Você está na página 1de 72

T.

E A/01AL 23E4T
BATAL.A /01AL

Por Rick Joyner


As hordas do inferno estão marchando

Tradução: Esta é uma tradução não Original do Livro “The final quest”, A Batalha final de i!" #o$ner, v!
en!ontra a tradução srcinal nas livrarias, o o%#etivo aqui é %us!ar !onhe!imento, esta tradução não ofi!ial foi
tradu&ida de forma r'(ida (odendo !ontar algumas dis!ord)n!ia de te*tos e falta de letras, vo!+ !omo leitor
inteligente que (enso, sa%er' lidar !om o o!orrido se for o !aso Boa Leitura
(Extraído de "The Morning Star", o! #, n $ s %&'%, de Rick Joyner)

O E*ér!ito do -al

E* i *m ex+rcito demoníaco tão grande *e se estendia at+ onde e* -odia er E!e foi se-arado em diis.es, com cada *m
de!es carregando *ma /andeira diferente As diis.es acima de t*do e mais -oderosos foram Pride, 0*sti1a Se!f,
res-eita/i!idade, am/i1ão egoísta, e J*!gamento in0*sto, mas o maior de todos foi ci2me 3 !íder desse asto ex+rcito era o
ac*sador de nossos irmãos mesmo E* sa/ia *e haia m*itas diis.es mais ma! a!+m do me* a!cance de isão, mas estes
foram a ang*arda dessa horda terríe! do inferno *e estaa agora sendo !an1ado contra a igre0a As armas rea!i4adas
com-rar essa horda tinham nomes ne!es5 as es-adas foram nomeados 6ntimida1ão7 as !an1as foram nomeados Trai1ão, e
s*as f!echas foram nomeados Ac*sa1.es, 8a!2nia 9ossi-, e diagn:stico de fa!has Sco*ts e -e*enas em-resas de dem;nios
com nomes
-ara se como-ara
-re-arar re0ei1ão, amarg*ra,
o ata*e im-aci<ncia
-rinci-a! fa!ta
E* sa/ia no me*de cora1ão
-erdão, e*e
=*st foramn*nca
a igre0a eniados
tinhacom anteced<ncia
enfrentado deste antes
a!go assim ex+rcito
A
atri/*i1ão -rinci-a! do ex+rcito foi -ara ca*sar diisão >oi eniado -ara atacar todos os níeis de re!acionamento *mas
com as o*tras igre0as, congrega1.es com se*s -astores, maridos e es-osas, fi!hos e -ais, e at+ mesmo as crian1as com o
o*tro 3s /atedores foram eniados -ara !oca!i4ar as a/ert*ras em igre0as, famí!ias o* indiíd*os *e a amarg*ra, re0ei1ão,
!*x2ria, etc, -oderia ex-!orar e fa4er *ma c*!atra maior -ara as diis.es *e estaam chegando A -arte mais chocante desta
isão era a de *e essa horda não era montados em caa!os, mas os cristãos? A maioria de!es eram /em estidos, res-eit@e!,
e tinha a a-ar<ncia de ser refinado e ed*cado Estes foram os cristãos *e tinham se a/riram -ara os -oderes das treas a ta!
-onto *e o inimigo -oderia *s@!os e e!es -ensam *e e!es estaam sendo *sados por Deus. 3 ac*sador sa/e *e *ma
casa diidida não -ode ficar, e este ex+rcito re-resentaa s*a 2!tima tentatia de tra4er diisão tão com-!eta -ara a igre0a *e
e!a seria com-!etamente *eda da gra1a

5os 6risioneiros
Arrastando
E!es estaam-or tr@s feridos,
todos dessas -rimeiras
e foram diis.es eram
g*ardados -or*ma asta m*!tidão
dem;nios -o*co dedemedo
o*trosParecia
cristãoshaer
*e foram -resos destedo
mais -risioneiros ex+rcito
*e haia
dem;nios no ex+rcito S*r-reendentemente, estes -risioneiros ainda tinha as s*as es-adas e esc*dos, mas não *s@!os >oi
chocante er *e tantos -oderiam ser mantidos em catieiro -or tão -o*cos desses dem;nios -o*co de medo Estes
-oderiam faci!mente ter sido destr*ídas o* ex-*!sas se os -resos tiessem *sado a-enas s*as armas Acima dos -risioneiros
o c+* estaa -reto com a/*tres chamado Be-ressão Estes seriam a terra so/re os om/ros de *m -risioneiro e omitar em
cima de!e 3 ;mito foi 8ondena1ão C*ando o ;mito atingi* *m -risioneiro, e!e se !eantaa e marcha *m -o*co mais
reto -or *m tem-o, e de-ois recessão aca/ar, ainda mais fraca do *e antes Mais *ma e4, e* me -erg*ntaa -or *e os
-risioneiros não se !imito* a matar esses a/*tres com s*as es-adas, *e -oderia faci!mente ter feito 3casiona!mente, *m
-risioneiro seria fraco tro-e1ar e cair Assim *e e!e o* e!a /ate* no chão, os o*tros -risioneiros come1ariam esfa*ear!os
com s*as es-adas, des-re4andoos como e!es fi4eram isso E!es, então, chamada -ara os a/*tres -ara come1ar a deorar o
*e cai* antes mesmo de serem mortos En*anto e* o!haa, e* -erce/i *e estes -risioneiros -ensaam *e o ;mito de
condena1ão era a erdade de Be*s Então e* entendi *e esses -risioneiros rea!mente -ensei *e e!es estaam marchando
no ex+rcito dedeBe*s?
mensageiros Be*s?DA-or isso *edae!es
esc*ridão não matam
n*em os dem;nios
de a/*tres torno* tão-o*co
difíci!de medo,
-ara esteso*-risioneiros
os a/*tres,-ara
e!es er
achaa
*e*e
e!eseram
ingen*amente aceito* t*do o *e acontece* a e!es como sendo do Senhor 3 a!imento fornecido a-enas -ara estes
-risioneiros foi o ;mito dos a/*tres A*e!es *e se rec*saram a com<!o sim-!es enfra*ecido at+ *e cai* A*e!es *e
comeram fosse forta!ecido, mas com a for1a do ma!igno E!es, então, come1ar a omitar so/re os o*tros C*ando a!g*+m
come1o* a fa4er isso *m dem;nio *e estaa  es-era de *ma carona seria dado *m -resente e e!e o* e!a seria -romoida
-ara as diis.es da frente Ainda -ior do *e o ;mito dos a/*tres era *m s!ime re-*!sia *e esses dem;nios eram *rinar e
defecar so/re os cristãos *e monto* Este !odo foi o org*!ho, a am/i1ão egoísta, etc, *e era a nat*re4a da diisão eram
*ma -arte Fo entanto, este !odo fe4 os cristãos se sentem m*ito me!hor do *e a condena1ão *e e!es faci!mente
acreditaa *e os dem;nios eram mensageiros de Be*s, e e!es rea!mente -ensei *e este !odo foi a *n1ão do Es-írito Santo
Em seg*ida, a o4 do Senhor eio a mim di4endo5 "Este + o come1o de o ex+rcito inimigo 2!timo dia Este + o engano fina!
de Satan@s, e se* -oder s*-remo de destr*i1ão + !i/erado *ando e!e *sa os cristãos -ara atacar os o*tros cristãos Ao
!ongo dos s+c*!os, e!e *so* este ex+rcito, mas e!e n*nca foi ca-a4 de ca-t*rar tantos -ara ser *sado -ara se*s -ro-:sitos
ma!ignos
!*gar -ara Fão tenha medo
se esconder de estaE* tenhoGoc<
g*erra *m ex+rcito
dee !*tartam/+m Agora
-ara o Me* oc<de
Reino, dee ficar ee !*tar,
erdade, -or*e*e
-ara a*e!es nãoforam
h@ mais nenh*m "
enganados
E* tinha sido tão re-*!sa e indigna1ão -or -arte do ex+rcito do ma! *e e* *eria morrer ao in+s de ier em *m m*ndo
assim Fo entanto, esta -a!ara do Senhor foi tão -ositio *e imediatamente come1o* a gritar com os -risioneiros cristãos
*e estaam sendo enganados, -ensando *e e!es iriam me o*ir C*ando e* fi4 isso, -arecia *e todo o ex+rcito se iro*
-ara o!har -ara mim, mas e* comecei a gritar E* -ensaa *e os cristãos estaam indo -ara acordar e -erce/er o *e
estaa acontecendo com e!es, mas sim m*itos de!es come1o* a chegar -ara s*as f!echas -ara atirar em mim 3s o*tros s:
hesito*, como se e!es não sa/iam o *e fa4er de mim E* sa/ia *e e* tinha feito isso -remat*ramente, e *e tinha sido *m
erro m*ito est2-ido
A Batalha 7omesa

Então e* me irei e i o ex+rcito do Senhor, em -+ atr@s de mim Haia mi!hares de so!dados, mas ainda est@amos m*ito
*!tra-assados A-enas *m -e*eno n2mero foram com-!etamente estido em s*a armad*ra mais -ara *e foram a-enas
-arcia!mente -rotegidos Im grande n2mero 0@ estaam feridos A maioria dos *e tieram todas as s*as armad*ras
esc*dos ainda tinha m*ito -e*ena *e e* sa/ia *e não -roteg<!os do ata*e *e estaa -or ir A maioria desses
so!dados eram m*!heres e crian1as Por tr@s deste ex+rcito *e haia *ma m*!tidão de f*ga seme!hante aos -resos, *e
seg*i* o ex+rcito do ma!, mas de nat*re4a m*ito diferente Estes -areciam ser -essoas m*ito fe!i4es, e estaam 0ogando,
cantando, feste0ando e agando de *m -e*eno acam-amento -ara o o*tro 6sso me !em/ro* da atmosfera em oodstock
E* tentei !eantar minha o4 acima do c!amor -ara ais@!os *e não era o momento -ara isso, *e a /ata!ha estaa -restes
adisse
come1ar, masfi4eram
*e e!es a-enas como -o*cos -oderiam se*er o*ir a minha o4 A*e!es *e fi4eram me de* o "sina! de -a4" e
Fão acredito na g*erra, e *e o Senhor não deixaria nada de r*im acontecer com e!es Tentei ex-!icar *e o Senhor nos
de* a armad*ra -or *m motio, mas e!es sim-!esmente res-onde* *e e!es tinham indo -ara *m !*gar de -a4 e a!egria,
onde nada !hes aconteceria 8omecei a re4ar ferorosamente -ara o Senhor -ara a*mentar a f+ (esc*dos) da*e!es com a
armad*ra, -ara nos a0*dar a -roteger a*e!es *e não estaam -rontos -ara a /ata!ha Im mensageiro eio at+ mim, me
de* *m trom-ete e me disse -ara ex-!odi!o ra-idamente E* fi4, e a*e!es *e tinham -e!o menos em a!g*mas de s*as
armad*ras res-onde* imediatamente, tirando a aten1ão Mais armad*ra foi tra4ido -ara e!es, *e e!es co!ocaram
ra-idamente Perce/i *e a*e!es *e tinham feridas não co!oco* a armad*ra so/re se*s ferimentos, mas antes *e e*
-*desse di4er *a!*er coisa so/re este f!echas inimigas come1aram a choer so/re n:s Todos os *e não tieram em toda
a armad*ra de se* fico* ferido A*e!es *e não haia co/erto s*as feridas foram atingidas noamente no mesmo !*gar
A*e!es *e foram atingidos -or f!echas de ca!2nia imediatamente come1o* a difamar a*e!es *e não ficaram feridos
A*e!es *e foram atingidos com a fofoca come1o* a fofoca, e !ogo *ma grande diisão foi criada dentro do nosso
acam-amento
tinha es-adas eEntão
-oderiaa/*tres desce*
ter ferido -ara -egar
os a/*tres os feridos
faci!mente, mas-ara
e!esentreg@!os -ara orea!mente
não E!es foram cam-o de !eados
-risioneiros 3s feridos ainda
o!*ntariamente
-or*e e!es eram tão 4angado com o resto de n:s A cena entre a*e!es no acam-amento -or tr@s do nosso ex+rcito foi
ainda -ior Fão -arecia ser o caos tota! Mi!hares deitado no chão ferido e gemendo M*itos dos *e não foram feridos
a-enas sento* em *m est*-or de incred*!idade 3s feridos e os *e estaam sentados na incred*!idade estaam sendo
ra-idamente !eado -e!os *r*/*s A!g*ns estaam tentando a0*dar os feridos, e manter os a/*tres fora de!es, mas os feridos
foram tão irritado *e iriam amea1ar e ex-*!sar a*e!es *e estaam tentando a0*d@!os M*itos dos *e não foram feridos
foram sim-!esmente correndo tão r@-ido *anto e!es -oderiam -artir da cena da /ata!ha Este -rimeiro encontro com o
inimigo foi tão deastadora *e e* estaa tentado a se 0*ntar a e!es em s*a f*ga Então, m*ito ra-idamente, a!g*ns desses
come1aram a rea-arecer com ternos cheio de armad*ra e esc*dos grandes A a!egria da festa se transformo* em *ma
reso!*1ão incríe! E!es come1aram a tomar os !*gares dos *e tinham caído, e at+ come1o* a formar noos -ostos -ara
-roteger a -arte traseira e f!ancos Estes tro*xe grande coragem, e todos reso!eram ficar e !*tar at+ a morte
6mediatamente tr<s grandes an0os chamado >+, Es-eran1a e Amor eio e fico* atr@s de n:s, e esc*do de todos come1o* a
crescer
O 7aminho alto

Tiemos es-adas chamado a Pa!ara de Be*s, e setas *e foram nomeados -ara as erdades /í/!icas F:s *eríamos atirar
de o!ta, mas não sa/ia como sem /ater os cristãos *e foram montados -e!os dem;nios Em seg*ida, ocorre*nos *e, se
estes cristãos foram atingidos com a erdade *e iria acordar e !*tar contra se*s o-ressores E* dis-arei a!g*mas setas
C*ase todos e!es atingido os cristãos Fo entanto, *ando a f!echa da erdade foi -ara e!es, não acordar, o* cair feridos,
e!es fico* f*rioso, eo dem;nio andando so/re e!es cresceram m*ito maior Esta todo m*ndo chocado, e come1amos a
sentir *e esta -ode ser *ma /ata!ha im-ossíe! de encer, mas com f+, es-eran1a e amor est@amos m*ito confiantes de
*e -oderíamos, -e!o menos, manter a nossa -r:-ria terra 3*tro an0o chamado Sa/edoria então a-arece* e dirigi*nos
-ara !*tar contra a montanha atr@s de n:s Fa montanha haia /ordas em diferentes níeis -ara o mais a!to *e -odia er
Em cada níe! s*-erior as /ordas se torno* mais estreita, e mais difíci! de se s*stentar 8ada níe! foi nomeado a-:s *ma
erdade /í/!ica 3s níeis mais /aixos foram nomeados a-:s erdades f*ndamentais tais como a "Sa!a1ão", "Santifica1ão",
"Prayer", ">+", etc,
mais aan1ados e os níeis
erdades maisC*anto
/í/!icas e!eados foram
maior nomeados
s*/imos, a-:s
maior os nossos esc*dos e nossas es-adas cresce*, e menos das
setas inimigo -oderia chegar a essa -osi1ão

3m erro tr'gi!o

A!g*ns *e tinham ficado nos níeis mais /aixos come1o* a -egar as setas do inimigo e atirandoos de o!ta 6sso foi *m
erro tr@gico 3s dem;nios se es*io* faci!mente as setas e deix@!os /ater os cristãos C*ando *m cristão foi atingido -or
*ma das f!echas de ac*sa1ão o* ca!2nia, *m dem;nio de amarg*ra o* raia iria oar e -o*sar em *e a seta E!e, então,
come1ar a *rinar e defecar se* eneno em cima desse cristão C*ando o cristão tinha dois o* tr<s desses dem;nios
adicionado  0*sti1a org*!ho o* a*to e!e 0@ tinha, e!e come1o* a m*dar na imagem contorcida dos dem;nios se P*demos
er isso acontecendo a -artir dos níeis mais a!tos, mas a*e!es nos níeis mais /aixos *e estaam *sando as setas do
inimigo não -odia <!o Metade de n:s decidimos contin*ar a s*/ir, en*anto a o*tra metade desce* de o!ta -ara os
níeis mais /aixos de ex-!icar -ara a*e!es *e ainda ne!es o *e estaa acontecendo Todo m*ndo estaa, então, a!erto*
-ara contin*ar a s*/ir e não -arar, exceto -ara *ns -o*cos *e se -osicionaram em cada níe! -ara manter os o*tros
so!dados em a!ta

4egurança
C*ando chegamos ao níe! chamado "A Inidade dos 6rmãos", nenh*ma das setas do inimigo -oderia chegar at+ n:s
M*itos em nosso acam-amento foi decidido *e na medida em *e -recisaa s*/ir entende* isso -or*e a cada noo níe!
af*i,
-+então
era mais -rec@ria Fo
e* contin*ei entanto,
s*/indo tam/+m
=ogo minhasme senti m*ito
ha/i!idades mais/oas
eram forteo es*ficiente
mais h@/i! com
-ara as minhas
atirar armas
e acertar mais a!tosem
os dem;nios *e e*
/ater os cristãos Senti *e se e* contin*asse indo mais e* -oderia atirar !onge o s*ficiente -ara /ater os !íderes da horda do
ma! *e ficaram -ara tr@s o se* ex+rcito >i*ei triste *e tantos haiam -arado nos níeis mais /aixos, onde estaam
seg*ras, mas não conseg*i* acertar o inimigo Mesmo assim, a for1a e car@ter *e cresceram na*e!es *e contin*o*
s*/indo fe4 grandes cam-e.es, cada *m dos *ais e* sa/ia *e iria destr*ir m*itos dos inimigos Em cada níe!, haia setas
da Gerdade es-a!hados so/re a *a! e* sa/ia *e foram deixados de *em tinha caído a -artir dessa -osi1ão Todas as
f!echas foram nomeados a-:s a Gerdade desse níe! A!g*ns estaam re!*tantes em -egar essas setas, mas e* sa/ia *e
-recis@amos t*do o *e -odia -ara destr*ir a grande horda a/aixo E* esco!hi *m *-, tiro, e assim faci!mente atingir *m
dem;nio *e os o*tros come1aram a ir /*sc@!os e tir@!as 8ome1amos a di4imar @rias das diis.es inimigas Beido a
isso, todo o ex+rcito do ma! centro* a s*a aten1ão so/re n:s Por *m tem-o -arecia *e o mais conseg*imos mais nos
o-*nham Em/ora nossa tarefa -arecia não ter fim, torno*se emocionante

A 6alavra é nossa )n!ora

Fossas es-adas cresce* como chegamos a cada níe! E* *ase deixei o me* -or tr@s, -or*e e* não -arecem -recisar nos
níeis mais a!tos E* fina!mente decidi *e tinha sido dado a mim -ara a fina!idade, então e* tie me!hor mant<!o E*
dirigi!o no chão e amarraramme a e!a en*anto e* tiro no inimigo A o4 do Senhor então eio a mim, di4endo5 " Goc<
*so* a sa/edoria *e !he -ermitir@ contin*ar a s*/ir M*itos caíram -or*e não *sar s*a es-ada corretamente -ara ancorar
se" Fing*+m -arecia o*ir esta o4, mas m*itos iram o *e e* tinha feito e fe4 a mesma coisa E* *is sa/er -or*e o
Senhor não tiesse fa!ado comigo antes de e* ter tomado esta decisão Então e* tie *ma sensa1ão de sa/er *e E!e 0@ haia
fa!ado isso -ara mim de a!g*ma forma Então -erce/i *e toda a minha ida tinha estado a treinar -ara esta hora E* estaa
-re-arado -ara o gra* *e e* tinha esc*tado o Senhor e o/edeceram ao !ongo da minha ida E* tam/+m sa/ia *e -or
a!g*ma ra4ão, a sa/edoria e com-reensão *e e* tinha agora não -oderia ser adicionado o* retirado en*anto nesta /ata!ha
Torneime -rof*ndamente grato -or cada -roa e* tinha experimentado na minha vida, e desculpe por não a-reci@!as
mais no como
inimigo momento
fogo =ogo est@amos
e enxofre acertando
E* sa/ia *e os os dem;nios
cristãos -resoscom
em*ma
*e o-recisão
ex+rcito*ase
agora-erfeita
estaamRaia s*/i*ode
sentindo o ex+rcito
-eso dessa raia
6nca-a4 de /aternos *e e!es estaam agora a atirar em si 8om as s*as setas agora inefica4es contra n:s, o inimigo enio*
os a/*tres ao ata*e A*e!es *e não tinham *sado as s*as es-adas como Kncoras foram ca-a4es de derr*/ar m*itos dos
*r*/*s, mas e!es tam/+m estaam sendo remoidas de as /ordas onde e!es estaam A!g*ns desses -o*so* em *m níe!
inferior, mas a!g*ns caíram -or todo o caminho at+ o f*ndo e foram a-anhados e !eados -e!os a/*tres

A nova arma
As setas da Gerdade raramente -enetram os *r*/*s, mas e!es -re0*dic@!os o s*ficiente -ara !e@!os de o!ta Toda e4 *e
e!es foram !eados de o!ta a!g*ns de n:s s*/ir ao -r:ximo níe! C*ando chegamos ao níe! chamado "9@!atas Bois
Ginte", *e estaam acima da a!tit*de *e os *r*/*s -odiam oar A este níe! o c+* *ase cego*nos com se* /ri!ho e
/e!e4a Senti a -a4 *e e* n*nca tinha sentido isso antes Anteriormente m*ito do me* es-írito de !*ta tinha sido rea!mente
motiado como m*ito :dio e no0o -ara o inimigo como tinha sido -ara o /em do reino, erdade e amor -ara os
-risioneiros Masníe!
distKncia Feste foi neste níe!*ase
e* estaa *e e*dominado
-eg*ei at+-or
>+,s*a
Es-eran1a, Amor e,e*o-ego
g!:ria C*ando *e antes
a e!es e*
*es:setinha
iro*indo
-ara amim,
acom-anhar  a
e come1o*
re-arar e /ri!hante a minha armad*ra =ogo e!a foi com-!etamente transformada e exa!aa a g!:ria *e estaa ne!es
C*ando e!es tocaram a minha es-ada, -araf*sos grandes de raios /ri!hantes come1aram a -iscar a -artir de!e Amor, então
disse5 "A*e!es *e a!can1am este níe! são confiadas com os -oderes do m*ndo indo*ro, mas deo !he ensinar como *s@
!os" 3 "9@!atas Ginte Bois" níe! foi tão grande *e não haia mais *a!*er -erigo de *eda Haia tam/+m setas
i!imitadas com o nome de Es-eran1a escrito so/re e!es >i!mamos a!g*mas de!as -ara /aixo na a/*tres, e essas setas mato*
!os faci!mente 8erca de metade *e tinha chegado a este níe! mantido tiro en*anto os o*tros come1aram a trans-ortar
essas setas -ara /aixo -ara a*e!es *e ainda estão nos níeis mais /aixos 3s *r*/*s contin*aam indo em ondas so/re
os níeis a/aixo, mas com cada *m haeria menos do *e antes Be "9@!atas Ginte Bois" *e -oderia /ater *a!*er
inimigo no ex+rcito, exceto os -r:-rios !íderes, *e ainda estaam fora de a!cance Becidimos não *sar as setas da erdade
at+ *e tinha destr*ído todos os a/*tres, -or*e a n*em de de-ressão, e!es criaram a erdade fe4 menos efica4 6sso !eo*
*m tem-o m*ito !ongo, mas n*nca se canso* >+, Es-eran1a e Amor, *e haia crescido como nossas armas com cada
níe!, estaam agora tão grande *e e* sa/ia *e as -essoas m*ito a!+m da @rea de /ata!ha -odia <!os A s*a g!:ria,
mesmo irradiada -ara o cam-o de -risioneiros *e ainda estaam so/ *ma grande n*em de a/*tres A a!egria contin*o* a
crescer em todos n:s Senti *e estar neste ex+rcito, nesta /ata!ha, tinha *e ser *ma das maiores aent*ras de todos os
tem-os Be-ois de destr*ir a maioria dos a/*tres *e estaam atacando nossa montanha, come1amos a esco!her fora dos
a/*tres *e co/ria a -risioneiros 8omo a n*em de esc*ridão come1o* a dissi-ar, o so! come1o* a /ri!har so/re e!es, e!es
come1aram a acordar, como se tiessem estado em *m sono -rof*ndo E!es foram imediatamente re-e!ido -or s*a
condi1ão, es-ecia!mente -e!a ;mito *e ainda co/ri*, e come1o* a !im-arse -ara cima 8omo e!es iram >+, Es-eran1a e
Amor, e!escontra
difama1ão iram ae!es,
montanha
mas e!es*e
nãoest@amos no e come1o*
-araram Pe!o tem-o *ea e!es
correr
tem-ara
*ee!e A horda do
a montanha ma!m*itos
tinha choe**ma
f!echas
d24iadeo*
ac*sa1ão
mais e
setas -reso ne!es, mas -arecia nem notar Assim *e e!es come1aram a esca!ar a montanha s*as feridas come1aram a
cicatri4ar 8om a n*em de de-ressão se0am dissi-adas -arecia *e t*do estaa ficando m*ito mais f@ci!

A Armadilha

3 ex-risioneiros tieram *ma grande a!egria em s*a sa!a1ão E!es -areciam tão so/recarregado com a-re1o -ara cada
níe! de como e!es come1aram a esca!ar a montanha *e nos de* *m maior a-re1o -or essas erdades =ogo reso!er *m
fero4 -ara !*tar contra o inimigo tam/+m s*rgi* no ex-risioneiros E!es co!ocam a armad*ra fornecida e im-!oro* -ara ser
a*tori4ado a o!tar e atacar o inimigo F:s -ensamos so/re isso, mas de-ois decidi* *e todos n:s deemos ficar na
montanha -ara !*tar Mais *ma e4 a o4 do Senhor fa!o*, di4endo5 " A seg*nda e4 *e oc< esco!he* sa/edoria Goc<
não -ode ganhar se oc< tentar !*tar contra o inimigo em se* -r:-rio terreno, mas dee -ermanecer no me* santo monte"
>i*ei es-antado
então, reso!e* *eotínhamos
fa4er feito-ara
me* me!hor *manãoo*tra decisão
tomar o*tradedecisão
ta! im-ortKncia -orconseL<ncia
de *a!*er a-enas -ensarsem
e disc*tir
ora1ão/reemente E*,
Sa/edoria, em
seg*ida, se a-roximo* me ra-idamente, -ego* dois dos me*s om/ros e me o!ho* firmemente intensamente nos o!hos,
di4endo5 "Goc< dee fa4er isso" E*, então, -erce/e* *e, mesmo se e* tiesse sido no -!ana!to am-!o de "9@!atas Ginte
Bois," E* tinha ido at+  /orda, mesmo sem conhec<!o, e -oderia faci!mente ter caído 3!hei noamente nos o!hos de
sa/edoria, e e!e disse com a maior seriedade, "Tende c*idado *ando oc< -ensa *e oc< est@, -ara não cair Festa ida
oc< -ode cair a -artir de *a!*er níe!"

As 4er(entes

Por m*ito tem-o n:s contin*amos matando os a/*tres e esco!hendo fora os dem;nios *e estaam andando os cristãos
Besco/rimos *e as setas de Gerdades diferente teria mais im-acto so/re dem;nios diferentes Sa/íamos *e ia ser *ma
/ata!ha !onga, mas não estaam tomando as /aixas mais agora, e n:s 0@ haia -assado o níe! de "Patience" Mesmo assim,
a-:s estesdos
nat*re4a cristãos tinham
dem;nios, os dem;nios
e contin*o* emdis-aro*
s*a i!*sãoe!es,
sema!g*ns iriama-ara
e!es 8omo a montanha
esc*ridão M*itos tinham
dos dem;nios tomado
dissi-ada so/re aer o
-oderíamos
chão se moendo em torno dos -+s desses cristãos Então e* i *e s*as -ernas estaam !igados -or ser-entes chamado
Gergonha >i!mamos f!echas de erdade no ser-entes, mas e!es tieram -o*co efeito Em seg*ida, tento* as setas da
Es-eran1a, mas sem res*!tado Be "9@!atas Bois Ginte" foi m*ito f@ci! de ir mais a!to, então come1amos a s*/ir aos níeis
mais e!eados =ogo *e acontece* em cima de *m 0ardim *e era o !*gar mais !indo *e e* 0@ tinha isto So/re a entrada a
este 0ardim foi escrito, "Amor 6ncondiciona! do Pai" >oi a -orta mais g!orioso e conidando e* 0@ tinha isto, -or isso
fomos o/rigados a entrar Assim como fi4emos, imos a @rore da ida no meio deste 0ardim Ainda era g*ardada -or an0os
de for1a incríe! E!es o!haram como se tiessem sido nos es-erando, -or isso tiemos a coragem de -ass@!os e caminhar
at+ a @rore Im de!es disse5 "A*e!es *e tornam a este níe!, *e conhecem o amor do Pai, -ode comer" E* não sa/ia
como e* estaa com fome C*ando ex-erimentei a fr*ta, era me!hor do *e *a!*er coisa *e e* 0@ tinha ex-erimentado,
mas tam/+m era de a!g*ma forma fami!iar Tro*xe mem:rias de ch*a, so!, cam-os de /onito, o -;r do so! so/re o oceano,
mas ainda mais do *e isso, das -essoas *e e* amaa A cada mordida e* amei t*do e todos mais Então me*s inimigos
come1aram a irmesmo
ex-erimentado, a mente, e e*em
a -a4 os "9@!atas
amaa tam/+m 3 sentimento
Bois Ginte" Então e*foi !ogo
o*i maior
a o4 do do *e *a!*er
Senhor, coisa"Este
e E!e disse5 *e +e*agora
n*ncao tinha
se* -ão
de cada dia F*nca ser@ retido de oc< Goc< -ode comer tanto e tão fre*entemente como oc< gosta Fão h@ fim do me*
amor" E* o!hei -ara a @rore -ara er onde a o4 tinha indo, e i* *e estaa cheio de /ranco -*ro @g*ias E!es tinham o
mais /onito, o!hos -enetrantes *e e* 0@ i E!es estaam o!hando -ara mim como se es-era de instr*1.es Im dos an0os
disse5 "E!es ão fa4er o se* !ance Estas @g*ias comem as co/ras" E* disse, "9o? Beo*r a ergonha *e tem o/rigado os
nossos irmãos" E!es a/riram s*as asas e *m grande ento *e !eanto* eio!os no ar Estas @g*ias enche* o c+* com *ma
g!:ria of*scante Mesmo tão a!to *anto fomos, e* -odia o*ir os sons de terror do acam-amento inimigo  ista destas
@g*ias inha na dire1ão de!es 3 -r:-rio Senhor Jes*s, em seg*ida, fico* no meio de n:s E!e toco* cada *m, então disse5
"agora deo com-arti!har com oc<s o *e e* com-arti!hei com se*s irmãos a-:s My acsensiona mensagem do Me*
Reino Ex+rcito mais -oderoso do inimigo 0@ foi -osto em f*ga, mas não destr*ídos Agora + hora de marcha adiante com
o Eange!ho do Me* reino As @g*ias foram !i/erados e ão com a gente Tomaremos f!echas de todos os níeis, mas e*
so* a s*a es-ada, e e* so* o se* ca-itão D agora tem-o -ara a es-ada do Senhor -ara ser desem/ainhada " E*, então, se
iro* e i* *e todo o ex+rcito do Senhor estaa na*e!e 0ardim Haia homens, m*!heres e crian1as de todas as ra1as e
na1.es, cada *ma com s*as /andeiras, *e se moia ao ento com a *nidade -erfeita E* sa/ia *e nada disso tinha sido
isto na terra antes E* sa/ia *e o inimigo tinha m*itos ex+rcitos mais, e forta!e4as -or toda a terra, mas nenh*m -;de
enfrentar este grande ex+rcito E* disse *ase de/aixo da minha res-ira1ão, "Este dee ser o dia do Senhor" A s+rie então
res-onde* em *m troão aesome, "3 dia do Senhor dos Ex+rcitos eio" >icamos no Jardim de Be*s so/ a Nrore da
Gida Parecia *e todo o ex+rcito estaa !@, de 0oe!hos diante do Senhor Jes*s E!e tinha aca/ado de darnos a carga -ara
retornar -ara a /ata!ha em -ro! dos nossos irmãos *e ainda estaam !igados, e -ara o m*ndo *e E!e ainda amaa >oi
tanto *m marai!hoso
*e teríamos e *m
*e sair da S*acomando
-resen1a terríe! >oie marai!hoso
manifesta, s: -or*e
do Jardim, *e foi maise!e eio Be!e
/onito do *e>oi terríe!,coisa
*a!*er -or*e
*eisso im-!icaa
e* n*nca tinha
isto antes Para deixar t*do isso -ara ir -ara a /ata!ha -arecia incom-reensíe! 3 Senhor contin*o* s*a exorta1ão5 "E*
os dei dons es-irit*ais e -oder, e *ma com-reensão cada e4 maior de minha -a!ara e me* reino, mas a maior arma *e
!he foi dado + o amor do Pai En*anto oc< andar no amor de Me* Pai oc< n*nca ir@ fa!har 3 fr*to desta @rore + o
amor do Pai *e se manifesta em mim Este amor *e h@ em mim dee ser o se* -ão de cada dia " 3 Senhor não era o *e
-odemos considerar como sendo de *ma a-ar<ncia m*ito /onito, mas foi /astante norma! Mesmo assim, a gra1a com *e
E!e se m*do* e fa!o* fi4eram de!e a -essoa mais atraente *e e* 0@ tinha isto E!e foi a!+m da defini1ão h*manos em
dignidade e no/re4a Fenh*ma -int*ra *e /*sco* ca-tar o *e E!e -arecia 0amais -oderia fa4<!o, mas de a!g*ma forma a
maior -arte de!es se -arecem com e!e 8omecei a -ensar como E!e era t*do o *e o Pai ama e estima E!e rea!mente + cheio
de gra1a e de erdade, a ta! -onto *e -arecia *e nada, mas a gra1a ea erdade dee sem-re ass*nto C*ando e* comi o
fr*to da Nrore da Gida, o -ensamento de todas as coisas /oas *e e* 0@ tinha conhecido -arecia encher a minha a!ma
C*ando Jes*s fa!o* *e era o mesmo, a-enas am-!iado E* n*nca *is deixar este !*gar =em/reime de como e* tinha
-ensado,
Agora e* *ma
sa/iae4
*e*e
nãodee
haiaternada
sidomais
a/orrecido -ara a*e!es
marai!hoso an0os *e do
o* emocionante não*e
fi4eram nada, masadorando3
sim-!esmente ador@=o diante
C*e do trono
certamente ser@ a me!hor -arte do c+* Era difíci! acreditar *e e* haia !*tado tanto com o t+dio d*rante os c*!tos E*
sa/ia *e era s: -or*e e* tinha sido *ase com-!etamente fora de contato com a rea!idade d*rante esses tem-os

Adoração em Es(8rito e 9erdade

E* estaa *ase esmagada com o dese0o de o!tar e fa4erse os tem-os d*rante o c*!to, *ando e* tinha -ermitido *e
minha mente a agar, o* me tinha oc*-ado com o*tras coisas 3 dese0o de ex-ressar a minha adora1ão -or e!e torno*se
*ase incontro!@e! E* tinha *e !o*@=o? C*ando a/ri minha /oca e* estaa chocado com a adora1ão es-ontKnea *e
s*rgi* a -artir de todo o ex+rcito, ao mesmo tem-o E* tinha *ase es*ecido de *e ning*+m estaa !@, mas est@amos
todos em -erfeita *nidade 3 c*!to g!orioso não -ode ser ex-ressa em !ing*agem h*mana 8omo n:s adorado, *m /ri!ho
do*rado come1o* a emanar do Senhor, então não era de -rata em torno do o*ro Em seg*ida, as cores, a ri*e4a de *e e*
n*nca i com me*s o!hos
tinha ex-erimentado antesnat*rais,
Be a!g*maeno!e*
formaae*
todos n:s 8om
entendia essag!:ria
*e s*a g!:riaestaa
entrei!@em *m reino
o tem-o da mas
todo, emo1ão *e n:s
*ando e* n*nca
nos
concentramos so/re e!e a maneira *e fi4emos na adora1ão, n:s sim-!esmente come1o* a er mais de S*a g!:ria C*anto
mais intensamente adoramos, mais imos a g!:ria Se este era o c+*, foi m*ito, m*ito me!hor do *e e* tinha sonhado

En!ontrar sua morada

E* não tenho id+ia de *anto tem-o d*ro* essa adora1ão Poderia ter sido meses, sim-!esmente não haia maneira de
medir o tem-o em *e ti-o de g!:ria Por *m tem-o e* fechei me*s o!hos, -or*e a g!:ria *e e* estaa endo com o
me* cora1ão era tão grande *anto o *e e* estaa endo com me*s o!hos físicos C*ando e* a/ri me*s o!hos e* estaa
s*r-reso ao er *e o Senhor não estaa !@ -or mais tem-o, mas *ma tro-a de an0os estaa onde e!e tinha sido Im de!es
se a-roximo* de mim e disse5 ">eche os o!hos noamente" C*ando e* fi4, e* i a g!:ria do Senhor noamente e fico*
m*ito a!iiado Então o an0o ex-!ico*5 "3 *e oc< < com os o!hos do osso cora1ão + mais rea! do *e oc< < com
se*s
an0o o!hos físicos"
contin*o*5 ">oiE*-or
tinha
estame feito*e
ra4ão essa afirma1ão
o Senhor m*itas
disse e4es,
a Se*s mas odiscí-*!os
-rimeiros -o*co *e*e
e* era
tinha rea!mente
me!hor -ara ando* ne!e? 3-ara
e!e ir em/ora
*e o Es-írito Santo -;de ir 3 Senhor ha/ita dentro de oc< Goc< ensino* isto m*itas e4es, mas agora oc< dee
i<!a, -ara oc< ter comido da Nrore da Gida " 3 an0o então come1o* a me !ear de o!ta -ara o -ortão Protestei *e
e* não *eria sair Parecendo s*r-reso, o an0o !eo*me -e!os om/ros e me o!ho* nos o!hos C*e + *ando e* o
reconheci como o an0o Sa/edoria, "Goc< n*nca tem *e deixar este 0ardim Este 0ardim est@ em se* cora1ão, -or*e o
-r:-rio 8riador est@ dentro de oc< Goc< tem dese0ado a me!hor -arte, -ara adorar e se sentar em S*a -resen1a -ara
sem-re, e n*nca ser@ tirado de oc<" 8onfessei *e tinha dito Sa/edoria, e de-ois desio* o o!har -ara o fr*to da Nrore
da Gida E* tinha *ma com-*!são -ara agarrar t*do o *e -*de antes de sair 8onhecendo me*s -ensamentos, Sa/edoria
genti!mente me sac*di* "Fão Mesmo fr*ta isso, re*niramse em medo, iria a-odrecer Esta fr*ta e esta @rore est@
dentro de oc<, -or*e E!e est@ em oc< Goc< tem *e acreditar" >echei os o!hos e tento* er o Senhor mais *ma e4,
mas não conseg*i* C*ando a/ro minha Sa/edoria o!hos ainda estaa o!hando -ara mim 8om m*ita -aci<ncia, e!e
contin*o*, "Goc< 0@ -roei do reino ce!estia!, e ning*+m *er o!tar -ara a /ata!ha, *ma e4 *e e!es fa4em Fing*+m
todos os *er deixar a -resen1a manifesta do Senhor C*ando o a-:sto!o Pa*!o chego* a*i e!e !*taram -e!o resto de s*a
ida como se e!e dee ficar e de tra/a!ho -ara o Senhor, o* o!tar a*i -ara entrar em s*a heran1a, mas s*a heran1a foi
am-!iada a mais e!e fico* Agora *e oc< tem o cora1ão de *m erdadeiro adorador oc< sem-re *ero estar a*i, e oc<
-ode, *ando você entra em verdadeira adoração. Quanto mais focado você está nele, mais glória você vai ver,
independentemente de onde você é. "Palavras da Sabedoria finalmente acalmoume. !ovamente eu fecei os olos
apenas para agradecer ao Senor por esta e#periência maravilosa, ea vida $ue %le avia dado . me como eu fi&, eu
comecei a ver a Sua glória, e toda a emoção da e#periência de adoração anteriores inundaram mina alma 's palavras
do Senor para
abandonar você.mim eram tão
"" Senor, alto eaclaro
perdoa mina$ue eu tina certe&a
incredulidade de $ue eram
", respondi." aud(veis).
Por favor "%u nunca
me a*ude voudei#ar
a nunca dei#arouou
abandonar você. "

Caminhada Com Sabedoria

Quando abri meus olos, a sabedoria ainda estava segurando meus ombros. "%u sou o principal dom $ue foi dado a
você para o seu trabalo", disse ele, "%u vou te mostrar o camino, e vou mantêlo nela, mas somente o amor vai
mantêlo fiel. ' maior sabedoria é amar o Senor ". %ntão Sabedoria me soltou e começou a caminar em direção ao
portão. Segui com ambivalência. +embreime a alegria da batala ea subir a montana, e foi convincente, mas não
ouve comparação com a presença do Senor e adoração $ue eu tina acabado de e#perimentar. ei#ando este seria o
maior sacrif(cio $ue eu *á tina feito. %ntão me lembrei de como era tudo dentro de mim, espantado $ue eu poderia
até es$uecer $ue tão rapidamente. -omecei a pensar sobre a grande batala $ue foi raging dentro de mim, entre o $ue
eu vi com meus olos f(sicos eo $ue eu vi com meu coração. %u me mudei para a frente de modo $ue eu estava
andando ao lado de Sabedoria, e perguntou "/eno orado por 01 anos para ser arrebatado ao terceiro céu como Paulo
tina. 2 este o terceiro céu3" "4sso é parte dela", ele respondeu, "mas á muito mais." "%u poderei ver mais3" %u
perguntei. "5ocê vai ver muito mais. %stou levando você para ver mais agora", respondeu ele. -omecei a pensar $ue
o livro do 'pocalipse. "%ra parte de 6oão revelação do terceiro céu3" %u perguntei. "Parte da revelação de 6oão era do
terceiro céu, mas a maioria foi a partir do segundo céu. 7 primeiro céu era antes da $ueda do omem. 7 segundo céu
é o reino espiritual, durante o reinado do mal sobre a terra. 7 terceiro céu é $uando o amor e de dom(nio do Pai
voltará a prevalecer sobre a terra através de seu rei. " "Qual foi o primeiro céu, como3" Perguntei, sentindo um
arrepio estranamente frio como eu pedi. "2 a sabedoria não se preocupar com isso agora", meu companeiro
respondeu com seriedade aumentou 8 medida $ue a mina pergunta pareceu sacudida ele. "Sabedoria é buscar
conecer o terceiro céu assim como você tem. 9á muito mais para saber sobre o terceiro céu do $ue você pode saber
nesta vida, e é o terceiro céu, o reino, $ue tanto pregam na vida . %m séculos vindouros você será informado sobre o
primeiro céu, mas não é rentável para você saber neste momento. " :esolvi lembrar o calafrio %u tina acabado de
feltro, e Sabedoria acenou com a cabeça, $ue eu sabia ser uma afirmação a esse pensamento. "7 $ue um grande
companeiro $ue você é, eu tina a di&er como eu estava inundado com apreço por este an*o." 5ocê realmente vai me
manter no camino certo. "" %u na verdade, "ele respondeu. %u tina certe&a $ue eu senti o amor provenientes desse
an*o, $ue era ;nico, *á $ue eu nunca tina sentido isso de outros an*os, $ue mostrou mais uma preocupação por dever
do $ue o amor. Sabedoria respondeu a meus pensamentos como se eu tivesse falado em vo& alta. "2 sabedoria amor e
eu não poderia estar Sabedoria se eu não te amo. 2 também a sabedoria para contemplar a bondade ea severidade de
eus. 2 a sabedoria para amá+o e temê+o. 5ocê está em engano para fa&er o contrário. %sta é a pró#ima lição $ue
você deve aprender. "%le disse com sério inconfund(vel. "%u sei $ue, e tem ensinado muitas ve&es," eu respondi,
sentindose pela primeira ve& $ue talve& não totalmente Sabedoria me conecem. "%u teno sido seu companeiro
por um tempo muito longo, e eu sei $ue seus ensinamentos", respondeu a Sabedoria. "'gora você está prestes a
aprender o $ue alguns de seus próprios ensinamentos di&er. -omo você *á disse muitas ve&es" !ão é por acreditar em
sua mente,
mesmo mas em seu
$uestionada. %lecoração $ue resulta
graciosamente em *ustiça.
aceitou minas"Pedi desculpas,
desculpas. sentindo
<oi então uma
$ue eu vergona
percebi $ue bit porsido
tina ter Sabedoria,
$uestionar
e desafiarle parte da mina vida, muitas ve&es 8 mina lesão.

A Outra Metade do Amor

"9á momentos para adorar o Senor," Sabedoria continuou, "e á momentos para onrálo com o maior medo e
respeito. 'ssim como á um tempo para plantar, e tempo de coler, e isso é sabedoria para saber a tempo para cada
sabedoria. 5erdadeira conece a tempos e as estaç=es de eus. %u o trou#e a$ui por$ue era o tempo para adorar o
Senor na glória de Seu amor. agora estou te levando para outro lugar, por$ue é ora de você para adorá+o no temor
do Seu *ulgamento. 'té $ue você saiba tanto podemos estar separados uns dos outros. " "Quer di&er $ue se eu tivesse
ficado lá atrás, em $ue o culto glorioso eu teria perdido você3" %u perguntei, incrédulo. "Sim. %u teria sempre
visitado com você $uando eu podia, mas ter(amos $ue raramente se cru&aram. 2 dif(cil dei#ar a glória e pa&, mas isso
não é toda a revelação do rei. %le é tanto o +eão de 6udá e do -ordeiro. Para os filos espirituais %le é o -ordeiro.
Para o amadurecimento %le é o leão. Para a plena maturidade %le é tanto o +eão eo -ordeiro. 5ocês sabem isso em
sua mente, e eu ouvi você ensinálo, mas agora você vai saber em seu coração, pois você está prestes a e#perimentar
o tribunal de -risto.

O Retorno à Batalha

'ntes
tudo o de
$uesair
eu dos port=es
tina do de
acabado 6ardim pedi Sabedoria
e#perimentar. "Sim, se eu poderia
você apenas
deve fa&er isso",sentarse por um">as
ele respondeu tempoeupara refletir
teno sobre
um lugar
melor para você fa&er isso." Segui Sabedoria para fora dos port=es e começamos a descer montana abai#o. Para
mina surpresa a batala ainda estava acontecendo, mas não tão intensamente como era $uando sub(amos. 9avia
ainda as setas de acusação e cal;nia voando nos n(veis mais bai#os, mas a maioria da orda inimiga $ue restou foi
furiosamente atacar as grandes águias brancas. 's águias foram facilmente em vigor. >antivemos descendente até
estávamos $uase no fundo. +ogo acima dos n(veis de "Salvação" e "santificação", foi o n(vel de "agradecimento e
louvor." +embreime deste n(vel muito bem por$ue um dos maiores ata$ues do inimigo veio como eu primeiro tentei
alcançálo. ?ma ve& $ue cegamos até a$ui o resto da subida foi muito mais fácil, e se uma fleca atravessou sua
armadura $ue curou muito mais rápido. 'ssim $ue o inimigo me viu nesse n(vel @o inimigo não podia ver SabedoriaA,
uma cuva de flecas começaram a cover sobre mim. %u tão facilmente bateuas com o meu escudo $ue o inimigo
sair atirando. Suas flecas eram agora $uase desaparecido e eles não podiam dar ao lu#o de perder mais. 7s soldados
$ue ainda estavam lutando a partir deste n(vel me olou com espanto com uma deferência $ue me fe& muito
desconfortável. <oi então $ue eu notei $ue a primeira glória do Senor era proveniente de mina armadura e escudo.
isseles para subir até o topo da montanha sem -arar e e!es, tam/+m, eria o Senhor Assim *e e!es concordaram em
ir iram Sa/edoria E!es come1aram a cair -ara ador@=o, mas e!e conteeos e f<!os em se* caminho

/iéis

E* estaa cheio de amor -or esses so!dados, m*itos dos *ais eram m*!heres e crian1as S*a armad*ra estaa *ma
/ag*n1a, e e!es estaam co/ertos de sang*e, mas não tinha -arado Fa erdade, e!es ainda estaam a!egres e incentiadas
E* disse a e!es *e e!es eram merecedores de maior honra do *e e* era, -or*e tinha dado o maior -eso da /ata!ha, e
tinha -rendido se* terreno E!es -areciam não acreditar em mim, mas a-reciado *e e* diria isso Fo entanto, e*
rea!mente senti *e era erdade Todos os níeis so/re a montanha tinha de ser oc*-ado o* os a/*tres *e foram
deixados iria e s*0o com ;mito e excrementos, at+ *e foi difíci! de se s*stentar A maioria das /ordas foram oc*-adas
-or so!dados *e e* reconheci ser de diferentes denomina1.es o* moimentos *e destaco* a erdade do níe! em *e
estaam defendendo E* estaa energonhado com a atit*de *e e* tinha mantido em dire1ão a a!g*m desses gr*-os E*
tinha considerado a!g*ns de!es fora de contato e desiado na me!hor das hi-:teses, mas a*i e!es estaam !*tando contra
*ma fie!mente terríe! ata*e do inimigo S*a defesa dessas -osi1.es -roae!mente tinha me -ermiti* contin*ar a s*/ir
como e* tie A!g*ns desses níeis se sit*am de modo *e não era *ma isão de /oa -arte da montanha o* cam-o de
/ata!ha, mas a!g*ns estaam tão iso!ados *e os so!dados so/re e!es s: -odiam er s*a -r:-ria -osi1ão, e -arecia não
sa/er mesmo so/re o resto do /ata!ha f*riosa E!es eram freLentemente tão feridos da ca!2nia e ac*sa1.es de *e e!es
seriam resistentes *ando a!g*+m eio at+ e!es a -artir de *m níe! mais a!to e encora0o*os a s*/ir mais a!to Fo entanto,
*ando a!g*ns come1aram a ir de cima -ara /aixo ref!etindo a g!:ria do Senhor, e!es esc*taram com grande a!egria, e
!ogo come1o* a s*/irse com coragem e determina1ão E i t*do isso, Sa/edoria não fa!o* m*ito, mas e!e -arecia m*ito
interessado em minhas rea1.es

5es!o%erto realidade

E* assisti como m*itos so!dados *e tinham sido -ara o to-o come1o* a descer a todos os níeis -ara a!iiar a*e!es *e
tinham indo a tomar s*a -osi1ão so/re essas erdades 8omo e!es fi4eram, cada níe! come1o* a /ri!har com a g!:ria *e
carregaam =ogo toda a montanha estaa come1ando a /ri!har com *ma g!:ria *e era cega -ara os a/*tres e os
dem;nios *e foram deixados =ogo haia tanta g!:ria *e a montanha come1o* a ter a mesma sensa1ão *e o Jardim
E* comecei a agradecer e !o*ar ao Senhor e imediatamente e* estaa em s*a -resen1a noamente >oi difíci! conter as
emo1.es e g!:ria *e estaa in*ndando o me* ser mais -rof*ndo A ex-eri<ncia se torno* tão intenso *e e* -arei A
sa/edoria estaa de -+ ao me* !ado 8o!ocar a mão no me* om/ro, e!e disse, "Goc< entra s*as -ortas com a1ão de gra1as,
se*s @trios com !o*or" "Mas isso foi tão rea!? E* senti como e* estaa !@ de noo", exc!amei "Goc< estaa !@",
res-onde* a Sa/edoria "Fão fico* mais rea!, mas oc< tem Assim como o Senhor disse ao !adrão na cr*4," Ho0e "oc<
estar@ comigo no -araíso, oc< -ode entrar no Paraíso a *a!*er momento 3 Senhor, Se* Paraíso, e esta montanha , são
todos -ermanece em :s, -or*e E!e est@ em oc< C*ais foram, mas anteci-a1.es antes são agora *ma rea!idade -ara
oc<, -or*e oc< tem s*/ido a montanha A ra4ão *e oc< -ode me er e o*tros não -odem não + -or*e oc< digito*
o de *a! e* ha/ito Esta + a rea!idade *e os -rofetas sa/iam *e !hes de* m*ita confian1a, mesmo *ando estaa
so4inho contra ex+rcitos "

A Armadilha -ort al

E*, então, o!ho* -ara a carnificina a seg*ir, e do ex+rcito de se retirar !entamente demoníaca Atr@s de mim mais do
g!orioso g*erreiros estaam constantemente a tomar se*s !*gares na montanha E* sa/ia *e era agora o s*ficiente -ara
atacar e destr*ir o *e restaa dessa horda de inimigos "Ainda não", disse Sa/edoria "3!ha !@" 3!hei na dire1ão em *e
e!e estaa
Então a-ontando,
e* -eg*ei mas tinha de
*m is!*m/re *emoimento
-roteger me*s o!hos
em *m da E*
a!e g!:ria
não*e emanafa4er
-oderia da minha
o *e-r:-ria armad*ra
e* estaa endo, -ara
-or*eeranada
g!:ria a
ser emitida a -artir de minha armad*ra tornaa difíci! er na esc*ridão Pedi Sa/edoria -ara me dar a!go -ara co/rir a
minha armad*ra com *e e* -*desse <!o E!e então me de* *ma corni0a m*ito sim-!es de co!ocar "3 *e + issoO"
Perg*ntei, *m -o*co ins*!tado -e!a s*a monotonia "H*mi!dade", disse Sa/edoria "Goc< não ser@ ca-a4 de er m*ito
/em sem e!e" Re!*tantemente e* co!oc@!o e imediatamente i m*itas coisas *e e* não -odia er antes 3!hei -ara o a!e
e do moimento *e e* tinha isto Para minha s*r-resa, ho*e *ma diisão inteira da horda inimiga *e estaa
es-erando -ara em/oscar a!g*+m *e se aent*ra da montanha "3 ex+rcito + issoO" E* -erg*ntei, "e como e!es esca-ar
da /ata!ha intactoO" "6sso + org*!ho", ex-!ico* Sa/edoria "6sso + o mais difíci! inimigo -ara er de-ois de ter sido na
g!:ria A*e!es *e se rec*sam a co!ocar essa ca-a ai sofrer m*ito nas mãos deste inimigo mais tort*osos" C*ando o!hei
-ara tr@s na montanha e* i m*itos dos g*erreiros g!oriosa traessia da -!anície -ara atacar os remanescentes do /ando
inimigo Fenh*m de!es estaa estindo o manto da h*mi!dade e não iam o inimigo *e estaa -ronto -ara atac@!os a
-artir de s*a retag*arda 8omecei a correr -ara det<!os, mas conteeme Sa/edoria "Goc< não -ode -arar isso", disse e!e
"S: os so!dados
er antes *e-ossa
*e oc< *sama0*dar
este manto ai reconhecer
a cond*4ir na grande s*a a*toridade
/ata!ha *e est@Genha comigo Existe a!g*ma coisa *e oc< dee
-or ir"

A /undação da :l;ria

Sa/edoria me !eo* a descer a montanha -ara o níe! mais /aixo, *e foi /ati4ada de "Sa!a1ão" "Goc< acha *e este + o
níe! mais /aixo", dec!aro* Sa/edoria ", mas este + o f*ndamento de toda a montanha Em *a!*er iagem, o -rimeiro
-asso + o mais im-ortante, e + gera!mente o mais difíci! Sem" Sa!ation "não haeria montanha " E* estaa horrori4ado
com a carnificina a este níe! 8ada so!dado foi m*ito ma! feridos, mas nenh*m de!es foram mortos M*!tid.es foram ma!
agarrado  /orda M*itos -areciam -rontos -ara cair a *a!*er momento, mas nenh*m o fe4 An0os estaam em toda
-arte ministrando aos so!dados com a!egria tão grande *e e* -erg*ntei, "Por *e e!es estão tão fe!i4esO" "Estes an0os
imos
irão ema /ree
coragem
ser *e e!e tee
c*rado, -arae!es
e então estes
ãosecontem-!ar
seg*rar E!es m*itasdonão
a g!:ria ter da
resto idomontanha
mais !onge,
, emas tam/+m
come1ar não Estes
a s*/ir desistem
serãoE!es
grandes g*erreiros -ara a /ata!ha *e ir@ " "Mas não teriam sido me!hor -ara s*/ir a montanha com o resto de n:sO" E*
-rotestei, endo a s*a condi1ão -resente "Teria sido me!hor -ara e!es, mas não -ara oc< Ao ficar a*i e!es tornaram
mais f@ci! -ara oc< s*/ir, mantendo a maior -arte do inimigo oc*-ado M*ito -o*cos dos níeis mais e!eados de
sem-re estende* a mão -ara a0*dar os o*tros a chegar  montanha, mas estes o fi4eram Mesmo *ando estes foram ma!
conseg*e se manterse a montanha, e!es iriam chegar -ara -*xar os o*tros -ara cima Fa erdade, a maioria dos
-oderosos g*erreiros foram !eados -ara a montanha -or estes fi+is Estes são os her:is não menos do *e a*e!es *e
chego* ao to-o E!es tro*xeram grande a!egria -ara o c+* -or contin*amente !eando o*tros a sa!a1ão >oi -or esta
ra4ão *e todos os an0os no c+* *is ir -ara ministrar a e!es, mas s: os mais honrados foram -ermitidos "Foamente e*
senti *ma ergonha terríe! em minha atit*de -ara com estes grandes santos M*itos de n:s des-re4ado como s*/imos
aos níeis mais e!eados E!es tinham cometido m*itos erros d*rante a /ata!ha, mas e!es tam/+m tinham a-resentado
mais de cora1ão do Pastor *e o resto de n:s 3 Senhor deixaria o QQ -ara ir atr@s de *em estaa -erdido Estes tinham
ficado
a0*dar,no
mas!*gar
nãoonde
sa/ia e!es
-or ainda
onde -oderiam a!can1ar osentão
come1ar Sa/edoria -erdidos,
disse5e"D
e!escerto
-agaram *m oc<
-ara *e -re1o*er
caroa0*dar,
-or isso
masE*oc<
tam/+m *eria
ai a0*dar
mais, indo -ara o *e oc< foi chamado -ara fa4er Estes serão c*rados e ra-idamente s*/ir a montanha E!es ão 0*ntar
se noamente na /ata!ha Estes são os destemidos *e n*nca ai rec*ar diante do inimigo "

O 6oder do Orgulho
E* estaa -ensando como descendente da montanha estaa me ensinando tanto *anto a esca!ada *e tinha, *ando o
r*ído do cam-o de /ata!ha chamo* minha aten1ão At+ agora, haia mi!hares de -oderosos g*erreiros *e tinham
atraessado a -!anície -ara atacar o resto da horda inimiga 3 inimigo estaa f*gindo em todas as dire1.es, exceto -ara a
diisão Pride, 8om-!etamente des-erce/idos, *e haiam marchado at+ a -arte traseira dos g*erreiros aan1ando, e
estaa -restes a !an1ar *ma ch*a de f!echas >oi então *e e* notei a -oderosos g*erreiros não tinham armad*ra em se*s
traseiros, e!es foram tota!mente ex-ostos e *!ner@eis ao *e estaa -restes a atingi!os Sa/edoria, em seg*ida,
comento*5 "Goc< tem ensinado *e não haia armas -ara a -arte traseira, o *e significaa *e oc< estaa *!ner@e! se
oc< fã do inimigo Fo entanto, oc< n*nca i* como e!e te fe4 *!ner@eis se aan1ado em org*!ho" E* s: -odia aceno
me* reconhecimento Era tarde demais -ara fa4er *a!*er coisa, e era ins*-ort@e! de assistir, mas Sa/edoria disse *e e*
deia Para me* es-anto, *ando as setas do org*!ho atingi* os g*erreiros *e nem -erce/e* Fo entanto, o inimigo
mantinha dis-aro 3s g*erreiros estaam sangrando e ficando mais fracas r@-ido, mas não reconhec<!o =ogo e!es eram
m*ito fracos -ara s*stentar se*s esc*dos e es-adas, e !an1o*os, dec!arando *e e!es não -recisaam mais de!es Então
e!es come1aram a deco!ar s*as armad*ras, di4endo *e não era mais necess@rio tam/+m Em seg*ida, *ma o*tra diisão
inimigo a-arece* e s*/i* ra-idamente >oi chamado Strong Be!*sion E!es !an1aram *ma ch*a de f!echas *e todos
/ater s*a marca
g*erreiros E*, E!es
g!oriosos então,foram
i* como a-enas
!eados -ara a!g*ns
cam-osdos
dedem;nios da diferentes,
-risioneiros i!*são !eo*cada
foranome
destadeo*trora grande ex+rcito
*ma do*trina diferentededos
dem;nios >i*ei im-ressionado com a forma como esta grande em-resa dos 0*stos haia sido tão com-!etamente
derrotados, e e!es ainda nem sa/ia o *e tinha atingi!os "8omo + *e a*e!es *e eram tão fortes, *e t<m sido todo o
caminho at+ o to-o da montanha, *e iram o Senhor, como e!es t<m, ser tão *!ner@e!O" E* dis-arei "3 org*!ho + o
inimigo mais difíci! de er, e e!e sem-re foge -ara cima atr@s de oc<", !amento* Sa/edoria "Be certa forma, a*e!es *e
t<m sido as maiores a!t*ras são em maior -erigo de cair Goc< dee sem-re !em/rar *e nesta ida oc< -ode cair a
*a!*er momento a -artir de *a!*er níe!" Aca*te!aios, *ando oc< -ensa *e oc< est@, -ara *e oc< não *eda,
"C*ando oc< -ensa *e + o menos *!ner@e! a *eda + de fato *ando oc< + o mais *!ner@e! A maioria dos homens
cai !ogo a-:s *ma grande it:ria"

4a%edoria (ara a Batalha

"8omo -odemos
">i*e -erto eitarcons*!tar
de mim, ser atacado como antes
o Senhor esteO"deE*tomar
-erg*ntei
decis.es im-ortantes, e manter esse manto, e *e o inimigo
n*nca -oder@ tomam conta de oc< como e!e fe4 esses" 3!hei -ara o me* manto Parecia tão sim-!es e insignificante E*
senti *e e!e me fe4 o!har mais como *ma -essoa semteto do *e *m g*erreiro Sa/edoria res-onde* como se e* tiesse
fa!ado em o4 a!ta5 "3 Senhor est@ mais -erto -ara os desa/rigados do *e -rínci-es Goc< s: tem a erdadeira for1a na
medida em *e oc< anda na gra1a de Be*s, e" E!e d@ a S*a gra1a aos h*mi!des  Fenh*ma arma do inimigo -ode
-enetrar este manto, -or*e nada -ode oer-oer S*a gra1a 8ontanto *e oc< este este manto oc< est@ seg*ro desse
ti-o de ata*e "
Então e* comecei a o!har -ara cima -ara er *antos g*erreiros ainda estaam na montanha >i*ei chocado ao er como
-o*cos ho*e E*, então, -erce/e* *e todos e!es tinham o manto mesmo na h*mi!dade "8omo isso acontece*O"
Perg*ntei "C*ando e!es iram a /ata!ha *e oc< assisti*, todos e!es ieram me -edir a0*da, e e* dei!hes os se*s
mantos," Sa/edoria res-onde* "Mas e* -ensei *e oc< fosse comigo esse tem-o todoO" "E* esto* com todos os *e
saem -ara fa4er a ontade do Pai," Sa/edoria res-onde* "Goc< + o Senhor?" E* chorei "Sim", e!e res-onde* "E* te disse
*e
-arae* n*nca
oc< iriaoc<
o *e deixar o* a/andonar
-recisa oc<
-ara rea!i4ar Esto*ontade,
a minha com todos os me*s
e oc< g*erreiros,
-recisaria assim como
de sa/edoria" E!ee* esto* comem
desa-arece* oc< Serei
seg*ida

6osição no eino

E* estaa de -+ es*erdo no meio da grande m*!tidão de an0os *e estaam ministrando aos feridos no níe! de
"Sa!a1ão" C*ando comecei a andar a-:s esses an0os, e!es se c*raram a *m 0oe!ho e me mostro* o maior res-eito E*
fina!mente -erg*ntei a *m de!es -or *e e!es fi4eram isso, como mesmo o menor era m*ito mais -oderoso do *e e*
"Por ca*sa do manto", res-onde* e!e "6sso + o mais a!to -osto no reino" "Este + a-enas *m manto sim-!es," e*
-rotestei "Fão?" o an0o -rotesto* "Goc< est@ estida com a gra1a de Be*s Fão h@ -oder maior do *e isso?" "Mas h@
mi!hares de n:s todos estindo o manto mesmo 8omo -oderia re-resentar rankO" Goc<s são os cam-e.es dread, os
fi!hos e fi!has do rei E!e *saa o manto mesmo *ando ando* nesta terra En*anto oc< est@ estido de *e não h@
-oder no c+* o* na terra *e -ode estar diante de oc<s Todo m*ndo em c+* e inferno reconhece *e manto Somos
Se*s seros,
*sando mas E!e
o manto, e se ha/ita
minha em oc<, e g!oriosa
armad*ra oc< est@haiam
estidosido
de S*a gra1a*e
ex-ostos, "Bea a!g*ma forma
dec!ara1ão do e* sa/ia
an0o, *ecom-ortamento
e se* se e* não estiesse
em
re!a1ão mim, -oderia ter rea!mente a!imentados me* org*!ho Era sim-!esmente im-ossíe! sentirse org*!hoso o*
arrogante, en*anto estindo como *m mon:tono, ca-a, sim-!es Fo entanto, a minha confian1a no manto foi crescendo
ra-idamente

O retorno dos Anjos


Em seg*ida, no hori4onte e* i *ma grande n*em /ranca *e se a-roxima Es-eran1a s*rgi* em mim a-enas -or <!o
E!e rea!mente enche* o am/iente com es-eran1a, assim como o so! nascente af*genta a esc*ridão da noite 8omo e!e
cresce* mais -erto e* reconheci as @g*ias grande /ranco *e tinha oado da Nrore da Gida E!es come1aram a
desem/arcar na montanha, tomando se* !*gar em todos os níeis, ao !ado das em-resas de g*erreiros E*
c*idadosamente e res-eitosamente se a-roximo* a @g*ia *e -o*so* -erto de mim, -or*e s*a -resen1a era tão incríe!
*ando e!e o!ho* -ara mim com se*s o!hos -enetrantes, e* sa/ia *e -oderia esconder nada de!e Se*s o!hos eram tão
fero4 e reso!*to *e e* tremia como arre-ios -ercorre*me a-enas o!har -ara e!es Antes *e e* -*desse -erg*ntar, e!e
me res-onde* "Goc< *er sa/er *em somos F:s somos os -rofetas oc*!tos, *e t<m sido mantidas -or esta hora F:s
somos os o!hos de *em foram dadas as armas diinamente -oderosas Temos sido mostrado t*do o *e o Senhor est@
fa4endo, e todos os *e o inimigo est@ -!ane0ando contra oc< Temos reo!eram a terra e, 0*ntos, n:s sa/emos t*do o
*e -recisa ser conhecido -ara a /ata!ha " "Goc< não i* a /ata!ha *e aca/o* de acontecerO" E* -erg*ntei com irrita1ão
tanto como e* se atree* a ex-ressar "Goc< não -odia ter a0*dado a*e!es g*erreiros *e foram a-enas !eados catiosO"
"Sim F:s!*tar
-odemos imos
nast*do, e n:s*e
/ata!has -oderíamos ter a0*dado,
os comandos Pai, e n:sses:
e!es-odemos
*eriama0*dar
isso Mas nossa
a*e!es a0*da
*e teria sido
acreditam em an:s
cont<!os
SomenteS:
a*e!es *e rece/emnos como *em somos, os -rofetas, -ode rece/er recom-ensa do -rofeta, o* o /enefício do nosso
seri1o A*e!es *e foram em/oscados ainda não tinha o manto *e oc< est@ estindo, e a*e!es *e não t<m o manto
não conseg*e entender *em somos F:s todos -recisamos *ns dos o*tros, inc!*sie estes a*i *e ainda estão feridos, e
m*itos o*tros *e oc< ainda não sa/e "

