Você está na página 1de 6

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ


CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO PIBIC-JR/ CNPQ

LUCIANA RODRIGUES SOUSA

<ROBÓTICA E INCLUSÃO: UMA PROPOSTA DIDÁTICA PARA


FACILITAR O ENSINO-APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA A
DEFICIENTES VISUAIS NA CIDADE DE SANTARÉM, PARÁ.>

Santarém - Pará
2019
LUCIANA RODRIGUES SOUSA

ROBÓTICA E INCLUSÃO: UMA PROPOSTA DIDÁTICA PARA


FACILITAR O ENSINO-APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA A
DEFICIENTES VISUAIS NA CIDADE DE SANTARÉM, PARÁ.

Relatório de Iniciação Científica Jr./CNPq de bolsista


premiado na I Feira de Ciências e Tecnologias
Educacionais da Mesorregião do Baixo Amazonas-
Pará (I FECITBA), evento vinculado à Universidade
Federal do Oeste do Pará (UFOPA).

Orientador(a): Nara Roberta Pádua Andrade


Co-orientador(a): Wagner Delgado Caldas

Santarém - Pará
2019
1. IDENTIFICAÇÃO
Orientador(a):Nara Roberta Pádua Andrade
Título do Projeto: Robótica e Inclusão: Uma proposta didática para facilitar o ensino - aprendizagem
em matemática a deficientes visuais na cidade de Santarém, Pará.
Instituição de matrícula do estudante bolsista: EEEFM. Profª Terezinha de Jesus Rodrigues

Endereço completo da instituição de matrícula do bolsista: Alameda Trinta, 132-76- Aeroporto


Velho PA, 68020-400.

Instituição de vínculo empregatício do orientador:

E-mail do orientador: roberta_matematica@hotmail.com Telefone do orientador:93991161169

Bolsista: Luciana Rodrigues Sousa

E-mail do bolsista: lucianaavinte2001@gmail.com Telefone do bolsista:93981205542

Vigência da bolsa:

Relatório parcial ( ) Relatório final ( )

Período do relatório:

2. INTRODUÇÃO

A educação no brasil vem passando por diversas mudanças tanto na estrutura como na forma de
ensinar e aprender. Assim, assim como ela, a forma como podemos incluir pessoas com alguma
deficiência tem sido da mesma forma mudada, por exemplo, através de instrumentos didáticos que
possibilitam a essas pessoas facilidade em aprender. Estes instrumentos de acessibilidade, tem gerado
grande interesse em professores e alunos, tendo em vista a redução das dificuldades e obstáculos
relacionados a sala de aula. Em vista disso, decidimos projetar um auxílio robô-didático mais
interessante, saindo um pouco da monotonia da sala de aula. No contexto educacional, diferentes
tipos de dispositivos podem ser desenvolvidos para pessoas com necessidades especiais, sendo que
esses dispositivos devem guardar como característica principal a possibilidade de propiciar
comunicação, representação e exploração do mundo em que essas pessoas vivem [1]. O relatório está
organizado nos dados obtidos nas reuniões programas na UFOPA para a construção do robô,
objetivos, cronogramas, metodologia e algumas dificuldades que foram observadas nessas etapas de
construção do robô didático.
3. OBJETIVOS

O objetivo central no projeto é facilitar a forma como deficientes visuais aprendem na sala de aula
através da implementação de um robô didático, visando o suporte no aprendizado de conteúdos e
conceitos, relacionados a matemática. Entendemos que é a área que mais eles possuem dificuldades,
sendo que ainda não alcançamos a fase de teste com os mesmos.

4. METODOLOGIA

O combustível que possibilitou o desenvolvimento do projeto, passou por cinco fases, sendo que a
primeira foram as entrevista feitas para alunos e professores que realizamos na UEEs (Unidade de
ensino especial) da 5ª Ure, os mesmo possuem a deficiência visual facilitando o nosso modo de
pesquisa e assim conseguimos alcançar objetivos mais precisos. A segunda fase foi a organização dos
depoimentos, em forma de dados, enquanto que a terceira fase foi mais voltada para os alunos
envolvidos no projeto que foram as aulas introdutórias de programação e robótica ministrados pelo
coorientador e um professor, ambos da área de informática. A quarta e quinta fase estão em
desenvolvimento, as quais estão projetadas a construção do robô assistivo e suas fases de teste,
juntamente com os alunos que entrevistamos na UEEs.

5. RESULTADOS OBTIDOS

Com o passar de cada fase do projeto, obtivemos resultados positivos desde as entrevista feitas com
os alunos da UEEs, pois a partir dali podemos começar a selecionar quais das informações seriam
cruciais e de grande uso para a construção do auxílio didático (robô). Verificamos que a maior
dificuldade de aprendizagem estava nas disciplinas de ciências de exatas, mais especificamente a
matemática. Em que pese suas limitações, verificamos que os alunos possuem sentidos auditivos
extremamente apurados. A fase de construção está em andamento, projetando resultados, a partir
das pesquisas em desenvolvimento, visando elaborar procedimentos e materiais que mais se
adequem as necessidades e limitações dos alunos. O robô possui componentes formados com
materiais de Lego® e a programação associada, através do software proprietário EV3®, da Lego®
com funções simples, mas de alto proveito para quem usar.
● Fotos obtida da primeira reunião em prol da construção do robô-didático, em que praticamos
a parte de montagem e programação de um protótipo, com o auxílio do professor e
orientador da Ufopa Prof°. José Ricardo Mafra no dia 01 de junho de 2019.

6. PRINCIPAIS PROBLEMAS E DIFICULDADES PARA A REALIZAÇÃO DAS


ATIVIDADES

O único problema foi para fundamentar o nosso conhecimento da área de robótica educacional, pois
possuem poucos artigos relacionados nessa área. Uma revisão de estudos inicial foi realizada, através
de bases de dados e repositórios científicos, visando a leitura de material publicado (livros, artigos e
dissertações, etc)

7. REFERÊNCIAS

[1] [2] D'ABREU, J. V. V.; GARCIA, M. F., Construção De Um Traçador gráfico Para Pessoas
Com deficiência Visual. In: Anais do VIII Simpósio Internacional de Informática Educativa -
SIIE05, Escola Superior de Educação de Leiria, Leiria, Portugal, p. 233-238, 2005.

PARECER DO(A) ORIENTADOR(A):

PARECER DO(A) CO-ORIENTADOR(A)/UFOPA:

ANEXOS

Coloque aqui documentos e outros materiais que sejam muito necessários para ajudar na compreensão
do que foi feito no trabalho.

Santarém, 06/07/2019.

Assinatura do orientador

Assinatura do bolsista

Assinatura do co-orientador/UFOPA