Você está na página 1de 10

Enem

A Sociologia na
REDAÇÃO do ENEM
A Sociologia está por Alexandre Barbosa Fraga* e
Thiago Oliveira Lima Matiolli**

presente na prova de
Ciências Humanas e
suas Tecnologias do
Enem. Por que ela é
peça-chave para uma
redação nota 1000?

58 | S O C I O L O G I A

ENEM.indd 58 3/2/2015 01:28:07


S O C I O L O G I A | 59

ENEM.indd 59 3/2/2015 01:28:09


Enem

N
o conjunto muito diversifi- A análise realizada de provas anteriores
cado de sentidos atribuídos
à Sociologia na educação bá- [do Enem] chegou à conclusão de que
sica, do qual fazem parte, por
exemplo, formar para a cidadania, con-
o lugar ocupado por essa disciplina é
tribuir para o pensamento crítico e fa- mais o de contextualizar ou o de ser pano
zer pensar sociologicamente, um deles
começa a ganhar maior projeção recen-
de fundo de questões de humanas do
temente: preparar para as provas de in- que o de exigir um conhecimento prévio
gresso ao ensino superior. Não que esse
sentido seja consensual ou que possa de seus conceitos, temas e teorias
ser considerado a grande contribuição
da Sociologia para a formação dos alu- Enem, de vestibulares e/ou chamaram sim, torna-se importante refletir sobre
nos, mas a presença dela em diferentes atenção para as habilidades e compe- a contribuição da Sociologia na prepa-
vestibulares a partir dos anos 2000 e no tências cobradas nessas provas (FRAGA; ração discente para as avaliações exter-
Enem desde 2009 a torna também res- MATIOLLI, 2014). nas à escola.
ponsável direta por girar a maçaneta da A existência de tal imaginário apre- No entanto, apesar da existência desse
porta que leva à universidade. senta ao professor dessa disciplina uma imaginário de uma presença forte da
No caso do Enem, há um imaginário demanda que até então não fazia parte Sociologia no Enem, a análise que fi ze-
de que a Sociologia estaria ganhando diretamente de seu trabalho. Isso traz mos das provas anteriores (FRAGA; MA-
cada vez mais projeção na prova. Essa uma tensão que pode alterar, de alguma TIOLLI, 2012) chegou à conclusão de
percepção aparece todos os anos no dis- maneira, a forma como a Sociologia é que o lugar ocupado por essa disciplina
curso dos professores convidados a co- ensinada, provocar uma mudança nos é mais o de contextualizar ou o de ser
mentar a parte de humanas do exame, conteúdos e/ou revelar uma divergên- pano de fundo de questões de humanas
no momento em que ela é corrigida pe- cia entre os docentes. Todavia, embora do que o de exigir um conhecimento pré-
los meios de comunicação, sobretudo as maneiras de lidar com essa nova de- vio de seus conceitos, temas e teorias.
portais da internet. Tal imaginário, em- manda sejam heterogêneas, a absoluta Desse modo, “é como se, em uma partida
bora não corresponda exatamente à rea- despreocupação com ela poderá dimi- de vôlei, a Sociologia contribuísse ar-
lidade, acaba produzindo efeitos sobre a nuir as chances dos alunos que alme- mando a jogada, mas quem finalizasse,
realidade que, por sua vez, realimentam jam chegar à universidade. Sendo as- fi zesse o ponto, fosse a História ou a Ge-
o imaginário.
Isso pode ser percebido, por exemplo,
no discurso dos professores, que acabam
enfatizando essa participação “ativa” da A questão da Lei Seca
foi o tema da redação
Sociologia no Enem, querendo, com isso,
na edição 2013 do
legitimar a disciplina e igualá-la – mesmo Exame Nacional do
que de maneira utilitária – às demais. Ensino Médio
É perceptível também nas publicações,
pois, nas bancas de jornal, passaram a
ser vendidas apostilas direcionadas es-
pecificamente à preparação para a prova
de Sociologia dos vestibulares e Enem.
Além disso, a quase totalidade dos livros
indicados pelo Programa Nacional
do Livro Didático (PNLD 2015), na
área de Sociologia, apresentou interesse
por essa questão. Dos seis livros aprova-
COMMONS WIKIMEDIA

dos, apenas um deles não deu atenção


aos sistemas de avaliação externos à es-
cola. Os demais, com níveis diferentes de
preocupação, apresentaram questões do

