Você está na página 1de 12

SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS Uma palavra pode ter mais de uma significação.

A
esse fato linguístico dá-se o nome de polissemia:
SENTIDO PRÓPRIO E FIGURADO DAS PALAVRAS  Pena: pluma; peça de metal para escrever;
Sentido Próprio - é o sentido literal, ou seja, o sentido punição; dó.
comum que costumamos dar a uma palavra.  Velar: cobrir com véu; ocultar; vigiar; cuidar.

Sentido Figurado - sentido "simbólico", "figurado". HIPERONÍMIA E HIPONÍMIA


Hiperonímia: + abrangente.
CONOTAÇÃO E DENOTAÇÃO: Ex: País é hiperônimo de Brasil / Mamífero é
Conotação é o emprego de uma palavra ou hiperônimo de cavalo / Jogo é hiperônimo de xadrez.
expressão no sentido figurado.
Hiponímia: + restrito.
Denotação é o emprego de uma palavra ou Ex: Brasil é hipônimo de país / Cavalo é hipônimo de
expressão no sentido literal. mamífero / Xadrez é hipônimo de jogo.

SINÔNIMOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE


Palavras de sentido igual ou aproximado. Sinonímia: PALAVRAS
relação entre palavras de significado igual. Ex:
Alfabeto, abecedário / Brado, grito, clamor /
Palavras primitivas: são aquelas que não derivam de
Adversário, antagonista.
outras palavras. Ex: dia, casa, flor.
Palavras derivadas: são aquelas que derivam de
ANTÔNIMOS
outras palavras. Ex: diário (de dia), casarão (de casa),
Palavras de significação oposta. Antonímia: relação
floreira (de flor).
entre palavras de significado oposto. Ex: Ordem e
anarquia / Soberba e humildade / Mal e bem.
Os principais processos de formação de palavras são
a derivação e a composição.
HOMÔNIMOS
São palavras que têm a mesma pronúncia, e às vezes
Derivação
a mesma grafia, mas significação diferente.
Consiste na formação de palavras novas (derivadas) a
partir de palavras já existentes na língua (primitivas).
1. Homógrafos heterofônicos: iguais na escrita e
Há diferentes tipos de derivação:
diferentes no timbre ou na intensidade das vogais.
 Rego (substantivo) e rego (verbo);
1. Derivação Prefixal
 Colher (verbo) e colher (substantivo);
Faz-se pela anexação de prefixo à palavra primitiva.
 Providência (substantivo) e providencia Ex: desfazer, refazer.
(verbo).
2. Derivação Sufixal
2. Homófonos heterográficos: iguais na pronúncia e Faz-se pela anexação de sufixo à palavra primitiva.
diferentes na escrita. Ex: alegremente, carinhoso.
 Acender (atear, pôr fogo) e ascender (subir);
 Concertar (harmonizar) e consertar (reparar, 3. Derivação Parassintética
emendar); Faz-se pela anexação simultânea de prefixo e sufixo à
 Censo (recenseamento) e senso (juízo). palavra primitiva. Ex: desalmado, entristecer.

3. Homófonos homográficos (homônimos 4. Derivação Regressiva


perfeitos): iguais na escrita e na pronúncia. Faz-se pela redução da palavra primitiva.
 Caminha (substantivo) e caminha (verbo); Ex: trabalho (trabalhar), choro (chorar).
 Cedo (verbo) e cedo (advérbio); O processo de derivação regressiva produz os
 Livre (adjetivo) e livre (forma do verbo livrar). substantivos deverbais, esses são substantivos
derivados a partir de verbos.
PARÔNIMOS
São palavras parecidas na escrita e na pronúncia. 5. Derivação Imprópria
Ex: Coro e couro / Eminente e iminente / Descrição e Forma-se quando uma palavra muda de classe
discrição. gramatical sem que a forma da primitiva seja alterada.
Exemplos: O infeliz faltou ao serviço hoje. (adjetivo
POLISSEMIA torna-se substantivo).
Composição Substantivo + Substantivo que especifica a função/tipo
O processo de composição forma palavras através da do termo anterior (palavra-chave, palavras-chave).
junção de dois ou mais radicais. Ex: guarda-roupa,
pombo-correio. Há dois tipos de composição: - Permanecem invariáveis, quando:
aglutinação e justaposição. Verbo + Advérbio (o bota-fora, os bota-fora).
Verbo + Subst. no plural (o saca-rolhas, os saca-
1. Composição por Aglutinação rolhas).
Ocorre quando um dos radicais, ao se unirem, sofre
alterações. Ex: planalto (plano + alto), embora (em + ARTIGO
boa + hora). DEFINIDO INDEFINIDO
O, a, os, as Um, uma, uns, umas
2. Composição por Justaposição
Ocorre quando os radicais, ao se unirem, não sofrem ADJETIVO
alterações. Ex: pé-de-galinha, passatempo, Expressar características, qualidades ou estados dos
cachorro-quente, girassol. seres.
SIMPLES COMPOSTO
CLASSES DE PALAVRAS Vermelha, linda, brava. Verde-escuro, amarelo-
canário.
SUBSTANTIVO
SIMPLES COMPOSTO PRIMITIVO DERIVADO
Casa, amor, roupa. Passatempo, arco-íris. Feliz, bom, azul. Magrelo, avermelhado.

PRIMITIVO DERIVADO Adjetivos pátrios: paulista; cearense; brasileiro.


