Você está na página 1de 7

Lista de Exercícios - Física Quântica - UNIDADE 2

Problemas e questões baseados no D. Halliday, R. Resnick e J. Walker, Fundamentos de


Física, 4ª ed. - caps. 43, 44 e 45, e 6ª ed. - cap. 39, 40 e 41.

Questões:
1. Como pode a energia de um fóton ser dada por E = hf, quando a simples presença da
freqüência f indica que a luz é uma onda?
2. Uma placa de metal isolada emite fotoelétrons ao ser iluminada por luz ultravioleta, mas,
depois de certo tempo, deixa de emiti-los. Explique o porquê.
3. No efeito fotoelétrico, por que a existência de uma freqüência de corte conta a favor da
teoria dos fótons e contra a teoria ondulatória?
4. Por que as medições fotoelétricas são muito sensíveis à natureza da superfície fotoelétrica?
5. A teoria de Einstein, dos fótons, que admite ser a luz uma corrente de fótons, invalida a
experiência da interferência numa fenda dupla, de Young, em que a luz se comporta como uma
onda?
6. Por que não se observa o efeito Compton com a luz visível?
7. Os radioastrônomos observam raias do espectro de hidrogênio que provêm de átomos de
hidrogênio que estão em estados com n = 350 ou mais. Por que não é possível obter e estudar
átomos de hidrogênio, em estados com números quânticos tão elevados, nos laboratórios?
8. Um átomo de hidrogênio pode absorver um fóton cuja energia seja maior que a sua energia
de ligação (13,6 eV)?
9. Discuta a analogia entre (a) ótica ondulatória e ótica geométrica, e (b) mecânica ondulatória
e mecânica clássica.
10. Enuncie e discuta (a) o princípio da correspondência, (b) princípio da incerteza e (c) o
princípio da complementaridade.
11. Por que o conceito das órbitas de Bohr viola o princípio da incerteza?

12. Compare a teoria de Bohr e a mecânica ondulatória. Em que aspectos elas concordam? Em
que aspectos diferem?

13. Porque não se observa a quantização espacial para um pião girando?

14. Quais são as dimensões e quais as unidades SI de uma função de onda do átomo de
hidrogênio?

15. Por que os elementos lantanídeos (veja o Apêndice E) têm propriedades químicas tão
semelhantes? Por que seria justificável colocá-los todos num único quadrado da tabela
periódica? Por que, apesar da semelhança das propriedades químicas, eles podem ser tão
facilmente distinguidos pelos espectros de raios X característicos?

16. Porque os comprimentos de onda das radiações geradas por transições nas camadas mais
internas dos átomos são menores que os comprimentos de onda das radiações geradas por
transições nas camadas periféricas dos átomos?
17. O átomo de hidrogênio pode emitir raios X? Em caso positivo, descreva como. Em caso
negativo, explique as razões.

18. Porque a teoria de Bohr, que não funciona muito bem para o átomo de hélio (Z = 2), dá
resultados tão bons para os espectros de raios X característicos dos elementos?

19. Temos emissão espontânea e emissão estimulada. Por simetria, por que não temos também absorção
espontânea e absorção estimulada?

Problemas: (marcados com  são fortemente sugeridos)

CAPÍTULOS 43 - 4a ed. e 39 - 6a ed.