60 | S O C I O L O G I A

ENEM.indd 60 3/2/2015 01:28:09


ografia” (MATIOLLI; FRAGA, 2013, p. 14).
Se na prática, portanto, a Sociologia se
apresenta na parte objetiva do Enem de
maneira tênue, na redação sua contri-
buição pode ser mais efetiva. É isso o que
pretendemos mostrar.

COMPREENDENDO A REDAÇÃO ENEM

A redação do Enem apresenta algumas


especificidades em relação ao que é de-
mandado pelos vestibulares de muitas
universidades, sobretudo no que diz res-
peito à temática e aos critérios de cor-
reção. Buscando tornar mais conhecidas
dos candidatos essas particularidades, o
Instituto Nacional de Estudos e Pesqui-
sas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),
órgão do MEC responsável pelo exame,
costuma lançar, a cada edição da prova,
um guia para explicar a metodologia de Candidatos concentrados durante a prova do Enem realizada em 2007.
correção da redação, bem como deixar
mais claro o que se espera do partici-
pante em cada uma das competências. A redação apresenta algumas
A versão mais recente do documento tem especificidades em relação ao que é
como título A redação no Enem 2013:
guia do participante e está disponibili- demandado pelos vestibulares de muitas
zada na internet. Além do detalhamento
da matriz de correção, há a análise da
universidades, sobretudo no que diz respeito
proposta do ano anterior e de alguns tex- à temática e aos critérios de correção
tos que receberam a pontuação máxima.
Quanto ao seu perfi l geral, a reda- precisa, até o final do texto, ser solucio- irão abordar outros problemas sociais
ção é realizada no segundo dia de pro- nado pelo candidato. Entre os assuntos enfrentados pelo país.
vas, tem duração esperada de uma hora que já foram cobrados desde a primeira Como pode ser observado na Grade
e o tamanho de até 30 linhas. O tipo de edição, em 1998, estão a cidadania, os de Correção da Redação do Enem 2014
texto demandado é sempre o disserta- direitos da criança e do adolescente, a (ver a tabela ao final desta matéria), são
tivo-argumentativo, isto é, aquele cujo violência, o trabalho infantil, a convivên- cinco as competências avaliadas: mo-
objetivo central é defender um ponto de cia com as diferenças individuais e cul- dalidade escrita, tema/tipo de texto/in-
vista (tese), buscando convencer o lei- turais, a ética nacional, a vida em rede, terdisciplinaridade, coerência, coesão e
tor de que a ideia apresentada está cor- o movimento imigratório para o Brasil, proposta de intervenção. Cada uma de-
reta. O tema é sempre de ordem social a Lei Seca e a publicidade infantil. Já las está dividida em seis níveis de qua-
e focaliza algum problema brasileiro que é certo, então, que as próximas edições lidade, variando de zero a 200 pontos,
cuja soma pode alcançar a nota máxima
de 1000. A primeira competência é a mo-
Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) » dalidade escrita, ou seja, o domínio da
O PNLD, executado em ciclos trienais, tem como principal objetivo subsidiar o trabalho norma culta, do registro formal da lín-
pedagógico dos professores por meio da distribuição de coleções de livros didáticos aos gua. Espera-se preocupação com a gra-
COMMONS WIKIMEDIA

alunos da educação básica. O Ministério da Educação (MEC), depois da avaliação das obras, mática, na forma de uma simplicidade
publica o Guia de Livros Didáticos, com resenhas das coleções consideradas aprovadas. O guia correta. São descontados pontos por er-
é enviado às escolas, que escolhem, entre os títulos disponíveis, aqueles que melhor atendem ros de concordância, grafia das palavras,
a seu projeto político-pedagógico. acentuação, pontuação, regência... bem

