Você está na página 1de 20

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DE SERRA TALHADA - SESST

FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO - FIS


BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

JAKSON FABRICIO DE MELO SILVA


JÚLIO CÉSAR CARVALHO CAVALCANTE

EVASÃO DE ALUNOS NO ENSINO SUPERIOR: UMA ANÁLISE DO CURSO DE


ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO (FIS)

Serra Talhada - PE
2017
JAKSON FABRICIO DE MELO SILVA

JÚLIO CÉSAR CARVALHO CAVALCANTE

EVASÃO DE ALUNOS NO ENSINO SUPERIOR: UMA ANÁLISE DO CURSO DE


ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO (FIS)

Projeto de Pesquisa apresentado à disciplina de


Metodologia de Pesquisa do curso de Bacharelado em
Administração, da Faculdade de Integração do Sertão
– FIS, pelos alunos Jakson Fabricio de Melo Silva e
Júlio César Carvalho Cavalcante, como requisito
parcial para a obtenção da nota da 2ª VA.

Serra Talhada - PE

2017
SUMÁRIO

1 JUSTIFICATIVA ........................................................................................................04

2 PROBLEMA DE PESQUISA......................................................................................06
3 HIPÓTESE....................................................................................................................07
4 OBJETIVOS .................................................................................................................08

4.1 OBJETIVO GERAL...............................................................................................08

4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS .................................................................................08


5 METODOLOGIA ........................................................................................................09
5.1 TIPO DE PESQUISA ............................................................................................09
5.2 LOCAL DA PESQUISA........................................................................................09
5.3 INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS......................................................09
6 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA...............................................................................10
6.1 EVASÃO NO ENSINO SUPERIOR.......................................................................10
6.2 CONCEITO DE EVASÃO......................................................................................12
6.3 A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DA EVASÃO.............................................13
6.4 ANÁLISE DE ESTUDOS REALIZADOS.............................................................14
7 CRONOGRAMA..........................................................................................................17

8 PLANO DE TRABALHO............................................................................................18

9 QUESTIONÁRIO.........................................................................................................19
10 REFERÊNCIAS..........................................................................................................20
4

1 JUSTIFICATIVA

A redução dos índices de evasão é de extrema importância para a


instituição, levando em conta que os mesmos causam um grande prejuízo, pois as salas
são projetadas para funcionarem com a sua capacidade máxima, normalmente é assim
que as turmas se iniciam, porém, vai diminuindo a quantidade de alunos, e a instituição
tem que manter a turma independentemente da quantidade de discentes que nela estiver.
Neste projeto buscaremos analisar as principais causas da evasão dos alunos
do curso de Administração na Faculdade de Integração do Sertão (FIS), bem como
identificar estratégias de marketing que possam ajudar a reduzir a evasão.
A cada semestre é realizado o vestibular e, na maioria das vezes, um grande
percentual de alunos é aprovado, mas nem todos efetuam a matrícula, podendo assim,
estudar estratégias para fazer com que esses alunos realizem as suas matrículas e
frequentem o seu curso.
Diante desta realidade, faz-se necessário conhecer as causas do fenômeno
evasão, tanto aquelas que estão diretamente ligadas internamente à instituição de ensino,
quanto às externas, para tentar manter os alunos.
O problema vem se acentuando a cada ano, ano após ano vários alunos
resolvem abandonar o curso, daí surgiu a necessidade de analisar o caso mais a fundo, e
trazer para o conhecimento de todos as possíveis causas do problema, facilitando para a
gestão da instituição.
Existem vários artigos do mesmo segmento no meio acadêmico, porém, será o
primeiro realizado no curso de Administração da Faculdade de Integração do Sertão, se
tornando assim uma pesquisa inédita na instituição, que pode resultar em outros
trabalhos focando o mesmo tema em outros cursos da instituição.
A partir deste projeto, esperamos que o mesmo venha a contribuir com a
Faculdade de Integração do Sertão (FIS), de modo que venha a auxiliar os gestores a
tomar conhecimento dos eventuais problemas, da mesma forma que possam a surgir
possíveis soluções.
A pesquisa será de extrema importância para a instituição de ensino, pois é
um problema que causa um grande prejuízo para a instituição, onde deve ser estudado
profundamente, a fim de tomar conhecimento das causas deste problema para que a
5

partir dos resultados obtidos venham a ser elaboradas estratégias para que venham a ser
utilizada no combate à evasão.
Na visão pessoal a pesquisa irá contribuir com a aquisição de conhecimento
sobre gestão numa Instituição do Ensino Superior (IES), bem como Marketing
Educacional para que dessa forma venhamos a utilizar o aprendizado posteriormente.
6

