Você está na página 1de 5

28 DE JULHO DE 2019 – 17º DOMINGO D TEMPO COMUM

1. REFRÃO MEDITATIVO
Deus é bom, Deus é Pai, / Deus é Santo, Deus é amor!

2. ENTRADA
Vimos aqui, ó Senhor, pra cantar / tua bondade, amor que se dá, sem cessar!
1. És o caminho, verdade e vida! / És o amigo que perde a vida, / buscando a todos salvar!
2. És o rochedo, o guai fiel. / És a esperança de todos que buscam / viver em tua casa, Senhor!

3. ATO PENITENCIAL
Pr.: Tende compaixão de nós, Senhor!
T.: Porque somos pecadores!
Pr.: Manifestai, Senhor, a vossa misericórdia!
T.: E dai-nos a vossa salvação!
Pr.: Deus todo-poderoso, / tenha compaixão de nós, / perdoe os nossos pecados / e nos conduza à vida
eterna.
T.: Amém!
Pr.: Senhor, tende piedade de nós!
T.: Senhor, tende piedade de nós!
Pr.: Cristo, tende piedade de nós!
T.: Cristo, tende piedade de nós!
Pr.: Senhor, tende piedade de nós!
T..: Senhor, tende piedade de nós!

4. GLÓRIA
Glória a Deus, glória a Deus! / Glória a Deus! Glória a Deus / lá nas alturas!
1. Glória a Deus lá nas alturas, / paz na terra aos seus amados. / Senhor Deus, rei dos céus, Deus Pai todo-
poderoso: / Nós vos louvamos, vos bendizemos, / adoramos, vos glorificamos.
2. Nós aqui vos damos graças / pela vossa imensa glória. / Senhor Jesus Nosso Cristo, és o Filho Unigênito. /
Senhor Deus, Cordeiro de Deus, / Tu és Filho de Deus Pai.
3. Vós que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, / acolhei a
nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, / tende piedade, piedade de nós.
4. Só vós sois o Santo. Só vós o Senhor. / Só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na
glória de Deus Pai. Amém!

ORAÇÃO DA COLETA
Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo;
redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam,
que possamos abraçar os que não passam. PNSJC.
T.: Amém!

5. PRIMEIRA LEITURA
Gn 18,20-32
Leitura do Livro do Gênesis
Naqueles dias, o Senhor disse a Abraão: “O clamor contra Sodoma e Gomorra cresceu, e agravou-se
muito o seu pecado. Vou descer para verificar se as suas obras correspondem ou não ao clamor que
chegou até mim”. Partindo dali, os homens dirigiram-se a Sodoma, enquanto Abraão ficou na presença do
Senhor. Então, aproximando-se, disse Abraão: “Vais realmente exterminar o justo com o ímpio? Se
houvesse cinquenta justos na cidade, acaso irias exterminá-los? Não pouparias o lugar por causa dos
cinquenta justos que ali vivem? Longe ti agir assim, fazendo morrer o justo com o ímpio, como se o justo
fosse igual ao ímpio. Longe de ti! O juiz de toda a terra não faria justiça?” O Senhor respondeu: “Se eu
encontrasse em Sodoma cinquenta justos, pouparia por causa deles a cidade inteira”.
Abraão prosseguiu dizendo: “Estou sendo atrevido em falar a meu Senhor, eu que sou pó e cinza. Se dos
cinquenta justos faltassem cinco, destruirias por causa dos cinco a cidade inteira?” O
Senhor respondeu: “Não destruiria, se achasse ali quarenta e cinco justos”. Insistiu ainda Abraão e disse: “E
se houvesse quarenta?” Ele respondeu: “Por causa dos quarenta, não o faria”. Abraão tornou a insitir: “Não
se irrite o meu Senhor, se ainda falo. E se houvesse apenas trinta justos?” Ele respondeu: “Também não o
faria, se encontrasse trinta”. Tornou Abraão a insistir: “Já que me atrevi a falar a meu Senhor, e se houver
vinte justos?” Ele respondeu: “Não a iria destruir por causa dos vinte”. Abraão disse: “Que o meu Senhor não
se irrite, se eu falar só mais uma vez: e se houvesse apenas dez?” Ele respondeu: “Por causa dos dez, não
a destruiria.
Palavra do Senhor.
T.: Graças a Deus!

