Você está na página 1de 3

DE SI PARA SI MESMO

Por Yago Martins

A Bíblia em português é confusa em traduzir esse verso. Aqui diz: "O fariseu, em pé, orava"
[Lc 18.11]. Outras traduções dizem que ele orava "consigo mesmo". Outras traduções dizem que ele
orava "no seu íntimo". Essa confusão se dá porque, no grego, nesse verso, o verbo "orar" está
conjugado de um modo que não é muito comum. Diz o seguinte: o fariseu... Ele fazia o ato de orar.
Mas o verbo também está conjugado de um modo que, além de ele orar, ele recebia essa oração. Ele
orava - supostamente para Deus - mas quem recebia essa oração era ele próprio. Algumas traduções
traduzem como: "E ele orava de si para si".

Conseguem ver como isso - para mim - é aterrorizante? Porque ele acreditava que estava
orando para Deus. Ele acreditava que estava entregando sua oração a Deus... suas súplicas para
Deus. Mas quem recebia aquela oração era ele próprio. Ele não estava orando para Deus, ele estava
orando para si. "Exteriormente, o fariseu dirigia a sua oração a Deus. No entanto,

interiormente, este homem estava adorando a si mesmo" (Alan Rennê Alexandrino Lima).

Eu não sei vocês, mas eu fico com medo disso. Então eu vejo um homem em pé numa
reunião... Orando, orando e entregando suas súplicas a Deus, mas ele estava se adorando com isso.
Ele estava adorando o próprio ego. Ele estava entregando essa oração a si.

Eu pergunto: Por que, Deus? Por que essa oração não ia a Deus? Por que ele entregava essa
oração a ele próprio? Veja o contexto do "o que ele orava". A oração dele, basicamente, era o que?
"O fariseu, em pé, orava de si para si mesmo: 'Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros
homens: ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como esse publicano. Jejuo duas vezes por
semana e dou dízimo de tudo quanto ganho' " [v. 11,12]. A oração dele não ia para Deus... Ele orava
a si... Adorava a si... A atitude dele era para si... Porque era uma atitude baseada não em Deus, mas
em si. Era uma atitude orgulhosa de auto-exaltação. Em nenhum momento a glória de Deus estava
comprometida aí. O que estava comprometida era a própria glória dele.

Quantas vezes nós não fazemos como esse "cara"? Quantas vezes nós não agimos como o
fariseu desta parábola? Olhe para as suas orações. Eu olho para as minhas orações. Eu estou orando
a Deus ou estou fazendo monólogos ao meu ego? Eu estou, realmente, orando a Deus, entregando
minha súplica a Deus ou estou - como um orgulhoso - cuidado apenas da minha "vida espiritual"? Eu
tenho uma vida devocional porque eu quero... Eu estou preocupado com a glória de Deus, estou
preocupado com meu relacionamento com Deus ou eu só não quero ter a "consciência pesada"
porque eu não estou sendo um crente muito bom?

Eu olho para a minha vida e eu tenho medo porque eu vejo essa raiz nela. Eu vejo, muitas
vezes, quando eu não oro como deveria orar que minha preocupação não é com meu relacionamento
com Deus, mas porque minha vida cristã não está tão forte, sabe? Minha preocupação não é com a
glória d'Ele, é comigo. É como esse fariseu aqui. Eu estou preocupado comigo. É com a minha "vida
cristã". É com a minha "vida devocional". É se eu estou "crente o suficiente". É se eu estou "santo o
suficiente". Para que? Por causa da minha consciência, só isso. A glória de Deus nunca está
envolvida. Por favor, eu queria que vocês pudessem realmente ser sinceros e olhar pros seus
corações e: "Deus, a Tua glória está envolvida quando eu oro? A Tua glória está envolvida quando eu
me consagro, quando eu jejuo, quando me arrependo... Ou a preocupação é só comigo?".

A gente pode ver isso facilmente sendo cumprido hoje. Ligue a sua televisão. Abra nesses
canais ditos "evangélicos". Você vai ver esse tipo de atrocidade. Homens colocando a mão sobre
enfermidades e dizendo: "Vai se cumprir porque eu sou profeta de Deus". Eu vejo pregações de
homens ameaçando rasgar suas bíblias se aquilo que eles determinaram em nome de Jesus não se
cumprir. É isso que é uma humildade Cristã, diante da oração que Ele nos ensinou: "Que seja feita a
Tua vontade, e não a minha"? Essas orações trazem glória para quem? Para o homem que orou, e
não para Deus que cumpriu. O Homem, hoje, é o centro do cristianismo... ou desse "chamado
cristianismo".