2 PROBLEMA DE PESQUISA

A evasão dos alunos é um grande problema enfrentado por todas as


faculdades, porém, focaremos nos alunos do curso de Administração da Faculdade de
Integração do Sertão (FIS), em Serra Talhada.
No caso do curso de Administração na Faculdade de Integração do Sertão
(FIS), precisam ser analisados os principais motivos que levam ao grande número de
evasão, bem como analisar as estratégias de marketing para que se possa diminuir os
números de evasão. Diante disto aponta-se o seguinte problema: Como reduzir o
número de alunos evadidos no curso de Administração na Faculdade de Integração do
Sertão (FIS)?
7

3 HIPÓTESE

Com a vasta concorrência e a variedade de opções de cursos de nível superior,


a instituição deve investir em políticas de motivação através do marketing, buscar
desenvolver promoções nas mensalidades e criar estratégias de renegociação para
alunos que atrasam as prestações por problemas de ordem financeira e até com
consequências sociais como o desemprego.
Outro ponto a ser levado em consideração é o momento do vestibular e por
conta da seleção, a Instituição do Ensino Superior (IES) pode fazer uma maior
divulgação do curso, informando como funciona o curso, os conteúdos estudados e
atuação no mercado de trabalho, fazendo assim com que essa estratégia possa reduzir o
número de alunos evadidos.
8

4 OBJETIVOS

4.1 OBJETIVO GERAL

Analisar os fatores que podem influenciar na evasão dos alunos dos alunos do
curso de administração da Faculdade de Integração do Sertão (FIS).

4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Analisar o perfil dos alunos evadidos;

Averiguar os principais motivos e falhas na instituição que podem levar à


evasão dos alunos;

Identificar estratégias de marketing que possam reduzir a evasão.


9

5 METODOLOGIA

5.1 TIPO DE PESQUISA

O método de abordagem a ser utilizado na pesquisa será um estudo de caso,


do tipo pesquisa explicativa, que busca um aprofundamento no tema Evasão no Ensino
Superior, tendo como alvo analisar os principais motivos que levam a evasão dos alunos
no curso de Administração da Faculdade de Integração do Sertão (FIS).

5.2 LOCAL DA PESQUISA

A pesquisa será realizada no curso de Administração da Instituição de


ensino Faculdade de Integração do Sertão (FIS), localizada na rua João Luiz de Melo,
2110, Tancredo Neves, Serra Talhada, Pernambuco.

5.3 INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS

Os dados para pesquisa serão coletados através do questionário realizado com


o coordenador do curso de Administração, para melhor compreender os motivos da
evasão dos alunos, além da coleta de dados levantados junto à Secretaria Geral da Fis.
10

6 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Serão apresentados a seguir os principais estudos sobre evasão e as prováveis


causas encontradas em pesquisas já realizadas. Inicialmente, conceituaremos a evasão,
definiremos temas pertinentes em estudos realizados anteriormente. Logo serão
enumerados os tipos de evasão e analisaremos os estudos realizados no Brasil por vários
pesquisadores.
Serão usadas como base as pesquisas realizadas, na qual serão analisadas e
contextualizadas dentro do cenário do século XXI, bem com, comparadas à realidade do
curso de Administração da Faculdade de Integração do Sertão (FIS).
Serão estudados conceitos de Marketing que possam ajudar na compreensão de
como elaborar estratégias que possam vim a reduzir os índices de evasão no curso de
Administração da IES.

