Você está na página 1de 48

ONE.

UM LANÇAMENTO
FISA COM O CONCEITO
DO EXPOSIÇÃO
UM MOMENTO
PARA VOLTAR À
INFÂNCIA
UM ESTILO ACIMA
DAS TENDÊNCIAS:
O SEU
UM EXERCÍCIO
DIÁRIO: BEM-ESTAR

ANO 1 | Nº 1
OUTUBRO 2010
meu

UM.
bairro nº
UM BAIRRO
ÚNICO EM
Everton De Boni Santos
CAXIAS DO SUL.
ASSIM É O
EXPOSIÇÃO

Ao lado do Centro e com facilidade de mília e para construir a história da mi- rado completo. O primeiro deles está
acesso a todas as regiões da cidade, o nha segunda família, a FISA. É onde em suas mãos. Esta revista é resultado
Exposição empresta seu charme e es- nos identificamos com o espírito do de um trabalho conjunto. Aqui você
tilo a todos que nele vivem, trabalham bairro. Onde exercitamos, aprendemos poderá conhecer algumas pessoas que
ou simplesmente passeiam ao lado da e solidificamos nossos princípios de fazem o Exposição ser o que é. São
tranquilidade, sempre presente nas qualidade e atenção aos detalhes, bus- elas que nos ajudam a traduzir tudo o
ruas largas e arborizadas e na sua topo- cando surpreender sempre. O resulta- que o bairro representa e o que dele se
grafia plana. do pode ser medido através da satisfa- espera. Além disso, nas próximas pági-
ção de nossos clientes, das certificações nas você poderá conhecer melhor um
Como é bom estar aqui. Como é bom de qualidade, ou ainda pelo reconheci- pouco da história da FISA e, também,
poder escolher onde reunir os amigos. mento na pesquisa Marcas de Quem terá a oportunidade de ter o primeiro
Opções gastronômicas não faltam. Decide, onde a FISA aparece como a contato com o ONE, nosso mais novo
primeira construtora mais lembrada do lançamento, um residencial com apar-
Aliás, posso afirmar que não falta nada interior do Estado e uma das 100 maio- tamentos de 3 suítes, apenas um por
no Exposição. Na parte de serviços, res do Brasil, pelo ranking ITC Net. andar, com áreas sociais amplas para
estamos muito bem: bancos, escolas, momentos especiais com quem você
supermercados, empresas da saúde Participar da construção do bairro e da mais gosta. O estilo do ONE, como não
e muitas outras áreas garantem total sua história recente me enche de or- poderia deixar de ser, é marcado pelo
conveniência e comodidade a quem gulho. Maestro, Perfetto, Attuale, Júlio requinte, pelo conforto e pela exclusi-
o escolher. O Exposição é um bairro Eberle, Carlos Giesen, Lapacho, Santa vidade. Afinal, mais do que uma marca
acolhedor por natureza. E, natureza é Teresa, Della Luna, Olinto Biazus, Il registrada da FISA, esse é o conceito do
o que não falta: o Parque dos Maca- Villagio e Agaves são empreendimentos Exposição.
quinhos está sempre convidando para com o padrão de qualidade da FISA e
uma tarde ensolarada. com a personalidade do Exposição. Boa leitura.

Não por acaso, o Exposição é o bairro Agora, estamos dando novos passos Everton De Boni Santos
que escolhi para viver com minha fa- neste bairro que já pode ser conside- Diretor Superintendente FISA
04 One – Um lançamento com o conceito
do Exposição

17 Um sabor de amizade

22 Um momento para voltar à infância

26 Um estilo acima das tendências: o seu

31 Um detalhe é sempre mais que um detalhe

36 Um olhar sobre a rotina

EXPEDIENTE
• Pesquisa de conteúdo, fotos e entrevistas:
39 Um exercício diário: bem-estar

Anahi Fros Comunicação Integrada


• Criação: Dez Comunicação 44 Construindo o Exposição – Um pouco de
história, um pouco de futuro
FACHADA
05
PÓRTICO DE ACESSO

ELEGÂNCIA E
SOFISTICAÇÃO
PARA PESSOAS
ÚNICAS

O ONE é um empreendimento único, passou por transformações, assumin- são particularidades únicas do ONE,
porque foi inspirado no bairro onde do o contorno de um dos mais sofisti- o mais novo empreendimento resi-
está localizado. O Exposição mescla cados da cidade. Um lugar incompa- dencial da FISA. O morador recebe
o idílico da colonização italiana ao rável. as chaves, abre a porta e conclui: “É a
contemporâneo, preservando concei- E o que significa ser único? A respos- minha cara”.
tos únicos de estilo de vida, como o ta pode estar em um só local, que re- A arquiteta e coordenadora do pro-
resgate de hábitos saudáveis dos an- úne funcionalidade ao rigor estético. jeto, Daiane Rizzi, resume o conceito
tepassados à adoção de novas práticas Um lugar para quem planeja investir, ONE: “É um empreendimento dife-
de convivência, focadas no respeito à um espaço que tenha a sua marca e renciado, que alia elegância e sofisti-
individualidade das pessoas. assinatura e a sua noção de conforto, cação ao conforto e funcionalidade,
Ao longo dos anos, o bairro, que inte- e onde a participação da família na es- premissas para o desenvolvimento do
gra a Região Administrativa Central, colha dos detalhes seja possível. Essas projeto”.
HALL

ESPAÇOS
ADEQUADOS
DE ACORDO
COM O PERFIL
DO CLIENTE
Um empreendimento que se chama
ONE precisa oferecer ainda mais van-
tagens exclusivas para os moradores. A
arquiteta Cláudia Geremia, que trabalha
no projeto, traduz a essência de ser ONE: 
“O projeto é bastante contemporâ-

07
neo, tanto pelos materiais utilizados
como pelo formalismo”.
A exclusividade é palavra-chave no
conceito. “O ONE tem um apar-
tamento por andar”, revela. São 15
andares, com localização em sinto-
nia perfeita com o posicionamento
do produto, no qual a segurança e o
conforto se somam para criar um jei-
to de morar que por si só já é único. ESTAR DO FOGO
LIVING ESTENDIDO

SALÃO DE FESTAS
09

O ONE É
ÚNICO,
COMO O
EXPOSIÇÃO
Os apartamentos, além de únicos, adequar ao perfil do cliente. requinte, ideal para quem gosta de
são bastante iluminados e ventilados, A preocupação com o paisagismo receber de forma única.
condição que se manterá graças à lo- é mais uma marca do projeto que, Por somar tantos atributos, como
calização privilegiada em um terreno somada à infraestrutura do condo- fácil acesso, localização e entorno
de esquina. A FISA desenvolveu um mínio, faz da moradia uma experiên- privilegiados, ampla rede de serviços
produto dirigido a um público que cia muito mais agradável. São quase e espaços de interação como o Parque
procura construções com alto nível 800m² de terreno com  área de lazer dos Macaquinhos, o ONE é um lugar
de sofisticação. Sofisticação, neste e fitness equipado. O hall e o salão que resume o conceito do bairro: um
caso, significa integrar o subjetivo, de festas, mobiliados e decorados, lugar único, onde você realmente vai
traduzido em espaços que podem se proporcionam uma experiência de se sentir especial.
ESPAÇO FITNESS REEBOK

Espaço e • Localização privilegiada em bairro nobre


• Terreno de 783m2
• Aptos. a partir de 204m privativos
2

individualidade • 15 andares
• Um apartamento por andar
• Orientação solar dormitórios – leste/oeste
• Orientação solar frente – leste
Tudo em
um só lugar
• Salão de Festas decorado
e mobiliado
• Estar do Fogo
• Espaço Kids
• Espaço Fitness Reebok
• Hall social decorado e mobiliado
• Ambientes equipados, prontos para
serem utilizados

Conforto
e praticidade
• Três suítes, sendo uma master closet
• Estar íntimo
• Cozinha com espera para ilha
integrada – Gourmeteria
• Até quatro vagas na garagem
• Living estendido (três ambientes),
podendo ser transformado
em 4º dormitório
• Opção de dois banheiros na suíte do
casal ou banheira de hidromassagem
• Área de serviço com banho auxiliar
• Elevador privativo com biometria

ESPAÇO KIDS
e elevador auxiliar com acesso
independente 11
PAVIMENTO
TIPO | Living Estendido Circulação com rouparia

BANHO 02
4,16m2

CLOSET

Ampla suíte do casal


com closet

SUÍTE
SUÍTE 02
12,12m2
Suíte com orientação
CASAL solar leste
22,34m2

LAJE
Banho suíte com TÉCNICA
4,57m2 BANHO
hidromassagem e CASAL
possibilidade de 11,16m2

compartimentar em CIRC.
masculino e feminino 6,60m2

SUÍTE 01 Suíte com orientação


12,12m2
solar leste

BANHO 01
4,16m2

ESTAR
ÍNTIMO

Hall social com lavabo HALL


SOCIAL Estar íntimo. Pode ser
e elevador com acesso 5,58m2
transformado em
por biometria home office ou
4º dormitório

HALL
SERVIÇO LAVABO
5,29m2 2,45m2

Hall de serviço com


elevador auxiliar

ESTAR
SOCIAL

LAVANDERIA COZINHA
9,79m2 14,93m2 ÁREA SOCIAL
49,98m2 SACADA
10,45m2 Ampla área social com
3 ambientes e sacada

LAV. SERV.
2,19m2
JANTAR

N
Lavanderia com banho Cozinha com churrasqueira,
auxiliar, ventilação e bifeteira integrada e
iluminação natural gourmeteria
PAVIMENTO
TIPO - OPÇÃO Circulação com rouparia
4º Dormitório

BANHO 02
4,16m2
CLOSET

Ampla suíte do casal


com closet

Suíte com orientação


SUÍTE 02
SUÍTE
CASAL 12,12m2 solar leste
22,34m2

BANHO
CASAL
MASC.
Banho suíte LAJE 4,11m2

compartimentado em TÉCNICA
4,57m2 BANHO
masculino e feminino, CASAL
FEM.
opção de hidromassagem 5,98m2
CIRC.
6,60m2

Suíte americana com


SUÍTE 01
12,12m2
orientação solar leste

BANHO 01
4,16m2

SUÍTE 03
Hall social com lavabo HALL
10,10m2
Suíte americana, pode
e elevador com acesso SOCIAL
ser integrada ao living ou
5,58m2
por biometria transformada em estar
íntimo ou home office

HALL
SERVIÇO LAVABO
5,29m2 2,45m2
Hall de serviço com
elevador auxiliar
ESTAR
SOCIAL

ÁREA SOCIAL
33,25m2
COZINHA
LAVANDERIA 14,93m2
9,79m2
Ampla área social com
SACADA

2 ambientes e sacada
10,45

LAV. SERV.
2,19m2
JANTAR

N
Lavanderia com banho Cozinha com churrasqueira,
auxiliar, ventilação e bifeteira integrada e
iluminação natural gourmeteria
PAVIMENTO
TÉRREO

14

14

12 13
3

4
2

8
11 1
9

10

6
7

1. Acesso de pedestres 8. Hall Social


2. Guarita para controle de acesso 9. Salão de Festas
3. Espelho d’água 10. Kids Place
4. Living externo 11. Fitness Reebok
5. Estar do Fogo 12. Vestiário
6. Espaço Relax 13. Acesso de serviço
7. Jardim dos Temperos 14. Acesso de veículos
SUBSOLO 1

SUBSOLO 2

N
L A NÇA M E N TO NO E X PO SIÇ Ã O

Localização, lazer e preço:


perfeito para suas
melhores expectativas.