O 7oração da <guia

Ao fa!ar com a @g*ia *e comecei m*ito ra-idamente a -ensar como a @g*ia A-:s esta /ree disc*ssão e* -*desse er o
cora1ão da @g*ia e conhec<!o como se e!e me conhecia A @g*ia reconhece* isso
"Goc< tem a!g*ns dos nossos -resentes", o/sero* a @g*ia ", em/ora e!es não são m*ito /em deseno!idos Goc< não
tem *sado!os m*ito Esto* a*i -ara des-ertar esses -resentes em m*itos de oc<s, e -ara ensinar oc< a *s@!os Em
Besta forma
-ara não fa!arnossa com*nica1ão
em fa!ta ai tero-ort*nidades
m*itas grandes a certe4a Bee
deser certo"o* n:s todos sofremos m*itas -erdas desnecess@rias,
it:ria
"3nde + *e oc< s: eioO" E* -erg*ntei
"F:s comemos co/ras", res-onde* a @g*ia "3 inimigo + o -ão -ara n:s Fosso s*stento em de fa4er a ontade do Pai,
*e + -ara destr*ir as o/ras do dia/o Toda co/ra *e come a0*da a a*mentar a nossa isão Toda forta!e4a do inimigo
*e nos derr*/ar, nos forta!ece -ara *e -ossamos s*/ir mais a!to e ficar mais tem-o no ar Aca/amos de ir de *ma
festa, deorando as ser-entes de ergonha *e t<m o/rigado m*itos dos se*s irmãos e irmãs E!es estarão a*i em /ree
E!es estão indo com as @g*ias *e deixamos -ara tr@s -ara a0*d@!os a encontrar o caminho, e -ara -roteg<!os contra
ata*es do inimigo "
Estas @g*ias estaam m*ito seg*ros de si, mas não arrogante E!es sa/iam *em e!es eram, o *e e!es foram chamados a
fa4er E!es tam/+m nos conhecia e e!es sa/iam o f*t*ro S*a confian1a foi reconfortante -ara mim, mas mais ainda -ara
os feridos *e ainda estaam ao nosso redor A*e!es *e tinham sido recentemente m*ito fraco -ara fa!ar estiesse
sentado o*indo minha conersa com a @g*ia E!as o!haram -ara e!e como *ma crian1a -erdida ficaria a se* -ai *e tinha
aca/ado de encontr@!o
O 9ento do Es(8rito

C*ando a @g*ia o!ho* -ara o rosto do se* feridos m*do* tam/+m Fo !*gar da reso!*1ão fero4 e* tinha estado antes, em
dire1ão ao ferido, e!e era como *m -ano macio, a; com-assio de idade A @g*ia a/ri* s*as asas e come1o* a /at<!as
!eemente, mexendo at+ *ma /risa refrescante *e correram so/re os feridos Fão foi como *a!*er /risa *e e* n*nca
tinha sentido antes 8om cada res-ira1ão senti *e estaa ganhando for1a e c!are4a de es-írito =ogo os feridos estaam
em -+ e adorando a Be*s com sinceridade *e tro*xe !@grimas aos me*s o!hos Mais *ma e4 e* me sentia *ma ergonha
-rof*nda -or ter des-re4ado os *e -ermaneceram neste níe! E!es -areciam tão fraca e to!a -ara a*e!es de n:s *e
s*/iam a montanha, mas *e tinham sofrido m*ito mais do *e tiemos e se mantee fie! Be*s tinha g*ardado e e!es
amaam com *m grande amor
E* o!hei -ara a montanha7 todas as @g*ias foram genti!mente /atendo as asas Todos na montanha foi sendo at*a!i4ado
-e!a /risa
a!g*ma *e estaam
disc:rdia entre mexendo
a adora1ão-ara
*ecima,
estaae todos
indo na
de montanha estaa come1ando
diferentes níeis, a adorar
mas de-ois de o Senhor
*m tem-o todosFo
eminício
todoshaia
os
níeis estaa cantando em -erfeita harmonia F*nca na terra tinha o*i *a!*er coisa *e /onito E* n*nca *is *e
aca/asse =ogo e* reconheci como o mesmo c*!to *e tínhamos conhecido no Jardim, mas agora -arecia ainda mais
com-!eta e rica E* sa/ia *e era -or*e est@amos adorando na -resen1a de nossos inimigos, no meio da esc*ridão e do
ma! como *e cercaram a montanha, *e -arecia m*ito mais /onito
Fão sei se esse c*!to d*ro* horas, dias o* min*tos, mas, eent*a!mente, as @g*ias -aro* de /ater as asas e e!e -aro* "Por
*e oc< -aro*O" Perg*ntei a @g*ia *e e* tinha fa!ado
"Por*e e!es estão agora todo", e!e res-onde*, indicando os feridos *e estaam todos de -+ e -arecia estar em -erfeitas
condi1.es "A erdadeira adora1ão -ode c*rar *a!*er ferida", acrescento*
"Por faor fa4<!o noamente", e* im-!orei
"F:s amos fa4er isso m*itas e4es, mas não + -ara n:s a decidir *ando A /risa *e oc< senti* foi o Es-írito Santo, E!e
nos dirige7 F:s não direta E!e E!e c*ro* os feridos e come1o* a rea!i4ar a *nidade *e + necess@rio -ara as /ata!has
-e!a frente A erdadeira adora1ão tam/+m derrama o :!eo -recioso so/re a ca/e1a, Jes*s, *e então f!*i -or todo o
cor-o, tornandonos *m com E!e e *ns aos o*tros Fing*+m *e se torna *m com E!e -ermanecer@ feridos o* im*ndo
Se* sang*e + ida -*ra, e e!a f!*i *ando estamos *nidos a E!e C*ando estamos *nidos a E!e somos tam/+m se 0*nto*
ao resto do cor-o, de modo *e o se* sang*e f!*i atra+s de todas D *e não como oc< c*rar *m ferimento de se*
cor-o, fechando a ferida -ara *e o sang*e -ode f!*ir -ara o mem/ro ferido -ara tra4er regenera1ãoO C*ando *ma -arte
de Se* cor-o est@ ferido, deemos 0*ntarse em *nidade com essa -arte at+ *e este0a com-!etamente resta*rada Somos
todos *m Fe!e "
A e*foria
tinha do fa!ar,
o*ido c*!to mesmo
ainda estaa igente
*e e* tinha aconhec<!a
fim de *ee este ensinamento
ensino*me antes-o*co -arecia
C*ando ser a mais
o Es-írito Santo-rof*nda *e e*
moe* cada n*nca
-a!ara
-arecia g!orioso, inde-endentemente de como e!ementares *e era E!e tam/+m me enche* de tanto amor *e e* *eria
a/ra1ar todo m*ndo, inc!*indo as @g*ias fero4es de idade Então, como *m cho*e, e* me !em/rei dos g*erreiros a!entes
*e tinha aca/ado de ser ca-t*rado A @g*ia senti* isso, mas não disse nada E!e a-enas me o/seraa atentamente
>ina!mente, fa!o*5 "Podemos rec*-erar a*e!es *e estaam a-enas -erde*O"

O !oração ferido do ei

"Sim, + certo -ara oc< sentir o *e oc< fa4", a @g*ia disse fina!mente "F:s não estamos com-!etos, eo nosso c*!to não
est@ com-!eto, at+ *e todo o cor-o + resta*rada Mesmo no c*!to mais g!orioso, mesmo na -resen1a do Rei, todos n:s
amos sentir esse a4io at+ *e todos se0am *m, -or*e o nosso Rei tam/+m sente Todos n:s sentimos dor -ara os
nossos irmãos em catieiro, mas entristece ainda mais -ara o cora1ão do nosso Rei Assim como oc< ama todos os se*s
fi!hos, mas t<m
o-rimidos seriamais
tristede-ara
s*a oaten1ão
*e estaa doente
agora o* ferido,
Por ca*sa de!e, E!e
não tam/+m
deemosama todos
desistir at+os*e
Se*s fi!hos,
todos masrec*-erados
foram os feridos e
En*anto ho*er a!g*m ferido, E!e est@ ferido "

/é que move montanhas

Sentado -e!a @g*ia, -ensei -rof*ndamente so/re o *e e!e disse Por fim, -erg*ntei5 "E* sei *e a Sa/edoria agora fa!ame
atra+s de oc<, -or*e e* o*1o s*a o4 *ando oc< fa!a E* estaa tão seg*ro de mim mesmo antes *e a 2!tima
/ata!ha, mas e* estaa *ase !eado com a mesma -res*n1ão de *e e!es foram rea!i4ados com a distKncia, e -oderia
m*ito faci!mente ter sido ca-t*rado com e!es se não tiesse -arado Sa/edoria mim E* estaa saindo do :dio -ara o
inimigo mais do *e *erendo definir me*s irmãos !ire, a-esar de *e fa4ia -arte da minha motia1ão Besde a -rimeira
inda a esta montanha, e !*tando na grande /ata!ha, agora -enso *e a maioria das coisas certas *e e* fi4, e* fi4 -ara as
ra4.es erradas, e m*itas das coisas erradas *e e* fi4, e* tinha /ons motios -ara C*anto mais a-rendo, mais inseg*ro de
mim
"Goc<mesmo
dee tere*sido
me com
sintosa/edoria
" *m !ongo tem-o", res-onde* a @g*ia
"E!e estaa comigo h@ m*ito tem-o antes *e e* comecei a reconhec<!o, mas esto* com medo de *e a maioria desse
tem-o e* estaa resistindoo Be a!g*ma forma agora e* sei *e e* so* ainda fa!ta a!go m*ito im-ortante, a!go *e e*
deo ter antes de e* ir -ara a /ata!ha noamente, mas e* não sei o *e + "
3!hos a grande @g*ia torno*se mais -enetrante do *e e* 0@ tinha isto como e!e res-onde*5 "Goc< sa/e tam/+m a o4
da Sa/edoria *ando E!e fa!a com oc< em se* -r:-rio cora1ão Goc<s estão a-rendendo /em, -or*e oc< tem o manto
3 *e oc< est@ sentindo agora + a erdadeira f+ "
"A f+?" E* atirei -ara tr@s "Esto* fa!ando de s+rias d2idas"
"Goc< + s@/io -ara d*idar de si mesmo Mas a erdadeira f+ não de-ende de Be*s, a si mesmo, e não a s*a f+ Est@ -erto
do ti-o de f+ *e -ode moer esta montanha, e mo<!o dee D
+ hora de !e@!o a !*gares *e não tem ido antes Fo entanto, oc< est@ certo Goc< ainda est@ fa!tando a!go m*ito
im-ortante Goc< dee ter ainda *ma grande ree!a1ão do rei Mesmo *e oc< tenha s*/ido -ara o to-o da montanha, e
rece/e* de todae tenho
incondiciona!, a erdade
istoaom*itas
!ongoe4es
do caminho,
Se* >i!hoe agora,
mesmooc<
*eainda
oc< a-enas
estaa no 0ardim*ma
entender de Be*s,
-arte -roo*
de todo do Se* amorde
o conse!ho
Be*s, e *e a-enas s*-erficia!mente "
E* sa/ia *e isso era tão erdade *e foi m*ito reconfortante o*ir "E* tenho 0*!gado tantas -essoas e tantas sit*a1.es
de forma errada isdom sa!o* minha ida m*itas e4es agora, mas a o4 da Sa/edoria ainda + *ma o4 m*ito -e*ena
dentro de mim, eo c!amor de me*s -r:-rios -ensamentos e sentimentos são ainda demasiado a!to  3*1o sa/edoria
fa!ando atra+s de oc< m*ito mais a!to do *e e* o*i!o em me* -r:-rio cora1ão, então e* sei *e deo ficar m*ito
-erto de oc< "
"Estamos a*i -or*e oc<s -recisam de n:s", res-onde* a @g*ia "F:s tam/+m estamos a*i -or*e -recisamos de
oc< Goc< rece/e* dons *e e* não tenho, e tenho rece/ido os -resentes *e oc< não tem Goc< tem coisas ex-erientes
*e e* não tenha ex-erimentado, e e* tenho coisas *e oc< ex-erimento* não conhecido As @g*ias foram dadas a oc<
at+ o fim, e oc< tem sido dado a n:s >icarei m*ito -erto de oc< -or *m tem-o, e então oc< dee rece/er o*tras @g*ias
em me* !*gar Toda @g*ia + diferente D em con0*nto *e nos foi dado a conhecer os segredos do Senhor, e não
indiid*a!mente "

As (ortas de verdade

A @g*ia então !eantado da rocha so/re a *a! e!e haia sido em-o!eirado, e dis-araram so/re a /orda do níe! em *e
est@amos "Genha", disse e!e C*ando me a-roximei de!e e* i -assos *e !earam at+ a /ase da montanha m*ito Haia
*ma -e*ena -orta
"Por *e e*
"C*ando nãoeio
oc< i isso
-e!aantesO" E*e4
-rimeira -erg*ntei
-ara a montanha oc< não ficar neste níe! o tem-o s*ficiente -ara o!har em o!ta,"
e!e res-onde*
"8omo oc< sa/ia *eO Goc< estaa a*i *ando e* cheg*ei  montanhaO"
"E* teria conhecido se não tiesse sido a*i, -or*e todos os *e -erca esta -orta fa4<!o -e!a mesma ra4ão, mas na
erdade e* estaa a*i", res-onde* e!e "E* era *m dos so!dados *e -assaram tão ra-idamente em se* caminho at+ a
montanha"
>oi então *e e* reconheci a @g*ia como *m homem *e e* haia conhecido !ogo de-ois da minha conersão, *e e*
tinha rea!mente tinha a!g*mas conersas com E!e contin*o*5 "E* *eria ma! a seg*i!o então E* tinha sido a este níe!
-or tanto tem-o *e e* -recisaa de *ma m*dan1a E* sim-!esmente não -odia deixar todas as a!mas -erdidas *e e*
ainda estaa tentando !ear a*i C*ando e* fina!mente com-rometidos me a fa4er a ontade do Senhor, se era -ara ficar
o* ir, Sa/edoria a-arece* -ara mim e mostro*me esta -orta E!e disse *e era *m ata!ho -ara o to-o D assim *e e*
cheg*ei ao to-o, antes *e oc< fe4, e foi m*dado em *ma @g*ia "
=em/reime entãoes-antado
de!as e !em/rese *e e* tinha isto
como e* -ortas como
tinha sido estao em
com *e*m -ar não
i E* dos se
níeis, e* tinha
aent*rar emmesmo
*a!*er*ma
*maes-iada em *m!onge,
de!as m*ito -ar
-or*e e* estaa tão concentrado na /ata!ha e tentar chegar ao to-o da montanha "E* -oderia ter entrado nenh*ma
dessas -ortas e foi direto ao to-oO" E* -erg*ntei
"E!e não + tão f@ci!", comento* a @g*ia, -arecendo *m -o*co irritado "Em cada -orta h@ maneiras de -assagem, *m dos
*e !ea ao to-o" 3/iamente sa/er minha -r:xima -erg*nta, e!e contin*o* "3s o*tros !eam a o*tros níeis na
montanha 3 Pai -ro0etados cada *m de modo *e todos -*dessem esco!her o *e se* níe! de mat*ridade dito* *e e!es
-recisaam"
"6ncríe!? 8omo E!e fe4 issoO" E* -ensei -ara mim mesmo, mas a @g*ia o*i* me*s -ensamentos
">oi m*ito sim-!es", contin*o* a @g*ia como se e* tiesse fa!ado o me* -ensamento em o4 a!ta "A mat*ridade
es-irit*a! + sem-re determinado -e!a ontade de *m a sacrificar se*s -r:-rios dese0os -ara os interesses do reino o* -ara
o /em dos o*tros"
E* estaa o/serando atentamente t*do o *e foi dito Be a!g*ma forma e* sa/ia *e e* deo entrar na -orta antes de
mim, e *e seria
o/iamente tinha-r*dente
esco!hido-ara e* a-render
a -orta t*do
certa -ara o *e e* -oderia -artir de a!g*+m *e tinha estado !@ antes e
o to-o
"E* não ir diretamente ao to-o, e nem e* encontrei a!g*+m *e tem", a @g*ia contin*o* "Mas e* f*i !@ m*ito mais r@-ido
do *e a maioria, -or*e e* tinha a-rendido m*ito so/re o a*tosacrifício en*anto !*ta a*i no níe! de" Sa!a1ão "
Tenhoos mostrado esta -orta -or*e oc< estir o manto e teria encontrado de *a!*er maneira, mas o tem-o + c*rto
e e* esto* a*i -ara a0*d@!o a amad*recer ra-idamente Existem -ortas em todos os níeis, e cada *m !ea a teso*ros *e
estão a!+m de se* com-reensão E!es não -odem ser ad*iridos fisicamente, mas todos os teso*ros *e oc< tem em s*as
mãos, oc< ser@ ca-a4 de manter em se* cora1ão 3 se* cora1ão foi feito -ara ser a casa do teso*ro de Be*s Mas o
tem-o oc< chegar ao to-o noamente, a s*a cora1ão ir@ conter teso*ros mais a!iosos do *e todos os teso*ros de toda
a terra E!es n*nca ser@ tirado de oc<, mas e!es são se*s -ara a eternidade, -or*e oc< + Be*s G@ ra-idamente As
n*ens de tem-estade agora estão re*nidos, ea grande /ata!ha est@ -r:ximo "
"Goc< ai comigoO" 6m-!orei
"Fão", e!e res-onde* "A*i + onde e* -erten1o agora Tenho m*ito a fa4er -ara a0*dar essas *e foram feridos Mas e*
o* te er a*i
de a0*d@!o noamente
me!hor Goc<
do *e e* ai encontrar
no !*gar m*itos
onde oc< dos me*s
se encontra irmão
com e!es e" irmã @g*ias antes de o!tar, e e!es serão ca-a4es

Os Tesouros do 7éu

E* 0@ amaa a*e!a @g*ia tanto *e e* ma! -odia s*-ortar deix@!o >i*ei contente de sa/er *e e* iria <!o noamente
Agora a -orta estaa desenhandome como *m ímã A/ri e entro* A g!:ria *e i era tão im-ressionante *e e*
imediatamente caí de 0oe!hos As -edras de o*ro, -rata e -reciosas eram m*ito mais /onitas do *e *a!*er coisa *e e*
0@ tinha isto na terra A sa!a era tão grande *e -arecia não ter fim 3 chão era de -rata, o o*ro -i!ares, eo teto era de
diamante -*ro *e emitido a cada cor *e e* 0@ tinha conhecido e m*itos *e e* não tinha conhecido An0os sem n2mero
estaam -or toda -arte, tra0ando estes diferentes e *niformes *e não eram de srcem terrestre
C*ando comecei a andar -e!a sa!a, os an0os todos se c*raram em sa*da1ão Im -asso  frente e sa*do*me -e!o nome
E!e ex-!ico* *e e* -oderia ir a *a!*er !*gar e er *a!*er coisa *e e* *eria no *arto Fada foi retido -or a*e!es
*e ieram atra+s da -orta
E* não -odia nem fa!ar *e e* estaa tão o-rimido -e!a /e!e4a >ina!mente comento* *e esta era ainda mais /onito do
*e o Jardim tinha sido S*r-reso, o an0o res-onde*5 "Este + o Jardim? Este + *m dos *artos na casa de se* -ai Somos
te*s seros"
En*anto caminhaa, *ma grande com-anhia de an0os me seg*i* E* me irei e -erg*ntei o !íder -or *e e!es estaam
seg*indo "Por ca*sa do manto", disse e!e "Temos sido dado a oc<, -ara atend<!o a*i e na /ata!ha -or ir"
E* não sa/ia o *e fa4er com os an0os, então e* s: contin*o* a andar E* estaa atraído -or *ma grande -edra a4*! *e
-arecia ter da
da Nrore o so! e asE*
Gida n*ens
senti dentro de!e
a energia, C*ando
c!are4a to*eio
menta! mesmo
grande, sentimento
e amor -ara todosin*ndo*me como
e t*do *e est@ *ando
sendo e* comiE*o fr*to
am-!iada
comecei a contem-!ar a g!:ria do Senhor C*anto mais tem-o e* to*ei a -edra mais a g!:ria maior E* n*nca *is -egar
minha mão fora da -edra, mas a g!:ria fico* tão intenso *e e* tie *e desiar o o!har
Então me*s o!hos caíram so/re *ma /e!a -edra erde "3 *e *m tem ne!eO" E* -erg*ntei ao an0o *e estaa nas
-roximidades
"Todas essas -edras são os teso*ros da sa!a1ão Goc< agora est@ tocando o reino ce!estia!, e *e *m + a resta*ra1ão da
ida", contin*o* e!e
8omo e* to*ei a -edra erde, comecei a er a terra em cores ricas e es-etac*!ares E!es cresceram em ri*e4a *anto
mais tem-o e* tinha a minha mão so/re a -edra, e me* amor -or t*do o *e e* i cresce* Então e* comecei a er *ma
harmonia entre todos os seres ios em *m níe! *e e* n*nca tinha isto antes Então e* comecei a er a g!:ria do
senhor na cria1ão E!e come1o* a crescer at+ *e noamente e* tie *e desiar -or ca*sa da intensidade
Então e* -erce/i *e e* não tinha id+ia de *anto tem-o e* tinha estado !@ E* sa/ia *e minha com-reensão de Be*s e
Se* *nierso
na*e!a tinha
sa!a *m docrescido
*e *mas*/stancia!mente
-essoa -oderia ter-or a-enas tocar
a/sorido estasida
em *ma d*asinteira
-edras, e haia m*itos,
"C*antos m*itosestão
mais *artos mais!@O"
Haia
E* mais
-erg*ntei ao an0o
"H@ sa!as como esta em todos os níeis da montanha *e oc< esca!o*"
"8omo a!g*+m -ode sem-re ex-erimentar t*do o *e + em a-enas *ma destas sa!as, m*ito menos todos e!esO" E*
-erg*ntei
"Goc< tem sem-re de fa4er isso 3s teso*ros contidos nas erdades mais /@sicas do Senhor Jes*s são s*ficientes -ara
d*rar -or m*itos de s*as idas -resentes Fenh*m homem -ode sa/er t*do o *e h@ -ara sa/er so/re *a!*er *m de!es
em a-enas *ma ida, mas oc< dee tomar o *e oc< -recisa e manter -rocesso em dire1ão a se* destino "
8omecei a -ensar so/re a /ata!ha iminente de noo, e os g*erreiros *e haiam sido ca-t*rados Fão era *m -ensamento
agrad@e! em *m !*gar tão g!orioso, mas e* sa/ia *e teria sem-re de o!tar a esta sa!a, e s: tee -o*co tem-o -ara
encontrar me* caminho de o!ta -ara o to-o da montanha, e de-ois o!tar -ara a /ata!ha a -artir de noo
Gireime -ara o an0o "Goc< dee me a0*dar a encontrar a -orta *e !ea ao to-o"
3 an0o o!ho*
mist+rio -er-!exo,
-ara n:s "n:s somos
F:s todos te*s
dese0ado seros",
o!har e!e res-onde*5
-ara este "mas oc<
grande mist+rio, dee !earnos
mas de-ois Esta montanha
*e sair desta inteirair+ a*m
sa!a *e temos
conhecer *m -o*co so/re, estaremos a-rendendo ainda mais do *e oc< "
"Goc< sa/e onde todas as -ortas estãoO" E* -erg*ntei
"Sim, mas não sa/emos onde e!es !eam H@ a!g*ns *e -arecem m*ito conidatio, e a!g*mas *e são sim-!es, e a!g*ns
*e são rea!mente re-*!sio Im de!es + mesmo terríe!"
"Feste !*gar, h@ -ortas *e são re-*!siosO" E* -erg*ntei, incr+d*!o "E a*e!e *e + terríe!O 8omo -ode ser issoO"
"F:s não sa/emos, mas -osso mostr@!o -ara oc<", e!e res-onde*
"Por faor", e* disse
Andamos -or *m /om tem-o, -assando teso*ros indi4íeis, as *ais e* tinha grande dific*!dade não -arar de tocar Haia
tam/+m m*itas -ortas, com diferentes erdades /í/!icas so/re cada *m C*ando o an0o tinha cham@!os de "conidar" E*
senti *e e!e tinha /astante discreto s*a a-e!a1ão E* *eria m*ito -assar -or cada *m, mas a minha c*riosidade so/re a
"-orta terríe!" me mantee em moimento Então e* i "Terri/!e" tam/+m tinha sido *m e*femismo 3 medo tomo*
conta de mim -ara *e me tiro* o f;!ego
:raça e 9erdade

Go!teime !onge da -orta e rec*o* ra-idamente Haia *ma -edra erme!ha /onita nas -roximidades, *e e* *ase sa!to*
em dire1ão a co!ocar minhas mãos ne!e 6mediatamente e* estaa no Jardim do 9ets<mani contem-!ando o Senhor na
ora1ão A agonia i foi ainda mais terríe! do *e a -orta *e e* tinha aca/ado de er 8hocado, e* em-*rro* minha mão
da -edra e cai* no chão, exa*sto E* *eria m*ito o!tar -ara as -edras a4*is o* erdes, mas e* tie *e re*niria a minha
energia e senso de dire1ão 3s an0os foram ra-idamente ao me* redor me serindo Beramme *ma /e/ida, *e come1o*
a me reanimar =ogo e* estaa me sentindo /em o s*ficiente -ara !eantar e come1ar a caminhar de o!ta -ara as o*tras
-edras Fo entanto, a isão recorrente do Senhor orando me o/rigo* a -arar
"3 *e foi a*i!o !@ atr@sO" E* -erg*ntei
"C*ando oc< toca as -edras *e somos ca-a4es de er *m -o*co do *e oc< er, e sentir *m -o*co do *e oc<
sente", disse o an0o "Sa/emos *e todas essas -edras são grandes teso*ros, e todas as ree!a1.es *e e!es cont<m são
inestim@eis 8ontem-!amos -or *m momento a agonia do Senhor antes de S*a cr*cifica1ão, e sentimos /reemente o
*e E!e senti* na*e!a noite terríe! D difíci! -ara n:s com-reender como o nosso Be*s 0amais -oderia sofrer assim >a4
nos a-reciar m*ito mais a honra *e + seri!o a *em E!e fe4 isso -ara "
3s an0os -a!aras eram como raios direto -ara minha a!ma E* tinha !*tado na grande /ata!ha E* tinha s*/ido ao to-o
da montanha E* tinha me tornado tão fami!iar com o reino es-irit*a! *e e* *ase não notei an0os mais, e e* -oderia
fa!ar em termos *ase ig*ais com as grandes @g*ias, mas e* não -odia s*-ortar a com-arti!har nem -or *m momento dos
sofrimentos
"E*, mais dode*eme* rei semmerecem
ning*+m, *erer f*gir
ser -ara *ma ex-eri<ncia
*m -risioneiro mais agrad@e! "E* não deeria estar a*i", e* *ase gritei
do ma!igno?"
"Sir", o an0o disse *ase timidamente "F:s entendemos *e ning*+m est@ a*i -or*e e!es merecem Goc< est@ a*i
-or*e oc< foi esco!hido antes da f*nda1ão do m*ndo -ara *m -ro-:sito Fão sa/emos o *e s*a fina!idade +, mas
sa/emos *e + m*ito grande -ara todos no esta montanha "
"3/rigado Goc< + o mais 2ti! Minhas emo1.es estão sendo m*ito esticada -or este !*gar, e e!es tendem a s*-erar o me*
entendimento Goc< est@ certo Fing*+m est@ a*i -or*e e!es são dignos Gerdadeiramente, o mais s*/imos na montanha
, o mais indigno *e deemos estar !@, e *anto mais a gra1a *e -recisamos -ara -ermanecer !@ 8omo + *e e* *m dia
chegar ao to-o -e!a -rimeira e4O "
"9race", me* an0o res-onde*
"Se oc< *er me a0*dar", então e* disse5 "-or faor, contin*e re-etindo essa -a!ara -ara mim sem-re *e oc< me er
em conf*são e deses-ero Essa -a!ara e* esto* come1ando a entender me!hor do *e *a!*er o*tro, e sem-re tra4
grande i!*mina1ão a minha a!ma "
"Agora deo o!tar
esto* carregando -ara teso*ro
a*e!e a -edra erme!ha Sei agorae**e
em me* cora1ão", + ocom
disse maior teso*ro
mais nestaem
reso!*1ão sa!a,minhas
e e* não deo deixar
-a!aras do *eat+
e**e
sentie*em
me* cora1ão na*e!a +-oca, mas e*, no entanto, sa/ia *e era erdade "

A 9erdade da :raça

3 tem-o *e -assei na -edra erme!ha foi a mais do!orosa *e e* 0@ ex-erimentei M*itas e4es e* sim-!esmente não
agLentaa mais, mas tee de retirar a minha mão G@rias e4es e* o!tei -ara as -edras a4*is o* erdes -ara re0*enescer a
minha a!ma antes *e e* o!tasse >oi extremamente difíci! -ara o!tar  -edra erme!ha a cada e4, mas me* amor e
gratidão -or o Senhor estaa crescendo atra+s deste mais do *e *a!*er coisa *e e* 0@ tinha a-rendido o*
ex-erimentado
>ina!mente, *ando a -resen1a do Pai -arti* de Jes*s na cr*4, e* não agLentaa mais E* -arei E* -oderia di4er *e os
an0os, *e tam/+m estaam ex-erimentando o *e e* estaa, estaam de -!eno acordo A for1a de ontade -ara tocar a
-edra de noo, sim-!esmente
chão chorando so/re o *e o não estaa
Senhor em mim
-asso* E* nemchorei,
E* tam/+m se*er -or*e
ontadee*desa/ia
ir de*e
o!ta -aradesertado
tinha a -edra a4*!
como E*Se*s
deitei no
discí-*!os E* fa!hei *ando E!e -recisaa de mim o mais, assim como e!es fi4eram
Be-ois do *e -arece* @rios dias, a/ri os o!hos 3*tra @g*ia estaa de -+ ao me* !ado Fa frente de!e estaam tr<s
-edras, *m a4*!, *m erde e *m erme!ho "8om<!os", disse e!e C*ando e* fi4, todo o me* ser foi renoado, e am/os
*ma grande a!egria e grande so/riedade in*ndo* minha a!ma
C*ando me !eantei, i dos mesmos tr<s -edras co!ocadas no -*nho da minha es-ada, e de-ois em cada *m dos me*s
om/ros "Estes são agora se* -ara sem-re", disse a @g*ia "E!es não -odem ser tomadas de oc<, e oc< não -ode -erd<
!os"
"Mas e* não terminar este 2!timo," e* -rotestei
"8risto n*nca ai terminar esse teste", e!e res-onde* "Goc< fe4 /em, mas oc< dee ir agora"
"3ndeO" E* -erg*ntei
"Goc< dee decidir, mas com o tem-o ficando mais c*rtos E* o* s*gerir *e oc< tente chegar ao to-o em /ree",
res-onde* a @g*ia como
Então !em/reime e!e -arti*
as -ortas em *ma
E* comecei -ressa :/ioem dire1ão s -ortas *e tinham sido tão atraente C*ando
imediatamente
cheg*ei ao -rimeiro *e sim-!esmente não me atraem mais Então e* f*i -ara o*tro, e sentia o mesmo "A!g*ma coisa
-arece ter m*dado", comentei em o4 a!ta
"Goc< m*do*", a tro-a inteira de an0os res-onde* de *ma e4 E* me irei -ara o!har -ara e!es e fi*ei s*r-reso com o
*anto e!es tinham m*dado E!es não tinham mais o o!har ing<n*o *e tinham antes, mas agora estaam mais im-onente
e s@/io /onito do *e *a!*er *m dos an0os *e e* tinha isto E* sa/ia *e e!es ref!etiam o *e haia ocorrido tam/+m
em mim, mas agora e* me senti desconfort@e! s: de -ensar so/re mim mesmo
"Pe1o -ara o se* conse!ho", e* disse ao !íder
"3*1a se* cora1ão", disse e!e "6sso + o !*gar onde estas grandes erdades agora c*m-rir"
"E* n*nca f*i ca-a4 de confiar em me* -r:-rio cora1ão", res-ondi "E!e est@ s*0eito a tantas i!*s.es, enganos e am/i1.es
egoístas, *e + difíci! at+ mesmo o*ir o Senhor fa!ando comigo so/re o c!amor de!a"
"Senhor, com a -edra erme!ha agora em se* cora1ão, e* não acredito *e contin*ar@ a ser o caso", o !íder oferecido com
confian1a incom*m Be/r*ceime contra a -arede, -ensando *e
a @g*ia não estaa a*i *ando e* -recisaa de!e mais E!e haia sido assim antes e *e sa/eria *a! -orta esco!her Ao
-onderar, a "-orta terríe!" foi o 2nico *e e* -oderia imaginar Por c*riosidade reso!i o!tar e o!har -ara e!e E* tinha
-artido de!e tão r@-ido a -rimeira e4 *e e* não tinha notado *e a erdade *e re-resentaa
C*ando me a-roximei e!e e* -odia sentir o medo /rotando dentro de mim, mas não tão r*im *anto a -rimeira e4 Em
grande contraste com os o*tros, estaa m*ito esc*ro em torno desta -orta, e e* tinha *e chegar m*ito -erto -ara !er a
erdade so/re e!e Im -o*co s*r-reso, e* !i o tri/*na! de 8risto "Por *e isso + erdade tanto medoO" E* -erg*ntei em
o4 a!ta, sa/endo *e os an0os não iria res-onderme 8omo e* o!hei -ara e!e *e e* sa/ia *e era o *e e* deeria
-assar
"H@ m*itas ra4.es *e + temeroso", a o4 fami!iar da @g*ia res-onde*
"Esto* fe!i4 *e oc< o!to*", e* res-ondi "J@ fi4 *ma esco!ha r*imO"
"Fão? Goc< tem esco!hido /em Esta -orta ai !e@!o de o!ta -ara o to-o da montanha mais r@-ido do *e *a!*er
o*tro D terríe!, -or*e o maior medo na cria1ão tem a s*a fonte atra+s de *e o medo -ortasanto de Be*s 3 maior
sa/edoria *e os homens -odem sa/er nesta ida o* na ida f*t*ra, são encontradas -or essas -ortas, mas m*ito -o*cos
ai -assar -or e!es "
Mas -or *e essa -orta tão esc*roO "E* -erg*ntei
"A !*4 destas -ortas ref!ectem a aten1ão *e a igre0a est@ at*a!mente dando s erdades -or tr@s de!es A erdade -or tr@s
da*e!a -orta + *m dos mais neg!igenciados destes tem-os, mas + *m dos mais im-ortantes Goc< ai entender *ando
oc< entrar A maior a*toridade *e os homens -odem rece/er somente ser@ confiada a *em ai -assar -or esta -orta
C*ando oc< < Jes*s 8risto sentado em se* trono, oc< tam/+m estar@ -re-arado -ara se sentar com e!e so/re e!a "
"Então,
"6sso est@esta -orta não
correto Se osseria tão esc*ro
homens e -roi/indo
so*/essem a g!:riase*e
ti+ssemos
+ ree!adaaca/ado
-or tr@sdeda*e!a
dar mais aten1ão
-orta, seriaa*m
estados
erdadeO"
mais /ri!hantes",
!amento* a @g*ia "Fo entanto, ainda + *ma -orta difíci! de -assar Bisseramme -ara o!tar e incenti@!o -or*e em
/ree oc< ai -recisar de!e Goc< er@ *ma maior g!:ria, mas tam/+m *ma maior terror do *e oc< 0@ sa/e Mas sei *e
-or ca*sa oc< esco!he* o caminho difíci! agora, ser@ m*ito mais f@ci! -ara oc< mais tarde Por*e oc< est@ dis-osto a
enfrentar essa d*ra erdade agora, oc< não ai sofrer -erda mais tarde amor M*itos conhecer a S*a /ondade, mas m*ito
-o*cos estão dis-ostos a conhecer o Se* graidade Se oc< não sa/e o tanto *e oc< estar@ sem-re em -erigo de
engano e *ma *eda de S*a grande gra1a "
"E* sei *e e* n*nca -oderia ir a*i se e* não tiesse -assado o tem-o *e e* fi4 na -edra erme!ha 8omo e* -oderia
contin*ar a tentar tomar o caminho mais f@ci! *ando, *e + tão contr@rio  nat*re4a do SenhorO"
"Mas agora *e oc< esco!he*, então @ ra-idamente 3*tra grande /ata!ha est@ -restes a come1ar, e oc< são necess@rios
na frente"

O Tri%unal de 7risto
3!hei *ma 2!tima e4 em torno do interior enorme sa!a da montanha 3s teso*ros da erdade da Sa!a1ão foram
mantidos a*i Parecia *e não haia fim  s*a extensão o* /e!e4a E* não -oderia imaginar *e os *artos, *e continha
as erdades o*tros grandes da f+ -oderia ser mais g!orioso 6sso me a0*do* a entender -or*e n*nca tantos 8hristian *is
deixar este !*gar As gemas grandes *e re-resentaram os diferentes as-ectos da Sa!a1ão todos exa!aa *ma g!:ria m*ito
a!+m de *a!*er /e!e4a terrena >oi marai!hoso a!+m de *a!*er descri1ão, e e* sa/ia *e e* -oderia ficar a*i -or toda
a eternidade e n*nca se cansar
A @g*ia *e estaa de -+ ao me* !ado *ase grito*5 "Goc< tem *e contin*ar?" Em seg*ida, mais ca!ma, contin*o* e!e,
"Fão h@ maior -a4 e seg*ran1a do *e a c*m-rir na sa!a1ão do Senhor Goc< foi tra4ido a*i -ara sa/er isso -or*e
oc< ai -recisar de!e onde oc< est@ indo agora Mas oc< não dee ficar a*i -or mais tem-o"
Bec!ara1ão da @g*ia so/re a -a4 e seg*ran1a toco* em a!go em mim E* -ensei so/re os g*erreiros cora0osos *e !*taram
na /ata!ha do -rimeiro níe! da montanha, "Sa!ation" Haiam !*tado tão /em e entreg*e tantos, mas e!es tam/+m
tinham
"Be*s temsido*ma
graemente
defini1ãoferido Então
diferente de a-a4
@g*ia noamente
e seg*ran1a dointerrom-e*
*e n:s Ser me*s
ferido-ensamentos
na !*ta + *macomo se honra
grande estiesse
D o*indoos
-or isso *e
o a-:sto!o Pa*!o se ang!orio* de s*a es-ancamentos e a-edre0amentos Fão h@ coragem se não ho*er -erigo rea! 3
Senhor E!e disse *e iria com Jos*+ !*tar -e!a Terra Prometida, mas mais e mais exorto*o a ser forte e cora0oso, -or*e
e!e ia ter *e !*tar, e não haeria -erigo D desta forma *e o Senhor -roa a*e!es *e são dignos das -romessas, e!es
amam a Be*s e S*a dis-osi1ão mais do *e s*a -r:-ria seg*ran1a 8oragem + *ma demonstra1ão da erdadeira f+ 3
Senhor n*nca -romete* *e se* caminho seria f@ci!, mas a!eria a -ena A coragem da*e!es *e !*taram de o níe! de
Sa!a1ão m*do* os an0os do c+* -ara a estima *e Be*s tem feito na ra1a caída dos homens =earam s*as feridas no
ata*e terríe!, mas e!es não desistiram, e não retiro Mesmo assim, esca!ando a montanha oc< fosse ca-a4 de !*tar com
*ma a*toridade *e, em 2!tima an@!ise !i/erto* as a!mas ainda mais M*itas a!mas mais ai encher estas sa!as, -ara grande
a!egria do c+*, se oc< ir em frente "
E*, então, se iro* e o!ho* -ara a -orta esc*ra e -roi/itia so/re a *a! estaa escrito5 3 Tri/*na! de 8risto Assim como
o ca!or e -a4 in*ndaram a minha a!ma cada e4 *e o!haa -ara a -orta T*do em mim *eria ficar nesta sa!a, e nada em
mim *eria ir -or a*e!a -orta Foamente a @g*ia res-onde* me*s -ensamentos
"Antes de entrar -e!a -orta a *a!*er grande erdade oc< ai ter esses mesmos sentimentos Goc< ainda se sentia assim
*ando oc< entro* nesta sa!a -ara os teso*ros da sa!a1ão Esses temores são o res*!tado da *eda E!es são o fr*to da
Nrore do 8onhecimento do em e do Ma! 3 conhecimento de *e a @rore nos fe4 todos inseg*ro e egoc<ntrico 3
conhecimento do /em e do ma! fa4 com *e o erdadeiro conhecimento de Be*s -arece temeroso, *ando na erdade
toda a erdade a -artir de acima cond*4 a *ma -a4 ainda maior e seg*ran1a Mesmo os 0*í4os de Be*s são a dese0ar,
-or*e todos os Se*s caminhos são -erfeitos "
At+
e s agora
e4es oe*caminho
tinha ex-erimentado o s*ficiente
-ara a trag+dia Ao !ongo-ara sa/er 0ornada,
da minha *e o *eo caminho
-arece certo + m*itas
em *e e4es
-arecia *emenos fr*tífera
era mais caminho,
arriscado foi o
caminho *e !eam  maior recom-ensa Mesmo assim, cada e4 mais -arecia *e estaa sendo arriscado Para fa4er a
esco!ha de iros, -ois tem mais dific*!dade em cada *m
"D -reciso mais f+ -ara andar nos reinos s*-eriores do Es-írito", a @g*ia disse, -arecendo *m -o*co mais irritado "3
Senhor nos de* *m ma-a -ara o se* reino *ando disse5 Se oc< tentar sa!ar a s*a ida ai -erd<!o, mas se oc< ai
-erder a s*a ida -or minha ca*sa *e oc< ai encontr@!o" Essas -a!aras s: -ode mant<!o no caminho -ara o to-o da
montanha e ai !ear oc< -ara a it:ria na grande /ata!ha -e!a frente E!es tam/+m irão a0*d@!o a com-arecer -erante o
tri/*na! de 8risto ", e!e acrescento*, o!hando -ara a -orta 
E* sa/ia *e tinha *e ir E* sa/ia *e dee se !em/rar desta sa!a g!oriosa e os teso*ros da sa!a1ão, mas e* tam/+m sa/ia
*e e* não deeria o!har -ara tr@s com e!es noamente E* tie *e ir em frente E* me irei e com toda a coragem *e
conseg*i* re*nir, a/ri* a -orta -ara o tri/*na! de 8risto e entro* -or e!a A tro-a de an0os *e haia sido designado -ara
me tomaram -osi1.es ao redor da -orta, mas não entro*
"C*a!
"3nde+oc<
o -ro/!emaO
est@ indoGoc<
agoranão emO"
oc< deeExigi, ma! *erendo
ir so4inho a seg*ran1a
Estaremos es-erandode-or
s*aoc<
em-resa
de *m !ado ao o*tro"
Sem res-onder, e* me irei e comecei a andar antes *e e* -*desse m*dar minha mente >oi a coisa mais difíci! *e e* 0@
tinha feito E* estaa na esc*ridão mais ass*stadora *e e* 0@ tinha ex-erimentado 3s medos mais terríeis !eantaramse
dentro de mim =ogo comecei a -ensar *e e* tinha -isado no inferno em si Pensei em retirada, mas *ando o!hei -ara
tr@s e* -odia er nada A -orta estaa fechada e e* não conseg*ia nem er onde e!e foi !oca!i4ado Reso!er *e agora e*
tinha *e ir, e* moiase !entamente, re4ando -ara o Senhor -ara me a0*dar 8omo e* fi4, a -a4 come1o* a crescer no
me* cora1ão
E*, então, -erce/e* *e a esc*ridão não era mais frio, mas come1o* a se sentir confort@e! Então e* comecei a er *ma
!*4 fraca Aos -o*cos, torno*se *ma !*4 g!oriosa tão marai!hoso *e e* senti *e e* estaa entrando no mesmo c+*
Agora, a g!:ria maior a cada -asso E* *is sa/er como t*do esta marai!hosa -oderia ter *ma entrada tão esc*ro e
-roi/indo E* *eria sa/orear cada -asso antes de tomar o*tro
=ogo o caminho se a/ria -ara *ma sa!a tão grande *e e* senti *e a -r:-ria Terra não -oderia cont<!o A /e!e4a do *e
não -odia
enche* se*er
minha ser e*
a!ma, imaginado
o!hei -ara-e!os
esta ar*itetos h*mana
sa!a Fa o*tra E* n*nca
extremidade eratinha ex-erimentado
a >onte da g!:ria *enada -arecido
emanaa com oo mais
de t*do *e na
sa!a E* sa/ia *e era o Senhor, e e* estaa *m -o*co de medo *ando comecei a andar em dire1ão de!e E* nem se*er
-ensar em como + grande a distKncia era Era t*do tão marai!hoso *e e* senti *e e* -odia andar -ara sem-re e
desfr*tar de cada -asso Em termos terrestres, *e de a!g*ma forma não se re!acionam a*i, e!e teria me !eado m*itos
dias -ara chegar ao trono
Me*s o!hos estaam tão fixos na g!:ria do Senhor *e e* tinha andado m*ito tem-o antes de e*
-erce/e* *e e* estaa -assando m*!tid.es de -essoas *e estaam nas fi!eiras  minha es*erda (Haia tantos  minha
direita, mas e!es foram tão !onge *e e* não not@!os at+ chegar ao trono) C*ando o!hei -ara e!es, e* tie *e -arar E!es
eram des!*m/rantes, mais rea! do *e *a!*er *m *e e* 0@ tinha isto Se* rosto era catiante F*nca tie tanta -a4 e
confian1a enfeito* *m rosto h*mano 8ada *m era /onito a!+m de toda com-ara1ão terrena C*ando me irei -ara com
a*e!es *e estaam -erto de mim e!es se c*raram em *m c*m-rimento como se me conhecesse
"8omo + *e oc< me conheceO" E* -erg*ntei, s*r-reso com minha -r:-ria a*d@cia -ara fa4er ta! -erg*nta *m de!es
"Goc< + *m
*e oc<, dos santos
e todos *e*e
a*e!es est@!*tam
!*tando nana
agora 2!tima /ata!ha",
Terra *m homem
F:s somos -or*e
os santos -erto res-onde*
seriram "Todo
ao Senhor nasm*ndo a*iantes
gera1.es sa/ede
oc< Somos a grande n*em de testem*nhas a *em foi dado o direito de contem-!ar a 2!tima /ata!ha Sa/emos todos
oc<s, e n:s emos t*do o *e oc< fa4 "
E*, então, -erce/e* a!g*+m *e e* tinha conhecido na Terra E!e tinha sido *m crente fie!, mas e* não acho *e e!e tinha
feito nada de significatio E!e era tão atraente fisicamente na terra *e !he tinha feito tímido A*i e!e tinha as mesmas
características, mas foi de a!g*m modo mais /onito do *e *a!*er -essoa *e e* tinha conhecido na Terra E!e se
a-roximo* de mim com *ma garantia de *a!idade e dignidade *e e* n*nca tinha isto ne!e, o* ning*+m, antes
"3 c+* + m*ito maior do *e -oderíamos ter sonhado en*anto estaa na terra," e!e come1o* "Esta sa!a + a-enas o
!imiar dos reinos de g!:ria *e estão m*ito a!+m da ca-acidade *e tiemos de com-reender Tam/+m + erdade *e a
seg*nda morte + m*ito mais terríe! do *e n:s com-reendemos Fem o c+* o* o inferno são como n:s -ensamos *e
eram Se E* tinha conhecido na terra o *e e* sei a*i e* não teria iido a maneira *e e* fi4 Goc< + a/en1oado com
*ma grande gra1a de ter indo a*i antes de oc< ter morrido " e!e disse en*anto o!haa minhas estes
E*, então, o!ho* -ara mim E* ainda tinha o e!ho manto de h*mi!dade diante, com a armad*ra so/ e!e E* me senti
tanto em -+ s*0o e cr* antes *e a*e!es *e eram tão reais e /e!as 8omecei a -ensar *e e* estaa em s+rios a-*ros se
e* estaa indo -ara com-arecer -erante o Senhor como este 8omo as @g*ias, me* e!ho conhecido conseg*ia entender
me*s -ensamentos, e e!e res-onde*!hes5
"A*e!es *e <m a*i estindo o manto *e não t<m nada a temer Esse manto + o -osto mais a!to de honra, e + -or
isso *e e!es todos se c*raram -ara oc< en*anto oc< -asso*"
"E* não notei *a!*er c*randome," e* res-ondi, *m -o*co desconcertado
"Fão + im-r:-rio",
nos a*i, contin*o*
mas s: Be*s, nosso ee!e
do "A*i n:s mostramos
Se* 8risto + adorado" *m ao o*tro o res-eito *e + deido Mesmo os an0os serem
E* ainda estaa energonhado E* tinha *e treinarme -ara não ceder a estes g!orioso, en*anto ao mesmo tem-o
*erendo me esconder -or*e e* -arecia tão r*im Então e* comecei a !amentar o fato de *e me*s -ensamentos a*i
foram tão to!o a*i como e!es eram *ma terra, e a*i todo m*ndo sa/ia *e e!es? Sentime de -+ tanto manchada e
est2-ido antes *e esses *e foram tão incríe! e -*ra Mais *ma e4 o me* e!ho conhecido res-onde* a estes
-ensamentos
"F:s temos nossos cor-os incorr*-tíeis agora, e oc< não Fossas mentes não são mais -re0*dicado -e!o -ecado
Estamos, -ortanto, ca-a4es de com-reender m*itas e4es o *e oc*-a mesmo o maior terreno -ode imaginar, e n:s
amos -assar a eternidade em crescimento na nossa ca-acidade de com-reender  6sto + assim *e -odemos conhecer o
Pai, e com-reender a g!:ria de S*a cria1ão Fa terra oc< não -ode se*er come1ar a entender o *e o menor destes a*i
sa/em, e n:s somos menos do *e a*i "
"8omo oc< -ode ser o menosO" E* -erg*ntei, com descren1a
"H@ *ma
grande aristocracia
m*!tidão a*i a*i As recom-ensas
são a*e!es -ara a nossa
a *em o Senhor ida irgens
chamo*" terrena !o*cas
são as -osi1.es eterno
" Sa/íamos *e *e n:s temos
o Senhor, a*i Esta
e confiaram em s*a
cr*4 -ara a !i/erta1ão da condena1ão, mas n:s rea!mente não ier -ara E!e, mas -ara n:s mesmos F:s não manter os
nossos asos -reenchidos com o :!eo do Es-írito Santo F:s temos a ida eterna, mas n:s des-erdi1ado nossas idas na
terra "
>i*ei rea!mente s*r-reso com isso, mas e* tam/+m sa/ia *e ning*+m -oderia estar na*e!e !*gar
"As irgens !o*cas rangeram os dentes nas treas exteriores", e* -rotestei
"E isso n:s fi4emos A dor *e ex-erimentamos *ando entendemos como haíamos -erdido -ara a nossa ida foi a!+m
de *a!*er sofrimento -ossíe! na terra A esc*ridão de *e o sofrimento s: -ode ser com-reendida -or a*e!es *e
ienciaram a ex-eri<ncia Treas Ta! + am-!iado *ando ree!ase -r:ximo  g!:ria do *e fa!ho* Goc< est@ em -+ agora
entre o níe! mais /aixo no c+* Fão h@ to!os mais do *e os *e conhecem a grande sa!a1ão de Be*s, mas, em seg*ida,
contin*ar a ier -or si mesmos Gir a*i e sai/a a rea!idade de *e a !o*c*ra + *m sofrimento a!+m do *e *ma a!ma
terrena -ode ex-erimentar F:s somos a*e!es *e sofreram este treas exteriores -or ca*sa da maior das !o*c*ras "
E*
-araainda estaa
a*e!es incr+d*!a
no c+* E* não"Mas
sintooc< + maisremorso
nenh*m g!oriosoem
e cheio
oc<,de mais a!egria
e ainda assim e*e -a4 do *e
sei *e a*ie*oc<
mesmo imaginaa,
não -ode mentirmesmo
6sso
não fa4 sentido -ara mim  "
3!handome diretamente nos o!hos, e!e contin*o*, "3 Senhor tam/+m nos ama com *m amor maior do *e oc< -ode
ainda com-reender Antes de Se* trono de 0*!gamento e* -roei a maior esc*ridão da a!ma e do remorso *e -ode ser
ex-erimentado Em/ora a*i não medimos tem-o como oc< fa4, e!e -arecia d*rar -or *anto tem-o a minha ida na
terra d*ro* Todos os me*s -ecados e !o*c*ras *e e* não tinha se arre-endido de se -assaram antes de mim, e antes de
todos os *e estão a*i A dor dessa oc< não conseg*e entender at+ *e oc< tenha ex-erimentado Senti *e estaa no
ca!a/o*1o mais -rof*ndo do inferno, assim como e* estaa em -+ diante do Senhor E!e estaa decidido at+ *e minha
ida tinha sido com-!etamente reisto C*ando e* disse *e estaa arre-endido e -edi* -e!a miseric:rdia de S*a cr*4, E!e
enx*go* minhas !@grimas e tiro* a grande esc*ridão E!e o!ho* -ara mim com *m amor *e foi a!+m de *a!*er coisa
*e agora oc< -ode entender E!e de*me este manto E* 0@ não sinto a esc*ridão o* a amarg*ra *e e* sa/ia como e*
estaam diante de!e, mas e* me !em/ro S: a*i oc< -ode se !em/rar de coisas tais, sem contin*ar a sentir a dor Im
momento
!o*c*ra foinatransformada
-arte mais /aixa do c+*e+e*
em a!egria, m*ito maior
sei *e o*doconhecer
*e mi! aanos da mais
a!egria a!ta idamesmo
-ara sem-re, na Terra
se Agora me*
e* esto* no!*to
!*gar minha
mais
/aixo no c+* "
8omecei a -ensar noamente dos teso*ros da sa!a1ão Be a!g*ma forma e* sa/ia *e t*do o *e este homem me disse
foi ree!ado -or esses teso*ros 8ada -asso *e e* tinha tomado at+ a montanha, o* -ara e!e, tinha ree!ado *e os Se*s
caminhos são mais temerosos e mais marai!hoso do *e e* tinha conhecido antes
3!hando atentamente -ara mim, me* antigo conhecido contin*o* "Goc< não est@ a*i -ara entender, mas a ex-eri<ncia
3 -r:ximo níe! de c!assifica1ão a*i + m*itas e4es maior do *e o *e temos 8ada níe! + *e de-ois de m*ito maior
do *e a anterior Fão + a-enas o *e cada níe! tem *m ainda mais cor-o es-irit*a! g!orioso, mas *e cada níe! + mais
-r:ximo do trono onde toda a g!:ria em Mesmo assim, e* não sinto mais a dor do me* fracasso E* rea!mente não
merecem nada esto* a*i somente -e!a gra1a, e e* so* assim grato -e!o *e e* tenho E!e + tão digno de ser amado e*
-oderia estar fa4endo m*itas coisas marai!hosas agora nos reinos diferentes do c+*, mas e* -refiro ficar a*i e a-enas
contem-!ar a g!:ria, mesmo se e* esto*  margem externa "
Então, com *m o!har distante em se*s o!hos, e!e acrescento*, "Todo m*ndo no c+* agora est@ nesta sa!a -ara assistir Se*
grande mist+rio se desenro!ar, e o/serar a*e!es de oc<s *e ai !*tar a 2!tima /ata!ha" "Goc< -ode <!o da*iO" E*
-erg*ntei "E* e0o S*a g!:ria !onge, mas e* não -osso <=o"
"E* -osso er m*itas e4es me!hor do *e oc< -ode", res-onde* e!e "E sim, e* -osso <=o, e t*do o *e E!e est@
fa4endo, mesmo a -artir de a*i E* tam/+m -osso o*i=o E* tam/+m -osso contem-!ar a terra E!e nos de* todo esse
-oder Somos a grande n*em de testem*nhas *e estão endo oc< "
E!e -arti* de o!ta -ara as fi!eiras e comecei a andar de noo, tentando entender t*do o *e e!e tinha me dito C*ando e*
o!hei so/re
s*a ida o ex+rcito
na terra, grande
e* sa/ia *e,*e e!e tinha *m
se *a!*er ditode!es
erama-arece*
as irgensna!o*cas, os *e*e
terra, agora tinham dormido
e!es seriam !onge es-irit*a!mente
adorados como de*ses, ea
ainda e!es eram o mínimo dos *e estaam a*i?
8omecei então a -ensar o tem-o todo *e e* tinha -erdido na minha ida >oi *m -ensamento tão aassa!adora *e e*
-arei Em seg*ida, as -artes da minha ida come1o* a -assar diante de mim 8omecei a sentir *ma dor terríe! ao !ongo
desse -ecado E* tam/+m tinha sido *m dos maiores to!os? Ta!e4 e* tenha mantido mais de :!eo na minha !Km-ada do
*e o*tros, mas agora e* sa/ia como e* tinha sido to!a -ara medir o *e era exigido de mim -e!a forma como os o*tros
estaam fa4endo E* tam/+m era *ma das irgens !o*cas?
A-enas *ando e* -ensei *e e* iria entrar em co!a-so so/ o -eso desta desco/erta terríe!, *m homem *e e* tinha
conhecido e estimado como *m dos grandes homens de Be*s *e e* tinha conhecido, eio -ara a frente -ara me firmar
Be a!g*ma forma, se* to*e me reanimo* E!e então me rece/e* ca!orosamente E!e era *m homem *e e* *eria ser
disci-*!ado -or E* o conhecia, mas não se dão m*ito /em 8omo *ma s+rie de o*tros *e e* tinha tentado chegar -erto
o s*ficiente -ara a-render, e* era *ma irrita1ão com e!e e e!e fina!mente me -edi* -ara sair Por anos e* sentia c*!-ado
-or isso, sentindo
e* tiesse co!oc@!o*e e*da
fora tinha -erdido
minha *ma
mente, e*grande o-ort*nidade
ainda carregaa o -eso-or ca*sa
dessa de a!g*ma
fa!ha C*andofa!ha
o ino me*
t*do car@ter
 tona, Mesmo
e *ma *e
sensa1ão
de ma! estar tomo* conta de mim Agora, e!e era tão rea! *e senti ainda mais re-*gnante e energonhado -or me*
estado -o/re E* *eria esconder, mas não haia maneira *e e* -oderia eit@!o a*i Para minha s*r-resa, o se* ca!or
-ara mim era tão gen*ína *e e!e ra-idamente co!oco*me  ontade Fão -arecia haer nenh*ma /arreira entre n:s Fa
erdade, o amor *e e* sentia indo de!e
*ase com-!etamente tomo* a minha a*toconsci<ncia
"Es-erei ansiosamente -or este encontro", disse e!e
"Goc< estaa es-erando -or mimO" E* -erg*ntei "Por *<O"
"Goc< + a-enas *m dos m*itos *e e* esto* es-erando E* não entendia at+ *e o me* 0*í4o de *e oc< era *m *e e*
f*i chamado -ara a0*dar, at+ mesmo discí-*!o, mas e* te re0eito*"
"Sir", e* -rotestei "Teria sido *ma grande honra ser disci-*!ado -or oc<, e e* so* m*ito grato -e!o tem-o *e e* tie
com oc<, mas e* estaa tão arrogante *e e* merecia a s*a re0ei1ão E* sei *e minha re/e!dia e org*!ho me im-edi* de
n*nca ter *m*e
"D erdade erdadeiro -ai es-irit*a!
oc< era org*!hosa, masEste
*enão
nãofoi s*a isso
+ -or c*!-a,
*emas a minha
fi*ei " com oc< >*i ofendido -or ca*sa da
ofendido
minha inseg*ran1a, o *e me fe4 *erer contro!ar todos ao me* redor >*i ofendido *e oc< não iria aceitar t*do o *e
e* disse sem *estion@!a Então e* comecei a o!har -ara t*do o *e haia de errado com oc< -ara 0*stificar me*
re0ei1ão 8omecei a sentir *e se e* não -*desse contro!ar!he *e *m dia iria energonhar de mim e me* minist+rio
estimado e* o me* minist+rio mais do *e e* *e as -essoas -ara *em foi dada a mim, então e* dirigi m*itos como oc<
!onge ", disse e!e
8om *ma a*tenticidade *e + desconhecido nos reinos da terra, e!e contin*o*, "Todas as crian1as são re/e!des, e -ensar
*e o m*ndo gira em torno de!es D -or isso *e e!es -recisam dos -ais -ara cri@!os C*ase todas as crian1as s e4es ai
tra4er o-r:/rio so/re a s*a famí!ia, mas e!e ainda + *ma -arte da famí!ia E* me irei m*itos dos fi!hos de Be*s *e e!e
tinha confiado a mim -ara fa4<!os com seg*ran1a at+ o encimento >a!hei com a maioria de!es A maioria de!es sofreram
terríeis feridas e fa!has *e e* -oderia ter a0*dado a eitar M*itos de!es agora estão -risioneiros do inimigo E* constr*í
*ma grande organi4a1ão, e tinha *ma inf!*<ncia consider@e! na igre0a, mas os maiores dons *e o Senhor confi@e! -ara
mim foram
egoísta os *e foram
e -reoc*-ada comeniados
a minha -ara mim
-r:-ria -or disci-!ina,
re-*ta1ão e* seriam*itos
*m reidos *ais
a*i E* e*
f*ire0eitado
chamadoSe e* *m
-ara nãodos
tiesse
maissido tãotronos
a!tos
T*do o *e oc< tem e ir@ rea!i4ar teria sido em minha conta ce!este tam/+m Em e4 disso, m*ito do *e e* dei a minha
aten1ão -ara foi de m*ito -o*co significado erdadeiro e eterno 3 *e -arece ser /om na terra + m*ito diferente a*i 3
*e far@ de oc< *m rei na terra, m*itas e4es, ser *m o/st@c*!o -ara manter !o de ser *m rei a*i 3 *e far@ de oc< *m
rei a*i + h*mi!de e ma!ista na terra Goc< ai me -erdoarO "
"D c!aro", e* disse, m*ito constrangido "Mas e* tam/+m esto* -recisando de se* -erdão E* ainda acho *e foi minha
fa!ta de 0eito e da re/e!ião *e fe4 se difíci! -ara oc<"
"D erdade *e oc< não foi -erfeito, e e* com-reendi a!g*ns dos se*s -ro/!emas, com ra4ão, mas isso n*nca + motio
-ara a re0ei1ão", res-onde* e!e "3 Senhor não re0eita o m*ndo *ando e* i s*as fa!has E!e não me re0eitar *ando E!e
i* me* -ecado E!e de* a S*a ida -or n:s D sem-re a maior, *e dee dar a s*a ida -ara o !ocador >*i  mais mad*ro
*e e* tinha mais a*toridade do *e oc<, mas e* me tornei como *m dos /odes na -ar@/o!a, e* re0eitaram o Senhor,
re0eitando oc< e os o*tros *e E!e enio* -ara mim "