6.1 EVASÃO NO ENSINO SUPERIOR

As Instituições de Ensino Superior (IES) têm passado por grandes desafios para
se manterem, além da desaceleração da demanda que tem atingindo-as, assim afirmam,
(COBRA E BRAGA 2004, apud MARTINS, 2007, p. 25).
Os teóricos apontam que há dois grandes desafios: a capacidade do IES
oferecido com a instalação relacionada à oferta do número de vagas e a demanda da
sociedade e por outro lado é apontado um grande número de IES numa mesma região
oferecendo cursos similares para um mesmo perfil de alunos.
Como se pode perceber são inúmeros os desafios enfrentados pelas IES, o ramo
do ensino passou a ser um ramo muito cobiçado, caso que fez aumentar a quantidade de
instituições nos últimos anos, considerando instituições privadas e públicas, fato que
aumenta ainda mais as dificuldades do setor.
De acordo com (COBRA E BRAGA 2004, apud MARTINS, 2007, p. 26), os
alunos não compram cursos, compram, na verdade, uma carreira profissional de
sucesso. E as IES, na maioria das vezes, têm dificuldade em compreendê-los, pois
11

precisa agregar valor a seus cursos para que os alunos tenham condições de disputar
espaço no mercado de trabalho.

Segundo (GARCIA 2006, apud MARTINS, 2007, p. 26), nos últimos dez anos
ocorreram algumas mudanças no setor, são elas: Alunos mais exigentes e mais
informados, mudança de hábitos, preferências e gostos, queda no conceito de fidelidade,
tornando mais fácil mudar de IES e consequentemente a evasão. A curva de
desenvolvimento atingiu o ponto de maturação e já começa a dar sinais de declínio,
grande incremento de competição, com novos players no mercado e redução geral dos
valores de mensalidades, as IES estão gastando mais na captação de novos alunos,
sobretudo com publicidade.
Por volta dos anos 2000, houve um grande aumento na demanda das faculdades
em todo país, dessa forma, as IES só se preocuparam em aumentar a quantidade alunos,
não se preocuparam em elaborar estratégias para manter os alunos.
Com a grande concorrência e o atual cenário econômico brasileiro, acabou
caindo a demanda de alunos pelas vagas, a preocupação passou a ser como reter os
alunos já conquistados e como atrair novos candidatos para o processo seletivo,
ocorrendo uma verdadeira disputa na busca por novos alunos, através da mídia. Essa
conquista por novos alunos tem ficado cada vez mais cara. Além disso, perder alunos
tornou-se cada vez mais frequente.
Dentro desse contexto pode-se observar a quantidade de instituições que
passaram a oferecer o curso de Administração nos últimos anos na mesma região que
fica localizada a Faculdade de Integração do Sertão – FIS, dentre elas, faculdades
particulares e a Unidade Acadêmica de Serra Talhada - UAST.

Nesse sentido, (Lopes 2006, p. 112, apud MARTINS, 2007, p. 27) afirma:

Muito se faz para conquistar novos alunos, mas muito pouco esforço
tem sido feito no sentido de reter ou aumentar o nível de satisfação de
seus atuais [....] A manutenção dos seus alunos é, cada vez mais, uma
preocupação compartilhada. As taxas de evasão crescem na medida
em que crescem as ofertas de novos cursos e novas instituições.

No cenário atual, a manutenção dos alunos se tornou tão importante quanto


conquistar novos, por esse motivo, além de ser considerada uma ameaça, a evasão pode
ser considerada uma oportunidade no sentido de que, com a queda da demanda, as IES
estão percebendo que a manutenção do aluno é tão importante quanto a sua captação.
12

Para (KOTLER E FOX 1994, apud MARTINS, 2007, p. 28) reter alunos
matriculados é tão importante quanto atraí-los e matriculá-los. Afirmam ainda que aluno
insatisfeito pode reduzir o número de disciplinas cursadas ou abandonar o curso
completamente.

