Você está na página 1de 5

Seminário de Louvor e Adoração Vineyard 2019

Piratininga-SP, 20/07/2019

Liderança e Pastores
Equipe
A equipe de louvor precisa estar consciente de sua missão. Se for necessário, o
líder deve repetir as informações inúmeras vezes. A cada ensaio deverá enfatizar o
propósito da equipe dentro da liturgia do culto.
 Existe em função da Igreja;
 Equipes e ministros de louvor não devem ter protagonismo. Devem servir sem
aparecer.
No entanto, mesmo sem protagonismo, a equipe precisa entender e desenvolver o seu
papel com excelência:
 Repetir as informações a cada ensaio, até firmar no coração de cada integrante;
 Dedicar-se à esta missão com empenho;
 Cada membro deve ser exemplo dentro e fora da comunidade: comportamento,
testemunho, planejamento, caráter, organização, qualidade técnica, etc.;
 A tarefa do líder e dos músicos não é romântica como na mente da maioria das
pessoas. É uma árdua tarefa.
Adoração é um momento de encontro entre a noiva (Igreja) e o Noivo (Jesus). Esses são
os dois únicos protagonistas do culto.
A equipe de louvor deve ser como o pai de uma noiva em casamento: a leva até o
altar, a entrega ao noivo e sai de cena. Ninguém precisa reparar no pai da noiva, mas sim
nos noivos. No momento de louvor e adoração, Deus quer curar, salvar, restaurar, libertar
e ensinar a sua Igreja, nesses momentos de reunião e comunhão.
Em certas ocasiões, os membros da equipe de louvor desejam se entregar a
experiências pessoais nos períodos de adoração, quando sentem a presença do Espírito
Santo. No entanto, cada membro deve compreender que não está ali para si mesmo, mas
para servir a Igreja de Cristo. O líder e os músicos não devem sair correndo na frente da
noiva e a deixar para trás.
A Igreja deve estar sempre pronta a inserir novos membros. Também é tarefa da
equipe de louvor, que deve estar sempre atenta ao repertório, preocupando-se em inserir
a todos na adoração, tanto crentes antigos como novos, e até não crentes. Não se deve
usar linguagens que somente um determinado grupo compreenda. Temos um exemplo na
passagem bíblica em que Jesus expulsa os comerciantes do templo. O problema não era
comercializar animais para as ofertas e sacrifícios. Ao contrário, era necessário que
alguém fornecesse esses animais, pois muitas pessoas iam ao templo de muito longe, e
diversas vezes eram muito pobres e sem condições de levar animais, sobretudo por longas
distâncias. Então, obter animais de vendedores dentro de Jerusalém era muito útil. Porém,
o problema estava em comercializar no espaço que era destinado a adoração dos gentios,
o pátio externo, ou pátio dos gentios. Ali, os não judeus poderiam oferecer seus sacrifícios
ao Deus vivo. Os vendedores, ao ocupar este espaço, estavam privando os gentios de
adorarem a Deus como os judeus. Portanto, a equipe de louvor não deve ser como aqueles
vendedores, que ocupa o espaço destinado aos não crentes, mas deve tratar de inseri-los
na adoração, juntamente com toda a Igreja, utilizando uma linguagem apropriada que
todos possam compreender.
Músicas que sejam de difícil compreensão por pessoas ainda não convertidas, ou
que estão começando a caminhada da fé devem ser evitadas nos cultos públicos
tradicionais. Ademais, existem diversas gerações dentro de uma mesma Igreja: jovens e
velhos, maduros e imaturos. O repertório escolhido deve alcançar a todos.

