Você está na página 1de 21

Oficinas de metodologia do

trabalho cientifico
IEAL 5776
Oficina sobre metodologia do trabalho cientifico
Profs. Cacciamali (FEA/Prolam/Nespi – USP) &Merlo (FEARP- Prolam
Estrutura da aula

• Pós graduação, trabalho científico e órgãos de fomento


• O que é trabalho cientifico
• Estrutura formal e conteúdos
• Tipos de divulgação de trabalhos científicos
• Qualis CAPES
• Diferenças de estudo e projeto de pesquisa
Pós graduação, trabalho cientifico e agencias de
fomento
• Importância
• Pós graduação. A inserção da pós graduação no campo da ciência,
critérios de reconhecimento da produção científica e critérios básicos
para elaboração de um trabalho científico
• Agências. Financiamento e avaliação.
• Normas da comunidade para reconhecimento do que é ciência
Metodologia do trabalho científico
• Metodologia científica é o estudo dos métodos ou dos instrumentos
necessários para a elaboração de um trabalho científico. É o conjunto de
técnicas e processos empregados para a pesquisa e a formulação de uma
produção científica. Traduz-se em procedimentos e linguagem entendida
como forma de comunicação.
• A metodologia científica aborda as principais regras para uma produção
científica, fornecendo as técnicas, os instrumentos e os objetivos para um
melhor desempenho e qualidade de um trabalho científico.
• A pesquisa é uma das atividades primordiais para a elaboração dos
trabalhos realizados com base na metodologia científica. É a fase da
investigação e da coleta de dados sobre o tema a ser estudado.
Metodologia do trabalho científico
• Método científico é o conjunto das normas básicas que devem ser seguidas para a produção de
conhecimentos que têm o rigor da ciência, ou seja, é um método usado para a pesquisa e
comprovação de um determinado conteúdo.
• O método científico parte da observação sistemática de fatos, seguido da realização de
experiências, das deduções lógicas e da comprovação científica dos resultados obtidos. Para
diversos autores o método científico é a lógica aplicada à ciência.
• O método científico é um trabalho sistemático, na busca de respostas às questões estudadas, é o
caminho que se deve seguir para levar à formulação de uma teoria científica. É um trabalho
cuidadoso, que segue um caminho sistemático.
• O método científico é a ferramenta do pesquisador, que no fim de seu processo de pesquisa,
explica e prevê um conjunto de ocorrências provenientes da aplicação de suas teses. Um artigo
científico é o resultado de um estudo realizado e comprovado através do método científico.
• O método científico é uma forma de comprovar a veracidade de algumas teses desacreditadas
pelo ceticismo. Em contraposição ao método científico, está o método empírico, que é baseado
unicamente na experiência, sem nenhum processo científico.
Texto: Metodologia do trabalho cientifico.
Maria Cristina de Assis (UFPB).

• Metodologia do trabalho científico de Prodanov, e book


• Metodologia do trabalho científico de Severino
• https://www.slideshare.net/larissaalmada/apresentao-metodologia-
do-trabalho-cientfico
• http://www.ebah.com.br/content/ABAAABtBcAJ/metodologia-
trabalho-cientifico?part=2
Tipos de trabalho científico
• Resumo
• Um tipo muito comum é o resumo, assim como muito utilizado em diversas disciplinas na carreira
acadêmica. O objetivo dessa produção é sintetizar os conteúdos presentes em um outro texto.
• Simples ou crítico, o qual conta com a sua opinião no texto, geralmente no parágrafo referente a
conclusão do resumo. O resumo também é um tipo de trabalho que pode ser submetido para
publicação em periódicos acadêmicos.
• Pôster Acadêmico
• O pôster é presente na maioria dos eventos acadêmicos. Ele conta com muitos elementos visuais,
como tabelas, gráficos e imagens.
• O conteúdo é mais resumido, pois a sua apresentação é de curta duração, O conteúdo é mais
resumido, pois a sua apresentação é de curta duração, menos de 5 minutos.
• Cada evento possui a sua formatação específica solicitada no momento de produzir o pôster.
• E, são nesses eventos que o pôster pode ser publicado, pois depende da comissão organizadora
do evento organizar uma compilação dos pôsteres e divulgá-los para a sociedade acadêmica.
Tipos