6.2 CONCEITO DE EVASÃO

Trazer os conceitos relacionados a evasão escolar no ensino superior e


extremamente importante para que se obtenha resultados confiáveis e satisfatórios. O
aluno será considerado evadido após o prazo máximo para conclusão do ensino
superior. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a evasão é o abandono =
definitivo do curso de origem, ou a diferença entre ingressantes e concluintes, após uma
geração completa.
De acordo com (GOMES 1998, apud MARTINS, 2007, p. 28) certeza da evasão, do
ponto de vista técnico, só é possível após o término do período máximo para conclusão
do curso. Em média, 80% mais que o período mínimo de conclusão. Porém, conforme
argumenta (GOMES 1998, apud MARTINS, 2007, p. 28), como isso ocorre após sete,
oito ou nove anos, fica difícil prevenir a perda de grandes contingentes nos cursos de
graduação na universidade.
Ao analisar os conceitos pode-se chegar a conclusão que o aluno só será
considerado evadido a partir do momento em que a turma na qual o mesmo iniciou o
curso tenha sido concluída. Caso contrário, o aluno pode deixar de fazer parte das
estatísticas a qualquer momento.
A Comissão Especial de Estudos Sobre Evasão nas IES Públicas (1997) afirma
que para estabelecer parâmetros metodológicos de forma a garantir a exatidão e
comparabilidade dos resultados, evasão ficou caracterizada da seguinte forma.
Para Gomes (1998), evasão de curso é quando o estudante desliga-se do curso
superior em situações diversas tais como: abandono (deixa de matricular-se), desistência
(oficial), transferência ou reopção (mudança de curso), trancamento, exclusão por
norma institucional. Evasão da instituição é quando o estudante desliga-se da instituição
qual está matriculado, evasão do sistema, quando o estudante abandona de forma
definitiva ou temporária o ensino superior.
13

O aluno poderá ser reprovado caso não atinja as médias preestabelecidas pela
IES, ou se não atingir a média de frequência para que seja considerado um aluno
aprovado, caso não atinja os algum dos dois, o aluno será considerado reprovado e terá
que refazer a disciplina na qual não obteve sucesso.
Caso muito comum entre os alunos é o trancamento do curso, quando o aluno
tranca o curso automaticamente será considerado um aluno evadido, independentemente
de o aluno retomar o curso ou não entrará para as estatísticas de alunos evadidos.

6.3 A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DA EVASÃO

Com a crise econômica que o pais enfrenta acirrou a disputa das IES por alunos,
por esse motivo tem se tornado cada vez mais difícil a aquisição de novos alunos. Mais
que nunca a manutenção do vínculo com o aluno passa a ser de fundamental
importância para as IES.
A alguns anos atrás os alunos raramente tinha como escolher em qual faculdade
fazer o seu curso, hoje em dia com o grande aumento no número de IES os alunos
passaram a ter o poder de escolha, dessa forma as IES precisam se superar para ganhar a
confiança do aluno.
Na cidade de Serra Talhada existem 3 (três) Instituições que oferecem o curso de
Administração, sendo 2 (duas) Instituições de ensino privado e 1 (uma) federal, sendo
disponibilizados 480 (quatrocentos e oitenta) vagas anuais.
De acordo com (NUNES 2005, apud MARTINS, 2007, p. 30), a importância da
retenção de clientes é única para as IES, e poucos segmentos reúnem a mesma
configuração do ensino superior, em função da intangibilidade do produto ou serviço.
Ou seja, na maioria dos outros seguimentos, não se mantem um cliente fixo por
tanto tempo da forma que é no ensino superior. E no ensino superior o serviço oferecido
é projetado para servir a uma determinada quantidade de clientes (alunos), porém, existe
a evasão dos mesmos durante determinado período de tempo, fato que causa prejuízo
para as IES.
Dentro desse contexto (Nunes 2005, p. 125, apud MARTINS, 2007, p. 31)
afirma:
14

Nesse sentido, uma universidade pode ser comparada com um avião


que parte com 100% da capacidade ocupada, apenas deixando
passageiros durante as com cerca de 60% das poltronas ocupadas.
Entre uma ou outra escala, que nesse caso são as fases semestrais ou
anuais de um curso, a capacidade ociosa vai aumentando, havendo
poucas chances de substituição de “passageiros”.

As IES sofrem muito com o problema da evasão, problema esse que causam
sérios riscos à saúde financeira das Instituições, pois, independentemente de quantos
alunos que restem no curso a IES têm obrigação de concluir o curso para aqueles que
restaram.
As Instituições fazem um investimento muito alto, visando manter as salas com
a sua capacidade máxima de alunos. O ensino superior é o único negocio que mesmo
caído à receita com evasão dos alunos os custos continuam os mesmo, acarretando na
redução do lucro, sendo o mesmo o principal objetivo das IES privadas.

