Você está na página 1de 16

1.

Nível de consciência e estado geral

2. Atenção e concentração

3. Sensopercepção preservada

4. Vontade, afetividade e empenho


Fixação
5. Conhecimento prévio
Capacidade relacionada com
6. Capacidade de compreensão do conteúdo consciência, atenção e interesse afetivo

7. Organização temporal das repetições Consciente. Inclui lembranças


Explícita
de fatos autobiográficos.

8. Canais sensoperceptivos envolvidos na percepção


Ex.: habilidades motoras e
Implícita
aquisições linguísticas
Tipos 1
1. Repetição
Conservação Declarativa Fatos, eventos, conhecimentos
2. Associação com outros elementos Cognitiva
Não declarativa Hábitos e capacidades
Fragmentos da memória -> Fenômeno
neocortical (áreas pré-frontais e corticais Priming
Regiões corticais pré-frontais. Tarefas verbais: + pré-frontais
associativas temporoparietais Combinação da habilidade de atenção e da
MEMÓRIA De trabalho memória imediata. Explícita e declarativa.
esquerdas, área de Broca e área de Wernicke. Tarefas
visuespaciais: + áreas pré-frontais direitas e zonas visuais
Gerenciador da memória
Envolvem as mesmas áreas utilizadas para sua de associação do carrefour temporoparietoccipital direito
formação. A medida que as memórias vão se
Memórias declarativas e
tornando mais antigas, o hipocampo, o córtex
de procedimentos Explícita e declarativa relacionada a Regiões de face medial dos lobos
entorrinal e a amígdala passam a ter um papel
Episódica eventos específicos de experiência temporais, particularmente o hipocampo e
cada vez menos importante
pessoal do indivíduo os córtices entorrinal e perirrinal
Evocação
Tipos 2
Positivamente modulada por receptores dopaminérgicos D1, Registro e retenção de conteúdos em função do Regiões inferiores e laterais dos
noradrenérgicos beta e colinérgicos M1; inibida por Semântica significado que têm - nomeação e lobos temporais, sobretudo no
receptores 5TH categorização. Explícita e declarativa. hemisfério esquerdo

Hormônios do estresse (ACTH, epinefrina, beta-endorfina), a Modulação Memória automática e não consciente. Habilidades
exposição a eventos e ambientes novos e outros fatores Está relacionada com o sistema motor e/ou
motoras e perceptuais, habilidades visuoespaciais,
sensorial específico envolvido na tarefa. As
De procedimentos habilidades no aprendizado de línguas. Implícita e não
principais áreas são os lobos frontal, gânglios
declarativa. Ocorre de forma lenta, por meio de
Memórias declarativas e hábitos são sensíveis à influencia de da base e cerebelo
repetições e múltiplas tentativas.
fatores emocionais e ànsiedade

Área pré-frontal Poucos seg a 1-3 min Imediata

Partes mediais dos lobos temporais (região CA1 do


Poucos min a 3-6 horas Recente
hipocampo, córtex entorrinal) e córtex pacietal posterior
Tempo

Relacionado com hipocampo; amplas e difusas áreas


corticais, pricipalmente frontais, incluindo todos os outros Meses a muitos anos Remota
lobos, sobretudo suas áreas corticais de associação
Hipermnésias

Psicogênica
Classif. 1
Orgânica Em geral, segue a lei de Ribot
ALTERAÇÕES
QUANTIITATIVAS
Amnésia (ou hipomnésia) Anterógrada

Classif. 2 Retrógrada

Anterretrógrada
ALTERAÇÕES
PSICOPATOLÓGICAS
DA MEMÓRIA
Ilusões mnêmicas Acréscimo de elementos falsos a um núcleo verdadeiro da memória
Tipos
Alucinações mnêmicas Criações imaginativas com aparência de lembranças ou reminescências

Fabulações São invenções, produtos da imaginação do paciente, que preenchem um vazio da memória
ALTERAÇÕES
QUALITATIVAS
Criptomnésias Lembranças aparecem como fatos novos ao paciente. Ex.: relata aos amigos uma história muito conhecida como se fosse inteiramente nova