Folha, chuva, algodão. Dentadura, livraria.
- Biformes: bonito, bonita, alto, alta.
COMUM PRÓPRIO - Uniformes: competente, fácil.
Caneta, menina, cidade. Bic, Flávia, São Paulo.
Nos adjetivos compostos, somente o último termo
CONCRETO ABSTRATO receberá a flexão de número. Ex.: Médico-dentário,
Mesa, cachorro, chuva. Beleza, amor, calor. Médico-dentários / Luso-brasileiro, Luso-brasileiros /
*abstrato: qualidade, ações, sentimentos. Verde-claro, Verde-claros / Anglo-germânico, Anglo-
germânicos.
Coletivo: rebanho; cardume; pomar; arquipélago.
EXCEÇÕES
- Biformes: o menino, a menina. 1) Os adjetivos azul-marinho e azul-celeste são
- Uniformes: invariáveis (Blusa azul-marinho, Blusas azul-marinho).
- Comum de dois gêneros: o estudante, a
estudante. 2) No adjetivo surdo-mudo, os dois radicais vão para
- Sobrecomuns: a vítima, a pessoa. o plural (Menino surdo-mudo, Meninos surdos-mudos).
- Epícenos: a baleia fêmea, a baleia macho.
3) Os adjetivos compostos que fazem referência a
Plural dos substantivos compostos: cores, são invariáveis quando o segundo elemento é
- Flexionam-se os dois elementos, quando: um substantivo (Blusa verde-oliva, Blusas verde-oliva /
Substantivo + Substantivo (couve-flor, couves-flores). Carro amarelo-canário, Carros amarelo-canário).
Substantivo + Adjetivo (amores-perfeitos).
Adjetivo + Substantivo (gentil-homem, gentis-homens). 4) Também os compostos de cor+de devem ficar
Numeral + Substantivo (quinta-feira, quintas-feiras). invariáveis em gênero e número, com ou sem hífen:
roupas cor-de-rosa, tênis cor de burro quando
- Flexiona-se o segundo elemento, quando: foge.Para adjetivos referentes a cores, o composto
Verbo + Substantivo (guarda-roupa, guarda-roupas). admite dois plurais:
Palavra invariável + Palavra variável (altos-falantes). Blusa verde-oliva Blusas verdes-oliva / verdes-
Palavras repetidas (reco-reco, reco-recos). olivas
Carro amarelo- Carros amarelos-canário /
- Flexiona-se o primeiro elemento, quando:
Substantivo + Preposição clara/ocula + Substantivo canário amarelos-canários
(águas-de-colônia, cavalos-vapor).
NUMERAL Consecutivas: que; tanto que; tão que; tal que.
CARDINAL ORDINAL
Um, dois, três. Primeiro, segundo. PRONOME
PRONOME PRONOMES OBLÍQUOS
FRACIONÁRIO MULTIPLICATIVO RETO Átonos Tônicos (OI)
Meio, um terço. Dobro, triplo. Eu Me Mim, comigo
Tu Te Ti, consigo
Numerais coletivos: dúzia; cento; dezena. Ele, ela
Ele O, a, lhe, se
Si, consigo
INTERJEIÇÃO Nós Nos Nós, conosco
Palavras ou expressões que evocam emoções, Vós Vos Vós, convosco
estados de espírito. Os, as, lhes, Eles, elas
Eles
Exemplo: Nossa! Ave Maria! Uau! Que pena! Oh! se Si, consigo
OD: o, a, os, as.
PREPOSIÇÃO OD ou OI: me, te, nos, vos.
A, ante, até, após, com, contra, de desde, dentro de,
em entre, para, por, perante, sem sob. Sobre, trás. O, a, os, as:
- Verbos terminados em z, s ou r  lo, los, la, las.
ADVÉRBIO - Verbos nasais (am)  no, nos, na, nas.
Palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou um
advérbio, indicando uma circunstância (tempo, lugar, Pronomes de tratamento
modo, intensidade,…). São invariáveis. Vossa Alteza, Vossa Excelência, Vossa Majestade.
* Verbo na 3ª pessoa!
Advérbio de lugar: aqui; ali; atrás; longe; perto.
Advérbio de tempo: hoje; nunca; cedo; antes. Pronomes possessivos
Advérbio de modo: bem; mal; rapidamente; pior. Meu (s), minha (s) / Teu (s), tua (s) / Seu (s), sua (s)
Advérbio de afirmação: sim; certamente. / Nosso (s), nossa (s) / Vosso (s), vossa (s) / Seus,
Advérbio de negação: não; nunca; jamais. suas
Advérbio de dúvida: talvez; possivelmente.
Advérbio de intensidade: muito; pouco; tão. Pronomes demonstrativos
Advérbio de exclusão: salvo; senão; somente. Este (a/s), isto, esse (a/s), isso, aquele (a/s), aquilo.
Advérbio de inclusão: inclusivamente; também.  Indicando localização no espaço - este (aqui),
Advérbio de ordem: primeiramente; ultimamente. esse (aí) e aquele (lá).
 Indicando localização temporal - este (presente),
CONJUNÇÃO esse (passado próximo) e aquele (passado remoto
Palavras utilizadas como elementos de ligação entre ou bastante vago).
duas orações ou entre termos de uma mesma oração.  Fazendo referência ao que já foi ou será dito no
São invariáveis. texto - este (ainda se vai falar) e esse (já
mencionado).
Conjunções coordenativas:
Aditivas: e; nem; também. Pronomes relativos
Adversativas: mas; porém; contudo. Retoma um termo expresso anteriormente. Qual (a/s),
Alternativas: ou; ou...ou; já…já; ora...ora. Cujo (a/s), Quanto (a/s). Que, que, onde, quando.
Conclusivas: logo; pois (depois do verbo); portanto;
assim. Pronomes indefinidos
Explicativas: que; porque, pois (antes do verbo). Referem-se à 3ª pessoa do discurso quando
considerada de modo vago, impreciso ou genérico.
Conjunções subordinativas integrantes: que; se. Ex.: Quem, alguém, ninguém, outrem, onde, algures,
alhures, nenhures, que, qual, quais, algo, tudo, todo
Conjunções subordinativas (adverbiais): (a/s), algum (a/s), vários (a), nenhum (a/s), certo (a/s),
Causais: porque; que; porquanto; visto que. outro (a/s), muito (a/s), pouco (a/s), quanto (a/s), um
Concessivas: embora; conquanto; ainda que. (a/s), qualquer (s), cada.
Condicionais: se; caso; desde; salvo se.
Conformativas: como; conforme. Pronomes interrogativos
Finais: a fim de que; para que; que. Que, quem, qual (a/s) e quanto (a/s) em frases
Proporcionais: à proporção que; à medida que. interrogativas.
Temporais: quando; enquanto; agora que; logo que.
Comparativas: como; assim como; tal; qual.
COLOCAÇÃO PRONOMINAL  Modo imperativo: exprime atitude de ordem,
solicitação, convite ou conselho.
PRÓCLISE
1) Quando o verbo estiver precedido de palavras que MODOS TEMPOS
EXEMPLO
atraem o pronome para antes do verbo. São elas: VERBAIS VERBAIS
a) Palavras de sentido negativo: não, nunca, Presente Eu estudo
ninguém, jamais, etc. Ex.: Não se esqueça de mim. Pretérito Perfeito Eu estudei
b) Advérbios. Ex.: Agora se negam a depor. Pretérito
Eu estudava
c) Conjunções subordinativas. Ex.: Soube que me Imperfeito
negariam. INDICATIVO Pretérito Mais- Eu estudara
d) Pronomes relativos. Ex.: Identificaram duas Que-Perfeito (tinha estudado)
pessoas que se encontravam desaparecidas. Futuro do
Eu estudarei
e) Pronomes indefinidos. Ex.: Poucos te deram a Presente
oportunidade. Futuro do Pretérito Eu estudaria
f) Pronomes demonstrativos. Ex.: Disso me Que vocês
acusaram, mas sem provas. Presente
estudem mais
Pretérito Se eu
2) Orações iniciadas por palavras interrogativas ou SUBJUNTIVO
Imperfeito estudasse..
exclamativas. Ex.: Quem te fez a encomenda? / Quando eu
Quanto se ofendem por nada! Futuro
estudar..
Afirmativo Estude mais
3) Orações que exprimem desejo (orações optativas). IMPERATIVO
Negativo Não faça isso
Ex.: Que Deus o ajude.
VOZES VERBAIS
4) Preposição seguida de gerúndio. Ex.: Em se Voz Ativa: Sujeito é agente, pratica a ação expressa
tratando.. pelo verbo. Ex.: Eu comi brigadeiro.