1. Mostrar que a energia E de um fóton (em eV) está relacionada com o comprimento de onda

(em nm) por . Esse resultado tem utilidade na resolução de muitos problemas. (43 - 1,
39 - 3)
 2. A luz amarela de uma lâmpada de sódio, usada na iluminação de estradas, tem o
comprimento de onda de 589 nm. Qual a energia de um fóton emitido por uma dessas
lâmpadas? (43 - 2, 39 - 4)
Resposta: 2,11 eV.
 3. Certo fóton de raios-X tem o comprimento de onda de 35,0 pm. Calcular: (a) energia do
fóton; (b) a sua freqüência; (c) o seu momento linear. (43 - 5)
Resposta: .(a) 35,4 keV; (b) 8,6 x 1018 Hz; (c) 35,4 keV/c.
4. Em condições ideais, o olho humano normal registra uma sensação visual a 550 nm, quando
os fótons incidentes são absorvidos numa taxa tão baixa quanto 100 fótons por segundo. A que
potência corresponde essa taxa? (43 - 6, 39 - 10)
Resposta: 3,6 10 17 W.
 5. Quais são: (a) a freqüência; (b) o comprimento de onda e (c) o momento de um fóton, cuja
energia é igual à energia de repouso do elétron? (43 - 7)
Resposta: (a) 1,24 x 1020 Hz; (b) 2,43 pm; (c) 0,511 MeV/c.
 6. Você deseja escolher uma substância para uma fotocélula, que irá operar, pelo efeito
fotoelétrico, com luz visível. Quais, dentre as seguintes: tântalo (4,2 eV), tungstênio (4,5 eV),
alumínio (4,08 eV), bário (2,5 eV) e lítio (2,3 eV), seriam escolhidas? A função trabalho de cada
uma está entre parênteses. (43 - 14, 39 - 17)
Resposta: Bário e Lítio.
 7. Um satélite artificial, ou uma astronave, em órbita terrestre, pode ficar eletricamente
carregado, em virtude da perda de elétrons por efeito fotoelétrico, provocado pelos raios solares
na sua superfície externa. Suponha que um satélite esteja revestido por platina, metal que tem
uma das maiores funções trabalho:  = 5,32 eV. Determine o maior comprimento de onda do
fóton capaz de ejetar elétrons da platina. (Os satélites têm que ser projetados de modo a
minimizar este efeito.) (43 - 15)
Resposta: 233,1 nm.
8. (a) A energia necessária para remover um elétron do sódio metálico é 2,28 eV. Uma luz
vermelha, com  = 680 nm, provocará efeito fotoelétrico no sódio? (b) Qual o comprimento de
onda do limiar fotoelétrico do sódio e a que cor corresponde esse limiar? (43 - 16, 39 - 16)
Resposta: (a) Não; (b) 543,86 nm - verde.
 9. (a) Se a função trabalho de um metal for 1,8 eV, qual o potencial de corte para a luz de
comprimento de onda 400 nm? (b) Qual a velocidade máxima dos fotoelétrons emitidos da
superfície do metal? (43 - 21, 39 - 22)
Resposta: (a) 1,3 V; (b) 676,7 km/s.
 10. O potencial de corte dos fotoelétrons emitidos por uma superfície iluminada por luz com
o comprimento de onda de 491 nm é 0,710 V. Quando o comprimento de onda da radiação
incidente assume um outro valor, o potencial de corte passa a ser 1,43 V. (a) Qual esse novo
comprimento de onda? (b) Qual a função trabalho da superfície? (43 - 23, 39 - 27)
Resposta: (a) 382 nm; (b) 1,82 eV.
 11. Em 1916, R.A. Millikan encontrou os seguintes valores do potencial de corte em
experiências feitas com o lítio:
Comprimento de onda em (nm) 433,9 404,7 365,0 312,5 253,5
Potencial de corte (V) 0,55 0,73 1,09 1,67 2,57

Com esses dados, faça um gráfico do potencial de corte versus a freqüência e obtenha: (a) a
constante de Planck; (b) a função trabalho do lítio. (43 - 25, 39 - 28)
 12. Fótons com o comprimento de onda de 2,4 pm incidem sobre um alvo que contém
elétrons livres. (a) Determine o comprimento de onda para um fóton que é espalhado num
ângulo de 30 em relação à direção de incidência. (b) Faça o mesmo cálculo quando o ângulo de
espalhamento for 120. (43 - 29, 39 - 31)
Resposta: (a) 2,73 pm; (b) 6,04 pm.
 13. Um fóton de raios-X, com 0,01 nm, faz uma colisão frontal com um elétron ( = 180 ).
Determine: (a) a variação do comprimento de onda do fóton; (b) a variação da energia do fóton;
(c) a energia cinética adquirida pelo elétron; (d) a velocidade do elétron. (43 - 31, 39 - 34)
Resposta: (a) + 4,85 pm; (b) - 40,52 keV; (c) + 40,52 keV; (d) 0,4 c.

CAPÍTULOS 44 - 4a ed. e 39 - 6a ed.


14. Um projétil de 40 g desloca-se a 1.000 m/s. (a) Qual o comprimento de onda que podemos
associar a ele? (b) Por que a natureza ondulatória do projétil não se revela em efeitos de
difração? (44 - 1, 39 - 50)
Resposta: (a) 1.7x10-35 m.
 15. Com a relação clássica entre o momento e a energia cinética, mostre que o comprimento
de onda de de Broglie de um elétron pode ser escrito como:
(a) , onde K é a energia cinética em elétron-volts, ou

(b) , onde  está em nanômetros e V é o potencial acelerador em volts. (44 - 2, 39 -