Ecmnésias Recaptulação e revivência intensa da existência (muitos eventos passados) em um breve período Experiências de quase morte

Lembrança obcessiva Surgimento espontâneo de imagens mnêmicas ou conteúdos ideativos do passado - uma vez instalada na consciência não podem ser repelidas voluntariamente
O décift não pode ser explicado por défict sensorial, distúrbio de linguagem ou perda cognitiva global

Encherga os objetos e pode os descrever, mas não sabe o que realmente são
Visual
Proposopagnosia Agnosia de faces previamente conhecidas ou membros específicos de determinado grupo genérico

Astereognosia Impossível reconhecer a forma dos objetos, estando de olhos fechados


Tátil
Agnosia tátil Identifica as formas elementares do objeto, mas há incapacidade do reconhecimento global

Segundo a
modalidade Agnosia auditiva seletiva Não reconhecimento de sons não linguísticos
sensorial
Agnosias Auditiva
Lesão da área auditiva primária bilateralmente (giro de Heschl) ou por certas
Agnosia verbal Não reconheciemnto de sons linguísticos
lesões subcorticais caprichosas

Anosognosia Défict ou doença

Por percepções complexas Anosodiaforia Estado afetivo

ALTERAÇÕES Simultanagnosia Mais de um objeto ao mesmo tempo


PSICOPATOLÓGICAS
DO RECONHECIMENTO
Aperceptiva Por exemplo, devido à lesão da modalidade sensitiva
Segundo o mecanismo
Associativa Há a recepção sensorial adequada, mas existe impossibilidaded de associar-se corretamente um sentido

Falso desconhecimento Não reconhece pessoas próximas

Síndrome de Capgras Afirma que alguém próximo que o visitou era, na verdade, um sósia quase idêntico

Síndrome de Capgras Inversa Um impostor passou a habitar o corpo dele


De origem delirante
Síndrome do duplo objetivo Outra pessoa transformou-se fisicamente de forma a ser igual a ele
Associada aos transtornos mentais
Síndrome de Frégoli Identifica falsamente uma pessoa estranha como próxima

Síndrome de Frégoli inverso O corpo e a aparência física dele se alteraram, sem alteração do self psicológico

Fenômeno déjà-vu
De origem não delirante (nítida sensação)
Fenômeno jamaisvu
Direção da consciência, estado de concentração da atividade mental

Tenacidade consiste na capacidade do indivíduo de fixar sua atenção sobre algo


Conceitos

Vigilância é definida como a qualidade da atenção que permite ao


indivíduo mudar seu foco de um objeto para outro

Voluntária
Quanto à natureza
Espontânea

Externa
Classificação Quanto à direção
Interna
ALTERAÇÕES
PSICOPATOLÓGICAS
DA ATENÇÃO
Focal
Quanto à amplitude
Dispersa

Hipoprosexia Diminuição global da atenção

Aprosexia Total abolição da capacidade de atenção

Hiperprosexia
ALTERAÇÕES

A distraibilidade é, ao contrário da distração, um estado patológico


A distração é um sinal, não de déficit propriamente,
que se exprime por instabilidade marcante e mobilidade acentuada da
mas de superconcentração ativa da atenção sobre
atenção voluntária, com dificuldade ou incapacidade para fixar-se ou
determinados conteúdos ou objetos, com a inibição
deter-se em qualquer coisa que implique esforço produtivo. A atenção
de tudo o mais. Há hipertenacidade e hipovigilância
do indivíduo é muito facilmente desviada de um objeto para outro.
Autopsíquica

Tipos Espacial
Alopsíquica
Temporal

Por redução do nível


Desorientação torporosa
de consciência

Desorientação demencial é muito próxima à amnéstica.


Por déficit de memória Ocorre não apenas por perda da memória de fixação, mas
Desorientação amnésica
imediata e recente por déficit de reconhecimento ambiental (agnosias) e por
perda e desorganização global das funções. cognitivas.

