Você está na página 1de 6

ESCOLA SECUNDÁRIA DR.

JOSÉ AFONSO

ANO LETIVO 2018/2019

FILOSOFIA ― 10ºANO

Cursos Científico-Humanísticos

INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

GRUPO DE FILOSOFIA Página 1


I - INTRODUÇÃO

Na disciplina de Filosofia, a avaliação é essencialmente formativa. Realiza-se de


forma contínua e sistemática e assume também um carácter diagnóstico1. Permite obter
informação sobre o desenvolvimento da aprendizagem e determina, quando necessário,
a adoção de medidas pedagógicas adequadas às características dos alunos. Mais
especificamente, promove a participação e desenvolvimento do aluno, ajuda a detectar
dificuldades e a superá-las, informa o professor do sucesso dos seus métodos, processos
e estratégias (facilitando e fundamentando eventuais ajustamentos). Esta avaliação
recorre a uma variedade de instrumentos de recolha de informação e atividades
adequados à diversidade das aprendizagens e às circunstâncias em que ocorrem.

Em cada período letivo será formalmente aplicado um instrumento de


autorregulação das aprendizagens.

O processo de avaliação na disciplina de Filosofia inclui também momentos de


auto e heteroavaliação dos alunos, particularmente no final de cada período letivo.

A avaliação sumativa traduz -se na formulação de um juízo global sobre a


aprendizagem realizada pelos alunos, tendo como objetivos a classificação e
certificação. É expressa na escala de 0 a 20 valores. As fórmulas de cálculo usadas para
determinar as classificações (em cada período e no final do ano letivo) constituem
apenas uma referência; as propostas do professor no Conselho de Turma resultam de um
juízo/apreciação global sobre os elementos de avaliação recolhidos.2

II - INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO


(EM CADA PERÍODO LECTIVO)

1. Teste(s) -------------------------------------------------------------------- 70%

2. Trabalho(s) --------------------------------------------------------------- 15%

3. Atitudes ------------------------------------------------------------------- 15%

1
No início do ano de escolaridade é efetuada uma avaliação diagnóstica que visa facilitar a integração
escolar dos alunos. Esta avaliação poderá fundamentar eventuais estratégias de diferenciação pedagógica
e/ou de superação de eventuais dificuldades.
2
As classificações finais são da responsabilidade dos Conselhos de Turma. As propostas do professor
estão sempre sujeitas a aprovação, análise e discussão no Conselho de Turma.
GRUPO DE FILOSOFIA Página 2
1.

A matriz geral dos testes será dada a conhecer aos alunos no início do ano letivo.
Os conteúdos a testar serão transmitidos aos alunos no mínimo com uma semana de
antecedência.

Tipologia das questões:

- Escolha Múltipla
- Associação
- Verdadeiro / Falso
- Resposta curta e/ou restrita
- Resposta extensa e orientada

2.

O(s) trabalho(s) (individuais ou em pequeno grupo) pode(m) assumir uma das


seguintes modalidades:

A) Em aula, com ou sem consulta:


- Análise, interpretação e comentário de texto (s)
ou
- Produção de um texto argumentativo
ou
- Desenvolvimento de um tema/problema

B) Pesquisa:
- Desenvolvimento, por escrito, de um tema/problema (por exemplo, pequeno
ensaio)
ou
- Apresentação oral com recurso a PPT ou outros suportes (abordagem de um
tema/problema, pequeno ensaio, outro)

Qualquer que seja a modalidade do trabalho, serão fornecidas orientações aos


alunos.

3.
Na observação de atitudes são considerados os em seguintes pontos:

A - RESPONSABILIDADE E CIDADANIA: assiduidade e pontualidade; respeito


pelo outro; cooperação com os colegas e professor; comportamento adequado; sentido
de responsabilidade; conservação/limpeza dos espaços dos materiais escolares.

