Você está na página 1de 3

Análise dos Princípios de

Contabilidade no processo de
avaliação dos fatos contábeis de
uma empresa

Os princípios Contábeis são obrigatórios no exercício da


profissão e constituem condição de legitimidade das Normas
Brasileiras de Contabilidade (NBC).
Através dos princípios de contabilidade, é permitido, aos
contadores utilizar certos tipos de padrões de comparação, que
demonstrem crédito nas finanças, facilitando e dando
transparência aos fatos contábeis
É inquestionável, a importância dos princípios contábeis. Eles
agem como antecedentes básicos para a elaboração do processo
contábil. Sua aplicação deve ser particularmente correta, porque
as empresas são auditas por meio dele.
De acordo com o dicionário Aurélio, a definição de ‘’princípio’’ é
a ‘’proposição que lhe serve de base, ainda que de modo
provisório, e cuja verdade não é questionada’’. Através desta
definição, é correto afirmar que, os Princípios de Contabilidade
nada mais são do que normas ou leis a serem seguidas pelos
profissionais de uma empresa, durante a realização de seu ofício.

Quais são os princípios e seus objetivos?


• Princípio da Entidade: Considerado o princípio postulado
mundial. Ele determina o campo de atuação da
contabilidade, assim, registrando somente os dados que
interferem no patrimônio da entidade e não de seus
titulares.
• Princípio da Continuidade: Assim como o princípio da
entidade, este também é um postulado mundial, de modo
que os outros princípios são apenas princípios mundiais. A
contabilidade, atualmente, pressupõe que a empresa não
terá data para sua oclusão, portanto, terá continuidade
mesmo após o seu fim, a contabilidade se responsabiliza,
prevendo seu desfecho e prejuízos.
• Princípio da Oportunidade: Atua como base insubstituível
à integridade das informações em relação ao patrimônio da
Entidade referentes a um período estabelecido e com o
emprego de quaisquer métodos técnicos. Tal
particularidade é pedido em qualquer cenário, a começar
nos registros contábeis, por mais que as normas, deem
mais importância as demonstrações contábeis.
• Princípio do Registro Pelo Valor Original: Este Princípio
estabelece que os elementos que integram um patrimônio,
devem ser primeiramente registrados na data correta da
compra, independente do pagamento, e pelo valor de
compra ou fabricação, e expresso em moedas nacionais.
Ademais, ele também aponta que o valor do objeto em
questão é o valor de fato pago por ele. Neste Princípio
ocorrem certas dificuldades para a execução do mesmo,
tais como: Inflação onde o preço do produto sofre uma
alteração ao decorrer do tempo, inclusive entre a data de
compra e o seu pagamento; outro problema é relacionado
ao custo do produto, pois quando se fala em valor pago por
ele há a inclusão de todos os gastos para o bem em
condições de uso, como seguro, frete, etc.
• Princípio da Competência: Registra as alterações que
ocorrem no patrimônio da entidade. Essas alterações
devem ser registradas dentro do período da ocorrência do
fato, quando forem gastos ou quando de fato realizadas, e
não quando pagas ou recebidas; têm que ser incluídas na
contagem do resultado do período que efetivamente
ocorreram, independente do seu recebimento ou
pagamento.
• Princípio da Prudência: Este deve ser atentado quando
aparecem dúvidas sobre a correção dos valores a serem
registrados, entre várias escolhas válidas, é a aplicação do
menor valor para os componentes no ativo e do maior para
os do passivo.

Interesses relacionados