ALTERAÇÕES
PSICOPATOLÓGICAS Devido a uma marcante alteração do humor e da volição;
Desorientação apática
DA ORIENTAÇÃO comum em quadro depressivo.

Desorientação delirante É comum a chamada dupla orientação


Segundo a alteração de base

Desorientação por Indivíduos com deficiência ou retardo


déficit intelectual mental grave ou moderado

Ocorre em geral em quadros histéricos graves, normalmente acompanhada de alterações


Desorientação por dissociação
da identidade pessoal e de alterações da consciência secundárias à dissociação histérica.

Pacientes psicóticos, geralmente esquizofrênicos em


Desorientação por desagregação
estado crônico e avançado da doença

Desorientação quanto
Discrepância de cinco anos ou mais entre a idade real e aquela que o paciente diz ter.
à própria idade
Em grau leve a moderado. O paciente pode estar sonolento ou parecer
Obnubilação desperto. Há sempre diminuição do grau de clareza do sensório, com
lentidão da compreensão e dificuldade de concentração.

O paciente pode ser despertado apenas por estímulo enérgico, sobretudo de


Sopor
natureza dolorosa. Aqui, o paciente sempre se mostra evidentemente sonolento.
Quantitativas - rebaixamento

Não é possível qualquer atividade voluntária consciente. Além da ausência de


indício de consciência, os seguintes sinais neurológicos podem ser verificados:
Coma movimentos oculares errantes com desvios lentos e aleatórios, nistagmo,
transtornos do olhar conjugado, anormalidades dos reflexos oculocefálicos (cabeça
de boneca) e oculovestibular (calórico) e ausência do reflexo de acomodação.

Síndrome Confusional Aguda. Quadros com rebaixamento leve a moderado do nível de


consciência, acompanhados de desorientação temporoespacial, dificuldade de
Delirium
concentração, perplexidade, ansiedade em graus variáveis, agitação ou lentificação
Síndromes psicomotora, discurso ilógico e confuso e ilusões e/ou alucinações, quase sempre visuais.
psicopatológicas
associadas
Paralelamente à turvação da consciência, o indivíduo entra em estado semelhante a
Estado onírico um sonho muito vívido. Em geral, predomina a atividade alucinatória visual intensa
ALTERAÇÕES com caráter cênico e fantástico.
PSICOPATOLÓGICAS
DA CONSCIÊNCIA
Há estreitamento transitório do campo da consciência, afunilamento da consciência (que se
restringe a um círculo de idéias, sentimentos ou representações de importância particular
Estados crepusculares
para o sujeito acometido), com a conservação de uma atividade psicomotora global mais
ou menos coordenada, permitindo a ocorrência dos chamados atos automáticos

Alterações patológicas
da consciência Caracterizado por uma atividade psicomotora coordenada a qual, entretanto,
Estado segundo
permanece estranha à personalidade do sujeito acometido e não se integra a ela.

Perda da unidade psíquica comum. Ocorre com certa freqüência nos quadros histéricos
Dissociação da consciência
Qualitativas (crises histéricas de tipo dissociativo).

Se assemelha a sonhar acordado, diferindo disso, porém, pela presença de atividade motora automática e
Transe Histérico
estereotipada acompanhada de suspensão parcial dos movimentos voluntários.

Semelhante ao transe, no qual a sugestionabilidade do indivíduo está aumentada, e a


Estado hipnótico
sua atenção, concentrada no hipnotizador

Verificado em situações críticas de ameaça grave à vida, como parada cardíaca,


Experiência de quase-morte
hipoxia grave, isquemias, acidente automobilístico grave
Hiperestesias Intensidade e/ou duração

Sensação desagradável é produzida


Hiperpatias
por um leve estímulo da pele

Sentido psicopatológico

Hipoestesias
Hipoestesia em faixa; hipoestesias
Sentido neurológico - táteis
“em bota” e “em luva”