B - AUTONOMIA: revela iniciativa (por exemplo, propõe atividades na turma);


pesquisa autonomamente, recorrendo a diferentes fontes; toma apontamentos nas aulas;
intervém com oportunidade e pertinência; solicita esclarecimento de dúvidas (que
revelam interesse e empenho).

C - TAREFAS: realiza tarefas propostas em aula e TPC´s.

GRUPO DE FILOSOFIA Página 3


Na determinação da classificação a propor neste domínio, A terá um peso de 70%,
B de 70% e C de 60%. As propostas dos alunos serão consideradas e discutidas com o
professor. Os professores utilizarão fichas/grelhas de registo ou recolha de elementos
que julguem apropriadas.

Critérios de correção dos testes e trabalhos

1. Relativamente a conhecimentos:
- identificação/clarificação de teses num texto argumentativo
- identificação/clarificação/compreensão do tema/problema
- rigor na interpretação e análise do(s) texto(s)
- domínio/aplicação/clarificação de conteúdos e conceitos essenciais
- pertinência dos conteúdos mobilizados (qualidade da pesquisa)
- outros que o professor considere relevantes

2. Relativamente a capacidades:
- correção na argumentação
- correção no discurso
- qualidade da exposição/apresentação (clareza do discurso, qualidade do suporte)
- capacidade crítica e problematizadora
- capacidade de relacionar conceitos / teorias / argumentos
- outros que o professor considere relevantes

Em cada instrumento de avaliação, o professor escolhe/determina os critérios a


aplicar e as respetivas cotações.

Observações

Pode realizar-se mais do que um teste e mais do que um trabalho, desde que
no fim se encontre as respetivas médias simples.

Salvaguarda-se também a possibilidade de realizar testes e/ou trabalhos de


recuperação / remediação. Nesta eventualidade será feita a média simples com
o(s) teste(s) ou trabalho(s) anteriormente realizados.

Poderão ser aplicados testes adaptados às especificidades de alguns


alunos. Em determinadas circunstâncias, estes testes poderão integrar uma
parte de oralidade.

GRUPO DE FILOSOFIA Página 4


III - FÓRMULAS DE CLASSIFICAÇÃO

CLASSIFICAÇÃO NO FINAL DE CADA PERÍODO LETIVO

A fórmula que se segue permite calcular, em cada período letivo, a proposta de


classificação que se refere exclusivamente a esse período.

Fórmula:

(7 x A) + (1,5 x B) + (1,5 x C)
10

A ― Classificação no(s) teste(s)


B ― Classificação no(s) trabalho individual e/ou em grupo
C ― Classificação nas atitudes

CLASSIFICAÇÃO NO FINAL DO 1º PERÍODO

A classificação do 1º período (C1) obter-se-á a partir da seguinte fórmula:

(7 x A) + (1,5 x B) + (1,5 x C)
10

C1 — Classificação às décimas dos elementos de avaliação do 1º Período.

CLASSIFICAÇÃO NO FINAL DO 2º PERÍODO

Sendo a avaliação contínua, no final dos 2º e 3º períodos devem-se considerar as classificações


dos alunos no(s) período(s) anterior(es). Assim, a classificação do 2º período (em pauta) obter-
se-á a partir da seguinte fórmula:

Classificação no final do 2º Período: C1+ C2


2

C1 — Classificação às décimas dos elementos de avaliação do 1º Período.


C2 — Classificação às décimas dos elementos de avaliação do 2º período.

GRUPO DE FILOSOFIA Página 5


CLASSIFICAÇÃO NO FINAL DO ANO LETIVO 3º PERÍODO

A classificação a atribuir no final do ano letivo (na pauta do 3º período), resultará da média
simples das classificações obtidas nos 1º, 2º e 3º períodos letivos. Deste modo, teremos:

Classificação Final = C1 + C2 + C3
3

C1 — Classificação às décimas dos elementos de avaliação do 1º Período.


C2 — Classificação às décimas dos elementos de avaliação do 2º período.
C3 — Classificação às décimas dos elementos de avaliação do 3º período.

…/…

GRUPO DE FILOSOFIA Página 6