Índice

Introdução .................................................................................................................... 1

Descrição ..................................................................................................................... 3

Principais falhas: Informações financeiras e contábeis distorcidas .................................................... 8

Falta de independência com a auditoria externa ..................................................... 8

Falta de ética e ceticismo da administração e funcionários da Enron .................. 9

Desregulamentação do setor energético..................................................................10

Personificação do poder empresarial na pessoa física...........................................11

Conclusão....................................................................................................................12

1

A empresa adotou uma prática contábil conhecida como “reajuste a preço de mercado”. levou 24 dias para falir. todos se perguntavam como a Enron gerava sua receita. fazendo com que cerca de 20 mil pessoas perdessem seus empregos e mais de R$ 1 bilhão em planos de aposentadoria e fundos de pensão. registrava-se uma expectativa de quanto achava que ganharia e não o quanto. Após as revelações de fraude. que levou 16 anos para aumentar seus ativos de 10 bilhões para 65 bilhões. Em dezembro de 2001 a Enron declarou falência. ao decorrer do tempo. 2 . Uma aparência extremamente bem sucedida. fez com que suas ações na bolsa crescessem em grandes proporções a cada trimestre. que permitia registros de lucros futuros.Introdução A Enron Corporation originou suas atividades com o fornecimento de energia elétrica. Analistas afirmavam não ter dados suficientes para a análise da sua real situação financeira. Chegou a ser a 7ª maior empresa dos Estados Unidos e eleita como a empresa mais inovadora da América. surgiam escândalos a respeito da sua integridade e boa fé. Alcançando excelentes resultados em outros seguimentos além da energia. E enquanto os executivos ganhavam bônus milionários. ou seja. de fato. receberia em seus negócios. o governo dos EUA levantou uma investigação para entender como a Enron.

3 .

O Caso Enron A Enron era uma companhia de Energia e gás natural que empregava cerca de 21. uma vez que a Enron foi uma das maiores contribuidoras para a primeira campanha presidencial de Bush. Kennety Lay. 4 . fundador da Enron. Por trás de Jeff Skilling estava o co-responsável pelas fraudes ocorridas na empresa. Essa prática permite que o preço seja registrado em uma base diária no qual permite calcular lucros e perdas. Suas ações elevavam-se. pois as demonstrações contábeis e balanços eram “controlados” para que sempre fosse aumentado à lucratividade e que fosse escondido o que realmente a empresa obtivera: o prejuízo. para outros. uma das maiores e inovadora empresa do mundo. para muitos uma grande empresa. Tudo isso veio abaixo com os escândalos financeiros que a própria empresa acobertava. Em 1992 Jeff Skilling assume o então cargo de presidente (CEO) e convence a diretoria a usar uma prática contábil que permitiria que a empresa registrasse lucros futuros e não o que realmente ganharia. aventou-se a idéia de uma conspiração política. Kennety lay e Jeffy Skilling ficaram conhecidos por muitos como sinônimos de uma das maiores fraudes corporativa existente nos Estados Unidos. O caso da Enron é extremamente complexo. como o mais antigo escritório de contabilidade e auditoria dos EUA a Arthur Andersen. Além das questões financeiras. A empresa também teve “ajuda indiretamente” de colaboradores externos ligados a empresa. pois muitos suspeitavam. a Enron contabilizou ganhos projetados a contratos de energia em longo prazo como receita corrente. Acabando assim com o sonho de muito trabalhadores nos quais investiram seus salários em fundos de pensões esperando obter uma aposentadoria que permitisse uma tranqüilidade financeira. A prática conhecida como “Mark to Market” (marcação a mercado ou reajuste a valor do mercado) era uma técnica usada por empresas de corretagem.000 empregados. ou seja.