• Resenha
• Muito confundida com o resumo, se assemelha muito ao resumo crítico, pois, além de apresentar
os conteúdos reúne informações adicionais e críticas específicas ao texto de análise.
• Há periódicos acadêmicos que também aceitam o gênero resenha para publicações.
• Impulsionando as publicações de trabalhos científicos diferentes dos artigos.
• Auxiliando também os pesquisadores iniciantes que ainda não produziram um tipo mais completo
como uma monografia.
• Relatório
• O relatório, diferente da resenha, não permite análises nem opiniões.
• Ele é um documento que visa informar o andamento de uma pesquisa, assim como aulas de
campo ou experimentais.
• As agências de fomento à educação, como o CNPq, solicitam esses relatórios aos pesquisadores.
• Os quais realizam uma pesquisa em nome da instituição de ensino e do CNPq.
Tipos

• Artigo
• Mais longo que um relatório, pois ele apresenta uma análise da pesquisa e também uma
fundamentação em pesquisadores mais experientes sobre o tema da pesquisa.
• Amplamente aceito em revistas científicas e eventos é um dos trabalhos científicos mais
utilizados para divulgar resultados no meio acadêmico.
• Mostraremos adiante sua estrutura
• Monografia
• A monografia é utilizada como trabalho de conclusão de curso, podendo ser de uma graduação
ou especialização.
• E, geralmente há uma ou duas disciplinas no curso que visam a produção desse gênero, durando
de 6 meses a 12 meses em média.
• Por isso é tão conhecida e ao mesmo tempo muito temida. Ela é mais ampla e possui uma base
teórica maior e sólida.
• Não exige resultados inovadores ou resultados vindos de pesquisas experimentais, mas um
diálogo entre o objeto de pesquisa e a fundamentação teórica utilizada.
Tipos
• Anais de seminário
• Resumo ou completo. Valor maior do artigo completo. Reconhecimento do
seminário pelo rigor com o qual seleciona artigos sobre um determinado
tema, composição de sua seleção de trabalhos. Consistência com o tema.

• Livro, organização de livro e capítulo de livro


• Obra sobre um tema definido, pode compreender assunto original ou
análise crítica sobre um tema. Análise expandida sobre um tem e /ou
objeto selecionado de pesquisa. Valor científico atribuído pela editora e
pelos conselhos editoriais da editora.
• Obra organizada sobre um determinado tema que compreenda capítulos
da mesma natureza do tema. Capítulo de livro compõe um livro
organizado.
Tipos
• Dissertação
• Usada para a obtenção do título de mestre, a dissertação busca trazer uma análise diferenciada
do tema pesquisado ou problema observado.
• Essa análise resulta das pesquisas realizadas de forma experimental ou empírica. Pode contar
com entrevistas e coleta de dados, não estando dispensado de enfrentar uma resenha crítica da
literatura.

