Você está na página 1de 63

A anTIGA

LINHA AUXILIAR,
LIGANDO o RIO de Janeiro à PARAÍBA DO SUL
21/06/2019

Antonio Pastori - Ferroviarista e pesquisador


Fontes de Consulta
• Hélio Suêvo Rodriguez: A formação das estradas de ferro no
Rio de Janeiro: o resgate da sua memória. Memória do Trem,
2004;
• Ana Beatriz Pacheco Lima Vaz¹ e Magno Fonseca Borges²:
Introdução ao estudo da Companhia Estrada de Ferro
Melhoramentos do Brasil; Revista Mosaico, julho/dez 2015;
• Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação – A
Estrada de Ferro Central do Brasil, 1928;
• AFTR – Associação Ferroviária Trilhos do Rio; e,
• Ralph M. Gisnsbrecht: site Estações Ferroviárias do Brasil.
http://www.estacoesferroviarias.com.br
1) Graduanda em História pela Universidade Severino Sombra (USS) e (2) Doutorando
em História no Programa de Pós-Graduação em História da UNIRIO (bolsista CAPES) e
docente dos cursos de História, Pedagogia, Farmácia e Medicina (USS).
Sumário
• Os Antigos Caminhos;
• Origem e Características da Linha
Auxiliar;
• Passeio Virtual pela L. A.: Ascensão &
Queda.
Polícia, 1820

Vassouras a Paty
Origem e Características da Linha
Auxiliar
Linha do Tempo
• 17/05/1890  Criada a Companhia Estrada de
Ferro Melhoramentos do Brasil;
• 1895 inaugurada a 1ª Seção: Mangueira (Alfredo
Maia – Rio de Janeiro) a Sertão (Conrado) com o
total de 85 km;
• 1896  inaugurada a 2ª seção – Conrado a
Governador Portela, com 25 km;
• 1898  3ª seção, Portela a Paraíba do Sul, 55 km;
• 1903  os 165 km da Melhoramentos passam para
Administração da E. F. Central do Brasil, com a
denominação de LINHA AUXILIAR (L.A.);
Linha do Tempo
• 1914  construído o ramal de Jacutinga, unindo
a L. A. a Minas Gerais, passando por Vassouras e
conectando-se com a Central do Brasil, em Barão
de Juparanã, em direção à Sta. Rita de Jacutinga,
MG;
• 1940  construída em Gov. Portela uma Escola
Profissionalizante (ginásio) que preparava jovens
para funções técnicas especializadas; depois,
Centro de Formação Profissional (CFP);
Linha do Tempo
• 1950  A L. A. é transferida para E. F. Leopoldina que adota
uma nova política ferroviária: dá preferência ao transporte de
cargas e desativa trens de passageiros. Vários funcionários são
transferidos para outros locais. Governador Portela sofre um
baque na sua economia e a Região entra em decadência.
• 1993  a empresa Montemar Turismo, após investir milhares
de dólares na reforma de locomotivas, carros de passageiros e
trilhos, fez circular, entre Conrado e Miguel Pereira, o chamado
Trem Azul até 1995.
• 1996  A Ferrovia Centro Atlântica assume o trecho por 30
anos e não põe um único trem a circular (início da destruição).
Horários dos trens
O Guia Levi
Era uma tábua dos horários gerais de todos os trens das
Estradas de Ferro Brasileiras. Circulou por 87 anos, de 1897 a
1984, quando praticamente estavam extintos quase todos Trens
de Passageiros de Média e Longa distância no Brasil.
Passeio Virtual pela L. A.

Ascensão & Queda.


