Você está na página 1de 4

Resenha

Educação Matemática
De Jovens e Adultos
Especificidades, desafios e
contribuições

FONSECA, Maria da Conceição F.R.


Educação Matemática de Jovens e Adultos /
Especificidades, desafios e contribuições. Maria
da Conceição Ferreira Reis Fonseca- Belo
Horizonte: Autêntica, 2002.
112p.;21cm.- (Tendências em educação
matemática ;5)
ISBN 85-7526-056-1
1. Ensino de matemática 2. Educação de Adultos
1. Título.IISérie

Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca é


mestre em Educação Matemática pela UNESP e
Doutora em Educação pela UNICAMP.

A obra é parte do quinto volume de um total de dez


publicações de uma coleção de títulos sobre Educação
Matemática ou em uma oferecida área da Matemática,
em que o título é : “Tendências em Educação
Matemática”, onde o foco são para professores e
futuros professores e profissionais que catam
aprofundar as cogitações sobre o movimento
denominado Educação Matemática (definindo,
inclusive, o conceito).

O livro proporciona um objeto de destaque, quando


confirma a carência de literaturas que abordam a
temática “Educação Matemática”, raciocinando durante
todo o livro sobre uma dificuldade ainda maior de
encontrar relações desta com a Educação de Jovens e
Adultos, onde é o
Foco dessa produção
A intenção da autora foi nitidamente exibida como uma
apresentação geral, sobre o que é a Educação de Jovens
e Adultos (EJA) no Brasil e seus protagonistas, fazendo
um a análise de questões sociais, sendo elas, históricas
e políticas.
Maria da Conceição nos convida para uma distinta
reflexão, em decorrência da passagem por três
capítulos:
O primeiro distingue o EJA e seus atores; no segundo
capítulo fala sobre as contribuições e processos do
Ensino de Matemática na EJA; no terceiro e último
capítulo levanta a questão do ensino-aprendizagem da
Matemática na EJA como espaço de transação de
sentidos e constituição de sujeitos.

O primeiro capítulo:
“Do que estamos falando quando falamos em Educação
de Jovens e Adultos”
Nesse primeiro capítulo traz uma importante discussão
histórica frisando quem é o aluno da EJA e que
condições socioculturais e estrutural se encontra essa
modalidade de ensino.

É posta uma avaliação não só da espécie de exclusão


do aluno que entra tardiamente no âmbito escolar
tomando um discurso político, onde as políticas públicas
que se voltam à EJA movimentando uma defesa como
marco de uma educação “ para todos”.

Nesse primeiro capitulo se faz uma densa e necessária


observação sobre a identidade dos alunos da EJA cenário
de representações feitas pela escola e pelos próprios
sujeitos. Onde não para por aqui, dentro dessa
discussão sobre quem pensa, mas como, e de onde.
Pensa, dentro desse contexto aceitando, uma discussão
sobre os ares cognitivos na vida adulta e suas afinidades
com a aprendizagem matemática, em que esse tema é
pouco desenvolvido pelos que exploram a psicologia da
educação.

O segundo capítulo
“ Demandas e contribuições do Ensino de Matemática
na Educação de Jovens e Adultos”
A autora frisa a importância da marca sócio- histórica
da EJA,
Nesse segundo capitulo, o agrupamento de esforços
máximos da autora em traçar a importante relação entre
os eixos centrais que a obra traz, e de seu aluno, a
contribuição matemática no crescimento social do aluno
desta modalidade e as prioridades que devem ser dadas
pelos professores em que se recuam ao ensino neste
grupo escolar especial.

Terceiro Capítulo

“ Ensino aprendizagem da Matemática na EJA como


espaço de negociação de sentidos e constituição de
sujeitos”

No último e terceiro capítulo Fonseca focaliza as


tendências na Educação Matemática de Jovens e Adultos
e tornam significativos o sentido do ensinar e aprender
matemática estabelecendo espaços de negociação de
sentidos e constituição de sujeitos.
Onde a EJA segundo a autora lida com uma opção
adulta, em que se torna em uma opção pessoal,
carregada de muita luta árdua e penosa, nesse terceiro
capítulo a autora traz essa reflexão importante, ensinar
e aprender matemática na educação escolar é uma
tarefa árdua, onde público alvo são a maioria adultos,
Maria Conceição ressalva a importância da inclusão do
jovem e adultos nas salas de aula, trazendo também o
enfoque da escrita e oral no seu aprendizado, trazendo
uma abordagem na educação Básica, sem trazer ela de
maneira exaustiva.

Você também pode gostar