Você está na página 1de 6

 LOCALIZAÇÃO E ORIGEM

Fonte: KINDERSLEY,Dorling.World History Atlas. Londres: DK Publishing, 2005.

A Pérsia foi uma civilização de descendência Babilônia (539 a.C) que se localizava entre os
iraniana que surgiu na Ásia central (c. 2000 a.C) rios Eufrates e Tigre na Mesopotâmia que era
em seguida estabelecendo - se no sul do Irã. No a mais destacada entre as cidades do Oriente
início a Pérsia era um dos estados- vassalos sob Médio. Apesar de seu desejo de conquistar
o controle do Reino Medo de Astíages também de novos territórios e cobrar altos impostos dos
denominação iraniana, que independente da povos em seu poder, Ciro respeitava as
Assíria adquiriu controle sobre grandes áreas, da religiões e culturas de cada civilização.
Ásia central até a Ásia menor.
Com a morte de Ciro II (530 a.C) seus
Astíages queria conquistar todo o crescente sucessores Cambises e Dario fortaleceram
fértil, porém, o príncipe persa Ciro II conhecido ainda mais o Império Persa. Cambises filhos
como Ciro o Grande, neto de Astíages, de Ciro conquistou o Egito (525 a.C) se
juntamente com o Rei Caldeu Nabonide da nova tornando faraó, ponto em que começou a 27ª
Babilônia derrubou Medo com um organizado Dinastia, com a morte de Cambises (530- 525
exército dotado de cavalaria e carros de guerra, a.C), Dario (522- 486 a.C) proclamou- se rei e
estabelecendo a partir de então o império Persa, expandiu o império para da Índia à Trácia e só
transformando a capital Susa de Medo na nova na Grécia o exército Persa foi derrotado.
capital do império. O rei Persa ampliou seus
territórios derrubando a rica Lídia (547 a.C)
algumas cidades da costa da Grécia (540 a.C), e
 ADMINISTRAÇÃO DO IMPÉRIO
O grande poder dos persas foi apoiado por um Para que eles se mantivessem fiéis ao poder
exército de soldados invencíveis que vinham de central, o imperador mandou funcionários de
dentro e de fora das fronteiras do império. Esse confiança, conhecidos como "olhos e ouvidos do
exército era composto de cavaleiros treinados rei".
que eram conhecidos como mercenários, pois só
A partir do governo de Dario I, as trocas
lutavam para quem lhes pagasse isso não era um
comerciais passaram por um período de
problema para os persas graças a todas as terras monetização com a criação de uma nova moeda,
que haviam conquistado, eles tinham também o Dárico.
uma enorme riqueza, e as usavam para construir
cidades de incrível luxo e beleza. A expansão persa só foi possível graças ao
empreendedorismo dos imperadores que
Era preciso organizar os territórios que estiveram no poder. Quem deu início ao império
haviam sido conquistados. Assim, a reforma persa foi Ciro, porém, o desenvolvimento se
deve principalmente a Dario, este foi o
administrativa realizada no governo de Dario deu
responsável por grandes construções, uma
origem às satrapias. As satrapias eram territórios delas foi a Estrada Real, cujo objetivo era manter
que foram divididos em 30 províncias. a hegemonia dos povos conquistados.
O sátapra era o governante local e responsável
por arrecadar os impostos e repassá-los ao
imperador, não demorou muito para que alguns
deles tomassem o controle desses territórios,
ficando com a maior parte da arrecadação.

 RELIGIÃO
.
Fundado no século VI a.C. pelo profeta Zoroastro
(Zarastruta) foi a principal religião criada pelos
persas. Os zoroastristas acreditavam em duas
forças opostas, seu dualismo era cósmico e moral e
havia uma batalha entre o bem e o mal. O deus
Ahura Mazda (Ormuz) representava a bondade e o
deus Ahriman (Arimã) representava o mal. Os
magos eram sacerdotes de Ormuz. O livro sagrado
dos persas era o Zend-Avesta.
Acreditava-se que no fim dos tempos haveria um
julgamento final e Ahura Mazda triunfaria, naquele
dia, todos seriam julgados e os justos ganhariam o
céu e os injustos, o inferno.