pois não se preocupavam com isso já que a empresa sempre apresentava lucros. isso fez que a aproximação de Ken e Bush aumentasse. porém. porém. aumentando o que a empresa podia chamar de “suborno”. Jeff Skilling era elogiado por Ken. os banqueiros não perguntavam por que. pouco antes de vir à tona o escândalo que culminaria no pedido de concordata da empresa. Nos 24 dias que levaram à falência da Enron. Os Traders eram incentivados pelos executivos da ENRON a investirem seus próprios bônus em ações da empresa. Jeff e Ken nutriam forças para a desregulamentação do mercado de energia. Com escândalo na mídia. assim a empresa sempre mantinha uma “crescente” e os analistas não enxergavam as fraudes. ocorreu a destruição dos documentos da Enron por parte do escritório de contabilidade que prestara serviço a mesma. nada foi provado. na época o então presidente dos Estados Unidos George W. chegando a atingir U$$ 101 bilhões de dólares no ano de 2000. Bush mantinha relações próximas a Ken e chegava a chamá-lo de Kenny Boy. e o mais preocupante e que respostas se perderam com o documento. Pergunte por que. pois a Enron sempre tivera lucros de 10 a 15% no ano. surgiram vários comentários do envolvimento do Governo de Bush junto a Ken. não importasse como. a diretoria não perguntava por que. esse era o lema da empresa para com todos os seus funcionários. O Estado da Califórnia ficou conhecido por ter sofrido a atuação da Enron. A destruição gerou diversas perguntas. nem mesmo os idealizadores do lema se perguntavam o porquê. 5 . os advogados e contadores não perguntavam por que. com isso a empresa estendesse as fraudes tornando cada vez maior o déficit para com sigo mesmo.Kennety Lay tinha um grande objetivo: Sempre ir atrás dos lucros. já que a Califórnia viria a sofrer a desregulamentação. blecautes ocasionados por influencia dos traders da Enron no Estado faziam com que os valores pedidos pela Enron fossem pagos. Kennety Lay era conhecido por uma proximidade da família presidencial dos Estados Unidos.

Tais prejuízos ocorreram na Enron. por outro lado. uma prova disso foi à atuação do seu diretor financeiro Andrew Fastow. Andy sempre era tendencioso a suprir as suas necessidades. Através da eventual ajuda dos mesmos. pois se valendo das informações que tinham como diretores se desfizeram de suas ações antes que a empresa viesse a quebrar definitivamente. Ao abrir empresas com participação na própria ENRON. Participação de banqueiros na empresa também gerou desconfiança. havia um buraco negro nos lucros que deflagrou diversas cláusulas de pagamento nos contratos de empréstimo da empresa. 6 . por exemplo. Criou-se uma parceria financeira. Com a quebra da Enron. através de empresas ligadas a ele com. Isso é uma destruição de documentos que aconteceu quando os auditores perceberam claramente que a empresa estava com problemas. como a usina criada na índia. Quando as contas tiveram de ser refeitas. inteligentemente usada para esconder os prejuízos da empresa. supostamente tiveram grandes lucros vendendo suas ações antes que elas caíssem O grupo de auditoria responsável por fiscalizar a contabilidade não encontrou erros. onde só trouxe prejuízo financeiro para a empresa.Interesses próprios também prejudicaram a empresa. a LJM. acreditando que jamais a empresa viria a falir. Com a Falência da Enron. somente os autos executivos saíram “ganhando”. O negócio todo implodiu. vários casos de desvio de dinheiro que Andy havia manipulado. a atitude parece terrível. por motivos que ainda não se tornaram muito claros. Há diversas outras características perturbadoras na história. já que habitava nos dois lados. devido a investimentos em lugares poucos rentáveis na época. O orgulho e ganância de diretores fizeram com que uma empresa considerada um novo modelo empresarial ultrapassa-se normas sem se importar a quem poderia prejudicar. isso fez com Andy apostasse no futuro da ENRON. fazendo com que Andy também se juntasse ao repleto grupo de executivos responsáveis pelos crimes de fraudes. Qualquer que seja a justificativa legal para isso. veio à tona.

evitando possiveis acontecimentos de fraudes e que caso ocorram. comitê de auditoria obrigatório e independente. a emissão dos documentos em um ambiente de acordo com os padrões ISO. diversas providencias foram tomadas nos Estados Unidos com intuito de prevenir situações com as ocorridas na Enron. auditor externo. dentre outras exigências. como por exemplo a governança corporativa. através da valorização da transparência da atividade empresarial. Além de não pagar imostos a enron tinha a receber uma grande quantia em retituições. Quando algo de errado é descoberto. hoje apelidada de Sarbox ou de Sox. garantindo uma transparencia e confiabilidade nas demonstrações dos resultados da empresa. cadastrar riscos associados aos processos da empresa e uma avaliação anual dos controles e processos internos para emissão de informações financeiras.A Enron valeu-se também de um brecha juridica no que culminou o não recolhimento do imposto de renda em quatro dos ultimos cino anos. foi criada uma lei denominada Lei Sarbanes-Oxley. Tal lei garante que não ocorra mais a desistência de investidores financeiros. A enron por conta disso ajustava a contabilidade e apresentava um lucro inexistente. Após o escândalo causado pela empresa que tinha suas ações negociadas na bolsa de valores. fazendo com que um auditor independente emita um parecer distindo. tanto no processo decisório como nos mecanismos internos de controle. Mediante ao caso posto acima. em resumo esta lei estabeleceu novos deveres e responsabilidades aos altos executivos com o objetivo de recuperar a credibilidade do mercado de capitais. o que levou ainda a agravar mais a situcação da empresa mediante ao Estado. haja meios para identifica-las. Esta lei criou exigências societárias enormas de auditoria mais confiáveis nas empresas. e serviu de exemplo para grandes executivos olharem para suas companhis e melhorarem seus os 7 . geradas pela descofiança da atuação dos governantes das empresas. Não se pode permitir que Auditores juntamente com diretores assinem pareceres sobre relátorios contabeis que não mostrem a realidade. Isso aconteceu com a Enron. controle interno obrigatório (novas exigências para o departamento jurídico). O que leva a crer é que o que aconteceu com a Enron não se repita com as empresas atuantes no mercado de ações hoje em dia. muitas vezes a empresa não suporta o o ocorrido devido a uma series de fatores passados.

