Você está na página 1de 16

A reflexologia podal na redução do

estresse
La reflexología podal en la reducción del estrés
The foot reflexology in reducing stress

*Tecnóloga em Estética – UNINORTE Francinet dos Santos Bacelar*


**Fisioterapeuta – Fisiodor William Rafael Malezan**
***Fisioterapeuta – UNINORTE). Ana Paula Alencar de Souza***
(Brasil)
dr.rafaelmalezan@hotmail.com

Resumo
A reflexologia podal apesar de ser uma terapia bastante antiga, usada em combinação com a
acupuntura, ainda é pouco conhecida. Tem como base a Medicina Tradicional Chinesa, utilizando os
pontos reflexos concentrados, definidos nos pés através de pressões em pontos específicos e trabalhando
a energia vital, além de estimular as zonas longitudinais e os principais canais ou meridianos, buscando
assim equilibrar todo o organismo, pode trazer para o indivíduo os mais diversos benefícios, dentre eles
podemos citar sua eficácia em várias patologias verificadas nos artigos apresentados no corpus da
pesquisa, ajuda na redução do estresse, causa de várias doenças, devido ao grande impacto propagado
ao organismo. Tem várias vantagens, dentre elas ser aplicada em qualquer ambiente terapêutico ou
domiciliar, sem restrição de idade e não necessita de materiais ou equipamentos para a sua realização. A
pesquisa teve como principal fonte de referencia a Rede Mundial de Computadores (internet) por meio de
sites científicos, bibliotecas universitárias, hospitalares e sites relacionados, acervos particulares, além de
livros relacionados da área. Ao final da pesquisa, verificamos que a reflexologia trouxe vários benefícios
para quem a utilizou. Porém são necessários estudos mais aprofundados e específicos dessa terapia.
Unitermos: Reflexologia. Estresse. Terapia oriental.

Abstract
The foot reflexology despite being a very old therapy used in combination with acupuncture, it is still
little known. Is based on Traditional Chinese Medicine, using the points concentrated reflections, set the
feet through pressure on specific points and working life energy, in addition to stimulating the longitudinal
zones and the main channels or meridians, thereby seeking to balance the whole body, can bring the
individual over several benefits, among them we can mention its effectiveness in various pathologies
observed in the articles presented in the research corpus, helps in reducing stress, causes of various
diseases, due to the large impact propagated to the body. Has several advantages, among them being
applied to any therapeutic or home environment without age restriction and requires no materials or
equipment for its realization. The research had as its main source of reference to the World Wide Web
(internet) through scientific sites, university libraries, hospital and related private collections sites, and books
related area. At the end of the study we found that reflexology has brought many benefits to those who used
it.
Keywords: Reflexology. Stress. Oriental therapy.

EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 19 - Nº 192 - Mayo de 2014.


http://www.efdeportes.com/

1/1

A Reflexologia e o estresse

A reflexologia surgiu no Egito no ano de 2330 a.C., e era utilizada, na China em combinação
com a acupuntura já no século IV a.C. Ao inserirem as agulhas de acupuntura, os médicos
chineses aplicavam uma forte pressão nos pés com o propósito de aumentar o fluxo de energia
(chi) através de canais que atravessam o corpo, chamados meridianos (GILLANDERS, 2006).

Em 1872 o Dr. William Fitzgerald, nascido em Middletown, EUA, começou a considerar a


possibilidade de tratar o corpo por meio de pontos de pressão identificados nos pés (WILLS,
1992).
Braun (2007) relata que na década de 1930, Eunice Ingham, aperfeiçoou o sistema vigente de
reflexologia podal. Ela observou que a congestão e a tensão em determinados pontos do pé,
chamados pontos reflexos, correspondiam à congestão e tensão em determinadas áreas do
corpo. Aplicando pressão concentrada nos pontos reflexos, ela conseguia criar efeitos
estimulantes no corpo.

A reflexologia ensina que uma energia vital chamada de força vital ou prana, circula de uma
maneira rítmica equilibrada entre todos os órgãos do corpo. Se essa energia for bloqueada, o
órgão relacionado com o bloqueio passará a sofrer algum mal-estar.

Segundo Felice (2005), a reflexologia baseia-se no princípio de que todos os órgãos, glândulas
e estruturas do corpo tem pontos que se refletem nos pés, os pontos reflexos.

É uma técnica aplicada nos pés, pois além de passarem os principais canais ou meridianos,
mas também nos pés existem os reflexos são estimulados naturalmente por permanecerem
muito tempo sob a pressão do peso corpóreo estático ou dinâmico

A reflexoterapia é uma técnica não invasiva, realizada com as mãos, nos pés de uma pessoa.
Na maioria dos casos, utilizam-se os polegares, tanto direito quanto esquerdo, para pressionar
as áreas reflexas. Quando se utiliza o polegar esquerdo, deve-se apoiar o pé com a mão direita,
e vice-versa (RIBEIRO apud HALL, 1997).

Segundo Kunz (1984), a reflexologia constitui a prática de experiências sensórias,


principalmente pressão, aplicadas com precisão a partes específicas das mãos e dos pés. A
reprodução do passo consiste ao corpo por essa experiência formar uma espécie de diálogo com
o organismo em sua própria linguagem de pressão e movimento.