En*anto e!e fa!aa, s*as -a!aras foram im-ressionantes me -rof*ndamente E* tam/+m era c*!-ado de t*do o *e e!e
estaa cedendo de M*itos homens e m*!heres 0oens *e e* tinha escoado como não sendo s*ficientemente im-ortante
-ara o me* tem-o agora estaam -assando -or minha mente C*ão deses-eradamente *eria o!tar agora e re*ni!as?
Esta dor *e e* comecei a sentir foi ainda -ior do *e e* sentia em re!a1ão a -erda de tem-o E* tinha -erdido as
-essoas? Agora, m*itos desses eram -risioneiros do inimigo, ferido e ca-t*rado d*rante a /ata!ha na montanha Esta
/ata!ha
!*tar -ortoda
maisfoierdades
-ara as -essoas, e as as
do *e -ara -essoas
-essoasainda
-araeram
*emm*itas e4es
e!es são considerado
dadas como
Gamos !*tar -orominist+rios,
menos im-ortante
en*antoGamos
atro-e!ando as -essoas ne!es "E m*itas -essoas -ensam em mim como *m !íder es-irit*a!? Esto* erdadeiramente o
menor dos santos", -ensei -ara mim mesmo
"E* entendo como oc< se sente", comento* *m o*tro homem e* reconheci como *m e* consideraa *m dos maiores
!íderes cristãos de todos os tem-os "3 a-:sto!o Pa*!o disse -erto do fim da s*a ida *e e!e era o menor dos santos
Então, -o*co antes de s*a morte, e!e mesmo se a*todenominaa" o maior dos -ecadores " Se e!e não tiesse a-rendido
*e em s*a ida na terra, e!e tam/+m teria sido em -erigo de ser *m dos menos dos santos no c+* Por*e e!e a-rende*
na terra e!e + ho0e *ma das -essoas mais -r:ximas ao Senhor, e ser *ma das mais a!tas no ranking -or toda a eternidade "
Gendo a*e!e homem na com-anhia de "As irgens !o*cas", foi a maior s*r-resa *e e* tinha ainda "E* não -osso
acreditar *e oc<, tam/+m, são *m dos to!os, *e dormiam !ado a s*a ida na terra Por *e oc<s estão a*iO"
"E* esto* a*i -or*e e* fi4 *m dos erros mais graes oc< -ode fa4er como *m encarregado de eange!ho da g!:ria de
nosso Sa!ador Assim como o a-:sto!o Pa*!o -rogredi* de não considerarse inferior ao maior a-:sto!os, a ser o maior
dos
mas -ecadores, >i4 o c*rso
aca/o* achando *e e*o-osto
era *m8omecei sa/endo
dos maiores *e e*>oi
a-:sto!os tinha
-orsido *mdomaior
ca*sa me* dos -ecadores
grande org*!ho*e
não,tinha achado gra1a,
a inseg*ran1a
como o nosso amigo a*i, *e e* comecei a atacar todos *e não iram t*do do 0eito *e e* fi4 A*e!es *e seg*iram
me des-o0ado de se*s -r:-rios chamados e at+ mesmo s*as -ersona!idades, -ression@!os a todos tornarse ig*a! a mim
Fing*+m ao me* redor -oderiam ser Fing*+m se atree* a *estionarme -or*e e* esmag@!os em -:7 E* -ensei *e
-or fa4er os o*tros menores *e e* fi4 maior -ensei *e era s*-osto ser o Es-írito Santo a todos Bo !ado de fora do me*
minist+rio -arecia *m /om f*ncionamento da m@*ina, onde todos estaam na *nidade e haia *ma ordem -erfeita, mas
foi da ordem de *m cam-o de concentra1ão =eei -r:-rios fi!hos do Senhor, tornandoos a*t;matos em minha -r:-ria
imagem, em e4 de Se* Fo fina!, e* nem estaa serindo o Senhor, mas o ído!o *e e* tinha constr*ído -ara mim At+ o
fina! da minha ida e* estaa rea!mente *m inimigo do erdadeiro eange!ho, -e!o menos na -r@tica, mesmo *e os me*s
ensinamentos e escritos -arecia im-ec@e! /í/!ica "
"Se isso + erdade, *e oc< se torno* *m inimigo do eange!ho, como + *e oc< ainda est@ a*iO" E* *estionei
"Pe!a gra1a de Be*s, e* não confiaa na cr*4 -ara minha -r:-ria sa!a1ão, mesmo *e e* rea!mente mantee o*tros
homens a -artir-or
D >oi tam/+m de!e,
S*a!eandoos
gra1a *e aomim mesmo
Senhor e nãodaa e!e
me !eo* terra3mais
Senhor
cedo-ermanece
do *e E!efie!teria
a n:s mesmo
a-enas -ara*ando
a*e!essomos infi+is
*e estaam
de/aixo de mim -oderia encontr@=o e chegar a conhec<=o "
E* não -oderia ter sido mais chocado ao -ensar *e isso era erdade deste homem -artic*!ar A hist:ria tinhanos dado
*m retrato m*ito diferente de!e =er o *e estaa acontecendo em me* cora1ão, e!e contin*o*5
"Be*s tem *m con0*nto diferente de !iros de hist:ria do *e a*e!es so/re a terra Goc< tee *ma id+ia disso, mas oc<
ainda não sa/e como e!es são diferentes Earth!y hist:rias -assarão, mas os !iros *e são mantidos a*i ai d*rar -ara
sem-re Se oc< -ode se a!egrar em *e o c+* est@ graando so/re s*a ida, oc< + a/en1oado de fato Men er atra+s de
*m idro esc*ro, -or isso s*as hist:rias serão sem-re n*/!ado, e s e4es com-!etamente errado M*ito -o*cos, os
cristãos, mesmo m*ito -o*cos, t<m o erdadeiro dom do discernimento Sem este dom + im-ossíe! discernir a erdade
com -recisão nos do -resente o* no -assado Mesmo com esse dom + difíci! At+ *e oc< tenha estado a*i, e foi
des-o0ado, oc< ir@ 0*!gar os o*tros -or meio de -reconceitos distorcidos, -ositio o* negatio D -or isso *e foram
adertidos -ara não 0*!gar antes do tem-o At+ *e tenhamos sido a*i n:s não -odemos rea!mente sa/er o *e est@ no
cora1ão
motios dos o*tros,
do ma!, se e!es
mesmo estão rea!i4ando
o me!hor /oas o*
de!es Somente a*im@s Tem haido
os homens /ons
-odem ser motios
0*!gados no
-ormesmo
am/os oos-ior
se*sdos
atoshomens,
e se*s e os
motios "
"C*ando e* o!tar -ara a terra, e* serei ca-a4 de discernir a hist:ria com -recisão, -or*e e* tenho estado a*iO"
"Goc< est@ a*i -or*e oc< oro* -ara *e o Senhor te 0*!gar seeramente, -ara corrigi!o im-iedosamente, -ara *e oc<
-ossa seri=o com mais -erfei1ão Esta foi *ma das so!icita1.es mais s@/ia *e oc< 0@ fe4 3 s@/io 0*i4se -ara não
serem 0*!gados o mais sensato at+ mesmo -edir -ara os 0*í4os do Senhor, -or*e e!es -erce/em *e e!es não -odem
se*er se 0*!gam m*ito /em Tendo indo a*i oc< ai sair com m*ito mais sa/edoria e discernimento, mas na terra oc<
ai sem-re er atra+s de *m idro esc*ro, -e!o menos, a!g*m gra* S*a ex-eri<ncia a*i ai a0*dar a conhecer me!hor os
homens, mas a-enas *ando estier tota!mente a*i oc< -ode conhec<!os -!enamente C*ando oc< sair da*i oc< ai
ser mais im-ressionado com o *ão -o*co oc< sa/e os homens e não -or *ão /em oc< conhece!os  6sto + tão
erdadeiro em re!a1ão s hist:rias dos homens Tenho sido a*tori4ado a fa!ar com oc< -or*e e* tenho em *m sentido
disci-*!ados!o atra+s me*s escritos, e sa/er a erdade so/re mim ai a0*d@!o m*ito, "o grande reformador conc!*i*
Em seg*ida, *ma m*!her de* *m -asso adiante *e e* não sa/ia S*a /e!e4a e gra1a foi de tirar o f;!ego, mas não era
sens*a!, sed*tora o* de *a!*er forma E!a foi a defini1ão de dignidade e no/re4a
"E* estaa s*a es-osa na terra", come1o* e!a "M*ito do *e oc< sa/e so/re e!e eio rea!mente de mim, -ois o *e esto*
-restes a di4er não + a-enas so/re e!e, mas so/re n:s Goc< -ode reformar a 6gre0a sem reformar s*a -r:-ria a!ma Goc<
-ode ditar o c*rso da hist:ria, e ainda não a ontade do Pai, o* g!orificar o Se* >i!ho Se oc< se com-rometer a fa4er a
hist:ria h*mana, oc< -ode fa4<!o, mas + *ma con*ista f*ga4 *e ai ea-orar como *ma n*em de f*ma1a "
"Mas o tra/a!ho do se* marido, o* o se* tra/a!ho, grande im-acto a cada gera1ão de-ois de!e -ara sem-re D difíci!
imaginar
"Tr*e Mas *ão esc*ro
oc< -odeoganhar
m*ndoo teria
m*ndosidointeiro
sem e!e", e* -rotestei
e ainda -erder s*a -r:-ria a!ma Somente se oc< mantier s*a -r:-ria
a!ma -*ra -ode im-actar o m*ndo com a fina!idade erdadeiramente d*rado*ra eterno de Be*s Me* marido -erde* s*a
a!ma -ara mim, e e!e s: ganho*!o no fina! de s*a ida, -or*e e* era tirada da terra -ara *e e!e -*desse M*ito do *e
e!e fe4, fe4 mais -or mim do *e -ara o Senhor 6 -ressionado e!e, e ainda de*!he grande -arte do conhecimento *e e!e
ensinaa  E* *seio como *ma extensão do me* -r:-rio ego, -or*e como *ma m*!her no momento e* não -oderia ser
reconhecido como *m !íder es-irit*a! mim ass*mi s*a ida -ara *e e* -*desse ier minha ida -or e!e =ogo e* tinha
e!e fa4endo t*do a-enas -ara -roar a si mesmo -ara mim "
"Goc< dee ter a amaa m*ito" E* disse o!hando -ara e!e
"Fão E* não a amaa de todo Fem *e e!a me ama Be fato, a-:s -o*cos anos de casamento *e nem se*er gostam
*m do o*tro Mas n:s dois -recisaam *m do o*tro, assim *e n:s encontramos *ma maneira de tra/a!har 0*ntos  3
mais /em s*cedido *e se torno*, desta forma, mais infe!i4 *e nos tornamos, e *anto mais dece-1ão *e *samos -ara
enganar a*e!es *e nos seg*iram >omos infe!i4es a4ia at+ o fina! de nossas idas C*anto mais inf!*<ncia *e oc<
ganha
e cr*e!-e!a
a s*as*a -r:-ria
ida a*to-romo1ão
se tornar@ , mais
reis temiam n:s,esfor1o *eaoc<
mas temia dee
todos, fa4er
desde os-ara manter
reis -ara os s*a inf!*<ncia,Podemos
cam-oneses e *antoconfiar
mais esc*ro
em
ning*+m, -or*e est@amos iendo em ta! engano n:s mesmos, nem se*er confiar *ns nos o*tros F:s -rego* o amor
e confian1a, -or*e *eria *e todos a amar e confiar em n:s, mas n:s temido e des-re4ado secretamente todos a n:s
mesmos Se oc< -regar as maiores erdades, mas não i<!as, oc< + a-enas o maior hi-:crita "
S*as -a!aras come1o* a /aterme como *m marte!o E* -odia er *e minha ida 0@ estaa indo na mesma dire1ão 3
*anto e* estaa fa4endo -ara me -romoer, em e4 de 8risto 8omecei a er o *anto e* fi4 a-enas -ara -roar a mim
mesmo aos o*tros, es-ecia!mente a*e!es *e não gostaa de mim, o* *e e* me senti em com-eti1ão com de a!g*ma
forma 8omecei a er o *anto da minha -r:-ria ida foi constr*ída so/re as fachadas de *ma imagem -ro0ectada *e
desmentia *em e* rea!mente era Mas a*i e* não -odia esconder Esta grande n*em de testem*nhas todos sa/iam
*em e* era a!+m do +* dos me*s motios -ro0etada
3!hei de noo -ara este casa! E!es estaam agora tão ing<n*o e tão erdadeiramente no/re *e era im-ossíe! a
*estionar se*s motios E!es estaam de /om grado ex-or se*s -ecados mais tort*osos -or minha ca*sa, e estaam
gen*inamente fe!i4 *m
"E* -osso ter tido -orconceito
ser ca-a4errado
de fa4<!o
de oc< -or s*a hist:ria e se*s escritos, mas e* tenho estima ainda mais -ara oc<
agora Re4o -ara *e e* -ossa rea!i4ar a -artir deste !*gar a integridade ea !i/erdade *e oc< tem agora Esto* cansado
de tentar -ara ier at+ imagens -ro0etadas de mim mesmo 8omo e* es-ero -or essa !i/erdade " E* !amento*, *erendo
deses-eradamente se !em/rar de cada deta!he deste encontro Em seg*ida, o reformador famosa oferece* *ma exorta1ão
fina!5
"Fão tente ensinar os o*tros a fa4er o *e oc< est@ fa4endo a si mesmo Reforma não + a-enas *ma do*trina Gerdadeira
reforma s: em da *nião com o Sa!ador C*ando oc< est@ *nido com 8risto, carregando o fardo *e E!e !he d@, E!e
ser@ com oc< e !e@!os -ara oc< Goc< s: -ode fa4er se* tra/a!ho *ando oc< est@ fa4endo isso com e!e, não a-enas
-ara e!e Somente o Es-írito -ode gerar o *e + Es-írito Se oc< est@ *nido com E!e *e oc< não far@ nada -ara o /em
C*a!*er coisa da -o!ítica o* hist:ria *e oc< fa4 -or ca*sa de -ress.es -o!íticas, o* o-ort*nidades, s: ai !ear oc< at+
o fim de se* erdadeiro minist+rio As coisas *e são feitas
-or *ma *estão de tentar fa4er hist:ria na me!hor das hi-:teses desgra1a s*as rea!i4a1.es  hist:ria, e oc< ai deixar
-ara
Be*s,a assim
eternidade
comoim-acto Se oc<
n:s fi4emos Go*não
!heie
di4ero o*e -rega
*e -ara os o*tros
ai mant<!o *e oc<
no caminho des*a!ificarse
da ida da so/erana
amorosaSa!ador oca1ão
e /*scar a S*ade
g!:ria so4inho T*do o *e oc< fa4 -ara exa!tar a si mesmo, *m dia, !e@!o a h*mi!ha1ão mais terríe! T*do o *e oc<
fa4 -or amor erdadeiro -ara o Sa!ador, -ara g!orificar Se* nome, ai estender os !imites do se* reino eterno, e,
fina!mente, res*!tar em *m !*gar m*ito maior -ara si mesmo Gier -ara o *e est@ registrado a*i Fada de c*idados -ara
o *e est@ graado na terra "
C*ando saíram da!i e* estaa noamente a ser dominado -e!o me* -r:-rio -ecado As e4es *e e* tinha *sado -essoas
-ara me*s -ro-:sitos, o* mesmo *sado o nome g!orioso de Jes*s, -ara contin*ar a minha -r:-rias am/i1.es, o* -ara me
fa4er -arecer me!hor, come1o* a cascata -ara /aixo em cima de mim A*i, onde e* -odia aistar o -oder ea g!:ria do
*e e* tinha tão acost*mados, torno*se ainda mais re-*gnante do *e e* -ensei *e e* -odia s*-ortar E* caí em me*
rosto, no -ior deses-ero *e e* 0@ tinha conhecido Be-ois do *e -arece* *ma eternidade de er estas -essoas e os
acontecimentos -assam diante de mim, senti a m*!her !eantarme -ara os me*s -+s noamente E* estaa s*-erada -e!a
s*a -*re4a, es-ecia!mente -or*e agora e* me senti tão ma! e corr*-to Tie o mais forte dese0o de ador@!a -or*e e!a
estaa tão -*ro
"Girese -ara o >i!ho", e!a disse enfaticamente "Se* dese0o de adorarme, o* *a!*er o*tra -essoa neste momento, +
a-enas *ma tentatia de irar a aten1ão -ara !onge de si mesmo, e 0*stificarse -or serir o *e oc< não + Esto* !im-o
agora, -or*e e* me irei -ara e!e Goc< -recisa er a corr*-1ão *e est@ na s*a -r:-ria a!ma, mas então oc< não dee
ha/itar em si mesmo, o* -roc*ram 0*stificarse com o/ras mortas, mas se o!tam -ara E!e "
6sto foi dito em amor gen*íno e -reoc*-a1ão tais *e era im-ossíe! de ser magoado o* ofendido -or e!a C*ando e!a i*
*e e* entendi, e!a contin*o*5
"A
-*ra-*re4a *emotios,
em me*s oc< i* em
emseg*ida,
mim foimas
o me* -rimeiro marido
e* corrom-ido o se*i* ememim
amor minha*ando +ramos
-r:-ria -*re4a,0oens E* estaa
-ermitindo re!atiamente
*e e!e adorame
de forma errada Goc< n*nca -ode tornarse -*ro a-enas -or adorar a*e!e *e + mais -*ro do *e oc<, mas s: -or ir
a!+m de!es -ara encontrar -or si mesmo a*e!e *e os fe4 -*ro, e em *em so4inho, não + -ecado C*anto mais -essoas
nos e!ogiaram, e *anto mais n:s aceitamos o se* !o*ores, *anto mais nos afastaa do caminho da ida Então
come1amos a ier -ara os !o*ores dos homens, e -ara ganhar -oder so/re a*e!es *e não nos e!ogiam Esse era o
nosso fim, e foi o mesmo -ara m*itos *e estão a*i no !*gar mais /aixo, mas foram chamados -ara a mais a!ta "
C*erendo sim-!esmente -ro!ongar a nossa conersa, -erg*ntei a -r:xima coisa *e me eio  mente5 "D difíci! -ara oc<
e se* marido estar a*i 0*ntosO"
"Fem *m -o*co Todos os re!acionamentos *e oc< tem na terra são contin*ado a*i, e todos e!es são -*rificados -e!a
senten1a 3 *e mais oc< est@ -erdoado o mais *e oc< ama 8!aro, o Senhor nos -erdoo* mais do *e ning*+m, e
a*i todos n:s amamos m*ito mais do *e ning*+m Be-ois n:s -erdoamos *ns aos o*tros *e amamos mais *ns aos
o*tros Agora nossa re!a1ão + de contin*ar com m*ito mais -rof*ndidade e ri*e4a, -or*e somos herdeiros da sa!a1ão
Tão -rof*ndo *anto
ter ex-erimentado issoasnaferidas foram,
terra, mas n:s*e
não+ a-rendemos
a -rof*ndidade do amor
o -erdão era ca-a4
a tem-o Se de ir *ma e4 fomos sarados Podíamos
tinha a-rendido o -erdão a concorr<ncia *e entro* no nosso re!acionamento, e desiar a nossa ida, não teria sido ca-a4
de criar raí4es em n:s Se oc< rea!mente ama, oc< -ode faci!mente -erdoar 3 *e + mais difíci! -ara oc< -erdoar,
*anto mais oc< + o erdadeiro amor 3 -erdão + essencia! se oc< for -ara -ermanecer no caminho da ida Sem e!a
m*itas coisas -odem /at<!o fora do c*rso esco!hido -or oc< "
Ao mesmo tem-o, -erce/i *e esta m*!her, *e tinha me tro*xe a este confronto com tanta dor na minha de-raa1ão,
tam/+m foi a -essoa mais atraente *e e* -oderia !em/rar de re*nião Fão foi atra1ão romKntica, mas e* não *eria
deix@!a Perce/endo os me*s -ensamentos, e!a retiro* *m -asso, indicando *e e!a estaa -restes a ir, mas me oferece*
*m insight -assado
"A erdade -*ra, fa!ado em amor -*ro, sem-re ai atrair Goc< ai se !em/rar da dor *e oc< sente a*i, e ir@ a0*d@!o
-e!o resto de s*a ida Bor + /om7 6sso mostra onde h@ *m -ro/!ema não tentar red*4ir a dor at+ *e oc< encontrar e
reso!er o -ro/!ema erdade de Be*s, m*itas e4es tra4 dor, *ma e4 *e destaca *m -ro/!ema *e temos, mas a S*a
erdade
come1arai
a sesem-re
a!egrarnos
em mostram o caminho
s*as -roa1.es, da !i/erdade
*e são e da erdadeira
todos a*tori4ados ida
a a0*dar C*andono
a mant<!o oc< sa/e isso,
caminho oc< "ai mesmo
da ida
"A!+m disso, s*a atra1ão -or mim não fora de ordem D a atra1ão entre macho e f<mea *e foi dado no início, *e +
sem-re -*ra na s*a forma erdadeira C*ando a erdade -*ra + com/inada com o amor -*ro, os homens -odem ser o
homens *e foram criados -ara ser sem ter de dominar de inseg*ran1a As m*!heres -odem ser as m*!heres *e foram
criados -ara ser, -or*e o se* amor s*/stit*i* o se* medo 3 amor n*nca ai mani-*!ar o* tentar contro!ar de
inseg*ran1a, -or*e o amor !an1a fora todo o medo  3 !*gar onde as re!a1.es -odem ser o mais corrom-ido + tam/+m
onde -odem ser mais gratificante 8omo s*a mente + renoada -e!o Es-írito de Gerdade, oc< não ai er as re!a1.es
como *ma o-ort*nidade -ara come1ar a -artir de o*tros, mas -ara dar 9iing + a maior rea!i4a1ão *e -odemos
imaginar D *m gosto de c+*, onde n:s damos ao Senhor em adora1ão -*ra, *e tem *m <xtase *e at+ mesmo os
re!acionamentos mais marai!hosa do m*ndo são a-enas *m is!*m/re -assageiro do 3 *e n:s ex-erimentamos na
adora1ão a*i o se* -e*eno cor-o fr@gi! *ng!orified não -odia s*-ortar A erdadeira adora1ão de Be*s ai -*rificar a
a!ma -ara as g!:rias de re!acionamentos erdadeiros Portanto, oc< não dee -roc*rar re!acionamentos, mas a adora1ão
-*ra S: então
mais /aixo as re!a1.es
do seri1o Se ocome1am a sere oe**e
me* marido + s*-osto
tinha estar
g*ardado isso3em
erdadeiro amor n*nca
nosso casamento, *e/*sca
estariaa sentado
antagem,
ao mas
!adoodo
!*gar
rei
agora, e este grande sa!ão seria -reenchido com m*itas a!mas mais  "
8om isso, e!a desa-arece* de o!ta s fi!eiras dos santos g!orificados 3!hei noamente -ara o trono ea g!:ria *e a-arece*
m*ito mais /onita *e e* estaa s*r-reso 3*tro homem *e estaa -erto de mim, ex-!ico*5
"A cada encontro, *m +* est@ sendo remoido -ara *e oc< -ossa <!o mais c!aramente Goc< não são a!terados a-enas
-or er a S*a g!:ria, mas ao <!o com *m rosto desco/erto Todo m*ndo *e em -ara os 0*í4os erdadeiro de Be*s
caminha n*m corredor como este -ara atender a*e!es *e -odem a0*d@!os a remoer *a!*er +*s e!es ainda estão
*sando7 +*s *e ir@ distorcer a s*a isão de!e "
E* 0@ tinha a/sorido mais com-reensão do *e e* senti como se me*s m*itos anos de est*do na terra
tinha me dado E*, então, come1o* a sentir *e todo o me* est*do e /*scando na Terra tinha a-enas me !eo* -ara a
frente em -asso de caraco! 8omo m*itas idas -oderiam me -re-arar -ara o 0*!gamentoO Minha ida 0@ haia
des*a!ificado me mais do *e todos a*e!es com *em me encontrei, e e!es *ase não conseg*i* a*i?
Em seg*ida, o*tro homem sai* das fi!eiras E!e tinha sido *m contem-orKneo de me*, e e* não sa/ia *e e!e haia
morrido E* n*nca o tinha encontrado na terra, mas e!e tinha *m grande minist+rio *e e* res-eitaa m*ito Atra+s de
homens *e e!e tinha treinado, mi!hares tinham sido !eados -ara a sa!a1ão, e m*itas grandes igre0as haiam sido
!eantadas E!e -erg*nto* se e!e -oderia sim-!esmente me a/ra1ar -or *m min*to, e e* concordei, sentindo *m -o*co
estranho C*ando n:s nos a/ra1amos e* senti tanto amor indo de!e *e *ma grande dor *e estaa dentro de mim
-aro* de doer E* tinha me tornado tão acost*mados com a dor *e e* nem se*er not@!o at+ *e e!e -aro* Be-ois e!e
!an1o*me *e e* !he disse *e se* a/ra1o me haia c*rado de a!g*ma coisa S*a a!egria -or esta foi -rof*nda Então e!e
come1o* a me tão
"E* me tornei di4erarrogante
-or *e -erto
e!e estaa no da
do fim níe! maisida
minha /aixo
*enoe*c+*
não -oderia imaginar *e o Senhor faria *a!*er coisa
de im-ortKncia, a menos *e E!e o fe4 atra+s de mim E* comecei a tocar o *ngido do Senhor, e fa4er a S*a danos
-rofetas >*i egoísta org*!hoso *ando o Senhor *so* *m dos me*s -r:-rios discí-*!os, e fi*ei com ci2mes *ando o
Senhor moido atra+s de a!g*+m *e estaa fora do me* -r:-rio minist+rio 9ostaria de -roc*rar -or a!go *e estaa
errado com e!es *e e* -oderia atacar E* não sa/ia *e cada e4 *e e* E* s: fi4 isso re/aixado me ainda mais "
"E* n*nca so*/e *e oc< tinha feito a!go assim", e* disse, s*r-reso
"E* me incitaram os homens so/ a inestigar os o*tros e fa4er o me* tra/a!ho s*0o E* tinha!hes asc*!har a terra -ara
encontrar *a!*er erro o* -ecado na ida dos o*tros -ara ex-;!os Torneime a -ior coisa *e *m homem -ode tornar
se na terra *ma -edra de tro-e1o *e -rod*4i* o*tros o/st@c*!os Seme@mos medo e diisão de toda a igre0a, t*do em
nome de -roteger a erdade Fa minha se!frighteo*sness e* estaa indo -ara a -erdi1ão Em S*a grande miseric:rdia do
Senhor me -ermiti* ser atingido -or *ma doen1a *e traria *ma morte !enta e h*mi!hante Po*co antes de e* morrer e*
im a me*s sentidos e se arre-ende* esto* a-enas agradecido -or estar a*i E* -osso ser *m dos menos de Se* a*i,
mas + m*ito
desc*!-as mais
-ara do *e
a*e!es de e* merecem
oc<s *e e*E* sim-!esmente
tanto in0*sti1ado não
" conseg*ia sair desta sa!a at+ *e e* tie a chance de -edir
"Mas oc< n*nca erro* comigo", e* disse
"3h, mas e* de fato", res-onde* e!e "M*itos dos ata*es *e inha contra :s foram da*e!es a *em e* tinha agitado e
incentiados em se*s ata*es a o*tros A-esar de e* não ter, -essoa!mente, exec*taram os ata*es -ara fora, o Senhor
tem me tão res-ons@e! *anto a*e!es *e o fi4eram"
"E* e0o 8ertamente e* te -erd;o"
E* 0@ estaa come1ando a se !em/rar de como e* tinha feito a mesma coisa, mesmo *e em menor esca!a =em/reime de
como e* tinha -ermitido descontentes exmem/ros de *ma igre0a -ara es-a!har se* eneno so/re essa igre0a, sem det<
!os E* sa/ia *e -or a-enas o *e !hes -ermite fa4er isso sem corrigi!os e* tinha os encora0o* a contin*ar =em/rome
de -ensar *e 6sto foi 0*stificado -or ca*sa dos erros da*e!a igre0a Então comecei a !em/rar de como e* tinha,
inc!*sie, re-eti* m*itas das s*as hist:rias, 0*stificandoa, di4endo *e era a-enas -ara a!istarse ora1.es -or e!es =ogo
*ma grande in*nda1ão de o*tros incidentes deste ti-o come1aram a s*rgir em me* cora1ão Mais *ma e4, e* estaa
come1ando
"E*, tam/+m, a ser
t<mdominado
sido *ma -e!o
-edrama!
deetro-e1o?"
as treas E*
de minha
gemia,-r:-ria a!ma
caindo noamente de 0oe!hos E* sa/ia *e merecia a morte,
*e e* merecia o -ior ti-o de inferno E* n*nca tinha isto ta! cr*e!dade e cr*e!dade *e e* estaa endo agora em me*
-r:-rio cora1ão
"E n:s sem-re nos confortados -e!o fato de -ensar *e n:s est@amos fa4endo *m faor a Be*s *ando atacamos Se*s
-r:-rios fi!hos", eio a o4 com-reensão deste homem "D /om -ara oc< er isso a*i, -or*e oc< -ode o!tar Por
faor, aisar os me*s discí-*!os de s*a morte iminente se não se arre-enderem M*itos de!es são chamados a ser reis a*i,
mas se e!es não se arre-enderem e!es terão de enfrentar o -ior 0*!gamento de todos, *e dos o/st@c*!os Minha doen1a
h*mi!hante foi a gra1a de Be*s C*ando e* estaa em -+ diante do trono e* -edi ao Senhor *e enie tanta gra1a aos
me*s discí-*!os E* não -ode cr*4ar de o!ta -ara e!es, mas E!e -ermiti* me desta e4 com oc< Por faor, -erdoe e
!i/erte a*e!es *e atacaram oc< E!es rea!mente não entendem *e e!es estão fa4endo o tra/a!ho do ac*sador 3/rigado
-or me -erdoar, mas -or faor, -erdoa!hes tam/+m E!e est@ em se* -oder -ara manter -ecados o* co/ri!os com amor
-e1ote amar a*e!es *e estão agora os ossos inimigos "
E* ma! -odia
g!orioso, -*ra o*ir esse homem
e o/iamente agora*e e* estaa
tinha -oderestão*e
so/recarregado com me*na-r:-rio
não eram conhecidos -ecado
terra Fo Estee!ehomem
entanto, era tão
estaa -edindome
com *ma maior h*mi!dade do *e e* haia testem*nhado antes E* senti tanto amor indo de!e *e e* não -oderia
imaginar rec*sando!he, mas mesmo sem o im-acto do se* amor, e* me senti m*ito mais c*!-ados do *e *a!*er *m
-oderia ser *e estaa me atacando
"8ertamente, e* deo merecer *a!*er coisa *e e!es fi4eram -ara mim, e m*ito mais", res-ondi
"6sso + erdade, mas não + o -onto a*i", s*-!ico* "Todo m*ndo na Terra + merecedor da seg*nda morte, mas o nosso
Sa!ador nos tro*xe gra1a e de erdade Se *eremos fa4er a S*a o/ra *e deemos fa4er t*do em am/os gra1a e de
erdade Gerdade sem gra1a + o *e o inimigo tra4 *ando e!e em como *m "an0o de !*4"
"Se e* -*der ser entreg*e a -artir desta, ta!e4 e* serei ca-a4 de a0*d@!os", res-ondi "Mas oc< não -ode reconhecer *e
e* so* m*ito -ior do *e -oderia serO"
"E* sei *e o *e aca/o* de -assar -e!a s*a ca/e1a era r*im", e!e res-onde*, mas com *m amor e gra1a *e foi
-rof*ndo E* sa/ia *e e!e tinha se tornado tão -reoc*-ado -or mim e minha condi1ão como tinha sido -or se*s
-r:-rios discí-*!os
"6sso rea!mente + o c+*", disse!hes "6sso rea!mente + !*4 e erdade 8omo -odemos n:s, *e iem na esc*ridão como
tornarse tão org*!hosos, -ensando *e sa/emos tanto so/re Be*sO Senhor?" E* gritei na dire1ão do trono, "Por faor,
deixeme ir e !ear esta !*4 de o!ta  Terra?"
6mediatamente todo o ex+rcito do c+* -arecia estar na aten1ão, e e* sa/ia *e e* era o centro de s*a aten1ão E* me senti
tão insignificante diante a-enas *m desses g!oriosos, mas *ando e* sa/ia *e e!es estaam todos o!hando -ara mim, o
medo eio como *ma onda Senti *e não -oderia haer castigo como se e* estiesse -restes a ex-erimentar E* me senti
como o maior
re-resentar inimigo da g!:ria
ade*adamente e da erdade
tamanha *e tão cheio
g!:ria e erdade da*e!e
Fão haia !*gar E*
nenh*ma estaa *e
maneira m*ito
e* corrom-ido, e* n*nca
-oderia na minha -oderia
corr*-1ão
transmitir a rea!idade do !*gar e g!oriosa Presen1a E* tinha certe4a de *e mesmo Satan@s não tiesse caído tanto *anto
e* tinha de gra1a Este + o inferno *e e* -ensaa Fão -ode haer -ior dor do *e -ara ser tão ma! como e* so* e sa/er
*e este ti-o de g!:ria existe Be ser /anido do a*i + *ma tort*ra -ior do *e e* sem-re sonhei Fão admira *e os
dem;nios são tão f*rioso e demente, -ensei
S: *ando e* senti *e estaa -restes a ser eniado -ara as regi.es mais -rof*ndas do inferno, e* sim-!esmente chorei
"JESIS?" Ra-idamente *ma -a4 tomo* conta de mim E* sa/ia *e tinha de seg*ir em frente -ara a g!:ria de noo, e de
a!g*ma forma e* tinha a confian1a necess@ria -ara fa4<!o E* contin*ei moendo at+ *e e* i *m homem *e e*
consideraa *m dos maiores escritores de todos os tem-os E* tinha considerado s*a -rof*ndidade de isão so/re a
erdade de ser, -ossie!mente, o maior *e e* tinha encontrado em todos os me*s est*dos
"Senhor, e* sem-re o!hei -ara a frente a este encontro", e* *ase deixo* esca-ar
"8omo e* tenho", e!e res-onde* com sinceridade gen*ína
"E* sinto mais
*e deo *e e* sei *e
a oc< do oc<, e em*a!*er
*e -ara se*s escritos
o*tra *ase
-essoame
*esenti
nãocomo se oc< denaa!g*ma
foi canoni4ado formae*mecontin*ei
Escrit*ra," conhecia E* acho
"Goc< + m*ito genti!", res-onde* e!e "Mas e* !amento *e e* não seri!o me!hor E* era *ma -essoa s*-erficia!, e os
me*s escritos eram rasas, e com mais sa/edoria m*ndana do *e a erdade diina"
"Besde *e e* estie a*i, e a-rendi t*do o *e e* a-rendi, e* sei *e isso dee ser erdade, mas e* ainda acho *e e!es
estão a!g*ns dos me!hores *e temos na terra", e* res-ondi
"Goc< est@ certo", este famoso escritor admiti*, com sinceridade "D m*ito triste Todo m*ndo a*i, mesmo a*e!es *e
se sentam mais -r:ximo do rei, iria ier s*as idas de maneira diferente se e!es tiessem os a ier mais, mas e* acho *e
e* iria ier a minha ainda mais diferente do *e a maioria >i*ei honrado -or reis , mas não conseg*i* o Rei dos reis
E* *sei o grandes -resentes e id+ias *e me foram dadas -ara atrair os homens mais -ara mim mesmo e minha sa/edoria
do *e e!e A!+m disso, e* conhecia a-enas -e!a a*di1ão do o*ido, *e + a maneira *e e* o/rigado o*tros homens a
conhec<=o >i4!os de-endentes de mim, e o*tros como e* Girei!os mais -ara o raciocínio ded*tio do *e o Es-írito
Santo, *e e* ma! conhecia E* não os homens a-ontam -ara Jes*s, mas -ara mim e aos o*tros como e*, *e fingia
conhec<=o
Minha menteC*ando
era o me*e* ído!o,
i e!e a*i, e* *eria
e e* *eria *echão
todosme*s escritos
adoram em -:,
a minha assim
mente como Se*
comigo fe4 Mois+s ao /e4erro
estima -ara de me
mim não o*ro
fa4em
a!egrar Se e* tiesse -assado tanto tem-o /*scando conhec<=o como e* fi4 -roc*rando sa/er so/re E!e, a fim de
im-ressionar os o*tros com o me* conhecimento, m*itos da*e!es *e estão no mais /aixo este de em-resas seria
sentado no trono *e foi -re-arado -ara e!es, e m*itos o*tros estariam nesta sa!a "
"E* sei *e -or ser a*i *e s*a aa!ia1ão de se* tra/a!ho + erdade, mas oc< não ser *m -o*co d*ro consigo mesmoO"
E* *estionei "S*as o/ras me a!imento* es-irit*a!mente -or m*itos anos, como e* sei *e e!es t<m *ma m*!tidão de
o*tros"
"E* não esto* sendo m*ito d*ro comigo mesmo T*do o *e e* disse + erdade, 0@ *e foi confirmado *ando e* estaa
em -+ diante do trono E* -rod*4i m*ito, mas me foi dada mais ta!entos do *e *ase ning*+m a*i, e e* os enterraram
de/aixo da minha org*!ho es-irit*a! e am/i1.es Assim como Adão -oderia ter rea!i4ado toda a ra1a h*mana -ara *m
f*t*ro mais g!orioso, mas -or se* fracasso !eo* mi!hares de mi!h.es de a!mas -ara a -ior das trag+dias, com a*toridade
em a res-onsa/i!idade 3 mais a*toridade *e são dadas, mais -otencia! tanto -ara o /em eo ma! *e oc< ter@ A*e!es
*e
fa!haai goernar
h*mana, o*com E!e -ara
a it:ria, as idades
ressoa sa/er@deres-onsa/i!idade
m*ito a!+m do ti-o
nossa com-reensão, mais -ara
mesmo -rof*ndo Fing*+m
as gera1.es -araest@
ir so4inho,
3s m*itose cada
mi!hares *e e* -oderia ter cond*4ido ade*adamente teria res*!tado em m*itos mi!h.es mais a*i C*a!*er *m *e
entende a erdadeira nat*re4a da a*toridade n*nca iria -roc*r@!o, mas a-enas aceit@!a *ando e!es sa/em *e estão
atre!ados com o Senhor, o 2nico a*e!e *e -ode !ear a a*toridade sem tro-e1ar F*nca /*s*e inf!*<ncia -ara si
mesmo, mas a-enas /*scar ao Senhor e estar dis-osto a tomar o Se* 0*go Minha inf!*<ncia não a!imentar o se* cora1ão,
mas se* org*!ho em conhecimento "
"8omo -osso sa/er *e não esto* fa4endo o mesmoO" Perg*ntei como e* comecei a -ensar nos me*s -r:-rios escritos
"Proc*ra a-resentarte a Be*s a-roado, os homens não", res-onde* e!e *ando e!e o!to* -ara as fi!eiras Antes de
desa-arecer, e!e se iro* e com o menor sorriso, oferece* *m 2!timo conse!ho5 "E não me siga"
Feste m*!tidão -rimeira e4 *e i m*itos o*tros homens e m*!heres de Be*s, tanto o me* tem-o e da hist:ria -r:-ria
Parei e fa!ei com m*itos mais E* estaa chocado *e tantos *e deer@ estar em -osi1.es mais a!tas foram no -osto mais
/aixo do reino M*itos com-arti!haram a mesma hist:ria /@sica, *e todos e!es tinham caído no -ecado morta! do
org*!ho a-:s a s*a grandes it:rias, o* caído ao ci2me *ando o*tros homens foram *ngidos tanto como e!es foram
3*tros tinham caído -ara a co/i1ar, desKnimo o* amarg*ra -erto do fim de s*as idas e tieram *e ser tomadas antes
*e e!es cr*4aram a !inha -ara a -erdi1ão Todos e!es me deram o mesmo a!erta5 a maior a*toridade es-irit*a! *e oc<
anda dentro, *anto mais oc< -ode cair se oc< -artir do amor e h*mi!dade
8omo e* contin*ei em dire1ão ao tri/*na! *e come1o* a -assar a*e!es *e eram de maior hierar*ia no reino Be-ois
de m*itos +*s mais tiesse sido arrancada de mim -or re*ni.es com a*e!es *e tro-e1aram os mesmos -ro/!emas *e
e* tinha, comecei a conhecer a*e!es *e tinham s*-erado 8onheci casais *e seri* ao Senhor e *ns aos o*tros
fie!mente
caminho da at+ida,
o fim S*a g!:ria
e seri=o coma*ifide!idade
foi indescritíe!,
A*e!ese*e
s*a tro-e1o*,
it:ria metro-e1o*
incentio*
em*e era -ossíe!
m*itas maneiras-ara -ermanecer
diferentes no *e
A*e!es
-rea!ece* todos fi4eram o mesmo caminho *e e!es não se afasto* da s*a deo1ão ao -rimeiro e maior mandamento5
amar o Senhor Por este seri1o foi feito s*a a E!e, não os homens, nem mesmo -ara os homens es-irit*ais Estes foram
os *e adoraram o 8ordeiro, e seg*iam onde *er *e fosse
C*ando e* ainda não estaa ainda a meio caminho do trono, *e tinha sido a g!:ria indescritíe! de -rimeira ordem agora
-arecia estar nas treas exteriores, em com-ara1ão com a g!:ria desses e* estaa -assando agora A maior /e!e4a na Terra
não se *a!ifica -ara ser encontrado em *a!*er !*gar no c+* E foime dito *e esta sa!a era a-enas o !imiar dos reinos
indescritíe!?
Minha marcha -ara o trono -ode ter !eado dias, meses o* mesmo anos Fão haia maneira de medir o tem-o na*e!e
!*gar Para me* desconforto consider@e!, todos e!es mostraram grande res-eito a mim, não -or ca*sa de *em e* era o*
*a!*er coisa *e e* tinha feito, mas sim-!esmente -or*e e* era *m g*erreiro na /ata!ha dos 2!timos dias Be a!g*ma
forma, atra+s desta 2!tima /ata!ha, a g!:ria de Be*s seria ree!ado de ta! forma *e seria *ma testem*nha de todo -oder
esa/edoria
a*toridade, criadoseria
de Be*s o* ainda a ser criada,
conhecido de *ma-or toda aes-ecia!
maneira eternidade
ParaB*rante
a /ata!haesta
*e/ata!ha a g!:ria
era -ara da cr*4
ser dada *ma seria ree!ado,honras
das maiores ea
dadas aos da ra1a dos homens
C*ando me a-roximei do tri/*na! de 8risto, a*e!es nos mais a!tos esca!.es tam/+m foram sentados em tronos *e
foram todos -arte de se* trono Mesmo o menor destes tronos era mais g!oriosa do *e *a!*er trono terrestre m*itas
e4es A!g*ns destes foram goernantes so/re as cidades na terra *e !ogo tomar se* !*gar 3*tros foram os goernantes
so/re os neg:cios do c+*, e o*tros so/re os neg:cios da cria1ão física, tais como sistemas de estre!as e ga!@xias Fo
entanto, era eidente *e a*e!es *e rece/eram a a*toridade so/re as cidades foram estimados acima a*e!es *e se*er
tinha sido dada a*toridade so/re as ga!@xias 3 a!or de *ma 2nica crian1a foi mais do *e *ma ga!@xia de estre!as, -or*e
o Es-írito Santo ha/ito* entre os homens, e *e o Senhor tinha esco!hido homens como s*a morada eterna Fa -resen1a
de S*a g!:ria toda a terra -arecia tão insignificante como *m grão de -oeira, e ainda assim era tão infinitamente estimado
*e a aten1ão do anfitrião inteiro do c+* estaa so/re e!e
Agora *e e* estaa em -+ diante do trono, e* me senti m*ito menos do *e *m grão de -oeira Mesmo assim, senti o
Es-írito
>oi a*i Santo
*e e*so/re mim im
rea!mente de *ma maneiraSe*
a entender maior do *e e*
minist+rio 0@ tie
como nossoD -e!o Se* -oder
8onso!ador E!efoi!eo*me
so4inho atra+s
*e e* era ca-a4a iagem,
de toda de ficar
em/ora e* ma! tinha notado e!e
3 Senhor era tanto mais s*ae e mais terríe! do *e e* 0amais haia imaginado Fe!e e* i Sa/edoria *e me
acom-anhara at+ a montanha, e senti* a fami!iaridade de m*itos dos me*s amigos na terra Reconheci=o como A*e!e
*e e* tinha o*ido fa!arme m*itas e4es atra+s dos o*tros E* tam/+m reconheceram como A*e!e *e e* tinha,
m*itas e4es re0eitada *ando E!e eio -ara mim em o*tros E* i os dois e *m =eão 8ordeiro, Pastor e Es-oso, mas a
maioria de t*do *e e* i a*i, como o J*i4
Mesmo em S*a -resen1a im-ressionante, o 8onso!ador era tão -oderosamente comigo e* estaa confort@e! >oi tam/+m
eidente *e o Senhor, de modo a!g*m *eria *e e* fosse desconfort@e!7 E!e s: *eria *e e* so*/esse a erdade
Pa!aras h*manas não são s*ficientes -ara descreer tanto o *ão incríe!, o* como a!íio era -ara estar diante do Senhor
E* tinha -assado o -onto onde e* estaa -reoc*-ado se o 0*!gamento ia ser /om o* r*im, e* s: sa/ia *e seria certo, e
*e e* -oderia confiar no me* J*i4
Em *m -onto
estaam a4iosoE!e
Senhor
entãoo!ho*
disse5-ara as ga!erias
"Estes de tronos
tronos são -ara osaoencedores
redor de!e*e
M*itos foram
tenham oc*-ados
serido -or santos,
Me fie!mente emecada
m*itos
gera1ão
Me* Pai e e* -re-arei!os antes da f*nda1ão do m*ndo Goc< digno de se sentar em *m dessesO"
=em/reime *e *m amigo tinha *ma e4 disse5 "C*ando *m Be*s onisciente !he fa4 *ma -erg*nta, e!e
não + -or*e E!e est@ -roc*rando informa1.es "3!hei -ara os tronos 3!hei -ara a*e!es *e estaam sentados E*
-oderia reconhecer a!g*ns dos grandes her:is da f+, mas a maioria dos assentados E* sa/ia *e não tinha se*er sido /em
conhecido na terra M*itos E* sa/ia *e tinha sido mission@rios *e haiam gasto s*as idas na o/sc*ridade E!es n*nca
tinham se im-ortaa de ser !em/rado na terra, mas a-enas -ara e!e >i*ei *m -o*co s*r-reso ao er a!g*ns *e tinham
sido ricos, o* goernantes *e tinham sido fi+is com o *e tinha sido dado Fo entanto, -arecia *e os fi+is, orando
m*!heres e mães oc*-adas tronos mais do *e *a!*er o*tro gr*-o 2nico
Fão haia nenh*ma maneira *e e* -oderia res-onder "sim"  -erg*nta do Senhor, se e* me consideraa digno de se
sentar a*i E* não era digno de sentarse na com-anhia de *a!*er *m *e estiesse !@ E* sa/ia *e tinha sido dada a
o-ort*nidade de concorrer ao maior -r<mio no c+* o* na terra, e e* tinha fa!hado >i*ei deses-erada, mas ainda haia
*ma es-eran1a Mesmo *e a maioria da minha ida tinha sido *m fracasso, e* sa/ia *e e* estaa a*i antes de e* ter
terminado a minha ida na terra C*ando confessei *e e* não era digno, E!e -erg*nto*5
"Mas oc< *er este !*garO"
"E* fa1o com todo o me* cora1ão", e* res-ondi
3 Senhor então o!ho* -ara as ga!erias e disse5 "A*e!es assentos a4ios -oderia ter sido -reenchido em *a!*er gera1ão
Bei o conite -ara sentarse a*i a todos *e tem chamado o me* nome E!es ainda estão dis-oníeis Agora, a 2!tima
/ata!ha eio, e m*itos *e são 2!timos serão os -rimeiros Estes !*gares serão -reenchidos antes da /ata!ha + so/re a*e!es
*e
Goc<aitem
se agora
sentar oa*i oc<Se
manto aioc<
sa/er-*der
-or d*as coisas5
mant<!o e nãoe!es-erd<!o
ão estir
na o/ata!ha,
manto*ando
da h*mi!dade, e e!es terão
oc< retornar, oc<My seme!han1a
tam/+m ter@ My
seme!han1a Então, oc< ser@ digno de sentarse com estas, -or*e e* o* te fi4 digno Toda a a*toridade e -oder tem
>oime dada, e s: e* -osso *s@!o Goc< ai -rea!ecer, e oc< ai ser confiado com Minha a*toridade somente *ando
oc< eio tota!mente -ermanecerdes em mim Agora ire e o!he -ara minha famí!ia "
E* me irei e o!hei -ara tr@s na dire1ão *e e* tinha indo Be diante do se* trono e* -odia er o *arto inteiro 3
es-et@c*!o foi a!+m de *a!*er com-ara1ão terrena -ara s*a g!:ria Mi!h.es cheio nas fi!eiras 8ada indiíd*o no níe!
mais /aixo foi mais im-ressionante do *e *m ex+rcito, e e* sa/ia *e tinha mais -oder >oi m*ito a!+m da minha
ca-acidade de a/sorer tais *m -anorama da g!:ria Mesmo assim, e* -odia er a a-enas *ma -arce!a m*ito -e*ena da
grande sa!a estaa oc*-ada
E*, então, o!ho* -ara o Senhor e fico* s*r-reso ao er !@grimas nos se*s o!hos E!e tinha !im-ado as !@grimas de cada
o!ho a*i, mas os Se*s 8omo *ma !@grima corria -or se* rosto, e!e -ego* em s*a mão E!e então oferece*me "Este + o
me* co-o Goc< ai /e/er comigoO"
Fão haia
grande nenh*ma
amor Mesmomaneira
*ando*e
fa!tae*como
-oderia rec*s@!o
e* era 8omo
E!e ainda o Senhor
me amaa contin*o*
8omo a o!har
indignos como-ara mim, comecei
e* estaa a sentir
E!e *eria *e e*Se*
fosse -erto Be!e Então E!e disse5
"E* amo t*do isso com *m amor *e não se -ode entender agora E* tam/+m adoro todos os *e são s*-ostamente
-ara estar a*i, mas não eio Beixei a QQ -ara ir atr@s de *em
estaa -erdido Me*s -astores não deixaria o 2nico a ir a-:s o QQ *e ainda estão -erdidos E* im -ara sa!ar os
-erdidos Goc< ir@ -arti!har o me* cora1ão -ara ir -ara sa!ar o -erdidoO Goc< ai a0*dar a -reencher esta sa!aO Goc< ai
a0*dar a -reencher esses tronos, e todos os assentos o*tros nesta sa!aO Goc< ai ass*mir essa missão de tra4er a!egria -ara
o c+*, a mim e ao me* PaiO Este 0*!gamento + -ara minha -r:-ria casa, e minha -r:-ria casa não est@ cheio A 2!tima
/ata!ha não ser@ mais at+ *e minha casa est@ cheia S: então ser@ hora de nos redimir a terra, e remoer o ma! da Minha
cria1ão Se oc< /e/er o me* c@!ice oc< ai amar o -erdido do 0eito *e e* amaa "
E!e então -ego* *m co-o de modo c!aro *e fi*ei s*r-reso *e ainda existia em *m *arto de tanta g!:ria, e e!e co!oco*
a s*a !@grima ne!e E!e então me de* E* n*nca ex-erimentei nada tão amarga E* sa/ia *e e* -oderia de modo a!g*m
/e/a t*do, o* mesmo
-acientemente at+ *em*ito de!e, masirrom-e*
e* fina!mente e* estaaem
determinado
choro de ta!a /e/er
forma tanto
*e e**anto e* -oderia
me senti como rios3 de
Senhor es-ero*
=@grimas corriam de
mim E* estaa chorando -e!os -erdidos, mas ainda mais e* estaa chorando -ara o Senhor
3!hei -ara e!e em deses-ero -or*e e* não agLentaa mais deste grande dor Em seg*ida, S*a -a4 come1o* a encherme
e mist*re com o Se* amor *e e* estaa sentindo E* n*nca tinha sentido nada tão marai!hoso Esta foi a @g*a ia *e
e* sa/ia *e -oderia s*rgir -or toda a eternidade Então e* senti como se as @g*as *e f!*em dentro de mim -ego* fogo
8omecei a sentir *e este fogo cons*miriame se e* não -oderia come1ar a dec!arar a ma0estade de S*a g!:ria E* n*nca
tinha sentido tanta ontade de -regar, -ara ador@=o, e res-irar cada res-ira1ão *e me foi dado -or ca*sa do Se*
eange!ho
"Senhor?" E* gritei, es*ecendose todos, mas e!e "Agora e* sei *e este trono de 0*!gamento + tam/+m o trono da
gra1a, e -e1ote agora -ara a gra1a de seri=o Acima de t*do -e1o=he a gra1a? Pe1o=he a gra1a de terminar o me*
c*rso Pe1o oc< a gra1a de amarte como esta -ara *e e* -ossa ser entreg*e a -artir da de!írios e se!fcenteredness *e
tão -erertido minha ida A-e!o Ti -ara sa!a1ão de mim e do ma! do me* -r:-rio cora1ão, e -or este amor *e sinto
agora
Santo f!*ir
-ara contin*amente
conencerme em me* cora1ão
do me* -e1o=he a*e
-ecado -e1o=he me do
gra1a darEs-írito
se* cora1ão,
Santose* amor
-ara -e1o=he de
testem*nhar a gra1a
Goc<do, como
Es-írito
oc<
rea!mente + -e1o a gra1a de testem*nhar de t*do o *e Goc< tem -re-arado -ara a*e!es *e <m a :s -e1o a gra1a de
ser so/re mim -ara -regar a rea!idade do -resente ac:rdão -e1o a gra1a -ara com-arti!har com a*e!es *e são chamados
a oc*-ar esses tronos a4ios, -ara dar!hes -a!aras de ida *e ir@ mant<!os no caminho da ida, *e ir@ transmitir!hes a
f+ -ara fa4er o *e e!es t<m sido chamados a fa4er Senhor, s*-!icoGos -ara esta gra1a "
3 Senhor então !eanto*se Então todos os *e estaam sentados nos tronos -ara tão !onge *anto e* -odia er
tam/+m se !eanto* Se*s o!hos ardiam com *m fogo *e e* não tinha isto antes
"Goc< tem me chamado -ara a gra1a Este -edido n*nca negar Goc< dee retornar, e do Es-írito Santo estar@ com oc<
A*i oc< tem gosto de am/os /ondade e Minha graidade Goc< dee se !em/rar tanto se oc< for -ara ficar no o
caminho da ida 3 erdadeiro amor de Be*s inc!*i o 0*!gamento de Be*s Goc< dee sa/er tanto a minha /ondade ea
seeridade o* oc< cair@ ao engano Esta + a gra1a *e !he foi dado a*i, -ara sa/er tanto As conersas *e oc< tee
com ossos irmãos a*i foram a minha gra1a =em/re!os "
E!e então a-onto* s*a es-ada em dire1ão ao me* cora1ão, então a minha /oca, então minhas mãos
C*ando E!e fe4 esse fogo eio de s*a es-ada e *eimaramme com *ma grande dor "6sto tam/+m + gra1a", disse e!e
"Goc< + a-enas *ma das m*itas *e t<m sido -re-arados -ara esta hora Preach e escreer so/re t*do o *e oc< 0@ i*
a*i 3 *e e* disse -ara oc< di4er -ara me*s irmãos 9o e chamar me*s ca-itães -ara a 2!tima /ata!ha 9o e defender
os -o/res e os o-rimidos, as i2as e os :rfãos Esta + a comissão de My ca-itães, e + onde oc< ai encontr@!os Me*s
fi!hos a!em mais -ara mim do *e as estre!as no c+* A-ascenta os me*s cordeiros igias so/re o me* -e*eninos Bar a
-a!ara de Be*s -ara *e e!es -ossam ier G@ -ara a /ata!ha G@ e não rec*ar G@ ra-idamente -ara irei ra-idamente
3/ede1ame
!íder ando* aoe me*
a-resse
!adoo edia da minha
come1o* inda"Agora
a fa!ar " A com-anhia dossean0os
*e E!e tem então
E!e não aieio e me !eo*
sentarse -ara !onge
noamente do trono
at+ a 2!tima 3 +
/ata!ha
!ongo E!e foi sentado at+ o momento em *e se*s inimigos são -ara ser co!ocado de/aixo de se*s -+s 3 tem-o chego*
As !egi.es de an0os *e foram em -+ -ronto desde a noite de -aixão 0@ foram !i/erados so/re a Terra As hordas do
inferno tam/+m foram !i/erados Este + o momento *e toda a cria1ão foi es-erando 3 grande mist+rio de Be*s em
/ree estar@ conc!*ída Gamos agora !*tar at+ o fim =*taremos com oc< e se*s irmãos " Acordei

A Batalha /inal , 6arte =, (or i!" >o$ner

8omo e* contin*ei a -+ do tri/*na!, comecei a ref!etir so/re t*do o *e e* tinha aca/ado de ex-erimentar C*e tinha sido
tanto terríe! e marai!hosa Tão desafiador e cora1ão rending como tinha sido, e* me senti mais seg*ra do *e e* 0@ tie
Fo início, não tinha sido f@ci! de ser des-o0ado tão n* na frente de tantas -essoas, inca-a4 de esconder at+ mesmo *m
2nico -ensamento Mas *ando e* a-enas re!axado e aceito*, sa/endo *e era a !im-e4a minha a!ma, torno*se
-rof*ndamente
8omecei a sentir!i/ertadora
como se e*Fão tendores-irar
-*desse nada acomo
esconder foi como
e* n*nca tinhaso!tar o maisantes
res-irado -esado 0*go emais
C*anto os mais fortes e*
 ontade a!gemas
ficaa,
mais minha mente -arecia a*mento da s*a ca-acidade Então e* comecei a sentir *ma com*nica1ão em c*rso *e
nenh*ma -a!ara h*mana -oderia artic*!ar Pensei em coment@rios do A-:sto!o Pa*!o so/re s*a isita ao terceiro c+*,
onde e!e tinha o*ido -a!aras inef@eis H@ *ma com*nica1ão es-irit*a! *e transcende m*ito a *a!*er forma de
com*nica1ão h*mana D mais -rof*ndo e significatio do *e as -a!aras h*manas são ca-a4es de artic*!ar Be a!g*ma
forma e!e + *ma com*nica1ão -*ra de cora1ão e mente 0*ntos, tão -*ro *e não existe -ossi/i!idade de ma!entendido
C*ando o!hei -ara a!g*+m na sa!a, comecei a ficar com o *e e!e estaa -ensando, como e!e tinha sido ca-a4 de me
entender C*ando o!hei -ara o Senhor, comecei a entend<=o da mesma forma 8ontin*amos a *sar as -a!aras, mas o
significado de cada *ma tinha *ma -rof*ndidade *e nenh*m dicion@rio 0amais -oderia ter ca-t*rado Minha mente tinha
sido !i/ertado, -ara *e s*a ca-acidade foi m*!ti-!icada m*itas e4es >oi emocionante -ara a!+m de *a!*er ex-eri<ncia
anterior 8om*nica1ão do Es-írito
>oi tam/+m eidente *e o Senhor estaa gostando de ser ca-a4 de se com*nicar dessa forma comigo tanto *anto e*
estaa com e!e F*nca
+ a com*nica1ão de Be*santes e*cria1ão
 S*a haia entendido tão -rof*ndamente
S*as -a!aras o *e
são es-írito e ida, significaa
e se* -ara
significado e!e serexceder
e -oder a Pa!ara
emde Be*s
m*ito o Jes*s
nosso -resente defini1.es h*mana Pa!aras h*manas são *ma forma m*ito s*-erficia! da com*nica1ão do es-írito Be*s
nos crio* com a ca-acidade de com*nicar em *m níe! *e transcende em m*ito as -a!aras h*manas, mas -or ca*sa da
*eda e do fracasso na Torre de a/e!, -erdemos essa ca-acidade F:s não -odemos ser *em n:s fomos criados -ara
ser at+ *e rec*-erar isso, e s: -odemos a!can1@!a *ando estamos !ires em S*a -resen1a 8omecei a entender *e,
*ando a transgressão de Adão fe4 com *e e!e se esconder de Be*s, foi o início de *ma distor1ão mais terríe! do *e o
homem foi criado -ara ser E!e tro*xe *ma seera red*1ão de nossas ca-acidades inte!ect*ais e es-irit*ais Estes s: -odem
ser resta*rados *ando "sair da c!andestinidade" e são gen*inamente trans-arente 6sto significa a/rirnos a Be*s e *ns
aos o*tros D como n:s contem-!amos a g!:ria do Senhor com *m "rosto desco/erto" *e somos transformados na S*a
imagem 3s +*s, ca*sada -e!o nosso esconderi0o, dee ser descartada Primeira *estão, o Senhor a Adão de-ois de s*a
transgressão era5 "3nde oc< est@O" Ba mesma forma, + a -rimeira -erg*nta *e deemos res-onder se estamos a ser
resta*rado com /a/ados -ara e!e 8!aro, o Senhor sa/ia onde Adão estaa A -erg*nta foi -or ca*sa de Adão Esta
*estão
homem foi o inícioC*ando
de Be*s da /*sca
n:sde-odemos
Be*s -e!o homem A res-onder
inteiramente hist:ria daareden1ão + /*sca
esta -erg*nta, de Be*s
sa/er onde do homem
estamos emnão, a /*sca
re!a1ão do
a Be*s,
teremos foi tota!mente resta*rada -ara e!e Mas s: -odemos sa/er a res-osta a essa -erg*nta *ando estamos em S*a
-resen1a Essa foi a ess<ncia de toda a minha ex-eri<ncia no tri/*na! 3 Senhor 0@ sa/ia t*do *e haia -ara sa/er so/re
mim Toda a ex-eri<ncia foi -or minha ca*sa, -or isso gostaria de sa/er onde e* estaa >oi t*do -ara me tra4er de fora
da c!andestinidade, -ara tra4erme -ara fora da esc*ridão -ara a !*4 E* tam/+m comecei a entender o *anto o Senhor
dese0aa ser *m com Se* -oo Atra+s do 0*!gamento inteiro, E!e não estaa tentando me fa4er er a!go como /om o*
ma*, tanto *anto -ara <!o em *nião com e!e 3 Senhor estaa me -roc*rando mais do *e e* estaa -roc*rando e!e
3s se*s 0*í4os me !i/ertar, e Se* 0*!gamento do m*ndo ir@ definir o m*ndo !ire A esc*ridão no m*ndo tem sido
-er-et*ado -or nossa com-*!são -ara esconder, *e come1o* !ogo a-:s a *eda "Andar na !*4" + mais do *e a-enas
conhecer e o/edecer as erdades!o certo + ser erdadeiro e ser !ire da com-*!são -ara se esconder C*ando o dia do
0*!gamento ier, e!e ai tra4er o !iramento fina! de Adam de se* esconderi0o Fão s: ser@ a !i/erta1ão fina! de Adão, mas
tam/+m ai come1ar a !i/era1ão fina! da cria1ão, *e foi o/0ecto de seridão -or ca*sa de Adão "Andar na !*4" significa
não mais esconderde Be*s o* *a!*er o*tra -essoa A n*de4 de Adão e Ea antes da *eda não foi a-enas física, mas
es-irit*a! tam/+m C*ando a nossa sa!a1ão est@ com-!eto, amos conhecer este ti-o de trans-ar<ncia noamente Para
ser com-!etamente a/erto -ara os o*tros ai des/!o*ear reinos at*a!mente não sa/e mesmo existe 6sto + o *e Satan@s
est@ tentando de contrafac1ão atra+s do Moimento Foa Era

etorna sa%edoria

En*anto caminhaa, -onderando t*do o *e e* tinha a-rendido, o Senhor a-arece* de re-ente ao me* !ado noamente
na forma da Sa/edoria E!e agora -arecia m*ito mais g!oriosa do *e e* 0@ tinha isto e!e, mesmo *ando E!e estaa na
cadeira de 0*i4 >i*ei tanto atordoado e m*ito fe!i4 "Senhor, se oc< o!tar comigo assimO" E* -erg*ntei
"E* sem-re estarei com oc< assim Fo entanto e* *ero ser ainda mais -ara oc< do *e do 0eito *e oc< me er agora
Goc<s t<m isto Minha /ondade e My graidade a*i, mas oc< ainda não tota!mente conhecerMe como o J*sto J*i4
"6sso me s*r-reende* E* tinha aca/ado de -assar *ma *antidade consider@e! de tem-o antes de Se* trono de
0*!gamento, e senti *e t*do *e e* tinha indo a a-render -ertencia a se* 0*í4o E!e fe4 *ma -a*sa -ara -ermitir *e esta
-ia e, em seg*ida contin*o*5 "H@ *ma !i/erdade *e em *ando oc< -erce/er a erdade, mas *em e* !i/erto + !ire de
fato A !i/erdade de Minha -resen1a + maior do *e a-enas sa/er a erdade Goc< ex-erimento* !i/erta1ão na minha
-resen1a, mas ainda h@ m*ito mais -ara oc< entender so/re os me*s 0*í4os C*ando e* 0*!go, e* não esto* -roc*rando
-ara condenar o* -ara 0*stificar, mas -ara tra4er 0*sti1a J*sti1a s: + encontrado em *nião comigo Esse + o 0*!gamento
0*sto tra4er homens em *nidade 8omigo "Minha igre0a agora est@ co/erta de ergonha, -or*e e!a não tem 0*í4es E!a
não
E!es tem
não 0*í4es, -or*e
ão a-enas e!a não
decidir me-essoas
entre conheceo*como o J*i4
*est.es, -oisAgora o*fa4er
e!es ão !eantar 0*í4esdireito,
as coisas -ara me* -oo,
o *e *e sa/e
significa me* 0*í4o
co!oc@!os em
acordo comigo "C*ando e* a-areci a Jos*+ como o 8a-itão do Ex+rcito, dec!arei *e e* não era nem -ara e!e nem se*s
inimigos E* n*nca ir a tomar -artido C*ando e* enho, + -ara tirar o excesso de não tomar -artido E* a-areci como o
8a-itão do Ex+rcito antes de 6srae! -oderia entrar em s*a Terra Prometida A igre0a agora est@ -restes a entrar em s*a
Terra Prometida, e esto* e* de noo -restes a a-arecer como o 8a-itão do Ex+rcito C*ando e* fi4er, o* tirar todos os
*e foram for1ando o me* -oo a tomar -artido contra os se*s irmãos "Minha 0*sti1a não toma -artido nos conf!itos
h*manos, mesmo os *e eno!em o me* -oo 3 *e e* estaa fa4endo atra+s de 6srae!, e* estaa fa4endo -ara se*s
inimigos, tam/+m não contra e!es D s: -or*e oc< < a -artir da -ers-ectia terrena, tem-ora! *e oc< não < Minha
0*sti1a Goc< dee er minha 0*sti1a, a fim de andar na minha a*toridade, -or*e a 0*sti1a ea 0*sti1a são a /ase do me*
trono "E* tenho im-*tada a 0*sti1a ao -oo *e e* esco!hi Mas, como 6srae! no deserto, at+ mesmo os maiores santos
da era da igre0a s: se a!inhado com os me*s caminhos *ma -e*ena -arte do tem-o, o* com *ma -e*ena -arte de s*as
mentes e cora1.es E* não so* -ara e!es o* contra os se*s inimigos, mas e* o* *sar o me* -oo -ara sa!ar se*s
inimigos E* amo todos os homens e dese0o de *e todos se0am sa!os "
0rmãos usada (elo inimigo

