Você está na página 1de 43

Disciplina: Estruturas de Aço e Madeira

Prof. Salomão Silva Neto


Estrutura Metálica
Peças Comprimidas
 Considerando as barras retas axialmente comprimidas, verifica-se que,
sob a ação de carregamentos crescentes, pode ser atingido um estado
limite, a partir do qual a forma reta de equilíbrio é instável. A carga
correspondente a esse estado limite é dita carga crítica (Pcr )ou carga de
flambagem.
Peças Comprimidas
 A barra pode perder a sua estabilidade sem que o material tenha atingido
seu limite de escoamento ou de ruptura. O colapso ocorrerá sempre na
direção do eixo de menor momento de inércia de sua seção transversal.
 Para materiais estruturais como, madeira, concreto e aço, o estado limite
de flambagem é um estado limite último.
 De fato, para cargas pouco superiores à carga crítica, o deslocamento
horizontal máximo corresponde a uma fração apreciável do comprimento
da barra, a qual se rompe por flambagem.

 As barras comprimidas devem ser verificadas tanto para a possibilidade


de ruptura / escoamento, como também por flambagem.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM POR FLEXÃO
 Os primeiros estudos teóricos sobre instabilidade forma
obtidos pelo matemático suíço Leonhardt Euler (1707-1783),
que investigou o equilíbrio de uma coluna comprimida na
posição deformada com deslocamentos laterais.

 O resultado obtido foi para uma coluna idealmente perfeita, já


que este é válido para as seguintes condições:
 coluna isenta de imperfeições geométricas e tensões
residuais;
 material elástico-linear;
 carga perfeitamente centrada.

Carga crítica ou Carga de Euler


Peças Comprimidas
FLAMBAGEM POR FLEXÃO
 Comprimento de flambagem Le : é a distância entre os
pontos de momento nulo da barra comprimida. Para uma
barra bi apoiada o comprimento de flambagem é o próprio
comprimento.
Le = K.L onde
K é o coeficiente de flambagem.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM POR FLEXÃO
 A tensão crítica cr em peças comprimidas é
obtida pela divisão da carga axial crítica pela
área da seção comprimida.
 Do estudo das características geométricas de figuras planas,
sabe-se que o raio de giração é definido pela expressão:
onde: i = raio de giração
I = momento de inércia
A = área da seção transversal
 O índice de esbeltez (), definido como a razão entre o
comprimento da barra (L) e seu
raio de giração (i):
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM POR FLEXÃO
 Assim, a tensão crítica cr de flambagem de
barras axialmente comprimidas, no regime
elástico, pode ser expressa por:

 Isolando-se o índice de esbeltez, obtém-se:

 Quando cr= fp (limite de proporcionalidade ou elasticidade do material)


atinge-se um valor limite de esbeltez:
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM POR FLEXÃO
 As normas de dimensionamento de estruturas metálicas
estabelecem limites para o índice de esbeltez:
 Edifícios (AISC, NBR 8800)  < 200
 Pontes (AASHTO)  < 120

 Entre a tensão limite de


proporcionalidade (fp) e a
tensão de escoamento (f y) do
material pode ocorrer a
flambagem inelástica (onde
não é mais válida a lei de
Hooke), e a fórmula de Euler
perde a sua validade.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM POR FLEXÃO
 Para estes casos, utiliza-se a fórmula da Norma Brasileira:

em MPa.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM POR FLEXÃO
DIMENSIONAMENTO

A carga resistente de cálculo, para peças axialmente


comprimidas, sem efeito de flambagem local é dada pela
equação:

onde: Ag = área da seção transversal bruta da seção;


fcr = tensão resistente à compressão simples com flambagem
por flexão.
 O valor de fcr é tabelado em função de f y (tensão de escoamento
do aço) e do  índice de esbeltez).
Peças Comprimidas
Exemplos
1. Determinar o índice de esbeltez limite (lim) para o aço com
tensão limite de proporcionalidade fp=19 kN/cm² e Módulo de
Elasticidade E = 21.000 kN/cm².
2. Determinar o índice de esbeltez de uma barra articulada nas
extremidades, com 8,0 m de comprimento e seção transversal
retangular de a = 20 cm e b = 25 cm.
3. Uma barra prismática de aço de seção transversal retangular
medindo (4 x 5)cm, é articulada nas extremidades e está
submetida a uma carga axial de compressão. Sendo a tensão
limite de proporcionalidade do aço fp =19 kN/cm² e o Módulo de
Elasticidade E=21.000 kN/cm² , determinar o comprimento
mínimo L desta barra para não ocorrer o fenômeno da
flambagem.
Peças Comprimidas
Exemplos
4. Uma barra de aço é articulada nas extremidades, com
comprimento L= 160 cm e seção transversal quadrada, com lado
igual a 5 cm. Determinar a carga máxima de compressão pela
formulação de Euler. Dado: E=21000 kN/cm².
5. Uma barra de aço, com comprimento L = 130 cm, articulada nas
extremidades, possui seção transversal circular com diâmetro
igual a 5 cm. Determinar a carga máxima de compressão pela
formulação da Norma Brasileira.
Peças Comprimidas
Exercícios
1. Duas barras de mesmo comprimento e materiais iguais são submetidas à ação
de uma carga axial P de compressão. Uma das barras possui seção transversal
circular com diâmetro “a” e a outra possui seção transversal quadrada de lado
“a”. Verificar qual das barras é a mais resistente, segundo a formulação de
Euler. As barras possuem o mesmo tipo de fixação nas extremidades.
Resposta: a barra de seção transversal quadrada é a mais resistente (Melconian, 2002).

