Você está na página 1de 9

Índice

Introdução ................................................................................................................................ 1

Objectivos ................................................................................................................................ 2

Qualidades desejáveis de um profissional ............................................................................... 3

Conhecimentos objectivos ....................................................................................................... 3

Relações humanas.................................................................................................................... 3

Experimentação ....................................................................................................................... 4

Comunicação ........................................................................................................................... 4

Trabalho em equipe ................................................................................................................. 5

Aperfeiçoamento contínuo ...................................................................................................... 5

Ética profissional ..................................................................................................................... 6

Conclusão ................................................................................................................................ 7

Bibliografia .............................................................................................................................. 8
Introdução
Neste presente trabalho tem como tema Qualidades desejáveis de um profissional, importa dizer
que o trabalho foi realizado através de alguns artigos, e revisão literária de alguns manuais como,
Introdução à Engenharia (conceitos ferramentas e comportamentos) e base de dados da
googleacademico.com

1
Objectivos
Objectivo geral

 Descrever as qualidades desejáveis de um Professional.

Objectivo específico

 Abordar sobre os conhecimentos objectivos;


 Abordar as relações humanas;
 Abordar a experimentação;
 Abordar a comunicação;
 Abordar sobre o trabalho em equipa;
 Abordar sobre aperfeiçoamento contínuo;
 Abordar a ética profissional.

2
Qualidades desejáveis de um profissional

Algumas das armas com as quais um engenheiro deve contar para um bom desempenho
profissional são a sua formação básica e o seu raciocínio analítico. Além disso, também é
desejável um senso crítico aguçado para lidar com as complexas questões contemporâneas, pois
elas envolvem inúmeras variáveis dos mais diversos campos disciplinares. Características como
estas são muito procuradas no mercado de trabalho. Por isso, devem sempre estar sendo
aperfeiçoadas através, principalmente, de um estudo continuado.

Para as qualidades desejáveis para um engenheiro destacam-se as seguintes:

 Conhecimentos objectivos;
 Relações humanas;
 Experimentação;
 Comunicação;
 Trabalho em equipe;
 Aperfeiçoamento contínuo;
 Ética profissional.

Conhecimentos objectivos
Para projectar, construir e operar dispositivos complexos, estruturas e processos da engenharia,
um profissional deve possuir bons conhecimentos dos fundamentos das leis da física, da estrutura
da matéria, do comportamento dos fluidos, das ligações químicas, da conversão de energia e de
diversos outros aspectos do mundo real. Porém, apenas o conhecimento dos fenómenos físicos
básicos não é suficiente. E preciso, antes de tudo, saber identificar, interpretar, modelar e aplicar
estes fenómenos à solução de problemas concretos.

Relações humanas
A necessidade de integração do engenheiro com seu campo de trabalho exigirá dele
conhecimento de relações humanas, no quotidiano do trabalho de um profissional, um
engenheiro deverá trocar ideias com clientes, operários, políticos, directoria da empresa,
usuários. Para isso é importante ter-se uma boa habilidade para interagir, argumentar, convencer,
retroceder, discutir, buscando sempre um bom nível de diálogo em várias áreas de conhecimento.

3
Dentro destas considerações, um aspecto parece inevitável: o engenheiro raramente se isenta da
responsabilidade de administrar pessoal. Aliás, ele passa muito tempo lidando com pessoas mais
do que muitos imaginam. Assim, a capacidade de manter boas relações pessoais é uma qualidade
altamente desejável. Mesmo porque, para que suas soluções tenham boa aceitação, ele deve saber
o que pensa e quais são as necessidades e aspirações dos clientes, empregadores, contratantes e,
em última instância, da sociedade. Suas decisões, se insensatas, poderão ser nocivas para grande
parcela de pessoas, que serão afectadas pelo seu trabalho.

Experimentação
A habilidade de testar protótipos, regular o funcionamento de sistemas, medir variáveis físicas
em processos, enfim, de realizar experiências, quando julgar necessário para aprimorar o seu
trabalho, também é vital para um bom desempenho profissional. A experimentação e a medição
estão intimamente ligadas entre si e são utilizadas, basicamente, para verificar algum resultado
teórico, para obter dados ou para analisar o comportamento de sistemas.

Um engenheiro deve saber distinguir as possíveis fontes de erros, surgidos em função dos
aparelhos de medição, das simplificações adoptadas quando da realização dos testes, da
impossibilidade de uma repetição dos ensaios, da influência do acaso, das incertezas e de uma
gama enorme de outros parâmetros. Em função dos problemas expostos anteriormente, as
técnicas estatísticas são de fundamental importância como meio de processar e interpretar os
resultados colhidos nos ensaios.