70%

Espaço
Gourmet

3 dorms. com 2 vagas por


Apartamentos
suíte: 97m2 apartamento
a partir de
R$300 mil*. 3 suítes: 117m2
Infraestrutura
de lazer

Quadra
Poliesportiva Quiosque

Plantão de Vendas: Os 18 do Forte, 1192, esquina com Andrade Neves. Telefone: 3290 1111

Incorporação:

Telefone: 3289 2300


www.fisaincorporadora.com.br

twitter.com/fisa_incorp

Imagens meramente ilustrativas. Possíveis alterações de projeto e/ou decoração dos ambientes serão executadas de acordo com o Memorial Descritivo do empreendimento. O Memorial de Incorporação encontra-se protocolado
perante o CRI da 2ª zona desta cidade pelo número R7/7.919. Projeto Arquitetônico, Paisagístico e de Interiores: IDEIA1 ARQUITETURA, CREA 141506. * Preço sugerido.
GASTRONOMIA

um
sabor de
AMIZADE.
17
PREPARANDO-SE
PARA ACOLHER
Em todos os finais de tarde, um cli- recepcionar. Por muito tempo, ele Ele confessa que gostou, e muito,
ma de preparativos toma conta da esteve absorto dentro da cozinha, de estar perto de seu público. Diz
Trattoria Pastine, na Rua Sinimbu, criando, comandando, aprimoran- ter sentido completude na sensação
1.151, bairro Exposição. Como peças do. Mais especificamente, seis anos, de acolher. E conta que sua vida é o
de uma engrenagem, cada funcio- tempo suficiente para ele passar por restaurante. Brinca, dizendo que não
nário do restaurante, reconhecido por pessoas na rua e nem imaginar que tem tempo para os amigos, mas que
suas massas italianas, se movimenta eram seus assíduos clientes. O alerta todos os amigos vão ao restaurante.
certeiro, sabendo o que deve fazer vinha da esposa, Renata, que sempre Sem esquecer que muitas novas
para deixar a casa em ordem e rece- fez as vezes de hostess nos 12 anos de amizades surgiram no espaço, resul-
ber os clientes. Ou “as visitas”, como trajetória do chef na alta gastrono- tando até mesmo em recente viagem
define o chef Evandro Comiotto. mia. Formado pelo Istituto di Cucina, a Buenos Aires, com um casal que é
A luz do ambiente é quente e baixa, Cultura ed Enologia delle Regioni assíduo frequentador da casa.
e sobre cada mesa é depositado um d’Italia di Costigliole d’Asti, além Nossa conversa flui, agradável, quan-
delicado vaso com flores do campo. de passagens pelo México, Estados do o relógio aponta 19h43min e duas
As canções italianas são sintoniza- Unidos e França, há dois anos quis amigas entram para jantar. E o que
das de uma estação via satélite. Tudo espiar, saber mais sobre quem vinha vimos no rosto de Comiotto, de Re-
é muito similar ao que acontece em conhecer sua famosa culinária. E foi nata e dos garçons foi um largo sorri-
nossa casa, quando nos preparamos ao salão. E de lá não saiu mais, sem- so de acolhida. O chef, agora também
para receber convidados. pre com os olhos e o coração na co- host, nos olha com alegria e diz: “As
“Queremos que as pessoas se sintam zinha, onde ganhou o apoio do chef visitas chegaram”.
bem aqui”, justifica Comiotto, que Jorge Silva, para quem repassou a téc-
nos recebe para falar sobre a arte de nica e os conceitos.
ONE – O que as pessoas buscam magnético quando recebemos. come determinado prato?
quando chegam à Trattoria Pastine? Comiotto – Massa! Ela é um trans-
Comiotto – Cada um que entra aqui ONE – Significa dizer que a energia porte do sabor do molho para a boca.
está me entregando um pedaço da também dará sabor ao prato? Pode fazer um molho rápido com be-
responsabilidade de sua felicidade Comiotto – Correto. O convidado rinjela e abobrinha em cubos, esta úl-
naquela noite. Eles chegam com essa estará colocando para dentro do or- tima retirando o miolo, tomate, azeite
expectativa. E quanto mais conhecido ganismo toda a energia produzida en- de oliva e manjericão. Fica excelente
me torno, maior a responsabilidade. quanto a comida foi elaborada. com spaghetti.
As pessoas querem ser bem recebi-
das, acolhidas, como se estivessem em ONE – Todo esse preparo demonstra ONE – E a mesa, como deve ser apre-
casa. Fugimos do estereótipo entra, o quê para os convidados? sentada?
senta, come, paga e vai embora. Comiotto – De maneira silenciosa, di- Comiotto – É preciso mostrar uma
zemos: “Viram? Nos preparamos para harmonia, o que se dá através dos ta-
ONE – E qual o ponto de partida receber vocês”. Não precisa dizer, mas lheres e louças. É fundamental estar
para atingir esse objetivo? está dito. preparado para receber bem. Não há
Comiotto – A função do antepasto necessidade que tudo seja em prata,
servido logo que as pessoas sentam à ONE – Quais seriam as principais di- mas as peças devem ser todas iguais.
mesa é um exemplo. Ele proporciona cas que você daria a quem quer pre-
o tempo necessário para as pessoas se parar um happy hour ou jantar para ONE – Qual a importância dos ingre-
acomodarem, se ambientarem. A par- os amigos? dientes na hora de elaborar as recei-
tir daí, o comer se torna secundário e Comiotto – Primeiro, fugir da forma- tas?
as sensações começam a ser absorvi- lidade, partindo do convite, que pode Comiotto – Quanto mais ingredien-
AS ESCOLHAS das. ser feito via ligação telefônica. A partir tes frescos, melhor. Isso também de-

DEVEM ONE – Nossa conversa flui em meio


daí, começar a imprimir personalida-
de ao encontro. Você pode, por exem-
monstra que você se preparou para
receber, que atentou para a questão da
SEMPRE FAZER à movimentação da equipe, que não plo, receber os convidados com um saúde. Não arrisque se não tiver cer-
difere muito do clima que toma conta coquetel Bellini, composto de vinho
PARTE DA de nossas casas quando estamos pres- branco frisante (geralmente de pro-
teza do gosto dos convidados. Escolha
pratos mais básicos e de qualidade,
IDENTIDADE tes a receber visitas...
Comiotto – Sim. Precisamos saber se
secco) e polpa de suco de pêssego ba-
tida, um dos mais famosos na Itália, e
sempre casando com algo inusitado,
uma receita surpresa. Pode ser um vi-
DE QUEM o chão está limpo, se a luz do pórtico contar que ele foi criado na década de nho licoroso que você nunca provou e

CONVIDA está acesa, se o couver foi montado, se


temos todos os ingredientes do cardá-
40 por Giuseppe Cipriani, bartender
chefe do Harry’s Bar. Por causa da cor
comprou para provar junto com seus
convidados. Receber é isso, dar seu
pio, se as bebidas estão geladas, se os rosada, que lembrou a Cipriani a bata tom pessoal ao encontro. Outra dica
banheiros estão limpos, se as mesas de uma Nossa Senhora em um quadro é se abstrair do gosto pessoal. Você
estão todas montadas, se toda a equipe do pintor Giovanni Bellini, ele assim pode adorar lasanha de brócolis, mas
veio e se o chef está feliz. Afinal, ele é nominou o drinque. Também pode nem todos podem gostar. Por que um
a parte invisível do restaurante. Faze- dizer que essa era a bebida favorita restaurante tem um cardápio com
mos tudo de forma emotiva. do escritor Ernest Hemingway. Dessa tantas opções? Porque não sabe qual
forma, você passa a dar sentido ao que público vai receber. Lógico que nunca
ONE – Felicidade e emoção, então, está oferecendo. vamos agradar a todos, mas tentare-
são ingredientes para receber? mos sempre atingir o objetivo com o
Comiotto – Com certeza! É preciso ONE – E como fazer as escolhas maior número possível de pessoas.
primeiro mostrar que você está feliz dentro dessa concepção de sentido?
em receber as pessoas. O que move Comiotto – As escolhas devem sem- ONE – O que sugeriria de entrada?
o mundo é a nossa interação com os pre fazer parte da identidade de quem Comiotto – Com certeza, bruschettas.
outros. Pode fazer a melhor comida convida. Você tem de alimentar o es- Elas agradam a todos e podem vir
do mundo, se estiver carrancudo, não pírito de quem vai receber, fazer com acompanhadas de um bom vinho.
terá o mesmo sabor. Da mesma forma, que experimentem seu mundo. Se as
o prato mais simples ganha se existir pessoas vão ou não gostar é subjetivo, ONE – Qual o conselho para quem
o tempero da simpatia. Tudo fica me- mas as chances são grandes de acertar não sabe cozinhar, mas quer receber?
lhor. É muito importante a troca. Vale quando se coloca sentido nas coisas. Comiotto – Vale até um bom prato
lembrar que, quando cozinhamos, congelado. O diferencial pode estar
passamos a energia para a receita, e ONE – Algum ingrediente indispen- no vinho que vai abrir e que escolheu
essa energia chegará a quem a degus- sável para a hora do aperto, como, por pensando na ocasião. Não precisa sa-
tar. Estamos abrindo nosso campo exemplo, descobrir que alguém não ber cozinhar para receber bem.
QUANDO COZINHAMOS,
PASSAMOS A ENERGIA
Evandro Comiotto

PARA A RECEITA, E ESSA


ENERGIA CHEGARÁ A
QUEM A DEGUSTAR

ABRINDO AS • Fuja da formalidade, partindo do


convite, que pode ser feito via ligação
a seleção musical da ocasião;
• Atenção à louça. As peças não preci-
• O que vale é dividir experiências e
apresentar o seu mundo a quem está
PORTAS DO telefônica; sam ser luxuosas, mas, todas iguais; na sua casa;

