Você está na página 1de 40

Obr

igadoporbai
xares
tee-
book.El
eél
icenci
adopar
aseuus
o,masdedi
rei
tos
aut
orai
sdoaut
or.El
enãopodes
err
epr
oduz
ido,copi
adoe/oudi
str
ibuí
dapar
a
f
inscomer
ciai
sounãocomer
ciai
sdequal
querf
ormael
etr
ôni
caoudeout
ra
f
orma.

Par
amai
oresi
nfor
maçõesent
eem cont
atocom:
s
upor
te@mani
fes
tandoos
egr
edo.
com

Nem o aut
ornem a edi
tor
a es
tá env
olv
ida na pr
est
ação de s
erv
iços
pr
ofi
ssi
onai
s.Os
erv
içodeum pr
ofi
ssi
onalcompet
ent
edev
eserpr
ocur
adopar
a
qual
quert
ipo de aj
uda como uma as
sis
tênci
ajur
ídi
ca,cont
ábi
l,médi
ca,
ps
icol
ógi
caouqual
queres
peci
ali
staquet
enhaconheci
ment
osobr
eosas
sunt
os
t
rat
ados
.
Osr
esul
tadosi
ndi
viduai
spodem v
ari
ardepes
soapar
apes
soa.

3
Capí
tul
o1:Amagi
adav
idar
eal
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
.5
Capí
tul
o2:Al
eidaabundânci
a..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..12
Capí
tul
o3:Oef
eit
odei
nici
ação.
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..16
Capí
tul
o4:Vocênãoest
ápr
esodent
rodos
eucér
ebr
o.Vocêpodecomandá-
lo.
..
..
..
..
.22
Capí
tul
o5:Al
eidaat
enção.
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
.29
Capí
tul
o6:Ev
olui
ndo.
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
..
.33

4
5
Paraquem nãoéf
amili
ari
zadocom ofi
lmee/oul
iv
roi
nti
tul
adoO segr
edo,
es
crit
oporRhondaBy r
ne,ébas eadonaidéi
adequeas abedor
iaanti
gaé
tr
ansmit
idaatr
avésdossécul
osem nossoDNA;quetemosopoderdent
rode
nós par
a cr
iarabundânci
a,saúde e r
iquez
ase as
sim es
col
hermos o que
quer
emos .Mases tanãoéumai dei
anov a.Pensadoresecienti
stasdet odoo
mundodiz em asécul
osquetudooques emprequi sest
áláparanós ;sótemos
quemanifestaropoderdasl
eisnatur
ais.Ees t
aéamagi adav i
dar ealdentro
de cada um de nós .Ela exi
ge apenas imaginação e o poderde s eus
pensamentos-al goquejátemosem abundânci a.Mas ,pri
meiro,temosde
conhecerecompreendercomov
iver
;comousarosnos
sospens
ament
ospar
a
desenharcom s
ucessooquemai
sdesej
amos
.

Aj or
nada de v i
da que você s e encont raét ão f
lui
da como o pr ópr
io
pens amento,constantemente mudando de moment o a moment o.A úni ca
manei radecri
arum nov ofut
uro-um f utur odes uaescol
ha-étrans cenderseus
padrõesdepens amentoatuaises eusant igospontosdev i
staes ubstit
uí-
lospor
novos .Acompr eensãodecomoouni versof unci
onaéopr i
mei ropas s
opar a
mov eras uavi
daes erocriadordes eupr ópriodesti
no,ondeos uces s
opodes er
qualquercoisaquev ocêpodei maginar.

6
Ent
ão,qualéaLeidaAt
ração?

ALeidaAt raçãoaf ir
maquev ocêat r
aiparavocêes ãoat raí
dosparaoque
você pensars obre,mas mui t
as v ez es,os pensamentos são infl
uenciados
negati
vamenteporex peri
ênci aspas s adasecompor tamentosapr endi
dos .Por
exemplo,sev ocêfoimor didoporum cãoquandoer acr i
ança,vocêpodees t
ar
com medodecães ,embor anem t odososcãeses tãoindopar amordê-lo.Você
sóachouqueel esirãomor dê-lo,ent ãov ocêsentemedodet odososcãesei sso
acabasetornandos uarealidade.Seumedoeex per
iênciapassadamant ém você
acredi
tandoqueoscãesi rãomor dê-lo.

Outroex empl
o,equemui t
aspes s oaspos s
am ser el
acionar,éaf al
taou
necessidadededinheir
o.Sev ocêcr es ceuem umacas aondeos eupaitinha
quetrabalharem t
rêsempregosparaal imentarafamíl
iaepagarascontas,tudo
quev ocêv i
veueconheceuéaes cass ezouacar ênci
adodi nhei
roevocêt er
á
desenvolvi
doumament ali
dadepar ecidaouat éigualades euspais.

Sev ocê,em segui


da,f orparaaf aculdadeees tá“preso”com empr ést
imos
estudantisparaquit
ars eusestudos,edepoi scomeçaat rabalhareganharum
salári
omí nimopormês ,odinheiroqueganhanuncai r
ápar ecerserosufi
ciente
paracompr arascoi
sasquequerepr ecisa,vocêacredit
aquees taéaf orma
comoav idaé;Vocêacr edi
taentãoquenuncav ait
eros ufici
ente,mesmoque
vocêquei ramaisdinheiro.Vocênuncaapr endeucomocons eguí-
lo.Tr
abalhar
mai semai snem sempr eéar esposta.

ALeidaAt r
açãoafir
maqueoquev ocêpens a,vocêatrai.Oquev ocêpens a
s
obre algo,pers
ist
e.Por t
ant
o,s ua crença profundament e enr aizada em
t
rabal
harmaisparaganharmai
sdinheir
oeai ndanuncat eros uficienteéas ua
r
eali
dade.Atéquevocêmudei ss
o,vocênuncav aiteros ufi
ciente.Mascomo
v
ocêmudari ss
o?

7
Todaai
dei
adeque'
pens
ament
oss
etor
nam coi
sas
'éapedr
aangul
arde
t
odaaLeiNat
ural
.Pens
ament
ost
êm ener
giae,por
tant
o,es
taéachav
e
par
ades
vendaramági
caport
rásmani
fes
taçãodes
ejada.Ospens
ament
os
s
ãoospr
ecur
sor
esdepal
avr
asequandoadi
cionadaes
taspal
avr
as,as
ua
pot
ênci
a é mul
ti
pli
cada ou r
efor
çada.Uma v
ez que v
ocê apr
endera
r
econheceri
ntui
ti
vament
ees
sesmoment
os,es
sespens
ament
os,quepode
mudars
uav
ida,v
ocêv
ais
ercapazdeus
á-l
ospar
aas
uav
ant
agem.Aqui
es
táum ex
empl
odeumahi
stór
ianat
ivaamer
icana.El
eil
ust
radef
orma
s
impl
eseper
fei
tament
ecomooquev
ocêpens
aset
ornaas
uar
eal
idade.