A medicina chinesa considera a função do corpo e da mente como o resultado da interação


de determinadas substâncias vitais. Essas substâncias manifestam-se em vários níveis de
“substancialidade”, de maneira que algumas delas são muito rarefeitas e outras totalmente
imateriais. Todas elas constituem a antiga visão chinesa do corpo-mente (MACCIOCIA, 2007).

A reflexologia trabalha a medicina tradicional chinesa desmistificando a existência pela


descoberta e decisão de como a realidade é organizada, através de nações do Tao, Yin e Yang,
e das Cinco Fases. Para Baumann (2004) a medicina tradicional chinesa é um completo sistema
de tratamento médico que é praticado a mais de 5.000 anos na China, onde existe um
desequilíbrio ou bloqueio de energia, ou Chi/Qi, no corpo.

Os praticantes da medicina tradicional chinesa avaliam seus pacientes em relação a variações


de calor, frio, umidade e ressecamento, variações no yin e yang e diferenças no qui e no sangue
que não são conceitos comuns na medicina ocidental.
De acordo com os princípios da medicina chinesa, a doença é o resultado de uns
desequilíbrios de luxo do qi no corpo. O qi flui através de vias ou meridianos, que estão
associados a vários sistemas orgânicos no corpo.

O sistema humano, que funciona de acordo com a lei da polaridade, tem dois pontos principais.
Um deles se situa no topo da cabeça e o outro, nos pés. Esses dois pólos circulam dez correntes
energéticas distintas, cinco em cada metade do corpo, entre a cabeça e os dedos dos pés e das
mãos.

Segundo Bentley (2006), a reflexologia melhora a circulação e ajuda o corpo a acelerar a


eliminação de resíduos, para que as toxinas não tenham a chance de se acumular em níveis
prejudiciais no fígado, rins ou intestinos. Ela facilita todas as funções do corpo e isso, por sua
vez, estimula o processo natural de autocura a funcionar com mais rapidez e eficiência.

A reflexologia é uma técnica de cuidado que pode ser aplicada em qualquer ambiente
terapêutico ou domiciliar por ser de fácil aprendizagem, não necessita de materiais ou
equipamentos para sua realização e ser aplicada preferencialmente nos pés, parte do corpo que
se encontra geralmente livre nos casos graves de saúde. Além disto, a reflexoterapia contribui
para harmonizar o organismo e trazer benefícios para algumas necessidades básicas da pessoa.
(RIBEIRO apud BROWN, 2001; GILLANDERS, 2008; HATTAN, KING, GRIFFITHS, 2002;
MILLIGAN et. al, 2002; WRIGHT, 2008; MAK et. al, 2007; HAYES, COX, 1999).

Segundo Braun (2007), é a modalidade de manipulação corporal que estimula os pontos


definidos dos pés, mãos ou orelhas, promovendo a atividade reflexa específica do sistema
nervoso. Sabe-se que essa pressão libera energia bloqueada e permite que o corpo trabalhe de
modo mais eficiente.

A medicina tradicional chinesa (MTC) abrange uma vasta ordem de práticas populares.
Caracteriza-se por um sistema médico integral, originado há pelo menos quatro mil anos na
China. Utiliza linguagem que retrata simbolicamente as leis da natureza e que valoriza a inter-
relação harmônica entre as partes visando à integridade (CRUZ, 2007 apud MANN, 1971;
YAMAMURA, 1993).

Para o pensamento chinês o corpo e a mente não são vistos como um mecanismo complexo,
mas como um círculo de energia e substâncias vitais interagindo uns com os outros para formar
o organismo.

Segundo Darella (2001), na medicina tradicional chinesa as atividades mentais são


coordenadas pelo sistema Xin (Coração). Porem todos os sistemas Zang (Órgãos) estão
envolvidos com esta atividade, assim o sistema Gan (Fígado) relaciona-se com Hun, Fei
(Pulmão) com Pó, Pi (Baço) com Yi e Shen (Rim) com Zhi. Cada um destes termos tem um
significado especial relacionado ás atividades mentais.
Freire (1996), afirma que na medicina chinesa o Qi, o sangue, os líquidos orgânicos, a
essência e o Espírito são considerados como as substâncias ou propriedades fundamentais do
organismo para a manutenção das atividades vitais.

Relata ainda que relação entre o sangue e o Qi, a matéria e a energia, a forma e a função é
um perfeito exemplo do pensamento taoísta aplicado à medicina. Eles formam um par Yin/Yang
no qual podem ser observadas as suas propriedades de oposição e mutua complementaridade.

Segundo Wills (1992), quando se faz um tratamento reflexológico, é importante seguir uma
ordem estabelecida. Isso garante que nenhum dos reflexos seja inadvertidamente omitido.
Também é importante saber a posição exata dos pontos de pressão, razão pela qual incluí a
estrutura óssea nos diagramas das zonas de reflexo existentes nos pés.