6. SALMO 137(138)
Naquele dia em que gritei, / vós me escutastes, ó Senhor!
1. Ó Senhor, de coração eu vos dou graças, / porque ouvistes as palavras dos meus lábios! / Perante os
vossos anjos vou cantar-vos / e ante o vosso templo vou prostrar-me.
2. Eu agradeço vosso amor, vossa verdade, / porque fizestes muito mais que prometestes; / naquele dia em
que gritei, vós me escutastes / e aumentastes o vigor da minha alma.
3. Altíssimo é o Senhor, mas olha os pobres, / e de longe reconhece os orgulhosos. / Se no meio da
desgraça eu caminhar, / vós me fazeis tornar à vida novamente.
4. Quando os meus perseguidores me atacarem / e com ira investirem contra mim, / estendereis o vosso braço
em meu auxílio / e havereis de me salvar com vossa destra.
5. Completai em mim a obra começada; / ó Senhor, vossa bondade é para sempre! / Eu vos peço: não
deixeis inacabada / esta obra que fizeram vossas mãos!

7. SEGUNDA LEITURA
Cl 2,12-14
Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses
Irmãos: Com Cristo fostes sepultados no batismo; com ele também fostes ressuscitados por meio da fé no
poder de Deus, que ressuscitou a Cristo dentre os mortos. Ora, vós estáveis mortos por causa dos vossos
pecados, e vossos corpos não tinham recebido a circunsição, até que Deus vos trouxe para a vida, junto com
Cristo, e a todos nós perdoou os pecados. Existia contra nós uma conta a ser paga, mas ele a cancelou,
apesar das obrigações legais, e a eliminou, pregando-a na cruz.
Palavra do Senhor.
T.: Graças a Deus!

8. CANTO DE ACLAMAÇÃO
Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis)
Recebestes o Espírito de adoção; / é por ele que clamamos: Abá, Pai!

9. EVANGELHO
Lc 11,1-13
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas
Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: “Senhor,
ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”. Jesus respondeu: “Quando rezardes,
dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos, e
perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos
deixes cair em tentação’”. E Jesus acrescentou: “Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia noite
e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para
lhe oferecer’, e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e
eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’, eu vos declaro: mesmo que o outro não
se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe
dará quanto for necessário.
Portanto, eu vos digo: pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. Pois quem
pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá. Será que algum de vós que é pai, se o
filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Ora, se vós
que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo
aos que o pedirem”.
Palavra da Salvação.
T.: Glória a Vós, Senhor!

10. PROFISSÃO DE FÉ

11. CANTO DAS OFERTAS


1. A mesa santa que preparamos, / mãos que se elevam a ti, ó Senhor! / O pão e o vinho, frutos da terra, / duro
trabalho, carinho e amor.
Ô, ô, ô, recebe, Senhor! / Ô, ô, recebe, Senhor (bis).
2. Flores, espinhos, dor e alegria, / pais, mães e filhos diante do altar. / A nossa oferta em nova festa, / a
nossa dor, vem, Senhor, transformar.
3. A vida nova, nova família / que celebramos, aqui tem lugar. / Tua bondade vem com fartura, / é só saber
reunir, partilhar.

SOBRE AS OFERENDAS
Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados
mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria.
PCNS.
T.: Amém!
12. ORAÇÃO EUCARÍSTICA VI-C

Pr.: Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Pai
santo, Senhor do céu e da terra, por Cristo, Senhor nosso.
Pela vossa Palavra criastes o universo e em vossa justiça tudo governais. Tendo-se encarnado, vós nos
destes o vosso Filho como mediador. Ele nos dirigiu a vossa palavra, convidando-nos a seguir seus passos.
Ele é o caminho que conduz para vós, a verdade que nos liberta e a vida que nos enche de alegria.
Por vosso Filho, reunis em uma só família os homens e as mulheres, criados para a glória de vosso
nome, redimidos pelo sangue de sua cruz e marcados com o selo do vosso Espírito.
Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos à multidão dos Anjos e dos Santos, cantando (dizendo)
a uma só voz:

SANTO
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do Universo, / o Céu e a Terra proclamam a vossa glória. / Hosana nas
alturas, hosana nas alturas! (bis) / Bendito o que vem em nome do Senhor. / Hosana nas alturas, hosana
nas alturas! (bis)

Pr.: Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, que amais os seres humanos e sempre os
assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso Filho, presente no meio de nós, quando nos
reunimos por seu amor. Como outrora aos discípulos, ele nos revela as Escrituras e parte o pão para nós.
T.: O vosso Filho permaneça entre nós!

Pr.: Nós vos suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do
pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e † o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.
T.: Mandai o vosso Espírito Santo!
Pr.: Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus
discípulos, dizendo:
“TOMAI, TODOS, E COMEI...”

