defender “a unidade e coesão internas”, de não garantir “o
-me o viés epicurista. Antecipando-me, afligido pelo talhe serável porque não tinha Veneza nem
respeito pelos princípios e valores da Frelimo” e de violar “gravemente os
- Não te demores, preciso de ti para ires titânico, pergunto-lhe, trémulo: - Os me aparecia um Tadzio para me des-
princípios e estatutos” da organização, Samora Machel Júnior está de forma
inequívoca a desafiar a autoridade do seu líder, a quem, de resto, sugere que comprar salsa… ácaros têm orgasmo? viar da minha via straight, pois, esteta e
seja suspenso. Morre-me ali a leitura. A salsa é um E imediatamente me recrimino pela curioso, achava que isso podia dilatar o
Não está claro se este assunto será trazido à discussão durante esta sessão dos maiores enigmas que o mundo frivolidade da questão. meu campo da percepção humana. Ou
do Comité Central. Mas, seja como for, os dados aqui lançados espelham a abarca. Diria mesmo que é quase irre- Felizmente ele não me parece ter ouvi- seja, cresci num momento em que essa
prevalência de um ambiente de extrema divisão e animosidade que fragiliza solúvel, já que a não distingo do agrião. do, e pergunta-me com uma estranha dimensão ontológica estava inibida no
o partido. Várias vezes a queixosa me esfregou o voz de celofane vermelho: horizonte do meu piqueno mundo para
Num debate aberto ao nível do Comité Central só pode haver duas deci- focinho nos respectivos odores, mas eu - Quem és tu? depois a ver desabrochar sem medo e
sões. Uma, que os restantes membros do partido, ou pelo menos a maioria, não guardo memória olfactiva (já viram - Eu…- replico, entusiástico – eu sou ela se tornar um dos pilares de uma
estejam em concordância com Samora Machel Júnior, e decorrente disso a minha sorte?) e, sendo tão habilidoso Tu! consciência finalmente em simbiose
sacrificar-se a liderança. É pouco provável, mas é uma hipótese. a distinguir um galgo de uma couve- - Ai sim… - atira impassível, enquanto com a liberdade do corpo. Descobri
A outra, é que se considere que com a sua confrontação a liderança, Samo- -flor (a propósito, diz o Mário Quinta- tira um ramo de salsa do bolso – então, em seguida que, em Roma, o genera-
ra Machel Júnior tenha ultrapassado os limites do tolerável, cabendo-lhe, na que a hortênsia é a única couve-flor e o que é isto? líssimo, o vigoroso, o estratega único, o
assim, a punição mais severa, que seria ou a expulsão ou a sua suspensão verdadeira, e eu anuo), sou falho na E desfez-me ali num instante as penei- grande Júlio César era conhecido como
da qualidade de membro do Comité Central. Esta é uma alternativa mais identificação da salsa. ras: eu não era ele. “o homem de todas as mulheres e a mulher
plausível, mas também de alto risco. Porque não garante que outros mem- Nem o tipo de rendilhado da folha me Sou ainda percorrido por um choque de todos os homens”, e que, se eu tivesse
bros que partilham as mesmas ideias irão aceitar a decisão sem provocar safa, para mim um selo distingue-se eléctrico quando a minha mulher volta nascido romano e a coisa fosse só cul-
mais ruído. pela estampa. à carga: tural, a minha hipótese de ser bissexual
Há vários anos que a Frelimo foi incubando uma cultura de ausência de de- - Nenhuma das miúdas pode ir… - - Meu caro, as pataniscas aguardam era descomunal.
bate aberto e crítico, tudo em nome de uma coesão interna que era mais uma pergunto, inocente. pela tua iniciativa. Nunca mais consegui deixar de respei-
aparência do que uma realidade fundada em princípios ideológicos comuns. Os meus olhos-moles embatem na Ah, meus caros amigos, as putativas… tar as escolhas de cada um e um dos
A ideologia da crítica e da auto-crítica, esse grande catalisador para o triun- bigorna do olhar dela. É pior que não o que me pélo por abraçar os grandes filmes da minha vida é com certeza O
fo da sua luta contra o colonialismo, foi substituída por uma abordagem saber dançar um tango argentino. desafios. Jogo de Lágrimas, do Neil Jordan.
eleitoralista que tem como finalidade única vencer eleições (não importam
- Danças comigo a valsa? – disfarço. Lá comprei a salsa (dizem-me, se Certo é que nada me preparou para a
os meios), manter-se no poder e apropriar-se do Estado. A apetência des-
Nenhuma piada tem efeito ao domin- calhar enganaram-me e deram-me evidência de que o Brasil – o país de
medida pelo dinheiro e pelo poder cegaram a Frelimo da necessidade de se
go de manhã. agriões), e decido beber um café. Drummond, de Hilda Hilst e Lispec-
definir como uma plataforma ideológica ao serviço do bem estar comum. O
Sou invadido pelo pesadelo que terei Como levei o laptop, entretenho-me a tor - tenha agora um presidente que,
pensamento grupal tornou-se na principal cultura da organização.
Quando de forma pouco ortodoxa Samora Machel Júnior foi impedido de esta noite: depois de uma longa ascese ler os jornais online. E choco de caras depois de ter assegurado que as posi-
concorrer às eleições primárias do ano passado, mesmo depois de angariar o chego de bicicleta aos plainos da Inte- com este mimo: ções que o Brasil assumiria na ONU
necessário apoio das bases, muitos membros do partido discordaram dessa ligibilidade Amante que, como toda a «“O Brasil não pode ser o país do turismo se orientariam pela Bíblia, tenha agora
decisão, mas a defesa dos seus interesses individuais e a cobardia impedi- gente sabe, desde Plotino, têm a forma gay. Quem quiser vir aqui fazer sexo com declarado que, apesar de estar com-
ram-nos de manifestar publicamente o seu desagrado. Mesmo no meio de dos anéis de Saturno, com um bordo mulher, fique à vontade. Agora, [o Brasil] pletamente contra Sodoma, o Brasil é
evidências irrefutáveis de que crimes de sequestro, de lavagem de dinheiro e inferior e outro exterior. Mas lá vou, não pode ficar conhecido como paraíso do uma Gomorra aprazível, de lubricidade
de coação sobre os órgãos de administração eleitoral foram cometidos para pelo circuito dos velocípedes, cantaro- mundo gay”, disse Bolsonaro em café da à flor da pele e de pernas avidamente
sabotar a sua candidatura pela AJUDEM. lando os desdobramentos necessários a manhã com jornalistas.» abertas para o turista – declarações que
Hoje, a Frelimo está a pagar o preço desta cultura maquiavélica de que os que a Presença Silenciosa do Um me Nem sei como reagir a semelhante bar- me parecem pouco apostólicas e me
fins justificam os meios. E o caso Samito, como muitos lhe chamam, é ape- identifique. baridade. deixam literalmente estupefacto.
nas o começo de uma longa e tortuosa marcha rumo à auto-destruição. A E vou deleitado, ou perdido, na con- Quando era miúdo não havia gays. Mas isto sou eu que sou ateu, haven-
proverbial revolução que devora os seus próprios filhos. templação do Núcleo, ou da Realidade Havia homossexuais, panilas, ou larilas, do mistérios da fé que nunca poderei
Última, ou do MacEpifanic Hambur- consoante o extrato social de quem alu- compreender.

KOk NAM Editor Executivo: Paulo Mubalo (Desporto) e Distribuição:


Director Emérito Francisco Carmona Venâncio Calisto (Cultura). Miguel Bila
(franciscocarmona@mediacoop.co.mz) Colaboradores: (824576190 / 840135281)
Conselho de Administração: (miguel.bila@mediacoop.co.mz)
André Catueira (Manica)
Fernando B. de Lima (presidente) Aunício Silva (Nampula) (incluindo via e-mail e PDF)
Redacção:
e Naita Ussene Eugénio Arão (Inhambane) Fax: +258 21302402 (Redacção)
Raúl Senda, Argunaldo Nhampossa e
Direcção, Redacção e Administração: 82 3051790 (Publicidade/Directo)
Armando Nhantumbo Maquetização:
AV. Amílcar Cabral nr.1049 cp 73 Delegação da Beira
)RWRJUDÀD Auscêncio Machavane e Prédio Aruanga, nº 32 – 1º andar, A
Telefones: Naita Ussene (editor) Hermenegildo Timana. Telefone: (+258) 82 / 843171100
(+258)21301737,823171100, e Ilec Vilanculos Revisão savana@mediacoop.co.mz
Registado sob número 007/RRA/DNI/93 Propriedade da 843171100 Colaboradores Permanentes: E.P Redacção
NUIT: 400109001 Editor: Fernando Manuel, Fernando Lima, Publicidade admc@mediacoop.co.mz
Fernando Gonçalves António Cabrita, Carlos Serra, Benvinda Tamele (82 3171100) Administração
Maputo-República de Moçambique editorsav@mediacoop.co.mz Ivone Soares, Luís Guevane, João Mosca, (benvinda.tamele@mediacoop.co.mz) www.savana.co.mz
OPINIÃO
Savana 03-05-2019 19