Originalmente, na China, designava-se os cinco elementos de Wu-Hsing; sendo que Wu


significa cinco e Hsing, andar. Os cinco elementos (a Madeira, o Fogo, a Terra, o Metal e a Água)
são, na realidade, os cinco elementos básicos que constituem a natureza. Existe entre eles uma
interdependência e uma interrestrição que determina seu estado de constante movimento e
mutação. A Teoria dos Cinco Elementos ocupa um lugar importante na medicina chinesa, porque
todos os fenômenos dos tecidos e órgãos, da fisiologia e da patologia do corpo humano, estão
classificados e são interpretados pelas interrelações desses elementos. Essa teoria é usada
como guia na prática médica (WEN, 1985)

Segundo Freire (1996), o ciclo da madeira é representado pelo livre crescimento e pela
expansão; o fogo por ser quente e dirigir-se para cima; a terra por transformar e produzir; o metal
por purificar; contrair e ser sólido; e a água por ser úmida, fria e fluir para baixo

Esse autor relata ainda que os cinco elementos também guardam entre si relações que os
mantêm num estado de equilíbrio dinâmico, sustentado por um mecanismo de feedback
promovido pela combinação de dois ciclo de natureza oposta, que se apóiam mutuamente e
regulam o crescimento e a diminuição de cada fase.

Braun (2007) afirma que as cinco fases podem ser consideradas partes de um ciclo que
interagem para criar um universo completo, um organismo ou uma obra-prima. Há um ciclo de
produção, em que as diferentes fases salientam umas às outras, e um ciclo de controle, em que
as fase se restringe entre si.

Os chineses acreditam que todo universo seja ativado por dois princípios, Yin e Yang, o
negativo e o positivo, e consideram que tudo o que se vê exista em virtude da constante influência
mútua dessas duas forças, sejam seres animados ou inanimados (WAKIMOTO apud ROSS,
1994).
As teorias de Yin/Yang e dos Cinco Elementos são duas formas de entender os fenômenos
da natureza, que refletem um conceito primitivo do antigo pensamento materialista e dialético da
cultura chinesa (XINNONG, 1999).

A teoria de Yin/Yang surgiu da observação dos fenômenos naturais. Inicialmente indicava a


orientação da luz do sol onde a face do sol correspondia ao Yang e a face das costas do sol ao
Yin (DARELLA apud HE, 1999). O ideograma (escrita chinesa) que representa o Yin e Yang tem
o significado de uma montanha, onde o lado ensolarado representa o Yang e o lado da sombra
o Yin, possivelmente esta teoria nasceu da observação sobre a alternância cíclica do dia e da
noite (MACCIOCIA,2007).

Segundo Braun (2007) a energia de yin está associada com o aspecto de passividade, sombra,
frio, apoio feminilidade e interiorizaçao do corpo. A energia de contrastante yang conceitualmente
emanada do sol, desce pela parte anterior do corpo e sobe pela parte posterior. Está associada
ao aspecto de atividade, brilho, calor, consumo, masculinidade e exteriorização do corpo. Yin e
Yang constituem uma representação bidimensional do conceito do equilíbrio dinâmico dos
opostos do organismo.

Tradicionalmente são descritas cinco formas constitucionais diferentes no corpo, uma para
cada elemento. As pessoas do tipo madeira apresentam um leve tom esverdeado em sua
compleições, além das mãos e pés elegantes. As do tipo Fogo têm compleição avermelhada,
corada, mãos e pés relativamente pequenos. Tipo Terra têm uma compleição amarelada, mãos
e pés relativamente pequenos. Metal têm uma compleição um pouco pálida, mãos e pés
pequenos. Tipo Água mantém seus corpos em movimento ao caminhar (MACCIOCIA, 2007)

Para Fritz (2002), a reflexologia é classificada como terapia de zona. Ela postula que existem
dez zonas que correm através do corpo. O pé foi mapeado para mostrar as áreas de contato que
afetam diferentes partes do corpo. Tipicamente, o hálux representa a cabeça, a junção do hálux
com o pé representa o pescoço.

Várias cores patológicas são usualmente descrita: branco, amarelo, vermelho, verde, azul,
preto. Branco indica deficiência de sangue ou deficiência do Yang. Amarelo indica deficiência do
Baço ou Umidade, ou ambos. Vermelho indica calor, que pode ser calor ou excesso ou por
deficiência. Verde, a cor facial esverdeada indica alguma das condições seguintes: um padrão
do Fígado, Frio interior, dor ou Vento interior. Azul, a cor azulado-escura abaixo dos olhos indica
Frio no canal do fígado. Preta indica frio, dor ou doença do rim, em geral uma deficiência do Yin
do Rim (MACCIOCIA, 2007).

Segundo Macciocia (2007) a observação dos olhos é uma parte muitíssimo importante no
diagnóstico. Os olhos refletem o estado da Mente (Shen) e da Essência (Jing). Se os olhos
estiverem claros e com brilho, é sinal de que a Mente e as Essências dos cinco órgãos Yin estão
em boas condições de vitalidade. Se estiverem muito entorpecidos ou nublados, denotam que a
Mente está afetada e as essências dos cincos órgãos Yin foram debilitadas.

O autor segue ainda afirmando que as diferentes partes dos olhos estão relacionadas a
diferentes órgãos. O canto do olho está relacionado ao Coração; a pálpebra superior ao Baço
(ou aos canais do Yang Máximo); a pálpebra inferior relaciona-se ao Estômago, a esclera ao
Pulmão, a íris ao Fígado; e a pupila ao Rim (MACCIOCIA, 2007).