8
Um meni
nos
ent
ou-
separ
aouv
irumahi
stór
iacont
adapors
euav
ôsobr
edoi
s
l
obosque"
viv
em"dent
rodecadaum denósees
tãocons
tant
ement
elut
ando
pordomi
nação.


Elesv
ãor
asgarum aoout
roat
équeum del
eséder
rot
adoeoout
rov
ença.


Mascomov
ous
aberqualdel
esi
ráv
encer
?”Per
gunt
ouor
apaz
.
Ov
elhor
espondeu:“
Ser
áaquel
equev
ocêal
iment
a”.

As
sim,v
ocêpodeopt
arpornãof
azernadaedei
xarasf
ichascaí
rem,dei
xando
osl
obosdeci
dir
em or
umodes
uav
ida;ouv
ocêpodeal
iment
arol
obodes
ua
es
col
haedeci
dirt
omardeci
sõesques
emov
em nadi
reçãoquev
ail
evarv
ocêà
abundânci
aquev
ocêdes
eja.E t
udocomeçacom af
ormaquev
ocêpens
a-
s
obr
eos
eumundoes
obr
esimes
mo.

Quandov
ocêabr
açarai
dei
adequecadaum denóses
tánocont
rol
edes
eu
pr
ópr
iodes
tino,aspos
sibi
li
dadesdequev
ocêv
ait
ers
erãoi
nter
mináv
eis
.Você
podeaf
ast
ari
dei
aspr
econcebi
dasepens
ament
oscondi
cionadoseper
mit
ir
-se
oaces
soaos
eupr
ópr
iopoderdecr
iarumav
idacom pr
opós
ito,nãoi
mpor
ta
ondev
ocêes
táagor
a;nãoi
mpor
taem quepont
ovocês
evê.

Seuspr
ópr
iospens
ament
oss
ãoquas
esempr
eoobs
tácul
o,oques
igni
fi
ca
queoobs
tácul
oév
ocê.Apes
ardasel
evadasmot
ivações
,amai
ori
adaspes
soas
ai
ndas
eencont
ram l
utandopar
aters
uces
so,par
aal
cançarum nov
opat
amar
ouat
émes
mopar
amant
ers
uapos
ição.Ent
ãopor
queéqueal
gunsal
cançam
s
eusobj
eti
voscom f
aci
li
dadeeout
rosnão?

9
Arazãopelaqualvocêseesf
orçaparareal
iz
arsuasconqui
staséporque
vocêestátentandoviverumavidausandoasf er
ramentasanter
ior
mente
adquir
idasearmazenadasnoseucérebro

Muit
odoquev emosés i
mplesmenteopr odut
odai magi naçãodeal guém,
decomoal gunsi ndiví
duospens av
am queomundopr ecis
avas er.El es
eram poderosos,per suasi
vos e capazes de fazero mundo ci v i
li
z ado
“acontecer
”,trabalhandoparas eubenef í
cioounocas odeum es forço
altr
uís
ta,paraobenef í
ciodacomuni dadeem geral.Elesi maginaram um
mundooual gumapar tedeledojeit
oquequer iam quef osse.Elesfizeram
oquei maginavam em s uasmenteseas si
m aconteceu.

Então,comovocêvêomundo,est
emundo,seumundo,dependemui
to
das
uament esubjet
ivaedas
uaalmaex
peri
encial
.

Di
todeout
raf
orma,oquev
ocêpens
aéquas
esempr
eoquev
ocêr
ecebe.


Aos
econcent
rarnos
euobj
eti
vo,os
egr
edoét
raz
ê-l
opar
asuar
eal
idade.Vocêdev
e
i
magi
nars
euobj
eti
vocomos
ejáes
tiv
ess
eper
todev
ocê.Dev
esent
iras
ens
açãodees
tar
s
endor
eal
iz
adodef
ormai
ntens
a.”
-Nev
il
leGoddar
d

10
Pr
ovav
elment
e,v
ocêj
átent
oual
cançars
euobj
eti
vo,t
alv
ezmai
sdeuma
v
ez,ev
ocênãot
ever
esul
tados
.Tal
vezv
ocêv
iual
gunsr
esul
tadosapenas
par
avê-
loscai
rtãor
api
dament
equant
oapar
ecer
am.Seoquev
ocêdes
eja
par
asimes
moémui
todi
fer
ent
edoqueoquev
ocêes
tár
ecebendo,é
por
ques
uasr
esol
uções
,amanei
racomov
ocêv
ives
uav
ida,oquev
ocê
es
per
aeoquev
ocêr
ecebe,s
ãot
odosbas
eadosnoquev
ocês
abe-oque
asmar
casex
ist
ent
esnos
eucér
ebr
oes
tãodi
zendoav
ocê.
Ol
harpar
atr
ásem s
uav
idaeent
enderquet
odomundoes
tav
afaz
endoo
mel
horques
abi
a.Tal
vezoquev
ocêv
iucomoum i
nsul
topes
soal
,em
s
egui
da,f
oir
eal
ment
eapenasumapes
soaf
eri
ndoet
ir
andoal
goem v
ocê.
Masv
ocêl
evoui
ssopar
aos
eucor
açãoeper
mit
iu-
lhes
ent
ir
-sepequeno
par
aor
est
odes
uav
ida.

11
12
Sev
ocêqui
serum poucodoqueo“
menosf
avor
eci
dos
”têm opr
ivi
légi
o
det
er,asl
eisdaat
ençãoi
rãot
rabal
harpar
avocêdames
mamanei
raque
el
est
rabal
ham par
ao“
menosf
avor
eci
dos
”.

Nav
erdade,el
esj
áes
tãot
rabal
handoem s
uav
ida,masv
ocênãoacr
edi
ta
que há o s
ufi
cient
e ao r
edor
.Is
so é chamado de a ment
ali
dade de
es
cas
sez
.Vocêai
ndanãor
econheceque,nãoconcent
randos
uaener
giae
cons
ciênci
anoquev
ocêquer
,vocês
etor
nouamani
fes
taçãoal
eat
óri
ade
t
oda a ener
gia que v
ocê j
á ex
per
iment
ou,que acabou t
ornando s
ua
per
spect
ivaat
ual
.Vocêi
ncons
cient
ement
ecol
ocoupar
aoUni
ver
sot
udoo
quev
ocêpens
asobr
eaf
ormacomoascoi
sass
ão,quenãoháos
ufi
cient
e
par
amani
fes
tar
,eéi
ssoquev
ocêr
ecebeu.Mudeoquev
ocêcol
ocarpar
a
f
oraev
ocêv
aimudaroquev
ocêr
ecebedev
olt
a.

Dêumaol
hadanoconcei
toder
elat
ivi
dade.Es
teéocont
ext
oem que
v
ocêv
aiv
ereex
per
iment
art
udo.