SEU MUNDO
• Imprima personalidade ao encontro. • Mesmo colocando sua identidade na • Tenha sempre em casa massas e le-
Receba os convidados com drinques recepção, se abstraia do gosto pessoal gumes. Esses ingredientes podem ren-
diferenciados ou bebidas compradas e escolha um cardápio que possa agra- der deliciosas receitas. Um exemplo é
especialmente para aquela ocasião; dar a todos os convidados; cortar berinjelas em cubos, abrir abo-
• Dê sentido ao que está oferecendo, • Não precisa saber cozinhar para re- brinhas ao meio, retirar o miolo e tam-
conte o porquê das escolhas; ceber bem. Um bom congelado acom- bém cortar em cubos, picar tomates e
• Faça com que os convidados expe- panhado de um vinho especial dá con- cozinhar com azeite de oliva, juntar ao
rimentem o seu mundo. A sobreme- ta do recado; molho folhas de manjericão e servir
sa, por exemplo, pode ser uma receita • Pense nas entradas. Elas evitam a an- com spaghetti. Fica delicioso e é muito
de infância; siedade da espera pelo momento de ir simples.
• Coloque os CDs à disposição dos à mesa, fazendo com que todos se am-
seus convidados, para que eles façam bientem e possam conversar;
P R É - L A N Ç A M E N T O

O LUGAR PERFEITO PARA DEIX

3 suítes 1 por andar 4 vagas

Imagens meramente ilustrativas. Possíveis alterações do projeto e/ou decoração dos ambientes serão executadas de acordo com o Memorial Descritivo do empreendimento. O empreendimento só será comercializado após o registro do
• 2 0 4 m2 p r i v a t i v o s .
• 3 suítes, sendo 1 master com closet.
• L i v i n g e s t e n d i d o o u 4 º d o r m i t ó r i o.
• Opção de 2 banheiros na suíte master
ou banheira de hidromassagem.
• Gourmeteria.
Rua Pedro Tomasi, 1241
• Elevador privativo com biometria.
• Elevador auxiliar com acesso independente. esq. com Rua P lácido d e Castro.
• G u a r i t a b l i n d a d a c o m p u l m ã o.
• A l t o p a d r ã o d e a c a b a m e n t o.
• E s q u a d r i a s e m P V C c o m v i d r o d u p l o.
• Po s s i b i l i d a d e d e c u s t o m i z a ç ã o d a p l a n t a .

N O E X P O S I Ç Ã O

Salão de Festas

XAR SEUS CONVIDADOS SATISFEITOS.

Plantão de Vendas:
Plácido de Castro, esq. com
Telefone: 3289 2300
Andrade Neves. Bairro Exposição. www.fisaincorporadora.com.br
Te l e f o n e : 3 2 1 9 . 3 3 7 6 twitter.com/fisa_incorp

Memorial de Incorporações no Ofício de Registro de Imóveis nos termos da lei nº 4.591/64. Projeto Arquitetônico, Paisagístico e de Interiores: GD Arquitetura. Arquiteta Claudia Geremia CREA 71.634 e Arquiteta Monica de Bortoli CREA 109.056
LAZER

um momento
para voltar à

INFÂNCIA.
22 É BRINCANDO
QUE SE
CONSTRÓI
UM ADULTO
SAUDÁVEL
Ela tem cerca de quatro anos, usa das, torpes, por pais e professores. um projeto da Secretaria Municipal da
roupas e botinha em tom lilás e en- “Nas sessões, descobri aos poucos que Educação (Smed), levou a psicomotri-
feite da mesma cor no cabelo casta- elas não tinham qualquer problema cidade para cinco escolas da periferia
nho levemente encaracolado. Está sen- corporal,  apenas não sabiam brincar, de Caxias do Sul.
tada junto ao pai na sala de espera de nem conheciam seus limites e possi- Em 1996, reavaliou conceitos e apri-
um amplo consultório localizado em bilidades. Hoje, entram aqui subindo morou técnicas ao se matricular no
frente ao Parque dos Macaquinhos, no com facilidade o espaldar”, revela. curso Diagnóstico e Terapêutica dos
bairro Exposição. Abre imediatamente Formada em Educação Física pela Problemas de Desenvolvimento na
o sorriso ao ver a psicomotricista Universidade de Caxias do Sul (UCS) Infância e Adolescência, em Porto
Elisabete Coelho Lamachia. A profis- em 1986, é pós-graduada pela Univer- Alegre, no Centro Lydia Coriat. Atu-
sional retribui o sorriso, abaixa-se sidade La Salle em Psicomotricidade almente, é membro da Escola de Es-
na altura da menina, elogia sua rou- – ciência que tem como foco o trata- tudos Psicanalíticos. E, como ela se
pa e pega a paciente pela mão sem mento de indivíduos com problemas define, uma brincadora. Mãe de três
qualquer resistência. As duas entram de desenvolvimento psicomotor, de filhos, Elisabete defende a formação
no espaço cheio de brinquedos e recan- comportamento de âmbito psicoafe- de crianças saudáveis e adolescentes
tos a explorar para dar início à primeira tivo. Por dez anos, foi professora da equilibrados por meio da brincadeira
sessão daquele dia. Associação Educacional Helen Keller, e, principalmente, da participação da
Ali, Elisabete já chegou a receber, focada na reabilitação de pessoas família. Confira a entrevista.
no decorrer de 18 anos clinicando, com dificuldades de fala, linguagem e
crianças tachadas como desastra- surdez. Na década de 90, por meio de
ONE – Você trabalhou por muitos anos ONE – Essa descoberta deve ter au-
com crianças e adolescentes com defici- mentado sua paixão pela profissão.
ência auditiva e de fala. Como era essa Elisabete – Sim. Eu amo o que faço.
relação no início da sua carreira? Sou uma brincadora. Aqui (aponta
Elisabete – Quando comecei a atuar para a sala ampla) eles brincam, ex-
com psicomotricidade reeducativa, em ploram, experimentam, ousam, falam,
1989, o profissional era o modelo para tudo isso dentro da transferência que
a criança (ela fica em pé para exempli- se instala. Eles descobrem que o corpo
ficar, fazendo o movimento). Levantava tem muitas possibilidades.
uma perna e dizia para o paciente, que
lhe olhava atônito: “Faz como eu estou ONE – As crianças estão brincando
fazendo”. A criança não era escutada no menos?
seu saber; era sublinhado o defeito do Elisabete – Hoje existe uma babá
corpo. Então, trabalhávamos na tenta- chamada desenho animado. Algumas
tiva de treinar para sanar, como se isso crianças nunca viram ou andaram de
fosse possível. Não era considerado o patinete (apontando para um apoiado
que a criança demandava ao terapeuta. em uma das paredes do consultório)!
São crianças filhas da televisão, onde
ONE – Mas, isso certamente mudou... o “brinquedo” é olhar. Pode perceber.
Elisabete – Claro. Não desprezo nada Elas não dizem “estou vendo”, mas
do aprendizado antigo. Mas, quando “estou assistindo”. Eles são a plateia,
comecei, a psicomotricidade tomava ou seja, não precisam participar nem
como base só o que a medicina fala- entrar com nada. Não há implicação
va. Até que entra a psicanálise e gera corporal quando a pessoa “assiste”. O
uma nova visão. Considera-se o que advento dos jogos de computador e
a medicina aponta sobre o dano real, toda a gama de plays, fez com que mui-
a demanda dos pais, da escola, mas, e tos desenvolvessem excelente habili-
principalmente, a demanda da crian- dade motora fina. Mas as habilidades
ça. Em março de 1996, tive meu in- corporais amplas ficaram muito preju-
sight ao fazer um curso no Centro dicadas.
Lydia Coriat. Mas, até então, eu tinha
uma visão formal, onde não circula- ONE – Qual a tua opinião sobre
va o desejo da criança, mas sempre instalar uma televisão no quarto da
o do outro. A partir daí, percebi que criança?
Elisabete Coelho Lamachia o que deve nortear o momento da Elisabete – Respondo com outra per-
sessão é sempre o desejo do sujeito. gunta. Para que televisão no quarto?
HOJE EXISTE O psicomotricista tem que ser uma Ela faz com que a família fique sepa-

UMA BABÁ mesa limpa, onde a criança vai de-


positar seus anseios, medos, desejos.
rada. Os valores que irão nortear toda
a vida dessa pessoa são passados nas
CHAMADA Assim sendo, o psicomotricista vai conversas, nos encontros dentro de

DESENHO brincar o brinquedo da criança, e não


o seu. Continuo meus estudos psica-
casa, até nos momentos em que o pai,
a mãe ou ambos estão assistindo a um
ANIMADO nalíticos até hoje, em grupos de estudo
e formação.
programa juntos, pois estando juntos
é possível ponderar a cerca das “ver-
dades” que a TV diz, questionar com a
ONE – O desejo da criança é o cen- criança. É preciso sabedoria, equilíbrio
tro, a base para as ações, isso? e bom-senso dos pais para tal.
Elisabete – Exato. A grande sacada é
que não existe nada fora do desejo do ONE – Qual é a importância das brin-
sujeito. Antigamente fazíamos testa- cadeiras no desenvolvimento e na for-
gens nas crianças, apresentando gráfi- mação do caráter das crianças? Como
cos aos pais. Hoje em dia, continuamos os pais devem agir?
tendo esse saber internamente, mas Elisabete – Os pais têm de brincar,
é feita uma observação diagnóstica, têm de olhar para os filhos. Despen-
onde a criança vai se mostrando, sem der tempo com e para eles. A criança
pressão, e o terapeuta observa, cons- brinca daquilo que ela vive. Levo meus
truindo hipóteses. pacientes ao Parque dos Macaquinhos.
NÃO É PRECISO
TER FILHOS
BRILHANTES,
MAS É
FUNDAMENTAL
TER FILHOS
FELIZES