MESÓCLISE Voz Passiva Analítica: Sujeito é paciente, recebe a


1) Quando o verbo estiver no futuro do presente ou ação do verbo. Ex.: O brigadeiro foi comido por mim.
futuro do pretérito, contanto que esses verbos não
estejam precedidos de palavras que exijam a próclise. Voz Passiva Sintética: Constrói-se com o verbo na 3ª
pessoa seguido do pronome apassivador SE. Ex.:
ÊNCLISE Compram-se carros velhos.
1) Quando o verbo estiver no imperativo afirmativo.
Ex.: Quando eu avisar, silenciem-se todos. Voz Reflexiva: O sujeito é agente e paciente, ou seja,
faz e recebe a ação. Ex.: Ele feriu-se.
2) Quando o verbo estiver no infinitivo impessoal. Ex.:
Não era minha intenção machucar-te. Voz recíproca (sujeito plural ou composto). Ex.: As
crianças machucaram-se. / Noslen e Diego
3) Quando o verbo iniciar a oração. Ex.: Vou-me abraçaram-se.
embora agora mesmo.
Voz Neutra: o sujeito nem pratica nem recebe a ação
4) Quando houver vírgula ou pausa antes do verbo. verbal. Ex.: Maria Joaquina é linda.
Ex.: Se eu ganho na loteria, mudo-me hoje mesmo.
FORMAS NOMINAIS DO VERBO
5) Quando o verbo estiver no gerúndio. Ex.: Recusou Gerúndio, infinitivo e particípio.
a proposta fazendo-se de desentendida.
TIPOS DE VERBOS
EMPREGO DE MODOS E TEMPOS Verbo Auxiliar: são auxiliares os verbos que
VERBAIS complementam o sentido de outros verbos (chamados
principais). Verbos auxiliares: Ter, Haver, Ser e Estar.
MODOS VERBAIS Ex.: “Eu tenho visto muitos pássaros”. “Tenho”, neste
 Modo indicativo: exprime certeza, precisão do caso, cumpre a função de verbo auxiliar.
falante perante o fato.
 Modo subjuntivo: exprime atitude de incerteza, Verbos Regulares: o radical permanece invariável
dúvida, imprecisão do falante perante o fato. durante toda a sua conjugação. Ex.: louvar, vender.
Verbo Irregular: o verbo irregular sofre modificações Concordância com porcentagem: O verbo concorda
em seu radical quando é conjugado. Ex.: perder, fazer. com o numeral ou com o substantivo (50% dos
funcionários aprovaram... / 50% do eleitorado
Verbos Anômalos: ser, ir. Os verbos anômalos aprovou).
mudam de radical.
Concordância com algum(ns) de nós, qual(is) de vós
Verbos Defectivos: aqueles que possuem deficiência (Alguns de nós o receberemos/receberão. / Algum de
na conjugação. Não possuem todas as formas nós o receberá).
verbais. Ex.: reaver, precaver, falir.
Concordância com verbos impessoais: O verbo
Verbos Abundantes: verbos que possuem dupla concorda com a 3.ª pessoa do singular, uma vez que
forma, geralmente no particípio. Ex.: Findado/findo, não possui um sujeito (havia pessoas, houve
Limpado/limpo, Benzido/bento, Envolvido/envolto. problemas, faz dois dias, já amanheceu).

CONCORDÂNCIA VERBAL Concordância com a partícula apassivadora se:


vende-se casa, vendem-se casas.
Concordância com pronome relativo que: O verbo
concorda com o antecedente do pronome (sou eu que Concordância com a partícula de indeterminação do
quero, somos nós que queremos, sou sempre eu que sujeito se: precisa-se de funcionário, precisa-se de
levo a culpa). funcionários.

