Você está na página 1de 47

Prémio Leaders & Achievers-Flecha Diamante 2018 PMR Africa

0DSXWRGH'H]HPEURGH‡$12;;9‡1o‡3UHoR0W‡0RoDPELTXH

O Estado da Nação visto por outras lupas

Manuel Bissopo na sucessão de Dhlakama

“Sou
candidato” Págs 8 e 10
PRÓXIMA, 49ª EXTRACÇÃO DA LOTARIA 08/12/2018
Aposte em qualquer lugar. É só 1º PRÉMIO - 2.000.000,00MT

digitar *124# opção Sojogo ou PREVISES


www.sojogo.co.mz TOTOBOLA -  131.300,00 MT


TOTOLOTO -  98.700,00 MT
JOKER - 150.800,00 MT


  52 EXTRACO, LOTARIA SUPER TALUDA DE NATAL - 1 PRÉMIO - 4.000.000,00 MT




   
  
   
 
TEMA DA SEMANA
2 Savana 21-12-2018

Nyusi em “Estado” triunfalista e de campanha


Por Argunaldo Nhampossa

P
ersonificando politicamen- completado logo que a Renamo
te o ambiente de pré-cam- concretizar os passos subsequentes
panha para as eleições ge- que são da sua responsabilidade,
rais de 2019, em que, salvo conforme o memorando de enten-
uma hecatombe, será novamente dimento, pese embora não tenha
candidato à Presidência da Repú- feito menção.
blica, Filipe Nyusi escolheu a pin- “No cronograma definido, existem
ça “as realizações” e as promessas e passos que devem ser cumpridos
foi se apressando a mencionar as em simultâneo e já os dei de for-
dificuldades que o país atravessa, ma adiantada. Isso é tão simples,
na informação que prestou sobre as pessoas já estão lá a trabalhar. A
o “Estado da nação”, quarta-fei- palavra interina não lhes assusta,
ra na Assembleia da República. porque os militares têm esta clare-
Minimizou a polémica sobre as za que quando se dá uma missão
“nomeações interinas” nas Forças cumprem na sua íntegra”, disse.
Armadas, deu uma resposta poli- Para os cargos restantes, referiu
ticamente correcta sobre o dossier que as nomeações serão efectuadas
dívidas ocultas e repisou que Mo- pelo Chefe de Estado Maior Ge-
çambique está a fazer a sua retoma neral depois de consultar os seus
económica. colaboradores.
Explicou que a base para a fase
Para ovação dos deputados da ban- subsequente era a nomeação dos
cada da Frelimo, partido no poder, três oficiais e generais da Renamo
habituados a aplaudir tudo e mais aos quais deve consultar, porque o
alguma coisa, Nyusi prometeu, poder nas Forças de Defesa e Se-
laconicamente, que, a partir das gurança é vertical, mas insistiu que
“próximas matrículas”, não haverá “As piores previsões da nossa economia davam como certa a insolvência do Estado Moçambicano” - Filipe Nyusi
a Renamo deve entregar a lista dos
pagamento de taxas para “raparigas Discursando durante cerca de duas Apontou a estabilização, em gran- com Dhlakama procuravam defen- seus efectivos para que sejam dados
e rapazes” até ao nono ano. horas e meia, o PR justificou o seu de medida, da política monetária, der os interesses comuns e manti- os passos subsequentes.
Admitindo que esse dado não esta- juízo com o ambiente de paz, es- das taxas de câmbio e de juros, bem nham o princípio de que “o que nos Sobre as últimas eleições autárqui-
va na informação sobre a situação tabilidade, retoma da economia e como a criação de programas de pode unir era mais forte do que o cas, realizadas à luz dos consensos
geral do país, o chefe de Estado baixa inflação. águas, energia, construção de novas que nos separava. alcançados, Nyusi referiu que fo-
declarou que “haverá 13º” salário Na sua quarta ida à Assembleia vias de acesso e o restabelecimento Apelou aos moçambicanos para ram as primeiras na história da de-
para os funcionários do Estado, da República (AR), para prestar da confiança e credibilidade inter- não se guiarem por políticas que os mocracia moçambicana, que con-
confirmando uma informação que o informe sobre o estado geral da nacional. fragmentem como um povo e para taram com aceitação dos resultados
já tinha sido dada pela porta-voz nação, Filipe Nyusi destacou que que não prejudiquem o desenvolvi- eleitorais por todos os partidos po-
“E porque estas conquistas al-
do Conselho de Ministros, Ana a grande conquista da nação mo- mento do país em nome de dispu- líticos representados na Comissão
cançadas representam os pilares
Comoana. nacional de Eleições (CNE) em 47
çambicana foi a estabilidade social sólidos para a construção de uma tas internas.
Anunciou que decidiu indultar municípios, tendo sido contestados
e política, que permitiu o normal nação moçambicana próspera, com Anunciou como progressos na
1.498 condenados que, por razões os resultados em cinco municípios.
funcionamento das instituições realismo que nos caracterizou ao implementação dos consensos so-
de idade ou saúde, estão impedidos Aludiu à necessidade de os órgãos
democráticas estabelecidas, bem longo destes quatro anos, podemos bre assuntos militares a nomeação
de receber tratamento médico nos competentes aperfeiçoarem as suas
como a retoma da economia. afirmar com segurança, que o Es- interina dos oficiais generais da
estabelecimentos penitenciários. instituições com métodos e me-
Enalteceu a estabilidade mantida tado da nação é: estável e que nos Renamo em três departamentos do
canismos ainda mais eficientes de
Estável e inspirador de ao longo do presente ano mercê inspira confiança”, classificou. Estado Maior General das Forças
modo a torná-los mais transparen-
FRQÀDQoD das tréguas sem prazos que na pró- Armadas de Defesa de Moçambi-
tes na sua actuação.
Num cenário caracterizado por xima quinta-feira fazem dois anos. Dhlakama decisivo que.
Recomendou a prevenção das re-
alto custo de vida, elevadas taxas “2018 ficará marcado como ano de No capítulo da consolidação da Estas nomeações estão a dividir clamações reforçando mecanismos
de desemprego e ataques bárbaros concórdia entre as forças políticas paz, o informe do PR saudou o as partes, uma vez que a Renamo de funcionamento e controlo do
em quatro distritos da província nacionais”, disse, tendo sublinha- contributo de malogrado líder da não concorda com as nomeações processo eleitoral.
nortenha de Cabo Delgado, o Pre- do que esta situação abriu espaço Renamo, Afonso Dhlakama, que interinas dos seus membros, ten- Os ataques macabros que fustigam
sidente da República qualificou o para que os moçambicanos fossem foi decisivo para colocar um ponto do já apelado a sua conversão em os distritos a norte de Cabo Delga-
Estado da Nação como estável e capazes de trabalhar para o desen- final ao passado de ódio e mortes. efectivas. do não passaram despercebidos no
inspirador de confiança. volvimento do país. Segundo Nyusi, na sua interação Para o PR, este processo deverá ser informe, que os considerou como
uma afronta à marcha do país
rumo à conquista da independên-
1mRLQVSLUDFRQÀDQoD quanto a carestia da vida é uma rea- povo que pretendia saber de cia económica.
Para a chefe da bancada da Re- lidade e o povo não tem capacidade assuntos candentes como dívi- No presente ano, já foram detidos
namo, Ivone Soares, o estado da económica para fazer face o dia a da pública, paz entre outros e 189 insurgentes associados aos fo-
nação é preocupação na medida dia. o PR soube responder de forma cos de ataques bárbaros em Cabo
em que não há estabilidade em Segundo Soares, esta redução só sabia. Delgado. Trata-se de indivíduos
fará sentido quando a população Negou que os ataques de Cabo ligados ao recrutamento, incita-
Cabo Delgado e dia após dia
tiver poder de compra. Disse tam- mento à violência até a execução
são reportados assassinatos. Delgado possam retirar a esta-
bém que não inspira confiança, dos crimes.
Falou também da redução da porque há outros problemas por bilidade do país uma vez que as
Para o PR, o carácter particular-
inflação louvada pelo PR que resolver, como a questão da paz, FDS estão no terreno a traba-
mente bárbaro dos ataques denun-
passou dos 25% para 4% , en- que ainda não se transformou em lhar e o próprio PR reconhece.
cia a natureza dos malfeitores e
definitiva. revela o quanto é desesperada a sua
acção. Contrariamente à realida-
São conceitos apenas de que aqueles grupos vão fazendo
Enquanto isso, Lutero Simango, Lutero Simango mais vítimas a cada dia semeando
chefe da bancada parlamentar do
incerteza nas populações, Nyusi
Movimento Democrático de Mo- Trouxe o essencial afirmou que as acções combinadas
çambique (MDM), disse que se Para Margarida Talapa, chefe da
trata apenas de conceitos, mas há entre as FDS e as populações estão
bancada parlamentar da Frelimo, a fragilizar as investidas dos mal-
instabilidade e desafios por resolver.
Segundo Lutero, o povo quer in- o informe do PR foi exaustivo e feitores.
clusão social, económica e política. apresentou o essencial sobre o de- Nesta terça-feira, foram reportados
Os problemas de Cabo Delgado e a senvolvimento do país. ataques em Macomia e Muidumbe
lentidão do processo de pacificação No entender da Talapa, o informe que culminaram com a queima
Ivone Soares do país não inspiram confiança. correspondeu as expectativas do Margarida Talapa de 70 casas e morte de quatro
pessoas, duas em cada distrito.
TEMA DA SEMANA
Savana 21-12-2018 3

Dívidas ocultas visões da economia davam como


Quando caminhamos a largos certa a insolvência do Estado Mo-
passos para que o expediente das çambicano. Fátima Mimbire
dívidas ocultas da MAM, EMA- Arrolou a crise económica e fi-
nanceira internacional como uma

Informe do PR é vazio e irrealista


TUM e ProIndicus, submetido
ao Tribunal Administrativo pela das causas da crise que afectou a
Procuradoria Geral da República, economia nacional, a suspensão do

A
complete um ano, a 26 de Janeiro, o apoio dos parceiros bem como a
PR voltou a reiterar confiança nas dívida pública. investigadora e ana- vista assinala que o país é pal-
instituições judiciárias, alegando Esta situação provocou consequên- lista Fátima Mimbire co de deslocamentos forçados
que estão a trabalhar para o escla- cia na vida das populações como a qualifica a informa- de comunidades para dar lu-
recimento de todos os contornos redução do poder de compra das ção do Presidente da gar à exploração de recursos
relativos à matéria. famílias em cerca de 50% num República sobre o Estado da naturais e usurpação de terras
Manifestou a disponibilidade da quadro em que o custo de vida ia Nação como vazia e irrealista, pelos grandes interesses eco-
sua equipe no sentido de garantir o registado subidas. apontando os casos das dívi- nómicos e financeiros.
apoio necessário e disse que está a Segundo Nyusi, contra todas as das ocultas e a crise nos servi- “O investimento na educação
par dos esforços da PGR que visam expectativas, foi possível reverter o ços sociais básicos, nomeada- ainda não é feito de uma for-
apurar as eventuais responsabilida- cenário mantendo a situação está- mente educação e saúde. ma estratégica e com a prio-
des de outra natureza para além da vel. ridade que merece, um país
administrativa com base nos dados “Não estamos a dizer que vence- “O Presidente, mais uma vez, com tudo para produzir, mas
coligidos nas investigações. mos a crise, mas não deixamos que não se ateve às questões es-
que não produz e depende de
Para este feito, diz contar com o as dificuldades afectassem a nossa truturais da vida do país,  foi
importações que encarecem o
apoio de parceiros, no âmbito da confiança nos caminhos traçados”, notório o vazio sobre o escla- Fátima Mimbire
custo de vida”, continua Fáti-
cooperação jurídica e judiciária, disse. recimento das dívidas ocultas,
ma Mimbire.
atento às conexões internacionais. Apontou as previsões de cresci- lembrando que a investigação a morrer por doenças prevení-
Nyusi fez notar que processos do veis, como a malária, por falta Aponta ainda que a corrup-
mento económico para o presente da Kroll foi inviabilizada pelo
género, pela sua natureza, levam SISE”, considera Mimbire. de medicamento? se uma franja ção continua o maior inimigo,
ano, que indicam para 4%, inver- porque as instituições demo-
muito tempo para o seu desfecho, tendo desta forma a tendência ne- A analista, que é também importante da sociedade não tem
pelo que o povo tinha que conti- investigadora do Centro de acesso à agua e saneamento do cráticas estão capturadas pelo
gativa dos últimos anos. Anotou a
nuar a aguardar. Integridade Pública (CIP), meio e nós andamos sempre com poder político e o povo vem a
redução da inflação, que depois do
questiona o facto de Filipe medidas paliativas?”, indagou. oportunidade de desenvolvi-
Estava certa a insolvência pico registado em 2015 de 25.27%
Nyusi ter referido que o país Fátima Mimbire entende que o mento negada.
do país para 4.89 até ao terceiro trimestre
progrediu, apontando o que chefe de Estado não pode consi- “O país está estável para um
Depois de uma década de polí- do presente ano.
considera carências nas áreas derar o país estável num contexto punhado de gente e só inspira
tica económica caracterizada por Neste relançamento da economia
sociais. de elevados níveis de desemprego, confiança àqueles que detêm
uma inflação baixa, largamente garantiu o pagamento, até 31 de
“Qual progresso? progredi- falência de empresas e falta de in- informação  privilegiada e in-
subsidiada pelo Estado e por uma Dezembro, das dívidas do esta-
mos em que termos? Como tegridade dos dirigentes. fluência  sobre os processos de
política expansionista com base do para com os fornecedores cujo
se pode falar de progresso, se Ainda sobre a estabilidade pro- tomada de decisões”, conside-
no endividamento público, o país montante não exceda os 60 mi-
os moçambicanos continuam clamada por Filipe Nyusi, a acti- ra Fátima Mimbire.
atravessou um momento crítico, lhões de meticais. Os restantes se-
que segundo Nyusi, as piores pre- rão pagos de forma faseada.


Nova sede da ABB abre em Maputo
Vamos juntos escrever o futuro
A continuar uma história de inovação que se estende há mais de 130 anos. Hoje, a ABB, escreve o
futuro da digitalização industrial com duas proposições claras: ao trazer eletricidade de qualquer
estação de energia para qualquer tomada e ao automatizar indústrias desde recursos naturais a
produtos finalizados. A ABB tem o prazer de anunciar a nossa nova sede nas icónicas Torres Rani
Towers, em Maputo, reafirmando o compromisso a Moçambique como um mercado de crescimento
rápido e uma importante base de clientes.
Clientes podem, agora, contactar-nos: Torres Rani Towers, Av. da Marginal, 141,
8 piso, +258 20 300 244/5 | abb.com/Africa
TEMA DA SEMANA
4 Savana 21-12-2018

José Macuane:

5DGLRJUDÀDGH1\XVLQmRUHÁHFWHDUHDOLGDGH
Por Armando Nhantumbo

E
m entrevista ao SAVA- interina dos quadros da Renamo
NA, o politólogo José e as contradições sobre qual é o
Macuane faz uma breve espírito do acordo. O Congresso
avaliação da informação é bom para a Renamo, porque lhe
anual do chefe de Estado sobre o vai permitir afinar a sua estratégia
Estado da Nação em 2018, ana- e resolver seus problemas inter-
lisando alguns aspectos críticos nos. Mas também podem sair de-
do documento. cisões que podem levar à reversão
Para o académico, a radiografia dos avanços até aqui alcançados,
que Filipe Nyusi faz da situa- se houver o sentimento de que o
ção actual do país não reflecte a contexto político vai ser desfavo-
realidade, porque o país vive um rável para a Renamo e que ela está
momento de grande incerteza e a ser atacada e enganada no cam-
está aquém da estabilidade que po político. Daí eu insistir que a
o chefe de Estado proclamou confiança política, principalmen-
quarta-feira na Assembleia da te a garantia de que o jogo polí-
República. tico-eleitoral vai ser limpo, é um
“Como é que um país em que dos pilares para a reconciliação, a
os representantes não têm ga- confiança e a tal estabilidade que
rantias de escolher livremente o Presidente afirma já existir.
quem os governa, correm risco
de serem violentados por quem Não basta a retórica em
os deve proteger (a polícia),
Cabo Delgado
O presidente não apresentou
quando exercem o seu direito
uma estratégia clara sobre a si-
de escolha, e têm uma econo-
José Macuane, politólogo tuação de Cabo Delgado. Disse
mia em crise sem perspectivas
que o Estado está a fragilizar os
de solução sustentável, pode ser vel que era há uns cinco anos. As para a campanha eleitoral. Dizer rigentes que possam tomar deci-
insurgentes, mas no terreno a si-
considerado estável  e inspirador classes médias e pessoas com al- o contrário seria fazer campanha sões nas instituições do Estado,
tuação é crítica. Como olha para
de confiança?”, questiona José gumas posses estão cada vez mais contra si mesmo. Resta saber se incluindo as das Forças de Defesa esta questão?
Macuane, para corroborar a sua a apostar em mandar os seus filhos as pessoas vão se reconhecer nessa e Segurança. No actual clima, isso Continua a haver um hiato entre
avaliação do diagnóstico que Fi- estudarem fora e eventualmente descrição do país e se vão comprar é incerto. Mas se houver vontade o discurso e a prática. Esta retó-
lipe Nyusi faz de Moçambique começarem as suas vidas lá. Isso é um discurso político que desafia a política pode-se criar um clima rica, que pretende mostrar uma
em 2018. anedótico, se ouve um pouco aqui sua dura realidade. mais receptivo a compromissos. posição de força do Governo sem
e acolá, mas é um sinal de que as Sobre a polémica à volta das No entanto, isso vai levar o seu elementos concretos, paradoxal-
Depois da resiliência afirmada pessoas confiam cada vez menos nomeações interinas nas Forças tempo. O sinal que se lançou nas mente, acaba mostrando a força
em 2016, desafiante, mas enco- no futuro do país. As receitas do Armadas, o Presidente disse que eleições de 2018 abalou a con- dessa tal insurgência.  Se os ata-
rajador em 2017, no seu informe gás são cada vez mais uma incer- o processo deverá ser completa- fiança nas instituições políticas. ques frequentes ocorrem depois
sobre o Estado da Nação 2018, o teza, com os acordos da EMA- do logo que a Renamo concre- O uso da força para se chegar ao da fragilização dos insurgentes,
Presidente Filipe Nyusi afirmou TUM, que as penhoram para o tizar os passos subsequentes, poder está na moda e nisso a Fre- então este grupo deve ter sido
que o “Estado da nação é estável pagamento das dívidas ilegais/ que são da sua responsabilida- limo tem de prestar atenção para mais poderoso do que é agora. E
e inspira confiança”. Acha que é ocultas. Por isso, a minha impres- de, conforme o Memorando de não enfraquecer as instituições do aí caberia perguntar se não se vai
um informe que espelha a reali- são é diferente da do Presidente Entendimento. Até que ponto Estado que tanto defende e usa reerguer e as coisas tomarem ou-
dade do país? da República.  Como é que um é que o PR pretende transmitir essa posição para reivindicar ter tro rumo. Discursos e interpreta-
Não! No meu entender, o informe país em que os representantes não a mensagem de que o Governo mais postura de Estado que a Re- ções à parte, penso que é consenso
do Presidente sobre o Estado da têm garantias de escolher livre- deu aquele passo, porque espera namo. A questão é se as eleições que grande parte dos moçambi-
Nação não espelha a realidade. O mente quem os governa, correm mais da Renamo, assim como da de 2019 podem criar um clima de canos gostaria de voltar a viver
país está num momento de gran- risco de serem violentados por apresentação de toda a lista dos confiança na política como a so- num país em paz, em que se pode
de incerteza e é preciso ser uma quem os deve proteger (a polícia), homens que devem ser desarma- lução mais viável para o conflito andar de ponta a ponta sem o tipo
pessoa de muita fé  (beirando o quando exercem o seu direito de dos, desmobilizados e reintegra- político em Moçambique e não a de medo que se instalou depois
fervor religioso) e um patriotismo escolha, e têm uma economia em dos? força das armas, ou a força bruta. que essa insurgência começou.
idealista para se ter confiança no crise sem perspectivas de solução Neste assunto ambos os lados Por isso, acho que esse processo Cabe ao Estado garantir que isso
futuro. E reconheçamos que pes- sustentável, pode ser considerado têm culpa no cartório. O aparente tem mais chances de dar certo de- ocorra e, infelizmente, ainda  não
soas com essas características são estável  e inspirador de confian- clima de confiança que se tenta pois dos sinais que forem lança- está a ocorrer. O Governo ainda
a minoria. Temos a crise econó- ça?  Qualquer país tem momen- transmitir no Memorando ainda dos nas e após as eleições de 2019, precisa fazer muito para resolver
mica que levou muitas empresas tos difíceis e é fundamental que não existe na realidade. Este é um quando se confirmará se de facto esta situação e deveria abrir espa-
à falência e chefes de família ao os seus cidadãos continuem a assunto antigo e se precisa de mu- haverá condições para a convi- ço para os religiosos, as comuni-
desemprego. Temos as fraudes ter confiança, mas também isso dança de atitude de parte a parte vência política pacífica entre a dades, a academia e outras forças
eleitorais legitimadas pelas ins- se torna mais fácil quando a li- para que haja maior confiança. Frelimo e a Renamo, em que cada da sociedade para juntos reflecti-
tituições  de justiça, incluindo o derança é capaz de galvanizar as O Governo não vai querer a Re- qual pode governar em função do rem e encontrarem soluções para
Conselho Constitucional, e ne- pessoas no exemplo e nos actos a namo a ocupar posições-chave apoio eleitoral real que tem. este mal. Dizer que o problema
nhum órgão do Estado se pro- restaurar a confiança num futuro sem ter garantias de que ela vai Até que ponto a Renamo não está a ser resolvido não basta para
nunciou contra essa violação dos comum. Um discurso triunfalis- se desarmar, e isso passa por di- pretende arrastar este assunto que o problema desapareça. O go-
direitos políticos dos moçambica- ta de que as coisas estão bem só zer quais são os seus efectivos. A para depois das eleições de 2019 verno e o Presidente poderiam ter
nos, cujo voto está a ser banaliza- aliena mais às pessoas e pode criar Renamo também não se vai de- ou depois do Congresso do par- uma postura de liderança, e não
do. O Estado abdicou de defender a impressão de que há um mun- sarmar, se ainda sentir que será tido em Janeiro de 2019 na Go- de mera autoridade burocrático-
os direitos políticos dos cidadãos. do dos chefes e das elites em que posta de lado e vai ser engolida e rongosa?    -estatal que exerce e exibe o seu
Até a polícia é usada neste assalto tudo está bem, e do resto da po- depois neutralizada e o jogo po- O congresso de Janeiro é crucial, poder sem alcançar resultados,
à democracia e a sua actuação nas pulação, em que a vida é difícil e lítico vai continuar viciado como mas ocorre num momento não buscando soluções junto à socie-
eleições foi elogiada, assim mes- os privilegiados não se importam vimos nas eleições de Outubro muito auspicioso para a efecti- dade. Isso não vai diminuir nem
mo, pelo chefe de Estado. Se fo- com isso. Não reconhecer as difi- deste ano. Não há como se pensar vação dos compromissos com o ao Presidente nem ao Governo,
rem a reparar, a bolha imobiliária culdades aumenta o fosso entre a este assunto, sem se olhar todo o DDR (Desarmamento, Desmo- mas sim vai mostrar a sua lideran-
de Maputo estourou e as rendas liderança e os liderados. Mas se sistema. No meu entender, a cha- bilização e Reintegração) porque ça e até podem sair desse processo
de casa e os preços de imóveis es- entende este discurso: o próximo ve está na criação da confiança a desconfiança é grande, depois mais fortalecidos sob o ponto de
tão mais baixos. Isso indicia que ano é de eleições e é importan- de que as eleições serão um meio das eleições autárquicas de 2018 vista de legitimidade política e
o país já não é o destino apetecí- te começar a preparar o terreno livre e justo para a escolha de di- e do que ocorreu com a nomeação social.
TEMA
PUBLICIDADE
DA SEMANA
Savana 21-12-2018 5
6
PUBLICIDADE
SOCIEDADE
Savana 21-12-2018

O Estado da Nação é estável … excepto se


HQRVLQVSLUDFRQÀDQoDHPTXHSUD]R"
Por João Mosca

O
discurso sobre o estado da Mas sim, o país está estável para as dadãos que colocam os interesses da Os povos, mesmo que seja em pro- informados e existem elites fora do
Nação do Presidente da Re- elites do poder e dos negócios, onde Nação por cima dos interesses indivi- cessos seculares, encontram sempre os poder não menos formadas e infor-
pública tem merecido vários a pobreza é funcional com a prática duais, familiares, étnicos e partidários, seus equilíbrios. Nesta perspectiva, eu madas que o poder e seus burocratas,
tipos de comentários. Isso é de salários de fome. A Nação está es- que sejam empresários com ética e tenho esperança. A comunidade internacional conhece
normal em democracia, em sociedade tável em relação para os que o sistema espírito capitalista e não rendista, que Finalmente, dizer que os discursos as realidades de forma não menos de-
plurais e onde há tolerância. judicial não investiga fortes casos de haja profissionais competentes e que que escondem realidades, dando pers- talhada que o Governo. Estes discur-
alta corrupção de centenas de milhões exista uma cidadania ciente dos seus pectivas de estabilidade (normalida- sos, querendo transmitir optimismo
O Estado da Nação é estável, excep- de dólares. O país está estável para os deveres e direitos e esteja organizada de) e esperança devem ser cuidado- e confiança, acabam por ter efeitos
to se Palma não for Moçambique. Lá burocratas do sistema de poder que para reivindicações dos seus direitos. sos. Cada vez mais os cidadãos estão contrários.
não existe estabilidade e nada indica não se cansam de
que o Governo esteja a enfrentar a reclamar por mor-
situação considerando a complexida- domias em defesa
de dos acontecimentos. Moçambique da dignidade de
está estável não obstante as fraudes funções em rea-
lidades que cerca
de 50% vive na
pobreza, cerca de
50% sofre de mal-
nutrição, os hos-
pitais têm falhas
graves de simples
medicamentos e
onde milhões de
crianças não têm
carteiras para se
sentarem nas es-
João Mosca colas. A nação
eleitorais, os arranjos maquiavélicos está estável para as
de secretaria que impossibilitaram grandes empresas
que cidadãos concorressem como e corporações que
se beneficiam de
candidatos a algumas autarquias e
benefícios fiscais
se a CNE e o CC tivessem actuado
e de baixos royali-
imparcialmente. O país está estável,
ties, de facilidades
embora os diferentes processos con-
de operação e de
ducentes a uma paz efectiva e dura-
não cumprimen-
doura tivessem sido concretizados ou,
tos da legislação.
pelo menos, que houvesse uma luz ao
A Nação está es-
fundo do túnel. Estabilidade significa
tável apesar de
não prender, não perseguir e não es-
estar nos últimos
pancar jornalistas agredindo os pila-
lugares do Índice
res fundamentais da democracia que
de Desenvolvi-
são a liberdade de expressão e opinião.
mento Humano,
Estabilidade significa não haver rap-
considerado um
tos acrescido do discurso da diminui-
Estado frágil,
ção de casos. onde o índice de
Um país seria estável se não tivesse corrupção se agra-
dívidas ilegais e em volume insusten- va, um dos países
tável que compromete o crescimento que mais se morre
a longo prazo e, sobretudo, se não por malária e onde
prejudicasse a vida das futuras gera- é aplicável a se-
ções. A Nação estaria estável, se não guinte frase colo-
fossem necessários discursos onde cada no portão de
se dizem meias verdades (por vezes uma universidade
piores que grandes mentiras) e camu- sul-africana: “Para
fladas por truques de contabilidade destruir qualquer
de que o orçamento público corren- nação não é neces-
te está equilibrado e que o Estado é sário usar bombas
bom pagador. O Estado está estável atómicas ou mísseis
se aceitarmos os discursos míopes do de longo alcance.
Banco de Moçambique que reduz a Basta apenas redu-
economia à inflação, às reservas cam- zir a qualidade da
biais à estabilidade fictícia das taxas educação e permitir
de câmbio e de juros, suportado por que os estudantes
contextos internacionais favoráveis ‘cabulem’ nos exa-
(preços do carvão, do alumínio e de mes … O colapso da
algumas bens agrícolas de exporta- educação é o colapso
ção e, portanto, não resultantes de da Nação”.
políticas públicas). A Nação está es- E depois de tudo
tável, menos para os reassentados, o referido e muito
os usurpados de terras, os citadinos mais, o Estado da
transportados em piores condições Nação nos inspi-
que os animais em qualquer econo- ra confiança. Sim
mia e sociedade estável, os mineiros porque os povos
que morrem lentamente devido às não morrem, os
fortes contaminações que se finge não países não desa-
esquecer. A Nação estaria estável se parecem e os es-
as pequenas e médias empresas não tados não abrem
continuassem a encerrar, gerando de- falência. Sim, há
semprego contraposto pelo discurso esperanças que
desenvergonhado de que a economia surja nas próximas
está gerando centenas de milhares de décadas, uma elite
empregos, mesmo que precários. composta por ci-
7
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018
8
PUBLICIDADE
SOCIEDADE
Savana 21-12-2018

Manuel Bissopo:

´+iWHQGrQFLDGHLQYHUWHUHQWHQGLPHQWRV
HQWUH1\XVLH'KODNDPDµ
...e diz que concorre à presidência do partido para salvar o legado de Afonso Dhlakama e transformar a Renamo num partido forte
Por Raul Senda

O
Secretário-geral (SG) da Ingressei por vontade própria. Nessa estamos numa situação normal. Per-
Renamo e um dos candi- altura (1990) era estudante bolseiro demos o nosso líder no meio do diá-
datos à sucessão de Afonso da Mosopesca, na Escola Náutica de logo político. O dossier da paz ainda
Dhlakama na presidência Moçambique, na cidade de Maputo. não está concluído, e o Congresso terá
do partido, Manuel Bissopo, diz Com outros jovens, tomámos a deci- uma palavra importante sobre isso.
que há correntes que estão a tentar são histórica de nos juntar à Renamo Disse que compartilhou muitas coi-
inverter os termos de entendimento porque estávamos cansados das in- sas com o falecido líder. Pode par-
entre o falecido presidente da perdiz justiças do regime político vigente na tilhar com o SAVANA essas confi-
e o presidente da República, Filipe altura. dências?
Nyusi. Ao SAVANA, Bissopo refe- Para tal, contámos com apoio dos Falávamos de tudo. Por exemplo,
riu que ficou acordada a integração quadros da Renamo residentes na ci- como manter um partido forte no
dos homens da Renamo nos Ser- dade de Maputo, mas que operavam meio de muitas dificuldades como
viços de Informação e Segurança em regime de clandestinidade. Foram perseguições, ataques e assassinatos.
de Estado (SISE), mas que hoje há esses que nos fizeram chegar a Ma- Como preservar um partido grande
tendências de se escamotear esse rínguè. com poucos recursos. Falávamos de
compromisso. Qual é a sua base de apoio dentro do contabilidade, política, gestão estra-
“Nós sabemos que todos os planos partido? tégica, planificação e comunicação.
de ataques, perseguições, raptos e São os membros da Renamo, sobre- Como controlar um partido com vá-
assassinatos dos membros da Re- tudo os cerca de 700 delegados com rios comandos. Enfim, muita coisa.
namo são programados na polícia e direito a voto no Congresso. Os qua- Também me ensinou a respeitar e va-
no SISE. Por isso queremos estar lá dros do partido sabem quem tem me- lorizar a dignidade humana. Sempre
para monitorarmos”, disse. lhores condições para garantir a união defendia que a pessoa humana tem de
Na mesma entrevista, Bissopo fala e o desenvolvimento do partido, as- ser protegida.
da sua candidatura e diz que deci- sim como garantir a preservação dos Ao SAVANA, Elias Dhlakama dis-
diu avançar porque sente que tem ideais do nosso falecido presidente. se que era o candidato com melhor
que defender os ideais do falecido A minha confiança está naquilo que perfil para dirigir a Renamo...
líder e transformar a Renamo num fizemos nos últimos seis anos, visando Respeito a opinião dele e de cada um
partido forte, comunicativo e com “Decidi avançar porque sinto que tenho que defender os ideais do presidente o crescimento do partido. dos membros do partido, mas prefiro
quadros competentes para além de Dhlakama”, Manuel Bissopo Como partido político, a Renamo não comentar. É melhor que seja ele
abrir espaço para jovens e mulheres. tem a sua sede na cidade de Mapu- a explicar.
Nas linhas abaixo segue a entrevista. mação superior custeada pela Rena- fui submetido a treinos militares em to. Mas, as suas operações vitais são Uma das fragilidades da Renamo
mo, grande parte da minha vida está Marínguè. Portanto, para além de ser dirigidas a partir da Serra da Go- tem a ver com a gestão de quadros.
É um dos três membros que ma- ligada às causas da Renamo. Asso- gestor sénior, conheço a componente rongosa. Se for eleito onde é que vai Nos últimos 20 anos, não conseguiu
nifestou interesse em concorrer à ciado a isso, assumi em 2012, o cargo militar. montar o seu gabinete? manter membros preponderantes e
sucessão de Afonso Dhlakama, no de SG. Durante muitos anos convivi Para a liderança da Renamo, os in- Essa decisão não se toma de forma com algum músculo académico. Se
Congresso do próximo mês. Qual é directamente com o presidente, e com dicadores são a militância e a capa- individual. Deriva da vontade do par- for eleito qual é que será a sua estra-
a motivação da candidatura? ele recebi muitos ensinamentos. Fui cidade de representar os interesses tido. O Congresso vai-se reunir em tégia de gestão de quadros?
Decidi avançar porque sinto que te- das últimas pessoas a falar com ele em do partido. Veja que a Renamo não Janeiro e definir as regras. Em função As pessoas entraram na Renamo por
nho que defender os ideais do presi- vida. é constituída apenas por militares. A disso, a pessoa que for eleita só terá livre e espontânea vontade. Movidos
dente Dhlakama, que são os interes- Tendo perdido um mestre que duran- Renamo funciona de acordo com os de cumprir. Contudo, mais do que ter pela causa e se identificam com todas
ses da maioria do povo moçambicano. te vários anos dedicou o seu tempo a requisitos estabelecidos pela lei dos gabinete na Gorongosa ou em Ma- as fases vividas dentro da Renamo.
Sou parte dos sacrifícios, sucessos e compartilhar suas experiências comi- partidos políticos. puto, o mais importante para o novo O grande pensador do partido é
conquistas do nosso líder carismático go, sinto que tenho que me candidatar Portanto, a Renamo é dos membros, líder é assumir a responsabilidade e o aquele que sem meios ou recursos
e a melhor forma que encontrei para para garantir que os seus ideais não não há Renamo militar nem civil, to- compromisso que a Renamo tem de continua sempre firme e a participar
homenageá-lo foi esta. sejam alterados. dos somos iguais. O partido é o único. defender os interesses e o bem-estar nas actividades de alto risco em defe-
Dhlakama foi um mártir, sacrificou Acredito que estou preparado para as- O resto é um enigma. do povo. sa dos interesses da Renamo. Quem
a sua vida pela Renamo e pelo povo. sumir o desafio. Veja que, logo depois ...E as derrotas que sofreu nas elei- Se o partido decidir que deve resi- faz isso pela Renamo, não interessa o
Também assumo esse compromisso. da morte do nosso presidente, o Es- ções autárquicas de 2008 em Dondo dir na Serra da Gorongosa, estará nível de escolaridade, mas para mim é
Como ele, sofri vários atentados, mas tado Maior, na Gorongosa, me deu a e em 2018 na Beira não comprome- pronto para abandonar a cidade de um grande pensador.
não desisti porque a causa da Renamo tarefa de assinar, da parte da Renamo, tem as suas aspirações? Maputo? Nos últimos 15 anos, muitas pessoas
está acima de tudo. o Termo de Compromisso com o go- A democracia é como pica-pau. Con- Isso seria o mesmo que correr com o juntaram-se à Renamo. Depois
Quando fui baleado na Beira, dis- verno e a Comunidade Internacional. corri em 2008 e perdi no Dondo, mas sal no bolso. Vamos deixar o Congres- de algum tempo acharam que
se para mim mesmo que se for para É por causa desse documento que o democracia é isso mesmo. Em 2018, so decidir. É bom entender que não não estavam a ser bem sucedidas
morrer tem de ser dentro da Renamo, povo moçambicano goza da paz até fui cabeça-de-lista do meu partido na
de tal forma que mesmo depois de hoje. Beira. Não tinha minha cara no bole-
apanhar tiros consegui conduzir dois Não foi por acaso que o Estado Maior tim de voto. Sei que há muita gente

BI de Bissopo
a três quilómetros até a sede do par- me incumbiu essa missão, foi por con- que tenta usar isso para me excluir,
tido. Estava quase inconsciente, mas fiança porque sabiam que o presiden- mas não procede. A própria lei mu-
decidi que se for para morrer devia ser te Dhlakama partilhava comigo a vida dou. Aceitei o desafio da Beira porque

N
dentro da sede da Renamo. do partido. era um pacto que tinha feito com o
Quero transformar a Renamo num Ossufo Momade e Elias Dhlakama saudoso presidente. Depois da morte ascido no distrito de Morrumbala, província da Zambézia,
partido forte, comunicativo e com são outros candidatos. Os dois têm dele não podia recuar, ficava sem sen- em 1969, Manuel Bissopo, 49 anos, fez estudos primários
quadros competentes, para além de a patente de oficiais generais. Sen- tido trair a visão e o pensamento dele. e secundários nas cidades de Chimoio e Beira. Ingressou
abrir espaço para jovens e mulheres. do a Renamo uma organização que Ao aceitar o desafio da Beira estava na Renamo em 1990. Depois de receber treinos militares
Isso terá que ser feito por uma lide- também tem a componente militar, a demonstrar o espírito de obediência em Marínguè passou a fazer trabalhos políticos junto ao gabinete
rança que incorpora esses elementos. não acha que isso possa pesar a seu ao meu comandante em chefe por-
de Afonso Dhlakama em Marínguè, Inhaminga e na cidade da
O nosso presidente morreu em si- desfavor? que sabia que, para vencer na Beira,
tuações desagradáveis. Ele estava em A Renamo é um partido, de tal forma Beira. Em 2003, ingressou no município da Beira como chefe de
era preciso fazer muito trabalho, mas
condições de sair para tratamento que o presidente Dhlakama não ves- que antes não tinha sido feito cabal- Posto Administrativo de Chiveve. Um ano depois passou para ve-
médico no estrangeiro, mas entre a tia farda militar porque era político. mente. Avancei...deu no que deu, mas reação das Finanças no mesmo município, até 2008.
sua vida e o interesse da maioria, op- Portanto, pode ser militar, general ou que não é motivo para recuar. Não foi Em 2009, foi nomeado delegado político da Renamo na provín-
tou por sacrificar a sua vida. É esse não, o Conselho Nacional definiu os o Bissopo que perdeu na Beira, foi a cia de Sofala e, em 2011, entrou na Assembleia da República. Em
espírito que quero manter. requisitos para se ser candidato e te- Renamo. 2012 assumiu o cargo de SG Renamo.
Acha que está preparado para subs- nho esse perfil. Licenciado em Economia e Gestão pela Universidade Católica de
tituir uma figura de carisma como Embora não tenha participado em Congresso de Gorongosa Moçambique, Bissopo é casado e pai de quatro filhos.
Afonso Dhlakama? operações militares no terreno, quan- Fale-nos do seu ingresso na Rena-
Sou produto da Renamo, tenho for- do ingressei na Renamo, em 1990, mo.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018 9

Atenção, todos os Super-fãs!