• Tese
• Este é o trabalho científico mais complexo entre todos os apresentados aqui.
• A tese é um trabalho científico produzido que deve trazer conhecimento inovador sobre um
determinado objeto de estudo..
• Por isso, a tese deve conter um avanço significativo ou inovação na área da pesquisa realizada.
• É avaliada de forma mais rígida e necessita que o pesquisador tenha um conhecimento bem mais
específico e aprofundado do assunto.
Artigo
• Um Artigo Deve Seguir Os Seguintes Aspectos De Forma
• Máximo de 20 páginas, incluindo, apêndices, anexos e bibliografia e
excluindo a página de rosto; espaço um e meio; margem esquerda
de 3 cm, direita, de topo e fundo de 2 cm; letra 12.
• A página de rosto deve incluir: título; nome dos autores; data (mês,
ano); resumo do trabalho, com um máximo de 100 palavras;
palavras-chave; classificação JE ou ou outra internacional da área
Artigo
• Exemplos de citação bibliográfica:
• Artigo de periódico:
• Freeman, Richard B. (1982) “Union wage practices and wage dispersion within establishments.”
Industrial and Labor Relations Review, 36(1): 3-20.
• Livro:
• Cowell, Frank A. (1995) Measuring inequality, 2nd. Ed. London: Prentice Hall.
• Capítulo de livro:
• Blackburn, McKinley L.; David E. Bloom; Richard B. Freeman (1990) “The declining economic
position of less skilled American men.” In Burtless, Gary (ed.) A future of lousy jobs? Washington,
DC: Brookings Institution, p. 31-67.
• Artigo apresentado em congresso/encontro/conferência:
• Cacciamali, Maria Cristina. (2012). “ Active labour market policies in Mercosur”. XXIV Meeting of
the Society for the Advance of Socio Economics, MIT, Cambridge, June, 26-29.
• Consultar ABNT para esclarecer dívidas apresentação de jornais, documentos e internet.
Artigo
• Estrutura E Conteúdo (Mínimo/Básico)

• Título: deve refletir de forma precisa o objeto da pesquisa; em português e inglês.


• Nome: Nome do autor ou autores. Filiação institucional e e-mail de cada um dos autores.
• RESUMO/RESUMÉN/ABSTRACT: Objetivo, autores/interlocutores, metodologia, resultados e o que
acrescentou Ao conhecimento da área. Versões profissionais.
• Palavras Chaves/Palavras Claves/Key Words
• Introdução: Ampliação do resumo apresentado, qualificando os tópicos que foram mencionados; e
introduzir justificativa/motivação/ importância;
• Seção teórica – dialogar com os autores selecionados para embasar teoricamente o artigo; fazer as
referencia corretamente (nome do autor, ano da obra e numero de páginas quando for um aspecto
específico; o numero da ou das páginas é obrigatório no caso de citação); lembrar que a citação deve ser
traduzida para o português e o original deixado no rodapé; deixar claro as concepções de cada autor vis a vis
a interpretação própria; enfatizar caso tenha realizados avanços teóricos ou tenha acrescentado
aspectos/dimensões adicionais de análise. Caso seja longa demais ou os assuntos/temas sejam diversos, a
seção teórica poderá ser subdividida no número que for necessário;

