Você está na página 1de 214

UNIPORT 2500

STAR
Versão em Português - MP-0450

EDIÇÃO - 12/2007 MÁQUINAS AGRÍCOLAS JACTO S.A.


CÓDIGO - 610260 Rua Dr. Luiz Miranda, 1650
17580-000 - Pompéia - SP - Brasil
Tel.: (14) 3405-2100 - Fax: (14) 3452-1916
E-mail: jacto@jacto.com.br
Manual de Instruções Home page: www.jacto.com.br
ÍNDICES DOS CAPÍTULOS
ÍNDICE DOS CAPÍTULOS

Introdução Capítulo 1
Precauções Capítulo 2
Especificações Técnicas Capítulo 3
Principais Componentes Capítulo 4
Operações e Regulagens Capítulo 5
Manutenção Capítulo 6
Garantia Capítulo 7
JMC-1000/4 Capítulo 8
Bicos Jacto Capítulo 9

UNIPORT
2500 STAR

3
A utilização segura e eficaz de defensivos agrícolas é uma preocupação constante da JACTO.
Esta preocupação é indispensável, pois o uso de defensivos agrícolas tornou-se uma prática neces-
sária para se obter uma colheita mais produtiva e mais econômica.

INTRODUÇÃO
No entanto, a aplicação inadequada de defensivos agrícolas prejudica o homem, o meio ambiente e
as culturas.
O objetivo da JACTO é preparar e orientar o homem do campo quanto ao uso correto dos equipa-
mentos agrícolas por ela fabricados.
Portanto, LEIA COM ATENÇÃO ESTE MANUAL DE INSTRUÇÕES. Tenha-o sempre à mão.
Em caso de dúvidas com relação ao seu produto, consulte-nos. Entre em contato com o nosso serviço de
atendimento ao cliente pelo telefone (14) 3405-2183/2228 ou ligue grátis: 0800-151811 e-mail: assistencia.
tecnica@jacto.com.br.
Quanto ao preparo e ao uso do equipamento, a JACTO conta com um departamento de treinamento
à disposição dos agricultores. Fale conosco.

AT E N Ç Ã O

O Manual do "UNIPORT 2500 STAR" refere-se somente as instruções de uso e manutenção das
peças e componentes fabricados pela Jacto.
As informações referentes as instruções de uso, manutenção do motor e do sistema de injeção estão
descritas nos manuais que acompanham este material.
Leia-o com atenção e siga as recomendações descritas. Em caso de dúvida entre em contato com a
JACTO ou com o Representante do Motor mais próximo de sua localidade.

NOTA: A leitura deste material é a garantia do bom funcionamento. Proceda conforme a exigên-
cia do fabricante com relação aos impressos para obtenção da garantia. Tenha este material
sempre à mão, ele é o documento necessário para o pronto atendimento.

P L A Q U E TA D E I D E N T I F I C A Ç Ã O

Sua máquina leva impresso na plaqueta de identificação, o modelo e o número de série.


Estas informações são importantes para que possamos manter registros de eventuais modificações
introduzidas no material empregado e nas características de sua construção.
Ao solicitar peças de reposição e serviços de manutenção, para um atendimento rápido e eficiente, é
indispensável que sejam informados o modelo e o número de seu equipamento.

JACTO é marca registrada de MÁQUINAS AGRÍCOLAS JACTO S.A.

MÁQUINAS AGRÍCOLAS JACTO S.A. adota para seus produtos uma política de contínuo
aprimoramento. Portanto, reserva-se o direito de alterar seus produtos sem prévio aviso e Capítulo 1
sem incorrer quaisquer obrigações decorrentes de tais alterações. UNIPORT
2500 STAR

5
C A P Í T U L O 2 • PRECAUÇÕES

PRECAUÇÕES
Manual de segurança 03
Adesivos de segurança 04
Trabalho no campo: Recomendações de operação 08
Exemplo de comportamento do Uniport 2500 STAR 08
Regras gerais de segurança 09
Deslocamento em estradas e rodovia 11
Recomendações de segurança para o transporte 13
Operação de forma segura 14
Segurança para aplicação de defensivos 15
Segurança durante a manutenção 20
Recomendações gerais de manutenção 22
Troca de pneus 24
Rebocar Uniport para manutenção 25
Utilização do martelo de segurança 26
Limpeza e armazenamento 27

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

1
MANUAL DE SEGURANÇA

PRECAUÇÕES
IMPORTANTE:
Esta seção do manual destina-se a orientar o operador sobre os cuidados a serem tomados
durante o manuseio deste equipamento.
É importante lembrar que este equipamento foi cuidadosamente desenvolvido a fim de lhe
proporcionar o máximo de rendimento, com economia, facilidade de operação e segurança.
Para que isto ocorra, esteja sempre atento as informações contidas nos manuais de instruções. Se
a qualquer momento surgirem dúvidas, consulte-nos.

ATENÇÃO: Ignorando as práticas de segurança, você está arriscando a sua vida e a de todas as
pessoas a sua volta.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

3
ADESIVOS DE SEGURANÇA
PRECAUÇÕES

Por todo o equipamento foram colocados adesivos de segurança que orientam sobre quaisquer
riscos de danos ou acidentes que possam ocorrer ao operador ou ao equipamento, durante o trabalho.
Antes de operar o seu equipamento, identifique todos os adesivos e através destas páginas,
assegure-se de que entendeu e compreendeu o significado de cada um.
Mantenha-os em bom estado de conservação, limpos e legíveis. Caso ocorram danos, substitua-
os imediatamente por novos. Adquira-os nas revendas Jacto através dos RGs abaixo.

ATENÇÃO: Ponto de
lubrificação com graxa.
ATENÇÃO:
Reservatório de água
para limpar as mãos.
RG: 276220

ATENÇÃO: Área de
posicionamento do RG: 379073
macaco para levante do
equipamento.

RG: 276238
ATENÇÃO: Indicador
de nível do óleo
ATENÇÃO: Ponto de hidráulico.
dreno.

RG: 389387 RG: 379107

ATENÇÃO: Perigo de ATENÇÃO: Leia o


ferimentos graves. Não manual de instruções,
manobre a máquina perto antes de efetuar qualquer
de redes elétricas. intervenção na máquina.

RG: 378992 RG: 379248


Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

4
PRECAUÇÕES
ATENÇÃO: Proibido o ATENÇÃO: Uso
tráfego desta máquina em obrigatório de roupa
rodovias. protetora.

RG: 379222 RG: 379131

ATENÇÃO: Risco de
ATENÇÃO: Não entre ferimentos graves.
no reservatório principal da Mantenha todos os
máquina. dispositivos de proteção em
seus lugares.

RG: 379065
RG: 380014

ATENÇÃO: Cuidado
ao abrir a tampa do
reservatório principal.

ATENÇÃO: Uso
obrigatório de máscara
protetora.
RG: 379172

ATENÇÃO: Não
permanecer nas
RG: 379115
plataformas com a
máquina em
movimento.

RG: 301150
ATENÇÃO: Perigo de
ferimentos graves. Não efetue
qualquer intervenção no cardã
com a TDF do trator acionada.
ATENÇÃO: Mantenha a
escada recolhida ao
trafegar.
Capítulo 2
RG: 379008 UNIPORT
RG: 301143
2500 STAR

5
Teste final do
equipamento.
PRECAUÇÕES

ATENÇÃO: Limpe o filtro a cada RG: 013169


abastecimento.
RG: 515734

ATENÇÃO: Acesso permitido


somente para pessoas autorizadas.
ATENÇÃO: Área com risco de
RG: 850891
acidentes.
RG: 670588

Adesivo função do
incorporador.

ATENÇÃO: Fluxo da válvula


direcional.
RG: 975549 RG: 301184

ATENÇÃO: Não
feche as barras de
pulverização com o
quadro abaixado.

RG: 732305 Velocidades desenvolvidas


RG: 048313

Símbolo Jacto.
RG: 584706
Adesivo refletivo (lado esquerdo)
RG: 674085

Adesivo refletivo (lado direito)


RG: 674077

Consulte o manual para


Capítulo 2 saber qual é a especificação Adesivo de sinalização preto e
UNIPORT do óleo. amarelo
2500 STAR RG: 672832 RG: 301192

6
Logotipo Jacto.

PRECAUÇÕES
RG: 048016 Acelerador manual.
RG: 477330

Adesivo do martelo Sensor de barras


RG: 477314 RG: 526201

ATENÇÃO: Reservatório do fluido da


ATENÇÃO: Recomenda-se deixar o motor embreagem hidráulica. Leia o manual de
em marcha lenta por 30 segundos, ao ligar e instruções para maiores detalhes.
antes de desligar o motor RG: 618439
RG: 998716

Adesivo válvula principal Adesivo opção de abastecimento


RG: 975432 RG: 975523

Adesivo pressão dos pneus


RG: 046622

Descrição da máquina (lado esquerdo).


RG: 002088

Capítulo 2
Descrição da máquina (lado direito).
UNIPORT
RG: 002070 2500 STAR

7
TRABALHO NO CAMPO: RECOMENDAÇÕES DE OPERAÇÃO

Para evitar acidentes, a velocidade para deslocamento do UNIPORT 2500 STAR não deve
PRECAUÇÕES

exceder 40 km/h em linha reta e 10 km/h nas curvas. Durante a pulverização a velocidade não deve
ser superior a 16 km/h.
Para evitar danos a estrutura da máquina , não desloque-a com o tanque de defensivo
cheio. Caso necessite deslocar o equipamento, não ultrapasse a velocidade de 16 km/h.

ATENÇÃO
- Evite transpor terrenos de base larga para evitar esforços excessivos nas barras de pulveriza-
ção, além de prejudicar a qualidade da aplicação do defensivo.
- A marcha de trabalho e a rotação do motor devem ser compatíveis com as condições de solo e
tipo de trabalho. Em condições de solo arenoso ou muito úmido que provocam sobrecarga e
elevação da temperatura do motor, engrene a marcha mais reduzida.

EXEMPLO DO COMPORTAMENTO DO UNIPORT 2500 STAR CASO TRANSPONHA


T E R R A Ç O S D E B A S E L A R G A E M V E L O C I D A D E I N C O M PAT Í V E L :

1ª SITUAÇÃO: na perpendicular (de frente)


A• As barras oscilam muito e as pontas "descanhotam".
B • Há sobreposição na pulverização devido ao movimento de oscilação horizontal da barra.

2ª SITUAÇÃO: na diagonal (em ângulo)


A • Quando o Uniport 2500 STAR começa a transpor o terraço de base larga, uma ponta da
barra sobe se distanciando do alvo enquanto a outra ponta da barra desce ficando muito próximo ao
solo.
As gotas geradas pelos bicos de pulverização da ponta da barra que está alta ficam muito
suscetíveis à deriva e a ponta da barra que está baixa pode até tocar o solo, não havendo o cruza-
mento entre os jatos formados pelos bicos de pulverização, ocasionando falhas na deposição das
gotas.
B • Quando o Uniport 2500 STAR começa a deixar o terraço a situação se inverte nas pontas
das barras.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

8
RECOMENDAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA

PRECAUÇÕES
• Antes de iniciar qualquer operação, é muito importante conhecer todas as informações contidas
neste manual. Em caso de dúvidas, consulte o Depto. Técnico da Jacto.
• Não use bebidas alcoólicas, calmantes ou estimulantes antes ou durante o trabalho.
• Este equipamento poderá provocar acidentes se usado de forma inadequada ou irresponsável.
• Durante a manipulação da calda, use sempre EPIs como: macacão de mangas compridas, capa
ou avental impermeáveis, luvas impermeáveis, chapéu impermeável de abas largas, botas e más-
caras protetoras especiais providas de filtros adequados a cada tipo de produto. Em caso de
dúvidas, leia o rótulo do produto químico ou entre em contato com fabricante do mesmo.

Antes da partida do motor:


• Verifique os itens constantes no manual tais como, nível de óleo, água do radiador, combustível,
etc.;
• Acelere o motor de forma gradativa, sem sobrecargas. Proceda igualmente na desaceleração;
• Ao fazer a verificação dos componentes da máquina que estejam em contato direto com os
defensivos agrícolas, utilize EPIs aprovados e de acordo com a recomendação expressa no rótulo
do produto;
• Antes de entrar na cabine, limpe os sapatos e retire as
roupas contaminadas. Guarde-as fora da cabine em um
recipiente devidamente vedado;
• A partida deverá ser feita somente após o operador
estar devidamente sentado e com o cinto de seguran-
ça ajustado;
• Verifique o funcionamento dos componentes e sistemas
da máquina através dos painéis de controle ou checagem
individual dos componentes;
• Não utilize o equipamento se houver necessidade de re-
paro em algum componente vital. Faça a correção antes;

Capítulo 2
ATENÇÃO: Não acione o equipamento em locais fechados (ex: galpões) com pouca ventilação.
UNIPORT
Os gases expelidos pelo escapamento são tóxicos e podem asfixiar o operador.
2500 STAR

9
No interior da cabine:
• Use cinto de segurança ajustado ao corpo de forma confor-
tável e segura;
PRECAUÇÕES

• Use protetor auricular;


• Não entre vestido com os EPIs que tenham sido utilízados
no preparo da calda, no abastecimento da máquina ou em
alguma manutenção da máquina, tal como limpeza dos bicos
de pulverização;
• Caso perceba que ocorreu contaminação (sentir cheiro de
defensivo agrícola), ocasionada pelo descuido em trabalhar
com porta e janelas abertas ou pela entrada de materiais
contaminados (ex.: EPIs), use imediatamente um protetor
respiratório facial (máscara) aprovado e adequado, e contate
a Assistência Técnica Jacto;
• Se o fabricante do produto a ser utilizado recomendar a utili-
zação de protetor respiratório facial (máscara) durante a aplicação,
faça-o;
• Durante o trabalho de pulverização com o Uniport, reco-
menda-se ao operador que dirige a máquina que não saia da
cabine nos momentos de abastecimento da máquina, com o
objetivo de evitar entrada de ar e EPIs contaminados na cabi-
ne durante a abertura da porta. Essas operações externas
devem ser realizadas por um outro funcionário;
• A cabine pode ser contaminada se o operador entrar com
roupas contaminadas, mantiver as janelas e porta abertas, transportar
ferramentas ou objetos contaminados;
• Não permita a presença de pessoas na máquina além do
operador;
• Não dê carona;
• Não dirija o equipamento embriagado ou dopado com o uso
de calmantes ou estimulantes;
• Redobre os cuidados ao trabalhar em locais onde existam obstáculos como árvores, pedras, bura-
cos, valetas de erosão, rede elétrica, etc.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

10
DESLOCAMENTO EM ESTRADAS E RODOVIAS

PRECAUÇÕES
Este equipamento foi projetado para transitar em estradas rurais e vicinais; ele possui caracte-
rísticas adequadas para isto, entretanto ocorre excesso lateral, portanto a sua condução em outros
tipos de estradas deverá ser feita seguindo as orientações citadas abaixo.
Caso haja a necessidade de transitar em rodovias públicas, consulte os órgãos competentes e
proceda de acordo com a legislação de trânsito vigente.
• O operador deve ser habilitado e treinado.
• Faça uso do cinto de segurança ajustado ao corpo de forma confortável e segura.
• Certifique-se de que os cilindros de levante do quadro móvel estejam totalmente estendidos e o
pino trava do quadro devidamente colocado e travado com seu pino trava. As barras devem estar
apoiadas, travadas e devidamente amarradas em seus suportes dianteiros, para maior segurança no
deslocamento.
Durante o deslocamento não permita a presença
Pino trava
de nenhuma outra pessoa sobre a máquina, além do
do quadro
operador.

OBSERVAR e cumprir os regulamentos de trânsito e des-


locar-se pela mão correta de direção.

• A velocidade deve ser compatível com o local. Velocida- Pino trava


des excessivas em curvas ou terrenos inclinados podem
ser perigosas - limite máximo de deslocamento: 40 km/h
com o tanque de defensivo vazio.

NOTA: Ao atingir a velocidade de 40 km/h, automaticamente será disparado um alarme sonoro,


indicando que a velocidade é inadequada para a máquina.

Capítulo 2
UNIPORT
• Em terrenos com declive, utilize a mesma marcha que nos aclives.
2500 STAR

11
• O Uniport 2500 STAR tem como os veículos de estrada, faróis, lanternas, luzes de freio, setas e
também um sinal sonoro que têm como finalidade alertar o operador e a terceiros que o equipamen-
to está engatado em marcha-a-ré. Além disso tem sinaleiro rotativo de alerta instalado parte de
PRECAUÇÕES

cima da cabine.
• Em terrenos com declive, NUNCA desça com a alavanca de cambio posicionada em “neutro”.
Esta operação pode ocasionar a perda de controle do operador.
• Durante o percurso, mantenha os faróis dianteiros ligados, principalmente em situações ou regiões
de pouca visibilidade. Ainda assim, se a situação oferecer risco de acidentes, faça o trajeto com
auxílio de batedores e com o sinaleiro rotativo ligado.
• Antes de operar o equipamento, faça o teste de todos os componentes não se limitando apenas ao
funcionamento do freio e da direção. Na dúvida, providencie a manutenção adequada.
• Certifique-se de que as barras estejam devidamente travadas e amarradas com cordas apropriadas
em seus suportes.

NOTA: A falta de manutenção adequada e a operação por pessoas despreparadas, pode provo-
car sérios acidentes e danos ao equipamento.

• Mantenha os faróis com luz baixa, ao cruzar com outros


veículos.
Os faróis auxiliares traseiros ou de iluminação das barras.
devem estar desligados, para não ofuscar a visão de outros
motoristas.
• Antes de fazer manobras, verifique se não há riscos de
acidentes, presença de pessoas, objetos e também se o lo-
cal é seguro para a operação/manobra.
• Não freie bruscamente ou faça manobras que coloquem
em perigo as pessoas nas proximidades.
• Redobre os cuidados ao passar próximo a árvores,
rede elétrica, valetas, barrancos, veículos, residênci-
as, cursos d’água, cercas, porteiras, etc.
NOTA: O freio de estacionamento não deve ser acio-
nado com a máquina em movimento, e sim quando a má-
quina estiver parada, entretanto, pode ser acionado em
situações de emergência.
Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

12
R E C O M E N D A Ç Õ E S D E S E G U R A N Ç A PA R A T R A N S P O RT E

PRECAUÇÕES
• O transporte deve ser feito obrigatoriamente por carretas tipo prancha que devem ser rebaixadas
e possuir as seguintes medidas (máximo):
- largura: 3,20m
- altura: 4,70m
• O transporte em carretas ou caminhões só poderá ser feito de acordo com as exigências da
Legislação de Trânsito. Consulte os órgãos competentes e verifique quais os cuidados que devem
ser tomados, antes de iniciar o trajeto/viagem/deslocamento.
• O sistema de trava das barras foi desenvolvido para trabalhar dentro dos limites e nas condições
topográficas das propriedades agrícolas.

• Trave as rodas com calços e correntes presas a carroceria.


• Mantenha a alavanca de câmbio posicionada em neutro “N”.
• Mantenha o freio de estacionamento acionado.
• Posicione o sinalizador rotativo na posição de transporte.
• Posicione a máquina corretamente, sem que partes da máquina fiquem fora da carroceria.
• Esteja atento à altura do equipamento, quadro, etc. Redobre os cuidados ao passar pró-
ximo de árvores, rede elétrica e viadutos.
• Prenda a máquina na carroceria através dos pneus. Não amarre a máquina na carroceria
através de cordas presas ao chassi ou ao quadro, isto poderá danificar componentes. Na
dúvida, consulte uma empresa de transportes.
• Desconecte e isole os cabos da bateria, começando pelo cabo negativo.
• Drene a água ou a calda do tanque do pulverizador em lugar adequado (fora do alcance de
pessoas, animais ou mesmo em locais que possa agredir o meio ambiente)
• A chave de partida da máquina deverá ser guardada em local seguro. Quando o operador
estiver fora da cabine, deve remover a chave de ignição.
• Certifique-se de que os cilindros de levante do quadro móvel estejam totalmente esten-
didos e o pino trava do quadro devidamente colocado e travado com seu pino trava. As
barras devem estar apoiadas, travadas e devidamente amarradas em seus suportes dian-
teiros, para maior segurança no deslocamento.

NOTA: Consulte sempre os orgãos competentes para estar ciente sobre a Legislação de Trânsi-
to quanto ao transporte de equipamentos do tipo do Uniport 2500 STAR.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

13
OPERAÇÃO DE FORMA SEGURA
PRECAUÇÕES

• Somente pessoas habilitadas e com conhecimento


das informações contidas nos manuais do produto
devem operar o equipamento.
• Este equipamento foi projetado para transporte
somente do operador. Não deverá ser usado para
transporte de pessoas ou cargas diversas.

• As manobras devem ser feitas em locais seguros, longe da presença de pessoas, animais ou
qualquer outra situação que ofereça risco de acidentes pessoais ou materiais.
• Não faça manobras arriscadas nem dê freadas bruscas.
• Em declives utilize a mesma marcha usada nos aclives, mantendo-a até o terreno se tornar hori
zontal.
• Não opere em velocidades excessivas. Respeite os limites de velocidades recomendadas pela JACTO:
• Pulverizando: ATÉ 16 km/h para terrenos de topografia plana.
• Trafegando: ATÉ 40 km/h (máximo) para deslocamento em estradas ou rodovias, desde
que não provoque danos no equipamento.

NOTA: Nunca freie ou acelere bruscamente, mas de forma gradativa.

• Utilize a buzina como instrumento de alerta.


• Jamais se distancie da máquina com o motor em funcionamento.
• Ao sair da cabine, desligue o motor, puxe o freio de estacionamento, mantenha a alavanca de
câmbio em neutro “N” e retire a chave. Se estiver em aclive ou declive, coloque calços nas rodas.
NÃO ESTACIONE OU PARE O EQUIPAMENTO EM TERRENOS INCLINADOS.

• Mantenha a escada e as plataformas de acesso sempre limpos de óleos ou graxas que podem
Capítulo 2 causar acidentes.
UNIPORT • Utilize sempre a escada para subir na máquina.
2500 STAR • Ao se deslocar com a máquina, certifique-se de que a escada esteja recolhida.

14
S E G U R A N Ç A PA R A A P L I C A Ç Ã O D E D E F E N S I VO S

PRECAUÇÕES
1 • LEIA o manual de instruções do pulverizador:
Para uma pulverização eficiente é necessário conhecer detalhadamente o pulverizador utiliza-
do. Só assim evitaremos o desperdício de defensivo agrícola ou a má utilização do equipamento, e o
resultado desejado será obtido.
2 • REGULAGEM correta do pulverizador:
A regulagem do pulverizador é uma operação simples. Somente com o pulverizador regulado os
melhores resultados serão alcançados.
3 • USE equipamentos de proteção (EPIs) adequados:

Durante a manipulação ou preparo da calda use todos os equipamentos de proteção


recomendados pelo fabricante do defensivo agrícola. Após a pulverização tome um banho e
troque de roupa. A roupa utilizada deve ser lavada imediatamente e separada das roupas de
uso normal, para eliminar os resíduos de defensivos.
Em caso de contato com defensivos agrícolas, lave o local afetado com água corrente por no
mínimo 15 minutos. Lembre-se: a maioria dos casos de contaminação ocorre no momento do prepa-
ro da calda, quando o defensivo agrícola ainda está concentrado, e entra em contato com as mãos.
Não entre ou guarde no interior da cabine do pulverizador os equipamentos de prote-
ção individual (EPIs) utilizados durante a manipulação ou preparo da calda, a fim de não
contaminar o local.
No interior da cabine, durante a operação da máquina e/ou pulverização, utilize apenas
protetor auricular. Caso perceba que ocorreu contaminação (sentir cheiro de defensivo
agrícola), ocasionada pelo descuido em trabalhar com porta e janelas abertas ou pela en-
trada de materiais contaminados (ex.: EPIs), use imediatamente um protetor respiratório
facial (máscara) aprovado e adequado, e contate a Assistência Técnica Jacto;
Se o fabricante do produto a ser utilizado recomendar a utilização de protetor respira-
tório facial (máscara) durante a aplicação, faça-o;
4 • USE o pulverizador em perfeitas condições:
Certifique-se que não há vazamentos. Se houver, elimine-os. Vazamentos não só representam
desperdício de defensivo agrícola, como também desuniformidade na aplicação e contaminação do
meio ambiente.
5 • UTILIZE o bico adequado:
Cada defensivo agrícola tem um bico apropriado para sua aplicação. As condições
climáticas também influenciam na escolha do bico. O volume da calda varia de um defensivo
para outro. Devemos consultar o fabricante do defensivo para optarmos pelo bico ideal.
6 • NÃO desentupir bicos, válvulas ou
tubulações com a boca:
Todo equipamento de pulverização
contém resíduos de defensivos agrícolas.
Nunca coloque peças do pulverizador
em contato com a boca, essa é a forma
mais rápida de se contaminar.
Se houver necessidade de limpeza dos
bicos, pode-se também utilizar uma esco-
va com cerda de nylon (escova de dente).
Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

15
7 • NÃO contamine fontes de água: O reabastecimento do pulverizador deve ser feito em locais
projetados para esta finalidade ou através de veículos próprios para reabastecimento (caminhões,
carretas, etc.). Evite captar água de fontes como rios, lagos, represas, córregos, etc.
PRECAUÇÕES

PRESERVE O MEIO AMBIENTE

8 • EVITE comer, beber ou fumar: Durante o manuseio da calda ou aplicação dos defensivos
agrícolas não coma, não fume, não beba e nem mantenha alimentos próximo das áreas tratadas.

9 • MANTENHA as crianças afastadas


das áreas pulverizadas:
Afaste as crianças, animais domésticos e pes-
soas desprotegidas das áreas tratadas.
Não permita que as crianças ou outras pessoas
desnecessárias ao trabalho permaneçam nas áreas
de manuseio e aplicação de defensivos agrícolas.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

16
10 • APLIQUE somente as dosagens recomendadas:
As dosagens recomendadas pelos fabricantes devem
ser seguidas. São resultados de muitos anos de pesquisas.

PRECAUÇÕES
Qualquer alteração na dosagem ou erro de cálculo pode
trazer sérias conseqüências à cultura ou ao meio ambiente.
Não use defensivos em culturas para as quais não foram
recomendados.

11 • NÃO pulverize na presença de ventos fortes:


O vento em excesso pode causar vários problemas. Impede que o defensivo agrícola chegue
ao alvo ocasionando má distribuição sobre a cultura, além de poder transportar a calda pulverizada
para fontes de água, animais silvestres e todo meio ambiente.
Não pulverize se o vento estiver com velocidade maior que 10 km/h. Uma boa aplicação pode
ser obtida com ventos de 3 a 7 km/h, temperatura entre 7 e 30ºC e umidade relativa do ar acima de
55%.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

17
12 • LAVE as embalagens antes de descartá-las:
Ao preparar a calda lave as embalagens utilizadas por cerca de 30 segundos para embalagens
de até 10 litros e 60 segundos para embalagens de 10 a 20 litros.
PRECAUÇÕES

O pulverizador UNIPORT 2500 STAR conta com o dispositivo para lavagem de embalagens.
(INCORPORADOR DE DEFENSIVOS COM LAVADOR DE EMBALAGENS)

13 • NÃO reutilize embalagens vazias:


Embalagens de defensivos agrícolas, mesmo após várias lavagens, ainda contêm resíduos. Não
queime embalagens vazias. Inutilize-as (fure o fundo das embalagens) e armazene em local seguro
até serem recolhidas e recicladas.

14 • NUNCA abasteça o pulverizador até a tampa:


Assim procedendo você evita o derramamento da calda, e a possível contaminação do opera-
dor e do meio ambiente.
Ao abastecer o tanque, faça-o até o limite máximo indicado na escala graduada.

15 • AO TRANSPORTAR defensivos agrícolas:


• Nunca transportar junto a alimentos ou rações, etc.
• Nunca compre embalagens que apresentem vazamentos.
• Nunca compre ou utilize defensivos agrícolas com o prazo de validade vencida.
• Nunca leve defensivos agrícolas dentro da cabine.
• Se ocorrer acidente que provoque vazamentos tomar medidas para evitar que o defensivo agrícola
chegue a lagos ou rios. Avise as autoridades e o fabricante do defensivo agrícola.

16 • AO ARMAZENAR:
• Construa um depósito para defensivos agrícolas em alvenaria.
• Revestir o piso com material impermeável.
• Não encostar as pilhas de produto no chão ou nas paredes. Use um estrado.
• Manter no local um tambor com areia para absorver eventuais vazamentos.
• Do lado de fora do depósito, manter torneira e chuveiro para os aplicadores.
Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

18
17 • SINTOMAS de intoxicação:
• Desmaios.
• Angústia, ansiedade.

PRECAUÇÕES
• Convulsões.
• Fraqueza, dor de cabeça, mal-estar,
vertigem, visão diferente.
• Ânsia, vômitos, dores de barriga, diarréia.
• Urina com cor e consistência diferentes.
• Irritação dos olhos, nariz e garganta.
• Tosse e lágrimas.

18. PRIMEIROS socorros:


• Se a vítima vomitar, deixe-a sentada.
• Nunca dê qualquer bebida alcoólica ou leite para
pessoas intoxicadas.
• Mantenha a vítima calma e em posição confortável.
• Encontre o rótulo do defensivo agrícola.
• Procure imediatamente assistência médica.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

19
SEGURANÇA DURANTE A MANUTENÇÃO
PRECAUÇÕES

O conhecimento e o cumprimento das recomendações contidas neste manual diminuem os


custos de manutenção e prolongam a vida do equipamento.

ATENÇÃO: Para evitar a contaminação do operador ou do mecânico, lave a máquina antes


de iniciar os serviços de manutenção.

• Os serviços de manutenção devem ser feitos por profissionais treinados e as peças devem ser
originais da fábrica.
• Os serviços de manutenção devem ser feitos com a máquina parada, freio de estacionamento
acionado, rodas calçadas e o motor desligado.

M A N U T E N Ç Ã O D E F I LT R O S / L U B R I F I C A N T E S / R A D I A D O R E S

• Os filtros e lubrificantes devem ser verificados periodicamente e trocados sempre no tempo reco-
mendado no manual de instruções ou quando necessário. Filtros de ar ou de óleo, sujos, diminuem
o rendimento do motor, podendo até causar danos mais sérios.

NOTA: Deve-se utilizar os lubrificantes e os filtros recomendados no manual de instruções.

• A água do radiador e os níveis de óleo, devem ser verificados diariamente com o motor frio e a
máquina parada em local plano.

IMPORTANTE: Quando trabalhar com o equipa-


mento em situações onde o ar esteja contaminado com
particulas sólidas em suspensão (ex: poeira, semen-
tes, folhas, etc.) e que podem ser aspiradas pela héli-
ce do motor, deve-se realizar periodicamente a limpe-
za da grade protetora da colméia do radiador, evitando
superaquecimento e desgaste prematuro do motor, essa
limpeza não deve ser realizada com jato de água de
alta pressão.

• Todos serviços de manutenção em tubulações/man-


gueiras hidráulicas devem ser feitos após a despressurização
do circuito.
Redobre a atenção durante esse tipo de manutenção,
pois o ferimento acidental da pele provocado por flui-
dos hidráulicos, deve ser imediatamente levado ao co-
nhecimento médico.
• Utilize sempre óculos de proteção, luvas e ferramen-
tas apropriadas.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

20
• Não fume durante a manutenção de peças e componen-
tes inflamáveis.

PRECAUÇÕES
• Limpe imediatamente os locais onde foram derramados,
combustíveis, lubrificantes e fluídos.

• Para certificar-se de possíveis vazamentos em tu-


bulações ou mangueiras, utilize papel, e não as mãos.
Se a iluminação do ambiente dificultar a operação,
não use fósforos, isqueiros ou qualquer tipo de cha-
ma. Isso poderá provocar incêndio ou explosão.
• Defeitos ou deficiências em componentes hidráuli-
cos devem ser imediatamente reparados.
• Havendo necessidade de manter o motor em funci-
onamento durante a manutenção, esteja atento às partes
móveis, evitando aproximar-se destes locais.
• Cuidado com roupas soltas ou largas, cabelos com-
pridos, etc. Na dúvida peça assistência de um técnico
credenciado.

• Se não houver possibilidade de fazer manuten-


ção do equipamento com o motor ligado fora de
galpões, mantenha as portas e janelas abertas para
que haja circulação constante do ar. Utilize sem-
pre máscara apropriada para esta situação. No primeiro
sinal de mal estar, pare imediatamente o trabalho
e procure respirar ar puro. O funcionamento do
motor em ambientes fechados produz gases tóxi-
cos e podem asfixiar o operador.

• Ferramentas, peças, componentes, fluidos, combustíveis, etc., devem ser armazenados de forma
Capítulo 2
adequada e fora do alcance de crianças. O ambiente deve ser adequado e não oferecer riscos de
UNIPORT
acidentes (fechado, arejado e possuir equipamentos de segurança contra incêndio).
2500 STAR

21
RECOMENDAÇÕES GERAIS DE MANUTENÇÃO
PRECAUÇÕES

• Serviços de manutenção devem sempre ser feitos por profissionais capacitados, com a máquina
parada, motor desligado e o freio de estacionamento acionado.
• Não fume nem instale aparelhos elétricos próximos a produtos inflamáveis (depósito de combus-
tível, bateria, etc).
• Durante o abastecimento de combustível, mantenha o motor parado e não fume.
• Abasteça o tanque de combustível ao final da jornada de trabalho, a fim de evitar a condensação de
água no interior do depósito. A água formada pela condensação contamina o combustível e causa
danos na bomba e nos bicos injetores.

• O combustível deve ser de boa qualidade e isento de impurezas.


• Durante a manutenção de partes sensíveis como motor, bicos/bomba injetora, componentes hidráu-
licos, etc, use ferramentas adequadas. O local da manutenção deve ser limpo e não use estopas ou
qualquer outro material para limpeza, que possa provocar entupimento nos bicos ou conexões.
• Se houver necessidade de realizar solda nas barras, chassi ou demais partes metálicas da máquina,
faça somente após a retirada dos cabos da bateria, a fim de evitar danos à mesma. Durante esta
operação os cabos devem estar isolados a fim de se evitar que o contato com as partes metálicas
causem acidentes.
• Mantenha sempre os adesivos da máquina em perfeito estado de conservação. Eles contém avisos
e recomendações importantes.
• Substitua os adesivos danificados.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

22
• Não se aproxime de partes móveis com a máquina em funcionamento, redobre a atenção e tenha
cuidado com roupas soltas, cabelos compridos, etc. Na dúvida peça a assistência de um técnico
credenciado.

PRECAUÇÕES
• O nível de óleo do motor e da água do radiador somente devem ser verificados quando os compo-
nentes estiverem frios. Cuidado com queimaduras.

• Esteja sempre atento aos sinalizadores dos paineis. Em qualquer sinal de falha, pare imediatamente
a máquina e corrijao problema.
• Os serviços de manutenção devem ser feitos de acordo com as recomendações contidas nos manu-
ais de instruções que acompanham o equipamento.
• Na manutenção de componentes do circuito de defensivo use equipamentos de proteção individual
(EPIs): luvas, máscaras, etc.

AR CONDICIONADO

O sistema de ar condicionado é seguro e pode ser usado continuamente


sem qualquer risco. No entanto, é importante observar
algumas precauções, para evitar acidentes.
1 • Ligue primeiro o ventilador e depois o ar condicionado.
O ar condicionado não deve trabalhar com o ventilador desligado.
2 • Nunca aproxime “chamas vivas”, do sistema de ar condicionado,
pois se houver vazamento, o gás refrigerante pode reagir e
transformar-se em gás letal.
3 • Não fume no interior da cabine do Uniport 2500 STAR.

4 • Serviços de manutenção nos componentes do ar condicionado,


devem ser feitos em ambientes apropriados (abertos, ventilados).
Nunca exponha o fluido refrigerante a temperaturas superiores a 40º C.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

23
TROCA DE PNEUS
PRECAUÇÕES

• Manutenções ou reparos deste


tipo requerem muita atenção.
• Mantenha a máquina freiada em
terreno plano e firme.
• Engate a primeira marcha e calce
as rodas.
• Para troca dos pneus, proceda:
• Levante a máquina com
macaco hidráulico apropriado
(capacidade de levante superior
a 4000 kg para cada ponto) através dos pontos “B” ou levante a máquina utilizando talha ou guincho
através dos pontos “A”.
• Preferencialmente, estas operações devem ser feitas com o tanque da máquina vazio.

A B
B
• Além do macaco hidráulico corretamente instalado, use calços de madeira ou cavaletes que resis-
tam ao peso do equipamento, como segurança adicional.

• Não retire objeto causador de furo com o pneu cheio. Esvazie-o primeiro.
• Durante a retirada do pneu, se o mesmo fugir do controle ameaçando cair, solte-o. Não tente
segurá-lo.
• Os serviços de desmontagem e montagem dos pneus devem ser feitos por profissionais experien-
tes. Durante o enchimento do pneu, esteja atento para o seu ajuste. Nunca exceda a pressão reco-
Capítulo 2 mendada pelo fabricante. Estouro do pneu, pode provocar acidentes graves.
UNIPORT • Se houver necessidade de reparos na roda/aro, desmonte o pneu. Reparos como solda, provocam o
2500 STAR aquecimento das partes metálicas e danos aos pneus.

24
R E B O C A R O U N I P O R T PA R A M A N U T E N Ç Ã O

PRECAUÇÕES
• Coloque um operador ao volante, para conduzir e sinalizar a máquina.
• Não reboque o Uniport 2500 STAR em distâncias longas, bem como, em vias públicas.
• O equipamento para reboque deverá ser selecionado de acordo com o tipo de implemento a rebo-
car, seguindo a legislação em vigor.
• Utilize cambão, conectando-o aos ganchos do chassi (dianteiros ou traseiros).
• A facilidade de manusear e assegurar esse transporte, depende do ajuste correto desse reboque.
• Para não danificar a transmissão ou outros componentes que giram mas que não são lubrificados
durante o reboque, observe o seguinte:
1• Reboque apenas em uma distância curta.
2• Não ultrapasse a velocidade de 6 km/h.
3• Se possível, deixe o motor funcionando para que haja lubrificação, direção e freio.
4• Freie sempre primeiro o rebocador e depois o Uniport 2500 STAR.
5• Verifique se o cambão não atingirá as rodas e outros componentes em curvas fechadas.

NOTA: Desengate o rebocador em terreno plano e horizontal. Para maior segurança use o
freio de estacionamento e calce as rodas.

• NÃO USE O UNIPORT STAR 2500 PARA REBOCAR OUTROS VEÍCULOS.

ATENÇÃO: As recomendações acima visam proporcionar-lhe o máximo de segurança operacional.


Esteja atento para que todas as operações sejam realizadas, sem oferecer riscos de acidentes ao
operador, terceiros ou ao meio ambiente.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

25
U T I L I Z A Ç Ã O D O M A RT E L O D E S E G U R A N Ç A
PRECAUÇÕES

Diante de uma situação de emergência ou por algum motivo a porta do equipamento não possa
ser aberta, dentro da cabine existe um martelo de segurança que deverá ser utilizado para quebrar
os vidros da cabine. Para realizar essa operação proceda da seguinte forma:

detalhe A

capa de proteção
do martelo

• Puxe a capa de proteção do martelo e retire o martelo de segurança do seu suporte.


• Posicione a ponta do martelo perpendicularmente ao vidro que será quebrado.

IMPORTANTE: Ao quebrar o vidro feche os olhos, pois os estilhaços de vidro podem provocar
sérios ferimentos em seus olhos. Se possível, utilize um óculos de proteção durante essa opera-
ção.
• Bata o martelo contra o vidro.

Em hipótese alguma o equipamento deve ser colocado em operação faltando um vidro.


Para a instalação do vidro contate uma assistência técnica autorizada mais próxima. Esteja ciente
que a colocação desse vidro por pessoas despreparadas pode aumentar o risco de contaminação
dentro da cabine.
Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

26
L I M P E Z A E A R M A Z E N A M E N TO

PRECAUÇÕES
• No final do trabalho, coloque água limpa no tanque (50% da capacidade), retire os bicos e os
filtros em local adequado e funcione o equipamento até esgotar toda a água, a fim de limpar o
circuito de defensivo. Limpe o filtro de sucção, os filtros dos bicos e os bicos utilizando água limpa,
detergente neutro e com o auxílio de uma escova com cerdas de nylon (escova de dente). Essa
operação deve ser feita com o uso de equipamentos de proteção individual - EPIs (luvas, máscara,
etc.) e em locais onde não haja riscos de contaminação para pessoas, animais, fontes de água,
residências, etc.
• Os danos na pintura devem ser reparados a fim de evitar a corrosão.
• Lave externamente a máquina com água limpa e execute essa limpeza em locais que não ofere-
çam nenhum risco de contaminação ambiental.

• Guardar a máquina em local coberto, seco e arejado.