Vamos olhar para o nosso arrependimento. Quando a gente se arrepende, qual é a nossa
preocupação? É porque estamos mostrando Deus como menos desejável do que ele realmente é ou
só porque estou me sentindo impuro? Quando a gente realmente falha com Deus - a gente erra contra
ele - a gente chora depois por quê? Porque a Santidade d'Ele foi corrompida - eu fui contra a
Santidade do meu Senhor, eu ofendi a dignidade do meu Senhor. Ou a gente se preocupa porque:
"Sabe, acho que não vou poder pregar amanhã porque eu estou em pecado e..."?

A gente jejua com o propósito principal de que a glória d'Ele seja aumentada, operando em
nós, ou que Ele opere em nós e - por consequência - Ele recebeu alguma glória? Qual o foco
principal? É a glória d'Ele ou algo para nós? "O nosso poder e a fator de tudo que a gente vai fazer. I
Coríntios 1 0 diz que quer comais... se for comer ou beber uma coca-cola... Faça tudo, tudo para a
glória de Deus [v. 31], porque romanos 14.23 diz que "...tudo que não é feito por fé, é pecado". Se eu
me arrependo e não me arrependo com uma fé real no conhecimento d'Ele mas me arrependo,
simplesmente, porque vai trazer consequências ruins para mim não é um arrependimento d'Ele. É um
pecado esse arrependimento, pois não é um arrependimento genuíno.

Se eu oro... Não orando porque eu quero ver a glória d'Ele sendo manifesta e eu quero ter um
relacionamento com Ele, mas se eu oro de mim para mim simplesmente porque eu quero ter uma
"vida espiritual" mais elevada, isso não é uma oração para Deus. Estou orando a mim. Deus não
recebe esse tipo de oração por eu sequer estou entregando essa oração a Ele.

Muitas pessoas se humilham, vêm aqui a frente e pedem desculpa a Deus - misericórdia a
Deus - e dizem: "Deus, eu sou pequeno...". Muitas pessoas não o fazem com um sentimento de
realmente humilhação porque eu estou errando contra Deus, mas muitos fazem visando uma
exaltação futura. Eu já fiz isso! Eu já me humilhei aqui: "Deus, eu estou me humilhando, Pai, porque
eu quero ser exaltado por Ti", e depois parava e: "Deus, mas que oração hipócrita é essa? Eu estou
me humilhando visando ser exaltado?". Eu estou me exaltando com isso! Eu estou buscando a glória
para mim, a exaltação para mim e se humilhar é só um meio para conseguir isso.

Quando nós lemos a bíblia, buscamos o que com isso? Conhecer o nosso Senhor ou achar
bons sermões? Eu acho que passei a maior parte da minha vida cristã lendo a bíblia procurando bons
sermões podendo estar lendo a bíblia procurando conhecer o meu Deus. Eu desperdicei meu tempo.
Eu desperdicei meu tempo, porque as Escrituras vieram com um único propósito e todos os outros
propósitos são secundários. Para que nós possamos conhecer o nosso Deus e que - através do
conhecimento de Deus - toda a vida cristã possa seguir. Se eu abro as Escrituras buscando - o que?
Ser um pregador melhor, entender mais ou qualquer coisa assim eu não estou fazendo isso para
Deus, eu estou fazendo para mim. minha preocupação sou eu. É minha carne. É meu ego. É minha
vida religiosa. Não é a Glória d'Ele.

Eu queria que muitos saíssem daqui com medo disso, porque estão vendo esse resquício em
sua vida. Eu vejo isso em minha vida e preciso me arrepender. Eu preciso mudar. Eu preciso que
Cristo mude o meu caráter. Eu acredito que tem muitos irmãos que também estão no mesmo barco
que eu. Eu oro para que Cristo possa mudar o nosso ser.

Oh, Deus, sê propício a nós, pecadores, meu pai. Muda o nosso coração. Muda o nosso ser, Senhor.
Que essas não sejam palavras lançadas ao vento, Pai. Que aqueles que têm ouvidos para ouvir, Senhor, que eles
ouçam. Em nome de Jesus, meu Pai, cumpre os Teus propósitos neste lugar, Deus. Eu a ti oro, Pai, e te
agradeço por tudo. Obrigado, Senhor.

Amém.
Por Yago Martins. © Voltemos ao Evangelho. Website:vol t emo saoeva n gel h o .c om
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este
material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não
altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.