E* não -*de deixar de -ensar so/re a grande /ata!ha *e haia !*tado na montanha Tiemos m*itos feridos dos nossos
-r:-rios irmãos como n:s !*tamos contra o ma! contro!@!os M*itos de!es ainda estaam no acam-amento do inimigo,
se0a sendo *sada -or e!e o* mantidos como -risioneiros 8omecei a me -erg*ntar se a -r:xima /ata!ha seria contra os
nossos -r:-rios irmãos noamente 3 Senhor estaa me o/serando -onderar t*do isto, e então E!e contin*o*5 "At+ a
2!tima /ata!ha + mais de *e sem-re haer@ a!g*ns de nossos irmãos *e estão sendo *sados pelo inimigo. Mas isso não +
-or isso *e esto* !he di4endo isso agora Esto* !he di4endo isso -ara a0*d@!o a er como o inimigo rece/e em se*
-r:-rio cora1ão e mente, e como e!e *sa oc<? Mesmo agora, oc< ainda não < t*do do 0eito *e e* fa1o "6sso + com*m
com o me* -oo Feste momento, mesmo My maiores !íderes raramente estão em harmonia comigo M*itos estão
fa4endo /oas o/ras, mas m*ito -o*cos estão fa4endo o *e tenho chamado -ara fa4er 6sto + -rinci-a!mente o res*!tado
de
*ediis.es entre
irão -ara oc<s
o me* E* "Goc<
!ado não esto*
est@ o!tando a tomar
im-ressionado -artidoe*a!he
*ando nenh*m gr*-o,
do* *ma mas e*
-a!ara esto* chamandoso/re
de conhecimento" -ara a*e!es
a doen1a
física de a!g*+m, o* a!g*m o*tro conhecimento *e não + conhecido Este conhecimento em *ando oc< toca minha
mente a-enas *m -e*eno gra* E* sei todas as coisas Se oc< fosse com-!etamente t<m Minha mente *e oc< seria
ca-a4 de sa/er t*do so/re todos *e oc< encontra exatamente como oc< come1o* a ex-eri<ncia a*i Goc< eria todos
os homens do 0eito *e e* <!os Mas, mesmo assim, não h@ mais a tota! -ermanece em mim Para sa/er como *sar esse
conhecimento corretamente, oc< dee ter Me* cora1ão S: então oc< ai ter me* 0*í4o "S: -osso confiar em oc< com
me* conhecimento so/renat*ra! na medida em *e oc< conhece o me* cora1ão 3s dons do Es-írito *e e* !i/erei a
minha igre0a, mas são -e*enos sím/o!os dos -oderes do m*ndo indo*ro Tenhoos chamado -ara ser mensageiros de
*e idade, e oc< dee, -ortanto, sa/er os se*s -oderes Goc< dee -roc*rai com 4e!o os dons, -or*e e!es são *ma -arte
de mim, e e* !hes dei a oc< -ara *e oc< -ossa ser como e* Est@ direito de -roc*rar sa/er Minha mente, me*s
caminhos e me*s -ro-:sitos, mas oc< tam/+m dee sinceramente dese0o de conhecer o me* cora1ão C*ando oc<
conhece o me* cora1ão, então os o!hos do osso cora1ão ser@ a/erto Então oc< ai er como e* e0o, e oc< ai fa4er o
*e fa1o "Jam so/re a confiar m*ito mais dos -oderes do m*ndo indo*ro a minha igre0a Fo entanto, h@ *ma grande
dece-1ão *e m*itas e4es em so/re a*e!es *e são de confian1a, com grande -oder Se oc< não entender o *e esto*
-restes a te mostrar, oc< tam/+m ai cair este engano "Goc<s -ediram a minha gra1a, e oc< dee t<!o  A -rimeira gra1a
*e ir@ mant<!o no caminho da ida + conhecer o níe! de s*a dece-1ão -resente Bece-tion eno!e *a!*er coisa *e
oc< não entende o *e e* fa1o Sa/er o níe! de s*a dece-1ão -resente tra4 a h*mi!dade, e e* do* minha gra1a aos
h*mi!des "D -or isso *e e* disse, C*em + tão cego, mas o me* sero   "E + -or isso *e disse aos farise*s," + -ara o
0*!gamento *e e* im ao m*ndo   -ara dar isão a *em não <, e -ara tornar cegos os *e <em   Se f;sseis cegos
não
cegoseria c*!-ado,
*ando !ig*eimas
-ara-or*e oc<2nica
e!e Minha di4 -ara
!*4 er, a s*aa c*!-a
ree!o* -ermanece
s*a erdadeira "D tam/+m
condi1ão 8omo-or
e!e,isso a minha
oc< !*4cega
dee ser atingi* Pa*!
no nat*ra!
-ara *e oc< -ode er -e!o me* Es-írito "8onse!ho A-:sto!os E*, então, senti*se com-e!ido a o!har -ara a*e!es *e
estaam sentados nos tronos est@amos -assando 8omo e* fi4, me* o!har cai* so/re *m homem *e e* sa/ia era o
a-:sto!o Pa*!o 8omo e* o!hei -ara o Senhor, E!e fe4 sina! -ara e* fa!ar com e!e "E* tenho assim es-eraa isso", e*
disse, sentindose estranho, mas animado -or esta re*nião "E* sei *e oc< est@ ciente do *anto s*as !etras t<m g*iado a
6gre0a, e e!es -roae!mente ainda estão rea!i4ando mais do *e todo o resto de n:s 0*ntos Est@ ainda *m dos maiores
!*4es so/re a terra "" 3/rigado ", disse e!e genti!mente "Mas oc< não ficar com o *anto temos ag*arda com
ex-ectatia a re*nião de todos oc<s Est@ so!dados na 2!tima /ata!ha, oc< são os *e todos a*i est@ es-erando -ara se
encontrar S: imos estes dias agamente atra+s de nossa isão !imitada -rof+tico, mas oc< foi esco!hido -ara ier
ne!es Est@ so!dados se -re-arando -ara a 2!tima /ata!ha Goc< + o *e temos todos estaam es-erando "Ainda sentindo
estranho, e* contin*ei5" Mas não h@ nenh*ma maneira *e e* -ossa transmitir o a-re1o *e sentimos -or oc< e -ara os
o*tros *e a0*daram a definir o nosso c*rso com s*as idas e se*s escritos  Tam/+m sei *e teremos *ma eternidade
-ara a troca
gera1ão *e de
ainosso a-re1o,
nos a0*dar -or/ata!haO
nesta faor, en*anto
"" E* s:e* esto*di4er
-osso a*i,-ara
deixeme -erg*ntar5
oc< agora o *e 3 *edisse
e* 0@ oc<-ara
diriaoc<
-araatra+s
a minhade
me*s escritos ", dec!aro* Pa*!, o!handome firmemente nos o!hos "Fo entanto, oc< ai entend<!as me!hor se oc<
-erce/er *e e* fico* a*+m de t*do o *e f*i chamado -ara fa4er" "Mas oc< est@ a*i, em *m dos maiores tronos?"
E* -rotestei "Goc< ainda est@" co!hendo mais fr*tos -ara a ida eterna do *e *a!*er *m de n:s -oderia sem-re
es-erar -ara co!her "
"Pe!a gra1a de Be*s e* f*i ca-a4 de terminar o me* c*rso, mas e* ainda não ando* em t*do o *e f*i chamado -ara E*
fico* a*+m das mais a!tos -ro-:sitos *e e* -oderia ter caminhado em todo m*ndo tem Sei *e a!g*ns -oderiam
consider@!a -raticamente /!asf<mia -ensar em mim como nada menos do *e o maior exem-!o do minist+rio cristão,
mas e* estaa sendo honesto *ando escrei -erto do fim da minha ida *e e* era o maior dos -ecadores E* não estaa
di4endo *e e* tinha sido o maior dos -ecadores, mas sim *e e* era o maior dos -ecadores então Mesmo *e e* tiesse
sido dada tanta com-reensão, e* andei em re!atiamente -o*co de!a "" 8omo isso -oderia -ossie!mente serO "E*
-erg*ntei "E* -ensei *e oc< estaa a-enas a ser h*mi!de" "A erdadeira h*mi!dade + acordo com a erdade Fão
tenha
m*ito,medo Minhas
e e* não *so cartas
t*do oeram erdadeiras,
*e me foi dada eE*,
foram escritas
tam/+m, -e!aa*+m
fico* *n1ão do Es-írito
Todo m*ndo Santo
a*iFo entanto,
fico* a*+m,mecom
foi dado
exce1ão de
*m A ra4ão *e oc< dee er este -artic*!armente so/re mim + *e m*itos ainda estão distorcendo me*s ensinamentos,
-or*e e!es t<m *ma isão distorcida de mim "" 8omo oc< i* a -rogressão nas minhas cartas, e* f*i de sentimento *e
e* não era inferior at+ mesmo -ara os a-:sto!os mais eminentes, a reconhecer *e e* era o menor dos a-:sto!os Gi então
*e e* era o menor dos santos, e, fina!mente, *e e* era o maior dos -ecadores E* não estaa a-enas a ser h*mi!de, mas
e* estaa fa!ando a erdade s:/ria Me foi confiada com m*ito mais do *e e* *sei H@ somente Im a*i *e fri!!y
acreditaa, *e -!enamente c*m-ridas, e *e rea!mente terminar t*do o *e E!e foi dado -ara fa4er Mas oc< -ode andar
em m*ito mais do *e e* "

edes!o%rindo a /undação

Em e4 de/i!mente, e* res-ondi5 "E* sei *e o *e oc< est@ di4endo + erdade, mas oc< tem certe4a esta + a mensagem
mais im-ortante
a/so!*ta "9ostei*e oc<da-oderia
m*ito gra1a dodarSenhor
a n:s *sar
-ara as
a 2!tima
minhas/ata!haO" "E* tenho
cartas como certe4a?",
E!e, mas Esto* E!e res-onde*
-reoc*-ado comcom conic1ão
a forma como
m*itos de oc<s estão *sandoos indeidamente E!es são a erdade do Es-írito Santo e são as Escrit*ras 3 Senhor me
de* grandes -edras -ara definir so/re a estr*t*ra de s*a igre0a eterna, mas e!es não são -edras f*ndamentais As -rimeiras
-edras foram co!ocadas -or Jes*s so4inho Minha ida e minist+rio não são o exem-!o do *e sois chamados a ser, s:
Jes*s + isso "Se o *e escrei + *sado como *ma /ase, não ser@ ca-a4 de s*-ortar o -eso do *e -recisa ser constr*ído
so/re e!a 3 *e escrei dee ser constr*ída so/re o f*ndamento 2nico *e -ode s*-ortar o *e oc< est@ -restes a
sofrer, não dee ser *ti!i4ado como /ase Goc< dee er me*s ensinamentos atra+s dos ensinamentos do Senhor, não
tentar ficar com e!e da minha -ers-ectia S*as -a!aras são a f*nda1ão Tenho a-enas constr*ída so/re e!es, conce/endo
as S*as -a!aras A maior sa/edoria e as erdades mais -oderosas são s*as -a!aras, não a minha "D im-ortante -ara oc<
sa/er *e e* não andar em t*do o *e estaa dis-oníe! -ara mim H@ m*ito mais dis-oníeis -ara cada crente a andar
em *e e* fi4 Todos os erdadeiros crentes t<m o Es-írito Santo ne!es 3 -oder dA*e!e *e crio* todas as coisas ie
dentro de!es 3 menor dos santos tem o -oder de moer montanhas, -ara -arar de ex+rcitos, o* -ara ress*scitar os
mortos "Se oc< est@ -ara rea!i4ar t*do o *e oc< + chamado -ara fa4er em se* dia, me* minist+rio não dee ser isto
como a 2!tima -a!ara, mas a-enas como *m -onto de -artida Se* o/0etio não dee ser o de ser como e*, mas -ara ser
como o Senhor Goc< -ode ser como E!e e fa4er t*do o *e E!e fe4, e ainda mais, -or*e E!e sa!o* o se* me!hor inho
-ara o fina! "=em/reime *e a erdade s: -oderia ser fa!ado a*i E* sa/ia *e Pa*! estaa certo so/re a *ti!i4a1ão
errada dos se*s ensinamentos como *ma f*nda1ão, ao in+s de constr*ir so/re o f*ndamento dos Eange!hos Mas ainda
era difíci! -ara mim aceitar *e Pa*! tinha ficado a*+m de s*a oca1ão
3!hei -ara o trono de Pa*!o ea g!:ria do se* ser >oi m*ito mais do *e e* sem-re sonhei maiores santos no c+* teria E!e
foi
s*a tão franco
grande e reso!*to -ara
-reoc*-a1ão comotodas
e* es-eraa *eE*e!etinha
as igre0as fosseo Parece*me
ido!atraa, e tão
*e:/io como
foi *ma isso foi *e
transgressão *ee!ee!eainda carregaa
estaa tentandoa
me !i/ertar de Mesmo assim, e!e era m*ito maior do *e o Pa*! tinha ido!atrado Sa/endo *e e* estaa -ensando, e!e
co!oco* as d*as mãos nos me*s om/ros e me o!ho* nos o!hos ainda mais reso!*tamente "E* so* se* irmão E* te amo,
como todo m*ndo a*i fa4 Mas oc< dee com-reender *e o nosso c*rso est@ terminada F:s não -odemos
acrescentar nem tirar o *e -!anto* na terra, mas oc< -ode F:s não somos a ossa es-eran1a Est@ agora a nossa
es-eran1a Mesmo nesta conersa e* s: -osso confirmar o *e 0@ escrei, mas oc< ainda tem m*ito -ara fa4er -or
escrito Adorar somente a Be*s e crescer em todas as coisas -ara e!e F*nca fa1a *a!*er homem a s*a meta, mas a-enas
e!e "M*itos em /ree andar na terra *e ão fa4er o/ras m*ito maior do *e n:s 3 -rimeiro ser@ o 2!timo, eo 2!timo,
em -rimeiro !*gar F:s não nos im-ortamos isso D a a!egria dos nossos cora1.es, -or*e somos *m com oc< 3
Senhor *so* a minha gera1ão de !eigos e come1ar a constr*ir so/re o f*ndamento, e sem-re teremos a honra de
-artici-ar nisso Mas todos os andares constr*ída so/re a f*nda1ão dee ir mais a!to Fão ser@ o edifício *e + s*-osto ser
a menos *e oc< ir mais a!to "3 Minist+rio ea Mensagem En*anto e* ref!etia so/re isso, e!e fico* me o!hando de
-erto Entãoainda
igre0a E!es e!e contin*o*5
não foram "H@ d*as coisas
rec*-eradas, mas*e n:stem
oc< atingimos em nosso tem-o
*e rec*-er@!os *esãoO
"" 3 *e se -erderam m*itosentindo
"E* -erg*ntei, ra-idamente
*e o-e!a
*e e!e estaa -restes a di4er era mais do *e a-enas *m adendo ao *e e!e 0@ haia com-arti!hado comigo "Goc< dee
rec*-erar o minist+rio ea mensagem", disse e!e enfaticamente 3!hei -ara o Senhor, e e!e aceno* com a afirma1ão,
acrescentando5 "D certo *e Pa*! deeria di4er isso -ara oc< At+ este tem-o, e!e tem sido o mais fie! com esses dois ""
Por faor, ex-!i*e ", im-!orei Pa*!o "T*do /em", res-onde* e!e "Exceto -or a!g*ns -o*cos !*gares no m*ndo onde
existem grandes -erseg*i1.es o* as dific*!dades, não -odemos reconhecer nem o minist+rio o* a mensagem *e est@
sendo -regado ho0e Portanto, a igre0a + agora, mas *m fantasma do *e era mesmo em nosso tem-o, e est@amos !onge
de t*do o *e foram chamados a ser C*ando serimos, sendo no minist+rio foi o maior sacrifício *e a!g*+m -oderia
fa4er, e isso ref!eti* a mensagem do maior sacrifício *e foi feito, na cr*4 "A cr*4 + o -oder de Be*s, e + o centro de
t*do o *e somos chamados a ier Agora oc< tem tão -o*co -oder -ara transformar as mentes e os cora1.es dos
crentes, -or*e oc< não ie, e não -regar a cr*4 Por isso, temos dific*!dade em er m*ita diferen1a entre a igre0a e as
na1.es C*e não + o eange!ho o* a sa!a1ão com a *a! nos foi confiada Tem de o!tar -ara a cr*4 "8om estas -a!aras,
e!e a-erto*
e *ma me*s om/ros
re-reensão -rof*ndacomo *m -ai,me
En*anto e de-ois o!to*
afastaa, ao se*
comecei !*gar Senti
a -ensar so/recomo
o níe!sede
tiesse rece/ido
Sa!a1ão *ma /<n1ão
na montanha, e osincríe!
teso*ros da sa!a1ão e* tinha isto no interior da montanha 8omecei a er *e a maioria das minhas -r:-rias decis.es,
mesmo a decisão de entrar na -orta *e me tro*xe at+ a*i, foram /aseadas -rinci-a!mente no *e ia /*scarme ainda
mais, e não em considera1.es so/re a ontade do Senhor E* ainda estaa io -ara mim, não -ara e!e Mesmo no me*
dese0o de a/ra1ar os 0*!gamentos a*i, e* estaa motiado -or a*i!o *e iria me a0*dar a fa4<!o de o!ta em it:ria sem
sofrer -erdas E* ainda estaa andando m*ito mais no egocentrismo do *e em 8ristocentrismo

A igre#a dos ?ltimos dias

E* sa/ia *e a conersa c*rta com Pa*! teria conseL<ncias *e !earia m*ito tem-o -ara entender com-!etamente Be
certa
grandeforma,
n*emsenti *e tinha rece/ido
de testem*nhas *ma /<n1ão
E!es o!haram de toda
-ara n:s a 6gre0a
como eterna F:s*e
-ais org*!hosos rea!mente
*eriamestaam
as coisassendo a-!a*didos
me!hores -e!a
-ara se*s
fi!hos do *e e!es -r:-rios tinham conhecido S*a maior a!egria seria er a igre0a nos 2!timos dias tornamse t*do o *e a
igre0a no se* dia não tinha conseg*ido atingir E* tam/+m sa/ia *e e* ainda estaa m*ito a*+m do *e tinham
-re-arado -ara n:s a caminhar dentro "A igre0a dos 2!timos dias não ser@ maior do *e a gera1ão de Pa*!o, mesmo *e
e!a não f*nciona mais", exc!amo* o Senhor T*do o *e + feito + feito -or minha gra1a Fo entanto, o* fa4er mais da
minha gra1a e do -oder dis-oníe! -ara a igre0a dos 2!timos dias, -or*e e!a dee rea!i4ar mais do *e a igre0a em
*a!*er idade, ainda tem rea!i4ado "=astdia crentes andar@ em todo o -oder *e e* demonstrei, e mais, -or*e e!es
serão os re-resentantes fina! de todos os *e ieram antes de!es A igre0a ir@ demonstrar minha nat*re4a e me*s caminhos
como e!es n*nca foram demonstrados antes -or homens D -or*e e* esto* dando!he mais gra1a, ea *em m*ito + dado,
m*ito ser@ exigido " 6sso s: me fe4 -ensar ainda mais so/re Pa*! "8omo -oderíamos at+ tornarse tão dedicado e fie!
como e!e tinha sidoO" E* -ensei comigo mesmo "E* não esto* -edindo -ara oc< atingir esse", o Senhor res-onde*
"E* esto* -edindo *e oc< -ermanecerdes em mim Goc< não -ode contin*ar a medirse -e!os o*tros, nem mesmo
Pa*!o Goc< ai sem-re ficar a*+m do *e oc< o!har, mas se oc< est@ o!hando -ara mim, oc<s ão m*ito a!+m do *e
oc< teria de o*tra forma rea!i4ado 8omo o senhor mesmo ensinei, foi *ando os dois na estrada de Ema2s iramme
*e/rar o -ão *e se*s o!hos se a/riram C*ando oc< !< as cartas de Pa*!o, o* *a!*er o*tra -essoa escritos, oc< dee
o*irme Somente *ando rece/er o se* -ão diretamente de mim ai dos o!hos de se* cora1ão ser a/erto "Goc< -ode se
distrair mais -or a*e!es *e são mais como e* se oc< não er atra+s de!es -ara erme H@ tam/+m *ma o*tra
armadi!ha -ara a*e!es *e <m a sa/er mais da minha *n1ão e -oder do *e o*tros E!as são m*itas e4es distraído,
o!hando -ara si mesmos 8omo e* estaa di4endo antes *e oc< conerso* com Pa*!, me*s seros, dee tornarse cego
-ara
ca*sa*e e!es -ossam
da minha gra1a er
*e E* deixei
e* !he oc< fa!ar
-ermiti* com e!e
-erseg*ir então igre0a
a minha -or*eC*ando
e!e + *me!edos
i*me*s me!hores
minha exem-!os *e
!*4, e!e entende* disso
se*>oi -or
-r:-rio raciocínio !eo*o em conf!ito direto com a -r:-ria erdade e!e a!ego* estar serindo "Se* raciocínio ser@ sem-re
fa4er isso E!e ai !ear oc< -ara fa4er o *e + exatamente contr@ria  minha ontade Maior *n1ão tra4 maior -erigo de
isso acontecer com oc<, se oc< não a-render o *e Pa*!o fe4 Se oc< não tomar a s*a cr*4 a cada dia, *e esta/e!ece
t*do o *e oc< + e t*do *e oc< tem antes de!a, oc< ai cair -or ca*sa do a*toridade e -oder *e e* !he darei At+ *e
oc< a-renda a fa4er todas as coisas -or ca*sa do eange!ho, a maior inf!*<ncia *e oc< tem, maior + o -erigo de isso,
oc< ir@ enfrentar "s e4es os me*s *ngidos são enganados ao -ensar *e, -or*e e* do*!hes *m -o*co de
conhecimento o* -oder so/renat*ra! se*s caminhos deem ser os me*s caminhos, e t*do o *e -ensa dee ser o *e e*
-enso Este + *m grande engano, e m*itos t<m tro-e1ado -or ca*sa disso Goc< -ensa como e* *ando estier em
-erfeita *nião 8omigo Mesmo com o mais *ngido *e ainda não caminharam so/re a Terracomo Pa*!esta *nião s: foi
-arcia!, e -or /rees -eríodos de tem-o "Pa*! ando* comigo o mais -r:ximo *e *a!*er homem 0amais o fe4 Mesmo
assim, e!e tam/+m era atormentado -or medos e fra*e4as *e não eram de mim E* -oderia ter entregado a -artir
destes, como
sa/edoria foi ae!ea/ra1ar
-edi* @rias e4es, mas
s*a fra*e4a, e* tinha *ma*e
a com-reensão ra4ão -ara
se e* não entreg@!o
tiesse entregado aPa*!o
-artir+de!es,
:timoe* não teria sido ca-a4 de
confiar ne!e com o níe! de ree!a1ão e -oder *e e* fi4 "Pa*! reconhece* s*as -r:-rias fra*e4as e a-rende* a disting*ir
entre e!es ea ree!a1ão do Me* Es-írito C*ando e!e estaa cercado de fra*e4a o* medo de *e e!e sa/ia *e não estaa
endo a -artir do me* -onto de ista, mas a -artir de s*a -r:-ria 6sto ca*so*!he a -roc*rarme e de-endem de mim
ainda mais E!e tam/+m foi o c*idado de não conf*ndir o *e eio de s*a -r:-ria mente e cora1ão com os -ensamentos
da minha mente e cora1ão Portanto, e* -odia confiar ne!e com as ree!a1.es *e e* não -oderia confiar a o*tros "

A %us!a
8omecei a -ensar so/re como !im-ar t*do isso estaa a*i, mas como m*itas e4es, mesmo de-ois de e* ter tido *ma
grande ex-eri<ncia como essa, e* ainda es*ec<!o tão faci!mente D f@ci! de entender e de caminhar na !*4 a*i, mas o!ta
na /ata!ha, tornase t*ra noamente E* tam/+m -ensei so/re como e* não era tanto af!igem com os medos, como
Pa*!o foi, mas minhas tend<ncias foram im-aci<ncia e raia, *e eram tão *ma distor1ão da -ers-ectia *e deemos ter
-ermanecendo no Es-írito
oc< ai ser *ando Santo
oc< andar naSa/edoria -aro* e seoc<
terra Fo entanto, iro* -aramemim
-ode "Goc<
er tão + *m aso
c!aramente h@ de /arro,
como e isso
oc< fa4er+ t*do
a*i, ose*e
oc<
o!har com os o!hos do se* cora1ão Goc< -ode ser tão -erto de mim não como a!g*+m 0@ foi a Mim, e mais ainda "E* fi4
o caminho -ara *e todos -ossam ser o mais -r:ximo a mim como e!as rea!mente dese0am ser Se oc< rea!mente dese0o
de ser ainda mais -ara mim do *e Pa*! era, oc< -ode A!g*ns ão *erer isso, e e!es ão *erer se ma! o s*ficiente -ara
entregarse tota!mente a e!a, deixando de !ado *a!*er coisa *e im-ede s*a intimidade comigo E!es terão o *e
-roc*ram "Se for a s*a missão de andar na terra, assim como oc< -ode andar comigo a*i, o* ser tão -erto de oc< !@
como e* esto* agora Se oc< me /*scar, oc< ai me encontrar Se oc< se a-roximar de Mim, a-roximarse de oc< D
me* dese0o -ara definir *ma ta/e!a -ara oc< /em no meio de te*s inimigos Este não + a-enas *m dese0o me* -ara o
me* !íderes, mas -ara todos os *e inocam o me* nome E* *ero ser m*ito mais -erto de oc<, e -ara todo a*e!e *e
inocar so/re mim, *e tenho sido ca-a4 de estar com a!g*+m *e tenha iido na terra Goc< determina o *ão -erto
n:s amos ser, não 6 serei achado -or a*e!es *e me -roc*ram "Goc< est@ a*i -or*e oc< -edi* me* 0*í4o em s*a
ida Goc< -roc*ro*me como o J*i4 e agora oc< est@ encontrandome Mas oc< não dee -ensar *e s: -or*e oc< 0@
i*
andaminha cadeira
em *nião de 0*i4,
comigo agora atodos
e /*scar osdo
*n1ão se*s
Me*0*!gamentos serão
Es-írito 6sto os me*s
-ode 0*í4oso*Goc<
ser ganho s: ter@
-erdido os me*s
todos 0*í4os
os dias "E* como oc<
te deixei er
an0os e !he de* m*itos sonhos e is.es, -or*e oc< ficaa -erg*ntando -ara e!es E* amo me*s fi!hos -ara dar as /oas
d@dias *e e!es -edem h@ anos *e oc< me -edi* sa/edoria, assim *e oc< est@ rece/endo Goc< -edi*me -ara 0*!g@
!o, então oc< est@ rece/endo o me* 0*í4o Mas estas ex-eri<ncias não fa4<!o tota!mente s@/io, nem torn@!o *m 0*i4
0*sto Goc< s: ai ter sa/edoria e discernimento como :s -ermanecerdes em mim "F*nca -arar de -roc*rarme
C*anto mais oc< amad*recer, mais oc< ai conhecer a s*a necessidade deses-erada de mim C*anto mais oc<
amad*recer, menos oc< ai -roc*rar esconderos de mim o* o*tros, -ara o se* dese0o ser@ -ara sem-re andar na !*4
"Goc< i*me Senhor como Sa!ador, Sa/edoria e J*i4 C*ando oc< retornar -ara a /ata!ha, oc< ainda -ode er o me*
tri/*na! com os o!hos do se* cora1ão C*ando oc< anda no conhecimento de *e t*do o *e oc< -ensa e fa4 são
tota!mente ree!ado a*i, oc< ter@ a !i/erdade de ier !@ a-enas como oc< fa4 a*i D somente *ando oc< se
esconder, de mim o* o*tros, *e os +*s o!tar a esconderme
de oc< E* so* a Gerdade, e a*e!es *e Me adoram deem fa4<!o em Es-írito e Gerdade "A erdade n*nca +
encontrado escondido na esc*ridão, mas -roc*ra sem-re manterse na !*4 =*4 ex-.e e fa4 manifesto Somente *ando
oc< -roc*ra -ara ser ex-osto, e -ermitir *e oc< est@ no se* cora1ão -ara ser ex-osta, oc< ai andar na !*4 como e*
so* na !*4 Gerdadeira com*nhão comigo exige a ex-osi1ão com-!eta Gerdadeira com*nhão com o me* -oo exige o
mesmo "C*ando oc< estaa em -+ diante do trono do 0*!gamento, oc< se senti* mais !i/erdade e seg*ran1a *e oc< 0@
senti*, -or*e oc< não tem *e esconder mais Goc< se senti* mais seg*ran1a, -ois oc< sa/ia *e os me*s 0*í4os eram
erdadeiros e 0*stos A ordem mora! e es-irit*a! do me* *nierso + tão certo como a ordem nat*ra! esta/e!ecida nas !eis
nat*rais Goc< confia My !ei da graidade, sem se*er -ensar nisso Goc< dee a-render a confiar em me*s 0*í4os da
mesma forma
erdadeira + terMe*s -adr.es
confian1a em de 0*sti1a
*em são im*t@eis, e são tão certo Para ier essa erdade + caminhar na f+ A f+
e* so*
3 -oder da S*a Pa!ara
"Goc< -roc*ra conhecer e andar em me* -oder -ara *e oc< -ossa c*rar os enfermos e fa4er mi!agres, mas oc< ainda
nem se*er come1o* a com-reender o -oder da minha -a!ara Para ress*scitar todos os mortos *e 0@ ieram na Terra
não ai mesmo me !ear a tensão E* -rote0o todas as coisas -e!o -oder da minha -a!ara A cria1ão existe -or ca*sa da
minha -a!ara, e + rea!i4ada em con0*nto -e!a minha -a!ara "Antes do fina!, o* ree!ar o me* -oder so/re a terra
Mesmo assim, o maior -oder *e e* 0@ ree!o* so/re a terra, nem n*nca ser@, ainda + *ma demonstra1ão m*ito -e*ena
do me* -oder e* não ree!o o me* -oder -ara fa4er com *e os homens a acreditar no me* -oder, mas -ara !ear os
homens a acreditar em me* amor "Se e* *isesse sa!ar o m*ndo com o me* -oder *ando e* andaa na terra, e*
-oderia ter moido montanhas, a-ontando *m dedo Então todos os homens teriam inc!ino* -ara mim, mas não -or*e
me amo* o* amo* a erdade, mas -or*e e!es temido Me* -oder E* não *ero *e os homens a o/edecerme, -or*e
temem o me* -oder, mas -or*e e!es me amam e amam a erdade "Se oc< não sa/e Me* amor, então me* -oder
corrom-e!o
conhecer Me*E* não te
amor 3 dar amor,de
o/0etio -ara
s*a*e
idaoc<
dee-ossa conhecer
ser amor, não oome* -oder,
-oder mase*e*!he
Então, !hedarei
dar -oder
-oder -ara
com *e oc<
o *a! -ossaas
a amar
-essoas Go* dar!he o -oder de c*rar os doentes, -or*e oc< os ama, e e* os amo, e e* não *ero *e e!es doente
"Então oc< dee -roc*rar -rimeiro amor, e então a f+ Goc< não -ode agradarme sem f+ Mas a f+ não + a-enas o
conhecimento do me* -oder, + o conhecimento do me* amor eo -oder do me* amor A f+ dee -rimeiro ser exercido a
fim de rece/er mais amor Proc*ram a f+ a amar mais e fa4er mais com o se* amor Somente *ando oc< -roc*ra a f+ ao
amor -osso confiar em oc< com a minha f+ -oder o-era -or amor "Minha -a!ara + o -oder *e s*stenta todas as
coisas Fa medida em *e oc< acredita a minha -a!ara + erdade, oc< -ode fa4er todas as coisas A*e!es *e
rea!mente acreditam *e as minhas -a!aras são erdadeiras, tam/+m ser@ fie! a s*as -r:-rias -a!aras D da minha
nat*re4a ser erdade, ea cria1ão confia a minha -a!ara, -or*e e* so* fie! a e!a "A*e!es *e são como e* tam/+m são
fi+is s s*as -r:-rias -a!aras S*a -a!ara + certa, e os se*s com-romissos são confi@eis Se* sim significa sim, e se*
não significa não Se s*as -a!aras não são erdadeiras, oc< tam/+m ai come1ar a d*idar de minhas -a!aras, -or*e
engano est@ em se* cora1ão Se oc< não for fie! a s*as -r:-rias -a!aras, + -or*e oc< rea!mente não me conhece Ter
f+, oc< -or
0*!gado deeca*sa
ser fie!
das 8hameios
-a!aras *eaoc<
andarfa!a
-e!a f+, -or*eSer
desc*idada e* desc*idado
so* fie! D minha
+ nat*re4a "D -or isso *e oc< ai ser
im-ortar menos As -a!aras t<m -oder e a*e!es *e são desc*idados com as -a!aras não -odem ser confiados com o
-oder da minha -a!ara D a sa/edoria *e ter c*idado com s*as -a!aras, e -ara mant<!os como e* fa1o a minha "As
-a!aras do Senhor estaam ro!ando so/re mim como grandes ondas do mar E* me senti como J: diante de *m t*fão
Pensei *e e* estaa ficando cada e4 menores, e então -erce/e* *e e!e estaa ficando maior E* n*nca tinha me sentido
tão -res*n1oso 8omo e* -oderia ter sido tão cas*a! com Be*sO Sentime como *ma formiga o!hando -ara *ma cadeia de
montanhas E* estaa a menos de -oeira, ainda E!e estaa tomando o tem-o -ara fa!ar comigo E* não agLentaa mais, e
se afasto* A-:s a!g*ns momentos, senti *ma mão reconfortante no me* om/ro >oi Sa/edoria S*a g!:ria foi ainda
maior agora, mas E!e foi mais *ma e4 o me* tamanho "Goc< entende o *e acontece* na*e!e momentoO" E!e
-erg*nto* Sa/endo m*ito /em *e *ando o Senhor fa4 *ma -erg*nta E!e não est@ -roc*rando informa1.es, comecei a
ref!etir so/re o *e tinha acontecido E* sa/ia *e era rea!idade 8om-arado a e!e, e* so* menos do *e *m grão de
-oeira seria a terra, e -or a!g*m motio E!e *eria *e e* a ex-eri<ncia *e a rea!i4a1ão de *ma forma -rof*nda
Res-ondendo
com Be*s nãoa+me*s -ensamentos,
a-enas no tamanhoE!e e!a/oro*5
Goc< come1o*"3a*e oc< est@ -ensando
ex-erimentar + erdade,
o -oder das mas essa Encarregadas
minhas -a!aras com-ara1ão dodehomem
Minhas -a!aras são encarregadas de o -oder -e!o *a! o *nierso + rea!i4ada em con0*nto *e e* não fi4 isso -ara fa4er
oc< se sentir -e*eno, mas -ara a0*dar a entender a graidade eo -oder *e, com o *a! tenha sido confiada a -a!ara
de Be*s "Em todos os se*s esfor1os, !em/rese *e a im-ortKncia de *ma 2nica -a!ara de Be*s ao homem + de mais
a!or do *e todos os o*tros teso*ros so/re a terra Goc< dee com-reender e ensinar me*s irmãos a res-eitar o a!or da
minha -a!ara 8omo a*e!e *e + chamado a desem-enhar as minhas -a!aras, oc< tam/+m dee res-eitar o a!or de
s*as -r:-rias -a!aras A*e!es *e carregam a erdade dee ser erdade "
eunião, o Evangelista
Ao o*ir estas -a!aras, sentime com-e!ido a o!har -ara cima em dire1ão a *m dos tronos ao me* !ado 6mediatamente
e* i *m homem *e e* reconhecida E!e tinha sido *m grande eange!ista, *ando e* era crian1a, e m*itos achaam *e
e!e tinha andado em mais -oder do *e ning*+m desde a igre0a -rimitia E* tinha !ido so/re e!e e tinha esc*tado a!g*mas
de s*as mensagens graadas Era difíci! não ser tocado -e!a s*a h*mi!dade gen*ína, eo amor :/io *e e!e tinha -ara o
Senhor e as -essoas Mesmo assim, e* tam/+m senti *e a!g*ns de se*s ensinamentos tinham ido seriamente errado
>i*ei s*r-reso, mas tam/+m a!iiado, ao <!o sentado em *m trono grande >*i ca-t*rado -e!a h*mi!dade e amor *e
ainda exa!aa de!e 8omo e* -ara -edir ao Senhor se e* -oderia conersar com esse homem, e* -odia er o *anto o
Senhor o amaa Fo entanto, o Senhor fe4 sina! -ara e* contin*ar andando, e não me -ermite fa!ar com o eange!ista
"E* s: *eria *e oc< <!o a*i", ex-!ico* o Senhor ", e -ara com-reender a -osi1ão *e e!e tem comigo H@ m*ito
-ara oc< entender
-or ra4.es *e oc<so/re e!e E!e em
ai entender foi *m mensageiro
tem-o -aracair
2ti! E!e fe4 a minha igre0a dos
no desKnimo 2!timos dias,
e desi!*são mastem-o,
-or *m a igre0aenão
s*a -odia o*i!o
mensagem foi
distorcida E!e dee ser rec*-erado, /em como as -e1as *e tenho dado a o*tros *e tam/+m foram distorcidas
"Sa/endo *e t*do a*i acontece* no timing -erfeito com t*do o *e era -ara e* a-render, comecei a -ensar so/re como
er esse homem dee ser re!acionado com o *e tínhamos aca/ado fa!o*o -otencia! de -oder de corrom-er "Sim H@
*m grande -erigo em andar com grande -oder ", o Senhor res-onde* "E!e tem acontece* com m*itos dos Me*s
mensageiros, e *e fa4 -arte da mensagem *e estão a dar a minha igre0a dos 2!timos dias Goc< dee andar em me*
-oder, e -oder ainda m*ito maior do *e estes ex-erientes Mas se oc< 0@ come1a a -ensar *e o -oder + o me* aa! de
oc<s, o* mesmo da s*a mensagem, oc< a/rir@ a -orta -ara a mesma i!*são 3 Es-írito Santo + dado -ara testem*nhar
s: de mim Se oc< + s@/io, como Pa*!o, oc< ai a-render a g!:ria mais em se*s -ontos fracos do *e em se*s -ontos
fortes "A erdadeira f+ + o erdadeiro reconhecimento de *em e* so* Fão + nada mais e nada menos Mas oc< dee
sem-re !em/rar, mesmo *e :s -ermanecerdes na minha -resen1a e me er como e* so*, oc< ainda -ode cair se oc<
!igar de mim a o!har -ara tr@s em yo*rse!f D assim *e =2cifer cai* Ha/ito* nesta sa!a e i* minha g!:ria ea g!:ria do
me* Paiem
org*!ho Fos*a
entanto, e!eecome1o*
-osi1ão a o!har
-oder M*itos dos-ara si mesmo
me*s maisforam
seros *e do *ea*tori4ados
e!e o!ho* -ara
a ern:s E!eg!:ria
Minha entãoecome1o* a ter de
encarregadas
Me* -oder ter caído da mesma forma como =2cifer Se oc< come1a a -ensar *e + -or ca*sa de s*a sa/edoria, t*a 0*sti1a
o* mesmo a s*a deo1ão a do*trina -*ra, oc< ai tro-e1ar tam/+m "

7onfiança

E* sa/ia *e isso era tão grae adert<ncia *anto *a!*er coisa *e e* tinha sido dito a*i E* *eria o!tar e !*tar na
2!tima /ata!ha, mas e* estaa a ter s+rias d2idas so/re a -ossi/i!idade de fa4<!o sem cair nas armadi!has *e agora
-areciam estar em toda -arte 3!hei de o!ta -ara o Senhor E!e era Sa/edoria, e -ensei em *anto e* -recisaa conhec<
=o como Sa/edoria *ando o!tei "D /om -ara oc< -erder a confian1a em si mesmo E* não -osso confiar em oc<
com os -oderes do m*ndo indo*ro at+ *e oc< fa1a C*anto mais confian1a oc< -erde em si mesmo o -oder do mais
o* ser ca-a4 de confiar em oc< com se  E* es-erei *m !ongo tem-o -ara *e o Senhor contin*e, mas não o fe4 Be
a!g*ma forma
e* o!haa -ara e*
e!e,sa/ia
mais*e E!e *eria
confian1a *e *e e* contin*asse
e* sentia a frase,
>ina!mente mas e*
e* so*/e nãodi4er
o *e sa/ia "Se
o *e
e* di4er
co!ocarEntretanto, *anto em
minha confian1a mais
oc<," e* adicionei "Sim Goc< dee ter f+ -ara fa4er o *e oc< + chamado -ara fa4er, mas dee ser a f+ em mim Fão +
s*ficiente -ara oc< sim-!esmente -erder a confian1a em si mesmo *e s: !ea  inseg*ran1a, se oc< não -reencher o
a4io com confian1a em mim D assim *e m*itos destes homens caíram de i!*s.es "M*itos desses homens e m*!heres
eram -rofetas Mas a!g*ns de!es, -or inseg*ran1a, não deixaria os homens chamam!hes -rofetas Ainda *e não era a
erdade, -or*e e!es estaam >a!sa h*mi!dade tam/+m + *m engano Se o inimigo -oderia engan@!os a -ensar *e e!es
não eram rea!mente -rofetas, e!e tam/+m -oderia engan@!os a -ensar *e e!es eram -rofetas maiores do *e eram, s: -or
n*trir s*a a*toconfian1a >a!sa h*mi!dade não ai ex-*!sar o org*!ho D a-enas o*tra forma de egocentrismo, *e o
inimigo tem o direito de ex-!orar todas as s*as fa!has serão o res*!tado de *ma coisa5 o egocentrismo A 2nica maneira de
ser entreg*e a -artir deste + andar em amor 3 amor não /*sca os se*s -r:-rios "8omo e* estaa -ensando so/re t*do
isso, *ma c!are4a marai!hosa come1o* a ir E* -odia er toda a ex-eri<ncia do come1o ao fim, tendo como foco *ma
mensagem 2nica e sim-!es "8omo e* so* faci!mente sed*4ido -e!a sim-!icidade de deo1ão a Goc<5" E* !amento*

O 4orriso do 4enhor

3 Senhor, então, -aro* e o!ho* -ara mim com *ma ex-ressão *e e* re4o -ara *e e* n*nca o* es*ecer E!e sorri* E*
não *eria a/*sar esta o-ort*nidade, mas e* de a!g*ma forma senti *e, *ando E!e sorri*, como *e e* -oderia -edir
!he *a!*er coisa e E!e !he daria a mim Então e* -eg*ei a chance "Senhor, *ando disse5 Ha0a !*4, ho*e !*4 Goc<
oro* em João U *e se te amo com o mesmo amor *e o Pai te amei com Por faor, me di4em agora, Ha0a amor em
oc<, de modo *e e* o* te amar com o amor do PaiO "E!e não desisti* sorrindo, mas co!oco* se* /ra1o em o!ta de
mim como *m amigo "E* 0@ disse isso a oc<, antes da cria1ão do m*ndo *ando e* chamei oc< E* tam/+m disse *e
a ossos irmãos, *e ai !*tar 0*nto com oc< na 2!tima /ata!ha Goc< ai conhecer o amor de me* Pai -or mim D *m
amor -erfeito *e ai ex-*!sar todos os se*s medos Este amor ir@ -ermitir *e oc< acredite em mim -ara *e oc<
-ossa fa4er as o/ras *e e* fi4, e o/ras ainda maiores, -or*e e* esto* com me* Pai, Goc< sa/er@ *e se* amor -or mim,
e as o/ras *e serão dadas -ara fa4er me g!orificar@ Agora, -ara o se* /em, e* digo noamente, "Ha0a amor Me* Pai est@
em oc<" >i*ei im-ressionado com a a-recia1ão de toda esta ex-eri<ncia "E* amo se*s 0*!gamentos", e* disse Então
e* comecei a irar e o!har -ara tr@s na cadeira de 0*i4, mas o Senhor me -aro* "Fão o!he -ara tr@s E* não esto* !@ -ara
oc< agora, e* esto* a*i Go* !e@!o a -artir desta sa!a e de o!ta ao se* !*gar na /ata!ha , mas oc< não dee o!har -ara
tr@s Goc< dee er o me* trono de 0*!gamento em se* -r:-rio cora1ão, -or*e + onde est@ agora "" Assim como o
Jardim, e como os teso*ros da sa!a1ão "E* -ensei comigo mesmo "Sim T*do o *e e* esto* fa4endo, esto* fa4endo
em se* cora1ão C*e + onde a ida correm as @g*as C*e + onde esto* "E!e então a-onto* -ara mim, então e* o!hei -ara
mim mesmo, -*xando -ara tr@s o manto da h*mi!dade >i*ei es-antado com o *e i Minha armad*ra continha a
mesma
antes dag!:ria *e o cercaa
cr*cifica1ão E* ra-idamente
*e a minha g!:ria *e e*co/erta noamente
tinha com com o seria
e!e no come1o me* com
manto "E*-oo,
o me* tam/+m orei a *e
de modo me*oc<
Pai, ser@
na noite
*m de!es D a minha g!:ria *e *nifica 8omo oc< chego* 0*nto com os o*tros *e me amam, minha g!:ria ser@
am-!iada C*anto mais a minha g!:ria + magnificada -e!a *nião da*e!es *e me amam, mais o m*ndo ai sa/er *e f*i
eniado -e!o Pai Agora, o m*ndo rea!mente ai sa/er *e sois me*s discí-*!os, -or*e oc< ai me amam, e oc< ai
adorar cada o*tros "En*anto e* ficaa o!hando -ara E!e, a minha confian1a contin*o* a crescer Era como ser !aados
-or dentro =ogo e* estaa me sentindo -ronto -ara fa4er *a!*er coisa *e E!e -edi*

Angelo

"Ainda h@ a!g*+m *e oc< dee c*m-rir antes de retornar -ara a /ata!ha", disse e!e en*anto caminh@amos 8omo n:s
fi4emos, e* contin*aa a ser s*r-reendido -or *anto mais g!orioso E!e tinha se tornado at+ mesmo do *e a!g*ns
min*tos
-asso* a antes "Todadiae4
di4er "Im *eser@
oc< oc< erme
ca-a4 com os o!hos do
de -ermanecerdes na osso
minhacora1ão,
-resen1as*a mente se renoa
contin*amente *m -o*co
C*ando mais5"
oc< fa4 isso, E!e
t*do
*e oc< a-rende* -e!o me* Es-írito estar@ -rontamente dis-oníe! a oc<, e e* estarei dis-oníe! -ara oc< "E* -oderia
o*ir e entender t*do o *e E!e disse, mas e* estaa tão ca-t*rado -or S*a g!:ria *e e* tinha *e -edir=he5 "Senhor,
-or *e oc< est@ m*ito mais g!oriosa do *e *ando oc< a-arece* -e!a -rimeira e4 -ara mim como a Sa/edoriaO" "E*
n*nca m*dei, mas oc< tem Goc< est@ m*dado como oc< < a minha g!:ria, com *m rosto ree!ado As ex-eri<ncias *e
oc< tee a remoer os +*s do se* rosto -ara *e oc< -ossa erme com mais c!are4a Fo entanto, nada remoe!os tão
ra-idamente como *ando oc< < Me* amor "E!e então -aro*, e e* me irei -ara o!har -ara a*e!es nos tronos ao
nosso !ado Ainda est@amos no !*gar onde a maior reis estaam sentados Então e* reconheci *m homem *e estaa -or
-erto "Senhor, e* conhe1o oc< de a!g*m !*gar, mas e* sim-!esmente não consigo me !em/rar onde" "Ima e4 oc< me
i* em *ma isão," e!e res-onde*
6mediatamente me !em/rei, e fi*ei chocado? "Então oc< fosse *ma -essoa rea!O" "Sim", res-onde* e!e =em/reime do
dia em *e, como *m 0oem cristão, e* haia me tornado fr*strado com a!g*ns -ro/!emas em minha ida Saí no meio de
*m -ar*e
comigo de cam-o
8omo de /ata!ha
e* estaa sentado-erto
!endodominha
me* í/!ia,
a-artamento e determino*
e* estaa -reso em *ma*e isão,
e* iria*m
es-erar at+ *e o Senhor
dos -rimeiros *e e* 0@fa!o*
tie Fa
isão e* i *m homem *e era 4e!osamente serindo ao Senhor E!e estaa contin*amente testem*nhando -ara as
-essoas, ensinando a í/!ia, e isitar os doentes -ara orar -or e!es E!e era m*ito 4e!oso -e!o Senhor, e tinha *m amor
gen*íno -e!as -essoas Então e* i *m o*tro homem, chamado Ange!o, *e era o/iamente *m mendigo o* *m morador
de r*a C*ando *m gatinho -e*eno agaa em se* caminho, e!e come1o* a ch*t@!a, mas se contee, em/ora e!e ainda
em-*rro*o -ara fora do caminho de maneira m*ito d*ra com o -+ Então o Senhor -erg*nto*me *a! destes homens
!he agradaa mais "3 -rimeiro," e* disse sem hesitar "Fão, a seg*nda," E!e res-onde*, e come1o* a me contar s*as
hist:rias E!e com-arti!ho* *e o -rimeiro homem haia sido criado em *ma famí!ia marai!hosa, *e sem-re so*/e o
Senhor E!e cresce* em *ma igre0a -r:s-era e, em seg*ida, -artici-o* de *m dos me!hores co!+gios da í/!ia no -aís E!e
tinha sido dado cem -or1.es de Se* amor, mas e!e estaa *sando a-enas U# 3 seg*ndo homem tinha nascido s*rdo E!e
foi a/*sada e mantida em *m s:tão esc*ro e frio, at+ *e e!e foi encontrado -e!as a*toridades *ando e!e tinha oito anos
de idade E!e foi então transferido de *ma instit*i1ão -ara o*tra, onde os a/*sos contin*aram >ina!mente, e!e foi
des-e0ado nascada
tinha re*nido r*as-edacinho
3 Senhor de!a
tinha-ara
!he dado a-enasatr<s
!*tar contra -or1.es
raia em se*decora1ão
Se* amor -ara a0*d@!o
e mant<de ferir oa gatinho
s*-erar t*do
Agoraisso,
e* mas
o!heie!e
-ara
a*e!e homem, *m rei sentado em *m trono m*ito mais g!oriosa do *e Sa!omão -oderia ter imaginado Hostes de an0os
foram dis-ostos so/re e!e, es-erando -ara fa4er o se* !ance Gireime -ara o Senhor em reer<ncia E* ainda não -odia
acreditar *e e!e era rea!, m*ito menos *m dos grandes reis "Senhor, -or faor me diga o resto da s*a hist:ria," e*
im-!orei "8!aro, + -or isso *e estamos a*i Ange!o foi tão fie! com o -o*co *e e* tinha dado a e!e *e e* dei!he -arte
mais tr<s do me* amor E!e *so* t*do isso -ara sair ro*/ando E!e *ase morre* de fome, mas e!e se rec*so* a tomar
*a!*er coisa *e não era de!e E!e com-ro* s*a comida com o *e e!e -oderia fa4er co!eta de garrafas, e,
ocasiona!mente, e!e encontro* a!g*+m *e iria deix@!o fa4er o tra/a!ho da 0arda Ange!o não -odia o*ir, mas e!e tinha
a-rendido a !er, então e* mandei!he *m fo!heto eang+!ico 8omo e!e !<!o, o Es-írito a/ri* se* cora1ão, e e!e de* s*a
ida -ara mim E* noamente do/ro* as -artes do me* amor a e!e, e e!e fie!mente *sado todos e!es E!e *eria
com-arti!har Me com os o*tros, mas e!e não -odia fa!ar Mesmo *e e!e ie* na -o/re4a ta!, e!e come1o* a gastar mais
da metade de t*do o *e e!e fe4 em fo!hetos eang+!icos -ara dar -ara fora nas es*inas das r*as "" C*antos e!e !ear a
oc<O "E* -erg*ntei, -ensando *e e!e dee ter sido -ara e!e m*!tid.es estar sentado com os reis "3ne", o Senhor
res-onde* "A fim de encora0@!o, e* o deixei !ear *m a!co:!ico a morte -ara mim E!a encora0o*o tanto *e e!e teria
ficado na*e!a es*ina -or m*itos mais anos -ara tra4er a-enas o*tra a!ma ao arre-endimento Mas todo o c+* estaa
-edindo -ara tra4<!o a*i ra-idamente, e e* tam/+m *eria *e e!e rece/er@ o se* ga!ardão "

3m ti(o diferente de -'rtir

"Mas o *e fa4er -ara Ange!o se tornar *m rei a*iO" E* -erg*ntei


"E!e foi fie! com t*do o *e !he foi dado E!e s*-ero* todas at+ se tornar seme!hante a mim, e e!e morre* como *m
m@rtir "" Mas o *e e!e fe4 s*-erar, e como e!e foi martiri4adoO "" E!e ence* o m*ndo com me* amor M*ito -o*cos
s*-erar tanto com tão -o*co M*itos do me* -oo ha/itar@ em casas com as coneni<ncias *e os reis teria ine0a de
a-enas *m s+c*!o atr@s, mas e!es não a-reci@!os Ange!o, -or o*tro !ado, seria -ara a-reciar ainda *ma caixa de -a-e!ão
em *ma noite fria *e iria transform@!o em *m tem-!o da g!:ria de Minha -resen1a E!e come1o* a amar t*do e todos
E!e iria se a!egrar mais so/re *ma ma1ã do *e a!g*ns do me* -oo, fa4er mais *ma grande festa E!e foi fie! com t*do o
*e e* !he dei, mesmo *e e!e não era m*ito com-arado com o *e e* dei o*tros, inc!*sie oc< Mostrei!he a oc< em
*ma isão, -or*e oc< -asso* -or e!e m*itas e4es Ima e4 *e oc< mesmo a-onto*o -ara *m dos se*s amigos e
fa!o* de!e "" C*e e* fi4O 3 *e e* disseO "" Goc< disse5 Fão h@ mais *m da*e!es de E!ias, *e dee ter esca-ado da
esta1ão de ;ni/*s
eange!ho "Goc<
"Este foi disse
o -ior *e*e
go!-e e!e e*
era"ainda
n*t *m
nãore!igioso "*e em
tinha sofrido foi eniado
toda esta-e!o inimigo -ara
ex-eri<ncia afastarmais
E* estaa as -essoas
do *e -ara o
chocados, fi*ei chocado Tentei me !em/rar o incidente es-ecífico, mas não conseg*ia, sim-!esmente -or*e haia tantos
o*tros como e!e E* n*nca tinha tido m*ita com-aixão -or im*ndos Street Preachers, considerandoos instr*mentos de
Satan@s eniado -ara afastar as -essoas ao eange!ho "Sinto m*ito, Senhor E* rea!mente sinto m*ito "" Goc< est@
-erdoado ", e!e res-onde* ra-idamente E oc< est@ certo *e h@ m*itos *e tentam -regar o eange!ho nas r*as -or
motios errados o* mesmo -erertido Mesmo assim, h@ m*itos *e são sinceros, mesmo *e se0am inex-erientes e
ignorantes Goc< não dee 0*!gar -e!as a-ar<ncias H@ tantos como erdadeiros seros *e se -arecem com e!e, -ois h@
entre os -rofissionais -o!ido nas grandes catedrais e as organi4a1.es *e os homens t<m constr*ído em me* nome "E!e
então fe4 sina! -ara e* o!har -ara Ange!o C*ando e* tinha irado, e!e desce* os degra*s -ara o se* trono e agora estaa
/em na minha frente A/rindo os /ra1os, e!e me de* *m grande a/ra1o e /ei0o* minha testa como *m -ai Amor
derramado so/re mim e atra+s de mim at+ *e e* senti *e iria so/recarregar o me* sistema neroso C*ando e!e
fina!mente me !i/ero*, e* estaa cam/a!eando como se estiesse /</ado, mas foi *ma sensa1ão marai!hosa >oi amor
como
m*ito e* n*nca
-ara haia
dar ao me*sentido antesestes
-oo, mas "E!enão
-oderia ter com*nicado
*iseram issoMesmo
ir -erto de!e a oc<Me*s
na Terra", o Senhor
-rofetas contin*o*
eitaam "E!e na
E!e cresce* tinha
f+
atra+s da com-ra de *ma í/!ia e *m -ar de !iros *e e!e !e* mais e mais E!e tento* ir s igre0as, mas e!e não conseg*ia
encontrar *m *e iria rece/<!o Se e!es *eriam -rend<!o, e!es teriam !eadome entrar E!e era o me* /ater na -orta
de!es "E* estaa a-rendendo *ma noa defini1ão de triste4a "8omo e!e morre*O" E* -erg*ntei, !em/randose *e e!e
haia sido martiri4ado aseado no *e e* tinha isto at+ agora, e* estaa meio *e es-erando *e e* de a!g*ma forma foi
ainda res-ons@e! -or isso "E!e morre* conge!ado tentando manter ia *ma ino idade, *e tinham -assado -ara fora
no frio"

O Over!omer 0m(rov'vel

C*ando o!hei -ara Ange!o, E* não -odia acreditar o *ão d*ro o me* cora1ão tinha sido Mesmo assim, e* não entendia
como morrer desta forma fe4 de!e *m m@rtir, *e e* achaa *e era *m tít*!o reserado -ara a*e!es *e morreram
-or*e não e*
encedor", com a -romessa
comentei de se*
"E isso testem*nho
rea!mente do senhorio
+ 0*stificada dede
-or e!e 8risto
estar "Senhor,
a*i Mase*são
seia*e!es
*e e!e*e
+ erdadeiramente
morrem de forma*m
rea!mente considerados m@rtiresO "Ange!o foi *m m@rtir, todos os dias *e e!e ie* E!e s: iria fa4er o s*ficiente -ara si
mesmo -ara se manter io, e e!e de /om grado sacrificado s*a ida -ara sa!ar *m amigo necessitado 8omo Pa*!o
escree* aos 8oríntios, mesmo *e oc< d< o se* cor-o -ara ser *eimado, mas não tier amor, e!e conta como nada
Mas, *ando oc< se d@ com amor, conta m*ito Ange!o morreram todos os dias, -or*e e!e não ie* -ara si, mas -ara
os o*tros Mesmo *e e!e sem-re se considero* o menor dos santos, e!e foi erdadeiramente *m dos maiores 8omo oc<
0@ a-rende*, m*itos da*e!es *e se consideram o maior, e são considerados -or o*tros -ara ser o maior, aca/am sendo
menos a*i Ange!o não morre* -or *ma do*trina, o* mesmo -ara o se* testem*nho, mas e!e morre* -or mim ""
Senhor, -or faor me a0*de a !em/rar disso C*ando e* o!tar, -or faor, não me deixe es*ecer o *e e* esto* endo
a*i ", e* im-!orei "D -or isso *e e* esto* com oc< a*i, e e* estarei com oc< *ando oc< o!tar Sa/edoria + er
com me*s o!hos, e não 0*!gar -e!as a-ar<ncias Mostrei!he Ange!o na isão de modo *e oc< reconhec<!o *ando oc<
-asso* -or e!e na r*a Se oc< tiesse com-arti!hado com e!e o conhecimento do se* -assado *e e* tinha !he mostrado
na isão, e!e teria dado s*a ida -ara mim então Goc< -oderia ter então disci-*!ados este grande rei, e e!e teria tido *m
grande im-acto so/re a minha igre0a "Se o me* -oo o!haa -ara os o*tros como e*, Ange!o e m*itos o*tros como e!e
teria sido reconhecido E!es teriam sido desfi!aram no maior -2!-itos Me* -oo teria indo dos confins da terra -ara
sentarse aos se*s -+s, -or*e ao fa4er isso e!es teriam s@/ aos me*s -+s E!e teria !he ensino* a amar, e como inestir os
dons *e os tenho dado -ara *e oc< -ossa dar fr*tos m*ito mais "E* estaa tão energonhado *e e* não *eria
se*er o!har -ara o Senhor, mas fina!mente o!tei a E!e como e* senti a dor me dirigir -ara a a*tocentramento
noamente C*ando e* o!hei -ara e!e, e* estaa -raticamente cego -or S*a g!:ria Bemoro* *m -o*co, mas aos -o*cos
me*s o!hos se a0*staram
mostrandoos -ara
estas coisas *etee*condenar,
-ara -*desse mas
<=o "=em/rese
-ara *e
!he ensinar oc< est@sem-re
=em/rese -erdoada",
*e adisse e!e "E*ir@
com-aixão nãoremoer
esto* os
+*s de s*a a!ma mais r@-ido do *e *a!*er o*tra coisa "C*ando come1amos a andar noamente, Ange!o s*-!ico*
me5" Por faor !em/rese me*s amigos, os semteto M*itos ão amar o nosso Sa!ador se a!g*+m ai -ara e!es "S*as
-a!aras tinham ta! -oder ne!es *e e* era m*ito m*do*se -ara res-onder, então e* s: /a!an1o* a ca/e1a E* sa/ia *e
a*e!as -a!aras eram o decreto de *m grande rei, e *m grande amigo do Rei dos Reis "Senhor, oc< ai me a0*dar a
a0*dar os semtetoO" E* -erg*ntei "E* o* a0*dar a *a!*er *m *e a0*d@!os", e!e res-onde* "C*ando oc< ama
a*e!es a *em e* amo, oc< sem-re sa/er@ a minha a0*da E!es terão a He!-er -e!a medida de se* amor Goc<s -ediram
m*itas e4es -ara mais de Minha *n1ão, *e + como oc< ai rece/<!o Amar a*e!es a *em e* amo  medida *e oc<
ama, oc< me ama 8omo oc< d@ a e!es, oc< tem dado a mim, e darei mais -ara oc< em troca "

9ivendo !omo um rei

Minha mente drifted


-e!os -adr.es -ara
terrestres a minha
ii m*ito casa agrad@e!
me!hor do *eeos
todos os o*tros
reis tinham /ens *m
a-enas *es+c*!o
e* tinha E* F*nca
antes não eramerico, masc*!-ado
senti e* sa/ia-or
*e,
isso antes, mas e* fi4 agora Be a!g*ma forma foi *ma /oa sensa1ão, mas ao mesmo tem-o em *e não se sentia /em
Mais *ma e4 e* o!hei de o!ta -ara o Senhor, -ois e* sa/ia *e e!e iria me a0*dar "=em/rese *e e* disse so/re como a
minha !ei -erfeita de amor fe4 a !*4 e as treas distintas
C*ando a conf*são, como oc< est@ sentindo agora chega, oc< sa/e *e o *e oc< est@ enfrentando não + a minha !ei
-erfeita de amor Tenho -ra4er em dar -resentes Minha famí!ia /oa, assim como oc< fa4er o se* E* *ero *e oc<
a-reci@!os e a-reci@!os Fo entanto, oc< não dee ador@!os, e oc< dee !iremente com-arti!h@!os *ando e* chamar
!he "E* -oderia onda minha mão e instantaneamente remoe toda a -o/re4a da face da terra Haer@ *m dia do
0*!gamento, *ando as montanhas e !*gares a!tos são tra4idos -ara /aixo, e os -o/res e o-rimidos são ress*scitados, mas
deo fa4<!o 8om-aixão h*mana + tão contr@rio a mim como o-ressão h*mana 8om-aixão h*mana + *ti!i4ado como
*m s*/stit*to -ara o -oder da minha cr*4 E* não te chamei -ara sacrifício, mas -ara o/edecer s e4es oc< ter@ *e
sacrificar -ara o/edecerme, mas se o se* sacrifício não + feito em o/edi<ncia, e!a ir@ nos se-arar "Goc< + c*!-ado -e!a
forma
indagarcomo oc<Goc<
de mim ca!c*!o* ma!mais
-erde* e tratado este grande
dos encontros *erei, *ando
tenho e!e-ara
-osto foi me*
oc<sero
do *enaoc<
terra0@ Fão 0*!g*e ning*+m
imaginaa, sem
sim-!esmente
-or*e oc< não foi sensíe! -ara mim Fo entanto, e* não mostrar isso -ara a-enas fa4er oc< se sentir c*!-ado, mas sim
-ara !e@!o ao arre-endimento -ara *e oc< não ai contin*ar a -erder tais o-ort*nidades "Se oc< sim-!esmente reagir
de c*!-a, oc< come1ar@ a fa4er coisas -ara com-ensar a s*a c*!-a, *e + *ma afronta  minha cr*4 Minha cr*4 so4inho
-ode remoer a s*a c*!-a E -or*e e* f*i at+ a cr*4 -ara remoer a s*a c*!-a, o *e for feito na c*!-a não + feito -ara
mim "E* não gosto de er os homens sofrem" A sa/edoria contin*o* "Mas a com-aixão h*mana não ai !e@!os -ara a
cr*4, a 2nica *e -ode a!iiar o se* sofrimento rea! Goc< -erde* Ange!o -or*e oc< não estaa andando na com-aixão
Goc< ter@ mais *ando oc< o!tar, mas s*a com-aixão dee ainda ser s*0eito a Me* Es-írito Mesmo e* não c*ro* todos
a*e!es -or *em e* tinha com-aixão, mas e* s: fi4 o *e e* i me* -ai fa4endo Goc< não dee a-enas fa4er as coisas
-or com-aixão, mas em o/edi<ncia ao Me* Es-írito S: então a s*a com-aixão tem o -oder da reden1ão "E* dei!he os
dons do Me* Es-írito Goc< tem conhecido Minha *n1ão na s*a -rega1ão e -or escrito, mas oc< conhece m*ito menos
do *e oc< imagina Raramente oc< rea!mente er com me*s o!hos o* o*ir com os o*idos o* entender com me*
cora1ão SemeMim,
My /ata!has, nada -odeis
oc< mesmo fa4erno*e
ter isto ir@da
to-o /eneficiar o me* reino
minha montanha o*a-rende*
Goc< -romoera Me*
atirareange!ho "Goc< tem
f!echas de erdade e de!*tado
acertarem
o inimigo Goc< a-rende* *m -o*co so/re o *so de minha es-ada Mas !em/rese, o amor + minha maior arma 3 amor
n*nca fa!har@ 3 amor ser@ o -oder *e destr:i as o/ras do dia/o E o amor ser@ o *e tra4 me* reino 3 amor + a
/andeira so/re o me* ex+rcito, e so/ essa /andeira oc< dee agora !*tar "8om isso, se transformo* em *m corredor e 0@
não estaam na grande saraiada de 0*!gamento A g!:ria da Sa/edoria era em torno de mim, mas e* não -odia mais <!o
distintamente Be re-ente, cheg*ei a *ma -orta Me* -rimeiro im-*!so foi dar a o!ta -or*e e* não *eria deixar, mas e*
sa/ia *e e* deo Esta foi a Sa/edoria -orta me !earam a E* tie *e -assar -or isso
A 7.A-A5A

E* fi*ei o!hando -ara a -orta *e e* estaa a entrar em seg*ida >oi sim-!es e -o*co conidatio C*ando me irei -ara
er mais *ma e4 o 9rande Sa!ão do J*í4o, e* estaa o-rimido -or s*a g!:ria e ex-ansão E* não *eria deixar a*i,
em/ora o ma! do me* -r:-rio cora1ão era contin*amente ex-osto Em/ora o -rocesso foi do!oroso, foi tão !i/ertador
*e e* não *eria -arar Fa erdade, e* ansiaa -or mais conic1ão "E oc< dee ter mais," Sa/edoria intereio,
conhecendo me*s -ensamentos "3 *e oc< encontro* a*i irei com oc< Fo entanto, oc< não tem *e ir a*i -ara
ser a!terado 3 -oder da cr*4 + s*ficiente -ara m*d@!o 3 *e oc< ex-erimento* a*i oc< -ode ex-eri<ncia a cada dia
3 Es-írito Santo foi eniado -ara conden@!o do -ecado, -ara !e@!o  erdade, e -ara dar testem*nho de mim E!e est@
com oc< -ara sem-re Goc< dee conhecer o Es-írito Santo me!hor "M*itos acreditam no Es-írito Santo, mas -o*cas
a/rir es-a1o -ara E!e em s*as idas  medida *e o fina! deste a/ordagens idade *e ai m*dar 3 Es-írito Santo est@
-restes
m*ndo,aese E!emoer
trar@ so/re
 tonaaoterra, como
direito o fe4cria1ão
g!oriosa no início E!e aino!ear
de noo meioode!a
caos Est@
ea conf*são
-restes a*e estãonosemomentos
entrar es-a!handoem-e!o
*e E!e
far@ marai!has contin*amente, eo m*ndo inteiro estar@ no temor de s*as o/ras "E!e ai fa4er t*do isso atra+s do me*
-oo C*ando o Es-írito Santo se moe, os fi!hos e fi!has de Be*s -rofeti4arão Bo e!ho -ara os 0oens *e terão
sonhos e is.es As o/ras *e e* fi4, e o/ras maiores, e!es ão fa4er em me* nome, *e e* se0a g!orificado na terra Toda
a cria1ão geme e est@ cheia -ara o *e o Es-írito Santo est@ -restes a fa4er "3 *e oc< ai encontrar -or a*e!a -orta
ai a0*dar oc< a -re-arar -ara o *e est@ -or ir E* so* o Sa!ador, mas e* tam/+m so* o 0*i4 Esto* -restes a ree!ar
me ao m*ndo como o J*sto J*i4 Em -rimeiro !*gar, deo ree!ar Me* 0*!gamento -ara minha -r:-ria casa Me* -oo
est@ -restes a conhecer a com*nhão do Es-írito Santo Então e!es ão conhecer o Se* -oder de conencer do -ecado
E!es tam/+m sa/em *e E!e sem-re !e@!os -ara a erdade *e ai !i/ert@!os Esta + a erdade *e testifica de mim
C*ando o me* -oo t<m indo a conhecerme como so*, então e* o* *s@!os -ara testificam de mim "E* so* o 0*i4,
mas + me!hor -ara oc< 0*!gar a si mesmo -ara *e e* não tenha *e 0*!g@!o Mesmo assim, os me*s 0*í4os estão -restes
a ser resta*rado -ara o me* -oo J*!garei Minha -r:-ria casa -rimeiro Be-ois *e e* o* 0*!gar a terra inteira "A g!:ria
da
E!eSa/edoria foiosof*scando
fa!o* so/re t*do
se*s 0*í4os E*aosa/ia
me*-or
redor
issoE*
*en*nca
ho*etinha
*maisto
g!:riata!a es-!endor antes,
ser isto -or mesmo a*i
conhec<=o como A*mento*
o 0*i4 *ecomo
foi
maior do *e e* tinha conhecido antes 8omecei a me sentir tão -e*eno e insignificante em s*a -resen1a *e era difíci!
-ara mim concentrar no *e e!e estaa di4endo A-enas *ando e* -ensei *e e* iria ser o-rimido -or s*a g!:ria, E!e
estende* a mão e toco*me na testa, de!icadamente mas com firme4a C*ando E!e fe4 isso, minha mente torno*se
focado e c!ara "Goc< come1o* a o!har -ara si mesmo 6sso ai sem-re tra4er conf*são, tornando mais difíci! -ara oc<
o*irme Toda e4 *e oc< ex-eri<ncia Me* to*e, s*a mente se tornar@ mais c!aro Toda e4 *e oc< sentir minha
-resen1a, sa/e *e e* im -ara te tocar, de modo *e oc< -ode er e o*irme de mim Goc< dee a-render a
-ermanecerdes na minha -resen1a, sem se tornar a*toconsciente e se!fa/sor/ed 6sso fa4 com *e oc< se desiam da
erdade em mim e o!tarse -ara o engano *e est@ na s*a nat*re4a caída "M*itas -essoas caem *ando o Me* Es-írito
toca!os 3 tem-o de *eda + mais Goc< dee a-render a resistir *ando se moe o Me* Es-írito Se oc< não s*/sistir@,
*ando o Me* Es-írito se moe, E!e não -ode *s@!o As na1.es deem cair diante de mim, mas e* -reciso -ara o me*
-oo -ara estar -ara *e e* -ossa *s@!os "

