Você está na página 1de 6

1a QUESTÃO

a) Descreva as principais diferenças entre estacas e tubulões.

Estaca: elemento de fundação profunda executado inteiramente por equipamentos ou ferra-


mentas, sem que, em qualquer fase de sua execução, haja descida de pessoas. Os materiais
empregados podem ser: madeira, aço, concreto pré-rnoldado, concreto moldado in loco ou
pela combinação dos anteriores.

Tubulão: elemento de fundação profunda, escavado no terreno em que, pelo menos na sua
etapa final, há descida de pessoas, que se faz necessária para executar o alargamento de base
ou pelo menos a limpeza do fundo da escavação, uma vez que neste tipo de fundação as
cargas são transmitidas preponderantemente pela ponta.

O tubulão tem descida obrigatória de pessoas, geralmente tem a base alargada, em seu di-
mensionamento não se leva em consideração o peso próprio do bloco, tem diâmetro mı́nimo
de 0,70 m; caso não seja de base alargada, deve ser calculado como estaca pela resistência
do fuste.

Os tubulões transmitem a carga da estrutura ao solo resistente, por compressão através de


sua base alargada, diferenciando-se assim dos demais tipos de fundação profunda, como as
estacas que transmitem as cargas ao solo por meio dos atritos lateral e de ponta. Por ter
essa caracterı́stica de transmissão de cargas, seu desempenho se assemelha ao das fundações
diretas.

b) Quando é que normalmente se utiliza fundação por tubulão em vez de fundações


por estacas?

Tubulão a céu aberto:

→ Cargas elevadas.
→ Áreas com dificuldades de acesso a técnicas mais mecanizadas.
→ Normalmente acima do lençol freático, pois a escavação manual da base, ou mesmo do
fuste, não pode ser executada abaixo do nı́vel d’água. Nada impede, entretanto, que se
estenda a escavação utilizando-se de rebaixamento do lençol.

Tubulão a ar comprimido:

→ Cargas elevadas, como pontes e viadutos.


→ Executados abaixo do lençol freático, utilizando-se equipamentos que equilibram a pressão
interna com a da água, de modo que ele expulsa, inibi, a entrada de água no ambiente de
trabalho.
→ Pouco empregados atualmente.
→ Muitos riscos e custos envolvidos.

2a QUESTÃO

a) Defina os tubulões normalmente executados.

1
Tubulão a céu aberto:

→ Cargas elevadas.

→ Áreas com dificuldades de acesso a técnicas mais mecanizadas.

→ Normalmente acima do lençol freático, pois a escavação manual da base, ou mesmo do


fuste, não pode ser executada abaixo do nı́vel d’água. Nada impede, entretanto, que se
estenda a escavação utilizando-se de rebaixamento do lençol.

Existe 3 tipos de tubulões a céu aberto:

→ Sem contenção lateral: onde têm seu fuste aberto por escavação manual ou mecanizada,
sendo sua base escavada manualmente. Não utilizando nenhum escoramento lateral. Dessa
forma, o fuste e a base, em espacial, devem ser executados em solos que apresentem um
mı́nimo de coesão capaz de garantir a estabilidade da escavação.

→ Com contenção parcial: têm em ordem de 2m e o solo é escorado antes de se prosseguir


com a escavação. Desta forma, escava-se dois metros e em seguida, realiza-se a contenção.
Este processo se repete até o fim do fuste, além disso, os revestimentos são em geral, recu-
perados.

→ Com contenção contı́nua: Possuem contenções por todo o fuste. Certos tipos de equipa-
mentos cravam uma camisa metálica desde a superfı́cie, ao mesmo tempo em que realizam
mecanicamente a escavação. Essa contenção pode ser retirada simultaneamente à concre-
tagem.

Tubulão a ar comprimido:

→ Cargas elevadas, como pontes e viadutos.