A propósito de um rapaz tranquilo


Por Calane da Silva*

O
brigado por me teres es- passava e tinham uma posição in- que diz o seguinte: “Porque sempre em Moçambique até depois de in- com ele no Maputo pós colonial.
colhido para apresentar telectual contra o sistema colonial. considerei os géneros literários cami- dependência nacional. É uma luta É um final feliz para Pedro e Gui-
o teu livro, obrigado pela A população colonizada não era sas-de-força complacentes que cada sem tréguas por uma academia livre da. Porém, apesar deste romance e
nossa amizade que perdura fonte de preocupação e só o come- possesso alarga à sua medida, nunca de interferências externas, uma luta deste também diário de memórias
há quase 60 anos! Igualmente, um çou a ser, de acordo com a narra- me senti apertado em nenhum deles. para escolhas livres dos seus diri- terminar com o país de novo en-
obrigado muito particular por es- tiva, quando a guerra anti-colonial Este diário que o diga. De prado bu- gentes, uma luta que continua até frentando situações de guerra, de
tas memórias, memórias que, para de libertação se vai alastrando por cólico a campo de fogo tem sido tudo”. hoje. conflitos e corrupções liquidando
mim, não são imaginadas como te todo o Norte de Moçambique e se Tendo já esta hipótese de trabalho, Há que ressaltar também neste ro- muito trabalho efectuado, facto que
referes no título da tua obra, mas de estende até às províncias de Manica posso, com mais conforto, reflectir mance a existência do designado entristece e quase deprime Pedro, é
um rigor de factos e datas, de episó- e Sofala. sobre o que é um romance que a texto epistolográfico, ou seja, de a própria Guida, agora, que levanta
dios e sentimentos que nos levam a Pedro e Guida, personagens que, à meu ver esta obra também é. De trocas de cartas depois da partida a moral de Pedro, levando-o a que
percorrer várias décadas da história primeira leitura, podemos conside- facto, um romance é um género li- de Guida para Portugal e que tam- se sinta orgulhoso de todo o traba-
de um país nascido à beira – Índico, rar como principais, e que alimen- terário, de modalidade narrativa em bém nos pontuam o lado subjectivo lho antes efectuado, um trabalho
um país de sal e lágrimas, de feri- tam a narrativa até ao fim, através prosa ficcional, englobando várias e íntimo pelo qual os personagens que não foi em vão e que abre espe-
das antigas e recentes, de paixões e de encontros e desencontros de um personagens e que ao longo, pelo estão a passar, mas que igualmente ranças de um novo devir.
conflitos, desenhado pela geografia Amor, um Amor com A maiúscu- menos, dos últimos dois séculos, constituem uma interessante fonte Um Rapaz Tranquilo – Memórias
da fome mas também pela riqueza lo que faz vencer as barreiras do desde o advento do romantismo de recolha e exposição de aconteci- Imaginadas, de Álvaro Carmo Vaz,
lícita e ilícita, de egos inflamados e tempo, as diferenças ideológicas e nos finais do século XVIII e prin- mentos e factos históricos que vão é uma obra cuja temática permite
de meditações tranquilas, de igrejas as opções identitárias, trazem-nos cípios do Século XIX até aos nos- surgindo durante o largo período variadíssimas interpretações e cada
e catedrais, de mesquitas e de man- à memória e fazem-nos problema- sos dias, tem vindo a revelar, cito de separação deste casal sempre leitor, como nos ensina a própria
dires. tizar ao nível temático o mesmo Carlos Reis e Ana Cristina Lopes, adiando um final feliz. didáctica da literatura, irá construir
Dos meados do anos sessenta até tipo de desencontros amorosos e “Uma extraordinária capacidade Pedro, a já citada personagem prin- um outro texto em cima do origi-
2016, este discurso cronológico de que acabam em final feliz, repito, de rejuvenescimento técnico e de cipal do romance, representa, efec- nal, de acordo com a sua instrução
mais de 60 anos que a semântica e trazem-nos à memória e fazem- renovação temática, afirmando-se tivamente, para mim todos aqueles académica, seu conhecimento his-
a teoria da literatura nos colocam -nos problematizar a existência de como fenómeno multiforme” (fim jovens que optaram por Moçambi- tórico, sua ideologia, sua cultura
espartilhos para um devido en- uma certa intertextualidade com de citação). que, optaram por ser moçambica- geral, comunitária e mesmo indivi-
quadramento de género, - muito o conhecido romance O Amor em Assim, posso afirmar, sem muitas nos de corpo e alma e que se entre- dual, pelo que as críticas que irão
embora saiba que toda a realidade Tempos de Cólera do escritor latino- dúvidas, que estamos perante um garam total e abnegadamente aos ser feitas ao livro serão de diversa
e verdade quando narrada é uma -americano Garcia Marquez. texto, um discurso, que é simul- trabalhos de reconstrução nacional, índole e ângulo na abordagem do
mimesis, uma representação dessa Outrossim, ao afirmar no parágra- taneamente parente próximo, em liderando e aprendendo a liderar e a tema.
mesma realidade - este texto em fo anterior que, repito, à primeira género, de um diário memoralista exercer tecnicamente as tarefas “on Para mim, que tenho vindo a enal-
arte de escrever, de narrar e descre- leitura podemos considerar Pedro e de um romance (narrativa ficcio- the job”(no exercício do seu traba- tecer o facto de sendo Moçambique
ver, de reportar e mesmo de visuali- e Guida como personagens prin- nal), que conta a história de dois jo- lho) visando também a construção um país multi-cultural, multi-étni-
zar os dias e as noites, as semanas e cipais, quero clarificar que se pode vens que se apaixonam ainda estu- de um Estado utópico de Igualda- co, multi-religioso, multi-racial há
os meses de um tempo e de tempos muito naturalmente buscar outro dantes liceais num período final de de, Liberdade e Fraternidade. quase mil anos, mesmo antes da
trazidos ao presente das nossas me- personagem emblemático desta um certo tempo histórico e que no Guida, a antiga namorada que chegada dos portugueses ao Índico,
mórias, este discurso, antes de mais longa narrativa, ou seja, a própria meio de toda uma envolvente co- abandonara o país acompanhando devo dizer que estamos a construir
nada e de qualquer outro conside- comunidade jovem luso-moçam- munitária, os vai obrigar a escolhas os pais e acabara a sua licenciatura um riquíssimo país literário, diver-
rando, é, a meu ver, um contributo bicana que fez opções radicais de vida, de cidadania, de acultura- e doutoramento fora de Moçambi- sificado e original ao nível africano,
assaz pertinente e importante para em relação aos seus progenitores ções, de rupturas ideológicas, de que, vai passando por várias peripé- com temas cada vez mais diversos
compreendermos melhor um tem- optando pela separação familiar clivagens sócio-políticas, de medos cias e apesar de ter certa relutân- e ousados na sua escrita manifesta-
po e uma comunidade de pessoas e e entregando-se de peito e alma e libertação desses mesmos medos. cia em regressar à sua terra natal, dos.
famílias marcadas pela assumpção abertos à realização de uma utopia, E no meio desta narrativa, melhor Moçambique, e que arquitectava
de se ser ou de se querer ser portu- da construção de um estado de ver- dito, ao longo da narrativa podemos muitos planos se Pedro abandonas- *Escritor. Título e texto editado da
guês e pelas clivagens ideológicas e dadeira fraternidade, de igualdade ler citações, ipsis verbis, de notícias se este rincão à beira Índico, acaba responsabilidade do jornal. Inter-
identitárias de se sentir e de se que- sócio-económica e desenvolvimen- de vários órgãos de informação, de por ser subvertida pelos planos que venção por ocasião do lançamento
rer ser moçambicano. to integrado de um país. comunicados de várias instituições a vida também tinha para ela, ca- do livro “um rapaz tranquilo” da
Por isso e, outrossim, quero nesta Posto isto, regresso às questões com respectivo ano e data bem vin- sando-se ao fim de muitos anos de autoria de Álvaro Carmo Vaz, a 15
introdução à apresentação da tua teórico-literárias que esta obra nos cados como que a enquadrarem e a separação com Pedro e vindo viver de Abril passado
obra, saudar-te pela coragem na obriga a reflectir. Estamos perante darem mais veracidade e autentici-
abordagem deste tema de plura- um diário de memórias revisitadas dade à diegese.
lidades ideológicas e identitárias, ou um romance? E aqui vou pa- É interessante ler ao longo desses
de memória, de retrato e análise rafrasear-me e autocitar-me indo quase 60 anos do tempo historiado,
de bons e maus momentos porque buscar à minha obra Kulimando que o narrador (no caso não o autor
passou o país e suas gentes de antes Saberes algumas reflexões sobre esta mas a entidade fictícia a quem, no
e depois da conquista da indepen- matéria. cenário da ficção cabe a tarefa de
dência, um tema tratado com mi- Um Diário a que género pertence? enunciar o discurso) e obviamente Email: diariodeumsociologo@gmail.com
Portal: https://oficinadesociologia.blogspot.com
núcia e sem rodeios, o que também O que são estas 402 páginas desta também o autor empírico (já que 630
mostra a fibra e o carácter do pró- Rapaz Tranquilo – Memórias Ima- considerei que esta obra é também

Sobre análise social


prio autor empírico, Álvaro Carmo ginadas redigidas pela pena menos um diário de memórias), repito, é
Vaz, pessoa ligada à luta pela eman- tranquila e mais questionante de interessante ler nomes de obras li-
cipação deste país na sua trincheira Álvaro Carmo Vaz? Os factos da terárias que vão sendo lançados do
académica, primeiro como estu- penosa realidade ali narrada não mercado, de filmes em estreia que

Q
dante e depois como docente uni- serão também ficção porque trans- vão sendo exibidos nas salas de ci- uando um médico manda fazer um raio x a um pa-
versitário. Do narrador diegético portados para a escrita literária? nema da antiga Lourenço Marques
ciente que tem um problema num determinado órgão,
deste romance (?) me referirei mais Será que Carmo Vaz desaparece e e depois nas do Maputo revolucio-
não tem por preocupação saber se esse órgão é bom
adiante. E coloquei a ponto de in- apenas temos de lidar com um nar- nário, assim como de peças de tea-
ou mau, feio ou bonito, mas saber o que o afecta para,
terrogação na palavra romance, um rador omnisciente, ficcionista, que tro apresentadas nos palcos locais
vez que há outra questão teórico- deixa fluir em técnica perfeita o antes e depois da Independência depois, iniciar a terapia. 
-literária que terei de abordar nesta estilo bem marcante em litariedade nacional, tudo isto também motivo A função dos estudantes do social é um pouco como a dos
apresentação. alumbrante do autor empírico? de diálogo, crítica e discussão dos médicos: consiste em analisar fenómenos, encontrar causas e
Agora, efectivamente, já posso Estas interrogações carecem de principais personagens e seus ami- consequências e, eventualmente, terapias. A sua função não
começar a apresentar-vos a obra. uma resposta e nós temo-las como gos. consiste em saber se os fenómenos são bons ou mais, feios ou
Este texto parece-nos ser um diário hipótese. Um diário memoralista é Há, efectivamente, ao longo da bonitos. Estudantes do social são obviamente cidadãos e cida-
marcando e pontuando a vida de para mim um género que mais pos- narrativa, um enfoque sobre a
dãos são regidos por princípios e regras morais, diferentes que
uma família pequeno-burguesa da sibilidades pode oferecer ao artista problemática académica, o cresci-
antiga Lourenço Marques olhando da palavra no labor da sua oficina mento da consciência política, da uns e outras sejam. Mas quando estudam fenómenos sociais
para o seu próprio umbigo e um literária. E vou buscar esta mesma independência da Universidade, fazem-no (ou devem fazê-lo) como estudantes e não como
tanto ou quanto alheado de tudo opinião a Miguel Torga, uma figura uma luta com sucessos e insucessos cidadãos.
o que se passa e se passava à sua incontornável da Literatura Portu- motivados pela contra-parte políti- Finalmente: analisar não significa estar de acordo ou em desa-
volta, salvaguardando algumas per- guesa contemporânea e um escritor ca que começa desde a implantação cordo com o que quer que seja.
sonagens que conheciam o que se de Diários (mais de uma dúzia) e dos Estudos Gerais Universitárias
OPINIÃO
20 Savana 03-05-2019