O orgulho de falsa humildade

3*i irrita1ão na o4 do Senhor *ando E!e disse isso E* senti *e era como a irrita1ão E!e -arecia ter com os discí-*!os
nos eange!hos 6mediatamente com-reendi *e S*a irrita1ão norma!mente eio *ando e!es come1aram a o!har -ara as
s*as ins*fici<ncias o* fa!has "Senhor, sinto m*ito", e* im-!orei, "mas s*a -resen1a + tão aassa!adora 8omo fa1o -ara
deixar de sentir tão -e*eno, *ando e* esto* -erto de oc< assimO "" Goc< + -e*eno, mas oc< dee a-render a
-ermanecerdes na minha -resen1a sem o!har -ara si mesmo Goc< não ser@ ca-a4 de o*ir de mim o* fa!ar -ara mim se
oc< est@ o!hando -ara si mesmo Goc< ser@ sem-re inade*ada Goc< sem-re ser@ indigno -ara o *e e* conido a fa4er,
mas n*nca ser@ a s*a ade*a1ão o* dignidade *e me !ea a *s@!o Goc< não dee o!har -ara a s*a inade*a1ão, mas o!ho
-ara o me* ade*a1ão Goc< dee -arar de o!har -ara a s*a -r:-ria indignidade e o!har -ara a minha 0*sti1a C*ando oc<
est@ acost*mado, + -or ca*sa de *em e* so*, não *em oc< + "Goc< fe4 sentir minha ira como oc< come1o* a o!har
-ara si mesmo Essa + a raia *e e* sentia em re!a1ão a Mois+s *ando e!e come1o* a se *eixar so/re como e!e era
inade*ada
so* ca-a4 de6sto
*sars:tãoree!a *edo
-o*cos oc<
me*est@ o!hando
-oo, -ara o-ara
*esie*
mesmo
dese0omais
fa4erdoEsta
*e fa!sa
a mim, *e + a -rinci-a!
h*mi!dade ra4ão
+ rea!mente *ma-e!a *a! de
forma e* o
org*!ho *e ca*so* a *eda do homem Adão e Ea come1aram a sentirse inade*ada e *e e!es -recisaam ser mais do
*e e* tinha feito *e e!es se0am E!es se encarregaram de fa4erse em *e e!as deeriam ser Goc< n*nca -ode fa4erse
em *em oc< deeria ser, mas oc< dee confiar em mim -ara fa4<!o em *em oc< dee ser "Em/ora e* n*nca tinha
re!acionado fa!sa h*mi!dade -ara a *eda do homem no Jardim, e* sa/ia *e este era *m grande tro-e1o /!oco im-edindo
m*itos de se tornar 2ti! ao Senhor, e e* tinha ensinado so/re isso m*itas e4es Agora em S*a -resen1a, a minha -r:-ria
h*mi!dade fa!sa foi ree!ado em mim e -arecia ainda -ior do *e e* 0@ tinha isto em *a!*er o*tra -essoa Esta forma
de org*!ho era re-*!sio, e e* conseg*ia entender -or *e isso ca*so* a ira do Senhor -ara *eimar Em S*a -resen1a,
t*do o *e somos + !ogo ree!ado, e mesmo de-ois de todo o 0*!gamento *e e* tinha aca/ado de s*-ortar, e* ainda
tinha a!g*mas das fa!has mais /@sicas *e me im-edi* de conhec<!o e seri=o como f*i chamado -ara fa4er Tão
chocante como este foi, e* não *eria determe so/re mim mesmo -or mais tem-o, então e* irei -ara o!har -ara E!e,
dese0ando er o m@ximo da s*a g!:ria, como e* -oderia s*-ortar, en*anto e!e estaa comigo dessa maneira
6mediatamente, minha me!anco!ia se transformo* em <xtase Me*s 0oe!hos *eria fie!a, mas e* estaa determinado a
ficar -or tanto tem-o *anto e* -oderia =ogo de-ois, e* acordei Para dias de-ois, senti *ma energia s*rgindo atra+s de
mim fa4er t*do o o!har g!orioso E* adorei t*do *e i *ma ma1aneta -arecia marai!hoso a!+m da com-reensão Ge!has
casas e carros foram tão !indo -ara mim *e e* era -esaroso *e e* não era *m artista -ara *e e* -*desse ca-tar a s*a
/e!e4a e no/re4a Nrores e animais t*do -arecia m*ito es-ecia! amigos -essoais 8ada -essoa *e i foi como *ma
/i/!ioteca de ree!a1ão e significado, e e* estaa tão agradecido -or toda a eternidade -ara *e e* -*desse conhec<!os
todos E* não -odia o!har -ara *a!*er coisa sem er magnific<ncia, ma! acreditando *e e* tinha andado -or tanta coisa
da
nãominha
sa/ia ida
o *ee fa4er
-erdicom
m*ito
e!eFo
E*entanto, -ara
sa/ia *e se t*do
e* nãoisto emo1ãoamarai!hosa
a-render *s@!o -ara oe /em
ree!a1ão senti
*e iria f!*indo atra+s
desa-arecer, o *edefe4mim,
em e*
a-enas a!g*ns dias Era como se o sentido da ida estaa escorregando de mim, e e* sa/ia *e e* tinha *e rec*-er@!o 3
*e e* tinha ex-erimentado era mais marai!hosa do *e *a!*er droga, e e* era iciado Este foi o res*!tado de er a
S*a g!:ria, e e* tie *e er mais E* dese0aa a-render a -ermanecer em S*a -resen1a e -ara -ermitir *e s*a ida f!*a
atra+s de mim, a fim de tocar os o*tros E* tie *e -ermanecer no Es-írito Santo e -ermitir *e E!e me *se Esta foi a
minha chamada

7A6@T3LO =, duas testemunhas

Por dias e* estaa em *ma -rof*nda de-ressão T*do -arecia tão som/rio Mesmo o som de -essoas m*ito me irrito*, e
*a!*er -ert*r/a1ão -ara o *e e* *eria fa4er me irrito* E* -ensei *e o -ior de todos e tee *e !*tar -ara conter os
-ensamentos negros *e s*rgi* em mim -ara com e!es E* me senti como se tiesse escorregado no inferno e foi
des!i4ando maiscom
frente da -orta -rof*ndamente a cada dia E* fina!mente c!amo* ao Senhor, e *ase imediatamente me i de -+ em
Sa/edoria ao me* !ado "Senhor, sinto m*ito E* escorreg*ei da t*a -resen1a, todo o caminho -ara o inferno *e -arece
"" 3 m*ndo inteiro ainda est@ no -oder do ma!igno ", E!e res-onde*5" e oc< caminhar na /eira do inferno todos os dias
Pe!o meio de!e, h@ *m caminho de ida Existem a!as -rof*ndas em am/os os !ados do caminho da ida, então oc< não
dee desiar do caminho estreito "" em, e* caí em *ma das a!as e não conseg*ia encontrar me* caminho "" Fing*+m
-ode encontrar o se* -r:-rio saída -ara os fossos Seg*ir se* -r:-rio caminho + como oc< cair ne!es, e s*a -r:-ria
maneira n*nca ir@ !e@!o -ara fora E* so* a 2nica saída C*ando oc< cair, não -erca se* tem-o tentando desco/rir
t*do, -ois oc< s: ir@ af*ndar mais na !ama asta -edir a0*da, e* so* o se* Pastor, e e* o* sem-re a0*dar *ando oc<
chama em mim "" Senhor, e* não *ero -erder tem-o tentando entender t*do, mas e* rea!mente gostaria de entender
como e* caí tão !onge, tão r@-ido 3 *e me !eo* a desiaremse do caminho da ida e caem na a!a assimO Est@
Sa/edoria, e e* sei *e + sa/edoria -ara -erg*ntar "" D sa/edoria -ara sa/er *ando -edir a com-reensão e *ando
a-enas -edir a0*da A*i est@ a sa/edoria -ara *e oc< -edir Somente *ando oc< estier em minha -resen1a oc<
-ode entender
-recisão a -artirS*a com-reensão
desse ser@ sem-re
!*gar A de-ressão torcida*e
+ o engano *ando oc<
em de er est@ de-rimido,
o m*ndo de s*ae-ers-ectia
oc< n*ncaAaierdade
er a erdade com
em de er
o m*ndo atra+s dos me*s o!hos de onde esto* sentado,  direita do Pai 8omo os *er*/ins em 6saías V, a*e!es *e
-ermanecerdes na minha -resen1a ai di4er5 A terra inteira est@ cheia de S*a g!:ria =em/reime como como *m noo
crente, e* tinha !ido este texto e rea!mente -ensei *e esses *er*/ins foram enganados E* não conseg*ia entender
como e!es -oderiam di4er5 "A terra inteira est@ cheia de S*a g!:ria," *ando toda a terra -arecia estar cheio de g*erras,
doen1as, a/*so infanti!, trai1ão e ma!dade -or todos os !ados Então o Senhor fa!o* comigo *m dia e disse5 "A ra4ão *e
estes *er*/ins di4er *e toda a terra est@ cheia de minha g!:ria + -or*e e!es moram em minha -resen1a C*ando oc<
ha/ita em Minha -resen1a, oc< não er@ nada a!+m de g!:ria "" Senhor, e* !em/ro *e oc< me ensinar isso, mas e* não
ii m*ito /em Passei a maior -arte da minha ida endo as coisas do !ado esc*ro Acho *e -assaram /oa -arte da
minha ida sentado em *ma dessas a!as ao !ado do caminho da ida, em e4 de andar ne!e "" 6sso + erdade, "o Senhor
res-onde* "Be e4 em *ando oc< se !eantar e tomar a!g*ns -assos, mas de-ois des!i4ar -ara a a!a do o*tro !ado
Mesmo assim, oc< tem feito a!g*ns -rogressos, mas agora + tem-o -ara oc< ficar no caminho Goc< não tem mais
tem-o
des!i4ara-ara
-erder nessas
a a!a a!as
desta "ondade
2!tima docome1o*
e4O" E!e Senhor e -aci<ncia
Be-ois de-arecia
-ensaresmagadora como
so/re isso, e* E!eercontin*o*
-odia "3 me
*e e* haia *etornado
o !eo* a
cons*mido com a man*ten1ão do sentimento, em e4 de sa/er a srcem do sentimento "=eei me*s o!hos de oc<", e*
confessei "E* sei *e -arece sim-!es demais, mas isso + t*do o *e oc< fe4, e tirar os o!hos de mim + t*do o *e oc<
tem *e fa4er a deria do caminho da ida C*ando oc< estier em mim, oc< ai er nada, mas g!:ria 6sso não significa
*e oc< não ai er os conf!itos, conf*são esc*ridão, e dece-1ão *e estão no m*ndo, mas *ando oc< <!os, oc< ai
sem-re er minha res-osta a e!es C*ando oc< estier em mim oc< sem-re er como a erdade -rea!ece so/re a
dece-1ão e oc< ai er a maneira -e!a *a! me* reino ir@ "" Senhor, *ando e* esto* a*i, isso + t*do mais rea! -ara
mim do *e *a!*er coisa *e e* ex-erimentei na terra , mas *ando esto* na terra, t*do o *e est@ a*i -arece *m
sonho irrea! E* sei *e esta + a erdadeira rea!idade e *e a terra + tem-or@ria Tam/+m sei *e, se esse !*gar fosse mais
rea! -ara mim em
terra, e* seria ca-a4 de caminhar em s*a sa/edoria mais e -ermanecer no caminho da ida Goc< disse *e + sem-re a
sa/edoria de -erg*ntar Pe1o *e oc< fa1a este reino mais rea! -ara mim *ando esto* na terra Então e* o* ser ca-a4
de andar mais -erfeitamente em se*s caminhos E* tam/+m -e1o *e me a0*de a transmitir esta rea!idade -ara os o*tros
A esc*ridão est@ crescendo m*ito na terra, e são -o*cos os *e t<m isão Pe1o=he -ara nos dar mais do se* -oder,
amos er mais de s*a g!:ria e deixenos sa/er o 0*í4o erdadeiro *e em da t*a -resen1a "" C*ando oc< come1a a
ier de acordo com o *e oc< < com os o!hos do osso cora1ão, oc< ai andar comigo, e oc< ai er a minha g!:ria
3s o!hos do osso cora1ão são a 0ane!a -ara este reino do Es-írito Atra+s dos o!hos de se* cora1ão, oc< -ode ir a
Me* Trono da 9ra1a, a *a!*er momento Se oc< ir a mim, o* ser mais rea! -ara oc< A!+m disso, o* confiar em
oc< com mais energia "En*anto e!e fa!aa, e* era o/rigado a irar e o!har -ara a m*!tidão de reis, -rínci-es, amigos e
seros
grande do
*eSenhor
e* teria*e estaam
sido todos
satisfeito em de -+-ara
ficar no Sa!ão do J*í4o
sem-re A marai!ha
Mais *ma eaest*-efacto
e4 fi*ei g!:ria de t*do o *e *e
a -ensar ocorre* !@ foi foi
este !*gar tão
a-enas o come1o do c+* Mas mesmo com todas as s*as marai!has, a erdadeira marai!ha do c+* foi a -resen1a do
Senhor A*i no come1o do c+*, E!e era Sa/edoria e E!e foi o 0*i4, *e são, o mesmo "Senhor", -erg*ntei, "A*i est@ a
sa/edoria eo J*i4, mas como oc< + conhecido em o*tros reinos dos c+*sO" "EI S3I Sa/edoria e e* so* o 0*i4 em todos
os domínios, mas tam/+m so* m*ito mais Por*e oc< -edi*, o* mostrar *em e* so* Mesmo assim, oc< tem a-enas
come1ado a conhecerMe como Sa/edoria e J*i4 Fo deido tem-o, oc< ai er mais de mim, mas h@ m*ito mais -ara
oc< a-render so/re os me*s 0*í4os em -rimeiro !*gar "A -rimeira testem*nha" 0*í4os de Be*s são o -rimeiro -asso -ara
o reino ce!estia! ", *ma o4 disse *e e* não tinha o*ido antes  "C*ando o dia do J*í4o chegar, o Rei ser@ conhecido
-or todos, e os se*s 0*í4os, ser@ com-reendido Então a terra ser@ -osto em !i/erdade Goc< -edi* -ara os se*s 0*í4os -ara
chegar a s*a -r:-ria ida, come1am agora a -edir -ara e!es irem ao m*ndo "Go!teime -ara er *em tinha fa!ado E!e
foi de grande estat*ra e /ri!ho, mas *m -o*co menos do *e os o*tros *e e* haia conhecido no Sa!ão do J*í4o
Pres*mi *e e!e era *m an0o, mas então e!e disse5 "E* so* =ot Goc< foi esco!hido -ara ier em tem-os difíceis, assim
como e* f*iemesco!hido
momentos 8omo A/raão
*e a -erersão ieram
+ !i/erada grandeeso/re
intercede*
a terra,-or Sodoma,
homens oc< dee
e m*!heres de fa4er
grandeo f+
mesmo B*rante
tam/+m os 8omo
ai s*rgir
A/raão, oc< dee *sar s*a f+ -ara interceder -ara os ím-ios, e oc< tam/+m dee testem*nhar o 0*!gamento de Be*s
em so/re a terra 3 Senhor não to!era o ma! cada e4 maior da h*manidade m*ito mais tem-o E* estaa em si!<ncio e
m*itos -ereceram Goc< não dee ser como e*, oc< não dee ficar em si!<ncio "" 8onteme mais 8omo fa1o -ara ais@
!osO "E* -erg*ntei "E* -ensei *e e* seria *m aiso a-enas -or ser diferente Ser diferente não + s*ficiente? 3 -oder do
Es-írito Santo -ara conencer do -ecado + !i/erado -e!a -a!ara fa!ada C*e o Senhor fe4 -ara Sodoma, E!e o fe4 como
*m exem-!o -ara *e o*tros não teriam de ser destr*ídas desta forma Goc< -ode a!ertar a*e!es *e estão indo -ara a
destr*i1ão, di4endo!hes a minha hist:ria Existem ho0e m*itas cidades em *e o ma! E!e não -ermanecer@ -or m*ito
tem-o Se a*e!es *e conhecem o Senhor não s*rgem, haer@ m*itos mais como Sodoma m*ito em /ree "3 Bia do
J*í4o >ina! est@ chegando Toda a cria1ão, então, conhecer a sa/edoria de se*s 0*!gamentos, mas oc< não dee es-erar
-or esse dia Goc< dee -roc*rar os se*s 0*í4os a cada dia, e oc< dee torn@!os conhecidos na terra Se o Se* -oo a -+
em se*s 0*!gamentos, m*itos so/re a terra sa/er@ de!es antes do grande Bia do J*í4o Por isso m*itos mais serão sa!os D
Se* dese0o E!es
são cegos de *e
nãonenh*ma dee
ão er se sersim-!esmente
oc< -erdida, e *etentar
nenh*m de se*
ser *ma -oo sofrer
testem*nha A amensagem
-erda no mesmo dia "3 dee
do 0*!gamento -oosair
da terra
em
-a!aras 3 Es-írito Santo *nge -a!aras, mas as -a!aras deem ser ditas, -ara *e E!e -ara *ngi!os "J*sti1a e 0*í4o são a
/ase do se* trono Se* -oo t<m indo a conhecer a!go de s*a ness 0*stos, mas -o*cos conhecem a S*a 0*sti1a Se* trono
-ermanecerão em S*a casa, -ortanto, o 0*!gamento dee come1ar com S*a -r:-ria casa "Goc< dee ier de acordo com
a erdade *e oc< a-rende* a*i, e oc< dee ensin@!o 3s se*s 0*í4os estão chegando Se o Se* -oo andar@ em Se*
0*!gamento -erante o Bia do J*!gamento, *e dia ser@ g!orioso -ara e!es Se e!es não iem -or e!es, e!es, tam/+m, ai
sa/er a dor *e o m*ndo est@ -restes a sa/er 3s se*s 0*í4os não seria erdade se não fossem as mesmas -ara todos
Atra+s de oc< e os o*tros, E!e ai s*-!icar o Se* -oo a 0*!garse -ara não serem 0*!gados Então oc< dee s*-!icar o
m*ndo " =ot dirigi*me a o!har -ara a -orta antes *e e* estaa de -+ E!e ainda -arecia esc*ro e -o*co conidatio,
como as do*trinas do 0*í4o de Be*s, -ensei A g!:ria do Senhor *e nos rodeaa fe4 -arecer ainda mais deso!ador
Mesmo assim, e* 0@ sa/ia *ão g!orioso Se* 0*!gamento + rea!mente E* tam/+m tinha chegado a entender *e *ase
todas as -ortas atra+s do *a! E!e nos !ea -arece som/rio no início e então tornase g!orioso C*ase -arece *e o mais
som/rio da -orta
!eam a mais o!ha,
g!:ria =oteo mais g!orioso
contin*o* comser@ do o*tro
a minha !ado
!inha S: de -assagem
de -ensamento S*ae*
8omo -ortas -reciso
0@ haia ter f+, mas
a-rendido, nestee!es sem-re
!*gar
-ensamentos são transmitidos a todos "Atra+s dessa -orta, oc< ai ex-erimentar mais de S*a g!:ria S*a g!:ria não +
a-enas o /ri!ho *e oc< < ao se* redor o*, neste !*gar, nem + a-enas o sentimento *e oc< tem en*anto
-ermanecermos nE!e S*a g!:ria + tam/+m ree!ada atra+s de se*s 0*í4os Esta não + a 2nica maneira *e + ree!ado,
mas + dessa forma *e oc<s foram chamados a*i -ara entender Por a*e!a -orta, oc< ai a-render de *ma o*tra
maneira de er a S*a g!:ria D -or er a S*a g!:ria *e o Se* -oo ser@ m*dado, e E!e est@ -restes a mostrar!hes a S*a
g!:ria C*ando e!es <em a s*a g!:ria, e!es ão se a!egrar em todos os se*s caminhos, mesmo em se*s 0*!gamentos "
A 4egunda Testemunha

Em seg*ida, *ma seg*nda o4 fa!o*5 "E*, tam/+m, confirmar esta erdade "3 0*!gamento de Be*s est@ -restes a ser
ree!ado so/re a terra Mesmo assim, "A Miseric:rdia tri*nfa so/re o 0*!gamento 3 Senhor sem-re se estende a
miseric:rdia antes do 0*!gamento Se oc< ai aisar o -oo *e os se*s 0*í4os estão -erto, a S*a miseric:rdia ai sa!ar
m*itos "E* não reconhecer a fa!ar *m, mas era *m o*tro homem de grande estat*ra e no/re4a, com *m /ri!ho *e
indicaa *ma a!ta c!assifica1ão "E* so* Jonas", disse e!e "C*ando oc< entender 0*í4os do Senhor, a com-reender os
Se*s caminhos Fo entanto, mesmo se oc< com-reend<!os, isso não significa *e oc< concorda com e!es
Entendimento + necess@rio, mas não + s*ficiente 3 Senhor tam/+m *er y "Goc< tem fre*entemente so!icitado a
-resen1a do Senhor -ara ir com oc< 6sso + sa/edoria E* era *m -rofeta, e e* sa/ia *e E!e, ainda tentei f*gir da S*a
-resen1a C*e foi *ma grande to!ice, mas não tão to!o *anto oc< -ode -ensar E* tinha indo a com-reender a grande
*eima
-resen1a, *e ema madeira,
toda com S*a feno
-resen1a E*+tinha
e -a!ha indo aC*ando
cons*mida com-reender
oc< sea res-onsa/i!idade *e -ecado
a-roximar dE!e com em de oc*!to
ser -erto
emBe!e Em S*a
se* cora1ão,
e!e ir@ !e@!o  !o*c*ra, como m*itos *e a-renderam atra+s dos tem-os E* não estaa tentando f*gir da ontade do
Senhor tanto *anto e* estaa f*gindo de S*a -resen1a "C*ando oc< -erg*nta -ara a rea!idade da S*a -resen1a, oc<
est@ -edindo -ara a rea!idade de *e
oc< 0@ i* a*i -ara estar com oc< 3 c+* + o se* erdadeiro !ar, e + certo -ara *e oc< anseia -or isso Mesmo assim,
E!e + *m Be*s santo, e se oc< ai andar intimamente com E!e, oc< tam/+m dee ser santo 3 mais -erto *e oc<
come1a a E!e, o -ecado mais morta! oc*!to -ode ser "" E* entendo isso ", res-ondi "D -or isso *e e* -edi -ara os
0*í4os do Senhor em minha -r:-ria ida" "Agora e* deo -erg*ntar!he isso", contin*o* Jonah "Goc< ai /*sc@=oO
Goc< ir@ a E!eO "" 8!aro ", res-ondi "E* dese0o a S*a -resen1a mais do *e t*do Fão h@ nada maior do *e estar em
S*a -resen1a Sei *e m*itos dos me*s motios -ara *erer estar com E!e + egoísta, mas estar com E!e a0*da a me !i/ertar
desse ti-o de egoísmo E* *ero estar com e!e E* irei -ara e!e "" Goc< aiO "Jonas contin*o* "At+ agora oc< tem sido
ainda mais to!o do *e e* Goc< -ode ir cora0osamente diante do se* trono da gra1a a *a!*er hora e -ara *a!*er
necessidade,
a-roximar demas raramente
Be*s, oc< ir Ansiando
E!e se a-roximar@ de oc<-or
PorS*a
*e-resen1a não
oc< não fa4+ issoO
s*ficiente
Goc< Goc< dee irtão
est@ sem-re -ara e!e Se oc<
-r:ximo a E!esecomo
oc< *er ser "M*itos ieram conhecer e seg*ir se*s caminhos, mas e!es não <m a e!e Fos tem-os *e oc< ai em
/ree entrar, e!es ão afastar os se*s caminhos, -or*e e!es não ieram -ara e* *rna Goc< ter rido de minha to!ice, o *e
foi :timo, mas o se* + ainda maior *e a minha Fo entanto, e* não rir de s*a !o*c*ra, e* choro -or oc< Se* Sa!ador
chora -or oc<, E!e intercede -or oc< contin*amente C*ando e!e chora, chora todos os c+*s E* choro -or*e e* sei o
*ão to!o Se* -oo E* sei *e oc< -or*e oc< + ig*a!4inho a mim, e como e*, a igre0a tem correr -ara T@rsis,
dese0ando ao com+rcio com o m*ndo ainda mais do *e sentar diante do se* trono g!orioso Ao mesmo tem-o, a es-ada
dos 0*í4os de Be*s -airam so/re a terra E* choro -ara a igre0a -or*e e* sei *e oc< tão /em "" E* so* c*!-ado? "E*
im-!orei "3 *e -odemos fa4erO" "9randes tem-estades estão indo so/re a terra", contin*o* Jonah "E* dormia
*ando a tem-estade eio so/re o naio *e e* estaa em d*rante a exec*1ão da -arte do Senhor A igre0a tam/+m est@
dormindo E* era o -rofeta de Be*s, mas as na1.es tieram *e me acordar Assim + com a igre0a As na1.es t<m mais
discernimento do *e a 6gre0a neste momento E!es sa/em *ando a igre0a est@ indo na dire1ão errada, e e!es estão
tremendo
!an1aros na
ao igre0a, tentando
mar, assim comoacord@!o de modo
os homens em *e*e oc<tinha
naio ai chamar em-ara
*e fa4er se* mim
Be*sE!es
"Emnão
/ree
ãoosdeixar
!íderes do contin*ar
oc< m*ndo no
caminho *e oc< est@ indo Esta + a gra1a de Be*s -ara oc< E!e, então, a disci-!ina!o com *ma grande /esta *e so/e
do mar Gai engo!ir oc< -or *m tem-o, mas oc< ai ser omitado fora de!e Então oc< ai -regar a S*a mensagem ""
Fão h@ o*tra maneiraO "E* -erg*ntei "Sim, h@ *ma o*tra maneira", Jonas res-onde*5 "em/ora este chego* e est@
chegando A!g*ns 0@ estão no entre da /esta A!g*ns estão -restes a ser !an1ado ao mar, e a!g*ns ainda estão dormindo,
mas *ase todos foram a /ordo do naio indo na dire1ão errada, -roc*rando ao com+rcio com o m*ndo Fo entanto,
oc< -ode 0*!gar a si mesmo e e!e não ter@ *e 0*!g@!o Se oc< ai acordarse -ara cima, se arre-ender e seg*ir o
caminho *e E!e te manda, oc< não ter@ de ser engo!ido -e!a fera "" D a /esta a *e oc< est@ se referindo a *m em
A-oca!i-se "E* -erg*ntei "D a mesma coisa 8omo oc< !e* nesse ca-ít*!o, esta /esta + dado a fa4er g*erra aos santos e
enc<!os 6sso ai acontecer a todos os *e não se arre-endem Mas sai/a *e a*e!es *e são s*-erados -or esta
-rimeira /esta ser@ omitado fora de!a antes de a /esta em seg*ida em, o *e em acima da terra Mesmo assim, ser@
m*ito mais f@ci! -ara oc<, se oc< se arre-ender Fão + m*ito me!hor ser engo!ido -e!a fera
"Assim
-rofeta como a hist:ria
do Senhor, de =ot
a igre0a + *mest@
A igre0a aisoem-ara a*e!esa *e
exec*1ão estão
-artir entreg*esdo -erersão,
da -resen1a Senhor E!eminha hist:ria
est@ sendo + *m a!erta
exec*tado -ara-ara
a o
atiidade no !*gar de /*scar a -resen1a do Senhor Goc< -ode chamar de "Minist+rio", a s*a atiidade, mas na erdade +
exec*tado a -artir da -resen1a do Senhor 8omo e* disse, a igre0a est@ sendo exec*tado -ara T@rsis, -ara *e e!e -ode
negociar com o m*ndo e /*scar os teso*ros do mar, en*anto os teso*rosmaior teso*ros do c+*, a!g*ns estão /*scando
"3 -ecado de *erer o com+rcio com o m*ndo emaranhado da igre0a, *ando e* estaa -reso na /arriga da /esta com as
eras daninhas enro!aram na minha ca/e1a As eras daninhas, os c*idados do m*ndo, ter eno!idose em torno da
mente da igre0a =eei tr<s dias -ara o!tar -ara o Senhor -or*e e* estaa tão enredado E!a est@ tomando m*ito mais
tem-o os cristãos S*as mentes estão tão entre!a1ados com o m*ndo, e e!es caíram -ara tais -rof*ndidades, *e m*itos
não t<m es-eran1a de ficar !ire Goc< dee o!tar -ara o Senhor em e4 de !onge dE!e mentira -ode desendar *a!*er
conf*são, e e!e -ode !he tra4er a -artir do maior -rof*ndidade Exec*tar Be!e 0@ não? 8orra -ara E!e? "Então =:
acrescento*5" =em/rese da miseric:rdia *e o Senhor tinha -ara Fínie E!e tee miseric:rdia -or*e Jonas -rego* E!e
não ie* entre e!es e tentar ser *ma testem*nha5 E!e -rego* a Pa!ara de Be*s 3 -oder est@ na Pa!ara Fão h@
esc*ridão tão esc*ra *e a S*a Pa!ara não -ode -enetr@!a M*itos ão se arre-ender e ser sa!o se oc< ai -ara a*e!es
a *em o Senhor enia!o e dar se* aiso "Então Jonas contin*o*5" C*ando oc< a*+m da gra1a do Senhor e em/ara1a
o -ecado oc<, + difíci! -ara oc< ir a e!e Goc< dee a-render a exec*tar sem-re ao Senhor nesses momentos, não !onge
de!e C*ando oc< -assar -or a*e!a -orta, oc< entrar@ no momentos em *e o -oder do Senhor e da g!:ria ser@ !an1ado
na terra, como E!e não tem feito desde o início dos tem-os Todo o c+* tem estado  es-era -ara as coisas *e oc< est@
-restes a er Tam/+m ser@ o momento de maior esc*ridão Goc< não -ode s*-ortar tanto a g!:ria o* a esc*ridão sem a
S*a gra1a Goc< não ai andar em Se*s caminhos sem chegar a E!e diariamente Goc< não dee a-enas /*scar a S*a
-resen1a,
!o *ma e4mas
-oroc< deeem
semana -ermanecer emigre0a,
*m c*!to na S*a -resen1a
en*antocontin*amente "A*e!es
e!es -assam o resto *e tentaram
da semana seg*i!o
-roc*rando -or a-enas
o m*ndo /*sc@
ai cair em
/ree distKncia A*e!es *e inocam o se* nome a -ensar *e E!e + se* sero tam/+m ir@ em /ree desa-arecer E!e + o
Senhor de t*do e todos, em /ree sei *e isso? Primeiro, Se* -r:-rio -oo dee conhec<!o, de modo *e o 0*!gamento
ai come1ar com a S*a -r:-ria casa "D -res*n1ão a-enas inocar o Senhor, *ando oc< *er a!g*ma coisa Goc< dee
-edir a E!e -ara -erg*ntar o *e E!e *er, não o *e oc< *er M*itos da*e!es *e t<m a!g*ma f+ tam/+m t<m grande
-res*n1ão, a !inha entre os dois -ode ser m*ito fino C*ando os 0*í4os de Be*s <m a s*a -r:-ria casa, o Se* -oo ai
a-render a diferen1a entre f+ e -res*n1ão A*e!es *e tentam fa4er a S*a o/ra sem E!e ai cair M*itos t<m f+ no Senhor,
mas s: sei *e e!e de *ma distKncia Estes fa4em grandes o/ras em Se* nome, mas E!e não as conhece A*e!es *e o
conheceram de !onge, em /ree chorar so/re s*a insensate4 "Be*s não existe -or ca*sa de S*a casa S*a casa existe -ara
e!e Em S*a -aci<ncia, E!e est@ es-erando fora da s*a -r:-ria casa, /atendo, chamando, mas -o*cos se a/riram -ara e!e
A*e!es *e o*em a o4 do Senhor e a/rir a E!e ai com e!e  S*a mesa E!es tam/+m se sentar com E!e em Se* trono, e
e!es ão er o m*ndo como e!e < Pres*n1ão não -ode se sentar com e!e  s*a mesa, nem no se* trono Pres*n1ão + o
org*!ho *e"C*ando
ca*sa de!e ca*so* aSatan@s
-rimeirai**eda, e todos
a g!:ria da esc*ridão
de Be*s, e do-ara
e!e se iro* ma!o*e estão da
caminho -restes a ser co!hida
-res*n1ão Satan@snaha/itaa
terra ieram -or
em S*a
-resen1a e ainda iro* Be!e Este + o maior -erigo -ara a*e!es *e <em a s*a g!:ria
e conhecer a S*a -resen1a Fão se torne -res*n1oso -or ca*sa do *e oc< 0@ i* F*nca se tornam org*!hosos -or ca*sa
de s*as is.es5 Este ser@ sem-re !ear a *ma *eda "

-iseri!ordioso >ulgamento

8omo Jonas fa!o*, cada -a!ara era como *ma marte!ada >i*ei chocado com o me* -ecado Fão s: e* estaa
energonhado da maneira em *e e* tinha -ensado ne!e, mas e* tinha ergonha ainda mais -ara 4om/ar Jonas -ara as
mesmas coisas *e e* tam/+m tinha feito Mesmo *e e* tentaa deses-eradamente ficar em -+, me*s 0oe!hos não
conseg*ia me seg*rar -or mais tem-o, e e* caí na minha cara S*as -a!aras foram como estar se de/ate* com *m
chicote, mas ao mesmo tem-o, a dor era /emindo E* sa/ia *e -recisaa o*i!os, e e* não *eria *e Jonas -ara -arar
de ensinarme
m*ito mais do at+
*e*e
issotodos
Haiaos*m
me*s ma*s
-oder caminhos
so/re foram
e!es *e ex-ostos
fi4eram 3 -oder
*a!*er das-arece
desc*!-a -a!aras ex-ondo
terríe! E!esera grande,toda
-assaram mas era
/arreira e foi direto ao me* cora1ão 8omo e* co!oco no chão, senti como se e* fosse *ma cir*rgia Em seg*ida,
interrom-e* =ot, "M*itos crentes t<m feito cair na -resen1a frío!a e sem sentido do Senhor, mas a igre0a est@ -restes a
cair so/ o mesmo -oder *e oc< derr*/o* a condena1ão Se oc< cair, *ando oc< não -ode ficar então a s*a *eda
res*!tar@ em se* -+ -ara a erdade "Ainda não -retende moer E* não *eria fa4er nada at+ *e e* tinha *e agarro*
com firme4a a Jonah tinha dito E* não *eria *e a conic1ão de ir em/ora at+ *e e!e tinha feito o se* tra/a!ho E!es
-areciam entender como ho*e si!<ncio -or *m tem-o, e de-ois contin*o* =ot "Jonas tinha a maior -rega1ão *n1ão
ainda dada a *m homem Sem mi!agres o* sinais, *ando e!e -rego*, *ma das cidades mais -erersa *e 0@ existi* se
arre-ende* Se Jonah haia -regado em Sodoma, cidade *e teria -ermanecido at+ ho0e 3 -oder da -rega1ão de Jonas +
*m sina! C*ando e!e acordo* e foi omito* da /esta, e!e tinha esse -oder Este + o -oder de -regar *e ser@ dado -ara a
igre0a nos 2!timos dias Este + o -oder de conic1ão *e o Senhor est@ es-erando -ara dar a S*a igre0a C*ando e!a +
omito* da /esta *e engo!i* e!a, mesmo o ma! mais ai o*ir s*as -a!aras Este + o sina! de Jonas, *e ser@ dada 
igre0a
MesmoAsassim,
-a!aras da*e!es
e* estaa *e ex-erimentam
determinado a ress*rrei1ão
a correr -ara o Senhor edas
não-rof*nde4as
!onge de!e, ter@
então-oder
e* me"E*
ireiainda
-araestaa atordoado
o!har diretamente
-ara Sa/edoria "Senhor, e*, tam/+m, -ode cair no *e est@ chegando? E* so* c*!-ado de todas essas coisas Tenho isto
m*ito de s*a g!:ria, e ainda e* cair nas armadi!has e desios *e me im-edem de desenho -erto de oc< Por faor me
a0*de nisso E* -reciso deses-eradamente s*a sa/edoria, mas e* tam/+m -reciso de S*a miseric:rdia Por faor, enie
miseric:rdia e nos a0*dar antes de eniar o 0*!gamento *e n:s merecemos Pe1o a miseric:rdia de cr*4 "Sa/edoria
res-onde*5" Goc< ser@ dado miseric:rdia, -or*e oc< -edi* -ara e!e Go* dar!he mais tem-o Minha miseric:rdia -ara
oc< + o tem-o Isar esse tem-o com sa/edoria, -ois em /ree não haer@ mais 3 tem-o est@ -r:ximo *ando e* -osso
adiar mais 8ada dia *e e* atraso me* 0*í4o + miseric:rdia G<!o como a*e!e e *s@!a sa/iamente "E* seria sem-re *m
-o*co de miseric:rdia do *e 0*í4o, mas o fim est@ -r:ximo A esc*ridão est@ crescendo eo tem-o da grande tri/*!a1ão
ser@ em cima de oc< em /ree Se oc< não *sar o tem-o e* te do*, os -ro/!emas *e em ir@ *!tra-ass@!o Se oc< *sar
o tem-o *e e* te do* com sa/edoria, oc< ai s*-erar e encer H@ *ma característica *e + com*m -ara o s*-era em
todos os tem-os, e!es não des-erdi1am se* tem-o? "Em Minha miseric:rdia, e* esto* !he dando esta adert<ncia Aisar o
me* -oo *e na Minha miseric:rdia, e* não o* mais deix@!os a/*sar da minha Miseric:rdia Fa Minha miseric:rdia,
Minha disci-!ina ser@ so/re e!es Aisarles para não endurecer o coração, mas se arrepender e voltarse para mim. "2
verdade $ue você também pode cair. Seu amor se esfriará e você me negará, se você não negar a si mesmo, tome a
sua cru& a cada dia. '$ueles $ue buscam para salvar sua própria vida vai perdêla, mas $uem perder a sua vida por
mina causa vai encontrar a verdadeira vida. 7 $ue eu darei ao meu povo será uma vida de abundBncia, mesmo mais
do $ue eles pediram, mesmo em sua presunção. "Quando eu terminar de *ulgar mina própria casa, vou então enviar
os meus *u(&os sobre toda a terra. %m meu *ulgamento *usto, vou mostrar uma distinção entre o meu povo e a$ueles
$ue nãoQuando
*ustos. me conece. 'gora
o dia do 6u(&oo mundo
cegar, inteiro
o mundo *a&inteiro
no poder
vaido maligno.
saber $ue eu'gora ele recompensas
recompensa a *ustiça e in*ustiça
resistir aoe resiste
orgulo.os
"6ustiça e *u(&o são a base do meu trono. 2 por causa da mina *ustiça $ue eu disciplina mais severamente a$ueles
$ue conecem a verdade, mas não viver por ela. %u trou#e você a$ui para ver os meus *u(&os. 5ocê ganou o
entendimento a$ui, mas este será um *ulgamento ainda maior para você Se você não andar em $ue você tem visto. '
$uem muito é dado, muito será e#igido. '$ui você tem conecido a misericórdia de meus *u(&os. Se você continuar a
permitir $ue o pecado entangle você, você vai saber a gravidade do meu *ulgamento. >uitos do meu povo ainda ama
o pecado. '$ueles $ue amam o pecado e seu próprio conforto e prosperidade mais do $ue eu em breve conecer a
>ina gravidade. %stes não vai ficar nos tempos $ue estão cegando. "5ou mostrar a severidade para os orgulosos e
misericórdia para com os umildes. ' maior distração do meu povo, não tem sido as dificuldades, mas a
prosperidade. Se o meu povo iria procurarme em tempos de prosperidade, eu poderia confiarles ainda mais a
verdadeira ri$ue&a do meu reino. %u dese*o para você ter uma abundBncia para toda boa obra. %u $uero a sua
generosidade a transbordar. >eu povo prosperar em ri$ue&as terrenas nos tempos 8 frente, mesmo em tempos de
dificuldades, mas a ri$ue&a de a&ule*os será de mim e não o pr(ncipe do presente século mau. Se eu não posso confiar
em você com ri$ue&as terrenas, como posso confiar em você com os poderes do mundo vindouro3 5ocê deve
aprender a procurarme, tanto na prosperidade como $uando você está na pobre&a. /udo o $ue eu confiar a você ainda
é >inas. Só vou confiar mais para a$ueles $ue são mais obedientes. "Saiba $ue o pr(ncipe das trevas também dá
prosperidade. %le continua a fa&er a mesma oferta para o meu povo $ue ele fe& para mim. mentira vai dar os reinos
deste mundo para a$ueles $ue irão se a*oelar e adorálo e servilo, vivendo segundo os seus caminos. 9á uma
prosperidade do mundo e não á a prosperidade do meu reino. 7s *ulgamentos vai a*udar o meu povo para saber a
diferença. 's ri$ue&as da$ueles $ue prosperaram por servir o pr(ncipe deste mundo mal e usando os caminos desta
idade mal será uma pedra de moino $ue paira sobre o seu pescoço $uando vierem as inundaç=es. /odos em breve
será *ulgado pela verdade. '$ueles $ue prosperam por mim não comprometer a verdade, a fim de prosperar. ">eu
*ulgamento começa com mina fam(lia para le ensinar a disciplina para $ue você vai andar em obediência. 7 salário
do pecado é a morte, e os salários da *ustiça são pa&, alegria, glória e onra. /odos estão prestes a receber seus

salários dignos.
*untos" %ste
%is agora é o *ulgamento,
a bondade e é a *ustiça
ea severidade $ueCSe
de eus. começa com mina
você estiver indo própria casa. "%ntão,
para conecê+o +otvocê
mais, e 6onas falaram
vai sabe esses
dois mais. "-onviction estava vindo em cima de mim como uma cascata, mas era uma cascata de água viva. <oi
limpe&a e refrescante, e foi dif(cil. %u também sabia $ue sua correção preservaria me através do $ue eu estava prestes
a encontrar depois de entrar pela porta. %u $ueria desesperadamente todos da correção eu poderia começar antes $ue
eu entrei ele. %u sabia $ue precisaria de Sua correção, e eu estava certo.

CAPÍTULO 3 O Caminho da Vida

%u estava pensando nas coisas $ue tina sido falado por +ot e 6onas, $uando o Senor começou a falar. "5ocê pediu
para conecer a realidade deste lugar, mesmo $uando você andar no reino terrestre. %sta é a realidade para a $ual
você pediu para ver como eu ve*o. !ão é este lugar $ue é a realidade. :ealidade é onde eu estou. >ina presença dá
$ual$uer realidade verdadeiro lugar e fe& tudo o $ue você olou parece tão vivo, por$ue eu sou a vida, meu pai me
fe&
nãoaávida deetoda
vida, nãoaácriação, tanto
verdade. "%unos
soucéus e na$ue
a 5ida terra.
está/oda a criação%stou
em criação. e#istemesmo
por mim e por
a vida emmim,
meuse inimigos.
para além %?
de mim,
S7?.
/udo o $ue e#iste fa& isso por mim. %u sou o 'lfa eo 7mega, eu sou o começo e eu sou o fim de todas as coisas. !ão
á nenuma verdade ou realidade para além de mim. !ão é apenas a realidade deste lugar $ue você procurar, mas a
realidade da mina presença. 5ocê busca o verdadeiro conecimento de mim, e esse conecimento dá a vida. %sta
realidade é tão dispon(veis para você no mundo f(sico, pois é a$ui, mas você deve aprender a não apenas olar para
mim, mas para mim. "%u sou o poder de eus. %? S7? a revelação da Sua glória. %? S7? %? S7? vida e amor.
%u também sou uma pessoa. %u amo o meu povo e $ueremos estar com eles. 7 Pai me ama e %le também ama você.
%le te ama tanto $ue %le me deu para a sua salvação. Queremos estar perto de você. !ós amamos a umanidade e
nossa eterna morada será com você. Sabedoria é saber >e, sabendo $ue o Pai, e conecer o nosso amor. ' lu&, a
glória eo poder $ue estou prestes a revelar na terra será lançado através da$ueles $ue têm vindo a conecer meu amor.
">eu Pai confioume com todo o poder. %u posso comando do céu e eles obedecemme, mas eu não pode comandar
o amor. 7 amor não é amor ordenou a todos. 9averá um momento em $ue eu e#i*o obediência das naç=es, mas então
o tempo para provar seu amor terá passado. %mbora eu não sou e#igente obediência, a$ueles $ue vêm a mim
obedecerme, por$ue eles me amam e amam a verdade. %stes são os $ue vão ser digno de reinar comigo no meu
reino, a$ueles $ue me amam e me servir, apesar da perseguição e re*eição. 5ocê deve $uerer vir a mim. '$ueles $ue
se tornam o nosso ref;gio, não virá por causa de um comando, ou apenas por$ue sabem $ue o meu poder, eles virão,
por$ue eles me amam e amam o Pai. "'$ueles $ue vêm para a verdade virá por$ue eles nos amam e $uerem estar
conosco. 2 por causa da escuridão $ue esta é a idade do amor verdadeiro. 7 verdadeiro amor brila mais contra o
maior escuridão. 5ocê me ama mais Quando você me vê com o coração e obedecerme, ainda $ue seus olos não
podem me ver
%m seguida, como
toda eles fa&em
a criação agora.
saberá 'mor
$ue seu e adoração
amor por mimserá maior na egrande
é verdadeiro por $ueescuridão $ue está
dese*a morar comvindo sobre a terra.
os omens.
"'$ueles $ue vêm a mim agora, lutando por todas as forças do mundo $ue se rebelam contra mim, vena, por$ue eles
têm o verdadeiro amor de eus. %les $uerem estar comigo tanto $ue mesmo $uando tudo parece irreal, mesmo
$uando eu parecer um sono vago para eles, eles vão arriscar tudo para a esperança de $ue o sono é real. Que é o
amor. Que é o amor da verdade. %ssa é a fé $ue agrada a meu pai. /odos vão curvar os *oelos $uando vêem o meu
poder e glória, mas a$ueles $ue dobrar os *oelos agora, $uando eles só podem verme vagamente através dos olos
da fé são os obedientes $ue me amam em %sp(rito e em verdade. %stes em breve vou confiar o poder ea glória da era
por vir, $ue é mais forte do $ue $ual$uer escuridão. "-omo os dias crescem mais escuro sobre a terra, vou mostrar
mais a mina glória. 5ocê vai precisar deste para o $ue está por vir. >esmo assim, lembrese $ue a$ueles $ue me
servem mesmo $uando eles não vêem a mina glória são os fiéis, os obedientes, a $uem eu vou confiar o meu poder.
7bediência no temor de eus é o princ(pio da sabedoria, mas a plenitude da sabedoria é obedecer por causa do
seu amor por eus. %ntão você verá o poder ea glória. "5ocê não está a$ui por causa de sua fidelidade. >esmo a
umildade $ue le causou a re&ar para os meus *u(&os foi um presente. 5ocê está a$ui por$ue você é um mensageiro.
Por$ue eu te camei para este fim, deile a sabedoria para saber pedir para os meus *u(&os. 2 a sabedoria para $ue
você se*a fiel ao $ue você vê a$ui, mas a maior sabedoria é para você vir a mim todos os dias. Quanto mais você vir a
mim, o mais real eu serei para você. %u posso ser tão real para você sobre a terra como eu sou para você agora, e
$uando você conece a realidade da mina presença, você está andando na verdade.

U SOU

"'gora você me ver como o Senor do 6u(&o. 5ocê também deve verme como o Senor do sábado. %? S7? ambos.
5ocê deve conecer>e como o Senor dos %#ércitos e eis >D e#ércitos, e você deve me ver como o Pr(ncipe da
Pa&. %? S7? o +eão de 6udá, e eu também sou o -ordeiro. Para saber mina sabedoria é também em saber os meus
tempos. 5ocê não está andando em sabedoria se você está proclamandome para ser o +eão $uando eu $uero vir como
o -ordeiro.
sentarse 5ocê como
comigo deve saber como
o Senor do sigame comofa&er
sábado. Para o Senor dos e#ércitos
isso, você para ameus
deve conecer batala, e você
tempos, devesó
e você saber
pode$uando
saber a
os meus tempos por ficar perto de mim. "7 *ulgamento $ue virá para a$ueles $ue invocam o meu nome, mas não me
procuram será $ue eles vão cada ve& mais cair fora do tempo comigo. %les vão estar no lugar errado, fa&endo coisas
erradas, e até mesmo pregar a mensagem errada. %les vão tentar coler $uando for a ora de semear e semear $uando
é ora de coler. evido a isso, eles não produ&em frutos. ">eu nome não é eu era, nem é eu serei, mas eu sou. Para
realmente me conece, você deve saber >e no presente. 5ocê não pode conecerme como sou menos $ue você vir a
mim todos os dias. 5ocê não pode conecerme como sou se não permanecerdes em mim. "'$ui você tem tido um
sabor de meus *u(&os. 5ocê está prestes a verme de outras maneiras. 5ocê não será capa& de conecer plenamenteme
como sou até $ue você viver na eternidade. '$ui os diferentes aspectos da mina nature&a se encai#am perfeitamente,
mas eles são dif(ceis de ver $uando você está no reino do tempo. %ste Erande Salão reflete uma parte de mim $ue o
mundo está prestes a ver. %sta será uma parte importante de sua mensagem, mas nunca será tudo isso. %m uma
cidade, eu envio o meu *ulgamento, mas na pró#ima eu possa enviar misericórdia. %u enviarei fome a uma nação e
abundBncia para outro.
mina presença. Para saber
"!os tempos $ueoestão
$ue estou fa&endo,
cegando você
agora na não deve
/erra, se *ulgar pelas aparências,
o seu amor para mim nãomasestá
da crescendo
realidade da
mais
forte, ele esfriará. %? S7? vida. Se você não ficar perto de mim, você vai perder a vida $ue está em você. %? S7? a
+u&. Se você não ficar perto de mim, seu coração vai escurecer. "/odas estas coisas $ue você coneceu na sua mente,
e você tem ensinado. 'gora você deve conecêlos em seu coração, e você deve vivêlos. 's molas de emissão vida a
partir do coração, não da mente. >ina sabedoria não é apenas em sua mente, nem apenas em seu coração. >ina
sabedoria é a união perfeita da mente e do coração. Por$ue o omem foi feito 8 mina imagem, sua mente e seu
coração nunca pode concordar sem mim. Quando sua mente e coração concordar, eu vou ser capa& de confiar em
você com a mina autoridade. %ntão você vai perguntar o $ue você vai e eu vou fa&êlo, por$ue você vai estar em
união comigo. "Por causa da dificuldade dos tempos em $ue somos camados a caminar, deile a e#periência de
contemplar >eu /rono do 6ulgamento antes do tempo de seu *ulgamento. 'gora a tua oração foi respondida. 7 $ue
você não entendeu foi $ue, durante o tempo em $ue você estava esperando por mim para responder a esta oração, eu
estava respondendo a cada dia através de tudo o $ue eu permitir $ue isso aconteça em sua vida. "2 melor aprender
de meus caminos e os meus *u(&os através das e#periências de vida do $ue
aprender deles desta maneira. %u le dei essa e#periência por$ue você é um mensageiro eo tempo é curto. 5ocê *á
sabia o $ue você aprendeu a$ui, mas você não viver de acordo com esse conecimento. %u le dei esta e#periência
como misericórdia, mas você deve escoler para viver por ela. "5ou usar muitos mensageiros para ensinar o meu
povo a viver em *u(&o para $ue não perecemos $uando vir os meus *u(&os sobre a terra. 5ocê deve ouvir a >ina
mensageiros e obedecer as suas palavras $ue são de mim sem demora, por$ue o tempo está curto agora. Para ouvilos
sem obedecer só vai tra&er um *ulgamento mais severo em cima de você. %ste é o *ulgamento *usto. ' $uem muito é
dado,
tambémmuito
estáserá e#igido. "%stes
aumentando são os
com o meu tempos
povo. Suaaumenta
geração $uando
foi dadoomais
conecimento.
entendimento-onecimento dos meus
do $ue $ual$uer outracaminos
geração,
mas poucos estão vivendo por sua compreensão. 7 tempo veio $uando eu não vou mais tolerar a$ueles $ue di&em
acreditar >e, mas não me obedecer. 7 morno está prestes a ser removido entre o meu povo. '$ueles $ue não
obedecem >e realmente não acredito em mim. Por suas vidas, eles ensinam o meu povo $ue a desobediência é
aceitável. "-omo Salomão escreveu" Por$ue a sentença contra uma má ação não é e#ecutada rapidamente, portanto,
os coraç=es dos filos dos omens entre eles são dadas totalmente de fa&er o mal. "4sto *á aconteceu a muitos de >eu
próprio povo, e seu amor tem vindo a crescer frio. >eus *u(&os vão vir mais rapidamente graça para manter o coração
do >eu povo de darse totalmente para o mal. %les estão prestes a saber $ue o salário do pecado é a morte. %les não
podem continuar a camarme para livrálos de seus problemas $uando eles ainda ama o pecado. 5ou dar um pouco
mais tempo para *ulgar a si mesmo para $ue eu não tena $ue *ulgálo, mas $ue o tempo é curto. "Por$ue você *á
esteve a$ui, ainda mais será e#igido de você. 'lém disso, vou dar mais graça a você a viver com a verdade $ue você
sabe, mas você tem de vir a >eu /rono da Eraça todos os dias para buscála. igovos outra ve&, cegou o momento
sobre a terra em $ue ninguém será capa& de ficar na verdade sem cegar a >eu /rono da Eraça cada dia. 7 $ue eu
estou prestes a di&er é para $ue você e os $ue estão com você não pode apenas viver, mas de pé e prevalecer. -omo o
meu povo de pé e prevalecer sobre o tempo das trevas $ue está cegando, a criação vai saber $ue a lu& é maior do $ue
escuridão. "5ida e morte foram plantadas na terra, vida e morte estão prestes a ser colido. %u vim para darle vida.
7 maligno vem dar a morte. !os tempos 8 frente, ambos vão ser vistos em sua plenitude. Portanto, vou darme
a$ueles $ue obedecem uma abundBncia de vida, como nunca foi visto na terra antes. 9averá uma distinção entre o
meu povo e a$ueles $ue servem o maligno. %scoler a vida $ue você possa viver. %scoler a vida obedecendo a mim.
Se você está escolendo >e and a lu& $ue está em você é a mina verdadeira lu&, ela vai crescer cada dia mais
brilante. Por isso, você saberá $ue você está andando na mina lu&. ' semente $ue é plantada em solo fértil sempre
cresce e se multiplica 5ocê será conecido pelo seu fruto ".

CAPÍTULO ! Verdade e Vida

-omo o Senor falou, a Sua glória parecia aumentar. <oi tão grande $ue 8s ve&es, eu pensei $ue ia ser consumida por
ela. Sua glória $ueimado, mas não era como um fogo, $ue $ueimou de dentro para fora. e alguma forma eu sabia
$ue eu seria ou consumidos por sua glória ou o mal $ue enfrentaria depois fui até a porta. Suas palavras foram
penetrante e envolvente, mas eu sabia $ue era ainda mais importante para contemplar a Sua glória, então eu estava
determinado a fa&er isso por tanto tempo $uanto eu poderia. %le parecia mais brilante $ue o sol. %u não podia ver
todos os seus recursos por causa do brilo, mas como eu continuei a olar, meus olos se a*ustaram para algumas Seu
brilo. Seus olos eram como fogo, mas não vermelo, pois eles eram a&uis, como a parte mais $uente do fogo. %les
eram fero&es, ainda tina a atração de uma maravila sem fim. Seu cabelo era preto e brilava com o $ue eu pensava
no in(cio eram estrelas, e então eu percebi $ue ela brilava com óleo. %u sabia $ue este era o óleo da unidade, $ue eu
tina visto em uma visão antes. %ste óleo irradia como pedras preciosas, mas é mais bonito e mais valioso do $ue
$ual$uer tesouro terreno. Quando olei para seu rosto, senti o óleo começar a me cobrir, e como fe&, a dor do fogo de
Sua glória era mais suportável. Parecia para dar pa& e descanso, e só veio em cima de mim en$uanto eu olava para
seu rosto.eram
também Quando
comoeucamas
desvieide
o olar
fogo, do
masSeu rosto,
eram maiseledeiria
umaparar.
camaSentime
bron&ecompelido a olar
ou dourado. %rampara seusmas
lindas, pés.também
%les
tem(veis, como se estivessem prestes a caminar com mais medo de passos. Quando olei para seus pés, eu me senti
como um terremoto estava a sair dentro de mim, e eu sabia $ue como %le andou, tudo o $ue poderia ser abalada seria
abalada. %u só podia suportálo por um momento, e então eu tive $ue cair no meu rosto. Quando olei para cima, eu
estava olando para a porta. 'gora era ainda menos atraente do $ue antes. 'o mesmo tempo, eu senti um desespero
para passar por isso antes $ue eu escoler não. <oi a mina vocação para passar pela porta, e para não ir seria a de
não obedecer. %m Sua presença, mesmo o pensamento de desobediência parecia ser tal o ego(smo de uma base ainda
mais repugnante do $ue o pensamento de voltar para a batala do reino da terra. Quando olei para a porta, ouvi outra
vo& começa a falar $ue eu não reconeci. %u me virei para ver $uem estava falando. %le foi uma das pessoas mais
naturalmente atraente $ue eu tina visto ainda, real e forte. "%u sou 'bel", disse ele. "' autoridade $ue o Senor está
prestes a dar o seu povo é a unção para a verdadeira unidade. Quando avia apenas dois irmãos na terra, nós não
poder(amos viver em pa& uns com os outros. o meu tempo até $ue a sua, a umanidade tem andado no camino da
escuridão crescente. 'ssassinato será lançado na terra como nunca antes. >esmo Euerras seu >undo, mas foram
dores de parto levando ao $ue está por vir. >as lembrese 7 amor é mais forte $ue a morte. 7 amor $ue o Pai está
prestes a dar a $uem servi+o vai vencer a morte. "" Por favor, digame tudo o $ue le foi dada para me di&er ",
respondi, sabendo $ue ele tina muito a di&er. ">eu sangue ainda fala. 7 sangue de cada mártir ainda fala. Sua
mensagem vai viver se você confiar na vida $ue você tem em eus mais do $ue confiança na vida $ue você tem
sobre a terra. !ão tem medo da morte, e você vai superálo. '$ueles $ue não temem a morte terá a maior mensagem
$ue durante os tempos $ue você está digitando, $uando a morte é lançado sobre a terra. Pensei em todas as guerras,
fomes e pestes
perguntei. 'bel$ue tina ca(do
continuou sem sobre a /erra, só$ue
responderme, noeu
meu século.ser
entendia "Quanto mais"7
a resposta. a morte podedesersangue
sacrif(cio liberado3"
*á foi%u
feito para
você. -onfiar no poder da cru&, pois é maior $ue a vida. Quando você confia na cru&, você não pode morrer. '$ueles
na terra tem poder por um tempo para tirar sua vida terrena, mas eles não podem tirar sua vida se você tem abraçado a
cru&. "' grande unidade virá para o povo do Senor $ue abitam sobre a terra. 4sso acontecerá $uando os seus *u(&os
virá sobre a terra. '$ueles $ue estão em unidade, não só suportar os seus *u(&os, mas eles vão prosperar, por$ue deles.
Por isso %le vai usar o seu povo para avisar a /erra. 'pós os avisos, %le irá então usar seu povo como um sinal. Por
causa da discórdia e conflitos $ue surgem na escuridão, a unidade de Seu povo será um sinal de $ue toda a terra vai
ver. Seus disc(pulos serão conecidos por seu amor, eo amor não teme. Somente o amor verdadeiro pode tra&er a
verdadeira unidade. '$ueles $ue o amor nunca vai cair. 7 verdadeiro amor não cresce frio, mas o verdadeiro amor
fa& crescer. "

Lo"e Li#e Releases

7utro omem $ue parecia $uase e#atamente como 'bel veio e ficou ao lado dele.
"%u sou 'dam", disse ele. "%u estava dada autoridade sobre a terra, mas eu deio para o mal pelo mal obedecer. %le
agora as regras no meu lugar e seu lugar. ' terra foi dada ao omem, mas o maligno tem tomado. ' autoridade $ue eu
perdi foi restaurado pela cru&. 6esus -risto é "o ;ltimo 'dão", e %le irá em breve tomar Sua autoridade e regra. %le
governará através da umanidade, por$ue %le deu a terra para a umanidade. '$ueles $ue vivem em seus tempos irá
preparar a terra para ele governar. "" Por favor, conteme mais ", perguntei, um pouco surpreso ao ver 'dam, mas
$uerendo ouvir tudo o $ue tina a di&er. "-omo nos preparamos para %le3" +ove "," ele disse. "5ocê deve amar um
ao outro. 5ocê deve amar a terra, e você deve amar a vida. >eu pecado lançado a morte $ue agora flui como rios
sobre a terra. Seu amor vai liberar rios da vida. Quando reina o mal, a morte é mais forte do $ue a vida ea morte
prevalece sobre a vida. Quando a *ustiça reina, a vida prevalece, ea vida é mais forte $ue a morte. +ogo a vida do
<ilo de eus vai engolir até a morte, $ue foi lançado através da mina desobediência. !ão é só vida $ue você deve
amar, mas
Senor a vida. a'amar,
começam morte%le
é seu inimigo. 5ocê
irá utili&álos para éliberar
camado para*u(&os.
os seus ser um7smensageiro
seus *u(&osda vida.
estão "Quando7as
a dese*ar. pessoas
mundo do
inteiro
está gemendo e labutando, uma ve& $ue aguarda os seus *u(&os, e $uando eles vêm, o mundo aprendem *ustiça. 7 $ue
%le está prestes a fa&er, %le fará através de Seu povo, e Seu povo vai ficar como %lias nos ;ltimos dias. Suas palavras
vai calar a boca dos céus ou tra&er a cuva, pois eles vão profeti&ar terremotos e fomes, e eles virão a passar, eles vão
parar de fomes e terremotos. "Quando eles liberam os e#ércitos no céu, os e#ércitos marcará sobre a terra. Quando
possuem e#ércitos de volta, não averá pa&. %les vão decidir onde %le mostra misericórdia e onde %le mostra a sua
ira. %les terão essa autoridade, por$ue eles vão adorar, e a$ueles $ue o amor vai ser um com ele. 7 $ue você vai ver
por a$uela porta é a*udar a preparálo para o $ue %le está prestes a fa&er através de Seu povo. "%u sei autoridade. %u
sei também da responsabilidade da autoridade. evido 8 grande autoridade $ue me foi dada, eu sou responsável pelo
$ue aconteceu com a terra. >esmo assim, a graça de eus começou a me cobrir, e grande redenção de eus em breve
engolir o meu erro. Pa& será tirada da terra, mas você é camado para a*udar a restaurálo. Pa& prevalece no céu, e
você é camado para tra&er o céu para a terra. Quem permanece em Sua presença vai conecer a pa& e vai espalar a
pa&.
toda "' própria
a /erra terragrandes
como vai tremer.
ondas>omentos de dificuldade
do mar. >esmo maiorsabe
assim, $uem do $ue
ele*ánão
foiserá
conecida começará
perturbado. %les avão
se mover por do
estar diante
(mpeto do mar e di&er CPa&, a$uieta e os mares serão calma. >esmo o menor dos Seus pe$ueninos será como uma
grande fortale&a de pa& $ue vai ficar com tudo o $ue está por vir. Sua glória será revelado ao Seu povo em primeiro
lugar e, em seguida, através deles. >esmo a criação irá reconecê+o no Seu povo e obedecêlas como fa&lo. "%sta é
a autoridade $ue eu tina, e ela será dada para a umanidade novamente. %u usei a mina autoridade para transformar
Paradise em um deserto. 7 Senor vai usar sua autoridade para transformar o deserto em para(so novamente. %sta é a
autoridade $ue %le está dando ao seu povo. %u usei o meu mal e da morte veio. Quando a Sua autoridade é usado em
*ustiça, irá libertar a vida. /ena cuidado como você usa a autoridade. -om autoridade vem a responsabilidade. 5ocê
também pode usálo de forma errada, mas você não vai fa&er isso se você ama. -omo todo o céu sabe, C7 amor nunca
fala. "" 7 $ue sobre os terremotos, fomes e guerras, mesmo $ue você disse $ue iria lançar sobre a terra3 !ão será
este liberando a morte3 "%u perguntei. "/udo o $ue a morte está vindo sobre o mundo está sendo permitido para
preparar o camino para a vida.
/udo o $ue é semeado deve ser colida, a menos $ue a$ueles $ue camam o mal semeado na cru& em esp(rito e
verdade. 7 e#ército da cru& está prestes a ser lançado, e ele irá marcar no poder da cru&, levando a oferta de
misericórdia para com todos. '$ueles $ue re*eitam a misericórdia de eus tem re*eitado a vida. "" 4sso é uma grande
responsabilidade ", eu disse. "-omo sabemos $uando eles re*eitaram a Sua misericórdia3" esobediência "trou#e a
morte, e obediência trará vida. Quando eu andava com eus, %le me ensinou os Seus caminos. %n$uanto eu
caminava com ele, comecei a conecê+o. 5ocê deve andar com eus e aprender os seus caminos. Sua autoridade
é a Sua autoridade, e você deve ser um com %le, a fim de usálo. 's armas de seu e#ército não são carnais, são
espirituais e muito mais
>esmo o *ulgamento poderoso
final do $ueé$ual$uer
da destruição arma
o amor de terrena.
eus Suasem
estendida armas mais poderosas
misericórdia. sãoaa verdade
"Quando verdade dita
eo amor.
com
amor é re*eitado, a morte foi escolido ao longo da vida. 5ocê vai entender isso como você anda com ele. 5ocê virá a
entender o %sp(rito $ue %le tem dado a você para tra&er vida e não morte. 9á um tempo para dar aos omens ao longo
de coler o $ue semearam, mas você deve fa&er todas as coisas em obediência. 6esus veio para dar vida. %le não
dese*a $ue nenum pereça, e este deve ser o seu dese*o também. Por esta ra&ão, você deve amar seus inimigos,
mesmo se você é de confiança com a autoridade $ue %le $uer dar ao seu povo. "7 tempo está 8 mão para o
cumprimento do $ue foi escrito. Seu povo têm orado por mais tempo, e %le deu a eles. !o entanto, poucos têm usado
sabiamente. 5ocê tem um pouco mais tempo, mas logo o tempo não pode mais ser adiada. 7 tempo está pró#imo,
$uando o próprio tempo parece $ue vai acelerar. -omo está escrito, $uando %le vier, %le virá rapidamente. !o
entanto, você não deve temer os tempos. Se você tem medo dele, você não precisa temer $ual$uer coisa $ue está
vindo sobre a terra. "/udo o $ue está prestes a acontecer está vindo, para $ue Sua sabedoria pode voltar a prevalecer
sobre a terra e#atamente como fa& no céu. /odo o mal $ue foi semeada na umanidade está prestes a ser colido.
>esmo assim, o bem $ue %le semeou vai também ser aproveitados. Fondade é mais forte $ue o mal. 7 amor é mais
forte $ue a morte. %le andou na terra para destruir as obras do diabo, e %le vai terminar o $ue começou. "

Poder e Amor

-omo 'dão falou, fui capturado pela sua graça e dignidade. -omecei a me perguntar se ele tina possivelmente viveu
toda a sua vida após a $ueda sem pecar de novo, por$ue ele parecia ser tão puro. -onecendo meus pensamentos, ele
mudou o assunto brevemente para respondêlas. "%u vivi muito tempo na terra, por$ue o pecado não ter uma rai&
profunda em mim. >esmo $ue eu tivesse pecado, eu fui criado para andar com eus, e meu dese*o era ainda para ele.
%u não sabia as profunde&as do pecado $ue as geraç=es seguintes sabia. -omo o pecado cresceu, a vida foi encurtado,
mas em cada geração, a$ueles $ue andam com eus to$ue a vida $ue está em eus. Por$ue >oisés andou tão
intimamente com eus, ele teria vivido na não tina o Senor o levou. %no$ue andou com ele tão de perto $ue o
Senormesmo
viverá tina $ue
$ueleválo também.
ele morre 2 por
e $uem viveisso $ue
e crê em6esus
mimdisse,
nuncaC%u sou a ressurreição
morrerá "7 $ue vocêea vida).
está '$uele
vendo $ue não
em mim crê em mim
é apenas
a falta de pecado, mas a presença de vida $ue eu tina sobre a terra. 7 $ue estávamos na terra continuará a ser uma
parte de $uem somos para sempre. %u posso olar para todos os outros a$ui $ue são uma parte da grande nuvem de
testemunas e sabe muito sobre sua vida na terra. "" %ntão você é uma parte da grande nuvem de testemunas "."
Sim. >ina istória é uma parte do evangelo eterno. >ina esposa e eu fomos os primeiros a pecar gosto, e os
primeiros a ver nossos filos coler as conse$Gências da desobediência. !ós vimos o
a morte se espalou através de cada geração, mas temos também contemplou a cru& e viu a vitória sobre o pecado.
"Satanás vangloriouse desde a cru& $ue 6esus poderia redimir os omens, mas não podia alterálas. urante os
tempos da maior escuridão e do mal $ue estão prestes a vir, o Seu povo vai ficar como um testemuno de todos os
tempos $ue %le não só resgatou o seu povo do pecado, mas %le também removeu o pecado deles. 'través deles, %le
vai remover o pecado de toda a terra. %le irá agora mostrar a toda a criatura o poder de Sua nova criação. %le não veio
apenas para perdoar o pecado, mas para salvar a umanidade do pecado, e %le está retornando para um povo $ue
estão
a terra,sem manca
assim comodotodas
mundo. 4sto irá %u
as pessoas. acontecer nasamais
detestava visãodif(ceis
dos riosdedove&es.
mundo "%uestá
fuisecriado para esgotos.
tornando amar o Senor e amar
'inda mais
$ue eu detestava a visão do $ue aconteceu 8 mente umana. 's filosofias da mente umana agora preencendo as
correntes de pensamento umano são tão repugnante como o preencimento de esgoto nos rios. >as os rios do
pensamento umano, um dia, ser puro novamente, e#atamente como os rios da terra. Por isso, de todos os tempos a
vir, será comprovado $ue o bem é mais forte $ue o mal. "7 Senor não ir para a cru& apenas para redimir, mas
também para restaurar. %le andou na terra como um omem para mostrar 8 umanidade como viver. %le vai agora
revelarse através Seus escolidos para mostrarles $ue eles foram criados para ser. %sta demonstração não virá
apenas com o poder, mas através do amor. %le le dará o poder, por$ue %le é todo poderoso, e poder também é uma
revelação dele. >esmo assim, ele usa seu poder por causa do amor e assim deve você. >esmo os seus *u(&os, vêm
por causa do amor. Quando você enviálos, deve ser por causa do amor. >esmo Seu *ulgamento final da terra será a
sua misericórdia final. "7lei para 'dão, 'bel, +ot e 6onas en$uanto estavam *untos. %u sabia $ue iria demorar uma
eternidade para compreender a profundidade da revelação do evangelo do grande eus $ue cada um de suas vidas
representadas. ' desobediência de 'dão fe& o camino para a obediência de 'bel, cu*o sangue ainda fala como um
pren;ncio da salvação. 6usto +ó não podia salvar uma cidade, en$uanto uma 6ona in*ustos podia. -omo os $uatro
evangelos, não parecia aver um fim para o entendimento de $ue pode ser aprendido com eles. 4sto, também, foi
mina camada.