Artigo
• Metodologia e fontes de dados: explicitar a abordagem metodológica para a análise que está sendo
desenvolvida; explicitar as fontes de dados, documentos; explicitar a estrutura de entrevista, caso exista, e
os motivos de tal estrutura; explicitar o tratamento dado às fontes de dados para verificar a sua
propriedade; expor origem e os motivos da escolha de classificações, modelos estatísticos e/ou outros
instrumentos utilizados para a realização da análise; : expor os procedimentos da aplicação da metodologia
• Análise dos resultados : analisar os resultados em si e o seu significado cotejando-os com resultados
alcançados/produzidos por outros pesquisadores; caso as metodologias sejam distintas verificar se os
resultados podem decorrer desse fato e porque a escolha de uma metodologia distinta, melhora o poder
explicativo? Ocorreram avanços com relação aos achados da literatura? Controversias?
• Considerações Finais/Conclusões: Expor sucintamente o objetivo, metodologia do trabalho e resultados e
destacar o que os resultados acrescentam ao conhecimento do objeto de estudo em questão. Caso seja
inovador, deter-se sobre a metodologia, e sobre os avanços ou diferenças apresentados nos resultados.
• Apêndice – documentos, quadros e outros. Produzidos pelo autor/autores do artigo;
• Anexos – documentos, quadros e outros. Retirados de publicações ou produzidos por outros autores;
• Bibliografia – apenas as referências mencionadas no artigo.
ARTIGO
• Na indicação da bibliografia, não esquecer: as referências
bibliográficas devem ser indicadas de forma coerente e seguir normas
internacionalmente aceites na área de humanidades (consultar ABNT
e algum dos periódicos existentes na classificação Qualis/capes);
• Todas as referências bibliográficas indicadas ao longo do texto devem
ser incluídas na bibliografia; os quadros, tabelas e figuras devem ser
numerados sequencialmente (numeração separada para quadros e
figuras); formulas devem igualmente ser numeradas
sequencialmente.
• Prestar atenção no parêntese quando da citação de algum autor no
texto: Cacciamali (2018:3) ou (CACCIAMALI, 2018:3) fora do texto.
Qualis e seu funcionamento
• Lista de Periódicos classificados no Qualis Capes
• Qualis Capes é o conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas
de pós-graduação, com base na publicação em periódicos científicos de artigos de docentes afiliados às Instituições de Ensino Superior (IES)
brasileiras. Tal processo foi concebido para atender às necessidades específicas do sistema de avaliação e é baseado nas informações
fornecidas pelas instituições de ensino superior. Como resultado, disponibiliza uma lista com a classificação dos veículos utilizados pelos
programas de pós-graduação para a divulgação da sua produção. A estratificação da qualidade dessa produção é realizada de forma
indireta.
• Desta forma, o sistema periódicos Qualis Capes afere a qualidade dos artigos e de outros tipos de produção a partir da análise da qualidade
dos veículos de divulgação, ou seja, dos periódicos científicos. A classificação de periódicos é realizada pelos coordenadores indicados por
seus pares por um período de três anos para as 49 áreas de avaliação que definem critérios próprios de classificação das revistas para cada
área. A atualização da lista de Periódicos do Qualis ocorre anualmente e enquadra os títulos das revistas em estratos indicativos de
qualidade:
• A1, o mais elevado; A2; B1; B2; B3; B4; B5; C.
• A consulta ao Qualis-Capes é feita por meio da Plataforma Sucupira, que é a ferramenta on-line do Sistema Nacional de Pós Graduação para
coletar informações sobre os programas, realizar análises, avaliações e servir como base de referência. O nome da plataforma foi uma
homenagem ao prof. Newton Sucupira, autor do Parecer nº 977 de 1965, conhecido como “Parecer Sucupira”, que conceituou, formatou e
institucionalizou a pós-graduação brasileira nos moldes atuais.
Funcionamento e dicas para Qualis

• Site:
https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodic
os.jsf
• Revistas Qualis
• Artes e Música:
• http://qualis.capes.gov.br/webqualis/publico/pesquisaPublicaClassificacao.seam
• Ciências Sociais Aplicadas:
• http://qualis.capes.gov.br/webqualis/publico/pesquisaPublicaClassificacao.seam
• Interdisciplinar: http://qualis.capes.gov.br/webqualis/publico/pesquisaPublicaClassificacao.seam
• Revistas Mexicanas na área de Ciências Sociais:
• http://www.conacyt.gob.mx/comunicacion/IndiceRevistas/Paginas/Indice5.aspx
• Revistas Mexicanas na área de Humanidades:
• http://www.conacyt.gob.mx/comunicacion/IndiceRevistas/Paginas/Indice4.aspx
• Revistas Argentinas na área de Ciências Sociais:
• http://www.caicyt.gov.ar/index.php?option=com_content&view=article&id=79&Itemid=358&lang=en
• Revistas Chilenas:
• http://www.conicyt.cl/documentos/informacion/rcchind2.html
Diferenças

• Estudo – Quando o pesquisador escolhe um tema, ou objeto de estudo dentro do


tema, e procura abordar todas as questões de acordo com o objeto. Reúne
material como entrevistas, documentos, revistas, publicações, entre outros, ate
fechar o conhecimento daquele objeto, até aquele momento. Nada impede que
reabra o estudo em situações futuras. Estado da Arte.