Concordância com pronome relativo quem: O verbo * Com sujeito simples: concorda com o sujeito. Com
concorda com o antecedente do pronome ou fica na sujeito composto antes do verbo, fica no plural. Com
3.ª pessoa do singular (sou eu quem quero, sou eu sujeito composto depois do verbo fica no plural ou
quem quer, é sempre eu quem leva a culpa). concorda com o mais próximo.
Concordância com: a maioria, a maior parte, a
metade,...: o verbo concorda com a 3.ª pessoa do CONCORDÂNCIA NOMINAL
singular ou do plural é igualmente aceitável (a maioria
das pessoas quer/querem). Concordância com pronomes pessoais: Ela é
simpática, ele é simpático, elas são simpáticas, eles
Concordância com um dos que: O verbo concorda são simpáticos.
com a 3.ª pessoa do plural (esse jogador foi um dos
que atuaram na Copa). Concordância com pronomes de tratamento: Sempre
na 3ª pessoa.
Concordância com nem um nem outro: O verbo
concorda com a 3.ª pessoa do singular ou do plural Concordância com vários substantivos: caderno e
(nem um nem outro veio, nem um nem outro vieram). caneta nova, caneta e caderno novo, caneta e
caderno novos, caderno e caneta novos.
Concordância com cerca de, perto de: O verbo
concorda com o substantivo (Cerca de 20 candidatos Concordância com vários adjetivos: o escritor
se inscreveram no concurso). brasileiro e o chileno, os escritores brasileiro e chileno.

Concordância com mais de um: O verbo permanece Concordância com é proibido, é permitido, é preciso, é
no singular (Mais de uma pessoa se inscreveu no necessário, é bom: É permitida a entrada, é permitido
concurso). entrada, é proibida a venda, é proibido venda.

Concordância com substantivo coletivo: O verbo fica Concordância com bastante, muito, pouco, meio,
na 3ª pessoa do singular (A multidão saiu aos gritos). longe, caro e barato: concordam quando exercem
função de adjetivo (comi meio chocolate, comi meia
Concordância com substantivo próprio no plural (Os maçã, há bastante procura, há bastantes pedidos).
Estados Unidos são... / Estados Unidos é... /
Memórias Póstumas de Brás Cubas é...). Concordância com menos, alerta: A palavra menos
permanece sempre invariável, quer atue como
Concordância com sujeito composto de palavras advérbio ou como adjetivo: menos tristeza, menos
sinônimas ou por gradação (Minha vitória, minha medo, menos traições, menos pedidos.
conquista, minha premiação são frutos/é fruto...).
Concordância com mesmo, próprio, anexo, obrigado,
quite, incluso: resultados anexos, informações anexas,
as próprias pessoas, o próprio síndico, ele mesmo,  Período composto: é formado por duas ou mais
elas mesmas. orações (Quando o demitiram sua vida ficou sem
sentido. / Comprarei aquela bola para presentear
Concordância com um(a) e outro(a), num(a) e noutro meu filho).
(a): sempre no plural (um e outro aluno estudiosos,
uma e outra pergunta respondidas). SUJEITO
 Sujeito simples (O navio quebrou)
Concordância com só: Apenas, somente (advérbio).  Sujeito composto (As vacas e os bois
Sozinho (adjetivo). andavam)
 Sujeito oculto (Estamos felizes por você)
Concordância com tal que: “tal” concorda com o  Sujeito indeterminado (Precisa-se de livros)
antecedente, “qual” com o consequente (As garotas  Oração sem sujeito
são bonitas tais qual a tia / Os pais vinham  Verbos indicando fenômeno da natureza
fantasiados tais quais os filhos). (Choveu muito)
 Verbo haver no sentido de existir (Houve
Concordância com possível: Qual acompanho de
muitos gritos)
“mais”, “menos”, “melhor” ou “pior” acompanha o
 Verbo fazer indicando tempo ou clima (Faz
artigo que precede as expressões (A mais possível
anos que não a vejo)
das alternativas é que... / Os melhores cargos
possíveis estão...).
VERBO
Verbo de ligação: expressam estados, sentimentos e
FUNÇÃO SINTÁTICA ligam o sujeito a uma característica (Eu sou linda).
Exemplos de VL: continuar, andar, ficar, estar, ser,
FRASE: todo e qualquer enunciado de sentido parecer, permanecer.
completo, não importando se é formado por uma ou
várias palavras, ou se possui verbos ou não; caso não Verbo significativo: expressa ação ou fenômeno da
os possua passa a ser chamada de frase nominal. natureza (Eu corri feliz).
Frases têm como objetivo exprimir ideias, emoções,
ordens, apelos etc. PREDICADO
 Frases interrogativas (Você gostaria de Os estudantes / tiraram boas notas no ENEM.
dançar? / Desejamos saber quando ocorrerá o Nominal: núcleo não é um verbo, usa verbo de ligação
pagamento da dívida). (Eu sou reconhecida).
 Frases imperativas: ordem, pedido ou conselho Verbal: núcleo é um verbo, usa verbo significativo (A
(Cale-se! / Não deixe a porta aberta). empreiteira demoliu a casa).
 Frases exclamativas (Que filme horrível). Verbo-nominal (Os manifestantes desciam a rua
 Frases declarativas: o emissor constata um fato, desesperados).
informa ou declara alguma coisa (Hoje é nosso
último dia de aula. / Ontem a merenda escolar não TRANSITIVIDADE VERBAL (para verbo significativo)
foi servida) Verbo intransitivo: não precisa de complemento para
 Frases optativas: nelas o emissor manifesta um ter sentido completo (Vovô morreu ontem).
desejo (Deus te abençoe!).
Verbo transitivo: necessita de complemento.
ORAÇÃO: frases que possuam sentido completo e  Verbo transitivo direto: sem preposição (Eu
verbo (ou locução verbal) são consideradas orações. comi brigadeiro).
Uma frase pode conter uma ou mais orações, a  Verbo transitivo indireto: com preposição (Eu
depender do número de verbos e que possua (Murilo gosto de brigadeiro).
brincou no parquinho. / Hoje levarei o Murilo ao  Verbo transitivo direto e indireto (Eu os
parquinho, ele brincará bastante. (duas orações). convidei para um jantar / Maria dava roupa
aos pobres).
PERÍODO: frases formadas por uma ou mais orações,
tendo no seu todo um sentido completo. O período ADJUNTO ADVERBIAL
pode ser simples ou composto. Expressa uma circunstância (de tempo, lugar, modo,
 Período simples: é formado por apenas uma etc.) de um verbo (Hoje estudei muito no youtube).
oração, chamada de oração absoluta (O almoço
hoje será um assado. / Crianças precisam de ADJUNTO ADNOMIAL
amor e disciplina). Caracteriza ou determina os substantivos (meu irmão
veste roupas vistosas).
Vinícius devia estar cansado, porque estudou o dia
COMPLEMENTO NOMINAL inteiro.
Termo que completa o sentido de um substantivo,
advérbio, adjetivo. Sempre iniciado com preposição Atenção: Cuidado para não confundir as orações
(Eu tenho medo de altura). coordenadas explicativas com as subordinadas
adverbiais causais.
COMPLEMENTO VERBAL Orações Coordenadas Explicativas: caracterizam-se
OD: normalmente não é regido de preposição (As por fornecer um motivo, explicando a oração anterior.
árvores purificam o ar). Ex.: A criança devia estar doente, porque chorava
muito. (O choro da criança não poderia ser a causa de
OI: regido de preposição (Assisti ao jogo). sua doença.)
Orações Subordinadas Adverbiais Causais: exprimem
PREDICATIVO DO SUJEITO a causa do fato. Ex.: Henrique está triste porque
Refere-se a uma característica do sujeito (A bandeira perdeu seu emprego. (A perda do emprego é a causa
é o símbolo da Pátria / Todos partiram alegres). da tristeza de Henrique.)