Ca$%tulo & A Porta

%u tentei
disse desesperadamente
muito para mim de umapara absorver
só ve&, cada
mas eu palavra
senti desses
$ue cada omens
frase tina falado
foi crucial, para
e eu não mim.
$uero !unca tina
es$uecer nada.Sabedoria
%u pensei
sobre como seria bom ter suas palavras esculpidas em pedra, como >oisés e para levar as palavras do Senor ao Seu
povo de tal maneira $ue eles poderiam ser preservado imaculado por mim. !ovamente saber os meus pensamentos,
Sabedoria respondeules. "%ssa é a diferença entre a 'ntiga 'liança ea !ova. 5ocê vai escrever as minas palavras
em um livro e $ue irá inspirar o meu povo. >esmo assim, o verdadeiro poder de >inas palavras só pode ser visto
$uando eles são escritos no coração do meu povo. %p(stolas vivas são mais poderosos $ue as cartas escritas em papel
ou pedra. Por$ue você não está escrevendo %scritura, as palavras $ue você escreve você terá neles. >esmo assim,
seus livros serão como eu dese*o $ue eles se*am, por$ue eu preparou para esta tarefa. %les não vão ser perfeito por$ue
a perfeição não virá para a terra até $ue eu vena. Pela perfeição, os omens terão $ue olar para mim. >esmo assim,
meu povo é o livro $ue estou escrevendo, e os sábios podem verme no meu povo, e em suas obras. ">eu Pai me
enviou ao mundo, por$ue %le ama o mundo, e eu envio o meu povo para o mundo por$ue eu amo o mundo. %u
poderia ter *ulgado o mundo depois de mina ressurreição, mas o curso do mundo foi autori&ado a continuar para $ue
o meu *ustos poderia ser comprovada eo poder do $ue eu fi& na cru& seria visto na umanidade. %u fi& isso por causa
do amor. 5ocê são testemunas do meu amor. %ste é o meu mandamento para você
+ove >e e amar o pró#imo. Só então seu testemuno é verdadeiro. >esmo $uando eu mando para falar de meus
*u(&os, deve estar no amor. "' vida de cada pessoa está no meu livro, e suas vidas são um livro $ue será lido por toda
a criação por toda a eternidade. ' istória do mundo é a biblioteca da Sabedoria de eus. >ina redenção é a
demonstração de nosso amor, ea cru& é o maior amor $ue a criação nunca vai saber. !em os an*os $ue estão diante de
meu Pai assim o amor a istória de redenção $ue eles, também, tempo para abitar com os omens. 'dmiraramse
$uando nós fe& o omem 8 nossa imagem. 'dmiraramse $uando os omens escoleram mal, mesmo no meio do
Para(so !ós t(namos feito para o omem. 'gora, por causa da redenção, a imagem desfigurada de eus é restaurada
e é revelado ainda mais gloriosamente na umanidade. ' glória ainda está em vasos de barro $ue fa& a glória mais
fácil de ver para a$ueles $ue têm olos para ver. "%sta é a nova criação $ue é maior $ue a primeira criação. /roug
>D nova criação, estamos fa&endo um novo para(so $ue é maior do $ue o Paradise primeiro. -ada omem, muler e
criança
nós $ue abraça
também >ina
restaurar redenção
a criação é um elivro
anterior, será$ue
umestou escrevendo,
para(so novamente.$ue5ou
serárestaurar
lido sempre.
todas'través da nova
as coisas, criação,
e todo o mal será
vencida com o bem. ">ina igre*a é o livro $ue lam escrita, e todo o mundo está prestes a lêlo. 'té agora, o mundo
$ueria ler o livro $ue o maligno tem escrito sobre a mina igre*a, mas em breve vou lançar meu livro. "%stou prestes a
lançar meu ;ltimo dia apóstolos. /erei muitos como Paulo, 6oão, Pedro e os outros. Para preparálos, estou enviando
muitos como 6oão Fatista, $ue vai ensinarles a devoção a >im e lançar o fundamento do arrependimento de suas
vidas. %stes apóstolos também vai ser como 6oão Fatista. 'ssim como a maior alegria da vida de 6oão era de ouvir a
vo& do %sposo, estes terão uma devoção para ver mina noiva preparado para mim. evido a isso, vou usálos para
construir autoestradas através do deserto e rios através dos desertos. %les vão tra&er para bai#o os altos e elevar os
umildes. Quando você passar por a$uela porta, você vai encontrálos. "%stou prestes a lançar >D ;ltimos dias
profetas. %les me amam e caminar comigo, assim como %no$ue o fe&. %les irão demonstrar o meu poder e provar ao
mundo $ue eu sou o ;nico eus verdadeiro. -ada um será um bem puro de $ue só a vida correm as águas. Hs ve&es,
a água estará $uente para a limpe&a, 8s ve&es, vai ser frio para refrescar. 'lém disso, vou darles iluminação em uma
mão e um trovão na outra. Subirão como águias sobre a terra, mas eles vão descer sobre o meu povo como pombas,
por$ue eles vão onrar mina fam(lia. %les virão em cidades como vendavais e terremotos, mas eles vão dar a lu& ao
manso e umilde. Quando você passar por a$uela porta, você também vai encontrálos. "%stou prestes a lançar meu
;ltimo dia evangelistas. 5ou darles uma #(cara de alegria $ue nunca vai acabar. %les vão curar os enfermos e
e#pulsar os demInios, eles vão me amam e amam a *ustiça, pois eles vão levar sua cru& a cada dia, não viver para si,
mas para mim. 'través deles, o mundo vai saber $ue eu vivo e $ue me foi dada toda a autoridade e poder. %sses são
os destemidos $ue irá atacar os port=es do inimigo e ata$ue os lugares tenebrosos da terra, levando muitos a mina
salvação. %stes, também, são um pouco além dessa porta, e você vai encontrálos. "%stou prestes a lançar pastores
$ue terá meu coração para as ovelas. %stes irão alimentar minas ovelas por$ue elas me amam. %les vão cuidar de
cada um dos meus pe$ueninos como se fossem seus próprios, e eles vão estabelecer suas próprias vidas para minas
ovelas. %ste é o amor $ue vai tocar os coraç=es dos omens, $uando o meu povo dar a vida uns pelos outros. %ntão
o mundo vai saber de mim. %u dei esses alimentos escola de servir mina casa. %stes são os fiéis $ue confio para
cuidar de mina própria casa. %stes, também, estão fora dessa porta, e você vai encontrálos. "%stou prestes a lançar
>D ;ltimos dias os professores sobre a terra. %les vão conecer>e
e ensinar o meu povo para $ue me coneçam. %les vão adorar a verdade. %les não vão recuar perante a escuridão,
mas eles vão e#pIlo e condu&ilo de volta. %les vão desentupir os poços $ue seu pai cavou, e servir as águas puras da
vida. %les também irão reali&ar os tesouros do %gito e usálo para construir mina morada. 5ocê vai encontrar esses,
também, um pouco além da$uela porta. "-omo o Senor falou, eu olei para a porta. 'gora, pela primeira ve&, eu
$ueria passar por isso. -ada palavra $ue %le falou trou#e uma e#pectativa crescente em meu coração, e eu $ueria
muito para atender a esses ministros dos ;ltimos dias. "5ocê tem conecido em seu coração por muitos anos $ue estes
estão cegando. %u te trou#e a$ui para mostrarle como reconecêlos e a*událos em seu camino. "<ui até a porta.

A Pris'o

e repente, eu estava em um pátio de prisão de grande porte. 9avia imensas paredes, como eu nunca tina visto
antes. %les estenderam para tão longe $uanto eu podia ver, centenas de metros de altura e muito grosso. 9avia outras
cercas e arame farpado na frente da parede. -ada poucas centenas de metros avia torres de guarda ao longo da parte
superior da parede. %u podia ver os guardas em cada um, mas eles estavam muito longe para mim ver muito sobre
eles. %ra cin&ento, escuro e triste, $ue parecia perfeitamente refletem a massa de pessoas $ue estavam no pátio da
prisão. %m todo o $uintal, as pessoas se sentavam em grupos de sua própria espécie. 7ld omens negros estavam em
um grupo, *ovens negros em outro. 5elos e *ovens omens brancos também permaneceu 8 parte, e as muleres
também foram separadas. -om todas as raças, isso parecia ser o mesmo. '$ueles com $ual$uer caracter(stica
distintiva foram separados, e#ceto para os mais *ovens. %ntre os grupos, muitas pessoas pareciam estar em torno de
moagem. %n$uanto eu olava, eu poderia di&er $ue eles estavam tentando encontrar sua própria identidade,
encontrando o grupo $ue eles foram os mais gosta. !o entanto, era óbvio $ue esses grupos não dei#ou ninguém se
*untar a eles facilmente. Quando eu olei mais de perto essas pessoas, eu pude ver $ue todos eles tinam feridas
profundas e muitas cicatri&es de ferimentos anteriores. %#ceto para as crianças, todos eles pareciam ser $uase cego e
só conseguia ver bem o suficiente para ficar em seu próprio grupo. >esmo dentro de seus grupos, eles estavam
constantemente a tentar ver as diferenças $ue os outros possam ter. Quando encontraram ainda uma pe$uena
diferença, eles atacariam o $ue era diferente. /odos eles pareciam famintos, sedentos e enfermos. 'pro#imeime um
omem mais velo e le perguntou por $ue eles estavam todos na prisão. %le me olou com espanto, declarando
enfaticamente $ue não estavam na prisão, e por $ue eu iria pedir uma coisa tão est;pida. 'pontei para as cercas e os
guardas, e ele respondeu "Que cercas3 7 $ue guardas3 "%le olou para mim como se eu tivesse insultado
terrivelmente, e eu sabia $ue se eu le perguntei mais nada, gostaria de ser atacado. Perguntei a um *ovem a mesma
pergunta
cercas oueosrecebeu a mesma
guardas. resposta.
%ssas pessoas não%ntão eu percebi
sabiam $ue eles
$ue estavam estavam tão cegos $ue não poderiam mesmo ver as
na prisão.

(uarda

ecidi perguntar a um guarda por $ue essas pessoas estavam na prisão. %n$uanto eu caminava em direção ao cercas,
eu podia ver buracos $ue seria fácil subir completamente. Quando ceguei a própria parede,
'cei tão irregularmente constru(dos $ue era fácil para mim subir. Qual$uer um poderia facilmente escapar,
mas ninguém estava tentando, por$ue eles não sabiam $ue estavam cativos.
Quando ceguei ao topo da parede, pude ver uma grande distBncia e viu o sol brilar
além dos muros. !ão brilar no pátio da prisão por causa da altura do muro e da
nuvens $ue pairava sobre ele. 5i fogos longe no pátio da prisão até o final onde crian1as foram reco!hidas A f*ma1a
desses inc<ndios formo* *ma es-essa n*em so/re o 0ardim *e transformo* o *e teria sido a-enas som/ra das -aredes
em *ma n+oa,
at+ chegar asfixia
ao -osto de triste
g*arda >i*ei imaginando
>i*ei s*r-reso aoo *e estaao*eimando
encontrar E* andei
g*arda estido ao !ongo
com *m terno da
/em-arte
coms*-erior da -arede
*ma co!eira,
indicando *e e!e era a!g*m ti-o de ministro o* sacerdote E!e não fico* chocado ao erme, e e* acho *e e!e ass*mi*
*e e* estaa o*tro g*arda "Senhor, -or *e essas -essoas na -risãoO" E* -erg*ntei Essa -erg*nta choco*, e i o medo
ea desconfian1a <m so/re e!e como *m co/ertor "3 *e a -risãoO", Res-onde* e!e "3 *e oc< est@ fa!andoO" "E*
esto* fa!ando so/re a*e!as -essoas neste -@tio da -risão", disse e*, sentindo *m estranho o*sadia "Goc< + o/iamente
*m g*arda da -risão, -or*e oc< est@ em *ma casa de g*arda, mas -or *e oc< est@ estido assimO" E* contin*ei "E*
não so* *m g*arda da -risão? E* so* *m ministro do eange!ho Fão esto* a g*arda6 am o se* !íder es-irit*a! Esta não
+ *ma casa de g*arda Wit + a casa do Senhor? >i!ho, se oc< acha *e s*as -erg*ntas são engra1adas, e* não esto* rindo?
"E!e -ego* s*a arma e -arecia -ronto -ara atirar em mim "Por faor, desc*!-eme -or incomod@!o", res-ondi, sentindo
*e e!e iria *sar s*a arma 8omo e* f*i em/ora, e* es-eraa o*ir tiros em *a!*er momento 3 homem estaa tão
inseg*ro E* sa/ia *e e!e iria atirar antes de -ensar se e!e se senti* amea1ado E* tam/+m -oderia di4er *e e!e foi
sincero E!e rea!mente não sa/ia *e e!e era *m g*arda 3 -rofessor da esco!a e* andei ao !ongo da -arede at+ *e e*
senti *e estaa a *ma distKncia seg*ra e se iro* -ara o!har -ara tr@s, o ministro E!e estaa andando -ara tr@s e -ara
frente em s*a g*arita, m*ito agitado >i*ei imaginando -or *e minhas -erg*ntas o -ert*r/o* m*ito Era :/io *e as
minhas -erg*ntas não a/ri!o -ara er a!go diferente, mas f<!o ainda mais inseg*ro e mais morta! En*anto e*
caminhaa, e* senti *m deses-ero -ara desco/rir o *e estaa acontecendo e -ensei em como e* -oderia reform*!ar
minhas -erg*ntas de modo a não ofender o -r:ximo g*arda Tentei fa!ar C*ando me a-roximei da casa de g*arda
seg*inte, f*i noamente s*r-reendido com o a-arecimento do g*arda Fão foi o*tro ministro, mas *m 0oem *e estaa
-restes anos de idade "Miss, -osso !he fa4er a!g*mas -erg*ntasO" Perg*ntei "8ertamente 3 *e e* -osso a0*d@!oO "E!a
disse
a!g*macom *m are*
maneira condescendente
sa/ia *e era a "Goc< + o*e
res-osta -aie*
de deeria
*ma dessas
dar acrian1asO"
e!a 8omo"Fão", res-ondi
e* es-eraa, isso"E*
tem so* *m escritor",
a aten1ão *e de
de!a Fão
*erendo cometer o mesmo erro *e e* tinha feito com o ministro, chamando o *e e!e estaa em *ma "casa de g*arda,"
E* -edi  mo1a -or *e e!a estaa em -+ na "na*e!e !*gar" S*a res-osta foi imediata, e e!a -arece* s*r-resa *e e* não
sa/ia "E* so* *m -rofessor da esco!a, -or isso oc< não acha isso m*ito nat*ra! *e e* deeria estar na minha esco!aO"
"Então esta + a s*a esco!a," e* res-ondi, indicando a casa de g*arda "Sim Estie a*i h@ tr<s anos E* -osso estar a*i o
resto da minha ida E* amo o *e esto* fa4endo m*ito "Este 2!timo coment@rio foi tão mecKnica *e e* sa/ia *e iria
desco/rir a!g*ma coisa, se e* -ressionei e!a "3 *e oc< ensinaO Bee ser interessante -ara oc< considerar -assar o
resto de s*a ida fa4endo isso "" E* ensinar ci<ncia em gera! e est*dos sociais D o me* tra/a!ho -ara mo!dar a fi!osofia e
-ers-ectia dessas mentes 0oens 3 *e e* !hes ensinar ai orient@!os -ara o resto de s*as idas 3 *e oc< escreeO ",
E!a -erg*nto* "=iros", res-ondi, "E* escreo !iros de !ideran1a", anteci-ando a -r:xima -erg*nta E* tam/+m de
a!g*ma forma sa/ia *e se e* tiesse dito5 "!iros so/re !ideran1a cristã," a nossa conersa teria aca/ado E!a -arecia ainda
mais interessado de-ois dessa res-osta
"=ideran1a
acontecendo+ *m
tão ass*nto im-ortante",
ra-idamente afirmo*,
*e + -reciso ter asainda com *m de
ferramentas ar *m -o*cocerta
!ideran1a condescendente
-ara orientar "As
essasm*dan1as
m*dan1asestão
na dire1ão
certa" "C*e sentido + esseO" E* -erg*ntei "Para a -ros-eridade *e s: -ode ir atra+s da -a4 e seg*ran1a", e!a
res-onde*, como se e!a estiesse s*r-reso *e e* iria mesmo fa4er ta! -erg*nta "E* não *ero ofend<!o", res-ondi,
"mas e* esto* interessado em se*s -ontos de ista so/re este ass*nto 3 *e oc< sente + o me!hor caminho -ara a -a4 e
seg*ran1a a serem a!can1adosO "" Atra+s da ed*ca1ão + c!aro Estamos 0*ntos nesta terra es-a1onae e temos *e
conier Atra+s da ed*ca1ão, estamos a0*dando entregar as massas de se* homem das caernas, a menta!idade tri/a! de
entender *e somos todos ig*ais e *e se todos fi4ermos a nossa -arte -ara a sociedade, todos n:s amos -ros-erar
0*ntos "" 6sso + interessante ", e* res-ondi," mas não somos todos ig*ais Tam/+m + interessante *e todas as -essoas !@
em/aixo estão se tornando ainda mais diididos e se-arados do *e n*nca Goc< acha *e e!e -ode ser hora de,
-ossie!mente, modificar a s*a fi!osofia *m -o*coO "E!a o!ho* -ara mim, tanto es-anto e agita1ão, mas, o/iamente, não
-or*e e!a se*er considerada -or *m momento *e o *e e* disse era erdade "Sir, oc< est@ com-!etamente cegoO"
E!a fina!mente res-onde* "Fão, e* acredito *e e* e0o m*ito /em", res-ondi "Aca/ei de chegar de caminhar entre o
-oo e n*nca
-ior do i ta! "E*
*e n*nca diisão e animosidade
-oderia entre osafirma1.es
di4er *e minhas diferentes gr*-os de -essoas
eram como ta-as naPareceme
cara -ara *e
esta o0oem
conf!ito
Eraentre
como e!es
se+e!a
sim-!esmente não -odia acreditar *e a!g*+m estaa mesmo di4endo essas coisas, m*ito menos acreditar *e haia *ma
chance de *e -ode haer a!g*ma erdade -ara e!es 8omo e* a i, e* -oderia di4er *e e!a era tão cega *e e!a ma!
conseg*ia me er E!a estaa em *ma torre de a!ta como de *e não haia nenh*ma maneira *e e!a -*desse er as
-essoas a/aixo E!a rea!mente não sa/ia o *e estaa acontecendo, mas sinceramente -ensei *e e!a -odia er t*do
"Estamos m*dando o m*ndo", disse e!a com desd+m :/io "Estamos m*dando as -essoas Se ainda existem -essoas *e
agem como animais, como oc< descree*, amos m*d@!os, tam/+m F:s amos -rea!ecer A h*manidade ai
-rea!ecer "" 6sso + *ma grande res-onsa/i!idade -ara a!g*+m tão 0oem ", comentei E!a irrito* ainda mais nessa
afirma1ão, mas antes *e e!a -*desse res-onder, d*as m*!heres a-areceram caminhando em dire1ão  -orta da casa de
g*arda ao !ongo da -arte s*-erior da -arede Im de!es era *ma m*!her negra *e -arecia estar na casa dos cin*enta e
o*tra era *ma m*!her m*ito /emestido /ranco *e foi, -roae!mente, em se*s trinta anos E!es fa!aram *m com o
o*tro, en*anto caminhaam, e am/os -arecia confiante e digno E* -oderia di4er *e e!es -odiam er, *e +,
o/iamente, como
da g*arita -ara e!es chegaram
encontr@!os, ao to-onão
o/iamente do m*ro Para*e
*erendo minha
essass*r-resa,
m*!hereso a-rofessor da esco!a
chegar mais -erto0oem -ego* a armacom
8*m-rimento*os e sai*
*ma a!egria m*ito s*-erficia! e *m ar de s*-erioridade :/ia *e e!a -arecia *erer conenc<!os Para minha s*r-resa, as
d*as m*!heres tornaramse tímidos e excessiamente res-eitoso de *em era m*ito mais 0oem "Giemos -ara -erg*ntar
so/re a!go *e nossos fi!hos estão sendo ensinados *e não entendemos", afirmo* a m*!her negra, re*nindo *m -o*co
de coragem "3h, e* tenho certe4a *e m*ita coisa est@ agora ensino* *e oc< não entende," o -rofessor res-onde*
com condescend<ncia As m*!heres fico* o!hando -ara a arma do -rofessor *e e!a mani-*!ado de ta! maneira -ara *e
e!es -*dessem ser constantemente conscientes disso E* estaa -or -erto, marai!hado com toda esta cena 3 -rofessor
se iro* e me o!ho* nerosamente E* -oderia di4er *e e!a estaa com medo
E* -oderia di4er a!go -ara as m*!heres 8omo e!a a-onto* a arma, e!a exigi* *e e* sair As m*!heres o!haram -ara cima
-ara er a *em e!a estaa fa!ando, e -erce/i *e e!es não -odiam me er Se* medo tinha cegado 8hamei -ara as
m*!heres, -edindo *e e!es tenham coragem e acreditar no *e e!es sentiam em se*s cora1.es E!es o!haram em minha
dire1ão como se e!es s: -oderiam o*ir *m r*ído E!es estaam -erdendo s*a ca-acidade de o*ir tam/+m Gendo isto, o
0oem -rofessor sorri* E!a então a-onto* a arma -ara mim e so-ro* *m a-ito Senti como se e!a -erce/e* *e e* se0a a
-essoa mais -erigoso *e existe E* sa/ia *e não -odia es-erar -ara *em e!a haia chamado com se* a-ito E* tam/+m
-erce/i *e se e* a-enas rec*o* *m -o*co, e* seria seg*ro -or*e esta 0oem -rofessora foi tão cego E* estaa certo E*
saí com e!a gritando, so-rando se* a-ito e, fina!mente, tornarse tão enf*recido *e e!a come1o* a dis-arar contra as d*as
m*!heres En*anto e* estaa em cima do m*ro entre dois -ostos de g*arda -ensando so/re t*do isso, e* senti a
-resen1a da Sa/edoria "Goc< dee o!tar ao -@tio da -risão E* estarei com oc< Sai/am *e oc<s t<m a isão -ara
esca-ar de *a!*er armadi!ha o* arma A-enas !em/rese *e o medo -ode ceg@!o 8omo oc< anda na f+ *e e* esto*
com oc<,
a*e!es oc< e*
a *em sem-re er@
!e@!o o caminho
Gisão + o *eaos-ercorrer Goc<temem
g*ardas mais tam/+mE*dee
sei ter
*eooc<
c*idado
*erdemes:-erg*ntar
ree!ar a s*a
*m isão
monte-ara
de
-erg*ntas, mas e!es serão me!hor res-ondidas -e!as ex-eri<ncias *e oc< tem !@ "

7A6@T3LO  O A(;stolo >ovem

Besci e comecei a andar -e!o *inta! C*ando -assei -e!os -resos, e!es -areciam *ase com-!etamente desinteressada em
mim o* todos os como1ão na -arede =em/reime então *e não -odia er tão !onge *m 0oem negro -iso* no me*
caminho e me o!ho* com o!hos /ri!hantes, c*riosos "C*em + oc<O" F:s dois, disse, ao mesmo tem-o En*anto
est@amos o!hando -ara o o*tro, e!e fina!mente disse5 "Me* nome + Ste-hen E* -osso er 3 *e mais oc< *er sa/er
so/re mim *e oc< ainda não sa/eO "" 8omo e* -oderia sa/er a!g*ma coisa so/re oc<O "E* -erg*ntei "A -essoa *e
me a0*do* a er, disse *e *m dia, o*tros iriam *e não foram -resos E!es tam/+m seriam ca-a4es de er, e e!es nos
di4em *em somos e como -odemos esca-ar desta -risão "8omecei a -rotestar *e e* não sa/ia *em e!e era *ando e*
!em/rei
conhe1o,doe sei
*ea!g*mas
a sa/edoria meso/re
coisas conto* so/re
oc<," E*a*e!es a *em"Mas
reconhece*, e* seconfesso
re*nir@ *ando
*e esta-assei -e!aestranha
+ a mais -orta ao-risão
!ado *e
"E*e*
te 0@ i"
"Mas esta + a 2nica -risão?", Protesto* "8omo oc< sa/e *e se oc< tem estado a*i toda a s*a idaO" E* -erg*ntei "A
-essoa *e me a0*do* a er me disse *e era o 2nico E!e disse *e toda a!ma *e 0@ tinha sido -reso foi mantido catio
a*i E!e sem-re me disse a erdade, então e* acredito nisso "" C*em + a*e!e *e te a0*do* a erO "E* -erg*ntei, não
a-enas *erendo sa/er *e o a0*do* a er, mas tam/+m interessado em como isso foi a -risão *e rea!i4ada a cada catio
a!ma "E!e n*nca me disse se* nome rea!, mas a-enas chamo* a Si mesmo" Sa/edoria "" Sa/edoria? 3 *e E!e se -areceO
"E* *estionei "E!e era *m at!eta, 0oem negro E!e -odia er me!hor do *e ning*+m e -arecia conhecer todo m*ndo
a*i D estranho, no entanto 8onheci o*tros a*i *e disse *e e!es tam/+m se encontraram
Sa/edoria, mas todos e!es descritos !o de forma diferente A!g*ns di4iam *e E!e era /ranco e o*tros disseram *e era
*ma m*!her A menos *e ha0a m*itos "Sa/edorias," E!e + *m mestre do disfarce "" Goc< -ode me !ear a E!eO "E*
-erg*ntei "E* faria, mas e* não i e!e -or *m !ongo tem-o agora Tenho medo de *e E!e tem -ara a es*erda o* ta!e4
mesmo morrido Tenho sido m*ito desanimado -or*e E!e -arti* Minha isão come1o* a -iorar, mesmo at+ *e e* i
oc< Assim
tam/+m, *e-or
então e* *e
i oc<,
oc<e* sa/ia
est@ me*e t*do o *em*ito
-erg*ntando E!e me disse
so/re *e""era
E!eO E*erdade
sei E!e? EE!edeem
disse *e oc< sa/ia *e
ser incentiados, E!e,amigo
o se*
não est@ morto Go* di4er!he se* nome rea!, tam/+m, mas -rimeiro deo -erg*ntar!he a!g*mas -erg*ntas "" E* sei *e
oc< -ode ser confi@e!, e e* sei *e oc< e o*tras -essoas como oc< *e estão chegando ão *erer conhecer todo
m*ndo *e -ode er  E* -osso !e@!o -ara a!g*ns de!es Tam/+m sei *e oc< e os o*tros estão chegando -ara a0*dar a
m*itos destes o*tros -resos -ara er Esto* s*r-reso com *ma coisa em/ora "" 3 *e + issoO "" Goc< + /ranco F*nca
-ensei *e a*e!es *e ieram -ara nos a0*dar a er e ser !i/ertado seria /ranco "" Esto* certo de *e existem m*itos
o*tros *e em *e não são /rancos ", res-ondi "Posso di4er *e oc< 0@ tem isão consider@e!, então e* sei *e oc<
-ode entender o *e esto* -restes a di4er"

O 9alor da 9isão

C*ando o!hei -ara Ste-hen -ara ter certe4a de *e e!e estaa o*indo, fi*ei comoido -e!a forma como a/erto e d:ci!,
e!e foi, em f!agrante contraste com o -rofessor *e tinha sido so/re a s*a mesma idade Este homem ai ser *m
erdadeiro mestre, -ensei como e* contin*ei "C*ando chegamos ao !*gar da isão definitia, não amos 0*!gar as
-essoas -e!a cor de s*a -e!e, sexo o* idade Fão amos 0*!gar os o*tros -e!as a-ar<ncias, mas de-ois o es-írito "" 6sso
soa como o *e nossos -rofessores cost*maa di4ernos ", Ste-hen res-onde*, *m -o*co s*r-reso "H@ *ma diferen1a,
-or+m," e* contin*ei "E!es tentaram fa4er oc< -ensar *e somos todos ig*ais, mas fomos criados diferentes -or *ma
ra4ão A erdadeira -a4 s: ir@ *ando n:s res-eitamos as diferen1as *e temos C*ando rea!mente sa/emos *em
somos, n*nca seremos amea1ados -or a*e!es *e são diferentes C*ando somos !ires, somos !ires -ara mostrar a*e!es
*e são diferentes de n:s honra e res-eito, /*scando sem-re a a-render *ns dos o*tros, assim como oc< est@ fa4endo
agora comigo "" E* entendo ", res-onde* Ste-hen "Es-ero *e e* não ofend<!o di4endo *e e* estaa s*r-reso *e
oc< fosse /ranco" "Fão, e* não estaa ofendido E* entendo Sintome encora0ado *e oc< fosse ca-a4 de me
reconhecer, a-esar da cor da minha -e!e Mas !em/rese, cada e4 *e a/rimos nossos cora1.es -ara a-render com
a*e!es *e são diferentes, a nossa isão ir@ a*mentar Se*s o!hos 0@ são mais /ri!hantes do *e *ando nos conhecemos
"" E* estaa -ensando so/re *ão ra-idamente a minha isão est@ sendo resta*rada ", comento* Ste-hen "Agora e* sei
-or*e esto* a*i" Acrescentei5 "Goc< dee ter em mente *e s*a isão + a s*a mais a!iosa -osse Todos os dias oc<
dee fa4er o *e a0*dar@ a a*mentar a s*a isão >icar !onge das -essoas e coisas *e fa4em oc< -erder s*a isão "" Sim,
como desanimar "" Exatamente? desKnimo + gera!mente o início da -erda da isão ", e* disse "Para rea!i4ar nossos
-ro-:sitos, deemos resistir desKnimo em *a!*er forma !inds desKnimo "" C*ando e* comecei a er, e* comecei a
sentir *e e* tinha *m -ro-:sito, ta!e4 at+ mesmo *m -asso im-ortante ",
Ste-hen contin*o*
nosso -ro-:sito "Goc<
+ *ma -ode me a0*dar
das me!hores -ara
maneiras sa/er
*e o *e
a nossa + o cresce
isão me* -ro-:sitoO"
D tam/+m "Sim, e* nossas
*ma das acho *e -ossodefesas
maiores Para sa/er o
contra
coisas como o desKnimo *e destr:i a isão Acho *e me* -rinci-a! o/0etio a*i + a0*dar oc< e os o*tros c*0a isão
est@ sendo resta*rado -ara conhecer o se* -ro-:sito Mas -rimeiro temos de fa!ar so/re a!go ainda mais im-ortante "

Buried Treasure

C*ando Ste-hen fa!o*, e* -odia o*ir a o4 da sa/edoria, então e* sa/ia *e este 0oem tinha sido ensinado -e!o Senhor
E* tam/+m sa/ia *e e!e não sa/ia o nome do Senhor e teria dific*!dade em acreditar *e o nome de Sa/edoria era Jes*s
E* sa/ia *e seria necess@rio sa/edoria a-enas -ara com-arti!har o nome de Sa/edoria E* -ensei so/re os a-:sto!os,
-rofetas, eange!istas, -astores e -rofessores *e a Sa/edoria disse *e e* iria encontrar *ando f*i at+ a -orta E* n*nca
sonhei *e e* iria encontr@!os em *m !*gar como este C*ando o!hei -ara fora so/re a grande massa de -essoas, senti
s*a -resen1a E!e estaa comigo e at+ mesmo na esc*ridão desta -risão terríe!, excita1ão foi /rotando em mim 6sto + o
*e e* tenho sido
E* -erg*ntei -re-arado
"Ge0o conf*são,-ara, -ensei "Ste-hen,
deses-ero, amarg*ra,o:dio
*e oc< < *ando
E* e0o oc<
esc*ridão ", o!ha -ara essa grande
e!e res-onde* "6sso +massa de -essoasO"
certamente erdade,
mas o!he de noo com os o!hos do se* cora1ão Ise s*a isão ", res-ondi E!e o!ho* -or *m !ongo tem-o e de-ois disse
com a!g*ma hesita1ão, "agora e* e0o *m grande cam-o com teso*ro enterrado ne!e 3 teso*ro est@ em toda -arte e em
*ase todas as formas "" 6sso + certo ", res-ondi "Esta + tam/+m *ma ree!a1ão de se* -ro-:sito Goc< + *m ca1ador de
teso*ros A!g*ns dos maiores a!mas *e 0@ ieram estão -resos a*i, e oc< ai a0*dar a encontr@!os e !i/ert@!os "" Mas
como o* encontr@!os, e como o* !i/ert@!os *ando não esto* ainda !ireO "" Goc< 0@ sa/e como encontr@!os, mas +
erdade *e oc< não ser@ ca-a4 de !i/ert@!os at+ *e este0a !ire Esta + a s*a -r:xima !i1ão Goc< tam/+m dee !em/rar
*e oc< sem-re sa/er@ o se* -ro-:sito em *ma sit*a1ão, endo com os o!hos do se* cora1ão 3 *e oc< < a -artir do
se* íntimo sem-re ai ree!ar o se* -ro-:sito "" D assim *e oc< sa/ia *e e* esto* a ser *m ca1ador de teso*rosO ""
Sim Mas oc< dee estar !ire antes *e oc< -ode ser *em oc< foi criado -ara ser Por *e oc< não esca-aram atra+s
desses /*racos na cercaO "E* -erg*ntei "C*ando e* comecei a er, e* i as cercas eo m*ro E* tam/+m i os /*racos nas
cercas e -assaram -or e!es C*ando cheg*ei  -arede, e* tentei @rias e4es -ara esca!@!o, mas o medo iria s*-erarme,
-or*e e* tenhoer
não conseg*em medo das a!t*ras
tão /em E* tam/+m
como oc< -ensei
-ensa, "e* *e se"E!es
res-ondi e* tenho so/retão
são *ase o m*ro, e* !earia
cega como *m tiro
as -essoas "" 3s
a*i" 6stog*ardas
-arecia
rea!mente s*r-resa Ste-hen, mas e* tam/+m -oderia di4er *e e!e a/ri* os o!hos ainda mais "Goc< conseg*e er o to-o
do m*roO" E* -erg*ntei "Sim, e* -osso <!o da*i" "E* *ero *e oc< !em/rese disso", contin*ei "E* 0@ estie em
m*itos !*gares 8ham@!os de m*ndos diferentes, o* reinos, se oc< *iser H@ *m -rincí-io im-ortante *e e* encontrei
-ara ser erdadeiro em todo !*gar, e oc< dee se !em/rar -ara o resto de s*a ida "" 3 *e + issoO "" Goc< sem-re -ode
ir tão !onge como oc< -ode er Se oc< -ode er no to-o da -arede, oc< -ode o/ter
a!i C*ando oc< chegar ao to-o da -arede, oc< ser@ ca-a4 de er mais !onge *e oc< 0@ i* antes Goc< dee manterse
ir -ara tão !onge como oc< -ode er F*nca -are, en*anto oc< ainda -ode er mais !onge "" E* entendo ", e!e
res-onde* imediatamente "Mas e* ainda esto* com medo de esca!ar a*e!a -arede D tão a!to? D seg*roO "" E* não o*
mentir -ara oc< e di4er!he *e + seg*ro, mas sei *e + m*ito mais -erigoso -ara não esca!@!o Se oc< não *sar a s*a
isão -or andar em *e oc< <, oc< ai -erd<!a Então oc< ai morrer a*i "" 8omo e* o* -roc*rar o teso*ro *e
est@ a*i, se e* sairO "" Essa + *ma /oa -erg*nta, mas + tam/+m a*e!e *e mant+m m*itos de c*m-rir s*a fina!idade E*
s: -osso di4er!he
encontrar@ agora
*ma -orta *e*e
!eaoc<
oc<tem
de *ma
o!tagrande
-ara a 0ornada oc< dee
-risão, assim comocom-!etar -rimeiro
e* encontrei Fooc<
C*ando fina! o!tar,
de s*a s*a
0ornada,
isão oc<
ser@
tão grande *e e!es n*nca serão ca-a4es de -rend<!o a*i noamente S*a isão tam/+m ser@ grande o s*ficiente -ara er
o teso*ro *e est@ a*i "

7A6@T3LO  A Lu&

Ste-hen se iro* e fico* o!hando -ara a -arede "Ainda sinto *m grande medo", !amento* "E* não sei se e* -osso fa4er
isso" "Goc< tem isão, mas !he fa!ta a f+ Gisão e f+ deem tra/a!har 0*ntos ", e* disse "H@ *ma ra4ão -e!a *a! s*a f+ +
fraca" "Por faor me diga o *e +? Existe a!go *e ai a0*dar a minha f+ -ara crescer  medida *e a*menta a minha
isãoO "" Sim A f+ em de sa/er *e rea!mente + a Sa/edoria Goc< dee sa/er se* nome erdadeiro asta sa/er o se*
nome ai !he dar f+ s*ficiente -ara !e@!o ao !ongo desse m*ro -ara a !i/erdade C*anto me!hor oc< conhecer o se*
nome, o maior dos o/st@c*!os e /arreiras *e oc< ai ser ca-a4 de s*-erar em s*a 0ornada Im dia oc< ai sa/er se*
nome /em o s*ficiente -ara moer *a!*er montanha "" C*a! + se* nomeO "Ste-hen *ase im-!oro* "Se* nome +
Jes*s" Ste-hen o!ho* -ara o chão, e de-ois no ar como a descren1a -arecia ir so/re e!e E* i como a !*ta contin*o*
entre se* cora1ão e s*a mente >ina!mente e!e me o!ho* noamente, e -ara me* grande a!íio, e!e ainda tinha es-eran1a
em se*s o!hos E* sa/ia *e e!e tinha esc*tado se* cora1ão "E* s*s-eito", e!e disse "Fa erdade, o tem-o todo oc<
estaa fa!ando, e* de a!g*ma forma sa/ia *e oc< ia di4er isso Tam/+m sei *e oc< est@ me di4endo a erdade Mas
tenho a!g*mas -erg*ntas Posso -edir!hesO "" 8!aro "" E* conheci m*itas -essoas *e *sam o nome de Jes*s, mas e!es
não são !ires Fa erdade, e!es estão a!g*mas das -essoas mais !igado *e e* conhe1o a*i Por *<O "" 6sso + *ma /oa
-erg*nta,
m*itos *ee e* s: -ossootese*
conhecem di4er o *e
nome, e* não
mas a-rendi em minhaEm
conhec<=o -r:-ria
e4 deiagem E* acho
a-roximar a E!e*e cada caso
e sendo + diferente,
m*dado mascomo
-or <=o h@
E!e +, e!es tentam fa4er de!e s*a imagem Sa/er o nome de Jes*s + m*ito mais do *e a-enas sa/er como se escree o*
di4 D sa/er *em E!e rea!mente + 6sto + onde a erdadeira f+ em "E* ainda -odia er nos o!hos de Ste-hen d2ida,
mas era o ti-o /om de ti-o d2ida o *e *er acreditar em e4 do ti-o *e *er acreditar E* contin*ei "H@ o*tros *e
rea!mente amam Jes*s e come1ar a sinceramente conhec<=o, mas e!es tam/+m contin*am -resos Estes são os *e
deixam as feridas o* erros sofre* na
0ornada transform@!os de o!ta Estes t<m ex-erimentado a !i/erdade, mas e!es o!taram -ara a -risão -or ca*sa de
dece-1.es o* fracassos Goc< -ode faci!mente reconhec<!os -or*e e!es estão sem-re fa!ando so/re o -assado ao in+s
do f*t*ro Se e!es ainda estaam andando -e!a s*a isão, não seria sem-re o!hando -ara tr@s "" E* 0@ conheci m*itos
desses ", comento* Ste-hen "Goc< -recisa entender a!go se oc< est@ indo cada e4 -ara ter essa -erg*nta res-ondida Se
oc< est@ a c*m-rir o se* destino, oc< não -ode ser excessiamente desanimado o* encora0ados -or o*tros *e *sam o
nome de Jes*s F:s não somos chamados a co!ocar nossa f+ em Se* -oo, mas ne!e Mesmo os maiores a!mas ir@
dece-cionarnos,
tam/+m -odem se-or e4es,
tornar -or*ea!mas
grandes e!es ainda
Gisãosão
e f+h*manos "M*itos
-odem ser dos *e
resta*rados, são como
mesmo a*e!es
na*e!es *e*e aca/ei de odescreer
se tornaram mais
desanimado e dece-cionado 8omo *m ca1ador de teso*ros, este + se* tra/a!ho Fão -odemos descartar *a!*er ser
h*mano, todos e!es são teso*ros -ara e!e Fo entanto, -ara rea!mente conhec<=o e andar em f+ erdadeira, oc< não
dee 0*!gar=o -or Se* -oo, se0a o me!hor o* o -ior ", e* com-arti!hei "E* sem-re -ensei em Jes*s como Be*s do
homem /ranco E!e n*nca -arece* fa4er m*ito -or nosso -oo "" E!e não + *m homem /ranco + Be*sE!e não era nem
/ranco Si? Mas tam/+m não + Be*s E!e *m homem negro E!e crio* t*do e E!e + o Senhor de todos C*ando oc<
come1a a <=o como o Be*s de *a!*er gr*-o, oc< tem m*ito red*4ida *em E!e +, e oc< tem m*ito red*4ida a s*a
-r:-ria isão "

/é e O%edi+n!ia

E* assisti em si!<ncio
da Sa/edoria, en*anto
e e* sa/ia *e E!e Ste-hen
-oderia !*to* com
ex-!icar m*itas
todas o*trasm*ito
as coisas coisasme!hor
em se*do
cora1ão
*e e* E* contin*ei
-oderia a sentir Ste-hen
>ina!mente a -resen1a
o!ho* -ara mim, com a !*4 /ri!hando mais do *e n*nca em se*s o!hos "E* sei *e todas as *est.es *e tenho indo a
!*tar com rea!mente não tem nada a er com *em Jes*s rea!mente +, mas *e as -essoas t<m dito *e E!e + E* sei *e
oc< est@ di4endo + erdade E* sei *e Jes*s + o 2nico *e me de* a isão e *e E!e + Sa/edoria, deo desco/rir -or
mim mesmo *em E!e rea!mente +, deo /*sc@!o, deo seri=o Sei tam/+m *e E!e enio* oc< a*i -ara me a0*dar a
come1ar 3 *e "A sa/edoria + a*i e agora", comecei "Goc< o*i* E!e *ando e* fa!ei, assim como o*i!o fa!ar atra+s
de oc< Goc< 0@ sa/e a S*a o4 E!e + o osso Mestre E!e ai fa!ar com oc< atra+s de m*itas -essoas diferentes, s
e4es at+ mesmo -or a*e!es *e não 3 conhecem Se0a r@-ido -ara o*ir e o/edecer o *e E!e di4 >+ e o/edi<ncia são
os mesmos Goc< não tem a erdadeira f+ se oc< não o/edecer, e se oc< tier f+ erdadeira oc< sem-re o/edecer
"Goc< disse *e oc< ai seri=o 6sso significa *e oc< não ier mais -ara si mesmo, mas -ara e!e Fa -resen1a da
Sa/edoria, oc< sa/e a diferen1a entre o *e + certo eo *e + errado C*ando oc< em a conhecer a sa/edoria, oc<
tam/+m ai entender o *e est@ ma! Goc< dee ren*nciar ao ma! *e oc< fe4 no -assado, /em como o *e em a tent@
!o no f*t*ro
a/ra1o* o se*"Goc<
nome não -ode ier
ea erdade comoE!e
de *em os+,o*tros
*andofa4em Goc< + !*4
essa grande chamado
entro* -ara ser *m
em se*s so!dado
o!hos, da acr*4
*ando C*ando
-a4 ea satisfa1ão
come1o* a in*ndar a s*a a!ma a-enas a!g*ns momentos atr@s, oc< nasce* de noo e come1o* *ma ida noa Sa/edoria
foi fa!ando com oc< -or a!g*m tem-o, orient@!o e ensin@!o, mas agora E!e ie em oc< E!e n*nca ai deixar oc< de
noo Mas E!e não + o te* sero, oc< + Se* "" E* sintoo? "Ste-hen reconhece* "Mas como e* adoraria <!o
noamente?" "Goc< -ode <=o com os o!hos do osso cora1ão a *a!*er momento Esta + tam/+m a s*a chamada -ara
<!o de forma mais c!ara e seg*i=o mais de -erto 6sso + o *e a iagem + -ara Em se* 0ornada, oc< ai a-render so/re
o se* nome, eo -oder da cr*4 C*ando oc< foi treinado, oc< ai o!tar a*i em *e o -oder, e oc< ai a0*dar a definir
m*itos desses catios "" Ser@ *e oc< ainda estaria a*iO "" E* não sei s e4es e* o* ter tra/a!ho a fa4er a*i, e s
e4es e* o* ter tra/a!ho a fa4er a0*dando os o*tros em s*as iagens E* -oderia conhec<!o de noo !@ fora, onde oc<
est@ indo Tam/+m esto* ainda em minha -r:-ria iagem Esta + -arte de!a Em s*a 0ornada, haer@ m*itas -ortas *e
oc< dee -assar Goc< n*nca sa/e onde e!es ão !ear A!g*ns -odem tra4er oc< de o!ta a*i A!g*mas -ortas -odem
!e@!o -ara o deserto *e todos deem -ercorrer A!g*ns !eam a g!oriosa ex-eri<ncia ce!estia!, e + tentador sem-re o!har
-ara as -ortas, mas e!es não são sem-re as *e -recisamos -ara nos a0*dar a c*m-rir nosso destino Fão esco!ha -ortas
-or s*a a-ar<ncia, mas sem-re -edir sa/edoria -ara a0*d@!o "Ste-hen o!to* o se* o!har so/re o m*ro E* i *m sorriso
a-arecer "E* -osso esca!ar a*e!a -arede agora", disse e!e "E* mesmo ansioso -ara o desafio Beo admitir *e e* ainda
sinto o medo, mas não im-orta E* sei *e e* -osso esca!@!o, e e* não -osso es-erar -ara er o *e est@ -or tr@s de!e E*
sei *e e* so* !ire E* não so* mais *m -risioneiro? "E* andaa com Ste-hen at+ a cerca -rimeiro E!e fico* s*r-reso ao
desco/rir *e não haia /*racos s: ne!e, mas *e onde *er *e e!e toco*, as cercas desmoronaria em s*a mão, fa4endo
com *e o*tros /*racos "C*ais são essas cercas feitasO", Perg*nto* "Be ex-!i*ei "Toda e4 *e a!g*+m esca-a atra+s
de!es, *m esco!he*
"Ste-hen /*raco + *m
feito!*gar
-ara*e
os era
o*tros -assar
grosso comGoc<
arame-ode ir atra+s
far-ado, dososf*ros
estico* *ee caminho*
/ra1os 0@ estão a*i o* fa4er *m
diretamente -araoc<
e!a, mesmo
a/rindo *m grande /*raco, en*anto e!e s*/ia E* sa/ia *e e!e iria *m dia o!tar a*i e !ear m*itos o*tros atra+s do
/*raco *e e!e estaa fa4endo agora G<!o era -*ra a!egria E* senti a -resen1a da Sa/edoria tão fortemente *e e* sa/ia
*e iria <!o se e* irei E* fi4, e e* estaa certo A grande a!egria *e e* estaa ex-erimentando -odia ser isto em se*
rosto tam/+m
=i/erdade5
8omo e* estaa ao !ado de Ste-hen Sa/edoria assistindo a -+ atra+s das cercas, e!e grito*5 "3 *e
+ o m*ro feitoO "
">ear"
E* assisti Ste-hen -arar e o!har -ara a -arede Era enorme M*itos n*nca conseg*i* -assar das cercas,
e e* sa/ia *e este era *m teste cr*cia! -ara Ste-hen
Sem o!har -ara tr@s, e!e grito* noamente, "Goc< ai me a0*dar esca!@!oO"
"E* não -osso
ser ainda a0*d@!o",
mais difíci! Parares-ondi "Sese*s
con*istar e* medos,
tentar a0*d@!o,
oc< deee!eenfrent@!os
s: ter@ o do/ro do tem-o
so4inho " e
"C*anto mais e* o!haa -ara e!e o -ior *e -arece," E* o*i Ste-hen di4er -ara si mesmo
"Ste-hen, oc< fe4 o se* -rimeiro erro"
"3 *e e* fi4O", E!e grito* desanimado, 0@ cheio de medo
"Goc< -aro*"
"3 *e e* fa1o agoraO E* sinto *e me*s -+s são m*ito -esados para se mover. "
"3!he -ara o /*raco *e oc< fe4 nas cercas," e* disse "Agora o!he -ara o to-o do m*ro, e
come1ar a andar C*ando oc< chegar  -arede, contin*e Fão -are -ara descansar Fão h@ descanso -ara
ser encontrado -end*rado do !ado desse m*ro, -or isso contin*ar a s*/ir at+ chegar ao to-o "
Para me* grande a!íio, e!e come1o* a se moer -ara a frente noamente E!e estaa indo m*ito mais !ento, mas e!e era
em moimento C*ando chego*  -arede, e!e come1o* a s*/ir, !enta mas firmemente C*ando e* sa/ia *e
e!e estaa indo -ara torn@!o, f*i -ara a -arede e ra-idamente s*/i!a -ara *e e* -*desse conhec<!o
do
*mo*tro
-o*co!ado E* sa/ia
s*r-reso *eer,
ao me Ste-hen seria sede,
mas m*ito fe!i4 então e* es-erei
E* estaa -or e!eao-or
tão s*r-reso er*m c:rrego C*ando
a m*dan1a ne!e Fãoe!eforam
chego* !@, o!hos
s: os e!e estaa
/ri!hando com mais intensidade e c!aramente do *e n*nca, mas e!e ando* com *ma confian1a e *ma no/re4a *e foi
im-ressionante E* 0@ tinha isto e!e como *m so!dado da cr*4, mas e* não tinha isto como o grande -rínci-e, *e e!e
o/iamente foi chamado -ara ser "8onteme so/re isso", e* disse ">oi tão difíci! come1ar a andar noamente e em
seg*ida, -ara contin*ar caminhando, e* sa/ia *e se e* 0@ -aro*, -ode ser m*ito difíci! de sem-re recome1ar E* -ensei
so/re o *e oc< me conto*, a*e!es *e sa/iam o nome do Senhor, mas n*nca tinha esca!ado a -arede a caminhar na f+
em Se* nome E* sa/ia *e -oderia se tornar *m de!es E* decidi *e, mesmo se e* caísse, mesmo se e* morresse, e*
-referiria morrer do *e ficar na*e!a -risão E* -referiria morrer do *e não er o *e est@ deste !ado e não fa4er a
iagem *e e* so* chamado -ara fa4er >oi difíci!, ainda mais difíci! do *e e* -ensaa, mas + 0@ a!e a -ena "" A*i, a
/e/ida a -artir deste f!*xo Goc< ai encontrar toda a @g*a e comida *e oc< -recisa na iagem Ser@ sem-re !@ *ando
oc< rea!mente -recisa de!e Beixe a fome ea sede mant<!o em moimento C*ando oc< encontra as /e/idas, o
descanso d*rante o tem-o *e e!as d*ram, e em seg*ida contin*ar "E!e /e/e* ra-idamente e então se !eanto*, ansioso
-ara seg*ir em
ir@ a0*d@!o frente "E*
na 0ornada" não o*
Ste-hen te er
o!ho* de mim
-ara noocom
-or *m
*m tem-o, então h@
foco e /ri!ho *ea!g*mas coisas *eA*e!es
foi marai!hoso deo di4er!he
*e t<magora *e
conhecido
a maior escraidão ai amar a !i/erdade a mais, -ensei E* dirigi!o a o!har -ara a montanha mais a!ta *e -oderíamos er
"Agora oc< dee esca!ar a*e!a montanha C*ando oc< chegar ao to-o, o!he -ara tão !onge como oc< -ode er Marca
/em o *e oc< <, e -roc*rar o caminho *e ai !ear oc< -ara onde oc< est@ indo >a4er *m ma-a do caminho em
s*a mente D aí *e oc< + chamado -ara ir "" E* entendo ", res-onde* e!e "Mas e!e -ode ser isto de *ma dessas
montanhas mais /aixasO Fão esto* mais com medo de s*/ir, mas esto* ansioso -ara contin*ar com a iagem "" Goc<
-ode er a -artir destes !*gares montanhas mais /aixas e chegar a esses !*gares m*ito mais r@-ido Goc< -ode o-tar -or
fa4er isso =ear@ mais tem-o e ser m*ito mais difíci! de esca!ar a*e!a montanha a!ta, mas a -artir daí oc< ser@ ca-a4 de
er m*ito mais !onge e er a!go m*ito maior A iagem desde a a!ta montanha tam/+m ai ser mais difíci! e mais
demorado Goc< + !ire, e oc< -ode o-tar -or 0ornada "" Goc< sem-re tomar a montanha mais a!ta, não +O "Ste-hen
-erg*nto* "Agora e* sei *e + sem-re o me!hor, mas e* não -osso di4er *e e* sem-re esco!hi a mais a!ta montanha
Tenho m*itas e4es esco!hida a maneira mais f@ci!, mais r@-ido, e e* estaa sem-re triste *ando e* fi4 Agora acredito
*e + sa/edoria -ara esco!her sem-re a mais a!ta montanha -ara esca!ar E* sei *e o maior teso*ro est@ sem-re no fina!
da mais !onga a 0ornada, mais difíci! E* acho *e oc<, tam/+m, são esse ti-o de ca1ador de teso*ros Goc< tem s*-erar
grande medo Agora + a hora de andar em grande f+ "" E* sei *e o *e oc< est@ di4endo + erdade, e e* sei em me*
cora1ão *e e* tenho *e esca!ar a montanha mais a!ta agora o* e* o* sem-re esco!her o *e + menos do *e e*
-oderia ter tido  Esto* m*ito ansioso -ara ir e chegar ao me* destino "" >+ e -aci<ncia caminham 0*ntas ", res-ondi "A
im-aci<ncia + rea!mente *ma fa!ta de f+ 6m-aci<ncia n*nca ir@ !e@!o ao mais a!to -ro-:sitos de Be*s om -ode ser o
maior inimigo do me!hor Agora + a hora de esta/e!ecer *m -adrão em s*a ida de sem-re esco!her o Maior e me!hor
Esta + a maneira
-erg*nto*, de -ermanecer
sentado em *ma -edra, -erto de Sa/edoria "" 3 *e mais oc< deeria di4erme antes de e* irO "Ste-hen
sa/iamente
esco!her ser -aciente e rece/er t*do o *e e!e -recisaa sa/er antes de e!e sair E* -ensei *e e!e 0@ dee sa/er me!hor do
*e e* Sa/edoria conheceram

3m aviso

"Fão h@ o*tra sa/edoria *e não + a sa/edoria de Be*s, e não h@ o*tro *e chama a si mesmo E!e não + Sa/edoria"
Sa/edoria ", E!e + nosso inimigo E!e -ode ser difíci! de reconhecer -or*e e!e tenta a-arecer como Sa/edoria, e e!e +
m*ito /om nisso E!e em como *m an0o de !*4, e e!e cost*ma tra4er a erdade E!e ter@ *ma forma de erdade, e e!e tem
sa/edoria, mas-or
ser enganado mee!e,
!eo* m*ito
se -or *mtem-o
momento-arae*
sercome1o
ca-a4 dea -ensar
disting*i!os
*e e*danão
Gerdade
-ossoeSa/edoria
da Sa/edoria A-rendi
disseme *e *e ainda
n*nca -osso
-odemos
enganar o inimigo a nossa defesa + a-render a reconhecer -rimeiro, e de-ois resistir!he "Ste-hen o!hos estaam
arrega!ados como *e" sa/er o!har "eio so/re e!e "E* sei *em oc< est@ fa!ando?", E!e exc!amo* "E* conheci *m
monte de gente na -risão *e seg*iram esse E!es estaam sem-re a fa!ar de *ma sa/edoria s*-erior, *m maior
conhecimento E!es sem-re -arecia no/re, as -essoas 0*stas, mas e!es sentiram fa!ta Sem-re *e e* disse a e!es so/re a
Sa/edoria, e!es disseram *e sa/iam "Sa/edoria", tam/+m, e *e e!e era se* "g*ia interior" Entretanto, *ando e*
esc*taa, e* não sinto *e e* estaa sendo !eado -ara a !i/erdade como se disse, mas sim a *ma escraidão ainda mais
forte na*e!a -risão E* s: senti a esc*ridão ao se* redor, não como a !*4 *e e* senti *ando e* fa!ei com Sa/edoria E*
sa/ia *e e!es não eram os mesmos "" A erdadeira sa/edoria + Jes*s Goc< sa/e *e agora A erdadeira sa/edoria + a
/*sc@=o C*a!*er sa/edoria *e não !e@!o a Jes*s + *ma fa!sa sa/edoria Jes*s sem-re ai te !i/ertar A "Sa/edoria"
fa!sa sem-re cond*4i!o  escraidão Fo entanto, a erdadeira !i/erdade, m*itas e4es se -arece com escraidão no início,
e /ondage norma!mente se -arece com a !i/erdade em -rimeiro !*gar "" Fão ai ser f@ci! não +O "Ste-hen !amento*
"Fão Fãos*s-eitar
indo -ara ai ser f@ci!,
nada,es*s-eito
não + s*-osto ser S*s-eita
*e -arece não + não
f@ci! E* ainda o mesmo *e "f@ci!"
encontrei o discernimento erdadeiro,
atra+s de *a!*er maso*seem
-orta oc< estier
*a!*er caminho *e tem dado certo Tomando o caminho mais f@ci! -ode ser o caminho certo -ara ser enganado Goc<
foi chamado como *m so!dado, e oc< ai ter *e !*tar Agora o m*ndo inteiro est@ no -oder do fa!so Sa/edoria, e oc<
ter@ *e encer o m*ndo -ara c*m-rir se* destino "" J@ tie de fa4er coisas *e eram mais difíceis do *e *a!*er coisa
*e 0@ fi4 antes ", Ste-hen ref!etida "Mas oc< est@ certo, + difíci!, mas a!e a -ena E* n*nca conheci tanta a!egria, tanta
satisfa1ão, ta! es-eran1a A !i/erdade + difíci! D d*ro ter *e esco!her *a! montanha e* esca!o =@ atr@s, e* sa/ia *e
-oderia ter o-tado -or não esca!ar a -arede E* me senti como o medo de fa4er essa esco!ha foi a -arede interna de mim
Mas *ma e4 e* tinha feito a esco!ha, e* sa/ia *e iria fa4<!o -or cima Mas ser@ *e a!g*ma e4 se tornam mais f@ceisO
"" E* não -enso assim, mas de a!g*ma forma "d*ra" come1a a ser mais gratificante Fão -ode haer it:ria sem *ma
/ata!ha, e *anto maior a /ata!ha, maior a it:ria As it:rias mais oc< ex-erimenta, mais oc< come1a a o!har -ara a
frente -ara as /ata!has, e oc< s*/ir ainda mais -ara enfrentar as maiores 3 *e torna mais f@ci! + *e o Senhor sem-re
nos cond*4  it:ria Se oc< ficar -erto de!e, oc< n*nca ir@ fa!har Be-ois de cada /ata!ha, cada teste, oc< + m*ito mais
-erto Be!e""eE*
enganarO conhec<!o m*ito
não sei E* me!hor
sei *e "" Ser@ em,
a esc*ridão *e e**ando
sem-ree!esinto
nos *e a esc*ridão
engana *ando
em egoísmo o fa!soe!e"Sa/edoria"
C*ando engano* otenta me
-rimeiro
homem ea -rimeira m*!her a comer da Nrore do 8onhecimento do em e do Ma!, a -rimeira coisa *e fi4 foi o!har -ara
si mesmos Ima e4 *e a "sa/edoria" fa!sa -ode tornarnos a*tocentrada, a nossa *eda -ara a escraidão + a certe4a 3
enganador sem-re tenta !e@!o a -roc*rar a si mesmo A chamada -ara c*m-rir nosso destino não + -or nossa ca*sa, mas
-or ca*sa do Senhor e -ara o /em de Se* -oo "" A!g*+m 0@ chego* ao se* destino sem ser enganadoO "" E* não -enso
assim At+ mesmo o grande a-:sto!o Pa*!o admiti* ter sido fr*strado -or Satan@s Peter foi enganado a!g*mas e4es *e
foram registrados nas Escrit*ras, e não sa/emos *antas o*tras e4es *e não foram registrados Mas não ser
excessiamente -reoc*-ado em ser enganados C*e + na erdade *m de se*s maiores armadi!has E!e desia m*itos,
tendo!hes medo mais em se* -oder de enganar do *e ter f+ no -oder do Es-írito Santo -ara !e@!os a toda a erdade
A*e!es *e caíram nessa armadi!ha, não s: cair na escraidão -ara a*mentar o medo, mas e!es irão atacar *a!*er *m
*e anda na !i/erdade *e em com f+ Tenho a certe4a *e oc< não ai torn@!o m*ito acima dessa montanha antes de
em/oscada oc< "" E e!es sa/em o nome de Jes*sO "Ste-hen -erg*nto*, *m -o*co conf*so "E!es deem ter conhecido
o se* nome -ara conseg*ir mais essa -arede e ter ido tão !onge C*ero di4er, não *e e!es rea!mente sa/em o se* nome
*ma e4O "" Tenho certe4a *e e!es fi4eram Mas !eantar e o!har todo o a!e  frente em torno de cada montanha 3 *e
oc< <O "" Parece *e as -ris.es -o*co Parece *e h@ m*itos a-enas como o *e e* sai*? "" D -or isso *e fi*ei
s*r-reso *ando oc< me disse *e a Sa/edoria disse isso foi a 2nica -risão, mas de-ois *e e* estaa !@ -ara *m -o*co
en*anto e* entendia o *e E!e significaa 3!he -ara as -aredes a!tas 3!he -ara as cercas E!es são todos ig*ais Se oc<
+ ca-t*rado ao !ongo do caminho, e!es não ão tra4er oc< de o!ta a*i E!es sa/em *e oc< esco!heria morte so/re
isso, mas e!es ão !e@!o -ara *ma das o*tras -ris.es C*ando oc< chegar -erto de!es, + difíci! er *e e!es são -ris.es de
fora, mas -or
-ara mim dentro oferecidos
", Ste-hen são todos ig*ais, comse*er
"E* nem -essoaserdiididas e -reso
as -ris.es -ore*se*s
*ando medos
estaa "" Esto*desta
-roc*rando fe!i4 forma
*e oc< mostro*
desde o to-o
da -arede, o* *ando e* estaa o!hando -ara a montanha *e e* esto* a s*/ir E oc< acha *e e* o* ser em/oscado
m*itas e4es -or a*e!es *e irão tentar ca-t*rar mim e me co!oco* em *m de!esO E essas -essoas estarão *sando o
nome de Jes*sO "" 3 Senhor, E!e mesmo, aderte nas Escrit*ras *e nos 2!timos dias m*itos irão em se* nome,
afirmando *e E!e + erdadeiramente o 8risto, e ainda assim e!es enganarão a m*itos Acredite em mim, h@ m*itos assim,
e e* não acredito *e a maioria de!es sa/em *e são enganadores Posso di4er!he *ma característica *e tenho isto em
todos a*e!es a *em e* conhecise -arar en*anto em s*a iagem, -arando c*rto de se* destino D -reciso f+ -ara
contin*ar, e e!es esco!heram seg*ir o medo ao in+s de f+ E!es come1am a -ensar *e o medo + a f+ e rea!mente er as
-aredes de medo em torno de s*as -ris.es como forta!e4as da erdade 3 medo ai fa4er isso com s*a isão e oc< -ode
come1ar a er forta!e4as dessa maneira Po*cas destas -essoas são rea!mente desonesto E!es são sinceros, mas e!es são
enganados -or *m dos enganos mais -oderoso de todos, o medo da dece-1ão "" Beo !*tar contra e!esO "" E* entendo a
s*a -erg*nta e ter -erg*ntado isso m*itas e4es e* mesmo E!es destroem a f+ de tantos e ca*sar danos m*ito mais -ara
os
ser@estrangeiros do *e
remoido, mas -ortodos
agoraose!es
c*!tos e seitas
tam/+m com/inados
estão serindo a Haer@ *m momento
*m -ro-:sito, fa4endoemo caminho
*e todosmais
os /!ocos
difíci!de ta! tro-e1o
"Sa/edoria"
*er *e e!a se0a mais difíci!O J@ + tão difíci! assim !*tando nossos -r:-rios medos Por *e e!e *er -ara tornar mais difíci!
a /ata!ha, fa4endonos todas essas -essoas com medo tam/+mO "" A iagem ai ser exatamente como f@ci! o* difíci!,
como E!e *er *e se0a Esta ida + *ma 0ornada tem-or@ria *ti!i4ada -ara -re-arar a*e!es *e ão reinar com E!e so/re
a idade -ara ir como fi!hos e fi!has do A!tíssimo -ara sem-re 8ada -roa tem o -ro-:sito de m*darnos  S*a
imagem Ima das -rimeiras coisas *e deemos a-render nesta 0ornada não + -ara des-erdi1ar *ma 2nica tentatia, mas
de a-reend<!as como as o-ort*nidades *e e!es são Se o caminho + mais difíci!, + -or ca*sa da
s*a oca1ão "