entre outros.controles internos. ganancia atrapalham uma boa saude financeria da empresa fazendo com que possa honrar com seus compromissos. Andrew Fastow . Todos os envolvidos diretamente na empresa e responsável pelo seu funcionamento como Jeff Skilling. 8 . foram condenados por diversos crimes ligados a fraudes financeiras e crimes corporativos. Atualmente alguns cumprem pena em prisões dos Estados Unidos. outros se suicidaram. mostrando transparencia na gestão da empresa. Kennety lay. evintando que orgulho. investindo em treinamento e capacitando melhor os seus funcionários.

Causa: Em um ambiente empresarial dinâmico a remuneração da alta administração depende dos resultados registrados pela empresa e juntamente com a pressão do mundo dos negócios. Arthur Andersen. ou seja. Recomendação: Recomendamos que fosse desenvolvida uma área de compliance e/ou business process controls que desenvolvesse um manual de políticas e procedimentos e que monitorasse a implementação do mesmo. ou seja. Falta de independência com a auditoria externa (título) Descrição: A Enron obteve o apoio e a parcialidade de seus auditores externos. Causa: A empresa de auditoria externa Arthur Andersen responsável pela auditoria das demonstrações financeiras e controles internos perdeu a relação 9 . eram efetuados registros de valores elevados como receita corrente sem que estes valores tivessem somando em seu patrimônio real. Conseqüência: O uso constante desta prática fez com que os registros contábeis e financeiros da Enron não representassem fidedignamente a posição patrimonial da mesma. quanto a sua opinião em relação as demonstrações financeiras e sistemas de controles internos da companhia. 2.Falhas 1. facilitaram e propiciaram a adoção de um método de registro de receita chamando de “Mark to market”. um método no qual lucros de contratos assinados por um logo prazo fosse registrados totalmente no ano de assinatura do contrato. ano corrente. Informações financeiras e contábeis distorcidas (título) Descrição: As informações financeiras e contábeis da Enron não refletiam a verdadeira posição patrimonial da mesma. Além de criarem diversas empresas para que a Enron transferisse suas obrigações apresentando assim um baixo grau de endividamento.

isso pode induzir a investimentos em uma companhia em que não está muito bem estruturada e fraudulenta. além de continuarem recebendo seus honorários pelos serviços de auditoria prestados e assinarem e concluírem pela razoabilidade das demonstrações financeiras apresentadas e sistema de controles internos. Talvez a solução seja adotada como resultado do fiasco da Enron. seja realmente independente. 10 . Adicionalmente acreditamos que uma maior fiscalização do órgão regulador das auditorias externas seria uma atividade que mitigaria esta falha. Se isso encorajar empresas do segundo escalão a progredir e desafiar as líderes. melhor. como no caso da Enron. Determinar se isso implica também a separação entre serviços de auditoria e consultoria proibindo empresas do ramo de auditoria de realizar trabalhos que envolvam receber honorários de consultoria. Recomendação: É necessário que a auditoria independente. De alguma maneira é preciso que exista uma clara segregação entre as duas funções.de independência com a empresa auditada no momento em que obtiveram conhecimento das fraudes praticadas pela mesma e não relataram para os órgãos reguladores competentes. seja moral ou ética ou seja legal. Conseqüência: A parcialidade dos auditores externos quando da sua opinião sobre as demonstrações financeiras e sistemas de controles internos induz aos investidores e analistas das demonstrações financeiras a julgar e considerar como fidedigno os números ali expostos. Por isso é fundamental o papel da auditoria externa. 3. mas existem razões práticas para permitir que as empresas de auditoria que descobrem problemas em uma companhia ajudem-na a resolvê-los. Falta de ética e ceticismo da administração e funcionários da Enron (título) Descrição: A administração e os funcionários da Enron estavam trabalhando em pró do dinheiro acima de qualquer restrição. se certificar de que os números apresentados pela empresa auditada são bons e assim contribuir para um melhor desempenho do mercado financeiro.