S O C I O L O G I A | 61

ENEM.indd 61 3/2/2015 01:28:10


Enem

Grade de Correção do Enem 2014: Redação


COMPETÊNCIAS

1) MODALIDADE 2) TEMA/TIPO 3) COERÊNCIA/ 4) COESÃO 5) PROPOSTA DE


ESCRITA DE TEXTO/ COLETÂNEA INTERVENÇÃO
INTERDISCIPLINARIDADE
Demonstrar domínio da Compreender a proposta de Selecionar, relacionar, Demonstrar conhecimento Elaborar proposta
modalidade escrita formal redação e aplicar conceitos das organizar e interpretar dos mecanismos de intervenção para
da Língua Portuguesa. várias áreas de conhecimento informações, fatos, opiniões linguísticos necessários o problema abordado,
para desenvolver o tema, e argumentos em defesa de para a construção da respeitando os
dentro dos limites estruturais um ponto de vista. argumentação. direitos humanos.
do texto dissertativo-
argumentativo em prosa.

Demonstra Fuga ao tema/ Apresenta informações, fatos Ausência de marcas Não apresenta
NÍVEL 0

desconhecimento da não atendimento à e opiniões não relacionados de articulação, resultando proposta de intervenção
modalidade escrita formal estrutura dissertativo- ao tema e sem defesa de um em fragmentação ou apresenta proposta não
da Língua Portuguesa. argumentativa. ponto de vista. das ideias. relacionada ao
tema ou ao assunto.

Demonstra domínio precário Apresenta o assunto, Apresenta informações, Articula as partes do texto Apresenta proposta
NÍVEL 1 (40 PONTOS)

da modalidade escrita formal tangenciando o tema, fatos e opiniões pouco de forma precária. de intervenção vaga,
da Língua Portuguesa, de ou demonstra domínio relacionados ao tema ou precária ou relacionada
forma sistemática, com precário do texto incoerentes e sem defesa de apenas ao assunto.
diversificados e frequentes dissertativo-argumentativo, um ponto de vista.
desvios gramaticais, de com traços constantes de
escolha de registro e de outros tipos textuais.
convenções da escrita.

Demonstra domínio Desenvolve o tema recorrendo Apresenta informações, Articula as partes do Elabora, de forma
NÍVEL 2 (80 PONTOS)

insuficiente da modalidade à cópia de trechos dos textos fatos e opiniões relacionados texto, de forma insuficiente, insuficiente, proposta
escrita formal da Língua motivadores ou apresenta ao tema, mas desorganizados com muitas inadequações e de intervenção relacionada
Portuguesa, com muitos domínio insuficiente do texto ou contraditórios e limitados apresenta repertório limitado ao tema ou não articulada
desvios gramaticais, de dissertativo-argumentativo, aos argumentos dos textos de recursos coesivos. com a discussão
escolha de registro e de não atendendo à motivadores, em defesa de desenvolvida no texto.
convenções da escrita. estrutura com proposição, um ponto de vista.
argumentação e conclusão.

Demonstra domínio mediano Desenvolve o tema por meio Apresenta informações, fatos Articula as partes do texto, Elabora, de forma mediana,
NÍVEL 3 (120 PONTOS)

da modalidade escrita formal de argumentação previsível e e opiniões relacionados ao de forma mediana, com proposta de intervenção
da Língua Portuguesa e de apresenta domínio mediano tema, limitados aos inadequações e apresenta relacionada ao
escolha de registro, com do texto dissertativo- argumentos dos textos repertório pouco diversificado tema e articulada à discussão
alguns desvios gramaticais e argumentativo, com motivadores e pouco de recursos coesivos. desenvolvida no texto.
de convenções da escrita. proposição, argumentação e organizados, em defesa de um
conclusão. ponto de vista.

Demonstra bom domínio da Desenvolve o tema por meio Apresenta informações, fatos Articula as partes do texto Elabora bem proposta de
NÍVEL 4 (160 PONTOS)

modalidade escrita formal de argumentação consistente e opiniões relacionados ao com poucas inadequações intervenção relacionada ao
da Língua Portuguesa e e apresenta bom domínio tema, de forma organizada, e apresenta repertório tema e articulada à discussão
de escolha de registro, com do texto dissertativo- com indícios de autoria, em diversificado de recursos desenvolvida no texto.
poucos desvios gramaticais argumentativo, com defesa de um ponto de vista. coesivos.
e de convenções da escrita. proposição, argumentação
e conclusão.

