Você está na página 1de 11

Reiki Usui Tibetano

Mestrado

Luis Felipe Ramos


Mestre em Reiki
Usui Tradicional e Tibetano
MMXVI
Reiki Usui - Nível IIIB
Mestre - Instrutor

O nível 3B é um nível especial, concluí um período de desenvolvimento e abre horizontes para o


reikiano. É indicado para aqueles que querem atuar de forma mais ativa, ou seja, se tornando ins-
trutores, professores, de Reiki.
Ensinar o Reiki é uma tarefa muito importante e de muita responsabilidade. Quanto mais reikianos
existirem melhor será a vida das pessoas, dos animais e das plantas, em consequência, melhor
será o planeta Terra.
Este manual apresenta uma série de recomendações, um roteiro de ensino e aprendizagem, um
guia para o novo mestre que surge. Nada que possa ser encontrado aqui é rígido ou definitivo e o
novo mestre deve formar a sua própria maneira de ser e atuar.
Junto com as apostilas anteriores, nível I, II e IIIA o reikiano poderá estruturar o conhecimento a
respeito do Reiki e se preparar corretamente para a nova tarefa que está assumindo.
Os livros relacionados na Bibliografia são muito importantes para dar embasamento ao reikiano e
fundamentais para o mestre.

Breve História do Reiki


Foi criado por Mikao Usui (15/08/1865 – 09/03/1926), monge budista. Este fato ocorreu por volta
de março de 1922. Neste mesmo ano Usui criou em Tóquio, Japão, a Usui Shiki Reiki Ryoho
Gakkai, escola de Reiki que existe até os dias atuais. Após a morte de Mikao, Chujiro Hayashi
(1878 – 10/05/1941) assumiu a tarefa de dar continuidade ao desenvolvimento do Reiki e Hawayo
Takata (24/12/1900 – 12/12/1980) que trouxe o Reiki para o Ocidente.

O Reiki como é conhecido hoje deve muito ao trabalho da mestra Takata, foi através dela que o
Reiki saiu do Japão e se disseminou pelo mundo.

Linhagem
A linhagem é a linha através da qual o Reiki chegou até você. Indica quais os mestres foram res -
ponsáveis pelas iniciações que culminaram com a sua. Coloco em anexo a minha linhagem para
conhecimento e para que o novo mestre organize a sua.

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 2
Os Três Pilares do Reiki
Existem três pontos muito importantes no Reiki, e precisam ser constantemente relembrados:

Meditação Gassho
Gassho significa: duas mãos se juntando, unidas ou em prece. Segundo as orientações do Mestre
Usui, é a primeira coisa que devemos fazer antes de aplicarmos energia Reiki. É a primeira etapa
de um tratamento com o método Reiki. É um auxílio para acessar um estado mais apropriado antes
da aplicação do Reiki e no seu dia-a-dia.
 Para praticar a Meditação Gassho, sente-se com os olhos fechados e as mãos postas diante do
peito, em oração. Concentre toda atenção no ponto onde os dois dedos médios se tocam. Procure
esquecer tudo o mais. Se pensamentos surgirem: aperte os dedos médios, se surgirem emoções,
sons, cheiros: apenas aperte os dedos médios. O tempo recomendável é de pelo menos 15 min diá -
rios;
 Se mantiver as mãos postas diante do peito durante a meditação lhe causar dor ou cansaço, leve-
as lentamente, mas unidas, a descansar sobre o colo;
 Fenômenos energéticos também podem ocorrer, como o aquecimento das mãos ou da coluna, ob-
serve essas alterações. Volte sempre a atenção no ponto de contato dos dedos médios.

Reiji-ho - é uma técnica que ensina como usar a intuição. A Indicação da Alma:
– Coloque as mãos no peito em forma de oração, mudra gassho. Ligue-se a fonte de energia Reiki
e peça que ele flua através de si. Peça pela cura e bem-estar da pessoa em quem vai aplicar o
Reiki em todos os níveis do seu ser;
– Leve as mãos unidas até o chakra frontal, toque-o com os polegares, e peça que a energia Reiki
guie suas mãos para onde for necessário.

Chiryo – é a aplicação propriamente dita, consiste na imposição de mãos, seja em pontos defini -
dos ou em seguindo a sua intuição.