→ Executados abaixo do lençol freático, utilizando-se equipamentos que equilibram a pressão
interna com a da água, de modo que ele expulsa, inibi, a entrada de água no ambiente de
trabalho.
→ Pouco empregados atualmente.
→ Muitos riscos e custos envolvidos.

Existe dois tipos de tubulão a ar comprimido:

Clássico:

→ Camisa (ou anéis) de concreto


→ É inteiramente realizado sob pressão.
→ É utilizada a campânula sobre o fuste, que aumenta e também o ar comprimido durante
as escavações manuais. Os anéis de concreto têm diâmetro externo igual ao do fuste e se
movem verticalmente por peso próprio.

Tipo Benotto:

→ Camisa de aço

2
→ Cravação da camisa → auxı́lio de equipamento → movimentos rotatórios e percussão, ao
mesmo tempo em que é realizada a escavação.
→A princı́pio, a escavação do fuste é realizada a céu aberto. → Identificado o nı́vel do lençol
freático, o processo de escavação e de concretagem é realizado com auxı́lio de ar comprimido.

b) Um tubulão pode ser executado sem base alargada? Se a resposta é positiva,


qual a diferença para uma estaca escavada?

Tubulão sem base alargada

→ A principal diferença é a descida de pessoal para realizar a limpeza do fundo do tubulão.


Nesse caso, no dimensionamento, considera-se o tubulão como uma estaca escavada e leva-se
em conta apenas a resistência de ponta (a resistência lateral é assumida como sendo igual
ao peso do tubulão). A capacidade de carga é feita pelos métodos semiempı́ricos.

3a QUESTÃO

a) Um tubulão a céu aberto pode ser executado abaixo do nı́vel da água? Se


sim, em que situações?

É executado:

→ Acima do nı́vel da água natural ou rebaixado.


→ Em terrenos saturados onde seja possı́vel bombear a água sem riscos de desmoronamentos.

b) Um tubulão a céu aberto pode ser executado em solos arenosos? Se sim, em


que condições?

→ Solos arenosos → método de Gow → Revestimentos metálicos em forma de telescópio.

c) Um tubulão a céu aberto pode ser executado em solos argilosos? Se sim, em


que condições?

→ Solos argilosos → método Chicago → Pranchas verticais de madeira, escoradas por anéis
metálicos.

4a QUESTÃO

a) Descreva as principais vantagens e desvantagens dos tubulões.

Vantagens:

1. Os custos de mobilização e de desmobilização são menores que os de bate estacas e


outros equipamentos;
2. As vibrações e ruı́dos ↓
3. Pode-se identificar o solo retirado durante a escavação e compará-lo às condições do
subsolo previstas no projeto;
4. O diâmetro e o comprimento do tubulão podem ser modificados durante a escavaçao
para compensar condições de solo diferentes das previstas;

3
5. As escavações podem atravessar solos com pedras e matacões, sendo possı́vel penetrar
em vários tipos de materiais, inclusive em rochas;
6. É possı́vel apoiar cada pilar em um único fuste, em lugar de apoiar em diversas estacas.
Desvantagens:
1. Grau de periculosidade elevado para o trabalhador, uma vez que pode haver desmoron-
amentos durante a escavação (provenientes de erros na execução), envenenamento do
ar por lençol freático contaminado, riscos com descompressão acelerada que podem
levar desde a paralisia até a morte do trabalhador por embolia;
2. Sua execução deve ser acompanhada com muito rigor para evitar acidentes que podem
ser fatais, incluindo a necessidade de equipamentos e de mão-deobra especializada;
3. Limitações: o tubulão a céu aberto pode ser limitado em função do I ençol freático,
caso não seja possı́vel esgotar a água; o tubulão a ar comprimido é limitado em 34
metros abaixo no nı́vel de 1 ençol freático, por questão da compressão e os riscos que
ela proporciona
5a QUESTÃO

a) Quais os métodos para se avaliar a capacidade de carga de um tubulão?