Quantitativas
Anestesias Perda das sensações dolorosas

Analgesias Perda da sensação tátil

Sensações táteis desagradáveis descritas como “formigamentos,


Parestesias adormecimentos, picadas, agulhadas ou queimação”. Ocorrem de
ALTERAÇÕES forma espontânea.
PSICOPATOLÓGICAS
DA SENSOPERCEPÇÃO
Sensações anômalas, em geral dolorosas, desencadeadas por estímulos
Disestesias externos; assim, ao estimular a pele do paciente com calor, este refere
sensação de frio; e, após um leve roçar sobre a pele, refere dor

Ilusões Percepção deformada de um objeto real e presente

Alucinação é a percepção clara e definida de um objeto (voz,


Alucinações
ruído, imagem) sem a presença do objeto estimulante real.

O indivíduo permanece consciente de que tal alucinação é um


Qualitativas Alucinose fenômeno estranho, patológico, não tem nada a ver com a sua
pessoa, estabelecendo distanciamento entre si e o sintoma

Embora se pareça com a alucinação, dela se afasta por não


apresentar os aspectos vivos e corpóreos de uma imagem perceptiva
Pseudo-alucinação
real. A voz (ou imagem visual) percebida é pouco nítida, de contornos
imprecisos, sem vida e corporeidade.
Perda da linguagem, falada e escrita, por incapacidade de compreender e utilizar os símbolos verbais

Trata-se da afasia não-fluente, na qual o indivíduo, apesar


Afasia de
do órgão fonador preservado, não consegue falar ou fala
expressão ou
com dificuldades, de forma monótona. A compreensão da
de Broca
linguagem está relativamente preservada

Afasias
Consiste na afasia fluente, em que o indivíduo continua podendo
Principais tipos Afasia de
falar, mas a sua fala é muito defeituosa, às vezes
compreensão
incompreensível. O paciente não consegue compreender a
ou de Wernicke
linguagem (falada e escrita) e tem dificuldades para a repetição.

Afasia grave, não-fluente, acompanhada por


Afasia global
hemiparesia direita, mais acentuada no braço

O indivíduo deforma determinadas palavras, como designar de “cameila” a cadeira. Ocorrem


Parafasias
muitas vezes no início das síndromes demenciais

Secundárias a lesão Agrafia É a perda, por lesão orgânica, da linguagem escrita, sem que haja qualquer déficit motor ou perda cognitiva global.
neuronal identificável
Alexia É a perda, de origem neurológica, da capacidade previamente adquirida para a leitura.

Incapacidade de articular corretamente as palavras devido às alterações neuronais referentes ao aparelho fonador,
Disartria
alterações estas que produzem paresias, paralisias ou ataxias da musculatura da fonação.

Alteração da fala produzida pela mudança na sonoridade das palavras


Disfonia
Afonia forma acentuada de disfonia, na qual o indivíduo não consegue emitir qualquer som ou palavra.

Alteração da linguagem falada sem qualquer lesão ou disfunção orgânica, determinada por conflitos e fatores psicogênicos.

Disfemia
Pode ocorrer tanto devido a defeitos mecânicos da fonação – excessiva rapidez de emissão da voz, uso
Gagueira
de tons inadequados, respiração viciosa – como devido a fatores emocionais, como ansiedade e timidez.

Alteração da linguagem falada que resulta da deformação, da omissão ou da substituição dos fonemas, não havendo
Dislalia
alterações identificáveis nos movimentos dos músculos que participam da articulação e da emissão das palavras.
ALTERAÇÕES
PSICOPATOLÓGICAS
DA LINGUAGEM Produção aumentada e acelerada (taquifasia) da linguagem verbal, um fluxo incessante de palavras e
Logorréia
frases, freqüentemente associado ao taquipsiquismo geral, podendo haver perda da lógica do discurso.