Participe na competição #SuperfansUnited e habilite-se a ganhar
a experiência da sua vida na Premier League, no Reino Unido!
Abra uma Conta Salário no Barclays ou utilize o seu Cartão de Débito
ou de Crédito Barclays pelo menos cinco vezes num mês.

Campanha em vigor até 4 de Fevereiro de 2019.


Visite a nossa página do Twitter ou Facebook ou contacte-nos
através do número 1223 ou da rede fixa 21344400.

Termos e condições aplicáveis.


Barclays Bank Moçambique, S.A. - Capital Social: MTn 5.538.000.000 - NUIT:400017484 - Número de Matrícula da CRC de Maputo: 8321 - Endereço: Av. 25 de Setembro, 1184 - 15º Andar - Maputo Caixa Postal 757 - Moçambique.
O Barclays não será responsável por quaisquer incidentes que possam ocorrer com o seu provedor de serviços de internet. Por favor consulte a tabela de preços em vigor no Banco. Aplicam-se os Termos e Condições actualmente em
vigor. Queira dirigir-se à Agência mais próxima do Barclays ou contacte-nos através do serviço de Banca Telefónica 1223.
PUBLICIDADE
SOCIEDADE
10 Savana 21-12-2018

e saíram. A Renamo não podia pren- próximo mês. Isto é, antes da con- Neste momento, a Renamo ainda não Nunca me dizia que estava mal de gresso será no local onde se realizou o
de-los porque as pessoas estão livres clusão do processo de pacificação do tem uma direcção efectiva. A lideran- saúde, mesmo quando falámos pela primeiro encontro entre o presidente
de fazer tudo o que quiserem. Será país. Se for eleito, como é que irá se ça só será eleita pelo Congresso. Con- última vez. Era muito forte, sempre Dhlakama e o presidente da Repúbli-
dessa forma que vamos gerir os nos- relacionar com este dossier? tudo, mesmo essa direção não poderá que comunicássemos, no fim manda- ca.
sos quadros. É um processo que tem arquivos, re- pôr em causa as conquistas do presi- va gargalhadas e deixava transparecer Durante muitos anos, a Renamo vi-
gistos e compromissos assinados. Por dente Dhlakama. que estava tudo bem. veu a reboque de Dhlakama. Como
Manobras dilatórias isso não acredito que o presidente Portanto, a questão do SISE continua Infelizmente, no dia 2 de Maio rece- é que olha para o partido sem o seu
Se for eleito presidente da Renamo, Nyusi tenha assumido um compro- na mesa e é uma das condições para bemos a informação de que o presi- líder carismático?
misso com o presidente Dhlakama e a materialização da verdadeira recon- dente estava mal de saúde e o Estado É por isso que me estou a candidatar.
a ala militar continuará a manter o
mudar de opinião só porque a outra ciliação nacional. Nós sabemos que Maior exigiu que eu devia seguir para Sinto que nos últimos meses aprendi
seu enorme espaço?
parte já não está entre nós. todos os planos de ataques, persegui- a Gorongosa, a fim de socorrer o nos- muitas coisas sobre gestão do partido,
Avanço com a minha candidatu-
Os compromissos assumidos pelos so líder. e acredito que uma vez na direcção
ra como político. A questão militar ções, raptos e assassinatos dos mem-
dois líderes estão documentados e Acionámos o Presidente da República conseguirei fechar esse vazio.
tem as suas próprias especificidades bros da Renamo são programados na
e o responsável do grupo de contacto, Quantos membros tem a Renamo?
e o partido vai encontrar mecanismos há equipas especializadas que estão a polícia e no SISE. Por isso queremos
mobilizou-se um helicóptero da Bei- Temos cerca de dois milhões regista-
de resolução. Como SG conduzo a trabalhar neles. Acredito que não há estar lá para monitorarmos.
ra para Gorongosa, mas infelizmente, dos na nossa base de dados, mas ain-
máquina executiva do partido, logo nada fora disso que possa acontecer. Infelizmente, com a morte do pre-
quando chegámos no dia três, o nosso da há milhares de fichas com dados
relaciono-me com todos, quer civis Portanto, vou conduzir o processo sidente Dhlakama, sentimos que a que ainda não foram introduzidos no
de acordo com os termos alcançados presidente estava sem vida. Foi uma
bem como militares e não noto ne- questão de incorporação dos nossos sistema. Acredito que quando isso
com o nosso saudoso presidente. situação muito chocante para mim,
nhuma diferença. Para mim, o mais homens no SISE e na polícia é tra- terminar serão cerca de três milhões
Infelizmente, sinto que há manobras porque, sinceramente, não me passa-
importante é que sejam membros da tada com algum desprezo, mas não e membros. Nampula, Sofala, Tete
dilatórias visando inverter o conteúdo va pela cabeça perder um pai. A fase
Renamo e que se identifiquem com as vamos ceder, porque isso equivaleria e Zambézia são as províncias com a
mais difícil da minha carreira foi per-
causas defendidas pela Renamo. dos entendimentos alcançados pelos a trair os ideais do nosso líder caris- maior adesão de membros.
der um mestre que fez de mim uma
Se há militares é porque as circuns- dois líderes. mático. Dos três presidentes que governa-
vedeta.
tâncias obrigam. Como dizia o pre- Refere-se às declarações do Minis- O presidente Dhlakama partilhava ram o país depois da introdução da
Uma vez confirmada a sua morte
sidente Dhlakama, não podemos ser tro da Defesa Nacional? comigo tudo o que conversava com democracia, com qual deles foi difí-
nada podíamos fazer se não criar con-
atacados ou mortos e ficarmos indi- Os memorandos de entendimento as- o presidente Nyusi. Quer antes bem cil conviver?
dições para levá-lo ao descanso eterno
ferentes. Precisamos de nos defender. sumidos entre o presidente Dhlakama depois do encontro. Senti que no primeiro e no segun-
de forma condigna e ao tamanho da
Nunca foi desejo da Renamo ter mi- e o presidente da República indicam Se o governo não ceder na questão do mandato do presidente Joaquim
sua personalidade.
litares depois do Acordo Geral de Paz que primeiro devem ser integrados do SISE, qual será a vossa reacção? Chissano sentimos que havia um pe-
No local onde perdeu a vida não havia queno esforço para o entendimento,
(AGP). os homens que já estão dentro do Não podemos prever o futuro. Porém, condições para a viatura entrar. Tive-
... E agora que a tradição reza que o exército. Não de forma interina, mas mas também escamoteou-se muitas
tenho fé que o governo, os quadros da mos que transportar o corpo numa
governo da Frelimo só cede às pres- definitivamente. Só depois é que se coisas do AGP. Depois entrou o pre-
Frelimo vão honrar os compromissos maka e caminhámos entre quatro a
avançará para uma nova fase que é sidente Guebuza que veio agravar a
sões da Renamo quando há “tiros”? assumidos. Contudo, se não houver cinco horas de tempo da montanha
de entrega das listas dos efectivos que situação e nos primeiros dois anos do
Acho que o princípio de que a Freli- honestidade, iremos dar tratamento até ao local onde era possível aceder presidente Nyusi atingimos o pico da
mo cede com a pressão militar pode vão para os diferentes ramos da polí- que os desonestos merecem. à viatura. intolerância, com esquadrões de mor-
ter sido uma coisa que aconteceu. cia e os que não puderem, por várias Que tipo de tratamento? A relação que tinha com Afonso te a perseguir e matar os membros da
Como políticos temos que ter fé de razões, serão integrados socialmente. O futuro dirá. Dhlakama é a mesma com o actual oposição.
que a Frelimo também é dinâmica e No princípio, Afonso Dhlakama coordenador interino? Nos primeiros dois anos do mandato
ao longo do tempo vai perceber que também exigia a integração dos ho- Últimos dias de Afonso As pessoas são diferentes, o contexto do presidente Nyusi assistimos um
este caminho já não é uma variável mens da Renamo no SISE. Mas, no Dhlakama e a visão são diferentes. É difícil en- terror que acredito que nem Samo-
ideal. memorando de entendimento as- Como é que foram os últimos dias contrar um homem como presidente ra Machel faria. Os esquadrões de
Há muita coisa que a Frelimo fez sinado em Agosto por Filipe Nyusi do presidente da Renamo? Dhlakama, mesmo nos próximos 100 morte, os atentados e as emboscadas
através do diálogo. O presidente e Ossufo Momade não consta esse Foram dias muito difíceis. A últi- anos não teremos um com as mesmas foram o extremo da intolerância po-
Dhlakama ensinou-me que a grande item. Será que a Renamo desistiu? ma vez que conversei com ele foi na habilidades. Não podemos comparar. lítica.
arma de luta no processo de consoli- Ficou acordada a integração dos nos- madrugada de 1 de Maio. Em média Contudo, tenho comunicação perma- Contudo, mesmo debaixo dessas
dação de um bem comum é o diálogo. sos homens no SISE. Isso tudo está falávamos três vezes por dia. Tratáva- nente com o nosso coordenador. perseguições, conseguimos alcançar
Por isso, em caso de eleição irei privi- resumido em actas dos encontros, as- mos todo o tipo de assuntos relacio- Pelo menos quatro vezes por mês vou resultados satisfatórios. A descen-
legiar o diálogo porque acredito que sinadas pelas partes. São matérias que nados com a vida do partido e do país. à Serra da Gorongosa. Por exemplo, tralização, a reconciliação, a paz e a
a Frelimo de ontem não é a mesma não cabem num simples memorando. Ele sempre me encorajava para não agora que teremos o nosso Congresso estabilidade são as nossas conquistas
de hoje. O que prevalece para todos os efeitos me perder ao longo do tempo e que estamos empenhados na organização porque a Frelimo nunca faria isso sem
O sucessor de Dhlakama será eleito são entendimentos dos dois líderes. continuasse firme na causa. de questões logísticas. O nosso Con- nossa pressão.

CC valida farsa de Marromeu


Por Argunaldo Nhampossa

C
ontra várias correntes que Mas o CC entendeu que a Renamo metido recurso sobre os dados do com o grupo de contacto que apoia as internacional para em conjunto tra-
classificaram a repetição não obedeceu aos requisitos de sub- apuramento geral e não os da fase negociações de paz com o Governo, balharem visando a reposição da ver-
eleitoral da vila de Mar- missão de recurso, anotando que a anterior, o que não tendo acontecido disse que as instituições acima cita- dade eleitoral no país.
romeu como anedótica, o impugnação prévia deveria ter sido viola o princípio de aquisição pro- das foram instrumentalizadas para Na sua comunicação à imprensa, que
Conselho Constitucional (CC) vol- feita até 48 horas após a votação. gressiva dos actos eleitorais. tudo fazer de modo a falsificarem os não teve direito a perguntas, o líder
tou a pegar no seu “manual de trata- No seu acórdão nº29/CC/2018 data- A esperança da Renamo quanto ao resultados eleitorais e retirar a vitória interino da Renamo disse que, no re-
mento de recursos”, para chumbar li- do de 10 de Dezembro e divulgado a pleito eleitoral da vila de Marromeu à Renamo. ferido encontro, foi analisado o está-
minarmente a exposição da Renamo, 14 do mesmo mês, o CC estabelece residia no disposto evocado pelo CC Precisou que se trata de um compor- gio do processo das negociações, ten-
que exigia a nulidade dos resultados que a Renamo violou o nº 1 do ar- para convocar a repetição da eleição tamento que coloca em causa a de- do assegurado o compromisso do seu
eleitorais na maioria das mesas que tigo 140 da Lei Eleitoral, que apon- em oito mesas. O referido argumen- mocracia, a paz e a estabilidade social partido com o respeito do memoran-
acolheram a votação. ta que as irregularidades no decurso to estabelece que: “ A rejeição de um e agudiza os conflitos internos. do de entendimento entre as partes.
da votação e no apuramento parcial recurso pela procedência de questões O grupo de contacto dirigiu-se à Manifestou a sua indignação com a
Recorrendo ao já tradicional funda- e distrital ou de cidade podem ser prévias e prejudicais ao conhecimen- Serra da Gorongosa, semana passada, lentidão na implementação do pro-
mento de falta de impugnação prévia apreciados em recurso contencioso, to do seu mérito não impede que no para se inteirar, junto ao coordenador cesso.
dos actos eleitorais, o CC, uma vez desde que tenham sido objecto de processo de validação, o CC aprecie interino da Renamo, do processo do A Renamo submeteu 14 nomes de
mais, concentrou-se no legalismo e reclamação ou protesto. questões suscitadas nesse mesmo re- diálogo pela paz com o Governo, de- oficiais superiores e generais, recen-
não se deu ao trabalho de apreciar o É neste ponto em que a Renamo curso, desde que encontre razão bas- sarmamento e reintegração do braço temente patenteados pelo chefe de
mérito da causa. manifesta a sua repulsa, uma vez que tante para entender que essa aprecia- armado do partido, além de passar Estado, para serem reenquadrados
O CC desvalorizou as reclamações não teve espaço para apresentar a re- ção contribua para o esclarecimento em análise as últimas eleições autár- em cargos de chefia, mas apenas três
da Renamo que apontavam para a ve- clamação no local, dado que os mem- da verdade material”. quicas e as gerais de 2019. foram nomeados e de forma interina.
dação do espaço para a apresentação bros da Frelimo nas mesas de votação Na reunião de Gorongosa, além do Esta situação fez com que Momade
da impugnação prévia e alinhou com negaram receber os documentos e os Eleições foram farsa - Momade presidente do grupo de contacto, o batesse no pé na necessidade do cum-
a deliberação do Tribunal Distrital de órgãos eleitorais a nível distrital esta- Falando esta terça-feira, a partir da embaixador suíço, Mirko Manzon, primento escrupuloso do memoran-
Marromeu. vam com portas encerradas em pleno serra da Gorongosa, o coordenador estiveram presentes o co-presidente, do e por via disso apelou ao executivo
Na sua exposição ao CC, a Rena- horário normal de expediente, tendo interino da Renamo, Ossufo Mo- o embaixador dos Estados Unidos da para corrigi-los em conformidade
mo exigia a nulidade dos resultados como única alternativa a esquadra made, classificou as últimas eleições América, Dean Pittman, o embai- com o documento.
eleitorais de 22 de Novembro em para apresentar a queixa crime. autárquicas como uma autêntica farsa xador da União Europeia, António As nomeações feitas semana finda
sete mesas de um total de oito que Refere que, mesmo assim, o processo apadrinhada pela Polícia da Repúbli- Sanchez Benedito Gaspar e o Alto pelo ministro da Defesa Nacional,
acolheram as eleições. Igualmente, afigurava-se muito difícil, pois houve ca de Moçambique (PRM), Comis- Comissário do Botswana, Gobe Pits. Atanásio Mtumuke, ignoram e vio-
solicitava a punição dos presidentes urnas que saíram via janela das salas, são Nacional de Eleições (CNE), Se- lam o Memorando de Entendimen-
das mesas prevaricadores e a verifica- uma novela que contou com o patro- cretariado Técnico de Administração Verdade eleitoral to, dando a entender a existência de
ção da autenticidade das assinaturas cínio das Forças de Defesa e Segu- Eleitoral (STAE) e CC. Falando a partir da Gorongosa, Mo- dois comandos no seio das Forças de
constantes da acta e do edital do apu- rança. Fazendo o balanço com a imprensa made apelou ao Presidente da Repú- Defesa e Segurança, disse Momade
ramento intermédio. O CC diz que a Renamo teria sub- do encontro que teve semana passada blica, sociedade civil e comunidade Ossufo.
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018 11

“Entrei nesta família


aos 18 e cresço até hoje”
Sofia, gerente da Agência de Wamphula.

A história do nosso banco não tem apenas um protagonista.


É feita de tantas histórias quanto o número de colaboradores
que temos. O nosso percurso está interligado desde o primeiro
dia e se ao fim de 40 anos em Moçambique o salto é tão
positivo, o sucesso é de todos nós.

Há 40 anos que nos orgulhamos de contar histórias


de sucesso em Moçambique. Construa a sua connosco.

Barclays Bank Moçambique, S.A. - Capital Social: MTn 5.538.000.000 - NUIT:400017484 - Número de Matrícula da CRC de Maputo: 8321 - Endereço: Av. 25 de Setembro, 1184 - 15º Andar - Maputo Caixa Postal 757 - Moçambique. O Barclays não será responsável
por quaisquer incidentes que possam ocorrer com o seu provedor de serviços de internet. Por favor consulte a tabela de preços em vigor no Banco. Aplicam-se os Termos e Condições actualmente em vigor. Queira dirigir-se à Agência mais próxima do Barclays
ou contacte-nos através do serviço de Banca Telefónica 1223.
PUBLICIDADE
SOCIEDADE
12 Savana 21-12-2018

Fotojornalista promete acção contra militares


O
fotojornalista Estácio Va- um dos capitães veio e disse: “Aqui que se juntasse ao Centro de Jorna-
lói disse que, junto com o vocês não têm direito nenhum. Va- lismo de Investigação de Moçam-
pesquisador David Mat- mos retirar todos os vossos direitos. bique, ao qual ele atendeu e veio cá
sinhe e o seu assistente, É bom que nos dêem as passwords e fomos juntos fazer isso.
pretendem processar os militares dessas máquinas todas, caso con- A título pessoal, não em nome da
que os detiveram por dois dias na trário, aqui nós não brincamos com Amnistia Internacional?
província de Cabo Delgado. ninguém”. Ele continuou: “Aqui Sim, veio a título pessoal, sim. Não
vocês vão morrer, porque esta zona em nome da Amnistia Internacio-
Estácio Valói, David Matsinhe e está sob nossa protecção. Vão mor- nal.
o seu assistente foram libertados rer e não vão saber como é que mor- Os vossos equipamentos não vos
nesta terça-feira à tarde, depois de reram e porque é que morreram”. foram devolvidos, que medidas
terem estado sob custódia militar A informação que nos chegou tomaram visando a recuperação
por cerca de 48 horas na provín- através da imprensa e das agências desse material?
cia nortenha de Cabo Delgado. Os de informação indica que Estácio Temos alguns advogados que vão
três encontravam-se a caminho de Valói viajou na companhia de três entrar em contato com o Minis-
Palma idos de Chitolo, Mocímboa jornalistas estrangeiros. Confir- tério do Interior, porque foi isso
da Praia, onde estiveram a traba- Estácio Valoi ma isso? o que eles disseram: “Querem o
lhar. Palma e Mocímboa da Praia Não são exactamente três jornalis- vosso equipamento? Vão ter de es-
são palco de ataques movidos por de 20 militares mandou-nos parar, da tínhamos os telefones nas mãos, tas estrangeiros. O único jornalista perar. Contactem o Ministério do
insurgentes, que nas últimas se- apontando as armas todas. Vieram exibíamos a credencial. Ao mesmo que lá estava sou eu. Temos o inves- Interior”. Ou seja, o mesmo Minis-
manas têm estado a intensificar os cá e mandaram-nos sair de forma tempo, vinha outro batalhão com tigador da Amnistia Internacional, tério do Interior que nos autorizou
seus ataques deixado um rasto de agressiva: “Saiam do caro, saiam do mais de 30 militares e por detrás que é o David Matsinhe, e um dos a entrar em Chitolo. Então agora
destruições e mortes. carro! Estávamos à vossa procura. deles vinha o comandante-geral nossos assistentes, que é motorista. estamos nesse processo todo.
Entretanto, o equipamento de Temos ordens dos nossos superio- daquela área num dos blindados. Éramos nós três. Face a esta actuação duvidosa das
trabalho e os telemóveis apreendi- res, os mesmos que disseram que Quando ele chegou, o cenário pio- Sabe  se o Matsinhe tinha autori- Forças de Defesa e Segurança,
dos pelos militares não lhes foram vocês poderiam ir a Chitolo, são os rou. Disse-nos: “Vocês são pessoas zação para fazer pesquisas para a têm intenção de entrar com uma
devolvidos. Os visados ponderam mesmos que disseram para que nós não bem-vindas”. A seguir, dois Amnistia Internacional? acção contra esses militares?
entrar com uma acção contra a bri- vos interpelássemos aqui”. Tinham militares entraram no nosso carro, O Matsinhe tinha autorização para Essa é uma questão que não po-
gada militar em causa por violação armamento por todo o lado. Cerca- porque estava eu, o David Matsi- fazer pesquisa a convite do Cen- demos discordar. Sim, nós vamos
dos seus direitos. ram o carro e tivemos de descer. A nhe, da Amnistia Internacional, tro de Jornalismo de Investigação entrar com uma acção contra es-
Pode narrar-nos as circunstâncias primeira coisa que eles disseram foi mais  um assistente nosso, que é de Moçambique. Nós não fomos tes militares, porque  achamos que
em que foram detidos? “mostrem as vossas câmeras; onde também o motorista. Levaram-nos lá para fazer um  trabalho para a estamos num Estado de direito.
Fomos detidos em emboscada é que estão os vossos computado- dali de volta à Escola Primária de Amnistia Internacional. O doutor Muito mais além do que é a liber-
pelas Forças de Defesa Nacional, res?”. Quelimane. Quando lá chegamos, Matsinhe é um académico, um pes- dade de imprensa é a de expressão.
isto a 15 quilómetros de Palma, Foram directamente às minhas câ- voltaram-se para  nós e disseram quisador na área social. Então, como E o tratamento que nós tivemos foi
na estrada principal. Quando nos meras, confiscaram também o meu que tínhamos de mostrar o que es- nós viemos olhar para a área social, de ameaça de morte.
aproximamos, um grupo de mais computador. Na mesma altura, ain- tava nos telefones. Nós recusamos e achamos melhor convidá-lo para (DW)

Insurgentes alcançam sexto Lançada máquina para


distrito de Cabo Delgado grandes depósitos
M bancários
ais um ataque. Mais um
distrito alcançado pelo
terror que está a ser im-

O
plantado pelo grupo ou
Standard Bank é o primeiro e único banco a lançar, no
grupos de insurgentes que, desde
mercado nacional, a Máquina de Grandes Depósitos,
Outubro de 2017, têm estado a se-
uma solução considerada inovadora, rápida e segura para
mear terror em Cabo Delgado.
depósito de numerário, que concede maior autonomia às
Pequenas e Médias Empresas, incluindo empresários a título in-
Foi por volta das 21 horas desta
dividual.
terça-feira, pouco menos de um dia
do Estado de Nação de Filipe Nyu-
Uma nota do Standard Bank indica que se de uma máquina que
si, que um grupo atacou a aldeia
também serve a particulares, concebida para receber grandes volu-
Shitoyo, no distrito de Macomia.
mes de numerário de diferentes denominações e com capacidade
Na ocasião, segundo soube o me- para processar até mil notas por minuto. 
diaFAX/SAVANA, de fonte local, “Tem ainda as vantagens de aceitar, adicionalmente, vários depó-
duas pessoas foram mortas e 70 ca- sitos, numa única operação e depósito na conta de terceiros. Estes
sas foram incendiadas e barracas de Nem as viaturas escapam da acção dos insurgentes nos distritos de
Cabo Delgado
depósitos, tal e qual acontecem nos balcões, ficam disponíveis de
comércio local foram saqueadas. imediato”, sublinha.
Na mesma noite e decidido a man- Com esta inovação tecnológica, o Standard Bank pretende, essen-
ter pânico, medo e terror no seio das quarta-feira, em Muidumbe, o gru- essencialmente facas e catanas para
cialmente, ajudar as Pequenas e Médias Empresas e empresários
populações locais, o grupo atraves- po já conseguiu colocar seis distri- decapitar as vítimas.
em nome individual, que precisam de efectuar grandes depósitos de
sou o rio Messalo e entrou para o tos em estado de sítio e de pânico O ataque aconteceu horas antes
dinheiro, após as horas normais de expediente, altura em que, geral-
distrito de Muidumbe. Muidumbe total, incluindo mesmo as vilas- de o Presidente da República ir ao
mente, os balcões de atendimento se encontram encerrados.
faz fronteira com Mueda, Mocím- -sedes distritais. parlamento dizer que o “Estado da
O equipamento que tem, igualmente, o condão de garantir rapidez,
boa da Praia, Macomia e Meluco. Neste distrito (Muidumbe), os in- Nação é estável e inspira confian-
segurança e autonomia aos utentes, já se encontra disponível nas
É um distrito que nunca tinha surgentes mataram, também, duas ça”. Em relação aos ataques, Filipe cidades de Maputo, Matola, Beira, Nampula, Chimoio e Tete, em
sido atacado. Antes de entrar em pessoas, totalizando quatro mortes Nyusi disse que as Forças de Defe- locais onde há uma actividade comercial intensa.
Muidumbe, os insurgentes tinham numa única noite. sa e Segurança estavam no terreno A mesma fonte faz notar que para flexibilizar os depósitos, quer
já atacado cinco distritos, nomea- A aldeia atacada tem o nome de e o apelo era que consolidassem os de empresas ou de empresários em nome individual, o banco pode
damente, Mocímboa da Praia, Mandela e está localizada na loca- ganhos conseguidos no combate emitir vários cartões para uma única empresa, com a particularidade
Nangade, Macomia, Quissanga e lidade de Mapate. aos terroristas. dos mesmos servirem, apenas, para realizar operações de depósito
Palma. Quatro destes distritos, ex- O modus operandi do grupo, reite- Entretanto, a realidade no terreno evitando o acesso indevido dos detalhes das contas das empresas a
cepto Nagande, estão localizados rou a mesma fonte, é matar prefe- desmente completamente os pre- colaboradores não autorizados.
na zona litoral. rencialmente homens, a partir dos tensos ganhos vistos e referidos por (Redacção)
Portanto, com a entrada, nesta 10 anos de idade. Na acção, usam Filipe Nyusi. (Redacção)
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018 13
PUBLICIDADE
14 Savana 21-12-2018 Savana 21-12-2018 15

INSTITUTO NACIONAL DE SEGURANÇA SOCIAL MODERNIZAR PARA MELHOR SERVIR

INFORMATIZAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA SOCIAL

INSS poupa mais de 63 milhões de meticais


O processo de informatização e modernização do Sistema de tido 19 processos ao SERNIC de, o director geral do INSS processo, em alguns casos, as de prestações, fosse usada uma butivo, quer do ponto de vista
e instaurado 22 processos dis- lembrou que, na vigência do remunerações lançadas não base errada, resultando daí a doutros pagamentos que um
Segurança Social, iniciado em 2012, permitiu ao INSS-Instituto ciplinares, dos quais nove em tratamento manual, as remu- correspondiam ao valor efec- ¿[DomRGHSUHVWDo}HVLUUHJXOD- determinado trabalhador, na vi-
tramitação. nerações de cada trabalhador tivamente pago ao trabalhador. res. gência do seu contrato de traba-
Nacional de Segurança Social, através da constituição de uma base “Nalguns casos, tivemos HUDP ODQoDGDV HP ¿FKD GH UH- Esta situação levava a que, no “Havia aqui cumplicidade lho, tenha auferido ao nível da
de dados digital, a poupança de mais de 63 milhões de meticais, valor situações de empolamento e gisto individualizadas e, neste PRPHQWR GH FiOFXOR H ¿[DomR GH DOJXQV IXQFLRQiULRV H GH Segurança Social.
QRXWURVGHPiDSOLFDomRGRUH- DOJXQV EHQH¿FLiULRV GR 6LVWH- Alfredo Mauaie apontou
resultante da detecção de 2.634 processos em situação irregular. gulamento. Noutros ainda, tive- ma. É fundamental nós termos ainda que os ganhos da infor-
mos situações de pagamentos a base de dados formada, no matização são visíveis, nomea-
indevidos, sendo que os pouco sentido de tudo o que esta- damente, a transparência e a
“Já não se faz nenhum paga- remunerações e de pagamento cálculos efectuados. Procedeu- mais 2.500 processos irregula- va no arquivo manual passar ÀH[LELOL]DomR GRV SURFHVVRV
mento na Tesouraria do INSS, das contribuições. VH WDPEpP j YHUL¿FDomR GR res dizem, no conjunto, respeito para a base digital. A partir que se traduzem na redução
uma vez que todo o processo é A segunda fase da informati- enquadramento legal e o apu- DHVWDVVLWXDo}HV´H[SOLFRX$O- daí, passamos a operar com do tempo para a concessão dos
realizado via banco”, frisou. zação compreendeu o pagamen- ramento de todos os detalhes fredo Mauaie. recurso à base de dados digi- benefícios: “Estamos a sair de
6HJXQGR H[SOLFRX R GLUHFWRU to dos benefícios, cuja implanta- decorrentes do processo de cál- De acordo com a gravidade tal”, vincou, salientando que o uma situação em que as pessoas
geral, tem-se registado pouca omR H[LJLX D PLJUDomR GRV SUR- FXORH¿[DomRGHSHQV}HV de cada caso, o INSS instaurou processo de migração foi fun- ¿FDYDP HP DOJXQV FDVRV DFL-
intervenção humana nos pro- cessos: “Nós vínhamos fazendo Basicamente, o processo de processos disciplinares e reme- damental para o processo de ma de seis meses para poderem
FHVVRVGHFiOFXORH¿[DomRGDV os cálculos de prestações ma- YHUL¿FDomR FRQVLVWLX QD FRQ- teu alguns à investigação crimi- pagamento. ter as prestações de longo pra-
prestações, porque tais opera- nualmente. Fazíamos o registo, frontação dos dados que cons- nal: “Os processos remetidos à Como consequência disso, a zo, e esse tempo foi reduzido
ções são realizadas pelo sistema do ponto de vista de contribui- tavam do registo com os que investigação criminal corres- prova de vida passou a ser fei- para cerca de 30 dias, e menos

C
om efeito, foram remeti- propósito, que a informatização informático. Consequentemen- ções de cada empresa ou con- deviam ser, do ponto de vista pondem a casos que apresenta- ta de acordo com a informação tempo ainda para as prestações
dos ao SERNIC- Servi- do Sistema de Segurança Social te, ocorrem poucos riscos e er- tribuinte, do ponto de vista de legal. Este processo incluiu a vam indícios criminais, nomea- disponível na base de dados di- de curto prazo, como o subsí-
ço Nacional de Investi- FRQVWLWXLUHVSRVWDjVH[LJrQFLDV ros, porque o sistema está para- FDGDEHQH¿FLiULRRXWUDEDOKDGRU YHUL¿FDomRGRPRPHQWRGDSUR- GDPHQWH D IDOVL¿FDomR GH HOH- gital. Todos os pagamentos em dio por doença e em relação ao
gação Criminal - 19 processos decorrentes do crescimento do metrizado para fazer os cálculos &DGDXPWLQKDDVXD¿FKDRQGH dução de efeitos, para apurar se PHQWRV GH FiOFXOR QHVWH FDVR curso respeitam à informação subsídio por morte, que é pago
e instaurados 22 processos dis- próprio Sistema. e apurar o valor da pensão. se registavam as contribuições”, foram respeitados os procedi- das remunerações”, referiu. TXH HVWi QHVVD EDVH GH GDGRV no momento que é requerido”,
ciplinares dos quais nove estão Um dos benefícios que a in- A modernização dos serviços lembrou o director-geral, real- mentos legais e reunidos todos Sobre a mecânica da frau- quer do ponto de vista contri- concluiu.
em tramitação. IRUPDWL]DomR WURX[H j LQVWLWXL- prestados pelo INSS, com vista çando que “esta informação teve os requisitos ou não, para a atri-
A informatização do Siste- ção, conforme indicou, é a sua a garantir maior celeridade na que ser migrada para a base de buição duma pensão.
ma, para além de garantir maior ¿DELOLGDGH D SRVVLELOLGDGH GH ¿[DomRGHSHQV}HVHVXEVtGLRV dados digital”. Foram, igualmente, analisa-
transparência, imprimiu maior se obter dados em tempo real, decorreu em duas fases. A pri- dos os termos salariais usados
H¿FLrQFLDDRIXQFLRQDPHQWRGR bem como a segurança dos pró- meira, cuja conclusão ocorreu Migração auditada para a realização dos cálculos REVOLUÇÃO NAS OPERAÇÕES DO INSS
INSS, particularmente no que prios dados, pois os processos em 2015, consistiu na automa- H¿[DomRGHSHQV}HVQXPSUR-
diz respeito à arrecadação da já não são efectuados nos mol- ção dos processos de arrecada- Segundo consta, durante o cesso minucioso que resultou
receita, pagamento das presta-
o}HVFiOFXORH¿[DomRGHSHQ-
sões, entre outros aspectos.
des em que vinham sendo fei-
tos, como o processo de arreca-
dação da receita, que é feito por
ção da receita, através da qual
se tornou possível disponibili-
]DU HP WHPSR ~WLO R H[WUDFWR
processo de migração de dados,
na componente do pagamento
de prestações, foi, simultanea-
na detecção de algumas irregu-
laridades.
Ao todo, o INSS conseguiu,
Plataforma M-Contribuição
GREHQH¿FLiULRHGRFRQWULEXLQ-

regista mais de 800 mil visualizações


O director-geral do INSS, intermediação das instituições mente, realizada uma auditoria, detectar 2.634 processos com
$OIUHGR 0DXDLH H[SOLFRX D ¿QDQFHLUDV te, bem como a declaração de YLVDQGRDIHULUD¿DELOLGDGHGRV irregularidades, tendo reme-