A 1e!essidade da 5is!i(lina

"M*itos são chamados, mas -o*cos são esco!hidos M*itos irão -ara a festa de casamento, mas -o*cos serão
aGiramos
noia "-ara er Sa/edoria de -+ atr@s de n:s E!e a-arece* como o 0oem at!eta *e
Ste-hen tinha chegado a conhecer
"Exec*tar a ra1a *e est@ diante de oc<, eo -r<mio ser@ maior do *e oc< -ossa entender na
neste momento Goc< sa/e a disci-!ina *e + -reciso -ara se -re-arar -ara a corrida Agora a disci-!ina
se -ara a 0*sti1a 8hamei todos -ara correr, mas correr -o*cos, de modo a ganhar Bisci-!ina
si mesmo -ara ganhar "
E!e então foi em/ora
"Por *e e!e foi em/oraO" Ste-hen -erg*nto*
"E!e disse t*do o *e -recisaa ser dito neste momento E!e fa!o* com oc< da disci-!ina 9ostaria de ter
*e, -ara ser *ma -a!ara mais im-ortante -ara oc< neste momento "
"Bisci-!ine E* cost*maa odiar essa -a!ara? "
"E!e fa!o* com oc< so/re a corrida Eram *m corredorO "
"Sim, e* est*dos
/o!sa de so* m*ito r@-ido
-ara correrE* sem-re
-ara f*i o mais
*ma grande r@-ido na minha
*niersidade " esco!a e foi ainda oferecido *m
"E* entendo *e oc< não aceit@!a"
"Fão, e* não"
">oi -or ca*sa de *ma fa!ta de disci-!ina *e oc< não ir -ara a fac*!dadeO"
"Fão? >oi  "Ho*e *m !ongo si!<ncio como Ste-hen o!ho* -ara se*s -+s "Sim, e* acho *e
-roae!mente era "
"Fão se -reoc*-e com isso agora Fo entanto, oc< dee entender a!g*ma coisa A maioria dos *e estão
-otencia!mente n*nca o me!hor em todos os cam-os o* da oc*-a1ão at+ mesmo se tornar grandes em-reendedores -ara
o
fa!ta de *ma coisa *e a disci-!ina 3 *e oc< est@ fa4endo agora + m*ito mais im-ortante do *e
faixa o* fac*!dade 3/iamente disci-!ina tem sido *ma fra*e4a de oc<s, e c*sto*!he
m*ito 0@, mas em 8risto t*do se fe4 noo Fe!e, as coisas *e t<m sido
se*s maiores fra*e4as -odem se tornar se*s maiores -ontos fortes Goc< est@ agora Se* discí-*!o C*e
significa *e oc< est@ a *m disci-!inado "
"E* sei *e oc< est@ me di4endo a erdade, e e* sei *e esta + *ma corrida, e* não *ero
-erder "
"Goc< < o caminho *e cond*4 at+ a montanhaO"
"Sim"
"Se* nome + disci-!ina Permanecer ne!e se oc< *iser chegar ao to-o "

O !a(8tulo CD do E*ér!ito

Be re-ente, e* estaa de -+ so/re *ma a!ta montanha com ista -ara *ma grande -!anície Antes de mim, haia *m
ex+rcito marchando em *ma frente am-!a Haia  diis.es na ang*arda *e se destacaram nitidamente da grande
m*!tidão de so!dados *e seg*iam atr@s de!es Estas diis.es foram s*/diididos em *e e* ass*mi a ser regimentos,
/ata!h.es, com-anhias e -e!ot.es As diis.es foram disting*idos -or s*as /andeiras, e os regimentos foram disting*idos
-e!as s*as diferentes *niformes co!oridos ata!h.es, com-anhias e -e!ot.es foram disting*idos -or coisas como cintos
o* dragonas *e cada gr*-o diferente *saa Todos *saam armad*ra *e foi -rata -o!ida, esc*dos *e -arecia ser de
o*ro -*ro, e armas *e foram -rata e o*ro 3s /anners foram
enormes, X% a &% metros de com-rimento En*anto os so!dados marchaam, s*as armad*ras e armas /ri!ho* no so!
como *m re!Km-ago, eo /ater dos /anners ea /anda de rodagem dos se*s -+s soo* como *m troão ro!ando E* não
acho *e a terra 0@ i* a!go assim antes Então e* estaa -erto o s*ficiente -ara er se*s rostos, masc*!inos e femininos,
e!hos e 0oens
no ar, mas de todas
nas fi!eiras e* as ra1as
-odia Ho*e
sentir *ma-a4
a*e!a reso!*1ão fero4
-rof*nda *eem se*s rostos,
e* sa/ia *e nemmas*me!es não temia
2nico -areciam tensosa *e
a /ata!ha 9*erra estaa
estaam
marchando A atmosfera es-irit*a! *e e* senti *ando -erto de!es foi tão im-ressionante como a s*a a-ar<ncia 3!hei
-ara se*s *niformes As cores eram /ri!hantes 8ada so!dado tam/+m *saa insígnias c!assifica1ão e meda!has 3s generais
e o*tros oficiais de -atente mais e!eada marcharam nas fi!eiras com os o*tros Em/ora fosse :/io *e a*e!es com
maior -ont*a1ão foram res-ons@eis, ning*+m -arecia excessiamente sensíe!  s*a categoria Besde o oficia! mais
grad*ado ao mais /aixo, todos e!es -areciam ser amigos íntimos >oi *m ex+rcito de o *e -arecia ser a disci-!ina sem
-recedentes, mas ainda assim -arecia ser a-enas *ma grande famí!ia En*anto e* est*daa, e!es -arecia desinteressado,
não -or*e e!es não tinham identidade, mas -or*e e!es estaam todos tão seg*ro de *em e!es eram eo *e estaam
fa4endo E!es não foram cons*midos com e!es -r:-rios o* /*scando reconhecimento E* não -oderia detectar am/i1ão
o* org*!ho em *a!*er !*gar nas fi!eiras Era im-ressionante er tantos *e eram tão 2nico, ainda em ta! harmonia e
marchando no -asso -erfeito E* tinha certe4a de *e n*nca ho*e *m ex+rcito na terra como esta Então e* estaa -or
tr@s das diis.es frente o!hando -ara *m gr*-o m*ito maior *e era com-osto de centenas de diis.es 8ada *ma destas
era *m tamanho
Em/ora diferente,
esse gr*-o não eracom
tão anítido
menor n*mera1ão
e co!orido cerca
como de dois mi!
o -rimeiro, estee tam/+m
maior nafoi
ordem das centenas
*m ex+rcito de mi!hares
fant@stico sim-!esmente
-or ca*sa de se* tamanho Este gr*-o tam/+m tee /anners, mas não eram *ase tão grande e im-ressionante como as
do -rimeiro gr*-o + Todos e!es tinham *niformes e fi!eiras, mas fi*ei s*r-reso *e m*itas destas nem se*er ter em *m
con0*nto com-!eto de armad*ra, e m*itos não t<m armas A armad*ra e armas *e e!es tinham não eram tão -o!idas e
/ri!hantes como os do -rimeiro gr*-o C*ando e* o!hei mais de -erto a*e!es nessas fi!eiras, -*de er *e estaam todos
determinados e tinha *m -ro-:sito, mas e!es não t<m *ase o foco do -rimeiro gr*-o Estes -arecia m*ito mais
conscientes de s*a -osi1ão -r:-ria ea c!assifica1ão dos *e os rodeiam Senti *e esta era *ma distra1ão *e entraam o
se* foco E* tam/+m -oderia sentido am/i1ão e ci2me nas fi!eiras, o *e sem d2ida foi *ma distra1ão mais Mesmo
assim, senti *e essa seg*nda diisão ainda tinha *m níe! mais e!eado de deo1ão e -ro-:sito do *e *a!*er ex+rcito
do m*ndo 6sto, tam/+m, foi *ma for1a m*ito -oderosa Por tr@s deste seg*ndo ex+rcito, ho*e *m terceiro, *e
marcharam at+ agora -or tr@s dos dois -rimeiros ex+rcitos *e e* não tinha certe4a de *e -oderia at+ mesmo er os
gr*-os  frente de!es Este gr*-o foi m*itas e4es maior do *e os ex+rcitos -rimeiro e seg*ndo com/inado,
a-arentemente com-osto
dire1.es diferentes, como -or mi!h.es/ando
*m grande e mi!h.es En*anto
de -@ssaros, e* o/seraa
arrendo  distKncia,
*ma forma -rimeiroessee de-ois
ex+rcitoo teria
o*tro,sen*nca
moemse em
moendo em !inha reta -or m*ito tem-o Por ca*sa desse moimento err@tico, *e estaa  deria cada e4 mais !onge
dos dois -rimeiros gr*-os 8omo me a-roximar, i *e esses so!dados tinham em franga!hos, ma1ante *niformes cin4a
*e não eram nem -ressionado, nem !im-a C*ase todo m*ndo estaa sangrando e ferido a!g*ns tentaam marchar, mas
a maioria a-enas caminho* na dire1ão gera! em *e os o*tros estaam indo rigas eram constantemente sair nas fi!eiras
ca*sando m*itas das feridas A!g*ns dos so!dados estaam tentando ficar -erto do desgastado /anners es-a!hados s*as
fi!eiras Mesmo assim, nem mesmo as mais -r:ximas da /anners tinha *ma identidade c!ara, -or*e e!es eram
constantemente  deria de *m /anner -ara o o*tro Feste terceiro ex+rcito, fi*ei s*r-reso *e s: haia d*as fi!eiras
generais e so!dados
A-enas *ns -o*cos tinham *m -eda1o de armad*ra, e e* não i nenh*ma arma, exceto armas d*mmy *e foram
rea!i4adas -e!os generais 3s generais f!a*nted essas armas d*mmy como se t<!os feito os -o!iciais es-eciais, mas mesmo
a*e!es nas fi!eiras -oderia di4er *e as armas não eram reais Este foi triste, -or*e era :/io *e a*e!es nas fi!eiras
*eria deses-eradamente encontrar a!g*+m *e foi rea! *em -oderia seg*ir Fão -arecia haer nenh*ma am/i1ão, exceto
entre os generais 6sso não foi -or ca*sa do des-rendimento, como no -rimeiro ex+rcito, mas -or*e não haia c*idado
tão -o*co Pensei *e -e!o menos a am/i1ão -resente no seg*ndo gr*-o seria m*ito me!hor do *e a conf*são *e
-rea!ece* neste gr*-o 3s generais a*i -arecia estar mais interessado em fa!ar so/re si mesmos e !*tar *m com o o*tro,
*e os -e*enos gr*-os em torno das /andeiras estaam constantemente fa4endo E* -oderia, então, er *e as /ata!has
dentro das fi!eiras foram a ca*sa do grande arred*ra, m*dan1as err@ticas de dire1.es *e esse gr*-o faria ao !ongo do
tem-o C*ando o!hei -ara os mi!h.es no 2!timo gr*-o, senti *e mesmo com se*s grandes n2meros, e!es rea!mente não
adicionar for1as*stentar!hes
atio A-enas -ara o ex+rcito, mas enfra*eceram
comida Emmais
e -rote1ão c*staria *ma em
/ata!ha rea!, do
rec*rsos *e*e
seria m*ito mais
*a!*er a!orde *m-oderia
*e -assioacrescentar
de *m 
ca-acidade do ex+rcito -ara !*tar E* -ensei *e *m -riado no -rimeiro o* seg*ndo gr*-o seria a!e mais do *e m*itos
generais do terceiro E* não conseg*ia entender -or *e os -rimeiros gr*-os, mesmo -ermiti* a este gr*-o de tag a!ong
-ara tr@s E!es o/iamente não eram erdadeiros so!dados

A 4a%edoria de 8(ora

Be re-ente e* estaa em *ma montanha, onde e* -odia er todo o ex+rcito En*anto e* o!haa, e* notei *e a -!anície
era seco e -oeirento diante do ex+rcito, mas !ogo a-:s os -rimeiros do4e diis.es -asso*, a terra era erde esc*ro, com
@rores dando som/ra e fr*tos e c:rregos -*ra f!*i -or toda a terra Este ex+rcito era resta*rar a terra Pensei em como
este foi diferente do *e iria acontecer *ando *m dos ex+rcitos do m*ndo -assaria -or *ma terra E!es iriam sa*ear e
forragem at+ *e a terra era tota!mente des-o0ado onde *er *e e!es haiam marchado E* i como as diis.es seg*ndo
-asso* o mesmo
antes *e chãoseE!es
e!es haiam deixaram
-assado m*itas
A grama não-ontes e edifícios,
era tão erde, osmas o terreno
riachos nãotanto
eram *m foi deixado
t*ras, em tão /om
e m*ito de forma,
da fr*ta tinha sido
!eado Então e* i o *e acontece* como o terceiro gr*-o -asso* -or cima do mesmo terreno A grama era o* foi o*
assim -isada na terra *e não -odia ser isto As -o*cas @rores *e -ermaneceram foram retirados 3s f!*xos foram
-o!*ídos As -ontes foram *e/radas e intransit@eis 3s -r+dios ficaram em r*ínas Parecia *e este gr*-o tinha desfeito
todo o /em *e os dois -rimeiros tinham feito 8omo e* assisti!os, a raia /roto* dentro de mim Senti Sa/edoria ao
me* !ado E!e não disse nada -or *m !ongo tem-o, mas e* -odia sentir *e E!e tam/+m estaa irritado "3 egoísmo
destr:i", e!e fina!mente disse "E* im -ara dar ida e dar!he em a/*ndKncia Mesmo *ando me* ex+rcito amad*rece*,
haer@ m*itos *e inocar@ o me* nome e seg*ir a*e!es *e me seg*em, mas e!es não sa/em me o* andar nos me*s
caminhos Estes destroem o fr*to da*e!es *e me seg*em Beido a isso, o m*ndo não sa/e se a considerar o me* -oo
*ma /<n1ão o* *ma ma!di1ão "Sa/edoria 8omo disse isso, senti imenso ca!or *e em Be!e, intensificando at+ *e foi
tão do!oroso *e era difíci! -ara mim concentrar no *e e!e estaa di4endo Mesmo assim, e* sa/ia *e e* estaa sentindo
*e e!e estaa sentindo e *e era *ma -arte im-ortante da mensagem *e E!e estaa transmitindo -ara mim A dor era
*ma com/ina1ão
o egoísmo de com-aixão
neste ex+rcito Am/os-ara com a terra eeram
os sentimentos raiatão fortes *e e* sentia como se fossem ser marcado dentro de
mim 8omo a ira do Senhor contin*o* a s*/ir, e* senti *e e!e -oderia destr*ir todo o ex+rcito Então me !em/rei de
como o Senhor tinha encontrado Mois+s *ando e!e estaa em se* caminho -ara o Egito, em o/edi<ncia ao Senhor 3
Senhor -roc*ro* mat@!o at+ *e s*a es-osa, Yí-ora, fi!ho circ*ncidado se* F*nca tinha entendido isso at+ agora
Por*e a circ*ncisão fa!a da remo1ão da nat*re4a carna!, o* carna!, o incidente com Mois+s foi como *ma anteci-a1ão
-rof+tica do -ecado de E!i, o sacerdote, *e tinha tra4ido *ma ma!di1ão so/re si mesmo e derrota -ara 6srae!, -or*e e!e
fa!ho* em s*a disci-!ina fi!hos "Senhor, !eante os com a sa/edoria de Yí-ora?" E* gritei A *eima contin*ada e *ma
-rof*nda determina1ão eio -or cima de mim -ara ir -ara os !íderes deste grande ex+rcito e di4er!hes a hist:ria de Yí-ora
e *e todos no ex+rcito do Senhor tinha *e ser circ*ncidado em se*s cora1.es A nat*re4a carna! tee *e ser cortado
E* sa/ia *e se e!es marcharam mais !onge antes *e este foi feito, todo o ex+rcito estaa em -erigo de ser destr*ída -e!o
-r:-rio Senhor, como E!e tinha *ase mato* Mois+s *ando e!e estaa o!tando -ara o Egito Então e* estaa em -+ no
Ha!! do J*!gamento diante do Trono do J*!gamento 3 Senhor ainda a-arece* como a Sa/edoria, mas e* n*nca o tinha
isto
!íderesmais fero4,
esto* nem S*as -a!aras
comissionamento agora<m com mais
ai !iderar esse-eso "Goc<
ex+rcito 0@ i*eniando!he
Esto* este ex+rcitom*itos
em tem-os
dessesde!íderes
se* cora1ão
3 *em*itos
oc< ai3s
di4er a e!esO "" Senhor, este + *m grande ex+rcito, mas ainda esto* triste so/re a condi1ão do terceiro gr*-o E* não
entendo -or *e e!es se*er são a*tori4ados a fingir ser *ma -arte de se* ex+rcito 9ostaria de di4er *e antes de irem
mais !onge, os ex+rcitos -rimeiro e seg*ndo t*rno e dee afastar este terceiro gr*-o E!es foram rea!mente m*ito -o*co
mais do *e *ma m*!tidão enorme "" 3 *e oc< i* ho0e ainda est@ no f*t*ro 3 !am minist+rios -restes a !an1ar ir@
re*nir este ex+rcito e e*i-@!os -ara ser t*do o *e oc< i* Feste momento, *ase ex+rcito My inteiro est@ na condi1ão
de terceiro gr*-o 8omo -osso deix@!os ser ex-*!soO ">i*ei chocado com isso, em/ora e* sa/ia *e e* n*nca tinha
isto *a!*er do -oo do Senhor, *e estaam em tão /oa forma como at+ mesmo o seg*ndo gr*-o do ex+rcito
"Senhor, e* sei *e e* sentia s*a raia contra este gr*-o Se *ase todo o se* ex+rcito est@ nessa condi1ão, e* so* a-enas
grato *e oc< não ter destr*ído todos n:s C*ando e* estaa a o!har -ara este terceiro gr*-o, senti *e a s*a condi1ão
de-!or@e! foi deido a *ma fa!ta de treinamento, e*i-amento e isão, /em como *ma inca-acidade de a/ra1ar a cr*4
*e circ*ncida o cora1ão 8reio *e deo ir a e!es com a mensagem so/re a Yí-ora, mas e!es tam/+m -recisam de
sargentos e oficiais *e ai trein@!os "Sa/edoria contin*o*5" =em/rese do -rimeiro ex+rcito *e oc< i* diante da
montanha E!es tam/+m não estaam -re-arados -ara a /ata!ha, e *ando a /ata!ha come1o*, a*e!es *e não estaam
-re-arados f*giram Fo entanto, m*itos o!taram com s*as armad*ras e s*as i!*s.es so/re s*/stit*ído com a erdade 3s
dois -rimeiros gr*-os neste ex+rcito tam/+m foram a!terados -or /ata!has *e acordo*!os -ara s*a erdadeira condi1ão
Então e!es c!amaram a mim e e* mandeios -astores seg*ndo o me* cora1ão "Todos os me*s -astores são como o Rei
Bai E!es não são mercen@rios *e /*scam se* -r:-rio !*gar o* -osi1ão, mas e!es ão dar a ida -ara o me* -oo E!es
tam/+m são destemidos na g*erra contra me*s inimigos e -*ro em s*a adora1ão de mim Esto* -restes a eniar estes
-astores
res-eitar diante
a*e!esGoc< dee retornar
*e /*scam com a mensagem
a ser contado de Yí-ora
com me* -oo, 3 tem-o
*e não est@ indo
circ*ncidar em /ree,Goc<
se*s cora1.es *ando
deee*ais@!os
não o*da
minha ira "Tam/+m esto* eniando de o!ta a caminhar com os -rofetas esto* eniando como Sam*e!s -ara
derramar o :!eo so/re a Minha erdadeiros -astores M*itos destes são agora considerados o menor dos se*s irmãos, mas
oc< ai encontr@!os at*ando como -astores fi+is de se*s re/anhos -o*co, os tra/a!hadores fi+is em t*do *anto os
tenho dado a e!es -ara fa4er Estes são os Me*s fi+is *e são chamados -ara ser reis Esses e* o* confian1a com a minha
a*toridade E!es ão -re-arar o me* -oo -ara a grande /ata!ha no fina! "Então e* -erg*ntei no me* cora1ão, Se
estamos agora na condi1ão de terceiro gr*-o, o *e era -ara ser feito com os generais *e não -arecem ser generais rea!
em t*doO "Goc< est@ certo, e!es não são generais de erdade", res-onde* o Senhor "E* não nome@!os, mas e!es -r:-rios
nomeados Mesmo assim, a!g*ns de!es ão ser m*dadas e e* farei aos generais 3*tros se tornarão oficiais 2ti! Fo
entanto, a maioria ai f*gir  -rimeira ista da /ata!ha, e oc< não ai <!os noamente "=em/rese disto5 Em *m tem-o
em todos os dois -rimeiros gr*-os foi *ma -arte do 2!timo C*ando oc< ai com a mensagem de Yí-ora dec!arando *e
e* não o* mais to!erar a carna!idade do me* -oo, a*e!es a *em e* tenho rea!mente chamado e são dedicados a
o/edecerme nãotra4er
não o* ter -ara ser@ exec*tado
0*í4o so/rea -artir do me*
e!es Me*s circ*ncisão,
-astores mas ai ficar
são res-ons@eis contra
pela a carna!idade
condição no ovelhas.
de minhas cam-o, -ara *egenerais
Me*s E*
são res-ons@eis pela condição de meus soldados. A*e!es a *em e* chamei ai ass*mir esta res-onsa/i!idade, -or*e
e!es me amam, amam o me* -oo, e e!es amam a 0*sti1a "

7a(itão do E*ér!ito

Então e* não estaa mais diante do Trono do J*!gamento, mas na montanha com ista -ara o ex+rcito noamente A
sa/edoria estaa de -+ ao me* !ado E!e estaa decidido, mas e* não sentia mais a dor ea raia *e e* fi4 antes "E*
-ermiti *e oc< < *m -o*co no f*t*ro," Sa/edoria come1o* "Esto* !he eniando -ara a*e!es *e são chamados a
-re-arar me* ex+rcito e !e@!o Estes são os *e t<m !*tado a /ata!ha na montanha Estes são a*e!es *e tenham
c*m-rido o ex+rcito do ac*sador e -ermanece* fie! Estes são os *e iram so/re o me* -oo e -rotegeos com o risco
de s*as -r:-rias idas E!es são chamados -ara serem !íderes em Me* ex+rcito *e ai !*tar na grande /ata!ha no fina! e
ai ficar sememmedo
momentos contra todas
*e cam-os as for1as+ tão
3 cam-ing das im-ortante
treas "8omo oc<
como -ode er,
a marcha D esse ex+rcito
o tem-o -araest@ marchando, mas
o -!ane0amento, haer@ e
treinamento
a-erfei1oar s*as ha/i!idades e armas D tam/+m tem-o -ara a*e!es *e o -rimeiro gr*-o a andar entre o seg*ndo e -ara
os !íderes do seg*ndo gr*-o -ara caminhar entre o terceiro gr*-o, encontrar a*e!es *e -odem ser chamados -ara o
-r:ximo níe! >a1a isso en*anto oc< -ode, -or*e o tem-o est@ -r:ximo, *ando A-oca!i-se 5 ser@ c*m-rida, e
a*e!es *e *erem ser chamados -e!o me* nome, mas não andam nos me*s caminhos serão io!ados Antes da 2!tima
grande /ata!ha, me* ex+rcito ai ser santos, como E* so* santo E* o* remoer a*e!es *e não são circ*ncidados de
cora1ão e os !íderes *e não defender a minha 0*sti1a C*ando a 2!tima /ata!ha + traada, não haer@ terceiro gr*-o como
oc< < a*i "At+ agora, *ando me* ex+rcito acam-o*, na maioria das e4es tem sido des-erdi1ado Assim como e* s:
!ear o me* -oo -ara a frente com *m o/0etio c!aro, -or isso + *e *ando e* chamo me* ex+rcito -ara o
acam-amento, h@ *m -ro-:sito A for1a do ex+rcito *e marcha ser@ determinada -e!a *a!idade de se* acam-amento
C*ando + hora de -arar e acam-ar -or *ma tem-orada, + -ara ensinar o me* -oo os me*s caminhos Im ex+rcito + *m
ex+rcito se est@ em /ata!ha o* em -a4 Goc< dee a-render a cam-o, como marcha, e como !*tar Goc< não ai fa4er
*a!*er *m desses /em menos *e oc< fa4<!os todos /em "Me* ex+rcito dee estar -ronto -ara fa4er cada *ma dessas
em tem-o e fora de tem-orada Goc< -ode -ensar *e + hora de marcha, mas e* oc< ai direto -ara o acam-amento,
-or*e e0o as coisas *e oc< n*nca -ode er, mesmo a -artir deste !*gar de isão Se oc< me seg*ir, oc< ai sem-re
estar fa4endo a coisa certa no momento certo, mesmo *e não -are1a certo -ara oc< =em/rese, e* so* o 8a-itão do
Ex+rcito "Im ex+rcito reso!er ser@ determinada -e!a no/re4a da s*a missão, o *ão /em e!es estão -re-arados -ara a
s*a missão, e como e!es são !eados Este ex+rcito marchar@ com a missão mais no/re *e 0@ foi dada ao homem Fo
entanto, a!g*ns do me* -oo est@ sendo -re-arado -ara s*a missão, e a*e!es *e estão agora cond*4indo My -essoas
seg*em se*s -r:-rios dese0os Agora o* !eantar !íderes *e ir@ treinar e e*i-ar o me* -oo Estes serão sem-re siga
me, -or*e e* so* o 8a-itão do Ex+rcito "M*itos ex+rcitos ex-eri<ncia am/as as it:rias e derrotas Me* ex+rcito
marchando foi d*rante m*itos s+c*!os D, tam/+m, tee m*itas it:rias e m*itas derrotas Me* ex+rcito -erde* m*itas
/ata!has, -or*e e!e ataco* o inimigo *ando e* não dei o comando 3*tros foram derrotados, -or*e e!es atacaram o
inimigo com -essoas não treinadas A maioria destes !íderes tenha feito isso -or*e e!es estaam /*scando a -r:-ria
g!:ria 8omo Pa*!o escree* so/re a*e!es em se* -r:-rio tem-o, "Todos e!es /*scam se*s -r:-rios interesses " 3*tros
!íderes tieram Me*s interesses no cora1ão e sinceramente /*scaa *ma it:ria so/re o ma! -or ca*sa do me* nome, mas
e!es não treinam se*s /em as -essoas7 e!es não andam comigo como s*a Sa/edoria C*e ir@ agora m*dar E* serei o
8a-itão do Ex+rcito Fão desanime -e!o caminho Me* -oo agora a-arecer, mas !em/rese *e e!es se tornarão Agora
o* !eantar !íderes *e s: marcha *ando e* do* as ordens C*ando me* ex+rcito me seg*e, e!e ai ganhar todas as
/ata!has C*ando o acam-amento, e!es ão sa/er minha -resen1a, e e!es ão crescer forte nos me*s caminhos "Goc< ai
chegar a *m momento no f*t*ro, *ando oc< < Me* ex+rcito exatamente como e!e + agora Fa*e!e tem-o, oc< ai
sentir a minha ira ardente Sa/e *e e* não o* mais c*m-rir a*e!es *e -ermanecem na condi1ão de terceiro gr*-o
Então e* o*
so!dados o*dis-ersos
-arar a marcha
E* o*dodisci-!inar
ex+rcito inteiro
a*e!esat+
do*e a*e!es
seg*ndo nestea gr*-o
gr*-o forams*as
a/andonar disci-!inados -arae se
am/i1.es ma! tornarem
ier -ara Me and
My Tr*th Em Me* ex+rcito marchar adiante, não -ara destr*ir, mas -ara dar ida E* estarei no meio de!es -ara tri!har
me*s inimigos de/aixo dos -+s deste ex+rcito !am *e em a ser o 8a-itão do Ex+rcito? "

7A6@T3LO C A 7idade

E*, então, estaa so/re o*tra montanha com ista so/re *ma cidade A g!:ria desta cidade foi a!+m de *a!*er coisa *e
e* tinha isto o* imaginado antes En*anto cada edifício e casa era marai!hosa e 2nica, cada *m se encaixam em *ma
simetria, de tirar o f;!ego tota! *m com o o*tro e os cam-os circ*ndantes, montanhas e cor-os de @g*a Era *ase como
se a cidade cresce* como *ma -!anta em e4 de ser constr*ído E* sentia *e estaa o!hando -ara a!go *e haia sido
constr*ído -or *ma ra1a *e não tinha caído e tinha andado na 0*sti1a e -*re4a de Adão e Ea no come1o Ima
característica *e se destaco* foi a grande *antidade de 0ane!as de idro em cada estr*t*ra o* ha/ita1ão Esse idro era
tão c!aro e mas
ha/ita1ão, !im-o, e as 0ane!asTam/+m
conidados e -ortasfoi
eram tão sesit*ados
como *e e* senti
nada estiesse *e e*enão
escondido, nãoera a-enas
haia de de
-erigo /oasindas em *e
a!g*ma coisa cadaest@
sendo ro*/ada Então o!hei -ara as -essoas na cidade E!es -areciam fami!iares, mas, ao mesmo tem-o e* sa/ia *e e*
n*nca tinha conhecido a!g*+m como e!es E!es eram como e* imaginaa Adam ser antes da *eda 3s o!hos de cada *m
/ri!ho* com o *e -arecia ser a com-reensão *ase tota!, *ma -rof*ndidade inte!ect*a! m*ito a!+m at+ mesmo a -essoa
mais /ri!hante *e e* 0@ tinha conhecido E* sa/ia *e isso se0a o res*!tado de *ma ordem e da -a4 *e estaa
com-!etamente !ire de conf*são o* d2ida, o* ta!e4 a conf*são da d2ida
Fão haia am/i1ão, -or*e cada *m estaa tão confiante e tinha tanta a!egria em *em e!es eram eo *e estaam fa4endo
Por*e todo m*ndo a*i estaa !ire, e!es tam/+m foram com-!etamente a/erto Po/re4a o* doen1a -arecia
incom-reensíe! 3!hei -ara a r*a nesta cidade Haia m*itos grandes rodoias no centro todos indo na mesma dire1ão, e
m*itas estradas menores !igados esses grandes estradas C*ando o!hei -ara *ma das maiores das estradas, o conhecimento
era transmitido -ara mim so/re a erdade da santidade 3!hei -ara o*tra estrada e sa/ia a erdade so/re a c*ra C*ando
o!hei -ara o o*tro, comecei a entender coisas so/re o 0*!gamento 3!hando -ara cada r*a, e* entendi *ma erdade
diferente
*m -areciaEntão
ref!etire*a-erce/i
erdade*e
de cada
*e aestrada era *mMinha
a*toestrada caminho -ara *e
aten1ão a erdade
se o!to* Asr*as
-ara as -essoas andando
m*itos e iendo
conectando em cada
as rodoias
C*ando o!hei -ara cada *m destes, e* senti *ma im-artation de *m fr*to do Es-írito, como o amor, a!egria, -a4 o*
-aci<ncia Estes ieram como sentimentos em e4 da com-reensão *e eio *ando e* o!hei -ara as rodoias Fotei *e,
en*anto a!g*mas dessas r*as foram conectados a cada rodoia, a!g*mas das estradas tinham a-enas *ma o* d*as r*as
conectados a e!es Por exem-!o, e* s: -oderia chegar  estrada da Santidade andando na r*a do Amor E* s: -odia chegar
 estrada do J*í4o andando nas r*as de amor o* a a!egria Fo entanto, a estrada da 9ra1a foi acom-anhado -or todas as
r*as Para chegar em *a!*er *ma das estradas da Gerdade, e* tinha *e andar em *ma r*a o nome de *m fr*to do
Es-írito As -essoas estaam andando nas estradas e r*as, en*anto a!g*ns estaam sentados nas extremidades de!es
A!g*ns estaam nas casas em *ma r*a o* rodoia, e o*tros estaam constr*indo casas so/re e!es A*e!es *e iem nas
casas eram constantemente serindo comida e /e/ida -ara os *e estaam a -+ o* sentado E*, então, -erce/e* *e não
haia resta*rantes, hot+is o* hos-itais da cidade E* ra-idamente entendido *e nenh*ma destas foi necess@ria -or*e
cada casa era *m centro de hos-ita!idade e c*ra C*ase todas as casas foi a/erta -ara os ia0antes A*e!es *e não
estaam a/ertos-recisam
a!g*+m se*er foram *ti!i4ados -aramas
de c*ra a*i, fins de-ois
es-eciais,
e* como o est*do oo*motio
seria mostrado a !ongoMesmo
-ra4o c*ra
assim,E*e*me
não-erg*ntaa -or *e*m
-oderia imaginar
!*gar mais marai!hoso -ara este grande minist+rio de hos-ita!idade, a0*da o* c*ra, mesmo a*e!es *e estão sendo
constr*ídos na Rodoia do J*í4o, o *e -arecia ser o !*gar dos mais atiidade Beido a isso, mesmo a estrada do J*í4o
era atraente Era eidente *e todas as r*as não s: era seg*ro, mas era mais dese0@e! do *e *a!*er o*tro caminho o*
estrada e* 0@ tinha isto, mesmo em -ar*es tem@ticos Esta cidade era m*ito mais g!oriosa do *e *a!*er *to-ia de *e
os fi!:sofos -oderiam conce/er Minha aten1ão foi atraída de o!ta -ara a estrada do J*í4o Parecia ter sido a menos
estrada -ercorrida, mas agora estaa se tornando m*ito mais atia Então e* i *e isso era -or*e a o*tras r*as e
rodoias todos os f!*i* -ara este Fo entanto, em/ora a estrada do J*í4o estaa se tornando o centro da atiidade, as
-essoas ainda -arecia hesitante -ara entrar ne!e C*ando o!hei -ara o fim da estrada, -*de er *e a estrada estaa em *m
dec!ie constante, e haia *ma a!ta montanha no fina! *e foi eno!to em *ma s*ti!, mas -rof*nda, g!:ria E* sa/ia *e se
as -essoas -*dessem er o fim desta estrada, não teria sido m*ito mais ia0ando em t Então e* -erce/i *e e* estaa
atraído -or esta estrada -or*e tinha o mesmo sentimento a e!e como o 9rande Sa!ão do J*í4o E* sa/ia *e este era o
caminho *e !eo* a conhecer o Senhor como o J*sto J*i4

6elo v8n!ulo da (a&

9ostaria de sa/er se esta cidade era o c+* o* a Foa Jer*sa!+m Então e* o/serei *e, a-esar de essas -essoas eram de
estat*ra m*ito a!+m de *a!*er o*tro *e e* tinha isto na terra, e!es não tieram a g!:ria o* a estat*ra da*e!es *e
mesmo o menor -osi1.es no Sa!ão do J*í4o E* estaa -ensando so/re isso *ando e* senti Sa/edoria ao me* !ado
noamente
mesmos Me*s "Estas sãoindo
!íderes as mesmas -essoas
tieram is.es*e oc< i*ex+rcito
de am/os no me*e ex+rcito," E!e come1o*
Minha cidade "A cidade
!am a constr*1ão deeo Ex+rcito
am/os, são*sar
e o* os os
!íderes agora esto* -re-arando -ara com-!etar o *e comecei gera1.es atr@s Me*s generais ficarão mestresconstr*tores
-ara a minha cidade, e os constr*tores Me* mestre tam/+m se tornar@ generais Estes são os mesmos "Im dia, o ex+rcito
não ser@ mais necess@rio, mas esta cidade ai d*rar -ara sem-re Goc< dee -re-arar o ex+rcito -ara s*as /ata!has
-resente, mas constr*ir t*do o *e oc< constr:i -ara o f*t*ro "H@ *m f*t*ro -ara a terra Be-ois ieram os me*s
0*í4os, ser@ *m f*t*ro g!orioso !am -restes a mostrar o me* -oo, -ara *e o f*t*ro ser@ o f*t*ro em se*s cora1.es
8omo Sa!omão escree*5 "T*do o *e Be*s fa4 -ermanecer@ -ara sem-re 8omo o me* -oo se tornar seme!hante a
mim, e!es ão constr*ir essa *e ai d*rar E!es farão t*do o *e e!es fa4em com *ma -a4 -ara os tem-os at*ais e *ma
isão -ara o f*t*ro A cidade *e esto* constr*indo -ara d*rar -ara sem-re + constr*ída so/re a erdade no cora1ão dos
homens A minha erdade ai d*rar, e a*e!es *e andam na erdade ai deixar de fr*tas *e -ermanecer@ "Esto* indo
-ara a terra em me* -oo como Sa/edoria -ara constr*ir minha cidade 3 conhecimento da erdade ai encher minha
cidade, mas a sa/edoria ai constr*í!a A sa/edoria *e em so/re My constr*tores far@ com *e o m*ndo se marai!har
com Minha
-r:-ria cidade *ma
sa/edoria, aindae4
mais
*edo-rimeiro
*e marai!hado
come* dacom a cidade
Nrore *e Sa!omão constr*i*
do 8onhecimento A sa/edoria3sdohomens
m*ndot<m
est@adorado
-restes as*a
-@!ida
diante de me* sa/edoria *e o* ree!ar -e!a minha cidade Então a*e!es *e adoram *a!*er o*tra sa/edoria ser@
energonhado T*do o *e Sa!omão fe4 foi *ma -rofecia do *e !am -restes a constr*ir "Em t*do o *e oc< tem isto
so/re a cidade *e esto* constr*indo, tenho a-enas dei *ma o!hada s*-erficia! Be tem-os em tem-os, oc< ai ser
mostrado mais, mas -or agora oc< dee er *ma coisa 3 *e oc< noto* mais so/re esta cidadeO "" A 2nica coisa *e
mais se destacaram -ara mim foi a harmonia T*do na cidade se encaixam tão -erfeitamente em con0*nto, e toda a cidade
se encaixam tão -erfeitamente em se* am/iente ", res-ondi "3 -erfeito ínc*!o da -a4 + o amor", o Senhor contin*o*
"Fa minha cidade, haer@ *nidade Em t*do o *e e* criei, ho*e harmonia Todas as coisas se encaixam em mim T*do
o *e e* esto* fa4endo na terra + -ara resta*rar a harmonia srcina! entre o Pai ea S*a cria1ão e entre todas as criat*ras
C*ando a h*manidade ie em harmonia comigo, a Terra estar@ em harmonia com E!e, e não haer@ mais terremotos,
in*nda1.es o* tem-estades E* im tra4er -a4  terra "En*anto e!e fa!aa, e* sa/ia *e estaa o!hando -ara o f*t*ro,
assim como e* tinha o!hado *ando e* ia o ex+rcito E* tam/+m sa/ia *e o *e E!e tinha dito so/re a constr*1ão com
a-arte
-a4 de
no S*a
-resente e *ma
cria1ão isãotiemos
em *e -ara o -ara
f*t*ro tam/+m
ca/er foi f*ndamenta!
Sa/edoria, em seg*ida,-ara a harmonia
iro*me *e e*
-ara *e e* o!haa
i Tem-o foi tam/+m
diretamente nos *ma
o!hos de!e e disse5 "E* amo minha cria1ão E* amo os animais do cam-o e os -eixes do mar Go* resta*rar todas as coisas
como e!as eram destinadas a ser, mas e* -reciso -rimeiro resta*rar a h*manidade E* não im a-enas -ara redimir, mas
-ara resta*rar Para fa4er -arte do me* minist+rio de resta*ra1ão *e oc< não dee a-enas er os o*tros como e!es são,
mas como e!es são -ara se tornar 8omo E4e*ie!, oc< dee er, mesmo nos mais secos os ossos de *m ex+rcito m*ito
grande Goc< dee -rofeti4ar ida -ara os ossos at+ se tornarem o ex+rcito *e os tenho chamado a ser Em Me* ex+rcito
marcha C*ando me* ex+rcito marchas, e!e ir@ resta*rar, não destr*ir E!e ai !*tar contra o ma!, mas *e tam/+m ir@
constr*ir a cidade da 0*sti1a
"Todos os teso*ros da terra não -ode -esar na /a!an1a com o a!or de *ma 2nica a!ma Esto* constr*indo minha cidade
no cora1ão dos homens, com os cora1.es dos homens A*e!es *e g*ardam a grande sa/edoria, o conhecimento do
eterno teso*ros ser@ *ti!i4ado -ara constr*ir minha cidade Goc< ai sa/er Me* constr*tores -or esta sa/edoria, e!es não
definir s*as mentes nas coisas terrenas, mas so/re os teso*ros do c+* Beido a isso, o m*ndo ai tra4er a s*a ri*e4a
-ara
Goc<atem
minha
*ecidade como
caminhar comfi4eram
e!es, enos tem-os
todos de Sa!omão
e!es deem "EI0*ntos
caminhar S3I -restes a !an1ar
8ada *ma My constr*tores
das estradas e r*as *es@/io
oc< mestre
i* nesta
cidade come1ar@ como *ma forta!e4a da erdade na terra 8ada forta!e4a ai ficar contra os -oderes das treas, e esses
-oderes não ser@ ca-a4 de ficar contra e!es 8ada *m ser@ como *ma montanha, com rios *e correm a -artir de!e a @g*a
da terra 8ada *m ser@ *ma cidade de ref2gio e *m -araíso -ara todos os *e me -roc*ram Fenh*ma arma for0ada
contra e!es -ros-erar@, e nenh*ma arma *e e* do* -ara e!es fa!harão "

7onstrutores do 4enhor
Sa/edoria como fa!aa, me*s o!hos se a/riram -ara er o a!e mais !inda *e e* 0@ tinha isto As montanhas *e formam
o a!e e a!e, em si, estaam mais erdes do *e *a!*er erde *e e* -oderia me !em/ro de ter isto As -edras eram
como forta!e4as feitas de -rata7 as @rores eram -erfeitos e com-!etos Haia *m rio no meio a!imentados -or riachos *e
f!*em de todas as montanhas em torno de!e A @g*a /ri!haa com *m a4*! *e era o tom mais a4*! *e 0@ i e m*ito /em
com o c+* 8ada fo!ha de grama era -erfeito 3 a!e foi -reenchido com @rios ti-os de animais *e t*do -arecia ser o
me!hor de s*a ra1a sem doen1as o* cicatri4es E!es se encaixam -erfeitamente com o a!e e *m com o o*tro E* n*nca
tinha isto *m !*gar tão dese0@e! na Terra E* me -erg*ntaa se e* estaa endo o Jardim do Dden, e então e* i a!g*ns
so!dados de armad*ra com-!eta *e estaam examinando o a!e 3*tros so!dados estaam seg*indo cada f!*xo -ara o rio,
e de-ois seg*ir o rio at+ o !*gar onde os -rimeiros so!dados foram agrimens*ra Fo come1o e* não achaa *e os
so!dados se encaixam neste !*gar em t*do, mas -or a!g*ma ra4ão f*i ra-idamente  ontade com e!es, -or*e de a!g*ma
maneira e* sa/ia *e e!es deeriam estar !@ 3!hei -ara os so!dados E!es eram @s-eras e ag*errido, mas am@e! e acessíe!
E!es eram
r@-ido -arafero4es
rir E*e-ensei
reso!*to,
*emas -arecia
mesmo *eestar em -erfeita
a g*erra + sem-re-a4 E!es estaam
terríe!, fa!ando
se e* tiesse *es+rio e s:/rio,
ir -ara masnão
a /ata!ha, cheio de o*tro
haia a!egria e
gr*-o de so!dados ao !ado de *em e* -referiria !*tar Fotei s*a armad*ra *e -arecia ter sido feitos s: -ara e!es,
ca/endo tão -erfeitamente *e se m*do* com *ma gra1a como se e!es não estaam *sando nenh*m ti-o de armad*ra em
t*do E* -oderia di4er *e era mais !ee, ainda mais forte do *e *a!*er o*tro *e e* 0@ tinha isto A armad*ra
tam/+m -arecia ser *ma com/ina1ão -erfeita das cores da @g*a, montanhas e c+* a4*!, *e !ogo -erce/i foi o ref!exo
destas cores em *ma -*re4a *e e* n*nca tinha isto antes em *ma ref!exão A armad*ra em si foi de *m "o*tro m*ndo"
de -rata, mais -rof*nda e mais -*ra do *e *a!*er o*tra de -rata na terra 8omo e* estaa me -erg*ntando *em são
esses so!dados, o Senhor come1o* a fa!ar "Fa casa de me* Pai h@ m*itas moradas", res-onde* e!e "Estes são os me*s
constr*tores 8ada *ma das minhas casas ser@ *ma forta!e4a de onde o* mandar me*s ex+rcitos A!g*ns sairão como
caa!eiros -ara !*tar -e!os -o/res e o-rimidos, en*anto o*tros sairão como as -e*enas em-resas *e ão inadir as
forta!e4as do inimigo e tra4er de o!ta os des-o0os A!g*ns eniam *m host -ara con*istar cidades so/re as *ais minha
erdade e da 0*sti1a reinar@, e o*tros irão se 0*ntar com os ex+rcitos de o*tras forta!e4as -ara !i/ertar na1.es inteiras com
minha erdade,
mo/i!i4a1ão me* amor e me*
de treinamento, -oder me*
e eniando "Essas forta!e4as
ex+rcito -or não
todasão a-enas
a terra -ara
Mais a -rote1ão
esc*ros do me*ir@
dos tem-os -oo, mas
!ogo, -ara
mas a
o me*
-oo não ser@ encontrado escondido E!es ão sair -ara encer o ma! com o /em E!es ão con*istar -or não amar as
s*as idas at+ a morte e -or amar os o*tros mais do *e s*as -r:-rias idas Estes serão os 2nicos sem medo a *em o*
eniar -or diante antes de e* o!tar "Mesmo as -rofecias de s*a inda gree terror nos cora1.es dos me*s inimigos E!es
não terão medo E!es ão adorar 3 amor + mais -oderoso do *e o medo, e se* amor ai *e/rar o -oder do medo *e
tem mantido a h*manidade em catieiro desde o início Por*e e!es esco!heram morrer diariamente, o medo da morte não
tem -oder so/re e!es 6sto ai dar!hes -oder so/re todos os inimigos c*0o -oder + o medo 8erta e4 e* estaa morto,
mas agora esto* io -ara sem-re, e *em me conhece não -ode temer a morte Portanto, a*e!es *e me conhecem me
seg*ir@ onde *er *e e* @ "8ada *m de Me*s !ocais de ha/ita1ão estar@ em *m a!e como este E!e est@ io com a
ida *e estaa na terra antes da *eda, -or*e a*i o -oder da minha reden1ão tro*xe ida -or diante erdade
noamente =*gares minha casa s: ai ser encontrado onde todos os Me*s c:rregos f!*em 0*ntos em *m s: Me*
constr*tores ir@ de cada c:rrego, mas e!es ão tra/a!har como *m s: Assim como grandes casas necessidade artesãos
diferentes,
"8omo oc< o mesmo acontece
< nestas, com minhater@
My constr*tores casa Somente -ara
a sa/edoria *ando e!es tra/a!ham
conc!*ir o in*+rito0*ntos
antese!es -odem constr*ir
de constr*ir minha
8ada *ma das casa
minhas casas ai se encaixar -erfeitamente na terra onde e!es estão !oca!i4ados, não de acordo com medi1.es h*mana,
mas de acordo com Mina A -rimeira ha/i!idade *e o me* constr*tores deseno!er + a ha/i!idade de agrimens*ra E!es
deem sa/er a terra, -or*e e* desenhei a terra -ara o me* -oo C*ando oc< constr:i com minha sa/edoria, o *e
oc< constr*ir ai se encaixar -erfeitamente com a terra "Então e* estaa de -+ -or *m dos rios no a!e 8omecei a
seg*i!o ao to-o de *ma montanha C*ando cheg*ei -erto do to-o, comecei a o*ir sons a!tos e terríe! C*ando o!hei
-ara a!+m do a!e, e* -odia er as g*erras e grandes terremotos rasgando a terra, e as tem-estades e os inc<ndios *e
-areciam a/ra1ar com-!etamente o a!e Era como se e* estaa de -+, na fronteira entre o c+* eo inferno, o!hando -ara o
-r:-rio inferno Be a!g*ma forma e* sa/ia *e todos o inferno era im-otente -ara inadir o a!e, mas a isão era tão
terríe!, e* me irei -ara correr de o!ta -ara o a!e Senti, então, Sa/edoria de -+ ao me* !ado "6sto + onde oc< dee
ier, entre os mori/*ndos e os ios Fão tenha medo, mas acredito Goc< tem sido fraca, mas agora e* esto* com oc<,
assim *e se0a cora0oso e forte 3 medo não dee goernar so/re oc<, não fa4er nada -or ca*sa do medo >a1a o *e
oc< fa4 -or
incentiar os amor, e oc< ser@
constr*tores com sem-re o tri*nfo
estas -a!aras " 3 amor + a fonte de coragem 3 amor ai -rea!ecer no fina! Me*

7A6@T3LO C= 6alavras de 9ida

Então e* estaa de o!ta ao 9rande Sa!ão do J*í4o, diante da -orta mesmo E* ainda estaa *m -o*co atordoado com o
*e e* tinha isto  /eira do a!e, mas s*as -a!aras ainda ressoaam em mim "Amor, amor," E* re-eti @rias e4es
"Fão deo es*ecer o -oder do amor H@ -erfeita -a4 no amor Fão h@ coragem no amor H@ -oder no amor "3!hei
-ara a -orta E* sa/ia *e esta era a -orta de s*a igre0a E* sa/ia *e as forta!e4as *e a Sa/edoria fa!o* so/re foram
igre0as e moimentos 8omecei a -ensar em a!g*mas congrega1.es e moimentos *e e* sa/ia *e 0@ estaam a -re-arar
-ara o *e e* tinha isto 8omecei a -ensar dos ins-ectores es-irit*a! *e e* conhecia, mas n*nca tinha -ensado desta
forma antes Então, noamente, -arecia *e a maioria de!es estaam tão cansados da /ata!ha *e e!es estaam a-enas
tentando so/reier, mesmo !*tando entre si, em se* deses-ero Pensei na /ata!ha *e tinha sido traada na montanha 3
inimigo tinha *sado os cristãos -ara atacar o*tros cristãos *e estaam tentando esca!ar a montanha Mesmo *e a
/ata!ha aca/o* sendo encido ea maioria dos cristãos !i/ertados do -oder do ac*sador, e* sa/ia *e iria demorar m*ito
tem-o -ara as feridas das /ata!has -ara c*rar M*itos tinham estado so/ a inf!*<ncia do ac*sador -or tanto tem-o *e
ainda era *ma -arte de s*a nat*re4a -ara ac*sar, e *e -oderia ser *m -o*co antes de s*as mentes foram renoadas E*
sa/ia *e a igre0a ainda estaa m*ito !onge de ser *nido 3nde + *e amos come1arO Pensei -ara mim mesmo 3 *e
-osso fa4er se e* -assar -or a*e!a -ortaO "Goc< não tem *e come1ar E!e 0@ est@ terminado, "Sa/edoria res-onde* "E*
rea!i4ei a *nidade do me* -oo na cr*4 Mesmo *e -arece *e o inimigo tem -rea!ecido desde a cr*4, e!e na erdade s:
tra/a!ho* -araontade
fa4er a minha o -!ano A*e!es
*e Me**e
Paimee e*serem
tinha edesde o início
não s*as C*ando
-r:-rias oc< em
am/i1.es -rega a cr*4
/ree e ier -e!o
reconhecer *ns se*
aos -oder,
o*tros eoc<
ser ai
*nidas A*e!es *e t<m o erdadeiro temor de Be*s não tem *e temer nada so/re a terra A*e!es *e temem a mim,
não temer@ o o*tro, mas se amam e se sentam 0*ntos  minha mesa "E* chamei oc< -ara er, e oc< ai er como me*
reino ir@ 3 dia/o ser@ !an1ado -ara a terra e ir@ -ara a terra com grande ira Mas não se ass*ste s*a ira, -ois e* tam/+m
esto* -restes a mostrar minha ira contra toda a iniLidade 3 ma! e todos os *e seg*em o ma!, em /ree conhecer a
Minha ira Goc< tem *e er essas coisas, mas oc< não dee tem<!os -or*e e* ha/ito no meio do me* -oo e so*
maior do *e todos 8omo oc< < *e oc< não ai me medo Se oc< tem medo, + -or*e oc< não est@ endome
"C*ando o ma! na h*manidade torno*se tota!mente *nida com o ma!igno, o grande momento de ang2stia irão so/re a
terra Então toda a h*manidade e toda a cria1ão ai entender a f*ti!idade ea trag+dia da re/e!ião Ao mesmo tem-o, o me*
-oo ai se tornar tota!mente *nidos a mim, e minha grande !*4 ai ficar contra a grande esc*ridão A*e!es *e andam
na i!ega!idade ai cair na -rof*nda esc*ridão A*e!es *e andam em o/edi<ncia ai /ri!har como as estre!as do c+* "A
h*mi!dade ea o/edi<ncia sem-re !earão a mim 8omo oc< chego* a mim, oc< ai er e manifestar a minha g!:ria 3s
c+*s
fim deeachamar
terra estão -restes
a*e!es *eaiem
contem-!ar a diferen1a
nas treas entre
-ara a !*4 a !*4 eagora
Mesmo as treas
e* nãoGoc< + chamado
dese0o a ierseentre
*e ning*+m as "Fa
-erca treas ea !*4,
g!:ria *ea
nos rodeaa, era difíci! !em/rarse da esc*ridão e terríeis acontecimentos *e e* aca/ara de testem*nhar Pensei na
diferen1a entre a S*a g!:ria e at+ mesmo a maior -om-a e es-!endor do homem "8omo !amentae!mente insignificantes
somos?" E* dis-arei "Se toda a h*manidade -*desse ter a-enas *m is!*m/re de Se* Trono do J*!gamento todos iriam
se arre-ender ra-idamente Senhor, -or *e oc< não a-enas mostrarte ao m*ndo -or isso não terão de s*-ortar este
ma!O Fing*+m iria esco!her o ma! se -*dessem er oc< como oc< + "" E* me manifestarei C*ando o ma! tem o se*
c*rso com-!eto, então e* o* me mostrar -ara o m*ndo 8omo o ma! est@ sendo ree!ada -or meio de homens caídos, e*
o* ser ree!ado atra+s de homens resta*rados Então o m*ndo ai er Menão a-enas a g!:ria *e e* tenho no c+*, mas
como a minha g!:ria est@ contra a esc*ridão A minha g!:ria + mais do *e a*i!o *e oc< < a*i, + minha nat*re4a
Be-ois *e e* ree!ar minha nat*re4a em me* -oo, o* o!tar na g!:ria *e e* tenho a*i At+ então, e* esto* /*scando
a*e!es *e irão seg*irMe, -or*e e!es me amam e amam a erdade, não a-enas -or*e e!es amam esta g!:ria e -oder
"A*e!es *e esco!hem o/edecer *ando o m*ndo inteiro est@ deso/edecendo são dignos de serem herdeiros comigo
Estes
mesmos,serão dignos
mas de goernar
-ara mim A!g*nscomigo, -ara desses
dos maiores er a minha
irmãosg!:ria, e com-arti!h@!o
de me*s estão -restes aEstes são os *e
ser ree!ado nãoão
E!es iem -ara sia
defender
erdade contra a maior esc*ridão E!es ão -ermanecer firmes atra+s das maiores -roa1.es E* tro*xe oc< a*i, e
esto* !he eniando de o!ta -ara incenti@!os a ficar fraco e não -ara o tem-o de s*a sa!a1ão est@ -erto
"Tam/+m esto* eniando de o!ta a a!ertar esses a!entes Satan@s i* a g!:ria de me* Pai, e i* as miríades *e seri=o,
mas e!e ainda cai* E!e cai* -or*e e!e come1o* a confiar no -oder e g!:ria *e o Pai tinha com-arti!hado com e!e ao
in+s de confiar no -ai C*em ser@ confiada com o -oder ea g!:ria e* com-arti!ho com e!es nestes tem-os não deem
de-ositar s*a confian1a no -oder o* g!:ria, mas em mim A erdadeira f+ n*nca + em si mesmo, s*a sa/edoria o* o -oder
*e e* tenho dado a oc< A erdadeira f+ est@ em mim " medida *e oc< crescer na f+ erdadeira *e est@ em mim,
oc< ai crescer na de-end<ncia Me, e oc< ai confiar em si mesmo menos A*e!es *e come1am a confiar em si
mesmo não ser@ ca-a4 de carregar o -eso do me* -oder o* g!:ria, -ois e!es -odem cair, assim como o ma! fe4 Me*
-oder se a-erfei1oa na fra*e4a, mas oc< n*nca dee es*ecer *e em si mesmo oc< + fraco, e -or si mesmo, oc< + *m
to!o "A*e!es *e são dignos de reinar comigo no m*ndo indo*ro ir@ -roar isso, iendo na esc*ridão e fra*e4a da
carne h*mana,
t<m sido masdesta
-roada e!esmaneira
ão serirA emarai!ha
confiar em mim
an0os Mesmo
*ando os maiores
homens an0os com
sofrimento e as -ra4er c*rarse
m*!heres diante
*e imos tãoda*e!es
-o*co da*e
g!:ria a*i -ermanecer firme -ara mim e minha erdade em tem-os de esc*ridão Estes são digno de ser chamado Me*s
irmãos e de serem chamados fi!hos e fi!has de me* Pai "Fa terra, a erdade m*itas e4es -arece fraco e faci!mente
derrotados A*e!es *e <em a -artir da*i sa/em *e minha erdade sem-re -rea!ece 3 momento em *e e* me
!eanto e tra4er os me*s 0*í4os -ara a terra s: foi adiada -ara *e me*s irmãos -oderiam -roar se* amor -or mim -or
estar de erdade a *a!*er c*sto A minha erdade e minha /ondade -rea!ecer@ -or toda a eternidade, e assim *e todos
os *e <m a mim -or*e amam a erdade Estes irão /ri!har como as estre!as *e foram feitas em homenagem a e!es
"Sa/edoria 8omo contin*o* a fa!ar, era como ser !aados em *m /anho de @g*a ia s e4es e* tinha ergonha, -or*e
mesmo na -resen1a de S*a g!:ria, e* era tão ma1ante e faci!mente distraídos a*i como e* estaa na terra Mas agora,
como E!e fa!o* comigo, S*as -a!aras me !im-o de modo *e *ma nitide4 eio  minha mente -ara a!+m exhi!aration
a-enas menta! C*anto mais e* estaa !im-o, mais s*as -a!aras -arece* ex-!odir com a !im-e4a /ri!ho E* não s: i* a
s*a g!:ria, mas senti a S*a g!:ria dentro de mim Em S*a -resen1a, e* não a-enas o*ir a erdade, e* a/sori a erdade

4ua Es(osa Amada

Esta sensa1ão de estar !im-o -or s*as -a!aras foi mais marai!hoso do *e -ode ser descrito, mas era fami!iar E* sa/ia
*e e* tinha sentido isso ao o*ir a -rega1ão *ngida de a!g*+m *e tinha estado na -resen1a do Senhor Fão era
ine/riante, mas exatamente o o-osto Em e4 de entor-ecer os sentidos, e!e ace!ero*!os Em S*a -resen1a, senti *e
mi!hares de fragmentos de informa1ão *e e* tinha ac*m*!ado ao !ongo dos anos foram amarrados todos 0*ntos -ara dar
*m
-i!arsignificado -rof*ndo
do conhecimento naeminha
a/rangente
mente-ara
Emt*do o *ee!eE!e
seg*ida, se disse
torno*Besta
*ma forma,
-aixão todo
*e e*conceito torno*se
sentia *m como *m-or
amor -rof*ndo forte
cada
erdade C*ando E!e fa!aa, ho*e *ma energia !i/erada *e me -ermitiram er cada erdade com *ma maior
-rof*ndidade do *e n*nca S*as -a!aras não a-enas transmitir informa1.es, mas a ida Esta i!*mina1ão grande era
seme!hante ao *e e* ex-erimentei de-ois *e e* decidi não tentar esconder nada, *ando e* estaa de -+ em frente ao
Trono do J*!gamento C*anto mais e* a/ri me* cora1ão s s*as -a!aras -ara ex-or *a!*er esc*ridão em mim e me
m*dar, mais -oder S*as -a!aras -areciam ter em mim 3 Senhor não a-enas dar informa1.es *ando e!e fa!o*, mas de
a!g*ma forma rearran0ada minha mente e cora1ão -ara *e estas erdades seria a /ase -ara a com-reensão, e os
entendimento !an1ado *m amor -e!a erdade Por exem-!o, e* tinha o *e e* achaa *e era *ma /oa com-reensão da
6gre0a como a noia de 8risto E!e fa!o* so/re como os minist+rios sendo eniados -ara -re-arar a S*a noia, e* i em
me* cora1ão o *e -arecia ser cada igre0a *e e* conhecia E!es imediatamente se torno* m*ito mais do *e a-enas *m
gr*-o de -essoas7 e!es se tornaram Se* Amado E* senti *ma -aixão ardente de a0*d@!os a -re-ararse -ara e!e A re-*!sa
do -ecado e da -rostit*i1ão com o m*ndo *ase do/raram me*s 0oe!hos como e* i o *e e!e fe4 ao Se* -oo E* sa/ia
*e e* estaa
era mais sentindodo*e
marai!hoso *ee!ee*estaa sentindo
-oderia A s*a
imaginar erdade de
ser -ossíe! Era!im-e4a derramado
*ase como so/re mim
se e* tiesse A minha
iido !im-e4aida
*eem
e* *m
sentia
esgoto e agora estaa sendo dado *m /anho *ente 3 -oder da erdade de !im-e4a agarro*me com tanta for1a *e e*
*eria deses-eradamente !e@!o de o!ta -ara com-arti!har com se* -oo "Esto* -restes a !an1ar o -oder do *ngido
erdade -ara !im-ar o me* -oo", contin*o* Sa/edoria "Minha noia ai ser -*rificados de todas as s*as corr*-1.es
Esto* eniando me*s mensageiros *e serão chamas de fogo, ardendo em 4e!o -e!a minha santidade ea santidade do me*
-oo "En*anto e!e fa!aa, e* senti a -rof*ndidade eo -oder da mensagem de santidade Então e* sa/ia, sem d2ida, o
-oder da erdade -ara fa4er isso *ma isão g!oriosa da noia a *em merece isso foi *eimado em me* cora1ão E*
a-aixonadamente *eria com-arti!har isso com o Se* -oo -ara *e e!es se tornariam com-!etamente focado em
-re-ararse -ara e!e E* sim-!esmente não -odia com-reender fa4endo nada de noo sem *e isso se0a o me* -ro-:sito
E!e come1o* a fa!ar so/re as forta!e4as da erdade e da 0*sti1a En*anto E!e fa!aa, e* i as congrega1.es com *em e*
0@ conhecia e como e!es estaam !*tando Torneime so/recarregado como n*nca antes -ara *e e!es se0am ca-acitados
com a S*a erdade E* sa/ia *e e!es eram fracos -or*e e!es não estaam andando na erdade A dor *e e* sentia -or
e!es torno*se
come1ando *aseomais
a sentir -esodo*e
*e e* -odiases*-ortar
Feemias "Por *e
senti* *ando não*e
so*/e andam na erdadeO"
Jer*sa!+m E*-erigo,
estaa em dis-arei "Goc<s
-ois estão foram
s*as -aredes
*e/radas -ara /aixo", ex-!ico* Sa/edoria "E* esto* transmitindo aos Me*s mensageiros do fogo -ara er minha noia
!im-a, e tam/+m esto* transmitindo a e!es o ;n*s de Feemias -ara er as -aredes da sa!a1ão resta*rado Então me*
-oo não ser@ mais em -erigo "Goc< i* o me* -oo como me* ex+rcito, minha cidade e minha noia Agora oc< não
a-enas <!os, mas oc< sente de!es S: *ando minha erdade em do cora1ão + *e tem o -oder de m*dar os homens
Ng*as ias deem ir do interiorestar do cora1ão Assim como oc< se senti* Minha erdade de !im-e4a oc<, e* esto*
fa4endo minha mensageiros chamas de fogo *e ir@ fa!ar a erdade, não a-enas -ara dar entendimento, mas com o -oder
de m*dar o cora1ão dos homens A erdade *e esto* eniando não a-enas conencer o me* -oo de se*s -ecados, mas
-*rific@!os de se*s -ecados "Mesmo *ando estaa fa!ando, *m grande 4e!o !eanto*se dentro de mim -ara fa4er
a!g*ma coisa Estrat+gias diinas come1aram a ir -ara mim *e e* sa/ia *e -oderia a0*dar o Se* -oo E* não -odia
es-erar -ara come1ar Agora e* acreditaa *e mesmo os mais secos ossos estaam indo -ara se tornar *m ex+rcito m*ito
grande? Fa -resen1a da Sa/edoria, nada -arecia im-ossíe! E* não tinha dific*!dade em acreditar *e s*a igre0a se
tornaria
forta!e4a*ma noia sem
da erdade -aramancha neminteiro
o m*ndo r*ga, o*
er*e
E*s*a
nãoigre0a
tinhased2ida
tornaria
de *ma
*e grande cidade,
o Se* -oo, sit*andose
mesmo como como
fraco e*ma
derrotado,
como agora -arece, estaam -restes a se tornar *m ex+rcito de erdade antes *e nenh*m -oder das treas -odia
s*-ortar Sentindo o -oder da erdade, como n*nca antes, e* sa/ia *e se* -oder era m*ito maior do *e a esc*ridão