• Pesquisa – Algo que deriva do estudo. O pesquisador procura identificar que tipo
de pergunta ou adição de conhecimento pode agregar ao tema. Sempre é bom,
sugere a professora, fazer isso em forma de pergunta. O passo seguinte é propor
a pesquisa científica sobre essas novidades/inovações que pretende fazer. A
pesquisa avança em relação ao estudo. Avança para não repetir o mesmo.
Tese em:
http://superclickmonografias.com/page_1186700387546.html
• Aborda um objeto no âmbito de um tema, exige pesquisa própria da área científica em que se situa, com os instrumentos
metodológicos específicos. Essa pesquisa pode ser teórica, de campo, documental, experimental, histórica ou filosófica,
mas sempre versando sobre um objeto único, específico, delimitado e restrito.

Com maior razão do que no caso dos demais trabalhos científicos, uma tese de doutorado deve realmente colocar e
solucionar um problema demonstrando hipóteses formuladas na evidência dos fatos e na coerência do raciocínio lógico.
Exige-se da tese de doutorado contribuição suficientemente original a respeito do objeto pesquisado. Ela deve representar
um progresso para a área científica em que se situa. Deve fazer crescer a ciência. Quaisquer que sejam as técnicas de
pesquisa aplicadas, a tese visa demonstrar argumentando e trazer uma contribuição nova relativa ao tema abordado.

Na elaboração de uma tese, não se deve pretender falar de tudo, de todos os aspectos envolvidos pela problemática
tratada. O caráter monográfico do trabalho é um significativo aval de sua qualidade e de sua contribuição do
desenvolvimento científico da área. O importante é ater-se ao substancial da pesquisa, não se perdendo em grandes
retomadas históricas, em repetições, em contextualização muito amplas. Não se pode falar de tudo ao mesmo tempo
numa mesma tese. A estes aspectos pode-se referir, citando-se as fontes competentes, sem necessidade de reproduzi-las
a cada novo trabalho visando o mesmo tema.

• No alcance da máxima titulação acadêmica figurante no País, a elaboração de uma tese requer tempo hábil o suficiente,
pesquisa profunda, levantamento de informações, emprego de uma redação original e capaz de apresentar de forma
consistente uma solução viável à temática eleita.
Dissertação de Mestrado em
http://superclickmonografias.com/page_1186700395843.html
• Trata-se da comunicação dos resultados de uma pesquisa e de uma reflexão, que versa sobre um objeto de
pesquisa único e delimitado. Deve ser elaborada de acordo com as mesmas diretrizes metodológicas,
técnicas e lógicas do trabalho científico, como na tese de doutoramento.

Tratando-se de um trabalho ainda vinculado a uma fase de iniciação à ciência, de um exercício diretamente
orientado, primeira manifestação de um trabalho pessoal de pesquisa, não se pode exigir da dissertação de
mestrado o mesmo nível de originalidade nem contribuição ao progresso e desenvolvimento da ciência em
questão.
• O mestrando deve demonstrar quer conhece e maneja o conhecimento com relação àquele objeto e que
sabe utilizar metodologia apropriada.
• A dissertação de mestrado deve necessariamente demonstrar uma proposição e não apenas explanar um
assunto, o que resume o tipo de exigência lógica de todo trabalho desde que tenha objetivos de natureza
científica bem definidos.

Sua delimitação, abordagem e redação devem ser bem definidas, embasadas em profundas investigações e
incursões sobre a temática eleita, resultando num texto coeso, preciso, diretamente proporcional ao assunto
selecionado, de forma a refletir o importante passo científico resumido na titulação do mestrado.
Dessa forma, a elaboração de uma dissertação de mestrado necessita de aplicação de concentração, tempo
hábil, estudo, investigação, tomada coerente de conclusões, e sua transmigração para um texto bem
embasado e organizado.