Comunicação Social: reformas legais e


institucionais paralisadas há 10 anos
Por Tomas Vieira Mário

H
á mais de 10 anos que se mantém “pen- de 2004 veio alargar o campo dos direitos, liberda- governo. De 2010 a 2012, participei neste proces- melhorar e harmonizar as Propostas de Revisão
dente”, em sede do Governo, um vasto des e garantias dos cidadãos, incluindo no capítulo so na posição de Vice-Presidente da Comissão de de Lei de Imprensa, Lei de Radiodifusão, Carteira
pacote de propostas de reforma legal da das liberdades de expressão e de imprensa…. Por Revisão, liderada pelo Dr. Ricardo Malate, então profissional e Estatuto de Jornalistas”. A expecta-
comunicação social em Moçambique, Presidente do Conselho de Administração da Rá- tiva criada, e na presença do Primeiro-Ministro,
estas e outras razões o governo, em parceria com
nomeadamente atinentes a revisão da Lei de dio Moçambique (RM). Porém, nada haveria de Carlos Agostinho do Rosário, era que este pacote
organizações da classe e da sociedade civil, lançou,
Imprensa, de 1991; regulação da Radiodifusão se seguir, até ao final do último mandato gover- integraria, finalmente, a agenda de trabalhos da
em 1998, o processo da sua revisão, numa inicia-
(Rádio e Televisão); das condições do exercício namental. presente sessão da Assembleia da República – por
tiva superiormente liderada pela então Primeira-
da profissão de jornalista (Estatuto e Carteira Já no presente mandato, o mesmo pacote, ten- sinal a última do mandato. O que, uma vez mais,
-Ministra, Luísa Diogo.
Profissional do Jornalista) e, mais recentemen- do finalmente chegado à “mesa” do Conselho não aconteceu!
E porque o crescimento exponencial do subsector
te, Estatuto Orgânico do Conselho Superior da de Ministros, o mesmo terá “encalhado” algures, Ora, o desenvolvimento, em condições de quase
da Rádio e Televisão mostrava, já, quão insuficien-
Comunicação Social. O crescimento exponencial, te era a sua regulação, subsidiariamente, através aparentemente por falta de entendimento ou de total desregulação, da radiodifusão, ainda por cima
com regulação deficitária e obsoleta, carrega con- da Lei de Imprensa (generalista), iniciou-se, no consenso, sobre a justificação de uma lei de rádio em face das potencialidades de maior expansão
sigo o risco do caos, com sérias implicações na sua mesmo ano, o processo de preparação da propos- e televisão, quando já havia a lei de imprensa, bem ainda, oferecidas pela digitalização, já se tem
sustentabilidade financeira, ética e moral. ta da lei da Radiodifusão, em conferência solene, como sobre a proposta de Estatuto Orgânico do mostrado como nefasto e até com sérias impli-
Comemora-se, hoje, o Dia Mundial da Liberdade igualmente presidida pela Dra. Luísa Diogo, no Conselho Superior da Comunicação, face à ideia cações, quer sobre a sustentabilidade da própria
de Imprensa, como tal proclamado pela Assem- Centro Internacional de Conferências Joaquim de criação de um órgão regulador da Comunica- indústria, quer sobre os padrões morais e éticos da
bleia Geral das Nações Unidas, em 1993, por Chissano. ção Social, dotado de plenos poderes inspectivos e sociedade, cada vez mais agredidos, em nome da
recomendação da UNESCO. Esta, por sua vez, Promoveram-se, anos seguintes, debates relativa- sancionatórios. concorrência e do lucro fácil. Um tal quadro não se
fez esta recomendação, “mandatada” pela Con- mente extensos e participativos, com a partici- Entretanto, em Novembro de 2018, o GABINFO harmoniza, nem com o espírito, nem com a letra
ferência de Windhoek que, no dia 3 de Maio de pação do governo, que os coordenou, através do organizou mais um seminário de …’’harmoniza- da Declaração de Windhoek, de que emerge o Dia
1991, aprovou a célebre Declaração de Windhoek, Gabinete de Informação (GABINFO), de profis- ção” cuja finalidade era “fazer uma reflexão mais Mundial da Liberdade de Imprensa, que hoje se
apelando para a promoção de uma imprensa li- sionais de media, bem como de organizações da alargada e produzir recomendações com vista a assinala em todo mundo.
vre, pluralista e independente em África. Como sociedade civil, com destaque para o MISA e o
parte das celebrações desta data, em Moçambique, Sindicato Nacional de Jornalistas.
parece-nos oportuno lançar um olhar sobre o pa- Curiosamente, dois anos depois, em 2010, o Dr. Reformas do quadro institucional
norama do desenvolvimento do sector no país, em Aires Bonifácio Ali, então nomeado novo Primei-
particular em sede dos seus edifícios institucional ro-Ministro, viria a relançar o processo da prepa- Entretanto, a par de reformas legais, o quadro institucional da comunicação social moçambicana
e legal. ração da mesma lei de radiodifusão, no mesmo há muito que clama por reformas de fundo, em particular do lado do sector público. Se o sector
Centro Internacional de Conferências Joaquim privado parece agora ter finalmente despertado, através da revitalização da Associação das Empresas
Reforma do quadro legal: nem Chissano e nos mesmos termos de há dois anos! Jornalísticas (AEJ), não restam dúvidas que o lado público oferece largos espaços de reflexão
água vai, nem água vem. Bem…seja como for, os processos, ora de revisão estratégica, visando reformas de fundo, sendo de destacar:
A liberdade de imprensa em Moçambique acha- da Lei de Imprensa, ora da preparação da Lei da 1. A tomada de uma decisão política final, sobre a institucionalização - ou não - de um
-se, como é sabido, plenamente consagrada na Radiodifusão, seguiram em frente, culminando órgão regulador da comunicação, autónomo, independente e dotado de plenos poderes
Constituição da República, nas leis de imprensa e com documentos consensualizados, em 2011. inspectivos e sancionatórios.
do direito à informação, instrumentos cuja textura Enquanto isto, em paralelo haviam sido prepara- 2. A tomada de uma decisão política final, sobre o projecto (lançado na década de 1990,
responde, em larga medida, aos padrões interna- das propostas da Carteira Profissional do Jorna- ainda quando o Dr. Pascoal Mucumbi era o Primeiro-Ministro!) da fusão da RM
cionalmente consagrados para a regulação desta lista (já consagrada na lei de imprensa revista) e com a TVM, medida cada vez mais imposta pela convergência digital, com evidentes
categoria de direitos humanos. respectivo Estatuto do Jornalista, sob a égide do fundamentos de racionalidade económica e financeira.
Porém, se a Lei de Imprensa, aprovada em Agosto Sindicato Nacional de Jornalistas. Considerou-se, 3. A reforma profunda da Agência de Informação de Moçambique (AIM); da Maputo
então, em 2011, que estavam criadas condições Corredor Rádio e do Instituto de Comunicação Social (ICS), cujas missões simplesmente
de 1991, tem sido, desde então, considerada como
para num único pacote o governo levar a debate, se esgotaram no tempo ou se tornaram difusas ou desnecessariamente sobrepostas
aberta, democrática e favorável ao desenvolvimen- no Parlamento, um novo quadro regulatório da a de outros órgãos, transformando as respectivas instituições em entes parasitários e
to de um sector plural de média, o facto porém comunicação social, mais próximo das dinâmicas irrelevantes.
é que, passados agora mais de 25 anos, ela já se e desafios actuais do sector. Quando da sua tomada de posse, em 2015, estas matérias integravam o Plano Estratégico do
mostra lacunosa e, em alguns casos, anacrónica, à Porém, contra todas as expectativas, as duas pro- Conselho Superior da Comunicação Social, na perspectiva de contribuir para a sua abordagem
luz da Constituição da República de 2004. postas de lei voltariam a ser postas em debate, em com o governo, como resulta da Constituição e da Lei e, ainda, em consonância com o próprio
2012, desta vez com o pretexto da sua harmoni- plano quinquenal do governo, que prevê “regulamentar e fiscalizar o sector da comunicação
Por um lado porque ela lei leva, de forma muito
zação com os propósitos da migração digital da social”, como uma das estratégias para “assegurar serviços de comunicação social e informação
acentuada, as marcas de uma lei para regular a im- radiodifusão! Este exercício foi, então, realizado, de qualidade”. Já na recta final do mandato, estes desafios ficarão, certamente, para trás. Uma
prensa escrita (na era digital!), por outro porque – porém com evidentes remissões para legislação vez mais!
e mais importante! - a Constituição da República específica. E o pacote foi, de novo, devolvido ao

SACO AZUL Por Luís Guevane

A promessa
D
o ponto onde o pintor se encontrava coisa dos tipos? o lenço no bolso das calças. Logo depois berrou - Isso não sei. Mas ficam bonitos com aque-
conseguia acompanhar o movimen- - Que tipos? para o ajudante: - Eu não disse para ires varren- les bonés e aquelas camisetas. Afinal depois
to de trabalhadores em direcção à - E veja uma coisa: ninguém sabe quem são, não do a porcaria desse lado? Passa-me já esse outro de marcharem têm comida e bebida?
Praça dos Trabalhadores. As come- dizem o que querem, não dão a cara, só matam, pincel. Preguiçoso! - Isso é para os mais espertos. Patrão es-
morações do 1º de Maio estavam a decorrer. queimam casas, aumentam a pobreza; mas o - Desculpe. É que quando falou dessas coisas de perto antecipa-se. Trabalhador esperto joga
O pintor e o seu ajudante continuavam em- “Kenneth”, se calhar, vai-se encarregar um pou- Cabo Delgado eu fiquei arrepiado. no seguro. Um dia também vou-te comprar
penhados em finalizar a pintura do aparta- co de vingar essas mortes e destruições. Dizem - Sabes o que é ficar arrepiado? “Ficar arrepiado” uma camiseta, um boné e um take away
mento. No chão encontravam-se espalhados que não são insurgentes e nem bandidos arma- é quando uma pessoa vê outras a marchar pura para comeres até sonecares.
jornais já velhos preparados para capturar dos. É um produto ainda sem um rótulo e sem e simplesmente para, caras sem vergonha, anun- - Não vou precisar de fazer essas coisas de
os pingos que volta e meia iam caindo. De prazo de validade. Achas que esses que foram ciarem uma grande descoberta: que o salário não dístico ou cartazes – era o ajudante todo
repente, o mestre ordenou que o ajudante julgados há semanas pertenciam mesmo a esse chega para viver com um mínimo de dignidade. emocionado. E continuou: - quando o
entregasse o lenço que secava por cima da grupo? Que tal, sabes dizer-me se o Governo Bolas, estão a tentar passar essa mensagem para mestre mandar fazer a minha camiseta tem
vassoura ali perto. Obedeceu. Olhou para já actualizou o número de mortes causadas por quem? Vai lá procurar saber como fizeram para que vir escrito, bem no meio, aquilo que vi
cima e viu o mestre limpando o suor da tes- esses tipos? comprar as camisetas. Quer dizer, o patronato num dos cartazes: por um salário digno.
ta, enquanto proferia as seguintes palavras: - Mortes? Ainda bem que já foram julgados. apoia na compra de camisetas e bonés, apoia no - Eu não gosto dessas escritas. Arrepiam-
- Ouve, aqueles de Cabo Delgado já foram Mestre, essa coisa do 1º de Maio é por causa tacho depois da marcha, bebidas e comidas, para -me. Mas tudo bem, isso pode vir no boné,
apanhados? Com o “Kenneth” devem ter-se de quê? Ouvi que tem a ver com essas coisas de depois essas mesmas pessoas fazerem cartazes a em letras pequenas para não gastar muito
escondido muito bem. Mas, de certeza que aumento do salário, melhoria das condições de exigir melhorias salariais, boas condições de tra- dinheiro. Prometo-te isso para o próximo
não vão constar das estatísticas com relação trabalho, dignidade,… balho. Onde está a fronteira entre o patronato e 1º de Maio, se ainda estivermos a trabalhar
às mortes ou desaparecidos. Aquilo já anda - Ouve-lá, eu estou a falar de Cabo Delgado! os trabalhadores? Ou manifestam-se seriamen- juntos. Até lá, vai tentando pesquisar o que
nos 38 mortos. Mas, que tal, sabes alguma Tu não entendes nada – sentenciou, colocando te, ou fingem que se manifestam! é um salário digno em Moçambique.
PUBLICIDADE
Savana 03-05-2019 21