Lá olhamos passarinhos, observamos o seu próprio dia, mostrar interesse,


as plantas, juntamos coisinhas do escutar, responder, enfim, construir a
chão, brincamos nos brinquedos, relação, ou os prejuízos mais adiante
subimos escadas, elas experimentam. podem ser sérios.
Para alguns é tudo novo. Parece-me
que alguns pais não têm entusiasmo ONE – O que acha da frase “Educa-
pelas coisas, por isso não mostram ção vem de casa”?
o mundo aos filhos. É preciso brin- Elisabete – Ela é perfeita. Até porque
car junto, como, por exemplo, montar a escola está há algum tempo sendo
quebra-cabeças, construir coisas com obrigada a assumir uma responsabi-
argila (apesar da sujeira, é muito diver- lidade que é dos pais. O respeito vem
tido) e participar em jogos que possam de casa, os valores vêm de casa, a edu-
integrar mais de uma pessoa, contar cação vem de casa. O que está aconte-
histórias... cendo é muito sério. Muitos pais estão
delegando suas responsabilidades para
ONE – É preciso, então, agir não cuidadores, terapeutas. Muitos pensam
somente como provedor, mas também que por estarem “levando seus filhos
como um amigo dos filhos? para lá e para cá”, cumprindo muitas
Elisabete – Sim. Mas, como vai querer vezes uma agenda bem grande, estão
que o filho seja seu amigo se demons- educando-os. De nada adianta colocar
tra que a coisa mais importante é o seu as crianças em inúmeras atividades se
trabalho, o seu dinheiro? Se não está elas não tiverem a atenção da família.
dando a devida atenção quando ele lhe Não é preciso ter filhos brilhantes, mas
mostra algo, respondendo com monos- é fundamental ter filhos felizes. Assim,
sílabos? É preciso perguntar aos filhos teremos adultos saudáveis.
como foi o dia na escola e contar sobre
UM OLHAR
PARA AS
CRIANÇAS
• Escute seu filho. Escutar é diferen- tinho Feio, Três Porquinhos, Chapeu- andar de bicicleta, brincar de pega-
te de ouvir, valorizando suas histórias, zinho Vermelho) sem pular as partes pega, esconde-esconde, etc.;
descobertas e dificuldades; ruins, para que ele possa ir aprenden- • Limite o tempo de televisão e jogos
• Encontre um tempo para brincar, do que a vida também tem uma parte de computador, para dar tempo para
mesmo que seja pouco, mas esteja ruim, e que não podemos pular essa ler, desenhar, recortar e criar. Tempo
presente na brincadeira. Deixe que ele parte, e sim aprender a enfrentá-la; para outras coisas;
defina o papel que vai ter. A gente se • Passeie com a criança pelas ruas. • Elogie e valorize seus feitos, dê limi-
surpreende; Mostre as coisas, comente sobre o céu, tes sempre que necessário. Dizer não
• Mergulhe no imaginário dele e, se ne- o nome das plantas e dos passarinhos. também é educar e amar. Lembre-se:
cessário, empreste seu imaginário e vá Admire-se com a beleza das coisas. Fale todo rio precisa de margens para poder
construindo a história com ele; o “óbvio”, pois a criança está desco- chegar ao mar;
• Conte histórias, as suas, de quando brindo o mundo, e o que é óbvio para • Fale do amor que sente por ela, do
era pequeno. As crianças adoram saber nós pode não ser para ela; quanto ela é importante na sua vida;
sobre a gente; • Propicie brincadeiras que impliquem • Abrace, beije e faça carinho.
• Conte as histórias que você ouvia (Pa- o corpo no espaço, como pular corda,
MODA

um estilo acima
das tendências:
O SEU.
ACIMA DA
26 INFLUÊNCIA,
O GOSTO
PESSOAL
Assim que a estilista Luciana Frezza entrevista. O detalhismo dos sinais do Rio de Janeiro, e MBA em Negócios
abre a porta de seu apartamento, loca- primeiro contato com Luciana resu- de Moda no IBModa São Paulo. Tam-
lizado no bairro Exposição, basta um me o que é preciso para estar de acor- bém integra o Núcleo de Moda, grupo
olhar atento para perceber traços de do com os padrões: ter seu próprio de estudos das tendências de moda e
sua personalidade. Da mesma forma estilo e buscar fazer a diferença entre mercado do Sindicato das Indústrias
que dispensa a maquiagem e veste co- tantos iguais. do Vestuário e do Calçado do Nordes-
res neutras e sapato baixo, brinca com Luciana tem apenas 27 anos, mas um te Gaúcho (Sindivest).
a cor das unhas, que combinam com currículo de dar inveja a muita gente. Não terminou. A profissional já viajou
o verde claro do aro dos óculos. Ela Ela já conta com oito anos de experi- a trabalho para a França, Itália, China
também imprime seu gosto pessoal ência como estilista, além de ter abo- e Alemanha. E, nesse ritmo, não deve
em cada canto da casa. O clean pre- canhado três prêmios de moda (UCS/ parar por aí. Atuando como estilista
domina em meio a um móvel vintage, Sultêxtil, Festimalha e Amni Creatif de uma reconhecida confecção de
quebrando as linhas retas e tons neu- Lab). peças masculinas, Luciana dá as dicas
tros da sala de jantar. Aos 19, ainda acadêmica de Tecnolo- de como combinar peças de acordo
“Tudo o que está aqui eu escolhi, com gia em Moda e Estilo pela Universi- com diferentes ocasiões e momentos
peças trazidas de várias cidades por dade de Caxias do Sul (UCS), já de- do dia, sempre mesclando as novi-
onde passei. Tinha tudo em mente e senhava coleções para uma malharia dades da moda com o estilo de cada
fui combinando para chegar o mais da Serra gaúcha. A guria, que tem um. Ela também fala de conceitos, a
próximo de como imaginava que de- sede de conhecimento, soma uma es- importância do design e a incrível
veria ser o meu lar”, explica. pecialização em Produção de Moda tecnologia em tecidos.
Mas não era de moda que iríamos fa- pelo Centro de Tecnologia da Indús-
lar? Pois é exatamente do que trata a tria Química e Têxtil (CETIQT), no
O ESTILO DE
CADA UM VEM
SEMPRE ANTES
DA MODA OU
TENDÊNCIA

27

Luciana Frezza
SE AS PESSOAS
SE EXPRESSAM
ATRAVÉS
DA ROUPA E
DA MODA,
O DESIGN
É PAPEL
FUNDAMENTAL
DESSA
LINGUAGEM

ONE – O conceito de moda mudou? moda, pois geralmente é com base nela rendo o risco de levar uma peça que pesquisa em design inclui estética, ten-
Luciana – Acredito que o conceito de que encontramos o que queremos ou não gosta por escutar a frase: “Isso está dências, mas, também, funcionalidade e
moda está mudando. Com a populari- quando precisamos de algo. Mas, aci- super na moda”. Como fugir dessa ar- até sustentabilidade. E isso é refletido
dade do tema, acabamos tendo acesso ma de tudo, está o nosso gosto, a nossa madilha? para o consumidor. É muito importan-
fácil à informação em revistas, sites ou vontade, o nosso tipo físico, e é isso que Luciana – O principal na hora de es- te que o profissional da área de design
blogs especializados no assunto. Des- temos que respeitar. Ter estilo abrange colher um produto é levar em conta, conheça seu consumidor para atender
sa forma, a moda acaba ficando cada o modo como nos vestimos, nosso com- novamente, o seu estilo. Quanto mais suas necessidades e desejos, por isso a
vez mais presente na vida das pessoas. portamento e hábitos. E nossas roupas nos conhecermos, mais saberemos o importância das pesquisas. Quando se
Hoje, mesmo quem acredita não se im- precisam acompanhar isso. que combina exatamente conosco. As- fala em design, não se trata apenas de
portar com moda faz escolhas na hora sim, dificilmente correremos o risco de produtos tangíveis, mas também da ex-
de vestir. Isso expressa suas prioridades, ONE – Então o comportamento in- levar um produto apenas pela pressão periência que eles proporcionam.
satisfaz necessidades emocionais, reve- fluencia nas escolhas? da vendedora. Hoje em dia, o consu-
la suas características, sua identidade. Luciana – Sem dúvida, o comporta- midor está cada vez mais exigente e in- ONE – Até que ponto as tendências
Outro fator importante na mudança do mento influencia, muito! Nossas ne- formado; não é difícil saber o que está devem ser levadas em consideração na
conceito de moda é a tecnologia. Pouco cessidades e até nossos desejos variam na moda. Então, o papel da vendedora hora de escolher o guarda-roupa?
a pouco, os consumidores estão poden- conforme nosso estilo de vida, perso- deve ser mais direcionado a auxiliar o Luciana – Até o ponto em que isso não
do contar com ela no vestuário. nalidade, percepção, cultura, e isso tudo consumidor, a satisfazer seus desejos e atrapalhe o seu bem-estar e seu estilo.
influencia diretamente nas nossas esco- necessidades, do que apenas informá-lo Acima de tudo, a roupa deve cair bem
ONE – De que forma? lhas. Não existem alguns produtos ou sobre moda e tendências. em você.
Luciana – Um bom exemplo são os mesmo serviços que parecem ter sido
tecidos inteligentes, como os termodi- feitos para você? Isso porque eles se en- ONE – A pesquisa em design é im- ONE – Como combinar peças de
nâmicos e termocromáticos, com apli- caixam nas suas necessidades, desejos prescindível para as indústrias têxtil e acordo com diferentes ocasiões e mo-
cação e liberação de cápsulas contendo e, consequentemente, combinam com de confecções. Fale um pouco da im- mentos do dia?
perfumes, hidratantes e até remédios. seu estilo de vida. portância desses estudos e como isso Luciana – Uma roupa de trabalho pode
Isso contribuirá significativamente no reflete para o consumidor. ficar muito bem à noite, em um jantar
futuro conceito de moda que tende a ONE – Conforto também é indispen- Luciana – Hoje em dia, o design é algo informal, por exemplo, trocando apenas
aproximar cada vez mais estética e de- sável, certo? Ele aparece? que está muito presente em nossas os acessórios. A moda está cada vez mais
sempenho. Luciana – Sim! É muito feio ver uma vidas, desde a água mineral que bebe- democrática, o que significa que temos
pessoa toda produzida, mas claramente mos até o carro que escolhemos. Na mais liberdade na hora de compor nos-
ONE – Muito se fala no termo, mas o desconfortável. Estar confortável tam- indústria têxtil, é impossível mencio- so look. Isso vai ao encontro do perfil
que significa ter estilo? bém é ter estilo. nar produto sem falar em design. Se as da mulher e do homem da atualidade, e
Luciana – O estilo de cada um vem pessoas se expressam através da roupa a moda tem a função de nos auxiliar no
sempre antes da moda ou tendência. ONE – A pressão dentro de uma loja e da moda, o design é papel fundamen- meio da correria do dia a dia.
É muito difícil não se influenciar pela pode ser grande, com o cliente cor- tal dessa linguagem. Uma completa
CARTAS NA MANGA PARA UM
VISUAL ELEGANTE
• O principal na hora de escolher um peça e vale dar uma conferida;
produto é levar em conta o seu estilo; • Procure harmonizar as cores ao es-
• Saiba o que fica bem em você e res- colher as peças que formarão seu look.
peite esse estilo. De nada vai adiantar Isso não significa utilizar o mesmo
um roupa linda se ela não cair bem no tom, mas sim ter uma harmonia na
seu corpo ou não combinar com você; composição como um todo;
• Organize seu guarda-roupa. Tendo • Na dúvida, misture alguma cor que
uma visão mais ampla de tudo o que cai bem em você com cores neutras,
você tem, fica muito mais fácil fazer como o cinza, o nude ou cáqui. O pre-
combinações e evitar o desperdício, to nem sempre fica tão bem nas har-
como comprar coisas que não precisa; monias quanto estas cores;
• Tenha peças versáteis. Isso fará com • A bolsa é um acessório muito impor-
que você esteja bem vestido, indepen- tante. Ela não deve disputar atenção
dentemente da ocasião; com o resto do look, e sim fazer parte
• Um exemplo de peças versáteis para da composição. Por isso, as bolsas mais
os homens são as camisas de modela- coloridas vão bem com looks neutros,
gem slim. Para as mulheres, a coringa e vice-versa. Dessa forma fica mais di-
peça trench coat, que cabe bem em fícil de errar;
inúmeras ocasiões; • Não é preciso estar vestido como
• Tenha sempre acessórios variados, se fosse a uma festa ao chegar no
como echarpes e carteiras. Eles farão trabalho. Não se pode transformar