Comunicação
Uma qualidade que muitas vezes é relegada a segundo plano por alguns profissionais da área de
engenharia é a comunicação. Mas o fato é que uma boa comunicação, hoje, é muito mais
importante do que deve ter sido há algum tempo, Aliás, isso acontece tanto na área de engenharia
como em qualquer outra.

Com frequência, um engenheiro vale-se da comunicação técnica, que exige atenções especiais,
principalmente quanto aos aspectos da escrita e das representações matemática e gráfica, ma
busca persistente por um aperfeiçoamento desta qualidade deve ser constantemente exercitada.

4
É salutar desenvolver o hábito da leitura de jornais, revistas e livros -ou qualquer outro material
escrito - que possam reforçar a lógica do processamento de textos e ajudar na sedimentação de
um bom vocabulário, [além de estender a compreensão sobre uma infinidade de assuntos
diariamente inovados na literatura mundial.

Trabalho em equipe
O exercício de todas as profissões - não poderia ser diferente com a engenharia exige uma boa
habilidade para o trabalho em equipe. E percebe-se que cada vez mais esta característica é mais
necessária ainda. Grandes empreendimentos dominam o mundo tecnológico, grandes problemas
se entrelaçam na maioria das áreas e inúmeras pessoas clamam por melhoria na qualidade de
vida, o que depende cada vez mais de equipes partindo em busca de soluções.

Uma tarefa quando desenvolvida por vários profissionais de uma área ou mesmo de áreas de
formação diferentes exige trabalho em conjunto. Esta forma de trabalho, por sua vez, implica
respeito mútuo entre seus componentes, espírito de equipe e vontade de colaborar com os demais
membros do grupo, tudo em prol de um bom resultado final.

Por outro lado, se o objectivo é construir uma boa solução, algumas vezes isso pode exigir a
renúncia de algumas ideias, que no todo podem não representar a melhor forma de resolver um
problema.

Aperfeiçoamento contínuo
O bom engenheiro deve estar sempre a par dos avanços da sua área de trabalho, por isso o
aprendizado deve ser contínuo. Livros, revistas técnicas, periódicos, seminários, congressos,
mesas redondas, simpósios, feiras industriais, grupos de estudo e associações de classe são
instrumentos de que se deve fazer uso para enfrentar com competência e sucesso o longo
caminho do aperfeiçoamento profissional.

É comum também que, durante a vida profissional, os engenheiros se especializem em alguma


área. Uma forma de alcançar tais habilitações e através de cursos de pós-graduação, em nível de
mestrado ou doutorado, ou em cursos de especialização ou treinamento. O curso de pós-
graduação, em nível de mestrado, visa ao aprofundamento dos conhecimentos numa área
específica; em nível de doutorado, objectiva a formação de pesquisadores, tão necessários ao
desenvolvimento científico e tecnológico de um país.

5
As especializações são formas de nos actualizarmos e nos treinarmos em assuntos específicos,
através de cursos formais de menor duração.

Ética profissional
Talvez os próprios engenheiros desconheçam a importância de sua profissão. A engenharia pode
modificar o ambiente, os hábitos e a qualidade de vida das pessoas, a sua forma de morar, de se
locomover, enfim, de alterar inclusive substancialmente o próprio comportamento da sociedade.

A ética deve ser a base sobre a qual é estabelecido o comportamento do profissional perante a
sociedade, seu empregador, seus clientes ou concorrentes. A actuação profissional, baseada em
princípios éticos, deve se pautar pelo respeito ao trabalho de outros e pela adopção de uma
postura correcta na aplicação dos conhecimentos técnicos.

6
Conclusão
Com este trabalho concluímos que cada pessoa é única e, naturalmente possui suas qualidades e
seus defeitos, assim como opiniões são muito relativas. As características de uma pessoas que
são vistas por muitos como positivas, podem ser ao mesmo tempo serem entendidas como
negativas por outras pessoas.

Porém, do ponto de vista profissional, é possível falar em características admiráveis de forma


unânime, e que, certamente, fazem a diferença especialmente na hora de uma contratação (e,
consequentemente, no dia a dia de trabalho).

7
Bibliografia
BAZZO, Walter António & PEREIRA Luiz Teixeira do Vale, Introdução à Engenharia
(conceitos ferramentas e comportamentos), Edição da UFCS, 2006.