(035(6$1$&,21$/'(+,'52&$5%21(726(3
DESPORTO
22 Savana 03-05-2019

FPD não está a dar apoio à FMA


-Acusa Francisco Manheche

Por Paulo Mubalo

O
presidente da Federação temos esperança em muitos atletas, Ela estava, sim, a passar por pro-
Moçambicana de Atle- mas não para os jogos olímpicos blemas e mesmo recebendo apoio
tismo (FMA), Francisco de 2020. Estamos a fazer prepara- dos médicos não sabia que quem
Manheche, está bastante ção para que os atletas participem custeava as despesas era o Comité
zangado com o que chama de fal- da melhor maneira possível nesses Olímpico de Moçambique. Contu-
ta de proactividade do Fundo de jogos. Neste momento, temos o do, esta situação está ultrapassada.
Promoção Desportiva (FPD), pelo Machava, que está na Alemanha E digo mais, vai partir para Austrá-
facto de, sem nenhuma explicação, para além do próprio Kurt Couto lia uma equipa do Governo de Mo-
não estar a disponibilizar fundos que beneficia do apoio do Comité çambique. Trata-se, de facto, de um
para este organismo gimnodespor- Olímpico de Moçambique. assunto delicado, mas infelizmente
tivo. Segundo Manheche, com este Há a percepção de que a FMA e o não posso avançar detalhes.
andar o nosso desporto dificilmen- país não estão a aproveitar a expe- Pouco tempo depois dela ter anun-
te poder singrar. riência da Lurdes Mutola. ciado as dificuldades com que se
Entretanto, esforços para ouvir- - O que posso dizer é que o país debatia mudou totalmente de dis-
mos a directora do FPD, Amélia precisa da Lurdes Mutola , mas ela curso. Terá sido coagida?
Cabral, redundaram em fracasso. se afastou um pouco da modalida- -De maneira nenhuma, o que sabe-
A seguir, os excertos da conversa. de. Nós temos estado em perma- mos é que há quem a pressionou de
nente contacto com ela para ver se modo a levá-la a dizer inverdades.
Presidente da FMA, fale-me do ní- pode nos dar apoio, mesmo que seja Não vou citar nomes, mas conhe-
vel de execução do vosso programa moral. Inclusivamente, eu fui ter cemos essa pessoa. Eu disse, ante-
referente ao ano passado? Este sorriso do presidente da FMA esconde uma grande tristeza com o presidente da federação sul- riormente, que numa casa onde há
- O balanço do ano passado foi ra- africana de atletismo e ele disse -me fome todo o mundo reclama, mas
zoável, pois conseguimos, no meio deste quase abandono por parte do Depois do brilharete da Lurdes que deveríamos agendar um outro ninguém tem razão. Foi uma ver-
de muitas adversidades, realizar os FPD? Mutola, esperava-se muito mais de encontro, já com a presença dela gonha, porque essa pessoa veio para
campeonatos regionais e o nacional, -Fazemos uma verdadeira ginástica atletas como Kurt Couto, Leonor para conversarmos. Isso vai aconte- estragar o atletismo, mas é um as-
para além de termos participado no e nalguns casos chegamos a usar Piúza, entre outros, mas pelos vistos cer e só depois desse encontro é que sunto que enfrentámos e ainda con-
africano da Nigéria. Paralelamente, fundos que, à priori, não devíamos a montanha pariu um rato. Quer ficaremos saber melhor dos seus tinuaremos a enfrentar. O nosso
estamos a procurar formas de os para salvar a modalidade. Os atletas comentar, detalhar ou desmentir? planos. foco é o crescimento da modalidade
atletas melhorarem os seus tem- não têm culpa do que está a aconte- - No caso concreto destes dois atle- O que tem a dizer em relação ao e temos que envidar esforços para
pos, porque não basta ganhar, o que tas, eles estão no pico da carreira, badalado caso Ofélia Milambo? que o atletismo avance. Estamos
cer, mas continuo a dizer que esta-
conta são as marcas. Mas vamos ou melhor, estão na ponta final das -Ela sempre recebeu apoio finan- preocupados, sim, com a situação
mos numa situação muito delicada.
continuar a trabalhar , sendo que suas carreiras. Kurt Couto poderá ceiro do Comité Olímpico de Mo- dela, estamos sensibilizados, mas o
tomaremos parte nos regionais sul participar nas últimas olimpíadas çambique e apoio moral da Fede- país é este que temos e não há di-
Velho problema
e centro, que vão acontecer neste que vão acontecer no próximo ano ração Moçambicana de Atletismo, nheiro. A situação dela é delicada.
A FMA já dispõe do badalado fo-
fim de semana. Para a zona norte, no Japão e, depois desse evento , va- mas depois pediu desculpas pelo Se estiver em Moçambique, não sei
tofinish?
tínhamos marcado o evento para mos coordenar com ele para ver se que tinha dito anteriormente, por- de que forma ela poderá ficar bem.
- Quando fui escolhido para dirigir
Pemba, mas por causa das intem- poderá trabalhar connosco, trans- que havia um mal entendido. De Como disse, ela passa por uma si-
a federação de atletismo, disseram-
péries, que assolam a província de mitindo a sua vasta experiência ou facto onde há fome todo o mundo tuação delicada e que, por razões
-me que havia fotofinish e o Fundo
Cabo Delgado, definitivamente va- dando treinos aos mais jovens. Mas reclama, mas ninguém tem razão. óbvias , não posso revelar.
de Promoção Desportiva tem, no
mos adiar. Mas tudo isso vai acon-
Zimpeto, uma parte da máquina ,
tecer sem nenhum dinheiro, porque
e a outra parte não sei se temos de

Breves...
o Fundo de Promoção Desportiva
comprar. Discutimos com a Fede-
não nos deu absolutamente nada.
ração Internacional de Atletismo a
A FMA não recebe apoios do
FPD? questão do fotofinish, porque não
faz sentido que até hoje não tenha-

Mais surpresas à vista


-Nós recebemos, no ano passado,
do Fundo de Promoção Desporti- mos essa máquina.
va apenas a metade do valor que As marcas que os atletas moçambi-
nos deveriam dar, cerca de 500 mil canos conseguem obter continuam
a não ser reconhecidas internacio- Depois de um início marcado por alguns resultados desnivelados, a segunda jornada do campeonato
meticais. Neste ano, não recebemos nacional de futebol, Moçambola, promete muita espectacularidade e surpresas.
nenhum tostão. Recentemente, vie- nalmente?
-Infelizmente, as nossas marcas não Assim, o Ferroviário da Beira recebe o Textáfrica, enquanto que o Desportivo terá como adversário o
ram fazer uma auditoria e depois Incomati, em partidas em que teoricamente as quatro formações se equivalem.
disso mandaram-nos uma carta a são reconhecidas internacional-
mente , e como saída temos man- Se em Maputo haverá um embate entre ferroviários: um da capital e o outro de Nacala, em Vilankulo, a
dizer que tínhamos de resolver as- ENH receberá a Liga.
suntos que não são deste mandato. dado os atletas para a África do
Sul, e só a partir de lá é que temos Já o Costa do Sol medirá forças contra o Maxaquene, no grande jogo da jornada.
Por outro lado, quando tomamos Os restantes jogos são: Desportivo de Nacala-Baía de Pemba, num despique em que o favoritismo recai
posse não recebemos a documenta- marcas que são reconhecidas a nível
da federação internacional da mo- para os anfitriões, UDS-Ferroviário de Nampula, num jogo de difícil prognóstico, e Chibuto-Têxtil do
ção que fala, por exemplo, sobre a Púnguè, num encontro em que a vitória poderá sorrir para a turma anfitriã.
situação dos atletas, da federação e dalidade.
de outras coisas, mas mesmo assim No ano passado, mandamos alguns

Vinte e cinco anos sem Ayrton Senna


estamos a trabalhar. Mas o Fundo atletas para o Zimbabwe, eles cor-
de Promoção Desportiva deve- reram lá porque, à semelhança da
ria ser mais proactivo e se não há África do Sul, lá há fotofinish. Nes-
dinheiro, no mínimo, nos deviam te momento, estamos à procura de Passaram, esta quarta-feira, 25 anos depois da morte de Ayrton Senna da Silva, piloto brasileiro de Fór-
dizer. provas para participar naquele país mula 1, três vezes campeão mundial, nos anos de 1988, 1990 e 1991.
O que a FMA vai fazer por forma a vizinho. A sua morte provocou um dos maiores abalos da história do Brasil, com repercussão a nível mundial.
sair da crise? O que se pode esperar do atletismo O piloto perdeu a vida durante o Grande Prémio de San Marino, num grave acidente na sétima volta.
-Estamos preocupados com a si- moçambicano tendo em conta as No kart, foi tetracampeão brasileiro (1978/79/80/81); bicampeão sul-americano (1977/78); sexto colo-
tuação, mas não sei como é que o dificuldades já mencionadas? cado no Mundial de 1978.
desporto pode crescer, porque sem - Bem, mesmo sem dinheiro con-
dinheiro não se pode fazer nada. tinuo com esperança de ver Mo-
Inclusivamente, temos o programa çambique a produzir muito mais Semenya obrigada a reduzir os níveis de testosterona
de trabalho que devíamos assinar talentos. Estamos a coordenar com
com o Fundo e até hoje nada foi a Alemanha e com o Japão no sen- A atleta sul-africana Caster Semenya, viu, nesta quarta-feira, negado - pelo Tribunal Arbitral do Des-
feito. A FMA continua a bater as tido de estes dois países enviarem- porto (TAS) - o seu recurso contra as regras criadas pela Associação Internacional das Federações de
portas, mas elas não se abrem, por- -nos treinadores. Temos uma atleta Atletismo (IAAF), que visam a diminuição dos altos níveis de testosterona em algumas mulheres.
que a situação do país também não que representou o país nos Jogos Num julgamento histórico, a comissão de três juízes do TAS votou 2-1 e proferiu um veredicto complexo
é das melhores. Africanos e que tem muito talento, em que admitiu que as regras propostas pela IAAF para atletas com diferenças de desenvolvimento sexual
Como é que a FMA consegue rea- mas ela ficou por decidir se vai cor- (DSD), como é o caso de Caster Semenya, são discriminatórias, mas devem ser aplicadas.
lizar algumas actividades no meio rer nos 100 ou 400 metros .
PUBLICIDADE
DESPORTO
Savana 03-05-2019 23

COMUNICADO | Nº 04 | Abril de 2019


Decresce o espaço da mulher nas Assembleias Autárquicas de 2018.
Um alerta para eleições gerais e provinciais de 15 de Outubro

A pesar dos esforços empreendidos para uma maior participação política


da Mulher em Moçambique, os dados das últimas eleições autárquicas
indicam que no cômputo geral houve um significativo retrocesso ao nível das
Neste sentido, o IMD alerta para que acções mais arrojadas devem ser assumidas
de imediato para se reforçar a participação da mulher, a destacar:
B Proactividade das Organizações da Sociedade Civil na promoção do
Assembleias Autárquicas. De uma variação positiva de 37 por cento no mandato
acesso à informação à mulher para a sua maior participação na política
2009-2013, passou para 37.5 por cento no mandato 2014-2018. Entretanto, a
e governação, através de acções de capacitação e financiamento das
análise dos resultados das últimas eleições autárquicas que tiveram lugar no
ligas femininas. Trata-se de uma forma de elevar os níveis de barganhas
dia 10 de Outubro de 2018, mostra uma variação negativa de 37.5 por cento do
e pressão feminina para inclusão estratégica nas listas de candidatura;
mandato anterior para 33.63 por cento (vide o gráfico) correspondente a 454
mulheres eleitas contra 896 de homens1. B Envolver as lideranças partidárias e governamentais nos processos de
educação da mulher. Uma acção estratégica deve ser encabeçada para
garantir um maior compromisso político pela agenda de género para
Representação percentual das mulheres nas assembleias autárquicas todo sistema político;
80% B O quadro legal (de diversos sectores) deve admitir reformas que
63% 62.50% 66.37% possibilitem maior participação da mulher na política e na governação.
60%
Tanto acções educativas familiares, sociais, políticas e económicas
37% 37.50% 33.63%
40% precisam de ser sensíveis às abordagens de género a tal que a mulher
encontre espaço para expor e desenvolver as suas capacidades de acção
20%
colectiva.
0%
2009 - 2013 2014 - 2018 2019 - 2023
Tendo em conta o cenário nas eleições autárquicas, o IMD, alerta ainda para o
risco de haver uma regressão acelerada da presença da mulher em posições
Mulher Homem de relevo na política, inclusive ao nível da Assembleia da República. E mais,
se os partidos políticos não incorporarem critérios claros que garantam uma
Fonte: IMD, elaborado a partir dos resultados das eleições autárquicas de maior participação da mulher num contexto de igualdade de oportunidade e
2008, 2013 e 2018 de elegibilidade, o cenário poderá deteriorar-se fortemente.
Para o IMD, existem alguns desafios que podem ser directamente indicados
Esta é uma situação preocupante e que chama atenção para a necessidade de para os partidos político:
acções mais enérgicas a curto, médio e longo prazo. As alterações no xadrez B A posição nas listas de candidatura — a experiência das autárquicas de
de governação e da eleição dos representantes locais ajustou por negativo o 2018 mostra que pese embora a presença de cerca de 1447 mulheres
espaço da mulher na arena política local. A eleição dos membros das assembleias nas listas de candidatura, não existe uma proporcionalidade com a
provinciais, bem como a introdução da eleição dos governadores provinciais possibilidade de ser elegível. Acções devem ser empreendidas para que
demanda alguns ajustamentos dos sistemas e dos critérios de inclusão de a presença das mulheres nas listas seja em posições elegíveis. Para o
mulheres, de modo a que elas tenham oportunidade de serem eleitas, sob o caso das eleições locais de 2018, grande parte da exclusão das mulheres
risco de se manter a tendência de variação negativa e de verificar-se a níveis nos cargos electivos resultou das posições que ocupavam nas listas
mais preocupantes. Pese embora os resultados pareçam estimulantes do ponto partidárias.
de vista da presidência dos conselhos autárquicos – pois registou-se um ligeiro
aumento de mulheres na presidência, de cinco no mandato anterior para seis B A masculinização dos partidos políticos — mesmo com alguma
no actual mandato – a realidade indica para uma complexidade cada vez mais tendência em haver consideração de aspectos relativos ao género, a
alarmante de espaço público para participação da mulher. masculinização da política caracteriza quase todos os partidos políticos
moçambicanos o que faz com que o espaço de participação da mulher
seja fortemente limitado. Há no subconsciente de funcionamento dos
partidos políticos uma espécie de violência e barreiras à participação
Presidência do Conselho Autárquico 2019 - 2023
efectiva da mulher. Acções efectivas podem ser desenvolvidas a curto
e médio prazo para criação de estruturas de oportunidade, com vista à
participação da mulher em posições de relevância nos partidos políticos.
As dinâmicas do presente ano eleitoral indicam que seja de carácter urgente
a sensibilização para consideração de abordagens de género e reforço das
capacidades das mulheres, numa primeira fase, nos partidos políticos. Por isso,
Mulher 11% o IMD chama atenção para que a monitoria e advocacia para igualdade de
Homem 89% oportunidade deve ser empreendida desde as barganhas de composição das
listas de candidaturas. Porque não pensar, por exemplo, em “listas zebras” em
alternância de oportunidade de ser elegíveis?