Em relação às unhas pálidas indicam deficiência de Sangue; unhas azuladas indicam estase
de Sangue (do Fígado). As unhas sulcadas apontam deficiência de Sangue no Fígado Os pés
frios, em geral, são decorrentes de deficiência do Yang do Rio. Outra possível causa de pés frios,
especialmente nas mulheres, é deficiência de Sangue no Fígado (MACCIOCIA, 2007).

Fitzgerald dividiu o corpo em dez zonas longitudinais de largura similar, que percorriam todo
o corpo no sentido do comprimento, desde a ponta dos dedos dos pés até a cabeça, e desta até
a ponta dos dedos das mãos e vice-versa (Figura 1). Ele afirmava que, se uma linha fosse
desenhada através do centro do corpo, ela o dividiria em cinco zonas do lado direito e cinco do
lado esquerdo. (RIBEIRO apud HALL, 1997; WRIGHT, 2008; GILLANDERS, 2008; VENNELLS,
2003; BROWN, 2001

Figura 1. As dez zonas reflexas


http://www.masajetailandes.com/rp_historia1.gif

Por meio da reflexoterapia, pode-se estimular ou relaxar o sistema nervoso, que, por sua vez,
afeta, ao mesmo tempo, a mente e o sistema de energia interno, uma vez que ambos são
inseparáveis (RIBEIRO apud VENNELLS, 2003).

Segundo Ribeiro além das zonas longitudinais, os pés também podem ser divididos em zonas
transversais ou horizontais. As quatro linhas transversais são as seguintes: A linha da cintura
escapular, localizada abaixo da base dos dedos do pé. A linha do diafragma, localizada no início
do arco do pé. A linha da cintura, bem no meio do pé, no centro do arco. A linha pélvica, um
pouco acima do calcanhar. Estas linhas imaginárias ajudam a mapear todo o corpo nos pés
(Figuras 2 e 3).
Figura 2. Mapa da reflexoterapia (vista plantar; pé direito)
Fonte: GILLANDERS, 2006

Figura 3. Mapa da reflexoterapia (vista plantar; pé esquerdo)


Fonte: GILLANDERS, 2006

Além das áreas correspondentes a todo o organismo humano, há uma região que apresenta
o ponto do plexo solar. Este é um emaranhado de ramificações nervosas que se localizam na
cavidade abdominal e, freqüentemente, é chamado de “cérebro abdominal”. As áreas reflexas
do plexo solar são de grande importância para o relaxamento, o que contribui para a respiração
mais confortável e diminui a ansiedade (RIBEIRO 2009 apud HALL, 1997; VENNELLS, 2003).

Os órgãos emparelhados, como os pulmões, os rins ou os ovários são achados em ambos os


pés. Os órgãos únicos são encontrados, em sua maioria, no pé correspondente ao lado em que
se encontram. A coluna, que forma o centro do corpo, é encontrada em ambos os pés ao longo
da lateral interna (ou aspecto medial). As partes externas do corpo, como os ombros, os joelhos
e os quadris, são encontrados na lateral externa (ou aspecto distal) dos pés (RIBEIRO apud
HALL, 1997; WRIGH, 2008; GILLADERS, 2008; VENNELLS, 2003; BROWN, 2001).

Conceitualmente, o estresse apresenta diversas definições dependendo da abordagem teórica


ou contexto de análise. Selye (1956) foi quem primeiro definiu o estresse como uma Síndrome
de Adaptação Geral (SAG). Para esse pesquisador, o estresse era entendido como um estado
manifesto por uma síndrome específica, a qual consiste de todas as alterações não-específicas
induzidas em um sistema biológico. A Síndrome Geral de Adaptação é integrada por três estágios
padrões descritos por Selye: 1) Reação de Alarme, 2) Fase de Resistência, 3) Fase de
Recuperação ou Exaustão (SOUZA; SAMPAIO; LEÃO, 2009).

Apesar de Selye ter identificado apenas três fases do estresse, Lipp (2005) no decorrer da
avaliação de seu instrumento (Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp - ISSL)
para diagnóstico do estresse identificou uma quarta fase. Esta nova fase, chamada de quase-
exaustão, encontra-se entre a fase de resistência e a da exaustão e caracteriza-se pelo
enfraquecimento da pessoa que não mais está conseguindo adaptar-se ou resistir ao estressor

O termo estresse pode ser entendido como uma reação do organismo, com componentes
físicos e/ou psicológicos, decorrente das alterações psicofisiológicas que ocorrem quando há um
confronto com uma situação que provoque, de um modo ou de outro, irritação, medo, excitação
ou confusão, ou mesmo que faça a pessoa imensamente feliz. Ele se mostra como um processo
e não uma reação única, uma vez que um longo processo bioquímico instala-se quando a pessoa
se depara com um estressor, cuja manifestação inicial ocorre de modo bastante semelhante,
com o surgimento de taquicardia, sudorese excessiva, tensão muscular, boca seca e a sensação
de estar alerta (FURTADO; FALCONE; CLARK apud LIPP, 1996).

Este artigo mostra a importância da reflexologia podal como uma terapia ainda pouco utilizada
na redução do estresse e de outras patologia. Hoje podemos afirmar que o homem moderno
sofre dessa doença devido a vários fatores desencadeantes, como carga horária de trabalho
excessiva, trânsito caóticos, dentre outros, causando assim diversas doenças cardiovasculares,
gastrointestinais, distúrbios de crescimento, câncer, depressão, distúrbios reprodutivos e
doenças infecciosas entre outros.