Recomendação: Entendemos que um dos fatores de risco para uma empresa é o seu quadro de líderes (presidência. Conseqüência: A Enron utilizou-se da desregulamentação federal do setor energético nos EUA para manipular os preços da energia elétrica suspendendo o fornecimento para determinadas companhias e também seguraram o envio de energia para forjar contas excessivas. principalmente os traders que eram quem efetuavam os investimentos e fechavam contratos milionários. Conseqüência: Falta de confiabilidade nos relatórios financeiros e contábeis preparados pela gerência e administração uma vez que os registros já não eram confiáveis e a administração não tinha ceticismo ao avaliar os relatórios pois a situação financeira “favorável” era cômoda para ela. e que na reta final da Enron era quem a administravam. diretoria e gerência). éticos e morais para a companhia é de fundamental importância para a estrutura organizacional da mesma. Causa: O governo americano aprovou através de uma lei a desregulamentação do setor energético. Portanto a contratação de líderes confiáveis. pois são os colaboradores responsáveis por assegurar a confiabilidade das informações dos respectivos departamentos subordinados. apesar de não existirem indicações de envolvimento direto de Bush no escândalo da Enron havia um vínculo entre o poder político e a Enron. 4. Isso fez com que a energia fosse 11 .Causa: A administração adotava uma posição duvidosa e arriscada perante aos registros contábeis e fiscais sempre visando o lucro e remuneração de capital. Desregulamentação do setor energético (título) Descrição: A Enron utilizou-se da desregulamentação federal do setor energético nos EUA para manipular os preços da energia elétrica. para isso se adotavam de medidas antiéticas como blecautes intencionais na Califórnia em benefício próprio além de disseminarem essa visão de concorrência e lucro a qualquer preço para seus funcionários e colaboradores.

Ken Lay. Causa: O antropomorfismo se deu devido à diluição acionária existente entre os sócios minoritários. no qual. ordinária ou preferencial no caso do Brasil. 5. independentemente do tipo de ação que possua.vendida em sistema de bolsa de valores. a pessoa física personifica em si a própria empresa ocorreu quando os administradores usurparam do poder de controle à eles disponibilizados. essa dispersão ocasionou no afastamento dos acionistas minoritários da vida empresarial Conseqüência: Essa diluição acionária fez com que o grande investidor. no caso o chefe-executivo. chegando a crescer 1000% em um ano. Isso impediria a gestão independente da administração da companhia sem o aval dos acionistas. deliberasse dentro da Enron com alto grau de independência administrativa. Recomendação: A existência de setores regulamentados é fundamental para a criação e desenvolvimento de indústria sem que o consumidor final seja prejudicado pelos interesses econômicos financeiros de empresas privadas. 12 . por isso entendemos que setores de fundamental importância para a população como o elétrico e sanitário devem ser em sua essência regulamentados. Recomendação: Recomendamos que os acionistas minoritários devem utilizar o poder a eles facultados em virtude de posse de ações e comparecer as assembléias para deliberarem sobre os assuntos pertinentes a companhia. Personificação do poder empresarial na pessoa física (título) Descrição: O antropomorfismo.

Outro destaque é evidenciar que um sistema contábil e um controle interno eficaz reduzem a possibilidade de distorção das demonstrações resultante de fraude ou erro. levando-a falência. 13 . As formas mais comuns de fraude são a distorção de informações financeiras. porque a falta de recursos e da cultura de prevenção facilita as irregularidades. Essa é a melhor ferramenta para identificar desvios. Esse caso da Enron permite uma visualização das conseqüências da falta de controle interno adequado e da omissão dos auditores diante das demonstrações. a apropriação de ativos e a entrada de terceiros. Se não houver punição.Conclusão Com o caso Enron percebemos que as companhias estão sujeitas a algum tipo de fraude interna. que visam beneficiar alguém. as pessoas acham que isso é “legal”. As causas que envolvem desde simples roubos de produtos a desvios de grandes quantias de dinheiro. Boa parte desses problemas pode ser evitada se o empresário tiver uma contabilidade real e transparente. Esse fato mostra atos intencionados ou não intencionados cometidos nas entidades chamados de fraudes e erros em auditoria. Tendo este como objetivo demonstrar o posicionamento e quais cuidados o auditor deve tomar perante tais fatos. Uma das formas para se prevenir contra a fraude é aumentar os controles internos e agir contra os culpados quando o problema aparecer. em função dos cortes de pessoal que resultaram na redução de controles e auditorias internas. atualmente está mais fácil causar a fraude. O Empresário deve controlar os depósitos e retiradas da conta bancária. Sem contar que. conferindo se impostos e contas foram efetivamente quitados. Em pequenas empresas a situação é ainda mais preocupante.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful