Você está na página 1de 2

Aula história.

Segunda Guerra Mundial Turma:____/____/____

Aluno (a)_______________________________________________________________

A formação do eixo: Alemanha-Itália-Japão

Durante a década de 1930, desrespeitando abertamente os tratados firmados após


a Primeira Guerra Mundial, os governos totalitários da Itália, da Alemanha e do Japão
começaram a ampliar seus domínios.

Em 1931, o Japão invadiu a Manchúria, na China. Ao ser contestado pela Liga


das Nações, desligou-se da entidade. Em 1935, os italianos invadiram a região da
Abissínia, atual Etiópia, sem receber qualquer punição.

Ainda em 1935, Hitler determinou o serviço militar obrigatório, contrariando o


Tratado de Versalhes. No ano seguinte, o exército alemão reocupou a Renânia, zona
fronteiriça com a França e desmilitarizada pelo mesmo Tratado. Isso desencadeou um
desenfreado nos países vizinhos.

Em 1936, foi selada uma aliança entre os governos da Itália e da Alemanha,


chamada de Eixo Roma-Berlim. Pouco depois, o Japão integrou o grupo. Os três países
assinaram o Pacto Antikomintern, comprometendo-se a lutar contra a difusão do
comunismo e a se apoiarem em suas ações expansionistas.

O início de uma nova guerra

Com a formação do Eixo e o crescente sucesso na Guerra Civil Espanhola,


Hitler sentiu-se seguro para anexar novos territórios, a fim de formar a Grande
Alemanha. Em 1938, sob o pretexto de unir os povos de origem germânica, anexou a
Áustria. O passo seguinte seria a incorporação da região tcheca dos Sudetos, onde
também predominava população de língua alemã.

Os primeiros-ministros da Inglaterra e da França, países aliados a


Tchecoslováquia e principais membros da Liga das Nações, reuniram-se com Hitler e
Mussolini para arbitrar o conflito, na Conferência de Munique. Aceitaram que os
Sudetos passassem para o domínio alemão, desde que o governo nazista pusesse fim à
expansão territorial.

Procurava-se, assim, evitar um conflito geral, numa estratégia conhecida como


política de apaziguamento. Além de permitir a expansão nazista, esse sistema isolava
cada vez mais a União Soviética.

Após anexar os Sudetos, os alemães desrespeitaram o acordo de Munique e


tomaram todo o território tcheco. Em seguida, passaram a cobiçar o corredor polonês,
faixa de acesso ao mar que havia sido transferida da Alemanha para a Polônia pelo
Tratado de Versalhes. Como a região incluía Dantzig (hoje Gdansk), um porto
estratégico, Inglaterra e França prometeram apoio à Polônia.
Ao mesmo tempo, a Alemanha estreitava relações com a União Soviética. Em
agosto de 1939, os dois países assinaram o Pacto Germano-Soviético, pelo qual Stalin
prometia neutralidade em caso de guerra no Ocidente. Em troca, pôde anexar a parte
oriental da Polônia e os países bálticos, regiões estratégicas, buscando frear o
expansionismo alemão para o Leste.

Com o acordo, o governo nazista ficou livre para se lançar sobre a Polônia, o que
aconteceu em 1º de setembro de 1939. Dois dias depois, os governos de Inglaterra e
França declaravam guerra à Alemanha. Era o início da Segunda Guerra Mundial.

O avanço do eixo (1939 – 1941)

A guerra se iniciou com rápida ofensiva nazista, que submeteu a Polônia ainda
em 1939. No ano seguinte, teve início uma série de ataques utilizando a tática da guerra-
relâmpago (Blitzkrieg): após bombardear o inimigo com sua força aérea (Luftwaffe) os
alemães ocupavam seus territórios com tanques. Assim foram dominadas Dinamarca,
Noruega, Holanda e Bélgica.

Em junho de 1940, o território francês também foi dominado pelas tropas


nazistas. O primeiro-ministro francês, Marechal Pétain, assinou a rendição e passou a
colaborar com os inimigos.

Em seguida, a Luftwaffe travou um verdadeiro duelo aéreo com a RAF (Royal


Air Force), força aérea inglesa. Por meio de radares (tecnologia recém-inventada), os
britânicos conseguiam se antecipar aos bombardeios alemães, contra-atacando os aviões
inimigos. Enquanto isso, a Itália atacava o norte africano, com o objetivo de conquistar
o Canal de Suez e cortar as ligações da Grã-Bretanha com seu império colonial. Ainda
em 1940, alemães e italianos ocuparam toda a área balcânica, região de países como
Grécia, Bulgária e Iugoslávia.

Os embates de ampliam

Em junho de 1941, Hitler rompeu o Pacto Germano-Soviético e invadiu a União


Soviética em busca de minérios, petróleo e cereais. De início, o avanço nazista foi
arrasador, chegando aos subúrbios de Moscou. No final de 1941, entretanto, o exército
soviético começou a reagir e infligiu às tropas alemães pesadas e decisivas derrotas.

Ainda em 1941, para consolidar sua hegemonia no Pacífico Sul, o Japão


bombardeou a base aeronaval estadunidense de Pearl Harbor, no Havaí, o que precipitou
a entrada dos Estados Unidos na guerra.

A entrada da União Soviética e dos Estados Unidos na guerra deu um novo


impulso ao grupo que se opunha ao Eixo – os chamados Aliados. Isso mudou o destino
da guerra, até então favorável ao bloco nazifascista.