Você está na página 1de 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

CURSO DE BACHARELADO EM LETRAS


INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS LINGUÍSTICOS
ALUNO: CHRYSTIAN REVELLES GATTI
MATRÍCULA: 201911266
A INTERDISCIPLINARIDADE NOS ESTUDOS LINGUÍSTICOS

De acordo com os autores do Manual de Linguística, a linguagem é fundamental para a vida


em sociedade (MARTELOTTA, 2008, p. 19) pois, através dela, construímos nossa identidade
sociocultural e nos relacionamos com nossos semelhantes. Podemos inferir, deste assunto, diálogos
que podem ser estabelecidos com a área das Ciências Sociais, como a Sociologia e a Antropologia,
devido à influência da realidade socioeconômica sobre os fenômenos linguísticos (como nas
variações que ocorrem devido a classe social, faixa etária, nível educacional etc.), bem como sobre
as implicações culturais envolvidas no processo de significação e simbolização, possível ponto de
contato entre a Linguística e o estudo da cultura e valores de uma determinada época ou sociedade.

“É também importante registrar que nossas vidas, em função da evolução cultural, mudam
com o tempo. Assim, as línguas acabam sofrendo mudanças decorrentes de modificações
nas estruturas sociais e políticas”. (MARTELOTTA, 2008. p. 19).

Cabe falarmos, por exemplo, de como se dá a transformação de um dialeto em língua oficial,


nacional e padrão de uma determinada sociedade ou Estado 1 (levando em consideração a influência
preponderante de fatores econômicos e interesses de poder subjacentes a este processo). Todas as
práticas sociais simbólicas e complexas são intrinsecamente dependentes da linguagem e seu papel
de estruturação e significação do mundo – partindo disso, abre-se um leque de possíveis diálogos e
interações entre os estudos linguísticos e todo o campo das humanidades.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MARTELOTTA, M.E. (org.). Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2008.

1 Pois a ideia de uma gramática normativa está relacionada à ascensão política do modelo de Estado-Nação.