EMISSÃO DE CERTIDÃO DE QUITAÇÃO AUTOMATIZADA


Um dos méritos da informatização 5.967 referentes às prestações e 8.328 re- A entrada em funcionamento deste “Estamos a fazer agora a sua divulga-
do Sistema foi de imprimir maior cele- ODWLYRVDH[WUDFWRVGHFRQWULEXLo}HV serviço veio aliviar as enchentes que se ção, porque achamos que mais pessoas

INSS regulariza situação de ridade, segurança e transparência dos


processos. Neste âmbito, a plataforma
M-Contribuição (Minha Contribuição,
Meu Benefício) revolucionou ainda mais
Com esta tecnologia, segundo escla-
UHFHX$OIUHGR0DXDLHRWUDEDOKDGRUHVWi
em condições de fazer um acompanha-
mento permanente da sua situação con-
UHJLVWDYDPQDViUHDVGHDWHQGLPHQWRDR
público no INSS, uma vez que, nas ac-
tuais condições, só se deslocam ao ins-
WLWXWRRVEHQH¿FLiULRVTXHWrPGL¿FXOGD-
devem conhecê-la e, sobretudo, terem
o domínio do seu uso para facilitar a
processo de interacção com o INSS”,
considerou o director geral, salientando

mais de 34 mil beneficiários DVRSHUDo}HVQRTXHWDQJHjÀH[LELOL]D-


ção da interacção entre o INSS e os be-
QH¿FLiULRV
tributiva e, por via disso, pode interpelar
a sua entidade empregadora, caso seja
QHFHVViULRHPVLWXDo}HVHPTXHQmRVH-
des de aceder à plataforma M-Contribui-
ção e os que não têm meios apropriados
para aceder ao serviço.
o empenho do instituto na melhoria da
capacidade de resposta, para fazer face à
demanda, cada vez mais crescente.
Mais de 24 mil contribuintes tomatizada contribui para a saram a emitir a certidão de para a emissão do documento processos pendentes, aguardan- Esta plataforma tecnológica permite jam canalizadas as suas contribuições,
acederam ao Sistema de Infor- desburocratização do processo quitação automatizada, sem a é dos próprios contribuintes, do pela regularização da situa- DRVEHQH¿FLiULRVGR6LVWHPDDREWHQomR contrariamente ao que acontecia no pas-
mação de Segurança Social de antigo, permitindo, deste modo, intervenção dos técnicos do sendo que só consegue emitir o ção contributiva das suas em- de informações sobre a sua situação con- sado, em que muitas das vezes, o traba-
Moçambique (SISSMO) para a a sua emissão em tempo real, ,166VHQGRTXHDFRQ¿UPDomR contribuinte que estiver efecti- presas, para poderem ter acesso tributiva, em tempo real, através de um OKDGRU Vy VH DSHUFHELD GD H[LVWrQFLD GH
emissão da certidão de quitação a partir de qualquer lugar com da sua autenticidade pode ser vamente quite com o INSS. às prestações. telemóvel, tablet ou computador, com LUUHJXODULGDGHVQRPRPHQWRGRFiOFXOR
automatizada, desde o seu lan- acesso à internet, a elimina- feita pelas instituições como a “Antes da informatização do “Nalguns casos, os trabalha- acesso à internet. da sua prestação.
çamento, no País, em Julho do omR GR ÀX[R GH UHTXHULPHQWRV UFSA (Unidade Funcional de sistema, levava-se muito tempo dores só saberiam da falta de Lançado pelo Presidente da Repú- “Por vezes, nessa altura, a entidade
corrente ano. Entretanto, apenas H DÀXrQFLD DR ,166 SRU SDUWH Supervisão de Aquisições) e para se emitir uma certidão de canalização de contribuições, blica, Filipe Jacinto Nyusi, em Maio de HPSUHJDGRUDMiKDYLDIHFKDGRDVSRUWDV
13.528 obtiveram o documento, dos contribuintes. Tribunal Administrativo, com quitação e com todos os pro- no momento do requerimento 2017, este serviço inovador, para além o que tornava ainda mais difícil o proces-
porque não tinham dívidas para O documento responde à recursos a mesma ferramenta blemas inerentes à intervenção das prestações”, sublinhou. GH SHUPLWLU DRV EHQH¿FLiULRV DFHGHUHP so de regularização”, destacou.
com a Segurança Social. H[SHFWDWLYD GRV HPSUHJDGRUHV electrónica. humana, como a corrupção, en- Na sua óptica, a informatiza- à informação sobre a sua situação con- Em relação às visualizações regista-
Dos 10.999 contribuintes, no sentido de facilitar a partici- O director geral do INSS é tre outros”, sustentou Alfredo ção do Sistema é um ganho não tributiva, possibilita, igualmente, a ela- das, o director geral do INSS referiu que
que se viram impossibilitados pação em concursos públicos e de entendimento de que esta Mauaie. só para o INSS, como entidade boração de diversos requerimentos e o não dizem respeito apenas aos utentes do
de emitir a sua certidão de qui- outras oportunidades de negó- inovação tecnológica veio, por Quanto aos mais de três mil gestora, mas sobretudo para os DFRPSDQKDPHQWRGRHVWiJLRGDVXDWUD- Sistema, mas sim ao público em geral.
tação automatizada, devido às FLRTXHH[LMDPHVWHWLSRGHGR- XPODGRÀH[LELOL]DURSURFHVVR contribuintes que regularizaram utentes: “Temos que olhar para mitação, sem a necessidade de se deslo- ³(VWD IHUUDPHQWD WURX[H PDLRU LQWH-
irregularidades com o Sistema, cumento, para além de corres- de emissão das certidões de qui- a sua situação com o Sistema, a informatização como uma car aos serviços do INSS. racção entre a instituição e os utentes do
3.432 já regularizaram a sua ponder à estratégia de actuação tação, permitindo que as empre- por causa do efeito certidão de conquista dos trabalhadores e Após cerca de 18 meses do seu lança- Sistema, permitindo-lhes acompanhar de
situação, o que resultou na co- do INSS, que visa modernizar sas possam em tempo útil parti- quitação automatizada, o direc- das empresas que, desta forma, mento, a plataforma registou um total de forma permanente a sua situação contri-
brança pelo INSS de 62.381.866 para melhor servir. cipar em concursos e, por outro, tor geral considerou que a situa- vêm as suas contribuições ge- 815.302 visualizações, que resultaram em butiva a partir de qualquer lugar, desde
meticais do valor em dívida. Com esta funcionalidade do DFDEDU FRP D IDOVL¿FDomR GDV ção afectava acima de 34 mil ridas de forma transparente e FDGDVWURVGHEHQH¿FLiULRVHDEHU- que tenham condições para aceder ao site
A certidão de quitação au- Sistema, os contribuintes pas- FHUWLG}HVXPDYH]TXHRSHU¿O EHQH¿FLiULRVTXHYLUDPRVVHXV ÀH[tYHO´FRQFOXLX tura de 14.295 requerimentos, dos quais GR,166´D¿UPRX
16
DIVULGAÇÃO
SOCIEDADE
Savana 21-12-2018

Protecção Social no País

Qualidade de vida depende da contribuição


de vários intervenientes
UHFRQKHFH0LQLVWUDGR*pQHUR&ULDQoDH$FomR6RFLDO

A qualidade de vida da população vulnerável e em situa- dros do sector, parceiros, representantes da sociedade
ção de pobreza depende da contribuição de vários interve- civil e outros convidados e debateu vários temas como
nientes que trabalham em prol de protecção social no País, GHVDÀRVSDUDRDXPHQWRGDHÀFLrQFLDGR6XEVLVWHPDGH
UHFRQKHFHX VHPDQD ÀQGD D 0LQLVWUD GR *pQHUR &ULDQoD 6HJXUDQoD6RFLDO%iVLFD6LVWHPDVGHSDJDPHQWRGHEHQH-
H$FomR 6RFLDO &LGiOLD 2OLYHLUD QR GHFXUVR GD ,,, &RQIH- ItFLRVVRFLDLVHVXDFRQWULEXLomRSDUDDLQFOXVmRÀQDQFHL-
rência Nacional Sobre Protecção Social, que decorreu, em UDH[SDQVmRGDFREHUWXUDGRVSURJUDPDVGHDVVLVWrQFLD
0DSXWRVREROHPD´3RUXPD3URWHFomR6RFLDO,QFOXVLYDH VRFLDODXPHQWRGRHVSDoRÀVFDOSDUDDiUHDGD$FomR6R-
PDLV(IHFWLYDµ FLDO VXEVLGLR SDUD FULDQoDDERUGDJHQV H SHUVSHWLYDV GH
LPSOHPHQWDomRHQWUHRXWURV [
&LGiOLD2OLYHLUDGHVFUHYHXTXHRVSDUFHLURV2UJDQL]Do}HV
GD 6RFLHGDGH &LYLO H LQGLYLGXDOLGDGHV GHVHPSHQKDP XP
SDSHO LPSRUWDQWH QD SURWHFomR VRFLDO ´SRUTXH VmR RV TXH
GLDULDPHQWHVHHVIRUoDPQDEXVFDGHVROXo}HVSDUDDPH-
OKRULD GDV FRQGLo}HV GH YLGD GD SRSXODomRµ TXH YLYH HP
VLWXDomRGHSREUH]DHYXOQHUDELOLGDGH

2*RYHUQRGH0RoDPELTXHUHFRQKHFHTXHDSURWHomRVR-
FLDOpXPGRVGLUHLWRVIXQGDPHQWDLVGHFDGDFLGDGmR´GDL
TXH j OX] GD &RQVWLWXLomR IRL DSURYDGD D /HL  GH
GH)HYHUHLURVREUHD3URWHFomR6RFLDOTXHFULRXDVEDVHV
SDUDRGHVHQYROYLPHQWRGHXP6LVWHPDGH6HJXUDQoD6RFLDO
PDLVDEUDQJHQWHµVXEOLQKRX

$RORQJRGRSUHVHQWHTXLQTXpQLRDSURYRXVHDQRYD3ROtWL-
FDGH$FomR6RFLDO(VWUDWpJLD1DFLRQDOGH6HJXUDQoD6RFLDO Ministra do Género, Criança e Acção Social, Cidália Oliveira com a menina Mércia Licas
%iVLFD (166%   HQWUH RXWURV LQVWUXPHQWRV TXH Castela Viriato que nasceu sem membros superiores em Massinga, província de Inhambane,
reconhece que a protecção social depende de todos…
UHIRUoDPR6LVWHPDGH3URWHFomR6RFLDOYLVDQGRDXPHQWDUD
TXDOLGDGHGHYLGDGDSRSXODomR

1RkPELWRGDLPSOHPHQWDomRGD(166%R*RYHUQRUHGH- 6XEVtGLRGHLQIkQFLDEHQHÀFLDPDLV
ÀQLXRVSURJUDPDVGH6HJXUDQoD6RFLDO%iVLFDSRUIRUPDD GHPLOFULDQoDVHP1DPSXOD
IRUWDOHFHUDVLQWHUYHQo}HVHPFXUVRHDGRSWDUQRYDVDERUGD-
JHQVSDUDTXHWHQKDPPDLRULPSDFWRQDYLGDGRVEHQHÀFLi- 3HORPHQRVPHQRUHVGH]HURDGRLVDQRVGHLGDGH
ULRV´(VVDUHYLVmRGHVWDFDPRVDLQWURGXomRGRVVXEVtGLRV VHUmR EHQHÀFLDGRV SHOR 3URJUDPD 6XEVtGLR SDUD FULDQoD
SDUD FULDQoD H SDUD DJUHJDGRV IDPLOLDUHV YtWLPDV GH FDOD- na província de Nampula, nos próximos dois anos, imple-
midades de modo a contribuir para a redução da desnutri- PHQWDGRSHOR*RYHUQRFRPYLVWDHYLWDUDGHVQXWULomRFUy-
omRFURQLFDTXHDIHFWDGDVFULDQoDVPHQRUHVGHFLQFR QLFDQHVWDIDL[DHWiULD
DQRVµGLVVHDWLWXODUGRSHORXURGR*pQHUR&ULDQoDH$FFDR
6RFLDOH[SOLFDQGRDLQGDTXHDPHGLGDSUHWHQGHUHIRUoDUD $ LQLFLDWLYD p GR 0LQLVWpULR GR *pQHUR &ULDQoD H$FomR
UHVLOLrQFLDGDVSRSXODo}HVDIHFWDGDVSHORVFKRTXHVFOLPiWL- 6RFLDO 0*&$6  HP SDUFHULD FRP R )XQGR GDV 1Do}HV
FRV 8QLGDVSDUD,QIkQFLD 81,&() HHVWiVHQGRLPSOHPHQWD-
GRQRVGLVWULWRVGH/DODXD,OKDGH0RoDPELTXH1DFDODD-
Sobre o impacto de assistência social desde a implementa- 9HOKDH0RQJLQFXDOGHVGH6HWHPEUR~OWLPR
omRGD(166%DDJRYHUQDQWHGLVVHTXHDVWUDQV-
IHUrQFLDVPRQHWiULDVHVRFLDLVEHQHÀFLDPDDJUHJD- $ LQIRUPDomR IRL DYDQoDGD SHOD 'LUHFWRUD 1DFLRQDO GD
GRVIDPLOLDUHVYLYHQGRHPVLWXDomRGHYXOQHUDELOLGDGHQR &ULDQoD$QJpOLFD )XODQR QR GHFXUVR GD ,,, &RQIHUrQFLD
SDtV Nacional de Protecção Social Básica, que decorreu, semana
´2VSURJUDPDVGHSURWHFomRVRFLDOEiVLFDWrPRSHUDGRPX- ÀQGDHP0DSXWRVREROHPD´3RUXPD3URWHFomR6RFLDO
GDQoDV QD YLGD GDV SRSXODo}HV YXOQHUiYHLV HP WRGRV RV LQFOXVLYDHPDLV(IHFWLYDµHTXHUHXQLXFHUFDGHSDUWL-
GLVWULWRVHORFDOLGDGHVHKRXYHH[SDQVmRGRVSURJUDPDVGH FLSDQWHVGHGLIHUHQWHVVHJPHQWRVVRFLHGDGHSDUDUHÁHFWLU
DVVLVWrQFLDVRFLDODWUDYpVGHWUDQVIHUrQFLDVPRQHWiULDVHVR- VREUH R HVWiJLR GD SURWHFomR VRFLDO H GHOLQHDU PHOKRUHV
FLDLVµGHIHQGHX IRUPDVGHSRWHQFLDUDVSRSXODo}HVHPVLWXDomRGHYXOQH-
UDELOLGDGHQRSDtV
$ ,,, &RQIHUrQFLD 1DFLRQDO VREUH 3URWHFomR 6RFLDO %iVLFD
UHXQLXSDUWLFLSDQWHVHQWUHGHOHJDGRVSURYLQFLDLVTXD- ´2SURJUDPDHVWiQDIDVHSLORWRQDSURYtQFLDGH1DPSXOD
17
SOCIEDADE
DIVULGAÇÃO
Savana 21-12-2018

HMiEHQHÀFLRXSHWL]HVµGLVVH)XODQRHVFODUHFHQGRTXH
RSURJUDPDWHPWUrVVXEFRPSRQHQWHVQRPHDGDPHQWHR
VXEVtGLRSDUDFULDQoDDQRVRVXEVtGLRSDUDDVFULDQoDV
yUImVTXHYLYHPHPIDPtOLDVSREUHVHYXOQHUiYHLVHRVXE-
VtGLRSDUDFULDQoDFKHIHGHDJUHJDGRIDPLOLDU

4XHVWLRQDGDVREUHRDOFDQFHGDLQLFLDWLYDD'LUHFWRUD1D-
FLRQDOGD&ULDQoDDÀUPRXTXHRSURJUDPDYLVDSURPRYHU
a redução da pobreza, aumentar o bem-estar da criança e
PHOKRUDURDFHVVRDRVVHUYLoRVVRFLDLV

´2DSRLRDHVWDVIDPtOLDVHFULDQoDVVHUiIHLWRHPGRLVPR-
GHORV WUDQVIHUrQFLD PRQHWiULD QR YDORU GH  PHWLFDLV
PHQVDLVHRPRGHORGHFXLGDGRV2YDORUWUDQVIHULGRpFRU-
UHVSRQGHQWHDFDGDFULDQoDRTXHVLJQLÀFDTXHHPFDVRGH
JpPHRVRYDORUVHUiRGREUR(VWDWUDQVIHUrQFLDVHUiIHLWD
para as pessoas cuidadoras das crianças em risco de des-
nutrição, que obviamente vai permitir elevar o consumo
IDPLOLDUEHPFRPRRFRQWURORGRVVHXVEHQVµVXEOLQKRX

Angelica Magaia Fulano, directora Nacional da criança no MGCAS explica os contornos do


$ IRQWH SUHFLVRX DLQGD TXH DV WUDQVIHUrQFLDV PRQHWiULDV subsídio para criança implementado na província de Nampula
vão ajudar as cuidadoras das crianças cumprir com os ca-
lendários de visita ao hospital, como controlo de peso das
YLDDVFULDQoDVEHQHÀFLiULDVGRVXEVtGLRSDVVDPGHXPD
crianças e vacinação, uma vez que em muitas localidades,
LQVFULomRIHLWDSHORVWpFQLFRVHSHODVXQLGDGHVVDQLWiULDV
os hospitais encontram-se distantes das zonas de residên-
UHVSHFWLYDPHQWH
FLD
$IRQWHHVFODUHFHXTXHRVSURÀVVLRQDLVGHVD~GHTXHGH-
2RXWURPRGHORGHVXEVtGLRDFULDQoDDVHULPSOHPHQWD-
WHFWDUHPTXHXPDGHWHUPLQDGDPmHJUiYLGDQmRWHPFRQ-
GR p R GH FXLGDGRV TXH FRQVLVWLUD QR DFRPSDQKDPHQWR
GLomRVXÀFLHQWHSDUDVXVWHQWDUDFULDQoDGRSRQWRGHYLVWD
GDVIDPtOLDVGDQGRSDFRWHVGHDSRLRQXWULFLRQDORXVHMD
GH DOLPHQWDomR FRUUHQGR R ULVFR GHVWD VRIUHU GH GHVQX-
ID]HQGRXPWUDEDOKRGHVHQVLELOL]DomRVREUHDVPHOKRUHV
WULomRYmRFRPXQLFDUDRVWpFQLFRVGR,1$6TXHSRUVXD
SUiWLFDVDOLPHQWDUHVSDUDDVXDQXWULomR
YH]YmRID]HUDDYDOLDomRGDVLWXDomRGDPHQRU
´3UHWHQGHPRVTXHHVWHVHMDXPUHJLVWRUiSLGRSRUTXHDV
1RkPELWRGRPRGHORGHFXLGDGRVVHUiIHLWDDJHVWmRGH crianças precisam de receber o subsídio quase imediata-
casos, dando apoio psicossocial, avaliação das necessida- PHQWHDSyVRQDVFLPHQWR'HLJXDOIRUPDRVXEVtGLRGH-
GHVHUHIHUHQFLDPHQWRFRPEDVHQRVSDGU}HV0tQLPRVGH YHUiVHUFRQWtQXRHUHJXODURTXHVLJQLÀFDTXHQmRSRGH
$WHQGLPHQWR j &ULDQoD 0$&  VHJXLQGR R PRGHOR GH acontecer uma situação em que a criança recebe e passado
JHVWmRGHFDVRVFRPSODQRVGHFXLGDGRVLQGLYLGXDLV DOJXPWHPSRKDMDLQWHUUXSomR,VWRQmRGHYHUiDFRQWHFHU
sob pena de se minar aquilo que são os objectivos deste
3DUD D 'LUHFWRUD 1DFLRQDO GD &ULDQoD DV FXLGDGRUDV GDV SURJUDPDµVXEOLQKRX)XODQR
FULDQoDVVyYmRUHFHEHUDWUDQVIHUrQFLDGHGLQKHLURGXUDQ-
WHPHVHVGHLGDGH´'HSRLVGDFULDQoDFRPSOHWDURV 1XPRXWURGHVHQYROYLPHQWRDIRQWHIH]VDEHUTXHDHV-
meses e o menor continuar com problemas de desnutrição, FROKDGDSURYtQFLDGH1DPSXODGHYHXVHDFULWpULRVUHOD-
LUHPRVLQVHULUHVWDFULDQoDQRVHJXQGRPRGHORGHVXEVtGLR tivos ao índice de desnutrição crónica daquela província,
TXHpRGHFXLGDGRV1mRLUHPRVDEDQGRQDUDFULDQoDVy WHQGRUHIHULGRTXHHUDGHVHMRGR0*&$6DEUDQJHUDVWUrV
SRUTXHMiXOWUDSDVVRXDLGDGHSUHFRQL]DGDµWUDQTXLOL]RX UHJL}HVGRSDtVRTXHQmRIRLSRVVtYHOQHVWDSULPHLUDIDVH

(PUHODomRDRVFULWpULRVGHHOHJLELOLGDGH$QJpOLFD)XODQR $HVFROKDGRORFDOSDUDDIDVHSLORWRGHYHXVHDRFULWpULR
GLVVHTXHDSULPHLUDFRQGLomRpTXHHVWDVFULDQoDVGHYHP de índice de desnutrição em cada província do país, so-
VHUPHQRUHVGHPHVHVHTXHVHMDPUHVLGHQWHVGDSURYtQ- EUHWXGRROKDQGRSDUDRVFDVRVGH1DPSXODH=DPEp]LD
cia de Nampula nos quatro distritos seleccionados, há pelo Em relação aos quatro distritos selecionadas, dois do lito-
PHQRVVHLVPHVHV2XWURFULWpULRDFULDQoDGHYHHVWDUHP UDOHLJXDOQ~PHURGRLQWHULRUYmRSURGX]LUDLQIRUPDomR
ULVFRRXDVRIUHUGHGHVQXWULomRFUyQLFDHTXHSHUWHQoDD que se precisa, antes de expansão da iniciativa para todo
IDPtOLDSREUHHRXYXOQHUiYHO RSDtV
6RESRQWRGHYLVWDGHPHWDVRGLVWULWRGH/DODXD,OKDGH
´(VWHVFULWpULRVVREUHWXGRRGHVHLVPHVHVGHUHVLGrQFLDQR 0RoDPELTXH1DFDODD9HOKDYmRFRQWDUFRPEHQH-
ORFDOVHOHFLRQDGRIRUDPDYDOLDGRVFRPPDLRUULJRUHYmR ÀFLiULRVSRUFDGDORFDOHRGLVWULWRGH0RJLQFXDOYDLDSH-
permitir evitar que as cuidadoras de menores que estão QDVDEUDQJHUGRLVPLOSHWL]HV
HPRXWURVORFDLVVLQWDPVHDWUDtGDVHYHQKDPÀ[DUVHQDV (PUHODomRjVFULDQoDVTXHHVWmRIRUDGRVTXDWURGLVWULWRV
iUHDVDEUDQJLGDVµHVFODUHFHX DEUDQJLGRVSHODIDVHSLORWRDIRQWHLQGLFRXTXHHVWDVYmR
EHQHÀFLDUGHRXWURVSURJUDPDVGHFRPEDWHjGHVQXWULomR
&RPR VH VDEH R EUDoR H[HFXWRU GR 0*&$6 H R ,QVWLWX- FUyQLFDTXHHVWmRVHQGRUHDOL]DGDVSHORJRYHUQRFRPRpR
WR1DFLRQDOGD$FomR6RFLDO ,1$6 TXHDVVLVWHDVSRSX- FDVRGDVSDSDVHRSURJUDPDGHDSRLRQXWULFLRQDO [ 
ODo}HVHPVLWXDomRGHYXOQHUDELOLGDGHQRSDLVHSRUHVVD
OPINIÃO
18 Savana 21-12-2018

Cartoon
EDITORIAL
Conselho Constitucional:
Um modelo esgotado

T
erá sido motivo para se soltar uma barulhenta gargalhada ao ou-
vir dizer que os juízes do Conselho Constitucional (CC) consi-
deram o seu trabalho suficientemente complicado para merecer
que haja melhoramento nas suas condições de trabalho, nomea-
damente no que diz respeito aos benefícios e regalias a que têm direito.
De tão questionável a qualidade do seu trabalho, especialmente, mas
não só durante este período eleitoral, que no lugar do prestígio e honra
que o órgão deveria merecer, ele virou sujeito de chacota, com um nível
de confiança pública muito baixo das expectativas. A solenidade geral-
mente atribuída a instituições similares ou equiparadas, simplesmente
deixou de existir, uma atitude que dificilmente se tornará reversível pe-
rante a sua última decisão de rejeitar mais um recurso sobre alegada
fraude na recente eleição de Marromeu.
Não se pode esperar que o Conselho Constitucional ou outra entida-
de de administração de justiça tome as suas decisões em obediência
ao voto popular ou vontade da maioria, mas os fundamentos usados
pelo CC para atingir as suas conclusões são, no mínimo, questionáveis,
particularmente, quando se baseiam em matéria de procedimentos que

A desordem e o ódio
logo à partida se sabe que nunca teria sido possível observá-los devido
ao clima de violência e de desordem propositadamente instalados no
local onde esses procedimentos deveriam, em primeiro lugar, terem sido
observados.
Ao agarrar-se a questões de procedimentos, o CC convenientemente

É
furta-se de lidar com a substância das matérias que lhe são colocadas
para adjudicação, nesse processo relegando para o segundo plano a ver- famosa a fúria de Samora Ma- Já estes caracterizam-se por presumi- primeira manifestação marcada para
chel quando descobriu que afinal rem uma unidade formal para a luta esta semana. O poder está apreensivo –
dade eleitoral, em última análise o bem superior que qualquer processo
Mutimati Barnabé João (autor por via de uma transcendência – per- foi de cem euros, a cedência de Macron
de eleições visa alcançar.
de Eu O Povo) fora uma in- sonificada no comité central do partido, no aumento do ordenado mínimo – e
Mas esse é outro debate. No fundo, o que nos deve deter agora é, se de venção de António Quadros e não um ou nos dogmas da ideologia ou do na- curiosamente a UGT e a CGTP já se
facto, precisamos de um Conselho Constitucional? Especialmente nos guerrilheiro frelimista, morto em com- cionalismo, como realidades superiores. colocaram de fora das reivindicações.
termos em que este órgão se encontra actualmente estruturado. bate. Depois, com mais ferocidade acrescida Não querem estar “fora do sistema”, se-
Para colocar a questão na sua perspectiva, é importante lembrar o his- Percebe-se mas denota a ingenuidade exercem as suas tarefas de organização rem considerados arruaceiros.
torial sobre como é que este órgão surgiu. Nos primeiros anos da ex- do líder moçambicano, nesta matéria. e de exterminação. E os fins valem sem- O que mais desconcerta e ninguém quer
periência eleitoral multipartidária em Moçambique, cabia ao Tribunal Não se fazem bons poemas por ordem pre os meios. pensar é a atmosfera de uma crispação
Supremo pronunciar-se em última instância sobre a lisura do processo. e graça do Espírito Santo. E a poesia Sempre preferi os rebeldes, aquele que latente que borbulha quer nas redes so-
não brota da sageza, da espontaneidade, actualizam uma potência sem o filtro ciais, quer no descontrole com que num
A Renamo nunca se sentiu confortável com este arranjo, e como tem
ratice ou boa vontade mas do domínio, de uma filiação, que a uma necessidade ápice os comentários dos leitores nos
sido a sua prática em relação a todas as instituições do Estado, entendia técnico, e duma feliz dosagem entre as visceral de justiça ou de mudança aliam jornais se aproximam da arbitrariedade
que um órgão mais objectivo e imparcial deveria ser constituído na base valências da memória e da imaginação, uma causa concreta ou uma reavaliação
de uma paridade entre ela e a Frelimo. É assim que surge o Conselho do ódio.
e quando a uma certa tradição retórica dos valores. O que por vezes deu mu- O ódio toma conta das sociedades. Com
Constitucional em 2006, composto na proporção do nível de represen- se conjuga a circunstância e a oportu- dança de paradigmas, como em Maio profetas eleitos: Trump e Bolsonaro.
tação de cada um dos dois partidos na Assembleia da República. Não é nidade. de 68.
Durante o regime socialista, Moçam- Tudo o que é arcaico, as pulsões mais
só sobre questões eleitorais de que o Conselho Constitucional se ocupa, Mas isso assusta. Daí que Carvalho da retrógadas têm agora uma legitimidade
mas deve ser discutível se tais atribuições adicionais justificam todo o bique foi habitado pelo dogma de que Silva, o antigo dirigente sindical, tenha
toda a gente era poeta ou artista. O que para se assumirem sem vergonha.
esforço de recursos (humanos, financeiros, técnicos, protocolares e de dito sobre os “coletes amarelos”: A notícia mais simples e anódina é
é confundir os iguais direitos que a to- “Não há democracia sem estruturas de
outra natureza) actualmente absorvidos por este órgão, particularmente dos cabe a montante com o que cada trampolim para exercícios de picardia
no meio de uma conjuntura em que a racionalização de recursos é nota mediação, os sindicatos, como muitas e de desqualificação mútua entre os
um faz disso a jusante. Ora, do mesmo outras organizações, existem para repre-
dominante do discurso oficial. modo que não me tornei cientista ató- comentadores, o objecto da notícia não
sentar interesses específicos, e a quem a
De tão pouca a clareza que se tem sobre a pertinência do Conselho mico nem escultor, a poesia não é para passa de um pretexto.
sociedade pode responsabilizar; nestes
Constitucional, que na proposta de revisão constitucional ensaiada no todos. Embora continue a haver muitos Na semana passada, António Lobo An-
movimentos inorgânicos perante a au-
último mandato do Presidente Armando Guebuza, chegou a ser venti- mais imitadores de poetas do que poe- tunes deu uma entrevista em que se afir-
sência de estruturas de mediação, isso
lada a possibilidade de o transformar em Tribunal Constitucional. tas. mava a favor de uma só nação ibérica.
torna-se uma bagunça e nega a demo-
O Cartier-Bresson fez dos mais notá- Com raras excepções não se trocaram
Mas mesmo assim, persistiria a questão de se um Tribunal Constitu- cracia”.
veis enquadramentos da fotografia do argumentos nos comentários que se lhe
cional não constituiria, ainda, uma desnecessária dispersão de recursos? É uma evidência que a democracia pode
século xx porque tinha atrás de si um seguiram; antes se amontoaram as notas
Moçambique é uma sociedade onde as instituições ou órgãos do Es- ser a primeira vítima do seu próprio su-
curso de pintura – arte a qual abdicou, denegridoras sobre o escritor, as senten-
tado continuam bastante politizados, e onde a vantagem recai sempre depois de ter interiorizado toda a his- cesso mas esta será uma forma simplista
de colocar as questões. ças e a condenação sem freio que roça
sobre o lado que mantém o seu controlo sobre os recursos públicos. Mas tória da disciplina. Não nasceu do nada o ódio.
aquele “vício natural” de enquadrar as Como não simpatizar com os “coletes
mesmo nessa equação inquinada, a evolução da sociedade, com quadros Todavia, há vinte anos, se um Virgílio
fotos como se cristalizasse num clic a amarelos”?
cada vez mais esclarecidos e comprometidos com a integridade, mostra Ainda que a sua força seja a sua fraque- Ferreira, um Eduardo Lourenço, um
o surgimento de uma classe de profissionais que valorizam a sua inde- harmonia condensada de um universo. Prado Coelho, uma Agustina ou o Abe-
Sim, o desejo é capaz de produzir ob- za: a sua recusa de líderes e porta-vozes
pendência e guardam a consciência de que o futuro das suas carreiras é eficaz (já foi) numa acção pontual, em laira, manifestavam uma ideia conside-
jectos ou acções que transmutam o sa- rada controversa havia em primeiro lu-
profissionais nunca deve ser sacrificado no altar de expedientes políticos ber em novas formulações ou relações, prolongando-se pode cair na indistin-
com benefícios de curto prazo. A esperança não pode morrer. ção e na instrumentalização por grupos gar uma suspensão da opinião. Se aquela
mas para isso é necessário sublimar algo
É nesta janela de esperança que deve ser considerada a possibilidade de radicais. criatura dizia tal, ponderava-se, porque
já existente, seja da ordem da sexualida-
Macron começou arrogantemente e a autoridade de milhares de páginas es-
se reforçar o Tribunal Supremo, dotando-o de recursos bastantes e de de, duma crença ou de qualquer reper-
tório técnico-discursivo. afinal a sua inflexão neo-liberal dobrou critas por aquele autor pesava.
uma orgânica que lhe permita assumir, com uma certa eficácia, grande Agora a opinião de um mecânico de
Vale o mesmo para a rebeldia política, como o junco diante da violência da
parte das atribuições que hoje residem no Conselho Constitucional. automóveis parece equivaler-se à de um
como movimento capilar, se por um realidade. Agora, dada a capilaridade da
O que não se pode negar é que o modelo de instituições paritárias, e comunicação hoje em dia e os contágios escritor consagrado. Todos pensadores
lado fascina o apelo romântico da luta
por conseguinte politizadas e partidarizadas, já provou os seus limites que daí advêm é de perguntar se a rei- de primeira água, tal como nos regimes
hoje é um crime abstrairmo-nos da
e incapacidade de dar resposta às necessidades de uma sociedade em história política dos últimos cem anos, vindicação de que Macron abdique não socialistas “todos são poetas e artistas”.
constante processo de evolução. pois esta destruiu a idade da inocência, terá já uma dedada da extrema-direita. E entretanto esconde-se um fascista não
e não foi só para os militantes. Em Portugal o movimento tem a sua declarado entre cada três comentadores.