Para a capacidade de carga dos tubulões é válida a mesma definição dada pela NBR 6122/1996,
e já apresentada anteriormente, para as fundações profundas. O cálculo da capacidade de
carga dos tubulões normalmente é feito por um dos seguintes processos (Alonso, 1983):
1. Formulação clássica de Terzaghi, analogamente ao que já foi exposto para o cálculo da
capacidade de carga das sapatas, uma vez, que no dimensionamento dos tubulões só é
levada em consideração a sua resistência de ponta;
2. Com base em ensaios de laboratório (ou prova de carga), como por exemplo, no caso
das argilas, em que a tensão admissı́vel pode ser adotada como:

σs = pa
Onde:
pa = tensão de pré-adensamento das argilas;
3. Com base no valor médio da resistência à penetração medida no ensaio SPT numa
profundidade igual a duas vezes o diâmetro da base, a partir da cota de assentamento
do tubulão:

NSP T
σs ∼
= (M P a) P/ 5 ≤ N ≤ 20
30

NSP T
σs ∼
= + q 0 (M P a) P/ 5 ≤ N ≤ 20
50

Utilização em cálculo de tubulões: (Cintra e outros, 2003)


• Considera exclusivamente a resistência de base
• Aplica-se um fator de segurança mı́nimo de 4 de acordo com a recomendação dos
autores para a resistência de base.

4
b) Como se avalia a capacidade de carga de um grupo de tubulões?

A carga admissı́vel de um grupo de estacas ou tubulões não pode ser superior à de uma
sapata de mesmo contorno que o do grupo, e assente a uma profundidade acima da ponta
das estacas ou tubulões igual a 1/3 do comprimento de penetração na camada suporte,
como mostrado na figura abaixo, sendo a distribuição de pressões calculada por um dos
métodos consagrados na Mecânica dos Solos. Em particular, deve ser feita uma verificação
de recalques, que é, sobretudo, importante quando houver uma camada compressı́vel abaixo
da camada onde se assentam as estacas.

6a Questão

a) Como se verifica o desempenho das fundações?

O desempenho das fundaçóes é verificado através de pelo menos o monitoramento dos re-
calques medidos na estrutura.

b) Quais casos são obrigatórios?

1) estruturas nas quais a carga variável é significativa em relação à carga total, tais como
silos e reservatórios;

2) estruturas com mais de 60 m de altura do terreno até a laje de cobertura do ultimo piso
habitável;

3) relação altura/largura (menor dimensão) superior a quatro;

4) fundações ou estruturas não convencionais.

Pode também ser necessário o monitoramento de outras grandezas, tais como: desloca-
mentos horizontais, desaprumo, integridade ou tensões. O resultado das medições deve ser
comparado com as previsões de projeto.

O projeto de fundações deve estabelecer o programa de monitoramento, incluindo: referência


de nı́vel (indeslindável) a ser utilizada, caracterı́sticas dos aparelhos de medida, frequência
e perı́odo em que as leituras serão realizadas.

5
7a Questão

a) Por que os métodos teóricos não são utilizados?

Os métodos teóricos não funcionam satisfatoriamente para fundações por tubulões, bem
como para outros tipos de fundações.

b) Por que a regra apresentada por Alonso usa σadm = Nspt,med /30 em vez de
σadm = Nspt,med /50, já que tubulões se assemelham às sapatas?

O denominador reduzido de 50 para 30 leva em conta o efeito do embutimento da fundação


no aumento de σadm .

8a Questão

Caso haja necessidade de aplicar uma pressão superior a 0,15 MPa, quais providências
devem ser tomadas?

a) equipe permanente de socorro médico à disposição na obra;


b) câmara de descompressão equipada disponı́vel na obra;
c) compressores e reservatórios de ar comprimido de reserva;
d) renovação de ar garantida, sendo o ar injetado em condições satisfatórias para o trabalho
humano.