Tem com objetivo desenvolver através de um estudo sistemático os efeitos da Reflexologia


podal no controle do estresse, apresentar as possíveis causas do estresse no mundo moderno,
identificando alternativas para o controle. Apresentar as vantagens da Reflexologia no controle
do estresse, onde este é um dos problemas mais comuns que o ser humano enfrenta, todos já o
experimentaram, mas poucos o compreendem ou reconhecem o impacto que pode ter no
organismo. É possível, no entanto, aprender a reconhecê-lo, controlá-lo e, até mesmo, utilizá-lo
para o nosso benefício, mas é preciso inicialmente compreender o que é estresse, e saber que
existem terapias que são extremamente eficazes para amenizar esse problema.

Pressupostos metodológicos

A pesquisa bibliográfica foi realizada com base na Rede Mundial de Computadores (Internet)
por meio de sites científicos como: EBSCO, PUBMED, SCIELO, sendo acessadas diversas
fontes de conhecimento, como bibliotecas universitárias, hospitalares e sites relacionados,
acervos particulares, além de livros relacionados da área.

O tipo de estudo consta de analise de artigos de: revisões de literatura, estudos de prontuário
e pesquisa aplicada. Para essa pesquisa, foram definidos alguns critérios: autor, tipo de estudo,
título, critérios de inclusão, pacientes, pacientes que assinaram termo de consentimento, e
exclusão, estatística, resultados e conclusões, além das palavras-chaves: reflexologia, estresse,
reflexologia podal, terapia oriental (reflexology, stress, reflexology foot, therapy orient), que são
mostrados nos quadros subseqüentes, visando mostrar a relevância dos estudos realizados
pelos autores pesquisados.

Revisão sistemática

Neste artigo iremos apresentar uma pesquisa sobre a reflexologia podal na redução do
estresse, demonstrando que o corpo precisa estar em equilíbrio; apresentaremos três estudos
que comprovam sua eficácia em pacientes com diagnóstico de câncer metastático, sua aplicação
com excelentes resultados em mulheres de meia idade na pré-menopausa e em pacientes
diagnosticados com diabetes tipo 2, mostraremos com essa reflexologia pode ser aplicada ou
não, o cuidado que devemos ter para que nosso organismos não desenvolva outras patologia.

Em seu artigo Nancy et al (2008) comparam os efeitos da reflexologia em pessoas com dor e
ansiedade e pacientes com câncer metastático. Em 86 pacientes com diagnóstico de câncer
metastático com escore de dor de 2 ou mais, em uma escala de 0-10, com média de idade 58,3
anos, onde 51% eram do sexo feminino, 16 tipos de câncer estavam representados, 42
participantes formaram o grupo de reflexologia e 44 pessoas formaram o grupo controle. Os
primeiros 10 minutos e os 5 últimos foram realizada uma reflexologia no grupo com câncer. Havia
no grupo um reflexologista certificado para fazer o tratamento. Os 10 primeiros minutos e os 5
últimos da sessão de reflexologia envolveu técnica de relaxamento. Os outros 15 minutos foram
correspondentes as áreas de dor, câncer, áreas de imunidade (hipófise, tireóide e glândulas
supra-renais) e do plexo solar. Durante o período do estudo ambos os grupos receberam os
cuidados habituais. A dor foi medida usando o Brief Pain Inventory (BPI) que contém uma escala
de dor de 0-10. Outra escala de 0-10 permite que os pacientes para saber como a dor interfere
com a geral atividade, humor, caminhar, trabalhar, relacionamento e gozo da vida. A localização
da dor é indicada em um diagrama e mostra o quanto o alívio é obtido a partir da medicação.
Além do BPI, o Short-Form McGill Pain Questionnaire (SI-MPQ) foi usado para medir a dor. Este
questionário descreve a dor em termos de sua experiência sensorial. Ele usa palavras como
latejante, esfaqueamento, tiro, acentuada, cólicas, queimadura. Para descrever a experiência
afetiva de sua dor, os pacientes são convidados a expressá-la com palavras como cansativo,
desgastante, doentio, medo, punir e cruel.

As palavras usadas neste questionário foram classificadas de 0-3 com o representando “não”
e 3 representa “grave”. A intensidade da dor foi medida em 10 cm da escala, com 0
representando nenhuma dor e 10 pior possível.A ansiedade foi medida utilizando a Escala
Analógica Visual para Ansiedade. Esta escala é uma linha de 10 cm vertical que começa no 0 a
indicar “não ansioso em tudo” e terminar em 10 para indicar “extremamente ansioso”. Os
questionários foram preenchidos imediatamente antes e após a conclusão do tratamento. O
grupo reflexologia mostrou uma redução de 34% na dor após a intervenção em relação à redução
de 2% do grupo controle. Os resultados foram analisados por um sub-grupo de pacientes com
escores de dor moderada grave antes do tratamento. Neste sub-grupo, o grupo reflexologia
experimentou uma redução de 6% no grupo controle.