• Não guarde a máquina em ambientes onde estejam armazenados alimentos para o homem ou
animais, que possam ser contaminados.
• Não guarde a máquina em ambientes onde estejam armazenados defensivos e fertilizantes que
possam provocar corrosão na máquina.
• Aplique um produto protetivo adequado ou óleo lubrificante nas partes metálicas.
•Não aplique nenhum tipo de solução nas partes plásticas ou de borracha como: pneus, porta bicos, etc.
• Faça todos os reparos necessários para manter a máquina perfeitamente preparada para o próximo uso.

• Após a limpeza, guarde a máquina


em local coberto, seco e ventilado.

Capítulo 2
UNIPORT
2500 STAR

27
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA
CAPÍTULO 3 • ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Identificação do equipamento - Dimensões 03


Apresentação da máquina Uniport 2500 STAR 03
Caracteristicas do produto Uniport 2500 STAR 04
Conjunto de pulverização do Uniport 2500 STAR 05
Características dos circuitos hidráulicos 05
Velocidades de deslocamento 06

Capítulo 3
UNIPORT
2500 STAR

1
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA
I D E N T I F I C A Ç Ã O D O E Q U I PA M E N T O - D I M E N S Õ E S

B
A C

A - 7,00m B - 3,70 m C - 3,20 m - máxima


(com bitola mínima e barras fechadas)
A P R E S E N TA Ç Ã O D A M Á Q U I N A U N I P O R T 2 5 0 0 S TA R .

3
1
4
5

8 6

1 • Reservatório de óleo hidráulico


2 • Barra de pulverização
3 • Quadro móvel 9 9
4 • Bomba de defensivo
5 • Incorporador de defensivo
10
6 • Filtro de defensivo
11
7 • Comando eletrônico de pulverização
8 • Transmissão traseira
9 • Faróis dianteiros
10 • Cabine
11 • Escada 9 9
Capítulo 3
UNIPORT
2500 STAR

3
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA
U N I P O R T 2 5 0 0 S TA R - C A R A C T E R Í S T I C A S D O P R O D U T O

Peso
• Peso da máquina vazia ........................................ 6700 kg
Dimensões
• Comprimento total ............................................... 7,00 m
• Largura máxima (barras fechadas) .................... 3,20 m
• Altura total .......................................................... 3,70 m
• Distância entre eixos ........................................... 3,30 m
• Bitola (variável de 10 em 10 cm) ........................ 2,10 a 2,70 m para pneu 12.4 x 36”
• Vão livre do solo com pneu 12.4 x 36 ................. 1,35 m
Motor
• Marca .................................................................. Perkins
• Modelo ................................................................ 1104A-44TA
• Tipo...................................................................... Turboalimentado com pós arrefecimanto de ar
• Número e disposição dos cilindros ...................... 4 em linha
• Potência .............................................................. 138 cv (101,5 kW) a 2200 rpm
• Torque ................................................................. 500 Nm a 1400 rpm
• Ciclo .................................................................... Diesel 4 tempos
• Cilindrada total .................................................... 4,4 litros
• Sistema de combustão ......................................... Injeção direta
• Arrefecimento ..................................................... Líquido
• Filtro de ar ........................................................... Tipo seco 2 elementos e indicador de restrição
Embreagem
• Tipo...................................................................... Monodisco
• Acionamento ....................................................... Hidráulico
Câmbio
• Número de marchas à frente .............................. 5
• Número de marchas à ré .................................... 1
Transmissão .....................................................Mecânica com tração nas rodas traseiras,
diferencial auto-blocante e transmissão
final por correntes duplas em banho de
óleo.
Direção ................................................................... Hidrostática
Freios ................................................................Hidráulicos, servo assistidos com dois
circuitos independentes, com discos
ventilados e pinças de dois cilindros nas
rodas dianteiras e traseiras.
Pneus
• Dianteiros ............................................................ 12.4 x 36” (40 lbf/pol² máx.)
• Traseiros .............................................................. 12.4 x 36” (48 lbf/pol² máx.)
Suspensão
• Pneumática..................................................... Pneumática com controle de altura auto-
mático.
Sistema elétrico
• Voltagem ............................................................. 12 V c.c.
• Bateria ................................................................. 170 Ah
• Alternador ........................................................... 120 A
Reservatórios (capacidade)
• Tanque de combustível ........................................ 140 L
• Radiador .............................................................. 14,5 L
• Tanque de óleo hidráulico .................................... 152 L
• Perna traseira (cada) .......................................... 14 L
• Diferencial ........................................................... 2,3 L
• Caixa de câmbio .................................................. 5,0 L
• Óleo do Motor Diesel .......................................... Mín.: 7,0 L - Máx.: 8,4 L
Capítulo 3
• Gás do ar condicionado (R 134a) ........................ 1,20 kg
UNIPORT
2500 STAR

4
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA
Cabine
• Coluna de direção ............................................... regulável
• Banco .................................................................. mecânico
• Banco (opcional) ................................................. pneumático
• Filtro do ar condicionado ..................................... Poliéster com carvão ativado
• Revestimento interno........................................... Poliuretano expandido com napa vinílica
• Revestimento externo ......................................... Polipropileno
• Teto da cabine ..................................................... Fibra de vidro feita em RTM
• Vidros .................................................................. Fumê temperados

C O N J U N TO DE P U LV E R I Z A Ç Ã O

Pressão máxima do circuito de pulverização


• Máquinas equipadas com bomba JP-100/ JP-150 .. 300 lbf/pol²
Barras
• Comprimento ....................................................... 24 m
• Altura de trabalho ............................................... de 0,5 a 1,9 m
• Acionamento ....................................................... Hidráulico
Quadro móvel
• Tipo.................................................................Oscilante com suspensão trapezoidal,
amortecedores e coxins de fim de curso.
Incorporador de defensivo com lavador de embalagens
• Material ...................................................................... Polipropileno
• Capacidade.......................................................... 23 litros
Bicos
• Modelo do porta-bicos ......................................... Quadruplo / Duplo
• Espaçamento entre bicos .................................... 17,5; 35; 50; 52,5 ou 50 cm (fora de centro).
• Número de porta-bicos........................................ 91, 70, 49 ou 48.
Tanque
• Capacidade.......................................................... 2000 ou 2500 litros
• Material ............................................................... Fibra de vidro
Tanque de água limpa para lavagem das mãos
• Capacidade.......................................................... 14 litros
• Material ............................................................... Polietileno
Bomba
• Modelo ................................................................ JP-100 / JP-150
• Capacidade de recalque....................................100 / 150 L/min. a 540 rpm na bomba.
Comando de defensivo
• Modelo ................................................................ Masterflow
• Acionamento dos segmentos............................... Elétrico
Abastecimento
• Válvula ................................................................ Válvula de engate rápido
• Fonte limpa
Agitação da calda ..............................................Acionamento Mecânico com variador de
rotação
Visor de nível
• Modelo ................................................................ Coluna graduada

Capítulo 3
UNIPORT
2500 STAR

5
PRINCIPAIS COMPONENTES
C A P Í T U L O 4 • P R I N C I PA I S C O M P O N E N T E S

Filtro de sucção 03
Bomba de defensivo 03
Controlador eletrônico de pulverização JMC 1000/4 04
Comandos de operações (cabine) 04
Extintor de incêndio 05
Ar condicionado 05
Painel de instrumentos e operações 06
Painel de comando automotivo 06
Painel de comando de serviço 07
Joystick 07
Comando Masterflow 08
Porta-bicos Quadrijet 09
Bicos 09
Incorporador de defensivo com lavador de embalagem 10
Abastecimento do depósito 10
Lavador de embalagens 12
Depósitos de água limpa para lavagem das mãos 13
Marcador de linha Mastermark 13
Válvula reguladora de rotação do mexedor 14
Filtro de linha 14
Kit manômetro BP 15
Suspensão pneumática 15
Sensor de barras 15
Injeção direta de defensivo 16
Autopilot 16
Tomada auxiliar 16
Sistema de som 16

Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

1
PRINCIPAIS COMPONENTES
F I LT R O D E S U C Ç Ã O

• Posicionado entre o reservatório e a bomba de defensivo, o filtro de sucção tem a função de reter
impurezas antes que as mesmas atinjam a bomba de defensivo.
• Possui um registro que impede o fluxo de líquido durante as operações de limpeza do filtro, troca de
elementos filtrantes ou manutenção da bomba.
• O registro do filtro deve permanecer sempre aberto durante o funcionamento do pulverizador. Caso
fique fechado por esquecimento, um ruído anormal na bomba indicará a falha operacional.

FVS-200

registro

BOMBA DE DEFENSIVO

• A bomba de defensivo usada no pulverizador UNIPORT 2500 STAR possui capacidade de vazão
de 100 ou 150 litros por minuto.
• Possui camisas de cerâmica que asseguram grande resistência à abrasão e ao ataque de produtos
químicos.
BOMBA DE VAZÃO CAPACIDADE MÁXIMA DE TRABALHO DA BOMBA
DEFENSIVO (L/min a 540rpm) lbf/pol² kgf/cm²

JP-100 100 300 21


JP-150 150 300 21

ATENÇÃO: A pressão máxima do circuito de defensivo é 300 lbf/pol².

JP-150
JP-100
(opcional)

Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

3
PRINCIPAIS COMPONENTES
C O N T R O L A D O R E L E T R Ô N I C O D E P U LV E R I Z A Ç Ã O ( J M C 1 0 0 0 / 4 )

Controlador eletrônico JMC 1000/4

Comando eletrônico

Trata-se de um sistema que regula automaticamente o pulverizador e mantém constante a


quantidade de líquido distribuída por unidade de área, independentemente das variações de veloci-
dades de trabalho.
Dessa forma, o operador não necessita mais gastar tempo regulando o pulverizador e conferindo
freqüentemente a regulagem.
Com a introdução do JMC 1000/4, o agricultor ganha tempo e economiza produto químico.
ATENÇÃO: As informações sobre o uso, calibração e manutenção estão descritas no cápitulo 8
desse manual de instruções.

PA I N E L D E O P E R A Ç Õ E S ( C A B I N E )

4 5
A

detalhe A

1 2

1 • Painel de instrumentos.
2 • Painel automotivo.
3 • Painel de comando de serviço. 6
4 • Computador JMC 1000/4 com sistema de rótula
que permite posicioná-lo da maneira que melhor atenda sua necessidade.
5 • Martelo de segurança para quebra dos vidros em caso de emergência.
Capítulo 4 6 • Ponto para conexão do sistema de controle do GPS (O GPS é acessório opcional).
UNIPORT
2500 STAR

4
PRINCIPAIS COMPONENTES
E X T I N TO R D E I N C Ê N D I O E B O L S A PA R A T R A N S P O RT E

O extintor de incêndio está localizado em baixo do banco do operador .

bolsa para transporte do


manual de instruções

AR CONDICIONADO

• O sistema de ar condicionado possui um filtro composto por uma célula com carvão ativado granu-
lado, localizado na parte superior traseira externa da cabine fixado no teto.
• A troca do filtro deve ser realizada a cada 500 horas ou quando necessário, em função da perda da
reatibilidade do filtro com ar contaminado.

Filtro do
ar condicionado

• O aparelho de ar condicionado pode funcionar também como ventilador.


• Para acionar apenas o ventilador o operador deverá girar o botão nº 1, selecionando qual a veloci-
dade que atende sua necessidade.
• Para refrigerar o interior da cabine o operador deverá girar o botão nº 1; em seguida, girar o botão
nº 2 para escolher qual é a intensidade da refrigeração e, logo após, acionar o botão nº 3.

1 2
Capítulo 4
UNIPORT
ATENÇÃO: ANTES DE LIGAR O AR CONDICIONADO, LIGUE O VENTILADOR.
2500 STAR

5
PRINCIPAIS COMPONENTES
PA I N E L D E I N S T R U M E N TO S

O painel de instrumentos está montado na frente da coluna da direção. Este painel monitora
todo o trabalho do motor diesel e indica o funcionamento de alguns equipamentos que não podem ser
visualizados pelo operador, como: bomba de defensivo, marcador de linha e GPS. Este painel é
mecânico-elétrico e possui uma simbologia com padronização internacional, facilitando a interpreta-
ção dos operadores.

PA I N E L D E C O M A N D O A U TO M O T I V O

IMPORTANTE: O painel de comando automotivo e o painel de comando de serviço possuem


luzes internas que auxiliam na visualização das funções dos mesmos, a intensidade dessas luzes
podem ser reguladas em uma função do JMC-1000/4.
O painel de comando automotivo está localizado na parte superior da cabine e tem a função de
ligar ou desligar alguns componentes responsáveis pela dirigibilidade da máquina e pela segurança
do operador e de terceiros, por exemplo: faróis, limpador de pára-brisa, lanternas, etc.
Para facilitar a identificação dos botões, no centro do painel existe um desenho do Uniport
indicando a função de cada botão.

Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

6
PRINCIPAIS COMPONENTES
PA I N E L D E C O M A N D O D E S E RV I Ç O

O painel de comando de serviço abriga os botões responsáveis pela abertura e fechamento das
barras de pulverização, funcionamento do marcador de linha e o da bomba de defensivo.

JOYSTICK

O joystick está localizado do lado direito do operador e é utilizado para o controlar a inclinação
angular das barras, a abertura e o fechamento da pulverização.
Esses controles são feitos através de botões localizados no joystick, e posicionados de manei-
ra ergonômica e funcional para o operador.

Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

7
PRINCIPAIS COMPONENTES
C O M A N D O M A S T E R F L O W ELETROELETRÔNICO

O comando regulador de pressão Masterflow Eletroeletrônico, proporciona sensibilidade e pre-


cisão nas regulagens.
Possui duas características funcionais básicas em relação aos comandos convencionais:

• VA Z Ã O P R O P O R C I O N A L A O C A M I N H A M E N TO
Após regulado, este comando mantém o volume de aplicação por área constante, mesmo com
variação na velocidade e/ou marchas de trabalho. Isto acontecerá desde que seja respeitado os
limites de trabalho dos bicos de pulverização.

Manômetro
Registro do Manômetro

Controlador eletrônico de pulverização

• MANTÉM A MESMA PRESSÃO NOS BICOS, INDEPENDENTE DO NÚMERO DE


SEGMENTOS EM FUNCIONAMENTO

Possui um sistema que permite calibrar o retorno de cada segmento de maneira que se forem
fechados um ou mais segmentos da barra, não haverá interferência na pressão de trabalho dos
segmentos restantes.

ATENÇÃO: CUIDADOS COM O MANÔMETRO


Para assegurar maior vida útil ao manômetro , o registro deverá estar fechado e sem pressão
retida durante o trabalho. Após a regulagem da máquina, utilize o botão n°1 do JMC 1000/4, para
aliviar a pressão no circuito e feche o registro do manômetro.

Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

8
PRINCIPAIS COMPONENTES
P O R TA - B I C O S Q U A D R I J E T
válvula antigotejo
O porta-bicos QUADRIJET é montado com dois bicos do tipo
cone e dois bicos do tipo leque. Possui uma válvula antigotejo que
corta o fluxo de líquido quando a pressão diminui para 10 lbf/pol²,
evitando assim o gotejamento.
Como posicionar o bico desejado:
• O posicionamento correto do bico para trabalho é de 90 graus em
relação a barra (horizontal). Para posicionar o outro bico , basta girar
o porta-bicos a 90 graus.
Como fechar o bico:
• Para obstruir o fluxo de líquido pelos bicos, basta posicionar o porta-
bicos na posição de “X” em relação a barra.
bico tipo cone
bico tipo leque

BICOS

Os bicos têm a função de gerar gotas e distribuí-las na área que está sendo tratada. Suas
características quanto a vazão, ângulo de abertura e tamanho das gotas estão associadas ao tipo de
bico e à pressão de trabalho, normalmente expressa em kgf/cm² ou lbf/pol².
Trabalhar acima das pressões recomendadas pelo fabricante diminuirá a vida útil e altera as
características de pulverização dos bicos.
Na máquina, os bicos são montados como mostra a figura abaixo.

BICO TIPO CONE BICO TIPO LEQUE


filtro
capa do bico
vedação
bico
bico

filtro capa do bico

ATENÇÃO: O bico leque é fixado ao conjunto através de capa com engate rápido para maior
praticidade em eventuais manutenções e troca de bicos.
O bico leque é montado ao conjunto com um ângulo de aproximadamente 10º em relação a
barra. Desta forma ocorre o cruzamento necessário entre os jatos para uma aplicação uniforme.

Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

9
PRINCIPAIS COMPONENTES
I N C O R P O R A D O R D E D E F E N S I VO C O M L AVA D O R D E E M B A L A G E M

Incorporador de defensivo na posição de


Trava do incorporador de defensivo
incorporação (baixo).Naposiçãodedeslocamento,
o mesmo deverá estar levantado e trvado.

• O incorporador de defensivo possui um depósito com capacidade para 23 litros.


• Evita o desperdício de produtos químicos, proporciona mais agilidade na operação de abasteci-
mento e protege o operador.
• Possibilita a incorporação de formulações líquidas, pó molháveis ou grânulos, desde que seja
respeitado a recomendação do fabricante quanto a utilização de uma pré-mistura.
• O lavador de embalagens remove os resíduos de defensivos dos recipientes.

ABASTECIMENTO DO DEPÓSITO

São duas as formas de se abastecer o depósito do pulverizador:


1ª • ATRAVÉS DA VÁLVULA DE ENGATE RÁPIDO
Nesta válvula (ø 2" - figura abaixo), deve ser acoplada uma mangueira por onde a água ou a
calda já preparada deve ser recalcada.
NOTA: Durante o deslocamento da máquina para o abastecimento, feche as barras, mesmo que
a distância seja curta. Este procedimento evita acidentes e não danifica o quadro e as barras.

ATENÇÃO: Após o abastecimento, feche


o registro da válvula de engate rápido antes
de desconectar o bico do abastecedor.

válvula de engate rápido

ATENÇÃO
Capítulo 4 - Acople a mangueira ao tubo e observe, através da mangueira indicadora de nível do tanque, a
UNIPORT quantidade de líquido para não ultrapassar o limite do tanque.
2500 STAR - Utilize os equipamentos de proteção individual indicados para o tipo de defensivo manuseado.

10
PRINCIPAIS COMPONENTES
2ª • ATRAVÉS DO ABASTECEDOR
• Coloque 50 litros de água no tanque;
• Instale a mangueira do engate rápido do abastecedor fonte limpa (1) na válvula de três vias (2);
• Coloque o abastecedor (3) no depósito de água;
• Posicione a válvula três vias (2) na posição de abastecimento;
• Certifique-se de que a válvula direcional do incorporador esteja na posição fechada
para que não ocorra derramamentos pelo incorporador;
• Acione a bomba de defensivo através do respectivo botão (detalhe A) no painel de comando de
serviço. Acelere o motor gradativamente deixando com 1800 rpm que corresponde a 540 rpm na
bomba de defensivo.
• Posicione a alavanca da válvula primária (4) na posição de abastecimento;
• Terminado o abastecimento, volte a alavanca da válvula primária (4) na posição de trabalho;
• Posicione a válvula de três vias (2) na posição de fechamento para a passagem de água;
• Retire a mangueira de engate rápido do abastecedor de fonte limpa (1).

válvula três vias (2)


A

posição de
trabalho
válvula
primária (4)

posição de
abastecimento
mangueira do
válvula três
abastecedor de fonte
vias (2) válvula
limpa (1)
direcional do
incorporador

abastecedor (3)

ATENÇÃO
• O reabastecimento do pulverizador deve ser feito em locais projetados para esta finalidade ou
através de veículos próprios para reabastecimento (caminhões, carretas, etc).
• Não captar água das fontes como: rios, lagos, represas, córregos, etc.
Capítulo 4
A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE É DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA UNIPORT
PARA MANUTENÇÃO DE UMA VIDA SAUDÁVEL. 2500 STAR

11
PRINCIPAIS COMPONENTES
L AVA D O R D E E M B A L A G E N S

O LAVADOR DE EMBALAGENS vem montado no INCORPORADOR DE DEFENSIVOS.


Lave as embalagens imediatamente após o uso do conteúdo, antes dos resíduos começarem a
secar.

lavador de embalagens

ATENÇÃO
• Cuidado com possíveis respingos de defensivos provocados durante a operação.
• Para executar esta operação, use sempre EPI´s (luvas, avental, macacão, óculos de proteção,
chapéu, botas, máscaras).
• As embalagens vazias devidamente lavadas devem ser inutilizadas de acordo com as recomenda-
ções das leis em vigor.
• Nunca abandone embalagens vazias em qualquer lugar ou acumule em locais onde pessoas não
autorizadas tenham acesso.
• Prepare um local para armazenamento, onde somente pessoas autorizadas tenham acesso, até a
adequada destinação das embalagens.
• Não reutilize as embalagens vazias para qualquer que seja a finalidade.
• O manuseio de defensivos deve ser feito com orientação técnica e também com equipamentos de
proteção adequada.
Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

12
PRINCIPAIS COMPONENTES
D E P Ó S I T O D E Á G U A L I M PA PA R A L I M P E Z A D A S M Ã O S

torneira para
limpeza das mãos

Existe também neste pulverizador um reservatório com capacidade de 14 litros com torneira
que foi criado para o operador lavar as mãos ou partes do corpo que entraram em contato com os
defensivos agrícolas.

ATENÇÃO: Utilize a água desse reservatório somente para a lavagem das mãos ou partes do
corpo que entrarem em contato com defensivos agrícolas. Não use-a para beber.

MARCADOR DE LINHA MASTERMARK

O marcador de linha Mastermark é um equipamento cuja função é marcar a faixa de pulveri-


zação através de flocos de espuma espaçados de 1 a 2 metros.
As condições ideais de uso do marcador de linha coincidem com as da pulverização, ou seja:
• Em horários de temperaturas amenas.
• Ausência de ventos fortes e secos. painel de comando

Reservatório gerador de espuma

botão de
acionamento
Capítulo 4
Informações mais detalhadas sobre o MARCADOR DE LINHA MASTERMARK podem UNIPORT
ser obtidas no manual anexo à caixa de acessórios, que trata especificamente deste assunto. 2500 STAR

13
PRINCIPAIS COMPONENTES
V Á LV U L A R E G U L A D O R A D E R O TA Ç Ã O D O M E X E D O R

mexedor mecânico

válvula reguladora da rotação do


mexedor mecânico

A válvula reguladora de rotação do mexedor mecânico está localizada abaixo do reservatório


hidráulico. Quando girada totalmente no sentido horário, proporciona uma rotação de 540 rpm no
mexedor.
A diminuição na rotação do mexedor minimiza os problemas com a formação de espumas.
Para diminuir ou parar a rotação do mexedor, gire a válvula no sentido anti-horário.

F I LT R O D E L I N H A

A máquina está equipada com 4 filtros de linha. Um para cada segmento da barra.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Pressão máxima de trabalho do filtro 300 lbf/pol²


Malha do elemento filtrante 80
Bico para mangueira ø 3/4"
Vazão máxima 150 L/min

filtros de linha

ATENÇÃO:• Limpe o filtro sempre que abastecer o pulverizador, ou quando necessário.


• Não ultrapasse a pressão máxima recomendada (300 lbf/pol²).
Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

14
PRINCIPAIS COMPONENTES
KIT MANÔMETRO BP

(OPCIONAL - Fornecido mediante solicitação, não acompanha o produto)

O KIT MANÔMETRO BP foi projetado para verificar a pressão real de pulverização nos bicos.
Pode ser instalado tanto nos pulverizadores que utilizam conexões e capas de bicos universais
como também nos porta-bicos mais completos como o Quadrijet e o Bijet.

CUIDADOS NO USO DO KIT MANÔMETRO BP

Kit Manômetro BP (Baixa Pressão)

O KIT MANÔMETRO BP utiliza manômetro de baixa pressão (100 lbf/pol²).


Os reguladores de pressão que normalmente equipam os pulverizadores podem facilmente atin-
gir pressões acima de 100 lbf/pol², o que irá danificar o manômetro. Portanto, esteja atento ao utilizar
este instrumento, não exceda a regulagem de pressão no comando de defensivo.

SUSPENSÃO PNEUMÁTICA

É um sistema que, mediante a assistência de um compressor


de ar, controla constantemente a inclinação do equipa-
mento por meio das válvulas de nivelamento; esse siste-
ma também faz com que as partes mecânicas do equipa-
mento e os componentes recebam o mínimo de impacto
causado pelas imperfeições do terreno, promovendo mais
durabilidade e conforto do operador.

SENSOR DE BARRAS

(OPCIONAL - Fornecido mediante solicitação no ato da com-


pra do equipamento).
É um sistema no qual o operador faz todos os ajustes para
que a barra trabalhe na altura estabelecida. O sensor de barras
nivela a altura ideal de trabalho produzindo aplicações mais uni-
formes com melhor produtividade, proteção a cultura e também
evita danos as barras ao transpor terraços.
Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

15
PRINCIPAIS COMPONENTES
I N J E Ç Ã O D I R E TA D E D E F E N S I VO

(OPCIONAL - Fornecido mediante solicitação no ato da


compra equipamento).
A injeção direta de defensivo é um sistema que permi-
te ao operador aplicar um produto adicional somente onde
há necessidade, esse produto adicional é injetado direta-
mente na bomba de defensivo, podendo ser dosado ou in-
terrompido eletronicamente a qualquer momento.

GPS

(OPCIONAL - Fornecido mediante solicitação no ato da


compra equipamento).
É um sistema que orienta a aplicação do produto com
grande precisão tanto de dia quanto à noite. Minimiza as
falhas e a sobreposição de defensivos, bem como o desperdício
das reaplicações.
Caso seja necessário deslocar temporariamente o equipamento
para outra área o sistema de GPS orienta o operador para
que ele reinicie a aplicação a partir do local exato onde
interrompeu anteriormente.

AUTOPILOT

(OPCIONAL - Fornecido mediante solicitação no ato da


compra equipamento).
É um sistema de piloto automático via GPS que direciona
automaticamente o equipamento, melhorando a qualidade
na aplicação e reduzindo, ao mínimo, a margem de erro
das faixas de aplicação.

TOMADA AUXILIAR 12V

No interior da cabine existe uma tomada auxiliar que


pode ser utilizada em varias situações.

IMPORTANTE: A tomada auxiliar foi projetada para


alimentar aparelhos com consumo de ± 5 (amperes), e
tomada auxiliar 12 v
potência aproximada de 3 watts.

SISTEMA DE SOM

O equipamento Uniport 2500 STAR possui alto-falantes e chicotes que possibilitam a instalação
de rádios, toca cds.
Capítulo 4
UNIPORT
2500 STAR

16
OPERAÇÕES E REGULAGENS
CAPÍTULO 5 • OPERAÇÕES E REGULAGENS

Partida do motor 03
Regulagem da coluna de direção 03
Ajuste do assento do operador 04
Instruções para incorporação de defensivos 05
Instruções para fazer a tríplice lavagem das embalagens 06
Painel de comando automotivo 07
Painel de comando de serviço 08
Seqüência para abertura e fechamento das barras 08
Seqüência para abertura e fechamento da pulverização 10
Painel de instrumentos e operações 11
Tacômetro 11
Marcador de nível de combustível 12
Marcador de temperatura do liquido de arrefecimento 12
Marcador de pressão de óleo lubrificante do motor 12
Sinalizadores de funções 13
Calibração do comando Masterflow Eletroeletrônico 14
Ajuste manual da pressão 16
Tecnologia de aplicação de defensivos 18
Momento oportuno 18
Segurança na aplicação 18
Dosagem correta 18
Boa cobertura 18
Calibração do pulverizador (modo manual) 19
Bicos da série API-110 20
Bicos tipo cone vazio - Série JA 22
Calibração do pulverizador 24
Durante a manipulação do defensivo 24
Durante o manuseio do equipamento 24
Cálculo de volume de pulverização através da formula 24
Alinhamento da direção 25
Posicionamento das rodas dianteiras 25
Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

1
OPERAÇÕES E REGULAGENS
CAPÍTULO 5 • OPERAÇÕES E REGULAGENS

Regulagem do alinhamento da direção 26


Regulagem das pernas dianteiras 26
Regulagem da bitola 27
Freio a disco 32
Regulagem do freio de estacionamento 33
Regulagem da embreagem 34
instalação do radio / toca CD 34
Motor 35
Sistema de injeção 36
Regulagem do coxim de amortecimanto 37
Regulagem da mola de destrave 38
Posicionamento do sinalizador rotativo para operação 39
Posicionamento do JMC 1000/4 39

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

2
OPERAÇÕES E REGULAGENS
PARTIDA DO MOTOR

Para realizar a partida do motor diesel no UNIPORT 2500 STAR, primeiramente deve-se
posicionar a alavanca do câmbio em neutro “N” (O motor não parte fora do neutro).
Em seguida, gire a chave no sentido horário para ligar. Solte a chave logo que o motor esteja
em funcionamento. Gire-a no sentido anti-horário para desligar.
Para evitar possíveis danos à alguns componentes do motor, o
sistema eletrônico da máquina possui algumas restrições quanto a
partida:
• Ao realizar a partida, o sistema necessitará de 3 segundos
para realizar um auto teste entre os painéis.
• Recomenda-se permanecer com o motor em marcha lenta
(abaixo de 1000 rpm) por 30 segundos, após a partida e antes de
desligá-lo.
Partida do motor em locais de baixas temperaturas
Um pouco abaixo do volante e na lateral da coluna de direção existem 2 botões.
O botão “A” é utilizado para o acionamento do sinalizador de alerta em caso de emergências.
O botão “B” é utilizado para aquecer os bicos injetores de
combustível em situações onde, a temperatura externa esteja baixa
e motor encontre dificuldade de dar partida.
Para maiores informações sobre como dar partida em
baixas temperaturas, consulte o “Manual de operação e
manutenção do motor ” que acompanha o manual de instruções
do equipamento. A
B

REGULAGEM DA COLUNA DE DIREÇÃO

A coluna de direção do UNIPORT 2500 STAR é articulada, permitindo que o operador regule
a altura e à inclinação da coluna de direção, proporcionando mais conforto e comodidade. A alavanca
que permite essa regulagem está localizada no lado direito da coluna de direção, um pouco abaixo do
volante. Para fazer a regulagem da coluna de direção, proceda:
1- Para regular a altura da coluna de direção, puxe a alavanca para cima e posicione a coluna de
direção na altura que lhe melhor se adapte as suas características de condução do equipamento;
2- Para regular a inclinação da coluna de direção, empurre a alavanca para baixo e regule a inclinação
da coluna de direção para que a condução do equipamento fique mais confortável.
Após o termino de qualquer uma das regulagens citadas acima basta soltar a alavanca para
que a mesma retorne a sua posição inicial e trave a
coluna na posição determinada. Volante

Capítulo 5
Alavanca UNIPORT
2500 STAR

3
OPERAÇÕES E REGULAGENS
AJUSTE DO ASSENTO DO OPERADOR ( BANCO STANDARD)

Para proporcionar mais conforto e melhor adequação ergonômica do operador durante o


trabalho de pulverização, o Uniport 2500 STAR possui um banco regulável.
O ajuste desse banco deve ser feito da seguinte forma:
Regulagem da inclinação do assento (parte dianteira) - Sente-se e puxe a
alavanca (1). Para baixar, desloque seu peso para frente; para elevar alivie seu peso.
Regulagem da inclinação do assento (parte traseira) - Sente-se e puxe
a alavanca (2). Para baixar, desloque seu peso para trás; para
elevar alivie seu peso.
Regulagem do amortecimento do banco - Para os
bancos modelo Série 5000, gire a válvula (3) até que
o ponteiro indique seu peso. Ajuste durante a
viagem no sentido “+” (mais) caso bata no coxim inferior
ou no sentido “-” (menos) se bater no coxim superior.

Regulagem da inclinação do encosto lombar -


Sente-se e puxe totalmente a alavanca (4). Para regular a
inclinação do encosto lombar use o corpo. Solte a alavanca
para que ela retorne para a posição e trave o banco na
regulagem desejada.
Regulagem da distância entre o banco e a coluna
de direção - Sente-se e puxe a alavanca (5) para deslocar
o banco para frente ou para trás, conforme a sua
necessidade.

AJUSTE DO ASSENTO DO OPERADOR (BANCO PNEUMÁTICO OPCIONAL)


Para fazer os ajustes nesse banco, proceda da seguinte forma:

Regulagem da distância entre o banco e a coluna de direção - Sente-se e puxe a alavanca


(1) para deslocar o banco para frente ou para trás, conforme a sua necessidade.
Regulagem da inclinação do encosto lombar - Sente-se e gire o manípulo (2) para ajustar
a inclinação do apoio lombar do banco.
Regulagem do amortecimento do banco - Sente-se e posicione a
alavanca (3) em uma das 3 posições para ajustar a absorção do choque da
suspensão pneumática do banco classificada em alta, média ou baixa
absorção.
Regulagem da altura do banco - Sente-se e acione a alavanca
(4). Puxando a alavanca para cima, o compressor da
suspensão do banco é acionado aumentando sua 2
altura de forma gradual; apertando para baixo 1
é acionada uma válvula que retira o ar do sistema
fazendo com que altura do assento diminua.

Capítulo 5 3
UNIPORT
4
2500 STAR

4
OPERAÇÕES E REGULAGENS
I N S T R U Ç Õ E S PA R A I N C O R P O R A Ç Ã O D E D E F E N S I VO
Após ter abastecido o tanque de defensivo, proceda:
• Acelere o motor diesel até 1800 rpm o equivalente à 540 rpm na bomba de defensivo para obter
o máximo de desempenho;
• Posicione a válvula de três posições na posição de incorporação; em seguida, coloque o incorporador
de defensivo na posição de incorporação e mude a posição da válvula primária (1) para a posição de
abastecimento;
• Deposite o defensivo agrícola que será imediatamente incorporado a calda no reservatório;
• Posicione a válvula direcional do incorporador na posição indicada para incorporar o defensivo
agrícola e aguarde até que todo o conteúdo do incorporador seja encaminhado para o reservatório;
• Em seguida, mude a posição da válvula direcional do incorporador para a posição indicada para
lavagem da embalagem;
• Com a tampa do incorporador de defensivo aberta, posicione a embalagem sobre o bico aspersor
apoiando-a sobre o apoio de embalagem do mesmo, em seguida force-a por ± 30 segundos (embalagen
de 10 litros) ou ± 60 segundos (embalagem de 20 litros) para baixo acionando a lavagem da emba-
lagem através do bico aspersor;
• Feche a tampa do incorporador de defensivo e aperte o botão do acionador da lavagem interna do
incorporador;
• Retorne a válvula direcional do incorporador para a posição fechada, em seguida posicione a
válvula primária (1) para a posição de trabalho;
• Após esse procedimento, e com máquina funcionando, retorne o incorporador para a posição de
pulverização e acione o mexedor, através da válvula reguladora de fluxo, por volta de 5 minutos até
que a calda fique homogênea.

válvula direcional
de três posições.

válvula reguladora de
fluxo do mexedor.

botão do acionador da lavagem posição de


interna do incorporador trabalho
válvula
primária (1)

posição de
abastecimento

válvula direcional válvula direcional


de três posições. do incorporador Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

5
OPERAÇÕES E REGULAGENS
I N S T R U Ç Õ E S PA R A FA Z E R A T R Í P L I C E L AVA G E M N A S E M B A L A G E N S

Após ter feito a lavagem da embalagem com a calda, é necessário fazer a TRÍPLICE LAVA-
GEM DA EMBALAGEM. Para isso, proceda da seguinte forma:
• Use equipamentos de proteção individual - EPIs (luvas, avental, macacão, óculos de proteção,
chapéu, botas, máscaras).

IMPORTANTE: Esse equipamento não possui reservatório auxiliar para a lavagem das embala-
gens. O liquido utilizado na lavagem da embalagem é a própria calda.

• Encha a embalagem com aproximadamente 1/4 de água limpa, coloque a tampa da embalagem e
aperte-a adequadamente, o suficiente para evitar o vazamento durante a agitação.
• Agite a embalagem vigorosamente em todos os sentidos durante aproximadamente 30 segundos,
para remover os residuos do produto que ficaram aderidos as paredes internas da embalagem.
• Retire a tampa da embalagem, e coloque cuidadosamente a água da lavagem no interior do lavador
de embalagem.
• Repita essa operação por mais duas vezes.
• Inutilize a embalagem, perfurando o fundo da mesma com um instrumento pontiagudo. Evite
danificar os rótulos das embalagens para que as mesmas sejam identificadas mesmo após a sua
inutilização.
ATENÇÃO: As embalagens inutilizadas podem ser armazenadas temporariamente em um local
apropriado e adequado até que sejam encaminhadas a sua destinação final.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS
1- No caso de embalagem de tamanho médio ou grande (50, 100 e 200 litros), após a lavagem
em volume adequado, coloque a tampa da embalagem, role-a no chão durante aproximadamente 30
segundos.
2- Complete a agitação elevando, alternadamente, as extremidades da embalagem apoiando
uma delas no solo. Esta operação deverá durar aproximadamente 30 segundos.
Retire a água de lava-
gem da embalagem da mes- 1 2
ma maneira que foi feito pa-
ra retirar o produto e colocá-
lo no tanque do pulverizador.
Essa operação deve-
rá ser repetida por mais du-
as vezes. Inutilize a embala-
gem ao final da TRÍPLICE
LAVAGEM.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR Fonte: ANDEF - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA VEGETAL

6
OPERAÇÕES E REGULAGENS
PAINEL DE COMANDO AUTOMOTIVO

O painel de comando automotivo está localizado na parte superior interna da cabine. Ele é
composto por botões e chaves com funções distintas de acionamento dos dispositivos automotivos.

4 8 1

10
2
11
9
5
6 3
7
12

1 • LIMPADOR DE PÁRA-BRISA: Essa chave permite acionar o limpador de pára-brisa.


2 • FARÓIS DAS BARRAS: Ao acionar essa chave acenderão os faróis que auxiliam na
vizualização das barras durante a pulverização.
3 • SINALIZADOR LUMINOSO: Quando acionada essa chave estamos acionando o sinalizador
luminoso localizado na parte superior traseira externa da cabine.
4 • FARÓIS AUXILIARES: Essa chave permite acender os faróis auxiliares dianteiros localizados
na parte superior externa da cabine, utilizados durante a pulverização.
5 • LUZ ALTA E LUZ BAIXA: Ao acionar essa chave de 3 posições, o operador pode ligar os
faróis e as lanternas traseiras e comutar os faróis para a luz baixa e luz alta. Esses faróis e lanternas
são utilizados durante o deslocamento do equipamento.
6 • FARÓIS AUXILIARES TRASEIROS: Quando acionada essa chave acenderá os faróis
auxiliares apontados para a parte traseira da máquina (barras).
7 • FARÓIS AUXILIARES DIANTEIROS: Essa chave permite acionar os faróis auxiliares
apontados para a parte dianteira da máquina, utilizados para facilitar a entrada da máquina nas
entrelinhas.
8 • FAROL DE ILUMINAÇÃO DO MOTOR: Quando acionada essa chave acenderemos o
farol localizado na parte superior traseira da cabine e que está direcionado para o motor.
9 • BOTÃO DE ACIONAMENTO DO RETROVISOR ELÉTRICO: Ao acionar esse botão,
o operador poderá regular a posição dos retovisores elétricos (opcional).
10 • LAVADOR DE PÁRA-BRISA: Essa chave permite acionar o lavador de pára-brisa.
11 • EQUIPAMENTO DE “GPS”: Ao acionar essa chave irá ligar o equipamento de “GPS”
(opcional).
12 • BOTÃO DE ACIONAMENTO DO AR CONDICIONADO: Quando acionamos esse
botão estamos acionando o sistema de resfriamento do ar condicionado.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

7
OPERAÇÕES E REGULAGENS
PAINEL DE COMANDO DE SERVIÇO

SEQÜÊNCIA PARA ABERTURA DAS BARRAS

A 3

F J G
A • Chave de abertura e fechamento do segmento 2 lado
esquerdo.
B • Chave de abertura e fechamento do segmento 1 lado H I
esquerdo.
C • Chave para subir e abaixar o quadro móvel. No K
D • Chave de abertura e fechamento do segmento 1 lado
direito.
E • Chave de abertura e fechamento do segmento 2 lado
direito. joystick
F • Botão responsável por aumentar a inclinação da bar-
ra esquerda.
G • Botão responsável por aumentar a inclinação da barra direita.
H • Botão responsável por diminuir a inclinação da barra esquerda.
I • Botão responsável por diminuir a inclinação da inclinação da barra direita.
J • Botão responsável pelo aumento da altura do quadro móvel em relação ao solo.
K • Botão responsável por diminuir a altura do quadro móvel em relação ao solo.
1 • Chave para ligar / desligar marcador de linha optando por qual lado deverá estar acionado.
2 • Chave para ligar / desligar a bomba de defensivo.
3 • Instruções para abertura e fechamento das barras.
Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

8
OPERAÇÕES E REGULAGENS
ATENÇÃO
- Por segurança, a abertura e fechamento das barras devem ser realizada seguindo a seqüência
citada a seguir.
- Realize essas operações longe de obstáculos e rede elétrica.
- Não permita a presença de pessoas próximas à máquina durante essas operações.

