Você está na página 1de 6

-PÚBLICO-

N-2429 REV. C 10 / 2015

Níveis Mínimos de Iluminância

Procedimento

Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior.


Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação do
texto desta Norma. A Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma é a
responsável pela adoção e aplicação das suas seções, subseções e
enumerações.

Requisito Técnico: Prescrição estabelecida como a mais adequada e que


deve ser utilizada estritamente em conformidade com esta Norma. Uma
CONTEC eventual resolução de não segui-la (“não-conformidade” com esta Norma) deve
Comissão de Normalização ter fundamentos técnico-gerenciais e deve ser aprovada e registrada pela
Técnica Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de
caráter impositivo.

Prática Recomendada: Prescrição que pode ser utilizada nas condições


previstas por esta Norma, mas que admite (e adverte sobre) a possibilidade de
alternativa (não escrita nesta Norma) mais adequada à aplicação específica. A
alternativa adotada deve ser aprovada e registrada pela Unidade da
PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de caráter
não-impositivo. É indicada pela expressão: [Prática Recomendada].

Cópias dos registros das “não-conformidades” com esta Norma, que possam
contribuir para o seu aprimoramento, devem ser enviadas para a
SC - 16 CONTEC - Subcomissão Autora.

Segurança Industrial As propostas para revisão desta Norma devem ser enviadas à CONTEC -
Subcomissão Autora, indicando a sua identificação alfanumérica e revisão, a
seção, subseção e enumeração a ser revisada, a proposta de redação e a
justificativa técnico-econômica. As propostas são apreciadas durante os
trabalhos para alteração desta Norma.

“A presente Norma é titularidade exclusiva da PETRÓLEO BRASILEIRO


S. A. - PETROBRAS, de aplicação interna na PETROBRAS e Subsidiárias,
devendo ser usada pelos seus fornecedores de bens e serviços,
conveniados ou similares conforme as condições estabelecidas em
Licitação, Contrato, Convênio ou similar.
A utilização desta Norma por outras empresas/entidades/órgãos
governamentais e pessoas físicas é de responsabilidade exclusiva dos
próprios usuários.”

Apresentação
As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas por Grupos de Trabalho
- GT (formados por Técnicos Colaboradores especialistas da Companhia e de suas Subsidiárias), são
comentadas pelas Unidades da Companhia e por suas Subsidiárias, são aprovadas pelas
Subcomissões Autoras - SC (formadas por técnicos de uma mesma especialidade, representando as
Unidades da Companhia e as Subsidiárias) e homologadas pelo Núcleo Executivo (formado pelos
representantes das Unidades da Companhia e das Subsidiárias). Uma Norma Técnica PETROBRAS
está sujeita a revisão em qualquer tempo pela sua Subcomissão Autora e deve ser reanalisada a
cada 5 anos para ser revalidada, revisada ou cancelada. As Normas Técnicas PETROBRAS são
elaboradas em conformidade com a Norma Técnica PETROBRAS N-1. Para informações completas
sobre as Normas Técnicas PETROBRAS, ver Catálogo de Normas Técnicas PETROBRAS.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 5 páginas, Índice de Revisões e GT


-PÚBLICO-

N-2429 REV. C 10 / 2015

1 Escopo

1.1 Esta Norma fixa as condições exigíveis para os níveis mínimos de iluminância a serem
observados nos projetos de iluminação interna e externa e nos ambientes de trabalho existentes nas
instalações terrestres e marítimas.

1.2 Esta Norma somente se aplica aos níveis de iluminância sobre a área da tarefa.

1.3 Esta Norma é complementar a ABNT NBR ISO/CIE 8995-1.

1.4 Esta Norma se aplica a projetos iniciados a partir da data de sua edição.

1.5 A aplicação desta Norma para as empresas do Sistema PETROBRAS sediadas no exterior deve
ter como princípio o respeito à legislação local, assim como aos demais requisitos aplicáveis. Fica
estabelecido que todas as demais legislações ou referências brasileiras existentes e destacadas
nesta Norma podem servir como insumo ao seu processo de adaptação.

1.6 Esta Norma contém Requisitos Técnicos e Práticas Recomendadas.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para


referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas,
aplicam-se as edições mais recentes dos referidos documentos.

ABNT NBR 5101 - Iluminação Pública;

ABNT NBR IEC 61892-2 - Unidades marítimas fixas e móveis - Instalações elétricas -
Parte 2: Projeto de sistemas elétricos;

ABNT NBR ISO/CIE 8995-1 - Iluminação de ambientes de trabalho - Parte 1: Interior;

ABS 190 - Guide for Crew Habitability on Mobile Offshore Drilling Units (MODUs).

3 Termos e Definições

Para os efeitos deste documento aplicam-se os seguintes termos e definições.

3.1
campo de trabalho
toda a região do espaço onde, para qualquer superfície nela situada, exigem-se condições de
iluminação apropriadas ao trabalho visual a ser realizado

3.2
iluminação geral
iluminação suprida pela fonte de energia elétrica principal ou natural, que ilumina todo o local de
trabalho não objetivando um único local ou atividade

2
-PÚBLICO-

N-2429 REV. C 10 / 2015

3.3
iluminação suplementar
iluminação adicionada à iluminação geral com o objetivo de atender o nível mínimo de iluminância
adequado ao determinado local ou atividade mesmo que eventual

3.4
iluminância (LUX)
densidade de fluxo luminoso (lúmens) recebido por uma superfície (m2)

NOTA 1 lux = 1 lúmen/m2.

4 Condições Gerais

4.1 Em todos os locais de trabalho deve haver iluminação adequada, natural ou artificial, geral ou
suplementar, apropriada à natureza da atividade.

