Você está na página 1de 8

INTRODUÇÃO

As soluções químicas são misturas de substâncias chamadas de soluto e solvente.


Essas misturas são homogêneas, isso significa dizer que elas ocorrem em uma única
fase.

As partículas das soluções químicas têm diâmetro inferior a 1 nm (nanômetro) na


dispersão das misturas. Por isso, elas não podem ser separadas, nem mesmo através de
filtragem.

Pode-se encontrar vários tipos de soluções químicas no nosso dia a dia, como o
soro fisiológico muito utilizado em clínicas e hospitais para a hidratação corporal
através de transmissão venosa.

Página 1
CONCEITO DE MISTURA
Uma mistura é uma matéria constituída por diferentes moléculas. Por sua vez, às
matérias formadas por moléculas que forem todas iguais dá-se-lhes o nome de
composto químico ou substância quimicamente pura.

Numa mistura, não se produzem modificações químicas. Porém, as propriedades


químicas podem diferir consoante os diferentes constituintes. Em geral, as misturas
podem ser separadas (isto é, isolados os seus constituintes) por meio de métodos
mecânicos.

Pode-se dizer que a mistura consiste na agregação ou incorporação de várias


substâncias ou corpos que não têm qualquer acção química entre si.

Existem dois grandes tipos de misturas: as misturas homogéneas e as misturas


heterogéneas. As misturas são ditas homogéneas quando se unem substâncias puras em
proporção variável, sem que nenhuma perca as suas propriedades originais. Estas
misturas, cujos componentes não podem ser vistos a olho nu pelo facto de apresentarem
uma única fase, chamam-se dissoluções.

MISTURAS HOMOGÊNEAS
Uma mistura é formada por duas ou mais substâncias puras, elas podem ser
classificadas em homogêneas ou heterogêneas. A diferença entre elas é que a mistura
homogênea é uma solução que apresenta uma única fase enquanto a heterogênea pode
apresentar duas ou mais fases. Mas o que é fase? Fase é cada porção que apresenta
aspecto visual uniforme.

Exemplos de misturas homogêneas: água do mar e o ar. Percebe-se a olho nu que


estas duas substâncias apresentam uma única fase, porém a água do mar contém, além
de água, uma quantidade enorme de sais minerais. O ar por sua vez é uma mistura de
nitrogênio e oxigênio que apresenta aspecto visual homogêneo.

Os métodos que permitem separar as misturas homogêneas:

 Destilação simples: empregada na separação de misturas homogêneas compostas


por sólido-líquido.

Página 2
 Destilação fracionada: outro método usado para separar misturas homogêneas
que permite separar misturas líquidas.
 Fusão fracionada: método usado para separar mistura homogênea composta por
vários sólidos, como o próprio nome já diz, se baseia no ponto de fusão dos
componentes da mistura.

MISTURAS HETEROGÊNEAS
As misturas (união de duas ou mais substâncias diferentes), de uma forma geral,
estão muito presentes no nosso dia a dia. Quer ver um exemplo? A mistura de um pouco
de chocolate em pó ao leite que quase todos nós fazemos no café da manhã. Elas são
formadas por dois materiais, um chamado de dispersante e o outro chamado de disperso.
O dispersante sempre é o componente em maior quantidade na mistura, enquanto o
disperso é o componente em menor quantidade

O foco do texto de hoje são as Misturas Heterogêneas, isto é, aquelas que


apresentam duas ou mais fases. Essas fases podem ser percebidas pelo seu aspecto
visual, como estados físicos ou cores diferentes. Geralmente, as misturas heterogêneas
são classificadas em suspensões ou coloides, e essa classificação é determinada pelo
tamanho das partículas do componente em menor quantidade da mistura.

♦ Coloides: apresentam partículas com tamanho entre 10 e 1000 angstroms¹;

♦ Suspensões: apresentam partículas com tamanho maior do que 1000 angstroms.

Observação: Um angstrom corresponde a 10-10 metros, ou seja, um angstrom é


10000000000 vezes menor que um metro.

Mas o que são, propriamente, uma suspensão e um coloide? Bom, já sabemos que
são misturas heterogêneas diferenciadas pelo tamanho dos materiais que estão em
menor quantidade.

MISTURAS COLOIDAIS
Uma mistura coloidal é caracterizada pela existência de partículas de uma fase,
dispersas noutra fase, geralmente contínua. As partículas da fase dispersa apresentam
algumas características particulares: as suas dimensões podem variar entre 1 nm
(1×10−9 m) e 1 µm (1×10−6 m); podem ser constituídas por conjuntos de átomos, iões

Página 3
ou moléculas (coloides micelares), por macromoléculas (coloides moleculares) ou por
iões gigantes (coloides iônicos); podem ser encontradas nos diversos estados físicos:
partículas sólidas cristalinas ou amorfas, gotas de líquido, bolhas de gás. O interesse
crescente no estudo e desenvolvimento das misturas coloidais explica-se pelas inúmeras
aplicações atuais: na indústria alimentar (leites, maioneses, cremes, manteigas,
margarinas, espumas, chocolates, etc...); na indústria têxtil (lã, seda, linho, algodão,
etc...); na construção civil (materiais de construção). Sabe-se hoje que algumas
propriedades físicas importantes dos alimentos são devidas às misturas coloidais. São
exemplos: a viscosidade, a plasticidade, a elasticidade, a retenção de água e a coesão.