Líderes de louvor
Devem ser competentes no que faz:
 Bom músico;
 Bom cantor;
 Capacidade de liderança;
 Coração pastoral;
 Boa comunicação;
 Manuseia bem a Palavra de Deus;
 Bom relacionamento com Deus, através da oração e da Palavra;
 Amor pela Igreja de Cristo.
O pastor e a Igreja devem investir em seus ministros de louvor, desenvolver suas
capacidades e habilidades. O líder de louvor tem muito a aprender com o seu pastor. Deve
procurar aprender a resolver conflitos, a liderar com um coração de pastor, etc. O líder
deve amar a Igreja e ter cuidado ao criticá-la. Não devemos falar mal daquilo que Jesus
ama, e pela qual morreu.
O líder deve buscar incessantemente a presença de Deus, através da oração e da
Palavra, relacionamento pessoal com Deus. Deve viver, respirar, ansiar por Jesus, todos
os dias, 24 horas por dia. Deus deve ser a coisa mais importante para um líder de louvor
(assim como para qualquer crente), mais que qualquer coisa: entretenimento, situações,
prazeres, etc.
O líder deve ser um bom liderado. Deve ser conhecido o seu bom caráter e a sua
submissão ao pastor. Deve congregar fielmente, se relacionar com as pessoas da sua
comunidade.
O líder deve conhecer profundamente a Palavra de Deus, toda ela, tanto antigo
quanto novo testamento. Todo cristão deve devorar a palavra, cantar a palavra, amar a
palavra, orar a palavra, ensinar a palavra, viver a palavra.
Bons líderes devem ser didáticos no momento de adoração. Devem introduzir o
momento de louvor, ensinar o porquê dos ritos tradicionais, como ficar de pé, levantar as
mãos, e trazer todos juntos a adoração mútua.

Repertório
Adoração não é sobre ganhar coisas. É sobre sacrificar. Não é sobre chegar de
mãos vazias e sair cheias, mas de chegar de mãos cheias e sair de mãos vazias. Entregar
a Deus a nossa oferta de louvor, do coração. As músicas, portanto, devem ter foco em
Cristo e no ensino de sua palavra.
Marcas de um bom repertório:
 Deve ser equilibrado: conter músicas históricas, modernas e autorais. Muitas
gerações formam a Igreja, tanto jovens quanto velhos, maduros e imaturos. O
período de louvor e as canções devem alcançar a todos;
 Músicas autorais só devem ser tocadas se forem boas teológica e musicalmente.
São ótimas ferramentas de formação da unidade congregacional;
 Se forem cantadas canções autorais, deve-se cuidar para que sejam consistentes
teologicamente, de acordo com a Bíblia. Também devem ter qualidade harmônica,
rítmica e de melodia de fácil assimilação, para que todos possam cantar juntos.

Toda a Igreja
A equipe de louvor deve investir na Igreja, ensinar a respeito do louvor e da
adoração, e criar uma cultura de adoração, tanto dentro quanto fora do ambiente
congregacional.
O período de adoração é muito importante. Se houvesse uma reunião apenas para
adoração a Deus, só isto já se caracterizaria como um culto. Deus habita em meio aos
louvores, e ama curar, libertar, restaurar, transformar e salvar vidas nos momentos de
louvor e adoração.

Você mesmo
Nós precisamos entender a profundidade e importância desse assunto, e investir
tempo e estudo nessa área. Tanto líder quanto músicos devem orar a Deus e pedir que Ele
conceda habilidades e dons para a ministração da adoração através da música, e devem
orar para que toda a Igreja esteja em um único espírito de adoração e de entrega.
E, mais uma vez, deve ser ressaltada a importância da vida devocional de todo
líder de louvor e de cada músico. Invista no seu relacionamento com Deus. Ore todos os
dias, leia a Palavra todos os dias, estude, medite naquilo que o Senhor deixou registrado
para nós. Ele quer nos usar e nos concede talentos e dons para isso, não para engrandecer
nosso próprio ego, mas para servirmos a Ele e aos nossos irmãos com amor.
Relacionamento entre pastor e líder de louvor