PREDICATIVO DO OBJETO PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO


Refere-se a uma característica do objeto (Comprei um A oração subordinada (termo sintático) é a parte de
carro quebrado / O juiz declarou o réu inocente). um enunciado que não tem sentido próprio, mas
precisa de uma oração que a subordine, que seja a
VOCATIVO principal.
Termo que evoca, chama algo ou alguém na oração,
sempre isolado de vírgula (José, lave meu pé! / O que Oração Subordinada Substantiva (OSS)
vou fazer, meu Deus?).
Subjetiva: função de sujeito da OP.
APOSTO É importante sua colaboração. É importante que você
Termo responsável em explicar ou justificar outro colabore.
elemento anterior a ele (Pedro, amigo de Amanda,
deu aula para mim). Objetiva direta: função de OD da OP.
O grupo quer a sua ajuda. O grupo quer que você
AGENTE DA PASSIVA ajude.
Complemento de um verbo na voz passiva (As flores
são umedecidas pelo orvalho). Objetiva indireta: função de OI da OP.
Necessito de sua ajuda. Necessito de que você me
PERÍODOS COMPOSTOS ajude.

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO Completiva nominal: função de complemento


As orações não mantêm entre si dependência nominal.
gramatical, são independentes. Estou convencido de sua inocência. Estou convencido
Assindéticas: não utiliza conjunção. de que é inocente.
Sindética: utiliza conjunção.
Aditivas: e, nem só, mas também. Ex.: Discutimos Predicativa: função de predicativo para a OP.
várias propostas e analisamos possíveis soluções. O importante é sua felicidade. O importante é que seja
feliz.
Adversativas: mas, no entanto, porém. Ex.: O país é
extremamente rico; o povo, porém, vive em miséria. Apositiva: função de aposto da OP.
Eu tinha um sonho: a união de todos. Eu tinha um
Alternativas: ou, ora... ora, já... já, quer... quer, seja... sonho: que todos se unissem.
seja, etc. Ex,: Diga agora ou cale-se para sempre.
Orações Subordinadas Adjetivas
Conclusivas: logo, portanto e pois (posposto ao
verbo), então, assim, por isso, de modo que, em vista Explicativa: Acrescenta uma informação acessória,
disso, etc. Ex.: Não tenho dinheiro, portanto não posso ampliando ou esclarecendo um detalhe de um
pagar. / O time venceu, por isso está classificado. conceito que já se encontra definido. Aparece sempre
separada por vírgulas e pode ser retirada da frase
Explicativas: que, porque e pois (anteposto ao sem que haja alteração do sentido da mesma. Ex.: O
verbo). Ex.: Vou embora, que cansei de esperá-lo. / leão, que é um animal selvagem, atacou o domador.
Restritiva: Especifica o sentido do nome a que se Comparei o seu comportamento com o – ao – de uma
refere, restringindo seu significado a um ser único, criança.
definido por ele. Não existe marca de pausa, como
vírgulas, entre este tipo de oração e a OP. São Chamar
indispensáveis para a compreensão da frase. Ex.: Ele  Chamar por: invocar, conclamar.
é um dos poucos diretores que é apreciado por todos  Chamar: convocar, fazer vir.
os funcionários.  Chamar de/ Chamar a: apelidar.

Orações Subordinadas Adverbiais Esquecer/(Re)Lembrar


 VTI – pronominais: Lembrei-me de nossa reunião
Causais: porque, como, pois que, uma vez que, já  VTD – não pronominais. Esqueci a carteira.
que, dado que. Ex.: Voltou tarde porque estava na
festa. Preferir (introduzido pela preposição a).

Comparativas: como, tanto... como, tanto... quanto, Responder


mais (do) que. Ex.: Paulo é tão estudioso quanto  Responder a: dar resposta.
Luana.  Responder: ser malcriado.
 Responder que: falar, responder.
Consecutivas (consequência): que.. (dependendo
de tão, tanto, tal, tamanho) Ex.: A criança tanto pulou
Agradar
que caiu.
 Agradar: acariciar.
 Agradar a: satisfazer, ser agradável.
Concessivas (fato contraditório): embora,
conquanto, ainda que, posto que, (se) bem que,
Assistir
apesar de que, apesar de. Ex.: Ela saiu a noite,
 Assistir a: ver.
embora estivesse doente.
 Assistir em: morar.
Condicionais (hipótese/condição): caso, uma vez  Assistir: ajudar.
que, a não ser que, desde que, com a condição que.  Assistir + pronome lhe: favorecer, caber (direito a
Ex.: Irei à sua casa se não chover. alguém).