Elabora muito bem proposta


NÍVEL 5 (200 PONTOS)

Demonstra excelente Desenvolve o tema por meio Apresenta informações, Articula bem as partes
domínio da modalidade de argumentação consistente, fatos e opiniões relacionados do texto e apresenta de intervenção, detalhada,
escrita formal da Língua a partir de um repertório ao tema proposto, de forma repertório diversificado relacionada ao tema e
Portuguesa e de escolha de sociocultural produtivo, e consistente e organizada, de recursos coesivos. articulada à discussão
registro. Desvios gramaticais apresenta excelente configurando autoria, em desenvolvida no texto.
ou de convenções da escrita domínio do texto defesa de um ponto de vista.
serão aceitos somente como dissertativo-argumentativo.
excepcionalidade e quando
não caracterizem reincidência.
Fonte: Elaboração própria com base em INEP/MEC. A redação no Enem 2013: guia do participante. Brasília-DF, 2013.

ENEM.indd 62 3/2/2015 01:28:11


Cabe lembrar a
diferença entre o
assunto da redação
(tópico geral) e
o tema (questão
específica a ser
debatida)
como por problemas na precisão voca-
bular e pela existência de algum regis-
tro informal.
A competência seguinte envolve, ao
mesmo tempo, o tema, o tipo de texto e
a interdisciplinaridade. Em relação ao
tema, é preciso mostrar compreensão da
proposta da redação, mantendo-se nos
limites dela. Para entender bem o que
está sendo solicitado, deve-se ler com
atenção a proposta e os textos motivado-
res. Do contrário, pode ocorrer fuga total
ou parcial ao tema. Com o intuito de evi-
tar isso, cabe lembrar a diferença entre
o assunto da redação (tópico geral) e o
tema (questão específica a ser debatida).
No tipo de texto, a banca está preocu-
pada em avaliar se o candidato domina
a estrutura dissertativo-argumentativa.
Para isso, é necessário apresentar clara-
mente uma tese na introdução, os argu- O fenômeno dos “rolezinhos” foi o mote da redação do Enem 2014 para candidatos
mentos que a comprovam no desenvolvi- privados da liberdade ou que cumprem medidas socioeducativas
mento e retomá-la na conclusão, assim
como dividir o texto em quatro ou cinco ção ao mundo real) e não ficarem limita- isso, pode-se recorrer à gramática (com
parágrafos. Já a interdisciplinaridade dos aos textos motivadores. Além disso, o uso de pronomes, artigos, numerais...)
na redação é a expectativa de que o can- espera-se que esses elementos estabele- e ao conjunto de palavras da Língua Por-
didato utilize, ao longo de sua reflexão, çam uma relação consistente com o tema tuguesa (com o uso de sinônimos, hipe-
informações de várias áreas de conheci- e com o ponto de vista (tese) apresen- rônimos, hipônimos, expressões resumi-
mento, como, por exemplo, das diferen- tado, configurando autoria e revelando tivas, definições...). O segundo objetivo é
tes disciplinas aprendidas ao longo da uma progressão temática (ideias apre- ligar as partes do texto. Isso é feito com o
educação básica. sentadas aos poucos e em ordem lógica). uso dos conectivos adequados para cada
A coerência é a terceira competên- É essa coerência que faz o texto ser com- relação de sentido entre as partes (adi-
cia a ser avaliada. Para ser bem reali- preendido pelo leitor. ção, conclusão, explicação, oposição...),
zada, há a necessidade extrema de pla- A penúltima competência é a coesão, bem como com a construção de ganchos
nejamento e clareza, pois estará sendo que corresponde à unidade linguística (antecipar no final de um parágrafo a
observada a qualidade das opiniões, in- do texto. Na prática, seus objetivos são ideia do próximo ou retomar no início de
formações e fatos apresentados, no sen- dois. O primeiro é evitar repetições de um parágrafo a ideia do anterior).
tido de estarem organizados, não serem palavras em linhas próximas, pois, do A quinta e última competência, pre-
contraditórios (internamente e em rela- contrário, o texto perde a fluência. Para sente apenas na redação do Enem, é a

S O C I O L O G I A | 63

ENEM.indd 63 3/2/2015 01:28:11


Enem

senvolver o texto, os conhecimentos de


Sociologia que vêm sendo aprendidos são
valorizados. Eles permitem que o tema
seja observado por mais um ângulo. No
entanto, isso não é um papel exclusivo
da Sociologia, pois outros vieses discipli-
nares também são bem-vindos, fazendo
referência, por exemplo, à História, à Ge-
ografia, à Literatura e até mesmo à Mate-
mática, à Física e à Química, mesmo que
seja na forma de menção metafórica a al-
guns de seus conceitos.
Em segundo lugar, como a Sociologia
busca refletir sobre diferentes fenômenos
sociais de maneira mais aprofundada e
sistemática, levá-la à redação pode, mui-
tas vezes, significar opinar sobre deter-
minado assunto para além do senso co-
mum. Algo que é muito enfatizado nas
O Enem requer uma preparação série e interdisciplinar. aulas. Reflexões previsíveis, que demons-
tram pouca originalidade no desenvolvi-
proposta de intervenção. Todos os can-
didatos precisam obrigatoriamente apre-
São cinco as mento do tema, não são valorizadas no
exame. Além de evitar o chamado “lugar-
sentar, até o final do texto, soluções na competências -comum”, a Sociologia apresenta tam-
vida social que possam resolver o pro-
blema brasileiro abordado na edição da-
avaliadas: bém uma terceira contribuição: é a dis-
ciplina que melhor pode explicar aos
quele ano. Essa proposta deve respeitar modalidade escrita, alunos o que são os direitos humanos.
os direitos humanos – do contrário, a re- Isso é importante, pois qualquer desres-
dação é zerada –, ser detalhada, relacio- tema/tipo de texto/ peito a eles fará a redação ser zerada por
nada ao tema e articulada à discussão interdisciplinaridade, completo. Portanto, é preciso explicar o
desenvolvida no texto. Em outras pala- que são e de que maneira não romper
vras, a solução não pode ser genérica, coerência, coesão com valores como cidadania, liberdade,
mas específica, o que significa apontar
o que deverá ser feito, de que maneira e
e proposta de solidariedade e diversidade cultural.
A quarta contribuição está ligada ao
quem ficará responsável por cada ação intervenção tema, sempre de ordem social e mobili-
sugerida. Resumidamente, esse é o con- zando um problema brasileiro. Assuntos
junto de características da redação que tro primeiras são consequências diretas como trabalho, violência, cidadania e
os alunos têm de dominar para se saí- do trabalho realizado cotidianamente diversidade cultural, para citar alguns
rem bem. nas aulas de Sociologia, ou seja, apare- dos que já foram cobrados em edições
cem como o reflexo imediato da presença anteriores da redação, costumam figu-
A CONTRIBUIÇÃO DA SOCIOLOGIA dessa disciplina na educação básica. Já rar entre os conteúdos ensinados nas
a quinta depende de uma preparação aulas de Sociologia ao longo do ensino
Tendo ficado, então, mais claro o que é específica. Juntas, elas são capazes de médio. Nesse sentido, em vez de acom-
esperado na redação do Enem, cabe evi- fazer a diferença no que diz respeito à panhá-los apenas pela mídia, os alunos
denciar por que, a partir dessas parti- qualidade do texto, impactando positiva- têm um espaço e tempo dentro da es-
cularidades da prova, a Sociologia pode mente o resultado da avaliação. cola para discuti-los com mais profun-
ocupar um lugar de destaque na prepa- A primeira contribuição é em relação didade. Essa maior intimidade com al-
ração dos alunos. A explicação para isso à interdisciplinaridade, componente do guns temas facilita o entendimento da
é que são cinco, pelo menos, as contri- segundo critério de correção. Como a proposta e o encaminhamento do texto
buições efetivas dessa disciplina para banca incentiva a aplicação de informa- no momento da prova.
a produção textual do exame. As qua- ções das várias áreas do saber para de- Nos últimos anos, os temas cobrados