Os escores de ansiedade para o grupo total apresentou uma melhoria de 62% no grupo de
reflexologia, contra 23% no controle. Estes resultados também foram observados nos subgrupos,
ansiedade no grupo em que diminuiu a reflexolologia, 67% em comparação com redução de 31%
do grupo controle. Os investigadores concluíram que: resultados do estudo indicam que o pé do
parceiro entregue resultados reflexologia em um efeito imediato na diminuição da dor e
ansiedades em pacientes com metástases. Os investigadores reconheceram que a formação,
porque a pessoa o parceiro reflexologista também administrou questionários, pode ter havido
uma fala de objetividade completa e a possibilidade de víeis As medições efetuadas nos pontos
de tempo futuro teria determinar a duração do alívio da dor e redução da ansiedade. Também
não é mais evidente se, os tratamentos de reflexologia traria os mesmos benefícios.

Jang (2009) examinou os efeitos da auto reflexologia podal sobre o estresse, a fadiga e a
circulação de sangue na pré-menopausa de mulheres de meia-idade. Métodos: Estudo com um
grupo controle quase-experimental, utilizando um pré e pós teste, com 59 mulheres na pré-
menopausa, coreanas, na faixa dos 40 e 60 anos, formando 2 grupos, sendo 30 mulheres no
grupo experimental e 29 no grupo controle, os dados foram coletados entre maio e agosto de
2008.

A reflexologia podal foi realizada três vezes por semana durante seis semanas, por 40 minutos.
A necessidade de investigação devido ao desenvolvimento da ciência como uma extensão da
expectativa de vida no meio do ciclo de vida em grande proporção está crescendo em mulheres
de meia-idade na Coréia com o percentual de 33% em 2000 e em 2008 de 39% e esperasse que
em 2020 da população deverá atingir 44% (Korea National Statistical Office, 2006).
Os dados coletados foram analisados com SPSS WIN 12,0. Em primeiro lugar, foram
analisadas as características gerais dos grupos, experimental e controle, com dados referentes
à situação de pré- estresse, fadiga e circulação do sangue, utilizando os seguintes testes
estatísticos: o teste do qui-quadrado de homogeneidade, teste exato de Fisher e teste t
independente Hang. Em segundo lugar, no grupo experimental e de controle foi observada uma
diferença entre fadiga e a circulação do sangue com o teste t-independente.

Os resultados mostraram que a auto reflexologia podal foi eficaz na redução da fadiga e
estresse percebido e ajudado a circulação de sangue no pré-menopausa as mulheres de meia-
idade. Assim, auto reflexologia podal auxiliou na auto-percepção do estresse. É considerado
método eficaz. Além disso, os indivíduos deste estudo apresentaram escore de estresse pré-
medido de 38,23% e 42,41% tendo uma média de nível de estresse menor que outros estudos.
Auto-reflexologia podal pode ser uma intervenção de enfermagem eficazes na redução do
estresse percebido e da fadiga e na melhoria circulação.

Sanches et al (2009) avaliou a eficácia da massagem do tecido conjuntivo para melhorar a


circulação sanguínea e os sintomas de claudicação intermitente no membro inferior e servir como
uma medida preventiva contra a progressão da PAD em pacientes diabéticos tipo 2, através de
um estudo randomizado em 98 pacientes diabéticos com estágio I e II, onde um grupo foi tratado
com placebo e outro com massagem, com medições realizadas aos 30 minutos, 6 meses e 1
ano após 15 semanas do tratamento, validado através do Impairment Questionnaire, foi
orientados a não fazer mudanças na dieta, terapia ou atividades diárias durante o decorrer do
estudo.

Esta abordagem pode ser de especial interesse para os pacientes incapazes de tomar parte
em programas de exercícios físicos. Depois de 15 semanas, os grupos diferiram no diferencial
segmentar pressão artéria; com significativa diferença observada no pé direito e esquerdo. Para
a análise estatística foi utilizado um Pacote estatístico SPSS (versão 17.0). A confiabilidade e a
validade do modelo foi estudada através da análise residual independência, normalidade e
homogeneidade de variância. Independência Residual, analisada através de plotagem dos
valores obtidos contra os resíduos, resultando em pontos distribuídos de forma aleatória não
havendo tendência específica e, portanto, verificar a independência residual suposição.

A homogeneidade de variância foi testada com o teste de Levene, a obtenção de um nível de


confiança de 95% e P-valor 40.05, confirmando a igualdade de variância. A distribuição normal
das variáveis foi determinada utilizando o teste de Kolmogorov-Smirnof, expressando contínua
dados como média, desvio-padrão (DP).

Os resultados da ANOVA foram significativos para saturação de oxigênio no pé, mas não para
a freqüência cardíaca e de temperatura, o que foi notado depois de 1 ano e 6 meses. A
claudicação intermitente (CI) e uma isquemia transitória causada pela incapacidade do sistema
vascular para atender necessidades metabólicas do músculo, manifestada clinicamente como
uma dor constritiva na perna, coxa ou pé, podendo aparecer durante caminhadas ou a baixa
temperatura, com sintomas associados os pés frios, pele sem pelos, com secura ou ulcerações.
A dor no pé é verificada na fase III onde nota-se os pés sensíveis , frios assumindo um aspecto
pálido ou de aparência vermelhada.