29
toda a diferença nas composições, a produção em rotina, pois as pes-
e você poderá transformar um look soas nem perceberão, por exemplo,
clássico em moderno com um simples que você está diferente em uma
toque; festa. É preciso guardar sempre uma
• A qualidade das peças é muito im- carta na manga.
portante para um visual elegante. Va-
lorize roupas bem acabadas, de tecidos
naturais, como algodão, lã fria e linho.
A composição dos produtos está sem-
pre em uma etiqueta no interior da
Living

Quase todas as unidades vendidas,


mas a sua ainda está esperando você.

Visite o stand da FISA


no shopping Iguatemi Caxias.
Vamos receber você com atenção exclusiva.

Incorporação:
Telefone: 3289 2300
www.fisaincorporadora.com.br

twitter.com/fisa_incorp

Rua Andrade Neves, 1115, esquina com Plácido de Castro.


Bairro Exposição - Fone: 3219.3376

Imagens meramente ilustrativas. Possíveis alterações de projeto e/ou decoração dos ambientes serão executadas de acordo com o Memorial Descritivo do Empreendimento. O empreendimento só será
comercializado após o registro do Memorial de Incorporação no Ofício do Registro de Imóveis, nos termos da lei nº 4.591/64. Projeto Arquitetônico, Paisagístico e de Interiores: GD Arquitetura. Arquiteta
Claudia Geremia - CREA 71.634 e Arquiteta Monica De Bortoli - CREA - 109.056.
DECORAÇÃO

um detalhe
é sempre mais que um

DETALHE.
CUSTOMIZAÇÃO, O CAMINHO
PARA SE SENTIR EM CASA 31
Formada em Arquitetura e Urbanismo simpática cachorrinha cor de carame- lezada por flores de espécies variadas
há 30 anos e especializada em planejar lo da raça dachshund, a Toffee, colo- e onde o sol e a claridade tornam-se
ambientes por meio da Arquitetura de cada em um canto da sala de estar, foi fonte de energia da profissional a cada
Interiores, há cinco anos foi a vez de escolhida dentro desse conceito. manhã.
Magda Torresini escolher como seria o Outra defesa da arquiteta está na inte-
lugar onde iria morar. Foi quando ela gração de espaços como a sala e a cozi-
se mudou com o marido, Beto, 58, e os nha; para ela, além de uma tendência,
filhos, Marco, 23, e Isabella, 19, para o é a oportunidade de aproximação entre
coração do bairro Exposição. a família e os convidados.
A profissional, que se diz uma cliente Uma ouvinte nata, que está sempre
difícil de contentar, pesquisou muito pronta a escutar e interpretar o que o
até decidir cada detalhe que comporia cliente busca, Magda mudou de lado, HOJE OS
seu lar, fazendo dele o espaço que ela
considera o ideal para morar. E valeu
passando de questionadora a questio-
nada. Tudo para nos contar um pouco
APARTAMENTOS
a pena. Em seu bonito e agradável
apartamento, todas as peças têm uma
sobre decoração e o que o mercado
vem oferecendo para que o lugar onde
PERDERAM A
função. Nada ali é ocioso, algo que ela menos ficamos durante o dia, por HEGEMONIA,
defende e costuma sugerir aos clientes
que atende. Para Magda, todos os am-
conta do corre-corre diário, possa ser
transformado na base e o porto seguro
NÃO SÃO
bientes devem ter uma ocupação, sem onde possamos recarregar energias ao MAIS TODOS
IGUAIS
chance para locais ociosos. Funciona- final de cada jornada.
lidade é a palavra-chave. Até mesmo a Um dos preferidos de Magda é a área
colocação da almofada de descanso da da sacada de seu apartamento, embe-
ONE – Cada cabeça é uma sentença. com as necessidades dos moradores. tanto no aspecto das necessidades do Há muita expectativa, muito “namo-
Como essa máxima pode ser traduzi- uso quanto ao estético, sem esquecer ro” com cada decisão a ser tomada. O
da na decoração de um apartamento? ONE – Quando as pessoas procuram da individualização. O cliente sabe o profissional entra nesse contexto para
Magda – Hoje os apartamentos perde- você, elas já têm ideia do que querem? tipo de ambiente que quer, mas muitas dar forma e resolver tecnicamente os
ram a hegemonia, não são mais todos Magda – Basicamente, sim. As pes- vezes não sabe como compor, não por anseios dos moradores.
iguais. Cada vez mais se pensa em um soas estão cada vez mais informadas incapacidade, mas por não compreen-
espaço que atenda as necessidades es- sobre as tendências do mercado, sobre der como tal elemento irá funcionar ONE – O que pesa em uma decora-
pecíficas de seus usuários. E o merca- materiais de acabamentos, mobiliário, em determinado ambiente. ção que atenda ao que o futuro mo-
do imobiliário entende que esta é uma entre outros. Porém, querem do pro- rador busca?
tendência cada vez mais necessária. fissional a certeza do que melhor cor- ONE – E como acabar com todas es- Magda – Acredito que é preciso bus-
Você consegue deixar o espaço com a responde tecnicamente ao seu modo sas dúvidas? car atingir o conceito de morar bem,
sua cara, seu perfil, sentindo-se em um de viver, qual é a melhor escolha entre Magda – Com o profissional conhe- sentir-se em casa, ter vontade de vol-
lugar só seu. as tantas opções encontradas no mer- cendo os hábitos de vida da pessoa ou tar ao lar. Não é só resolver funcional
cado. Muitas vezes, sabem mais o que família, seus gostos, hobbies, enfim, e esteticamente o espaço. Tem que
ONE – Essa customização inclui não querem. O profissional tem essa vi- quais itens que influenciam na pro- levar em conta o modo de viver de
somente ambientes internos? são especial para encontrar as respostas. posta de ambientação do apartamen- cada um, o apego aos objetos de
Magda – Não necessariamente, mas to. O arquiteto de interiores faz essa família, a praticidade dos materiais
áreas de uso comum devem ser pro- ONE – Quais os erros mais comuns tradução e transforma o ambiente em de acabamento, a iluminação, entre
jetadas por bons profissionais e que, na escolha dos itens de decoração da um lar. outros. O cliente irá repassar uma
além de atender ao uso destinado, casa? série de informações e cabe ao profis-
respeitem tecnicamente as especifica- Magda – Acredito que a maior dificul- ONE – O profissional então precisa sional racionalizar isso.
ções regidas pela legislação. Por trás dade que as pessoas têm está na visão estar atento a muito mais que um de-
de toda essa individualização, tem do todo e de como compor as peças de sejo... ONE – E como fica o gosto das crian-
de estar a estrutura da construtora. modo funcional e harmônico, pois são Magda – Com certeza, pois cada pes- ças e adolescentes nessa construção
As coisas são resolvidas ainda no pro- inúmeras as ideias que pipocam à sua soa tem a sua história, os seus desejos. dos ambientes que irão fazer uso?
jeto. O arquiteto irá encontrar junto frente. E este é o trabalho do profissio- É importante entender que a compra Magda – Elas são muito ouvidas, ar-
com o cliente uma relação do espaço nal: atingir as expectativas do cliente do imóvel é a realização de um sonho. gumentam muito bem em seus ter-

32
APROVEITANDO
OS ESPAÇOS
• Morar em uma casa é como vestir uma podem valorizar objetos ou ambientes;
roupa: não pode ser nem muito grande, • Os móveis cumprem a importante fun-
tampouco muito apertada; ção de organizar e guardar objetos de
• Os ambientes têm de servir totalmente acordo com a necessidade de cada am-
aos moradores; biente. Não mande fazer ou adquira um
• Não faça uma decoração que restrinja móvel somente por comprar. Ele pode
sua ocupação por sujar ou estragar; se transformar num indesejado “elefante
• Os ambientes abertos facilitam a branco”, ocupando um espaço já restrito
integração da família e dos amigos; dentro da sua casa;
• A vida moderna exige menos forma- • Fique atento às possibilidades tecno-
lidade e maior interação. Por exemplo, lógicas. A automação permite confortos
não existem mais visitas que não possam como agendar um banho de banheira,
entrar na cozinha; abrir ou fechar persianas a distância,
• Pense em paredes com painéis, papel ajustar a iluminação e o ar-condicionado
de parede, azulejos com relevos, pasti- e muito mais, tudo sob o comando de
lhas, pedras, madeiras; um celular ou de painéis de controle
• Perceba a iluminação como um item espalhados pela casa.
importante na decoração. Efeitos de luz
ritórios, os dormitórios e as salas de e outros que ocuparão um plano de
televisão, onde os aparatos tecnológi- fundo, cumprindo com sua função.
cos estão em evidência. No quarto do Respeito muito os objetos, pois fazem
adolescente, primeiro vou saber dele o parte da história da pessoa. E essa
que gostaria, sempre com o acompa- história merece ser preservada.
nhamento dos pais.
ONE – Seu apartamento é belíssimo
ONE – E qual a fórmula para esse e, pelo que sabemos, foi decorado por
diálogo ter sucesso? você. Como é como cliente? É PRECISO
Magda – Basicamente, ao ouvir o
cliente, o mais importante é que o
Magda – Sou muito difícil (risos).
Obrigada, fico feliz que gostou. Aqui BUSCAR
profissional sinta as expectativas dos
moradores, orientando-os para as
você pode ver o que falei até agora.
Não fiz a decoração com a intenção de
ATINGIR O
melhores escolhas. É preciso mostrar torná-lo somente bonito. Planejei os CONCEITO DE
que a gerência da decoração é do
cliente, e que somos um suporte.
detalhes para atender as minhas ne-
cessidades e da minha família. Ele tem MORAR BEM,
ONE – Como os objetos familiares
a nossa cara. O conceito que norteou o
trabalho foi o da praticidade. Conside-
SENTIR-SE EM
podem integrar a decoração da casa ro-me uma pessoa muito prática. Tudo CASA, TER
sem destoar do restante?
Magda – Este é o trabalho do profis-
aqui tem sua função. Usufruímos de
todos os ambientes. Além disso, a ma-
VONTADE DE
sional. É ele que vai integrar os di-
versos itens da decoração dosando
nutenção tem de ser fácil, o que não
impediu que atingíssemos um bom
VOLTAR AO
elementos, de modo que cada objeto resultado estético. LAR
possa estar no contexto. Existirão ob-
jetos que estarão em primeiro plano
por serem valorizados pelo morador,

Magda Torresini
P R É - L A N Ç A M E N T O

Living estendido

REQUINTE, CONFORTO E EXCLUSIVIDADE


COMBINAM COM O SEU ESTILO.