Vocêt
em R$ 100,
00 em s
uacont
acor
rent
eev
ocês
ent
ecomos
e
es
tiv
ess
esem di
nhei
ro,por
quev
ocêes
táacos
tumadoat
ermai
s.Seu
v
izi
nhot
em R$100,
00nacont
acor
rent
eeéal
egr
e,por
queémai
sdoque
el
eját
eve.Ai
nda s
ão R$ 100,
00,maso s
eu v
aloré v
ist
o de f
orma
di
fer
ent
eporcaus
ades
uar
elaçãocom odi
nhei
ro.

Vocêpodepens
ardeout
raf
orma.R$100,
00nãomudamui
tacoi
sa
quandov
ocêv
aicompr
arum car
ronov
o,mass
erámai
sdoques
ufi
cient
e
par
acompr
arum bi
lhet
edeci
nema.Aquant
idadeéi
rr
elev
ant
e.

14
Osev
ent
osdes
tasduaspes
soas
,cadaum com R$100,
00,poder
iat
er
um out
rocenár
io.Vocêes
táacos
tumadoat
ermui
tomai
s,masv
ocêégr
ato
queai
ndat
enhaR$100,
00des
aldonas
uacont
acor
rent
e.Seuv
izi
nho,
queagor
atem mai
sdoqueel
eját
eve,podes
esent
ircomos
efos
seapenas
um acas
o,eel
enuncav
aiv
eraquel
emont
ant
ededi
nhei
ronov
ament
e.El
e
agor
aes
tádepr
imi
doecom r
aiv
apor
queel
eti
nhaum gos
toda“
boav
ida”
et
emequeem br
eves
erát
ir
adodel
e.Agor
avocêpodecomeçarav
ercomo
per
spect
ivaét
udo.Al
inhadepens
ament
oées
ta:acondi
çãoem ques
ua
v
idaes
táagor
aéor
esul
tadodes
uaf
alt
adei
ntençãodet
orná-
laem al
go
mai
s.I
ssonãof
azdev
ocêumapes
soar
uim,apenasmalor
ient
ado.Você
ai
ndaes
táv
ivendocomoumacr
iançai
ndef
esaquef
oiens
inadaoquef
azer
ecomos
ecompor
tar
,is
soacabas
endomui
topequenoei
mpot
ent
epar
a
s
uai
magi
naçãos
erouv
ida.

Ent
ão,v
ocêpodemudaras
uar
eal
idade,t
udooqueacont
eceu,t
odasas
s
uasex
per
iênci
as,s
ãopar
tedev
ocêes
empr
eser
ão?

Vocêcomeçaamudaras
uav
isãodos
eupas
sadoecomeçaadarum
nov
o s
igni
fi
cado às s
uas ex
per
iênci
as. El
imi
na t
odas as i
dei
as
pr
é-concebi
dasdopas
sadoepens
ament
osl
imi
tant
es.

Vocêagor
avaicomeçaracondi
cionaras
uament
epar
aes
per
art
udoo
quev
ocêqui
ser
.Vocêv
aimudaracadami
nut
o,hor
aedi
apar
aes
tarde
acor
do com a s
ua ment
ali
dade -a s
ua i
ntenção.E cada pas
soi
rá,
nat
ural
ment
e,l
evá-
lopar
aol
ugarondeopas
sos
egui
ntepodeocor
rer
.O

segr
edo”
,ant
esobs
cur
o e eni
gmát
ico s
erá es
clar
eci
do e s
erá nes
tes
pont
os de cl
arez
a que v
ocê v
aiganhara i
ntr
ospecção,i
nspi
ração e
r
ecompens
a.

15
16
Océrebr
ohumanotem s
idomui
tasv
ezescompar
adoaum computador,mas
émui
tomaiscompl
exoecapazdeagi
rporcont
aprópr
ia,em mui
tosaspect
os
quemesmoatecnol
ogi
amai
savançadanãopode.El
epr
oces
sainf
ormaçõesem
vár
iosní
vei
saomes motempoenãopr eci
sadeouvi
rou verumai magem
completa,sejaverbalou v i
sual
,par a aval
iá-la.Você não pr
ecis
a perceber
consci
entementealgo;vocêsubconscientement ef
aráor es
todotr
abalho.Como
vocêpassaroseudia,vocêpodeler,ouv i
rouv eralgumacoisaeacharquenada
disol
s hei nfl
uenci
ounaquel emoment o.Masnof inaldodia,oquev ocêleu,
ouviuouv i
upodeinfluenciarasuas i
tuaçãoat ual
.

Porexemplo,v ocêviualgononot i
ciár
iosobr
eburacosqueacontecem na
Flór
idaeTennes see.Agoravocêestás eprepar
andoparacomprarumanov a
casaev ocêestát endopes
adelossobreav i
danestasuanovacasa,vocêt
em
pesadel
osdees tarcaindoem um buraco.Osprogr
amasdeTVpr epar
am você
com i
nfor
maçõesquecriam cer
toss
ent
iment
osou r
espos
tas-nes
tecas
o,
medo,des
ast
reeperi
go.

Maspoderi
aseralgotãosimpl
escomocomerem pr atosdepapel.Eless ão
barat
osedescar
táv
eisemui t
asvez
esnãos upor
tam oal
imentoquevocêcolocar
sobreel
es.Nest
ecas o,oef
eit
odeini
ciaçãoébarato,i
nefi
caz,i
nex
pr es
siv
o.

Opont
oéquet
odai
nfl
uênci
asut
ilquev
ocêcr
iarem s
uament
esubcons
cient
e
af
etat
odaas
uav
ida.Par
aquer
ermel
hor
ars
uav
ida,v
ocêt
em quecomeçara
prepar
aroseucér
ebr
opar
aos
uces
sodames
mamanei
raquev
ocêopr
epar
a
paraaescas
sez
.

17
Comecef
azendopequenascoi
saspors
imes
moquepl
ant
esement
esde
s
uces
so.Us
esuasmel
hor
esr
oupas
,compr
ecar
nesgour
met
,does
uasr
oupas
v
elhas
.Al
goquef
unci
onapar
ti
cul
arment
ebem es
eli
vredecoi
sasquev
ocênão
us
a,e que ai
nda es
tej
am boas
.Se agar
rarà es
tas coi
sas pr
epar
aseu
s
ubcons
cient
epar
aacr
edi
tarquehav
erás
empr
ees
cas
sez
.Li
vre-
sedoquev
ocê
nãous
aedi
ga:“
eumer
eçocoi
sanov
aemel
hor
”,“
eupos
socompr
arcoi
sas
nov
as”
,e“
eus
empr
eter
eimai
sdoqueeupr
eci
so”
.