Conformativas: conforme, como, segundo, Atender


consoante. Ex.: Luana conseguiu redigir o texto  Atender / Atender a: para pessoa.
conforme a professora pediu.  Atender: para coisa.

Finais (intenção/objetivo): para que, a fim de que, Chegar/ir (preposição a ou para)


para, que (=para que), a fim. Ex.: Fizeram a excursão
para conhecer os costumes daquela gente. Comunicar (algo a alguém)

Proporcionais (ideia de proporcionalidade): quanto Cientificar (alguém de algo)


mais... (tanto) mais, quanto mais ....(tanto) menos.., à
medida que, à proporção que, enquanto. Ex.: Quanto Custar
mais rezo, mais fantasmas me aparecem.  Custar: ter preço.
 Custar: acarretar, exigir, obter por meio de (O
Temporais: enquanto, quando, agora que, logo que, carro custou-me todas as economias).
sempre que, assim que, antes que, de, depois que,  Custar a: ser custoso, ser difícil (Custou ao
desde que. Ex.: Saiu antes que a esposa chegasse. aluno entender a matéria).

REGÊNCIA VERBAL Informar (alguém de algo OU a alguém algo)


Informou todos do ocorrido. Informou a todos o
Aspirar ocorrido.
 Aspirar a: pretender, almejar (não utiliza o
pronome lhe). Implicar
 Aspirar: cheirar, respirar.  Implicar com, irritar: não concordar com.
 Implicar: acarretar.
Comparecer (preposição em ou a)
Morar/residir (preposição em).
Comparar (preposição a ou com)
Namorar (não usa "com" como preposição). COM (para (para com) (para com)
 Gabriel namora Giulia. com)
Misericórdia Satisfeito
Respeitoso COM
Obedecer/desobedecer COM (para COM/DE/EM/PO
(para com)
 Coisa: sem preposição com) R
 Pessoa: com preposição (a). Atento Acostumado Permissivo
A/PARA/EM A/COM A/COM
Simpatizar/antipatizar (preposição com) Capaz
Culpado DE Distante DE
DE/PARA
Ver (Sem preposição) Maior DE Natural DE Necessidade DE
Ambicioso
Suspeito DE Querido DE/POR
Visar DE/POR
 Visar: mirar, apontar a mira. Indeciso EM Residente EM Versado EM
 Visar: dar visto. Ansioso
 Visar a: pretender. DE/PARA/PO Bacharel EM Hábil EM
R
Querer Longe DE Perto DE Vazio DE
 Querer: ter vontade, desejar. Diferente DE Desejoso DE Descontente DE
 Querer a: estimar, amar, ter afeição. Leal A Necessário A Nocivo A
Obediência A Paralelo A Relativo A
Proceder Devoção
 Proceder: ter fundamento, ter cabimento, portar-se Simpático A A/PARA/COM/PO Idêntico A
(Suas queixam não procedem). R
 Proceder de: ter origem, derivar-se. Proeminência Capacidade
Medo DE
 Proceder a: fazer, executar. SOBRE DE/PARA
Impaciência
(In) Sensível A Contrário A
Pagar/Perdoar COM
 Coisa: sem preposição (Ele pagou a conta) Semelhante A Impróprio PARA Contíguo A
 Pessoa: com preposição (a) (Perdoou a todos). Agradável A Equivalente A Entendido EM
Essencial
Escasso DE Passível DE
Suceder A/PARA
 Suceder a: substituir, vir depois. Fácil DE Preferível A Fanático POR
 Suceder: ocorrer. Prejudicial A Prestes A Ávido DE
Generoso Relacionado
Propício A
Ensinar COM COM
 Ensinar: educar (VI – o professor ensina bem).
 Ensinar: castigar, adestrar (VTD – a experiência PONTUAÇÃO
ensina os professores).
Ponto final
REGÊNCIA NOMINAL  Para encerrar uma frase declarativa (Preste
atenção.);
Análogo A Benéfico A Estranho A  Para finalizar frases imperativas (Olhe para mim.);
Favorável A Fiel A Habituado A  Nas abreviações (Sr.).
Curioso
Apto A/PARA Atenção A/PARA
A/DE/POR Exclamação
Odiável Propenso Tendência  Usado nas frases que exprimem surpresa,
A/PARA A/PARA A/PARA felicidade, indignação, admiração, susto (Claro!
Admiração Aversão Quero me casar com você!).
Útil A/PARA
A/POR A/PARA/POR  Depois das interjeições ou vocativos (Ei! Oi! João!)
Respeito
Preferencia
A/COM/PARA Simpatia A/POR Interrogação
A/POR
COM/POR  Para indagação, questionamento.
Acessível A Alheio A/DE Próximo A/DE
Ódio Vírgula
Grato A/POR Alusão A
A/CONTRA  Isolar o vocativo (Maria, venha cá!);
Compatível Cuidadoso COM Liberal COM  Isolar o aposto (Natália, engenheira, é linda);
 Isolar datas e endereços (Curitiba, 21/10 / Rua  Indica interrupções de hesitação ou dúvida (Este
Matheus Leme, 54); mal.. pega doutor?);