SEQÜÊNCIA PARA ABERTURA DAS BARRAS

1 • Solte as amarras das barras nos suportes e acione os botões “F” e “G” localizados no joystick
até que as barras fiquem livres do suporte dianteiro.
2 • Acione as chaves “B” e “D” para baixo, até que as barras estejam totalmente abertas a 90º em
relação ao centro do pulverizador.
3 • Retire os pinos de trava do quadro móvel e acione a chave “C” para baixo ou o botão “K” no
joystick, até abaixar o quadro móvel na altura desejada.
4 • Acione os botões “H” e “I” localizados no joystick até que as barras fiquem posicionadas
paralelas em relação ao solo.
5 • Acione as chaves “A”e “E” para baixo até que os segmentos 2 esquerdo e direito estejam
completamente abertos.

POSIÇÃO DAS BARRAS PARA TRABALHO

Quando a alavanca de acionamento do sensor de barras estiver na posição automático, a


regulagem da altura e da inclinação das barras é feita automaticamente de acordo com o progra-
mado no JMC 1000/4, porém quando a chave estiver na posição manual, a regulagem da altura e
da inclinação das barras deverá ser feita da seguinte forma:
• Após a abertura das barras, controlar apenas os botões “F”, “G”, “H” e “I” para manter o
nivelamento.
• Acione a chave “C” para cima ou para baixo ou utilize os botões “J” e “K”, quando desejar
mudar a altura da pulverização.

SEQÜÊNCIA PARA FECHAMENTO DAS BARRAS

1 • Acione as chaves “A” e “E” para cima, até que os segmentos 2 (esquerdo e direito) estejam
completamente fechados.
2 • Acione os botões “F” e “G” até que os segmentos 2 (esquerdo e direito) juntamente com os
segmentos 1 (esquerdo e direito) estejam com as inclinações angulares no máximo de sua capacida-
de.
3 • Acione a chave “C” para cima ou o botão “K” até levantar todo o quadro móvel. Coloque os
pinos de trava do quadro móvel.
4 • Acione as chaves “B” e “D” para cima, até que as barras estejam totalmente fechadas.
6 • Acione os botões “H” e “I” até que as barras estejam totalmente apoiadas em seus suportes.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

9
OPERAÇÕES E REGULAGENS
SEQÜÊNCIA PARA ABERTURA E FECHAMENTO DA PULVERIZAÇÃO

A abertura da pulverização só poderá ser realizada quando pelo menos um dos segmentos da
barra estiver aberto, o controle para o acionamento da pulverização é feito através do JMC 1000/4 .

1 2 P 3 4

botões de alívio da pulverização

Com as barras totalmente abertas, o controle da abertura e fechamento da pulverização


simultâneo para todos os ramais é realizado através da chave representada pela letra P ou pelos
botões de alívio da pulverização localizados no joystick. Esses botões possuem a função de abrir ou
fechar a pulverização, basta um toque em qualquer um deles quando a chave “P” estiver na posição
de aberta para abrir ou fechar a pulverização em todos os ramais.
01 • Acione as chaves 1, 2, 3 e 4 para liberar o fluxo de água aos referidos segmentos. Note que
a indicação de funcionamento de cada segmento é feito na parte inferior do display do JMC 1000/4.
02• Para fechar a pulverização, acione individualmente as chaves 1, 2, 3 e 4 de cada segmento ou
Capítulo 5 aperte a chave principal “P”, ou ainda, aperte o botão direito localizado na frente do joystick para
UNIPORT
2500 STAR fechar todos segmentos de uma só vez.

10
OPERAÇÕES E REGULAGENS
PAINEL DE INSTRUMENTOS

INTERPRETANDO O PAINEL DE INSTRUMENTOS

Quando giramos a chave de ignição na 1ª posição, todos os leds existentes no painel de


instrumentos acendem-se, fazendo uma checagem automática de todos os leds. Em seguida, alguns
se apagam, com exceção daqueles que sinalizam a bateria (apaga-se quando o motor estiver funci-
onando) e o acionamento do freio de estacionamento (apaga-se quando o freio etiver liberado).

C D B
A

sinalizadores de
funções

TACÔMETRO (A)

O Tacômetro indica a rotação do motor e a quantidade de horas trabalhadas.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

11
OPERAÇÕES E REGULAGENS
MARCADOR DO NÍVEL DE COMBUSTÍVEL (B)

Esse marcador informa aproximadamente a quantidade de combustível existente no tanque,


sendo que a capacidade do tanque é de 140 litros.

MARCADOR DA TEMPERATURA DO LIQUIDO DE ARREFECIMENTO (C)

O marcador de temperatura informa ao operador se o motor diesel está trabalhando na tem-


peratura normal de trabalho.
A temperatura normal de trabalho é demarcada pela cor verde existente no marcador; já a
cor vermelha indica que há problema no sistema de arrefecimento da máquina. Diante dessa situa-
ção pare a máquina e chame a assistência técnica.

MARCADOR DE PRESSÃO DO ÓLEO LUBRIFICANTE DO MOTOR (D)

Esse marcador informa qual é a pressão da bomba de óleo do motor diesel. Se após 15
segundos de funcionamento do motor o marcador ainda estiver no vermelho (próximo a 0), desligue
o motor e verifique o nível de óleo; caso esteja no nível, chame a assistência técnica.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

12
OPERAÇÕES E REGULAGENS
SINALIZADORES DE FUNÇÕES

Os sinalizadores de funções estão localizados no painel de instrumentos um de cada lado do


tacômetro, esses sinalizadores são compostos por LEDs que juntamente com sua simbologia sinali-
zam problemas no funcionamento do motor ou sinalizam sobre o funcionamento de alguns equipa-
mentos.

LED COR FUNÇÃO ( QUANDO ACESO)


Verde Indicar a direção de deslocamento do equipamento.
Vermelho Indica que há pane no sistema de alimentação de carga elétrica.
Vermelho Indica que freio de estacionamento está acionado.
- Disponível somente nos equipamentos com tração hidrostática 4x4.
Verde Indica que a alavanca de cambio está posicionada em neutro.
Vermelho Indica que há algum problema no sistema de lubrificação do motor diesel.
Azul Indica que os faróis estão acionados em luz alta.
- Disponível somente nos equipamentos com tração hidrostática 4x4.
Amarelo Indica que há falta de pressão no reservatório de ar do equipamento.

Vermelho Indica que o ventilador lado direito do sistema vortex está acionado,
quando disponível.
Vermelho Indica que há restrição no filtro de retorno do sistema hidráulico.

Vermelho Indica que há falta de óleo hidráulico no sistema.


Vermelho Indica que a bomba de defensivo está acionada.
Amarelo Indica que há alguma pane no sistema de injeção eletrônica de combustí-
vel, quando disponível.
Vermelho Indica que o ventilador lado esquerdo do sistema vortex está acionado,
quando disponível.
Vermelho Indica que há restrição no filtro de sucção do sistema hidráulico.

Vermelho Indica que há restrição no filtro de ar do motor diesel.

Vermelho Indica que o marcador de linha está acionado. Capítulo 5


UNIPORT
Vermelho Indica que o equipamento de GPS está acionado. 2500 STAR

13
OPERAÇÕES E REGULAGENS
CALIBRAÇÃO DO COMANDO MASTERFLOW ELETROELETRÔNICO

1- Através da chave de Ajuste Manual da Pressão (nº 1), ajuste uma pressão de referência (Ex.: 3,5
kgf/cm² - 50 lbf/pol²). Para realizar essa operação, a chave Automático/Manual do painel JMC
1000/4 deverá estar posicionada em Manual.

ATENÇÃO: Deixe o volante do regulador de


pressão posicionado na pressão que será a 1
referência para a calibração dos segmentos de
barra (Ex. 50 lbf/pol²).

CALIBRANDO O RETORNO DO LÍQUIDO NO SEGMENTO DA BARRA


2- Mantenha a rotação inicial (1800 rpm no motor diesel para gerar 540 rpm na bomba de defensivo)
e o fluxo aberto para todos os segmentos de pulverização.
3- Verifique a pressão no manômetro (50 lbf/pol²).
4- Selecione um dos segmentos de barra (ex. segmento B). Acione a chave desse bloco no comando
para fechar o fluxo da pulverização.
NOTA: Os botões do painel de comando
que controlam a abertura e fechamento da
pulverização, deverão permanecer
acionados na posição aberto, de forma a
manter aberta a pulverização.

A
B C D E

B C A D E
Fluxo fechado para este segmento (B).
Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

14
OPERAÇÕES E REGULAGENS
5- Com a respectiva chave acionada para cima (nº 2), verifique se houve variação na pressão
registrada no manômetro (50 lbf/pol²). Havendo alteração, proceda da seguinte forma:
- Solte o parafuso fixador.
- Acione a chave do motor elétrico (segmento B). Mantenha-a acionada para cima e gire a manopla
no sentido horário até o final de seu curso. Em seguida, gire-a no sentido anti-horário até obter o
equilíbrio da pressão (50 lbf/pol²).

Chave para ajuste da Parafuso Fixador


pressão
Manopla

Segmento
B

- As chaves para funcionamento dos motores elétricos dos blocos do comando, somente devem ser
acionadas quando houver necessidade de calibrar o retorno. Durante o uso, a abertura e o
fechamento da pulverização será controlado através das chaves de acionamento do fluxo de
pulverização no JMC 1000/4. Somente o ajuste da pressão não pode ser feito através dessas chaves
de acionamento.

NOTA: A pressão deve ser igual a indicada anteriormente no manômetro (50 lbf/pol²), quando os
bicos deste segmento estavam todos abertos.
- Realizado o ajuste da pressão, solte a chave de acionamento do motor e aperte o parafuso fixador.
- Repita a operação em todos os segmentos com a finalidade de manter a pressão constante ao longo
de toda a barra, independente do nº de segmentos em funcionamento.
ATENÇÃO: Não altere a rotação do motor durante a aferição. A alteração na rotação afetará a
pressão nos bicos e portanto sua vazão.
- Feito isto, posicione a chave "Função" na função "L/ha" no JMC 1000/4.
- Através da chave "+/-", insira o volume desejado. Ex.: 100 L/ha.
- Passe a chave "Aut./Man." para a posição "Aut." (automático) e inicie a aplicação.
OBS.: Caso seja preciso alterar a marcha ou mesmo a rotação de trabalho, note que o
controlador irá ajustar a pressão para que o volume seja mantido (100 L/ha).
Se durante esta operação houver incompatibilidade entre o volume, a velocidade e a Capítulo 5
pressão, o controlador irá emitir um sinal sonoro indicando falha de controle. UNIPORT
LEMBRE-SE: Trabalhe sempre de acordo com as indicações do manual dos bicos. 2500 STAR

15
OPERAÇÕES E REGULAGENS
AJUSTE MANUAL DA PRESSÃO

ATENÇÃO: As instruções referentes ao comando MASTERFLOW aqui descritas, deverão ser


seguidas caso haja uma pane elétrica no JMC 1000/4 que impeça o mesmo de trabalhar em modo
“automático”.

Para isso proceda da seguinte forma:


Passe a chave “Automático/Manual” do computador JMC 1000/4 para a posição manual.
Acione a chave (detalhe A) para ajuste da pressão. Dessa forma é possível dar continuidade ao
trabalho.
IMPORTANTE: Operando mecanicamente será necessário calibrar a máquina pelo sistema con-
vencional, este método está descrito na página 19 desse cápitulo.
Caso o problema se estenda à parte elétrica do controlador, proceda da seguinte forma:
Retire a capa de proteção do volante. Em seguida, retire o pino que trava o volante ao motor do
regulador de pressão. Desta forma, o ajuste da pressão passa a ser feito manualmente (B).
Para que o comando volte a operar eletronicamente após solucionado o problema, monte o pino
trava no comando. Primeiramente faça coincidir a seta que existe no volante do regulador de pres-
são com a seta da tampa da caixa de engrenagens. Em seguida encaixe o pino com a trava e aperte
os parafusos.

Capa

A
Pino trava

Volante

ACIONAMENTO MANUAL DOS SEGMENTOS DO COMANDO.

Essa operação somente será realizada caso algum motor elétrico de acionamento so segmento
apresentar falhas em seu funcionamento. Para fazer o acionamento manual do segmento, proceda
da seguinte forma:
- Retire o cabo elétrico do comando.
- Solte os 2 parafusos e retire as abraçadeiras.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

16
OPERAÇÕES E REGULAGENS
- Retire o motor elétrico
- Com o auxílio de uma chave fixa (10mm) - 7/16", gire o núcleo para abertura ou fechamento do
fluxo de defensivo

MONTAGEM DO MOTOR ELÉTRICO NO CORPO DO COMANDO


Alguns cuidados devem ser tomados:
- Para o encaixe perfeito do motor elétrico ao corpo do comando, é necessário o alinhamento
correto entre o orifício existente no bloco do motor e o pino elástico existente no núcleo do comando
(figura a baixo).
Após a montagem do bloco do motor ao comando, deve-se posicionar corretamente a abraçadeira
para a união das peças. Observe que existe uma saliência em uma das laterais da abraçadeira.
posicione-a conforme a foto e proceda o aperto entre as partes.

- Para montar o cabo elétrico, também é necessário atenção. Observe a posição correta para o
perfeito ajuste.
- Na seqüência, fixe o cabo elétrico com o parafuso de fenda que acompanha o conjunto.

ATENÇÃO
Para voltar a ter acesso aos benefícios do
controlador eletrônico, é importante realizar
a sua manutenção o mais rápido possível.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

17
OPERAÇÕES E REGULAGENS
T E C N O L O G I A D E A P L I C A Ç Ã O D E D E F E N S I VO S

O sucesso da aplicação não depende somente de um bom equipamento e do defensivo usado de forma
correta. Depende também de fatores a serem determinados no campo, com orientação especializada.
Dentre estes fatores, lembramos alguns conceitos que devem fazer parte de um critério de
avaliação para que resultados positivos sejam alcançados dentro do programa de controle químico
de agentes biológicos (doenças, pragas e plantas daninhas).
Fatores como: • Momento oportuno
• Segurança na aplicação
• Dosagem correta
• Boa cobertura
• Condições operacionais da máquina
• Operador bem treinado

MOMENTO OPORTUNO

Consiste em escolher o momento ideal em função das características do defensivo e também


das condições do campo, como :
• Nível de infestação de pragas, doenças ou plantas daninhas;
• Estágio de infecção das doenças;
• Estágio de desenvolvimento das plantas daninhas;
• Condições climáticas.

SEGURANÇA NA APLICAÇÃO

É fundamental que a segurança do homem, dos animais e do meio ambiente sejam preservadas.
É obrigatório o uso de equipamentos de proteção individual durante a aplicação de defensivos.
Evite aplicar com temperaturas superiores a 30º C (dependendo do produto químico) e com
umidade relativa do ar inferior a 50%, ventos de velocidades inconstantes (velocidade máxima 10
km/hora) e com mudança frequente de direção.

D O S A G E M C O R R E TA

É fundamental, para qualquer tipo de aplicação, que a manutenção da dosagem correta do


defensivo seja mantida durante todo o processo de pulverização.
Isso é possível quando se tem um bom equipamento e também com a calibração correta do
pulverizador antes de iniciar a aplicação. A calibração pode ser obtida através de métodos práticos ou
por cálculos (consulte as instruções referentes à calibração dos pulverizadores que se encontram na
página sobre "CALIBRAÇÃO DO PULVERIZADOR").

BOA COBERTURA

Uma boa cobertura consiste em obter gotas de tamanho ideal para atingir o alvo com uma boa
uniformidade de distribuição, com resultados positivos no controle e sem danos ao meio ambiente.
Ao contrário do que muita gente pensa, o volume de aplicação não tem muita influência no
resultado do tratamento, pois a quantidade do veículo (água, óleo, etc.) por unidade de área tem a
finalidade única de diluir, transportar e facilitar a distribuição do princípio ativo sobre a superfície do
alvo, seja ele solo, plantas, etc.
Isso significa que se pode obter uma mesma cobertura com diferentes volumes de pulverização.
Na prática, tem-se observado diferentes volumes para as mesmas finalidades devido a fatores
de ordem operacional, como também regional.

Capítulo 5 IMPORTANTE: Leia e siga rigorosamente as instruções contidas no rótulo dos produtos químicos.
UNIPORT Siga sempre a orientação de um agrônomo durante o uso e manuseio de produtos químicos.
2500 STAR

18
OPERAÇÕES E REGULAGENS
CALIBRAÇÃO DO PULVERIZADOR PARA TRABALHAR EM MODO
MANUAL

Faça uma revisão:


• Filtro de sucção, filtros de linha - limpeza.
• Mangueiras - se não estão furadas ou dobradas.
• Regulador de pressão - componentes: sede da válvula, válvula e mola, se não estão gastas ou
presas por impurezas.
• Bomba - se não há vazamentos, e se o óleo lubrificante está no nível.
• Bicos - se são do mesmo tipo, se não estão desgastados, se não diferem em mais de 10% de vazão
e se os filtros dos bico estão limpos.
UMA VEZ VERIFICADO TODOS OS ITENS, INICIA-SE A CALIBRAÇÃO DO PUL-
VERIZADOR

MÉTODO DE CALIBRAÇÃO

1 • Marque 50m no terreno a ser tratado.


2 • Abasteça o pulverizador até a metade do tanque.
3 • Posicione a máquina pelo menos 15m antes da primeira marca .
4 • Acelere o motor diesel até chegar 1820 rpm.
5 • Escolha a marcha de trabalho.
IMPORTANTE: Durante a calibração a rotação do motor diesel e a velocidade de deslocamento
do equipamento devem permanecer constantes.
6 • Quando a máquina passar pela primeira estaca, dispare o cronômetro.
7 • Quando a máquina passar pela segunda estaca, pare o cronômetro.
8 • Anote o tempo que o pulverizador gastou para percorrer os 50 metros.
9 • Em terrenos irregulares repita a operação várias vezes e tire a média.
10 • Com o pulverizador parado e na mesma rotação utilizada para percorrer os 50 m, abra a
alavanca central e todas as alavancas dos segmentos de barras e regule a pressão de acordo com o
tipo de bico que está sendo utilizado.
11 • Colete o volume do bico no tempo igual ao gasto para percorrer os 50 m (fig. A), efetuando a
leitura no vaso calibrador na coluna correspondente ao espaçamento entre bicos (fig.B).
12 • Repita essa operação em diversos bicos para obter uma média do volume. A média obtida nas
leituras é o volume de pulverização para a marcha e pressão determinados em operações anterio-
res.

fig. B fig. A

IMPORTANTE: PARA QUE ESSA CALIBRAÇÃO SEJA VÁLIDA , O OPERADOR


DEVERÁ PULVERIZAR COM A MESMA VELOCIDADE QUE FOI UTILIZADA
DURANTE A CALIBRAÇÃO. ESTANDO O JMC 1000/4 EM MODO “MANUAL”
Capítulo 5
QUALQUER VARIAÇÃO NA VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO NÃO SERÁ
UNIPORT
COMPENSADA PELO JMC 1000/4.
2500 STAR

19
OPERAÇÕES E REGULAGENS
B I C O S D A S É R I E A P I 11 0

Cerâmica de alta qualidade com resistência ao desgaste.

JATO PLANO (TIPO LEQUE)

Características técnicas:

Formato do jato jato plano (leque)


Ângulo do jato 95º à pressão de 20 lbf/pol²
110º à pressão de 45 lbf/pol²
Material de fabricação cerâmica
Identificação de vazão cor e código do bico
Geometria do bico norma ISO 10.626

ÓTIMO DESEMPENHO SOB DIFERENTES PRESSÕES

Os bicos de jato plano "leque" da série API-110, fabricados em cerâmica, proporcionam exce-
lente padrão de deposição, na faixa de pressão de 15 a 60 lbf/pol² (1 a 4 kgf/cm²).

A LTA Q U A L I D A D E E M U N I F O R M I D A D E D E VA Z Ã O

Os bicos da Série API-110, aprovados segundo normas internacionais, são fabricados em cerâ-
mica de alta qualidade, o que possibilita excelente uniformidade de vazão entre os bicos.

RESISTÊNCIA AO DESGASTE

Os bicos tipo jato plano, fabricados em CERÂMICA, são os mais resistentes ao desgaste
existentes no mercado. Testes realizados pela Universidade de Oregon, Estados Unidos, mostram
que os bicos fabricados em CERÂMICA têm vida útil acima de 400 horas.

MATERIAL DE VIDA ÚTIL DADOS DO TESTE


FABRICAÇÃO (em horas)

latão 100 Material: Suspensão de AATREX 80 W (Ciba Geigy) à


concentração de 4%. Pressão 40 lbf/pol².
náilon 200

aço inox 400 FONTE

kematal 400 Dr. Mattew J. Novak e equipe. Depto. Extensão Agríco-


cerâmica + 400 la da Universidade do Estado de Oregon (USA).
Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

20
OPERAÇÕES E REGULAGENS
B I C O S D A S É R I E A P I 11 0

Tabela 1 • Vazão dos bicos


BICOS PRESSÃO (lbf/pol²)
20 30 40 50
COR CÓDIGO
VAZÃO (em litros/minuto)

verde API - 015 0,43 0,52 0,60 0,68

amarelo API - 02 0,57 0,70 0,80 0,90

azul API - 03 0,86 1,06 1,20 1,36

vermelho API - 04 1,15 1,40 1,60 1,81

marrom API - 05 1,48 1,74 2,00 2,24

cinza API - 06 1,66 2,06 2,40 2,59

Tabela 2 • Volumes de aplicação com bicos espaçados a 50 cm


BICO VAZÃO VELOCIDADE DO PULVERIZADOR (km/h)
PRESSÃO
FILTRO POR BICO 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16
(lbf/pol²)
COR (L/min) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (L/ha)
API-110.015 20 0,43 86 74 65 57 52 47 43 40 37 34 32
malha - 80 30 0,52 104 89 78 69 62 57 52 48 45 42 39
(verde) 40 0,60 120 103 90 80 72 65 60 55 51 48 45
50 0,68 136 117 102 91 82 74 68 63 58 54 51
API-110.02 20 0,57 114 98 86 76 68 62 57 53 49 46 43
malha - 50 30 0,70 140 120 105 93 84 76 70 65 60 56 53
(amarelo) 40 0,80 160 137 120 107 96 87 80 74 69 64 60
50 0,90 180 154 135 120 108 98 90 83 77 72 68
API-110.03 20 0,86 172 147 129 115 103 94 86 79 74 69 65
malha - 50 30 1,06 212 182 159 141 127 116 106 98 91 85 80
40 1,20 240 206 180 160 144 131 120 111 103 96 90
(azul)
50 1,36 272 233 204 181 163 148 136 126 117 109 102
20 1,15 230 197 173 153 138 125 115 106 99 92 86
API-110.04
30 1,40 280 240 210 187 168 153 140 129 120 112 105
malha - 50
40 1,60 320 274 240 213 192 175 160 148 137 128 120
(vermelho)
50 1,81 362 310 272 241 217 197 181 167 155 145 136
20 1,48 296 254 222 197 178 161 148 137 127 118 111
API-110.05
30 1,74 348 298 261 232 209 190 174 161 149 139 131
malha - 50
40 2,00 400 343 300 267 240 218 200 185 171 160 150
(marrom) 50 2,24 448 384 336 299 269 244 224 207 192 179 168
20 1,66 332 285 249 221 199 181 166 153 142 133 125
API-110.06 30 2,06 412 353 309 275 247 225 206 190 177 165 155
malha - 50 40 2,40 480 411 360 320 288 262 240 222 206 192 180
(cinza) 50 2,59 518 444 389 345 311 283 259 239 222 207 194

Especificação pedidos
COR DO BICO VERDE AMARELO AZUL VERMELHO MARROM CINZA
Código API-015 API-02 API-03 API-04 API-05 API-06

RG 437681 437699 437707 437715 437723 437731

Capítulo 5
Para pedidos especificar: código do bico e RG. Ex.: API - 110 - 02 RG: 437699 UNIPORT
2500 STAR

21
OPERAÇÕES E REGULAGENS
B I C O S T I P O C O N E VA Z I O

Cerâmica de alta qualidade

SÉRIE - JA

Características técnicas:
Formato do jato jato cone vazio
Ângulo do jato 85º, à pressão de 150 lbf/pol²
Material de fabricação alumina sinterizada
Identificação de vazão cor e código do bico

B I C O S T I P O C O N E VA Z I O D E A LTA Q U A L I D A D E

Os bicos tipo cone vazio da Série-JA são fabricados por processos desenvolvidos para os
exigentes mercados da indústria de engenharia mecânica. Um processo especial de injeção em
molde que proporciona aos bicos um oríficio perfeito. A qualidade do acabamento superficial é
muito maior do que a obtida por máquinas, produzindo melhor cobertura e pulverização mais homo-
gênea.
Por esses motivos, os bicos da SÉRIE-JA são aprovados segundo normas internacionais de
qualidade, garantindo ao agricultor excelente uniformidade do cone de pulverização e vazão entre
os bicos.

BICOS CONE VAZIO DE ALTA RESISTÊNCIA AO DESGASTE

Os bicos sinterizados em alumina são quase tão duros quanto o diamante e resistem, inclusive,
aos mais corrosivos produtos químicos. Isso garante perfeita estabilidade por um longo período
para todos os parâmetros requeridos como vazão, recobrimento e tamanho das gotas.

Tabela 1 • Vazão dos bicos


TIPOS DE BICOS
PRESSÃO
JA-1 JA-1,5 JA-2 JA-3 JA-4 JA-5
lbf/pol²
VAZÃO (litros por minuto)
60 0,32 0,43 0,64 0,88 1,25 1,60
90 0,38 0,52 0,76 1,06 1,51 1,93
120 0,42 0,59 0,86 1,21 1,72 2,20
150 0,50 0,66 1,00 1,34 1,91 2,44
180 0,52 0,71 1,04 1,46 2,07 2,65
210 0,55 0,77 1,13 1,57 2,22 2,85
240 0,60 0,82 1,22 1,68 2,34 3,22
270 0,63 0,87 1,28 1,76 2,42 3,41
300 0,72 0,90 1,42 1,84 2,54 3,57

FILTRO DOS BICOS: Usar malha 50 ou 80 para todos os tipos de bicos.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

22
OPERAÇÕES E REGULAGENS
VAZÃO VELOCIDADE DO PULVERIZADOR (km/h)
BICO PRESSÃO
POR BICO 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16
(lbf/pol²)
(L/min) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
JA-1 60 0,32 64 55 48 43 38 35 32 30 27 26 24
Azul 90 0,38 74 65 57 51 46 41 38 35 33 30 29
malha 50 ou 150 0,50 100 86 75 67 60 55 50 46 43 40 38
60 210 0,55 110 94 83 73 66 60 55 51 47 44 41
JA-1,5 60 0,43 86 74 65 55 52 47 43 40 37 34 32
Marrom 90 0,52 104 89 78 69 62 57 52 48 45 42 39
malha 50 ou 150 0,66 132 113 99 88 79 72 66 61 57 53 50
60 210 0,77 154 132 116 103 92 84 77 71 66 62 58
JA-2 60 0,64 128 110 96 85 77 70 64 59 55 51 48
Preto 90 0,76 152 130 114 101 91 83 76 70 65 61 57
malha 50 ou 150 1,00 200 171 150 133 120 109 100 92 86 80 75
60 210 1,13 226 194 170 151 136 123 113 104 97 90 85
JA-3 60 0,88 176 151 132 117 106 96 88 81 75 70 66
Laranja 90 1,06 212 182 159 141 127 116 106 98 91 85 80
malha 50 ou 150 1,34 268 230 201 179 161 146 134 124 115 107 101
60 210 1,57 314 269 236 209 188 171 157 145 135 126 118
JA-4 60 1,25 250 214 188 167 150 136 125 115 107 100 94
Vermelho 90 1,51 302 259 227 201 181 165 151 139 129 121 113
malha 50 ou 150 1,91 382 327 287 255 229 208 191 176 164 153 143
60 210 2,22 444 381 333 296 266 242 222 205 190 178 167
JA-5 60 1,60 320 274 240 213 192 175 160 148 137 128 120
Verde 90 1,93 386 331 290 257 232 211 193 178 165 154 145
malha 50 ou 150 2,44 488 418 366 325 293 266 244 225 209 195 183
60 210 2,85 570 489 428 380 342 311 285 263 244 228 214

Especificação para pedidos


CÓDIGO DO BICO AZUL MARRON PRETO LARANJA VERMELHO VERDE

Código JA-1 JA-1,5 JA-2 JA-3 JA-4 JA-5


RG 109744 454256 000026 454264 454272 454280

Para pedidos especificar: Código do bico e RG Ex: JA - 2 RG: 000026

Tabela para conversão do volume de aplicação para os diferentes espaçamentos entre


bicos.

Para se obter o volume de pulverização (L/ha) para diferentes espaçamentos entre bicos, deve-se
multiplicar os valores da tabela correspondente ao volume desejado pelo fator de conversão abaixo.

Espaçamento entre bicos (cm) 20 2 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75


Fator de conversão 2,50 2,00 1,67 1,43 1,25 1,11 1,00 0,91 0,83 0,77 0,71 0,66

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

23
OPERAÇÕES E REGULAGENS
C A L I B R A Ç Ã O D O P U LV E R I Z A D O R

A segurança e a proteção do homem, animal e meio ambiente dependem da aplicação correta dos
defensivos agrícolas. Portanto, diversos cuidados devem ser tomados durante a sua utilização.

* D U R A N T E A M A N I P U L A Ç Ã O D O D E F E N S I VO

• Seguir atenciosamente as instruções contidas nos rótulos dos produtos químicos;


• Usar os equipamentos de proteção individual (EPIs);
• Não comer, beber ou fumar durante o manuseio de defensivos;
• Manusear os defensivos agrícolas somente em locais arejados;
• Lavar com água e sabão as partes do corpo atingidas com defensivos.

* D U R A N T E O M A N U S E I O D O E Q U I PA M E N TO

• Verificar as condições de funcionamento do equipamento;


• Não desentupir com a boca bicos, válvulas ou tubulações;
• Não pulverizar com ventos fortes (acima de 10 km/h);
• Não pulverizar nas horas mais quentes do dia;
• Utilizar os equipamentos de proteção individual;
• Não fumar, beber ou comer durante o manuseio de produtos químicos.

LEMBRE-SE: O sucesso do tratamento só depende da forma com que você irá conduzi-lo.

• A calibração dos pulverizadores pode ser obtida através de cálculos efetuados com o auxílio da
fórmula e também de métodos práticos.

* CÁLCULO DE VOLUME DE PULVERIZAÇÃO ATRAVÉS DA FÓRMULA

• Os volumes de pulverização podem ser obtidos da seguinte forma:


Sendo: Q - Volume de pulverização (L/ha)
Q = q.600 (L/ha) q - Vazão de um bico (L/min)
v.f f - Espaçamento entre bicos na barra (m)
v - Velocidade de trabalho (km/h)
600 - Fator de conversão de unidades
EXEMPLO:
Vazão do bico: 1,0 litro a 150 lbf/pol² (BICO JA - 2)
Espaçamento entre bicos: 0,5 m
Velocidade de trabalho: 10 km/h

Q = q.600 (L/ha) Q = 1.600 (L/ha) Q = 600 Q = 120 Lha


v.f 10.0,5 5

VOLUME DE APLICAÇÃO = 120 L/ha

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

24
OPERAÇÕES E REGULAGENS
ALINHAMENTO D A D I R E Ç Ã O

ATENÇÃO:
Deixe a máquina com aproximadamente 1000L de água no tanque.

O sistema de direção do Uniport 2500 STAR é alinhado na fábrica e devido sua construção
não precisa ser regulado com frequência. Essa regulagem só se fará necessária quando houver
remoção desse sistema para manutenção.
Para verificar o alinhamento das rodas, proceda da seguinte forma:
1-Coloque a máquina em um terreno plano e alinhe as rodas através do volante da direção.
2-Estique um barbante em tamanho suficiente para dar a volta na máquina passando pelos
quatros pneus a meia altura, observando que a bitola traseira e dianteira devem ser iguais.
De cada lado da máquina, o barbante segue em linha reta desde a roda traseira até a diantei-
ra, tocando na face lateral externa dos pneus.

barbante

barbante a meia altura

POSICIONAMENTO DAS RODAS DIANTEIRAS

Rodas convergentes Rodas divergentes

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

25
OPERAÇÕES E REGULAGENS
REGULAGEM DA DIREÇÃO

Convergência das rodas dianteiras


NOTA: Deixe a máquina com aproximadamente 1000L de água no tanque.

Para evitar desgaste prematuro dos pneus, as rodas dianteiras devem estar na convergência
adequada, ou seja, a distância entre as rodas deve ser menor na frente do que atrás, olhando na
direção de caminhamento da máquina.
Para verificar e regular a convergência, proceda da seguinte forma:
• Coloque as rodas dianteiras em uma posição reta. Verifique as medidas T (traseira) e D (dianteira)
do eixo dianteiro.
• A distância T deve ser entre 6 a 8 mm maior que a distância D.
• Para regular, retire os pinos que travam as porcas que prendem o pivô ao braço da direção. Retire
as porcas e o pivô de seu encaixe no braço da direção.
• Solte a porca que trava o pivo na barra de direção e gire-o até chegar a medida desejada. Repita
esta operação para outro lado.
Lembre-se: Dê a mesma quantidade de voltas nos dois pivôs para que as medidas A e B fiquem
iguais.
• Para apertar, encaixe o pivo no braço de direção e em seguida aperte as quatro porcas, coloque os
pinos-trava na porca que prende o pivô no braço da direção.

braço da direção

A B

barra de direção D

ALINHAMENTO DAS PERNAS DIANTEIRAS

• A distância entre o centro dos pinos de fixação dos varões superiores e inferiores devem ser de
aproximadamente 718 mm.

718
mm

718
mm
Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

26
OPERAÇÕES E REGULAGENS
REGULAGEM DA BITOLA

BITOLAS (m)
2,10
BITOLA (m) 2,20 A bitola sai
PNEUS
MÍNIMA MÁXIMA 2,30 de fábrica
2,40 conforme
12,4 X 36 2,10 2,70
2,50 o pedido
2,60 do cliente
2,70
Antes de inciar a abertura ou o fechamento da bitola do Uniport STAR / 24 é importante
esgotar o reservatório de defensivo para que o equipamento fique mais leve e facilite a operação; é
recomendado também fazer uma lavagem completa do mesmo para que diminua o risco de contami-
nação do mecânico que fará essa operação.
Com o equipamento limpo e o reservatório esgotado, posicione-o em um local plano, e siga os
procedimentos abaixo:
1 - Desligue o motor diesel, e retire todo o ar do reservatório do sistema de suspensão pneumática
através da válvula de descarga localizada embaixo do reservatório de ar da suspensão. Para retirar
o ar do reservatório utilize um bastão de latão ou cobre para acionar a válvula de descarga do
reservatório.

Válvula de descarga do
reservatório de ar da
suspensão pneumática

2 - Solte os braços das 4 válvulas de nivelamento da suspensão pneumática para esvaziar o ar das
molas pneumáticas. Esta operação facilita o deslocamento dos eixos traseiros e dianteiros e das
molas dianteiras.
Esses dois procedimentos são muito importantes pois a existência de ar no sistema e o não
esvaziamento das molas pneumáticas fazem com que ao levantar o equipamento as molas pneumá-
ticas inflem forçando as cintas de segurança que limitam a atuação das mesmas.

Braço da válvula Braço da válvula


de nivalamento de nivalamento
fixado solto
Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

27
OPERAÇÕES E REGULAGENS
Após ter feito estes dois procedimentos, proceda da seguinte forma para fazer a abertura ou o
fechamento da bitola dos eixos traseiros e dianteiros:

EIXOS TRASEIROS

• Levante a traseira da máquina o suficientepara liberar os pneus do solo. Conforme a instrução


existente no capítulo 2.
• Solte os 8 parafusos que fixam o eixo ao chassi (lados, direito e esquerdo do equipamento).

Parafusos de
fixação do eixo

• Retire os dois cardãs de ligação do diferencial com os eixos entalhados. Para isso, retire os
parafusos de fixação das flanges dos cardãs.

Diferencial Cardã

• Retire os parafusos Allen utilizados para travar o eixo na posição.

Parafusos Allen
de trava do eixo

• Posicione o eixo na bitola desejada ( 2,10; 2,20; 2,30; 2,40; 2,50, 2,60 ou 2,70), puxando-o para
fora, ou empurrando-o para dentro.
Capítulo 5 • Coloque e aperte os parafusos Allen para travar o eixo na posição desejada.
UNIPORT • Reaperte os parafusos que fixam o eixo ao chassi.
2500 STAR • Coloque novamente os cardãs de ligação do diferencial e aperte os parafusos.

28
OPERAÇÕES E REGULAGENS
EIXOS DIANTEIROS

NOTA: Devido o eixo dianteiro ser do sistema duplo (Twin & Bean), use uma corrente para
sustentar os eixos durante o ajuste da bitola.

corrente

Para regular a bitola, proceda da seguinte forma:


• Retire os parafusos de fixação da barra de direção e levante a dianteira da máquina o suficiente
para liberar os pneus do solo.

barra de
direção

• Retire o pino do amortecedor e a cinta de segurança.

pino da cinta
pino do de segurança
amortecedor

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

29
OPERAÇÕES E REGULAGENS
• Solte o suporte do amortecedor e retire a plataforma de caminhamento localizada em cima do
suporte.
• Posicione o suporte do amortecedor na posição da bitola desejada ( 2,10; 2,20; 2,30; 2,40; 2,50,
2,60 ou 2,70).
• Coloque e aperte os parafusos do suporte do amortecedor.

plataforma

suporte do
amortecedor

• Solte e retire os parafusos de fixação do suporte dos varões superior e inferior.

parafusos

suporte do
varões

• Solte a mangueira de ar ligada a mola pneumática, e as porcas que fixam a mesma. Após essa
operação desloque mola pneumática para a posição desejada.

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

30
OPERAÇÕES E REGULAGENS
• Solte o parafuso de fixação do eixo e posicione-o na bitola desejada, puxando-o para fora, ou
empurrando-o para dentro.

• Após ter selecionado a posição da bitola desejada, aperte o parafuso de fixação do eixo.
• Encaixe a mola pneumática na posição adequada, aperte as porcas de fixação da mesma e
conecte a mangueira de ar.
• Posicione o suporte dos varões na posição desejada e aperte os parafusos de fixação.

parafusos

suporte do
varões

• Coloque a cinta de segurança no local especificado e fixe-a através do seu pino. Monte o
amortecedor no respectivo suporte e prenda-o através do seu pino de fixação no suporte do
amortecedor.

pino da cinta
de segurança pino do
amortecedor

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

31
OPERAÇÕES E REGULAGENS
• Monte as válvulas de nivelamento dianteiras na posição referente à bitola.
• Repita toda essa operação para fazer a regulagem da bitola do eixo dianteiro do outro lado do
equipamento.
• Logo após, abaixe a frente do equipamento e ajuste a posição das válvulas de nivelamento da
suspensão dianteira soltando os parafusos de fixação de seus suportes e movimente-os para
frente ou para trás, conforme a bitola desejada.

parafusos de fixação dos suportes

90°

POSICIONAMENTO DAS VÁLVULAS DE NIVELAMENTO DE ACORDO COM A


BITOLA DESEJADA

Bitola 2,10 m Bitola 2,20 m Bitola 2,30 m

Bitola 2,40 m Bitola 2,50 m Bitola 2,60 m Bitola 2,70 m

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

32
OPERAÇÕES E REGULAGENS
FREIO A DISCO

• Freio a disco nas quatros rodas.