Gokai
Os Cinco Princípios do Reiki

Kyo dake wa - Só por Hoje

1. Ikaru na - mantenha-se tranquilo;


2. Shinpai suna - evite preocupações;
3. Kansha shite - Seja grato;
4. Gyo-o hage me - Faça seus deveres;
5. Hito ni shinsetsu ni - Seja gentil com todos os seres.

(de manhã e à noite sente-se na posição Gassho e repita


essas palavras em voz alta e em seu coração)

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 3
Símbolos do Reiki
Ao todo o sistema de Reiki Usui Tibetano compreende 7 símbolos. Usados nas aplicações, medi -
tações e nas iniciações.
Os símbolos não são essenciais no Reiki, eles são na verdade uma ferramenta que auxilia no de -
senvolvimento do reikiano. Cada um deve avaliar a necessidade de utilizá-los, mas conhecer o sím -
bolo, suas funções e aplicações é fundamental para o mestre em Reiki.
Um outro ponto importante a respeito dos símbolos é a questão de como traçá-los corretamente.
Devido as dificuldades iniciais onde os mestres de Reiki não permitiam que seus alunos copiassem
livremente os símbolos temos hoje algumas variedades e formas diferentes de desenhar os símbo-
los, principalmente o Hon Sha Ze Sho Nen, Dai Ko Myo e Serpente de Fogo.
No nível I o reikiano já dispõe do Cho Ku Rei, já que o mesmo é colocado em suas mãos no mo -
mento da iniciação. Ao mestre cabe a decisão de passar este conhecimento para o seu aluno no
momento mais propício, que nem sempre é o da iniciação.
No nível II são introduzidos o Sei He Ki e o Hon Sha Ze Sho Nen, e o Cho Ku Rei, quando não foi
feito no nível I ou em algum momento posterior.
No nível 3A recebemos o Dai Ko Myo, símbolo do mestre interior.
Quando chegamos ao nível 3B surgem símbolos cuja aplicação é basicamente durante a inicia-
ção. Entretanto, pesquisando e lendo a respeito pode se encontrar uma diversidade muito grande
de aplicações, tendo em vista que não são símbolos exclusivos do Reiki. Temos então o Dai Ko
Myo Tibetano, o Serpente de Fogo, e o La Hanna Nai.
Vamos conhecê-los melhor a seguir:

Dai Ko Myo Tibetano


Refazendo nossas conexões divinas.
Usado geralmente apenas nas iniciações, mas em alguns casos pode
substituir o Dai Ko Myo Tradicional. Também é conhecido como Dumo
no Karuna Ki.

Serpente de Fogo
O Serpente de Fogo é um símbolo oriundo do Tibete. É conhecido também
como Nin-Giz-Zida ou Fire Serpent (inglês).
Significado: restabelecendo o Canal de Energia Vital Cósmica.
Representa a “serpente adormecida” enrolada na base da espinha - a
Energia Kundalini - e a cada uma das curvas do corpo da serpente corres-
pondem os seis chacras principais superiores, relacionando-se o primeiro
chacra (Chacra Básico) com a parte enrolada do símbolo, perfazendo as-
sim, um total de sete vórtices energéticos principais.
Limpa o canal Sushuma (ao longo da coluna) e vitaliza os chacras.

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 4
O Serpente de Fogo abre o sistema de chacras permitindo assim que a energia Reiki flua na pes -
soa que recebe a sintonização.
É conhecido também pelos nomes de Dragão de Fogo (termo usado por Kathleen Milner) e Nin-
Giz-Zida.
• Para sentir um pouco da energia do Serpente de Fogo, siga lentamente com o olhar o “corpo da
serpente” até ao final da espiral e focalize-se no centro da espiral durante alguns segundos. Depois
feche os seus olhos, respire fundo e mantenha os olhos cerrados por alguns segundos.

 Desenha-se ou visualiza-se o Serpente de Fogo, com a linha


horizontal sobre a cabeça, a linha ondulada a descer e alinhar os
seis chacras superiores e a espiral a enrolar no chacra da raiz.

La Hanna Nai
O La Hanna Nai é um poderoso símbolo tibetano, mas
não é considerado um símbolo do Reiki, apesar de ser
usado no processo de preparação da sala antes da sinto-
nização.
Na meditação a ser feita pelo mestre, antes das sintoni-
zações, serve para acessar o os registros Akáshicos do
aluno, atuando provavelmente na limpeza kármica que
ocorre durante a iniciação.
Não se sabe quem o incluiu no processo de iniciação,
fala-se que foi William Lee Rand mas não há um consen-
so sobre isto.

