Você está na página 1de 2

2

Tema: A transfiguração no dia a dia 1  A face do Cristo humilhado, sofredor, coroado de espinhos,
apavora-os, desanima-os, escandaliza-os, não a reconhecem , não
Texto: Mateus 17. 1-15
encontram para esta face lugar em suas esperanças
Proposição: Aprendamos a trazer a fulgurosa experiência com
Deus para a mesquinhez e mediocridade do dia a dia.  Seguir a Jesus: Monte da Transfiguração

Introdução  Monte das Oliveiras


Glória E o hoje?
Transfiguração: Tema importante e misterioso  Seguir a Jesus Alegria do Cristo transfigurado
Relatar o texto Angustia do Getsêmani

1. Conheço aquele homem dor e sofrimento do calvário


Alegria da ressurreição
 Quem são os personagens presentes nesta transfiguração?
 O monte não é eterno, Jesus não aceitou a proposta de Pedro de
 Pedro, João Tiago
construir três tendas
 Os mesmo que vão orar no Getsêmani
 Aplicação: A vida cristão é meio assim,
 Tiago e João são os discípulos que pedem para sentar à direita e
 Alegria, felicidade, exultação x tristeza, dor e sofrimento,
à esquerda de Jesus no Reino futuro
desesperança, angústia,
 Pedro, grande Pedro!
 Pedro só reconheceu o Cristo transfigurado, mas o Cristo da
 Pedro é o discípulo das profissões de fé antagônicas: Cruz não
 “Tu és o Cristo, o filho de Deus!”, mas tarde porém, “Não  E nós?
conheço aquele homem!”, nega a Jesus por três vezes
 Aprendamos a dizer em toda e qualquer circusnt6ancia: “Eu
 No alto do monte, diante do Cristo gotejante de luz, os discípulos conheço aquele homem!”
ficam ofuscados e atordoados de tanta alegria
2. O drama do asfalto
 No Getsêmani, diante do Cristo gotejante de sangue, em sua
oração angustiada, os mesmo discípulos ficam atordoados, mas  O texto e o que Deus quer nos ensinar não acaba aqui, temos o
pelo medo, pelo escândalo e pelo ........... sono! drama do asfalto:

 O Pedro que grita “é bom ficarmos aqui, façamos três tendas” é o  Ler Mateus 17. 14-15
mesmo que frita: “Juro, eu não conheço aquele homem”  A figura da Montanha e do asfalto:
 A face do Cristo transfigurado os deixa atordoados, satisfeitos,  Lá em cima: ar puro da montanha, natureza intocada, paisagens
porque está de acordo com suas perspectivas, entra em sintonia lá do alto,
com seus sonhos com suas aspirações
 Lá em baixo, ar poluído, natureza destruída, problemas, 3  A grandeza à mediocridade, generosidade à mesquinhez, o
4
dificuldades, destruição, mediocridade, mesquinhez humana, perdão aos golpes baixos, a fidelidade à traição, a sinceridade à
ISSO NOS SUFOCA! hipocrisia, a pureza às intenções e manobras de bastidores,
enfim o Amor ao ódio, a Justiça às injustiças.
 Era o sentimento dos discípulos
Conclusão
 Viram a Glória de Deus e agora estavam vendo a pobreza
humana!  A fé do tamanho de um grão de mostarda ;é capaz de transportar
montes
 Aliás, é difícil se acostumar aqui em baixo, com os dramas do
asfalto  Que a nossa vida de fé e a fé que temos em Deus possas
transportar, nem que seja um milímetro este monte da
 Tudo parece tão pequeno, tão banal, tão mesquinho, tão irritante, transfiguração para dentro do Drama do asfalto!
em comparação com as Maravilhosas experiências lá de cima, lá
do alto. Amém!!!!
 Retiros espirituais, experiências com Deus, Cultos, Adoração,
etc.
 Não queremos descer mais, queremos é construir tendas e lá ficar
para sempre!
 Jesus desceu para continuar a cumprir a sua missão, antes de ir
para lá definitivamente
 O cristão tem de cumprir a sua missão antes de ir para lá
definitivamente também!
 Jesus desceu e enfrentou o drama do asfalto, a cruz e a
ressurreição
 é preciso guardar intacta esta experiência dentro de nós, um
pouco da fulgurante luz do monte.
 Para então descer do monte e enfrentar o drama do asfalto.
 Assim é inevitável, imperiosos, necessário que sobre o monte
tenhamos estado.
 Assim podemos contrapor às trevas do asfalto a luz de Deus