• 2 0 4 m2 p r i v a t i v o s .
• 3 suítes, sendo 1 master com closet.
• L i v i n g e s t e n d i d o o u 4 º d o r m i t ó r i o.
• Opção de 2 banheiros na suíte master
ou banheira de hidromassagem.
• Gourmeteria. Rua Pedro Tomasi, 1241
• Elevador privativo com biometria.
• Elevador auxiliar com acesso independente.
esq. com Rua Plácido de Castro.
• G u a r i t a b l i n d a d a c o m p u l m ã o.
• A l t o p a d r ã o d e a c a b a m e n t o.
• E s q u a d r i a s e m P V C c o m v i d r o d u p l o.
• Po s s i b i l i d a d e d e c u s t o m i z a ç ã o d a p l a n t a .

Plantão de Vendas:
Plácido de Castro, esq. com Telefone: 3289 2300
Andrade Neves. Bairro Exposição. www.fisaincorporadora.com.br

Te l e f o n e : 3 2 1 9 . 3 3 7 6 twitter.com/fisa_incorp

Imagens meramente ilustrativas. Possíveis alterações do projeto e/ou decoração dos ambientes serão executadas de acordo com o Memorial Descritivo do empreendimento. O empreendimento só será comercializado após o registro do
N O E X P O S I Ç Ã O

3 suítes 1 por andar 4 vagas

Memorial de Incorporações no Ofício de Registro de Imóveis nos termos da lei nº 4.591/64. Projeto Arquitetônico, Paisagístico e de Interiores: GD Arquitetura. Arquiteta Claudia Geremia CREA 71.634 e Arquiteta Monica de Bortoli CREA 109.056
COMODIDADE

um olhar
sobre a
ROTINA.
A FELICIDADE, UM PONTO
ACIMA DE QUALQUER
NECESSIDADE

Na hora de pensar em uma entrevista, que o tema economia e otimização de


buscamos um assunto, idealizamos a tempo e recursos tenderia para um
pauta, sempre pensando no que o tom pragmático, caracterizado por di-
leitor apreciaria, e saímos em busca cas objetivas e específicas.
da fonte. Mas, no decorrer das per- Ledo engano. Boniatti, apesar de
guntas e respostas, tudo pode dar viver rodeado de números e desafios
uma reviravolta. diários, como sanar a situação finan-
E assim foi quando conhecemos ceira de grandes empresas, é, antes
o consultor em Gestão, Planeja- de tudo, um humanista. Ele jamais
mento e Orçamento Roberto Vitório dissocia cálculos e planilhas das rela-
Boniatti, 59 anos. Acreditávamos ções pessoais. A busca pela felicidade
e o amor estarão sempre um ponto
acima de qualquer outra necessida- a cursar Filosofia, graduando-se com
de na escala de importância das suas habilitação em Sociologia.
buscas pessoais. Encontrando-as, as “Estava ficando muito pedra, precisava
questões econômicas serão solucio- saber mais sobre o ser humano”, jus-
NÃO É FEIO nadas com maior facilidade, ensina.
Graduado como Analista de Siste-
tifica. Para o consultor, “não entender
de gente é um pecado”. E é com essa
NEM PECADO mas em 1972, faculdade cursada em crença que ele vem auxiliando de for-

TER. MAS São Paulo, professor universitário há


38 anos e consultor há 12, Boniatti é
ma eficaz as corporações a manterem
sua longevidade no mercado.
SABER TER É pós-graduado em Gestão Universitá-
ria pela Universidade de São Marcos,
Saímos da sala de reuniões sabendo

MARAVILHOSO em São Paulo. Na metade dos anos 70,


bem mais do que planejar, amplian-
do nosso olhar. E tentando traduzir
decidiu ampliar seu conhecimento, esse bate-papo na entrevista que você
fugindo das ciências exatas, passando acompanha a seguir.
faltando alguma coisa. Tive a certeza orientação, não são fáceis de serem onde se planejou.
de que educação é tudo, que é preciso feitas.
saber respeitar, elogiar, estabelecer ONE – Ser é mais importante
limites e respeitar as individualidades ONE – Então o indivíduo deve ado- que ter?

É PRECISO para alcançar o sucesso em todos os


seus níveis.
tar ferramentas de controle pessoal
semelhantes a uma empresa?
Boniatti – Não é feio nem pecado ter.
Mas saber ter é maravilhoso.
FUNDAMENTAL- Boniatti – Com toda a certeza. Somos
ONE – Como esses valores irão in- uma microempresa. É preciso funda- ONE – Quais as dicas para economi-
MENTE TER fluenciar na gestão econômica, pro- mentalmente ter planejamento, saber zar tempo e recursos?

PLANEJAMENTO, fissional e pessoal?


Boniatti – É preciso estar alicerçado
o que se quer daqui a três, dez, vinte
anos. Planejamento é algo maravi-
Boniatti – Todo mundo sabe a teoria
do que fazer: não se pode gastar mais
SABER O QUE em valores e princípios. Como você lhoso. É possível. Uma metáfora que do que se recebe. Essa dica está dispo-
vai liderar se não sabe trabalhar com costumo usar é a Arca de Noé. Para nível em livros, revistas, na Internet. O
SE QUER DAQUI princípios e, em especial, respeitando sua construção, e evitando que os grande problema, a grande dificulda-

A TRÊS, DEZ, as individualidades? É preciso com-


preender isso para atingir resultados.
animais fossem dizimados durante
o dilúvio, houve fundamentalmente
de, é como fazer isso. Cada caso é es-
pecífico e tem suas peculiaridades. E
VINTE ANOS Tudo exige relacionamento. planejamento na construção anteci- isso não está escrito em lugar algum.
pada do navio. As prioridades são diferentes, é preci-
ONE – Vivemos em um mundo onde so elencar quais são elas. E lembran-
o que se busca são resultados. De que ONE – Neste mundo de resultados, do que sozinho não se faz nada.
forma o entendimento do ser auxilia onde fica o prazer?
ONE – Você lida diariamente com a atingir essa necessidade do mundo Boniatti – As pessoas estão mais exi- ONE – Então a família é fundamen-
empresas, suas decisões e comple- contemporâneo? gentes quanto a isso. Elas querem tal nessa busca de resultados?
xos orçamentos. Mas, em determi- Boniatti – Sócrates (filósofo ate- viver mais, ir em busca da qualidade Boniatti – A família é a fonte de re-
nado momento, buscou na Filosofia niense, um dos fundadores da atu- de vida, do lazer. Estão buscando o alização de uma pessoa. O lar é seu
algumas respostas que, ao que pare- al Filosofia Ocidental) já dizia em caminho da felicidade e da qualidade. aconchego, o incentivo. A harmonia
ce, norteiam grande parte das suas 400 a.C.: “Conhece-te a ti mesmo”. Mas, para isso, é preciso estar prepara- é importante entre as pessoas que
decisões e conselhos... Atingindo isso, poderá olhar o outro, do para enfrentar muitos obstáculos e convivem em uma casa. Quando a
Roberto Vitório Boniatti – Sim. Cur- compreendê-lo e incentivá-lo. E, as- saber o que se quer. família está em paz, a necessidade de
sar Filosofia foi uma decisão muito sim, obter resultados. É preciso ter consumo diminui. Quando está des-
importante para a minha vida. Ganhei uma visão global, estar atento ao que ONE – A palavra de ordem então é confortável, o ter nunca preenche e
uma visão global sobre as coisas. Se se ganha em termos de valores, aos resiliência? sempre fica um vazio. Portanto, buscar
não entendermos o homem de for- desperdícios, criar um plano mer- Boniatti – Sim. Resiliência, persistên- a harmonia é um dos ingredientes da
ma holística, em sua plenitude, fica cadológico, coisas que, sozinho, sem cia, para saber o que se quer e chegar satisfação pessoal e econômica.

ORGANIZANDO A ROTINA DOMÉSTICA


DE OLHO NO FUTURO
• Falar em economia sem analisar os ciso investir em infraestrutura e mora- terão mais tranquilidade financeira; sadio. Com o tempo, você o fará sem
cenários atuais e os fatores não é fácil, dia, sem falar da reciclagem de lixo que • Se em primeiro lugar está o aspecto pensar;
porém é preciso ter em mente que, para cada pessoa produz diariamente; financeiro, o planejamento doméstico é • Tenha em mente a preocupação com
cada condição que a pessoa e/ou orga- • O melhor fator de sucesso é sem dú- fundamental nesse contexto. É preciso o futuro do planeta e a adoção de um
nização se encontram, exige um plano vida buscar a melhor formação profis- saber para onde está indo o dinheiro, consumo consciente, levando em conta
de ação específico; sional possível; anotar todos os gastos realizados e cor- a necessidade de alimentos, energia e
• Se a pessoa possui alguma sobra, deve • É necessário sempre fazer um plane- tar supérfluos, até chegar ao ponto de água em um mundo onde as reservas
acumular para possibilitar fazer algum jamento financeiro, estabelecendo começar a pensar em investimentos; de água irão diminuir e que já sofre
tipo de investimento e diversificá-lo; metas para acumular bens e valores • Quanto mais cedo começar a econo- com os danos oriundos da extração e
• Analisar os cenários é fundamen- que irão formar o patrimônio da pessoa mizar, melhor. Hoje em dia, ninguém processamento contínuos;
tal para qualquer plano que se queira e de sua família; tem certeza de que manterá seu empre- • A harmonia familiar permite melho-
fazer. Por exemplo: a cada ano, 90 a 95 • Planejar não é tarefa fácil, pois muitos go ou negócio; res condições para planejar e encontrar
milhões de pessoas somam-se à popu- são os imprevistos e incertezas da vida, • Poupe sistematicamente e com regu- a tranquilidade econômica financeira e
lação mundial. Já sabemos que é pre- porém, os que conseguem são os que laridade. Isso tornará um hábito muito também ser feliz.
Sala de Reuniões Salão de Festas

PRIMEIRO, VOCÊ REÚNE TODOS NA SALA DE


REUNIÕES. DEPOIS, NO SALÃO DE FESTAS.