64 | S O C I O L O G I A

ENEM.indd 64 3/2/2015 01:28:11


na segunda aplicação do Enem, para Todos os candidatos precisam
pessoas privadas de liberdade e para
aquelas que cumprem medidas socioe- obrigatoriamente apresentar, até o final
ducativas, têm tido uma abertura ainda
maior para a Sociologia do que os da
do texto, soluções na vida social que
primeira, voltada para milhões de can- possam resolver o problema brasileiro
didatos. A lista desses temas comprova
isso: “A família contemporânea e o que
abordado na edição daquele ano
ela representa para a sociedade” (2009),
“Ajuda humanitária” (2010), “Cultura e e as consequências dele, para, assim, sos, significa, sobretudo quando ocorre
mudança social” (2011), “O grupo for- chegar, na conclusão, a soluções corres- ilegalmente, uma precarização da vida e
talece o indivíduo?” (2012), “Coopera- pondentes. Dessa forma, o texto ganha do trabalho dos imigrantes.
tivismo como alternativa social” (2013) coerência quando a proposta de inter- Outro exemplo é o tema de 2013: “Efei-
e “O que o fenômeno social dos ‘rolezi- venção ataca as causas do problema, re- tos da implantação da Lei Seca no Bra-
nhos’ representa?” (2014). Podemos até solvendo-o. Essa é, inclusive, a lógica en- sil”. Essa lei é apresentada como uma
nos perguntar por que esse tipo de tema sinada nos cursinhos. solução, e não como um problema. Por
está mais presente na segunda aplicação A Sociologia pode contribuir, então, mais que fossem reconhecidos os bene-
do Enem do que na primeira, mas o que para as três etapas necessárias do racio- fícios dela, já que ajudou a reduzir o nú-
se evidencia claramente é a sua existên- cínio compatível com a redação do Enem. mero de acidentes no trânsito e as mor-
cia no banco de propostas. Em primeiro lugar, é preciso ensinar aos tes, era necessário encontrar um lado
Para além dessas quatro contribui- alunos como construir um problema a negativo: o problema da simultanei-
ções, a quinta é a que demanda um tra- partir da proposta. Um bom exemplo é dade entre bebida e direção está longe
balho específico na aula de Sociologia, o tema de 2012: “O movimento imigrató- de ser resolvido, as pessoas encontram
direcionado diretamente à redação do rio para o Brasil no século XXI”. O mo- maneiras de burlar a blitz, a fiscaliza-
Enem. Seu intuito é contribuir para que vimento imigratório, em si, não é um ção tem que ser acompanhada por ações
o aluno compreenda e seja capaz de se- problema, era preciso, então, problema- de conscientização... Nesse sentido, se o
guir a lógica necessária para a produ- tizá-lo. Entre as diferentes maneiras de movimento imigratório e a Lei Seca fos-
ção textual desse exame: problematizar fazê-lo, poderia ter sido defendido que a sem vistos apenas positivamente, não
o tema em busca de um problema bra- imigração para o Brasil, em muitos ca- seria possível apresentar soluções ao fi-
sileiro, identificar suas causas e conse-
quências e apresentar soluções detalha-
das para resolvê-lo. Isso tende a ser mais
bem realizado pelo/a professor/a de So-
ciologia, em vista dos instrumentais de
que sua disciplina dispõe. A ele/a cabe-
ria, então, trabalhar o quinto critério, a
proposta de intervenção, enquanto o/a
professor/a de Português se dedicaria
aos demais.
Como a grade de correção exige que
exista uma proposta de intervenção no
texto, há de se problematizar o tema. Afi-
nal de contas, apenas é possível apresen-
tar solução quando existe um problema.
Como, além disso, a banca quer que essa
solução seja detalhada e que esteja vin-
culada à tese e aos argumentos utiliza-
dos, faz sentido que a opinião apresen-
tada na introdução aborde de alguma
forma o problema e que os argumentos
do desenvolvimento busquem as causas A polêmica da publicidade infantil, tema da redação em 2014.