Loquacidade Aumento da fluência verbal sem qualquer prejuízo da lógico do discurso

Bradifasia O paciente fala muito vagarosamente, as palavras seguem-se umas às outras de forma lenta e difícil

Mutismo Ausência de resposta verbal oral, embora, aparentemente, pode fazê-la

Há repetição automática de palavras ou trechos de frases, de modo estereotipado, mecânico e


Perseveração e estereotipia verbal
sem sentido, o que indica lesão orgânica, particularmente das áreas cerebrais pré-frontais

Ecolalia Repetição da última ou das últimas palavras que alguém falou ou dirigiu ao paciente

Palilalia Repetição automática e estereotipada pelo paciente da última ou das últimas palavras que ele próprio emitiu em seu discurso

Logoclonia Repetição automática e involuntária das últimas sílabas que o paciente pronunciou

Associadas a transtornos
psiquiátricos primários Tiques verbais ou 1. produções de fonemas ou palavras de forma recorrente, imprópria e irresistível
fonéticos e coprolalia 2. emissão involuntária e repetitiva de palavras obscenas, vulgares ou relativas a excrementos

Repetição, de forma monótona e sem sentido comunicativo aparente, de palavras, sílabas ou trechos de frases

Verbigeração
Fenômeno próximo à verbigeração, é a produção repetitiva de uma voz muito baixa,
Mussitação
murmurada, em tom monocórdico, sem significado comunicativo.

Glossolalia É a produção de uma fala gutural, pouco compreensível, um verdadeiro conglomerado ininteligível de sons

O paciente “responde” algo com a inflexão verbal de uma resposta, como se estivesse respondendo de fato
Pararrespostas
a uma pergunta, porém o conteúdo de sua fala é completamente disparatado em relação ao conteúdo da pergunta.

Neologismos patológicos; estilizações, rebuscamentos e maneirismos; salada de palavras; Desenvolvimento de


ESQUIZOFRENIA
linguagem - criptolalia (no caso da linguagem falada) e criptografia (no caso da linguagem escrita)

Início: parafasias e dificuldade em encontrar as palavras; tende a usar termos vagos e inespecíficos; As
DEMÊNCIA alterações progridem no sentido da afasia nominal, de afasias mais globais, até a perda completa da
capacidade de produzir e utilizar qualquer linguagem verbal
Reação completamente incongruente a situações
Inadequação do afeto ou paratimia
existenciais ou a determinados conteúdos ideativos
Alteração básica do humor, tanto no sentido da inibição como no sentido da
exaltação. Não se deve confundir o sintoma distimia com o transtorno distimia
Perda progressiva e patológica das vivências afetivas. Ocorre nas síndromes Pobreza de sentimentos e
psico-orgânicas, nas demências e em algumas formas de esquizofrenia. distanciamento afetivo
Distimia
Hipotimia
Perda profunda de todo tipo de vivência afetiva. Ao contrário da apatia, Tipos
Embotamento afetivo
que é basicamente subjetiva, o embotamento afetivo é observável Hipertimia

É a vivência de incapacidade para sentir emoções,


Sentimento de falta de sentimento Distimia acompanhada de uma tonalidade afetiva desagradável, mal-humorada
experimentada de forma muito penosa pelo paciente

É a incapacidade total ou parcial de obter e sentir prazer com determinadas Há hiper-reatividade desagradável, hostil e,
atividades e experiências da vida. A apatia e a anedonia são fenômenos Anedonia Disforia eventualmente, agressiva a estímulos (mesmo
muito próximos que ocorrem, na maioria das vezes, de forma simultânea. leves) do meio exterior. Também ocorre a
Irritabilidade patológica
irritabilidade patológica nas síndromes
depressivas, nos quadros maníacos, nos
Trata-se de certa frieza afetiva incompreensível diante dos sintomas que o paciente transtornos ansiosos e na esquizofrenia.
ALTERAÇÕES PSICOPATOLÓGICAS
apresenta, uma frieza e uma indiferença ue parecem indicar que, no fundo (de
Indiferença afetiva DA AFETIVIDADE, EMOÇÕES E DOS
forma inconsciente), o paciente sabe que seus sintomas são psicogênicos e
SENTIMENTOS
potencialmente reversíveis, denotando até certo exibicionismo or trás da indiferença Euforia