• Freio composto por um disco solidário no cubo da roda e por um conjunto de pinça e pastilhas de frenagem.
• Quando acionado, a pressão hidráulica atua nos êmbolos da pinça, freando assim o disco entre as pastilhas.
• Suas principais características são:
• Frenagem uniforme.
• Melhor dissipação do calor.
• Auto regulagem.

disco de freio
pinça flutuante
êmbolo

pastilhas

R E G U L A G E M D O F R E I O D E E S TA C I O N A M E N T O

Localizado na saída da caixa de câmbio, o sistema do freio de estacionamento deve ser ajustado
assim que as pastilhas do freio de estacionamento apresentarem desgaste. Uma maneira de identi-
ficar o desgaste das pastilhas do freio de estacionamento é através da perda de eficiência de todo o
sistema. Para fazer a regulagem do freio de estacionamento proceda da seguinte forma:
• Pare o equipamento em um local plano e calce suas rodas com calços apropriados;
• Solte a alavanca do freio de estacionamento certificando-se de que o equipamento esteja bem
calçado, e desligue o motor diesel;
• Aperte a porca da alavanca da pinça até as pinças encostarem firmemente no disco de freio, com
um torque de 11,3 N.m.
• Em seguida, gire a porca da alavanca da pinças ± 2/3 de uma volta no sentido contrário ao do
aperto.
• Aperte a porca trava aplicando um torque de 68 N.m.

porca da alavanca
da pinça porca trava

disco de freio

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

33
OPERAÇÕES E REGULAGENS
REGULAGEM DA EMBREAGEM

Para a regulagem da embreagem, proceda da seguinte forma:


Para aumentar o curso, ou erguer a embreagem, solte a porca 2 e aperte a porca 1, tomando o
cuidado para não exagerar no aperto e enforcar (prender) a embreagem.
Após a regulagem, reaperte a porca 2 para travar com a porca 1.

porca 1
porca 2

INSTALAÇÃO DO RADIO/ TOCA CD

Para instalar o radio/ toca cd é necessário cortar o forro frontal da cabine, conforme a instrução
abaixo:
• Meça a gaveta do rádio/ toca cd.
• Com o auxílio de lápis, desenhe o perímetro da gaveta no forro da cabine, conforme a ilustração
abaixo.

local onde o forro será cortado

• Corte o forro da cabine dentro do perímetro marcado, esse forro possui um inserto metálico
na parte interna que auxilia na operação de corte, o corte deverá ser ser feito tangenciando esse
inserto.
• Puxe o chicote com os fios de instalação, ele possui uma etiqueta com instruções de instalação
do chicote no radio/ toca cd.
• Passe o chicote por dentro da gaveta. Encaixe-a no corte realizado, travando-a.
• Faça a ligação dos fios do chicote no radio/ toca cd para em seguida encaixá-lo na gaveta.

IMPORTANTE: O corte do forro da cabine deverá ser feito exatamente na local mostrado na
ilustração acima.
Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

34
OPERAÇÕES E REGULAGENS
MOTOR

CUIDADOS: Para que o motor proporcione rendimento e economia por muito tempo,
são necessários alguns cuidados, principalmente nas primeiras 50 horas de tabalho:

• Evite o funcionamento prolongado em alta ou baixa rotação do motor sem carga.


• Não force o motor provocando sobrecargas. A sobrecarga se manifesta quando o motor não
responde ao aumento de aceleração.
• Durante as primeiras 300 horas de trabalho, os anéis estarão se ajustando nas camisas, podendo
ocorrer um maior consumo de óleo lubrificante, o que é considerado normal. Caso você ache que o
consumo está sendo excessivo, entre em contato com o representante mais próximo.
• Verifique com freqüência os instrumentos do painel e mantenha o fluído do radiador, e óleo do
cárter, etc. no nível recomendado.

MOTOR 138CV
Perkins

Leia com atenção o manual do motor, ele também foi elaborado com a finalidade de lhe
proporcionar informações que possam ajudá-lo a:
• Localizar e identificar todos os componentes externos do motor.
• Conhecer de maneira simples e resumida a função de cada componente externo.
• Agir com segurança, evitando acidentes.
• Operar com eficiência.
• Realizar pequenas regulagens.
• Executar corretamente os serviços de manutenção e lubrificação.

LEMBRE-SE: O bom desempenho da máquina e a longa vida do motor e seus componentes


dependem da atenção e dos cuidados que lhe são dispensados.

ATENÇÃO: Necessitando de Assistência Técnica, recorra ao distribuidor Perkins mais próximo.


Ele está aparelhado para dar ao seu motor o melhor atendimento com peças genuínas.

Faça valer o seu direito de garantia. Leia o manual de instruções e proceda conforme descrito. Em caso Capítulo 5
de dúvida entre em contato com o erviço de Atendimento ao Cliente através do telefone (14) 3405- UNIPORT
2183/2228 ou ligue grátis 0800-151811 e- mail: assistencia.tecnica@jacto.com.br. 2500 STAR

35
OPERAÇÕES E REGULAGENS
SISTEMA DE INJEÇÃO

Os sistemas hidráulicos de alimentação (injeção de combustível) funcionam sob alta


pressão. Qualquer vazamento, por mínimo que seja, pode penetrar no tecido do corpo humano
provocando graves ferimentos. Para localizar vazamentos, utilize um pedaço de madeira ou papelão.
Nunca utilize as mãos ou qualquer outra parte do corpo.
Para ligar ou desligar as tubulações, faça-o com o motor desligado. Antes de dar partida no
motor, aperte todas as conexões para evitar vazamentos ou mesmo entrada de ar.

ATENÇÃO: No caso de ferimentos provocados pela fuga de óleo sob pressão, dirija-se imedia-
tamente ao médico. Poderão surgir sérias complicações na falta de atendimento médico imediato.

Leia com atenção o Manual do Sistema de Injeção. Ele traz importantes orientações sobre a
manutenção do sistema de injeção de combustível, filtros, estocagem de óleo Diesel, revisões e
diagnósticos para que você possa obter o máximo de desempenho da bomba, injetores e filtros.
F I LT R O

O filtro de combustível com elemento filtrante exerce uma função absolutamente vital no siste-
ma de injeção Diesel, protegendo a bomba injetora e os bicos injetores, garantindo um funcionamen-
to extremamente eficiente e uniforme por longo tempo.

filtro de combustível

bomba injetora

ATENÇÃO: Dentro do período de garantia, consulte o Serviço Autorizado.


Sua garantia depende disto.
Necessitando de Assistência Técnica, recorra ao distribuidor Perkins mais próximo.
Ele está aparelhado para dar ao seu motor o melhor atendimento com peças genuínas.
O bom desempenho da máquina e a longa vida do motor e seus componentes depen-
dem da atenção e dos cuidados que lhe são dispensados.

Faça valer o seu direito de garantia. Leia o manual de instruções e proceda conforme
Capítulo 5 descrito. Qualquer dúvida entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente através
UNIPORT do telefone (14) 3405-2183/2228 ou ligue grátis 0800-151811 e- mail: assistencia.tecnica@jacto.com.br.
2500 STAR

36
OPERAÇÕES E REGULAGENS
REGULAGEM DO COXIM DE AMORTECIMENTO DA BARRA

Com a finalidade de evitar um acionamento brusco no final da abertura do segmento 2, está


instalado entre o segmento 1 e o segmento 2 das barras de pulverização um coxim de amortecimento
com um parafuso de regulagem (figura1). Este parafuso (detalhe A) deve ser ajustado quando o
segmento 2 estiver fora do alinhamento das barras (90 graus em relação a máquina).
Para tanto, proceda da seguinte forma:
- Abra completamente as barras;
- Verifique o alinhamento do segmento 2 em relação ao segmento 1;
- Feche o segmento 2 o suficiente para permitir a regulagem do parafuso do coxim;
- Solte a porca trava e gire o parafuso no sentido a permitir o alinhamento do segmento;
- Abra novamente o segmento 2 e verifique o alinhamento (90 graus em relação a máquina);
- Ao final da regulagem, trave o parafuso com a porca trava.

fig.1 porca trava coxim

parafuso A

coxin de amortecimento

desalinhamento

segmento 1 segmento 2 segmento 3

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

37
OPERAÇÕES E REGULAGENS
REGULAGEM DA MOLA DE DESTRAVE

Para proporcionar flexibilidade e resistência


aos segmentos 3 (pontas das barras) das barras de
pulverização, está instalado entre o segmento 2 e
3, um dispositivo dotado de mola que permite
ajustarmos, através da tensão da mola, a
flexibilidade no movimento do segmento 3 ao
encontar algum obstáculo. Quanto maior for a
tensão da mola, menor será a flexibilidade.
A regulagem da tensão da mola, é permitida
através de tensionadores que estão instalados no
segmento 2 e são dotados de porcas e contraporcas
para essa finalidade.

ATENÇÃO: As operações de regulagem da mola de destrave devem ser realizadas por


profissonais experientes, equipados com o ferramental correto e com os equipamentos de proteção
individual (EPIs) recomendados para essas tarefas, tais como: luvas, óculos de segurança, botas
de segurança, etc.

Nos tensionadores, a regulagem é conseguida da seguinte forma:


- Ao soltar a porca 2 e apertar a porca 1, ocorre o tensionamento;
- Ao soltar a porca 2 e soltar a porca 1, ocorre o afrouxamento da mola.
Para o tensionamento ideal, a mola medida em todo o seu comprimento, deve possuir 300 mm.
- Todo esse trabalho permite que a barra (segmento 3) em contato com algum obstáculo,
destrave-se e volte a posição inicial em seguida por ação da mola de destrave.
300 mm

tensionador mola

tensionador 1 2

IMPORTANTE : Caso tenha necessidade de trocar a mola ou o cabo de aço, retire inicialmente
Capítulo 5 toda a tensão da mola. Após este processo, ajuste novamente a mola de destrave na tensão que
UNIPORT permita atingir um comprimento de 300 mm.
2500 STAR

38
OPERAÇÕES E REGULAGENS
POSICIONAMENTO DO SINALIZADOR ROTATIVO PARA OPERAÇÃO

O sinalizador rotativo (Giroflex) sai de fábrica montado na posição para o transporte. Antes de
iniciar a operação do equipamento, é necessário colocá-lo na posição de operação, acompanhe:
• Com a mão empurre o suporte do sinalizador rotativo contra a cabine do equipamento.
• Gire o suporte para a posição desejada, ou seja, para posição de operação.
• Solte o suporte para que a mola do suporte do sinalizador trave o sinalizador na posição de operação.

posição de posição de
transporte operação

IMPORTANTE: Sempre que hover a necessidade de transportar o equipamento em pranchas,


será necessário retornar o sinalizador rotativo para a posição de transporte.

POSICIONAMENTO DO JMC 1000/4

A fixação do controlador de pulverização JMC 1000/4 é feito através de um sistema de rótula


que permite fazer a regulagem da inclinação e posição que melhor se adapta ao operador. Para
regular, proceda:
• Com a mão, solte a porca do sistema de rótula o suficiente para fazer o deslocamento do JMC
1000/4.
• Posicione o JMC 1000/4 na posição desejada.
• Com a mão, aperte a porca do sistema de rótula o suficiente para fixar o controlador.
O aperto de forma exagerada da porca da rótula pode danificar o sistema, prejudicando a
fixação do controlador.

porca do sistema
de rótula

Capítulo 5
UNIPORT
2500 STAR

39
CAPÍTULO 6 • MANUTENÇÃO

Recomendações gerais 03

MANUTENÇÃO
Manutenção dos componentes 03
Porta-bicos duplo 04
Bico de pulverização 05
Localização de níveis de óleo 06
MANUTENÇÃO PERIÓDICA
Operações 07
Lubrificantes e filtros recomendados 09
Localização dos pontos de lubrificação 11
Cubo das rodas (dianteiras) 11
Cardã 12
Suporte e quadro das barras 12
Barras 13
Acumuladores hidráulicos 14
Bateria 15
Fusíveis e Relés 16
Visualizando a caixa de distribuição 16
Solucionando defeitos de funcionamento 17
Filtro seco de ar com elemento de segurança 18
Abastecimento do tanque de combustível 19
Procedimento para armazenamento do equipamento 20
Identificação e correção de problemas no circuito defensivo 21
Problemas, causas e correções 21
Identificação e correção de problemas no circuito de defensivo 22

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

1
RECOMENDAÇÕES GERAIS

• Após as primeiras horas de uso, deve-se verificar o aperto dos parafusos, porcas e abraçadeiras,

MANUTENÇÃO
principalmente as porcas das rodas e parafusos de fixação do eixo. Caso haja necessidade, reaperte-
os.
• Diariamente, após o término de pulverização, coloque água limpa no tanque, retire os bicos e
funcione a máquina até esgotar toda água;
• Limpe os bicos e filtros e recoloque-os;
• Limpe o filtro principal;
• Lave a máquina interna e externamente.
Estes procedimentos evitarão problemas nas aplicações posteriores tais como: obstru-
ção de bicos, filtros, etc., além de proteger a sua vida e a durabilidade do equipamento.
ATENÇÃO: Nunca efetue a lavagem do pulverizador ou dos equipamentos de proteção individual
em rios, lagos, córregos, represas, etc, ou mesmo nas proximidades.
• Remova os equipamentos de proteção individual e lave-os;
• Lave as roupas de trabalho separada das demais;
• Tome banho com bastante água e sabão e troque de roupa.

MANUTENÇÃO DOS COMPONENTES

FILTRO PRINCIPAL
• O intervalo entre limpeza do filtro depende da qualidade da água empregada e do tipo de produto
químico utilizado.
• Limpe o filtro quando necessário ou toda vez que abastecer o pulverizador.

registro anel

elemento filtrante

COMANDO MASTERFLOW ELETROELETRÔNICO

ATENÇÃO: Após o término da pulverização, lave a máquina e o circuito de defensivo com água
limpa, a fim de evitar o travamento do medidor de vazão.

detalhe A
Capítulo 6
A medidor de vazão UNIPORT
2500 STAR

3
P O RTA - B I C O S Q U A D R I J E T

Após uso prolongado do equipamento, surgirá a necessidade de se efetuar a manutenção da


MANUTENÇÃO

válvula antigotejo. Apresentamos na tabela abaixo os problemas que poderão surgir, bem como as
indicações, causas e correções:
8

2
4 3 9
10

porta bicos

diafragma
Corpo do bico

1
5

PROBLEMAS CAUSAS CORREÇÕES


a • Aperte a porca nº 1. Não use
a • Falta de aperto na porca nº 1. ferramentas, basta o aperto com as
Válvula b • Impurezas no diafragma. mãos.
não veda. c • Rompimento do diafragma. b • Retire e limpe o diafragma.
d • Rompimento do diafragma com c • Substitua o diafragma.
posterior deposição do produto. d • Substitua o diafragma e limpe o
conjunto de êmbolo.
Vazamento a • Falta da vedação nº 2. a • Coloque a vedação nº 2.
entre o porta-bicos b • Vedação nº 2 danificada. b • Substitua a vedação nº 2.
e o corpo. c • Falta de aperto na porca nº 1. c • Aperte a porca nº 1com as mãos.

a • Falta do anel de vedação nº 3. a • Coloque a vedação nº 3.


Vazamento na conexão
b • Anel de vedação nº 3 danificado. b • Substitua o anel de vedação nº 3.
com o tubo. c • Aperte a peça nº 4.
c • Falta de aperto na peça nº 4.

Vazamento entre o
a • Falta de aperto na porca nº 5. a • Aperte a porca do bico nº 5.
porta-bicos e o bico
b • Base do filtro danificada nº 6. b • Substitua o filtro nº 6.
( capa com rosca).

a • Porca engate rápido mal a • Encaixe a porca no batente.


Capítulo 6 Vazamento entre o encaixada.
porta-bicos e o bico b • Substitua o anel de vedação nº 9.
UNIPORT b • Anel de vedação nº 9 danificado.
c • Substitua o filtro.
2500 STAR c • Base do filtro danificada.

4
B I C O D E P U LV E R I Z A Ç Ã O

• Limpe os bicos diariamente ou quando necessário.

MANUTENÇÃO
Bico cone Bico leque

filtro
capa do bico
vedação
bico bico
caracol

capa do bico
filtro

ATENÇÃO: O filtro do bico leque, de cor vermelha, é constituído de material sujeito a esmagamento
para facilitar a vedação. Portanto, não recomendamos o seu uso com capa rosqueada.

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

5
LOCALIZAÇÃO DE NÍVEIS DE ÓLEO

RESERVATÓRIOS DE ÓLEO
MANUTENÇÃO

• Verifique os níveis de óleo dos componentes abaixo conforme o descrito na tabela de operações.
• Quando completar o nível, não misture óleos de marcas diferentes.
• Limpe a boca de abastecimento dos reservatórios de óleo a fim de evitar a contaminação
do fluído.

OBS: O nível do óleo hidráulico deve estar entre os valores máximo e mínimo do indicador.

Redutor de roda

nível de óleo
reservatório de óleo hidráulico

tampa de abastecimento caixa de mudanças (câmbio)

nível do óleo nível de óleo

Diferencial

IMPORTANTE: Para ter acesso ao reservatório de óleo


hidráulico da embreagem é necessário desmontar o console
da coluna de direção.

Capítulo 6 reservatório de óleo


UNIPORT hidráulico da embreagem
2500 STAR

6
PERIODICIDADE
OPERAÇÕES 10h ou 50h ou a cada a cada a cada a cada a cada a cada
diária semanal 100h 250h 500 h 600 h 800 h 1000 h
Verifique o nível de óleo lubrificante do motor diesel (complete se necessário). •
Substitua o óleo lubrificante e o filtro do óleo do motor.* •
Verifique o nível da solução do radiador (complete se necessário). •
Substitua a solução do radiador. •
Drene as impurezas do sedimentador e do(s) filtro(s) de combustível. •
Substitua o(s) elemento(s) do(s) filtro(s) de combustível. •
Lubrifique os terminais da direção. •
Verifique o estado e a tensão das correias. •
Regule a folga das válvulas do motor diesel. •
Reaperte as porcas e parafusos do cabeçote do motor. •
Verifique os terminais e a luz indicadora do nível de carga da bateria.
Verifique o nível do óleo da caixa de transmissão e diferencial (complete se necessário).


Substitua o óleo da caixa de transmissão e diferencial. •
Verifique o nível do óleo da transmissão final - pernas (complete se necessário). •
Substitua o óleo da transmissão final (pernas). •
Verifique o nível do óleo hidráulico (complete se necessário).
Substitua o óleo hidráulico da máquina


Verifique as pastilhas do freio. •
Teste o JMC 1000/4, as funções e a programação. •
Lubrifique os terminais rotulares, a manga de eixo e o pino do amortecedor da suspensão dianteira. •
Teste o mexedor mecânico (agitador). •
Lubrifique os pinos de articulação do quadro central e das barras. •
Lubrifique as cruzetas dos cardãs: caixa de transmissão, diferencial e transmissão final (pernas). •
Reaperte as porcas de fixação da roda. •
Verifique a pressão dos pneus e ajuste se necessário. •
Verifique o nível do óleo da bomba de defensivo. •
* A primeira troca de óleo do motor diesel é recomendada ao atingir 100 horas de trabalho; as demais são recomendadas com intervalos de 250 horas.

7
MANUTENÇÃO

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR
8
MANUTENÇÃO

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR
PERIODICIDADE
OPERAÇÕES 10h ou 50h ou a cada a cada a cada a cada a cada a cada
diária semanal 100h 200h 500 h 600 h 800 h 1000 h

Substitua o óleo da bomba de defensivo **. •


Verifique e limpe o(s) filtro(s) de defensivo. •
Verifique o alinhamento dos pneus dianteiro. •
Desmonte, verifique e lave as peças e lubrifique os cubos das rodas dianteiras •
Lubrifique o pino da articulação da perna traseira. •
Lubrifique os terminais rotulares do cilindro do quadro. •
Troque o elemento filtrante do ar condicionado •
Verifique o reservatório de óleo da embreagem e mantenha o nível •

** A primeira troca de óleo da bomba de defensivo, deve ser feita quando o equipamento atingir as primeiras 30 horas de trabalho, as demais trocas devem ser de 100 em 100 horas.

Importante:
As cintas limitadoras da suspensão traseira e dianteira deverão ser trocadas a cada 2000 horas de trabalho;
As buchas das mangas de eixo dianteira deverão ser trocadas a cada 5000 horas.
LUBRIFICANTES E FILTROS RECOMENDADOS

COMPONENTES TIPO ESPECIFICAÇÃO I NDICAÇÃO QTDE.

motor óleo SAE 15W 40 7,1


Texaco Ursa Super TD SAE 15W 40
diesel lubrificante littros

filtro de óleo filtro blindado


- Perkins 2654407 1
do motor descartável
filtro sedimentador /
filtro de óleo combustível filtro Perkins 26550005 1
separador d’ agua (com dreno)
para motor diesel descartável
filtro combustível Perkins 26560201 1
(com dreno)
elemento principal Mann 54535056144
(externo) 1
filtro descartável RgJ ACTO 528546
filtro de ar do
motor seco
elemento de segurança Mann 54535056109 1
(interno) Rg JACTO 528538

caixa de óleo 5,0


lubrificante SAE 50 Texaco Ursa LA3 - SAE 50
mudanças litros

somente para o radiador 14,0


motor solução para Texaco XLC 50/50
litros
+ sistema de
radiador arrefecimento todo o circuito de 29,0
Texaco XLC 50/50
arrefecimento litros

bomba Todos os óleos de motor de combustão interna 2,5 (JP-150)


óleo lubrificante SAE 20W 40
JP-150 nesta especificação litros

9
MANUTENÇÃO

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR
MANUTENÇÃO

10
Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR
LUBRIFICANTES E FILTROS RECOMENDADOS
COMPONENTES TIPO ESPECIFICAÇÃO INDICAÇÃO* QTDE.
óleo 2,3
diferencial SAE 85W-140 Texaco - Multigear LS
lubrificante litros
redutores de roda óleo 14,0 litros
SAE 140 Texaco - Multigear EP 140
(QT.2) lubrificante (unitário)

pinos
graxeiros a base de Lítio
graxa Texaco - Multifak EP 2 1,0 kg
e NLGI-2
cardãs FTS 160

filtro de sucção do óleo capacidade de retenção


filtro descartável HDA FT 5160 - RG JACTO: 903625 1
hidráulico 149 micras
filtro de retorno do óleo capacidade de retenção
filtro descartável 10 micras HDA 011338 - RG JACTO: 140830 1
hidráulico

sistema hidráulico ISO-VG 68


óleo hidráulico Texaco - Rando HDZ 68 152,0 litros
(tanque)

Cubo do pino mestre graxa a base de Lítio 4,0 kg


Texaco - Multifak EP 2
Cubo do eixo dianteiro NLGI-2

ar condicionado filtro descartável - Redox C-150 / FC 6119-02 1


sistema de embreagem fluido hidráulico SAE J1703 / ABNT/NBR 9292 T3 Texaco Super HD DOT3 500 ml (todo circuito)

CUIDADOS COM O SISTEMA HIDRÁULICO

• Somente usar óleo recomendado pelo fabricante (não misturar óleos de marcas diferentes).
• Jamais adicionar óleo lubrificante para motores de explosão no sistema hidráulico.
• Tomar cuidados especiais para não contaminar o óleo hidráulico com água, sujeiras ou outros fluídos.
LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS DE LUBRIFICAÇÃO

MANUTENÇÃO
OBS: A carga horária de lubrificação de cada um dos itens abaixo, está descrito na tabela de
“OPERAÇÕES” citada neste capítulo.
• Cardã.
• Cubo das rodas.
• Bicos de engraxadeira do quadro móvel e das barras.
• Terminais rotulares.
• Articulação das barras
• Terminais de direção, etc.

CUBO DAS RODAS (DIANTEIRAS)

• A cada 500 horas de serviço, desmonte os cubos das rodas dianteiras, lave e examine as peças.
Substitua as peças danificadas e monte o cubo com graxa nova ajustando a folga do rolamento.

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

11
LUBRIFICAÇÃO (BICOS DE ENGRAXE)

Durante a lubrificação (engraxamento), deve-se ter o cuidado para que


nenhum dos bicos de engraxe seja esquecido, pois cada um deles tem sua
MANUTENÇÃO

importância no sistema. Os bicos de engraxe estão distribuídos em todo o


equipamento. Os pontos de lubrificação estão demarcados no equipamento
com o adesivo de ponto de lubrificação.
Para auxiliar o trabalho, mostraremos através de ilustrações a localização
de alguns pontos de lubrificação que não estão sinalizados com esses adesi-
vos.

CARDÃ

01 bico

Cardã traseiro (lado do diferencial)

EIXO DE ACIONAMENTO DA EMBREAGEM

Na carcaça da caixa de cambio e um pouco abaixo do eixo de acionamento da embreagem


existem dois bicos de engraxe um em cada lado da caixa de embreagem, esses bicos são utilizados
para engraxar o eixo de acionamento da embreagem.

eixo de acionamento
da embreagem

bico para
engraxadeira

TERMINAIS DO SISTEMA DE DIREÇÃO

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

12
SUPORTE E QUADRO DAS BARRAS

Localizados onde há pinos de junção e articulações, os pontos de lubrificação totalizam para cada
lado um número de 13 bicos.

MANUTENÇÃO
OBS: As indicações abaixo foram feitas apenas em um dos suportes das barras; vale lembrar que
para o outro suporte do outro lado, existe a mesma quantidade de bicos localizados nas mesmas
posições.
ATENÇÃO: Devido a grande quantidade de bicos de engraxe localizado no suporte
das barras, quadro móvel e barras, realize essa operação com muita atenção a fim de
não esquecer nenhum bico.

02 bicos - Esses dois bicos


01 bicos estão localizados na extremi-
dade inferior dessas longarinas.

02 bicos

02 bicos

01 bicos

04 bicos
01 bico

BARRAS

Localizados onde há pinos de junção e articulações, os pontos de lubrificação estão instalados ao


longo da barra totalizam para cada lado um número de 11 bicos.
OBS: A ilustração abaixo refere-se somente a uma barra; para a outra temos o mesmo número de
pontos de lubrificação, localizado nas mesmas posições.

06 bicos

05 bicos

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

13
ACUMULADORES HIDRÁULICOS

Todas as vezes que for necessário realizar manutenção nos componentes do freio, das bar-
ras ou do quadro que possuírem acumuladores hidráulicos, deve-se seguir algumas instruções:
MANUTENÇÃO

CIRCUITO HIDRÁULICO DO FREIO


O circuito hidráulico do freio tem reserva de pressão mesmo com o motor diesel desligado.
Antes de soltar a mangueira ou conexão (motor diesel deve estar desligado) que esteja
fixado a acumulador de pressão, deve-se pi-
sar no pedal do freio seguidamente (cerca
de 15 vezes) para eliminar a pressão residu-
al existente no circuito.
Partindo para a desconexão da peça,
faça-a devagar, pois essas ligações hidráuli-
cas representam perigo de acidente, quer pelo
jato de fluído, quer pelo deslocamento brus-
co de um terminal de mangueira.

C I R C U I TO H I D R Á U L I C O D A S B A R R A S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O
O circuito hidráulico das barras de pulverização necessita também de cuidados especiais,
portanto a retirada dos acumuladores de pressão de compensação dos cilindros das barras e do
quadro móvel deve ser feita somente quando as barras estiverem todas abertas e o quadro posicionado
todo para baixo.
Partindo para a desconexão da peça, faça-a devagar, pois essas ligações hidráulicas repre-
sentam perigo de acidente, quer pelo jato de fluído, quer pelo deslocamento brusco de um terminal
de mangueira.

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

14
B AT E R I A S E L A D A

Ao executar qualquer operação de manutenção na bateria, proteja-se com óculos de segurança,


principalmente se estiver utilizando pincel de cerdas metálicas para limpar os terminais da bateria.

MANUTENÇÃO
A cada 50 horas de serviço, faça algumas verificações na bateria:
1 • Limpe os terminais com um pano umedecido com uma solução fraca de amônia ou
bicarbonato de sódio e água.
2 • Assegure-se de que as ligações elétricas estejam limpas e bem apertadas, e cubra os terminais
com vaselina, a fim de protegê-los da corrosão.

NOTA: O indicador de teste (detalhe na foto), deve ser verificado constantemente.


Se no visor a cor estiver:
VERDE: Indica que a bateria possui carga suficiente para trabalho.
CLARO: Não utilizar (entre em contato com o fabricante). No adesivo possui o nº do telefone do
Serviço de Atendimento ao Cliente.
ESCURO: Carregar a bateria

PERIGO
O LÍQUIDO CONTIDO NO INTERIOR DAS BATERIAS É ÁCIDO SULFÚRICO.
Caso aconteça algum acidente, tome o cuidado de não derramar o ácido na pele, nos olhos ou na
roupa, pois ocorrerá GRAVES queimaduras.
Antídoto: EXTERNO - Lave com água.
INTERNO - Beba água e leite em quantidade, seguido de leite de magnésia,
ovos batidos ou óleo vegetal. Procure assistência médica imediata.
OLHOS - Lave com água durante 15 minutos e procure imediatamente o oculista.

AS BATERIAS PRODUZEM GASES EXPLOSIVOS: Faíscas, fósforos e cigarros acesos


e chamas expostas devem ser mantidos longe da baterias. Ao carregar a bateria ou quando a estiver
utilizando em recinto fechado, assegure-se de que dispõe de boa ventilação. Use sempre óculos de
segurança ao trabalhar perto de baterias. MANTENHA AS BATERIAS LONGE DO ALCAN-
CE DE CRIANÇAS.

ATENÇÃO: Quando estiver trabalhando próximo de baterias, lembre-se de que todas as partes
metálicas expostas das mesmas estão "ativas". Nunca coloque objetos de metal sobre os termi- Capítulo 6
nais, pois poderá resultar em faíscas ou curto-circuito. UNIPORT
2500 STAR

15
O circuito elétrico da máquina é de 12V (nominal), e composto de: bateria, alternador, motor
de partida, faróis e instrumentos de controle. Com o alternador funcionando, a tensão aumenta para
13,6 podendo chegar até 14 V.
Para o bom funcionamento, são necessários alguns cuidados como:
MANUTENÇÃO

B AT E R I A
Seguir as recomendações descritas no item “Manutenção da Bateria”.
FUSÍVEIS e RELÉS
O sistema elétrico está protegido por fusíveis contra sobrecarga, agrupados em duas caixas de
fusíveis.
A caixa de fusíveis inferior está do lado esquerdo do banco do operador e a caixa de fusíveis
superior está localizada no teto da cabine, para acessá-las, basta retirar as tampas.

caixa de fusíveis caixa de fusíveis


inferior superior

Todo o acionamento da máquina é feito através dos painéis elétricos/eletrônicos instalados no


interior da cabine, porém quando alguma ação solicitada pelo operador não é correspondida (como
por exemplo levantar o quadro) o primeiro passo é checar os fusíveis/relés instalados nas caixas de
fusíveis. A detecção de possíveis defeitos nesses componentes é realizada da seguinte forma:

VISUALIZANDO AS CAIXAS DE FUSÍVEIS

Ao acessar as caixas de fusíveis, você irá se deparar com vários conjuntos de relés e fusíveis
separados e identificados por nomes. Os nomes correspondentes a cada componente estão deta-
lhados em um adesivo que está alojado na tampa de cada caixa, sendo eles:
adesivo da caixa de adesivo da caixa de
fusíveis inferior fusíveis superior

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

16
SOLUCIONANDO DEFEITOS DE FUNCIONAMENTO

Para ilustrar essa explicação, imaginemos o seguinte defeito:


- Com a máquina em funcionamento, o operador decide acionar o farol alto do equipamento no

MANUTENÇÃO
painel de comando de serviço, mas não acende.
- Ao se deparar com essa situação, o operador primeiramente deverá checar em qual caixa de
fusíveis está o fusível ou relé responsável pelo farol alto; nesse caso o fusível está instalado na caixa
de fusíveis inferior.

fusível do farol alto

- Seguindo esse exemplo, através do nome encontramos o fusível responsável pelo acendimento
do farol alto , basta retirá-lo e verificar se o mesmo possui algum problema. Caso esteja queimado,
substitua-o por um fusível da mesma especificação (preste atenção na amperagem determinada na
própria caixa de fusíveis).

CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A CAIXA DE FUSÍVEIS


- Os fusíveis e relés que estão sendo utilizados na caixa de fusíveis são distribuídos da
seguinte forma:

TIPO COR REFERÊNCIA


Fusível de 10A (ampère) cor vermelha MTAUnival05.10330
Fusível de 20A (ampère) cor amarela MTAUnival05.10350
Fusível de 30A (ampère) cor verde MTAUnival05.10370
Fusível de 50A (ampère) cor vermelha escura MTAMaxival05.00930
Relé 4 pinos DNI 0110
Relé 5 pinos DNI 0115
Relé com suporte DNI 0192
Diodo Mauser 2.93.83

- Num momento de necessidade, os relés de 4 pinos podem ser substituídos pelos relés de
5 pinos.
- Ao substituir um fusível ou um relé, faça-o por outro da mesma especificação.

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

17
F I LT R O S E C O D E A R C O M E L E M E N TO D E S E G U R A N Ç A

CORPO DO FILTRO DE PLÁSTICO


MANUTENÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA LIMPEZA DO FILTRO DE AR

IMPORTANTE:
Efetuar a manutenção somente quando o
LED localizado no painel de instrumentos
acender.

CORPO DE PLÁSTICO
1 • Solte os grampos de fixação “A”.
2 • Retire a tampa de retenção completa “B”, limpando o seu interior com um pano úmido antes
de sua montagem com o novo elemento
3 • Remova o elemento principal já usado, girando para a esquerda e para a direita alternadamente,
para que o elemento saia com mais facilidade.
4 • Retire o elemento de segurança “D”, descartando o seu anel de remoção, para maior facilida-
de na retirada do elemento.
5 • Coloque o novo elemento de segurança no interior do corpo “E”, até que ambos fiquem com
as faces paralelas.
6 • Em seguida, coloque o novo elemento principal (passar vaselina nas faces internas e externas
da vedação do elemento, para obter uma melhor vedação), girando para a esquerda e para a direita
alternadamente, posicionando-o no interior do corpo.
7 • Recoloque novamente a tampa de retenção “B” completo verificando a posição ideal da vál-
vula de descarga. Em seguida, aperte os respectivos grampos de fixação “A”.

NOTA: PORQUE TROCAR:


A manutenção periódica dentro dos intervalos indicados pelo fabricante, prolonga a vida útil do
motor, impedindo que haja um desgaste excessivo em suas partes móveis e eliminando o consumo
desnecessário de combustível.

durante a montagem do
elemento, gire-o
alternadamente
E

D
B
ATENÇÃO
C • Nunca ligue o motor sem que estejam
instalados o elemento principal e o ele-
mento de segurança.
Capítulo 6 • Nunca instale um elemento úmido no
UNIPORT A filtro de ar.
2500 STAR

18
A B A S T E C I M E N T O D O TA N Q U E D E C O M B U S T Í V E L

MANUTENÇÃO
Algumas precauções são necessárias para a estocagem do óleo diesel pois minimizam sua conta-
minação. Leia as instruções abaixo.
• O depósito para estocagem de diesel deve ter: • Bujão de abastecimento
• Bujão de dreno
• Respiro
• Tampa que possibilite a limpeza do depósito
• Registro para abastecimento

• Mantenha o depósito sobre um suporte de alvenaria em local coberto e bem protegido.


• A base deve ter uma inclinação de 10 cm entre uma ponta e outra. Na parte mais baixa, deve
haver um bujão de dreno por onde as impurezas possam ser retiradas.
• Evite usar o combustível estocado no mesmo dia do abastecimento. Aguarde para que as impu-
rezas se assentem, pois as mesmas podem prejudicar o bom funcionamento do motor.
• Não use componentes galvanizados (tubos, registros, etc.). Estes materiais reagem com o
Diesel formando resíduos.
• Drene o reservatório de estocagem toda semana.
• Esvazie o reservatório e lave-o inteiramente a cada 6 meses. Na limpeza do reservatório deve
ser evitado o uso de estopas ou pano que soltem fiapos.
PRECAUÇÕES

• Somente pessoas diretamente ligadas ao transporte podem ter acesso ao local onde está armaze-
nado o combustível.
• Deve ser um local coberto, arejado e distante de rede elétrica e residências.
• Nesse local deve ter extintores de incêndio apropriados e placas com dizeres: "Não fume", "Risco
de Incêndio", "Inflamável", "Extintores".
• O depósito, conexões e mangueiras devem ser mantidos em boas condições, livres de vazamentos.
• Chaves elétricas, motores utilizados no sistema ou próximos do reservatório devem ser
blindados e estar de acordo com as normas apropriadas. Nos veículos envolvidos no abasteci-
mento, devem ser utilizadas ligações antiestáticas.
• Consulte uma companhia fornecedora de combustível antes de iniciar qualquer tipo de instalação.

NOTA: O tanque de combustível deve ser abastecido no final de cada dia de trabalho, evitando
assim a condensação de água dentro do tanque.
tampa (para limpeza interna)

medidor de
nível
respiro

bujão para abaste-


tampa do tanque de combustível cimento do depósito

saída para
abastecimento
bujão do dreno do equipamento

ATENÇÃO: As instruções referentes à verificação de nível de óleo, troca de óleo, nível do Capítulo 6
fluido do radiador, nível de água da bateria, limpeza dos filtros de ar e de óleo devem ser feitas UNIPORT
de acordo com as instruções contidas no manual de instruções do motor. 2500 STAR

19
P R O C E D I M E N TO S PA R A O A R M A Z E N A M E N T O D O E Q U I PA M E N TO
DURANTE O PERÍODO DE INVERNO
MANUTENÇÃO

ATENÇÃO: Nas regiões em que, durante o período de


inverno a temperatura atinge 0º C ou menos, são necessári-
os alguns procedimentos para evitar danos, principalmente
na bomba de defensivo, devido ao acúmulo de água dentro
da mesma.

válvula de dreno do
tanque principal

tanque

comando de defensivo

tampa

bomba de
defensivo
registro
do filtro

• Drene o tanque por completo, abrindo a válvula do dreno. Retire também a tampa do filtro e deixe-o
aberto.
• Desconecte a mangueira de defensivo da bomba.
• Funcione a máquina por mais ou menos 30 segundos com rotação de média para baixa.
OBS.: Não funcione a máquina além do tempo recomendado para não pôr em risco os compo-
nentes da bomba.

Capítulo 6 • Monte novamente os componentes em seus devidos lugares.


UNIPORT • Repita a operação no final de cada dia de trabalho durante o período de inverno e certamente
2500 STAR evitará transtornos nas próximas aplicações.

20
IDENTIFICAÇÃO E CORREÇÃO DE PROBLEMAS NO CIRCUITO DE
DEFENSIVO

MANUTENÇÃO
COMPONENTES:
tanque
• Tanque
• Filtro principal
• Comando de defensivo retorno
• Bomba de defensivo comando de
• Flexível defensivo
• Bicos de pulverização flexível

filtro principal
bomba de defensivo bicos de pulverização

PROBLEMAS, CAUSAS E CORREÇÕES

Sempre que ocorrerem problemas nas máquinas JACTO equipadas com bombas de pistão,
tente classificá-los em um dos quatro grupos relacionados abaixo.

a) DEFICIÊNCIA DE SUCÇÃO E RECALQUE


Não sai líquido nos bicos;
Não há retorno de líquido para o tanque;
O manômetro não indica pressão.

b) INSUFICIÊNCIA DE PRESSÃO
(FALTA PARCIAL DE PRESSÃO)
O líquido não é pulverizado com a
pressão correta;
O ângulo de aspersão é menor do
que o especificado;
O manômetro indica pressão menor.
pressão normal pressão insuficiente

c) OSCILAÇÃO DE PRESSÃO
O ponteiro do manômetro oscila;
O ângulo de aspersão do jato oscila.

d) INTERMITÊNCIA
O ponteiro do manômetro vibra
com intensidade;
As mangueiras de pressão vibram
com intensidade; Capítulo 6
O ângulo de aspersão do jato apresenta UNIPORT
variação pulsativa. 2500 STAR

21
IDENTIFICAÇÃO E CORREÇÃO DE PROBLEMAS NO CIRCUITO DE DEFENSIVO

a • Deficiência de sucção e recalque (falta total de pressão)


MANUTENÇÃO

PROVÁVEIS CAUSAS INDICAÇÕES E CORREÇÕES


A bomba deverá estar acionada com 540 rpm.
1 • Falta total de rotação na bomba de defensivo.
Verifique visualmente se a bomba está sendo acionada.

2 • Falta de água no tanque. Para o funcionamento do circuito de defensivo, é necessário que haja
um mínimo de líquido, caso contrário não haverá pressão.

Pela constituição da válvula de 3 vias, mesmo na posição fechada,


3 • Válvula de 3 vias do filtro fechada. haverá passagem de líquido quando a bomba funcionar, porém, haverá
insuficiência do fluxo.

O filtro sujo impede o livre fluxo do fluido. Limpe o filtro a cada


4 • Filtro sujo. reabastecimento ou com maior freqüência, dependendo da qualidade da
água e do tipo de produto químico.

Verifique se a mangueira que liga o filtro à bomba está dobrada.


5 • Obstrução nas mangueiras de admissão. Verifique se não há obstrução nas mangueiras do tanque ao filtro. Encha
o tanque, abra o registro e verifique se a água flui abundantemente.

Verifique o anel de vedação do filtro.


6 • Entrada de ar.
A vedação do filtro deve ser correta, sem vazamentos.

Retire a tampa das válvulas de sucção.


7 • Bomba não está succionando. Verifique o estado de conservação das válvulas e faça a
substituição caso seja necessário.

b • Insuficiência de pressão (falta parcial de pressão)


PROVÁVEIS CAUSAS INDICAÇÕES E CORREÇÕES
1 • Insuficiência de rotação no acionamento da A rotação para o acionamento da bomba deverá ser de 540 rpm.
bomba de defensivo.
Pela constituição da válvula de 3 vias, mesmo na posição fechada,
2 • Válvula de 3 vias do filtro fechada.
haverá passagem de líquido quando a bomba funcionar, porém, haverá
insuficiência do fluxo.