Pr.: Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele, tomando o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o
entregou a seus discípulos, dizendo:
“TOMAI, TODOS, E BEBEI...”

Pr.: Eis o mistério da fé!


T.: Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

Pr.: Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador, que pela paixão e
morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do
vosso amor até que ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção.
Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresentamos o sacrifício pascal de Cristo, que vos
foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a
eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos.
T.: Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta!

Pr.: Pela participação neste mistério, ó Pai todo-poderoso, santificai-nos pelo Espírito e concedei que nos
tornemos semelhantes à imagem de vosso Filho. Fortalecei-nos na unidade, em comunhão com o nosso
Papa (N.) o nosso Bispo (N.), com todos os Bispos, presbíteros e diáconos e todo o vosso povo.
T.: O vosso Espírito nos una num só corpo!

Pr.: Fazei que todos os membros da Igreja, à luz da fé, saibam reconhecer os sinais dos tempos e
empenhem-se, de verdade, no serviço do Evangelho. Tornai-nos abertos e disponíveis para todos, para que
possamos partilhar as dores e as angústias, as alegrias e as esperanças, e andar juntos no caminho do
vosso reino.
T.: Caminhamos no amor e na alegria!

Pr.: Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs (N.N.) que adormeceram na paz do vosso Cristo, e de todos os
falecidos, cuja fé só vós conhecestes: acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da ressurreição,
a plenitude da vida.
T.: Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna!

Pr.: Concedei-nos ainda, no fim da nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde
viveremos para sempre convosco. E em comunhão com a bem-aventurada Virgem Maria, São José, seu esposo,
com os Apóstolos e Mártires e todos os Santos, vos louvaremos e glorificaremos, por Jesus Cristo, vosso Filho.

Pr.: Por Cristo, com Cristo...


T.: Amém!

13. CORDEIRO
1. Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! (bis)
2. Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! (bis)
3. Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / dai-nos, Senhor, vossa Paz (3x), vossa Paz!
14. COMUNHÃO I
1. É bom estarmos juntos à mesa do Senhor / e, unidos na alegria, partir o pão do amor.
Na vida caminha quem come deste pão. / Não anda sozinho, quem vive em comunhão.
2. Embora sendo muitos, é um o nosso Deus, / com ele vamos juntos, seguindo os passos seus.
3. Formamos a Igreja, o Corpo do Senhor, / que em nós o mundo veja a luz do seu amor.
4. Foi Deus quem deu outrora ao povo o pão do céu. / Porém, nos dá agora o próprio Filho seu.
5. Será bem mais profundo o encontro, / a comunhão, se formos para o mundo / sinal de vocação.
6. A nossa Eucaristia ajude e sustentar / quem quer no dia a dia, / o amor testemunhar.
15. COMUNHÃO II
1. Naquelas estradas empoeiradas da Galileia / a atitude que se vê é a compaixão. / É Jesus que vai à
frente e ao encontro / da abatida e tão cansada multidão.
A semente foi lançada, vai ser grande a colheita. / Nas calúnias da roçada se persiste e não deita. / Se há um
povo oprimido, se há ovelhas sem pastor, / queremos ser destemidos, operários do Senhor.
2. E o povo vibrava e dava graças ao seu Senhor. / O amor e a ternura curam a mudez. / D eoutro lado vem a
inveja que não aceita / mas Jesus segue a missão com altivez.
3. Somos todos convidados para a colheita / das sementes que Jesus mesmo plantou. / Libertando e restaurando
a dignidade / de um povo que a cobiça a suplantou.

PÓS COMUNHÃO
Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso Filho; fazei que o dom da
vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. PCNS.
T.: Amém!

16. CANTO FINAL


Já é tempo de amar, de ver a fé crescer / e deixar brotar a paz no coração. / Todos querem ter amor, mas
precisam descobrir / que o amor está presente em cada irmão.
Um sorriso e uma canção de amor, / a ternura de um olhar. / Quantos sonhos e esperança em ter /
simplesmente um coração.
2. Olha bem ao teu redor, a ternura de uma flor / que desabrochou em meio à criação. / Grande prova de
amor de um Deus que tudo fez / pra te ver feliz vivendo em comunhão.
3. Volta o teu olhar ao céu e vê quão grande amor / há na imensidão, a vida é uma lição. / Vem, que o sol já
fez brilhar a luz do amanhecer. / Vamos despertar unidos como irmãos.