• Estacionamento privativo para proprietários.


SALAS COMERCIAIS • Estacionamento rotativo para visitantes.

A PARTIR DE 36M2 • Amplo hall com recepção central.


• Controle de acesso por catraca eletrônica.
E ANDARES CORPORATIVOS • Salas de reuniões conjugáveis.

DE 300M2 PRIVATIVOS. • Sala de conferência para 50 pessoas.


• Salão de festas com terraço.
Rua Os 18 do Forte, 1094. • Áreas comuns mobiliadas e equipadas.

Incorporação:
Imagens meramente ilustrativas. Possíveis alterações de projeto e/ou decoração dos ambientes serão
executadas de acordo com Memorial Descritivo do empreendimento. O empreendimento só será Telefone: 3289 2300
comercializado após o registro do Memorial de Incorporação no Ofício do Registro de Imóveis, nos termos www.fisaincorporadora.com.br
da lei nº 4.591/64. Projeto Arquitetônico, Paisagístico e de Interiores: IDEIA1 ARQUITETURA, CREA 141506.
twitter.com/fisa_incorp
SAÚDE

um
exercício diário:

BEM-ESTAR.
MOVIMENTO
EM BUSCA DA 39
QUALIDADE
DE VIDA
Há 30 anos na área da saúde, pionei- e Reabilitação Cardíaca (UCS), além
ro em serviços de personal trainer em de várias participações em congressos
Caxias do Sul, segmento com o qual voltados à saúde.
atua há 15 anos, Diógenes Fogaça, Comumente indicado por médicos
o Didi, é enfático ao afirmar: “Quem cardiologistas, ortopedistas e neurolo-
diz que não tem tempo para nada é gistas como profissional de apoio na
porque há algo de errado na sua vida”. recuperação de pacientes com varia-
A frase dá o tom do bate-papo sobre das doenças, Didi coloca em segundo
saúde e bem-estar. plano a estética, o que para ele é con-
Ao justificarmos que a rotina é cada vez sequência da principal preocupação:
mais corrida, ele reforça o recado e ain- gerar saúde às pessoas por meio da
da complementa: “De nada adianta ter prática de exercícios físicos.
coisas materiais se não tem saúde. Elas Por sua academia, passam em média
existem para dar prazer, e você tem de 16 alunos por dia, cada um atendido
estar bem para poder usufruí-las”. dentro de sua individualidade e neces-
A convicção de Didi ganha respaldo sidades.
em seu currículo. Ele soma especia- Apesar do alerta inicial, em tom mais
lização em Treinamento Desportivo duro, Didi é só sorrisos durante a
pela Universidade de Caxias do Sul entrevista, uma característica já co-
(UCS), Personal Training pela Univer- nhecida por quem convive com ele.
sidade Federal do Rio Grande do “É a maneira que tenho de levar a vida.
Sul (UFRGS), Fisiologia do Exercício Eu deixo ela me levar”, ensina.
ONE – Qual a maior dificuldade de buscar quais são seus objetivos. Uma sintonizar harmonicamente sua mente
as pessoas fazerem exercícios físicos? má escolha pode causar danos ao e seu corpo, respeitando e conhecendo
Didi – A compreensão da importância indivíduo. ainda mais seus limites. Emocio-

QUANDO O do exercício físico. O maior problema


não é a pessoa aderir a um programa de ONE – Quais os tipos de exercício
nalmente, ocorre uma melhora, pois,
ao se exercitar, a autoestima do indiví-
PSICOLÓGICO treinamento. A dificuldade está na con-
tinuidade.Vale lembrar que exercício fí-
existentes?
Didi – Os dois tipos básicos são aeróbi-
duo progride, diminuindo lentamen-
te emoções negativas que possa estar
E O ESPIRITUAL sico é diferente de atividade física. Todo cos e de resistência muscular localiza- sentindo, e melhorando sua qualidade

ESTÃO BEM, É movimento é uma atividade física. Já o


exercício exige disciplina, assiduidade
da. O primeiro está relacionado com a
melhora do sistema cardiorrespiratório.
de vida.

BEM PROVÁVEL e continuidade. Tudo por uma simples São exercícios de longa duração, como
natação, ciclismo e esteira. O segundo
ONE – Algumas doenças podem im-
pedir a prática de treinamento?
razão: o que fazemos de exercício não
QUE O FÍSICO é cumulativo. Se parar, o ganho não se toma como base a musculação, traba- Didi – Ao contrário. Pessoas portadoras

ACOMPANHE O mantém. É uma questão de compreen-


são.
lhada de forma localizada, fortalecendo
o tônus muscular, atingindo ligamen-
de alguma doença, como os cardiopa-
tas, hipertensos, diabéticos, osteoporó-
RESTANTE tos, tendões e ossos. Juntando os dois, ticos, entre outros, acabam minimizan-
ONE – E a alimentação? Pode ser temos como resultado a saúde. Por isso, do e muitas vezes solucionando, dentro
dissociada do treinamento? divido a uma hora e meia de aula com de suas condições físicas especiais, seus
Didi – Não. É preciso que as pessoas as duas modalidades. problemas vitais. Obviamente, é neces-
aprendam a consumir alimentos sau- sária uma avaliação médica criteriosa
dáveis. Além disso, é importante comer ONE – Quais razões você citaria para para saber que tipo de indicação será
pouco em cada refeição, somando cer- a prática de exercícios? adotada.
ca de seis refeições diárias. Procurar Didi – A oxigenação tecidual é eleva-
um profissional da área de nutrição fa- da, ou seja, o exercício físico melhora o ONE – Em nenhum momento da en-
cilitará a escolha do cardápio para cada fluxo sanguíneo, levando mais oxigênio trevista você citou a estética. Onde ela
perfil. e nutrientes para todas as regiões do entra no contexto abordado?
corpo. Hipertensos, com o auxílio do Didi – A estética é segundo plano.

40 ONE – Qual a idade ideal para iniciar


e para encerrar os exercícios físicos?
Didi – Não existe limite de idade.Tenho
exercício físico, conseguem aumentar
a rede de capilares em seus músculos.
Assim, o sangue consegue difundir-se
O primeiro objetivo dos exercícios
é a saúde. Estética é consequência.
Os exercícios irão melhorar os órgãos
entre meus alunos um senhor de 80 com maior facilidade, reduzindo a pres- internos, até mesmo o funcionamento
anos. Meu cliente desde 2002, ele reli- são como um todo. Também fortalecem mental e o humor, pois ocorre a pro-
giosamente vem à academia duas vezes os músculos e aumentam o metabo- dução de endorfina e serotonina (am-
por semana. A prática de exercícios lismo do cálcio, fortalecendo os ossos. bas neurotransmissores, sendo que a
físicos orientados e bem elaborados é O desejo sexual aumenta. Quando primeira tem ação analgésica, pos-
importante para todas as pessoas, inde- nos exercitamos regularmente, nossos suindo estrutura similar à da morfina,
pendentemente de idade, pois propor- músculos usam proporcionalmente gerando prazer, relaxamento e bem-
ciona bem-estar, saúde e socialização, mais gordura que glicose, mantendo os estar ao ser liberada, enquanto a segun-
gerando uma melhor e maior qualida- níveis de glicose sanguínea (glicemia) da é produzida e liberada em resposta
de de vida. mais estáveis, diminuindo a fome. aos estímulos ligados às diferenças de
humor, aos transtornos afetivos e faz
ONE – Sempre há tempo para come- ONE – É fato que há melhora no parte do controle do humor e compor-
çar? sono? tamentos emocionais e ciclo do sono).
Didi – Sempre há tempo, mas é preci- Didi – Sim. O sono melhora porque a O importante é se movimentar. E com
so estar ciente de que o tempo passa. prática do exercício físico auxilia na ma- orientação.
Como já dizia Cazuza, o tempo não nutenção do peso corporal, contribuin-
para. do para que a pessoa durma melhor e ONE – Então, o exercício físico pode
tenha maior disposição vital. As pessoas dar um novo sentido à vida?
ONE – O que é preciso para come- muito acima do peso sofrem com a fal- Didi – Ela não tem muito sentido se a
çar a se exercitar, para sair do seden- ta de disposição por não conseguirem pessoa não estiver bem. Basta sentir al-
tarismo? uma posição ideal e relaxante na hora guma dor para ficar diferente. Na mes-
Didi – Primeiro, saber que é preciso de dormir. ma proporção que somos fortes, somos
perseverar. É fundamental que se faça extremamente frágeis. O ser humano
uma avaliação de pré-participação com ONE – Qual a ligação de corpo e consegue enfrentar um ritmo intenso
profissionais da cardiologia e especia- mente durante as práticas? de trabalho, mas só suportará esse rit-
listas na Medicina do Esporte. Depois, Didi – Durante o exercício, é possível mo se tiver saúde.
Diógenes Fogaça
SEMPRE HÁ TEMPO PARA
COMEÇAR, MAS É PRECISO ESTAR
CIENTE DE QUE O TEMPO PASSA

