Você está na página 1de 2

ALIMENTANDO AS MULTIDÕES COM JESUS

Texto base: Mc 6:30-44


Textos auxiliares: Mt 14:13-21; Lc :10-17; Jo 6:1-14

Introdução: Os discípulos, após haver feito o seu trabalho, pois foi enviado de 2 em 2 para
pregar o Evangelho, expulsar os demônios, curar os enfermos, retornavam para junto de
Jesus que os levava para um lugar reservado para que eles pudessem descansar de sua jornada.
A multidão, ao vê-los passar, os reconheceu e imediatamente os seguiu, chegando antes deles ao
destino.

Jesus olhou a multidão e percebeu alguns sentimentos que levou a se compadecer. Estes
sentimentos descrevem o estado da multidão que os seguia.

I – A MULTIDÃO SE SENTIA CANSADA

1. Já estavam ali há muito tempo e a hora já era avançada (v.5). Com certeza, tinham a
necessidade de ouvir sobre as coisas do Reino; ao ver Jesus e seus discípulos, os seguiram. Ao
contrário do que pensamos, as pessoas ainda querem ouvir falar de Jesus, apenas
estão presas pelo príncipe deste mundo. Compete a nós libertá-las (2Co 4:3-4).

2. A multidão estava cansada e sem esperança (Jo 6:2 -“viram os sinais...”) - A


realidade daquele povo era similar aos dias atuais. Enquanto eles duvidavam que jugo do império
romano fosse quebrado, alguns se encontram em nossos dias sem esperança, dado o
contexto que enxergamos. Corrupção, violência e outros fatores levam as pessoas a
perder a esperança, passando também pela questão de maus obreiros, exploradores da
fé alheia etc. De repente aquela multidão viu Jesus e seus discípulos. As pessoas precisam ver
Jesus em nossas vidas, pois a presença dEle é que vai dar credibilidade ao nosso testemunho (At
4:13).

3. A multidão estava cansada e enferma (Mt 14:14) – Ao ver Jesus passar e certamente
cônscios dos feitos que Ele realizava, foram ao seu encontro, pois sabia ser l a cura para as suas
mazelas. Muitos estão enfermos pelo pecado, muitos estão enfermos pelas mágoas e rancores
acumulados em suas vidas e somente Jesus pode curá-los. A presença de Jesus precisa ser
marcante e decisiva na vida da igreja. Precisamos exalar o bom perfume de Cristo através de
nossas vidas, para atrair as multidões a Cristo (2Co 2:15).

II – A MULTIDÃO SE SENTIA FAMINTA

1. A fome da multidão precisa ser percebida. A igreja precisa estar inteirada de seu
contexto. Não são raros os casos em que a igreja está plantada em um lugar e não se relaciona
com as pessoas ao seu redor.

2. A fome da multidão precisa ser identificada. O que as pessoas realmente


necessitam é um desafio para a igreja de nossos dias. Identificar as reais necessidades das
pessoas que queremos alcançar é um trabalho que exige comprometimento, pois quando nos
envolvemos com as pessoas, fatalmente teremos que ajudá-las com seus problemas. Porém
embora trabalhosa, essa iniciativa proporciona frutos preciosos em nossos ministérios.

3. A fome da pessoa precisa ser aplacada (saciada). Jesus disse expressamente que a
responsabilidade para com as necessidades das pessoas é nossa e não podemos transferi-
la (Mc 6:37). não temos o direito de privar as pessoas do alimento que pode capacitá-las ao reino.
Temos o alimento, que é a Palavra, sabemos os seus efeitos (Rm 1:16) e negá-la às pessoas é
condená-las à morte.
III – A MULTIDÃO SE SENTIA ABANDONADA

1. Não tinha ninguém para conduzi-la (Mc 6:34). Ovelhas sem pastor. Esta foi a impressão de
Jesus, quando viu aquele povo se achegando a eles. Um povo desorientado, desprotegido,
sem sonhos, em projetos e sem expectativas, a não ser a de que algo sobrenatural que
mudasse sua vida radicalmente em um encontro com Jesus e seus discípulos. As pessoas
precisam que as conduzamos, protejamos e façamos com que elas voltem a sonhar e vislumbrar
uma vida melhor ao lado de Jesus. Devemos isso ao nosso Senhor, pois Ele confiou a nós esta
responsabilidade. (As pessoas esperam algo de nós e Jesus conta conosco)

2. Precisava de alguém para alimentá-la (Mc 6:34b). A visão de um povo desprotegido,


alienado e ignorante a respeito das coisas do Reino, levou Jesus a ensiná-los. A Palavra diz “o
meu povo perece porque lhe falta o conhecimento” (Os 4:6). As pessoas estão sendo levadas por
profetas cegos e lançadas no abismo, passando para a eternidade sem Jesus. A igreja, imóvel
assiste o seu sofrimento. Pessoas sem esperança atentam contra a própria vida, buscam o
conforto nos braços das drogas, da prostituição, enquanto a igreja se aquartela em seus templos.
Somos os únicos que tem o alimento que vai saciar a fome das almas dessa multidão faminta.

3. Precisava de alguém para protegê-la (Mc 6:34). Ovelhas sem pastor. Jesus certa vez disse
que o mercenário vê vir o lobo e foge, deixando as ovelhas desprotegidas. Se estamos aqui para
realizar a obra confiada a nós pelo nosso Senhor, não podemos negligenciar que satanás tem
arrastado as pessoas de várias formas, para a perdição. Jesus confiou a nós um rebanho que
temos que ajuntar, alimentar, guiar e proteger. Se O amamos faremos a Sua obra com zelo (Jo
14:21 - “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que
me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele)”.

CONCLUSÃO

• A partir de agora, como iremos nos comportar a respeito das pessoas que conhecemos?
• Qual o sentimento que vem ao seu coração, sabendo que as pessoas ao seu redor precisa que
você anuncie a Palavra para elas?
• Você não perde o sono em saber que muitos que você conhece podem estar a caminho do
inferno, pois você fala de tudo para eles menos de Jesus?
• Quero orar por você, para que Deus o incomode incessantemente a respeito daqueles que ainda
não conhecem o nosso Senhor.
QUE DEUS NOS ABENÇOE
PR. JACKSON OLIVEIRA DOS SANTOS