KOk NAM Editor Executivo: Ivone Soares, Luís Guevane, João Distribuição:
Francisco Carmona Mosca, Paulo Mubalo (Desporto). Miguel Bila
Director Emérito Colaboradores: (824576190 / 840135281)
Conselho de Administração: (franciscocarmona@mediacoop.co.mz)
André Catueira (Manica) (miguel.bila@mediacoop.co.mz)
Fernando B. de Lima (presidente) Aunício Silva (Nampula) (incluindo via e-mail e PDF)
Redacção:
e Naita Ussene Eugénio Arão (Inhambane) Fax: +258 21302402 (Redacção)
Raúl Senda, Abdul Sulemane, Argunaldo
Direcção, Redacção e Administração: 82 3051790 (Publicidade/Directo)
Nhampossa, Armando Nhantumbo e Maquetização:
AV. Amílcar Cabral nr.1049 cp 73 Delegação da Beira
Abílio Maolela Auscêncio Machavane e Prédio Aruanga, nº 32 – 1º andar, A
Telefones: )RWRJUDÀD Hermenegildo Timana. Telefone: (+258) 82 / 843171100
(+258)21301737,823171100, Naita Ussene (editor) Revisão savana@mediacoop.co.mz
Registado sob número 007/RRA/DNI/93 Propriedade da 843171100 e Ilec Vilanculos Gervásio Nhalicale Redacção
NUIT: 400109001 Editor: Colaboradores Permanentes: Publicidade admc@mediacoop.co.mz
Fernando Gonçalves Fernando Manuel, Fernando Lima, Benvinda Tamele (82 3171100) Administração
Maputo-República de Moçambique editorsav@mediacoop.co.mz António Cabrita, Carlos Serra, (benvinda.tamele@mediacoop.co.mz) www.savana.co.mz
OPINIÃO
Savana 21-12-2018 19

A Escola do medo
Por Rafael Marques

D
urante décadas, a sociedade monstrar o vigor, a voz colectiva e o públicos que correspondam às neces- comportamento para a melhoria da nado a igualdade de oportunidades.
angolana tem vivido sob a espírito de mudança do povo na defe- sidades das populações. O cidadão é qualidade de vida angolana. É esta a moralização de que a socie-
bandeira do medo. O medo sa do bem comum. alguém que participa, fala, toma deci- Portanto, a edificação de um Estado dade angolana necessita. Combater a
passou a ser uma escola de sões. Não fica de braços cruzados. de Direitos Humanos, como se pre- corrupção é fundamental para lançar
instrução obrigatória, que nos tem Ilustremos A comunidade política cumprirá os tende que Angola seja, não depende um desenvolvimento económico sus-
instruído contra a liberdade de ex- Ontem, estivemos no município do seus objectivos de bem comum quan- apenas do presidente da República, tentado e inclusivo.
pressão, contra os valores morais, con- Bocoio. Fomos muito bem recebi- do cada um dos seus integrantes se dos ministros e dos órgãos do Estado. Portanto, o conceito de corrupção
tra o respeito pela dignidade humana, dos pela administração local, que nos comportar como um cidadão, impon- Em última instância, a construção de tem de ser elevado a um novo pata-
contra o bem comum. proporcionou um encontro com cerca do a sua participação na tomada de uma sociedade justa e solidária está mar. Esse patamar é o dos direitos
A escola do medo foi instrumental na de 100 representantes da população decisões, contribuindo para a constru- nas nossas mãos, nas mãos dos cida- humanos.
educação para a injustiça, no enraiza- da comuna do Monte Belo, entre os ção do Estado, exigindo os seus direi- dãos. O poder político já deu o sinal Atendendo, repete-se, ao mal que a
mento da cultura de impunidade, de quais dez sobas. A nossa conversa, no tos e cumprindo os seus deveres. que a sociedade desejava e exigia. corrupção faz a um país, matando as
institucionalização da corrupção, de jango da administração local, cen- O mito do “Grande Homem”, inves- Assumamos em Angola a nossa con- suas crianças e os seus velhos, atra-
desprezo pela cidadania e de consa- trou-se na questão da intolerância po- tido de poderes ditatoriais para tudo dição de cidadãos, o que implica agir sando o seu desenvolvimento, man-
gração do oportunismo como agentes lítica, que tem sido violenta naquela resolver, tem resultado numa sequên- em conformidade. tendo os níveis exagerados de po-
da submissão nacional. comuna. O administrador do Bocoio, cia de frustrações e descalabros. Não O segundo apelo é este: breza, o direito à não corrupção tem
O cidadão angolano aprendeu a bater Paulino Tchimbundo, encorajou-nos temos de esperar por cada novo pre- O sucesso na promoção dos direitos de ser considerado como um direito
palmas à pilhagem do país, à violên- a abordar abertamente o problema sidente da República para decidir o humanos requer um sucesso difícil humano fundamental: o direito a ser
cia física e psicológica contra o seu e a contribuir para a pacificação dos futuro de todos nós. noutras áreas, designadamente a exis- governado de forma transparente e
próximo, à incompetência do servidor espíritos desavindos. Os participan- Temos de garantir – como é tradição tência de boa governação, de dirigen- não corrupta.
público; aprendeu também a ficar ca- tes falaram à vontade, alguns procu- africana – a participação de todos na tes não corruptos e capazes de gerar Ao transformar-se o direito à não
lado, como bom aluno do medo. Os raram justificar a violência passada, tomada das decisões importantes para emprego para os jovens, melhorar a corrupção num direito humano, todos
maiores ladrões do país passaram a trocaram-se acusações mútuas entre o país, e na conjugação de esforços economia, a educação e a saúde das os mecanismos internacionais e na-
afirmar-se como os maiores patriotas, militantes do MPLA e da UNITA, os para a edificação de uma sociedade populações, e empoderar as mulheres. cionais de protecção dos direitos hu-
enquanto os verdadeiros combatentes sobas foram sábios na sua moderação geradora de um Estado de Direi- manos e combate à corrupção devem
da e pela pátria foram agraciados com e respondemos à altura dos desafios. to. É no serviço do bem comum, no Combate à corrupção ser coordenados e trabalhar em con-
a humilhação e a miséria. A administração local engajou-se no respeito e na protecção dos direitos e Tudo isto passa pelo combate à cor- junto. Corrupção e direitos humanos
De forma extraordinária, a escola do evento, o seu secretário tomou notas das liberdades dos cidadãos que este rupção. Na verdade, esse combate tornam-se a mesma face da moeda.
medo destruiu a confiança dos cida- e falámos da intervenção da justiça, Estado se deve afirmar. Deve também, não é apenas uma questão criminal e Esse novo patamar dos direitos hu-
dãos na afirmação do conhecimento por via dos tribunais, para os casos simultaneamente, providenciar a me- de punição de desvio de dinheiro do manos implicará também abordar
individual enquanto um valor a de- dos cidadãos que viram as suas casas lhoria das condições de vida de cada Estado. O combate à corrupção é a a corrupção não apenas como uma
fender. Esta escola conseguiu elevar à queimadas e os seus bens saqueados. um, nomeadamente com a criação de afirmação de um direito fundamental: questão de Estado, para a qual sejam
categoria de ciência da comunicação a Falámos dos cidadãos oportunistas empregos e uma educação e saúde de o direito à não corrupção dos gover- competentes apenas órgãos de Esta-
prática de falar à toa e o valor de cada que se aproveitam da camisola parti- qualidade. nantes. O certo é que, como temos re- do, mas como a afirmação de direitos
um passou a ser determinado por de- dária para o exercício de actividades Em suma, a cidadania exige um exer- ferido várias vezes, a corrupção mata. individuais e de autodeterminação
cisão política. criminosas. Falámos também do po- cício rigoroso por parte de cada um, Vejamos outro pequeno exemplo. popular. E, nestes termos, as pessoas
Como consequência, o medo em An- tencial económico da localidade, que num movimento de participação po- Quando o dinheiro que estava desti- privadas terão direito a começar a
gola apenas trouxe benefícios reais produz em abundância o abacaxi mais lítica e criação de condições para que nado à construção de latrinas – para acusar directamente (com provas, na-
para muitos detentores do poder, os doce do mundo. É incompreensível a o Estado cumpra as suas funções de usar um objecto recentemente indica- turalmente) os governantes corruptos.
chicos-espertos e os forasteiros expe- existência de tanta miséria num país melhoria da vida das populações. do por Bill Gates como essencial ao E é aqui que a primeira nota da nos-
ditos. Todavia, a escola do medo tam- bafejado por tantas riquezas naturais. Não pensemos que estas são afirma- desenvolvimento – é desviado para o sa intervenção se liga com a segunda.
bém afectou os seus dirigentes, pro- A miséria causada pela má governa- ções genéricas e abstractas. bolso de um qualquer dirigente, são Cabe a cada cidadão tomar nas suas
fessores e monitores. Estes passaram ção é uma das consequências nefastas   várias as crianças que defecarão ao ar mãos a luta contra a corrupção. O pa-
a conviver com o seu próprio medo da violação dos direitos humanos. O lixo livre e com isso apanharão mais doen- pel de cada um de nós é fundamental.
face à mudança e face ao despertar da No final, duas mães iniciaram es- Quando regressava do Bocoio, de- ças e terão uma saúde pior. Estudos Não fiquemos à espera do Estado ou
consciência colectiva dos cidadãos, da pontaneamente uma batucada que, parei-me com um camião de recolha recentes na Índia indicam que a falta dos outros. Actuemos no sentido do
soberania do povo, do bom senso, da por meia hora, se transformou numa de lixo a desfazer-se da sua carga no de latrinas é uma das principais causas bem comum!
honradez e da justiça. extraordinária roda de dança de mu- aterro sanitário do Cumango, à ber- das doenças e do subdesenvolvimento A acção de cada um é a melhor garan-
Agora sopram novos ventos da Ci- lheres. ma da estrada. Vi crianças com pás e físico naquele país. Em Angola não tia para a afirmação do respeito pelos
dade Alta, em Luanda. Esses ventos Com este exemplo, demonstramos uma mulher com um bebé às costas será muito diferente. direitos humanos como a condição
anunciam o desmantelamento desta como se pode aproveitar o discurso a fazerem a descarga. O bebé comia Também por esse motivo, a corrupção para a verdadeira paz e estabilidade
escola do medo. Trazem esperança e oficial de abertura para acções concre- pão naquele ambiente nauseabundo. tem de ser vista como um problema política em Angola.
exigem uma alteração no comporta- tas em prol do bem comum. As auto- Quem se indigna? Quem age? Nin- de direitos humanos. A corrupção re-
mento de todos nós, cidadãos angola- ridades locais e os partidos têm agido guém. Mas alguém no Lobito está a *Palestra proferida no contexto do Dia
tira dinheiro que seria utilizado para Internacional dos Direitos Humanos em
nos crentes na liberdade, no progresso no sentido de se resolverem esse tipo ganhar do Estado com a exploração beneficiar as populações. Benguela. Texto originalmente publicado no
e na defesa dos direitos humanos no de conflitos, e nada impede que a so- do trabalho infantil.  A corrupção tem impedido o desen- makaangola.org, uma iniciativa dedicada à
nosso país. Não podemos deixar esca- ciedade civil contribua com uma visão Vejamos o lixo que inunda as nossas volvimento de Angola, tem matado luta contra a corrupção e à defesa da democra-
par esta oportunidade. diferente de resolução de conflitos. ruas, reparemos na imundície de tan- mulheres, crianças e velhos. Tem mi- cia em Angola, fundada e dirigida pelo autor.
Durante anos, defender os direi- Ganha Angola, ganham os angolanos. tos e tantos edifícios habitados. Pos-
tos humanos foi confrontar o poder Temos, enquanto cidadãos, de cum- sivelmente, qualquer um de nós tem
do Estado saqueador e opressor, foi prir com o nosso papel. Esse papel a sua casa, dentro de portas, limpa e
combater o “bandido estacionário”, resume-se na velha e muito usada cuidada, mas abre a porta e mostra-se
para usar a feliz expressão do cientista frase do presidente americano John insensível à limpeza pública, deixan-
político Mancur Olson. Kennedy: “Não pergunte o que seu do a sujidade acumular-se nas ruas e
Entre a crença, a dúvida e a indife- país pode fazer por si. Pergunte o que o prédio em que vive deteriorar-se. Email: diariodeumsociologo@gmail.com
rença, podemos fazer melhor. Apro- você pode fazer pelo seu país.” Para muitos cidadãos, a limpeza das Portal: https://oficinadesociologia.blogspot.com
veitemos a oportunidade para, de Esta é a altura de realmente fazermos ruas compete exclusivamente ao go- 611
forma colectiva, contribuirmos para o algo pelo nosso país e não ficarmos à verno, assim como a aprovação de

Sobre o boné
desmantelamento da cultura do medo espera de outros ou do Estado. Este é uma qualquer lei do condomínio, pela
na nossa sociedade. As exigências que o tempo da cidadania angolana. Assembleia Nacional, para obrigar os
agora se nos colocam são diferentes, habitantes de um prédio a tê-lo bem

O
porque agora cada um tem de assumir O que é ser cidadão? conservado.
as suas responsabilidades na morali- Ser cidadão não é um dado adquiri- Essa perspectiva tem de mudar. Te- boné, modesto filho do chapéu, sobrinho da boina, joga
zação e construção de uma sociedade do. Num largo espectro mundial, os mos de ser nós, cidadãos activos, a hoje em Maputo um papel vector intransponível: faça sol
livre, justa e defensora dos direitos indivíduos de certos países não são tomar em mãos essas tarefas. Se cada faça sombra, esteja-se na rua ou numa sala de conferências,
humanos. cidadãos, mas súbditos de um poder um limpar o seu pedaço e cuidar de chova ou não, usa-se boné. Usa-se boné no 4/4 que desli-
O presidente da República João Lou- qualquer, mais ou menos tirânico. A uma parte da sua rua, rapidamente as za lenta e majestosamente no domingo da marginal, nas gloriosas
renço tem feito discursos propiciado- cidadania implica, desde a Antiga condições de vida vão melhorar, sem sessões matinais e vespertinas de abate de calorias pelo footing na
res de um ambiente favorável à mu- Atenas, a pertença à comunidade po- se esperar pela intervenção do Estado. Friedrich Engels, nas inaugurações de qualquer coisa, nos debates
dança de mentalidades e ao exercício lítica, a participação nas suas decisões, A defesa dos direitos humanos e da sobre democracia nas mais caras salas dos hotéis de luxo, na propa-
da liberdade de expressão. Lourenço a obtenção de benefícios e a assunção cidadania começa por pequenos pas-
ganda contra os males sociais (SIDA, pobreza absoluta), no cinema,
tem vindo a exigir a moralização do de deveres. sos, que em conjunto tornarão a vida
Estado e da sociedade, cumprindo Ser cidadão implica automaticamente de todos muito mais aprazível. na boîte.
assim o seu papel enquanto dirigen- o exercício da cidadania. “Cidadão” é E é este o nosso primeiro apelo: a Modesto utensílio destinado a proteger o couro cabeludo, o boné
te político. Mas a soberania angolana uma palavra plena de conteúdo, que construção da cidadania, baseada no transformou-se em mecanismo identitário multiforme, perfeita-
só voltará às mãos do povo e só dei- implica acção. Esta acção incide na respeito pelos direitos humanos, em mente democratizado, rosto da modernidade, quer na cabeça do jet
xará de pertencer aos poucos que se participação das decisões do governo, que cada um por si, individualmente, set  nacional, quer na do estudante, do cançonetista, do pistoleiro
apoderaram dela quando o exercício na defesa dos direitos fundamentais, contribuirá na medida das suas pos- profissional ou do propagandista da luta contra os males sociais.
pleno da cidadania for capaz de de- na exigência de políticas e de serviços sibilidades e com a sua acção e o seu
OPINIÃO
20 Savana 21-12-2018

Bandido de sucesso
Por José Eduardo Agualusa A sova em May e a
O
que mais deseja um bandido passo seguinte é a aceitação interna-

esperteza de Corby
após uma carreira bem suce- cional. Nada os irrita mais do que a
dida? publicação de artigos, em jornais es-
Estou a falar daqueles ban- trangeiros, expondo a forma desones-
didos que enriqueceram fabulosa- ta como fizeram fortuna. 
mente, quer seja assaltando bancos Os grandes bandidos investem en- Por Leonídio Paulo Ferreira

T
ou desviando fundos de uma insti- tão o dinheiro roubado em empresas
enho de admitir que por estes dias sinto a dizer sobre May é que lutava pela primeira
tuição pública; traficando cocaína ou internacionais. Compram jornais e mais consideração por Theresa May do reeleição como deputada e, no que diz respeito
influências; comprando e vendendo rádios nos países em que costumam que por Jeremy Corbyn. E isto apesar à Corbyn, que era uma figura da ala mais à es-
mulheres ou recebendo comissões in- passar férias. Pouco depois já os ve- de não me esquecer de que ambos fa- querda do partido, campeão de causas como a
devidas. O que querem eles? mos – aos grande bandidos – a serem zem parte dos sonâmbulos que permitiram o luta anti-apartheid ou a Palestina. Voltei para
A resposta é simples: após enriquece- recebidos pelos dirigentes políticos referendo de 2016 sobre a União Europeia, a as eleições de 2010, e May já se perfilava então
rem, todos os bandidos anseiam por desses países. Eis que inaguram ex- vitória à tangente doleave (sair) e a enorme como governante, com Cameron a escolhê-la
posições de arte. Eis que são elogia- trapalhada que são hoje as relações entre o para ministra do Interior, depois de ter perten-
serem socialmente aceites. Os gran-
dos por artistas, curadores, responsá- Reino Unido e os outros 27, a uns cem dias da cido a quatro governos-sombra. Corbyn, esse,
des bandidos querem o respeito da data do Brexit - 29 de março de 2019. destacava-se por na era de Tony Blair-Gordon
sociedade, e alguns conseguem. veis políticos. Dão entrevistas longas,
Mas May, primeira-ministra após a saída de Brown ter sido o deputado mais vezes contra a
Numa cleptocracia perfeita – isto é, a jornais respeitáveis, tentando justi-
David Cameron (o grande sonâmbulo), pro- linha do partido.
num país sequestrado por malfeito- ficar a origem da respectiva fortuna, cura minimizar o impacto prático do divór- O futuro de May é quase certo no mau sen-
ou assegurando que sempre sentiram cio, assumindo o resultado do referendo (que tido: a saída a médio prazo (comprometeu-se
res – os grandes bandidos estão no
uma forte ligação ao mundo das ar- ela não queria) como legítimo. Bate-se agora para se salvar de uma censura interna a não ser
poder, e isso assegura-lhes aceitação
tes e da cultura. «A minha família contra tudo e todos, até aqueles no Partido recandidata a primeira-ministra), talvez mes-
social. Mesmo quem não os respeita
sempre teve dinheiro» – é uma frase Conservador que preferem o caos a qualquer mo a curto. Nas eleições antecipadas de 2017
finge respeitá-los. A perversão destas
muito repetida. Posso imaginar que entendimento com Bruxelas. perdeu a maioria absoluta ganha por Cameron
sociedades vai ao ponto das pessoas Já Corbyn, eurocético de sempre, depois de ter em 2015 e deixou evidente a falta de carisma
ouvindo aquilo haja quem solte, al-
honestas preferirem ser vistas ao lado falhado na mobilização trabalhista pelo voto para liderar o partido.
gures, largas gargalhadas: «Conheci
de bandidos do que ao lado dos pou- remain (ficar), opção tradicional do partido, Mas o futuro de Corbyn, esse, é incerto no
o pai deste tipo. Era um pobre diabo
cos corajosos que combatem os ban- resguarda-se de qualquer intervenção constru- bom sentido: depois de derrubado uma pri-
que não tinha onde cair morto.»
didos. De resto, não raras vezes, esses tiva. Limita-se a ajudar à sova em May, seja meira vez da liderança por uma revolta dos
Muitos destes bandidos acabam pre-
poucos corajosos acabam julgados prometendo votar contra o acordo com a UE seus próprios deputados, os 40% nas últimas
sos. Nas cleptocracias, isto só acon- seja ameaçando o governo conservador com eleições, com ganho de assentos e uma subi-
pelos tribunais, acusados de – com as tece na sequência de uma revolução moções de censura. da em pontos percentuais que não se via des-
suas acusações – estarem denegrindo ou de um levantamento social. Nos Na realidade, Corbyn, que parece ver vanta- de 1945, ofereceram-lhe uma tranquilidade
e caluniando os bandidos. regimes democráticos vem aconte- gens no Brexit mesmo que por vezes o desdiga, dentro de portas que lhe permite continuar a
Os bandidos criam as suas próprias cendo cada vez com mais frequência já se imagina primeiro-ministro, mas numas jogar, o que é evidente por nunca propor novo
revistas cor-de-rosa, para que possam porque, um pouco por todo o mundo, eleições depois de o mais difícil ter acontecido. referendo. Mas, se chegar a primeiro-ministro,
aparecer, domingo sim, domingo não, a justiça melhorou, e é hoje mais in- May que aguente a borrasca. que país herdará? Um Reino Unido em confli-
a exibir a nova amante ou o novo Fer- dependente e mais eficaz. Há quase 30 anos que sigo a política britânica to com a Europa? Um Reino Unido em crise
rari. Um ou outro, mais inteligente, como jornalista e sei que houve tempos em que económica, tal como o resto da Europa, por
É claro, alguns escapam. Na verdade,
tanto conservadores como trabalhistas tinham causa de um Brexit abrupto? Nestes dias, há
cria uma fundação destinada a «aju- os piores bandidos são os que triun-
líderes mais sábios, mais mobilizadores, de razões para admirar May. Pelo menos não atira
dar» artistas ou estudantes carentes. fam, aqueles que conseguem ser so- certeza. Aliás, fiz para o DN a cobertura das a toalha ao chão.
Patrocinam cantores. Coleccionam cialmente aceites. Aqueles que mor- legislativas de 2001 e na época a única coisa (dn.pt)
arte moderna. Para estes bandidos o rem em glória.

Por Luís Guevane


SACO AZUL

(VWDGRGD1DomRRGHVDÀRGDDXGLrQFLD
O
que fazer para que o discur- para onde parte dos nossos impostos con- chamadas dívidas escondidas, sobre o está- pois do discurso sobre o estado da Na-
so sobre o estado da Nação vergem, e simplesmente termos dificulda- gio de luta contra a impunidade, a questão ção. O estado da Nação diz respeito ao
seja atentamente seguido pela des de sintonizá-la ou, na melhor das hipó- da actuação de órgãos como, por exemplo, cidadão moçambicano daí a importân-
maioria dos moçambicanos? teses, sintonizá-la e não perceber o discurso o Secretariado Técnico da Administração
cia do seu envolvimento. Mais: é im-
A rádio, um meio de comunicação de sobre o estado da Nação porque dirigido Estatal (STAE), a Comissão Nacional de
massas por excelência, tem vindo a per- numa língua de unidade nacional que nos Eleições (CNE), o Conselho Constitucio- portante, também, que se debata sobre
der o seu lugar a favor das emissões te- é estranha. E então? Solução: enquanto o nal (CC), exaustividade sobre a situação de o formato da apresentação do estado
levisivas. Entre “ouvir e não ver” e “ou- Presidente (PR) discursa na capital, lá na paz e dos vários tipos de instabilidade em da Nação. O questionamento poderá
vir e ver” as pessoas têm vindo a preferir Assembleia da República, o intérprete ou o Cabo Delgado, etc. Em que estado está a aumentar o interesse pelo discurso so-
esta última. Com a massificação da rede tradutor desempenharia o seu papel nas rá- Nação moçambicana nestes aspectos de bre o estado da Nação. O actual estado
eléctrica pelo país a tendência é de cada dios locais. Mas esta solução carece de in- grande interesse nacional?
do formato sobre a apresentação do
família possuir um televisor e sentir que divíduos formados e respeito pelas opções Sobre o estado da Nação os vários canais
faz parte da Nação por meio do acom- estado da Nação não só não promove
linguísticas dos moçambicanos. televisivos, incluindo a rádio, têm feito
panhamento que vai fazendo sobre a Mas a pergunta pode ser mantida. Será previamente uma pesquisa de opinião com a democracia como reforça uma situa-
realidade económica, política e cultural. que o discurso sobre o estado da Nação é limitada abrangência e que sugere expli- ção de afastamento e distanciamento
Porém, fazer esse acompanhamento, atentamente seguido pela maioria dos mo- citamente a existência de um organismo entre o topo e a base, provocando de-
tanto pela rádio como pela televisão çambicanos? Eliminando a possibilidade privado ou estatal, profissionalmente sério, sinteresse no acompanhamento geral
implica ultrapassar a problemática anterior, concentremo-nos rapidamente na virado para essa vertente. Pela abrangência do mesmo. Quem mesmo acompanha
questão da qualidade do sinal. Perante questão do conteúdo do discurso sobre o que a rádio e a televisão detêm e tendo em
com interesse a apresentação do estado
a colocação desta equação percebemos estado da Nação. Provavelmente a audiên- conta os níveis de analfabetismo (que con-
que a rádio tende a levar vantagens ób- cia superasse as previsões se o discurso fos- tinuam altos), julgamos ser importante a da Nação: uma minoria de moçambi-
vias. Mas, podemos estar num local re- se ao encontro das espectativas do cidadão adopção de estratégias conducentes a um canos. É preciso contrariar este estado
côndito, ligados à rádio nacional, aquela no que respeita à exaustividade sobre as maior envolvimento do cidadão antes e de- de interesse.
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018 21
DESPORTO
22 Savana 21-12-2018

O difícil parto de uma deliberação polémica


-Desportivo de Maputo diz que foi reposta a verdade desportiva
-ADM promete ir até às últimas consequências para ver a sua conquista respeitada

Por Abílio Maolela

T
rês meses depois da de- bro, mas só no dia 31 de Outu-
núncia feita pelo Grupo bro é que enviou a carta à DNIC,
Desportivo de Maputo semanas depois do fim da com-
(GDM) sobre uma alega- petição).
da má inscrição do jogador Sa- Antes de ler o comunicado que
muel Siaw, da Associação Des- transcreve a Deliberação do CD
portiva de Macuácuà (ADM), da FMF, o Secretário-Geral da
de nacionalidade ganesa, a Fe- FMF explicou que o “CD da
deração Moçambicana de Fu-
FMF levou o tempo que levou”
tebol (FMF) veio, esta semana,
porque “houve várias tramitações
pronunciar-se, pela primeira
vez, sobre o caso, anunciando a documentais até se chegar a esta
Deliberação do seu Conselho conclusão”.
de Disciplina (CD), que pune Johane acrescentou ainda que
aquela equipa da província de não é seu papel difundir as de-
Gaza com nove derrotas e pro- cisões dos órgãos independentes
clama os “alvi-negros” da capital daquela federação, nomeada-
como vencedores do Campeo- mente, os Conselhos de Discipli-
nato Nacional de Futebol da na e Jurisdicional e a Comissão
Divisão de Honra da zona sul do Nacional de Árbitros de Futebol.
país. Referir que esta é mais uma
equipa a subir ao Moçambola,
A “difícil” decisão, que chega
na secretaria, em três anos, de-
dois meses depois do término
da prova, foi tomada na passada pois do Desportivo de Niassa,
sexta-feira (14), pelo CD da- em 2015. Aliás, ainda este ano, o
quele órgão máximo do futebol jogos da equipa gazense, na pro- Adelino Xerinda, garante que a amorfo que não se conhece algu- CD da FMF teve que “intervir”
moçambicano, e anunciada, esta va que dá acesso ao campeonato verdade desportiva foi reposta e ma decisão por ela tomada. para garantir a presença do Baía
terça-feira (18), pelo seu Secre- nacional de futebol, tendo sido que, neste momento, o clube vai Embora a ignorância da lei não de Pemba, no Moçambola-2019,
tário-Geral, Filipe Johane, numa umas das peças-chave para a boa se preparar para o seu regresso ao ilibe o cidadão das suas respon- depois do jogo entre aquela
conferência de imprensa de 12 campanha feita pela equipa, que Moçambola. sabilidades, questiona-se o papel equipa e o Ferroviário de Pemba
minutos e sem direito a pergun- inclui duas vitórias sobre o Des- O Conselho de Disciplina da da FMF no processo, tendo em não ter chegado ao fim, devido
ta, em que os jornalistas tiveram portivo de Maputo. FMF sublinha que, após a de- conta que esta validou a inscri-
a agressão ao árbitro da partida
que aguardar 40 minutos para o De acordo com a deliberação nº núncia, que deu entrada no dia ção daquele jogador, o mesmo
20 de Setembro, a FMF dirigiu pelos jogadores da equipa “loco-
seu início (estava prevista para as 8/CDFMF/2018, de 14 de De- que impediu a sua inscrição, em
uma carta à DNIC, pedindo a motiva”.
11 horas) e depois da sua pres- zembro, ao utilizar aquele joga- 2016.
dor ganês com identidade falsa, a “clarificação da identidade deste Outras perguntas estão relacio- Recorde-se que o Desportivo
são, sobretudo os ligados aquele
ADM “cometeu, reiteradamente, cidadão”, tendo sido respondido nadas ao grau de envolvimento de Maputo foi despromovido,
clube histórico da capital do país.
A ADM promete lutar até às úl- infração prevista e punida no nº que o mesmo “foi obtido ilicita- da equipa gazense no esquema pela segunda vez, do campeona-
timas consequências, incluindo 1, do artigo 62, do regulamento mente”. da aquisição do documento mo- to nacional de futebol, em 2016,
uma audiência com o Chefe de de disciplina da FMF”. Acrescenta que, tratando-se de çambicano pelo jogador; o nível depois de ter experimentado o
Estado, para ver reposta a “justi- Assim, aquele órgão decidiu “pu- uma matéria de falsificação de de seriedade da FMF no trata- campeonato dos “quarteirões”,
ça desportiva”, enquanto o Des- nir a ADM com a pena prevista documentos, prevista e punida mento deste caso (a denúncia em 2013, após a primeira desci-
portivo de Maputo já faz as con- no nº 1 e 2 da alínea b) também no ordenamento jurídico nacio- deu entrada no dia 20 de Setem- da, em 2012.
tas do Moçambola-2019, depois do artigo 62, com a pena de nove nal, “serão extraídas cópias do
da vitória na Secretaria. derrotas, equivalente a 27 pontos processo e enviadas a Procurado-
e multa de 150 mil meticais”. ria-Geral da República para efei-
O caso que ainda vai fazer tos processuais subsequentes”. A
correr “muita tinta” Deste modo, a ADM desceu do
primeiro para o nono lugar, pas- DNIC também garantiu estar a
O caso, que se revela longe do investigar o caso.
fim, foi despoletado em meados sando a somar 20 pontos, contra
os anteriores 47, cedendo a pri- Para além de ter tentado jogar,
do mês de Setembro, pelo Grupo
meira posição para o Desportivo no Desportivo de Maputo, em Anuncie a sua marca, produto e
Desportivo de Maputo, quando 2016, Samuel Siaw também fez
este denunciou irregularidades de Maputo que soma 42 pontos.
parte do plantel da ENH de Vi- serviços, na SAVANA FM . Proporcio-
na inscrição do jogador ganês, o A equipa corre o risco também
mesmo que quis inscrevê-lo, em de descer de divisão, tendo em lanculo, em 2017, mas não foi
utilizado devido a falta da carta
namos para si pacotes promocionais,
2016, mas o pedido foi recusa- conta que as equipas do nono ao
do pela FMF, alegando falta de 12º lugar descem de divisão.
internacional. contacte-nos através de: 84 1440048,
apresentação da respectiva carta Contactado pelo SAVANA, o Decisão polémica 82 8944278 ou ainda através do e-mail:
internacional. presidente da ADM, Timóteo Entretanto, a decisão não se
Samuel Siaw, seu nome verda- Fuel, disse que a sua equipa jurí- apresenta como o fim da nove- radiosavana100.2@mediacoop.co.mz
deiro, foi inscrito, esta época, dica já está a trabalhar no senti- la, que dura há três meses, mas o
pela ADM com o nome Samuel do de repor a verdade que, na sua início de um processo que pode
SAVANA 100.2 FM
Siao Mendes, ostentando um óptica, é favorável à sua colecti- se arrastar até Fevereiro do início
Bilhete de Identidade moçam- vidade. Sublinha que irá lutar até do Moçambola-2019, tendo em
bicano, emitido, em Maputo, em às últimas consequências e, se conta que a Associação Despor- Visite agora e mantenha-se informado,
possível, “iremos pedir audiência
2016, um documento que a Di-
recção Nacional de Identificação ao Presidente da República para
tiva de Macuácuà pode recorrer
da mesma junto do Conselho
(integridade & independência)
Civil (DNIC) considera ter sido resolvermos esta situação”. Jurisdicional e caso não seja sa-
atribuído de forma fraudulenta. Enquanto isso, o vice-presiden- tisfeito pode recorrer à Plenária https://www.savana.co.mz
O jogador participou em nove te do Desportivo de Maputo, da Justiça Desportiva, um órgão
PUBLICIDADE
DESPORTO
Savana 21-12-2018 23