Espectro maníaco
Mudanças súbitas e imotivadas de humor, sentimentos ou emoções. O indivíduo Labilidade afetiva e Além da alegria patológica, a expansão do Eu, uma
Elação
oscila de forma abrupta, rápida e inesperada de um estado afetivo para outro. incontinência afetiva sensação subjetiva de grandeza e de poder

Sentimentos opostos em relação a um mesmo estímulo ou objeto, sentimentos Pode estar presente em condições psicopatológicas, como no transe
Ambivalência afetiva Estado de êxtase
que ocorrem de modo absolutamente simultâneo. <-> Esquizofrenia histérico, na esquizofrenia ou na mania

São sentimentos e experiências afetivas inteiramente novos vivenciados por Aspecto infantil, simplório, regredido. O indivíduo ri ou chora por motivos banais;
pacientes em estado psicótico. São afetos muito estranhos e bizarros para a Neotimia Puerilidade
sua vida afetiva é superficial, sem afetos profundos, consistentes e duradouros
própria pessoa que os experimenta

Apatia É a diminuição da excitabilidade emotiva e afetiva. Hiporreatividade


Medos determinados psicopatologicamente, desproporcionais e incompatíveis com as possibilidades
Fobias
de perigo real oferecidas pelos desencadeantes, chamados de objetos ou situações fobígenas
Incapacidade do paciente de modular a resposta
Hipomodulação do afeto
afetiva de acordo com a situação existencial.
É uma reação de medo intenso, de pavor, relacionada geralmente ao perigo imaginário
Pânico
de morte iminente, descontrole ou desintegração.
Diminuição ou até abolição da atividade volitiva. O indivíduo refere que não
Hipobulia/abulia
tem vontade para nada, sente-se muito desanimado, sem forças, sem “pique”.
VONTADE

Ataraxia Estado de indiferença volitiva e afetiva desejada e buscada ativamente pelo indivíduo

Automutilação

Impulso patológico de destruir os


Frangofilia
Agressivas auto ou objetos que circundam o indivíduo
heterodestrutivas
Piromania

Impulso e o ato suicida

Dipsomania Álcool

Relacionados à ingestão de Bulimia Rapidamente grande quantidade de alimentos


substâncias ou alimentos

Beber água ou outros líquidos sem


Potomania
que haja sede exagerada

Fetichismo

Exibicionismo

Voyeurismo

Pedofilia e Pederastia

ALTERAÇÕES Relacionados ao desejo e


Gerontofilia
PSICOPATOLÓGICAS comportamento sexual
DA VONTADE
TIPOS DE Zoofilia
IMPULSÕES E
COMPULSÕES
PATOLÓGICAS Necrofilia

Coprofilia

Ninfomania e Satiríase

Impulso e o comportamento de andar a


Poriomania
esmo, viajar, “desaparecer de casa”

Cleptomania

Jogo patológico

Compulsão por comprar

Compulsão por internet e videogame


Outros impulsos e compulsões
Oposição do indivíduo às solicitações
Negativismo
do meio ambiente.

Obediência automática Oposto ao negativismo

Fenômenos em eco (ecopraxia, ecolalia, ecomimia, ecografia).

Psicomotores
Automatismo
Psíquico
Implica a aceleração e exaltação de toda a atividade motora
Agitação psicomotora
do indivíduo, em geral secundária a taquipsiquismo acentuado

Reflete a lentificação de toda a atividade psíquica


Lentificação psicomotora
(bradipsiquismo).

Estado acentuado e profundo de lentificação psicomotora, com ausência de


Inibição psicomotora
respostas motoras adequadas, sem que haja paralisias ou déficit motor primário

Perda de toda a atividade espontânea, que atinge o indivíduo globalmente,


Estupor na vigência de um nível de consciência aparentemente preservado e de
capacidade sensório-motora para reagir ao ambiente.

Acentuado exagero do tônus postural, com grande redução da mobilidade passiva


PSICOMOTRICIDADE Catalepsia
dos vários segmentos corporais e com hipertonia muscular global de tipo plástico.