O obj
eti
vodes
sapr
epar
açãoéf
azerascoi
sasf
icar
em mel
hor
es,nãopar
a
t
orná-
losper
fei
tos
.Amai
ori
adaspes
soasbem-
sucedi
dasnomundonãos
ão
mai
ses
per
tosdoquev
ocêé.Seus
ens
odei
ntel
igênci
aécomum epodenãos
er
mai
saguçadoqueos
eu conheci
ment
oadqui
ri
doapar
ti
rdel
iv
rosemai
or
educação. O que el
es pos
suem é o t
ipo cer
to de ex
per
iênci
as e um
conheci
ment
odecomoouni
ver
sof
unci
ona.El
ess
ãocapaz
esdeat
ingi
rum
es
tadodev
ibr
açãomai
sel
evadaouf
requênci
a.É pori
ssoque,par
aosnão
i
nici
ados
,par
ecequeex
ist
em poucoss
ort
udosquecons
eguem s
uces
souma
v
ezouout
ra.Oqueapr
ender
am,com bas
eem s
uasex
per
iênci
asant
eri
ores

queger
aosr
esul
tadosconqui
stados
.

Poder
iat
er s
ido uma r
eação a um t
érmi
no de r
elaci
onament
o ou
s
impl
esment
eum pl
anooues
trat
égi
a..
.es
uacapaci
dadedef
unci
onarbem s
ob
pr
ess
ãoedes
afi
os.Amanei
racomoel
esi
nter
nal
iz
am ass
uasex
per
iênci
asea
emoçãof
ezadi
fer
ençaent
reos
uces
sopes
soaleof
racas
so.Ser
iabur
ri
ceda
par
tedel
esedes
viardeum s
ist
emaquef
unci
ona,l
ogor
epet
em par
ater
em
mel
hor
esr
esul
tados

18
Mai
ses
peci
fi
cament
e,oquef
icaent
rev
ocêes
euss
uces
sosf
utur
oséoque
v
ocêacr
edi
tas
erv
erdades
obr
esimes
moes
obr
eomundoem quev
ocêv
ive.
Nósnost
ornamosv
íti
masdenos
sopr
ópr
iodi
álogoi
nter
noees
col
hasque
f
azemos
,nos
sases
col
hasi
rãodet
ermi
naroques
emeamos
,et
ambém oque
pl
ant
amos
.

Depoi
sdet
err
econheci
doquev
ocêt
em acapaci
dadedeat
ri
bui
rimpor
tânci
a
aqual
querex
per
iênci
aounão,v
ocêv
eráener
giapos
iti
vaenegat
ivaem t
odos
osl
ugar
eseem cadaex
per
iênci
aindi
vi
dual
.Dependendodos
eupont
odev
ist
a,
v
ocêv
ais
abercomous
ars
uaobj
eti
vidadepar
asepr
otegercont
raaener
gia
negat
ivaev
ocês
aber
ácomodes
enharener
giapos
iti
vapar
avocê.Oqueéai
nda
mai
ssur
preendent
e,v
ocêv
air
eal
ment
esercapazdecr
iarener
giapos
iti
vada
mes
maf
ormaquev
ocêpodecr
iarener
gianegat
ivaous
ent
iment
osnegat
ivos
,e
s
erácapazdet
rans
for
marev
ent
osapar
ent
ement
enegat
ivosem i
mpr
ess
ões
pos
iti
vasem s
eucér
ebr
o.Énes
tesmoment
osquei
rãomol
daros
eudes
tino.

Vocênãonas
ceupar
aades
conf
iançaeódi
odosout
rosous
esent
iri
nfer
ior
.
At
éagor
a,oúni
cocont
ext
oquev
ocês
abeéoquev
ocêj
áex
per
iment
oueéa
ex
plor
açãodev
olt
aapar
ti
rdaabundânci
aquedes
ejaemer
ece.

Pens
eni
ssodes
tamanei
ra:Acr
edi
tav
a-s
equeomundoer
apl
ano.Oupel
o
menoses
saer
aacr
ençapr
edomi
nant
e.O cont
ext
oem quet
odosv
ivi
am er
a
que,s
eel
esf
oss
em par
aabei
radomundo,el
esi
ri
am cai
rem um abi
smo.
Sabemosagor
aqueaTer
ranãoépl
ana.Nav
erdade,at
eor
iaquânt
icanosdi
z
quehámui
tasmanei
rasdes
eol
harpar
aouni
ver
sof
ísi
co.

Depoi
s de ent
endercomo a s
upos
ição e per
spect
iva podem mudaro
pens
ament
o,v
ocêcomeçar
áav
erqueoquev
ocêpens
a-ospens
ament
osque
v
ocêt
em -s
ãot
odoscr
iadosporv
ocê,nãopel
omundoex
tri
or.
19
Comeceafami l
iar
izarcom osconceit
osdecons ci
ênci
a,ouvi
ras uav oz
i
nteri
or,ai
ntui
ção,ofoco,arecept
ivi
dade,eex
ercí
ciocomoeless
erel
acionam
com s
uav i
dacoti
diana.Deci
dacomovocêdes
ejaqueoseudi
as ej
a.
Vocêquerserf
eli
z?Digaiss
oquandov
ocêseolhanoes
pelhot
odasasmanhãs
.
Us es
uaimaginaçãoedir
ijas
uaconsci
ênci
aparaqueospensamentosquevocê
tenhasej
am subordi
nadosàs uavont
ade,nãoneces
sar
iamenteinfl
uenci
ados
peloquevocêvêeouv e.

Ament
es ubconsci
entenãos
abeadi
fer
ençaent
reoqueérealeoimagi
nár
io.
El
enãosabes evocêreal
menteex
per
iment
oualgoousevocêapenaspens
ou
sobreiss
ov i
vi
dament
eeem detal
hes
.Assi
m,cadav ezquevocêrepet
irum
eventoem s
uamente,el
eér
efor
çadocomoumareal
idademai
sprof
unda.

ALeidaSubs t
ituiçãoafi
rmaque,sev ocêacreditarem algofor
teosufi
ciente
(acr
escentarpaixãoouemoçãoael e)er epr
oduzi-loem s uamentecomoum
pensament orecorrente,o seu subconscient
ev aiacredi t
arque real
ment e
aconteceu.Os ubcons ci
entepodesubstit
uirqualquermar caquef i
cacadav ez
mai
sfr
acaporcaus
adaf
alt
adeat
ençãocom out
ramar
caquees
tár
ecebendo
t
odaaener
gia.

Em um es
tudoi
nov
ador
,pes
qui
sador
esdaEs
taçãoEs
paci
alI
nter
naci
onal
(
NASA)util
iz
aram cenár
iosdereali
dadevi
rt
ualcomput
ador
izadopar
acol
etar
i
nfor
maçõessobr
ecomoaper cepçãonosaf
eta.