6.4 ANÁLISE DE ESTUDOS REALIZADOS

Tendo em vista que se trata de um assunto importante para as IES, a evasão


frequentemente se torna tema de trabalhos científicos. Dessa forma, se torna importante
a realização de uma breve análise nos mais relevantes. Até aqui foram feitas análises
dos seguintes autores: Cobra e Braga (2004), Garcia (2006), Lopes (2006), Kotler e Fox
(1994), Gomes (1998), Nunes (2005), Veloso (2000).
A partir do que foi analisado pode-se notar uma unanimidade no que diz respeito
ao tamanho do problema que a evasão traz para as instituições. Também pode-se
constatar uma adversidade na hora de definir os fatores que levam a evasão dos alunos,
foram apontadas diversas possíveis causas, que vão desde problemas financeiros à falta
de identificação com o curso escolhido.
Diante desta pode-se ter noção da importância do estudo realizado. De acordo
com (Veloso 2000, p, 14, apud MARTINS, 2007, p. 35) assegura que:

A evasão de estudantes é um fenômeno complexo, comum às


instituições universitárias no mundo contemporâneo. Nos últimos
anos, esse tema tem sido objeto de alguns estudos e análises,
especialmente nos países do primeiro mundo, e têm demonstrado não
só a universalidade do fenômeno como a relativa homogeneidade de
seu comportamento em determinadas áreas do saber, apesar das
15

diferenças entre as instituições de ensino e das peculiaridades


socioeconômico culturais de cada país.

A evasão pode vim a ser causada por problemas internos e externos, os


problemas externos são os que mais causam problemas a instituição, pois os gestores
não tem como gerencias as mesmas.
Segundo (SCHARGEL E SMINK 2002, apud MARTINS, 2007, p. 36) existem
três tipos de dissidência, que são eles, dissidência eventual, dissidência situacional e
dissidência por contemporaneidade. Ainda segundo os autores o mau desempenho
acadêmico, pobreza, etnia, limitação em algumas disciplinas, gravidez, rastreamento e
situação geográfica pode levar a evasão.
Os problemas citados acima podem ser considerados problemas sociais ou falta
de planejamento por parte dos alunos antes de ingressarem em um curso superior, ou até
mesmo são feitos os planejamentos, porém são mal feitos e acabam dando errado e a
saída é a dissidência do curso.
Para (SCHARGEL E SMINK 2002, p. 29, apud MARTINS, 2007, p. 36):

Devemos examinar com lucidez tudo o que fazemos na escola. Nossa


meta básica não é simplesmente manter os estudantes em nossas salas
de aula até que concluam seus cursos, mas oferecer lhes uma educação
que os prepare para uma vida plena e produtiva que não se limita à
sala de aula.

A evasão deve ser analisada de forma ampla, a educação em si e um ponto muito


importante, a preocupação deve ir além da sala de aula, ela deve passar a ser sistêmica,
de forma que possa conscientizar os alunos e prepara-los para além da sala de aula.
De acordo com, (SCHARGEL E SMINK 2002, apud MARTINS, 2007, p. 36)
identificaram ainda através de estudo realizados anteriormente que a evasão pode ser
divididas em cinco categorias de possíveis causas, são elas: as psicológicas, as
sociológicas, as organizacionais, as interacionais e as econômicas.
As psicológicas estão relacionadas à imaturidade dos alunos, caso mais comum
em alunos mais jovens que começam o curso, mas desistem por falta de preparo. As
sociológicas estão englobadas em todo um contexto social. Nesse caso, não é possível
especificar.
As categorias organizacionais são aquelas que estão relacionadas a problemas na
instituição. As categorias interacionais avaliam a conduta do aluno em relação aos
fatores interacionais e pessoais.
16