3 • Filtro parcialmente obstruído. O filtro deverá estar limpo para que possa permitir o livre trânsito do
fluido.

A bomba não alimentada corretamente provocará queda de pressão.


4 • Mangueira de admissão parcialmente Verifique se a mangueira que liga o filtro à bomba está dobrada.
obstruído. Verifique se não há obstrução nas mangueiras que ligam o tanque ao
filtro. Encha o tanque, abra o registro e verifique se a água flui
abundantemente.

Verifique as conexões e anéis de vedação da saída do tanque e entrada


5 • Entrada de ar. da bomba.

6 • Regulador de pressão. Verifique o assentamento da válvula e sede.

Verifique se a vazão dos bicos está dentro dos limites


7 • Excesso de vazão. recomendados (verifique tabela de vazão).
(Vazão dos bicos acima do limite recomendado). Substitua os bicos com vazão superior a 20%.
Utilize somente os bicos recomendados pelo fabricante do pulverizador.

Desligue a mangueira de pressão do comando.


Funcione a máquina com 540 rpm na bomba.
Colete água durante 1 minuto. Meça o volume coletado.
8 • Bomba com menor capacidade de recalque. O volume deverá ser próximo do valor nominal da bomba.
JP - 402 = 38 L /min JP - 100 = 100 L /min
Capítulo 6 JP - 42 = 42 L /min JP - 150 = 150 L /min
JP - 75 = 75 L /min JP - 300 = 300 L /min
UNIPORT
2500 STAR

22
IDENTIFICAÇÃO E CORREÇÃO DE PROBLEMAS NO CIRCUITO DE DEFENSIVO

c • Oscilação de pressão

MANUTENÇÃO
PROVÁVEIS CAUSAS INDICAÇÕES E CORREÇÕES
Ocasionada por mangueira furada, anel de vedação do filtro
1 • Entrada de ar no sistema de admissão. danificado, etc.
Verifique e corrija os vazamentos de líquido que houver.

Verifique a válvula e a sede para certificar-se do perfeito


2 • Regulador de pressão.
ajustamento desses componentes.

d • Intermitência
PROVÁVEIS CAUSAS INDICAÇÕES E CORREÇÕES
Pela constituição da válvula de 3 vias, mesmo na posição fechada, haverá
1 • Registro do filtro fechado (fecho rápido). passagem de líquido quando a bomba funcionar, porém, haverá insufici-
ência do fluxo.

2 • Bomba - mau funcionamento das válvulas. Válvula com deficiência de vedação por impurezas ou emperramento.

3 • Cabeçote furado internamente. Substitua o cabeçote.

Capítulo 6
UNIPORT
2500 STAR

23
CAPÍTULO 7 • GARANTIA

Introdução 03
Responsabilidade da Jacto 03

GARANTIA
Responsabilidade do proprietário da máquina 03
Termo de garantia 04
Certificado de entrega técnica 07
Certificado de revisão de 400 horas 09
Registro de visitas do técnico 11

Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

1
INTRODUÇÃO

Este equipamento foi desenvolvido para atender as necessidades do tratamento fitossanitário,


oferecendo boa qualidade na aplicação por longo tempo.
Para obter o máximo de rendimento, é importante que todas as partes envolvidas executem
bem suas tarefas, seguindo sempre as orientações contidas nos manuais de instruções.

GARANTIA
É DE RESPONSABILIDADE DA JACTO

• A JACTO através de sua rede de representação, concede ao primeiro proprietário o direito a


entrega técnica do equipamento, onde serão explanados e verificados os seguintes itens:
• montagem;
• operação;
• manutenção;
• garantia;
Concede ainda o direito a uma revisão gratuita de 400 horas. Nesta operação deverão ser verifica-
dos todos os itens constantes do impresso relacionado a esta revisão.

É DE RESPONSABILIDADE DO PROPRIETÁRIO DA MÁQUINA

• Designar um ou mais operadores para serem treinados;


• Fazer cumprir e trabalhar de acordo com as recomendações contidas nos manuais de instruções;
• Solicitar a revisão gratuita de 400 horas, obrigatoriamente com antecedência de 15 dias do prazo;
• Manter o equipamento, assim como todos os manuais de instruções em perfeito estado de conser-
vação.

ATENÇÃO
Ao solicitar a revisão, é indispensável que o proprietário ou responsável apresente ao Repre-
sentante Jacto, o comprovante da Entrega Técnica.
A falta de apresentação deste material, cancela automaticamente o direito à garantia.
A fim de manter o equipamento em boas condições, é importante também, que após o venci-
mento da garantia, o equipamento continue sendo inspecionado pelo representante da Jacto.

Assim como fazemos com nosso produto, nossos fornecedores fazem com os deles. É muito
importante para fazer valer o seu direito à garantia, trabalhar dentro das recomendações contidas
nos manuais de instruções. Esteja atento às informações contidas nos manuais do motor, bomba
injetora entre outras.

IMPORTANTE: A não execução da revisão, solicitação da revisão fora do período de garan-


tia, assim como a não apresentação dos impressos referentes à garantia implicará na suspen-
são da garantia aqui anunciada.

Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

3
TERMO DE GARANTIA

Máquinas Agrícolas Jacto S.A. concederá ao comprador original a garantia de peças ou com-
ponentes que, em serviços e usos normais, apresentarem defeitos de fabricação ou de matéria-
GARANTIA

prima devidamente comprovados pela Jacto, obedecendo as seguintes regras:

PRAZO DE GARANTIA: 06 (seis) meses ou 1200 horas, prevalecendo o que vencer primeiro,
contados da data registrada no Certificado de Entrega Técnica.

APLICAÇÃO DA GARANTIA: As peças substituídas nesse regime serão de propriedade da Jacto.

PERDA DA GARANTIA:
Cessarão os efeitos da garantia, quando forem constatadas quaisquer das seguintes
causas:
Mau uso do equipamento contrariando as instruções técnicas dos manuais;
Abusos, sobrecargas ou acidentes, consertos ou desmontagem dos componentes por
pessoas não autorizadas;
Contaminação dos circuitos hidráulicos por impurezas ou fluidos não recomendados;
Operação ou manejo por pessoas inabilitadas, negligência na manutenção ou modifi-
cações introduzidas que afetem o funcionamento, estabilidade e segurança do equipa-
mento.
Uso de peças e componentes não fornecidos pela Jacto;
Alteração do equipamento ou de qualquer característica do projeto original;
Alteração, destruição ou perda da plaqueta de identificação do equipamento ou de
seus componentes;
Preenchimento incorreto ou incompleto da requisição de garantia.
Cessarão ainda os efeitos da garantia, quando ocorrer a utilização do pulverizador
em condições adversas, contrariando as instruções da Jacto, tais como: aplicar velocida-
des acima das recomendadas, transpor terraços de base larga, sobrecarga de trabalho,
acidentes, etc.).

ITENS EXCLUÍDOS DA GARANTIA:


Todas as despesas relativas a óleos do sistema hidraúlico, óleos lubrificantes, fil-
tros, graxas e similares, deslocamento de pessoal, reboque, transporte, socorro, danos
materiais e/ou pessoais causados ao comprador ou terceiros, mobilização da máquina,
manutenção normal (reapertos, limpezas, lavagem, lubrificação, regulagens, etc.) serão
de responsabilidade exclusiva do comprador.
Excluem-se ainda, pneus e câmaras de ar, bateria, componentes elétricos, motor,
motor de partida, bomba injetora, alternador, etc., que são sujeitos às condições de ga-
rantia proporcionadas por seus fabricantes.
Revisões adicionais solicitadas pelo cliente, mesmos dentro do período de garantia,
estão sujeitas a cobrança, seguindo o critério de cada revendedor ou representante;
Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

4
GENERALIDADES:
A garantia das peças e dos componentes substituídos extingue-se com o prazo de garantia do
equipamento.
É facultado à Jacto revisar, modificar ou aperfeiçoar, descontinuar ou alterar a máquina e seus
componentes, a qualquer tempo, bem como as condições aqui inseridas, sem incorrer em qualquer
responsabilidade ou obrigação para com o comprador ou terceiro.

GARANTIA
A responsabilidade da Jacto é restrita aos termos da presente garantia, que é intransferível,
cessando automaticamente quando a máquina for cedida ou revendida.
Atrasos eventuais na execução dos serviços não conferem direito ao proprietário à indenização
e nem à extensão do prazo de garantia;
Qualquer sugestão, dúvida ou reclamação, favor dirigir-se ao SERVIÇO DE ATENDI-
MENTO AO CLIENTE: Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 - 17580-000 - Pompéia - SP - Fone:
(14) 3405-2183/2228 ou ligue grátis 0800-151811 - Fax: (14)3 452-1012 - E-mail: assistencia.tecnica@jacto.com.br.

MÁQUINAS AGRÍCOLAS JACTO S.A.

Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

5
PULVERIZADOR UNIPORT

Nota Fiscal nº: Nº da Máquina:

Nº da Série: Nº Motor:

Nome da Fazenda:
GARANTIA

Proprietário:

Endereço:

Município: Estado:

GPS JACTO TRIMBLE

Modelo:

Nº de série da antena:

Nº de série da barra de luzes:

ENTREGA TÉCNICA

Representante Jacto:

Data: / / .

Assinatura do técnico

REVISÃO DE 400 HORAS

Representante Jacto:

Data: / / .

Capítulo 7
UNIPORT Assinatura do técnico
2500 STAR

6














ENTREGA TÉCNICA (X) OBS.




MOTOR, SISTEMA DE INJEÇÃO, ELEMENTOS



FILTRANTES E BATERIA

- Orientar o proprietário ou responsável pelo equipa-



mento sobre os períodos de manutenção recomenda-



dos nos manuais de instruções dos fabricantes. . ( ) ......................................................................................................

GARANTIA

PARTIDA E OPERAÇÃO

- Pressão do óleo: verifique se a luz de aviso se apaga de



1 a 2 segundos depois da partida. ......................... ( ) ......................................................................................................



- Verifique o funcionamento da direção. ................ ( ) ......................................................................................................



- Verifique o funcionamento dos freios. ................ ( ) ......................................................................................................



- Alternador: acelere e verifique se a luz de aviso



se apaga. ............................................................. ( ) ......................................................................................................



- Verifique tensão das correias do ventilador, e o funcio-



namento do ar condicionado. ............................... ( ) ......................................................................................................



- Teste o funcionamento do ar condicionado ..... ( ) ......................................................................................................



SISTEMA HIDRÁULICO DA MÁQUINA


- Verifique o nível do óleo hidráulico. ................... ( )


......................................................................................................

- Teste abertura e fechamento das barras: ............. ( ) ......................................................................................................



- Verifique se não há vazamento no circuito. ......... ( ) ......................................................................................................



- Teste o agitador mecânico do tanque. ................. ( ) ......................................................................................................



SISTEMA HIDRÁULICO DE DEFENSIVOS



- Verifique o nível de óleo da bomba de defensivo. ( ) ......................................................................................................



- Verifique, corrija defeitos no circuito de defensivo.( )



- Teste o JMC-1000, as funções e a programação. ( ) ......................................................................................................



- Teste a pressão do circuito de defensivo. ........... ( ) ......................................................................................................



MÁQUINA ......................................................................................................

- Aspectos visuais: vazamentos de óleo e água, pintura



detalhes visuais. .................................................. ( )



- Entrega dos Manuais de Instruções e funcionamento dos ......................................................................................................



componentes. ...................................................... ( )

- Verifique a caixa de acessórios. .......................... ( ) ......................................................................................................



- Verifique o funcionamento da suspensão pneumáti- ......................................................................................................


ca ........................................................................ ( )

......................................................................................................

GPS JACTO TRIMBLE



- Modelo: ........................................................... - Nº de série da antena: ..................................................................



- Nº de série da barra de luzes: ...........................





Revenda:________________________________________ Proprietário:___________________________________

CGC/CPF.:____________________________________
Cidade:____________________________________UF:___

Endereço:_____________________________Nº:______

Equipamento:_____________________________________
Cidade:______________________________UF:______

Modelo:______________________________Nº:_________ CEP:__________________________CxP:___________

Horimetro:_______________________Data:____/____/___

Capítulo 7

Assinatura do proprietário

Certifico que a Entrega Técnica foi feita de acordo com as UNIPORT


instruções do manual do produto.


Assinatura do Técnico Carimbo/Revenda 2500 STAR




DESTACAR E ENVIAR AO DEPTO. DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA DA JACTO.


7









IMPORTANTE: Para valer o direito à garantia, é necessário que as revisões sejam feitas dentro
dos prazos estabelecidos.
É necessário enviar este impresso devidamente preenchido para:

MÁQUINAS AGRÍCOLAS JACTO S.A. - DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA


Rua Dr. Luiz Miranda, 1650
17580-000 - Pompéia - SP - Brasil
GARANTIA

Tel.: (14) 3405-2183/2228 - Fax: (14) 3452-1012


e-mail: assistencia.tecnica@jacto.com.br

Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

8














REVISÃO 400 HORAS (X) OBS.




MOTOR, SISTEMA DE INJEÇÃO, ELEMENTO



FILTRANTE E BATERIA

- Verificar se os itens constantes nos manuais de instruçãoe



dos copmponentes acima referidos estão sendo cumpridos



de acordo com as recomendações dos fabricantes ...... ( ) ......................................................................................................

GARANTIA

RODAS E EIXOS DE DIREÇÃO



- Rodas: comprove o aperto das porcas. ................... ( ) ......................................................................................................



- Pneus: verifique a pressão recomendada e a posição das


garras se estão devidamente posicionadas de acordo com seta



indicativa nos pneus: livre ou tração. ............................ ( ) ......................................................................................................



- Cubos dianteiros: lubrifique.Verifique alinhamento dos


pneus dianteiros/direção. ........................................... ( ) ......................................................................................................



TRANSMISSÃO E SUSPENSÃO

- Caixa de câmbio: verifique o nível de óleo ........... ( ) ......................................................................................................



- Diferencial: verifique o nível de óleo. ................... ( ) ......................................................................................................


- Redução traseira: verifique o nível de óleo ........... ( ) ......................................................................................................



- Verifique o funcionamento da susp. pneumática .. ( ) ......................................................................................................



- Cardã Câmbio - Diferencial ..................................... ( ) ......................................................................................................


- Cardans Diferencial - Reduções Traseiras ............... ( ) ......................................................................................................



PARTIDA E OPERAÇÃO

- Pressão do óleo: verifique se a luz de aviso se apaga de 1


a 2 segundos depois da partida. .................................. ( ) ......................................................................................................



- Verifique o funcionamento da direção. ................... ( ) ......................................................................................................



- Verifique o funcionamento dos freios e o estado das


pastilhas. ..................................................................... ( ) ......................................................................................................



- Alternador: acelere e verifique se a luz de aviso



se apaga. ..................................................................... ( ) ......................................................................................................


SISTEMA HIDRÁULICO DA MÁQUINA



- verfique o óleo hidráulico e o elemento filtrante. ( ) ......................................................................................................



- Teste abertura e fechamento das barras: ................ ( ) ......................................................................................................



- verifique se não há vazamento no circuito. ........... ( ) ......................................................................................................


- Teste o agitador mecânico do tanque. .................... ( ) ......................................................................................................



SISTEMA HIDRÁULICO DE DEFENSIVOS



- Troque o óleo da bomba de defensivo. ................... ( ) ......................................................................................................


- Verifique, corrija defeitos no circuito de defensivo. ( ) ......................................................................................................



- Teste o JMC 1000, as funções e a programação. .. ( ) ......................................................................................................



- Teste a pressão do circuito de defensivo. ............... ( ) ......................................................................................................


MÁQUINA

- Aspectos visuais: vazamentos de óleo e água,



detalhes visuais. .......................................................... ( ) ......................................................................................................






Revenda:________________________________________ Proprietário:___________________________________

CGC/CPF.:____________________________________
Cidade:__________________________________UF:_____

Endereço:_____________________________Nº:______

Equipamento:_____________________________________

Cidade:______________________________UF:______

Modelo:______________________________Nº:_________ CEP:__________________________CxP:___________

Horimetro:_______________________Data:____/____/____

Capítulo 7

Assinatura do proprietário

Certifico que a Entrega Técnica foi feita de acordo com as UNIPORT



Assinatura do Técnico Carimbo/Revenda instruções do manual do produto. 2500 STAR




DESTACAR E ENVIAR AO DEPTO. DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA DA JACTO.


9









IMPORTANTE: Para valer o direito à garantia, é necessário que as revisões sejam feitas dentro
dos prazos estabelecidos.
É necessário enviar este impresso devidamente preenchido para:

MÁQUINAS AGRÍCOLAS JACTO S.A. - DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA


Rua Dr. Luiz Miranda, 1650
17580-000 - Pompéia - SP - Brasil
GARANTIA

Tel.: (14) 3405-2183/2228 - Fax: (14) 3452-1012


e-mail: assistencia.tecnica@jacto.com.br

Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

10
REGISTRO DAS VISITAS DO TÉCNICO
Data nº horas Ocorrências Técnico/Revenda

GARANTIA

Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

11
REGISTRO DAS VISITAS DO TÉCNICO
Data nº horas Ocorrências Técnico/Revenda
GARANTIA

Capítulo 7
UNIPORT
2500 STAR

12
J M C 1 0 0 0 / 4
C O N T R O L A D O R E L E T R Ô N I C O D E P U LV E R I Z A Ç Ã O

M A N U A L D E I N S T R U Ç Õ E S
MANUAL DE OPERAÇÃO, CALIBRAÇÃO E MANUTENÇÃO

INTRODUÇÃO
Parabéns,

Você acaba de adquirir um equipamento de alta tecnologia. Este equipamento vai ajudá-lo,
facilitando o trabalho de tratamento fitossanitário e, conseqüentemente, aumentará a produtividade
de sua lavoura.
Com o CONTROLADOR ELETRÔNICO DE PULVERIZAÇÃO JMC 1000/4, o operador
não necessita mais gastar um longo tempo regulando e conferindo constantemente o equipamento.

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE PULVERIZAÇÃO - Modelo JMC 1000/4

Trata-se de um sistema que regula automaticamente o pulverizador e mantém constante a


quantidade de líquido distribuída por unidade de área, independentemente das variações de velocida-
des de trabalho na mesma marcha. A faixa de velocidade recomendada para o JMC 1000/4 é de 3,5
a 40 Km/h (Esta é uma característica do JMC 1000/4. A velocidade recomendada para o Uniport
2500 Star é de no máximo 18 Km/h durante a pulverização).
Com a introdução do JMC 1000/4, o agricultor ganha tempo e economiza produto químico.
Erros de 10% são praticamente inevitáveis nas regulagens manuais, que são por tentativa e acerto.
Além do erro na regulagem, as variações de velocidades do Uniport também afetam o resultado. O
JMC 1000/4 compensa todas as variações na velocidade de trabalho do equipamento e mantém o
volume de líquido sempre constante por unidade de área. A utilização do JMC 1000/4 fornece uma
variação de até 5% somente no cálculo da área, isto significa que não compromete o volume do
líquido aplicado por unidade de área, pois são cálculos distintos. Sendo esta variação obtida pelo
computador devido as condições adversas, tais como: pressão dos pneus, terreno de pulverização
arenoso, máquinas passando por terraço, deslizamento dos pneus, etc.
Com o JMC 1000/4, o operador necessita informar ao computador quantos litros de calda
pretende aplicar por hectare e o controlador fará a regulagem da pressão dependendo da velocidade
de trabalho para garantir os litros de calda ajustada; é importante ressaltar que para esta regulagem,
é necessário que todo o circuito defensivo esteja bem limpo e os parâmetros de velocidade, vazão,
pressão e etc. estejam todos aferidos (calibrados).
Além de regular automaticamente o pulverizador, o JMC 1000/4 fornece ao agricultor importan-
tes dados para administrar a operação de aplicação de defensivos. Com um simples toque nas
chaves, o monitor passa a fornecer as seguintes informações: média do trabalho, tempo de opera-
ção, distância percorrida pulverizando, litros aplicados por minuto, área parcial tratada, área total
tratada, volume parcial aplicado e volume total aplicado. Todas essas informações são extremamen-
te úteis para a administração da tarefa de tratamento fitossanitário e tomada de decisões. Durante a
operação, o monitor indica ininterruptamente a função escolhida pelo operador, pressão de trabalho,
velocidade de trabalho, volume aplicado (L/ha) e o status da barra de pulverização.

IMPORTANTE: O circuito eletrônico desse equipamento é alimentado pela bateria, antes de


qualquer intervenção nesse circuito afim de manutenção retire os cabos dos terminais da bateria
começando pelo o polo negativo, dessa forma evitaremos faiscas e possíveis curtos circuitos.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

3
VA N TA G E N S D O U S O D O C O N T R O L A D O R E L E T R Ô N I C O J M C 1 0 0 0 / 4

1 • Simplifica a regulagem do pulverizador, eliminando as operações de medir a velocidade de traba-


INTRODUÇÃO

lho e cálculos de calibração.


NOTA: A cada troca de bicos ou semanalmente, é recomendável verificar se a vazão real
dos bicos na barra corresponde à vazão registrada no display do controlador, (Função: Prog /
cal. Vazão). Este procedimento está descrito no item: PROGRAMAÇÃO DO CONTROLADOR
ELETRÔNICO “Calibração da Vazão”.

2 • Aumenta substancialmente a precisão da regulagem.


3 • Compensa automaticamente as variações da velocidade de trabalho.
4 • Compensa automaticamente as variações na vazão dos bicos, causada por desgaste ou variações de pressão.
5 • Fornece ao operador uma série de importantes informações operacionais.
6 • Elimina a dependência do uso do manômetro, como referência de pressão e vazão.

CONTROLADOR ELETRÔNICO JMC 1000/4 NO UNIPORT

• No UNIPORT 2500 STAR o controlador eletrônico é alimentado pela bateria do sistema elétrico.
Esse sistema é composto de:
• Computador JMC 1000/4;
• Comando de pulverização Masterflow com sensor de vazão e pressão;
• Sensores de roda;
• Chicotes de ligações;
• Bomba JP. Comando de pulverização Masterflow

Computador JMC 1000/4

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

4
CONTROLADOR
CAPÍTULO JMC 1000/4
Aprendendo a usar o controlador de pulverização 07
• Painel do controlador de pulverização 07
• 1 - Chave “Automático/Manual” 07
• 2 - Chave “Função” 08
• 3 - Funções disponíveis no display 08
• 4 - Visor de cristal líquido 09
• 5 - Chave “+/-” 09

ÍNDICE
• 6 - Chave “Zerar / Mem.” 10
• Função sensor de barras (Modo de operação) 11
• Alarmes e visualização de erros 13
CALIBRAÇÃO DO CONTROLADOR ELETRÔNICO 16
• Calibração dos segmentos do comando eletrônico de pulverização 16
PROGRAMAÇÃO DO CONTROLADOR ELETRÔNICO 19
• Acessando a programação do controlador eletrônico JMC 1000/4 19
• Calibração da constante do medidor de vazão (cal. vazão) 20
• Calibração da velocidade 23
• Erros que podem ocorrerdurante a calibração dos sensores que medem a velocidade 24
• Calibração do comprimento dos segmentos 25
• Calibração da pressão 27
• Teste / Configuração 28
• Teste roda / vazão 28
• Verificando os sensores de roda 28
• Verificando o funcionamento do sensor de vazão 28
• Verificando o funcionamento do motor de comando 28
• Alarme do motor 29
• Teste de nível 30
• Teste bomba JP 30
• Velocidade mínima 31
• Sensor de barras 32
• Calibração e teste sensor de barras 33
• Calibrando a leitura dos sensores 33
• Calibrando a função - Altura Plantas 34
• Acessando a função “Teste/Config” do sensor de barras 34
• Método de controle 42
• Sistema 42
• Idioma 43
• Iluminação do painel 43
• Iluminação do display 44
ALARMES E VISUALIZAÇÃO DE ERROS QUE PODEM OCORRER DURANTE A UTILI-
ZAÇÃO DOS SENSORES DE ALTURA DAS BARRAS 45 Capítulo 8
• Instalação dos sensores de barras 47 UNIPORT
2500 STAR

5
CONTROLADOR
• Ajuste manual da pressão 49
• Diagnóstico de alarmes na programação/calibração 51
• Diagnóstico de defeitos no modo operação do JMC 1000/4 Parte I 52
• Diagnóstico de defeitos no modo operação do JMC 1000/4 Parte II 53
• Diagnósticos de problemas eletrônicos no computador JMC 1000/4 54
ÍNDICE

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

6
CONTROLADOR
A P R E N D E N D O A U S A R O C O N T R O L A D O R D E P U LV E R I Z A Ç Ã O

Para realizar o controle de pulverização, o controlador eletrônico JMC 1000/4 mede a velocida-
de de deslocamento da máquina (km/h) e a vazão (L/min) do produto que está sendo aplicado.
O computador calcula o volume que está sendo aplicado (L/ha). Caso o volume não seja igual
ao valor desejado, ele aumenta ou diminui a rotação da bomba para ajustar a vazão (L/min.) ou
altera a posição do regulador de pressão, até encontrar o valor solicitado.
Caso o computador JMC 1000/4 não consiga corrigir de forma precisa o volume de pulveriza-
ção através do aumento ou diminuição da rotação da bomba ou da mudança de posição do regula-
dor de pressão, um alarme sonoro indicará a falha.
Para ter acesso às informações do controlador no pulverizador Uniport, basta girar chave de
partida do equipamento (não é necessário dar partida no motor diesel).

PA I N E L D O C O N T R O L A D O R D E P U LV E R I Z A Ç Ã O

1 2

5 3

1 • C H AV E " A U TO M Á T I C O / M A N U A L "

POSIÇÃO MANUAL: Nesta posição a pulverização deve ser


feita com a mesma velocidade que o
equipamento foi calibrado para traba-
lhar em modo “manual”.

POSIÇÃO AUTOM.: Nesta posição o comando Masterflow e


a rotação da bomba JP são controlados
eletrônicamente, ou seja, o sistema mantém
o volume de aplicação L/ha sempre constante.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

7
CONTROLADOR
2 • C H AV E " F U N Ç Ã O "

Esta chave é usada para visualizar as funções disponíveis no visor do


controlador. Seu acionamento para cima ou para baixo avança ou recua na
busca das funções.
A função escolhida aparecerá na linha superior do "display". Observe
que, ao ligar o computador JMC 1000/4, a função que aparece na primeira
linha do visor será: TEMPO. Note também que, quando a função
escolhida for: L/ha e o tempo for maior que 30 segundos sem alterar
esta chave, o computador muda de função, passando para a função TEM-
PO.
O recurso de mudar a função automaticamente foi criado para evitar
que o valor, por acidente, seja alterado quando a função (L/ha) não estiver
sendo utilizada.

3 • F U N Ç Õ E S D I S P O N Í V E I S N O " D I S P L AY "

As funções disponíveis no display são acessadas através do acionamento da chave função


(CHAVE Nº2).
• TEMPO: Tempo real de pulverização (horas, minutos e segundos)
• DISTÂNCIA: Distância percorrida em regime de pulverização (km)
• LITROS POR MINUTO: É o fluxo que passa pelo medidor de vazão em um minuto (L/min).
• ÁREA PARCIAL: Indica a área trabalhada pela máquina (ha). Esta função pode ser utilizada
para registrar a área trabalhada, por dia, por talhão, etc.
• ÁREA TOTAL: Indica a área total acumulada em hectares (ha). Esta função pode ser utiliza-
da para registrar a área trabalhada por longos períodos.
• VOLUME PARCIAL: Indica a quantidade de calda aplicada (litros). Esta função pode ser
utilizada para indicar a quantidade de calda aplicada por dia, por talhão, etc.
• VOLUME TOTAL: Esta função indica a quantidade de calda aplicada por longos períodos.
• LITROS POR HECTARE DESEJADO: Nesta função programa-se o valor desejado em L/
ha.
• MÉDIA: Durante a pulverização, o controlador calcula as médias da pulverização (L/ha) e da
velocidade (Km/h). Sempre que reiniciar o trabalho, estes valores são apagados para o novo regis-
tro. O tempo mínimo de trabalho necessário para que o controlador calcule a média é de 30 segun-
dos.
• SENSOR DE BARRAS: Através desta função, o operador ajusta a altura das barras e auto-
maticamente o controlador eletrônico trata de mantê-las ajustadas, conforme medida pré-estabelecida,
durante a pulverização.
ATENÇÃO: Para as máquinas que não possuem os sensores de barras, ao selecionar essa
função, no visor aparecerá a mensagem “Sensor de barras - Módulo ausente ou desligado”.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

8
CONTROLADOR
4 • V I S O R D E C R I S TA L L Í Q U I D O

Para facilitar a explicação dos valores que aparecem no visor, o dividimos em 4 partes e cada
uma recebeu um nome: A-B-C-D.
A

B D

A • Neste espaço aparece a função que foi acessada pela chave “Função” juntamente com o valor
correspondente a esta função. No canto superior esquerdo está escrito manual indicando que se
a chave “Automático/Manual” está na posição “Manual”.
B • Neste espaço aparece o valor correspondente à pressão em lbf/pol² (PSI).
C • Neste espaço é registrada a velocidade de deslocamento (km/h). Quando a função escolhida for
“MÉDIA”, o valor neste campo ficará piscando.
D •Neste espaço aparece o valor instantâneo de L/ha que está sendo aplicado. Quando a
função escolhida for “MEDIA”, o valor neste campo ficará piscando.

IMPORTANTE: Nas laterais do visor do JMC 1000/4 aparecem as funções de cada chave.

5 • CHAVE “+ / -”

Esta chave “+/-”,serve para aumentar ou diminuir o valor dos dados


de algumas funções como “L/ha e Sensor de barras”. Por exemplo: Es-
tando na função “L/ha”, acione a chave “+/-” para cima ou para baixo até
atingir o volume desejado.
O valor inserido no visor, conforme descrito nesta operação, corresponde
ao volume da aplicação (L/ha) que o controlador irá ajustar após o cumpri-
mento das outras etapas da regulagem, isto também se aplica as outras
funções descritas anteriormente.

Capítulo 8
NOTA: Para o exemplo citado acima, os valores da função L/ha variam entre 15 e 2000 (L/ha). UNIPORT
2500 STAR

9
CONTROLADOR
6 • C H AV E “ Z E R A R ” O U “ M E M . ”

Com exceção dos valores “L/ha, L/min e Sensor de barras”, esta chave zera todos os demais
valores obtidos através da chave “Função”.

NOTA: Para zerar, é necessário aguardar 3 segundos com a chave acionada para cima.

Exemplo de uso desta chave:


Após um período de trabalho, pode-se saber qual a distância percorrida pulverizando, o número
de hectares tratados, o volume de calda aplicada, etc.
Posicionando a chave “Função” em “Volume Total”, como também em “Volume Parcial”, note
que os valores são idênticos.
Caso tenha que mudar de área e queira saber qual será o volume aplicado, posicione a chave
“Função” em “Volume Parcial”. Em seguida, através desta chave, zere este valor.
Faça a aplicação e note que em “Volume Total” o valor continuará a ser acumulativo e em
“Volume Parcial” o valor será somente o valor aplicado na área que você monitorou.
Estando dentro da função sensor de barras no modo de operação, ao acionar essa chave para
baixo iniciará o processo de nivelamento da barra.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

10
FUNÇÃO SENSOR DE BARRAS ( MODO DE OPERAÇÃO)

Trata-se de uma função onde o operador faz todos os ajustes para que as barras de

CONTROLADOR
pulverização trabalhe em uma altura pré-estabelecida. Daí para frente, o sistema mantém
a altura das barras sempre constante, durante a pulverização sem a interferência do ope-
rador.
Isto é possível por causa dos oito sensores distribuidos pelas barras. Estes sensores
fazem a leitura da altura de pulverização , que pode variar de 0,50 a 1,20 metros de altura.
ACESSANDO A FUNÇÃO SENSOR DE BARRAS

Ao acionar a função “Sensor de barras” aparecerá no visor do JMC 1000/4 as seguintes informa-
ções:
- Por aproximadamente 4 segundos aparecerá no visor a informação de como está configurado o
sensor de barras. Esta tela é somente informativa, as alterações de regulagem deverão ser feitas
durante a programação do sensor de barras.

- Ao final desses 4 segundos, o JMC 1000/4 mudará automaticamente para a tela operacional do
sensor de barras.
- Nesta tela o operador pode programar a medida da altura das barras utilizando a chave “+/-”;
para esta operação, a chave “Manual/Automático-Sensor de barras” pode estar em qualquer posi-
ção.

interruptor
“Manual/Automático do Sensor de barras”
- Após definir a altura das barras, é necessário posicioná-las na medida que já foi programada
(conforme citado acima). No momento em que o operador desejar ajustar (nivelar) a altura das
barras, deve-se posicionar a chave “Automático/Manual-Sensor de barras” na posição “Automáti-
co” e acionar a chave “Zerar” para baixo. Esse ajuste (nivelamento) deve ser realizado na própria
cultura, senão os sensores farão a leitura de um solo diferente do que a máquina vai trabalhar.

ATENÇÃO: Ao realizar uma curva com o equipamento, onde a situação exija que as
barras sejam levantadas ou durante o transporte e deslocamento da máquina fora da
Capítulo 8
cultura, posicione a chave “Automático/Manual-Sensor de barras” em manual.
UNIPORT
2500 STAR

11
Os símbolos que aparecem nesta tela, têm os seguintes significados:
- seta indicada para cima: indica que os sensores estão ajustando a barra de pulverização
para cima conforme medida determinada pelo operador;
CONTROLADOR

- seta indicada para baixo: indica que os sensores estão ajustando a barra de pulverização
para baixo conforme medida determinada pelo operador;
- traços (-) : significa que as barras de pulverização estão posicionadas na altura que foi
programada;
- traço do meio: significa que a altura do quadro móvel está na medida correta;
- letra “M” ou “A” no canto inferior esquerdo do visor: indica que a chave “Automático/
Manual” do painel de comando de serviço está na posição Automático (A) ou Manual (M);

O sistema para ajuste automático da altura das barras é um item opcional de venda, portanto se o
equipamento for adquirido sem esse sistema, ao acessar a função “Sensor de barras” do JMC 1000/4,
aparecerá no visor a mensagem: “Módulo ausente ou desligado”.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

12
ALARMES E VISUALIZAÇÃO DE ERROS QUE PODEM OCORRER DURANTE

CONTROLADOR
A UTILIZAÇÃO DO CONTROLADOR JMC 1000/4

OBS.: Os alarmes assim como os erros serão apresentados quando a máquina estiver operando
com o controlador na posição "Automático ou manual".
Caso algum alarme ocorra, para que o "Controlador Eletrônico JMC 1000/4” continue
funcionando normalmente, é necessário comutar a chave “AUTOMÁTICO/MANUAL”, para a
posição manual. Após solucionado o problema, comutar novamente a chave para a posição auto-
mático. Se seguir na posição manual, ocorrerá um alarme (sinal sonoro) por 20 segundos. Na tela
de erro aparece a descrição do problema juntamente com um ícone (!), veja exemplo abaixo:

1º ERRO BATERIA VOLT. ALTA

possível causa • Problema no circuito elétrico da máquina


(regulador de voltagem do alternador).

2º ERRO BATERIA VOLT. BAIXA

possível causa • Problema no circuito elétrico da máquina


(regulador de voltagem do alternador).

3º ERRO CONTROLE LIMITE P. ALTA (pressão)

possível causa • Volume de pulverização não compatível com a


velocidade de trabalho e tipo de bico.

4º ERRO CONTROLE LIMITE P. BAIXA (pressão)

possível causa • Volume de pulverização não compatível com a


velocidade de trabalho e tipo de bico.

5º ERRO DE VAZÃO OU BOMBA SEM ÁGUA

possíveis causas • Problemas no medidor de vazão.


• Máquina funcionando muito tempo com falta
de água no tanque.

6º ERRO DE AJUSTE DOS SEGMENTOS

possíveis causas • Erro de regulagem da área calibrada (retorno)


dos segmentos do comando Masterflow.
• Alguns bicos fechados ou entupidos.

7º ERRO DE CONTROLE AUTOMÁTICO

possível causa • O JMC 1000/4 não está mantendo precisão no


controle. Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

13
8º ERROS MEMÓRIA
CONTROLADOR

CAL. 0 (ZERO)
possível causa • Perda total da memória.
solução • Realizar novamente toda a calibração do JMC
1000/4. Se necessário chame a Assistência
Técnica mais próxima.
CAL. 1
possível causa • Perda da constante de vazão.
solução • Realizar novamente a “Calibração da vazão”.
CAL. 2
possível causa • Perda da constante de velocidade.
solução • Realizar novamente a “Calibração da velocida
de”.
CAL. 3
possível causa • Perda dos valores dos comprimentos dos seg-
mentos.
solução • Realizar novamente a “Calibração do compri
mento dos segmentos”.
CAL. 4
possível causa • Perda da constante da pressão.
solução • Realizar novamente a “Calibração da pressão”.
CAL. 5
possível causa • Valor dos L/ha fora da faixa permitida.
solução • Corrigir o valor e mantê-lo dentro da faixa permi
tida (mínimo: 15L/ha - máximo: 2000L/ha).

9º LIMITE DE VELOCIDADE MÁXIMA

possível causa • Velocidade da máquina acima de 40km/h.

10º ALARME DESLIGAR SENSOR BARRA AUTOMÁTICO.

função • Este alarme aparece quando estiver fechando as


pontas das barras com a chave “Manual / Automá-
tico” do sensor de barras na posição automático,
para lembrar o operador de comutar imediatamente
a chave do sensor de barras para a posição ma
nual, antes de iniciar o fechamento das pontas das
barras.

11º ERRO DE TRANSMISSÃO OU SENSOR DE BARRAS DESL.

possível causa • Falha de comunicação entre o JMC 1000/4 e o


sensor de barras.

12º VELOC. MÍNIMA P/ CONTROLE AUT.

possível causa • Máquina pulverizando no limite de velocidade mí


nima programado no setup (em função de cada
tipo de bico).

ATENÇÃO: Diante das tentativas de realizar a partida do motor, caso algum dos alarmes da
interface, ou o alarme de sensor de neutro encontrarem-se desligados, o JMC 1000/4 avisará que
o mesmos encontram-se desligados. Com os alarmes desligados, o sistema não alertará diante de
alguma possível falha.

Capítulo 8 Também podem ser apresentadas ainda as seguintes mensagens de advertência ao se ligar o
UNIPORT computador JMC 1000/4.
2500 STAR

14
CONTROLADOR
VEL. MÍNIMA P/ CONTROLE AUT.= xx km/h

possível causa • O computador JMC 1000/4 sinaliza que a função


limite de velocidade mínima para controle está li-
gada e mostra o valor da velocidade mínima pro-
gramado no setup.

SENSOR DE NEUTRO DESLIGADO

possível causa • O computador JMC 1000/4 sinaliza que a função


alarme de neutro está desligada.

ALARME DE MOTOR DESLIGADO

possível causa • O computador JMC 1000/4 sinaliza que a função


alarme do motor (alarmes da interface de sensores)
está com algum alarme desligado.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

15
CALIBRAÇÃO DO CONTROLADOR ELETRÔNICO
CONTROLADOR

Para calibrar a máquina com o controlador eletrônico, é necessário que ela esteja ligada e a
chave “Automático/Manual” esteja posicionada em “Manual”.
Para utilizar o controlador de pulverização, é preciso calibrar o retorno de cada um dos seg-
mentos de pulverização e programar o valor desejado em L/ha na função “L/ha”.
Para que o controlador eletrônico funcione, é necessário que o valor fornecido seja compatí-
vel com os seguintes fatores:
1º • O volume desejado (L/ha) deve estar dentro da faixa de pressão de trabalho recomendada para
o bico que está sendo utilizado.
Por exemplo: para aplicar o volume de 100 L/ha na velocidade desejada (10 km/h) com o bico
API 110.02, é necessário que este bico proporcione a vazão dentro do limite de pressão de 1 a 4 kgf/
cm² (15 a 60 lbf/pol²).
2º • A velocidade de deslocamento (km/h) deve estar dentro da faixa recomendada para o tipo de
bico que está sendo utilizado.

OBS.: Pode acontecer do volume não ser apropriado à velocidade e a pressão do bico. Neste caso,
o operador terá de revisar suas instruções.
Para facilitar este trabalho, junto deste manual, acompanha também um outro que trata sobre
o volume de aplicação dos diferentes tipos de bicos em função da velocidade de deslocamen-
to. Leia-o atentamente e faça as aplicações dentro das faixas especificadas.

CALIBRAÇÃO DOS SEGMENTOS DO COMANDO MASTERFLOW DE


P U LV E R I Z A Ç Ã O

• Certifique-se de que a chave “Aut./Man.” esteja na posição “Man.” - Manual.


• Funcione a máquina.
• Acelere o motor até a rotação de trabalho.