“Usandodispos
iti
vosder eal
idadevir
tualavançados,osi ndiv
íduosfor
am
tr
ansformados em uma ani mação do corpo de Sigmund Fr eud e for
am
convidadosadaraconsel
hamentops i
col
ógico.
“Quandoelesouvir
am ar es
postadequer egis
troudeFr eud,écl ar
o,er
as ua
própri
arespost
a com uma v
ozligeir
amente modif
icada,el
esti
ver
am uma
respos
tamaisposi
tiv
aparaoseuprópr
ioacons
elhamentodoquequandoer
am
elesmesmos".
20
"
Oes
tudo1,publ
icadonar
evi
staNat
ureSci
ent
if
icRepor
ts,des
cobr
iuqueo
s
ent
iment
o de t
ent
armoss
eral
guém que v
emoscomo aut
ori
dade af
etaa
manei
racomonoss
ent
imosepens
amoss
obr
enósmes
mos
.”Ospes
qui
sador
es
es
col
her
am es
peci
fi
cament
eFr
eudpar
aseues
tudoporcaus
ades
uaf
amae
r
econheci
ment
odei
magem.“
Freudnãos
ófoies
col
hidopors
erumaaut
ori
dade
ebem conheci
do,mass
uai
magem pr
ovout
ambém s
eral
tament
ereconhecí
vel
epr
otot
ipada.Ai
dei
ades
impl
esment
e“s
ent
ircomoFr
eud”podeaf
etaranos
sa
aut
o-per
cepçãoei
ssoémui
topoder
oso.

O es
tudodemons
traquepr
eci
samost
rei
naraener
giav
ibr
aci
onalenos
sa
ment
esubcons
cient
edev
eserbas
eadanacr
ença.Aot
ent
arem s
erFr
eudt
eri
am
asr
espos
tasque pr
eci
sav
am,por
que el
e er
a uma aut
ori
dade.O que v
ocê
acr
edi
tas
etor
nar
eal
idadepor
quev
ocêf
azav
erdadei
racr
ençaem s
uament
e.

21
22
Seuspens
ament
oss
ãopoder
osos
.Apr
enderacr
iarnov
ospens
ament
osquet
e
l
evar
ánadi
reçãocer
tacomeçacom acr
ençadequei
ssoépos
sív
elecr
esce
ent
ãoapar
ti
rdel
á.Masa“
real
idadev
irt
ual
”em s
eus
ubcons
cient
eémai
sdo
queumai
magem decomput
ador
.Éaener
giar
ealquepodes
ert
rei
nadapar
a
v
ibr
arem umaf
requênci
amai
or.

I
nfel
iz
ment
e,mui
taspes
soases
tão pr
esasem padr
õesde pens
ament
os
des
trut
ivosque es
tão ar
rui
nando s
uasv
idase não dei
xando al
cançars
eu
pot
enci
al.El
asacr
edi
tam queav
idaéum poçodecoi
sasr
uinseascoi
sasboas
nuncapodem acont
ecercom el
as,s
ópar
aosout
ros
.El
ascomeçam t
odosos
di
asdo mes
mo j
eit
o e cont
inuam a pens
arnegat
ivament
e em t
oda a s
ua
s
emana,anoapósano.

23
Out
ro'
err
o'comum nopens
ament
oéacei
tar“
fat
os”s
em f
undament
á-l
os.É
i
mpor
tant
epr
ocur
arpr
ovaspar
asus
tent
aros
eupens
ament
o.Porex
empl
o,s
e
v
ocês
esent
irbem s
obr
ees
tarv
est
indov
ermel
ho,por
quev
ocêv
ais
edes
tacar
namul
ti
dão,pr
ocur
ear
azãoporquev
ocês
esent
eas
sim.Ser
áqueépor
que
v
ocênãoquerat
enção?Es
tet
ipodepens
ament
ofunci
onaaocont
rár
iot
ambém.
J
ulgament
oss
obr
eosout
rosous
obr
esi
tuaçõesmui
tasv
ezesnãos
ãobas
eadas
em f
atos
.“El
aél
oir
aent
ãoel
adev
eserbur
ra”ou“
eleégor
doent
ãoel
enão
dev
esepr
eocuparcom s
uaapar
ênci
a”.

Nãopr
esumas
aberoqueosout
roses
tãopens
andos
obr
evocêous
obr
e
qual
quercoi
sa.Pens
ament
osnegat
ivos
,como“
Eunãoachoquev
oucomeçar
es
set
rabal
ho,por
queel
enãopar
eces
erpar
ami
m”ou“
eunãov
oupedi
r-
lhe
par
adançarpor
queel
apr
ovav
elment
evaidi
zernãodequal
quermanei
ra”s
ão
par
tedopens
ament
ocont
raounegat
ivo.

Sev
ocês
epegarnes
tespadr
õesdepens
ament
onegat
ivo,v
ocêdev
esaber
queas
uacons
ciênci
adef
atoes
táaum pas
sodadi
reçãocor
ret
a.Todav
ezque
v
ocê s
e pegarcom pens
amosnegat
ivos
,si
mpl
esment
e par
e e mude es
se
pens
ament
opar
aum pos
iti
vo.Vocêpodeacharques
ópens
arnegat
ivament
e
em det
ermi
nadass
ituaçõesér
uim,masr
econhecendoopr
obl
emaémet
adeda
bat
alha.Subs
tit
uironegat
ivocom al
gopos
iti
vo.Podenãoacont
ecerdeuma
hor
a par
a out
ra,mas s
evocê começara us
aros 17 Segundos par
aa
Pl
ast
ici
dadeNeur
aldes
cri
tasabai
xo,i
ssov
aiacont
ecermai
scedodoquev
ocê
i
magi
na.

24

Alógi
cadament eemocionaléas soci
ati
va;quel evaelementosquesi
mboli
zam
umar eal
idadeoudesencadeam umamemór iadel a,par
as eramesmaquea
r
eal
idade.Seament eemoci onalsegueestalógica,ascoisasnãopr
eci
sam
neces
s ari
amenteser
em definidasporsuaidentidadeobjeti
va;oqueimport

comos ãopercebi
das .”

O cér
ebr
ohumanot
em anot
ávelcapaci
dadeder
eor
gani
zar
-sepel
o
cr
esci
ment
o de nov
as conex
ões das cél
ulas ner
vos
as em r
espos
taa
qual
quer númer
o de s
ituações
. Al
ter
ações f
unci
onai
s ocor
rem
cons
tant
ement
e,enquant
onóses
tamosapr
endendocoi
sasnov
as.I
ssoé
conheci
docomoneur
opl
ast
ici
dade.Em gr
andepar
tedames
maf
orma,
s
euspens
ament
os,quandodi
ri
gidosem um cer
tocami
nho,v
ão'
ens
inar
'o
s
eucér
ebr
oapens
ardef
ormadi
fer
ent
ee,por
tant
o,podemudaras
ua
v
isãoes
eur
esul
tado.