De A à Z

Desporto moçambicano à lupa


Por Paulo Mubalo

N
as linhas que se seguem nho porque meios não faltam, faltam ou morte. o Moçambola chegasse ao fim. O vis, Edilson, José, Zefanias e Ricardo
vamos analisar, de forma sim iniciativas. Ginástica grito de socorro chegou, inclusive, ao são uma referência, e eles já levaram
sucinta, o desempenho de Assiste-se profusamente nos dias presidente da República, Filipe Nyu- Moçambique a conquistar, por três
algumas modalidades, indi- Canoagem si, que teve de intervir para evitar o vezes, o campeonato mundial de sal-
que correm a um movimento desu-
vidualidades e instituições despor- Depois do baptismo nos jogos Afri- pior. Até porque as próprias Linhas to acrobático à corda.
sado de crianças e jovens a abraçarem
tivas como tem sido apanágio nas canos de2011, esta modalidade está Aéreas de Moçambique, que trans-
esta modalidade. Internacionalmente
vésperas do final do ano, tanto assim a reinventar-se e caminha a passos
há um grupo de ginastas que nunca portavam as equipas, enfrentam uma Ténis
que, salvo raras excepções, muitas largos para outros rumos. Tem atle- crise aguda. Está é outra modalidade de elite mas
deixam os seus créditos em mãos
provas oficiais já terminaram. tas com largo futuro, como Joaquim que paulatinamente está a abrir as
alheias. Infelizmente as nossas auto-
Lobo, Mussa Tualbudine e Nordino Moçambola portas ao povo. O número de prati-
ridades parecem não apostar muito
Atletismo Mussa. Continua a ser seguramente a maior cantes está a aumentar e a contribui-
nela.
Com alguns soluços de permeio, o competição futebolística nacional, a ção do empresariado local é um facto
Críquet que movimenta mais equipas e pú-
novo elenco da Federação Moçam-
Apenas algumas escolas é que conti-
Hóquei inegável. A abertura de mais quadras
bicana de Atletismo chefiado por O futuro da modalidade passa pela blico. A maior incerteza é próximo no Zimpeto nos próximos anos vai
Francisco Manhence está a tentar nuam a movimentar esta modalidade figurino da prova, pois embora o dinamizar ainda mais o crescimento
sua massificação e, neste aspecto, há
dar um arzinho da sua graça, mas no que em tempos teve muito apoio da actual seja o mais abrangente, este desta modalidade.
Mozal. Convenhamos, uma modali- alguns núcleos em funcionamen-
meio de muitas dificuldades financei- mostra se insustentável.
to, pelo menos ao nível da cidade
ras. No início do mandato, Manhece
dade esquecida.
de Maputo. Mas Moçambique tem
União Desportiva de Songo
Natação Ultimamente a zona centro está a
foi alvo de duras críticas saídas de tradição em produzir grandes atletas,
CND O seu crescimento pode ser avaliado impor uma nova ordem. Há três anos
dentro da instituição que dirige por daí que o futuro é promissor.
Finalmente o Conselho Nacional de pelo número de equipas e núcleos que o campeonato nacional mora
alegada letargia. E do ponto de vis-
Desporto vai passar a funcionar em que surgem e também pelas infra- na zona centro, primeiro na Beira e
ta de resultados, depois do brilharete
pleno a curto prazo depois de mui- Hipismo -estruturas. Em Maputo, por exem- agora por dois anos consecutivos no
de Lurdes Mutola, nos 800 metros
to tempo de hibernação. Contudo, Esta modalidade está em queda livre. plo, há um forte movimento para Songo. UDS é um clube organizado
e de Edmilsa Governo no atletismo
porque não estão bem claras as atri- O Centro Hípico de Maputo, por reabilitar algumas piscinas escolares, e com uma estrutura sólida capaz de
paraolímpico, os novos talentos que,
buições deste órgão, este sempre se exemplo, deixou de ser aquele local a exemplo da Estrela Vermelha, Po- provocar inveja aos ditos grandes da
esporadicamente, despontaram, casos
assemelhou a um daqueles encontros que quase que semanalmente acolhia lana e Noroeste II. Mas o caminho capital. E a continuar assim, mais tí-
de Creve Machavo, Sílvia Panguana,
onde se juntam pessoas para uma ca- várias corridas. Dificuldades de vária por percorrer é ainda longo porque tulos certamente virão.
Kurt Couto, Alberto Mamba, entre
vaqueira. ordem estão na origem da situação, apesar de haver muitos recordes que
outros, nunca atingiram o nível da
Lurdes.
mas enquanto houver vida há espe- são batidos internamente, no plano Vólei
Desporto motorizado rança de dias melhores. internacional os nossos nadadores Está, inegavelmente, a atingir outros
Sendo de elite, dificilmente podem não vão além. Que o digam, o Igor patamares, tendo como pressuposto
Andebol se quebrar algumas barreiras devi- Infra-estruturas Mogne, Erico Cuna, Jéssica Cossa, os resultados dos nossos atletas em
A entrada de Nuno Oliveira na di- do aos elevados custos que acarreta. Deixando as infra-estruturas des- Jannah Sonnenschein, entre outros. competições internacionais. Mas o
recção da federação de andebol foi Mesmo assim, o desporto moto- portivas herdadas dos colonialismo, mérito, a nosso ver, vai para os pro-
tida, à partida, como bem vinda. Po- rizado está a crescer, a avaliar pelas no Moçambique pós-independência fessores de educação física que nas
são poucas as que foram construídas. Nhelete Mondlane
rém, quem assim pensou enganou-se competições que são realizadas. No suas escolas trabalham com os meni-
Aliás, a realização dos Jogos Africa- A nova ministra da Juventude e Des-
redondamente porque a modalidade caso do ATCM, o nome de Antó- nos nesta modalidade. Mas não po-
nos serviu de mote para que umas portos que substituiu Alberto Nku-
continua entregue à sua sorte, depois nio Marques ficará ligado de forma demos esquecer o professor Camilo
fossem reabilitadas ou construídas de tumula, este que tinha obra quase
de, num passado não muito distante, indelével ao clube e quiçá no seu Antão por tudo o que fez pela mo-
feita e com conhecimento dos vários
ter produzido estrelas do nível de Ra- crescimento. raiz. Disso é exemplo o ENZ, ainda dalidade. Sem, claramente, queremos
meandros com que se cose o despor-
mira Langa. que continue um cavalo branco. Mas tirar mérito ao actual presidente Ka-
Estrangeiros to (há quem atribui o seu afastamen-
excepção à regra, o puto Davis mos- lid Cassamo.
Basquetebol Para além de presença de treinadores to ao caso Legends), dizíamos, está
trou que com o querer e sentido de
O bola ao cesto continua a polarizar estrangeiros, particularmente no fu- a mostrar serviço, mas ainda abaixo
responsabilidade nada é impossível,
das expectativas dos fazedores do Vela
as atenções de muitos jovens, sen- tebol, assiste-se, nos dias que correm, daí a construção do Estádio Munici- Está, tal como o vólei, em alta e a ní-
do que nos femininos Moçambique à presença de muitos atletas estran- desporto.
pal no populoso bairro da Munhava. vel internacional tem conseguido boa
continua a ser referência pela positi- geiros. Mas claramente se uns (trei-
Odélia Mafanela prestação.
va. A conquista do último africano de nadores ou jogadores) são mais-valia,
INADE. A jogadora do Ferroviário, que aju-
clubes pelo Ferroviário de Maputo é outros não acrescentam nenhum Xadrez
O Instituto Nacional de Desportos dou sobremaneira a sua equipa a
um sinal inequívoco de que se está valor. Infelizmente alguns clubes Através da academia da Matola, par-
tem como seu dirigente máximo conquistar o campeonato africano foi
a trabalhar com muito afinco. Pena dão um tratamento melhorado aos ceira da FMX, este desporto está a
Francisco da Conceição. Homem do notícia pelo facto de ter sido pedida
é o facto de o presidente da FMB, estrangeiros comparativamente aos ser praticado em muitas escolas do
desporto, em particular do básquete, em casamento em pleno pavilhão da
Francisco Mabjaia, continuar a diri- nacionais. país. E Moçambique deve se orgu-
académico, professor, treinador, etc., Maxaquene. E se a moda pegar...
gir aquele organismo mesmo estando lhar de já ter mestres. Louvável tam-
Futsal etc., dele se espera acções mais con-
fora do mandato. Patrocinadores bém foi o facto de a actual direcção
Esta modalidade está a crescer gra- cretas do que uma simples organiza-
ção de uma gala de premiação des- Os clubes, na sua maioria, estão des- da federação, encabeçada por Do-
dualmente. Muitos clubes nascem
Badminton portiva. Esperamos acções práticas, capitalizados e pedem apoio de em- mingos Langa, ter reabilitado e ape-
um pouco por quase todo o país, mas
Sofala foi no passado a maior refe- proactivas à semelhança do que fez presas ou pessoas de boa vontade. A trechado a sede da instituição que
lamentavelmente se eles buscam ta-
rência nesta modalidade e pelos vis- na altura em que foi director nacio- situação do Maxaquene, por exem- antes estava num avançado estado de
lentos nas escolas, o Ministério da
tos tudo o vento levou. Em Maputo, nal de desportos. Apesar de ser uma plo, depois que ficou órfão dos pais degradação. Para além de o país ter
Educação e Desenvolvimento Hu-
Almiro Conde tentou ressuscitar este aposta acertada dele mais trabalho (LAM e ADM) é no mínimo revela- já acolhido, de forma extraordinária,
mano parece andar em contramão ao
desporto, mas tudo aponta que tal in- precisa-se. dor de que sem apoio muitos clubes vários campeonatos africanos .
banir a realização desta modalidade
tenção não resultou históricos vão fechar as portas. Triste
nos jogos escolares.
sina a nossa. Yassin Amuji
Boxe Fundo de Promoção Desportiva. Judo. Depois de, como patrono de Vi-
Exceptuando a questão dos ringues Depois que o MJD “livrou-se” de A modalidade está a ganhar novos Quelimane lankulo FC, ter jurado que não queria
que ainda não chegaram a todos os Arsénio Sarmento, um quadro tido praticantes e com a experiência que A chamada terra do coco não terá mais saber do Moçambola pelos vis-
associados da federação é o maior como bastante competente esperava- é transmitida pelos mais tarimbados, nenhum representante no Moçam- tos a subida da ENH à prova maior
problema que Gabriel Júnior en- -se algo diferente. O que não está a como Edson Madeira, o futuro está bola do próximo ano. Mas não só no fez com que mudasse de ideias. E
frenta. De resto os núcleos da mo- acontecer. garantido. futebol onde as coisas correm mal, tudo aponta que a médio prazo o Vi-
dalidade estão a funcionar, claro com muitas outras modalidades estão es- lanculo FC poderá voltar ao futebol
Federação Moçambicana de Fu- Karaté de adultos, o que seria excelente.
algumas dificuldades. Os campeona- tebol quecidas.
Esta modalidade está a produzir
tos nacionais têm sido renhidos e a Apesar de Alberto Simango ter fala- grandes nomes e mais do que isso a RM Desporto Zâmbia
nível internacional Moçambique tem do de supostas forças estranhas que juventude continua a aderir em mas- Contra factos não há argumentos. Abel Xavier pode se gabar de, ao
conseguido resultados surpreenden- procuram criar obstáculos no traba- serviço dos Mambas, ter vencido por
sa, o que é salutar. Esta rádio contribuiu grandemente
tes, como a conquista, neste ano, do lho da federação, a verdade crista- duas vezes a selecção da Zâmbia, o
campeonato regional da modalidade. na divulgação das várias modalidades
lina é que com ou sem essas forças LMF por quase todos os cantos do país . que raramente acontecia. Aliás, o
Moçambique, no caso vertente os O penúltimo ano do mandato de afastamento da Zâmbia no CAN
Ciclismo Mambas, devem mostrar serviço e o Ananias Coane foi o mais contur- Salto à Corda do próximo ano deve-se, em grande
Depois que morreu, faz muito tempo, apuramento ao próximo CAN é um bado de sempre. Com as mãos ata- É nesta especialidade que Moçambi- medida, a essas duas derrotas sofri-
Horácio Sucena, o grande impulsio- imperativo, sob risco de ser crucifi- das por dificuldades financeiras, a que continua a fazer furor nas suas das contra os Mambas. Mas mais do
nador da modalidade, as coisas vão de cado. Daí que o derradeiro embate direcção da Liga fez uma verdadeira participações em grandes eventos in- que isso o mais importante é o apu-
mal a pior. E não deixa de ser estra- contra a Guine-Bissau seja de vida reengenharia institucional para que ternacionais. Nomes como os de El- ramento ao próximo CAN.
CULTURA
24 Savana 21-12-2018

D’Manyissa exalta timbila na sua música


A
música finalista da edi- pelo Instituto de Investigação Só- me 1”, em que D’Manyissa tem
ção 2017 do concurso de cio-cultural (ARPAC), órgão sob vários convidados especiais que se
composições musicais da tutela do Ministério de Cultura e destacam na performance de um
Inglaterra Uk Songwri- Turismo de Moçambique, que ilus- instrumento específico. São dis-
ting Contest, da autoria do com- tram a celebração da timbila através so exemplos Orlando Venhereque
positor e intérprete moçambicano do som e dança praticados sobretu- (flauta), Júlio Sigaúque (guitarra),
D’Manyissa, intitulada “Timbila do na região sul do país. Ivan Mazuze (Saxofone alto e so-
- Património Mundial” já tem vi- Nesta obra, D’Manyissa tem como prano), Banda MACOZOMI, Hé-
deoclipe oficial desde esta quarta- convidado especial o grande músi- lder Gonzaga (viola baixo), Lwan-
-feira, 19 de Dezembro, e vai cir- co e multi-instrumentista moçam- da Gogwana (Trompete), Seredeal
cular em televisões e redes sociais. bicano Celso Paco, que reside na “Shaggy” Scheepers (Teclados),
Suécia, na performance de timbila, Galina Juritz (Violino), Kika Ma-
Uma parte do vídeo foi filmada em para além de bateria, percussão, en- terula (Oboé).
Moçambique, durante a gravação tre outros instrumentos. Por ser multi-instrumentista, Celso
da respectiva música, na Zep Es- Além de Celso Paco, participaram Paco foi convidado a fazer a per-
túdio. A outra parte foi rodada na da gravação desta música António formance dos vários instrumen-
Suécia, país onde coube também “Dodó” Milisse, na guitarra, Or- tos do seu domínio. Neste álbum,
a produção e edição sob a respon- lando Venhereque, no saxofone e o D’Manyissa faz a performance vo-
sabilidade de profissionais suecos, falecido músico Filipinho no baixo. cal de três músicas apenas. Importa
nomeadamente, Linda Skjevik e Ao D’Manyissa coube os arranjos e referir que as músicas do álbum já
Darryl Thomas. o produção. foram gravadas e aguardam apenas
Pela pertinência do tema, o vídeo Trata-se de uma música que os apoios para a fase de mistura,
conta com imagens concedidas compõe o álbum ainda na forja masterização e replicação.
“D’Manyissa Instrumental Volu- A.S

“Não sou ninguém”


F
oi recentemente lançado o cia, desde o amor, a esperança,
livro de poesia intitulado o medo, a família, entre outros.
Não Sou Ninguém do jovem Sua poesia dá voz aos mais des-
escritor Anísio da Concei- favorecidos.
ção. “Importa saber que a palavra Como poeta, alerta-nos com o
tem poder. Este verso, extraído do
poema Mistérios da palavra, da pá-
seu olhar de águia, aos perigos
que advêm da globalização, o
Assinatura do jornal
gina 103, lembra-me como se fos- nascimento de um mundo ab- A partir de 01 de Agosto de 2017
se ontem. As emoções vividas em surdo, em que novos valores
2009, no bairro de Chinonanquila,
no distrito de Boane, no comício
agridem os nossos hábitos e DESTINO PERÍODO
culturas, às vezes com valores
dirigido pelo antigo Presidente da estranhos à nossa vivência que Trimestral Semestral Anual
república, Sua Excelência Joaquim se confundem com o apocalip-
Alberto Chissano, após a minha
se, tomando de referência o ano TODO O PAÍS 1.000,00mt 1.850,00mt 3.500,00mt
declamação de dois poemas, per-
2000, o funeral do mundo velho USD 20,00 USD 35,00 USD 60,00
guntou-me, jovem, o que fazes? Eu
e o advento de novos valores es-
respondi sou estudante. E ele dis-
tranhos à nossa vivência como
se vá em frente, tens futuro... Bem
disse Sua Excelência. O tempo não elementos de uma cultura que PAÍSES DA SADC USD 40,00 USD 75,00 USD 130,00
tardou. Nove anos depois a profecia se conservava sólida, com um
se concretiza. Estas palavras foram comando único e ideais pró-
prios. Lembra-nos com sauda-
uma autêntica profecia”, conta Aní-
des o tempo em que as gerações
RESTO DO MUNDO USD 50,00 USD 100,00 USD 200,00
sio da Conceição.
O escritor Bee Yoni, O Dragão escutavam os seus mestres, os
escreve no prefácio do livro que
genho e visão profunda, descreve vários
mais velhos dentro da estrutura
Assinatura versao 1.550,00Mt 2.480,00Mt 4.340,00Mt
“nesta obra intitulada “Não Sou cultural. A voz dos mais velhos
Ninguém”, o poeta, com o seu en- tempos que constituem a nossa essên- era uma ordem”, destaca. A.S electrónica USD 25,00 USD 40,00 USD 70,00

Cada período é renovável em qualquer altura do ano.


“A Magia do perfume na Cacimba” Entrega ao domicílio nas Cidades de Maputo, Matola e Beira.

F
Aceitamos propostas para novos agentes, distribuidores
oi apresentado publicamen- existencial das tradições e valores bertação da sociedade. Com rea-
te, no dia 17 do corrente culturais das famílias. Entre o pre- lismo desnudam as implicações da e angariadores de assinaturas em todo território nacional.
mês, no Camões – Centro sente e o futuro, mora a incerteza responsabilização feminina pela
Cultural Português em Ma- do desfecho da luta entre o velho governação doméstica da família.
puto, o livro do autor Gonçalo
Ferrão Júnior, denominado “A
e o novo. O realinhamento. A
reidentificação. A redefinição do
Resignificam os ritos de iniciação
e a virgindade. Requalificam o lo-
Para mais informação contacte:
Magia do Perfume na Cacimba”, conceito da família. O futuro do bolo. Escamoteiam os casamentos
sob a chancela da Alcance Edito- papel da mulher. Estas linhas são prematuros e a mutilação dos ór-
res. um convite apaixonante, vibrante, gãos sexuais sobre a poligamia, o
Miguel Bila, 82 4576190 / 84 0135281 / 87 0135281
de algumas peripécias de mulhe- amantismo. Refutam a submissão (miguel.bila@mediacoop.co.mz, mediafax@mediacoop.co.mz, mediafaxm@gmail.com)
Este livro tem muitos valores cul- res buscando soluções aos desafios e subserviência da mulher ao ho-
turais que nos identificam, como da mudança face à insegurança mem e reencontram nos caminhos Danilo Matsimbe, 82 7356980 / 84 5723175
pessoas, famílias e povos são hoje das relações conjugais e amorosas do saber, da independência econó-
confrontados com a imperativi- em tempos de modernidade. As mica, o cometimento para a per- APBX, 21 327631 / 21 301737 / 82 3171100 / 84 3171100
dade da mudança no comboio da mulheres neste romance ques- sistência na luta pela emancipação
globalização. A velocidade eston- tionam todas as grilhetas que as da sociedade, com igualdade de
Fax, 21 302402 / 21 304265 admc@mediacoop.co.mz
teante das exigências dos tem- amarram à condição de humanos direitos e deveres entre homens e
pos da modernidade gera a crise subalternos responsáveis pela li- mulheres. A.S
Dobra por aqui
SUPLEMENTO HUMORÍSTICO DO SAVANA Nº 1302 ‡21 DE DEZEMBRO DE 2018
2 Savana 21-12-2018 SUPLEMENTO Savana 21-12-2018 3
OPINIÃO
Savana 21-12-2018 27

Abdul Sulemane (Texto)


Naíta Ussene (Fotos)

PR não convenceu
E
stamos nos derradeiros momentos para o presente ano
findar. As conversas estão nestas festas que sempre car-
acterizaram. As dificuldades sempre estiveram presente
na vida dos moçambicanos. Mas quando chega este
momento fazemos de tudo para festejar de forma condigna.
Agora o assunto do dia foi o informe do Presidente da Repúbli-
ca sobre o estado da nação.
Reparem que sempre constatamos que estes informes nunca
foram de encontro com os anseios da população. Ficam sem-
pre longe da realidade.
Quando vamos ter informação credível sobre a realidade do
país?
Por isso os comentários não demoraram. Estamos a ver algu-
mas pessoas a comentarem sobre o assunto. Na primeira ima-
gem aparece Henny Matos, Manuela Soeiro e Adelino Bran-
quinho a fazerem o seu julgamento.
São vários assuntos que queríamos ouvir com mais claridade.
A sociedade moçambicana quer saber de soluções dos vários
problemas que enfrenta. Devem estar a comentar sobre isso
Júlio Carrilho e o artista plástico Ndlozy.
Como sabemos os membros do partido no poder sempre con-
cordam com que é dito pelos seus superiores. Constatamos isso
pela conversa travada entre Augusto Fernando, vice-Ministro
dos Recursos Minerais e Energia e Arlindo Chilundo, antigo
governador da província de Niassa.
Para outros o informe é motivo para sarcasmo. Estavam na ex-
pectativa de ouvir algo novo sobre o país. Presumimos isso na
conversa acompanhada de risada entre os escritores Armando
Artur e Nelson Saúte. Devem ter encontrado motivos para rir.
Como a esperança é última coisa a morrer algumas pessoas
têm esse ditado para o futuro. O desejo para que as coisas mel-
horem é sempre patente em nós. Não é por acaso que Evaristo
Abreu, actor de teatro, Eldorado Dabula e o músico Cheny Wa
Gune preferiram posicionar-se com um olhar sobre o que vai
acontecer futuramente. Esperamos que da próxima o cenário
dos informes mude. Queremos ouvir sobre o que mais nos
preocupa e as respectivas soluções. Parem com essa ladainha.
À HORA DO FECHO
www.savana.co.mz EF%F[FNCSPEFt"/0997t/o 1302

iz- se
D
IMAGEM DA SEMANA Foto: Ilec Vilanculos
D i z - se.. .

t 0FTUBEPEBOBÎÍP VNJOGPSNFBDSJUJDBNFOUFBQMBVEJEP


OPTTFDUPSFTQSØHPWFSOBNFOUBJT NPTUSPVRVFPEJTDVS-
TPBOEBEFTDPOFDUBEPEPTBDUPT4FQPSVNMBEPGBMBTF
EBOFDFTTJEBEFEFSBDJPOBMJ[BÎÍPEBEFTQFTBQÞCMJDB QPS
PVUSP BTTJTUJNPTBHBTUPTEFTOFDFTTÈSJPTDPNBJNQSFTTÍP
EPEJTDVSTPFNMJWSJOIPTMVYVPTPTOVNBBMUVSBFNRVFPT
NFJPTEJHJUBJTQPEFNBKVEBSBQPVQBS

t &NPVUSPTTFDUPSFTNBJTDSÓUJDPTEFGFOEFTFBOFDFTTJEB-
EF VSHFOUF EF VNB SFWJTÍP DPOTUJUVDJPOBM QSPGVOEB RVF
DPMPRVF P FNQSFHBEP EP QPWP B TFS RVFTUJPOBEP QFMPT
NBOEBUÈSJPTEPTiQBUSÜFTw FMJNJOBOEPTFBTFOGBEPOIBT
QBTTFBUBT BOVBJT .BT Ï DPJTB EJGÓDJM EF TFS SFBDPNPEB-
EBQFMBfreli RVFBJOEBEFWFUFSBUSBWFTTBEPOBHBSHBOUB
PTCBUVRVFT BQJUPTFBQVQPT NBHJTUSBMNFOUFPSJFOUBEPT
QFMP BTTBTTJOBEP EFQVUBEP 1POEFDB  DPOUSB VNi&TUBEP
EBOBÎÍPwEF+$FN FNQSPUFTUPDPOUSBBSPVCBMIFJ-
SBFMFJUPSBMEF

t i0TTFVTBOPTEFHPWFSOBÎÍP BTVBQSPGVOEBDPNQSFFO-


TÍP EPT EFTBmPT EP QBÓT F TVB DBQBDJEBEF EF BQSFTFOUBS
Exxon contrata empresa de segurança em Cabo Delgado P*OGPSNFEFNBOFJSBUÍPJOUFSFTTBOUFQSPEV[JSBNVNB
EBTNBOIÍTNBJTNFNPSÈWFJTEBIJTUØSJBEPOPTTPQBÓT

A
1FTTPBMNFOUF BQSFDJFJBTVBBCPSEBHFNFNBOUFDJQBSBT
multinacional norte-ame- FOUFOEJNFOUP DPN BT 'PSÎBT EF QBSB B QSPUFDÎÍP EPT TFVT WFÓDVMPT FYQFDUBUJWBTEPTDJEBEÍPT/BNFNØSJBEPQBÓT PTFVJO-
ricana Exxon Mobil vai %FGFTBF4FHVSBOÎBNPÎBNCJDBOBT  EVSBOUF P QFSDVSTP FOUSF 1FNCB F
GPSNFQPOUJmDBDPNPEPTNFMIPSFTRVFEFGPSNBIBSNP-
contratar uma empresa de EFWFOEPNBOUFSVNBQBSDFSJBDPN 1BMNB
segurança para a protec- BT BVUPSJEBEFT EP QBÓT QBSB BDÎÜFT 0QPSUBMEFOPUÓDJBTTPCSF.PÎBN- OJPTB DPNCJOBBBSUFEFCFNDPNVOJDBSDPNBWFSEBEFw
ção dos seus trabalhadores e ins- EFGFOTJWBTFEFSFTQPTUBOPDBNQP CJRVF;JUBNBSTPVCFRVFNFNCSPT .BOP&7WÈDPNDBMNB2VBOEPBFTNPMBÏHSBOEFBUÏ
talações no distrito de Palma, pro- EBTFHVSBOÎB EBT 'PSÎBT EF %FGFTB F 4FHVSBOÎB PQPCSFEFTDPOmB
víncia de Cabo Delgado, assolado 0T UFSNPT EF SFGFSÐODJB JODMVFN NPÎBNCJDBOBT UÐN BTTFHVSBEP
por ataques de grupos armados. B QSPWJTÍP EF WFÓDVMPT Ë QSPWB EF QSPUFDÎÍPBWFÓDVMPTEB"OBEBSLP t %FQPJTEPDPOUSPWFSTPQSPDFTTPEFJOEVMUPTFN P
CBMB DBQBDJEBEFEFSFTQPTUBBQBS- 0OPSUFEBQSPWÓODJBEF$BCP%FM- FOHFOIFJSPEPQMBOBMUPWPMUPVBDPODFEFSNBJTJOEVMUPTB
0 JOUFSFTTF EB &YYPO FTUÈ FYQSFT- UJSEBDBQJUBMEBQSPWÓODJBEF$BCP HBEPUFNTJEPnBHFMBEPQPSBUBRVFT QFSUPEFSFDMVTPT PRVFQPEFBKVEBSOPDBNQBOIB
TP OVN BOÞODJP EJWVMHBEP QFMB %FMHBEP  1FNCB  F B JOTUBMBÎÍP EF EFHSVQPTBSNBEPTEFTEF0VUVCSP
EF EFTDPOHFTUJPOBNFOUP EBT DBEFJBT F UBNCÏN EFTBmB-
.P[BNCJRVF 3PWVNB 7FOUVSF DFOUSPT EF PQFSBÎÜFT FN 1FNCB F EP BOP QBTTBEP  UFOEP QSPWPDBEP
.37
 DPOTØSDJP MJEFSBEP QPS 1BMNB  QBSB B TVQFSWJTÍP EF SPUBT EF[FOBTEFNPSUPT EFTMPDBÎÜFTEF
MPTBTFSFNNBJTFTUÈWFJTFDPOmBOUFTGPSBEBTHSBEFT
BRVFMB NVMUJOBDJPOBM OPSUFBNFSJ- VTBEBT QFMB .3. FOUSF 1FNCB F QPQVMBÎÜFTFEFTUSVJÎÍPEFQSPQSJF-
DBOB FRVFWBJEFTFOWPMWFSVNQSP- 1BMNB EBEF t " MVUB QFMP QPMFJSP OB QFSEJ[ FTUÈ BP SVCSP %FQPJT EF
KFDUP EF QSPEVÎÍP EF (ÈT /BUVSBM " "OBEBSLP  RVF WBJ EJSJHJS VN 0(PWFSOPNPÎBNCJDBOPUFNUSB- .PNBEF  CSJHBEFJSP &MJBT F BHPSB P BDUVBM 4(  FTUÈ OB
-JRVFGFJUP (/-
OBQFOÓOTVMBEF PVUSP DPOTØSDJP FOWPMWJEP OB QSP- UBEPBRVFTUÍPDPNPBDÎÍPEFiNBM- SBNQBEFMBOÎBNFOUPVNPVUSPHFOFSBMGBNPTPQFMBTTVBT
"GVOHJ EVÎÍPEF(/-FN"GVOHJmSNPV GFJUPSFTw  NBT BUÏ BHPSB BJOEB OÍP JODVSTÜFTFTQFDUBDVMBSFTEVSBOUFBHVFSSBEPTBOPTMÈ
"DPNQBOIJBBTFSDPOUSBUBEBUFSÈ VNFOUFOEJNFOUPDPNBT'PSÎBTEF DPOTFHVJV BDBCBS DPN B WJPMÐODJB QBSBBTCBOEBTEF.VUBSBSB "MUB;BNCÏ[JBF.BSSPNFV
EF FTUBCFMFDFS VN NFNPSBOEP EF %FGFTBF4FHVSBOÎBNPÎBNCJDBOBT OBSFHJÍP 0DPOHSFTTPEF(PSPOHPTBFTUÈBPWJSBSEBFTRVJOB

...Francesa Neoen e EDM constroem central solar t .BJTDPOGVTÍPDPOUJOVBFN$BCP%FMHBEP&ORVBOUPP

A
empresa francesa Neoen e FTUFQSPKFDUPDPNPQSJPSJUÈSJPw EFDMB- "MÏN EF TFSWJS BT GBNÓMJBT  B DFOUSBM FOHFOIFJSP EP QMBOBMUP BOVODJBWB P 1BSMBNFOUP RVF BT
a EDM vão construir uma SPVPNJOJTUSPEPT3FDVSTPT.JOFSBJT WBJGPSOFDFSFOFSHJBËTNJOBTEFHSB- GET FTUÍP B GSBHJMJ[BS PT JOTVSHFOUFT FN $BCP %FMHBEP 
central eléctrica solar na F&OFSHJBEF.PÎBNCJRVF .BY5P- mUFEF"ODVBCFF#BMBNBFBPQSPKFD- OPUFSSFOPBTJUVBÎÍPNPTUSBTFDBEBWF[NBJTDSÓUJDB0T
província de Cabo Delgado, OFMB  HBSBOUJOEP NBJPS iTFHVSBOÎB F UP EF FYUSBDÎÍP EF BSFJBT QFTBEBT EF JOTVSHFOUFTBUJOHJSBNPTFYUPEJTUSJUPEBQSPWÓODJBFDSFT-
orçada em 50 milhões de euros, foi mBCJMJEBEFOPGPSOFDJNFOUPEFFOFS- .PNB DFBKVTUJÎBQFMBTQSØQSJBTNÍPT QPSQBSUFEBQPQVMBÎÍP 
esta semana anunciado em Maputo. HJBBPQBÓTw 0 FNQSFFOEJNFOUP TFSÈ EFTFOWPM-
%VSBOUF B GBTF EF DPOTUSVÎÍP  TFSÍP DPNPKPWFNHPWFSOBEPSBBQFMBSBPSFHSFTTPBPTWFMIPT
WJNFOUP OVNB ÈSFB EF  IFDUBSFT 
0 FNQSFFOEJNFOUP TFSÈ FSHVJEP OP DSJBEPT  FNQSFHPT  BDSFTDFOUPV P POEFWÍPTFSJOTUBMBEPTEJWFSTPTFRVJ- UFNQPTEFWJHJMÉODJBQPQVMBS
EJTUSJUP EF .FUPSP F UFSÈ DBQBDJEBEF HPWFSOBOUF QBNFOUPT FOUSFPTRVBJTPTNØEVMPT
EFQSPEVÎÍPEFFOFSHJBEF(8I  $ZSJM 1FSSJO  EJSFDUPS EB /FPFO FN
GPUPWPMUBJDPTRVFWÍPDBQUBSBMV[TP- Em voz baixa
.PÎBNCJRVF  FMPHJPV B DPMBCPSBÎÍP
RVFTFSÈGPSOFDJEBËFNQSFTB&%.B MBS
EP (PWFSOP NPÎBNCJDBOP F DPNV-
QBSUJSEPQSJNFJSPUSJNFTUSFEF /PDPOTØSDJP B/FPFOWBJEFUFS t *SSJUBEPTFTUÍPBMHVOTTFDUPSFTDPNBBMFHBEBEFTPOFTUJEB-
OJEBEFTMPDBJTOPEFTFOWPMWJNFOUPEB
"FOFSHJBTPMBSRVFTFSÈQSPEV[JEBOB JOJDJBUJWB EBDFOUSBMFB&%.PTSFTUBOUFT EFFNBOJQVMBÎÍPEFOÞNFSPTOPUVSJTNP"TBVUPSJEBEFT
JOGSBFTUSVUVSBWBJCFOFmDJBSNJM 5SBUBTF EP FRVJWBMFOUF BP DPOTV- 0DPOUSBUPDPNP(PWFSOPNPÎBN- GBMBNEFVNBVNFOUPEFEFOÞNFSPEFWJTJUBOUFT
QFTTPBT F BT PCSBT EB DFOUSBM WÍP BS- NP EF  QFTTPBT F B  EBT CJDBOPQSFWÐVNBDPODFTTÍPEP&TUB-
SBODBSOPTFHVOEPTFNFTUSFEF
FBDSFTDFOUBSBNRVFNBJTEFNJMWJTJUBOUFTQPEFSÍP
OFDFTTJEBEFT EF 1FNCB  DBQJUBM QSP- EPËOPWBTPDJFEBEFQPSBOPT
0 QSPKFDUP TFSÈ mOBODJBEP QFMB WJODJBM  FTQFSBOEPTF RVF DPOUSJCVB %BEPT TPCSF P QSPKFDUP SFGFSFN RVF BUSBWFTTBSBTGSPOUFJSBTOBRVBESBGFTUJWB DPOUSBNJM
"HÐODJB'SBODFTBEF%FTFOWPMWJNFO- QBSB P BVNFOUP EB FMFDUSJmDBÎÍP SV- NJMFVSPTTFSÍPBOVBMNFOUFJOKFD- EPBOPQBTTBEP"EF%F[FNCSPEF BNJHSBÎÍP
UP "'%
 SBM BUFOEFOEPËQSPDVSBDSFTDFOUFEF UBEPTOBFDPOPNJBMPDBMFFNJOJDJB- GBMBWBEFNJMFOUSBEBT)BKBWFSHPOIB
i0(PWFSOPNPÎBNCJDBOPDPOTJEFSB FOFSHJBOBSFHJÍPOPSUF UJWBTTPDJBJT
Savana 21-12-2018 1
EVENTOS

EVENTOS
0DSXWRGH'H]HPEURGH‡$12;;9‡1o 1302

BNI prepara fundo para industrialização

O
Banco Nacional de Inves- prazos, taxas de juro, entre outras baixas, o que dificulta o acesso ao com uma carteira global de crédito ciável enquanto os respectivos
timento (BNI), a Confe- condições. financiamento ao nível da banca na ordem de 64%, o que demons- preços crescem mais rápido, as-
deração das Associações O BNI, na qualidade de banco do comercial. tra o seu conhecimento sobre a pectos que podem afectar a nossa
Económicas (CTA) e o Estado, associa-se à ideia com o “Perante esta realidade, os fundos realidade do acesso ao crédito para competitividade”, apontou Agos-
Ministério da Indústria e Comér- papel de estruturar o fundo, rea- de investimento têm sido larga- industrialização. tinho Vuma, Presidente da CTA.
cio assinaram, semana passada, lizar análises de viabilidade e sus- mente usados por muitos países Por seu turno, a CTA, em repre- O Ministério da Indústria e Co-
um memorando de entendimento tentabilidade técnica e financeira, para o desenvolvimento das suas sentação do sector privado, tem mércio irá disponibilizar o mapea-
para constituição de um fundo de gerir a componente financeira no indústrias. Os fundos de investi- como missão no processo identifi- mento da situação actual do sector
investimento com vista ao finan- período de implementação e as- mento têm a vantagem de poder car e apoiar as empresas nacionais industrial nacional, bem como
as necessidades de investimento,
ciamento do sector industrial. segurar a mobilização de recur- aglutinar recursos financeiros de produtoras para exploração dos
para permitir a definição dos ter-
sos financeiros através dos seus vários investidores, nacionais e mercados identificados e estabe-
mos e condições de financiamento
A iniciativa enquadra-se na Po- potenciais parceiros financeiros, internacionais, num único fundo, lecer acordos de parceria para a
ajustados à realidade da indústria
lítica e Estratégia Industrial, que sobretudo a nível regional e inter- conferindo-lhe assim capacidade exportação, assim como a identi- local.
compreende um período de im- nacional. para financiar grandes projectos”, ficação das necessidades de capa- O sector industrial em Moçam-
plementação entre 2016 – 2025, e Os projectos do sector industrial explicou Tomás Matola, PCA do citação reais das empresas. bique contribui com 12% para
visa responder à carência de cré- são maioritariamente de capital BNI. “A maior parte das nossas uni- o Produto Interno Bruto (PIB),
dito em condições que se ajustam intensivo, com valores de inves- Actualmente, o BNI tem como dades industriais são de escala uma percentagem considerada
às características da actividade timento elevados, prazos de recu- uma das suas principais áreas de pequena em que a sua produção baixa, tendo em conta as poten-
industrial em termos de volume, peração longos e taxas de retorno financiamento o sector industrial cresce de forma muito negligen- cialidades que o país possui.

Multichoice Moçambique com nova grelha de conteúdos

F
oi apresentada pu- dos da MultiChoice Africa, Só- durante os mais de 24 anos em sivo que oferecemos nos nossos ra do Infinito” que estreia
blicamente, na nia Sengupta, que deu à mídia que operamos em Moçambique”. canais SuperSport, os mais novos em Moçambique no canal
quinta-feira passa- uma oportunidade de aprender “Os nossos clientes são a nossa blockbusters de Hollywood dis- TVC1 (550).
da, pela Multichoice sobre a variedade de conteúdos prioridade número um e com o poníveis através do nosso serviço A MultiChoice é uma
Moçambique, uma emo- internacionais na programação actual fluxo contínuo de conteú- de valor acrescentado BoxOffi- equipe com mais de 2.750
cionante experiência de para os próximos seis meses. dos disponível através de várias ce e nos nossos canais de filmes funcionários em tempo
primeira linha do novo Na ocasião, a directora de Ma- mídias, estamos empolgados por Cinemundo, Fox Movies, DStv integral e mais de 14 mil
conteúdo televisivo que rketing, Comunicação e RP da podermos disponibilizar para os Pipoca, TVC, M-Net e outros”, contratados e agências in-
em breve fará sua estreia MultiChoice Moçambique, Jónia nossos clientes, tipos variados de explicou Presado. dependentes e instaladores
em toda a plataforma Presado, destacou a importância desporto como futebol, Luta Li- Sónia Sengupta também explicou credenciados que colecti-
DStv. desta inovação e referiu que a vre (WWE), Moto GP, Formula como funciona o mundo de con- vamente oferecem o maior
A vitrine de conteúdos foi MultiChoice sempre buscou ofe- 1, Tennis, Golf e muitas outras teúdos e apresentou vários trailers entretenimento do mundo
apresentada pela directora recer “aos nossos clientes o me- modalidades. Temos orgulho de dentre eles o sucesso de bilhe- para mais de 49 países da
de Estratégia de Conteú- lhor em entretenimento de vídeo poder transmitir desporto exclu- teira “Os Vingadores”, “A Guer- África Subsaariana.
2 Savana 21-12-2018
EVENTOS

Vale acolhe recém-


-formados do INEP
O
Ministério do Trabalho, materialização do memorando, a
Emprego e Segurança So- Vale Moçambique efectuou a en-
cial (MITESS), através trega de 30 kits de auto-emprego
do Instituto Nacional do a igual número de beneficiários,
Emprego (INEP) e a Vale Moçam- formados em Mecânica Auto bem
bique assinaram, na passada sexta- como Canalização, pelas delegações
-feira, um memorando de enten- do IFPELAC da cidade e província
dimento com vista à inserção dos de Maputo.
recém-formados na vida activa e Para Juvenal Dengo, director-geral
à promoção do auto-emprego, por do INEP, a assinatura do memo-
via de estágios pré-profissionais rando faz jus às acções do Governo,
nas unidades produtivas daquela com vista ao envolvimento do sec-
mineradora e da atribuição de kits tor privado na promoção de opor-
aos melhores graduados do Ins- tunidades de emprego aos moçam-
tituto de Formação Profissional e bicanos, em particular aos jovens.
Estudos Laborais Alberto Cassi- A aposta nos estágios pré-profis-
mo (IFPELAC), respectivamente. sionais e no auto-emprego, segun-
do Juvenal Dengo, resulta da cons-
Para o efeito, o INEP passará, tatação e análise das dinâmicas do
entre outras acções, a inscrever e mercado de trabalho a nível nacio-
seleccionar candidatos a estágios nal e internacional, que apontam,
pré-profissionais, fornecer à Vale entre outros factores, as inovações
Moçambique a relação dos recém- tecnológicas como dinamizadores
-graduados inscritos nos centros do sector produtivo e da economia,
de emprego, emitir certificados de o que tem resultado no aumento da
estágio pré-profissional, inscrever e eficiência e da produtividade, bem
seleccionar os beneficiários de kits como na redução de empregos for-
para o auto-emprego e monitorar mais.
as suas actividades. Para o gerente de Relações Ins-
A Vale Moçambique, por seu turno, titucionais da Vale Moçambique,
vai disponibilizar ao INEP listas de Bruno Chicalia, a assinatura do
estágios por especialidade, idade e memorando e a oferta de kits de
sexo, elaborar, semestralmente, re- auto-emprego visam fazer face aos
latórios de acompanhamento e ava- enormes desafios impostos pelo
liação do estágio, divulgar e facilitar mercado de trabalho, como são os
o acesso à informação sobre vagas casos da falta de experiência por
no seu Programa de Estágios para a parte dos candidatos ao primeiro
comunidade, bem como os critérios emprego, assim como de equipa-
de selecção, entre outras acções. mentos para aplicar o conhecimen-
Entretanto, como primeiro sinal da to que os jovens detêm.