Capítulo 8 IMPORTANTE: Não altere a rotação até o final da regulagem.


UNIPORT
2500 STAR

16
• Dentro da cabine, coloque todas as alavancas do JMC 1000/4 na posição de pulverização e a

CONTROLADOR
chave “Automático/Manual” do painel JMC 1000/4 na posição “manual”.
1- Através da chave de Ajuste Manual da Pressão (nº 1) do comando Masterflow, ajuste uma
pressão de referência (Ex.: 3,5 kgf/cm² - 50 lbf/pol²).
ATENÇÃO: Deixe o volante do regulador de
pressão posicionado na pressão que será a 1
referência para a calibração dos segmentos de
barra (Ex. 50 lbf/pol²).

• Feche a pulverização de um dos 4 segmentos da barra (detalhe A).


• Verifique no manômetro se houve ou não alteração na regulagem da pressão.
• Caso tenha ocorrido, solte o parafuso de trava e aperte ou afrouxe o manípulo que proporciona a
regulagem individual da pressão, até que a pressão no manômetro atinja a pressão de referência/
trabalho (50 lbf/pol²).
Parafuso trava
Manípulo

A Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

17
NOTA: Esta operação deve ser feita no bloco do comando correspondente ao segmento que está
CONTROLADOR

sendo calibrado.

Repita esta operação em todos segmentos até que os quatro estejam com a mesma pressão.

• Feito isto, posicione a chave “Função”do JMC 1000/4 na função “L/ha”.


• Através da chave “+/-”, insira o volume desejado. Ex.: 100 L/ha.
• Passe a chave “Automático/Manual” para a posição (automático) e inicie a aplicação.

OBS.: Caso seja preciso alterar a velocidade de trabalho, note que o controlador ajustará a
pressão para que o volume seja mantido (100 L/ha).
Se durante esta operação houver incompatibilidade entre o volume, a velocidade e a pres-
são, o controlador emitirá um sinal sonoro indicando falha de controle.

LEMBRE-SE: Trabalhe sempre de acordo com as indicações do manual e dos bicos.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

18
PROGRAMAÇÃO/CALIBRAÇÃO DO CONTROLADOR ELETRÔNICO JMC 1000/4

O Controlador Eletrônico JMC 1000/4 já vem programado de fábrica.

PROGRAMAÇÃO
Caso tenha que alterar a “PROGRAMAÇÃO/CALIBRAÇÃO” ou mesmo fazer a manuten-
ção eletrônica do mesmo, acesse a área de “Prog./Cal.” conforme descrito a seguir.

3 2

Chave 1 - FUNÇÃO - Esta chave acessa a calibrações, testes e alarmes que deverão ser
programados ou verificados.
Chave 2 - ZERAR/MEM. - Através desta chave ajustamos o valor da constante da calibração
de velocidade e memorizamos todos os valores das constantes inseridas nas demais calibrações.
Chave 3 - MAIS/MENOS (+/-) - Utilizando essa chave, alteramos os valores númericos das
constantes e das calibrações, bem como, a navegação entre as funções existentes de acordo com
recomendação de cada calibração, por exemplo: “use +/- para ajuste”.
ACESSANDO A PROGRAMAÇÃO/CALIBRAÇÃO (PROG./CAL.)

Com a máquina funcionando e a chave “Automático/Manual” posicionada em manual, o acesso


a “Programação/Calibração” é realizado da seguinte forma:
- Posicione a chave “Função” para baixo e a chave “Zerar” para cima, simultaneamente, por 10
segundos. Note que no visor aparecerá um menu com as calibrações que podem ser conferidas e/ou
programadas, juntamente com os testes de alguns sensores e alarmes existentes.
- As calibrações, testes e alarmes existentes na “Calibração”(programação/calibração) são:

1. “Cal. Vazão (calibração da vazão)” - programação dos valores relacionados a vazão de


todos os bicos ao longo das barras;
2. “Cal. Velocidade (calibração da velocidade)” - ajuste do valor da constante de veloci-
dade;
3. “Cal. Comprimento dos Segmentos (calibração do comprimento dos segmentos)”
- programação do comprimento de cada segmento das barras de pulverização;
4. “Cal. Pressão (calibração da pressão)” - ajuste da pressão apontada pelo manômetro
com a pressão registrada pelo computador JMC 1000/4;
5. “Teste / Configuração” - permite fazer testes de sensores e outros componentes do
sistema e permite também alterar algumas configurações.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

19
REALIZANDO AS CALIBRAÇÕES, TESTES E FUNCIONAMENTO DOS ALARMES

1 • CALIBRAÇÃO DA CONSTANTE DO MENDIDOR DE VAZÃO (CAL. VAZÃO)


PROGRAMAÇÃO

NOTA: Antes de calibrar o medidor de vazão, limpe e lave o circuito de defensivo da máquina
(tanque, tubulações, comando de defensivo, bicos, filtros, etc.). Para essa calibração o tanque deve
estar abastecido somente com água.
O medidor de vazão é um mecanismo montado na linha de pressão da máquina que mede a
vazão em litros/minuto de calda que passa pelo comando de defensivo em direção às barras de
pulverização. A constante do medidor de vazão é a relação de pulsos por litro que sai nos bicos de
pulverização.
ATENÇÃO: Este valor varia de um mecanismo para o outro. No momento de inserir este valor na
memória do controlador, proceda da forma mais precisa possível para evitar erros nas leituras de
vazão e volume de calda aplicada.

Medidor de vazão Sensor do medidor de


vazão.

ATENÇÃO:
Fique atento para que a montagem seja feita
corretamente. O chanfro da peça, deve estar voltado
para entrada de água no comando de defensivo

IMPORTANTE: O medidor de vazão deve ser limpo diariamente ou quando necessário de


acordo com o produto em uso. Para a limpeza utilize água limpa, detergente neutro e uma escova
com cerdas de nylon. Se preferir, utilize ar comprimido mantendo a hélice do medidor a uma
distância mínima de 50 cm do jato do ar. A troca do medidor de vazão deve ocorrer em torno de
400 a 600 horas de trabalho.

INSERINDO O VALOR REFERENTE À CONSTANTE DO MEDIDOR DE VAZÃO NA MEMÓRIA


DO CONTROLADOR
Tendo acessado a “Calibração” conforme indicado anteriormente, proceda:
- Acione a chave “Função” para baixo;
- Note que a “CAL. VAZÃO” está selecionada;
- Em seguida, acione para baixo a chave “Zerar/Mem.”;
- Feito isso, acessaremos um sub-menu da “CALIBRAÇÃO DA VAZÃO”;

- Acione a chave “Função” para baixo, para selecionar a função do sub-menu;


- Selecione a função “L/min” e acione a chave “Zerar/Mem.” para termos acesso aos valo-
Capítulo 8
res L/min “CAL.(calibrado)” e “REAL”;
UNIPORT
2500 STAR

20
- Esses valores correspondem respectivamente a va-
zão em L/min que o computador está lendo e a vazão
em L/min que realmente está saindo nos bicos de pul-

PROGRAMAÇÃO
verização. Note que a checagem desses valores deve
ser realizada com a bomba de defensivo ligada e os
bicos de pulverização abertos, ajustados em uma de-
terminada pressão (ex: pressão de trabalho);
- A calibração dessa função, visa deixar o valor em “L/
min (CAL)” ajustado com o valor em “L/min (REAL)”;
- Com as alavancas do comando de defensivo na posição “Pulverizar”, colete a vazão total
dos bicos nas barras;
OBS.: Mantenha a rotação do motor diesel e a pressão sempre constante durante essa coleta.
- O valor da vazão coletada deve ser igual ao valor dos “L/min (CAL.)” registrado no visor.
Caso seja diferente, é necessário corrigir o valor “L/min (REAL)”;

IMPORTANTE: Verifique se o controlador de fluxo está limpo e colete várias vezes a vazão
para estabelecer uma média mais precisa. Verifique também se não houve variação na rotação
do motor.

- Após coletar a vazão da barra, desligue a pulverização e note que o valor dos “L/min
(CAL.)” é congelado.
- Para alterar o valor dos “L/min (REAL)”, acione a chave “+/-” até atingir o valor desejado.
Ao final, acione a chave “Zerar/ Mem.” ;
- Abra a pulverização novamente e note que os dois valores permanecem iguais, podendo, se
ocorrer, uma pequena variação aceitável de décimos de diferença em função do cálculo realizado
dos litros por minuto coletado nas barras.
- O valor da “Constante (atual)” é corrigido automaticamente quando é feita a calibração dos
litros/minutos.

CALIBRAÇÃO DA VAZÃO (POR CONSTANTE)

- Caso ocorra pane no computador do JMC 1000/4, será necessário passar para o computa-
dor novo, o valor dessa constante;
- Acesse a "Calibração", conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
- Acione a chave “Função” para baixo até selecionar a função de calibração “CAL./VAZÃO ;
- Acione a chave “Zerar” para baixo note que a “CAL. VAZÃO” está selecionada;
- Feito isso, acessaremos um sub-menu da “CALIBRAÇÃO DA VAZÃO”;

Capítulo 8
- Logo após, acione para baixo a chave “Função” para selecionar a função “CONSTANTE”;
UNIPORT
- Estando selecionada a função “CONSTANTE” acione a chave “Zerar/ Mem.” para baixo; 2500 STAR

21
- Ao acionar a chave “Zerar / Mem.”, no visor aparece o valor da “Constante (atual)” junta-
mente com a mensagem “Constante (nova)” com valor zero;
PROGRAMAÇÃO

- Para alterar o valor da “Constante (atual)”, acione a chave “+/-”;


- Na frente da mensagem “Constante (nova)” aparecerá o valor que está sendo programado;
- Memorize esse valor acionando novamente a chave “Zerar/ Mem.” para baixo. Note que o
valor da “Constante (atual)” ficará igual ao número digitado.

- Acionando a chave “Função.” para baixo, voltamos para a tela inicial da “Cal./Vazão”.

Para sair dessa calibração e passar para a próxima, selecione a opção “Sair” e aperte “Zerar/
Mem.”.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

22
2 • CALIBRAÇÃO DA VELOCIDADE (CAL. VELOCIDADE)

Nas rodas dianteiras da máquina (Uniport), estão montados os discos de aço com furos. O

PROGRAMAÇÃO
diâmetro do disco assim como o diâmetro e posicionamento dos furos, são calibrados e devem ser
exatos para o perfeito uso do sistema. Portanto, caso haja necessidade, não tente recuperá-lo, subs-
titua-o por outro original.
Para cada disco montado nas rodas existe um sensor. É em função do número de orifícios que
passa pelo sensor, que se calibra a velocidade de deslocamento da máquina.
Antes de calibrar esta função, é importante verificar as condições e a pressão dos pneus. Os
pneus devem ser originais ou possuir as mesmas características dos originais.
Para cada tipo de equipamento há uma pressão recomendada que deve ser respeitada.

IMPORTANTE: Se os pneus estiverem com a pressão acima ou abaixo da requerida e, mesmo


assim, for realizada a calibração de velocidade, haverá uma variação em relação à constante e à
velocidade real, no momento em que a pressão dos pneus estiver de acordo com a pressão
recomendada no manual de instruções, pois ao calibrar os pneus, conseqüentemente, o diâmetro
e o perímetro serão alterados e, da mesma forma, o número de voltas (metro/linear). Isto também
é válido quando se substitui um pneu. Caso não seja original da máquina, deve-se calibrar nova-
mente o valor, para evitar falhas na leitura.

CALIBRANDO A VELOCIDADE

- Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;


- Acione a chave “Função” para baixo até selecionar a mensagem “CAL. VELOVIDADE”;
- Em seguida, acione para baixo a chave “Zerar / Mem.”;
- Feito isso, acessaremos um sub-menu “CALIBRAÇÃO DA VELOCIDADE”.

- Acione a chave “Função” para baixo até selecionar a mensagem “CAL. 50 METROS”;
- Acione a chave “Zerar / Mem.” para entrar na calibração dos 50 metros.
- Na parte superior do visor aparece: a opção selecionada através da chave “Função”;
Embaixo da opção selecionada aparece no visor “Início** 50 m ** fim” (Obs.: O valor de 50
metros é fixo, não se altera). Logo após aparece no visor aparece o valor da constante de calibração
da velocidade;
- Para calibrar esta função, é preciso parar em um local plano na lavoura, livre de obstáculos
e curvas e que possua 50 metros;
- Ande com a máquina em velocidade baixa; esta rotação pode até variar, o que não pode
acontecer é voltar com a máquina ou fazer curvas;

NOTA: A marcha de trabalho deve ser a mais lenta possível para facilitar a marcação de
início e fim dos 50 metros.
Pode-se variar a rotação porque a velocidade não é estabelecida em função
Espaço/Tempo e, sim, em função do número de voltas que o sensor de rodas registra através dos
furos existentes nos discos das rodas no percurso dos 50 metros.
Capítulo 8
- Estabeleça, na máquina, uma referência qualquer que, ao passar pelo ponto inicial, UNIPORT
seja dado início a calibração; 2500 STAR

23
- Ao passar pelo ponto inicial, acione a chave “Zerar / Mem.” para cima (inicia-se a calibração);
Acionando a chave “Zerar / Mem.”, note que onde
PROGRAMAÇÃO

está escrito “ZERAR P/ INÍCIO” muda para “ZERAR


P/ FIM” ilustrando que o sistema aguardará um novo
acionamento da chave “Zerar / Mem.” para finalizar
a calibração.

- Ao passar pelo ponto final, acione novamen-


te a chave “Zerar / Mem.” para cima, a calibração
é finalizada com a mensagem “Calibração OK”;
OBS.: O valor que aparece no visor corresponde
à constante de velocidade.

CALIBRAÇÃO DA VELOCIDADE (POR CONSTANTE)

- Caso ocorra pane no computador do JMC 1000/4, será necessário passar para o computa-
dor novo, o valor dessa constante;
- Acesse a "Calibração", conforme descrito no
capítulo “Acessando a Calibração”;
- Acione a chave “Função” para baixo até seleci-
onar a função de calibração “CAL. VELOCIDADE”;
- Acione a chave “Função” para baixo até sele-
cionar a mensagem “CONSTANTE”;
- Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo note
que a opção “CONSTANTE” está selecionada;
Ao acionar a chave “+/-” o valor existente no
campo “CTE. (NOVA) será alterado para mais ou para menos.
- Em seguida, acione para baixo a chave “Zerar / Mem.” para que a nova constante de
velocidade seja memorizada;
ERROS QUE PODEM OCORRER DURANTE A CALIBRAÇÃO DA VELOCIDADE
A • MENSAGEM - FALTA SENSOR DE RODA
Esta mensagem aparecerá quando um sensor de roda ou os 2 sensores de roda
não estiverem funcionando corretamente.
Possíveis causas:
• Sensor de roda com defeito ou muito distante do disco de roda (distância 2,8 a 3,0
mm).
• Disco de roda danificado.
• Conexão ou terminais com mau contato elétrico.

B • MENSAGEM - ERRO DIÂMETRO DOS PNEUS


• Pneus com a pressão fora da especificada.
• Pneus de fabricantes diferentes na mesma máquina.

C• MENSAGEM - ERRO DE CONSTANTE


Esta mensagem aparecerá quando o número de pulsos coletados da roda na distân
cia de 50 metros for menor ou maior que o valor programado no Controlador JMC
1000/4.
Capítulo 8 Possíveis causas:
UNIPORT • A distância de 50 metros não foi medida corretamente.
2500 STAR • Pneus de modelo muito diferente do especificado.

24
3 • CALIBRAÇÃO DO COMPRIMENTO DOS SEGMENTOS

PROGRAMAÇÃO
Não existe fator operacional capaz de alterar estes valores, fazendo com que a máquina opere
com dados irreais, a não ser que o operador ou um terceiro acesse a função e entre com valores que
não correspondam à característica da máquina.
Esses valores são programados no equipamento, pois é preciso conciliar esses valores ao espaçamento
entre os bicos da barra, podendo ser 0,175, 0,35, 0,50 ou 0,525 metros.

COMO MEDIR O COMPRIMENTO DE CADA SEGMENTO

1º • Identifique no computador JMC 1000/4, a relação das chaves com os segmentos. Isto
pode ser feito deixando a chave principal de abertura e fechamento da pulverização na
posição de fluxo aberto para as barras e as demais fechadas. Em seguida, acione uma das
chaves para que esta libere o fluxo para um dos segmentos. Identifique o segmento cor-
respondente a esta chave. Repita esta operação com as demais chaves para que, no
momento de inserir os valores correspondentes a cada segmento, não haja falhas na
pulverização.

2º • Para identificar o comprimento de cada segmento, basta contar o nº de bicos no segmento


e multiplicar esta quantidade pelo valor correspondente ao espaçamento entre bicos (m).
Ex:Pulverizador Uniport 2500 STAR com porta bicos espaçados a 50 cm
Segmentos:
A = Chave central 49 bicos
B = 12 bicos x 0,5m = 6,0 m
C = 13 bicos x 0,5m = 6,5 m
D = 12 bicos x 0,5m = 6,0 m
E = 12 bicos x 0,5m = 6,0 m

TOTAL = 49 BICOS = 24,5 m de faixa de pulverização

B C D E
A

computador JMC 1000/4

chaves de abertura e fechamento dos segmentos


de pulverização

Capítulo 8
B C A D E UNIPORT
2500 STAR

25
Para acessar estes valores:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Abaixe no computador JMC 1000/4 todas as chaves que acionam os segmentos de pulveri-
PROGRAMAÇÃO

zação, fechando o fluxo de água;


• Acione a chave “Função” até chegar na opção “CAL. COMP. SEG.”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar/Mem.”. Note que aparece no visor um desenho que
simula a barra de pulverização e a instrução: Ligar Segmento;
• Acione o botão que corresponde ao primeiro segmento da barra do lado esquerdo,
liberando a pulverização.
Verifique através do visor do monitor que automaticamente aparecerá um valor e o respecti-
vo segmento que encontra-se aberto estará ilustrado no desenho da barra.

Este valor varia em função do comprimento das barras e dos espaçamentos entre bicos.
• Para alterar este valor, use a chave “+/ -” para cima ou para baixo que o valor aumentará ou
diminuirá de acordo com a sua necessidade.
• Acertados os valores, acione a chave “Zerar/Mem.” para baixo e observe que aparece no
visor os dizeres “Cal. OK”.
• Acione novamente o botão do primeiro segmento, fechando a pulverização.
• Para calibrar os demais segmentos, proceda conforme descrito acima e assim sucessiva-
mente para os demais segmentos.

OBS.: Caso acione mais de uma chave simultaneamente, o “visor” indicará uma mensagem
de erro. Isto acontece porque não é possível programar o comprimento de mais de um
segmento ao mesmo tempo.
Também aparece no “visor” a letra “P” quando a alavanca principal estiver posicionada
com fluxo aberto para as barras, nesta função também pode ser realizado o teste do funciona-
mento da chave de abertura e fechamento da pulverização existente no joystick, esse teste é
feito da seguinte forma:
- Ao acionar a chave existente no joystick, no visor aparecerá a letra “J” o que significa
que a comunicação do joystick com o JMC 1000/4 está normal.
Para inserir os valores de comprimento dos segmentos, a chave referente a alavanca
de alívio rápido pode estar posicionado em aberto ou fechado.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

26
4 • CALIBRANDO A PRESSÃO

PROGRAMAÇÃO
Esta função permite ao operador visualizar no visor do JMC 1000/4 a pressão do circuito de
pulverização apontada pelo manômetro instalado no comando Masterflow Eletroeletrônico. Para
tanto, é necessário conferir se o valor da pressão apontado pelo computador é igual ao valor que está
sendo indicado pelo manômetro.
Essa verificação deve ser realizada com a máquina funcionando e a pulverização aberta. As
instruções para essa verificação são as seguintes:

• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;


• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “CAL.PRESSÃO”;

• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo.Na parte superior do visor aparece a
mensagem “CAL. PRESSÃO” e embaixo dessa mensagem aparece a mensagem “PRES. (CAL.)”
e na frente o valor da pressão que o computador está registrando em PSI;
• Logo após aparece no visor a mensagem “PRESSÃO (REAL)” e na frente o valor zero;

• Observe se o valor mostrado na linha de cima do visor em frente a mensagem “PRESSÃO


(CAL.)”, é igual ao valor registrado no manômetro;
• Se sim, não é necessário realizar qualquer ajuste, passe para a próxima função, acionando
a chave “Zerar / Mem.” para baixo uma vez. Agora, se o valor mostrado à frente da mensagem
“PRESSÃO (CAL.)” for diferente do registrado no manômetro, será necessário corrigí-lo. Essa
correção é realizada da seguinte forma:
• Acione a chave “+/ -” para aumentar ou diminuir o valor existente até que fique igual ao do
manômetro.
• Depois de inseridos os valores, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo. Observe que
aparece no visor a mensagem “Cal. OK”;
• O novo valor já está programado. Isto significa que a pressão que o manômetro está registran-
do no circuito de defensivo, é a mesma que está sendo informada ao operador através da função
“Pressão”.
Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

27
5 • TESTE / CONFIGURAÇÃO

5.1 • TESTE RODA / VAZÃO


PROGRAMAÇÃO

Esta função é utilizada para verificar o funcionamento dos sensores de roda e o sensor de
vazão.
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”.
• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE / CONFIGURA-
ÇÃO”.
Feito isso, acessaremos um sub-menu do “TESTE / CONFIGURAÇÃO”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo.
• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE RODA/ VAZÃO”.

VERIFICANDO OS SENSORES DE RODA


• Na parte central do visor aparecerá a mensagem: “RODA 1” e “RODA 2”. Na frente de
cada uma dessas mensagens, aparecerá o número de pulsos acumulativos deste sensor enquanto a
máquina se desloca.
• Vale lembrar que esse teste deve ser realizado com a máquina em movimento.

V E R I F I C A N D O O F U N C I O N A M E N TO D O S E N S O R D E VA Z Ã O
• Na parte inferior do visor aparecerá a mensagem: “VAZÃO”. Na frente da mensagem
aparecerá o número de pulsos acumulativos do sensor de vazão quando houver fluxo pelo
comando, ou seja, quando a bomba de defensivo estiver ligada.
• Esta função é utilizada para verificar o funcionamento do sensor de vazão.

5.2 •TESTE DE FUNCIONAMENTO DO MOTOR DO COMANDO

Esse teste verifica o funcionamento do circuito eletrônico de acionamento do motor elétrico do


comando Masterflow.
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”.
• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE / CONFIGURA-
ÇÃO”.
• Em seguida, acione a chave “Zerar” para baixo.
• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE MOTOR DE PUL-
VERIZAÇÃO”.
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo.
Caso a chave “Automático/Manual” esteja na posição “MANUAL”, aparecerá a mensagem a
mensagem: “LIGUE AUTOMÁTICO”.
• Caso isto ocorra, comute a chave “Automático/Manual” para a posição automático.
• Feito isto, aparecerá na parte inferior do visor a mensagem “USE +/- PARA TESTE”.
Capítulo 8 • Acionando a chave “ +/-” para cima (+), o regulador do comando Masterflow deve descer
UNIPORT aumentando a pressão. Na parte inferior do visor aparecerá a seguinte mensagem: “AUMENTA
2500 STAR PRESSÃO”.

28
Quando o regulador chegar ao final do curso, aparecerá a seguinte mensagem: “LIMITE PRESSÃO
ALTA”. Acionando a chave “ +/-” para baixo (-), o regulador do comando deverá subir, diminuindo
a pressão. Feito isto, na parte inferior do visor, aparecerá a mensagem: “DIMINUI PRESSÃO”.

PROGRAMAÇÃO
Quando o regulador chegar ao final do curso, aparecerá a mensagem “LIMITE PRESSÃO BAI-
XA”.
• Passe para o próximo teste acionando a chave “Função” para baixo uma vez.
5.3 • ALARME DE MOTOR

• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”.


• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE / CONFIGURA-
ÇÃO”.
• Em seguida, acione a chave “Zerar/ Mem.” para baixo.
Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “ALARME DE MOTOR”.
• Em seguida, acione a chave “Zerar/ Mem.” para baixo.
• Note que acessamos um sub-menu do “ALARME DE MOTOR”, contendo as seguintes
funções:
1 - Liga / desliga: essa função foi desenvolvida para que o operador possa desligar os sensores
que apresentem sinais de mau funcionamento e que o ato de desligar não influência no funcionamen-
to do equipamento;
2 - Teste dos sensores: essa função permite testar os sensores individualmente. Caso seja
encontrada alguma anomalia em algum dos sensores, o operdor será alertado através de mensagens
no visor do JMC 1000/4;
3 - Sair.

Ao acessar a função 1 - Liga / desliga aparecerá uma tela com a opção de desligar todos os
alarmes de uma só vez acionando a chave “+”, para continuar acione a chave “-” e aparecerá no
visor do JMC 1000/4 uma outra tela que possibilita desligar um alarme de cada vez.
O simbolo “*” nesta tela marca qual é o sensor selecionado e que pode ser desligado em caso
de pane no sensor. Para desligar esse sensor basta acionar a chave “+/-” na posição “+” e para
continuar acione a mesma chave na posição “-”.

IMPORTANTE: Os sensores de alarme do motor só deverão ser desligados em caso de pane


no sensor ou em caso de pane na interface dos sensores com JMC 1000/4. Ao desligar esta Capítulo 8
função o operador deve ficar atento aos indicadores de LED do painel. UNIPORT
2500 STAR

29
5.4 • TESTE DE NÍVEL

• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”.


PROGRAMAÇÃO

• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE / CONFIGURA-
ÇÃO”.
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo.
Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE NÍVEL”.
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo.

Esta função foi desenvolvida para alertar o operador, através de um sinal sonoro, quanto a
possível falta de água (calda) no tanque, evitando com isto que o equipamento funcione com falta
de água (calda) o que provocaria sérios danos ao equipamento. Esta função de alerta sonoro tam-
bém pode ser desligada.
• Para desligar ou ligar esta função, acione a chave “+/ -” para baixo.
• Passe para o próximo teste acionando a chave “Função” para baixo uma vez.

IMPORTANTE: Ao desligar esta função o operador perde uma importante ferramenta de auxí-
lio para o gerenciamento da pulverização, embora seja importante não impede o funcionamento
do equipamento e em casos de defeito no sensor e somente nesta hipótese pode ser desligada.

5.5 • TESTE BOMBA JP

O teste bomba JP mostra se o sistema elétrico de acionamento da bomba JP está funcionando


corretamente.
Esse teste é feito da seguinte maneira:
Com todos os segmentos de barras aberto para pulverização observe se a vazão da bomba au-
menta proporcionalmente à medida em que aumenta-se a rotação da bomba; este aumento da rotação
é feita através do acionamento da chave “+/-”.
NOTA: Ao acionarmos a chave “+/-” o número representado pela letra “A” aumentará ou
diminuirrá proporcionalmente a vazão da bomba; este número pode variar de 01 a 10 onde o n° 01
corresponde a rotação mínima da bomba e o n° 10 corresponde a rotação máxima da bomba.
Para sair da função “TESTE BOMBA JP” basta acionar a chave “Zerar / Mem.” e retornar para
função “TESTE / CONFIGURAÇÃO”.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

30
5.6 • VELOCIDADE MÍNIMA

PROGRAMAÇÃO
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”.
• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE / CONFIGURA-
ÇÃO”.
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo.
Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “VELOCIDADE MÍNIMA”.
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo.
Esta função foi desenvolvida para garantir a cobertura da pulverização em casos onde a veloci-
dade da máquina fique abaixo da velocidade mínima especificada para o bico utilizado. Para aumen-
tar ou diminuir o valor da velocidade mínima basta acionar a chave “+/ -”.
É recomendado que a cada troca de bico o valor da velocidade mínima seja alterada de acordo
com as tabelas existentes neste manual no capítulo que trata sobre bicos.
Veja como é fácil encontar a velocidade indicada para cada bico utilizando uma tabela:

Durante a seleção do bico, devemos esco-


lher um bico cuja as características de pres-
são, vazão e velocidade possibilitem ajustes para
mais ou para menos pressão.
Para obter a velocidade mínima para o bico
selecionado, basta encontrar a pressão mínima
para o bico recomendada pela tabela de bicos (
que neste caso é 30 lbf/pol²) e a velocidade de
trabalho (mínima) para a vazão recomendada (
nesta caso 100 L/ha).
O valor da velocidade mínima será 12 km/h.

Uma outra forma de chegar ao valor da velocidade mínima é fazendo o cálculo utilizando a
seguinte fórmula:
sendo: V - velocidade de aplicação;
q . 600 q - é vazão total dos bicos;
V= 600 - é a constante;
Q.c
Q - é o volume de pulverização;
c - é a faixa de aplicação.
Ex:
Vazão mínima recomendada para o bico: ( 49 bicos AVI 110-03 x 0,98 L/min.) = 48,0 L/min.
Volume de pulverização: 100 L/ha.
Faixa de aplicação: 24,5 m
48 . 600 28800
V= V= V = 12 km / h
100 . 24,5 2450

Caso esta função esteja ligada e a velocidade diminuir para um valor menor que o valor progra-
mado, o sistema vai manter a pressão de acordo com velocidade mínima escolhida pelo operador,
diante dessa situação o JMC 1000/4 avisará o operador através de uma mensagem no display do
JMC e um leve toque do sinalizador acústico.
Se o operador optar em desligar está função o mesmo estará assumindo o risco de não ter um
controle eficaz da pulverização. Capítulo 8
Para desabilitar essa função basta acionar a chave “+/-” até o valor da velocidade mínima ficar UNIPORT
igual a zero. 2500 STAR

31
IMPORTANTE: É recomendado escolher o valor da velocidade mínima em função do tipo de
bico, do relevo e do tipo de terreno, para que não ocorra muitas variações de velocidade e o
PROGRAMAÇÃO

fechamento das válvulas anti-gotejo.

5.7 • SENSOR DE BARRAS

Esta função acessa o menu das calibrações e os testes relativos ao sistema dos sensores de
altura das barras da máquina.
O JMC 1000/4 atua apenas como monitor , sendo que todo o controle do processo é realizado
por outro módulo eletrônico.
O valor da altura da barra e os respectivos fins de curso são obtidos através da leitura do sinal
elétrico enviados pelos oito sensores existentes nas barras distribuidos da seguinte forma:

sensor A sensor C sensor C sensor A


barra esquerda barra esquerda barra direita barra direita
sensor B sensor D sensor D sensor B
barra esquerda barra esquerda barra direita barra direita

Antes de iniciar o uso do controle automático de altura das barras, programe algumas funções
existentes no controlador.
Com a máquina parada e o motor diesel em funcionamento, posicione-a em um local
seguro, longe da rede elétrica, de obstáculos e de pessoas. Abra as barras de pulveriza-
ção, posicione os sensores na posição de trabalho, destampe-os e inicie os ajustes/progra-
mações das funções do JMC 1000/4.

sensores posicionados para trabalho


sensores posicionados para transporte (virados para frente da máquina e destampados)
(virados para o lado e tampados)

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

32
CALIBRAÇÕES E TESTES DA FUNÇÃO SENSOR DE BARRAS

Para acessar as calibrações e os testes da função “SENSOR DE BARRAS”, proceda:

PROGRAMAÇÃO
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “TESTE / CONFIGURA-
ÇÃO”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até aparecer a mensagem “SENSOR DE BARRAS”;
• Logo após, acione novamente a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
Feito isso, acessaremos um sub-menu da “Sensor de barras”.

5.7.1 • CALIBRANDO A LEITURA DOS SENSORES

Esta função permite ao usuário calibrar a leitura dos sensores. A leitura dos sensores pode ser:
• Sensor individual: neste modo cada um dos oito sensores trabalham de maneira independen-
te, tornando o acionamento das barras mais sensível;
• Sensor duplo: como os sensores trabalham em pares, neste modo o sistema só aciona auto-
maticamente as barras quando o obstáculo for captado ao mesmo tempo pelos dois sensores de cada
par.
Para alterar as opções, proceda:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Selecione a função “TESTE CONFIGURAÇÃO” através da chave “Função”. Após seleção,
acione a chave “Zerar / Mem.”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “SENSOR DE BARRAS”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “LEITURA SENSOR”;
• Selecione a função “SENSOR DE BARRAS” através da chave “Função”. Após á seleção,
acione a chave “Zerar / Mem.”;

Note que a opção que sai da fábrica, é a “SENSOR INDIVIDUAL”. Para alterar essa opção,
acione a chave “+/-” para baixo configurando para “SENSOR DUPLO”. Para voltar a opção “SENSOR
INDIVIDUAL”, basta acionar a chave “+/-” para cima.
Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

33
5.7.2 • CALIBRANDO A FUNÇÃO - ALTURA PLANTAS

Na função “ALTURA PLANTAS” escolhemos as opções de leitura dos sensores em relação


PROGRAMAÇÃO

ao alvo da aplicação. As opções são as seguintes:


• Baixa (solo): esta opção é indicada para aplicações em que se utiliza produtos pré ou pós
emergente, isto porque as barras estarão trabalhando muito próximo do solo exigindo uma resposta
resposta mais rápida do sistema diante da captação de um obstáculo pelos sensores;
• Alta: esta opção é indicada quando a aplicação for realizada em plantas adultas, ou seja, com
as barras trabalhando mais distantes do solo, a opção “ALTA” permite que as barras fiquem mais
estáveis já que aqui o tempo de resposta do sistema é mais lento.
Para alterar essas opções, proceda:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Selecione a função “TESTE CONFIGURAÇÃO” através da chave “Função”. Após sele-
ção, acione a chave “Zerar / Mem.”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “SENSOR DE BARRAS”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “ALTURA PLANTAS”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;

A opção que sai da fábrica, é a “PLANTAS BAIXA (SOLO)”. Para alterar essa opção, acione
a chave “+/-” para cima configurando para “PLANTAS ALTA”. Para voltar a opção “PLANTAS
BAIXA (SOLO)”, acione a chave “+/-” para baixo.

5.7.3 • ACESSANDO A FUNÇÃO “TESTE/CONFIG” DO SENSOR DE BARRAS

A função “TESTE/CONFIG”permite ao operador testar e configurar o funcionamento dos


componentes do sistema SENSOR DE BARRAS.

IMPORTANTE: Acesse o “TESTE/CONFIG.” uma única vez, ou seja, realizado todos os tes-
tes e configurado o nivelamento do ângulo, o acesso a esses testes e configurações só será
necessário quando for trocado o controlador ou os sensores de ângulo (potenciômetro linear), ou
ainda, realizada a manutenção das barras onde foi necessário sua retirada, uma vez que essas
funções são pré-estabelecidas na fábrica para o perfeito funcionamento do sistema e se alterado
involuntariamente, pode prejudicar o funcionamento do controlador.
Ao acessar esta função visualizaremos as opções do “TESTE/CONFIG.”, são elas:
1 - Teste sensor esquerdo
2 - Teste sensor direito
3 - Teste manipuladoras
4 - Teste automático
5 - Nivelar ângulo
6 - Ajuste leitura
7 - Automático máquina parada
8 - Quadro automático
Capítulo 8
9 - Sair.
UNIPORT
Para mudar de opção basta acessar a chave “Função” para baixo.
2500 STAR

34
ACESSANDO A FUNÇÃO “TESTE SENSOR ESQ.”

Esta função permite ao operador testar se os sensores da barra esquerda estão funcionando

PROGRAMAÇÃO
individualmente. O acesso a esse teste é realizado da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIGURAÇÃO”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “SENSOR DE BARRAS”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIG.”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Selecione a função “TESTE SENSOR ESQ.” através da chave “Função”. Após seleção,
acione a chave “Zerar / Mem.” para visualizarmos a primeira tela de testes e configurações;

• Nesse teste devemos verificar se os valores dos sensores A, B, C e D e do sensor do ângulo


alteram-se à medida que mexemos a barra; para cima os valores aumentam e para baixo diminuem.
Os números apresentados nessa tela, são apenas ilustrativos,
ou seja, o valor que aparecerá na frente da palavra “Ân-
gulo”, representando o funcionamento do sensor de ân-
gulo (potenciômetro linear), não é o valor do ângulo da
barra.
NOTA: Se os valores não se alteram à medida
que a barra se movimenta, indica problema nos sensores.

ACESSANDO A FUNÇÃO “TESTE SENSOR DIR.”

Esta função permite ao operador testar se os sensores da barra direita estão funcionando individu-
almente. O acesso a esse teste é realizado da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIGURAÇÃO”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “SENSOR DE BARRAS”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIG.”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Selecione a função “TESTE SENSOR ESQ.” através da chave “Função”. Após seleção,
acione a chave “Zerar / Mem.”;

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

35
• Nesse teste devemos verificar se os valores dos sensores A, B, C e D e do sensor do ângulo
alteram-se à medida que mexemos a barra; para cima
os valores aumentam e para baixo diminuem. Os nú-
meros apresentados nessa tela, são apenas ilustrativos,
MANUTENÇÃO

ou seja, o valor que aparecerá na frente da palavra “Ângulo”,


representandoofuncionamentodosensordeângulo(potenciômetro
linear), não é o valor do ângulo da barra.
NOTA: Se os valores não se alteram à medi-
da que a barra se movimenta, indica problema nos
sensores.

ACESSANDO A FUNÇÃO “TESTE MANIPULADORAS”

Esta função permite ao operador testar se os botões responsáveis pelo levante das barras estão
funcionando individualmente. O acesso a esse teste é realizado da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Selecione a função “SENSOR DE BARRAS” conforme o descrito anteriormente. Após
seleção, acione a chave “Zerar / Mem.”.
• Escolha através da chave “Função” a função “TESTE MANIPULADORAS”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para visualizarmos o funcionamento desses
botões.

• Para esse teste, a chave “Automático/Manual” do


sensor de barras pode estar em qualquer uma das posi-
ções.
• Ao acessar esse teste, teremos no visor a mensagem “ACIONE MANIPULADORAS” e
“AUTOMÁTICO” se a chave “Automático/Manual” estiver posicionada em automático e, “MA-
NUAL” se esta chave estiver posicionada em manual.
• Ao acionar o botão responsável pelo levante da barra esquerda, acompanhe que no visor a
mensagem deverá ser “SOBE BARRA ESQ.” e da mesma
forma “DESCE BARRA ESQ.” se for acionado o bo-
tão responsável por abaixar a barra.
• Acionando o botão responsável por levantar a barra
direita, a situação deverá se repetir, porém as mensa-
gens serão “SOBE BARRA DIR.” e “DESCE BAR-
RA DIR.”
• Para testar o funcionamento da chave que acio-
na o quadro móvel, devemos seguir as mesmas instru-
Capítulo 8 ções das chaves manipuladoras, mas as mensagens agora são outras: “SOBRE QUADRO” e
UNIPORT “DESCE QUADRO”.
2500 STAR

36
ACESSANDO A FUNÇÃO “TESTE AUTOMÁTICO”

Esta função permite ao operador testar se a parte eletrônica juntamente com a hidráulica apre-

PROGRAMAÇÃO
sentam um funcionamento normal quando o sistema opera em modo “Automático”, sendo que os
procedimentos que veremos a seguir, checam individualmente o acionamento das barras esquerda e
direita e do quadro. O acesso a esse teste é realizado da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Selecione a função “SENSOR DE BARRAS” conforme o descrito anteriormente. Após
seleção, acione a chave “Zerar / Mem.”.
• Escolha através da chave “Função” a função “TESTE
AUTOMÁTICO”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.”. Após
esse acionamento, se a chave “Automático/Manual” do
painel de comando de serviço estiver em “Manual”, aparecerá
no visor a mensagem “LIGAR AUTOMÁTICO - SENSOR
DE BARRAS”, indicando que a referida chave deverá
ser posicionada em “Automático” para prosseguimento
desse teste.
• Após ter comutado a chave “Manual /Automático”aparecerá
amensagem “USE: ZERAR E +/-”. Ao primeiro toque
na chave “Zerar / Mem.” teremos acesso ao “TESTE
AUTOMÁTICO - BARRA ESQUERDA” o segundo
toque na chave “Zerar / Mem.” teremos acesso “TES-
TE AUTOMÁTICO - BARRA DIREITA” o terceiro
toque na chave “Zerar / Mem.” teremos acesso ao “TESTE
AUTOMÁTICO - QUADRO”.
FUNÇÃO “TESTE AUTOMÁTICO - BARRA ESQ.”
• Com a chave em “Automático”, o primeiro teste a ser realizado será no conjunto eletrohidráulico
da barra esquerda.

• Ao acionar a chave “+/-”do painel do JMC 1000/4 para cima, a barra esquerda deverá subir
e no visor a mensagem deverá ser “SOBE BARRA ESQ.” e ao acionar essa chave para baixo, a
barra deverá descer e a mensagem apresentada no visor deve ser “DESCE BARRA ESQ.”.
FUNÇÃO “TESTE AUTOMÁTICO - QUADRO”

Após teste do conjunto da barra esquerda, acione a chave “Zerar” para selecionar o próximo
teste, o do quadro. Em seguida, proceda:

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

37
• Acionando a chave “+/-” do painel do JMC 1000/4 para cima, o quadro deverá subir e no
visor a mensagem deverá ser “SOBE QUADRO” e ao acionar essa chave para baixo, o quadro
PROGRAMAÇÃO

deverá descer e a mensagem apresentada no visor deve ser “DESCE QUADRO”.

FUNÇÃO “TESTE AUTOMÁTICO - BARRA DIREITA”

Após teste do conjunto do quadro, acione a chave “ZERAR” para selecionar o próximo teste, o
da barra direita. Em seguida, proceda:

• Acionando a chave “+/-”do painel do JMC 1000/4 para cima, a barra direita deverá subir e no
visor a mensagem deverá ser “SOBE BARRA DIR.” e ao acionar essa chave para baixo, a barra
deverá descer e a mensagem apresentada no visor deve ser “DESCE BARRA DIR.”.

ACESSANDO A FUNÇÃO “NIVELAR ÂNGULO”

Na função “NIVELAR ÂNGULO” informamos ao sistema a medida correta do nivelamento


das barras, ou seja, a medida que o sistema deverá posicionar as barras quando o operador acionar
a opção “NIVELAR” após programar a altura desejada para posicionamento automático das barras
na função “SENSOR DE BARRAS” do JMC 1000/4.
A calibração dessa função ocorre da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Selecione a função “SENSOR DE BARRAS” conforme o descrito anteriormente. Após
seleção, acione a chave “Zerar”.
• Escolha através da chave “Função” a função “NIVELAR ANGULO”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar” para visualizarmos a próxima tela dessa calibração.

local de instalação dos sensores de


ângulo (potênciometro)

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

38
Note que os valores existentes no visor, correspondem respectivamente as leituras que os sensores
de ângulos (potênciometros lineares), instalados na junção da barra com o quadro, estão fazendo
naquele momento. Esses números não têm nenhum valor, são somentes referências.

PROGRAMAÇÃO
Para iniciar esse ajuste, é importante que a máquina esteja posicionada em um local plano. A
seguir, realize:
• Posicione as barras o mais nivelado possível na horizontal. Este procedimento é
muito importante para o correto trabalho do sistema;
• Para gravar a posição nivelada das barras, acione a chave “+/-” para cima (+). Na tela apare-
cerá a mesagem “NIVELANDO”. A confirmação dessa medida é informada através da mensagem
“CAL. ÂNGULO OK”.

IMPORTANTE: Essa operação de “NIVELAR ÂNGULO” deve ser realizada somente na


entrega técnica da máquina ou após remoção dos sensores de ângulos (potênciometros lineares),
seja para troca dos mesmos ou após manutenção nas barras de pulverização.

ACESSANDO A FUNÇÃO “AJUSTE LEITURA”

Na função “AJUSTE LEITURA”, está registra-


do um valor padrão programado na fábrica que corresponde
a um coeficiente de ajuste entre o posicionamento do
sensor e do bico, ou seja, esse valor permite que o jato
do bico saia na altura correta.

ATENÇÃO: Para não causar nenhuma diferença de leitura e posicionamento na altura das
barras, esse valor não deve ser alterado, mas caso ocorra alguma alteração desse valor numa
futura atualização do sistema, ele só poderá ser alterado pelo técnicos da Jacto ou das revendas
autorizadas.

ACESSANDO A FUNÇÃO “AUTO MAQ. PARADA”

A função “AUTO MÁQUINA PARADA”, possibilita quando a máquina estiver parada e com
as barras abertas, um funcionamento demonstrativo do sistema de controle automático da altura das
barras.

Para seleção do modo “Automático” na função “Auto Maq. Parada, proceda:


• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Selecione a função “SENSOR DE BARRAS” conforme o descrito anteriormente. Após
seleção, acione a chave “Zerar / Mem.”.
• Escolha através da chave “Função” a função “AUTO MAQ. PARADA”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para visualizarmos a próxima tela dessa calibração.
• Note que a opção “AUTOMÁTICO” aparece como “DESLIGADO”. Na fábrica essa fun- Capítulo 8
ção é programada para estar desligada, uma vez que é a opção correta e segura para o trabalho de UNIPORT
pulverização. 2500 STAR

39
PROGRAMAÇÃO

• Para habilitar essa função para o modo demonstrativo, ou seja, “AUTOMÁTICO LIGA-
DO”, basta estar na função “AUTO MAQ. PARADA” e acionar a chave “+/-” para cima (+).

ATENÇÃO
• A fim de evitar qualquer tipo de acidente, a função “AUTO MAQ. PARADA” deve
estar sempre desligada, portanto ao final do uso do modo “AUTOMÁTICO LIGADO”(modo
demonstração), o operador deve voltar essa função para “AUTOMÁTICO DESLIGA-
DO”.
• Caso o operador esqueça de desligar o modo automático, ao sair dessa programa-
ção (TESTE/CONFIG), o sistema passa o modo automático para desligado, evitando
qualquer problema por esquecimento do operador, portanto quando desejar utilizar o
modo de demonstração (AUTOMÁTICO LIGADO), o operador não deve sair da fun-
ção “AUTO MAQ. PARADA”.
• Estando nesse modo, as barras serão acionadas quando algum objeto for colocado
na área de leitura dos sensores de barras.

ACESSANDO A FUNÇÃO “QUADRO AUTOMÁTICO”

A função “QUADRO AUTOMÁTICO”, permite que o quadro tenha sua altura ajustada auto-
maticamente em função do ajuste que é feito na altura das barras. Porém o quadro pode ter sua
altura ajustada manualmente pelo operador, mas para tanto é necessário escolher essa opção na
função “QUADRO AUTOMÀTICO” uma vez que ela sai de fábrica ajustada para permitir ao
quadro que tenha seu ajuste automático. Veja abaixo como alternar essas opções.
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Selecione a função “SENSOR DE BARRAS”
conforme o descrito anteriormente. Após seleção, aci-
one a chave “Zerar / Mem.”.
• Escolha através da chave“Função” a função “QUADRO
AUTOMÁTICO”;
• Em seguida, acione a chave “Zerar / Mem.” para
visualizarmos visualizarmos essa função;

• Após acionar a chave “Zerar / Mem.”, visualizaremos uma tela que informa a situação dessa
função. Essa função sai de fábrica como “QUADRO LIGADO”, porém se desejar desligar essa
função, basta acionar a chave “+/-” para baixo (-).
Com a opção do “QUADRO DESLIGADO” o a
ajuste da altura do quadro deverá ser feito manualmente
pelo operador através da chave correspondente ao quadro
localizada no painel de comando de serviço.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

40
ACESSANDO A FUNÇÃO “SAIR”

PROGRAMAÇÃO
• Ao final da consulta da função “QUADRO AUTOMÁTICO”, acione mais uma vez a chave
“Função” para baixo até selecionar a opção “SAIR” e em seguida a chave “Zerar / Mem.”, assim
saimos do modo “TESTE/CONFIG” e voltamos para o modo “SENSOR DE BARRAS”.
• Utilizando ainda a chave “Função”, selecione a opção “SAIR” do modo “SENSOR DE BARRAS”
e acione a chave “Zerar / Mem.”. Com isso retornamos ao modo “Calibração”

opção Sair do “Teste/Config”

opção Sair do “Sensor de Barras”

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

41
5.8 • BITOLADOR

Essa função do JMC 1000/4 estará disponível somente para os equipamentos na versão 4x4.
PROGRAMAÇÃO

5.9 • CORRETOR DE VELOCIDADE

Essa função do JMC 1000/4 estará disponível somente para os equipamentos na versão 4x4.

5.10 • CONTROLE

Essa função ainda não foi implementada.

5.11 • SISTEMA

Essa função foi desenvolvida para que consultemos qual é a versão dos softwares dos módulos
auxiliares utilizados em seu equipamento ( sensor de barras e interface dos sensores).
Para ter acesso a esse teste proceda da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIGURAÇÃO”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “SISTEMA”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
Logo que o operador acessar esta função aparecerá a seguinte tela.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

42
5.12 • IDIOMA

Essa função foi desenvolvida para que o operador mude o idioma de todas as funções do JMC

PROGRAMAÇÃO
1000/4. Nessa função o operador pode optar por quatro idiomas distintos, sendo eles: PORTUGUÊS,
ESPANHOL, INGLES e RUSSO.
Para ter acesso a essa função proceda da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIGURAÇÃO”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “IDIOMA”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
Logo que o operador acessar esta função aparecerá a seguinte tela.

Utilizando a chave “+/-” selecione o idioma, em seguida acione a chave “Zerar / Mem.” para
baixo e computador reiniciará no idioma selecionado.

5.13 • ILUMINAÇÃO DO PAINEL

Essa função foi desenvolvida para que o operador mude a iluminação interna do JMC 1000/4 e
do painel de instrumentos.
Para ter acesso a essa função proceda da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIGURAÇÃO”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “ILUMINAÇÃO DO PAINEL”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
Logo que o operador acessar esta função aparecerá a seguinte tela.

Utilizando a chave “+/-” escolha o valor da intensidade de iluminação do painel, essa intensida-
de varia de “0” a “5”, onde a opção “0” significa que a iluminação dos painéis está desligada. Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

43
5.14 • ILUMINAÇÃO DO DISPLAY

Essa função foi desenvolvida para que o operador mude a intensidade de iluminação interna do
PROGRAMAÇÃO

display do JMC 1000/4.


Para ter acesso a essa função proceda da seguinte forma:
• Acesse a função “Calibração”, conforme descrito no capítulo “Acessando a Calibração”;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “TESTE / CONFIGURAÇÃO”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
• Acione a chave “Função” para baixo até a opção “ILUMINAÇÃO DO DISPLAY”;
• Acione a chave “Zerar / Mem.” para baixo;
Logo que o operador acessar esta função aparecerá a seguinte tela.

Utilizando a chave “+/-” selecione a intensidade da iluminação do display que pode variar de
“0” a “5”. onde a opção “0” significa que a iluminação está desligada. Para sair do modo de “Pro-
gramação”, selecione através da chave “Função” a opção “SAIR” e acionando mais uma vez a
chave “Zerar / Mem.”, saimos da programação e retornamos ao modo operação do JMC 1000/4.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

44
ALARMES E VISUALIZAÇÃO DE ERROS QUE PODEM OCORRER DURANTE
A U T I L I Z A Ç Ã O D O S S E N S O R E S D E A LT U R A D A S B A R R A S

PROGRAMAÇÃO
OBS.: Todo alarme durante a exibição da mensagem, faz com que o JMC varie a intensidade da
iluminação do display e aumente o volume da buzina. Indicação visual + sonora.
Os alarmes relacionados a pulverização assim como os erros só serão apresentados quando a
máquina estiver operando com o controlador na posição “Automático”, os demais podem ocorrer em
ambos os modos “ Manual / Automático”.
Caso algum alarme ocorra, para que o "Controlador Eletrônico JMC 1000/4” continue funcionan-
do normalmente, é necessário comutar a chave “AUTOMÁTICO/MANUAL”, para a posição manu-
al. Após solucionado o problema, comutar novamente a chave para a posição automático. Na tela de
erro o problema pode ser representado por uma mensagem juntamente com um ícone (!) ou
somente a mensagem , veja exemplo abaixo:

1º • “ERRO NIVELANDO - SENS. B. MANUAL”


Ação antes da mensagem de erro: acionar a chave “Zerar”para nivelar as barras após digitar
na função “SENSOR DE BARRAS” o valor desejado para ajuste automático da altura das barras.
Causa do erro: chave “Automático/Manual-Sensor de barras”, posicionada em Manual.
Indicações e correções: comutar a chave “Automático/Manual” do sensor de barras para
Automático.
OBS.: Este alarme só aparecerá na tela da função “Sensor de barras”.
2º • “ERRO NIVELANDO - VELOCIDADE”
Ação antes da mensagem de erro: acionar a chave “Zerar”para nivelar as barras.
Causa do erro: nivelar as barras com a máquina em movimento.
Indicações e correções: realizar a operação de nivelar as barras com a máquina parada.
OBS.: Este alarme só aparecerá na tela da função “Sensor de barras”.
3º • “ERRO NIVELANDO - TEMPO”
Ação antes da mensagem de erro: acionar a chave “Zerar”para nivelar as barras.
Causa do erro: fatores externos climáticos alterando a conclusão da operação de nivelar as
barras, tais como: vento que altera a altura das plantas, inclinação muito acentuada do solo, entre
outros.
Indicações e correções: realizar a operação de nivelar as barras quando o vento não atrapalhar
ou num terreno mais plano.
OBS.: Este alarme só aparecerá na tela da função “Sensor de barras”.
4º • “CURTO-CIRCUITO - SENSORES BARRA”
Causa do erro: curto-circuito na alimentação elétrica dos sensores de barras
Indicações e correções: reparar o defeito Capítulo 8
OBS.: Este alarme só cessará quando o defeito for solucionado e só aparecerá na tela da UNIPORT
função “Sensor de barras”. 2500 STAR

45
5º • “ERRO TRANSMISSÃO OU S. BARRA DESL”
Causa do erro: interrupção na comunicação de dados entre o computador JMC 1000/4 e o
PROGRAMAÇÃO

módulo dos sensores de barras (localizado embaixo do segundo assento da cabine).


Indicações e correções: verificar conexões e/ou trocar módulo ou computador JMC 1000/4.
Para cessar esse alarme da tela, comute a chave “Automático/Manual” para manual.
OBS.: Este alarme aparecerá em qualquer tela do JMC 1000/4.
6º • “AGUARDE - ACESSO AO MÓDULO”
Causa da mensagem: esta mensagem aparece somente na tela “Sensor de barras”. Esta men-
sagem indica que o computador JMC 1000/4 está inicializando a comunicação com o módulo eletrô-
nico do sensor de barras.
Indicações e correções: aguardar fim da inicialização da comunicação entre o JMC 1000/4 e o
módulo dos Sensores de barras. O tempo necessário é de aproximadamente 3 a 5 segundos.
OBS.: Este alarme só aparecerá na tela da função “Sensor de barras”.
7º • “MÓDULO AUSENTE OU DESLIGADO”
Causa da mensagem: falha na comunicação do JMC 1000/4 com o módulo dos sensores de
barras, após 15 segundos da inicialização do JMC 1000/4.
Indicações e correções: verificar conexões e/ou trocar módulo ou computador JMC 1000/4.
OBS.: Este alarme só aparecerá na tela da função “Sensor de barras”. Essa mensagem
também aparece na função “Sensor de barras” das máquinas que não são equipadas com
sensores de barras.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

46
INSTALAÇÃO DOS SENSORES DE BARRA
Os sensores estão dispostos na barra, da seguinte forma: 02 sensores na ponta da barra
esquerda, 02 sensores na ponta da barra direita , 02 sensores no meio da barra esquerda, 02

PROGRAMAÇÃO
sensores no meio da barra direita, totalizando assim 4 pares (8 sensores).
sensor A sensor C sensor C sensor A
barra esquerda barra esquerda barra direita barra direita
sensor B sensor D sensor D sensor B
barra esquerda barra esquerda barra direita barra direita

A distância de instalação entre os sensores está ilustrada nas figuras abaixo. Vale lembrar
que estas distâncias podem sofrer uma pequena variação em função do espaçamento entre bicos
existentes no equipamento, mas essa variação em nada afeta o funcionamento do sistema de
controle automático de altura das barras.

900 mm

300
900 mm mm

CUIDADOS COM OS SENSORES DE ALTURA DAS BARRAS


O sensor de barras funciona pelo princípio do radar, ou seja, envia um sinal e recebe em "eco"
quando encontra um corpo em seu caminho. Ele registra este "eco" como a presença de um obstáculo
em seu caminho.
O transdutor do sensor de barra, que é um componente localizado no interior do sensor, pode
ser considerado o componente mais sensível. Mesmo com suas especificações para uso em campo,
é um componente calibrado para trabalhar com sinais elétricos pequenos, portanto, deve ser operado
com cuidado.
Na manutenção, caso seja diagnosticado que o problema é no circuito eletrônico do sensor de
barras, o circuito eletrônico deve ser substituído por completo. Este procedimento simplifica e
diminui os custos com a máquina parada para manutenção.
O isolante (tecido) do sensor de barras tem a finalidade de absorver ruídos no tubo orientador.
A substituição do isolante é simples e deve ocorrer quando estiver muito sujo ou danificado, para
tanto, basta desrosquear o protetor do sensor e retirar o isolante.
Na montagem do isolante, verificar a posição, porque o tubo orientador não é paralelo,
apresenta uma pequena conicidade.
NOTA: A tampa do sensor de barras serve para proteger o transdutor durante a
lavagem da máquina contra jatos de água que podem danificá-lo. Ao retirá-la, esta deve
ser posicionada na parte de cima do sensor, evitando assim a sua perda e funcionamento
incorreto do sistema, porém ao término do trabalho o sensor deve ser tampado.

Capítulo 8
protetor do
UNIPORT
tampa isolante sensor
2500 STAR

47
SUPORTE ARTICULÁVEL DOS SENSORES DE ALTURA DA BARRA
O suporte de fixação dos sensores de barra é articulável; com isso o operador no momento
de transporte da máquina, pode fechá-los fazendo com que os sensores não fiquem expostos durante
o trajeto, evitando assim acidentes e também excesso lateral da máquina.
MANUTENÇÃO

Para movimentá-lo, basta soltar a trava e girar o suporte. Nessa operação tome cuidado para
não esticar o chicote do sensor de barra, pois isso poderá causar algum tipo de dano aos fios e
conectores. Ao final, coloque novamente a trava no suporte.
A ilustração abaixo mostra como devemos proceder.

trava do suporte recoloque a trava

SUBSTITUIÇÃO DO SENSOR DE ALTURA DAS BARRAS


Para substituir o sensor de barras, desacople o conector e solte o sensor do seu suporte.

fixação do sensor no
suporte

conector

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

48
AJUSTE MANUAL DA PRESSÃO

Caso tenha ocorrido algum problema na parte eletrônica, é possível operar o comando mecanica-
mente.

MANUTENÇÃO
Para que isto ocorra, passe a chave “Automático/Manual” do computador JMC-1000/4 para a
posição “Manual”.
Acione a chave (detalhe - A) para ajuste da pressão. Desta forma é possível dar continuidade ao
trabalho.
ATENÇÃO: Operando mecanicamente, será necessário calibrar a máquina pelo sistema con-
vencional, e este método esta descrito no manual de instruções da máquina. O monitoramento da
pulverização também não poderá ser feito eletronicamente.
Caso o problema se estenda para a parte elétrica do controlador, proceda da seguinte forma:
Passe a chave “Automático/Manual” do computador JMC 1000/4 para a posição "Manual".
Retire a capa de proteção do volante. Em seguida, retire o pino que trava o volante ao motor do
regulador de pressão. Desta forma, o ajuste da pressão passa a ser feito manualmente (B).
Para que o comando volte a operar eletrônicamente após solucionado o problema, monte o pino
trava no comando. Primeiramente faça coincidir a seta que existe no volante do regulador de pres-
são com a seta da tampa da caixa de engrenagens. Em seguida encaixe o pino com a trava e aperte
os parafusos.
B

Capa

A Pino trava

Volante

ACIONAMENTO MANUAL DOS SEGMENTOS DO COMANDO.


- Retire o cabo elétrico do comando.
- Solte os 2 parafusos e retire as abraçadeiras.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

49
- Retire o motor elétrico
- Com o auxílio de uma chave fixa 10mm, gire o núcleo para abertura ou fechamento do fluxo de
defensivo
MANUTENÇÃO

MONTAGEM DO MOTOR ELÉTRICO NO CORPO DO COMANDO


Alguns cuidados devem ser tomados:
- Para o encaixe perfeito do motor elétrico ao corpo do comando, é necessário o alinhamento correto
entre o orifício existente no bloco do motor e o pino elástico existente no núcleo do comando (figura
a baixo).
Após a montagem do bloco do motor ao comando, deve-se posicionar corretamente a abraçadeira
para a união das peças. Observe que existe uma saliência em uma das laterais da abraçadeira.
posicione-a conforme a foto e proceda o aperto entre as partes.

- Para montar o cabo elétrico, também é necessário atenção. Observe a posição correta para o
perfeito ajuste.
- Na seqüência, fixe o cabo elétrico no conector corresponde ao segmento.

ATENÇÃO
Para voltar a ter acesso aos benefícios do
controlador eletrônico, é importante realizar
a sua manutenção o mais rápido possível.

Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR

50
DIAGNÓSTICO DE ALARMES NA PROGRAMAÇÃO/CALIBRAÇÃO DO COMPUTADOR JMC 1000/4

Durante o procedimento de
programação/calibração...

Aciona alarme:
“FALTA SENSOR DA RODA” Aciona alarme:
Aciona alarme:
ou “ERRO DE SEGMENTO”
“ERRO DE CONSTANTE”
Aciona alarme:
“ERRO DIÂMETRO PNEU”

- Problemas nos sensores da roda, - Ligar um segmento de cada vez


Valor digitado ou coletado muito conectores ou chicote. para programar o valor.
diferente dos valores normais. - Diferença de perímetro dos pneus. Este erro ocorre quando mais de
um segmento está na posição pul-
- Diferença de pressão dos pneus. verização.

MANUTENÇÃO

51
Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR
MANUTENÇÃO

52
Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR
DIAGNÓSTICO DE ALARMES NO MODO OPERAÇÃO DO SISTEMA JSC 1000/4 - PARTE I
MÁQUINA PULVERIZANDO NO
MODO AUTOMÁTICO

NÃO Aciona alarme:


* Aciona alarme: Aciona alarme: Aciona alarme:
Aciona alarme:
“ERRO BATERIA” “FALTA
Voltagem “ERRO DE
SENSOR DA “ERRO DE
baixa VAZÃO OU MEMÓRIA”
Somente: “ERRO AJUSTE DOS (seguido de
ERRO BOMBA SEM SEGMENTOS” algum número)
“ERRO CONTROLE” CONTROLE” ÁGUA”
Verificar Voltagem alta?
CONTROLE” Limite Pressão Limite Pressão
fusíveis,
SIM Automático baixa alta
conectores - Máquina fun- O ajuste do - Executar o pro-
e chicote. Problemas cionando sem retorno cali- cedimento de
- Velocidade da máqui- - Volume de pul- - Volume de pulveri- água. “RESET” das
no alternador na não fica constante, brado dos
verização não zação não - Problemas no segmentos memórias do
ou regulador varia muito. compatível com compatível com a computador JMC
sensor eletrôni- está errado,
de voltagem - Mangueiras dobra- a velocidade de velocidade de co do medidor ajustar corre- 1000/4. Executar
das, filtro dos bicos de trabalho e tipo trabalho e tipo de de vazão. tamente. a calibração/pro-
linha entupidos. de bico. bico. gramação nova-
- Problemas no mente, ou digitar
Substituir o computador - Pressão de trabalho - Problemas no - Problemas no fim medidor de va- os valores anteri-
JSC 6000 e executar nova muito baixa, trabalhan- fim de curso elé- de curso elétrico de zão. ores.
do com pressão míni- trico de pressão pressão máxima no
calibração/programação. comando ou placa - Problemas no - Substituir o
ma do sistema mínima no co-
anticotejo. mando ou placa eletrônica do motor. conector do computador JMC
eletrônica do sensor do medi- 1000/4 e executar
- Problemas no me- dor de vazão ou
motor. a calibração/pro-
didor de vazão. Me- chicote. gramação nova-
- Falha de didor muito sujo.
mente ou digitar
* Esse alarme pode aparecer com o computador operando em conectores ou - Máquina está tra- os valores anteri-
modo automático ou manual. chicote. balhando com pou- ores.
ca água no tanque.
DIAGNÓSTICO DE ALARMES NO MODO OPERAÇÃO DO SISTEMA JMC 1000/4 - PARTE
II
MÁQUINA NO MODO OPERAÇÃO

NÃO
Aciona alarme: * Aciona alarme: * Aciona alarme:
“ÁGUA NÍVEL BAIXO” “CURTO CIRCUITO NOS SENSORES” “MÁQUINA FORA DO NEUTRO”

Abastecer
o tanque. O sensor está
Há água no tanque? habilitado no JMC
1000/4?
SIM - Desligar os sensores
nos respectivos termi- SIM
nais (pressão, roda,
vazão, nível de água). Foi possível dar
partida?
-Limpar câmara da bóia - Substituir o chicote
- Bóia suja de alimentação dos NÃO
- Verificar se a bóia está sensores.
emperrada - Verificar mecanica-
- Problema no sensor mente se a caixa de
de nível marchas está em neu-
tro.
- Substituir o compu-
tador JMC 1000/4. NÃO

- Sensor de neutro com


problema. Desabilitar o
sensor através do JMC
1000/4 e acionar a as-
* Esse alarme pode aparecer com o computador operando em modo automático ou manual. sistência técnica.

MANUTENÇÃO

53
Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR
MANUTENÇÃO

54
Capítulo 8
UNIPORT
2500 STAR
DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS ELETRÔNICOS NO COMPUTADOR JMC 1000/4

O computador JMC 1000/4


O computador JMC 1000/4 com funcionamento inter-
não liga. O display perma- mitente, às vezes, não liga
nece apagado. ou display permanece apa-
gado ou com frases desco-
nhecidas.

- Verificar a tensão de
entrada. - Verificar chicote e
conectores.
- Verificar conectores e
fusíveis.

Substituir o computa-
dor JMC 1000/4 e exe-
cutar nova calibração/
programação ou digitar
os valores anteriores.
B I C O S J A C T O
MANUAL DE ORIENTAÇÃO
AT E N Ç Ã O

INTRODUÇÃO
Neste manual encontram-se os diferentes tipos de bicos comercializados pela JACTO e algu-
mas de suas características, como: identificação dos bicos pela cor, a vazão dos bicos em função da
pressão de trabalho e também o volume de aplicação em L/ha em função das velocidades e dos
espaçamentos entre os bicos.
As tabelas sobre os volumes de aplicação foram feitas com velocidades de trabalho
que variam de 3,5 a 18 Km/h. Vale lembrar que a velocidade de trabalho recomendada para o
Uniport 2500 STAR é de 18 km/h.
Velocidades superiores à descrita acima não são recomendadas.

Máquinas Agrícolas Jacto S.A.

Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR

3
LOCALIZAÇÃO DAS PÁGINAS EM FUNÇÃO DO TIPO DE BICO E DO ESPAÇAMENTO

Bicos da série JA com espaçamento de 35 cm 05


Bicos da série JA com espaçamento de 40 cm 06
Bicos da série JA com espaçamento de 45 cm 07
Bicos da série JA com espaçamento de 50 cm 08
ÍNDICE

Bicos da série SF com espaçamento de 35 cm 09


Bicos da série SF com espaçamento de 40 cm 10
Bicos da série SF com espaçamento de 45 cm 11
Bicos da série SF com espaçamento de 50 cm 12
Bicos da série LD com espaçamento de 35 cm 13
Bicos da série LD com espaçamento de 40 cm 14
Bicos da série LD com espaçamento de 45 cm 15
Bicos da série LD com espaçamento de 50 cm 16
Bicos da série API-110 com espaçamento de 35 cm 17
Bicos da série API-110 com espaçamento de 40 cm 18
Bicos da série API-110 com espaçamento de 45 cm 19
Bicos da série API-110 com espaçamento de 50 cm 20
Bicos da série BJ com espaçamento de 35 cm 21
Bicos da série BJ com espaçamento de 40 cm 22
Bicos da série BJ com espaçamento de 45 cm 23
Bicos da série BJ com espaçamento de 50 cm 24
Bicos da série AVI-110 com espaçamento de 35 cm 25
Bicos da série AVI-110 com espaçamento de 40 cm 26
Bicos da série AVI-110 com espaçamento de 45 cm 27
Bicos da série AVI-110 com espaçamento de 50 cm 28

Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR

4
B I C O S D A S É R I E J A • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 3 5 c m

VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


PRESSÃO VAZÃO
BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
60 0,32 137 110 91 78 69 61 55 50 46 42 39 37 34 32 30 29 27
JA-1
90 0,38 163 130 109 93 81 72 65 59 54 50 47 43 41 38 36 34 33
Azul
malha 50 150 0,50 214 171 143 122 107 95 86 78 71 66 61 57 54 50 48 45 43
210 0,55 236 189 157 135 118 105 94 86 79 73 67 63 59 55 52 50 47
60 0,43 184 147 123 105 92 82 74 67 61 57 53 49 46 43 41 39 37
JA-1,5
Marrom 90 0,52 223 178 149 127 111 99 89 81 74 69 64 59 56 52 50 47 45
malha 50 150 0,66 283 226 189 162 141 126 113 103 94 87 81 75 71 67 63 60 57
210 0,77 330 264 220 189 165 147 132 120 110 102 94 88 83 78 73 69 66
60 0,64 274 219 183 157 137 122 110 100 91 84 78 73 69 65 61 58 55
JA-2
Preto 90 0,76 326 261 217 186 163 145 130 118 109 100 93 87 81 77 72 69 65
malha 50 150 1,00 429 343 286 245 214 190 171 156 143 132 122 114 107 101 95 90 86
210 1,13 484 387 323 277 242 215 194 176 161 149 138 129 121 114 108 102 97
60 0,88 377 302 251 216 189 168 151 137 126 116 108 101 94 89 84 79 75
JA-3
Laranja 90 1,06 454 363 303 260 227 202 182 165 151 140 130 121 114 107 101 96 91
malha 50 150 1,34 574 459 383 328 287 255 230 209 191 177 164 153 144 135 128 121 115
210 1,57 673 538 449 384 336 299 269 245 224 207 192 179 168 158 150 142 135
60 1,25 536 429 357 306 268 238 214 195 179 165 153 143 134 126 119 113 107
JA-4
90 1,51 647 518 431 370 324 288 259 235 216 199 185 173 162 152 144 136 129
Vermelho
malha 50 150 1,91 819 655 546 468 409 364 327 298 273 252 234 218 205 193 182 172 164
210 2,22 951 761 634 544 476 423 381 346 317 293 272 254 238 224 211 200 190
60 1,60 686 549 457 392 343 305 274 249 229 211 196 183 171 161 152 144 137
JA-5
90 1,93 827 662 551 473 414 368 331 301 276 255 236 221 207 195 184 174 165
Verde
malha 50 150 2,44 1046 837 697 598 523 465 418 380 349 322 299 279 261 246 232 220 209
210 2,85 1221 977 814 698 611 543 489 444 407 376 349 326 305 287 271 257 214

5
BICOS DA SÉRIE JA

Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
6
BICOS DA SÉRIE JA

Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E J A • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
60 0,32 120 96 80 69 60 53 48 44 40 37 34 32 30 28 27 25 24
JA-1
90 0,38 143 114 95 81 71 63 57 52 48 44 41 38 36 34 32 30 29
Azul
malha 50 150 0,50 188 150 125 107 94 83 75 68 63 58 54 50 47 44 42 39 38
210 0,55 206 165 138 118 103 92 83 75 69 63 59 55 52 49 46 43 41
60 0,43 161 129 108 92 81 72 65 59 54 50 46 43 40 38 36 34 32
JA-1,5
Marrom 90 0,52 195 156 130 111 98 87 78 71 65 60 56 52 49 46 43 41 39
malha 50 150 0,66 248 198 165 141 124 110 99 90 83 76 71 66 62 58 55 52 50
210 0,77 289 231 193 165 144 128 116 105 96 89 83 77 72 68 64 61 58
60 0,64 240 192 160 137 120 107 96 87 80 74 69 64 60 56 53 51 48
JA-2
Preto 90 0,76 285 228 190 163 143 127 114 104 95 88 81 76 71 67 63 60 57
malha 50 150 1,00 375 300 250 214 188 167 150 136 125 115 107 100 94 88 83 79 75
210 1,13 424 339 283 242 212 188 170 154 141 130 121 113 106 100 94 89 85
60 0,88 330 264 220 189 165 147 132 120 110 102 94 88 83 78 73 69 66
JA-3
Laranja 90 1,06 398 318 265 227 199 177 159 145 133 122 114 106 99 94 88 84 80
malha 50 150 1,34 503 402 335 287 251 223 201 183 168 155 144 134 126 118 112 106 101
210 1,57 589 471 393 336 294 262 236 214 196 181 168 157 147 139 131 124 118
60 1,25 469 375 313 268 234 208 188 170 156 144 134 125 117 110 104 99 94
JA-4
90 1,51 566 453 378 324 283 252 227 206 189 174 162 151 142 133 126 119 113
Vermelho
malha 50 150 1,91 716 573 478 409 358 318 287 260 239 220 205 191 179 169 159 151 143
210 2,22 833 666 555 476 416 370 333 303 278 256 238 222 208 196 185 175 167
60 1,60 600 480 400 343 300 267 240 218 200 185 171 160 150 141 133 126 120
JA-5
90 1,93 724 579 483 414 362 322 290 263 241 223 207 193 181 170 161 152 145
Verde
malha 50 150 2,44 915 732 610 523 458 407 366 333 305 282 261 244 229 215 203 193 183
210 2,85 1069 855 713 611 534 475 428 389 356 329 305 285 267 251 238 225 214
B I C O S D A S É R I E J A • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 5c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
60 0,32 106 85 71 61 53 47 42 38 35 33 30 28 26 25 23 22 21
JA-1
90 0,38 126 101 84 72 63 56 50 46 42 39 36 33 31 29 28 26 25
Azul
malha 50 150 0,50 166 133 111 95 83 74 66 50 55 51 47 44 41 39 37 35 33
210 0,55 183 146 122 104 91 81 73 66 61 56 52 48 45 43 40 38 36
60 0,43 143 114 95 82 71 63 57 52 47 44 40 38 35 33 31 30 28
JA-1,5
Marrom 90 0,52 173 138 115 99 86 77 69 63 57 53 49 46 43 40 38 36 34
malha 50 150 0,66 220 176 146 125 110 97 88 80 73 67 62 58 55 51 49 46 44
210 0,77 256 205 171 146 128 114 102 93 85 78 73 68 64 60 57 54 58
60 0,64 213 170 142 121 106 94 85 77 71 65 60 56 53 50 47 44 42
JA-2
Preto 90 0,76 253 202 168 144 126 112 101 92 84 77 72 67 63 59 56 53 50
malha 50 150 1,00 333 266 222 190 166 148 133 121 111 102 95 88 83 78 74 70 66
210 1,13 376 301 251 215 188 167 150 136 125 115 107 100 94 88 83 79 75
60 0,88 293 234 195 167 146 130 117 106 97 90 83 78 73 69 65 61 58
JA-3
Laranja 90 1,06 353 282 235 202 176 157 141 128 117 108 101 94 88 83 78 74 70
malha 50 150 1,34 446 357 297 255 223 198 178 162 149 137 127 119 111 105 99 94 89
210 1,57 523 418 349 299 261 232 209 190 174 161 149 139 130 123 116 110 104
60 1,25 416 333 277 238 208 185 166 151 138 128 119 111 104 98 92 87 83
JA-4
90 1,51 503 402 335 287 251 223 201 183 167 154 143 134 125 118 111 106 100
Vermelho
malha 50 150 1,91 636 509 424 363 318 283 254 231 212 196 182 169 159 149 141 134 127
210 2,22 740 592 493 422 370 329 296 269 246 227 211 197 185 174 164 155 148
60 1,60 533 426 355 304 266 237 213 194 177 164 152 142 133 125 118 112 106
JA-5
90 1,93 643 514 428 367 321 286 257 234 214 198 183 171 160 151 143 135 128
Verde
malha 50 150 2,44 813 650 542 464 406 361 325 295 271 250 232 217 203 191 180 171 162
210 2,85 950 760 633 542 475 422 380 345 316 292 271 253 237 223 211 200 190

7
BICOS DA SÉRIE JA

Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
8
BICOS DA SÉRIE JA

Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E J A • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 5 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
60 0,32 96 77 64 55 48 43 38 35 32 30 27 26 24 23 21 20 19
JA-1
Azul 90 0,38 114 91 76 65 57 51 46 41 38 35 33 30 29 27 25 24 23
malha 50 150 0,50 150 120 100 86 75 67 60 55 50 46 43 40 38 35 33 32 30
210 0,55 165 132 110 94 83 73 66 60 55 51 47 44 41 39 37 35 33
JA-1,5 60 0,43 129 103 86 74 65 57 52 47 43 40 37 34 32 30 29 27 26
Marrom 90 0,52 156 125 104 89 78 69 62 57 52 48 45 42 39 37 35 33 31
malha 50 150 0,66 198 158 132 113 99 88 79 72 66 61 57 53 50 47 44 42 40
210 0,77 231 185 154 132 116 103 92 84 77 71 66 62 58 54 51 49 46
JA-2 60 0,64 192 154 128 110 96 85 77 70 64 59 55 51 48 45 43 40 38
Preto 90 0,76 228 182 152 130 114 101 91 83 76 70 65 61 57 54 51 48 46
malha 50 150 1,00 300 240 200 171 150 133 120 109 100 92 86 80 75 71 67 63 60
210 1,13 339 271 226 194 170 151 136 123 113 104 97 90 85 80 75 71 68
60 0,88 264 211 176 151 132 117 106 96 88 81 75 70 66 62 59 56 53
JA-3
Laranja 90 1,06 318 254 212 182 159 141 127 116 106 98 91 85 80 75 71 67 64
malha 50 150 1,34 402 322 268 230 201 179 161 146 134 124 115 107 101 95 89 85 80
210 1,57 471 377 314 269 236 209 188 171 157 145 135 126 118 111 105 99 94
60 1,25 375 300 250 214 188 167 150 136 125 115 107 100 94 88 83 79 75
JA-4
Vermelho 90 1,51 453 362 302 259 227 201 181 165 151 139 129 121 113 107 101 95 91
malha 50 150 1,91 573 458 382 327 287 255 229 208 191 176 164 153 143 135 127 121 115
210 2,22 666 533 444 381 333 296 266 242 222 205 190 178 167 157 148 140 133
60 1,60 480 384 320 274 240 213 192 175 160 148 137 128 120 113 107 101 96
JA-5
90 1,93 579 463 386 331 290 257 232 211 193 178 165 154 145 136 129 122 116
Verde
malha 50 150 2,44 732 586 488 418 366 325 293 266 244 225 209 195 183 172 163 154 146
210 2,85 855 684 570 489 428 380 342 311 285 263 244 228 214 201 190 180 171
B I C O S D A S É R I E S F • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 3 5 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,32 137 110 91 78 69 61 55 50 46 42 39 37 34 32 30 29 27
110.SF-01 159 127 106 91 79 70 63 58 53 49 45 42 40 37 35 33 32
30 0,37
Laranja
malha 80 40 0,39 167 134 111 96 84 74 67 61 56 51 48 45 42 39 37 35 33
50 0,50 214 171 143 122 107 95 86 78 71 66 61 57 54 50 48 45 43
20 0,42 180 144 120 103 90 80 72 65 60 55 51 48 45 42 40 38 36
110.SF-
015 30 0,51 219 175 146 125 109 97 87 79 73 67 62 58 55 51 49 46 44
Verde 40 0,59 253 202 169 144 126 112 101 92 84 78 72 67 63 59 56 53 51
malha 80
50 0,64 274 219 183 157 137 122 110 100 91 84 78 73 69 65 61 58 55
20 0,56 240 192 160 137 120 107 96 87 80 74 69 64 60 56 53 51 48
110.SF-02
30 0,68 291 233 194 167 146 130 117 106 97 90 83 78 73 69 65 61 58
Amarelo
malha 50 40 0,77 330 264 220 189 165 147 132 120 110 102 94 88 83 78 73 69 66
50 0,86 369 295 246 211 184 164 147 134 123 113 105 98 92 87 82 78 74
20 0,86 369 295 246 211 184 164 147 134 123 113 105 98 92 87 82 78 74
110.SF-03 30 1,05 450 360 300 257 225 200 180 164 150 138 129 120 113 106 100 95 90
Azul
malha 50 40 1,19 510 408 340 291 255 227 204 185 170 157 146 136 128 120 113 107 102
50 1,33 570 456 380 326 285 253 228 207 190 175 163 152 143 134 127 120 114
20 1,18 506 405 337 289 253 225 202 184 169 156 144 135 126 119 112 106 101
110.SF-04 30 1,42 609 487 406 348 304 270 243 221 203 187 174 162 152 143 135 128 122
Vermelho
malha 50 40 1,58 677 542 451 387 339 301 271 246 226 208 193 181 169 159 150 143 135
50 1,79 767 614 511 438 384 341 307 279 256 236 219 205 192 181 170 162 153