No estágio IV, o paciente tem ulcerações e necrose do membro. A massagem do tecido


conjuntivo (CTM) pode reduzir os sintomas IC e melhorar, aumentando a circulação sanguínea,
a musculatura. Isto é conseguido através de massagem ao longo linhas de reflexo em áreas da
pele conectado (à distância) com tecidos profundos e nos órgãos internos, conhecido como Head
zonas. Após o programa de 15 semanas, aplicando-se durante 30 minutos, com média de
diferencial segmentar os valores da pressão arterial (por pletismografia) foram significativamente
(P50.05) melhorou versus basal valores direito e perna esquerda) no grupo de massagem.

No grupo de massagem após 6 meses, diferenças significativas foram encontradas entre a


avaliação inicial e seis meses pós-tratamento na temperatura da pele da prega inguinal direita e
na saturação de oxigênio do direito e esquerdo dos pés. O grupo placebo não apresentaram
significativa diferença entre a avaliação inicial e dois meses em qualquer variável. Mostrou uma
Tipo de Objetivo e Critério de Critério de
or Título Estatística Resultados Conclus
estudo Anotações inclusão Exclusão

O grupo
reflexologia
mostrou uma
redução de
34% na dor e A
86 2% do grupo reflexolo
pacientes controle. Com tem
Os autores
com escores de efeito
compararam
cy L.N. diagnóstico 62% no grupo imediato
Partner- os efeitos da
phenson, CS, Campo de câncer reflexologia diminuiçã
Delivered Reflexologia Pacientes com
vin Swanson, Não metástico contra 23% no da dor
Reflexology: em pessoas diagnóstico de
nn Dalton, relatado no com idade controle. Foram ansiedad
Effects on com dor e câncer
nces J. Keefe, artigo. média de observados em
Cancer Pain ansiedade e metástico
tha Engelke, 58,3 anos, nos subgrupos, paciente
and Anxiety pacientes
8 onde 51% ansiedade no com
com câncer
eram do grupo em que metástas
metastático
sexo diminuiu a
feminino; reflexologia,
67% em
comparação
com redução
de 31% do
grupo controle.

Auto-
Os resultados reflexolo
Este estudo 59 mulheres
mostram que a pode
Effects of Self- examinou os na pré-
auto- uma
Foot efeitos da menopausa
reflexologia intervenç
Reflexology on auto- na faixa dos
podal é efetiva de
Stress, Fatigue reflexologia Mulheres de 40 e 60
g, Soo Hyun; Não na redução da enfermag
and Blood sobre o meia-idade na vivendo na
, Kye Ha, 2009 Campo relatado no percepção do eficaz
Circulation stress, a pré- cidade: 30,
artigo. estresse e da redução
in fadiga e a menopausa. em
fadiga e auxílio estresse
Premenopausal circulação experimento
da circulação percebid
Middle-Aged de sangue grupo e 29
em mulheres na fadig
Women na pré- no grupo
na pré- na melh
menopausa. controle.
menopausa. da
circulaçã
Este tipo
massage
também
pode
útil p
melhorar
chez, Avaliar a
98 sintomas
laida Marıa eficácia da
Registro de pacientes talvez,
tro, Carmen massagem fase PAD Um paciente
pacientes do (58 retardar
eno Connective do tecido B-II ou abandonou o
banco de mulheres e progress
enzo,Guillermo Tissue Reflex conjuntivo superior; grupo da
dados de um 40 homens), da doe
Mataran- Massage for para insuficiência massagem
distrito com idade em est
arrocha, Type 2 Diabetic melhorar venosa e três do grupo
sanitário em média de 53 II-a
én Feriche Patients circulação periférica, placebo, devido
Estudo Sul de a 61 anos, paciente
nandez with Peripheral sanguínea e cardíaca, à
randomizado Espanha, capazes de com P
tanys, Arterial os sintomas insuficiência obrigatoriedade
diagnosticados escolher que
oveva Disease: de renal ou repouso ou a
com diabetes dias e têm
nados- Randomized claudicação hepática, necessidade de
tipo 2: um total horários de dificuldad
mez, Jose Controlled Trial intermitente hipertensão cuidar de
de 146 medição e em to
nuel Quesada- em não graves
pacientes. de parte
io, 2009 pacientes controlada parentes.
tratamento qualquer
diabéticos
sessões. tipo
tipo 2.
exercício
incluindo
programa
pé.

massagem significativamente maior melhoria versus grupo placebo no máximo andar a distância,
mas não no máximo a velocidade de caminhada. As melhorias observadas após 1 ano no grupo
de massagem em seis meses em grande parte persistiu, com diferenças significativas na linha
de base versus: e saturação de oxigênio nos pés direito e esquerdo. O grupo placebo não
apresentou diferenças novamente com valores basais. O grupo mostrou uma massagem
significativamente à maior melhoria versus grupo placebo. A melhora observada no grupo da
massagem depois CTM foi em consonância com o
resultados obtidos em outros estudos discutidos no referido artigo e com a aplicação de uma
massagem de indivíduos saudáveis.

A massagem do tecido conjuntivo reduz a resistência vascular. A estrutura vascular facilita o


trabalho de aumentar o fluxo de sangue. Este tipo de massagem também pode ser útil para
melhorar os sintomas e, talvez, retardar a progressão da doença em estágio II-a pacientes com
PAD que têm dificuldade em tomar parte em qualquer tipo de exercício, incluindo os programas
a pé. Podemos observar no quadro I as correlações apresentadas na revisão sistemática.