Fonte: IMD IMD – Instituto para Democracia Multipartidária


Av. Salvador Allende nº 753, Maputo/Moçambique
Office: +258 84 306 6565 | imd@imd.org.mz I www.imd.org.mz
1
Acórdão: 27/CC/2018 de 13 de Novembro, Publicado no BR No. 235, 1ª Serie de 3 de Dezembro de 2018.
CULTURA
24 Savana 03-05-2019

Resiliência, festival de literatura no Camões


Por Venâncio Calisto

É
já na próxima semana que o editores e músicos, totalizan- cação programática do Festival e
Resiliência 3 traz à capital do 32 participantes. Os maiores para a prossecução dos objectivos
do país, uma avalanche de destaques vão para os escritores do mesmo, que acontecerá no mês
escritores e académicos de Luís Carlos Patraquim, Hugo de África, da língua portuguesa
língua portuguesa. O festival lite- Mãe e Ondjaki, provenientes de e no mês da celebração do no-
rário, que vai acontecer entre os Moçambique, Portugal e Angola, nagésimo sétimo aniversário do
dias 07 e 09 de Maio, no Camões respectivamente. nascimento de José Craveirinha,
– Centro Cultural Português, em O Festival de Literatura Resi- prevê-se mesas de debate, lan-
Maputo, tem como tema central liência é organizado pela Edito- çamentos de livros, uma feira do
a Mobilidade e Criação Artísti- ra Cavalo do Mar, desde 2018 e livro e outras actividades.
ca na Comunidade dos Países de tem vindo a promover o livro e a Este festival conta ainda com
Língua Portuguesa (CPLP). leitura e a incentivar uma maior duas actividades paralelas, no-
circulação das obras dos autores meadamente, uma oficina de es-
A edição deste ano pretende dis- moçambicanos, dentro e fora do crita criativa e uma visita guiada
cutir propostas para a (re) for- país, contribuindo assim para a ao mítico bairro da Mafalala.
mulação de políticas culturais e edificação de um sistema literário
estratégias para a redução dos resiliente e concorrendo para a O Resiliência 3 é um encontro
obstáculos que impedem uma formação de leitores no país e na das letras, organizado pela Edi-
maior circulação de bens culturais Comunidade dos Países de Lín- tora Cavalo do Mar, em parceria
e mobilidade dos escritores na gua Portuguesa (CPLP), através com o Camões – Centro Cultural
CPLP. Conta com a participação de um amplo acesso ao vasto uni- Português, que conta com o apoio
de escritores de várias gerações verso da nossa literatura. oficial do Ministério da Cultura
e países, de académicos, críticos De acordo com o comunicado de e Turismo de Moçambique e en-
Luís Carlos Patraquim
literários, jornalistas, livreiros, imprensa, para uma maior impli- volve diversas entidades culturais.

Dançar para Centro Fórum Pan-Africano da Juventude


Campanha de deixa lições para os artistas
angariação de apoios
D
e 24 a 27 de Abril, decor- cação mais equitativa e de qualida- debatidos, tendo ficado as seguin-
reu o Fórum Pan-Africano de. Problemas esses que ameaçam tes lições “os artistas devem ter um
da Juventude na sede da sobremaneira o futuro do conti- preparo para além da sua actividade
União Africana (UA), em nente africano, uma vez que mais artística. Trabalhar em parceria, ter

para as vítimas do Idai Adis-Abeba, na Etiópia e teve


como tema central reflectir sobre
os 4E’s: Educação, Empreendedo-
de 75% da população é jovem.
“A nossa educação precisa, inevita-
velmente, de sofrer reformas. Para
um pensamento mais elaborado,
estruturado e organizado, assim
como pensar em alternativas de

A
rismo, Emprego e Engajamento, começar é preciso que ela chegue tornar a arte sustentável”, declarou
manhã, dia 04, a Feira – conexões com a vida – que no âmbito do projecto Um Milhão a todos e nas iguais condições de o director do Festival e da Revis-
de Hulene será palco serviu de espaço para repensar de Jovens até 2021, levado a cabo qualidade. E depois adoptar mé- ta Literatas, em jeito de resumo
do espectáculo “Dan- a dança no contexto moçam- pelo órgão. todos alternativos para a educação de alguns dos temas debatidos no
çar para o Centro”, bicano, muitas vezes represen- ou então actualizar os modelos. Só evento.
um mini festival de dança que tadas pelos estilos: tradicional, Eduardo Quive, escritor, jorna- assim teremos jovens moçambi- A presença de Eduardo Quive no
reúne renomadas companhias moderno e contemporâneo. lista e gestor cultural, foi um dos canos formados e com capacidade Fórum Pan-Africano da Juventude
de dança da cidade de Maputo Pela grande adesão do público representantes de Moçambique de encarar os tempos actuais, com deste ano foi apoiada pela Open
e arredores, com especial des- e profissionais da área, assim no maior encontro da juventude mentalidade mais aberta e prepa- Society Foundation – uma orga-
taque para a Companhia Na- como pelo impacto das dis- africana, que teve a particularida- rada para corresponderem a outros nização não governamental, enga-
cional de Canto e Dança e o cussões e beleza das perfor- de, este ano, de albergar discussões desafios, os do emprego e do em- jada na promoção da liberdade de
grupo de estudantes de Dança mances apresentadas, os artis- que reflectem sobre a condição da preendedorismo” assevera Quive, expressão, governação responsável
do Instituto Superior de Artes tas fazem um balanço positivo juventude de quase 53 países, numa visivelmente inspirado. e sociedade justas – graças ao seu
e Cultura (ISARC). do evento e apelam para que altura em que crescem os índices de A arte enquanto um meio de em- notável engajamento como artista e
iniciativas do género passem a desemprego, e o acesso a uma edu- preendedorismo foi um dos temas activista cultural.
Inserido nas comemorações ser rotineiras, de modo a in-
do dia Internacional da dança,
assinalado no passado dia 29
de Abril, este mini-festival visa
tensificar ainda mais a cone-
xão entre os grupos de dança,
agentes culturais e público no
Duas Caras e banda inauguram
ciclo de concertos em Maputo
promover uma campanha de geral.
recolha de bens a favor das po- Para o nosso entrevistado,
pulações afectadas pelo ciclone Osvaldo Passarivo, que é bai-
Idai, no centro do país. Fazem,

O
larino e coreógrafo, o estágio
também, parte deste projec- da dança no país “é favorável, rapper moçambicano, com artistas nacionais e prevê a vin- Duas Caras terá o acompanhamen-
to os grupos de dança: Hodi, embora ainda exista uma série Duas Caras realiza, este da de artistas internacionais sempre to de Stélio Zoé na bateria, o baixo
Milorho, Mono, Xindiro, Es- de desafios pela frente, como sábado, o seu primeiro focados para um nicho mais jovem, estará a cargo do Reinaldo, Lírio
cola Nacional de Dança, Casa a questão da falta de espaço concerto ao vivo. O ciclo como também prevê momentos comanda os teclados, a guitarra-
da Cultura e Escola de Artes para ensaios e actuações, bem de shows denominado “Beergar- únicos e memoráveis, promovendo -solo será ministrada por Djivas e
Visuais. como a ausência de incentivos den Concertos”, cujo objectivo é nos coros Onésia e Pauleta.
experiências “multi-disciplinares”
E porque a dança, esta arte tão (apoios)”, mas sugere que os cruzar experiências entre ritmos Este é o elenco que, possivelmente,
entre Hip-Hoppers e Jazzistas, Dj’s
presente em todos momentos irá acompanhar o rapper daqui em
artistas não devem baixar a tradicionais e contemporâneos de e música clássica, entre artistas de diante, tendo em conta o seu com-
da vida da humanidade, está guarda e apela que continuem artistas nacionais e internacionais, artes diferentes e também entre o promisso, a partir de 2019, com
em festa, foi realizado, no pró- a trabalhar no aprimoramento numa completa mescla de artistas e artista e o público. No final de cada espectáculos apenas actuados em
prio dia 29 de Abril no átrio das suas obras e a lutar pela géneros musicais. sessão vai sempre ter “chill out after banda e maduros, contrariamente
do edifício do Conselho Mu- sustentabilidade do seu tra- gig” com um Dj convidado. ao que tem vindo a fazer desde que
nicipal da Cidade de Maputo, balho, pois só assim poderão O “Beergarden Concertos” é um A primeira experiência junta um a sua carreira despontou, lá para
um debate com o tema: Dan- fazer face às adversidades que projecto anual de actuações ao vivo, Hip-Hopper com uma nata de ins- 2002, com o lançamento de “Um
ça, Corpo, Alma, Sentimento a dança enfrenta no país. que decorrerão durante o inverno trumentistas moçambicanos que Passo em Frente”, primeiro álbum
no Beergarden. O projecto conta oscilam entre o jazz e o tradicional. da GPro.
PUBLICIDADE
Savana 03-05-2019 25
Dobra por aqui
SUPLEMENTO HUMORÍSTICO DO SAVANA Nº 1321‡ 3 DE MAIO DE 2019
OPINIÃO
Savana 03-05-2019 27

Venâncio Calisto (Texto)


Naita Ussene (Fotos)

1º de Maio a pão e água


N
a passada quarta-feira, trabalhadores de todo mundo vestidos com
seus fatos-macaco e empunhando as suas ferramentas de trabalho
saíram à rua para celebrar o 1º de Maio, o dia da luta da classe que
mais trabalha e menos recebe. Que não nos deixem mentir os sindi-
catos. No país os aumentos salariais deste ano nem chegam aos míseros do
ano passado. As coisas vão de mal a pior. O cinto de tanto apertar rebentou.
Einstein, que formula há para manter saco vazio em pé? Solução que é bom,
nada, ninguém dá. Mas os problemas nunca param de se avolumar.
Ninguém mais aguenta! Via-se na face dos milhares de trabalhadores que
marchavam pelas artérias da cidade de Maputo. Os cartazes, dísticos, cânti-
cos, danças e as habituais teatralizações satíricas foram as formas encontra-
das para ampliar o grito por melhores condições de trabalho que os homens
e mulheres de Chicago nos legaram, no distante ano de 1886, quando se
opuseram a sujeição e a opressão. Os direitos dos trabalhadores devem ser
sempre respeitados. Essa luta é de todos nós. Acabar com a exploração do
homem pelo homem dignifica a humanidade inteira.
Os artistas, representados pela Associação Moçambicana de Teatro (AMO-
TE), já há três anos que também participam destas celebrações, num gesto
de reivindicação pela aceitação do trabalho criativo como profissão para
maior valorização da arte. O repúdio aos casos de corrupção nos serviços
públicos mereceu grande destaque na marcha deste ano, mas, os trabalhado-
res, humanos que são, também solidarizaram-se com as vítimas dos ciclones
Idai e Kenneth que fustigam as zonas centro e norte, respectivamente. O
que fez destas celebrações um momento de cultivar a esperança e fé de que
com muito trabalho a vida voltará a sorrir para os nossos compatriotas.
É em homenagem a esta importantíssima peça da sociedade, os trabalhado-
res, que dedicamos o “No Informal” desta semana, porque acreditamos que
a luta da classe operaria é a luta de todos nós, também a salvaguarda do res-
peito pelos direitos da pessoa humana e a conquista de um sistema político
e económico mundial mais justo para todos. A nossa galeria de fotografias
de hoje captou alguns momentos da marcha dos trabalhadores em Maputo,
pela expressividade das imagens acreditamos que o caro leitor encontrará
a melhor interpretação. Como que aprovar que em alguns momentos o
bom trabalho compensa, temos Benvinda Tamele, da área de Publicidade
do SAVANA e Sara Gani, Gestora de clientes da Mediacoop de sorrisos
nos rostos e nas mãos mais um - o quarto- Diamond Arrow na categoria
de imprensa
Desfrute!
À HORA DO FECHO
www.savana.co.mz EF.BJPEFt"/0997*t/o 1321

iz- se
D
IMAGEM DA SEMANA Foto: Naita Ussene D i z - se.. .