Acr
edi
ta-
sequeel
elev
aapenas17s
egundospar
aini
ciaropr
oces
sode
mani
fes
tação e 68 s
egundospar
a compl
etá-
lo.Masv
ocê v
aipr
eci
sar
pr
ati
careaj
ust
arot
empopar
aques
eucér
ebr
ocomeceaent
enderque
es
taéas
uanov
areal
idade.

I
stoés
emel
hant
eàmedi
tação,masem v
ezdel
impars
uament
edet
odos
ospens
ament
os,v
ocêv
aif
alars
obr
eoquev
ocêpr
etendecomos
ejá
t
ives
seacont
eci
do.Por17s
egundoss
euspens
ament
osdev
em per
manecer
pur
oscomuni
candocom ouni
ver
soes
ergr
atopar
areceberoquev
ocê
pr
etende.Lembr
e-s
e,ament
eacei
taoqueel
aex
per
iment
acomof
atoe
nãos
abeadi
fer
ençaent
rear
eal
idadeat
ualdar
eal
idadev
irt
ual
.
25
Aquies
táum ex
empl
odecomodev
otr
abal
harocér
ebr
ode17 a68
s
egundoscom pens
ament
ospur
os:

•Mi
nhaex
per
iênci
ahoj
ees
tav
aomai
sfel
izquenunca.

•Es
tout
ãof
eli
zdet
err
ecebi
doodi
nhei
roex
trapar
acompr
aropr
esent
e
par
ami
m mes
mo.

Sou gr
ato a aquel
es s
apat
os que ai
nda es
tav
am di
sponí
vei
s no meu
t
amanhoeeuv
ouus
á-l
oscom mui
toor
gul
ho.

•eus
oumui
togr
atopel
oapoi
odemi
nhaf
amí
li
a.

•t
udof
unci
onoupar
aomeubem hoj
e!

.t
udof
unci
onoudef
ormat
ãos
uav
eer
api
dament
e!

Vádes
crev
endoos
eudi
aper
fei
toem det
alhes
.Cont
eahi
stór
iadecomo
t
udos
eencai
xouper
fei
tament
e.Vej
a-oem s
uament
e.Tor
net
udoem uma
i
magem em mov
iment
ocom s
om.Pens
ecomos
evocêes
tiv
ess
eas
sis
tindo
aum f
il
me,compl
etocom aação,mús
ica,conf
igur
açõeseas
sim por
di
ant
e.Nãous
epal
avr
asouf
ras
escomo:

•Eues
tout
ãoani
mado,malpos
soes
per
arpar
ais
toouaqui
loacont
ecer
.

•Malpos
soacr
edi
tari
ssoes
táacont
ecendopar
ami
m.

.I
stos
erát
ãobom.

26
Es
tasf
ras
ess
igni
fi
cam que“
ist
o”nãoacont
eceuai
nda.Ai
dei
aéf
alar
comos
etudoj
áti
ves
seacont
eci
doex
atament
edoj
eit
oquev
ocêquer
ia
quei
ssoacont
eces
se.

Embor
asej
aimpor
tant
eacr
edi
tarquequal
quercoi
saquev
ocêquerpode
acont
ecerpar
avocê,nãoi
mpor
tas
eal
goév
erdadei
roounão.Sev
ocê
r
epet
irr
esul
tadospos
iti
vosr
epet
idasv
ezes
,suament
evaicomeçaraf
azer
s
uascr
ençaspr
eval
ecer
em.Eumadasmel
hor
escoi
sass
obr
eis
toéque
nãoháabs
olut
ament
enenhum r
iscoenv
olv
ido.Nãohámedodef
alharou
s
err
idi
cul
ari
zado,não t
erdi
nhei
ro par
a gas
tare des
cobr
iro que v
ai
acont
eceret
ambém nenhumar
eper
cus
sãoar
espei
todecomov
ocêf
azo
s
eu“
fil
me”
.É t
udoquev
ocêdes
eja,dos
euj
eit
o.Seucér
ebr
onãov
ai
r
esi
sti
rnem v
ait
ent
arnegoci
ar.

Os17s
egundosdepens
ament
opur
o,f
ocadonos
eur
esul
tadopos
iti
vo
pr
etendi
doées
timadopar
aseroequi
val
ent
eacer
cade2.
000hor
asde
pr
áti
ca,demodoquees
tes
impl
esat
ofei
tot
odososdi
as,v
ári
asv
ezesao
di
avair
api
dament
efaz
ers
eu cér
ebr
oreci
clar
-se par
a concent
rarem
mani
fes
tarosr
esul
tadosnav
idar
eal
.

27
Quant
otempoex
atament
elev
arápar
aternov
oshábi
tosdev
ida?A
mai
ori
adoshábi
toss
ãof
ort
ement
efor
madosdent
rodeum per
íodode
t
empo21di
as,dependendodas
uadi
spos
içãopar
aas
sumi
rededi
car
-seà
al
tur
adodes
afi
o.Al
gunsdi
zem queosnov
oshábi
tospodem demor
arat
é
66di
as,masde17a68s
egundosdepens
ament
ospur
osi
rãoaj
udá-
loa
des
env
olv
erohábi
todopens
ament
opos
iti
voem menosde1/
3 des
se
t
empo.Es
tepr
oces
soéumapar
tei
mpor
tant
epar
acumpr
irasl
eisnat
urai
s
dot
rabal
hoet
em s
idocompr
ovadapores
tudosci
ent
íf
icos
.

Enquant
ovocêes
táenv
olv
idones
tet
rabal
hodepens
ament
ospos
iti
vos
dur
ant
e17 s
egundosem s
eucér
ebr
o,l
embr
e-s
edeper
manecerf
ocado
naquel
emoment
o.Nãodei
xes
uament
evagar
.Dêpr
ior
idadeàscoi
sasque
v
ocêqueremant
enhaof
oco.Vocêpodecr
iarum es
paços
agr
adoem s
ua
cas
apar
apr
ati
cars
eus17s
egundospar
aacons
truçãodeum hábi
toou
v
ocêpodef
azê-
loem qual
querout
rol
ugart
ranqui
lo.Nãot
ent
eis
sodur
ant
e
aconduçãodeal
gum v
eícul
o,poi
shámui
tasdi
str
açõesepodecaus
ar
al
gum aci
dent
e.Vocêdev
ees
tars
ozi
nho,s
em di
str
açõesf
ami
li
aresoude
t
rabal
ho,ament
edev
ees
tarl
impa.