49)
 16. O comprimento de onda da linha amarela do espectro de emissão de sódio é de 590 nm.
Com que energia cinética um elétron teria o mesmo comprimento de onda de de Broglie? (44 -
6, 39 - 53)
Resposta: 4,32x10-6 eV.
 17. (a) Um fóton tem energia de 1,00 eV e um elétron tem energia cinética com o mesmo
valor. Quais são os respectivos comprimentos de onda? (b) Repita o problema no caso de a
energia ser 1,00 GeV. (44 - 10)
Resposta: (a) 1,24 m; 1,22 nm; (b) 1,24 fm; 1,24 fm.
 18. O poder de resolução mais elevado de um microscópio só está limitado pelo
comprimento de onda utilizado; isto é, o menor detalhe que pode ser separado tem as dimensões
mais ou menos iguais ao comprimento de onda. Suponhamos que queremos "olhar" para dentro
de um átomo. Admitindo que o diâmetro do átomo seja 100 pm, significa que desejamos ver
detalhes da ordem de 10 pm, aproximadamente. (a) Se for usado um microscópio eletrônico,
qual a energia mínima que os elétrons devem ter? (b) Se for usado um microscópio de luz, qual
a energia mínima dos fótons? (c) Qual dos dois microscópios parece mais prático para este fim?
Por quê? (44 - 16, 39 - 64)
Resposta: (a) 15 keV; (b) 124 keV.
 19. Um microscópio de fótons é usado para localizar um elétron num átomo, num intervalo
de distância de 10 pm. Qual é a incerteza mínima na medição do momento do elétron localizado
desta forma? (44 - 41)
Resposta: 6,6x10-23 kg m/s
20. A incerteza na posição de um certo elétron é cerca de 50 pm, aproximadamente o raio da
primeira órbita de Bohr no átomo de hidrogênio. Qual é a incerteza na medição do momento do
elétron? (44 - 42, 39 - 76)
Resposta: 1,33x10-23 kg m/s
21. Imagine um jogo de bola num universo cuja constante de Planck fosse 0,60 J.s. Qual seria a
incerteza na posição de uma bola de 0,50 kg que estivesse em movimento a 20 m/s, com uma
incerteza de 1,0 m/s? Por que seria difícil apanhar essa bola? (44 - 43, 39 - 75)
Resposta: 1,2 m
22. Suponha que queremos verificar a possibilidade de os elétrons nos átomos moverem-se em
órbitas, "observando-os" com fótons de comprimento de onda suficientemente curto, por
exemplo, 10 pm ou menos. (a) Qual seria a energia desses fótons? (b) Qual a energia que um
desses fótons transferiria a um elétron livre num espalhamento Compton frontal? (c) O que isso
lhe diz sobre a possibilidade de confirmar o movimento orbital pela "observação" de um elétron
atômico em dois ou mais pontos de sua trajetória? (44 - 47, 39 - 78)
Resposta: (a) 124 keV; (b) 40,6 keV.
CAPÍTULOS 44 - 4a ed. e 40 - 6a ed.
23. (a) Calcule o menor valor permitido para a energia de um elétron confinado no interior de
um núcleo atômico (diâmetro de cerca de 1,4  10-14m). (b) Compare esta energia com os vários
MeV da energia de ligação dos prótons e nêutrons no interior de um núcleo. Com estas
informações, é razoável esperar encontrar elétrons no interior do núcleo? (44 - 23, 40 - 3)
Resposta: (a) 1919 MeV; (b) Não
 24. Um elétron, confinado num poço infinito de largura 0,250 nm, está no seu estado
fundamental (n = 1). Quanta energia deve absorver a fim de passar para o terceiro estado
excitado (n = 4)? (44 - 25, 40 - 11)
Resposta: 90,3 eV
25. Nos átomos há uma probabilidade finita, embora muito pequena, de, num certo instante, um
elétron orbital ser encontrado realmente no interior de um núcleo. Na verdade, alguns núcleos
instáveis utilizam esse aparecimento ocasional do elétron para decair por um processo
denominado captura eletrônica. Admitindo que o próton seja uma esfera de raio 1,1  10-15 m e
que a função de onda do elétron do átomo de hidrogênio tenha validade até o centro do próton,
use a função de onda do estado fundamental a fim de calcular a probabilidade de o elétron do
átomo de hidrogênio estar no interior do núcleo. (Sugestão: quando x « 1, e-x  1). (44 - 36)
Resposta: 1,2x10-14

CAPÍTULOS 43 - 4a ed. e 40 - 6a ed.

 26. Um átomo absorve um fóton com a freqüência de 6,2 1014 Hz. Qual o aumento de
energia do átomo? (43 - 55, 40 - 31)
Resposta: 2,56 eV.
27. (a) Verifique, pela substituição direta dos valores numéricos das constantes fundamentais,
que a energia do estado fundamental do átomo de hidrogênio é  13,6 eV.