t "NBmBEPTiDIBQBTwFEPTUÈYJTEFUBSJGBTEPVSBEBT RVFUPEPTTB-
CFNUFNÉODPSBTJNQMBOUBEBTOPQBSUJEÍP OBGVOÎÍPQÞCMJDBFOP
HFOFSBMBUPEFBWJÈSJP UFNNPUJWPTQBSBGPSUFB[JBFTUPNBDBMDPNP
MBOÎBNFOUPEFUSBOTQPSUFTQÞCMJDPTOPDUVSOPT3FTUBTBCFSRVBMÏB
DBSUBOBNBOHBQBSBDPNCBUFSBDSJNJOBMJEBEF RVFUBNCÏNQPEF
BQBOIBSiPTNBDIJNCPNCPTEBNBESVHBEBw6N51$QBSB&$
FPimMIPwEJMFDUPEPQBESF$PVUPy

t &$  DBTNVSSP DPNP Ï  EFDJEJV DPNFÎBS B TVB HVFSSB DPOUSB PT


WFOEFEPSFTEFCFSNBFQBTTFJPT QPSRVFIÈNFSDBEPTQPSPDVQBS 
BT FTUSBEBT TÍP QBSB PT DBSSPT F PT QBTTFJPT QBSB PT QFÜFT7BNPT
WFSTFÏQBSBEVSBSPVÏTØGPSÎBEBTPEB DPNPBDPOUFDFVBPTFV
BOUFDFTTPS & UBNCÏN WBNPT WFS TF VN DFSUP QBTUPS  BHPSB NBJT
QSFPDVQBEP DPN PT NJTUFSFT CBODÈSJPT  PSHBOJ[B B DPOUFTUBÎÍP 
DPNPNFTNPTVDFTTPRVFUFWFOPDBNQPEFGVUFCPMEB$FUBFOP
/XBOLIBLBOBy

t $PNBTNB[FMBTEFJYBEBTQFMP*EBJFQFMP,FOOFUI FTUÈDBEBWF[
NBJTDMBSBBHSBOEFJODPNQFUÐODJB EFTNB[FMPFBUJUVEFDSJNJOPTB
OBNBOFJSBDPNPGPSBNDPOTUSVÓEPTNVJUPTFEJGÓDJPTQÞCMJDPTOFTUF
QBÓTFRVFFOHPSEBNFNQSFJUFJSPTWJWFOEPIBCJUVBMNFOUFËTPNCSB
EPQBSUJEÍP.BEBNF## BHPSBFNNPEPKVTUJDFJSP NFTNPTFNP

Hoje é dia Mundial da Liberdade de Imprensa KVJ[1PSUVHBM CFNQPEFNBOEBSGB[FSVNBTWJTJUBTBPTTFDUPSFTEF


iQSPDVSFNFOUwFmTDBMJ[BÎÍPEFWÈSJPTNJOJTUÏSJPT1PEFBUÏDPNF-
ÎBSQPSEPJTDBODSPTB&EVDBÎÍPFB4BÞEFy
Salários no Estado t 2VFNNFSFDJBVNBBVEJUPSJBWBMFOUFTÍPPTEFTBDSFEJUBEPTTFSWJÎPT

Governo fracassou nos


EP45"&RVFTÍPBHPSBOPUÓDJBQFMBEJTGVODJPOBMJEBEFEBTNÈRVJ-
OBTEPSFDFOTFBNFOUP0CPTTEFRVFNB3FOBNPQFEFBDBCFÎB
EFDJEJVOÍPEBSBDBSB NBOEBOEPQBSBBDBCFÎBEPUPVSP VNKPWFN

bilhetes de tesouro
RVFQBSFDFIÈCJMOBTBSUFTEPJMVTJPOJTNP4ØRVFPTOÞNFSPTOÍP
BKVEBNNFTNPy

t 0BTTVOUPEBQVOJÎÍPEPTBVUPSFTEBTiEÓWJEBTPDVMUBTwFTUÈBVM-
USBQBTTBSPDFQUJDJTNPQBSBDIFHBSBTFHNFOUPTTPDJBJTBTTJOBMÈWFJT

A
%FTUBGFJUBGPJPJNQFOTÈWFMQSFTJEFOUFEPTTJOEJDBUPTRVFWFJPFN
incapacidade do Go- QMFUBNFOUFDBODFMBEP BQPJPEBTBDÎÜFTEFNBEBNF##4FSÈRVFPTEFQVUBEPT'SFM OVN
verno moçambicano /P BOP QBTTBEP  VNB MJDJUBÎÍP BTTPNPEFDPOTDJÐODJB TFEFDJEFNQPSSFQVEJBSBTEÓWJEBTFBTVB
de pagar os salários PSÎBEBFNCJMJÜFTEFNFUJDBJTGPJ JOTDSJÎÍPOBDPOUBHFSBMEP&TUBEP 2VFUBMEFQVUBEB.ÞTJDB
de Abril - dentro das DBODFMBEB EFWJEP Ë GSBDB NPCJ-
datas normalmente previstas - t $PNPTOPWPTTBMÈSJPTNÓOJNPTFNDVSTP TFQFSHVOUBSOÍPPGFOEF 
MJ[BÎÍP EF SFDVSTPT  HFSBOEP SF- DPNPWBJmDBSBTJUVBÎÍPOBDJEBEFEB#FJSB POEFHSBOEFQBSUFEP
foi provocada pelo fracasso do DFJPT EF VN DPMBQTP mOBODFJSP UFDJEPDPNFSDJBMFJOEVTUSJBMFTUÈUFNQPSBSJBNFOUFJOPQFSBDJPOBM
executivo na angariação de três
OP&TUBEP 4FSÈ RVF EPOB7JUØSJB F TFVT JOTQFDUPSFT WÍP QBTTBS VNB FTQPOKB
biliões de meticais junto do sis- TPCSFPTFGFJUPTEP*EBJ
/BTFNBOBQBTTBEB P#BODPEF
tema bancário nacional, escreve
.PÎBNCJRVFBMFSUPVQBSBPSJT-
o portal de notícias Zitamar. t 2VFNBTTJTUJVBPEFTmMFEP%F.BJPQFMB57 mDPVTFNTBCFS
DPEFBHSBWBNFOUPEPEÏmDFPS-
TFFSBVNEFTmMFTJOEJDBMPVVNBEBRVFMBTGFJSBTQSPEV[JEBTQPSVN
"#PMTBEF7BMPSFTEF.PÎBN- ÎBNFOUBM EFWJEPBPTFGFJUPTEPT EPTDBOBJTDPNFSDJBJTDÈEBQSBÎB RVFOPTCPNCBSEFJBFOGBEPOIB-
CJRVF #7.
QSPNPWFVUSÐTMFJ- DJDMPOFT RVFBUJOHJSBNPDFOUSP NFOUFDPNNBSDBTFMPHPTEVSBOUFTFNBOBT4ØGBMUPVPDIFGFEB
Adriano Maleiane, Ministro da
MÜFTEFCJMIFUFTEFUFTPVSPOPEJB Economia e Finanças
F P OPSUF EP QBÓT  F Ë GBMUB EF DFOUSBMTJOEJDBMEJTDVSTBSDPNVNBDBNJTFUFEFQBUSPDÓOJPy
EF"CSJM DPNPPCKFDUJWPEF BQPJPmOBODFJSPJOUFSOBDJPOBMËT
0UFSDFJSPMFJMÍP MBOÎBEPQBSBB
FODBJYBS VN CJMJÍP EF NFUJDBJT  FMFJÎÜFTHFSBJTEF0VUVCSPQSØ- t $PNNVJUPTQBUSPDÓOJPT DFSUBNFOUF WBJBDFOB KÈFTUBTFYUBGFJSB 
BOHBSJBÎÍPEFVNCJMJÍPEFNF- VNBUFSSÓmDBTFTTÍPEP$$EPQBSUJEÍP0TEFUSBDUPSFTEPFOHF-
QBSBDBEBVNEPTMFJMÜFT YJNP
UJDBJT  NBT B VNB UBYB EF   OIFJSPBmBOÎBNBPTRVBUSPWFOUPTRVFPUJNPOFJSPWBJQBTTBSNVJUP
0QSJNFJSPMFJMÍPGPJDBODFMBEP  /PTÈCBEPEBTFNBOBQBTTBEB P
SFDFCFV PGFSUBT EF  NJMIÜFT NBM0TTJUVBDJPOJTUBTEJ[FNRVFÏVNBSFVOJÍPOPSNBMFUVEPWBJ
EFQPJT EF UFSFN TJEP NPCJMJ[B- NJOJTUSPEB&DPOPNJBF'JOBO-
EFNFUJDBJT NBTBUBYBTWBSJÈWFJT BDPOUFDFSOBTOPSNBT"OÍPTFSRVFVNKPWFN RVFQSPEV[JVSF-
EPT BQFOBT  NJMIÜFT EF NF- ÎBT EF .PÎBNCJRVF  "ESJBOP DFOUFNFOUFVNEPDVNFOUPiCFTUTFMMFSw EFDJEBBHJUBSBTÈHVBTEF
FOUSFF
UJDBJT  B VNB UBYB EF KVSP BOVBM .BMFJBOF  QFEJV EFTDVMQBT BPT VNBSFVOJÍPRVF FNQSJODÓQJP WBJEFDJEJSPRVFKÈFTUÈEFDJEJEP
'BDF B FTTF DFOÈSJP  P FYFDVUJWP
FOUSFF 0FYFDVUJWP GVODJPOÈSJPTEP&TUBEPQFMPGBD-
PGFSFDJB VNB PGFSUB EF  EF EFDJEJV mDBS BQFOBT DPN 
UP EF OÍP UFSFN TJEP QBHPT PT t /BGSFOUFFYUFSOB PRVFFTUÈBEBSÏBEJTQVUBFOUSFB$IFWSPOF
UBYBEFKVSPQPSBOP NJMIÜFTEFNFUJDBJT B 0DDJEFOUBM  BNCBT DPN QSPQPTUBT QBSB DPNQSBS B "OBEBSLP  B
/P GVOEP  PT MFJMÜFT SFOEFSBN PSEFOBEPTBUÏEF"CSJM
0TFHVOEPMFJMÍP OPNFTNPEJB  FNQSFTB RVF WBJ MJEFSBS B FYQMPSBÎÍP EP HÈT EP CMPDP   OB CBDJB
BQFOBTNJMIÜFTEFNFUJDBJT /B BMUVSB  .BMFJBOF BTTFHVSPV
B VNB UBYB EF  BOVBM  UBN- EP3PWVNB%J[FNEBUFSSBEPTHSJOHPTRVFB$IFWSPOWBJUFSRVF
DPOUSBBNFUBEFUSÐTCJMJÜFT SF- RVFPTTBMÈSJPTTFSJBNMJRVJEBEPT BCSJSPTDPSEÜFTËCPMTBTFRVJTFSCBUFSBHPSBBQSPQPTUBEB0YJ0
CÏNQSFUFOEJBBSSFDBEBSVNCJ-
HJTUBOEPVNEÏmDFEF CJMJÜFT BOUFT EP %JB *OUFSOBDJPOBM EP %S 7BMÈ CFN QPEJB UFS VNBT BDÎÜFT EJTQPOÓWFJT QBSB BDDJPOJTUBT
MJÍPEFNFUJDBJT NBTBQFOBTUFWF
QBSB B TBUJTGBÎÍP EP EFTJEFSBUP 5SBCBMIBEPS MPDBJT QPJTPOFHØDJPEFCPMTBQSPNFUFy
PGFSUBTOPWBMPSEFNJMIÜFT
EFNFUJDBJT BUBYBTRVFWBSJBWBN RVF OPSUFPV P MBOÎBNFOUP EPT 0mDJBMNFOUF  P FYFDVUJWP BUSJ-
‡ Em voz baixa
FOUSFF NFTNPT CVJV PT BUSBTPT TBMBSJBJT B QSP-
t $PNPBBSBVUPEPSFJOPOÍPFYQMJDPV QPJTFTUBWBQSFPDVQBEPDPN
0 (PWFSOP EFDJEJV BNFBMIBS 0TMFJMÜFTGPSBNPTTFYUP TÏUJNP CMFNBT UÏDOJDPT  P FVGFNJTNP PTIØTQFEFTFOÍPIØTQFEFTEPIPUFMQSFTJEFODJBM QPSRVFTFSÈRVF
NJMIÜFTEFNFUJDBJTEBPGFS- F PJUBWP EFTUF BOP  TFOEP RVF P RVF P (PWFSOP FODPOUSPV QBSB mOBMNFOUF NBEBNF -BHBSEF EFDJEJV GBMBS DPN P FOHFOIFJSP EP
UB TFYUP GPJ P QSJNFJSP B TFS DPN- KVTUJmDBSBGBMUBEFPSEFOBEPT QMBOBMUP FNQMFOBSPUBEBTFEB .BEBNF##UFNVNBFYQMJDBÎÍPy
Savana 03-05-2019 1
EVENTOS