Cataplexia Perda abrupta do tônus muscular, geralmente acompanhada de queda ao chão.

Repetições automáticas e uniformes de determinado ato motor complexo, indicando


Estereotipias motoras
geralmente marcante perda do controle voluntário sobre a esfera motora.

Tipo de estereotipia motora caracterizada por movimentos bizarros e repetitivos,


Maneirismo
geralmente complexos, que buscam certo objetivo, mesmo que esdrúxulo.

Atos coordenados, repetitivos, resultantes de contrações súbitas, breves e intermitentes,


Tiques
envolvendo geralmente um grupo de músculos que atua em suas relações sinérgicas normais

Conversão Há o surgimento abrupto de sintomas físicos (paralisias, anestesias, parestesias, cegueira, etc.), de origem psicogênica.

Irregular, mutável, bizarra, podendo ter elementos de ataxia, espasticidade e outras alterações,
mas raramente revela um padrão preciso e estável de determinada “marcha neurológica”

ALTERAÇÕES Alguns pacientes histéricos apresentam a camptocormia, que é o caminhar com o tronco
PSICOPATOLÓGICAS Do paciente histérico fletido para a frente. Na hemiplegia histérica, o paciente em geral arrasta o pé “paralisado”
DA PSICOMOTRICIDADE sobre o solo, diferentemente da marcha ceifante do hemiplégico orgânico

MARCHA A abasia é a impossibilidade ou dificuldade para a marcha; e a astasia, a


impossibilidade de ficar de pé quando não há razão orgânica para isso

De alguns pacientes
Marcadamente bizarra, com maneirismos e estereotipias motoras variadas.
esquizofrênicos

De pacientes
Marcha lentificada e difícil
gravemente deprimidos

Hiperventilação psicogênica

Dificuldade ou incapacidade de realizar condutas volitivas e psicomotoras minimamente


Apragmatismo (ou
complexas, como cuidar da higiene pessoal, limpar o quarto, participar de trabalhos
hipopragmatismo)
domésticos, envolver-se em qualquer tipo de atividade produtiva para si ou para seu meio.

Impossibilidade ou a dificuldade de realizar atos intencionais, gestos complexos, voluntários,


conscientes, sem que haja paralisias, paresias ou ataxias,

Apraxia ideativa (apraxia no uso de objetos)

OUTRAS ALTERAÇÕES
Apraxia ideomotora é a incapacidade de completar um ato de forma voluntária em resposta a uma
ordem verbal. O mesmo ato, entretanto, pode ser realizado pelo paciente de modo espontâneo.

Apraxia
A apraxia construcional é a incapacidade de construir figuras geométricas,
montar quebracabeças ou desenhar um cubo ou outras figuras geométricas.

A apraxia de vestimenta é a perda da capacidade para vestir-se,


mantendo-se as capacidades motoras simples e a cognição global.

A apraxia da marcha é a incapacidade para iniciar o movimento espontaneamente e organizar


a atividade gestual da marcha, ocorrendo com freqüência a marcha em pequenos passos.
Pensamento mágico

Se opõe marcadamente ao pensamento realista, o qual se submete à lógica e à realidade.


Aqui, o pensamento só obedece à lógica e à realidade naquilo que interessa ao desejo do
Pensamento dereístico indivíduo, distorcendo a realidade para que esta se adapte aos seus anseios. No pensamento
dereístico, o pensar volta-se muito mais ao mundo interno do sujeito, suas fantasias e seus
sonhos, manifestando-se como um devaneio, no qual tudo é possível e favorável ao indivíduo.

Não ocorre a distinção entre dimensão abstrata e simbólica e


Pensamento concreto
dimensão concreta e imediata dos fatos.