S O C I O L O G I A | 65

ENEM.indd 65 3/2/2015 01:28:11


Enem

nal, o que é obrigatório. O mesmo vale


para todos os temas já cobrados na
prova até hoje.
Uma vez construído o problema na in-
trodução, a próxima etapa é identificar
as suas causas no desenvolvimento, ou
seja, buscar explicar por que essa situ-
ação permanece na realidade brasileira.
No caso do tema da imigração, essa
condição deixa a pessoa em condição
de vulnerabilidade, o que facilita a ex-
ploração no trabalho; falta fiscalização
em fábricas e em confecções... Em rela-
ção ao tema da Lei Seca, a legislação so-
bre crimes de trânsito é muito branda e
desatualizada; falta fiscalização em al-
guns estados ou em determinadas áreas
das cidades; a questão, antes de ser de
fiscalização, é de educação e conscien-
tização... Se houver interesse, também
faz sentido levantar as consequências
do problema.
E, para finalizar esse raciocínio lógico, Em 2012, o tema foi a imigração no Brasil ocorrida nestes primeiros anos do século XXI
a terceira etapa corresponde à apresen-
tação de soluções na conclusão, coe- Como a Sociologia busca refletir
rentes com as causas analisadas ante-
riormente. São esperadas propostas
sobre diferentes fenômenos sociais de
específicas e detalhadas, ou seja, que re- maneira mais aprofundada e sistemática,
almente possam ser colocadas em prá-
tica. Para isso, cabe ao/à professor/a de levá-la à redação pode, muitas vezes,
Sociologia indicar atores sociais aptos a significar opinar sobre determinado
serem mobilizados para ajudar a resol-
ver os problemas brasileiros, como o go- assunto para além do senso comum
verno, as ONGs, a mídia, as instituições
de ensino e a família, bem como discutir aprovação de uma legislação mais rigo- de a própria “construção do currículo”
com os alunos o tipo de ação que cada rosa para crimes de trânsito e a inten- poder ser considerada um fenômeno so-
um deles é capaz de promover. sificação da blitz, bem como a organiza- ciológico, essa especificidade da Sociolo-
Ao estabelecer o que deve ser feito, por ção, por parte das ONGs e das escolas, gia permite a elaboração de muitas ativi-
quem e de que forma, chega-se ao de- de palestras para discutir o assunto com dades interdisciplinares.
talhamento esperado, tornando a pro- os jovens, e o apoio da mídia na realiza- No caso específico da preparação
posta viável. Para o tema da imigração, ção de mais reportagens. para o Enem, sugerimos, em outro mo-
poderia ter sido defendido, por exem- mento (MATIOLLI; FRAGA, 2013), ma-
plo, que o governo criasse programas de PROPOSTA INTERDISCIPLINAR neiras práticas de se trabalhar a So-
auxílio aos imigrantes e fiscalizasse fá- ciologia em sala de aula em conjunto
bricas e confecções em busca de pes- As Orientações Curriculares Nacio- com os professores de outras discipli-
soas em condição de exploração, as esco- nais para o Ensino Médio (OCNEM), nas, pensando sobretudo nas questões
las incentivassem o respeito e o convívio quando abordam a Sociologia, ressaltam objetivas da prova de humanas. Faltava
entre crianças e jovens diferentes cul- que ela pode ocupar um papel impor- uma proposta interdisciplinar que pu-
turalmente e as ONGs ajudassem na ca- tante de interlocução com as outras dis- desse incluir de maneira mais aprofun-
pacitação daqueles que precisassem. No ciplinas, que poderiam até mesmo ser to- dada a redação. No ponto anterior, ficou
caso da Lei Seca, faria sentido propor a madas como seu objeto de estudo. Além claro que a Sociologia tem o potencial de