A categoria econômica, na maioria das vezes, ocorrem pela perda de empregos


dos alunos, que não veem saída a não ser a desistência, esse talvez seja um dos mais
preocupantes para as instituições, tendo em vista a crise econômica que o país enfrenta.
Como pode-se constatar existem várias possibilidades analisadas pelos autores, o
problema é mais complexo que se possa imaginar. A maioria dos autores trabalham com
as possíveis causas bem parecidas e que andam lado a lado, porém, alguns possuem
algumas divergências, veremos então as possíveis causas de acordo com Gaioso (2006).
Para (GAIOSO 2006, apud MARTINS, 2007, p. 37), as principais causas são:
falta de orientação vocacional e desconhecimento da metodologia do curso, deficiência
da educação básica, busca de herança profissional, mudança de endereço, problemas
financeiros, horário de trabalho incompatível com o de estudo, concorrência entre as
IES privadas, falta de orientação vocacional e imaturidade.
Dentre elas também estão: Reprovações sucessivas, falta de perspectivas de
trabalho, ausência de laços afetivos na universidade, busca de herança profissional, por
falta de um referencial na família, entrar na faculdade por imposição, casamentos não
planejados, nascimento de filhos.
Como se pode ver os motivos são diversos, muito vão além do poder dos
gestores que na maioria dos casos nada pode fazer, o problema é muito complexo que
vem bem antes da faculdade na maioria dos casos, como a falta de preparo dos alunos
para adentarem num curso superior, o planejamento familiar e as falhas no ensino médio
podem ser determinantes.
17

7 CRONOGRAMA

Etapas FEV MAR ABR MAI JUN


Revisão X
Bibliográfica
Introdução X
Referencial Teórico X
Aplicação da X
Pesquisa
Análise da Pesquisa X X
Revisão Final, X X
Produção de
Resumo,
Revisão Ortográfica.
Conclusão X
Entrega X
18

8 PLANO DE TRABALHO

CAPÍTULO 1: Evasão no ensino superior;

CAPÍTULO 2: Estratégias de marketing para controle da evasão dos discentes;

CAPÍTULO 3: Perfil dos alunos evadidos no curso de administração da FIS.


19

9 QUESTIONÁRIO

1- Como fazer com que os alunos optem pela IES ao invés da concorrência na hora de
fazer um curso superior?

2- Numa escala de 0 a 10, qual o nível de evasão no curso de administração na IES?


Justifique.

3- Qual o atual cenário no que diz respeito a evasão no curso de Administração?

4- A IES tem se preocupado em identificar as causas que levam os alunos a se evadirem


do curso? Se sim, o que tem feito para levar o assunto mais afundo?

5- A IES possui falhas que podem causar a evasão? Se sim, quais?

6- Se sabe que a evasão causa um impacto financeiro para a IES, qual o tamanho desse
impacto?

7- Quais os principais desafios na hora de mantes os alunos no curso de Administração?

8- A IES utiliza de estratégias de Marketing no combate a evasão? Justifique.

9- Quais os principais motivos que tem causado os alunos a se evadirem do curso?


Justifique.

10- A concorrência pode influenciar na evasão dos alunos do curso de Administração?


Justifique.

11- Como a crise econômica pode influenciar no que diz respeito a evasão?

12- Na sua opinião, os 4 P’S do Marketing tem sido utilizado da maneira correta pela
instituição? Justifique.

13- Com base nos dados da Comissão Própria de Avaliação (CPA) que fatores
apontados pelos alunos como críticos podem contribuir para a evasão no curso?
20

10 REFERÊNCIAS

LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos,


pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos / Marina
de Andrade Marconi, Eva Maria Lakatos. - 6. Ed. - São Paulo: Atlas, 2001.

MANUAL DA MONOGRAFIA. Orientação para orientadores e orientandos.


Faculdade de Integração do Sertão. Serra Talhada, PE, 2014.

MARTINS, Cleides Beatriz Nogueira. Evasão de alunos nos cursos de graduação em


uma instituição de ensino superior. Pedro Leopoldo. 31, ago. 2007. Disponível em:
<http://www.fpl.edu.br/2013/media/pdfs/mestrado/dissertacoes_2007/dissertacao_cleidi
s_beatriz_nogueira_martins_2007.pdf>. Acesso em: 18 mai. 2017.

RODRIGUES, Gabriel Mario Rodrigues. Evasão no Ensino Superior. Brasília. 01,


dez. 2012. Disponível em: < http://abmes.org.br/arquivos/publicacoes/Cadernos25.pdf>.
Acesso em: 31 mai. 2017.

SLHESSARENKO, Michelli Slhessarenko. A evasão na educação superior para o


curso de bacharelado em sistema de informação. Florianópolis. 03, dez. 2013.
Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/gual/article/viewFile/1983-
4535.2014v7n1p128/26339 >. Acesso em: 31 mai. 2017.