2. Uma barra de aço com 1,20 m de comprimento e diâmetro d = 34 mm, é


articulada nas extremidades. Determinar a máxima carga de compressão axial
que a barra suporta. Dado: E=21000 kN/cm².
Resposta: 94,42 kN.

3. Determinar o diâmetro de uma barra de aço com 1,2 de comprimento,


articulada nas extremidades e submetida a uma carga axial de compressão de
200 kN. Dados: E=21000k N/cm² .
Resposta: d = 41 mm.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL

 Denomina-se flambagem local a


flambagem das placas componentes de
um perfil comprimido.
 A flambagem local pode ocorrer em
perfis que são constituídos de chapas.
 As chapas podem sofrer deslocamentos
transversais que produzem
empenamento.
 Pode ocorrer flambagem local na alma
ou na mesa.
 A flambagem local depende da esbeltez
da chapa, ou seja, a relação b/t.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL

 A figura ao lado mostra uma coluna curta


(não sofre flambagem global por flexão),
cujas placas componentes comprimidas
apresentam deslocamentos laterais na
forma de ondulações (flambagem local).
 Em uma coluna esbelta composta de
chapas esbeltas, os processos de
flambagem global por flexão da coluna e
de flambagem local (das chapas)
ocorrem de forma interativa.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (NBR 8800)
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (NBR 8800)
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (NBR 8800)
O Parâmetro “Q”
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (NBR 8800)
A Relação (b/t)lim
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (Tabela F1 - NBR 8800)
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (Tabela F1 - NBR 8800)
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (Tabela F1 - NBR 8800)

h é a altura da alma;
tw é a espessura da alma.
Peças Comprimidas
RESISTÊNCIA DE CÁLCULO - (NBR 8800)
Peças Comprimidas
RESISTÊNCIA DE CÁLCULO - (NBR 8800)
Peças Comprimidas
RESISTÊNCIA DE CÁLCULO - (NBR 8800)
Peças Comprimidas
RESISTÊNCIA DE CÁLCULO - (NBR 8800)
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – Determinação de Qa e Qs

fcr = tensão resistente à compressão simples


com flambagem por flexão.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – Determinação de Qa e Qs
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – Determinação de Qa e Qs
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – Determinação de Qa e Qs

h é a altura da alma;
tw é a espessura da alma.
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – Determinação de Qa e Qs
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – Determinação de Qa e Qs
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – Determinação de Qa e Qs
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – FATOR DE REDUÇÃO “Q”
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (NBR 8800)
Peças Comprimidas
FLAMBAGEM LOCAL – VERIFICAÇÃO (NBR 8800)

Simplificadamente e a favor da segurança fazer  = fy


Peças Comprimidas
Resumo das fórmulas
Peças Comprimidas
Exemplos
1. Uma coluna tem seção transversal em forma
de perfil H com espessura de 8 mm,
laminado, com as seguintes dimensões :
alma de 400 mm e flanges inferior e
superior de 300mm, em aço ASTM A-36. O
comprimento de flambagem é K.L = 9,84 m.
Calcular a resistência de cálculo à
compressão axial, considerando a
flambagem em tomo do eixo mais resistente
(x-x). Admite-se que a peça tenha
contenção lateral impedindo flambagem
em torno do eixo de menor resistência (y-y).
Dado: ASTM 36- Fy= 250 MPa Fu= 400 MPa
E= 205 GPa.
Peças Comprimidas
Exercícios
2. Uma coluna tem seção transversal em forma
de perfil H com espessura de 6 mm,
laminado, com as seguintes dimensões : alma
de 280 mm e flanges inferior e superior de
240mm,, todos em aço ASTM A-36. O
comprimento de flambagem é K.L = 6,5 m.
Calcular a resistência de cálculo para
compressão axial, considerando a flambagem
em tomo do eixo mais resistente (x-x).
Admite-se que a peça tenha contenção lateral
impedindo flambagem em tomo do eixo de
menor resistência (y-y).
Dado: ASTM 36- Fy= 250 MPa Fu= 400 MPa
E= 20500 kN/cm² (205.000 MPa).
Uma Boa Noite!

Até a próxima aula!