É muito importante que haja um bom relacionamento entre o líder da igreja, o


pastor, e os demais líderes de grupos específicos. Isso torna mais fácil a tarefa de alinhar
pensamentos e ideias, para que o culto público corra de maneira organizada e fluída,
dando ao Espírito Santo maior liberdade nos corações dos fiéis.
Nos cultos muitas vezes, o grupo de louvor tem o mesmo tempo que o pastor à
frente da Igreja: 20, 30, 40 minutos. Em muitas ocasiões, os crentes lembram mais das
músicas cantadas do que a pregação do pastor. Portanto, esse tempo à frente da Igreja
deve ser valorizado e aproveitado. Líderes de louvor também ensinam. São “teólogos”
dentro da liturgia do culto público, e tem grande responsabilidade sobre si de ensinar
corretamente através das ferramentas que estão em suas mãos. No entanto, deve-se
enfatizar que o principal líder de louvor e adoração dentro de uma Igreja é o pastor. O
líder da equipe de louvor é alguém que o pastor designa para desempenhar uma função
específica, e não tem mais autoridade perante a Igreja que o seu pastor, ainda que seja um
excelente líder e músico. A hierarquia deve ser respeitada.

Princípios para um bom relacionamento entre pastores e líderes de louvor


Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o homem. Um deve buscar ajudar
o outro a ser aperfeiçoado. A amizade deve ser cultivada e deve haver cooperação mútua.
Pastor e líder de louvor devem estar alinhados em ideias, valores e doutrina.
Devem buscar em conjunto qual a melhor estratégia para o bom andamento dos cultos,
qual o melhor repertório para a Igreja.
Todo crente precisa ser discipulado. É importante que cada um sempre tenha
alguém com quem possa aprender, que seja superior em conhecimento e experiência.
Pastores e líderes de louvor não são diferentes nesse sentido: ambos devem ser
pastoreados e discipulados.
Há três tipos de relacionamentos que devem ser cultivados:
 Relacionamento com “Paulos”: pessoas que estão acima de nós, que sabem mais,
que tem mais experiência e vida exemplar com Deus;
 Relacionamentos com “Barnabés”: estão lado a lado, na mesma tarefa, servem
para dividir o fardo, e nos ajudam nas tarefas que nos são designadas;
 Relacionamentos com “Timóteos”: são os discípulos, pessoas que estão sendo
preparadas, mais inexperientes e que devemos auxiliar, ensinando-as em amor.
Temos então alguém que está acima de nós, alguém que está lado a lado, e alguém que
está abaixo de nós e que discipulamos (Elias e Eliseu).
O pastor é uma figura um tanto solitária. Em tese, cada membro de sua
congregação é como um Timóteo, que lhe cabe ensinar. O pastor precisa buscar um Paulo
fora, em outro local. Já o líder de louvor deve buscar ser mentoreado pelo seu pastor, ter
relacionamento e aprender com ele. Para um relacionamento saudável entre pastor e líder
de louvor deve haver equilíbrio entre submissão e respeito. Quem quiser ser o maior, deve
ser o menor. Um bom líder de louvor deve saber se submeter ao seu pastor, e o pastor
deve respeitar a opinião e o pensamento de seus liderados, não necessariamente aceitando
todas as ideias, mas respeitando.
A grande honra de um líder é se tornar desnecessário: deve preparar a próxima
geração e então passar o bastão na hora em que Deus lhe mandar.

Comunicação
Tanto pastor como líder de louvor devem dizer a verdade em amor. A
comunicação entre ambos é muito importante para a saúde da Igreja, pois ambos são
importantes em suas devidas funções.
O líder não deve se omitir quando for necessário corrigir e exortar seus liderados,
seus irmãos em Cristo. Mas a maneira como as palavras são ditas pode causar reações
diferentes do esperado. Uma boa tática é usar uma técnica conhecida como “técnica do
sanduíche”, tratando as informações sempre de maneira clara:
 Primeiro: começar elogiando, enaltecer pontos positivos;
 Segundo: tratar do problema a ser corrigido;
 Terceiro: encorajar e motivar o irmão, para que seja aperfeiçoado.

“Surgiu também uma discussão entre eles, acerca de qual deles era considerado o maior.
Jesus lhes disse: ‘os reis das nações dominam sobre elas; e os que exercem autoridade
sobre elas são chamados benfeitores. Mas, vocês não serão assim. Ao contrário, o maior
entre vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa, como o que serve. ’”
Lucas 22: 24-27