 Elementos de enumeração (Comprei pão, uva,  Indica que o sentido vai além do que foi dito
queijo e ovo); (Deixa, depois, o coração vai falar...).
 Separar orações coordenadas assindéticas (Ivo
gritou, Ana chorou, Pedro dançou); CRASE
 Isolar elipses (Ele fala inglês e eu, francês);
 Isolar orações intercaladas (Somos um time, o Casos em que a crase SEMPRE ocorre:
professor lembrou, neste desafio);  Diante de palavras femininas (Amanhã iremos à
 Isolar orações subordinadas adjetivas explicativas festa da Mariana);
(O homem, que é um ser racional, vive pouco);  Diante da palavra “moda”, com o sentido de “à
 Isolar conjunções adversativas e conclusivas (Fui moda de” (O jogador fez um gol à (moda de)
ao jogo, mas não o encontrei); Pelé);
 Isolar elementos explicativos (Isto é, ou melhor,  Na indicação de horas (Acordei às sete horas);
por exemplo, digo);  Em locuções (às pressas, às claras, à direita, à
 Isolar adjuntos e orações adverbiais deslocadas toa, à medida que, à tarde).
(com certeza, ele era o mais interessado no
assunto). Casos em que a crase NÃO ocorre:
 Diante de substantivos masculinos (Fomos a pé);
Ponto e vírgula  Diante de verbos no infinitivo (A criança começou
 Separa várias partes do discurso, que têm a a falar);
mesma importância (Os pobres dão pelo pão o  Diante de pronomes em geral e pronomes de
trabalho; os ricos dão pelo pão a fazenda). tratamento, porém dona, senhora e senhorita
 Separa partes de frases que já estão separadas aceitam a crase (Diga a ela que eu não estarei
com vírgulas (Alguns quiseram verão, praia e aqui);
calor; outros, montanhas, frio e cobertor).  Diante de numerais cardinais (Chegou a duzentos
 Listar. o número de feridos);
 Entre palavras repetidas (Cara a cara);
Dois pontos  Antes de nomes de cidades, porém se estiver
 Abrir diálogo em um discurso; especificado aceita a crase (Cheguei a Curitiba.
 Para começar uma explicação ou enumeração Cheguei a Curitiba dos pinheirais).
(Observe:);
 Antes de uma citação. Casos facultativos
 Diante de nomes próprios femininos (Entreguei o
Aspas cartão a/à Roberta);
 Com estrangeirismos, gírias, expressões  Diante de pronome possessivo feminino (Cedi o
populares, arcaísmos e neologismos (“backup”, lugar a/à minha avó);
“trombadinhas”);  Depois da preposição até (Fui até a/à praia).
 Citação da fala de outra pessoa;
 Assinalar palavras ou expressões irônicas Casos especiais
(“anjinhos”).  Casa: se estiver especificado usa crase (Volte a
casa cedo. Volte à casa dos seus pais);
Parênteses  Terra: se estiver especificado usa crase (Já
 Referências bibliográficas; chegaram a terra. Já chegaram à terra de seus
 Retirar trechos de texto (...). antepassados);
 Antes de pronomes relativos:
Travessão o Antes dos pronomes quem e cujo não usa
 Para enumerações; crase (Achei a pessoa a quem procuravas.
 Diálogos em narrativas; Compreendo a situação a cuja gravidade
 Para enfatizar alguma palavra ou expressão em você se referiu);
um texto em substituição à vírgula. o Antes dos relativos qual ou quais ocorrerá
crase se o masculino correspondente for ao
Reticências qual, aos quais (Esta é a festa à qual me
 Indica que palavras foram suprimidas (Comprei referi. Este é o filme ao qual me referi).
lápis, canetas, cadernos..);
 Indica interrupção violenta da frase (Não.. quero Regras:
dizer.. é verdade...);
 Trocar a palavra feminina por uma masculina se 9. Não se acentua com acento agudo u tônico dos
aparecer AO, haverá crase (Amanhã iremos ao grupos que, qui, gue, gui: argui, arguis, averigue,
colégio/à escola). oblique, apazigues.
 Trocar o verbo (Refiro-me a você / Gosto de você.
Refiro-me à menina / Gosto da menina). 10. Não se usa mais o trema: aguento, frequente,
 Usar o verbo “vim, volto” (Vou a Roma / Voltei de tranquilo. Emprega-se o til para indicar a nasalização
Roma. Vou à Bahia / Voltei da Bahia. Vamos à de vogais: afã, coração, devoções, maçã, relação etc.
praia / Vamos para a praia).
 Acento agudo: timbre aberto.
VOU A, VOLTA DA, CRASE HAVERÁ. VOU A,  Acento circunflexo: timbre fechado.
VOLTO DE, CRASE PARA QUÊ?  Acento til: timbre nasal.