66 | S O C I O L O G I A

ENEM.indd 66 3/2/2015 01:28:11


Um guia
para apreciar
as mais belas
As Orientações Curriculares Nacionais obras de arte
para o Ensino Médio (OCNEM), quando
abordam a Sociologia, ressaltam que ela
pode ocupar um papel importante de
interlocução com as outras disciplinas
contribuir de cinco maneiras. As quatro escrever” (modalidade escrita, tema, tipo
primeiras já vêm sendo possíveis como de texto, coerência e coesão).
reflexo das aulas, enquanto a quinta Portanto, o conhecimento dessas duas
depende de um trabalho específico, de disciplinas em conjunto poderá impri-
forma a desenvolver a própria lógica de mir mais qualidade ao texto, tornando-
raciocínio necessária para a construção -o bem-sucedido tanto na forma quanto
de um texto eficaz no Enem. no conteúdo, preocupações necessárias
Pensando especificamente nessa para se chegar o mais próximo possí-
quinta contribuição para a redação desse vel da nota 1000. Se a cada edição do
exame, queremos sugerir a realização de Enem é necessário problematizar o tema
um conjunto de aulas interdisciplinares em busca de um problema social brasi-
para o 3º ano do ensino médio, contando leiro, buscar suas causas e consequên-
com a presença do/a professor/a de Por-
tuguês e do/a professor/a de Sociologia,
cias, para propor, então, soluções que
respeitem os direitos humanos e que es-
Petit Larousse
este/a discutindo “o que escrever” (como
pensar o problema brasileiro para além
tejam ligadas a diferentes atores sociais
(governo, ONGs, mídia, instituições de
da História da Arte
leva o leitor a conhecer os grandes
do senso comum, construir argumentos ensino, família...), a Sociologia torna-se
períodos, os principais estilos e
mais sólidos e elaborar proposta de in- sempre peça-chave para que isso possa
correntes estéticas e os artistas
tervenção) e aquele/a ensinando “o como ser realizado adequadamente.
mais marcantes de obras-primas
da pintura, da escultura e da arqui-
*Alexandre Barbosa Fraga é professor substituto da Faculdade de Educação da UFRJ e tetura. Com inúmeras ilustrações,
docente da SEEDUC-RJ. Doutorando em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em
Sociologia e Antropologia da UFRJ. Mestre em Sociologia pelo mesmo programa. Possui
riquíssimas em detalhes, esta obra
bacharelado e licenciatura em Ciências Sociais pelo IFCS/UFRJ. E-mail: alexbfraga@yahoo.com.br aprimora o julgamento estético do
leitor, fazendo valer a máxima ex-
**Thiago Oliveira Lima Matiolli é doutorando em Sociologia pelo Programa de Pós- pressa por Marcel Duchamp:
Graduação em Sociologia da USP. Mestre em Planejamento Urbano e Regional pelo Programa
de Pós-Graduação do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da UFRJ.
“É o observador que faz o quadro”.
Bacharel em Ciências Sociais pelo IFCS/UFRJ. E-mail: matiollithi@hotmail.com

REFERÊNCIAS
BRASIL, MEC, SEB. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Ciências Humanas e suas
Tecnologias – Conhecimentos de Sociologia. Brasília: MEC, SEB, 2006.
FRAGA, A. B.; MATIOLLI, T. O. L. A Sociologia no vestibular: o caminho da legitimidade pelo enquadramento. 3º
Encontro Estadual de Ensino de Sociologia. Rio de Janeiro, 28, 29 e 30 de setembro de 2012. Disponível em
http://www.labes.fe.ufrj.br/.
. A influência das avaliações externas à escola na prática cotidiana das aulas de
Sociologia. 4º Encontro Estadual de Ensino de Sociologia. Rio de Janeiro, 17, 18 e 19 de outubro de 2014.
Disponível em http://www.labes.fe.ufrj.br/.
INEP/MEC. A redação no Enem 2013: guia do participante. Brasília-DF, 2013. Disponível em http://portal.
inep.gov.br/web/enem/enem.
MATIOLLI, T. O. L; FRAGA, A. B. Sociologia no Enem: uma análise crítica. Revista Sociologia. Ano IV, edição 46,
p. 12-17, abril/maio de 2013. São Paulo: Editora Escala.
. Os conteúdos de Sociologia nos vestibulares e no Enem: uma discussão sobre
conhecimento prévio. Saberes em perspectiva. Jequié, v. 4, n. 8, p. 195-215, jan./abr. 2014. Disponível em
www.saberesemperspectiva.com.br.

Nas livrarias!
S O C I O L O G I A | 67
www.editoralafonte.com.br

ENEM.indd 67 3/2/2015 01:28:11