Agenda Cultural
Cine-Gilberto Mendes
Sextas, Sábados, Domingos e Feriados 18h30
Apresenta“Mae Coragem”
Maputo Waterfront
Todas Sextas, 19h
Jantar Dancante com Alexandre Mazuze
Todos Sábados, 19h
Música com Zé Barata ou Fernando Luís
Todos Domingos, das 13/18h
Animacao com DJ
31 de Dezembro
Reveillon
Chefs Restaurante
Todas Sextas, 19h Música ao vivo
3
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018
EVENTOS
4
DIVULGAÇÃO
EVENTOS Savana 21-12-2018

Avaliação da qualidade dos serviços de saúde e das práticas de corrupção existentes


nas Unidades Sanitárias: casos dos distritos de Namaacha e Marracuene

Contextualização viços prestados não são de qualidade apontaram os seguintes


Recentemente, a Sociedade Aberta em parceria com as Plata- elementos: i) falta de cumprimento do horário do início do aten-
formas da Sociedade Civil de Namaacha e Marracuene reali- dimento nas Unidades Sanitárias, ii) fraca alocação e gestão de
zou um estudo de avaliação da qualidade da prestação dos medicamentos para fazer face às frequentes rupturas, iii) neces-
serviços de saúde e das práticas de corrupção que ocorrem sidade de introdução dos serviços de Raio X e de cirurgia, iv)
nas Unidades Sanitárias nos dois distritos. QHFHVVLGDGHGHPDLRUÁH[LELOLGDGHQRDWHQGLPHQWRDRVGRHQWHV
O estudo teve em consideração as duas pesquisas nacionais UHGX]LQGR DV ORQJDV ÀODV GH HVSHUD SDUD R DWHQGLPHQWR Y  QH-
sobre Governação e Corrupção realizadas pelo Governo em FHVVLGDGHGHDORFDomRGHSURÀVVLRQDLVGHVD~GHHDFRQVWUXomR
2005 e 2010, com o objectivo de colher percepções de agentes de suas residências, vi) necessidade de alocação da máquina de
do sector privado, funcionários públicos e agregados familia- medição de tensão arterial e as respectivas pilhas de reposição,
res sobre a governação, práticas corruptas e a qualidade dos YLL  XVR H[FHVVLYR GR WHOHPyYHO SRU SDUWH GRV SURÀVVLRQDLV GH
serviços prestados pelo sector público no país. Os resultados saúde, e viii) fraco acompanhamento dos estagiários por parte
destas pesquisas mostraram cinco sectores considerados crí- dos técnicos seniores.
ticos em matéria de corrupção, designadamente, o Ministério
do Interior, o Ministério das Finanças, o Ministério da Edu- Ocorrência de práticas corruptas nas Unidades Sanitárias
cação e Cultura (actualmente Ministério da Educação e De- Quanto às práticas corruptas nas Unidades Sanitárias, 32% dos
senvolvimento Humano), o Ministério da Saúde e o sector da LQTXLULGRV FRQÀUPRX D VXD RFRUUrQFLD  DÀUPRX TXH QmR H
Administração e Justiça. 23% referiu que não sabia se acontecem ou não práticas corrup-
Neste contexto, o estudo feito pela SA teve foco no sector da tas nas Unidades Sanitárias. Ainda sobre os actos de corrupção,
saúde, que é uma das áreas de sua intervenção. Tinha como do total dos inquiridos 20% mencionou que ocorrem práticas de
objectivo captar a percepção de utentes das Unidades Sani- suborno nas maternidades, 46% referiu que não e 34% disse que
tárias, membros dos Conselhos Consultivos, Líderes Comu- não sabia se existiam práticas de suborno nas maternidades.
nitários, Plataformas Distritais, Funcionários das Unidades
Sanitárias em relação à qualidade dos serviços e as práticas 'RVLQTXLULGRVTXHFRQÀUPDUDPDRFRUUrQFLDGHDFWRVGHFRUUXS-
de corrupção que ocorrem nas Unidades Sanitárias. ção nas Unidades Sanitárias, citaram como práticas: i) introdu-
Além da revisão da literatura, a recolha de informação foi fei- omRGHYDORUHVPRQHWiULRVQDVFDGHUQHWDVHÀFKDVLL FREUDQoDGH
ta através da administração de um inquérito a 238 pessoas, suborno pelos serventes e enfermeiros, como forma de acelerar
dentre Directores das Unidades Sanitárias, Técnicos de Saú- o atendimento aos doentes, iii) pagamento as enfermeiras para
de, Comité de Gestão de Saúde, Chefes das Localidades, Con- UHPRYHULPSODQWHVLY FREUDQoDGHVXERUQRSHORVSURÀVVLRQDLV
selhos Consultivos, Líderes Comunitários, Plataformas Dis- da saúde para solicitar um documento com celeridade, v) atendi-
tritais e Comunidades/utentes dos dois distritos. O processo mento preferenciado a familiares e conhecidos, vi) desvio/com-
cobriu11 localidades, das quais 4 de Marracuene (Michafu- pra/venda de medicamentos de que a farmácia não dispõe.
tene, Ngalunde, Macaneta e Marracuene – Sede) e 7 de Na- No que se refere ao desvio de medicamentos nas Unidades Sani-
maacha (Kala-Kala, Impaputo, Goba, Mahelane, Changalane tárias, em particular, do total dos inquiridos 40% disse que não
Sede, Mafuiane e Michangulene). há desvio de medicamentos, 37% referiu que não sabia se os fár-
Dentre outros aspectos, a pesquisa permitiu recolher infor- PDFRVVmRGHVYLDGRVSDUDRXWURVÀQVHGLVVHTXHKiGHVYLR
mação referente ao seguinte: i) qualidade da provisão dos de medicamentos nas Unidades Sanitárias. Para este grupo, os
serviços de saúde; ii) ocorrência das práticas corruptas nas serventes, técnicos de saúde e enfermeiros são os que desviam
Unidades Sanitárias de Namaacha e Marracuene; iii) as prin- medicamentos para a venda no mercado informal, nas farmácias
cipais causas da corrupção; iv) mapeamento dos actores en- SULYDGDVHSDUDÀQVSHVVRDLV
volvidos nos casos de corrupção nas Unidades Sanitárias. Por sua vez, 37% (inquiridos que não sabem se há desvio de me-
GLFDPHQWRV DÀUPDTXHKiIDOWDGHPHGLFDPHQWRVQDVIDUPiFLDV
Qualidade dos serviços de saúde nas Unidades Sanitárias públicas e os utentes não recebem a medicação completa. Os pro-
Relativamente à provisão dos serviços de saúde, do total dos ÀVVLRQDLVGHVD~GHDFRQVHOKDPRVXWHQWHVDVHGLULJLUHPDXPD
inquiridos, 64% referiu que os serviços prestados são de qua- farmácia privada para comprar a outra parte dos medicamentos,
lidade; 11% disse que não o são e 25% respondeu que são pois do total dos receitados pelo técnico apenas conseguem com-
mais ou menos. Para os que defendem que os serviços são prar 1 ou 2 tipos e não sabem se nesse processo há ou não desvio
GH TXDOLGDGH DOHJDP TXH DSHVDU GD LQVXÀFLrQFLD GRV SUR- de fármacos.
ÀVVLRQDLV GH VD~GH RV XWHQWHV WrP UHFHELGR R DWHQGLPHQWR
geral, tal como os primeiros socorros, serviços de urgências. Actores e causas da corrupção nas Unidades Sanitárias
$UJXPHQWDPWDPEpPTXHRVVHUYLoRVSURYLGRVVmRVXÀFLHQ-
tes para responder às necessidades básicas dos cidadãos, que O estudo apurou que na percepção das comunidades as práticas
houve reabilitação de salas de triagem, e melhorias no sanea- corruptas nas Unidades Sanitárias estão relacionadas com: i) sa-
mento das casas de banhos. Igualmente referem que os uten- OiULRVEDL[RVDXIHULGRVSHORVSURÀVVLRQDLVGHVD~GHLL HOHYDGR
tes são atendidos com respeito, há priorização dos doentes custo de vida, iii) mau atendimento aos utentes, iv) Aliciamento
graves no atendimento, caixas de reclamações e sugestões e GRVWpFQLFRVFRPGLQKHLURY H[LVWrQFLDGHORQJDVÀODVYL LQtFLR
um gabinete onde os utentes podem canalizar as suas preo- WDUGLRGRDWHQGLPHQWRSRUSDUWHGRVSURÀVVLRQDLVGHVD~GHYLL 
cupações e os doentes graves são transferidos para Unidades urgência dos utentes por motivo de trabalho, viii) falta de cons-
Sanitárias maiores atempadamente. ciência de que a corrupção é um mal que contribui para a má
Por outro lado, para os inquiridos que referiram que os ser- qualidade dos serviços providos pelo sector da saúde.
5
DIVULGAÇÃO
DESPORTO
Savana 21-12-2018
EVENTOS

3RUVXDYH]QDSHUFHSomRGRVSURÀVVLRQDLVGHVD~GHHGR&R- Unidades Sanitárias.


mité de Co-Gestão os actos de corrupção são causados pelo: i) ‡2VSURÀVVLRQDLVGHVD~GHGHYHPHQWUDUPLQXWRVDQWHV
atraso no pagamento dos salários, ii) necessidade de valor para da hora do início do atendimento para que as 7:30 inicie o
RSDJDPHQWRGH[LWLTXHHQWUHRVSURÀVVLRQDLVGHVD~GHLLL IDO- tratamento aos utentes.
ta de motivação e incentivos, iv) ofertas aliciadoras de dinheiro ‡1RVHFWRUGHHGXFDomRH[LVWHPQRUPDVHVWDEHOHFLGDVTXH
por parte do utente, e v) baixas condições de trabalho e sobre- referem que no tempo de exames o professor não pode
carga de trabalho. levar o celular para a sala. Esta norma pode ser estendida
ao sector da saúde.
Em relação aos actores que praticam actos de corrupção, os re-
sultados da avaliação mostram que há uma percepção de que Práticas de corrupção nas Unidades Sanitárias
normalmente a corrupção nas Unidades Sanitárias é praticada Nesta dimensão foram trazidos os seguintes elementos como
pelos enfermeiros que têm o frequente contacto com os utentes, contribuições:
serventes, médicos, parteiras, técnicos de saúde e de farmácia. ‡+iWHQGrQFLDGHDFRUUXSomRVHUFRQVLGHUDGDFULPHDSHQDV
Os utentes são considerados como as pessoas que iniciam o acto TXDQGRpRSURÀVVLRQDOGHVD~GHDID]HUDFREUDQoDHQmR
de corrupção nas Unidades Sanitárias. TXDQGRRVFLGDGmRVDOLFLDPDRVSURÀVVLRQDLVGHVD~GH
‡ 2V XWHQWHV WrP UHFHLRGLÀFXOGDGHV GH GHQXQFLDU RV SUR-
Apresentação e validação do estudo ÀVVLRQDLV GH VD~GH TXH SUDWLFDP DFWRV GH FRUUXSomR QDV
Com vista a validar o estudo descrito, no dia 12 de Dezembro Unidades Sanitárias.
corrente foi realizado o encontro de apresentação dos resultados ‡&RPRUHVXOWDGRGRWUDEDOKRUHDOL]DGRSHORVHFWRUGDVD~-
do mesmo, que contou com a participação das Plataformas Dis- de e o grupo de combate a corrupção actualmente, alguns
tritais de organizações da Sociedade Civil de Namaacha, Mar- SURÀVVLRQDLV GH VD~GH UHFXVDP VXERUQR GRV XWHQWHV SRU
racuene, Magude, Manhiça, Boane, Matola e Moamba, Serviço medo de represálias por parte da Unidade Sanitária.
Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social de Namaacha e Mar- ‡ 2V SURÀVVLRQDLV GH VD~GH FULDP FRQGLo}HV FRPR R LQtFLR
racuene e o Governo do Distrito de Marracuene. tardio das actividades e a demora no atendimento que in-
citam o utente a prática de corrupção, por isso que alguns
A apresentação do estudo se enquadra no âmbito do dia inter- utentes mentalizaram que devem pagar para ter serviços
nacional de combate a corrupção, celebrado a 9 de Dezembro. de qualidade.
$DFWLYLGDGHIH]SDUWHGRFRQMXQWRGHDFo}HVSODQLÀFDGDVSHODV
RUJDQL]Do}HV GD 6RFLHGDGH &LYLO ÀOLDGDV D &ROLJDomR 7UDQVSD- Recomendações
rência e Justiça Fiscal de que a Sociedade Aberta faz parte. A As recomendações saídas do encontro vão para o Serviço
discussão validou os resultados da pesquisa e trouxe recomen- Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social de ambos distritos
dações que enriquecem o estudo quanto às duas principais di- e incluem o seguinte:
mensões avaliadas.
Qualidade dos serviços
Qualidade dos serviços providos pelas Unidades Sanitárias
As contribuições feitas relativamente a esta dimensão incluíram ‡0HOKRUDURVVDOiULRVGRVSURÀVVLRQDLVGHVD~GHSDUDTXH
o seguinte: estes possam adquirir produtos da primeira necessidade.
‡2VHFWRUGDVD~GHGHYHDXPHQWDUDTXDQWLGDGHGRVPHGLFD- ‡2WpFQLFRGHIDUPiFLDGHYHLQIRUPDUDRVPpGLFRVDTXDQ-
mentos e melhorar a sua distribuição, bem como aumentar o tidade de medicamentos disponível e estes no momento
número de técnicos de saúde alocados às Unidades Sanitá- do atendimento devem comunicar ao utente sobre a sua
rias. disponibilidade na farmácia. Isto ajudará aos técnicos a
‡ +i FDVRV GH SDUWXULHQWHV TXH VH GLULJHP j PDWHUQLGDGH GH passar receitas com medicação alternativa ou informar ao
Nhongonhane e as parteiras não as atendem alegando que paciente sobre a sua falta.
ainda falta muito tempo e quando regressam depois do parto ‡ )D]HU D YHULÀFDomR VHPDQDO GR VWRFN GH PHGLFDPHQWRV H
fora da unidade sanitária são mal atendidas. colocar a folha (lista de medicamentos) com a informação
‡+iXPGpÀFHGHPHGLFDPHQWRVQDV8QLGDGHV6DQLWiULDV nas vitrinas para que os utentes possam saber quais são os
‡2DSDUHOKRSDUDPHGLomRGDWHQVmRIXQFLRQDQDEDVHGHSL- medicamentos disponíveis e que serviços devem ser pa-
lha e o Centro de Saúde não dispõe de pilhas de reposição. gos nas Unidades Sanitárias.
Para minimizar a situação, o centro de saúde disponibilizou ‡,QWHQVLÀFDUDVVXSHUYLV}HVQDV8QLGDGHV6DQLWiULDV
XPDSDUHOKRDREDQFRGHVRFRUURPDVQmRpVXÀFLHQWHSDUD ‡5HDOL]DUHQFRQWURVFRPXQLWiULRVSDUDGLYXOJDomRGRVGLUHL-
a demanda dos utentes, por isso que só os mais graves são tos e deveres dos utentes, da lei do direito à informação.
avaliados.
‡1DKRUDGRODQFKHRVWpFQLFRVGHVD~GHGHYHPID]HUSHUPXWD Práticas de corrupção
entre si com vista a garantir o atendimento contínuo ao uten- ‡'LVSRQLELOL]DURVFRQWDFWRVGR'LUHFWRUGRFHQWURGHVD~GH
te e no caso de não tiver outro técnico para o substituir há e Médico Chefe para denúncia de casos de corrupção e
necessidade de informar aos utentes que vai ausentar-se por mau atendimento nas Unidades Sanitárias, promovendo
alguns minutos. uma solução imediata aos casos.
‡+iQHFHVVLGDGHGHRVHFWRUGDVD~GHDXPHQWDURQ~PHURGDV ‡6HQVLELOL]DUDVFRPXQLGDGHVHRVIXQFLRQiULRVS~EOLFRVVR-
Unidades Sanitárias para reduzir a carga de trabalho dos bre as consequências da corrupção para o sector da saúde.
DJHQWHVDVORQJDVÀODVRWHPSRGHHVSHUDSDUDRDWHQGLPHQ- ‡,QFHQWLYDURVXWHQWHVDGHQXQFLDUDVSUiWLFDVH[LVWHQWHV
WR H DORFDU PmRGHREUD TXDOLÀFDGD (VWDV DFo}HV FRQWULEXL- ‡)RUWDOHFHUDLQWHUYHQomRGRVyUJmRVGHÀVFDOL]DomRDRQtYHO
rão para a redução das práticas corruptas que existem nas local.

Apoio:
Financiamento:
6
DIVULGAÇÃO
DESPORTO
EVENTOS Savana 21-12-2018

MOZAMBIQUE ROVUMA VENTURE S.p.A.


ANÚNCIO PÚBLICO PARA A MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL PARA O PROJECTO ROVUMA LNG DA
ÁREA 4 NA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

A ExxonMobil Moçambique, Limitada (em representação da 8PTXHVWLRQiULRGHSUpTXDOLÀFDomRDGLFLRQDOVHUiHQYLDGRjV


Mozambique Rovuma Venture SpA) (“MRV”) convida todas sociedades que manifestem interesse em realizar este tra-
empresas interessadas, a apresentarem a sua manifestação de in- balho e forneçam os documentos necessários mencionados
teresse (“Manifestação de Interesse”) para estabelecer e gerir um acima. O questionário solicitará informações adicionais rela-
Centro de Desenvolvimento Empresarial para apoiar às opera- cionadas, com:
ções da MRV na República de Moçambique. ,QIRUPDo}HVJHUDLVVREUHRSHUÀOGD(PSUHVD
2. Experiência prévia no desenvolvimento e na gestão dum
ÂMBITO DO TRABALHO Centro de Desenvolvimento Empresarial;
O âmbito do trabalho inclui: 3. Experiência prévia no desenvolvimento e na gestão de um
‡ 'HVHQYROYHU H JHULU XP &HQWUR GH 'HVHQYROYLPHQWR (PSUH- banco de dados de fornecedores;
sarial que vise capacitar as Pequenas e Médias Empresas Mo- 4. Experiência anterior de trabalho em Moçambique;
çambicanas; 5. Estrutura organizacional de Gestão de Projectos proposta
‡)RUQHFHUVHUYLoRVSDUDDPHOKRULDGRVQHJyFLRVWDLVFRPRDYD- para este trabalho;
liação de negócios, análise das lacunas e serviços de consulto- 6. Conteúdo local e planos de desenvolvimento dos fornecedo-
ria e assessoria; res propostos;
‡)RUQHFHUVHUYLoRVGHWUHLQDPHQWRHFRQVXOWRULDSDUDDREWHQomR 7. Demonstração de bons sistemas de saúde/segurança/protec-
GHFHUWLÀFDo}HVGHTXDOLGDGHHVHJXUDQoD ção e estatísticas de desempenho da segurança;
‡2UJDQL]DUHLPSOHPHQWDUVHPLQiULRVHVHVV}HVGHWUHLQDPHQWR 8. Provas de que a sociedade possui sistemas em conformidade
para negócios; com a Lei Anticorrupção no Exterior e com a Lei Anti subor-
‡ $FRQVHOKDU RV IRUQHFHGRUHV PRoDPELFDQRV VREUH FRPR REWHU no do Reino Unido.
DFRQVHOKDPHQWRÀQDQFHLURHGHFDSLWDO
‡ 3DUWLOKDU LQIRUPDomR VREUH IXWXUDV RSRUWXQLGDGHV GH QHJyFLR $ ÀQDOLGDGH GDV LQIRUPDo}HV H GRV GRFXPHQWRV p LGHQWLÀFDU
para apoiar as actividades do LNG Onshore para o Projecto HPSUHVDVTXDOLÀFDGDVTXHWHQKDP
Rovuma LNG; capacidade comprovada e experiência relevante recente para
‡,GHQWLÀFDUHPSUHVDVFRPSRWHQFLDOSDUDSDUWLFLSDUHPQDVDFWL- serem consideradas em caso de um
vidades do LNG Onshore para o Projecto Rovuma LNG;
‡*HULUR3RUWDOGH5HJLVWRGH)RUQHFHGRUHV possível concurso para o desenvolvimento e gestão do Centro
‡'HVHQYROYHUXPPRGHORVXVWHQWiYHOHGHORQJRSUD]RSDUDGDU de Desenvolvimento Empresarial.
continuidade ao Centro para o Desenvolvimento Empresarial.
Somente as sociedades, consórcios ou JV que tenham capacida-
As empresas interessadas em participar neste concurso devem de comprovada e experiência recente no fornecimento dos ser-
ser Moçambicanas ou estar em parceria formal com uma empresa viços acima mencionados serão considerados para o potencial
fornecedora Moçambicana, criando uma entidade para este tra- concurso no âmbito do serviço descrito acima.
balho. Este anúncio não deve ser considerado como um convite para
o concurso e não representa ou constitui uma promessa, oferta,
DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA obrigação ou compromisso de qualquer natureza por parte da
As empresas interessadas neste convite podem enviar a sua Mani- MRV em celebrar qualquer acordo ou convénio com a empresa
festação de Interesse registando e enviando as informações abaixo ou com qualquer sociedade que responda a este anúncio.
através do portal da MRV https://mz.rovumalngsrp.com/. Ao se Todos os dados e informações fornecidos na candidatura não
registar, será necessário seleccionar o código: serão considerados como um compromisso por parte da MRV
SS04BE11 TRAINING: RESEARCH AND DEVELOPMENT em celebrar qualquer contracto ou acordo, nem permitirão que
H HQYLDU XP HPDLO FRQÀUPDQGR R UHJLVWR SDUD R HQGHUHoR a empresa reivindique qualquer indeminização da MRV.
Área4LNGContractsexxonmobilcom@exxonmobil.com 2VGDGRVHDVLQIRUPDo}HVFODUDPHQWHPDUFDGRVFRPR´FRQÀ-
1. Uma cópia da licença válida da Sociedade, emitida pela autori- denciais”, fornecidos de acordo com este anúncio, serão trata-
dade relevante; GRV FRPR FRQÀGHQFLDLV SHOD 059 ([[RQ0RELO 0RoDPELTXH
2. Uma cópia do registo comercial, nome da entidade jurídica e /LPLWDGDH(QL5RYXPD%DVLQ6S$HSHODVVXDVDÀOLDGDVHQmR
pessoa de contacto para a recepção da informação comercial e serão
VREUHDTXDOLÀFDomR divulgados a pessoas ou sociedades não autorizadas.
8PDFySLDGDVGHPRQVWUDo}HVÀQDQFHLUDV5HODWyULR$QXDOGD O prazo para a submissão da Manifestação de Interesse por e-
Sociedade relativos aos últimos três anos, que comprovem a -mail termina no dia 11 de Janeiro de 2019.
FDSDFLGDGHÀQDQFHLUDPtQLPDSDUDDUHDOL]DomRGRkPELWRGR Quaisquer custos incorridos pelas empresas interessadas na
trabalho; preparação da Manifestação de Interesse serão da total respon-
4. A estrutura da sociedade e do grupo com a lista dos principais sabilidade das empresas, e deverão ser totalmente suportados
6yFLRVHEHQHÀFLiULRVÀQDLV VHQmRHVWLYHUHPSUHVHQWHVQDERO- pelas referidas empresas, as quais não terão direito a qualquer
sa de valores); reembolso por parte da MRV e nem direito a nenhum recurso
&HUWLÀFDo}HVGR6LVWHPDGH*HVWmRGD4XDOLGDGHHRX6LVWHPD contra a MRV.
de Gestão da Qualidade em conformidade com as Normas In-
ternacionais de Qualidade;
&HUWLÀFDomRGR6LVWHPDGH*HVWmRGH6D~GHH6HJXUDQoDHRX
documentos que demostrem conformidade com os padrões in-
ternacionais.
7
DIVULGAÇÃO
DESPORTO
Savana 21-12-2018
EVENTOS

MOZAMBIQUE ROVUMA VENTURE S.p.A.


PUBLIC ANNOUNCEMENT FOR EXPRESSIONS OF INTEREST
ENTERPRISE DEVELOPMENT CENTER IN CONNECTION WITH THE ROVUMA LNG PROJECT OF
AREA 4 IN THE REPUBLIC OF MOZAMBIQUE

ExxonMobil Mocambique, Limitada (for and on behalf


of Mozambique Rovuma Venture S.p.A) (“MRV”) invites +HDOWK 6DIHW\0DQDJHPHQW6\VWHPFHUWLÀFDWLRQDQGRU
interested companies to submit their expressions of inte- documents providing the company compliance with interna-
rest (“Expression of Interest”) to establish and operate an tional standards.
Enterprise Development Center in support of MRV’s ope- $Q DGGLWLRQDO SUHTXDOLÀFDWLRQ TXHVWLRQQDLUH ZLOO EH VHQW WR
rations in the Republic of Mozambique. FRPSDQLHV H[SUHVVLQJ LQWHUHVW LQ SHUIRUPLQJ WKLV ZRUN DQG
providing the required documents listed above. The ques-
SCOPE OF WORK tionnaire will request additional information related to the
7KHVFRSHRIZRUNLQFOXGHVWKHIROORZLQJ following:
‡'HYHORSDQGRSHUDWHDQ(QWHUSULVH'HYHORSPHQW&HQWHU *HQHUDOLQIRUPDWLRQDERXWWKH&RPSDQ\SURÀOH
to build capacity of Mozambican Small and Medium En- 2. Prior experience in developing and managing an Enterprise
terprises; Development Center;
‡ 3URYLGH EXVLQHVV LPSURYHPHQW VHUYLFHV VXFK DV SURYL- 3. Prior experience in developing and managing a supplier
ding business assessments, gap analyses, consulting and database;
advisory services; 3ULRUH[SHULHQFHZRUNLQJLQ0R]DPELTXH
‡3URYLGHWUDLQLQJDQGDGYLVRU\VHUYLFHVRQREWDLQLQJTXD- 5. Proposed Project Management organizational structure for
OLW\DQGVDIHW\FHUWLÀFDWLRQV WKLVZRUN
‡2UJDQL]HDQGLPSOHPHQWVHPLQDUVDQGEXVLQHVVWUDLQLQJ 6. Proposed local content and supplier development plans;
sessions; 7. Demonstration of good health / safety / security systems
‡$GYLVH0R]DPELFDQVXSSOLHUVRQKRZWRDFFHVVFDSLWDO and safety performance statistics;
DQGÀQDQFLDODGYLFH 8. Evidence the company has Foreign Corrupt Policy Act and
‡ 6KDUH LQIRUPDWLRQ RI XSFRPLQJ EXVLQHVV RSSRUWXQLWLHV UK Bribery Act compliance systems.
for supporting the Onshore LNG activities for the Rovu- The purpose of the information and documents is to identi-
ma LNG Project; I\ TXDOLÀHG FRPSDQLHV WKDW KDYH WKH SURYHQ FDSDELOLW\ DQG
‡,GHQWLI\EXVLQHVVHVZLWKWKHSRWHQWLDOWRSDUWLFLSDWHLQWKH recent relevant experience to be considered for potential in-
Onshore LNG activities for the Rovuma LNG Project; vitation to tender for the development and operation of the
‡0DQDJHWKH6XSSOLHU5HJLVWUDWLRQ3RUWDO Enterprise Development Center.
‡'HYHORSDVXVWDLQDEOHORQJWHUPPRGHOIRUFRQWLQXDWLRQ Only companies, consortia or JV that have proven capability
of the Enterprise Development Center. and recent experience of supplying the above required ser-
Note, companies ultimately participating in this tender vices will be considered for potential tender for the scope of
PXVWEHD0R]DPELFDQRZQHGHQWHUSULVHRUXQGHUWDNHD service described above.
formal partnership with a Mozambican – owned provider
WRFUHDWHDQHQWLW\IRUWKLVZRUN This enquiry shall not be considered as an invitation to bid
does not represent or constitute any promise, offer obligation
REQUIRED DOCUMENTS RUFRPPLWPHQWRIDQ\NLQGRQWKHSDUWRI059WRHQWHULQWR
Companies interested in this invitation may submit their any agreement or arrangement with you or with any other
Expression of Interest to participate in a tender process by company participating in this enquiry.
registering and submitting the below information on MRV
portal https://mz.rovumalngsrp.com/. When registering, All data and information provided within the application shall
please ensure selection of the commodity code not be considered as a commitment on the part of MRV to en-
SS04BE11 - TRAINING: RESEARCH AND DEVELOP- ter into any agreement or arrangement with you, nor shall it
MENT entitle your company to claim any indemnity from MRV.
DQGVHQGDQHPDLOFRQÀUPLQJUHJLVWUDWLRQWR$UHD/1*- 'DWDDQGLQIRUPDWLRQFOHDUO\PDUNHGDV´FRQÀGHQWLDOµSURYL-
Contractsexxonmobilcom@exxonmobil.com: GHGSXUVXDQWWRWKLVHQTXLU\ZLOOEHWUHDWHGDVFRQÀGHQWLDOE\
1. A copy of Company’s valid license issued by the relevant MRV, ExxonMobil Mocambique, Limitada and Eni Rovuma
authority; %DVLQ 6S$ DQG WKHLU DIÀOLDWHV DQG ZLOO QRW EH GLVFORVHG WR
2. A copy of the trade register, legal entity name and con- non-authorized persons or companies.
WDFW SHUVRQ IRU UHFHLYLQJ TXDOLÀFDWLRQ DQG FRPPHUFLDO The deadline for submission of Expression of Interest through
information; e-mail is set for 11 January 2019.
 $ FRS\ RI &RPSDQ\·V ODVW WKUHH \HDUV RI ÀQDQFLDO VWD- Any costs incurred by the interested companies in preparing
WHPHQWV$QQXDO5HSRUWSURYLQJPLQLPXPÀQDQFLDOFD- the Expression of Interest shall be solely the entire responsibi-
SDFLW\IRUWKHUHDOL]DWLRQRIWKHVFRSHRIZRUN lity of the companies, and shall be fully born by such compa-
4. Company and group structure with the list of major sha- nies which will not be entitled to any reimbursement by MRV
UHKROGHUVDQGXOWLPDWHEHQHÀFLDULHV LIQRWOLVWHGLQWKH and such companies shall have no recourse to MRV.
VWRFNH[FKDQJH 
4XDOLW\0DQDJHPHQW6\VWHPFHUWLÀFDWLRQVDQGRU4XD-
lity Management System compliant with international
Quality Standards;
8
PUBLICIDADE
DESPORTO
EVENTOS Savana 21-12-2018

Anúncio de Vaga
UNFPA, Fundo das Nações Unidas para População, é uma na área de Logística, Cadeia de Suprimentos e/ou ser um
agência internacional de desenvolvimento que trabalha em SURÀVVLRQDOIDUPDFrXWLFRpGHVHMiYHO
prol de um mundo onde cada gravidez é desejada, cada ‡7HURPtQLPRGHDQRVGHH[SHULrQFLDFRPDQRVHPVD~GH
parto é seguro e o potencial de cada jovem é realizado. O reprodutiva/ planejamento familiar ou trabalho relaciona-
UNFPA solícita candidaturas de cidadãos moçambicanos do, dos quais pelo menos 2 anos devem estar na área de
TXDOLÀFDGRVHH[SHULHQWHVSDUDDVHJXLQWHYDJD RHCS Logistic Management;
‡ ([SHULrQFLD HP UHJXODPHQWRV H SURFHGLPHQWRV GH DTXLVL-
Posto # e título: Posto nº 19419, Ponto Focal para omR ÀQDQFLDPHQWR H FRQWUDWDomR GD 218 VHUi XPD YDQ-
Cadeia de Suprimentos (Supply tagem;
Chain Focal Point), SB4 ‡&RQKHFLPHQWRGDVD~GHJOREDOHGRPHUFDGRIDUPDFrXWLFR
Local de Trabalho: Escritório do UNFPA em Maputo e das partes interessadas é uma vantagem, especialmente
Duração: Doze (12) meses no que diz respeito à saúde sexual, reprodutiva e materna;
Tipo de Contrato: Service Contract ‡)OXrQFLDHP,QJOrVH3RUWXJXrVQHFHVViULR
Prazo da candidatura: As candidaturas devem ser feitas
até 31 de Dezembro de 2018 Como candidatar - se: As aplicações/candidaturas devem ser
VXEPHWLGDVDWUDYpVGROLQNDFLPD2PHVPROLQNVHUiXVDGR
Posto nº 19419, Ponto Focal para Cadeia de Suprimentos para obter informações sobre a descrição de tarefas detalha-
(Supply Chain Focal Point) das. Não há nenhuma cobrança de taxa de candidatura, pro-
– SB4 cessamento ou de outra natureza. O UNFPA não solicita ou
procura obter informações dos candidatos quanto ao seu es-
https://www.unfpa.org/jobs/national-post-supply-chain- tado de HIV ou SIDA e não discrimina com base na situação
-focal-point-maputo-mozambique-sb-4 de HIV e SIDA.