CAMINHADAS SÃO
ALTERNATIVA
• As pessoas podem fazer exercícios Aumente a intensidade do exercício,
sozinhas, mas devem sempre passar ou a distância, ou a velocidade das
pela avaliação de um especialista passadas. Aumente semanalmente
com a orientação de um profissional os minutos até atingir 60 minutos
da área; em três semanas;
• Em qualquer exercício, use roupas • Hidrate-se antes, durante e depois
leves e um bom tênis. Evite roupas dos exercícios. Tenha sempre junto
coladas ao corpo; uma garrafa com água;
• Antes de iniciar qualquer ativi- • As grandes refeições têm de ser
dade, é imprescindível fazer alon- feitas duas horas antes e uma hora
gamento de forma relaxada e con- depois do esforço realizado;
fortável, respeitando seu grau de • Quando sentir dor durante o exer-
flexibilidade e não ultrapassando cício físico, é razão suficiente para
seus limites; interromper. Procure um médico;
• A caminhada é um excelente exer- • Durante o exercício físico, usar
cício para quem quer se movimen- sempre um monitor cardíaco, certifi-
tar sem sair muito da rotina. É um cando-se que a frequência está entre
movimento natural sem riscos de 60% e 80% da máxima prevista.
traumas e que pode ser feito em A fórmula é a frequência cardíaca
qualquer lugar e horário. O Parque máxima = 220 – idade x percentual.
dos Macaquinhos é um ótimo espa- • Por exemplo, uma mulher de 40
ço para praticar a atividade; anos fará o seguinte cálculo: 220 –
• Respire fundo, calma e ritmada- 40 = 180 x 80% = 144. Esse resultado
mente durante todo o tempo da ca- será o seu limite ideal de frequência
minhada; durante o exercício;
• Nas duas primeiras semanas, ca- • Não seja um atleta de fim de se-
minhe com passadas normais, pelo mana nem interrompa as atividades
menos 30 minutos e em dias alter- por mais de cinco dias; caso contrá-
nados, para que o corpo se adapte. rio, os ganhos serão cancelados.
CONSTRUINDO O EXPOSIÇÃO

um pouco de história, um pouco de

FUTURO.
DE EXTENSOS PARREIRAIS AO
44 BAIRRO MAIS SOFISTICADO
DE CAXIAS
Percorrer o bairro Exposição e conver- Mansão Rosa, construção em estilo que abrigou a Festa da Uva e a Feira
sar com seus moradores é um convite português do final dos anos 50, no Agroindustrial, hoje sede da prefeitura
a revisitar a história de Caxias do Sul. coração do bairro, e que simboliza esta municipal.
Próximo ao centro da cidade e com Caxias de outrora. Heloisa analisa o contraste entre a
completa infraestrutura, é possível Pouco mais de meio século a separa Zona Rossi de ontem e o Exposição
descobrir por meio de relatos que a da imagem das videiras, de um espa- dos dias atuais: “Como historiadora,
sofisticada região já abrigou extensos ço mais rural que urbano, com a do acredito que tudo muda. E o futuro
parreirais da Cantina Antunes. O pri- atual cenário marcado por elegantes ainda reserva novas possibilidades
meiro habitante do local ali chegou construções e espaços privilegiados de ao bairro”.
em maio de 1927, quando tudo era passeio e interação. Um bairro que viu
um grande potreiro até Santa Corona, crescer e aprendeu a admirar. “Tudo
que seguia em direção a Galópolis. era diferente, mais tranquilo”, afirma.
Este é o cenário no qual estão imer- A central telefônica da cidade tinha a
sas as lembranças da historiadora capacidade de apenas 900 telefones.
Heloisa Eberle Bergamaschi, 65 anos. Ela conta que seus pais, Júlio João
Foi no bairro Exposição que ela nas- Eberle e Alda Muratore Eberle, nos
ceu e cresceu. Neta de Abramo Eber- primeiros anos de casados, morando
le, empresário ítalo-brasileiro, um dos na chácara, calçavam botas ao sair de
pioneiros da industrialização do esta- casa para ir ao centro da cidade, pois
do do Rio Grande do Sul e fundador havia muita lama no caminho. E que
da Metalúrgica Eberle, Heloisa morou a urbanização do bairro só teve início
na área hoje conhecida como Cháca- a partir da década de 50, com a cons-
ra Eberle. Ali ainda pode ser vista a trução do Pavilhão de Exposições
Heloisa Eberle Bergamaschi
NAS RUAS E
CENÁRIOS, AS
MARCAS DA
HISTÓRIA
A coordenadora do Banco de Memó- guarda essas casas típicas do início do encanada até a Intendência Munici-
ria do Arquivo Histórico Municipal século 20, com pátios grandes, horta pal, onde hoje fica a Casa da Cultura
João Spadari Adami, Sônia Storchi e pomar. Em meio a todas as trans- Percy Vargas de Abreu e Lima”, revela
Fries, 60, nem precisa recorrer aos li- formações por que passou, o bairro Susana.
Sônia e Susana Storchi vros para contar que, inicialmente, o conserva a tranquilidade e as marcas Ela conta que o bairro também abri-
Exposição, do qual já foi moradora, dessa história”, comenta. gou importantes empresas que nele se
era uma colônia pertencente à zona Irmã de Sônia, coordenadora do setor instalaram a partir de 1910. “A então
rural de Caxias do Sul. Mesmo muito de fotografia do Arquivo e morado- chamada Zona Rossi foi crescendo e
próximo ao Centro, o mato que havia ra do Exposição, Susana Storchi, 54, sendo povoada, especialmente a partir
no local causava a sensação de se es- busca nas imagens e registros as lem- da construção do primeiro pavilhão da
tar longe de tudo. Foi entre as déca- branças do bairro. Festa da Uva, em 1954”, relata. “Hoje,
das de 30 e 60 que o bairro passou a “A região onde está localizado o Ex- o Exposição é um dos bairros mais va-
ser mais povoado, principalmente por posição se desenvolveu ao longo das lorizados de Caxias do Sul, mas ainda
operários que desejavam se instalar décadas. Próximo ao Centro, ele é im- apresenta características de um região
nas proximidades das empresas, loca- portante sob vários aspectos históri- residencial”, pontua.
lizadas no Centro e regiões adjacentes. cos. Ali, surgiu a primeira fonte repre-
“Se observar, verá que o bairro ainda sada de Caxias do Sul, que levava água

MINHA VIDA
É AQUI
O comerciante Roberto Nicola, 56,
escolheu o Exposição para morar
e trabalhar. A menos de uma quadra
de casa, instalou há 18 anos a sede da
Nicola Interiores, loja homônima de
decoração de alto padrão. Dois anos
antes, ele e a esposa, Cristina, pas-
saram a morar no prédio da família,
inspirado na arquitetura inglesa do sé-
culo 19, com laterais cegas e poços de
iluminação interna, algo que por si só
ainda chama a atenção de quem passa
pela região.
Para ele, o Exposição tem o que con-
sidera uma grande vantagem: “Esta-
mos muito próximos da área central,
podendo fazer esse trajeto a pé, mas
a movimentação e as características
são de um bairro predominantemente
residencial”. E encerra: “Minha vida é
aqui. O Exposição é o melhor bairro de
Caxias do Sul”.

Roberto Nicola
TRAJETO A PÉ E
QUALIDADE DE VIDA
Um dos passeios preferidos do ca- carro. “E nem quero ter, não preciso”,
sal de comerciantes Ruy Alberto e afirma. O trajeto até a loja do setor
Solange Rech Cassina, 62 e 58 anos, de caça e pesca esportiva, aventura e
e da filha, a nutricionista Márcia, 29, camping da qual é sócio-proprietário
é levar a poodle Luna para passear no Centro, é feito a pé há 46 anos.
pelas ruas do Exposição. Bastam me- “O fato de morar perto de tudo,
nos de cinco minutos de caminhada inclusive do meu trabalho, acaba
para saírem do portão de casa, na gerando qualidade de vida”, com-
Rua do Guia Lopes, e chegar ao Par- plementa.
que dos Macaquinhos. Caminhadas “Apesar de nossa rua ser muito tran-
pelo local aos domingos pela manhã quila, estamos colados ao Cen-
já são uma tradição da família. tro, tendo a multiplicidade de esco-
Aliás, caminhar não é apenas hobby lhas ao nosso alcance. É ótimo morar
para Ruy. Ele revela nunca ter tido aqui”, finaliza Solange.

DESENVOLVENDO O
BAIRRO EXPOSIÇÃO E
CRESCENDO
COM ELE
Há 16 anos, a FISA Incorporadora passou a atender na área conhecida Ela justifica: “Apesar de estarmos passeio pelo bairro, com o jeito
começou a construir sua história como Chácara Eberle, local onde praticamente no centro da cidade, FISA de trabalhar materializado em
no mercado da construção civil. No ainda edificou o Residencial Júlio trabalhamos em meio ao verde e ao empreendimentos que orgulham
final de 2003, com seis funcioná- João Eberle e o comercial Carlos silêncio, um privilégio”. Everton e Lorien, bem como toda a
rios e um escritório no bairro São Giesen. A ampla casa transformada Desde que passou a atender no Ex- equipe.
Pelegrino que já não comportava as em local de trabalho passou de pro- posição, a incorporadora já entregou Em outubro, a incorporadora lança
necessidades do crescente apelo do visória para permanente. ou mantém em fase de construção seu mais novo empreendimento no
mercado à seriedade do trabalho da “A ideia era ficarmos por no máximo 11 edificações no bairro e arredores. bairro que vem ajudando a desen-
empresa, surge uma nova oportuni- três anos aqui. Mas a amplitude do “Enxergar as luzes acesas ao pas- volver, o ONE, residencial que vai ao
dade de negócios. espaço, que permitiu a adequação sar na frente de cada uma dessas encontro do pensamento que é a es-
A necessidade de acompanhar de dos novos departamentos e con- construções e ver que realizamos sência da FISA: entregar ao cliente
perto uma obra residencial de alto sequente aumento da equipe, hoje sonhos é recompensador. A gente se espaços que sejam mais do que uma
padrão foi motivo suficiente para com 100 colaboradores, a facilida- sente parte da história de cada mo- casa. “Esperamos que esses aparta-
que Everton De Boni Santos e de de estacionamento, a arboriza- rador ou profissional que está nos mentos se transformem em um lar”,
Lorien Pasqual Santos, sócios-pro- ção, além da beleza e tranquilidade prédios que construímos”, revela a resume Lorien.
prietários da empresa, decidissem do local, mudaram nossos planos”, empresária.
que era hora de mudar de endereço. conta Lorien, que hoje nem pensa Esse carinho depositado nas cons-
E foi assim que a sede da FISA em mudar a FISA de local. truções pode ser conferido em um
A MARCA FISA 1. Residencial Della Luna – entregue em 2003
2. Residencial Il Villagio – entregue em 2004
PRESENTE NAS 3. Residencial Júlio João Eberle – entregue em dezembro/2008
4. Comercial Carlos Giesen – entregue em abril/2009
RUAS DO 5. Residencial Jardín Lapacho – entregue em julho/2009

EXPOSIÇÃO 6. Residencial Agaves – entregue em março/2010


7. Maestro Residence – entrega em março/2013
8. Attuale Trade Offices – entrega em outubro/2013
9. Olinto Biazus Residence – entrega em fevereiro/2012
10. Perfetto Residence – entrega em abril/2013
11. ONE Exposição Concept – entrega em fevereiro/2014

1. 2. 3.

4. 5. 6. 7.

8. 9. 10. 11.
Incorporação:

Fone: (54) 3289 2300


www.fisaincorporadora.com.br

Imagens meramente ilustrativas. Possíveis alterações de projeto e/ou decoração dos ambientes serão executadas de
acordo com o Memorial Descritivo do empreendimento. O empreendimento só será comercializado após o registro do
Memorial de Incorporações no Ofício de Registro de Imóveis nos termos da lei nº 4.591/64. Projeto Arquitetônico, Paisagístico
e de Interiores: GD Arquitetura. Arquiteta Claudia Geremia CREA 71.634 e Arquiteta Monica De Bortoli CREA 109.056.