28
29
Es
tima-
sequepar
aamai
ori
adaspes
soas
,75% dospens
ament
oss
ão
negat
ivos
. A mel
hor
ia cogni
ti
va at
rav
és de r
efor
ço cer
ebr
al com
pens
ament
ospos
iti
vosof
ereceopor
tuni
dadesi
nfi
nit
aspar
avocêcont
rol
ar
edi
ri
gircor
ret
ament
eseuspr
oces
sosdepens
ament
os.
ALeideAt
ençãoaf
ir
maqueoquev
ocêpr
est
aat
ençãos
eex
pande.Como
s
eres humanos
, a mai
ori
a de nós quer
emos s
empr
evol
tar nos
sos
pens
ament
osaoqueéf
ami
li
ar(
comum)
,masenchernos
socér
ebr
ocom
pens
ament
osant
igosquenãof
unci
onam par
aav
ançarem s
euss
onhosé
i
nút
il
.

Mudes
euf
ocopar
aoquev
ocêquereus
eat
écni
cade17s
egundosda
mani
fes
taçãopar
acapaci
tares
sespens
ament
os.Concent
requant
idades
deener
giacadav
ezmai
oresnoquev
ocêquer
.Em out
raspal
avr
as,pr
est
e
at
ençãonos
eupr
opós
ito.

Éi
mpor
tant
eent
endercomoos
eupas
sadodes
empenhouum papelno
s
euf
utur
oecomomudarent
ãos
uaper
spect
iva.Nãoémai
sohomem
cont
raohomem s
elv
agem ouat
émes
mocont
raohomem moder
no.Agor
a
év
ocêcont
raoquev
ocês
abe.Suacapaci
dadedecont
rol
areus
aroque
s
abe par
atr
azermai
s cons
ciênci
a é di
ret
ament
e pr
opor
cionalà s
ua
v
ont
adededei
xardes
erdomi
nadoporal
gooual
guém,s
uasex
per
iênci
as
pas
sadasouas
uapr
ópr
iacompl
acênci
a.

30
Des
env
olv
eracons
ciênci
a-oes
for
çocons
cient
eou i
ntenção-par
a
al
inhar
-secom oquev
ocêquer
,vocêneces
sit
atomarocont
rol
edes
eus
hábi
tosedes
uav
idapar
aquepos
samani
fes
tars
eusdes
ejos
.O hábi
to
mai
ses
saspr
áti
casi
mpr
imem em s
eucér
ebr
oomel
horcami
nhopar
avocê
mani
fes
tarqual
quercoi
saet
udoquev
ocêqui
serev
ocêt
erá.Todosnós
podemost
erdi
nhei
ro,amor
,acar
rei
raper
fei
ta,boas
aúde,ef
eli
cidade.
Vocêj
ámudous
uasi
mpr
ess
õespar
ali
vrar
-sedopas
sado.Agor
avocêdev
e
es
tarper
cebendoumat
rans
for
maçãodes
uapr
ópr
iaener
giaeaener
giaao
s
eur
edor
,eumacons
ciênci
adet
udooquepodeaf
etarem s
uav
ida.Você
v
aiex
per
iment
arum mai
ors
ens
odei
ntui
ção.Vocêv
aies
tarv
ibr
andoem
um pl
anomai
sel
evadoj
áes
tev
e.

Cons
ider
eas
uamedi
taçãof
ocadacomoumaes
péci
ededi
ret
or.El
e
concent
rat
oda a s
ua at
enção no que v
ocê quer
.Uma v
ezque v
ocê
ent
enderqueamanei
raquev
ocêf
azs
etor
nacapazdemudaroquev
ocê
des
eja,us
ees
tes
euconheci
ment
opar
acr
esceraol
ongodes
uav
ida.É
i
mpor
tant
enes
taf
aser
econhecers
uaconex
ãocom cadapes
soaquev
ivee
coi
sasnopl
anet
a,def
ato,em t
odooUni
ver
so.Es
tát
udoconect
adoet
udo
f
azpar
tedeumacons
ciênci
acompl
eta.Ent
ão,porex
tens
ão,quandov
ocê
es
tágent
ilcom osout
ros
,vocêes
tás
endogent
ilcom v
ocêmes
mo.Quando
v
ocêdáaosout
ros
,vocêes
tádandoas
imes
mo.T
udooquev
ocêes

s
ent
indo-gr
ati
dão,bondade,gener
osi
dade-écol
ocadoem har
moni
acom
t
odaaener
giaquev
ibr
aem t
odososní
vei
sdent
rodocampoquânt
ico.

31
Vocêpodepens
arni
ssocomocí
rcul
osconcênt
ri
cosem um l
ago.Quando
v
ocêj
ogaumapedr
aem um l
ago,oscí
rcul
osemanam ecr
escem cadav
ez
mai
spar
aoex
ter
iorat
équeacabar
ápordes
apar
ecer
.Es
taéaf
ormacomo
as
uaener
giar
ess
oacom ocos
mos
.Eomai
oremai
sal
toé(
quant
omai
s
v
ocês
econcent
raras
uai
ntençãoeagi
rem di
reçãoas
eusobj
eti
vos
),
mai
oroscí
rcul
oss
etor
nam eas
sim mai
saspes
soass
e“l
igam”nes
ta
ener
gia pos
iti
va(
ou negat
iva)
.Des
taf
orma,v
ocê es
tá des
env
olv
endo
es
senci
alment
euma'
rede'deener
giaem t
ornodev
ocê,t
udodi
ri
gidoa
mani
fes
taroquev
ocêpr
etende.

32
33
34
Seupas
sadoeoquev
ocêapr
endeues
empr
eacr
edi
tou,at
éagor
a,di
tar
áo
s
eu f
utur
oecont
inuar
áat
équev
ocêapr
endaasl
eisbás
icasdanat
urez
a.
Naquel
emoment
o,quandov
ocêmudaros
eupens
ament
o,v
ocêcomeçar
áav
er
t
udooques
abi
ademanei
radi
fer
ent
e.Vocêv
aides
cobr
irquehav
iamui
tos
cas
osem quev
ocênãor
econheceuav
erdadeeout
rosmoment
osquef
oram
t
est
emunhadoscompl
etament
efor
adecont
ext
o.Et
udov
aimudar
.

Es
teéopont
odeal
iment
ação;opont
oem ques
uasv
isõesmudam omundo.
I
ssov
aiacont
ecer-ev
olui
r-cont
inuament
ees
ãones
tesmoment
osmági
cos
quei
rãomol
daros
eudes
tino.

LukeSky
wal
ker
:"Eunãoacr
edi
to.
"Yoda:“
Épori
ssoquev
ocêi
ráf
alhar
.”

Há um poderque v
aial
ém de apr
endera cont
rol
ars
ua v
ont
ade,s
eus
pens
ament
oses
uament
e.Hámi
lagr
esquepodem ocor
reral
ém danos
sa
compr
eens
ãodasl
eisdaf
ísi
ca.Nav
erdade,quandos
etr
atadecons
ciênci
a,
nãohár
egr
as,pel
omenost
ant
oquant
oohomem podepr
esent
ement
edet
ect
ar.
Sehouv
ess
e,t
erí
amosl
imi
tespar
aai
magi
nação,al
goquev
emosat
ual
ment
e
t
ãoi
li
mit
adoes
em l
imi
tes
.