Nas misturas coloidais, os componentes da mistura não se distinguem a olho nu,


contudo se usarmos um instrumento de ampliação, como um microscópio, conseguir-se-
ia distinguir muito melhor os diferentes componentes da mistura.

SOLUÇÕES QUÍMICAS
Soluções são sistemas homogêneos formados pela mistura de duas ou mais
substâncias.

As soluções são constituídas de dois componentes: o soluto, que é o que se


dissolve e se encontra em menor quantidade, e o solvente, que é o componente em
maior quantidade e que atua dissolvendo o soluto.

Por exemplo, quando misturamos o sal na água, produzimos uma solução em que
o sal é o soluto e a água é o solvente.

Devido à sua capacidade de dissolver uma grande quantidade de substâncias, a


água é denominada de solvente universal.

Em determinadas situações podem surgir dúvidas quanto à determinação do soluto


e do solvente. Um exemplo é quando se misturam partes iguais de álcool etílico e água,
em que as duas substâncias dissolvem entre si infinitamente. Assim, essa determinação
se torna uma simples questão operacional e qualquer um dos dois pode ser classificado
como solvente, dependendo da utilidade.

Na maioria dos casos, porém, é possível identificar quem atua como soluto e
quem atua como solvente.

Página 4
A principal característica das soluções é serem homogêneas, pois isso significa
que o soluto está dissolvido de modo uniforme por toda a sua extensão. Isso é
importante porque mostra que as soluções possuem propriedades iguais em todos os
seus pontos. Se um técnico colher várias amostras de determinada solução, todas terão
as mesmas propriedades, pontos de fusão e ebulição, densidade e composição.

Mas existem outras características importantes que distinguem as soluções


verdadeiras, que são:

As partículas do soluto são menores que 1 nm: Isso significa que nem mesmo com
um ultramicroscópio a mistura deixa de ser homogênea. Isso é importante porque
existem casos de misturas que parecem ser soluções a olho nu, mas que na verdade são
misturas heterogêneas quando olhamos no microscópio.

Dois exemplos são o leite e o sangue. Abaixo vemos a imagem desses compostos,
que na verdade não são soluções:

Seus componentes não podem ser separados por métodos físicos, apenas
químicos: Isso é resultado do tamanho de suas partículas dispersas, que não podem ser
retidas por um filtro e também não se sedimentam sob a ação de uma ultracentrífuga.

O sangue, por exemplo, conforme já dito, não é uma solução verdadeira, e isso
pode ser visto na figura abaixo, em que seus componentes foram separados pela ação de
uma ultracentrífuga:

Já no caso de separarmos, por exemplo, uma solução de sal e água, seria


necessário usar um processo químico, como a destilação.

Página 5
CONCLUSÃO
As soluções são definidas como misturas homogêneas de duas ou mais
substâncias. Elas são encontradas em qualquer um dos três estados da matéria: sólido,
líquido e gasoso. Todas as misturas gasosas são soluções porque qualquer mistura de
gases é homogênea. Soluções sólidas, como certas ligas metálicas, são comuns. A
grande maioria das soluções, entretanto, existe no estado líquido. Soluções líquidas são
formadas pela dissolução de um gás, líquido ou sólido em um líquido. Se o líquido é a
água, a solução é chamada de solução aquosa. Pode-se preparar uma solução com uma
determinada concentração de um a substancia a partir do solvente e do soluto puros ou a
partir de uma outra solução dessa mesma substância.

Página 6
BIBLIOGRAFIA
UPAC, Compêndio de Terminologia Química, 2ª ed. ("Gold Book"). Compilado por A.
D. McNaught e A. Wilkinson. Blackwell Scientific Publications, Oxford (1997). Versão
online:

Atkins, Peter W.; Jones, Loretta (2001). Princípios de química: questionando a vida
moderna e o meio ambiente. Porto Alegre: Bookman. pp. 80–81, 809. ISBN
8573077395

Lew, Kristi (2009). «Homogeneous». Acids and Bases, Essential Chemistry. New
York: Chelsea House Publishing. Online publisher: Science Online. Facts On File, Inc.
ISBN 978-0-7910-9783-0 access date: 2010-01-01

Usberco, João; Salvador, Edgard (2014). «Unidade 2: A Matéria». Conecte Química


(Volume Único) 1 ed. São Paulo: Saraiva

Página 7
ÍNDICE

INTRODUÇÃO ............................................................................................................................ 1
CONCEITO DE MISTURA ......................................................................................................... 2
MISTURAS HOMOGÊNEAS ...................................................................................................... 2
MISTURAS HETEROGÊNEAS .................................................................................................. 3
MISTURAS COLOIDAIS ............................................................................................................ 3
SOLUÇÕES QUÍMICAS ............................................................................................................. 4
CONCLUSÃO .............................................................................................................................. 6
BIBLIOGRAFIA........................................................................................................................... 7

Você também pode gostar