EVENTOS
0DSXWRGH0DLRGH‡$12;;9,‡1o 1321

Lucro líquido do BBM aumenta mais de 25%


O
lucro do Barclays Bank
Moçambique (BBM)
aumentou em 25.18%,
saindo dos anteriores
1.102 milhões de meticais, regis-
tados em 2017, para 1.380 mi-
lhões no igual período de 2018,
anunciou aquela instituição ban-
cária nesta terça-feira.

Segundo o relatório e contas do


BBM, que reporta até 31 de De-
zembro de 2018, os lucros do
exercício foram fortemente su-
portados pelas taxas e comissões
líquidas, que foram 28% supe-
riores as do ano transacto, e por
uma redução substancial no nível
de imparidade que, fundamenta o
banco, reflecte a qualidade da car-
teira de crédito. Segundo o banco,
aliado a esses dois factores, foi de-
terminante a contenção de custos,
que permaneceu dentro dos parâ-
metros delineados.
“Os resultados relativos ao exercí-
cio de 2018 mostram a resiliência
da nossa estratégia e a capacidade
que temos de continuar a fazer
negócio em todos os enquadra-
mentos económicos”, afirmou
Rui Barros, administrador dele-
gado do BBM.
Comparando com o exercício teve também o indicador sobre os aumentaram 365 milhões para 1 2018, contra 29.912 milhões de em 2018.
de 2017, o BBM viu os depósi- créditos aos clientes, ao incremen- 100 milhões, um crescimento de igual período anterior. Porém, o rácio solvabilidade do
tos de clientes a subirem mais de tar de 1 653 milhões para 11 941 46% em relação a 2017 e já repre- O banco explica que a melhoria banco deteriorou-se em 1.78% ao
seis biliões de meticais, atingindo milhões em 2018, um aumento de sentam 24% das receitas totais. da qualidade do activo do BBM fixar-se em 23.07% em 2018, con-
os 27 477 milhões em 2018, um 16,07% em relação a 2017. Os activos totais do banco cres- está reflectida na diminuição da tra 24.85% de 2017 e 19.72% de
aumento de 28,40% em relação a O banco faz notar que, no total, ceram em 26.07%, atingindo os imparidade de crédito em 2,10%, 2016. O mínimo regulamentado
2017. Em sentido ascendente, es- as receitas não derivadas de juros 37.709 milhões de meticais em dos 7,26% em 2017 para os 5,16% pelo Banco Central é 9%.

Tmcel recebe Licença Unificada Anadarko apoia


A vítimas do Kenneth
Moçambique Telecom,
SA (Tmcel) recebeu, nesta
terça-feira, em Maputo,

A
a Licença Unificada de
Telecomunicações, no âmbito da Anadarko e os seus o país. Estamos profundamente
parceiros no Projecto entristecidos com esta trágica si-
Lei das Telecomunicações, através
Mozambique LNG tuação. Como amigos e parceiros
da qual a operadora pública pode de Moçambique, estamos com-
comprometeram-se,
flexibilizar a gestão da rede e do prometidos em desempenhar o
nesta terça-feira, a doar 250 mil
espectro, bem como a operaciona- dólares para apoiar às vítimas nosso papel na resposta a esta
lização de várias tecnologias, sem do ciclone Kenneth na provín- emergência que afecta a provín-
restrições de banda. cia de Cabo Delgado. A doação cia de Cabo Delgado, onde esta-
vai ser canalizada através da mos a implementar o nosso pro-
Intervindo na cerimónia da entrega Cruz Vermelha. Recentemen- jecto. Queremos prestar a nossa
te, o Projecto Mozambique solidariedade às pessoas, famílias
da licença, o PCA da Tmcel, Mo-
LNG doou 200 mil dólares e comunidades directamente
hamed Rafique Jusob, disse sentir- afectadas pelo ciclone Kenneth.
-se honrado por receber a licença, americanos para apoiar às víti-
Juntamo-nos, assim, aos esforços
sobretudo por aquilo que ela signi- o de restituir a dignidade à empresa “A ARECOM em todo este servi- mas das calamidades naturais
do Governo de Moçambique, e
fica: “Estamos habilitados a traba- e o seu direito de voltar a ser uma ço regulatório sempre se fará pautar que afectaram a região Centro
esperamos que a nossa contri-
lhar legalmente. Já não somos um grande empresa líder no mercado. pelos princípios de imparcialidade, de Moçambique.
buição possa trazer algum nível
pária, mas sim um par das outras Por sua vez, a PCA da Autorida- transparência e não discricionarie- de alívio às famílias afectadas.”
operadoras que já têm a licença. de Reguladora das Comunicações dade. Todos os operadores estão ao Steve Wilson, vice-presidente A Anadarko Moçambique Área
Quer dizer que estamos habilita- (ARECOM), Ema Chicoco, indi- mesmo nível”, afirmou, desejando à e Director-Geral da Anada- 1, uma subsidiária integral da
dos a concorrer e acima de tudo a cou que, a partir desta terça-feira, Tmcel sucesso nos seus objectivos rko em Moçambique, afirmou: Anadarko Petroleum Corpo-
melhor servir o país”, destacou. de modernizar e expandir a rede e “Num curto espaço de tempo, ration, é a operadora da Área 1
através de uma licença unificada a
condições climatéricas adversas Offshore com uma participação
Acrescentou que a operadora está a Tmcel poderá explorar quaisquer os serviços, sem descurar os consu-
voltaram a afectar severamente de 26.5%.
trabalhar para um propósito que é serviços de telecomunicações. midores e a qualidade.
2 Savana 03-05-2019
EVENTOS

BCI conquista seis ‘Diamond Arrow’


O
BCI conquistou seis que não esconderam a sua emoção África distinguem anualmente
‘Diamond Arrow Awar- por este amplo e significativo reco- empresas e personalidades de di-
ds’ (Setas de Diamante), nhecimento, conferido pelos líderes versos sectores de actividade nos
na cerimónia de atribui- e quadros de instituições e empresas países da SADC e têm-se torna-
ção dos prémios PMR África de públicas e privadas moçambicanas, do uma referência incontornável
Moçambique, que teve lugar em pelos resultados do trabalho que o no contexto da gestão pública e
Maputo, na sexta-feira. Banco tem vindo a realizar em Mo- privada em Moçambique. O seu
çambique; e pelo comprometimento objectivo é premiar a excelência e
Nesta ocasião, ao BCI foi atribuí- da instituição com as mais diversas reconhecer padrões de referência
do o galardão de nível máximo causas que ajudam a melhorar a vida que deverão orientar e inspirar a
nas categorias de ‘Melhor Banco dos moçambicanos. actuação dos demais agentes eco-
de Particulares’, ‘Melhor Banco Recorde-se que os prémios PMR nómicos do mercado.(EC)
de Empresas’, ‘Melhor Banco de
Investimento’, ‘Melhor Banco em
Cartões de Crédito’, ‘Instituição
que desenvolveu suas actividades
da forma mais ética em Moçam-
bique’; e ‘Instituição que mais se
destacou na promoção de Artes
e Cultura em Moçambique’. As
duas últimas distinções, diferente ANÚNCIO DE VAGAS
das outras quatro, não se restrin-
gem ao sector bancário, abran-
gem todos os sectores de activi- O Fanelo Ya Mina (FYM) é uma organização sem fins lucrativos estabelecida em 2011. Hoje, o FYM possui uma
dade, comprovando, desta foma,
presença crescente em Moçambique e joga um papel preponderante internacionalmente. O FYM trabalha com
que a idiossincrasia da actividade
do BCI vai muito além do sector instituições do governo, em particular com o Ministério da Saúde, Direcção de Saúde da Cidade de Maputo e
bancário. Direcção Provincial de Saúde de Nampula, agências da Nações Unidas e bilaterais, sociedade civil e
O Administrador do BCI, comunidades em prol da afirmação dos direitos humanos e da igualdade de género enquanto direitos
Mukhtar Abdulcarimo, recebeu universalmente garantidos à todos os membros das sociedades actuais indistintamente. Contudo, dá atenção
os galardões, fazendo-se acom-
panhar por quadros do Banco,
especial a defesa dos direitos das crianças, raparigas e mulheres. Para o efeito, utiliza abordagens de
engajamento de homens e rapazes por forma a melhorar os resultados de saúde sexual reprodutiva incluíndo
o planeamento familiar, saúde neonatal, criança e da mulher, paternidade responsável, HIV e SIDA, violência
baseada no género, assim como os processos de monitoria da equidade de género nos sectores da protecção
FNB reposi- social, educação e no trabalho e emprego.

ciona-se no A organização pretende recrutar para o seu quadro de pessoal candidatos para as vagas abaixo descriminadas:

1. Gestor de operações e finanças - Maputo;


mercado 2.
3.
Assessor dos processos de equidade de género – Nampula;
Oficial de projecto – Maputo;

O
FNB Moçambique acaba 4. Assistente de monitoria e avaliação – Maputo;
de iniciar um ambicioso
programa de transforma-
5. Assistente do projecto – Maputo;
ção e de reposicionamento 6. Assistente de escritório – Maputo;
no mercado com vista a tornar-se 7. Assistente em gestão de “FXWWLQJHGJHWHFKQRORJ\” (ZHEVLWHVRFLDOPHGLDROGPHGLD).
num parceiro relevante na banca
comercial.