4.2 Todo ambiente que for utilizado para mais de uma finalidade, cujos níveis mínimos de iluminância
exigidos sejam distintos, deve-se adotar o maior deles.

4.3 Em ambientes cuja iluminação geral não atenda os níveis mínimos exigidos para outros trabalhos
diferentes dos realizados, rotineiramente, nestes locais, como por exemplo: montagem, inspeção,
manutenção ou movimentação de carga, deve ser utilizada iluminação suplementar.

4.4 O nível mínimo de iluminância deve ser garantido para qualquer ponto do campo de trabalho.

4.5 A iluminação geral deve ser uniformemente distribuída e difusa (não direcional).

4.6 A iluminação geral ou suplementar deve ser projetada e instalada de forma a evitar ofuscamento,
reflexos, incômodos, sombras e contrastes excessivos.

4.7 O projeto de iluminação, para cada ambiente, interno e externo, deve estabelecer os fatores de
reflexão e os índices de manutenção aplicáveis, para se obter o nível de iluminância adequado para a
fase de operação da instalação.

NOTA Nas áreas externas de instalações terrestres e marítimas, em cada caso, essas variáveis
devem levar em conta as características dos ambientes, como por exemplo: ausência de
paredes, pisos gradeados, cores dos equipamentos, atividades desempenhadas, etc.

4.8 O plano de manutenção deve ser estabelecido levando em consideração os critérios de projeto.

5 Condições Específicas

5.1 As Tabelas 1, 2 e 3 determinam os níveis mínimos de iluminância em condições normais de


operação, por tipo de local ou atividade, em complementação a ABNT NBR ISO/CIE 8995-1.

5.2 Para situações de emergência operacional, cada unidade deve estabelecer seus próprios
critérios de níveis mínimos de iluminância.

3
-PÚBLICO-

N-2429 REV. C 10 / 2015

Tabela 1 - Ambiente com Atividades Administrativas

Nível mínimo de iluminância


Item Ambiente
(LUX)
01 Auditório 300 (ver Nota 1)
02 Sala de vídeo conferencia 500 (ver Nota 1)
03 Sala de projeção 300 (ver Nota 1)
04 Sala de TV 150 (ver Nota 1 e Nota 2)
05 Escritórios, salas de digitação e outros locais que possam ser
500
utilizados rotineiramente para estas atividades
06 Reprografia 300
07 Despensas 150
08 Alojamentos e camarotes:
a) geral; 150 (ver Nota 1)
b) cama; 200
c) escrivaninha. 300
NOTA 1 Recomenda-se que o nível de iluminância seja controlado por variador manual de intensidade.
[Prática Recomendada]
NOTA 2 As salas de TV também utilizadas como sala de aula deve ter o nível mínimo de iluminância de
300 lux.
NOTA 3 Alguns dos valores desta Tabela são baseados na ABNT NBR IEC 61892-2 e na ABS 190.

Tabela 2 - Ambiente com Atividades de Apoio Operacional

Nível mínimo de iluminância


Item Ambiente
(LUX)
01 Salas de rádio ou comunicações 200
02 Plataformas para carregamento e descarregamento 250
03 Áreas de recebimento e despacho 500
04 Oficinas:
a) geral; 300
b) áreas de riscagem de desenhos; 750
c) bancadas e áreas de revisão de motores; 500
d) máquinas operatrizes (ponto de trabalho); 500
e) bancadas de instrumentos de precisão; 1 000
f) áreas de lavagem e lubrificação (fora da oficina); 200
g) áreas de triagem (fora de oficina). 150
05 Áreas de movimentação de cargas 200
06 Almoxarifado e ferramentaria 200
07 Balanças 200

4
-PÚBLICO-

N-2429 REV. C 10 / 2015

Tabela 3 - Ambiente com Atividades Operacionais

Nível mínimo de iluminância


Item Ambiente
(LUX)
01 Áreas de processo, produção ou utilidades 100
02 Rotas de fuga e pontos de reunião 100
03 Frontal a painéis, pontos de medidas e coleta de amostras 300
04 Painéis e transformadores 150
05 Áreas e parques de bombas 100
06 Salas de equipamentos (interiores)
200
(como por exemplo: motores, bombas, compressores etc.)
07 Áreas de bombas de lama (“fluid end”) 250
08 Salas de controle:
a) processo ou operação; 500 (ver 5.3)
b) elétrico. 500 (ver 5.3)
09 Estações de tratamento de águas, esgotos e despejos 100
10 Piscinas ou bacias de enxofre 100
11 “Manifold” 200
12 Casa de catalisador 300
13 Central de gases (pontos de operação e painéis) 300
14 Taludes de tanques de armazenamento 100
15 Área de “choke” e acumulador 350
16 Área de equipamento de segurança de cabeça de poço 150
17 Estaleiro de tubos e rampa de lançamento de sondas de
150
perfuração/produção
18 Mastros e torres de sondas:
a) geral; 200
b) mesa do torrista e mesa auxiliar. 350
19 “Deck” de perfuração:
a) geral; 350
b) boca da mesa rotativa; 350
c) área do molinete; 350
d) casa do sondador. 400
20 Peneiras 300
21 Tanques de lama e área de mistura 200
22 Ponto de retirada de amostras de calhas 300
23 Área de cabeça de poços em unidades marítimas 150
24 Conveses e áreas abertas 100
25 Posto de embarcação salva-vidas 100
26 Guaritas e postos de vigilância 100
27 Ruas Conforme ABNT NBR 5101

NOTA Alguns dos valores desta Tabela são baseados na ABS 190.

5
-PÚBLICO-

N-2429 REV. C 10 / 2015

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. A
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Todas Revisão

REV. B
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Todas Revisão

REV. C
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Todas Revisão

IR 1/1