Requisitos Gerais: UNFPA, Fundo das Nações Unidas para População


‡/LQFHQFLDWXUDHPDGPLQLVWUDomRGHHPSUHVDVDGPLQLVWUD- Av. Julius Nyerere, 1419, PO Box 4595,
omR S~EOLFD RX iUHDV DÀQV &RQKHFLPHQWR HVSHFLDOL]DGR Maputo, Mozambique

Anúncio de Vaga
UNFPA, Fundo das Nações Unidas para População, Requisitos Gerais:
é uma agência internacional de desenvolvimento ‡ 1tYHO VHFXQGiULR PpGLR H[LJLGR 3ULPHLUR QtYHO
que trabalha em prol de um mundo onde cada gra- universitário será uma vantagem;
videz é desejada, cada parto é seguro e o potencial ‡&LQFR  DQRVGHH[SHULrQFLDUHOHYDQWHHSHORPH-
de cada jovem é realizado. O UNFPA solícita candi- nos 3 anos na mesma área funcional;
GDWXUDV GH FLGDGmRV PRoDPELFDQRV TXDOLÀFDGRV H ‡)DPLOLDUL]DGRFRPRVUHJXODPHQWRVHUHJUDVRSHUD-
experientes para a seguinte vaga: cionais das Nações Unidas.
‡)OXrQFLDHP,QJOrVH3RUWXJXrVpPDQGDWyULR
Posto # e título: Posto nº 19811, Assistente
Financeiro – GS5 Como candidatar - se: As aplicações/candidaturas
Local de Trabalho: Escritório do UNFPA GHYHPVHUVXEPHWLGDVDWUDYpVGROLQNDFLPD2PHV-
em Maputo PR OLQN VHUi XVDGR SDUD REWHU LQIRUPDo}HV VREUH D
Duração: Inicialmente doze (12) meses descrição de tarefas detalhadas. Não há nenhuma
Tipo de Contrato: Fixed Term cobrança de taxa de candidatura, processamento ou
Prazo da candidatura: As candidaturas devem de outra natureza. O UNFPA não solicita ou procura
ser feitas até 27 de obter informações dos candidatos quanto ao seu es-
Dezembro de 2018 tado de HIV ou SIDA e não discrimina com base na
situação de HIV e SIDA.
Posto nº 19811, Assistente Financeiro – GS5
UNFPA, Fundo das Nações Unidas para População
KWWSVZZZXQISDRUJMREVQDWLRQDOSRVWÀQDQ- Av. Julius Nyerere, 1419, PO Box 4595,
ce-assistant-maputo-mozambique Maputo, Mozambique
9
DIVULGAÇÃO
DESPORTO
Savana 21-12-2018
EVENTOS

Missão Parlamentar de Monitoria a Moatize


Relatório

2018
10
DIVULGAÇÃO
DESPORTO
EVENTOS Savana 21-12-2018

Missão Parlamentar de Monitoria a Moatize Relatório

1.Introdução

Um grupo de deputados da Assembleia da República, integrando membros da


Terceira e da Quinta Comissão de Trabalho daquele órgão, realizou uma missão de
monitoria ao Distrito de Moatize, onde se fo inteirar da crise de poluição ambien-
tal afectando as comunidades locais, as quais , em reacção, impuseram a paralisa-
ção “sine die” da mina de carvão de Moatize II, no dia 04 de Outubro passado. Esta
missão de monitoria foi realizada por iniciativa da Coligação Cívica sobre a Indus-
tria Extractiva (CCIE), que trabalhou com a equipa de legisladores, nos encontros
mantidos com o governo provincial de Tete; a empresa brasileira Vale Moçambi-
que; comunidades directamente afectadas, bem como representantes de organi-
zações da sociedade civil local. O presente documento apresenta as principais
constatações da missão bem como os compromissos assumidos pelos represen-
tantes do povo, perante as partes interessadas e, em particular, as comunidades
locais directamente afectadas

2. A missão parlamentar a Moatize

Depois da paralisação das actividades da mina de extração de carvão mineral em


Moatize, imposta pelos residentes locais no dia 04 de Outubro passado, em
protesto contra níveis intoleráveis de poluição ambiental, a Coligação Cívica
sobre a Indústria Extractiva (CCIE), uma plataforma de organizações da sociedade
civil de advocacia e monitoria deste sector económico, veio imediatamente a
público manifesta o seu total apoio e solidariedade para com as comunidades
deste distrito da província de Tete.

A CCIE, que integra o Centro de Integridade Pública (CIP), o Centro Terra Viva
(CTV); o Conselho Cristão de Moçambique (CCM); o Centro de Estudos e Pesquisa
de Comunicação SEKELEKANI e a KUWUKA – JDA Desenvolvimento e Advocacia
Ambiental, recordou as responsabilidades das instituições do Estado na resolu-
ção deste problema e apelou em particular a Assembleia da República a intervir.
Acto contínuo, a CCIE lançou um apelo à Assembleia da República, bem como à
Comissão Nacional de Direitos Humano, no sentido de tomarem as medidas que
julgassem adequadas e eficazes, em defesa dos legítimos direitos das comunida-
des afectadas, e na perspectiva de fazer cumprir a lei, nomeadamente no respei- Para assegurar a implementação adequada do projecto, foram reali-
tante à proteção do ambiente naquela região e garantia de qualidade de vida às zados Estudos de Impacto Ambiental e desenhado o respectivo
comunidades afectadas. Plano de Gestão Ambiental, sendo que a poluição atmosférica e a
sonora constituem impactos inevitáveis previsíveis, exigindo a
Na sequencia, a CCIE endereçou convite à Comissão dos Assuntos Sociais, Género, tomada de medidas de mitigação, atempadas e rigorosas, o que
Tecnologia e Comunicação da Assembleia da República (Terceira Comissão) para nunca aconteceu.
uma missão de constatação de factos no terreno, incluindo um contacto directo Entretanto, as relações de alta tensão entre a Vale Moçambique e as
com as comunidades afectadas de Moatize. comunidades vivendo nas proximidades tinham-se agravado
O convite foi prontamente aceite, e a Terceira Comissão entendeu, por seu lado, quando, em Julho de 2017, a empresa decidiu encerrar todas as as
alargar o convite à Comissão da Agricultura, Economia e Meio Ambiente (Quinta áreas de servidão, impedindo às comunidades qualquer acesso a
Comissão), o que resultou numa missão robusta e multidisciplinar. No total parti- recursos que garantam o seu sustento, como água, lenha e pasta-
ciparam na visita quatro deputados e um assessor técnico da Assembleia da gem de animais. Dessa medida, resultaram manifestações pacificas
República de Moçambique, alem dos membros da CCIE. das comunidades bloqueadas, que foram reprimidas pela pela
A visita ocorreu entre os dias 8 e 10 de Novembro de 2018, tendo consistido em Polícia de forma violenta, resultando na morte, a tiro, de um jovem.
encontros com o governo provincial, a comunidade residente no bairro de Baga- Os residentes da zona circunvizinha da Mina de Moatize II (Bairro de
moio, um das afectads pela Mina de Moatize II, organizações da sociedade civil Bagamoio, Nanchere, Primeiro de Maio e Liberdade) reclamam que a
baseadas em Tete e a empresa Vale Moçambique. O presente documento apre- poeira e as partículas de carvão resultantes da mineração provocam
senta o resumo das principais constatações desta missão bem como os compro- a poluição da água dos rios e dos alimentos que consomem;
missos assumidos pelos parlamentares, no seu diálogo com as comunidades enquanto os estrondos das explosões de dinamites, provocam
directamente afectadas. poluição sonora e rachas nas suas casas, bem como oscilações de
energia, danificando equipamento domestico.
3. Alguns antecedentes da paralisação da mina de Moatize II
4. Plano de trabalho da missão
No dia 04 de Outubro de 2018, enquanto o país assinalava a passagem de 26 anos O plano de trabalho da missão parlamentar incluía encontros sepa-
da assinatura do Acordo Geral de Paz, em Roma, mais de duas centenas de popu- rados com o Governo Provincial, as comunidades locais directamen-
lares invadiam literalmente a mina de extração de carvão denominada Moatize II, te afectadas, organizações da sociedade civil locais, bem como com
forcando a paralisação das máquinas. Era o culminar de um longo período de a própria empresa, Vale Moçambique.
convívio com explosões de dinamite, espalhando poeira e partículas de carvão
sobre as residências, com graves consequências sobre a segurança física e de 5. Metodologia de trabalho
saúde da população. Nos encontros separados com as diferentes partes, a CCIE apresenta-
A exploração de carvão em Moatize, além de realizada a céu aberto, ela faz-se va o contexto da visita e, de seguida, a equipa de deputados, enca-
com recurso ao dinamite, cujas explosões provocam não só a poluição do ar, beçada vice-presidente da terceira comissão, a deputada Lucinda
como também a poluição sonora e danos às estruturas das residências mais próxi- Malema, apresentava as questões que achasse pertinentes, em
mas. De acordo com evidências demonstradas pela comunidade local, esta ende- função dos aspectos que pretendesse compreender.
reçou, inúmeras vezes, pedidos de ajuda ao governo distrital de Moatize, incluin-
do através de cartas, sem contudo receber qualquer resposta.
O projecto de exploração de carvão de Moatize, pela mineradora brasileira Vale é
resultado de um contrato assinado em 2007, entre a multinacional e o Governo
moçambicano, que abrange uma área de 23.780 hectares, e que provocou o reas-
sentamento de 1360 famílias, em Cateme e no Bairro 25 de Setembro, no Posto
Administrativo de Kambulatsitsi. Pag. 1
11
DIVULGAÇÃO
DESPORTO
Savana 21-12-2018
EVENTOS

Missão Parlamentar de Monitoria a Moatize Relatório

6. Encontros da missão parlamentar com diferentes partes interessadas Comunidades “confusas e violentas”

6.1. Encontro com o Governo Provincial Nos tempos que correm, começa a ser muito comum ouvir representantes
de autoridades governamentais a diversos níveis, apelidarem determinadas
A missão reuniu com uma equipa do governo provincial de Tete, encabeçada comunidades de “confusas”, “violentas” ou mesmo “desnorteadas”. Onde quer
pela respectiva Secretária Permanente , Lina Portugal, e integrada pelos que, em reivindicação de seus direitos, ou em protesto contra a sua violação,
directores provinciais dos recursos minerais e energia; ambiente, terra e uma determinada comunidade levante a sua voz, para se fazer ouvir, repre-
desenvolvimento rural, bem como da saúde. sentantes de autoridades do Estado, incluindo “líderes comunitários”, vão
No encontro, a equipa do governo reconheceu que a mina de Moatize II, na apressar-se a atribuir adjetivos pejorativos a tais pessoas, considerando-as
secção IV, está próxima da comunidade e, como forma de mitigar os impac- “confusas” e “violentas”. As pessoas que derem a sua voz, na dianteira, para
tos das poeiras, a comunidade tem sido instruída sobre como lidar com a falar em nome de tais comunidades, não serão chamadas de “líderes” das
poeira e as detonações frequentes. mesmas, mas sim de “cabecilhas” ou de “agitadores”. Vezes sem conta, repre-
O governo reconhece ainda que a emissão de partículas está a atingir níveis sentantes do governo provincial de Tete usaram estas expressões, para quali-
preocupantes; porém as unidades sanitárias não dispõem de laboratórios ficar as comunidades revoltadas do distrito de Moatize. E diziam assim como
para comprovar que a inalação de carvão esteja a afectar a saúde das comu- forma de persuadir a missão parlamentar a evitar contacto com estas comu-
nidades. O governo reconheceu que também não tem capacidade para nidades, já que elas eram “muito perigosas”. A mesma linguagem foi usada
analisar os relatórios de impacto ambiental comissionados pela mineradora, quando no mês de Setembro uma equipa do SEKELEKANI quis entrar em
para se certificar da fiabilidade dos dados neles constantes, a respeito dos contacto com a comunidade da Ilha Olinda, no distrito de Inhassunge,
níveis de poluição ambiental. Província da Zambezia. As autoridades distritais e do posto administrativo
não se cansaram de “alertar” à equipa de pesquisa: “ Cuidado com essa gente
Segundo a versão do governo, uma zona tampão havia sido criada, para de Olinda: são pessoas muito confusas e violentas!” Melhor evitar contacto
separar as comunidades da Mina; mas que estas teriam acabado por “invadir” com elas”.
a área, construindo nela, residências. Entretanto, esta informação é dissonan- Sinais dos tempos…
te com a prestada pela Vale Moçambique, segundo a qual as comunidades
ora afectadas foram excluídas do plano de reassentamento porque elas A população que vive num bairro contíguo à vedação da Vale, reafirmou os
residem numa área que se situa fora da área que lhe foi concessionada pelo factos já antes adiantados pela CCIE, nomeadamente sobre o impacto dos
Estado. Outrossim, a alegação de se tratar de um assentamento informal estrondos resultantes da denotação de dinamite, provocando desmaios e
parece ser desmentido pelo facto de, no Bairro de Bagamio, existir uma subida de tensão arterial. Entre outras consequências da poluição do ambiente
Escola Primaria, construída bem antes da entrada em actividade da minera- alegadas pelas comunidades locais inclui-se a ocorrência, frequente, de abortos,
dora brasileira na região. aparentemente inexplicados, bem como de doenças respiratórias, como tosse.
Entretanto, o governo informou ter encomendado um estudo de impacto A população pediu para ser reassentada em outra zona, segura, uma vez temen-
ambiental à Universidade Eduardo Mondlane, o qual deverá fornecer um do pelas suas vidas e dos seus filhos e disse que enquanto isso não acontecer
quadro científico fiável sobre os níveis de poluição causado pela extração de não vai permitir que a mina de Moatize volte a operar.
carvão a céu aberto e com recurso a tecnologias rudimentares, como a dina-
mite. Os deputados das duas comissões visitaram posteriormente algumas casas
ostentando rachas provocadas por explosões de dinamite e foram ver a veda-
6.2. “Em Moatize vivem pessoas, e não animais!” ção da Mina que está mesmo “encostada” a algumas residências.

Encontro com a comunidade afectada 6.3. Encontro com organizações da sociedade civil

Por seu lado, o encontro com a comunidade directamente afectada ocorreu Na reunião com representantes de organizações da sociedade civil, foram reite-
no Bairro de Bagamoio, um dos quatro directamente atingidos pelos impac- radas as reclamações da população. Neste encontro as organizações presentes
tos ambientais da Mina de Moatize II, cuja população convive com nuvens de destacaram a fraca intervenção do Estado na gestão de conflitos resultantes de
poeira, estilhaços de pedra e partículas de carvão, resultantes de constantes desentendimentos entre a empresa mineradora e comunidades locais. Salien-
detonações de dinamite. De forma enfática, a população “pediu”aos deputa- taram que, pelo contrario, quando o governo intervém, ele assume, amiúde, a
dos para informarem ao governo que “em Moatize vivem pessoas e não posição da empresa, ignorando os direitos das comunidades.
animais”, tendo reclamado que a Vale desestruturou, sem compensação, as As organizações referiram ainda que a Vale constitui um péssimo exemplo de
suas vidas. relacionamento de uma empresa com comunidades locais. Lembraram, a esse
A esse respeito, os populares expressaram-se desapontados com os gover- respeito, o processo, pendente há vários anos, de indeminizações a um grupo
nos distrital e provincial de Tete, aos quais acusam de nada fazerem a seu de oleiros, desalojados do seu local trabalho, incluindo com a destruição das
favor, junto da Vale. “O governo nunca está connosco; nem responde as suas fábricas. Disseram que, diferentemente da Vale, há bons exemplos de reas-
cartas que nós lhe enviamos”, afirmam eles. sentamento em Tete, como os havidos no distrito de Cahora Bassa e na cidade
de Tete, implementados pela Administração Nacional de Estradas (ANE). Diante
destes bons exemplos, as organizações da sociedade civil baseadas em Tete
consideram que os dramas humanos e desastres ambientais que se vivem na
Província apenas resultam de falta de vontade da Vale.
Pag. 2
12
DIVULGAÇÃO
EVENTOS Savana 21-12-2018

Missão Parlamentar de Monitoria a Moatize Relatório

6.4. “Encomendamos um estudo sobre boa vizinhança”

Encontro com a Vale Moçambique:

A Vale Moçambique reconheceu existirem problemas na sua convivência com a comunidade. Disse que, em face disso, tinha acabado de encomendar um estudo de
“boa vizinhança”, do qual espera receber ferramentas que lhe permitam introduzir melhorias nesse domínio. Isto é, após 10 anos de actividade e de tensões violentas
com as comunidades locais!
Relativamente à presença de habitações nas proximidades da mina, os representantes da Vale disseram que tais residências se situam fora das áreas da sua concessão,
razão porque elas ficaram de fora, quando foram efectuados os reassentamentos de Cateme e do Bairro 25 de Setembro, há 10 anos atrás. Por isso, concluíram, a Vale
não tem qualquer proposta de solução para esta crise.
Adicionalmente a empresa referiu que as questões ligadas à poluição do ambiente e sonora já estavam previstas no estudo de impacto ambiental; daí isso que ela
estaria a recorrer a tecnologias de redução de tais impactos. Tais tecnologias procuram baixar o volume do barulho provocado pelas detonações por um lado, enquan-
to que, por outro, camiões cisterna são usados para lançar jactos de agua sobre a vila de Moatize para reduzir os níveis de poeira. Contudo, a empresa reconhece que
tais medidas não têm tido qualquer impacto significativo, devido às “condições climatéricas” da região de Moatize.
Os deputados perguntaram as razões porque a mina se situa “enconstada” a zonas residenciais e por que a empresa não recorre a tecnologias de maior eficácia no
controlo da poeira. Os representantes da empresa responderam que a mesma assinou com o governo um contracto de exploração de uma mina de carvão a céu aberto
e que a mesma já previa detonações e poeira como riscos do seu negócio.

7. Posição da missão parlamentar

No culminar da sua missão, o grupo de deputados da AR convocou uma conferência de imprensa, para falar das suas constatações e possíveis medidas de seguimento.
Na ocasião, os deputados reconheceram que a proximidade da mina junto da população constitui uma grave anomalia, e prometeram encaminhar a questão para
junto das relevantes instituições governamentais, que são, nomeadamente, os Ministérios da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural (MITADER), e dos Recursos Mine-
rais e Energia (MIREM), a fim de tomarem as medidas que a situação impõe. Os deputados exprimiram a sua solidariedade para com a comunidade afectada e disseram
esperar pelos resultados do estudo de impacto ambiental, encomendado pelo MITADER à Universidade Eduardo Mondlane para avaliar os níveis de poluição e sua peri-
gosidade à saúde pública.
Como resultado imediato da sua missão, os parlamentares referiram ter adquirido um melhor entendimento do problema ambiental em Moatize, o que lhes colocaria
em posição de maior segurança para exercerem o seu poder de representação dos cidadão e de fiscalização do Executivo.
8. Posição da CCIE

A Coligação Cívica sobre Industria Extrativa voltou a observar, durante esta missão, como a Vale desestruturou os meios de vida da população local, sem nunca se preo-
cupar em restituí-los, ante o olhar impávido das autoridades governamentais. A CCIE considera a Vale culpada pelos danos ambientais e de saúde causados à popula-
ção, uma vez que já previa detonações e poeira como riscos da sua actividade e nada fez para evita-los ou minimiza-los. Estas responsabilidades são naturalmente
extensivas ao Governo Moçambicano, que tem consentido tal situação criminosa, e não tem feito qualquer monitoria sobre os impactos ambientais, de modo a deter-
minar medidas adequadas de sua mitigação. Acresce ainda a persistente posição de indisponibilidade das autoridades governamentais do distrito, para dialogar com a
comunidade vitimada, ignorando seus pedidos de socorro, expressos através de sucessivas cartas.
A CCIE defende o reassentamento imediato da população que vive nas redondezas da mina, particularmente a Mina de Moatize II e a revegetação da zona, em cumpri-
mento de imposições contratuais.
Em face da gravidade da situação ora prevalecente, a CCIE requer ao governo a disponibilização pública do contrato assinado com a Vale para esta actividade, de modo
a permitir a sua sistemática monitoria pública e entendimento de possíveis anomalias que terão resultado na manutenção de comunidades junto das áreas concessio-
nadas.
A CCIE reitera a recomendação ao governo e a empresa Vale Moçambique no sentido de encetarem diálogos abertos e genuínos com as comunidades afectadas, dando-
-lhes oportunidade de exercerem o seu direito à liberdade de expressão e de acesso a informação, necessária para a proteção e gozo dos seus legítimos direitos sobre a
terra e outros recursos naturais da sua região.

Membros da Coligação

Pag. 3
13
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018
EVENTOS

Anúncio de Vaga
UNFPA, Fundo das Nações Unidas para Popula- Requisitos Gerais:
ção, é uma agência internacional de desenvolvi- ‡ 1tYHO VHFXQGiULR PpGLR H[LJLGR 3ULPHLUR QtYHO
mento que trabalha em prol de um mundo onde XQLYHUVLWiULRHPDGPLQLVWUDomRS~EOLFDÀQDQoDVH
cada gravidez é desejada, cada parto é seguro ciências sociais é desejável;
e o potencial de cada jovem é realizado. O UN- ‡&LQFR  DQRVGHH[SHULrQFLDUHOHYDQWH
FPA solícita candidaturas de cidadãos moçambi- ‡ ([SHULrQFLD GH WUDEDOKR QDV 1Do}HV 8QLGDV VHUi
FDQRVTXDOLÀFDGRVHH[SHULHQWHVSDUDDVHJXLQWH uma vantagem;
vaga: ‡)OXrQFLDHP,QJOrVH3RUWXJXrVpPDQGDWyULR

Posto # e título: Posto nº 19808, Assistente de Como candidatar - se: As aplicações/candidaturas


Programa – GS5 GHYHPVHUVXEPHWLGDVDWUDYpVGROLQNDFLPD2PHV-
Local de Trabalho: Escritório do UNFPA PR OLQN VHUi XVDGR SDUD REWHU LQIRUPDo}HV VREUH D
em Maputo descrição de tarefas detalhadas. Não há nenhuma
Duração: Inicialmente doze (12) meses cobrança de taxa de candidatura, processamento ou
Tipo de Contrato: Fixed Term de outra natureza. O UNFPA não solicita ou procura
Prazo da candidatura: As candidaturas devem obter informações dos candidatos quanto ao seu es-
ser feitas até 26 de Dezembro de 2018 tado de HIV ou SIDA e não discrimina com base na
situação de HIV e SIDA.
Posto nº 19808, Assistente de Programa – GS5

https://www.unfpa.org/jobs/national-post- UNFPA, Fundo das Nações Unidas para População


-programme-assistant-programme-unit-mapu- Av. Julius Nyerere, 1419, PO Box 4595,
to-mozambique-g-5 Maputo, Mozambique
PUBLICIDADE
14 Savana 21-12-2018

Edital 2019
Celebrando Qualidade 18/10/2018
e Inovação +Informações: www.ucm.ac.mz

INSCRIÇÕES PARA NOVOS INGRESSOS


ANO ACADÉMICO 2019
1.Processo de Inscrição

Os interessados deverão candidatar-se a uma única Faculdade/Extensão/Cen- 5.Taxas das Matrículas


tro de Ensino à Distância da Universidade Católica de Moçambique (UCM).
Só poderão frequentar os cursos da UCM os candidatos que tiverem concluído
Licenciatura 3.000,00 Mts
a 12.ª classe ou equivalente.
acrescidos de 10% do valor da propina anual
O formulário pode ser adquirido nos locais de inscrição, bem como no Web
Mestrado 3.600,00 Mts
Site da UCM.
acrescidos de 10% do valor da propina anual
O período de inscrições referente ao ano académico de 2019 decorrerá de acor-
Doutoramento 10.000,00 Mts
do com a informação que consta da tabela abaixo:
acrescidos de 10% do valor da propina anual

Início Término Local Para efeitos de pagamento de matrícula e propina, o estudante que tiver feito a
Faculdades, Extensões e Centros de Recurso do Centro de inscrição nas Faculdades/Extensões deverá dirigir-se à Faculdade que vai fre-
Ensino à Distância (Beira, Chimoio, Cuamba, Maputo, quentar para obter o NIB individual.
03/12/2018 21/12/2018 Milange, Nampula, Pemba, Quelimane, Tete, Gorongosa, Para o estudante que tiver feio a inscrição online, o NIB individual será atribuído
Gurúè e Mocímboa da Praia).
a partir da plataforma ONLINE.
Nas Províncias de Gaza e Inhambane as inscrições
decorrem nas Secretarias das Dioceses.
6.Números de Contas e NIB das Faculdades/Extensões

Faculdades N.º da Conta Banco Contacto


A inscrição será ONLINE: os interessados poderão
01/01/2019 31/01/2019 Ciências Agronómicas Conta 525 012 51 Mzn Millennium Tel: + 258 271 627 32
consultar o Web Site da UCM: www.ucm.ac.mz ou
(FCA) NIB 000 100 000 005 250 125 157 Bim Fax: + 258 271 627 33
poderão dirigir-se à Faculdade escolhida para a Matricula,
Gestão de Turismo e Conta 683 818 97 Mzn Millennium Tel: + 258 272 219 69
de modo a obter as devidas instruções.
Informática (FGTI) NIB 000 105 207 061 500 000 392 Bim Fax: + 258 272 217 20

17/09/2018 30/11/2018 Centro de Ensino à Distância (Beira, Chimoio, Cuamba, Direito (FADIR) Conta 511 974 74 Mzn Millennium Tel: + 258 262 161 77
NIB 000 101 817 021 400 000 128 Bim Fax: + 258 262 157 65
Maputo, Milange, Nampula, Pemba, Quelimane, Tete,
Gorongosa, Gurúè e Mocímboa da Praia). Educação e Conta 511 342 30 Mzn Millennium Tel: + 258 262 165 21
Comunicação (FEC) NIB 000 101 927 031 300 069 156 Bim Fax: + 258 262 154 68
Ciências Sociais e Conta 161 236 408 Mzn Millennium Tel: + 258 242 176 26
2.Documentos a anexar ao formulário no acto da inscrição: Políticas (FCSP) NIB 000 104 097 091 400 081 531 Bim Fax: + 258 242 176 26
R5Uma fotocópia autenticada do documento de identidade; Engenharia (FENG) Conta 104 300 803 Mzn Millennium Tel: + 258 251 224 73
R5'XDVIRWRJUDÀDVUHFHQWHVGRWLSRSDVVH NIB 000 105 187 071 400 080 382 Bim Fax: + 258 512 247 3
R5Declaração do Serviço Militar Obrigatório (Somente para candidatos maiores Ciências de Saúde Conta 602 412 69 Mzn Millennium Tel: + 258 233 118 91
de 18 anos); (FCS) NIB 000 101 087 051 300 066 147 Bim Cell.: +258 820 091 323
Fax: + 258 233 136 02
R5&HUWLÀFDGRGHHTXLYDOrQFLDQRFDVRGHTXDOLÀFDo}HVREWLGDVQRHVWUDQJHLUR
Economia e Gestão Conta 725 246 70 Mzn Millennium Tel: + 258 233 293 73
R5'XDVIRWRFySLDVDXWHQWLFDGDVGRFHUWLÀFDGRGHKDELOLWDo}HVHRRULJLQDOSDUD (FEG) NIB 000 101 217 011 400 000 107 Bim Fax: + 258 233 293 76
FRQÀUPDomRGDVIRWRFySLDV
Gestão dos Recursos Conta 142 416 468 Mzn Millennium Tel: + 258 252 249 86
Naturais e Mineralogia NIB 000 105 177 101 500 000 144 Bim Fax: + 258 252 249 86
NB: Os estudantes que, até à data das inscrições, não tiverem recebido os seus (FAGRENM)
FHUWLÀFDGRVGHKDELOLWDo}HVOLWHUiULDVGHYHPDSUHVHQWDUDQRWDLQIRUPDWLYDHPL- Centro de Ensino à Conta 105 377 697 Mzn Millennium Tel: + 258 233 264 05
Distância (CED) NIB 000 103 197 081 500 390 534 Bim Fax: + 258 233 264 06
tida pela escola de origem ondem concluíram o nível médio ou equivalente.
1HVVHDFWRRVHVWXGDQWHVGHYHPDSUHVHQWDURUHFLERGHSHGLGRGRFHUWLÀFDGR Gestão de Recursos Conta 241 082 928 Mzn Millennium Tel: + 258 269 419 56
Florestais e Faunísticos NIB 000 105 227 111 400 037 252 Bim Fax: + 258 210 176 37
VHQGRTXHRGLDGH$EULOGHpDGDWDOLPLWHSDUDDSUHVHQWDomRGRFHUWLÀ- (FAGREFF) Cel: +258 844 159 760
FDGRRULJLQDO$QmRDSUHVHQWDomRGHVWHGRFXPHQWR FHUWLÀFDGRGHKDELOLWDo}HV Extensão de Gurúè Conta 278 408 625 Mzn Millennium Tel: + 258 249 102 59
literárias) implicará o cancelamento imediato da matrícula. NIB 000 100 000 027 840 862 557 Bim Fax: + 258 249 102 60
Extensão de Nacala Conta 304595805 Millennium Tel: + 258 265 260 00
3.Taxas de Inscrição NIB 000 100 000 030 459 280 557 Bim

Licenciatura 1.700,00 Mts


7. Devolução
Mestrado 1.500,00 Mts
ã)5"0,á50)&/éã)5)-50&),-55,)*#(-65 .,ù/&-652-552'55-.-5$á5
Doutoramento 2.000,00 Mts *!)-65('5.,(- ,ð(#5)-5'-')-5*,5)5( ù#)55)/.,)-5-./(.-55 5)/5
5)/.,-5#(-.#./#éċ-85
4. Período de Matrículas
8. Início das aulas
Para os cursos presenciais, as matrículas e pagamento de propinas decorrerão 5,5)-5()0)-5#(!,--)-65-5/&-5#(##'55gg550,#,)55hfgo:
no período de 07 de Janeiro a 08 de Fevereiro de 2019. 55,./,5)ŀ#&5)5()5&.#0)5-,á55gk550,#,)55hfgo65(5#55#,:
Os candidatos que se inscreverem fora do período estabelecido terão que pa- 5,5)-5-./(.-5)5h̍65i̍65j̍55k̍5()-65)5&(á,#)5)5#(ù#)5-5/&-5-,á5ŀ2)5
gar as suas propinas de frequência no acto da matrícula. (-5/&-I2.(-ċ-:
As matrículas e propinas para o Centro de Ensino à Distância decorrerão no 5,5)5(.,)55(-#()5à5#-.â(#655,./,5)5()5&.#0)5-,á5()5#5gk550-
período de 03 de Dezembro de 2018 a 31 de Janeiro de 2019. Para efeitos de pa- ,#,)55hfgo6555*,#'#,5---ã)5./.),#&5),,,á5(.,5)-5#-5gl55gm550,#,)5
gamento de matrícula e propina, os estudantes deverão dirigir-se ao Centro de 5hfgo8
Recurso para obter o NIB individual. O candidato que tiver feito a inscrição na
plataforma online deverá efectuar a matrícula na mesma, sem ter que se deslocar #,65)-5gf554',)55hfgn5
ao Centro de Recurso.
A mudança de curso na mesma unidade ou de uma unidade básica para outra, 5#.),55(#0,-#5.ĉ&#55 )é'#+/
dentro da UCM, deve ocorrer até 15 dias, após o início do ano lectivo. __________________________________
Para a mudança de regime laboral para pós-laboral e vice-versa o prazo limite é B,) 85)/.),5,5&,.)5,,#,C
de 30 dias, após o início do ano lectivo.
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018 gk

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÓMICAS (FCA) - CUAMBA


 Língua Disciplinas Grau / Pré-
Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos  Língua Disciplinas Grau / Pré-
Ensino para Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos
inscrição Ensino para
Licenciatura em 5 Anos/Laboral Cuamba Português Inglês 12ª Classe ou inscrição
Agronomia Matemática equivalente da Informação áreas afins
Química Especialidade:
Biologia  Software
Física Engineering
Licenciatura em 4 Anos/Pós- Cuamba Português Português 12ª Classe ou Mestrado em 2 Anos Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Direito Laboral Inglês equivalente Desenvolvimento em QA
História Sustentável e Gestão
Licenciatura em 4 Anos/Pós- Cuamba Português Português 12ª Classe ou de Turismo
Administração Laboral Inglês equivalente
Mestrado em 2 Anos/Pós- Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Pública Matemática
Administração Pública Laboral em QA
Licenciatura em 4 Anos/Pós- Cuamba Português Português 12º Classe ou
Administração e Laboral Inglês equivalente Mestrado em Gestão e 2 Anos/Pós- Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Gestão, Hospitalar Matemática Administração de Laboral em QA
Negócios (MBA)
Licenciatura em 4 Anos/Pós- Cuamba Português Português 12º Classe ou Mestrado em Direito 2 Anos/Pós-laboral Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Gestão e Laboral Inglês equivalente Especialidades: em QA
Administração Matemática  Administrativo
Educacional  Penal
Licenciatura em 4 Anos/Pós- Cuamba Português Português 12º Classe ou  Civil
Agro-Business, Laboral Inglês equivalente  Empresarial
Desenvolvimento Matemática  Fiscal
Rural e Extensão Química Mestrado em Gestão e 2 Anos/Pós- Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Mestrado em Solos e 2 Anos/Laboral e Cuamba Português Nenhuma Licenciatura Administração Laboral em QA
Agricultura Pós-Laboral em Ciências Educacional
Sustentável Agrárias Mestrado em Sistemas 2 Anos/Pós- Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Mestrado em 2 Anos/Pós- Cuamba Português Nenhuma Licenciatura de Informação Laboral em QA
Desenvolvimento Laboral em Ciências Geográfica e
Rural, Regional e Agrárias ou Monitoria de Recursos
Extensão equivalente Naturais
Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Cuamba Português Nenhuma Licenciatura Curso Técnico 1 Ano/Laboral Pemba Português Nenhuma 10ª e 12ª
de Informação Laboral em Ciências Profissional de Classes
Agrícola e Agrárias ou Turismo
Agricultura de equivalente
Precisão
Mestrado em 2 Anos/Pós- Cuamba Português Nenhuma Licenciatura
Administração Laboral em QA
Pública FACULDADE DE DIREITO (FADIR) – NAMPULA
Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Cuamba Português Nenhuma Licenciatura  Disciplinas Grau / Pré-
e Administração Laboral em QA Curso/Programa Duração/Período Local Língua exigidas requisitos
Educacional de para
Mestrado em 2 Anos/Pós- Cuamba Português Nenhuma Licenciatura Ensino inscrição
Psicopedagogia Laboral em QA Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Mestrado em 2 Anos/Pós- Cuamba Português Nenhuma Licenciatura Direito Pós-Laboral Inglês equivalente
Administração e Laboral em QA História
Gestão de Negócios
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
(MBA)
Administração Pós-Laboral Inglês equivalente
Pública Matemática
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
FACULDADE DE GESTÃO DE TURISMO E INFORMÁTICA (FGTI) – PEMBA
Tecnologias da Pós-Laboral Inglês equivalente
 Língua Disciplinas Grau / Pré- Informação Matemática
Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos Mestrado em 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura
Ensino para Administração Laboral em QA
inscrição Pública
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou Mestrado em Direito 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura
Gestão de Turismo e Pós-laboral Inglês equivalente Especialidades: Laboral em QA
Hotelaria  Fiscal
 Civil
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou  Administrativo
Tecnologias da Pós-laboral Inglês equivalente  Penal
Informação Matemática  Comercial
/Empresarial
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou
Pós-laboral Inglês equivalente Doutoramento em 3 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Mestrado em
Administração Pública
Matemática Direito Privado Laboral QA
Doutoramento em 3 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Mestrado em
Licenciatura em 1 Ano/Pós-Laboral Pemba Português Português Bacharelato
Direito Público Laboral QA
Gestão e Inglês
Administração Matemática
Educacional (para FACULDADE DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO (FEC) – NAMPULA
Bacharéis)
 Língua Disciplinas Grau / Pré-
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos
Gestão do Meio Pós-Laboral Inglês equivalente Ensino para
Ambiente e Recursos Química
inscrição
Naturais Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
4 Anos/Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou Serviço Social Pós-Laboral Inglês equivalente
Licenciatura em
Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Matemática Ciências da Pós-Laboral Inglês equivalente
Auditoria
Comunicação –
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou Especialização em
Direito Pós-Laboral Inglês equivalente Gestão de Marketing
História
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou
Gestão de Pós-Laboral Inglês equivalente
Economia e Gestão Pós-Laboral Inglês equivalente
Desenvolvimento
Matemática
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Pemba Português Português 12ª Classe ou
Gestão de Recursos Pós-Laboral Inglês equivalente Psicopedagogia Pós-Laboral Inglês equivalente
Humanos Matemática Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Mestrado em 2 Anos Pemba Português Nenhuma Licenciatura Economia e Gestão Pós-Laboral Inglês equivalente
Desenvolvimento em QA Matemática
Económico Regional e Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Local Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente
Auditoria Matemática
Mestrado em 2 Anos Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Tecnologias em IT ou Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
da Informação áreas afins Gestão de Recursos Pós-Laboral Inglês equivalente
Especialidade: Humanos e Relações Matemática
 Data Base Laborais
Administration Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Mestrado em 2 Anos Pemba Português Nenhuma Licenciatura Gestão e Pós-Laboral Inglês equivalente
Tecnologias em IT ou Administração Matemática
da Informação áreas afins Educacional
Especialidade: Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
 Systems Network Comunicação para o Inglês
Pós-laboral equivalente
Administration
Desenvolvimento Matemática
Mestrado em 2 Anos Pemba Português Nenhuma Licenciatura
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou
Tecnologias em IT ou
Ciências da Pós-Laboral Inglês equivalente
Comunicação – Matemática
Especialização em
Relações Públicas e
Comunicação
Estratégica
PUBLICIDADE
gl Savana 21-12-2018