Técnicas para o Nível IIIB


Existem algumas técnicas que são específicas para serem executadas no processo de iniciação.
Vejamos:

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 5
Ativação dos Canais de Força
Esta técnica permite uma melhor sintonia captação de energia pelo chakra coronário, indicado
apenas a partir do nível IIIA. Ela utiliza um mudrá feito com as duas mãos, vide imagem abaixo:

1. junte os dedos anelares, médio e polegares de cada mão, os dedos indicadores e mínimos de -
vem permanecer esticados;
2. encoste uma mão na outra, de modo que os dedos esticados da mão direita fiquem sobre os da
mão esquerda;
3. leve as mãos para o alto da cabeça, no chakra coronário, tocando com a ponta dos dedos que
estão unidos;
4. desenhe mentalmente no topo da cabeça os símbolos 4, 1, 3 e 2, imagine-os entrando pelo
chakra coronário;
5. permaneça nessa posição por três minutos.

Seu chakra coronário estará ativado e aberto para captar energia em maior quantidade.

Vista Superior Vista Frontal

Sugestão: é possível também ativar os demais chakras usando apenas uma mão executando o mudrá.

Respiração e Sopro Violeta


Usados no momento da iniciação:
O próprio nome já nos revela que são dois movimentos executados em sequência.
a) na respiração imagine um fluxo de luz violeta descendo do Cosmos, passando pela parte da
frente do corpo (Vaso da Concepção), através do Ponto Hui Yin e subindo pela coluna (Vaso Gover-
nador) até o centro da cabeça. Imagine a luz violeta enchendo sua cabeça;
b) visualize dentro da Luz Violeta que vai se juntado na sua cabeça a formação do símbolo DKM
Tibetano;
c) inspire lenta e profundamente levando o ar até a parte de baixo dos pulmões, segure o ar por
alguns instantes;
d) sopre em direção ao aluno, esvaziando os pulmões, liberando junto com o ar o símbolo do
DKM Tibetano.
e) conduza o símbolo com suas mãos, repetindo o nome do DKM Tibetano três vezes, enquanto
toca o topo da cabeça, as têmporas e a base do cérebro do iniciado.

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 6
Iniciações
A iniciação ou sintonização, é o que diferencia a técnica do Reiki de outras tantas. É um momento
especial e particular, necessariamente conduzido por um mestre habilitado. Este processo pode so-
frer pequenas variações de mestre para mestre ou de iniciado para iniciado já que a presença de
mentores espirituais é uma constante, então torna-se necessário que o mestre em Reiki utilize sua
intuição para se adaptar.
O mestre em Reiki deverá aprender a executar as iniciações, seja utilizando um roteiro seja deco -
rando os passos ou mesmo seguindo a sua intuição. O processo é muito simples, mas implica em
consideráveis mudanças no iniciado, assim deverá ser feito com responsabilidade e cuidado.
Não existe, a princípio, nada que impeça sintonizações sequenciais, sem espaço de tempo entre
elas. Mas é aconselhável que se observe um período, variável de aluno para aluno, entre as inicia-
ções para possibilitar aos iniciados aproveitarem o que cada nível tem a oferecer.
Observe um mês do nível I para o II. De dois a seis meses do nível II para o nível IIIA, e deste
para o IIIB recomenda-se de quatro a seis meses.
Vivenciar cada nível é muito importante. É uma experiência única!
Nas próximas páginas encontramos um roteiro do processo de iniciação. Existem várias opções,
cada mestre pode seguir sua intuição e alterar alguma coisa no processo, no entanto, em linhas ge -
rais o processo é o mesmo.

Limpeza Energética
Após a iniciação temos um período de 21 dias nos quais o grande volume de energia da iniciação
atuará de forma mais acelerada, limpando, equilibrando e harmonizando o seu sistema energético
e todos os seus corpos.
Neste período alguns sintomas podem ocorrer de forma leve ou intensa, variando de pessoa para
pessoa e do momento em que se vive. São eles: sono intenso, falta de sono, muita ou pouca fome,
diarreia, erupções na pele, momentos de alegria ou tristeza, entre outros.
Este processo dura, em média, 3 dias para cada um dos 7 grandes chakras. Em cada um deles
os sintomas se modificam de acordo com a função de cada dos centros energéticos. Normalmente
são mais perceptíveis nos chakras: básico, umbilical e plexo solar. Esta percepção também é muito
variável de acordo com a situação que a pessoa está vivenciando.