# Nome da Estação ou Parada Posição km Distância
1 Japeri 67,7
2 Botais 75,6 7,9
3 Paes Leme 80,4 4,8
4 Conrado Niemayer 86,8 6,4
5 Santa Branca 88,2 1,4
6 Arcadia 92,7 4,5
7 Vera Cruz 102,4 9,7
8 Francisco Fragoso 106,3 3,9
9 Governador Portela 111,7 5,4
10 Barão de Javari 113,7 2,0
11 Miguel Pereira 116,2 2,5
12 Pedras Ruivas 119,7 3,5
13 Pati do Alferes 122,5 2,8
14 Arcozelo 125,6 3,1
15 Bueno de Andrada 131,3 5,7
16 Gal. Zenóbio 133,6 2,3
17 Mestre Xisto 135,1 1,5
18 Avelar 137,5 2,4
19 Vila Rica 140,3 2,8
20 Taboões 143,1 2,8
21 Caiapó 146,3 3,2
22 Andrade Costa 148,8 2,5
23 Cavarú 151,6 2,8
24 Weneck 157,1 5,5
25 Inema 161,8 4,7
26 Paraiba do Sul 165,9 4,1
TOTAL 98,2
Perfil do Trecho
Japeri: km 67,7 - 1860 (E. F. D. Pedro II)
Código Penal
• Art. 163 - Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa
alheia.
• Pena  detenção, de um a seis meses, ou multa.
• Parágrafo único - Se o crime é cometido:
• I - com violência à pessoa ou grave ameaça;
• II - com emprego de substância inflamável ou explosiva, se o fato não
constitui crime mais grave
• III - contra o patrimônio da União, Estado,
Município, empresa concessionária de serviços
públicos ou sociedade de economia mista;
(Redação dada pela Lei nº 5.346, de 3.11.1967).
Botais: km 75,6
Construção  1919, em ruinas

Próximo a essa Estação aconteceu o grande


assalto ao Trem Pagador, em 1959.
Paes Leme: Km 80,4 - 1919
Conrado Niemayer: Km 86,8
1898, Prefeitura
Ponte próxima ao local onde existia a estação
Santa Branca: Km 88,2, 1898, demolida
Arcadia: Km 92,7 - 1898
Arcadia: Posto Saúde
Antigo Ármazem - data desconhecida,
em ruínas
Trecho acima de Arcádia
Vera Cruz: Km 102,4
1898 - Moradia
Viaduto Paulo de Frontin -1897/98

• O Viaduto foi Projetado no Brasil pelos Engenheiros da


Melhoramentos, mas foi construído na Bélgica.
Francisco Fragoso: Km 106,3 - 1898
Caixa d'água que abastecia as
locomotivas, perto de Eng. Adel
Plataforma parada Eng. Adel
Governador Portela: Km 111,7, 1898
Governador Portela
Barão de Javari: Km - 113,17 - 1898
Miguel Pereira: (antiga Estiva) Km 116,2
1898, Prefeitura
Pedras Ruivas: (antiga Monte Alegre)
Km 119,7 - Ponto de ônibus
Pati do Alferes: Km 122,5 – 1898, Centro de Cultura
Arcozelo: Km 125,6 - 1898, Moradia
Bueno de Andrada: Km 131,3
1898 - Demolida
General Zenóbio: Km 133,6
1903, Demolida
Mestre Xisto, km 135
Avelar: Km 137,5
1898
Vila Rica: Km 140,3
Taboões: km 143,1 – 1898, Demolida
Caiapó (Sucupira) Km 146,3 -1905,
Demolida
Andrade Costa: Km 148,8 - 1898,
Recuperada
Cavarú: Km 151,6 -1898, Preservada
Werneck: Km 157,1 – 1898, Preservada
Inema: Km 161,8 – 1898, Preservada
Paraíba do Sul: Km 165,9 – 1867 (EFDPII)
Passagem subterrânea na Estação
Paraíba do Sul
Congresso Brasileiro de Vias de Transporte.
Participantes posam na plataforma da estação de
Parahyba do Sul. O Malho, 18/12/1909.
Muito Obrigado!

antonio.pastori53@gmail.com
(21) 99911 - 8365