Você está na página 1de 39

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto

Universidade de São Paulo

Prof. Dr. Ricardo Alexandre Arcêncio

EERP-USP
Mortalidade:

• Estudar como calcular a taxa de mortalidade;


• Apreender diferenças entre mortalidade, taxa de
letalidade e mortalidade proporcional;
• Reconhecer as influências de falta de observações
no numerador e no denominador;
• Compreender as diferenças entre taxa de
mortalidade bruta e ajustada;
• Exercícios práticos;
Por que estudar mortalidade?
• É última experiência que cada ser humano tem, o que é de
tremenda importância para cada pessoa;

• Em termos epidemiológico, é de suma importância estudá-


la pois podemos identificar os fatores de exposição em cada
população e áreas geográficas:

• Serve como uma medida de severidade de uma doença e


pode nos ajudar determinar se o tratamento de uma dada
doença, tem-se tornado efetivo;

• Pode ser um substitutivo da incidência, quando uma doença


é letal na população;
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
Problemas com o denominador

Ajustada e
não
ajustada
Desconfiando da taxa mortalidade
bruta

Gordis, 2004
Padronização Direta pela Idade

EERP-USP
EERP-USP
Depois
EERP-USP
EERP-USP
EERP-USP
Escolhendo a população
padrão

EERP-USP
Padronizada pela idade

EERP-USP
padronizada

EERP-USP
PADRONIZAÇÃO INDIRETA:

EERP-USP
6,05

128,82

338,8
128,82

EERP-USP
EERP-USP