Considerações gerais:
– a iniciação de crianças é indicada para maiores de 7 anos, pois é a partir desta idade que o
sistema energético, nádis e chakras, estará formado. Em casos de necessidade pode-se fazer uma
iniciação de cura e em casos excepcionais, doenças e problemas graves, pode-se fazer a iniciação
de nível I;
– você pode cobrar pelas iniciações, oferecê-las gratuitamente ou então trocá-las por algo que
seja útil para você, use o seu bom-senso e a sua intuição;
– use uma sala ou local mais reservado onde não seja incomodado no momento da iniciação,
tome um cuidado especial com telefones fixos e celulares, solicite que sejam desligados;
– escolha entre iniciações em grupo ou individuais, de acordo com a sua preferência;
– respeite a necessidade de cada aluno, isso pode, por exemplo, implicar em alteração no
tempo entre as iniciações.

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 7
Preparação para a Iniciação
Cada mestre deve determinar qual o seu estilo. Existem algumas possibilidades:
– uso de velas, incensos, imagens de divindades, orações;
– um processo simples, prático e direto;
– uma mescla das duas anteriores.
Antes de cada iniciação o mestre deve se preparar e depois preparar a sala, local, onde irá efetu-
ar as iniciações. Este processo é bem pessoal, mas algumas sugestões podem ser feitas:
– reserve alguns minutos para uma meditação Gassho antes de começar as atividades;
– execute a ativação dos canais de força em si mesmo;
– faça uma oração, agradeça os mestres de Reiki que o acompanham, os mentores e toda a
espiritualidade;
– solicite que os iniciados se mantenham em estado meditativo, tranquilos, que façam uma
oração, aguardando serem chamados;
– após a iniciação combine com os novos reikianos que fiquem em silêncio se aplicando Reiki.

Iniciação a Distância
Qualquer uma das iniciações pode ser feita a distância. O processo é idêntico ao presencial com
algumas pequenas adaptações. É interessante combinar antecipadamente com a pessoa que vai
receber a iniciação para que ela se prepare adequadamente e aproveite o momento da melhor for -
ma possível. Neste tipo de iniciação a percepção de sintomas energéticos é facilitada devido ao
fato de que estaremos sozinhos em um ambiente conhecido e acolhedor, normalmente a nossa
casa.
Basicamente funciona como um envio a distância, mas neste caso imaginamos a pessoa que será
iniciada sentada a nossa frente. É importante dedicar um tempo para esta tarefa de visualizar e afir -
mar que o corpo energético do iniciado se encontra presente. Repetiremos então todos os passos
de uma iniciação tradicional.
Podemos ainda agendar uma iniciação. Bastando para tanto afirmar no começo do processo a
data em que a mesma irá se realizar.
Temos cinco iniciações disponíveis dentro do Sistema Usui Tibetano: Iniciação de Cura, nível I, II,
IIIA e IIIB, vejamos a seguir:

Iniciação de Cura
Indicada para quem não pretende se tornar reikiano mas deseja receber um grande volume de
energia para auxiliar na cura de uma determinada enfermidade ou de um problema mais grave.
Também é aconselhável para ser feita em crianças menores de 7 anos.
A iniciação de Cura promove uma oferta muito grande e poderosa de energia Reiki, ela equivale a
várias aplicações. Além disto o direcionamento da iniciação para a Cura possibilita uma ação de se -
res de luz que facilitam o processo, permitindo que a pessoa que vai recebe aproveite muito bem a
energia e o momento.
É também uma forma de nos conectarmos com o nosso Eu Superior.

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 8
Iniciação de Nível I – O Despertar
É a porta de entrada no Reiki. Devemos fazer um esforço de divulgação e esclarecimento para
que cada vez mais pessoas se tornem reikianos e divulguem a técnica e os benefícios.
Como o nome muito propriamente diz será promovido um Despertar, para nós mesmos, para nos -
so corpo em particular e para nossa consciência.

Iniciação de Nível II – A Transformação


Avançamos para um novo patamar energético. Aumentamos a nossa capacidade de canalização
e podemos ampliar também o alcance da energia, que não tem mais limites podendo atuar no pas-
sado, presente ou futuro, alcançando pessoas e seres em qualquer local.