6alavras de 9ida

Em S*a -resen1a, senti como se e* -odia fa!ar diante da isão *e e* tinha rece/ido de s*a es-osa e *em o*i* isso ser
a!terado Parecia *e e* -odia fa!ar -ara a congrega1ão mais derrotado -o*co com ta! -oder *e se tornaria ra-idamente
*ma -oderosa forta!e4a da erdade E* tam/+m sa/ia *e na terra, as minhas -a!aras não t<m esse -oder "S*as -a!aras
terão este -oder *ando não -ermanecerdes em mim", exc!amo* Sa/edoria "E* não te chamei -ara -regar so/re mim,
e* te chamo* -ara ser *ma o4 *e e* -oderia fa!ar atra+s 8omo :s -ermanecerdes em Mim e as minhas -a!aras
-ermanecerem em :s, dar@ fr*tos *e -ermanecerão Por minha -a!ara, a cria1ão foi tra4ida -or diante, e -or minha
-a!ara noa cria1ão ir@ em oc< e em me* -oo Minhas -a!aras são es-írito e ida Minhas -a!aras dar Gida Goc<
não são chamados a ensinar a-enas so/re mim, mas -ara me ensinar atra+s de oc< 8omo oc< mora em minha
-resen1a, s*as -a!aras serão as minhas -a!aras, e e!es terão -oder "Pensei em a!go *e Margaret tinha roning disse
*ma e45" 8ada ar/*sto est@ em chamas com o fogo de Be*s, mas a-enas a*e!es *e <em deco!ar se*s sa-atos 3 resto
/asta esco!her as /agas "" Senhor, e* *ero er oc< em t*do ", e* disse "E* darei minha mensageiros a isão -ara er
me* o/0ectio em todas as coisas", e!e res-onde* "E* farei minha mensageiros chamas de fogo, como e* a-areci na sar1a
ardente Me* fogo ai descansar em cima de!es, mas e!es não serão cons*midos -or e!a Então, a h*manidade ai se
marai!har
-oo a se* com estae grande
destino -ara se isão e ire
!eantar comode !ado -ara <!o*e
a !i/ertadores E*os
o* fa!archamado
tenho do meio do
-arame*
sermensageiros,
"Senti, então,chamando Me*a
atraídos -ara
-orta E* me a-roximei -ara e!e e -*de er escrito E* n*nca tinha isto escrito assim antes >oi de o*ro -*ro, e de
a!g*ma forma e!e estaa io E* comecei a !er Por E!e todas as coisas foram criadas, nos c+*s e na terra, as isíeis e as
inisíeis, se0am tronos o* domínios o* goernantes o* a*toridades  todas as coisas foram criadas -or E!e e -ara E!e
E!e + antes de todas as coisas, e nE!e t*do s*/siste E!e + a ca/e1a do cor-o, da igre0a, e E!e + o -rincí-io, o -rimog<nito
dentre os mortos, -ara *e e!e mesmo -ode ir a ter o -rimeiro !*gar em t*do Pois foi o -ra4er Padres /om -ara toda a
-!enit*de a ha/itar ne!e, e -or e!e reconci!iar todas as coisas -ara si mesmo, tendo feito a -a4 -e!o sang*e da s*a cr*4, -or
meio de!e, se as coisas na terra o* nos c+*s E em/ora oc< antigamente eram a!ienados e hosti! em mente, eno!idos em
atos ma!ignos, mas E!e tem agora reconci!io* no se* cor-o carna! -e!a morte, a fim de a-resent@!o diante de!e santos e
imac*!ados e irre-reensíeis, se + *e -ermaneceis na f+ a!icer1ados e firmes, e não se afasto* da es-eran1a do eange!ho
*e o*istes, *e foi -regado a toda criat*ra de/aixo do c+*, e do *a! e*, Pa*!o, foi feito ministro Agora me rego4i0o
nos me*s sofrimentos -or :s, e na minha carne, e* fa1o a minha -arte em nome de Se* cor-o, *e + a igre0a, -ara o
-reenchimento
Be*s de* em mim de *e
-arafa!ta
o se*aos/enefício,
sofrimentos
-arade
*e8risto Besta
e* -ossa igre0a-!enamente
exercer e* f*i constit*ído ministro
a -a!ara seg*ndo
de Be*s, *e + ao dis-ensa1ão
mist+rio *ede
estee oc*!to dos s+c*!os -assados e gera1.es, mas agora se manifesto* aos se*s santos, a *em Be*s *is fa4er conhecer
*ais são as ri*e4as da g!:ria deste mist+rio entre os gentios, *e + 8risto em :s, a es-eran1a da g!:ria E n:s o
-roc!amamos, adertindo todo homem e ensinando a todo homem em toda a sa/edoria, -ara *e a-resentemos todo
homem -erfeito em 8risto E tam/+m -ara este efeito *e e* tra/a!ho, com/atendo seg*ndo a s*a -ot<ncia, *e tra/a!ha
-oderosamente dentro de mim (8o!ossenses 5VQ) En*anto !ia estas -a!aras, e!es eram como *ma transf*são de
ida *ma 2nica -a!ara de Be*s a!e mais do *e todos os teso*ros na terra? E* -ensei, 8omo e* -oderia me -ermitir ser
tão ent*siasmado com os c*idados do m*ndo *ando e* tenho S*as -a!arasO 8omecei a -ensar em como a!e a -ena
seria de atraessar a terra -ara o*ir a-enas *m sermão *ngido, mas s e4es e*
era tão -reg*i1oso *e e* não *eria dirigir -e!a cidade >i*ei estarrecido com me* desc*ido com a S*a Pa!ara como e*
estaa diante da -orta "Senhor, e* sinto m*ito", e* dis-arei 8omo e* disse isso, a -orta se a/ri* 8omo acontece*, e*
-ensaa como e!e -arecia tão mon:tona e -o*co conidatia a *ma certa distKncia, mas de -erto era mais intrincada e
/e!a
tenhodo0*!gado
*e *a!*er
-or mim-orta *e e*E*0@ tenho
mesmo tinha isto
amadoD aassim
Be*s*e
-oras*m
-essoas 0*!gam amas
/om tem-o, igre0a,
não-ensei,
a amareocomo m*itasdae4es
Se* -oo maneira *e
deeria "Arre-endimento Tais a/rir@ a -orta -ara oc< sair na fina!idade -ara a *a! e* chamei oc< Goc< não -ode
c*m-rir s*a fina!idade -ara a!+m do me* -oo E* chamei o me* -oo -ara ser *m, e agora ai acontecer A!+m de!es,
oc< não -ode ier o *e oc< i* em s*as is.es Agora oc< dee ir de er o caminho e conhecer a erdade a ser *m
aso -ara minha ida Esta oc< não -ode fa4er a!+m de me* -oo 3 Pai !he de* o Se* amor -or mim, *e Se* amor
-ode estar em oc<, assim como e* -edi Agora e* !he darei me* amor -ara o me* -oo Me*s mensageiros dee <!os
como e* fa1o e am@!os como e* 8omo oc< rea!mente ama a minha -a!ara, a -orta do se* destino com o me* -oo
ser@ a/erta -ara oc< "S*as -a!aras não a-enas tocar minha mente, mas tam/+m me* cora1ão E* senti cada *m S: de
o*ir o amor com *e E!e fa!aa do Se* -oo com*nicado *e o amor -ara mim Este foi *m amor maior do *e e*
n*nca tinha sentido antes, mas tam/+m estaa fami!iari4ado, e e* tinha ex-erimentado a *m gra* *ando e* tinha o*ido
a -rega1ão *ngida E* -ensei so/re como na minha !o*c*ra, e* tinha dito m*itas e4es *e não haeria -rega1ão no c+*,
mas agora senti *e não -oderia ser o c+* sem -rega1ão E* comecei a im-!orar mesmo a -rega1ão de S*a -a!ara "Sim,
haer@ -rega1ão
eange!ho eternoe ensino
E* so*no c+* Pore toda
a -a!ara a eternidade,
e* so* a Gerdade minha hist:ria
e -a!aras ai ser contada
de erdade D -or
ai sem-re isso minha
encher *e + chamado de o a
cria1ão Toda
cria1ão ai de!iciarse com as minhas -a!aras de erdade, assim como oc< est@ agora Fem os an0os gostam de o*ir
se*s testem*nhos, e e!es ão o*i!os Me*s remidos -ara sem-re amor -ara contar e o*ir as hist:rias da minha
reden1ão Mas agora oc< dee di4er!hes -ara os *e ha/itam nas treas A -a!ara do se* testem*nho ai !i/ertar m*itos
A*e!es *e me amam amor a minha -a!ara E!es gostam de !<!o e e!es gostam de o*ir Goc< tem sido dada a erdade
*e ai !i/ertar os homens, *e + a minha -a!ara em se* cora1ão G@ em frente com a minha -a!ara G@ em frente e
oc< er@ o -oder da minha -a!ara "
7A6@T3LO CF O -an'

E* entrei -e!a -orta C*ando e* fi4, fi*ei s*r-reso *e todos da g!:ria em *e e* tinha sido -arado antes tinha ido
em/ora Estaa esc*ro e /o!orento, como *ma antiga adega Era desconcertante, mas e* ainda sentia o -oder das -a!aras
*e o Senhor tinha fa!ado comigo, e e!es me esta/i!i4o* "3 *e oc< sente + a *n1ão do Es-írito Santo", disse *ma o4
na esc*ridão "C*em + oc<O" E* -erg*ntei "Goc< tem de -erg*ntarO" Fão /astante o som como a Sa/edoria, mas
a!g*mas o*tra o4 fami!iar Mesmo assim, e* sa/ia *e era e!e Aos -o*cos, me*s o!hos se a0*staram  esc*ridão e fi*ei
s*r-reso ao er o me* e!ho amigo, a @g*ia /ranca "E!e ie em oc<, e assim oc< -ode o/serar em t*do o *e oc<
aca/o* de ex-erientes a*i exatamente como oc< fe4 em s*a -resen1a !@ E* sei *e oc< se torno* iciado em S*a
-resen1a, e isso + certo, mas a*i oc< tem *e a-render a reconhec<!o em m*itas formas Primeiro oc< dee
reconhecer a S*a o4 em se* -r:-rio cora1ão e de-ois como E!e fa!a atra+s dos o*tros "6sso *e oc< conhece* antes, e
ter ex-erimentado
sem-re -odem ser ao !ongo doencontrados
faci!mente tem-o, mas E!e
não sem-re
como oc< deeoc<
ai !ear sa/er-ara
issoaagora E!eA-enas
erdade n*nca estar@ !onge deSanto
-e!o Es-írito oc< oc<
e
-ode er e sa/er a!g*ma coisa o*
ning*+m como e!es rea!mente são Fos tem-os *e estão diante de n:s, -erecer@ se não seg*i=o de -erto "" E* sei *e
isso + erdade -or*e e* o*1o Sa/edoria fa!ando atra+s de oc< Goc< est@ a*i -ara me mostrar o caminhoO E* ma!
-osso er a*i "" E* irei a oc< de e4 em *ando -ara fa!ar so/re as indica1.es *e -ermitir@ *e oc< sai/a *e oc<
ainda est@ no caminho certo, mas o Es-írito Santo dee !e@!o A!+m disso, o* a0*dar oc< a entender como E!e !ea em
!*gares diferentes, mas -rimeiro deo di4er!he so/re o man@ -ara *e oc< -ossa ier "" Manna? Goc< *er di4er como
o man@ *e 6srae! comeram no desertoO D *e a*i!o *e comemos a*iO "" D o *e todos os *e andaram com Be*s
ieram desde o início 3 man@ *e 6srae! come* en*anto no deserto era *ma -rofecia deste 3 Senhor !he dar@ noas
man@ di@rio Assim como E!e co/ri* a terra com o man@ todos os dias -or 6srae!, en*anto e!es estaam no deserto, E!e
co/re a terra a cada dia com a erdade -ara o Se* -oo Todas as maneiras *e oc< o!ta, oc< ai <!o Mesmo no meio
da esc*ridão e me!anco!ia, a S*a Pa!ara s*rro*nd oc< ai, e oc< -ode reco!h<!o A*e!es *e são !an1ados no interior
dos -resídiostodos
encontr@!o ai des-ertar -araoencontr@!o
os dias Mas Se* man@ +todos os dias
tão s*ae A*e!es
e !ee como*e iem em
o ora!ho, grandes -a!@cios
e faci!mente tam/+m
-isoteada Goc< -ode
dee ser s*ae
e !*4 do cora1ão -ara <!o "

E(8stolas viva

"3 Senhor fa!a a cada dia a cada *m de Se* -oo E!es não -odem ier s: de -ão, mas dee ter as -a!aras *e
-rocedem de S*a /oca Estas não são as -a!aras *e E!e fa!o* no -assado, mas as -a!aras *e E!e fa!a com e!es a cada
dia ", a @g*ia contin*o* "M*itos são fracos, -or*e e!es não sa/em como co!etar o man@ *e o Senhor d@ a e!es a cada
dia Andam errados -or*e não conhecem a s*a o4 S*as oe!has conhecem a s*a o4, e e!es o seg*em, -or*e
reconhecem 3 man@ + o -ão da ida *e cada *m de Se* -oo + dado a cada dia Goc< dee a-render a reconhec<!o, e
a0*dar se* -oo a reconhecer este man@ C*ando e!es -ro@!o como oc< est@ -roando isso agora, di!igentemente
-roc*rar -or e!a a cada dia Fão estar -reoc*-ado com estocagem de a!imentos o* @g*a, mas a-render a er e -artici-ar
do
d@, man@
mas o*eSe*E!e d@ +diariamente
man@ encontrado6sto
nas ir@ -reserar
e-ísto!as *ando
de S*a ida,t*do mais fa!har
se* -oo E!e ai"As
fa!arEscrit*ras
com oc<são a carne
a cada *e o Senhor
dia atra+s do Se*nos
-oo Goc< dee a/rir se* cora1ão -ara o caminho *e E!e + encontrado em se* -oo se oc< for -artici-ar do man@
ce!estia! Assim como E!e disse a Jer*sa!+m, E!e est@ nos di4endo5 "Goc< não me ereis at+ *e digais5 endito o *e em
em nome do Senhor?" Este fa!o* so/re *ando E!e ando* na terra, em seg*ida, e fa!a da maneira *e E!e caminha so/re a
Terra agora atra+s de Se* -oo 8omo o nosso amor -or man@ cresce, assim ser@ o nosso amor *m -e!o o*tro Se oc<
est@ crescendo no amor, o man@ *e E!e sere n*nca gosto de idade o* e!ho -ara oc<, mas ai ser noo a cada manhã
"Se* man@ -ode ir at+ oc< atra+s das -a!aras de *m amigo -r:ximo o* *m de Se* -oo *e ie* m*ito antes de
oc< como oc< ref!etir so/re se*s escritos E!e tam/+m ai fa!ar -or a*e!es *e não 3 conhecem, mas oc< sa/er@ *e
E!e enio* -ara oc< Goc< ai discernir S*a man@ *ando oc< ai a!+m de a-enas tentando o*ir S*as -a!aras e
-roc*rar o*ir a Pa!ara, E!e mesmo Fão + a-enas o*ir s*as -a!aras, mas o*ir a S*a o4 *e ai !ear oc< no
caminho em *e oc< est@ -ara ir Re-etir m*itas as -a!aras *e E!e fa!o*, mas o Se* man@ + a -a!ara *e E!e est@
fa!ando agora "Precisamos *e o a!imento s:!ido das Escrit*ras -ara constr*ir a n:s mesmos e darnos o reci-iente -ara
aman@
reco!ha de Se*deman@
A carne 8rescerescrita
S*a Pa!ara forte ai
so/re
nosa edificar
carne dee S*a
nos Pa!ara
-re-ararescrita,
-ara omas
*e tam/+m
est@ -aradeseno!er *m gosto
ir, mas o man@ -ara
ai nos o Se*
s*stentar
atra+s do *e est@ -or ir "As -a!aras *e foram ditas a oc< atra+s do santos no Sa!ão do J*í4o foram man@ Be!e Se*
-oo + tam/+m o Se* man@ -ara o m*ndo Man@ + o -ão da ida, as -a!aras de ida *e E!e fa!a ao Se* -oo
diariamente e são fa!adas atra+s de Se* -oo As Escrit*ras são definidos e não -ode ser m*dado E!es são a Kncora -ara
nossas a!mas Fo entanto, o =iro da Gida ainda est@ sendo escrito E!e escree *m noo ca-ít*!o no !iro da ida com
cada a!ma *e em a E!e "
9it;ria ou derrota

"As Escrit*ras são o mode!o -ara s*a morada *e E!e est@ constr*indo entre os homens E!es são o testem*nho do
caminho *e E!e tem tra/a!hado com homens e m*!heres -ara tra4er a s*a reden1ão Se* -oo são os asos de S*a
-a!ara ia e são testem*nhas -ara o m*ndo *e s*as -a!aras não são a-enas hist:ria, mas ainda estão ios e ainda dar
a ida Se oc< est@ a conhecer as s*as -a!aras, oc< dee conhecer tanto a Escrit*ra e Se* man@ As Escrit*ras são os
se*s -!anos eternos *e não ai m*dar o *e n:s temos *e sa/er andar em Se*s caminhos Se* man@ !he dar@ a for1a
-ara caminhar todos os dias 6sso + -ara *e -ossamos ter com*nhão "Se andarmos na !*4, como e!e mesmo est@ na !*4,
temos com*nhão *ns com os o*tros", disse a @g*ia "M*itos dos Se*s mensageiros nem se*er sa/em *e estão sendo
*sadas desta forma C*e m*itas e4es não sa/emos *ando E!e est@ fa!ando atra+s de!es A*e!es a *em E!e est@
fa!ando raramente reconhecem a S*a o4 6sso -recisa m*dar Se* -oo + chamado a ser em *nião com E!e em t*do o
*e E!e fa4,
E!e agora mastodo
*er -o*cos
o Se*se*er
-oo conhecem
-ara sa/er a*ando
s*a o4E!e
Por isso,
est@ e!es raramente
fa!ando seg*i=o
atra+s de!es no caminho
o* a e!es *e E!e
Assim como *er !e@!osse
a com*nica1ão
entre *m genera! e se*s so!dados -odem determinar o res*!tado da /ata!ha, a for1a da S*a com*nica1ão com o Se* -oo
ai determinar a it:ria o* a derrota, nos dias *e irão "E!e est@ agora a -re-arar m*itos mensageiros *e sair@ com
S*as mensagens E!es tam/+m irão ensinar o Se* -oo -ara conhecer a S*a o4 e sa/er os se*s caminhos Goc< dee
rece/er Se*s mensageiros como se oc< est@ rece/endo o Senhor, E!e mesmo Goc< dee a0*d@!os em se*s caminhos 3
s*cesso do se* minist+rio ai determinar a ascensão e *eda de m*itos "Por *m momento e* -ensei *e, se o Senhor
estaa eniandoos, certamente e!es não -recisam da minha a0*da 6sso tro*xe *ma re-reensão seera da @g*ia, *e
tam/+m -ode discernir os me*s -ensamentos "Fão -ense dessa maneira? M*itos de se* -oo -or ca*sa da *eda dessa
i!*são? E!e -odia fa4er todas as coisas sem n:s, mas E!e esco!he* -ara fa4<!as atra+s de n:s Estamos S*a -roisão -ara
o o*tro E!e enio* o 8onso!ador -ara ier em Se* -oo, -or isso, E!e *er *e Se* -oo -ara rece/er a s*a a0*da
atra+s de *m o*tro F*nca se es*e1a disso D -or isso *e E!e nos d@ o nosso man@ atra+s de *m o*tro E!e -ro0eto*
todas as coisas de modo *e deemos am@!o acima de todas as coisas, mas tam/+m deemos amar *ns aos o*tros
Precisamos E!e acima
mantee h*mi!de -arade
*etodas as coisas,
E!e -ossa masem
confiar n:sn:s
tam/+m
com a-recisamos
S*a gra1a e*ns dos ""
-oder o*tros
SintoBesta
m*itoforma, estamos
", res-ondi "E*tam/+m
sei de t*do
isso m*ito /em, mas e* tendo a es*ec<!o s e4es" "As e4es em *e oc< es*ece* isso tem sido mais caro do *e
oc< -recisa sa/er neste momento, mas -ara es*ecer isso no f*t*ro ser@ mais caro do *e oc< -ode s*-ortar
Precisamos do Senhor acima de t*do, mas tam/+m -recisamos de todo o Se* -oo D em Se* -oo *e amos encontrar
o 8onso!ador, A*e!e *e nos !ea a toda a erdade e A*e!e *e nos cond*4 ao >i!ho "E!e agora est@ eniando Se*s
mensageiros A!g*ns ão ser e!ho e s@/io 3*tros serão 0oens e -o*ca ex-eri<ncia, mas e!es ão conhecer a S*a o4 3
inimigo tam/+m estar@ eniando os se*s mensageiros -ara semear conf*são 6sto, tam/+m, + *ma -arte do nosso
treinamento A!g*ns serão enganados -e!os mensageiros do inimigo -or *m tem-o, e os o*tros ão sofrer -erdas -or
ca*sa de!es, mas
a*e!es *e amam o Senhor e S*a erdade não serão enganados -or e!es -or m*ito tem-o A*e!es *e 3 amam e S*a
erdade ai sa/er a erdade A*e!es *e foram enganados -or *m tem-o ai a-render com isso, e e!es serão *ti!i4ados
-ara ex-or os enganadores, nos dias *e irão "A!g*ns *e foram os mais enganados no -assado ai se tornar a!g*ns dos
mais fortesde!e
distraídos na erdade -or Fão
noamente ca*sa0*!g*e
de s*aossa/edoria
o*tros -orSa/edoria
ca*sa de +se*
sa/er a S*a o4
-assado, mas e-or
seg*i=o
*e e!esEstes não serãoA*e!es
se tornaram faci!mente
*e
t<m seg*ido Sa/edoria terão os se*s -ontos fracos transformaram em for1as Fing*+m + mais forte o* mais confi@eis do
que aqueles que conhecem a sua voz e segui-Lo. "Fão deemos -arar de incentiar o Se* -oo -ara conhecer a S*a
o4 Beemos co/rar de se*s -rofetas -ara enfrentar e ex-or os fa!sos -rofetas Esta mensagem *e deemos !ear at+ o
fim F:s estamos sendo eniados -ara a0*dar a constr*ir a S*a !inhas de com*nica1ão com a*e!es *e serão se*s
so!dados na grande /ata!ha -ara ir Todo o Se* -oo dee conhecer a S*a o4 3 tem-o em /ree estar@ em cima de n:s
*ando todos os *e não conhecem a s*a o4 ser@ enganado -e!a esc*ridão A*e!es *e conhecem a s*a o4 -or*e
conhecemos não ser@ enganado "8omo a @g*ia fa!o*, s*as -a!aras contin*aram a !aame da mesma forma *e tinha
*ando e!es ieram na -resen1a da Sa/edoria E* não -odia <=o, mas e* sa/ia *e E!e estaa -resente e *e E!e era o
fa!ar Im -ara mim Em/ora e* não -*desse er o m@ximo com os me*s o!hos neste !*gar, e* tinha m*ita c!are4a de
es-írito *e me -ermiti* entender E* sem-re senti *e tinha *ma mem:ria m*ito -o/re, mas em/ora E!e agora estaa
di4endo m*ito mais do *e e!e 0@ tee antes, -arecia *e e* conseg*ia me !em/rar de cada -a!ara E!e disse *e, mesmo
*ando e!a eio atra+s de o*tra -essoa Então e* sa/ia *e este era o -oder do Es-írito Santo, *e tra4 todas as coisas 
nossa !em/ran1a Fe!e, o!hando -ara tr@s o* -ara frente não foi diferente de o!har -ara o -resente 8omo e* estaa
-ensando so/re isso, a @g*ia contin*o* "Esse !*gar -arece mofo e e!hos, -or*e m*ito -o*co de ar fresco foi deixar
entrar a*i -or *m !ongo tem-o Goc< encontro* a -orta e entraram A mesma -orta *e o !eo* a este !*gar tam/+m
-ode agora !e@!o de o!ta -ara a 8Kmara de J*!gamento 3 *e oc< rece/e no Sa!ão do J*í4oO "" Sa/edoria e
com-reensão ", res-ondi "Em *ma 2nica -a!ara, oc< rece/e* a gra1a", res-onde* a @g*ia "3 Trono do J*!gamento +
tam/+m o trono da gra1a Goc< -ode a*daciosamente ir !@ a *a!*er momento "C*ando e!e disse isso, e* me irei -ara
er a -orta atr@s de mim Agora e* -odia er a /e!e4a em *e e!a foi maior do *e *ando entrei no Sa!ão do J*í4o A/ri e
atraesso* noamente

The 7all

3!hei -ara a Sa/edoria, *e então me iro* -ara *e e* -*desse contem-!ar o 9rande Sa!ão de noo >i*ei s*r-reso ao
er certo -+ atr@s de mim todos a *em e* 0@ conhecia !@ >i*ei ainda mais s*r-reso com o *anto mais g!orioso *e
agora -arecia "E!es não m*daram", disse Sa/edoria "Goc< tem m*dado Se*s o!hos estão a/ertos -ara er mais do *e
oc< -oderia antes C*anto mais c!aramente *e oc< + ca-a4 de erme, mais oc< ser@ ca-a4 de erme nos o*tros
"3!hei -ara o a-:sto!o Pa*!o E!e foi rega! a!+m de *a!*er descri1ão E!e tinha grande a*toridade e dignidade, mas foi
ao mesmo tem-o tão agraciada com a h*mi!dade *e e* tenho certe4a o menor cam-on<s o* -ecador teria se sentido
com-!etamente confort@e! a-roximandose de!e 3 dese0o de ser como *e me in*ndo* E*, então, o!ho* -ara os o*tros
emesenti como
amaa se fossem
e como toda*e
e* sa/ia a famí!ia e amigos
me amaam Semmais -r:ximos dona*e
a fraternidade e* -oderia
Terra 0@ tinha conhecido D im-ossíe!
com-arar, mas o me!hor descreer
na terra eracomo
de
a!g*m modo *ma anteci-a1ão deste Fão ho*e -retensão -ost*ra, o* -osicionamento Todo m*ndo sa/ia *e *a!*er
o*tra -essoa com-!etamente, eo amor era a fonte de todo -ensamento A eternidade com esta famí!ia estaa indo -ara ser
ainda me!hor do *e e* 0amais haia imaginado E* *eria deses-eradamente tomar todos e!es comigo, mas e* sa/ia *e
não -oderia deixar se* domínio at*a! Sa/edoria res-onde* noamente me*s -ensamentos, "E!es ão estar com oc<
como e* so* com oc< =em/rese, e!es são a grande n*em de testem*nhas Mesmo *ando oc< não <!os, e!es são tão
-r:ximas a oc< como são agora Todos os *e me t<m serido desde o início somos *m s: cor-o e, tam/+m, estar@ com
oc< no *e h@ de ir, mas estarei em oc< "Perg*nteime como *a!*er coisa *e ex-erimentamos na eternidade
-oderia ser me!hor do *e o *e era ser encontrado a*i no Sa!ão do J*í4o 3 0*!gamento eio de cada -ensamento ser
manifestada Fão foi *m 0*!gamento de -*ni1ão, mas a !i/erta1ão, se não ho*e tentatia de esconder nada A !i/erdade
eio com t*do o *e foi i!*minado -ara *e ho*esse *m dese0o -or cada fa!ha do cora1ão -ara ser ex-osto 3 amor era
tão grande *e e* sa/ia *e t*do seria co/erto e fe4 certo "T*do o *e oc< sente em Minha -resen1a + erdade",
contin*o*
*m em mim, Sa/edoria "Este
e oc< ai amor
crescer e -roximidade
neste amor como*e
oc<oc< ex-eri<ncia
crescer em mima*i comoc<
8omo os te*s
fa4,irmãos são reais
este mesmo amorTodos :s sois
ai a0*dar os
o*tros a entrar na !i/erdade *e oc< tem ex-erimentado a*i C*ando me* -oo, *e agora anda a terra a/ra1ar me*
0*í4o erdadeiro, e!es ão andar em *ma !i/erdade *e me -ermitir@ tocar o m*ndo com me* amor "Fão + me* dese0o
*e ning*+m -ere1a o* sofra -erda *ando e!es <m a*i E* dese0o -ara todos se 0*!gam de modo *e e* não tenha *e
0*!g@!os D -or isso *e os me*s 0*í4os estão -restes a chegar  Terra E!es estão chegando cada e4 ondas crescentes, de
modo *e o m*ndo creia e se arre-ender 8ada som da trom/eta ser@ mais a!to do *e o anterior D o tra/a!ho do me*
mensageiros -ara a0*dar o m*ndo a entender o som das trom/etas "=em/rese *e a*e!es com *em e* deo andar na
terra tam/+m são mem/ros do me* cor-o E!es ainda não foram g!orificados, mas oc< dee <!os como e!es são
chamados a ser, não como e!as a-arecem agora Goc< dee am@!os e er a a*toridade e gra1a ne!es *e oc< < agora
nestes =em/rese *e a*e!es com *em oc< anda na terra agora <!o como oc< as < Goc< dee a-render a não er
de acordo com s*a a-ar<ncia at*a!, mas e0a *em são e!es -ara se tornar "S: *em ie -or me*s 0*í4os e fica comigo
como s*a sa/edoria -ode er Minha a*toridade em o*tros Mesmo assim, não se esfor1am -ara ter os homens <em
Minha a*toridadedos
reconhecimento emo*tros
oc< Fão
comosee!es
-reoc*-e -e!o fato
são e erme de os
ne!es o*trosoc<
C*ando <emseoc< como oc<
-reoc*-ar so/re+,como
s: seos
-reoc*-ar
o*tros ocom
<em, oc<
-erde a s*a a*toridade C*ando a a*toridade se torna o se* o/0etio, oc< come1ar@ a -erder a erdadeira a*toridade
Goc< sa/e o minist+rio ea a*toridade *e e* tenho dado a oc<, não -edir s -essoas -ara cham@!o -e!a s*a -osi1ão, mas
-e!o se* nome Então e* o* fa4er o se* nome maior do *e a s*a -osi1ão "Fo me* reino, a a*toridade em de *em
oc< +, e não se* tít*!o Se* minist+rio + a s*a f*n1ão, não c!assificar o se* A*i c!assifica1ão + o/tida atra+s do seri1o,
h*mi!dade e amor 3 di@cono *e ama mais + maior do *e o a-:sto!o *e ama menos Fa Terra, os -rofetas -odem ser
*sados para agitar as nações, mas aqui eles serão conhecidos -e!o se* amor Esta + tam/+m a s*a chamada -ara o amor
com me* amor e serir com me* cora1ão Então seremos *m "

7A6@T3LO CG Adoração em Es(8rito

En*anto e* o*ia a Sa/edoria, era difíci! com-reender a!g*+m, mesmo essa grande n*em de testem*nhas, dese0ando
a*toridade o* -osi1ão
g!:ria e a*toridade, e e*emsa/ia
S*a*e
-resen1a
minha Parecia
isão de*e
E!ea ainda
cada momento *eAssim
era !imitado -asseicomo
a*i, oE!e*nierso
tinha seera,
tornado maior em
o/iamente, se
ex-andindo a *ma e!ocidade m*ito grande ea astidão do *e 0@ era incom-reensíe!, nossa ree!a1ão Be!e seria
ig*a!mente ex-andir -ara toda a eternidade "8omo + *e meros h*manos n*nca re-resentar Goc<O" E* *estionei
"C*ando me* Pai se moe Se* dedo mindinho, o *nierso inteiro treme Para sac*dir as na1.es com -a!aras não
im-ressiona *a!*er *m *e ha/ita a*i Mas, *ando at+ mesmo o menor dos me*s irmãos na Terra mostra o amor,
tra4 a!egria -ara o cora1ão do me* -ai C*ando at+ mesmo o mais h*mi!de igre0a canta -ara me* Pai com amor
erdadeiro em se*s cora1.es, E!e si!encia todo o c+* -ara o*i!os E!e sa/e *e não se -ode a0*dar, mas -ara adorar
*ando estão contem-!ando a S*a g!:ria a*i, mas *ando a*e!es *e estão iendo na esc*ridão, tais e dific*!dade
cantam com o cora1ão fie! a E!e, *e toca!o mais do *e todas as miríades de c+* -ossíe! "M*itas e4es, as notas
*e/radas da terra ca*sado todo o c+* a chorar de a!egria *ando iram me* Pai ser tocado *ns -o*cos santos *e !*tam
-ara ex-ressar s*a adora1ão a E!e tem m*itas e4es fe4 com *e E!e a chorar Toda e4 *e e0o me*s irmãos toc@!o
com erdadeira adora1ão, *e fa4 a dor eo sofrimento *e e* sa/ia so/re a cr*4 -arece ser *m -re1o -e*eno a -agar
Fada me tra4 mais a!egria do *e *ando oc< adora me* -ai >*i at+ a cr*4 -ara *e oc< -*desse ador@!o -or mim D
neste !o*or *e oc<, o Pai e E* somos *m s: "Be t*do *anto e* tinha ainda ex-erimentado, a emo1ão inda do
Senhor, como E!e me disse *e este foi maior do *e e* n*nca tinha ex-erimentado E!e não estaa chorando o* rindo
S*a o4 era firme, mas o *e E!e estaa me contando so/re a adora1ão eio de tais -rof*ndidades dentro dE!e *e era
*ase mais do *e e* -oderia tomar E* sa/ia *e e* estaa o*indo o mais -rof*ndo amor do >i!ho de Be*s, -ara er a
a!egria de Se* Pai A erdadeira adora1ão dos fi+is em a-*ros, !*tando, na terra -oderia fa4er isso nada como mais
-oderia Pe!a -rimeira e4, agora e* *eria m*ito deixar a*e!e !*gar, mesmo com toda s*a g!:ria, a-enas -ara entrar em
c*!to
tocar de adora1ão,
o Padre Imamesmo
-essoa o*e
mais som/rioa -o*co
adoraram na terra
-artir de terrad*rante
>i*ei im-ressionado -e!o fatosignificaa
esses tem-os som/rios de *e -odemos rea!mente
mais -ara o Pai do
*e os mi!h.es e mi!h.es de -essoas *e adoraram no c+* Ba terra *e -*desse tocar se* cora1ão neste momento como
n:s n*nca -oderia ser ca-a4 de fa4er de noo? E* estaa tão *!tra-assado -or isso *e e* nem -erce/i *e e* tinha caído
-rostrado E*, então, cai* em *ma es-+cie de sono -rof*ndo E* i o -adre Mi!h.es e mi!h.es estaam com e!e S*a
g!:ria foi tão grande eo -oder de S*a -resen1a tão im-ressionante *e e* senti *e toda a terra não teria se*er medido
como *m grão de areia diante dE!e C*ando e* tinha o*ido *ma e4 S*a o4 a*díe!, e* me senti como *m @tomo em
-+ diante do so!, mas *ando o i, e* sa/ia *e o so! era como *m @tomo diante dE!e As ga!@xias são como cortinas ao
redor de!e Se* manto era com-osta -or mi!h.es e mi!h.es de estre!as ias T*do em S*a -resen1a estaa iendoSe*
trono, s*a coroa, se* cetro E* sa/ia *e -oderia ha/itar diante dE!e -ara sem-re e n*nca deixar de admirar, não haia *m
-ro-:sito maior no *nierso do *e ador@=o Então o Pai torno*se a inten1ão de *ma coisa Todo o c+* -arece* -arar e
assistir E!e estaa contem-!ando a cr*4 Amor do >i!ho -ara o Pai, *e e* contin*aa a ex-ressar atra+s de toda a dor e
esc*ridão, em seg*ida, indo so/re E!e toco* o Pai tão -rof*ndamente *e E!e come1o* a tremer C*ando o fe4, o c+* ea
terra
*e e*treme*
-oderiaC*ando o Pai fecho*
ter so/reiido os o!hos,
se tiesse o c+*
iram estaea terra
cena esc*rece*
-ara mais do A*eemo1ão
o /reedomomento
Pai era tão grande
*e e* fi4*e e* não
Então acho
e* estaa
em *m !*gar diferente, contem-!ando *m c*!to em *ma igre0a -e*ena 8omo s e4es acontece em *ma ex-eri<ncia
-rof+tica, e* s: -arecia sa/er t*do so/re todos na sa!a es-ancada -o*co Todos estaam ex-erimentando -roa1.es em
s*as idas, mas e!es
não foram se*er -ensar de!es a*i E!es não estaam orando so/re s*as necessidades Estaam todos tentando com-or
can1.es de !o*or ao Senhor Eram fe!i4es, e s*a a!egria era sincera Gi o c+*, e todo o c+* estaa chorando E*, então, i*
o Pai noamente e sa/ia -or *e o c+* estaa chorando E!es estaam chorando -or ca*sa de as !@grimas aos o!hos do Pai
Este -e*eno gr*-o de a-arentemente /atido -ara /aixo, as -essoas !*tando haia se m*dado tão -rof*ndamente de
Be*s *e E!e choro* E!es não eram !@grimas de dor, mas de a!egria C*ando e* i o amor *e E!e sentia -or estes
adoradores -o*cos, e* não conseg*ia conter minhas -r:-rias !@grimas Fada do *e e* tinha ex-erimentado agarro*me
mais do *e esta cena Adorando o Senhor na terra estaa agora mais dese0@e! -ara mim do *e ha/ita em toda a g!:ria
do c+* E* sa/ia *e tinha sido dada *ma mensagem *e -oderia a0*dar a -re-arar os santos -ara as /ata!has *e
-ermaneceram na Terra,adora1ão
tocar o Padre 9en*ína mas agora isso nãoat+significa
ex-ressa mesmo*ase tanto
o crente -ara
mais mim como
h*mi!de so/retentando transmitir
a terra -oderia como
ca*sar -oderíamos
todo o c+* -ara
se a!egrar, mas ainda mais do *e isso, toca o -ai D -or isso *e os an0os -referia ser dado o encargo so/re *m 2nico
crente na terra do *e ser dada a*toridade so/re m*itas ga!@xias de estre!as E* i Jes*s em -+ ao !ado do -ai
8ontem-!ando a a!egria do Pai como E!e assisti*  re*nião de ora1ão -o*co, E!e se iro* -ara mim e disse5 "D -or isso
*e e* f*i -ara a cr*4 Bando minha a!egria Pai -or a-enas *m momento teria a!ido a -ena t*do isso S*a adora1ão -ode
ca*sar!he a!egria todos os dias S*a adora1ão *ando oc< est@ no meio de dific*!dades toca=o ainda mais do *e todo o
c*!to do c+* A*i, onde S*a g!:ria se <, os an0os não -odem a0*dar, mas -ara o c*!to C*ando oc< adora sem er a S*a
g!:ria no meio de s*as -roa1.es, *e + a adora1ão em es-írito e em erdade 3 Pai -roc*ra a tais -ara se*s adoradores
Fão des-erdice o se* 0*!gamento Adorarão o Pai, não -ara o *e oc< ai rece/er, mas -ara tra4<!o de a!egria Goc<
n*nca ser@ mais forte do *e *ando oc< tra4 e!e de a!egria, -ara a a!egria do Senhor + a ossa for1a "

O 6e!ado

Então e* estaa ao !ado Sa/edoria noamente E!e não fa!o* -or *m !ongo tem-o, mas e* não -recisaa de -a!aras E*
-recisaa deixar o *e e* tinha aca/ado de er sat*rar a minha a!ma Tentei imaginar o grande neg:cio *e tinha sido
dado a-enas -ara ser adoradores do Pai Para e!e, o so! era como *m @tomo e as ga!@xias, como grãos de areia Fo
entanto, E!e o*i* nossas ora1.es, a-roeitandonos contin*amente como E!e i*nos, e, e* tinha certe4a, m*itas e4es
!*to -ara n:s E!e era m*ito maior do *e *ma mente h*mana -oderia conce/er, mas e* sa/ia *e E!e era tam/+m o Ser
mais emocionante no *nierso Poderíamos to*e de Be*s? Todo ser h*mano tem o -oder de !e@=o a a!egria o* a dor
E* tinha conhecido este teo!ogicamente, mas agora e* sa/ia *e de *ma forma *e *e/ro* o a-arente im-ortKncia de
t*do o mais Fão haia nenh*ma maneira *e e* 0amais teria -a!aras -ara transmitir isso, mas e* sa/ia *e e* tinha *e
gastar o tem-o *e me foi dada na terra ador@=o Era como *ma noa ree!a1ão5 E* -oderia rea!mente tra4er a a!egria de
Be*s? E* -oderia tra4er a!egria Jes*s? E* entendi o *e o Senhor *is di4er *ando E!e disse *e foi -or isso *e E!e foi
-ara a cr*4 C*a!*er sacrifício a!eria a -ena -ara a-enas *m to*e se* cora1ão -ara o mais /ree dos seg*ndos E* não
*ero des-erdi1ar o*tro momento, *ando e* sa/ia *e -oderia ser gasto ador@=o Era tam/+m :/io *e *anto maior
a ensaios o* a esc*ridão de onde eio o c*!to, mais e!e toco* 6sso me fe4 dese0ar rece/er ensaios -ara *e e* -*desse
ador@=o atra+s de!es Ao mesmo tem-o, me senti como J:, *ando e!e disse *e, em/ora e!e 0@ so*/esse de!e -e!a
a*di1ão dos o*idos, *ando e!e i*, e!e se arre-ende* no -: e na cin4a E* era como Phi!i- *e tinham estado com
Jes*s -or tanto tem-o e não sa/ia *e e!e estaa endo o Pai
-or meio de!e 8omo a nossa es-antosa est*-ide4 dee ser -ara os an0os? Então Sa/edoria fa!o* noamente "=em/rese
o -otencia! at+ mesmo -ara o menor dos Me*s -e*eninos -ara tocar o cora1ão do Pai C*e -or si s: torna o se* a!or
maior do *e *a!*er -re1o E* teria ido -ara a cr*4 noamente -ara *ma 2nica destas E* tam/+m sinto s*a dor E* sei
*e s*as -roa1.es
contin*amente -or*eoc<s
-or todos n:s com-arti!h@!as E* sinto
Haer@ *m momento ema*e
dortodas
ea a!egria de cadasão
as !@grimas a!ma D -or isso
enx*gadas de *e
cadae*o!ho
ainda intercede
Haer@ *m
momento em *e a a!egria s: + conhecida noamente At+ então, a dor -ode ser *sado Fão des-erdice o se* 0*!gamento
A s*a maior adora1ão e a maior ex-ressão de s*a f+ *e nos agrada ir@ no meio de s*as -roa1.es "Goc< -recisa me er
em se* -r:-rio cora1ão, e oc< dee erme nos o*tros Goc< dee erme no grande e no -e*eno Assim como e*
-arecia diferente em cada *m desses *e estão diante de oc<, e* o!tarei -ara :s em -essoas diferentes E* irei a oc<
em diferentes circ*nstKncias Se* maior -ro-:sito + reconhecerme, -ara o*ir a minha o4, e sigame "C*ando me irei
-ara o!har -ara a Sa/edoria, E!e não estaa !@ 3!hei ao redor E* -odia senti=o em todos os !*gares, mas não -odia <
=o E*, então, o!ho* de o!ta -ara as testem*nhas *e estaa diante de mim E!e estaa !@ E* não -odia <=o, mas de
*ma forma mais -rof*nda do *e e* tinha conhecido antes, E!e estaa em cada *m de!es 8omo o reformador come1o* a
fa!ar, foi s*a -r:-ria o4, mas e* -odia o*ir a o4 da sa/edoria ne!e exatamente como *ando E!e fa!o* comigo
diretamente "E!e sem-re estee em n:s E!e est@ em oc< E!e est@ na a*e!es a *em oc< dee o!tar Be tem-os em
tem-os, E!e a-arecer@ noamente -ara oc<, mas oc< dee sa/er *e *ando oc< não <=o como E!e a-arece, oc<
-ode me!horar
fa!ar com oc< a3sreconhec<=o
-or meio de onde
*emE!e
E!e ha/ita emoc<
fa!a com se* -oo
+ *ma E!e
-arte+ Sa/edoria E!e =em/rese
da mensagem sa/e como,*e
*ando e -or*ando
E!e disse *em E!e
-ara
choro* so/re Jer*sa!+m "Be agora em diante oc< não me ereis at+ *e digais5" endito o *e em em nome do Senhor
"Goc< não ai <!o a menos *e oc< -ode <!o na*e!es a *em E!e enia -ara oc< "" D f@ci! -ara mim er e o*ir
em oc< ", res-ondi," mas não + tão f@ci! com os da Terra *e ainda não tenham sido g!orificado "" Fão se destina a ser
f@ci! !@ ", res-onde* Ange!o "Para -roc*rar -or E!e + a chamada dos reis *e reinarão com e!e A*e!es *e 3 amam e
*e amam a erdade ir@ -roc*rar -or E!e mais do *e faria -ara os maiores teso*ros o* con*istas "
8on*istada -or E!e
"3 maior de todos + chamado -ara ser tota!mente con*istada -or e!e," *m homem a *em e* não reconheci oferecido,
dando *m -asso -ara a frente "E* deeria sa/er", acrescento* e!e, e então e!e me disse se* nome >i*ei chocado *e
este homem seria encontrado na com-anhia dos santos E!e tinha sido *m grande con*istador, mas e* sem-re acreditei
*e e!e tinha feito mais danos ao nome de 8risto do *e -ossie!mente *a!*er o*tra -essoa "E* tam/+m, encontro* a
gra1a da cr*4 antes do fina! do me* tem-o", disse e!e "Goc< não + a-enas o!tar a con*istar -or E!e, mas a ser
con*istado -or e!e os
con*ista + ca-t*rar Se cora1.es
oc< ai dedicarse
dos homens a renderse a E!e, E!e
com a erdade *e ai te *sar -ara
os !i/erta con*istar
A*e!es em se*
*e seg*em nome
mais Gerdadeira
de -erto ai ser
*sado -ara con*istar mais e ser@ o maior dos reis So/re a terra, estes raramente -erce/em *e e!es t<m con*istado
nada E!es não ão er o *e e!es t<m rea!mente feito at+ chegar a*i A*e!es *e a0*ntar teso*ros na terra grande, at+
mesmo teso*ros *e -odem ser considerados es-irit*a!ter@ -o*co a*i "" Fa terra não se -ode medir teso*ros eternos
", disse Pa*! "C*ando e* morrer, -arecia *e t*do -e!o *a! e* tinha dado minha ida -ara constr*ir na terra 0@ haiam
-erecido 3
igre0as *e e* tinha dado minha ida -ara !eantar estaam caindo em a-ostasia, e mesmo a!g*ns dos me*s me!hores
amigos estaam se o!tando contra mim B*rante me*s 2!timos dias, senti *e e* tinha sido *m fracasso "" Sim, mas
mesmo e* conto Pa*! como *m -ai es-irit*a! ", o grande con*istador contin*o*," como fa4em a maioria de n:s *e
estamos a*i A maioria dos *e irão atra+s da grande /ata!ha do fim ser@ itorioso, -or*e e!e era fie! a defender a
erdade Goc< não ai medir fr*to es-irit*a! erdadeiro 0*stamente en*anto estão na Terra Goc< s: -ode medir o se*
erdadeiro s*cesso -or *anto mais c!aramente oc< + ca-a4 de contem-!ar o Senhor, *anto me!hor oc< conhecer a
S*a o4, como
me senti e *anto
*m mais oc<Fo
fracasso amaentanto,
os irmãos "Então,
no dia Pa*!o
da minha fa!o* dee*noo
exec*1ão "B*rante
me !em/rei meses antes
de Ste-hen *emdee*minha
tinha exec*1ão, e*
isto morrer
em me*s -r:-rios -+s anos antes A mem:ria da !*4 *e estaa em se* rosto na*e!e dia tinha me carrego* -or m*itas
-roa1.es E* sem-re senti *e tinha de a!g*ma forma morre* -or mim -ara *e e* -*desse er a !*4 erdadeira E*
sa/ia *e se e* morresse como Ste-hen, então, mesmo *e t*do o *e e* tinha feito tinha sido f2ti!, seria garantir *e
minha ida não teria sido em ão E* estaa tão agradecido *e e* rea!mente estaa morrendo -or ca*sa do eange!ho,
mesmo *e não -arecia então como o me* minist+rio tinha feito m*ito "8omo a ree!a1ão deste eio so/re mim, assim
como a gra1a, e me* 2!timo dia na terra era o mais marai!hoso de todos Então e* -erce/i *e como e* tinha iido e
sinceramente tento* morrer diariamente -ara me*s -r:-rios dese0os, a fim de serir ao eange!ho, cada e4 *e e* neg*ei,
haia -!antado as sementes eternas, em/ora e* ainda não -odia <!os na esfera tem-or@ria Estar a*i, agora e* -osso er
*e este + certamente erdade Goc< não dee tentar 0*!gar -e!os fr*tos *e oc< < na terra, mas fa4er o *e oc< dee
fa4er, -or*e + certo "Mesmo assim, mais do *e fr*to, s*a chamada dee ser o de conhecer o Senhor Se oc< -roc*r@
=o, oc< ser@ sem-re encontr@!o E!e est@ sem-re -erto da*e!es *e se a-roximam M*itos *erem s*a -resen1a, mas
e!es não se a-roximam Goc< dee fa4er mais do *e *er *e E!e5 Goc< dee /*sc@=o 6sso fa4 -arte da s*a chamada
Fão h@ nenh*m -ro-:sito maior S*a it:ria ser@ medido -or s*a /*sca Goc< sem-re ser@ o mais -r:ximo a E!e como
oc< *er ser S*a it:ria na ida ser@ de acordo com se* dese0o -or e!e "Então Pa*!o !eanto* a mão e a-onto* -ara
mim "Goc< tem sido dado m*ito, e m*ito ser@ exigido de oc< Mesmo se oc< enterrar m*itos dos ta!entos *e os foi
confiado, oc< -ode rea!i4ar m*ito mais do *e o*tros, mas oc< ai ter fa!hado em s*a comissão Goc< n*nca dee
medirse -or o*tros, mas contin*e -ressionando -ara a frente, /*scando mais Be!e E ainda, com toda a g!:ria *e ser@
ree!ada a oc<, n*nca tire esse manto? "

4emeadura e !olheita

E* o!hei -ara a ca-a da h*mi!dade -ara o *a! e!e estaa a-ontando Em toda a g!:ria *e e* estaa endo agora, a s*a
monotonia -arecia m*!ti-!icado E* estaa chocado *e e* o!hei -+ tão r*im em s*a -resen1a E* tireio de o!ta -ara er
a armad*ra de/aixo de!a, *e agora estaa mais /ri!hante do *e e* tinha isto isso antes >oi tão /ri!hante *e, *anto
mais e* desco/ri isso, mais o gr*-o na minha frente desa-arece* -or ca*sa de se* /ri!ho Fo entanto, e* estaa me
sentindo m*ito menos constrangido com o /ri!ho da minha armad*ra /ri!hante -ara fora E*, então, decidi* tomar o
manto todo o caminho fora en*anto e* estaa !@ -ara *e e* -e!o menos não se sentir como re-*!sia, na -resen1a de
tanta g!:ria Ho*e si!<ncio, e e* fi*ei em si!<ncio -or a!g*ns momentos E* era inca-a4 de er nada -or ca*sa do /ri!ho
da minha -r:-ria armad*ra E* não entendia -or *e e* não conseg*ia o*ir nada E*, então, grito* -ara a Sa/edoria
"Ponha se* casaco de o!ta," o*i=o res-osta >i4 o *e e!e disse e come1o* a ma! er o contorno do 9rande Sa!ão de
noo "Senhor, o *e acontece* com todosO Por*e t*do + tão dim de nooO "" Goc< -ode er nada a*i sem *sar esse
manto "" Mas
"Toda e4 e* tenhoa
*e oc< agora, e e*oc<
tire a h*mi!dade aindaai
nãoserconsigo er m*ito
cegos -ara /em ",!*4,
a erdadeira e* -rotestei, sentindo
e isso ai !ear *m-ara
tem-o deses-ero terríe!
*e oc< se0a
ca-a4 de <!o noamente" Mesmo *e e* estaa come1ando a er a g!:ria de noo, não era nada como antes Minha
isão estaa o!tando, mas m*ito, m*ito !entamente Me indignei a!+m das -a!aras "3nde est@ Pa*!O" E* -erg*ntei "E*
sei *e e!e estaa -restes a di4erme a!go m*ito im-ortante" "C*ando oc< tiro* o manto, todos a*e!es *e estaam
a*i -arti*" "Por *<O Por *e e!es -artem s: -or*e e* tirei a ca-aO E* estaa energonhado com a minha a-ar<ncia
>i4 isso ofend<!osO "" Fão, e!es não foram ofendidos E!es sa/iam *e oc< não -odia er o* o*ir Me -or e!es, sem a
ca-a, então e!es o!taram -ara se*s !*gares ">i*ei mais triste do *e n*nca com esta dec!ara1ão "Senhor, e* sei *e o
*e e!es estaam -restes a di4er -ara mim foi m*ito im-ortante Ser@ *e e!es ão o!tarO "" D erdade *e oc< -erde*
*ma im-ortante ree!a1ão -or tirar o se* manto E!a teria a0*dado a oc<, mas se oc< a-render a !i1ão -ara n*nca tirar o
manto noamente, es-ecia!mente -e!a ra4ão de *e oc< fe4, oc< ter@ a-rendido *ma o*tra !i1ão im-ortante "" Senhor,
e* acho *e e* a-rendi a !i1ão  E* não me !em/ro de ter esse sentimento r*im E!es não -odem o!tar agora e
com-arti!har o *e tinham -ara mimO "E* im-!orei "T*do Gerdade e toda a sa/edoria em de mim E* fa!o atra+s das
-essoas, -or*e
-ara manter o se*as manto,
-essoase**e e* fa!ar
-oderia atra+s
fa!ar com são
oc<*ma -arte da
na g!:ria mensagem
Sem-re En*anto
*e oc< tire esse-ermanece*
manto, oc<h*mi!de
se tornao s*ficiente
es-irit*a!mente cegos e s*rdos E* sem-re fa!o -ara oc<, se oc< chama em mim, mas deo m*dar a maneira *e e* fa!o
-ara oc< "E* não fa1o isso -ara -*ni!o, mas -ara a0*dar oc< a rece/er a s*a isão de o!ta mais ra-idamente Go* dar
!he a mensagem de *e e* estaa indo -ara dar!he atra+s destas testem*nhas, mas dee agora ser dada atra+s de se*s
inimigos E!a ir@ com ensaios, e oc< ter@ *e se c*rar m*ito /aixo -ara a rece/er Esta + a 2nica maneira *e oc< ai
ter a s*a isão de o!ta tão r@-ido *anto oc< ai -recisar de!e Para o *e est@ indo, oc< dee ser ca-a4 de er "

2ue%rantamento

A dor *e e* sentia era *ase ins*-ort@e! E* sa/ia *e o *e e* -oderia ter rece/ido de forma g!oriosa era agora ai
-assar -or grandes -roa1.es, mas ainda -ior do *e foi o fato de *e a grande g!:ria *e e* tinha contem-!o* a-enas
a!g*ns min*tos antes era agora tão fraca "Senhor, sinto m*ito -e!o *e fi4 Agora e* sei o *ão errado era A dor desse
erro
o!taO+ *ase demaiscorreto
Fão -arece -ara s*-ortar
*e *m Fão
/reeh@momento
nenh*mademaneira
org*!ho*e e* ser
dee s: -osso ser -erdoado
este deastador e rece/er
", im-!orei a minha
"Goc< est@ isão de
-erdoado
Fada est@ sendo feito -ara oc< -ara a -*ni1ão E* -ag*ei o -re1o -or este -ecado e todos os o*tros Goc< ie -e!a
minha gra1a 6sto não + -or ca*sa da =ei da 0*sti1a D -or ca*sa da minha gra1a *e h@ conseL<ncias -ara o -ecado
Goc< dee co!he o *e -!anta o* e* não -oderia confiar em oc< com a minha a*toridade C*ando Satan@s de* o
-rimeiro -asso em /*sca de a*toe org*!ho, m*!tid.es de Me*s an0os *e e* tinha confiado  s*a a*toridade seg*i*
C*ando Adão cai*, m*!tid.es sofreria Para a*e!es a *em e* do* ta! a*toridade, existe *ma res-onsa/i!idade
corres-ondente Fão -ode haer erdadeira a*toridade sem res-onsa/i!idade Res-onsa/i!idade significa *e os o*tros
ão sofrer se o desio Erros t<m
conseL<ncias "C*anto mais a*toridade *e são dadas, o *e mais oc< -ode a0*dar o* ferir os o*tros -or s*as a1.es
Para remoer as conseL<ncias de s*as a1.es seria remoer erdadeira a*toridade Goc< + *ma -arte da noa cria1ão *e +
m*ito maior do *e a -rimeira cria1ão A*e!es *e são chamados -ara goernar com Me + dado a maior
res-onsa/i!idade de todos E!es são chamados -ara *ma -osi1ão mais e!eada do *e Satan@s rea!i4ada E!e era *m grande
an0o, mas e!e não era *m fi!ho Sois chamados a ser coherdeiro comigo Toda a s*a ida, tanto os ensaios e as ree!a1.es,
estão todos com o -ro-:sito de ensinar!he a res-onsa/i!idade de a*toridade "Para cada !i1ão *e oc< dee a-render,
não h@ *ma maneira f@ci! o* *m modo mais difíci! Goc< -ode h*mi!harse cair so/re a rocha e ser *e/rado, o* a -edra
cair@ so/re oc< e esmag@!o em -: Be *a!*er maneira, o res*!tado fina! ser@ *e/rantamento, *e + a h*mi!dade
3rg*!ho -rooco* a -rimeira *eda em desgra1a, e *e tem ca*sado maior -arte das *edas desde então 3rg*!ho
sem-re res*!ta em trag+dia esc*ridão e sofrimento D -or s*a ca*sa e -or a*e!es *e são chamados a serir -or ter
a*toridade so/re *e e* não o* com-rometer a disci-!ina *e oc< dee a-render a co!her o *e -!anto* "Adonias se
ga/aa -ordese*
disci-!ina se*-ai,
-aio Em/ora
rei Baid, não disci-!in@!o
Sa!omão -enso* *eSo!omon rec!amo*
e!e não estaa *etratado
sendo não -odia sair com
de forma *a!*er
0*sta, Baid coisa sem asendo
não estaa
in0*sto E!e sa/ia *e Sa!omão foi chamado -ara ser *m rei A*e!es *e rece/em mais disci-!ina são a*e!es *e são
chamados a caminhar com maior a*toridade "Goc< estaa cego -or*e oc< sai* de h*mi!dade e come1o* a moerse em
org*!ho 3 h*mi!de não -ode ser energonhado C*ando oc< come1a a se sentir constrangido, + -or*e oc< est@
come1ando a moerse em org*!ho Beixe a ergonha ser *m aiso de *e oc< se afastaram sa/edoria F*nca deixe
em/ara1o contro!ar s*as a1.es Se isso acontecer, oc< ai cair ainda mais A-render a a/ra1ar todas as o-ort*nidades
-ara ser h*mi!hado, sa/endo *e o* ser ca-a4 de confiar em oc< com mais a*toridade "Fão se ga/e de se*s -ontos
fortes, mas em se*s -ontos fracos Se oc< ai fa!ar a/ertamente mais so/re s*as fa!has, a fim de a0*dar os o*tros, e* o*
ser ca-a4 de mostrar mais a/ertamente s*as it:rias, "Pois *em se exa!ta ser@ h*mi!hado, e *em se h*mi!ha ser@
exa!tado" "E* sa/ia *e t*do o *e E!e disse era erdade E* tinha -regado a mesma mensagem m*itas e4es Pensei em
como Pa*!o haia adertido Timothy -restar aten1ão ao se* -r:-rio ensino e -erce/i *e e* senti *e e* -recisaa da
minha mais mensagens do *e a*e!es a *em e* -regaa Agora e* estaa mais energonhado -e!a armad*ra /ri!hante
do *efico*
isão e* *saa da ca-a h*mi!de
notae!mente me!hor, E* -*xei*e
mesmo a ca-a aindaestaa
e!e ainda mais a-ertado
!onge do C*ando
*e tinhae*sido
fi4 isso,
E* me me*s
ireio!hos
-ara /ri!haram e minha
er a -orta E*
estaa com medo de o!tar com e!e, -e!o menos at+ *e e* haia rece/ido mais da minha isão de o!ta "Goc< dee ir
agora", disse Sa/edoria "3 *e + do o*tro !adoO" E* -erg*ntei "3 se* destino", E!e res-onde* E* sa/ia *e e* deo ir
E* ainda estaa m*ito triste *e e* não -odia entrar na -orta de noo com a isão *e e* tinha anteriormente, -or*e e*
0@ sa/ia como estaa esc*ro do o*tro !ado E* o* ser ainda mais de-endente dos o*tros -or *m tem-o, -ensei e me
com-rometi a confiar no Senhor e não a minha -r:-ria isão 6mediatamente me*s o!hos ficaram mais c!aras noamente
8omecei a o!har mais *ma e4 de o!ta no 9rande Pa!@cio -ara er se e!es eram tão /ri!hantes como tinham sido, mas
decidi* não o fa4er E* a-enas determino* *e era me!hor agora, não o!har -ara tr@s Em seg*ida, a-arece* Sa/edoria ao
me* !ado, *ase tão /ri!hante como antes Me*s o!hos estaam a0*stados -ara a !*4 tão ra-idamente *e e* -*desse agora
o!har -ara e!e E!e não disse nada, mas s: de o!har -ara E!e me de* m*ita coragem
Mesmo assim, e* ainda me sentia remorso *e e* não tinha o*ido todas as mensagem *e e* estaa -restes a rece/er a
-artir da n*em de testem*nhas "Se o remorso + transformada em reso!*1ão, o 0*!gamento ser@ m*ito mais f@ci! Então,
*ando se*s inimigos
me*s inimigos "C*ando-arecem exa!tarse
e* o!hei em cima
-ara a -orta, de oc<,
fi*ei oc< ai
es-antado E* crescer
i m*itoainda
maismais
so/renoisso
-oder de do
agora -rea!ecer so/reisto
*e e* tinha os
antes *e -or *m momento -ensei *e estaa em *ma -orta diferente Parecia ter crescido ainda mais /onita e era
diferente de *a!*er -orta *e e* 0@ tinha isto, mesmo neste reino Haia tít*!os exa!tado escrito em *m roteiro mais
/onito, t*do em o*ro e -rata Haia /e!as 0:ias *e e* não reconhecia, mas *e foram tão conincentes *e era difíci! de
dirigir o o!har a -artir de!es E!es estaam todos ios Então e* -erce/i *e a -orta inteira estaa io 8omo e* o!haa
-ara a -orta, Sa/edoria -;s a mão no me* om/ro "Esta + a -orta -ara minha casa" C*ando e!e disse isso, com-reendi
imediatamente *e a atra1ão agora e* sentia -or essa -orta era a mesma *e e* senti *ando e* o!hei -ara e!e E!e era de
a!g*ma forma 8omo a!go -ode ter este /e!o -arecia tão sim-!es e -o*co conidatio antes, e* -onderei 3 Senhor
res-onde* minha -erg*nta si!enciosa "Goc< não -ode er minha casa como e!a + at+ erme no me* -oo 8omo oc<
come1o* a rea!mente o*irme atra+s do me* -oo *m -o*co antes *e oc< tomo* o se* manto, se*s o!hos foram
a/ertos -ara come1ar a er minha casa como e!a + Fão h@ g!:ria m*ito mais a ser isto ne!e do *e agora oc< -ode er
Esta + a -orta, mas h@ m*ito mais C*ando oc< retornar ao reino de se* -r:-rio tem-o, + isso *e oc< dee -roc*rar D
isso
casa*e oc<
"8om deeda!ear
a mão -ara o so/re
Sa/edoria me* -oo
mim, 6sto + o *e oc<
e* caminhaa dee !*tar,
em dire1ão e + isso
 -orta E!e*e
não oc<
a/ri*,dee
masa0*dar
-assei a/em
constr*irMinha
-e!o meio
de!e E* não acredito *e h@ *ma !ing*agem h*mana *e -oderia descreer o *e senti, como e* -assei E* i a g!:ria de
todas as idades em *m 2nico momento E* i a terra e os c+*s como *m s: E* i miríades de an0os, e e* i mi!hares de
-essoas *e estaam mais g!orioso do *e *a!*er an0o e* 0@ tinha isto Estes foram todos os *e serem na s*a casa
Agora e* sa/ia *e a chamada Mesmo *e e* 0@ tinha -assado -or tanta coisa, e* sa/ia *e minha /*sca estaa a-enas
come1ando
>im