ACENTUAÇÃO GRÁFICA FIGURAS DE LINGUAGEM

1. Acentuam-se as palavras monossílabas tônicas Figuras de som ou sonoras: aquelas que se utilizam
terminadas em a, e, o, seguidas ou não de s. Ex: já, de efeitos da linguagem para reproduzir os sons
fé, pés, pó, só, ás. presentes nos seres.

2. Acentuam-se as palavras oxítonas terminadas em Aliteração: repetição de sons consonantais (O rato


a, e, o, seguidas ou não de s, em, ens. Ex: cajá, café, roeu a roupa do rei de Roma).
jacaré, cipó, também, parabéns, metrô, inglês alguém,
armazém (feri-la, reduzi-la). Assonância: repetição de sons vocálicos (O que o
vago e incógnito desejo / de ser eu mesmo de meu ser
3. Acentuam-se as palavras paroxítonas exceto me deu).
aquelas terminadas em a, e, o, seguidas ou não de s,
em, ens, bem como prefixos paroxítonos terminados Paronomásia: repetição de palavras cujos sons são
em i ou r. Ex: dândi, júri, órfã, César, mártir, revólver. parecidos, mas de significados distintos (Conhecer as
manhas e as manhãs, o sabor das massas e das
Atenção: Acentuam-se as paroxítonas terminadas em maças).
ditongo oral seguido ou não de s. Ex: jóquei,
superfície, água, área, aniversário, ingênuos. Onomatopeia: palavras que imitam sons (Chega de
blá-blá-bá).
4. Acentuam-se todas as palavras proparoxítonas.. Ex:
ótimo, incômoda, podíamos, abóbora, bússola, Figuras de construção ou sintaxe: desvios que são
cântaro, dúvida, líquido, mérito, nórdico, relâmpago. evidenciados na construção normal do período. Elas
ocorrem na concordância, na ordem e na construção
5. Acentuam-se os ditongos abertos ei, oi, eu, dos termos da oração.
seguidos ou não de s em palavras monossílabas e
oxítonas. Ex: carretéis, dói, herói, chapéu, anéis. Elipse: omissão de uma palavra que se identifica de
forma fácil (Tomara você me entenda/Tomara que
Atenção: não se acentuam ditongos abertos ei, oi, eu, você me entenda).
seguidos ou não de s em palavras paroxítonas. Ex:
ideia, plateia, assembleia. Zeugma: omissão de um termo que já apareceu antes
(Nem ele entende a nós, nem nós a ele).
6. Não se acentua palavras paroxítonas com hiato oo
seguidos ou não de s. Ex: voos, enjoo, abençoo. Pleonasmo: redundância cuja finalidade é reforçar a
mensagem (E rir meu riso e derramar meu pranto...).
7. Não se acentuam as palavras paroxítonas com
hiato ee. Ex: creem, leem, veem, deem. Assíndeto: supressão de um conectivo entre
elementos coordenados (Acordei, levantei, comi, saí,
8. Acentuam-se sempre as palavras que contenham i, trabalhei, voltei).
u: tônicas; formam hiatos; formam sílabas sozinhas ou
são seguidos de s; não seguidas de nh; não Polissíndeto: repetição de conectivos ligando termos
precedidas de ditongo em paroxítonas; nem repetidas. da oração ou elementos do período (...e planta, e
Ex: aí, balaústre, baú, saúde, viúvo, juízes, Piauí. Pela colhe, e mata, e vive, e morre...).
regra, não se acentuam: rainha, xiita, ruim, juiz, feiura.
Anacoluto: consiste em deixar um termo solto na
frase. Mudança repentina na estrutura da frase (Eu,
parece que estou ficando zonzo. Parece que eu estou Sinestesia: Trata-se de mesclar, numa expressão,
ficando zonzo). sensações percebidas por diferentes órgãos
sensoriais (Um doce abraço ele recebeu da irmã -
Hipérbato ou Inversão: alteração da ordem direta da sensação gustativa e sensação tátil).
oração (São como uns anjos os seus alunos. Os seus
alunos são como uns anjos). Antítese: emprego de palavras ou expressões de
significados opostos (Os jardins têm vida e morte).
Hipálage: atribuição de uma característica que
pertence a outra da mesma frase (Esse sapato não Eufemismo: consiste em atenuar um pensamento
entra no meu pé! = Eu não entro nesse sapato!). desagradável ou chocante (Entregou a alma a Deus).

Anáfora: repetição da mesma palavra ou expressão no Gradação ou clímax: é uma sequência de palavras
início de várias orações, períodos ou versos (Tudo é que intensificam uma ideia, de forma crescente ou
silêncio, tudo calma, tudo mudez). decrescente (Porque gado a gente marca, tange,
ferra, engorda e mata, mas com gente é diferente).
Silepse: ocorre quando a concordância se faz com a
ideia subentendida, com o que está implícito e não Hipérbole: trata-se de exagerar uma ideia
com os termos expressos. A silepse pode ser: intencionalmente (Estou morrendo de sede!).
- De gênero: Vivemos na bonita e agitada São Paulo
(Vivemos na bonita e agitada cidade de São Paulo) Prosopopeia ou personificação: atribuição a seres
- De número: A maioria dos clientes ficaram inanimados características dos seres humanos (O
insatisfeitas com o produto (A maioria dos jardim olhava as crianças sem dizer nada).
clientes ficou insatisfeita com o produto).
- De pessoa: Todos terminamos os exercícios. (neste Paradoxo: consiste no uso de palavras de sentido
caso concordância com nós, em vez de eles: Todos oposto que parecem excluir-se mutuamente, mas, no
terminaram os exercícios) contexto se completam, reforçam uma ideia e/ou
expressão (Estou cego, mas agora consigo ver).
Figuras de palavras ou semânticas: emprego de
uma palavra num sentido não convencional, ou seja, Perífrase: substituição de uma ou mais palavras por
num sentido conotativo. outra que a identifique (O ouro negro (petróleo) foi o
grande assunto do século).
Comparação ou símile: comparação em que se
utilizam os nexos comparativos explícitos, como tal Apóstrofe: interpelação enfática de pessoas ou seres
qual, assim como, que nem e etc. A principal personificados (Senhor Deus dos desgraçados!/ Dizei-
diferenciação entre a comparação e a metáfora é a me vós, Senhor Deus!).
presença dos nexos comparativos (E flutuou no
ar como se fosse um príncipe). Ironia: representação do contrário daquilo que se
afirma (Que pessoa educada! Entrou sem
Metáfora: consiste em empregar um termo com cumprimentar ninguém).
significado diferente do habitual, com base numa
relação de similaridade entre o sentido próprio e o USO DO HÍFEN
sentido figurado. Na metáfora ocorre uma comparação
em que o conectivo comparativo fica subentendido
1. Letras iguais, separa com hífen (arqui-inimigo).
(Meu pensamento é um rio subterrâneo). 2. Letras diferentes, junta (neoliberalismo).
3. O “H” não tem personalidade. Separa (super-
Catacrese: ocorre quando, por falta de um termo homem).
específico para designar um conceito, toma-se outro 4. O “R” e o “S”, quando estão perto das vogais, são
por empréstimo (Ele comprou dois dentes de dobrados. Mas não se juntam com consoantes
(minissaia, sub-reino).
alho para colocar na comida).
5. Depois dos prefixos “ex-, sota-, soto-, vice- e vizo-.
Separa com hífen (ex-diretor, vice-presidente).
Metonímia: parte pelo todo, autor pela obra 6. Depois de “pós-, pré- e pró-“, quando TEM SOM
(Costumava ler Shakespeare. Costumava ler as obras FORTE E ACENTO. Separa (pós-tônico, pré-
de Shakespeare). natal).
7. Não se usa o hífen após os prefixos “CO-, RE-,
Antonomásia: figura que designa uma pessoa por uma PRE” (SEM ACENTO) (cooperar, preexistir,
prever).
característica, feito ou fato que a tornou notória (A
cidade eterna - em vez de Roma)