(Veja as equações )
(b) Analogamente, mostre que o valor da constante de Rydberg R é 0,01097 nm-1. (43 - 58, 40 -
30)
 28. Quais são: (a) a energia; (b) o momento linear; (c) o comprimento de onda do fóton
emitido quando um átomo de hidrogênio sofre uma transição de um estado com n = 3 para o
estado com n = 1? (43 - 60, 40 - 35)
Resposta: (a) 12,1 eV (b) 6,45 10 27kg m/s (c) 102,6 nm.
 29. Um átomo de hidrogênio é excitado de um estado com n = 1 até um estado com n = 4.
Calcule: (a) a energia que deve ser absorvida pelo átomo; (b) as diferentes energias dos fótons
que podem ser emitidos se o átomo retornar ao estado n = 1 e desenhe um diagrama destes
níveis de energia. (43 - 63, 40 - 40)
Resposta: (a) 12,8 eV; (b) 12,8 eV (4  1); 2,55 eV (4  2); 0,66 eV (4  3); 12,1 eV
(3  1); 1,89 eV (3  2); 10,2 eV (2  1).
 30. Mostre, num diagrama de níveis de energia do hidrogênio, os números quânticos que
correspondem a uma transição em que o fóton emitido tem o comprimento de onda 121,6 nm.
(43 - 67, 40 - 46)
 31. Um átomo de hidrogênio, num estado com a energia de ligação (isto é, a energia
necessária para remover o elétron do átomo) de 0,85 eV, faz uma transição para um estado em
que a energia de excitação (a diferença entre a energia de um estado e a do estado fundamental)
é 10,2 eV. (a) Ache a energia do fóton emitido. (b) Mostre essa transição num diagrama de
níveis de energia do átomo de hidrogênio, identificando os níveis com os números quânticos
apropriados. (43 - 68, 40 - 47)
Resposta: (a) 2,55 eV (b) n = 4  n = 2.
 32. Qual é a probabilidade de se encontrar o elétron do átomo de hidrogênio, no seu estado
fundamental, entre duas esferas de raios r = 1,00 rB e r = 1,01rB? (40 - 55)
Resposta: 0,0054.
33. Para um átomo de hidrogênio no estado com n = 2 e l = 0, qual é a probabilidade de
encontrar-se o elétron entre duas esferas de raios r = 5,00 rB e r = 5,01rB? (40 - 55)
Resposta: 0,0019.
 34. No estado fundamental do átomo de hidrogênio, quais são, segundo o modelo de Bohr,
as seguintes grandezas: (a) número quântico; (b) raio da órbita do elétron; (c) momento angular
do elétron; (d) momento linear do elétron; (e) velocidade angular do elétron; (f) velocidade
linear do elétron; (g) força sobre o elétron; (h) aceleração do elétron; (i) energia cinética do
elétron; (j) energia potencial; (k) energia total.(43 - 76)
Resposta: (a) 1; (b) 5,31 x 10-11 m; (c) 1,01 x 10-34 J.s; (d) 1,98 x 10-24 kg m/s; (e) 4,1 x
1016 rad/s; (f) 2,18 x 106 m/s; (g) 8,15 x 10-8 N; (h) 8,95 x 1022 m/s2; (i) 13,6 eV; (j) -27,2 eV;
(k) -13,6 eV.

CAPÍTULOS 45 - 4a ed. e 41 - 6a ed.


35. Calcule o módulo do momento angular orbital de um elétron num estado l = 3. (45 - 3, 41 -
4)
Resposta: 3,64x10-34 4 J.s.
 36. (a) Qual é o número de valores possíveis de l associados a n = 3? (b) Qual é o número de
valores possíveis de ml associados a n = 1? (45 - 4, 41 - 3)
Resposta: (a) 3; (b) 1.
37. Um estado do átomo de hidrogênio tem o valor máximo de ml igual a +4. O que se pode
dizer sobre o restante de seus números quânticos? (45 - 8, 41 - 8)
Resposta: l = 4, n  5, ms =  ½.
 38. Quantos estados eletrônicos com n = 5 existem no átomo de hidrogênio? (45 - 9, 41 - 10)
Resposta: 50.
 39. O comprimento de onda da linha K do ferro vale 193 pm. Qual é a diferença de energia
entre os dois estados do átomo de ferro (veja abaixo) que origina essa transição? Qual é a
diferença de energia correspondente para o átomo de hidrogênio? Por que a diferença de energia
obtida para o ferro é muito maior que a obtida para o hidrogênio? (Sugestão: no átomo de
hidrogênio a camada K corresponde a n = 1, e a camada L corresponde a n = 2). (45 - 51, 41 -
44)

Resposta: 6,4 keV, 10,2 eV.


 40. Um alvo de tungstênio (Z = 74) é bombardeado por elétrons num tubo de raios X. (a)
Qual é o valor mínimo do potencial acelerador que permitirá a produção das linhas
características K e K do tungstênio? (b) Para esse mesmo potencial de aceleração qual é o
valor de  mín? (c) Quais são os comprimentos de onda das duas linhas K e K ? Os níveis de
energia atômicos K, L e M do tungstênio são 69,5; 11,3 e 2,30 keV, respectivamente. (45 - 55,
41 - 49)
Resposta: (a) 69,5 kV; (b) 17,9 pm; (c) 21,3 pm.

Você também pode gostar