35
Nos
sascél
ulascont
êm ener
giamens
uráv
eisem nos
sospens
ament
os,que
s
ão um pr
odut
o do nos
so cér
ebr
o,env
iando i
ntenci
onal
ment
e mens
agens
es
pecí
fi
cas
.Dev
emoses
per
aruma conex
ão com r
esul
tadosbi
o-ener
gét
ico,
as
sim como uma cor
rent
e el
étr
ica,por
que a ment
efunci
ona como um
modul
adordef
requênci
adames
maf
ormaqueal
uzar
maz
enadanoDNAf
az.
Asi
nfor
maçõess
ãoenv
iadasaol
ongodaf
requênci
aquemant
ém ai
ntençãoe,
l
it
eral
ment
e,s
e mani
fes
ta como mudanças nas pr
opr
iedades el
étr
icas no
cér
ebr
o.I
stof
azcom queasi
ntençõespr
ovoquem mudançasf
isi
ológi
casr
eai
s,
edames
maf
orma,el
asv
ãot
raz
ermudançasps
icol
ógi
cas
.Quant
omai
ors
ua
concent
raçãonai
ntenção,mai
oraf
requênci
a.

Oquet
em nai
ntenção?

Es
e nós
,como i
ndi
víduos
,pudés
semosapr
endera copi
arospr
oces
sos
epi
genét
icos do r
eino ani
male cont
rol
arnos
sas pr
ópr
ias cél
ulas
?E s
e
pudés
semosor
denarasnos
sascél
ulascomos
ecompor
tars
oment
eporpens
ar
demanei
racor
ret
aouf
alaraspal
avr
ascer
tas
?Aci
ênci
adi
zqueépos
sív
el.

36
37
Seucér
ebr
oes
tácons
tant
ement
enopi
lot
oaut
omát
ico,abs
orv
endoi
nfor
mações
i
ndependent
ement
edees
tarhav
endoounãoai
ntençãodeapr
enderal
go.Obt
eras
i
nfor
maçõescor
ret
asét
ãoi
mpor
tant
equant
omant
erai
nfor
maçãoer
rada,mas
nov
ament
e,i
ssonem s
empr
eéf
áci
l.

Es
evocêpudes
sepr
ess
ionarum bot
ãoet
eros
eucér
ebr
opr
epar
adoet
rei
nado
nov
ament
epar
aal
cançarr
iquez
ail
imi
tada,f
eli
cidade,amor
,li
ber
dade,conf
iança,
ouqual
querout
racoi
saquequi
ser
?Vocêent
ãoquers
aberondees
táes
tebot
ãoné?

Amai
ori
adaspes
soasnuncaaces
sam di
ret
ament
eseus
ubcons
cient
e,mases
taé
apar
tedocér
ebr
oondeas
uai
magi
naçãocr
iaas
uar
eal
idade.Oques
epas
sanel
e
ér
esul
tadoquet
eremos
.Édi

cilnãopens
ars
obr
eascoi
sasquev
ocênãoquerou
t
em,por
que s
euspens
ament
oses
tão cons
tant
ement
esendo di
ri
gidospel
oseu
s
ubcons
cient
epar
aascoi
sasques
ãof
ami
li
aresael
e.

Em out
raspal
avr
as,os
uper
-comput
adorqueéos
eucér
ebr
o,es
táf
unci
onando
com um s
oft
war
eant
igoqueées
senci
alment
eat
orment
adocom v
íruses
pywar
ese
i
ssoéoquees
tál
imi
tandoas
uacr
ençadequev
ocêpodet
ert
udo.O s
oft
war
e
pr
eci
sas
erl
impoeat
ual
iz
ado.

Ahi
stór
ianegat
ivaquev
ocêes
tádi
zendoas
imes
mo,s
uascr
ençass
obr
ees
sas
hi
stór
ias e s
eus j
ulgament
os,medos e noções pr
econcebi
das s
obr
e as s
uas
cons
equênci
ass
ãoum mi
tocr
iadoem s
uament
esubcons
cient
e.

Por
tant
o,nãoi
mpor
taoquev
ocêapr
ende,os
ubcons
cient
eagecomoum “
edi
tor
”,
di
zendoquei
stoouaqui
loéi
nacei
táv
eledi
reci
onando-
opar
aocami
nho“
cer
to”

manei
raant
iga,af
ormaquer
eal
ment
enãoes
táf
unci
onandopar
avocê,masquees

i
mpr
ess
acom t
ant
afor
çaquev
ocêr
eal
ment
eagor
aacr
edi
taques
ejav
erdade.

38
Omét
odo2i
rámos
trar
-l
hecomor
epr
ogr
amaroEdi
tornos
eus
ubcons
cient
e,par
a
quev
ocêpos
saf
aci
lment
eeaber
tament
evi
verem s
eues
tadonat
uraldeabundânci
a
i
li
mit
ada.

Aci
ênci
atem des
cober
toumamanei
rade“
comuni
car
”di
ret
ament
ecom es
sapar
te
docér
ebr
oer
epr
ogr
amá-
lo.Ev
ocênãopr
eci
sa“
apr
ender
”comof
azê-
lo.Vocênão
pr
eci
saapr
enderas
emani
fes
taroudes
apr
endert
odasasmens
agensnegat
ivasque
s
eacumul
aram aol
ongodav
ida.

Em apenasal
gunsmi
nut
ospordi
a(qui
nzemi
nut
ospar
aserex
ato)
,vocêpode
r
eor
gani
zart
udooques
eus
ubcons
cient
ees
tápr
endendo,f
azendonov
asconex
ões
ent
reascél
ulascer
ebr
ais
.Es
tepr
oces
sodecr
iaçãodenov
asv
iasneur
aiséchamado
neur
opl
ast
ici
dadeoupl
ast
ici
dadecer
ebr
al.

Écomor
ees
crev
erasi
nfor
maçõess
obr
eum CDant
igo.Umav
ezqueumacr
ença
l
imi
tant
eant
igaés
ubs
tit
uída,el
air
áacabar
.Nãohámagi
avuduouabr
acadabr
a
env
olv
idos
.Éci
ênci
apur
a.I
stoéaVer
dadei
raMagi
adomét
odo2.
Ent
ão,oqueéi
ssoex
atament
e?

Es
saéacópi
adoMani
fes
tandooSegr
edoquev
ocêpedi
u!:
)

39
Obr
igadoporl
eres
tel
iv
ro.Es
per
oquet
enhas
idoút
ilpar
avocê,eaquies
tou
des
ejando-
lheasmai
oresf
eli
cidadespar
aas
uav
iagem mani
fes
tação.
Par
aos
uces
soabundant
eer
iquez
a!

J
OHNBROWER

40