Quadro I. Revisão dos artigos do estudo

Considerações finais

A reflexologia podal, conhecida como massagem chinesa dos pés, é uma terapia que pode
trazer vários benefícios para o organismo equilibrando-o e fazendo uma manutenção da saúde,
auxilia não só na redução do estresse como foi nosso objetivo inicial, como em outras patologias,
inclusive em pacientes com câncer, verificado em estudos apresentados. É uma terapia
considerada alternativa, reconhecida pelo Ministério da Saúde, muito acessível, porém pouco
conhecida, mas de grande eficácia. Tem grandes vantagens, pois não necessita de grandes
gastos e espaços para ser realizada. Pode ser incorporada a outras terapias, como reiki, shiatsu
dentre outras.

Muitos estudos ainda são necessários, para conhecermos os grandes benefícios


proporcionados por esta terapia, observados por aqueles que a esta se submete, mas muitos
ainda são desconhecidos, é baseada nos princípios da Medicina Tradicional Chinesa, pode
provocar estímulo das áreas de indicam um desequilíbrio energético, entre outras, através das
zonas reflexas.

Cabe ao profissional envolvido neste processo, cuidar para que seja difundida na saúde
pública, o recurso beneficiando um maior numero de clientes, contribuindo para a restauração,
prevenção da saúde na população, principalmente as comunidades mais carentes que
apresentam mais de uma patologia associadas e recursos tão escassos para aplicar no seu bem
estar.

Referências bibliográfica

 BAUMANN, Leslie. Dermatologia Cosmético. Princípios e Prática. Rio de


Janeiro: Revinter, 2004.
 BRAUN, Mary Beth. Introdução a Massoterapia. São Paulo: Manole, 2007.
 BENTLEY, Eilean. O livro essencial de massagem. São Paulo: Manole, 2006.
 CRUZ. Cláudia Patrícia Torres. Medidas e Análise em Sinais Bioelétricos sobre
pontos de Acupuntura. Natal: 2007.
 DARELLA, Maryangela Lopes. A atividade mental segundo o modelo da
Medicina Tradicional Chinesa. Florianópolis: UFSC, 2001.
 FELICE, Walkiria de. Reflexologia. São Paulo: Melhoramentos, 2005.
 FREIRE, Marcos de Barros. Automassagem e medicina chinesa. Brasília: Ed do
Autor, 1996.
 FRITZ, Sandy. Fundamentos da Massagem Terapêutica. 2 ed. São Paulo:
Manole, 2009.
 FORNAZIERI, Luiz Carlos. Tratado de Acupuntura Estética. São Paulo: Ícone
2007
 FURTADO, Eliane de Sousa; FALCONE Eliane Mary de Oliveira; CLARK,
Cynthia. Avaliação do estresse e das habilidades sociais na experiência
acadêmica de estudantes de medicina de uma universidade do Rio de Janeiro.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro: 2003.
 GILLANDERS, Ann. Reflexologia para mulheres: tratamentos passo a passo
para mulheres de todas as idades. São Paulo: Pensamento, 2006.
 JANG, Soo Hyun Kim, Kye Ha. Effects of Self-Foot Reflexology on Stress,
Fatigue and Blood Circulation in Premenopausal Middle-Aged Women, 2009.
 KUNZ, Kevin; KUNZ, Barbara. Reflexologia como restabelecer o equilíbrio
energético. São Paulo: Pensamento, 1984.
 LIPP, M.E.N.;TRICOLLI, V. Inventário de stress para adolescentes. São Paulo:
Casa do Psicólogo, 2005.
 RIBEIRO, Juliana Aparecida. O cuidado de enfermagem no pós-operatório de
cirurgia cardíaca: as percepções da pessoa que recebe reflexoterapia.
UFSC:1997.
 SANCHEZ, Adelaida Marıa Castro, Carmen Moreno Lorenzo, Guillermo A.
Mataran-Pen Arrocha, Belen Feriche Fernandez Castanys, Genoveva
Granados-Gamez, Jose Manuel Quesada-Rubio. Connective Tissue Reflex
Massage for Type 2 Diabetic Patients with Peripheral Arterial Disease:
Randomized Controlled Trial, 2009.
 SOUZA, Paulo Filho; SAMPAIO, Juarez de Oliveira; LEAO, Francisca Sampaio.
A prevenção e o controle do estresse: a medição por meio de práticas corporais.
Curitiba: 2009.
 MACCIOCIA, Giovanni. Os fundamentos da medicina chinesa: um texto
abrangente para acupunturista e fitoterapeutas. São Paulo: Roca, 2007.
 NANCY L.N. Stephenson, CS, Melvin Swanson, JoAnn Dalton, Frances J. Keefe,
Martha Engelke. Partner-Delivered Reflexology: Effects on Cancer Pain and
Anxiety, 2008.
 WAKIMOTO, Gisianne Tozotto. Diagnóstico das alterações sistêmicas em
gestantes de 1º e 3 º trimestre, através do exame de língua acupuntural.
Cascavel, 2006.
 WEN, Tom Sintar. Acupuntura Clássica Chinesa. São Paulo: Cultrix,1985.
 WILLS, Pauline. Manual de reflexologia e Cromoterapia.São Paulo:
Pensamento-Cultrix. 1992.
 XINNONG, C. Acupuntura e Moxibustão Chinesa. São Paulo: Roca, 1999.

Você também pode gostar