Você está na página 1de 4

Tratamento do Lixo

O crescimento populacional e o desenvolvimento urbano que


ocorreram nos últimos séculos trouxeram alguns problemas pertinentes
para a humanidade, sendo o maior deles a destinação para todo o lixo
produzido pelo homem. Os resíduos considerados inúteis precisam passar
por algum tipo de tratamento para que não impactem negativamente o meio
ambiente.
O tratamento inadequado e o acúmulo de lixo representam uma
severa agressão para o planeta e ameaçam a disponibilidade de recursos
para a manutenção da vida. O lixo além de dar origem a uma série de
epidemias quando em contato com a população pode ainda poluir fontes de
recursos hídricos. A seguir vamos apresentar algumas técnicas que
permitem o tratamento do lixo atentando para as suas vantagens e
desvantagens.

Métodos de Tratamento do Lixo

1. Lixões

O método que oferece os piores impactos para a saúde humana


bem como para a eliminação dos resíduos de lixo. Os lixões são áreas a céu
aberto, normalmente situado em regiões de periferia das grandes cidades,
em que o lixo coletado em casas, prédios, indústrias e comércios são
simplesmente depositados a sua própria sorte.

Um dos grandes problemas que os lixões trazem para as cidades


é o fato de se tornaram concentrações de baratas, ratos e insetos que podem
transmitir doenças para o ser humano. Esses locais que concentram lixo
podem ser vistos como oportunidade de sustento para algumas famílias
muito pobres que passam os dias procurando por comida e itens que
possam reaproveitar arriscando a sua saúde.
Há ainda a questão relativa à formação do chorume, substância
que surge do estado de putrefação dos materiais orgânicos presentes no
lixo, que ao penetrar o solo contamina rios, lençóis freáticos e lagos da
região. Trata-se de um processo que torna a água do local imprópria para
uso humano. O pior método de tratamento do lixo é também o mais
frequentemente usado no Brasil.

2. Aterros Sanitários

Os aterros sanitários são instalações apropriadas para receberem


os resíduos sólidos, que são compactados no terreno, podendo ser enterrado
no solo ou somente depositado acima do mesmo. Estes aterros só podem
ser construídos em locais autorizados pelos órgãos ambientais e devem
obedecer a regras rígidas.
A primeira delas diz respeito ao revestimento do aterro de tal
forma que quando a chuva caia formando a lixívia, as substâncias químicas
que se agregam pela decomposição do lixo não possam penetrar na terra e
causar danos a fontes de água por exemplo. Após ter seu limite preenchido
é necessário lacrar com plástico e cobrir com terra.
É recomendado ainda que se inicie o cultivo de alguma planta
nesse solo para que sejam reduzidos os impactos ambientais. Os aterros
sanitários têm baixo custo e grande capacidade, e são os meios de
tratamento mais comum em todo o mundo, havendo, no entanto, o risco de
contaminar as fontes de água subterrâneas.

3. Incineração
São utilizados grandes fornos para queimar os resíduos sólidos
em altas temperaturas com a proteção de filtros que inibem que os gases
produzidos sejam lançados no meio ambiente. A incineração é utilizada
principalmente para o tratamento do lixo hospitalar. É um método seguro e
reduz significativamente o volume de lixo, sua grande desvantagem é o seu
alto custo.

4. Compostagem

A compostagem é uma forma de tratamento do lixo orgânico.


Através da compostagem os resíduos orgânicos ou biodegradáveis como
restos de alimentos, fezes de animais, restos de plantas e outros são
armazenados em locais adequados e com a aplicação do método se cria um
composto que é utilizado como fertilizante para melhora a textura da terra.
A compostagem diminui o volume do lixo orgânico, e é um método de
tratamento de baixo custo.

5. Reciclagem (Coleta Seletiva)

O lixo pode ser dividido em orgânico e reciclável, sendo que o


último pode ser reaproveitado não precisando se acumular no montante de
lixo descartado. O material reciclado é separado por meio de coleta seletiva
sendo então destinado a empresas ou cooperativas que são responsáveis
pelo seu tratamento. Por meio desse processo o material reciclável retorna
para a cadeia produtiva contribuindo também para a formação de um amplo
mercado de trabalho. Dentre os materiais que podem ser reciclados
destacamos as latas de alumínio, garrafas PET, papel, vidro, papel jornal,
sacos plásticos entre outros.

6. Tratamento do Lixo Especial


Alguns tipos de lixos não podem ser descartados junto com o lixo
convencional pelo fato de oferecerem riscos para quem irá manuseá-los,
este é o caso de lâmpadas, baterias e eletrônicos. Esses materiais possuem
em sua composição algumas substâncias químicas que podem desencadear
problemas ambientes como a contaminação de recursos hídricos e do solo.
Existem postos de recolhimento desses itens em empresas, lojas,
bancos entre outros estabelecimentos. Muitas empresas já oferecem o
serviço de coleta dos seus produtos em suas lojas para que o consumidor
possa dar a destinação correta a esses itens que representam severo risco a
saúde.

Referências
http://meioambiente.culturamix.com/lixo/tratamento-do-lixo