Com este programa, o FNB pre- Os termos de referências poderão ser obtidos por solicitação através dos seguintes endereços electrónicos:
tende transformar-se num banco felix@faneloyamina.org ; flsengulane@hotmail.com
de referência no mercado moçam-
bicano em termos de eficiência,
excelência de serviço e rentabili-
Termos e condições:
dade, alinhando-se, em termos de x Remuneração compatível com as funções, bom ambiente de trabalho e possibilidade de integração
inovação, as melhores práticas, pa- numa equipe jovem, dinâmica e em crescimento.
drões de operação e centralidade no
cliente, que são valores apregoadas
pelo FirstRand, maior grupo finan- Como se candidatar:
ceiro em África por capitalização Envie
bolsista, do qual o FNB Moçambi- x CV incluíndo 3 referências, uma carta de motivação incluíndo expectativa salarial (em português e
que faz parte.
O plano de transformação e repo-
inglês) e cópias de certificados, para o endereço electrónico felix@faneloyamina.org ou
sicionamento no mercado será im- flsengulane@hotmail.com até ao dia 15 de Maio de 2019 as 16:30 horas.
plementado ao longo dos próximos
anos e envolverá um alinhamento Nota:
de toda a sua estrutura, sistemas,
rede de distribuição e um forte in- O Instituto Fanelo Ya Mina reserva-se ao direito de contactar apenas os candidatos pré-seleccionados.
vestimento na capacitação dos seus
colaboradores para que o banco se
torne num parceiro de referência
para os clientes e fornecedores. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Resultante do forte esforço de op- INSTITUTO FANELO YA MINA
timização de custos, no exercício Avenida 25 de Setembro, nº 270, Edificio Times Square, Bloco II, R/C, Tel. (+258) 848603443
económico 2018, o banco alcançou e-mail: fym@faneloyamina.org; Website: http://www.faneloyamina.org;
um resultado positivo de 29.542
milhões de meticais, recuperando Facebook: www.facebook.com/faneloyamina.org
dos resultados negativos obtidos Maputo - Moçambique
nos dois anos anteriores. (EC)
Savana 03-05-2019 3
EVENTOS

Lançado serviço nocturno de transporte público


A
área metropolitana de serviço vai responder aos anseios
Maputo, compreen- dos munícipes, “que em todas as
dendo os municípios de reuniões que realizámos pediram,
Maputo, Matola e Boa- encarecidamente, que houvesse
ne, bem como o distrito de Mar- um meio de transporte público
racuene, conta, desde esta terça- de passageiros à noite”.
-feira, com um serviço nocturno A Federação Moçambicana dos
de transporte público urbano, a Transportadores Rodoviários
funcionar todos os dias, das 23 (FEMATRO), representada pelo
horas às 6 horas da manhã. seu presidente, Castigo Nhama-
ne, congratulou o Governo, cujas
Trata-se de um serviço introdu- acções, através do Ministério dos
zido com vista a responder ao Transportes e Comunicações,
desenvolvimento da cidade de “têm contribuído para o aumento
Maputo, caracterizado pelo cres- da oferta do transporte público
cente número de empresas que de passageiros, principalmente na
funcionam em regime de turnos área metropolitana de Maputo”.
e intensificação da actividade tu-
rística, sendo que a viagem custa Baixa-Kongolote e Xipamanine-
35 meticais por passageiro, in- -Catembe, todas com passagens
dependentemente da origem ou por diversas artérias e bairros da
destino. cidade de Maputo.
O novo serviço é composto por O lançamento deste serviço é,
18 autocarros, sinalizados por para o Ministro dos Transportes e
um pirilampo e placas laterais e Comunicações, Carlos Mesquita,
frontais, e vai abranger um total um dos resultados visíveis do uso
de nove rotas, nomeadamente racional dos autocarros alocados

1ª Série 2019
Museu-Matola Gare, Museu- à área metropolitana de Maputo.
-Matola Godinho, Museu-Mar- Por seu turno, o Presidente do
racuene, Museu-Patrice Lu- Conselho Autárquico de Mapu-
mumba, Baixa-Boane, Baixa-1°
de Maio, Baixa-Magoanine C,
to, Eneas Comiche, afirmou que a
entrada em funcionamento deste
8 a 12 de Maio

IMPFA e INFATEC Concerto de Gala dia 8 19h30


Conselho Municipal
graduam estudantes Só por convite

Noite Clássica dia 9 19h30

O
Instituto Médio de Pla- anunciou que o seu ministério irá
neamento Físico e Am- criar um programa de estágio de Teatro Avenida 350MZN
biente (IMPFA) e o Ins- dois anos remunerados para to-
tituto de Formação em dos os alunos diplomados pelas Noite Clássica dia 10 18h00
Administração de Terra e Car-
tografia (INFATEC) gradua-
duas instituições. O objectivo é o
Capela do Museu - Ilha de Moçambique
de colocar os novos diplomados a
ram, na sexta-feira passada, um contribuir para o desenvolvimen- Entrada livre
total de 313 estudantes. O evento to sustentável de Moçambique,
realizou-se no Centro Cultural
ao mesmo tempo que cria opor- Noite Clássica dia 11 19h30
Universitário da Universidade
Eduardo Mondlane, em Maputo,
tunidades de trabalho a estes pro-
fissionais.
Teatro Avenida 350MZN
e estendeu-se a alunos dos anos
lectivos de 2017 e 2018. A Ceri- O governante aproveitou a oca-
sião para felicitar todos os jovens
Tarde para Pais e Filhos
mónia de Graduação dos finalis-
tas foi promovida pelo Ministério finalistas, enaltecendo que todos dia 12 16h00
os alunos se destacaram e refir-
da Terra, Ambiente e Desenvol-
vimento Rural (MITADER), mando: “o governo de Moçam- Teatro Avenida
entidade que tutela aquelas duas bique continuará a investir na Entrada livre
instituições de ensino. formação”.
Durante a cerimónia, Celso Dos 313 graduados, 227 são do
Correia, Ministro da Terra, Am- INFATEC e 86 do IMPFA.
biente e Desenvolvimento Rural, (E.C)

Anuncie a sua marca, produto e serviços, na


SAVANA FM . Proporcionamos para si pa-
cotes promocionais, contacte-nos através de:
84 1440048, 82 8944278 ou ainda através do
e-mail: radiosavana100.2@mediacoop.co.mz
SAVANA 100.2 FM
4 Savana 03-05-2019
EVENTOS

FUNDE estabelece parcerias Lançada pedra de


no Brasil reabilitação de
A Macarretane
Fundação Universitária segurar a criação de condições cipal de Educação de Guarulhos
para o Desenvolvimen- para a execução do programa em vai identificar os professores
to da Educação (FUN- Moçambique, facilitar o estabe- brasileiros que farão parte do
DE) e o município lecimento de contactos com pes-

O
programa, assegurar a cobertu-
brasileiro de Guarulhos, atra- soas e instituições dentro e fora ra das despesas provenientes do vice ministro das concebido para aliviar o nível
vés da Secretaria de Educação, do nosso país, visando a boa exe- programa de actividades propos- Obras Públicas, de água do rio Limpopo de
celebraram, recentemente, um cução do projecto, seleccionando tas pela FUNDE para os pro- Habitação e Recur- modo a abastecer o regadio,
memorando de entendimento, e identificando professores mo- fessores, trabalhar em parceria sos Hídricos, Victor as obras mostram-se vitais
com vista a estabelecer parcerias çambicanos que irão interagir e com a FUNDE na definição do Tuacale, procedeu semana numa altura como esta em
e sinergias, visando a promoção trocar experiências com profes- finda ao lançamento da pri- que país é assolado por ci-
programa de actividades, acom-
do crescimento institucional e o sores brasileiros. meira pedra para a reabili- clones, com o agravante da
panhar o processo de partilha de
desenvolvimento social e cultu- Caberá ainda à FUNDE, asse- tação da bacia de dissipação província de Gaza conhecer
experiências, entre outros.
ral de Moçambique e Brasil. gurar a programação e execução da barragem de Macarreta- os dois extremos da disponi-
de actividades em Moçambique, Assinaram o memorando de en- ne, no distrito de Chókwè, bilidade e escassez de água.
No âmbito deste acordo, que em conformidade com os objec- tendimento, que vigora por cin- província de Gaza. Trata-se Segundo explicou Tuacale,
estabelece uma estreita colabo- tivos e interesses da Secretaria co anos, o presidente da FUN- de obras que visam confe- macarretane vai regular e ca-
ração entre ambas as instituições de Educação de Guarulhos, en- DE, Lourenço do Rosário, e o rir uma maior segurança da nalizar água para alimentar o
dentro dos respectivos domínios tre outros aspectos. secretário de Educação de Gua- barragem que vem sofrendo regadio e a viabilizar a activi-
de actuação, a FUNDE vai as- Por sua vez, a Secretaria Muni- rulhos, Matheus da Silva. os efeitos da erosão pro- dade agrícola.
gressiva e cheias, problemas
“Desde a sua construção, esta
típicos de uma obra que já
infraestrutura, sofreu várias
conta com cerca de 65 anos

Diversidade cultural marca


cheias, mas foi nos últimos 20
de vida.
anos que as mesmas afecta-
ram sobremaneira a estrutura
Orçadas em 56 milhões de
das fundações da barragem,

semana Europeia
meticais, financiados pelo
Banco Mundial, as obras com erosões progressivas que
vão consistir na reabilitação passaram a constituir perigo
de bacia de dissipação de à estabilidade da infraestru-

A
energia das águas descarre- tura, sendo, por isso, urgente
rrancou esta terça-fei- rem sob o lema “Diversidade O pontapé de saída do ciclo de a sua reabilitação para evitar
gadas pelas comportas da
ra, na capital do país, Cultural, a União de Povos” e, actividades da Semana da Euro- o seu colapso”, assinalou.
barragem para que não crie
a segunda fase das ce- segundo a delegação da União pa foi dado esta terça-feira com Acrescentou que as interven-
problemas de erosão no fu-
lebrações da semana Europeia (UE) em Moçambi- a realização de uma palestra na ções a serem feitas, na bacia
turo.
Europeia, que terão o seu pon- que, a escolha do tema deve-se Universidade Joaquim Chissano de dissipação da barragem
Estas obras vão conferir uma
to mais alto no dia 10 de Maio, ao facto da cultura ser o pilar (UJC) - antigo ISRI, intitulado: constituirão a última fase de
maior segurança a infraes-
com a realização de um concerto do desenvolvimento de todas “Moçambique e União Euro- trutura e permitir a elevação um processo de reabilitação
musical que contará com a pre- as sociedades. De acordo com peia: Novas dinâmicas numa da quota de água para abas- que iniciou em 2013, com a
sença de artistas internacionais. esta agremiação, à margem da parceria consolidada”. No pros- tecer o regadio de Chókwè reabilitação dos muros das
seguimento das actividades, foi por longos anos. Apesar da alas, seguido da reabilitação
celebração do Dia da Europa
ainda inaugurada, na Fundação principal missão de Macar- dos equipamentos hidrome-
As festividades arrancaram com que acontece a 9 de Maio, a UE
Fernando Leite Couto, uma retane não ser a retenção de cânicos da barragem para
a realização da 18ª edição do pretende criar uma plataforma
exposição fotográfica denomi- água, tal como sucede em dotá-lo de mais segurança e
Ciclo de Cinema Europeu e de debates e interacção sobre vá- nada: “Europa em Perspectiva”, Massingir, uma vez que foi melhor funcionalidade.
deverá prosseguir com uma di- rios assuntos com destaque para contando com trabalhos de fo-
versa gama de actividades cul- a cooperação, comércio, direitos tógrafos moçambicanos, que nos
turais que vão desde exposições humanos, valores da UE e outros apresenta a sua visão da realida-
fotográficas, debates e concertos temas relacionados com as acti- de europeia captada durante as
musicais. vidades da União Europeia em suas viagens pelo velho conti-
As celebrações deste ano decor- Moçambique. nente.(E.C)

KFC África junta-se à causa e doa


1 milhão de rands a Moçambique
O
ciclone Idai foi o tema lhadores em Moçambique, doou bique, especialmente na área de
mediático durante o mês mais 1 milhões de rands para as- fornecimento de alimentos.
de Março, mostrando os sistência. O KFC África conseguiu doar
efeitos devastadores que esses fundos a Moçambique
a tempestade causou em Mo- O KFC África, em parceria graças às empresas Yum! Brands
çambique. Os efeitos do desastre com a Hope Worldwide - uma e Yum! Brands Founation que
natural contabilizaram-se cerca organização internacional com
doaram 1 milhão de rands. Esta
de 700 pessoas mortas, milhares uma presença enorme em África
fundação apoia organizações de
de feridos, mais recentemente - está empenhado em fornecer
caridade em comunidades locais,
um surto de cólera. Para apoiar serviços às vítimas nas comuni-
às vitímas, o KFC África criou dades, assistência especializada principalmente as organizações
um plano de acção para trazer a em primeiros socorros e mobili- focadas no investimento para
ajuda necessária para aqueles que zação de equipas. A entidade é erradicar a fome. O seu apoio
Morreira Chonguiça e a Morre Jazz Biz Band visitaram enfermaria
foram afectados pelo desastre. A parceira do programa Add Hope permite o KFC África ajudar os de Oncologia do Hospital Central de Maputo, alusivo a comemora-
marca, que tem 14 restaurantes da KFC desde 2012 e o aliado seus países vizinhos em momen- ção do dia do Jazz
e conta com mais de 300 traba- certo para ajudar em Moçam- tos de necessidade.