Iniciação de Nível IIIA – Mestre Interior ou A Realização


Quando chegamos a este nível é como se fizéssemos uma afirmação para o Universo dizendo
que queremos nos responsabilizar por tudo em nossa vida. Que queremos participar e evoluir de
forma lúcida e consciente.

Iniciação de Nível IIIB – Mestre Instrutor


Finalmente, assumimos que queremos auxiliar o planeta, a humanidade e todos os seres existen-
tes em seu processo de evolução.

Observação: Veja os anexos com o material de cada nível.

Resumos das Iniciações


Em anexo.

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 9
Bibliografia Específica sobre o Reiki (em ordem de importância)
● O Grande Livro dos Símbolos do Reiki. Mark Hosak e Walter Lübeck. Pensamento, 2004;
● Reiki: Sistema Tradicional Japonês. Johnny De´Carli. Madras, 2003;
● Isto é Reiki. Frank Arjava Petter. Editora Pensamento, 2013;
● Reiki Essencial. Diane Stein. Pensamento, 1995;
● Reiki Universal. Johnny De´Carli. Madras, 2006;
● A Técnica de Reiki do Dr Hayashi. Frank Arjava Petter, Tadao Yamaguchi, Chujiro Hayashi.
Pensamento, 2005;
● Rainbow Reiki. Walter Lübeck, 1994;
● O Fogo do Reiki. Frank Arjava Petter. Pensamento, 2005;
● A Magia do Reiki. Christopher Penczak. Pensamento, 2004;
● As mais belas técnicas de Reiki. Walter Lübeck, Frank Arjava Petter. Pensamento, 2004;
● Reiki Interior, guia prático para cura e meditação. Tanmaya Honervogt. Pensamento;
● Reiki - O Toque Definitivo. Paula Horan. Pensamento, 2004;
● El Espiritu de Reiki. Walter Lubeck, Frank A. Petter e William Rand. Uriel Satori Editores,
2007;
● A Deusa da Compaixão e do Amor. John Blofeld. Editora Ibrasa, 1994;
● Karuna - Um dos Mais Belos Ramos da Árvore do Reiki. Sandra e Jorge Ramos. Dinali-
vro, 2010.

Geral
● Mãos de Luz. Barbara Ann Brennan. Pensamento, 1987;
● Luz Emergente: A Jornada da Cura Pessoal. Barbara Brennan. Pensamento, 1987;
● A Profecia Celestina. James Redfield. Objetiva;
● A Visão Celestina. James Redfield. Objetiva, 1998;
● A promessa de cura do Qi. Roger Jahnke. Cultrix, 2005;
● Éden. Queda ou Ascensão? Ken Wilber. Editora Verus, 2010;
● O Poder do Agora. Eckhart Tolle. Editora Sextante, 2002;
● Ho´oponopono. Método de cura Havaiano. Juliana De´Carli. Editora Nova Senda, 2013;
● Limite Zero. Joe Vitale e Ihaleakala Hew Len. Editora Rocco, 2207;
● Meditação – A primeira e a última liberdade. Osho. Editora Sextante, 2004;
● A doença como caminho. Thorwald Dethlefsen e Rüdiger Dahlke. Cultrix, 1983;
● A doença como linguagem da alma. Rüdiger Dahlke. Cultrix, 1992.

Apostila criada por:


Mestre Luis Felipe Chagas Ramos
Fone: 47.9993.7319 (Claro) - E-ma il: lfcramos@gmail.com

Blog: www.reikipro.wordpress.com

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 10
Anexos
– Apostila do Nível I;
– Apostila do Nível II;
– Apostila do Nível 3A;
– Resumo das Iniciações: Cura, Nível I, Nível II, Nível 3A e Nível 3B;
– Linhagem do Reiki;
– Resumo de Símbolos;
– Questionário do Mestrado;
– Preparação para Iniciação a Distância;
– Exemplo de Relação de Iniciados;
– Anexo CKR – a ser fornecido posteriormente para alunos do nível I.

Koan: Quando encontrar o mestre... mate o mestre!

Obs :
* O Reiki não deve substituir um tratamento de saúde convencional;
* O conteúdo desta apostila pode ser reproduzido desde que citado o autor;
* o material da apostila é complementado com a exposição oral ou em videoconferência.

Luis Felipe Ramos – Mestre em Reiki Usui Tradicional e Tibetano – Mar – 2015 - Rev: 2.3 - Nível 3B 11