9
BICOS DA SÉRIE SF

Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
BICOS DA SÉRIE SF

10
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E S F • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,32 120 96 80 69 60 53 48 44 40 37 34 32 30 28 27 25 24
110.SF-01 0,37
30 139 111 93 79 69 62 56 50 46 43 40 37 35 33 31 29 28
Laranja
malha 80 40 0,39 146 117 98 84 73 65 59 53 49 45 42 39 37 34 33 31 29
50 0,50 188 150 125 107 94 83 75 68 63 58 54 50 47 44 42 39 38
20 0,42 158 126 105 90 79 70 63 57 53 48 45 42 39 37 35 33 32
110.SF-
015 30 0,51 191 153 128 109 96 85 77 70 64 59 55 51 48 45 43 40 38
Verde 40 0,59 221 177 148 126 111 98 89 80 74 68 63 59 55 52 49 47 44
malha 80
50 0,64 240 192 160 137 120 107 96 87 80 74 69 64 60 56 53 51 48
20 0,56 210 168 140 120 105 93 84 76 70 65 60 56 53 49 47 44 42
110.SF-02
30 0,68 255 204 170 146 128 113 102 93 85 78 73 68 64 60 57 54 51
Amarelo
malha 50 40 0,77 289 231 193 165 144 128 116 105 96 89 83 77 72 68 64 61 58
50 0,86 323 258 215 184 161 143 129 117 108 99 92 86 81 76 72 68 65
20 0,86 323 258 215 184 161 143 129 117 108 99 92 86 81 76 72 68 65
110.SF-03 30 1,05 394 315 263 225 197 175 158 143 131 121 113 105 98 93 88 83 79
Azul
malha 50 40 1,19 446 357 298 255 223 198 179 162 149 137 128 119 112 105 99 94 89
50 1,33 499 399 333 285 249 222 200 181 166 153 143 133 125 117 111 105 100
20 1,18 443 354 295 253 221 197 177 161 148 136 126 118 111 104 98 93 89
110.SF-04 30 1,42 533 426 355 304 266 237 213 194 178 164 152 142 133 125 118 112 107
Vermelho
malha 50 40 1,58 593 474 395 339 296 263 237 215 198 182 169 158 148 139 132 125 119
50 1,79 671 537 448 384 336 298 269 244 224 207 192 179 168 158 149 141 134
B I C O S D A S É R I E S F • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 5c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,32 106 85 71 61 53 47 42 38 35 32 30 28 26 25 23 22 21
110.SF-01 0,37 123 98 82 70 61 54 49 44 41 38 35 32 30 29 27 26 24
30
Laranja
malha 80 40 0,39 130 104 86 74 65 57 52 47 43 40 37 34 32 30 28 27 26
50 0,50 166 133 111 95 83 74 66 60 55 51 47 44 41 39 37 35 33
20 0,42 140 112 93 80 70 62 56 51 46 43 40 37 35 32 31 29 28
110.SF-
015 30 0,51 170 136 113 97 85 75 68 61 56 52 48 45 42 40 37 35 34
Verde 40 0,59 196 157 131 112 98 87 78 71 65 60 56 52 49 46 43 41 39
malha 80
50 0,64 213 170 142 121 106 94 85 77 71 65 61 56 53 50 47 45 42
20 0,56 186 149 124 106 93 83 74 67 62 57 53 49 46 43 41 39 37
110.SF-02
30 0,68 226 181 151 129 113 100 90 82 75 69 64 60 56 53 50 47 45
Amarelo
malha 50 40 0,77 256 205 171 146 128 114 102 93 85 79 73 68 64 60 57 54 51
50 0,86 286 229 191 163 143 127 114 104 95 88 82 76 71 67 63 60 57
20 0,86 286 229 191 163 143 127 114 104 95 88 82 76 71 67 63 60 57
110.SF-03 30 1,05 350 280 233 200 175 155 140 127 116 107 100 93 87 82 77 73 70
Azul
malha 50 40 1,19 396 317 264 226 198 176 158 144 132 122 113 105 99 93 88 83 79
50 1,33 443 354 295 253 221 197 177 161 147 136 126 118 110 104 98 93 88
20 1,18 393 314 262 224 196 174 157 143 131 121 112 104 98 92 87 82 78
110.SF-04 30 1,42 473 378 315 270 236 210 189 172 157 145 135 126 118 111 105 99 94
Vermelho
malha 50 40 1,58 526 421 351 301 263 234 210 191 175 162 150 140 131 123 117 110 105
50 1,79 596 477 397 341 298 265 238 217 198 183 170 159 149 140 132 125 119

BICOS DA SÉRIE SF

11
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
BICOS DA SÉRIE SF

12
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E S F • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 5 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,32 96 77 64 55 48 43 38 35 32 30 27 26 24 23 21 20 19
110.SF-01 0,37 111 89 74 63 56 49 44 40 37 34 32 30 28 26 25 23 22
30
Laranja
malha 80 40 0,39 117 94 78 67 59 52 47 43 39 36 33 31 29 28 26 25 23
50 0,50 150 120 100 86 75 67 60 55 50 46 43 40 38 35 33 32 30
20 0,42 126 101 84 72 63 56 50 46 42 39 36 34 32 30 28 27 25
110.SF-
015 30 0,51 153 122 102 87 77 68 61 56 51 47 44 41 38 36 34 32 31
Verde 40 0,59 177 142 118 101 89 79 71 64 59 54 51 47 44 42 39 37 35
malha 80
50 0,64 192 154 128 110 96 85 77 70 64 59 55 51 48 45 43 40 38
20 0,56 168 134 112 96 84 75 67 61 56 52 48 45 42 40 37 35 34
110.SF-02
30 0,68 204 163 136 117 102 91 82 74 68 63 58 54 51 48 45 43 41
Amarelo
malha 50 40 0,77 231 185 154 132 116 103 92 84 77 71 66 62 58 54 51 49 46
50 0,86 258 206 172 147 129 115 103 94 86 79 74 69 65 61 57 54 52
20 0,86 258 206 172 147 129 115 103 94 86 79 74 69 65 61 57 54 52
110.SF-03 30 1,05 315 252 210 180 158 140 126 115 105 97 90 84 79 74 70 66 63
Azul
malha 50 40 1,19 357 286 238 204 179 159 143 130 119 110 102 95 89 84 79 75 71
50 1,33 399 319 266 228 200 177 160 145 133 123 114 106 100 94 89 84 80
20 1,18 354 283 236 202 177 157 142 129 118 109 101 94 89 83 79 75 71
110.SF-04 30 1,42 426 341 284 243 213 189 170 155 142 131 122 114 107 100 95 90 85
Vermelho
malha 50 40 1,58 474 379 316 271 237 211 190 172 158 146 135 126 119 112 105 100 95
50 1,79 537 430 358 307 269 239 215 195 179 165 153 143 134 126 119 113 107
B I C O S D A S É R I E L D • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 3 5 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,44 189 151 126 108 94 84 75 69 63 58 54 50 47 44 42 40 38

110.LD- 30 0,53 227 182 151 130 114 101 91 83 76 70 65 61 57 53 50 48 45


015
Verde 40 0,59 253 202 169 144 126 112 101 92 84 78 72 67 63 59 56 53 51
malha 80
50 0,67 287 230 191 164 144 128 115 104 96 88 82 77 72 68 64 60 57

20 0,55 236 189 157 135 118 105 94 86 79 73 67 63 59 55 52 50 47


110.LD-02 30 0,68 291 233 194 167 146 130 117 106 97 90 83 78 73 69 65 61 58
Amarelo
malha 50 40 0,77 330 264 220 189 165 147 132 120 110 102 94 88 83 78 73 69 66

50 0,86 369 295 246 211 184 164 147 134 123 113 105 98 92 87 82 78 74

20 0,84 360 288 240 206 180 160 144 131 120 111 103 96 90 85 80 76 72
110.LD-03 30 1,03 441 353 294 252 221 196 177 161 147 136 126 118 110 104 98 93 88
Azul
malha 50 40 1,17 501 401 334 287 251 223 201 182 167 154 143 134 125 118 111 106 100

50 1,30 557 446 371 318 279 248 223 203 186 171 159 149 139 131 124 117 111

20 1,15 493 394 329 282 246 219 197 179 164 152 141 131 123 116 110 104 99
110.LD-04
30 1,40 600 480 400 343 300 267 240 218 200 185 171 160 150 141 133 126 120
Vermelho
malha 50 40 1,59 681 545 454 389 341 303 273 248 227 210 195 182 170 160 151 143 136

50 1,75 750 600 500 429 375 333 300 273 250 231 214 200 188 176 167 158 150

BICOS DA SÉRIE LD

13
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
BICOS DA SÉRIE LD

14
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E L D • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,44 165 132 110 94 83 73 66 60 55 51 47 44 41 39 37 35 33

110.LD- 30 0,53 199 159 133 114 99 88 80 72 66 61 57 53 50 47 44 42 40


015
Verde 40 0,59 221 177 148 126 111 98 89 80 74 68 63 59 55 52 49 47 44
malha 80
50 0,67 251 201 168 144 126 112 101 91 84 77 72 67 63 59 56 53 50

20 0,55 206 165 138 118 103 92 83 75 69 63 59 55 52 49 46 43 41


110.LD-02 30 0,68 255 204 170 146 128 113 102 93 85 78 73 68 64 60 57 54 51
Amarelo
malha 50 40 0,77 289 231 193 165 144 128 116 105 96 89 83 77 72 68 64 61 58

50 0,86 323 258 215 184 161 143 129 117 108 99 92 86 81 76 72 68 65

20 0,84 315 252 210 180 158 140 126 115 105 97 90 84 79 74 70 66 63
110.LD-03 30 1,03 386 309 258 221 193 172 155 140 129 119 110 103 97 91 86 81 77
Azul
malha 50 40 1,17 439 351 293 251 219 195 176 160 146 135 125 117 110 103 98 92 88

50 1,30 488 390 325 279 244 217 195 177 163 150 139 130 122 115 108 103 98

20 1,15 431 345 288 246 216 192 173 157 144 133 123 115 108 101 96 91 86
110.LD-04
30 1,40 525 420 350 300 263 233 210 191 175 162 150 140 131 124 117 111 105
Vermelho
malha 50 40 1,59 596 477 398 341 298 265 239 217 199 183 170 159 149 140 133 126 119

50 1,75 656 525 438 375 328 292 263 239 219 202 188 175 164 154 146 138 131
B I C O S D A S É R I E L D • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 45 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,44 146 117 97 83 73 65 58 53 48 45 42 39 36 34 32 30 29

110.LD- 30 0,53 176 141 117 101 88 78 70 64 58 54 50 47 44 41 39 37 35


015
Verde 40 0,59 196 157 131 112 98 87 78 71 65 60 56 52 49 46 43 41 39
malha 80
50 0,67 223 178 148 127 111 99 89 81 74 68 63 59 55 52 49 47 44

20 0,55 183 146 122 104 91 81 73 66 61 56 52 48 45 43 40 38 36


110.LD-02 30 0,68 226 181 151 129 113 100 90 82 75 69 64 60 56 53 50 47 45
Amarelo
malha 50 40 0,77 256 205 171 146 128 114 102 93 85 78 73 68 64 60 57 54 51

50 0,86 286 229 191 163 143 127 114 104 95 88 82 76 71 67 63 60 57

20 0,84 280 224 186 160 140 124 112 101 93 86 80 74 70 65 62 59 56


110.LD-03 30 1,03 343 274 228 196 171 152 137 124 114 105 98 91 85 80 76 72 68
Azul
malha 50 40 1,17 390 312 260 222 195 173 156 141 130 120 111 104 97 91 86 82 78

50 1,30 433 346 288 247 216 192 173 157 144 133 123 115 108 101 96 91 86

20 1,15 383 306 255 219 191 170 153 139 127 117 109 102 95 90 85 80 76
110.LD-04
30 1,40 466 373 311 266 233 207 186 169 155 143 133 124 116 109 103 98 93
Vermelho
malha 50 40 1,59 530 424 353 302 265 235 212 192 176 163 151 141 132 124 117 111 106

50 1,75 583 466 388 333 291 259 233 212 194 179 166 155 145 137 129 122 116

BICOS DA SÉRIE LD

15
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
BICOS DA SÉRIE LD

16
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E L D • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 5 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
20 0,44 132 106 88 75 66 59 53 48 44 41 38 35 33 31 29 28 26

110.LD- 30 0,53 159 127 106 91 80 71 64 58 53 49 45 42 40 37 35 33 32


015
Verde 40 0,59 177 142 118 101 89 79 71 64 59 54 51 47 44 42 39 37 35
malha 80
50 0,67 201 161 134 115 101 89 80 73 67 62 57 54 50 47 45 42 40

20 0,55 165 132 110 94 83 73 66 60 55 51 47 44 41 39 37 35 33


110.LD-02 30 0,68 204 163 136 117 102 91 82 74 68 63 58 54 51 48 45 43 41
Amarelo
malha 50 40 0,77 231 185 154 132 116 103 92 84 77 71 66 62 58 54 51 49 46

50 0,86 258 206 172 147 129 115 103 94 86 79 74 69 65 61 57 54 52

20 0,84 252 202 168 144 126 112 101 92 84 78 72 67 63 59 56 53 50


110.LD-03 30 1,03 309 247 206 177 155 137 124 112 103 95 88 82 77 73 69 65 62
Azul
malha 50 40 1,17 351 281 234 201 176 156 140 128 117 108 100 94 88 83 78 74 70

50 1,30 390 312 260 223 195 173 156 142 130 120 111 104 98 92 87 82 78

20 1,15 345 276 230 197 173 153 138 125 115 106 99 92 86 81 77 73 69
110.LD-04
30 1,40 420 336 280 240 210 187 168 153 140 129 120 112 105 99 93 88 84
Vermelho
malha 50 40 1,59 477 382 318 273 239 212 191 173 159 147 136 127 119 112 106 100 95

50 1,75 525 420 350 300 263 233 210 191 175 162 150 140 131 124 117 111 105
B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0 • VO L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 3 5 c m

VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


PRESSÃO VAZÃO
BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
API 20 0,43 184 147 123 105 92 82 74 67 61 57 53 49 46 43 41 39 37
110.015 30 0,52 223 178 149 127 111 99 89 81 74 69 64 59 56 52 50 47 45
Verde 40 0,60 257 206 171 147 129 114 103 94 86 79 73 69 64 61 57 54 51
malha 80 50 291 233 194 167 146 130 117 106 97 90 83 78 73 69 65 61 58
0,68
API 20 0,57 244 195 163 140 122 109 98 89 81 75 70 65 61 57 54 51 49
110.02 30 0,70 300 240 200 171 150 133 120 109 100 92 86 80 75 71 67 63 60
Amarelo 40 0,80 343 274 229 196 171 152 137 125 114 105 98 91 86 81 76 72 69
malha 50 50 0,90 386 309 257 220 193 171 154 140 129 119 110 103 96 91 86 81 77
API 20 0,86 369 295 246 211 184 164 147 134 123 113 105 98 92 87 82 78 74
110.03 30 1,06 454 363 303 260 227 202 182 165 151 140 130 121 114 107 101 96 91
Azul 40 1,20 514 411 343 294 257 229 206 187 171 158 147 137 129 121 114 108 103
malha 50 50 1,36 583 466 389 333 291 259 233 212 194 179 167 155 146 137 130 123 117
API 20 1,15 493 394 329 282 246 219 197 179 164 152 141 131 123 116 110 104 99
110.04 30 1,40 600 480 400 343 300 267 240 218 200 185 171 160 150 141 133 126 120
Vermelho 40 1,60 686 549 457 392 343 305 274 249 229 211 196 183 171 161 152 144 137
malha 50 50 1,81 776 621 517 443 388 345 310 282 259 239 222 207 194 183 172 163 155
API 20 1,48 634 507 423 362 317 282 254 231 211 195 181 169 159 149 141 134 127
110.05 30 1,74 746 597 497 426 373 331 298 271 249 229 213 199 186 175 166 157 149
Marrom 40 2,00 857 686 571 490 429 381 343 312 286 264 245 229 214 202 190 180 171
malha 50 50 2,24 960 768 640 549 480 427 384 349 320 295 274 256 240 226 213 202 192
API 20 1,66 711 569 474 407 356 316 285 259 237 219 203 190 178 167 158 150 142
110.06 30 2,06 883 706 589 504 441 392 353 321 294 272 252 235 221 208 196 186 177
Cinza 40 2,40 1029 823 686 588 514 457 411 374 343 316 294 274 257 242 229 217 206
malha 50 50 2,59 1110 888 740 634 555 493 444 404 370 342 317 296 278 261 247 234 222

B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0

17
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0

18
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0 • VO L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
API 20 0,43 161 129 108 92 81 72 65 59 54 50 46 43 40 38 36 34 32
110.015 30 0,52 195 156 130 111 98 87 78 71 65 60 56 52 49 46 43 41 39
Verde 40 0,60 225 180 150 129 113 100 90 82 75 69 64 60 56 53 50 47 45
malha 80 50 255 204 170 146 128 113 102 93 85 78 73 68 64 60 57 54 51
0,68
API 20 0,57 214 171 143 122 107 95 86 78 71 66 61 57 53 50 48 45 43
110.02 30 0,70 263 210 175 150 131 117 105 95 88 81 75 70 66 62 58 55 53
Amarelo 40 0,80 300 240 200 171 150 133 120 109 100 92 86 80 75 71 67 63 60
malha 50 50 0,90 338 270 225 193 169 150 135 123 113 104 96 90 84 79 75 71 68
API 20 0,86 323 258 215 184 161 143 129 117 108 99 92 86 81 76 72 68 65
110.03 30 1,06 398 318 265 227 199 177 159 145 133 122 114 106 99 94 88 84 80
Azul 40 1,20 450 360 300 257 225 200 180 164 150 138 129 120 113 106 100 95 90
malha 50 50 1,36 510 408 340 291 255 227 204 185 170 157 146 136 128 120 113 107 102
API 20 1,15 431 345 288 246 216 192 173 157 144 133 123 115 108 101 96 91 86
110.04 30 1,40 525 420 350 300 263 233 210 191 175 162 150 140 131 124 117 111 105
Vermelho 40 1,60 600 480 400 343 300 267 240 218 200 185 171 160 150 141 133 126 120
malha 50 50 1,81 679 543 453 388 339 302 272 247 226 209 194 181 170 160 151 143 136
API 20 1,48 555 444 370 317 278 247 222 202 185 171 159 148 139 131 123 117 111
110.05 30 1,74 653 522 435 373 326 290 261 237 218 201 186 174 163 154 145 137 131
Marrom 40 2,00 750 600 500 429 375 333 300 273 250 231 214 200 188 176 167 158 150
malha 50 50 2,24 840 672 560 480 420 373 336 305 280 258 240 224 210 198 187 177 168
API 20 1,66 623 498 415 356 311 277 249 226 208 192 178 166 156 146 138 131 125
110.06 30 2,06 773 618 515 441 386 343 309 281 258 238 221 206 193 182 172 163 155
Cinza 40 2,40 900 720 600 514 450 400 360 327 300 277 257 240 225 212 200 189 180
malha 50 50 2,59 971 777 648 555 486 432 389 353 324 299 278 259 243 229 216 204 194
B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0 • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 5c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
API 20 0,43 143 114 95 82 71 63 57 52 47 44 41 38 35 33 31 30 28
110.015 30 0,52 173 138 115 99 86 77 69 63 57 53 49 46 43 40 38 36 34
Verde 40 0,60 200 160 133 114 100 88 80 72 66 61 57 53 50 47 44 42 40
malha 80 50 226 181 151 129 113 100 90 82 75 69 64 60 56 53 50 47 45
0,68
API 20 0,57 190 152 126 108 95 84 76 69 63 58 54 50 47 44 42 40 38
110.02 30 0,70 233 186 155 133 116 103 93 84 77 71 66 62 58 55 51 49 46
Amarelo 40 0,80 266 213 177 152 133 118 106 96 88 82 76 71 66 62 59 56 53
malha 50 50 0,90 300 240 200 171 150 133 120 109 100 92 85 80 75 70 66 63 60
API 20 0,86 286 229 191 163 143 127 114 104 95 88 82 76 71 67 63 60 57
110.03 30 1,06 353 282 235 202 176 157 141 128 117 108 101 94 88 83 78 74 70
Azul 40 1,20 400 320 266 228 200 177 160 145 133 123 114 106 100 94 88 84 80
malha 50 50 1,36 453 362 302 259 226 201 181 164 151 139 129 120 113 106 100 95 90
API 20 1,15 383 306 255 219 191 170 153 139 127 117 109 102 95 90 85 80 76
110.04 30 1,40 466 373 311 266 233 207 186 169 155 143 133 124 116 109 103 98 93
Vermelho 40 1,60 533 426 355 304 266 237 213 193 177 164 152 142 133 125 118 112 106
malha 50 50 1,81 603 482 402 344 301 268 241 219 201 185 172 160 150 142 134 127 120
API 20 1,48 493 394 328 282 246 219 197 179 164 151 141 131 123 116 109 103 98
110.05 30 1,74 580 464 386 331 290 257 232 210 193 178 165 154 145 136 128 122 116
Marrom 40 2,00 666 533 444 380 333 296 266 242 222 205 190 177 166 156 148 140 133
malha 50 50 2,24 746 597 497 426 373 331 298 271 248 229 213 199 176 175 166 157 149
API 20 1,66 553 442 368 316 276 245 221 201 184 170 158 147 138 130 123 116 110
110.06 30 2,06 686 549 457 392 343 305 274 249 228 211 196 183 171 161 152 144 137
Cinza 40 2,40 800 640 533 457 400 355 320 291 266 246 228 213 200 188 177 168 160
malha 50 50 2,59 863 690 575 493 431 383 345 313 287 265 246 230 215 203 191 181 172

B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0

19
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0

20
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E A P I - 11 0 • VO L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 5 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
API 20 0,43 129 103 86 74 65 57 52 47 43 40 37 34 32 30 29 27 26
110.015 30 0,52 156 125 104 89 78 69 62 57 52 48 45 42 39 37 35 33 31
Verde 40 0,60 180 144 120 103 90 80 72 65 60 55 51 48 45 42 40 38 36
malha 80 50 0,68 204 163 136 117 102 91 82 74 68 63 58 54 51 48 45 43 41
API 20 0,57 171 137 114 98 86 76 68 62 57 53 49 46 43 40 38 36 34
110.02 30 0,70 210 168 140 120 105 93 84 76 70 65 60 56 53 49 47 44 42
Amarelo 40 0,80 240 192 160 137 120 107 96 87 80 74 69 64 60 56 53 51 48
malha 50 50 0,90 270 216 180 154 135 120 108 98 90 83 77 72 68 64 60 57 54
API 20 0,86 258 206 172 147 129 115 103 94 86 79 74 69 65 61 57 54 52
110.03 30 1,06 318 254 212 182 159 141 127 116 106 98 91 85 80 75 71 67 64
Azul 40 1,20 360 288 240 206 180 160 144 131 120 111 103 96 90 85 80 76 72
malha 50 50 1,36 408 326 272 233 204 181 163 148 136 126 117 109 102 96 91 86 82
API 20 1,15 345 276 230 197 173 153 138 125 115 106 99 92 86 81 77 73 69
110.04 30 1,40 420 336 280 240 210 187 168 153 140 129 120 112 105 99 93 88 84
Vermelho 40 1,60 480 384 320 274 240 213 192 175 160 148 137 128 120 113 107 101 96
malha 50 50 1,81 543 434 362 310 272 241 217 197 181 167 155 145 136 128 121 114 109
API 20 1,48 444 355 296 254 222 197 178 161 148 137 127 118 111 104 99 93 89
110.05 30 1,74 522 418 348 298 261 232 209 190 174 161 149 139 131 123 116 110 104
Marrom 40 2,00 600 480 400 343 300 267 240 218 200 185 171 160 150 141 133 126 120
malha 50 50 2,24 672 538 448 384 336 299 269 244 224 207 192 179 168 158 149 141 134
API 20 1,66 498 398 332 285 249 221 199 181 166 153 142 133 125 117 111 105 100
110.06 30 2,06 618 494 412 353 309 275 247 225 206 190 177 165 155 145 137 130 124
Cinza 40 2,40 720 576 480 411 360 320 288 262 240 222 206 192 180 169 160 152 144
malha 50 50 2,59 777 622 518 444 389 345 311 283 259 239 222 207 194 183 173 164 155
B I C O S D A S É R I E B J • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 3 5 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
30 0,35 150 120 100 86 75 67 60 55 50 46 43 40 38 35 33 32 30
BJ-01
Laranja 40 0,40 171 137 114 98 86 76 69 62 57 53 49 46 43 40 38 36 34
malha 80
50 0,45 193 154 129 110 96 86 77 70 64 59 55 51 48 45 43 41 39

30 0,48 206 165 137 118 103 91 82 75 69 63 59 55 51 48 46 43 41


BJ-015
Verde 40 0,55 236 189 157 135 118 105 94 86 79 73 67 63 59 55 52 50 47
malha 80
50 0,61 261 209 174 149 131 116 105 95 87 80 75 70 65 62 58 55 52

30 0,66 283 226 189 162 141 126 113 103 94 87 81 75 71 67 63 60 57


BJ-02
Amarelo 40 0,75 321 257 214 184 161 143 129 117 107 99 92 86 80 76 71 68 64
malha 50
50 0,83 356 285 237 203 178 158 142 129 119 109 102 95 89 84 79 75 71

30 0,97 416 333 277 238 208 185 166 151 139 128 119 111 104 98 92 88 83
BJ-03
Azul 40 1,11 476 381 317 272 238 211 190 173 159 146 136 127 119 112 106 100 95
malha 50
50 1,24 531 425 354 304 266 236 213 193 177 164 152 142 133 125 118 112 106

30 1,36 583 466 389 333 291 259 233 212 194 179 167 155 146 137 130 123 117
BJ-04
Vermelho 40 1,57 673 538 449 384 336 299 269 245 224 207 192 179 168 158 150 142 135
malha 50
50 1,75 750 600 500 429 375 333 300 273 250 231 214 200 188 176 167 158 150

BICOS DA SÉRIE BJ

21
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
BICOS DA SÉRIE BJ

22
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E B J • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 4 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
30 0,35 131 105 88 75 66 58 53 48 44 40 38 35 33 31 29 28 26
BJ-01
Laranja 40 0,40 150 120 100 86 75 67 60 55 50 46 43 40 38 35 33 32 30
malha 80
50 0,45 169 135 113 96 84 75 68 61 56 52 48 45 42 40 38 36 34

30 0,48 180 144 120 103 90 80 72 65 60 55 51 48 45 42 40 38 36


BJ-015
Verde 40 0,55 206 165 138 118 103 92 83 75 69 63 59 55 52 49 46 43 41
malha 80
50 0,61 229 183 153 131 114 102 92 83 76 70 65 61 57 54 51 48 46

30 0,66 248 198 165 141 124 110 99 90 83 76 71 66 62 58 55 52 50


BJ-02
Amarelo 40 0,75 281 225 188 161 141 125 113 102 94 87 80 75 70 66 63 59 56
malha 50
50 0,83 311 249 208 178 156 138 125 113 104 96 89 83 78 73 69 66 62

30 0,97 364 291 243 208 182 162 146 132 121 112 104 97 91 86 81 77 73
BJ-03
Azul 40 1,11 416 333 278 238 208 185 167 151 139 128 119 111 104 98 93 88 83
malha 50
50 1,24 465 372 310 266 233 207 186 169 155 143 133 124 116 109 103 98 93

30 1,36 510 408 340 291 255 227 204 185 170 157 146 136 128 120 113 107 102
BJ-04
Vermelho 40 1,57 589 471 393 336 294 262 236 214 196 181 168 157 147 139 131 124 118
malha 50
50 1,75 656 525 438 375 328 292 263 239 219 202 188 175 164 154 146 138 131
B I C O S D A S É R I E B J • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 45c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
30 0,35 116 93 77 66 58 51 46 42 38 36 33 31 29 27 26 24 23
BJ-01
Laranja 40 0,40 133 106 88 76 66 59 53 48 44 41 38 35 33 31 29 28 26
malha 80
50 0,45 150 120 100 85 75 66 60 54 50 46 42 40 37 35 33 31 30

30 0,48 160 128 106 91 80 71 64 58 53 49 45 42 40 37 35 33 32


BJ-015
Verde 40 0,55 183 146 122 104 91 81 73 66 61 56 52 48 45 43 40 38 36
malha 80
50 0,61 203 162 135 116 101 90 81 74 67 62 58 54 50 47 45 42 40

30 0,66 220 176 146 125 110 97 88 80 73 67 62 58 55 51 48 46 44


BJ-02
Amarelo 40 0,75 250 200 166 142 125 111 100 91 83 76 71 66 62 58 55 52 50
malha 50
50 0,83 276 221 184 158 138 123 110 100 92 85 79 73 69 65 61 58 55

30 0,97 323 258 215 184 161 143 129 117 107 99 92 86 80 76 71 68 64
BJ-03
Azul 40 1,11 370 296 246 211 185 164 148 134 123 113 105 98 92 87 82 77 74
malha 50
50 1,24 413 330 275 236 206 183 165 150 137 127 118 110 103 97 91 87 82

30 1,36 453 362 302 259 226 201 181 164 151 139 129 120 113 106 100 95 90
BJ-04
Vermelho 40 1,57 523 418 348 299 261 232 209 190 174 161 149 139 130 123 116 110 104
malha 50
50 1,75 583 466 388 333 291 259 233 212 194 179 166 155 145 137 129 122 116

BICOS DA SÉRIE BJ

23
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
BICOS DA SÉRIE BJ

24
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E B J • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 5 0 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
30 0,35 105 84 70 60 53 47 42 38 35 32 30 28 26 25 23 22 21
BJ-01
Laranja 40 0,40 120 96 80 69 60 53 48 44 40 37 34 32 30 28 27 25 24
malha 80
50 0,45 135 108 90 77 68 60 54 49 45 42 39 36 34 32 30 28 27

30 0,48 144 115 96 82 72 64 58 52 48 44 41 38 36 34 32 30 29


BJ-015
Verde 40 0,55 165 132 110 94 83 73 66 60 55 51 47 44 41 39 37 35 33
malha 80
50 0,61 183 146 122 105 92 81 73 67 61 56 52 49 46 43 41 39 37

30 0,66 198 158 132 113 99 88 79 72 66 61 57 53 50 47 44 42 40


BJ-02
Amarelo 40 0,75 225 180 150 129 113 100 90 82 75 69 64 60 56 53 50 47 45
malha 50
50 0,83 249 199 166 142 125 111 100 91 83 77 71 66 62 59 55 52 50

30 0,97 291 233 194 166 146 129 116 106 97 90 83 78 73 68 65 61 58


BJ-03
Azul 40 1,11 333 266 222 190 167 148 133 121 111 102 95 89 83 78 74 70 67
malha 50
50 1,24 372 298 248 213 186 165 149 135 124 114 106 99 93 88 83 78 74

30 1,36 408 326 272 233 204 181 163 148 136 126 117 109 102 96 91 86 82
BJ-04
Vermelho 40 1,57 471 377 314 269 236 209 188 171 157 145 135 126 118 111 105 99 94
malha 50
50 1,75 525 420 350 300 263 233 210 191 175 162 150 140 131 124 117 111 105
B I C O S D A S É R I E AVI-110 • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 35 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
AVI 30 0,49 210 168 140 120 105 93 84 76 70 65 60 56 53 49 47 44 42
110-015
Verde 60 0,69 296 237 197 169 148 131 118 108 99 91 84 79 74 70 66 62 59
Malha 80 90 0,85 364 291 243 208 182 162 146 132 121 112 104 97 91 86 81 77 73
AVI 30 0,66 283 226 189 162 141 126 113 103 94 87 81 75 71 67 63 60 57
110-02
Amarelo 60 0,91 390 312 260 223 195 173 156 142 130 120 111 104 98 92 87 82 78
Malha 80 90 1,13 484 387 323 277 242 215 194 176 161 149 138 129 121 114 108 102 97
AVI 30 0,82 351 281 234 201 176 156 141 128 117 108 100 94 88 83 78 74 70
110-025
Lilás 60 1,16 497 398 331 284 249 221 199 181 166 153 142 133 124 117 110 105 99
Malha 50 90 1,42 609 487 406 348 304 270 243 221 203 187 174 162 152 143 135 128 122
AVI 30 0,98 420 336 280 240 210 187 168 153 140 129 120 112 105 99 93 88 84
110-03
Azul 60 1,39 596 477 397 340 298 265 238 217 199 183 170 159 149 140 132 125 119
Malha 50 90 1,70 729 583 486 416 364 324 291 265 243 224 208 194 182 171 162 153 146
AVI 30 1,31 561 449 374 321 281 250 225 204 187 173 160 150 140 132 125 118 112
110-04
Vermelho 60 1,85 793 634 529 453 396 352 317 288 264 244 227 211 198 187 176 167 159
Malha 50 90 2,27 973 778 649 556 486 432 389 354 324 299 278 259 243 229 216 205 195
AVI-110- 30 1,63 699 559 466 399 349 310 279 254 233 215 200 186 175 164 155 147 140
05
Marrom
60 2,30 986 789 657 563 493 438 394 358 329 303 282 263 246 232 219 208 197
Malha 50 90 2,83 1213 970 809 693 606 539 485 441 404 373 347 323 303 285 270 255 243
AVI-110- 30 2,04 874 699 583 500 437 389 350 318 291 269 250 233 219 206 194 184 175
06
Cinza
60 2,88 1234 987 823 705 617 549 494 449 411 380 353 329 309 290 274 260 247
Malha 50 90 3,53 1513 1210 1009 864 756 672 605 550 504 465 432 403 378 356 336 318 303

B I C O S D A S É R I E AV I - 11 0

25
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E AV I - 11 0

26
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E AVI-110 • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 40cm

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
AVI 30 0,49 184 147 123 105 92 82 74 67 61 57 53 49 46 43 41 39 37
110-015
Verde 60 0,69 259 207 173 148 129 115 104 94 86 80 74 69 65 61 58 54 52
Malha 80 90 0,85 319 255 213 182 159 142 128 116 106 98 91 85 80 75 71 67 64
AVI 30 0,66 248 198 165 141 124 110 99 90 83 76 71 66 62 58 55 52 50
110-02
Amarelo 60 0,91 341 273 228 195 171 152 137 124 114 105 98 91 85 80 76 72 68
Malha 80 90 1,13 424 339 283 242 212 188 170 154 141 130 121 113 106 100 94 89 85
AVI 30 0,82 308 246 205 176 154 137 123 112 103 95 88 82 77 72 68 65 62
110-025
Lilás 60 1,16 435 348 290 249 218 193 174 158 145 134 124 116 109 102 97 92 87
Malha 50 90 1,42 533 426 355 304 266 237 213 194 178 164 152 142 133 125 118 112 107
AVI 30 0,98 368 294 245 210 184 163 147 134 123 113 105 98 92 86 82 77 74
110-03
Azul 60 1,39 521 417 348 298 261 232 209 190 174 160 149 139 130 123 116 110 104
Malha 50 90 1,70 638 510 425 364 319 283 255 232 213 196 182 170 159 150 142 134 128
AVI 30 1,31 491 393 328 281 246 218 197 179 164 151 140 131 123 116 109 103 98
110-04
Vermelho 60 1,85 694 555 463 396 347 308 278 252 231 213 198 185 173 163 154 146 139
Malha 50 90 2,27 851 681 568 486 426 378 341 310 284 262 243 227 213 200 189 179 170
AVI 30 1,63 611 489 408 349 306 272 245 222 204 188 175 163 153 144 136 129 122
110-05
Marrom
60 2,30 863 690 575 493 431 383 345 314 288 265 246 230 216 203 192 182 173
Malha 50 90 2,83 1061 849 708 606 531 472 425 386 354 327 303 283 265 250 236 223 212
AVI 30 2,04 765 612 510 437 383 340 306 278 255 235 219 204 191 180 170 161 153
110-06
Cinza
60 2,88 1080 864 720 617 540 480 432 393 360 332 309 288 270 254 240 227 216
Malha 50 90 3,53 1324 1059 883 756 662 588 530 481 441 407 378 353 331 311 294 279 265
B I C O S D A S É R I E AVI-110 • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 45cm

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
AVI 30 0,49 163 130 108 93 81 72 65 59 54 50 46 43 40 38 36 34 32
110-015
Verde 60 0,69 230 184 153 131 115 102 92 83 76 70 65 61 57 54 51 48 46
Malha 80 90 0,85 283 226 188 162 141 126 113 103 94 87 81 75 70 66 63 59 56
AVI 30 0,66 220 176 146 125 110 97 88 80 73 67 62 58 55 51 48 46 44
110-02
Amarelo 60 0,91 303 242 202 173 151 134 121 110 101 93 86 80 75 71 67 63 60
Malha 80 90 1,13 376 301 251 215 188 167 150 136 125 116 107 100 94 88 83 79 75
AVI 30 0,82 273 218 182 156 136 121 109 99 91 84 78 72 68 64 60 57 54
110-025
Lilás 60 1,16 386 309 257 220 193 171 154 140 128 118 110 103 96 91 86 81 77
Malha 50 90 1,42 473 378 315 270 236 210 189 172 157 145 135 126 118 111 105 99 94
AVI 30 0,98 326 261 217 186 163 145 130 118 108 100 93 87 81 76 72 68 65
110-03
Azul 60 1,39 463 370 308 264 231 206 185 168 154 142 132 123 115 109 103 97 92
Malha 50 90 1,70 566 453 377 323 283 251 226 206 188 174 162 151 141 133 126 119 113
AVI 30 1,31 436 349 291 249 218 194 174 158 145 134 124 116 109 102 97 92 87
110-04
Vermelho 60 1,85 616 493 411 352 308 274 246 224 205 189 176 164 154 145 137 129 123
Malha 50 90 2,27 756 605 504 432 378 336 302 275 252 232 216 201 189 178 168 159 151
AVI 30 1,63 543 434 362 310 271 241 217 197 181 167 155 144 135 127 120 114 108
110-05
Marrom
60 2,30 766 613 511 438 383 340 306 278 255 236 219 204 191 180 170 161 153
Malha 50 90 2,83 943 754 628 539 471 419 377 343 314 290 269 251 235 222 209 198 188
AVI 30 2,04 680 544 453 388 340 302 272 247 226 209 194 181 170 160 151 143 136
110-06
Cinza
60 2,88 960 768 640 548 480 426 384 349 320 295 274 256 240 225 213 202 192
Malha 50 90 3,53 1176 941 784 672 588 522 470 427 392 362 336 313 294 276 261 247 235

B I C O S D A S É R I E AV I - 11 0

27
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E AV I - 11 0

28
Capítulo 9
UNIPORT
2500 STAR
B I C O S D A S É R I E AVI-110 • V O L U M E S D E P U LV E R I Z A Ç Ã O C O M B I C O S E S PA Ç A D O S A 50 c m

PRESSÃO VAZÃO VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO (km/h)


BICO POR BICO 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
(lbf/pol2) (L/mim) VOLUME DE PULVERIZAÇÃO (l/ha)
AVI 30 0,49 147 118 98 84 74 65 59 53 49 45 42 39 37 35 33 31 29
110-015
Verde 60 0,69 207 166 138 118 104 92 83 75 69 64 59 55 52 49 46 44 41
Malha 80 90 0,85 255 204 170 146 128 113 102 93 85 78 73 68 64 60 57 54 51
AVI 30 0,66 198 158 132 113 99 88 79 72 66 61 57 53 50 47 44 42 40
110-02
Amarelo 60 0,91 273 218 182 156 137 121 109 99 91 84 78 73 68 64 61 57 55
Malha 80 90 1,13 339 271 226 194 170 151 136 123 113 104 97 90 85 80 75 71 68
AVI 30 0,82 246 197 164 141 123 109 98 89 85 76 70 66 62 58 55 52 49
110-025
Lilás 60 1,16 348 278 232 199 174 155 139 127 116 107 99 93 87 82 77 73 70
Malha 50 90 1,42 426 341 284 243 213 189 170 155 142 131 122 114 107 100 95 90 85
AVI 30 0,98 294 235 196 168 147 131 118 107 98 90 84 78 74 69 65 62 59
110-03
Azul 60 1,39 417 334 278 238 209 185 167 152 139 128 119 111 104 98 93 88 83
Malha 50 90 1,70 510 408 340 291 255 227 204 185 170 157 146 136 128 120 113 107 102
AVI 30 1,31 393 314 262 225 197 175 157 143 131 121 112 105 98 92 87 83 79
110-04
Vermelho 60 1,85 555 444 370 317 278 247 222 202 185 171 159 148 139 131 123 117 111
Malha 50 90 2,27 681 545 454 389 341 303 272 248 227 210 195 182 170 160 151 143 136
AVI 30 1,63 489 391 326 279 245 217 196 178 163 150 140 130 122 115 109 103 98
110-05
Marrom
60 2,30 690 552 460 394 345 307 276 251 230 212 197 184 173 162 153 145 138
Malha 50 90 2,83 849 679 566 485 425 377 340 309 283 261 243 226 212 200 189 179 170
AVI 30 2,04 612 490 408 350 306 272 245 223 204 188 175 163 153 144 136 129 122
110-06
Cinza
60 2,88 864 691 576 494 432 384 346 314 288 266 247 230 216 203 192 182 173
Malha 50 90 3,53 1059 847 706 605 530 471 424 385 353 326 303 282 265 249 235 223 212