A crença de que o império recebia o direito de


governar das mãos de Ahura Mazda contribuiu para AZULEJO COM O DEUS AHURA MAZDA NA CIDADE DE TAFT, IRÃ.
manter a centralização que caracterizou o império.
 CULTURA E ARTE
Na pérsia, a população atuava na agricultura e dotados de complexa gama de elementos de
comércio. A definição de um individuo se dava a decoração de jardinagem, os famosos jardins
partir da determinação social que nascia. A elite muradas de Dário.
era composta pelo rei e a família real, sacerdotes Dentre muitas das realizações de Dario, esta a
e nobres. Militares de alta patente e grandes construção de uma cidade monumental chamada
latifundiários também tinham privilégios. de Persépolis, a cidade foi projetada como
Comerciantes, camponeses, artesãos e escravos símbolo do império que a Pérsia tinha erguido.
também faziam parte da sociedade. Atualmente as ruinas dessa cidade, são um
Diferentes de outros impérios, o persa importante sitio arqueológico, e no ano de 1979
permitia que um povo conquistado mantivesse a sua ruinas foram declaradas patrimônio mundial
própria autonomia cultural, o que promoveu um da UNESCO.
grande intercambio cultural.
Nas artes os persas foram influenciados pela
esfera politica, várias obras, monumentos, entre
outros. Há reproduções que homenageiam a vida Detalhe encontrado na escadaria leste que
e os importantes feitos do rei. dá acesso à sala de audiência de Dario I (C.515
No campo arquitetônico, espaços suntuosos da A.c), Persépolis, Irã. Na imagem é possível
arquitetura eram observados nos palácios,
observar delegações de povos sujeitos ao
império Persa, carregando presentes, a
caminho de audiência com o rei.
 FIM DO IMPÉRIO
O império Persa vinha de muitas conquistas e
firmava a politica expansionista. Com essa ideia, Alexandre da Macedônia tinha iniciado sua
buscaram conquistar a Grécia, iniciando assim, no fulminante carreira de vitórias.
século V a.C. uma invasão as coloniais gregas. Principalmente sobre os persas, iniciando
Depois de muitas derrotas no mar e em terra. Os uma vitoriosa campanha militar na qual
persas reconheceram a supremacia dos gregos, contou com o apoio de algumas cidades-
buscando um acordo de paz. Ao mesmo tempo estados da Grécia.
internamente a Persa estava sofrendo com o
descontentamento das Satrapias, pelos autos
impostos a eles exigidos.

Enfraquecidos no âmbito interno e externo, não


conseguiram resistir ao exercito macedônico,
comandado por Alexandre III.

FILME: 300 (2006)

É um filme que retrata a sociedade de Esparta e seus soldados em uma grande batalha contra o
império Persa, que buscava conquistar outros povos, munido de um grande exercito.

LIVRO: FOGO PERSA: O PRIMEIRO IMPÉRIO MUNDIAL E A BATALHA PELO OCIDENTE.


(Tom Holland)

No começo do século V A.C., uma superpotência global, a Pérsia, estava determinada a se impor
sobre dois Estados considerados terroristas, Atenas e Esparta. Tom Holland invoca cenários e
personalidades clássicas para narrar a espetacular vitória dos gregos diante dos persas e apontar as
implicações desse triunfo na história do Ocidente.

Globo Repórter: Imagens nas ruinas de Persépolis, no Irã, contam a história do povo persa.
Link: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2017/09/imagens-nas-ruinas-de-persepolis-no-ira-contama historia-do-povo-
persa.html
REFERÊNCIAS

Livros didáticos

BRAICK, P.; MOTA, M.B. História: das cavernas ao terceiro milênio. São
Paulo: Moderna, 2016. v. 1.

BOULOS JUNIOR, A. História. Sociedade e cidadania. São Paulo: FTD,


2011.

Obras de apoio

CHELIK, Michael. Historia antiga: de seus primórdios a queda de Roma.


p.56-59.