 Língua Disciplinas Grau / Pré- Língua Disciplinas Grau / Pré-


Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos
Ensino para Ensino para
inscrição inscrição
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nampula Português Português 12ª Classe ou Mestrado em 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura
Desenvolvimento Pós-Laboral Inglês equivalente Administração Laboral em QA
Comunitário História Pública
Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura
e Administração Laboral em QA de Desenvolvimento Laboral em QA
Educacional Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura
Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura de Recursos Laboral em QA
do Desenvolvimento Laboral em QA Humanos
Mestrado em 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura Mestrado em 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura
Comunicação para o Laboral em QA Contabilidade e Laboral em
Auditoria Contabilidade
Desenvolvimento
e Auditoria ou
Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura áreas afins
de Marketing e Laboral em QA Mestrado em Saúde 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura
Comunicação Pública Laboral em Área de
Empresarial Saúde
Mestrado em 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura Doutoramento em 3 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Mestrado em
Administração e Laboral em QA Ciências Políticas e Laboral QA
Gestão de Negócios Relações
(MBA) Internacionais
Mestrado em 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura
Psicopedagogia Laboral em QA *O curso de licenciatura em Ética, Cidadania e Desenvolvimento obedece a taxas e critérios próprios. Para
Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Licenciatura esclarecimento de qualquer informação sobre o curso, pede-se o favor de entrar em contacto através dos
de Recursos Laboral em QA números +258 27221081/+258 840561910/+258 827888896 ou dirigir-se para o seguinte endereço: Avenida
Humanos Josina Machel, N. 583 - Pemba.
Doutoramento em 3 Anos/Pós- Nampula Português Nenhuma Mestrado em
Inovação Educativa Laboral Ciências de
Educação ou FACULDADE DE ENGENHARIA (FENG) – CHIMOIO
áreas afins
 Língua Disciplinas Grau / Pré-
FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS (FCSP) – QUELIMANE Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos
Ensino para
Língua Disciplinas Grau / Pré- inscrição
Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Ensino para Engenharia Alimentar Pós-Laboral Inglês ou
inscrição Biologia equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou Química
Ciência Política e Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Relações História
Engenharia Civil Pós-Laboral Inglês ou
Internacionais
Química equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou
Física
Gestão do Pós-Laboral Inglês equivalente
Desenvolvimento Matemática
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Engenharia Pós-Laboral Inglês ou
Desenvolvimento Pós-Laboral Inglês equivalente
Electrotécnica Matemática equivalente
Comunitário História
Física
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Direito Pós-Laboral Inglês equivalente ou
Contabilidade e Pós-Laboral Inglês
História Auditoria Matemática equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou
Administração Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em Direito 4 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Pós-Laboral Inglês ou
Pública Matemática
História equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou
Tecnologias da Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Informação Matemática Economia e Gestão Pós-Laboral Inglês ou
Matemática equivalente
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Economia e Gestão Pós-Laboral Inglês equivalente Administração Pública Pós-Laboral Inglês ou
Matemática Matemática equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Chimoio Português Nenhuma 12ª Classe
Gestão de Recursos Pós-Laboral Inglês equivalente Agronomia Pós-Laboral ou
Humanos Matemática equivalente

Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou Licenciatura em 5 Anos/Laboral Beira Português Matemática 12ª Classe
Administração e Pós-Laboral Inglês equivalente Arquitectura Desenho ou
Gestão de Empresas Matemática equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente Tecnologias da Pós-Laboral Inglês ou
Auditoria Matemática Informação Matemática equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Quelimane Português Português 12ª Classe ou Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Administração e Pós-Laboral Inglês equivalente Comunicação para o Pós-Laboral Inglês ou
Gestão Hospitalar Matemática Desenvolvimento Matemática equivalente
Licenciatura em 4 Anos/ Pemba Português Português 12ª Classe ou
Ética, Cidadania e Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Chimoio Português Português 12ª Classe
Desenvolvimento* Psicologia Clínica e Pós-Laboral Inglês ou
Mestrado em 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura Assistência Social Biologia equivalente
Administração e Laboral em QA Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Chimoio Português Ciência com 12ª Classe
Gestão de Negócios ou
Engenharia Mecânica Pós-Laboral Desenho
(MBA)
equivalente
Mestrado em Gestão 2 Anos /Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura
e Administração Laboral em QA Mestrado em 2 Anos/Pós- Chimoio Português Nenhuma Licenciatura
Educacional (MA) Administração Pública Laboral em Q.A
Mestrado em 2 Anos Quelimane Português Nenhuma Licenciatura Mestrado em 2 Anos/Pós- Chimoio Português Nenhuma Licenciatura
Tecnologias da em IT ou áreas Administração e Gestão Laboral em QA
Informação afins de Negócios
Mestrado em Ciências 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura
Políticas, Governação
Mestrado em Gestão e 2 Anos/Pós- Chimoio Português Nenhuma Licenciatura
Laboral em QA
e Relações Administração Laboral em QA
Internacionais Educacional
Mestrado em 2 Anos/Pós- Quelimane Português Nenhuma Licenciatura Mestrado em Direito 2 Anos/Pós- Chimoio Português Nenhuma Licenciatura
Direito Laboral em QA
Especialidades: Laboral em QA
Especialidades:
 Administrativo
 Administrativo
 Penal  Penal
 Civil  Civil
 Empresarial  Empresarial
 Fiscal  Fiscal
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018 gm

FACULDADE DE ECONOMIA E GESTÃO (FEG) – BEIRA


 Disciplinas Grau / Pré-  Língua Disciplinas Grau / Pré-
Curso/Programa Duração/Período Local Língua exigidas requisitos Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos
de para Ensino para
Ensino inscrição inscrição
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou Licenciatura em 4 Anos/Laboral Beira Português Português 12ª Classe ou
Economia e Gestão Pós-Laboral Inglês equivalente Administração e Inglês equivalente
Matemática Gestão Hospitalar Matemática
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou
Licenciatura em 4 Anos/Laboral Beira Português Português 12ª Classe ou
Gestão de Recursos Pós-Laboral Inglês equivalente
Análises Clínicas e /Pós-Laboral Inglês equivalente
Humanos Matemática
Laboratoriais Biologia
Licenciatura em Gestão 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou
Química
Portuária Pós-Laboral Inglês equivalente
Matemática Licenciatura em 4 Anos /Laboral Beira Português Português 12ª Classe ou
Psicologia Clínica e Inglês equivalente
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou Assistência Social Biologia
Administração e Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em 4 Anos/Laboral Beira Português Português 12ª Classe ou
Gestão de Empresas Matemática Farmácia Inglês equivalente
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou Biologia
Gestão de Marketing e Pós-Laboral Inglês equivalente Química
Relações Públicas Matemática Mestrado em Saúde 2 Anos/Pós-Laboral Beira Português Nenhuma Licenciatura
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou Pública em Áreas
Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente Afins
Auditoria Matemática Mestrado em Saúde 2 Anos/Online Beira Português Nenhuma Licenciatura
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou Pública e HIV em áreas
Tecnologias de Pós-Laboral Inglês equivalente afins
Informação Matemática *Para o curso de Licenciatura em Medicina Geral, 1º ano corresponde ao ano propedêutico.
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou
Planeamento Regional Pós-Laboral Inglês equivalente
e Urbano Geografia
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou CENTRO DE ENSINO À DISTÂNCIA (CED) – BEIRA
Direito Pós-Laboral Inglês equivalente
História  Disciplinas Grau / Pré-
Licenciatura em 4 Anos/ Laboral e Beira Português Português 12ª Classe ou Curso/Programa Duração/Período Local Língua exigidas requisitos
Ciência Política e Pós-Laboral Inglês equivalente de para
Relações História Ensino inscrição
Internacionais Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gor, Português Português 12ª Classe
Licenciatura em 5 Anos Beira Português Português 12ª Classe ou Ensino de Língua Gú, Mpt, Mil, Inglês ou
Arquitectura Inglês equivalente Portuguesa Npl, P, Q, T, equivalente
Matemática Mocímboa da
Desenho Praia
Mestrado em 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gú, Português Português 12ª Classe
Economia Laboral em Economia Ensino de História Mpt, Mil, Inglês ou
Mestrado em 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura Npl, P, Q, T, História equivalente
Administração e Laboral em QA Mocímboa da
Gestão de Negócios Praia
(MBA) Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gor, Português Português 12ª Classe
Mestrado em 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura Ensino de Geografia Gú, Mpt, Mil, Inglês ou
Contabilidade e Laboral em Npl, P, Q,T, Geografia equivalente
Auditoria Contabilidade Mocímboa da
e Auditoria ou Praia
áreas afins Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gú, Português Português 12ª Classe
Mestrado em Sistema 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura Ensino de Mpt, Mil, Inglês ou
de Informação Laboral em QA Matemática Npl, P, Q, T, Matemática equivalente
de para
Geográfica e Monitoria Ensino inscrição
de Recursos Naturais
Praia

 Disciplinas Grau / Pré- Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gú, Português Português 12ª Classe
Curso/Programa Duração/Período Local Língua exigidas requisitos Ensino de Física Mpt, Npl, Q Inglês ou
de para Física equivalente
Ensino inscrição Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, Gú, Português Português 12ª Classe
Mestrado em 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura Ensino de Química Mpt, Mil, Inglês ou
Planeamento e Laboral em QA Npl, Q Química equivalente
Desenvolvimento Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gor, Português Português 12ª Classe
Regional Ensino de Biologia Gú, Mpt, Mil, Inglês ou
Mestrado em Ciência 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura Npl, P, Q, T, Biologia equivalente
Política: Governação e Laboral em QA Mocímboa da
Relações Praia
Internacionais
Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, Gú, Português Português 12ª Classe
Mestrado em Direito 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura
Ensino de Desenho Mpt, Npl, Q Inglês ou
Especialidades: Laboral em QA
Desenho equivalente
 Administrativo
 Empresarial Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gor, Português Português 12ª Classe
Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Beira Português Nenhuma Licenciatura Ensino de Informática Gú, Mpt, Mil, Inglês ou
de Recursos Humanos Laboral em QA Npl, P, Q, T equivalente
Doutoramento em 3 Anos/Pós- Beira Português Bases MA, MBA ou Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, Gor, Português Português 12ª Classe
Economia Laboral sólidas em equivalente Administração Mpt, Mil, Inglês ou
Economia Pública Npl, P, Q, T, Matemática equivalente
Mocímboa da
Praia
FACULDADE DE CIÊNCIAS DE SAÚDE (FCS) – BEIRA
Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, Mpt, Português Português 12ª Classe
 Língua Disciplinas Grau / Pré- Ensino Educação Npl, Q, T, Inglês ou
Curso/Programa Duração/Período Local de exigidas requisitos Física e Desporto equivalente
Ensino para
Licenciatura em 4 Anos/à Distância B, Ch, C, Gor, Português Português 12ª Classe
inscrição
Gestão Ambiental Gú, Mpt, Mil, Inglês ou
Licenciatura em 1+6 Anos/Laboral * Beira Português Português 12ª Classe ou Npl, P, Q, T, equivalente
Medicina Geral Inglês equivalente Mocímboa da
Biologia Praia
Química
1. Os cursos de licenciatura estão aberto na modalidade paper based e na modalidade online. Os cursos de
Licenciatura em 4 Anos/Laboral Beira Português Português 12ª Classe ou Educação Física e Desenho estão abertos somente na modalidade paper based e o curso de licenciatura
Enfermagem Superior Inglês equivalente em Ensino de Informática está aberto somente na modalidade online.
Biologia
2. Para abertura de um curso exige-se no mínimo 20 candidatos para Licenciatura.
Química
PUBLICIDADE
gn Savana 21-12-2018

FACULDADE DE GESTÃO DOS RECURSOS NATURAIS E MINERALOGIA


(FAGRENM) – TETE
 Disciplinas Grau / Pré-  Disciplinas Grau / Pré-
Curso/Programa Duração/Período Local Língua de exigidas requisitos Curso/Programa Duração/Período Local Língua de exigidas requisitos
Ensino para Ensino para
inscrição inscrição
Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Tete Português Português, 12ª Classe ou Mestrado em Direito 2 Anos/ Pós- Lichinga Português Nenhuma Licenciatura
Engenharia de Minas Pós-Laboral Desenho, equivalente Laboral em QA
Inglês e
Matemática Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Lichinga Português Nenhuma Licenciatura
Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Tete Português Português, 12ª Classe ou
e Administração Laboral em QA
Engenharia de Pós-Laboral Desenho, equivalente Educacional
Processamento Mineral Inglês e Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Lichinga Português Nenhuma Licenciatura
Matemática do Desenvolvimento Laboral em QA
Licenciatura em 5 Anos/Laboral e Tete Português Português, 12ª Classe ou Mestrado em 2 Anos/Pós- Lichinga Português Nenhuma Licenciatura
Engenharia Geológica Pós-Laboral Desenho, equivalente Administração Laboral em QA
Inglês e Pública
Matemática
Mestrado em 2 Anos/Pós- Lichinga Português Nenhuma Licenciatura
Licenciatura em Gestão 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou
Administração e Laboral em QA
Ambiental Pós-Laboral Inglês equivalente
Gestão de Negócios
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou (MBA)
Economia e Gestão Pós-Laboral Inglês equivalente Mestrado em Saúde 2 Anos/Pós- Lichinga Português Nenhuma Licenciatura
Matemática Pública Laboral em Áreas
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou Afins
Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente
Auditoria Matemática EXTENSÃO DE GURÚÈ – GURÚÈ
Licenciatura em Gestão 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou
de Recursos Humanos Pós-Laboral Inglês equivalente  Disciplinas Grau / Pré-
Matemática Curso/Programa Duração/Período Local Língua exigidas requisitos
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou de para
Administração Pós-Laboral Inglês equivalente Ensino inscrição
Pública Matemática Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Gurúè Português Português 12ª Classe ou
Direito Pós-Laboral Inglês equivalente
Licenciatura em Direito 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou História
Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em 4 Anos/Pós- Gurúè Português Português 12ª Classe ou
História Administração Laboral Inglês equivalente
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou Pública Matemática
Tecnologias da Pós-Laboral Inglês equivalente Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Gurúè Português Português 12ª Classe ou
Informação Matemática Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente
Auditoria Matemática
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Tete Português Português 12ª Classe ou Mestrado em 2 Anos/Pós- Gurúè Português Nenhuma Licenciatura em
Ciências da Pós-Laboral Inglês equivalente Psicopedagogia Laboral QA
Comunicação – Matemática
Especialização em Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Gurúè Português Nenhuma Licenciatura em
Relações Públicas e e Administração Laboral QA
Comunicação Educacional
Estratégica Mestrado em 2 Anos/Pós- Gurúè Português Nenhuma Licenciatura em
Mestrado em 2 Anos/Pós- Tete Português Nenhuma Licenciatura Administração Pública Laboral QA
Administração e Laboral em QA
Gestão de Negócios
Mestrado em 2 Anos/Pós- Tete Português Nenhuma Licenciatura EXTENSÃO DE NACALA – NACALA
Planeamento e Laboral em QA
Desenvolvimento  Disciplinas Grau / Pré-
Regional Curso/Programa Duração/Período Local Língua exigidas requisitos
Mestrado em Gestão e 2 Anos/Pós- Tete Português Nenhuma Licenciatura de para
Administração Laboral em QA Ensino inscrição
Educacional Licenciatura em 4 Anos/Pós- Nacala Português Português 12ª Classe ou
Mestrado em 2 Anos/Pós- Tete Português Nenhuma Licenciatura
Direito Laboral Inglês equivalente
Administração Pública Laboral em QA
História
Mestrado em 2 Anos/Pós- Tete Português Nenhuma Licenciatura
Tecnologias de Laboral em IT ou Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nacala Português Português 12ª Classe ou
Informação áreas afins Gestão Portuária Pós-Laboral Inglês equivalente
Matemática
FACULDADE DE GESTÃO DE RECURSOS FLORESTAIS E FAUNÍSTICOS Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nacala Português Português 12ª Classe ou
(FAGREFF) – LICHINGA Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente
Auditoria Matemática
 Disciplinas Grau / Pré-
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Nacala Português Português 12ª Classe ou
Curso/Programa Duração/Período Local Língua de exigidas requisitos
Gestão de Recursos Pós-Laboral Inglês equivalente
Ensino para
Humanos Matemática
inscrição
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Lichinga Português Português 12ª Classe ou Mestrado em 2 Anos/Pós- Nacala Português Nenhuma Licenciatura em
Gestão de Recursos Pós-Laboral Inglês equivalente Administração e Laboral QA
Florestais e Matemática Gestão de Negócios
Faunísticos (MBA)
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Lichinga Português Português 12ª Classe ou Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Nacala Português Nenhuma Licenciatura em
Direito Pós-Laboral Inglês equivalente de Recursos Laboral QA
História Humanos
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Lichinga Português Português 12ª Classe ou Mestrado em Gestão 2 Anos/Pós- Nacala Português Nenhuma Licenciatura em
Administração Pós-Laboral Inglês equivalente
e Administração Laboral QA
Pública Matemática
Educacional
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Lichinga Português Português 12ª Classe ou
Contabilidade e Pós-Laboral Inglês equivalente
Auditoria Matemática
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Lichinga Português Português 12ª Classe ou
Economia e Gestão Pós-Laboral Inglês equivalente
LEGENDA:
Matemática
Licenciatura em 4 Anos/Laboral Lichinga Português Português 12ª Classe ou B – Beira Mpt - Maputo PBL – Problem Based Learning
Administração e Inglês equivalente Mil - Milange Npl – Nampula QA – Qualquer área
Gestão Hospitalar Matemática C – Cuamba P - Pemba
Licenciatura em 4 Anos/Laboral e Lichinga Português Português 12 ª Classe ou Ch – Chimoio Q – Quelimane
Gestão de Recursos Pós-Laboral Inglês equivalente Gor – Gorongosa T - Tete
Humanos e Relações Matemática Gú – Gurúè
Laborais
PUBLICIDADE
Savana 21-12-2018 go

Moza aposta no desenvolvimento sustentável


N
o âmbito da sua estratégia 5 '#(#-.,),5 2/.#0)5 )5 (/&5/#',ã-85
de relacionamento proac- ()5 )465 (/&5 /#',ã-65 ),5 -/5 ./,()65 #'ã)5 #&65 #,-
tivo com a sociedade ci- #--65')'(.)-5*ĉ-55--#(./,5 .),72/.#0)5 5
)#(.65 *,#-)/5
vil, o Moza passou, desde )5 ''),()65 +/5 5 #(##.#05 +/5-.5*,,#5*),á50##&#4,5
quinta-feira última, a colaborar 5 #(-.#./#éã)5 +/5 ,*,-(.5 0#-65 0á,#-5.#0#-5-5),!(#4éċ-65
com a Liga das Organizações Não --(#&'(.65 )'*(",5 5 #- +/5'/#.-504-5( ,(.'50,-
Governamentais de Moçambique (â'#5 )5 -(0)&0#'(.)5 -5 -#-5*),5 &.55*)#)8
– Joint. Esta aliança é resultado de ),!(#4éċ-65 -()5 +/5 .&5 *--5 ^*)#-5 5 0á,#-5 )(0,-éċ-5
um memorando de entendimen- *&5 #-*)(##&#5 5 -,0#é)-5 "!')-5à5 -5)(5(-55*,-
to assinado, em Maputo, entre o *,-)(&#4)-5 *,5 -.-5 !,/*)-5 ,#5 )'5 )5 ()85 --#'65 (ã)5
Banco e esta organização. -)##-8 -*,')-5 *(-5 ,,65 '-5
^5()--)5*ù-5)(.5)'50á,#-5),- .'ï'5-*,')-5) ,,5)5+/5
5),)65),5,/,#)65*,0ð5+/5 !(#4éċ-55-)#5#0#&65(.,5 *)')-5 *&)5 '5 5 -)#5
)5 )45 ,#5 #&#-5 (5 *,-- (#)(#-55#(.,(#)(#-655)5),- #0#&_652*,--)/8
.éã)5 5 -,0#é)-5 ŀ((#,)-5 )-5 )5)'55
)#(.5-#!(#ŀ65(5*,á.#65 ŀ,7-5 +/5 )5 ),)5 )#5 ,/,#-
)&),),-5 -.-5 ),!(#4éċ-5 /'5),)5)'5-.-5),!(#4éċ-85 )5/,(.5)5*,#'#,)5#55 5
ŀ&#-5à5
)#(.65)(.,#/#()5--#'5 5 )455'/#.-5-.-5),!(#4- )( ,ð(#5#)(&5-5,!(#-
*,5)5'*),'(.)55-(0)&- éċ-5-.ã)5'5.)-5-5*,)0ù(#-65 4éċ-55)#5#0#&5BC65
0#'(.)55-)#5#0#&855 *),5#--)5'-')65ï5 /('(.&5*)- /'50(.)5+/5*,.(5.,55
,')-5$/,5(5*,-.éã)55/'5 , ),é,55#(ł/ð(#5-.-5),!(#-
-,0#é)5'#-5#,#)()_65ŀ,')/5 4éċ-5()5ù-8

Maputo ganha
“Cerveja Dourada” a nova marca da CDM
novas paragens
A
Cervejas de Mo- ,-/&.(.5 5 -)ŀ-.#5 )'#(- '#-5 /'5 ',5 5 ,0-

de autocarro
çambique (CDM), éã)55.,ð-5'&.-55)#-5&Ě*/&)-65ï5 $5 ')é'#(65 ŀ,'()5
subsidiária do grupo /'5 ,0$5 á#&5 5 -5 ,5 )'5 #(5+/5)5)$.#0)5ï5#()0,5
ABInBev, lançou se- /'5.),5&)ĉ&#)55j8mz8 5 2*(#,5 )5 -/5 *),. ĉ&#)5
mana passada a sua mais nova 5 ^,0$5 )/,_5 .'5 )')5 *,5 +/5 .))-5 )-5 )(-/'#-

A
marca de cerveja, denominada ù)(5*,#(#*&5)5-)&5+/(.55)/- ),-5 *)--'5 ,5 à-5 '-
cidade de Maputo inaugu- &,#ŀ,5 5 .),(,5 '#-5 ŀ#(.5 -5
Dourada, produzida em Mo- ,)55 )é'#+/655-.á5#-*)- &"),-5,0$-5*,)/4#-5'5
rou dez novas paragens de ,).-55#,/&éã)8
çambique. (ù0&65(/'5*,#'#,5 -65'5 - )é'#+/8
autocarro que irão permitir 5 )(.5 ,!/'(.5 +/5 )5 .#*)5 5
aos cidadãos esperar pelos +/#*'(.)5 /-)5 (5 ),éã)5 */.)65-.()552*(-ã)5*&(5 -.5 &(é'(.)5 0'5 , ),-
transportes públicos de forma segu- -5*,!(-5.'550,5)'55*)-- 5&ù+/#)5)/,)65 #.)5)'5 *,5)5#(ù#)55hfgo8 é,5)5)'*,)'#--)55 5
ra e confortável. As novas paragens -##&#55,*,-(.,5/'5-/*),.5 ,#!),5 5 )'5 )-5 '#-5 &0)-5 ,5 5 #,.),5 5 ,%.#(!5 5 '5 .,4,5 ()0#-5 5 '#-5
são fruto de uma parceria entre o 5)'/(#éã)5*#)(#,)5(5#8 *,â'.,)-5 5 +/&#65 5  65 #(5 ,#,65 ï5 )'5 *,)/.)-5 ,&0(.-5 *,5 )5
Conselho Municipal de Maputo, ^-5()0)-5,#!)-5*--'55#-*)- )/,5ï5/'5,0$5-/065 (),'5),!/&")5+/55 5&(é5 ',)5 )é'#()8
a Sprint empresa de publicidade e (##&#4,50á,#)-5.#*)-55#( ),'éã)5
Transportes e a Cervejas de Mo- +/5*),á5-,5Ě.#&5(ã)5-ĉ5)-5*---
çambique (CDM). !#,)-5 )-5 /.),,)-65 '-5 .'ï'5
0#-ù0&5 *,5 )-5 /.)')#&#-.-5 +/5
,.7-5 5 /'5 *,)$.)5 5 /.#&#- -5-&)'5(5#_65,-(.)/5
5*Ě&#5)'50(.!(-5*,5)5 )5',&8
'/(#ù*#)5 5 *,5 )-5 '/(ù#*-85 -5 )'5-.5()0)5')&)55')#&#á-
*,!(-5 #()0),-5 *,-(.'7-5 ,#)5 /,()65 5 #5 5 */.)5 0ð5
)')5 /'5 +/#*'(.)5 )&"),5
+/5 *,.(5 #&#.,5 )5 --)5 )-5
/(# ),'#455'),(#455,5
5 *,!(-65 /.#&#4()5 )5 ')&)5 Matrículas para 2019
'"#)')-5 5 "*-65 , ),é()5 *,#(.5 5 )*.()5 *,á.#-5 '#-5
5-!/,(é5)-5/.(.-5)'5#&/'#-
(éã)5()./,(8
ŀ#(.-5 5 -!/,-5 *,5 +/'5 .)-
)-5)-5#-5.'55(--#55-5 A Escola Comunitária Luís Cabral – ECLC,
5 ),)5 )'5 )5 ,-#(.5 )5
)(-&")5 /(##*&5 5 #5 5
-&),8
(.,.(.)65.ï5)5ŀ(&55 ,é)55 Deseja aos seus alunos, pais, encarregados de
*/.)650#5#'(!)65-.5ï5/'5
*,)$.)5#'*),.(.5*,55#55
hfgo55#55 */.)5#,á5(-
ŀ#,5 5 '#-5 *,!(-65 ,-()5 educação e ao público em geral, boas festas e
*,5)-5#ã)-65)(5ŀá')-5.))-5
5!(",5)'5-.-5()0-5*,!(-8
*,5/'5.).&55hk5&)&#4éċ-5#--
.,#/ù-5*),50á,#)-5*)(.)-55*#- um próspero ano novo lectivo 2019. Aprovei-
),5 -/5 0465 )5 #,.),7!,&5 5 .&65 -.()5 )5 *&()5 #(##&5 *,0#-.)5
*,#(.65 #!/&5 )5 ',&65 ŀ,'5 *,5mk5()0)-5,#!)-5.ï5)5-!/(- ta este meio para informar que ainda renova-
-.,5'/#.)5)(.(.5)'55*,,#5 )5-'-.,55hfhf85
#.5 )'5 )5 /(#ù*#)5 5 */.)5 ,5 )5 *,-(.5 *,)$.)65 -.5 *,- VHPDWUtFXODHTXHDLQGDKiYDJDVSDUDPDWUL-
5 '5 .,4,5 '#-5 /'5 -)&/éã)5 +/5 0#-.)5 /'5 #(0-.#'(.)5 5 iff5 '#&5
$/(.5#()0éã)55/.#&#5*Ě&#8 ĉ&,-5 +/5 -,05 *,5 '&"),,5 5 cular novos ingressos da 6ª, 7ª, 8ª, 9ª, 10ª, 11ª
#!/&5 )5 ',&5 0(é)/5 +/5 -5 +/&#5 5 0#5 )-5 '#&",-5 5
*,!(-50ð'5'&"),,5-5#( ,7-- /.(.-5 +/5 #,#'(.5 -.ã)5 - e 12ª classe por 600,00 meticais. Informa – se
.,/./,-55#55)'5#--)5.,4,5 *((.-5 )-5 .,(-*),.-5 )&-
'#),5)( ),.)55-!/,(é55.))-5 .#0)-65 -/$#.)-5 )5 -)&65 à5 "/05 5 )5 ainda que os alunos das 7ª, 10ª e 12ª classes,
)-5#ã)-65)')5.'ï'5*,'#.#,5 0(.)85(C.C)
fazem exames na própria Escola Comunitária
Luís Cabral. Podendo obter mais informações
na secretaria daquela escola, sita na sede do
bairro Luís Cabral, entrando a partir da Jun-
ta ou Maquinague ou contactar através dos
telemóveis: 847700298 ou 826864465 ou ainda
871232355.
PUBLICIDADE
hf Savana 21-12-2018

Criado espaço de lazer para crianças em Nacala


A
Karpowership, em parce- -.5 0(.)5 -)&#á,#)65 ',- .#05 0'5 ()5 -!/#'(.)5 5 )/.,)-5 *,#.á,#65 )*,),5 5 )(-.,/.),5 )*,5 gk5 )1,-"#*-5 )'5 *-
ria com o Hospital Dis- ,'5 *,-(é5 5 #,.),5 #-.,#.&5 *,)$.)-55,-*)(-#&#5-)#&5 5*,#'#,5 ,).5)1,-"#*5Y5B-- #5 #(-.&5 5 hnff5 5 5
trital de Nacala, criou um 5 Ě5 5 &7),.)65
(.5 +/55'*,-5-.á55-(0)&0,5()5 .éã)5 &ï.,#5 ł/./(.C5 '5 .))5 )1,-"#*-55kfff5 5'5)(--
novo espaço de lazer dedi- "/65 )5 ,*,-(.(.5 )5 #,- #-.,#.)5 5 +/5 .'5 )')5 )$.#0)5 )5 '/()5 5 -'*("5 /'5 **&5 .,/éã)85i555k55)1,-"#*-5
cado às crianças internadas naque- .),5 5  5 '5 &7),.)5 5 )(.,#/#,5.#0'(.65*,55'- .#0)5 '5 #(0-.#'(.)-5 5 'ï#)5 '5 )(-.,/éã)85 5 ,*)1,-"#*5
la unidade sanitária. Denominado )5 #,.),7!,&5 5 ,*)1,-"#*5 &"),#5 -5 )(#éċ-5 5 0#5 -5 5 &)(!)5 *,4)5 )(.()5 )'5 '#-5 -.á5)*,#)(&5(5â'#65(65
“cantinho das crianças”, o espaço )é'#+/65/'"/,5%-)38 *)*/&éċ-855 5hkff5 /(#)(á,#)-85 ()(ï-#65 ù()65 )é'#+/65
tem o objectivo de melhorar a ex- ,5 5 #,.),5 #-.,#.&5 5 Ě5 5 ,*)1,-"#*5 ï5 '*,-5 *,)- ./&'(.65 5 '*,-5 *)--/#5 5 ,,5 )55/ã)8
periência das crianças e suas famí- 5 &7),.)65
(.5 "/65 -.5
lias durante o tempo em que esti- !-.)5ï5&)/0á0&65/'5045+/50'5
verem a efectuar tratamento neste ,-(.,5 0&),5 +/()5 5 *,)-
Hospital. ')éã)55(.,.(#'(.)55&4,5à-5
,#(é-5#(.,(-65--#'5)')5-5
5()0)5-*é)55&4,5 )#5#(/!/- +/5*),5&#5*--,'5*,5-5)(-/&-
,)5,(.'(.65.()5-#)5(- .-5#á,#-85
.#)5 5 /'5 ) ,.5 #(#0#/&5 "/5#--5#(5+/5.'5-#)5/'5
5 ,#(+/)-5 5 .)-5 -5 ,#(é-5 !,(5")(,5.,&",5)'55 ,-
#(.,(-65/'5éã)5+/5-5,*.5 *)1,-"#*5 ()5 ),,,5 -.-5 .,ð-5
*&)5.,#,)5()5)(-/.#0)8 Ě&.#')-5 ()-65 5 '*,-5 .'5 -
-.5#(##.#05 )#5,&#45()5â'- ')(-.,)55-/5*,)/*éã)5)'5
#.)5 )5 *,)!,'5 5 ,-*)(-#&#- )5'7-.,5-)#&655,-*)(#)55
5 -)#&5 5 ,*)1,-"#*5 +/5 ),'5 *)-#.#05 à-5 (--#-5 -5
.'5 )(,.#4)5 /'5 )($/(.)5 5 ()---5 'ù&#-55-5,#(é-8
éċ-5 5 *)#)5 à5 /éã)65 -Ě5 ),5)/.,)5&)65/'"/,5%-)365#-
5 à-5 )'/(#-5 )5 #-.,#.)5 5 ,.),7!,&55 ,*)1,-"#*5 )-
&85 é'#+/65ŀ,')/5+/5-.5#(##-

Baía Mall eleito melhor


projecto de África
R
econhecido pela inovação é'#+/55*,5)-5')é'#()-65
e pelo impacto económico, /'5 045 +/5 )5 !&,ã)5 -.5 5
o Baía Mall foi eleito entre 2&ð(#5 )5 *,)$.)5 5 )&)5 )5
os melhores projectos de *ù-5 ()5 .)*)5 5 '),(#5 '5
investimento e desenvolvimen- .)55™ ,#85
to em todo o continente africano, 5 ù5 &&5 -.(7-5 *),5 /'5
arrecadando o prémio de Melhor á,55ih5'#&5'.,)-5+/,)-55
Empreendimento Comercial em )&"5'#-55/'5(.(55&)-
África em 2018. $-5#-.,#/ù-5*),5)#-5*#-)-55+/5
-5#0#'5'5á,-55,-./,éã)65
&4,55(.,.(#'(.)85
5 .,#/#éã)5 )#5 #.5 /,(.5 5
-5)5#(ù#)5+/5)5ù5 &&5 )#5
#'#,55 ,#5,)*,.35 (0-.-
/'5 *,)$.)5 *(-)5 *,5 &#!,5 )-5
'(.5B C65)(5-ã)5.,#/ù)-5)-5
)(-/'#),-5 à-5 '&"),-5 ',-5
 ,#5,)*,.35 (0-.'(.51,-
(#)(#-5 5 #(.,(#)(#-65 *,.(-
-85 ,.7-5 5 '#),5 )( ,ð(#5
()5 #,5 )5 ()(.,)5 )-5 *,ċ-5
-),5 #(0-.#'(.)5 5 -(0)&0#-
'#-5 2#!(.-65 +/,5 ()-5 -,0#é)-5
'(.)5+/65(/&'(.65-&#)(5 +/5 *,-.5 --(.-5 (/'5 &#("5 5
5*,'#5)-5'&"),-5*,)$.)-5'5 +/&#55#()0éã)85'5&/!,55
0á,#-5.!),#-5),#/()-55.)55 ()(.,)-65/'5-*é)5+/5-.&-
™ ,#5-/-,#(85 5,&éċ-5*,ĉ2#'-65'-5.'ï'5
5 ()0)5 -*é)5 )',#&5 #-.#(- ')#)(#-65)'5)-5)(-/'#),-55
!/#/7-5 *&)5 )(#.)5 #()0),5 5 0#-#.(.-8
*&)5 -#!(5 .,.#0)65 *,-(.(- 5 ù5 &&5 ï5 /'5 *,)$.)5 )5
)7-5 )')5 )5 \ /!,5 )-5 ()(-  5 B/.)'ĉ0&5 ;5 )/,#(!5
.,)-]5'5 */.)85 &/55 )é'#+/C5*,)')0#)5
5 #-.#(éã)5 .,#/ù5 *&5  5 5-(0)&0#)5*&5.#-5B'*,-5
&0()5)5*,)$.)5à5.!),#55 5*,#0.5+/#.3C55*&555-
&"),5'*,(#'(.)5)',- 0&)*'(.-5B'*,-55, ,ð(#5
#&5 '5 ™ ,#65 )&)7)5 ()5 .)*)5 '5-(0)&0#'(.)5#')#&#á,#)C85
)-5 #(0-.#'(.)-5 #')#&#á,#)-5 ()5 -5#(0-.#'(.)-55.#-5'5 )-
)(.#((.65 )( ,#()7&"5 /'5 -- é'#+/5 -.ã)5 5 -,5 -(0)&0#-
../.)5 5 )(ŀ(é65 +/&#5 5 )-5 '5 *,,#5 -.,.ï!#5 )'5 5
'),(#85 )/,5*#.&65)/.#+/55*,#0.5
'5 *,ï'#)5 #'*),.(.5 *,5 )- +/#.35+/5)*,5'5 )é'#+/8

Você também pode gostar