Diminuição da velocidade e do número de conceitos, juízos e representações utilizados no


Pensamento inibido processo de pensar, tornando-se o pensamento lento, rarefeito, pouco produtivo à medida que o
tempo flui. Ocorre em quadros demenciais e depressivos graves

Não há propriamente o empobrecimento do pensamento, mas, antes, a marcante


Pensamento vago
falta de clareza e precisão no raciocínio

O paciente não consegue chegar a qualquer Tangencialidade


Tipos Pensamento prolixo conclusão sobre o tema de que está
tratando, senão após muito tempo e esforço Circunstancialidade

É um pensamento de estrutura pobre e rudimentar. O indivíduo tende ao raciocínio concreto;


Pensamento deficitário
os conceitos são escassos e utilizados em sentido mais literal que abstrato ou metafórico.

Trata-se também de pensamento pobre, porém tal empobrecimento é desigual, ao contrário


do que ocorre no pensamento deficitário, no qual o empobrecimento é mais homogêneo.
Pensamento demencial
Em certos pontos, o pensamento demencial pode revelar elaborações mais ou menos
sofisticadas, embora de forma geral seja imperfeito, irregular, sem unidade ou congruência

Verifica-se, devido à turvação da consciência, um pensamento incoerente, de curso


Pensamento confusional tortuoso, que impede que o indivíduo apreenda de forma clara e precisa os
estímulos ambientais e possa, assim, processar seu raciocínio adequadamente

Pensamento radicalmente incoerente, no qual os conceitos e os juízos não se articulam


Pensamento desagregado
minimamente de forma lógica. A linguagem correspondente é “salada de palavras”.

Predominam idéias ou representações que, apesar de terem conteúdo absurdo ou repulsivo


ALTERAÇÕES Pensamento obsessivo
para o indivíduo, se impõem à consciência de modo persistente e incontrolável.
PSICOPATOLÓGICAS
DO PENSAMENTO
Aceleração

Lentificação
Curso do pensamento
Bloqueio do pensamento

Roubo do pensamento

Fuga de idéias

Dissociação do pensamento

Embora ainda haja concatenação lógica entre as idéias,


Afrouxamento das associações
nota-se já o afrouxamento dos enlaces associativos
Forma do pensamento

Descarrilhamento do pensamento Geralmente está associado a marcante distraibilidade

Sobram apenas “pedaços” de pensamentos, conceitos e idéias fragmentadas,


Desagregação do pensamento muitas vezes irreconhecíveis, sem qualquer articulação racional, sem que
sejam detectadas uma linha diretriz e uma finalidade no ato de pensar

Persecutórios

Depreciativos

Religiosos

Conteúdo do pensamento Sexuais

De poder, riqueza, prestígio ou grandeza

De ruína ou culpa

Conteúdos hipocondríacos
DELÍRIO PERSECUTÓRIO
DELÍRIOS DE PERSEGUIÇÃO
DELÍRIO DE REFERÊNCIA

Também apresenta colorido persecutório DELÍRIO DE RELAÇÃO

DELÍRIO DE INFLUÊNCIA OU CONTROLE

DELÍRIO DE GRANDEZA

DELÍRIO MÍSTICO OU RELIGIOSO Tipos de delírio Conceito Idéias delirantes que são juízos patologicamente falsos.
segundo seus
DELÍRIO DE CIÚMES E DELÍRIO DE INFIDELIDADE conteúdos
O verdadeiro delírio expressa uma quebra radical na biografia do sujeito, a
Primário transformação qualitativa de toda sua existência, sua pessoa se modifica, sua
DELÍRIO ERÓTICO (EROTOMANIA) personalidade sofre verdadeira transmutação.
Tipos
DELÍRIO DE RUÍNA (OU NIILISTA) O verdadeiro delírio expressa uma quebra radical na biografia do sujeito, a
Secundário transformação qualitativa de toda sua existência, sua pessoa se modifica, sua
DELÍRIO
personalidade sofre verdadeira transmutação.
DELÍRIO DE CULPA E DE AUTO-ACUSAÇÃO
DELÍRIOS DE CONTEÚDO DEPRESSIVO
Monotemáticos ou complexos
DELÍRIO DE NEGAÇÃO DE ÓRGÃOS

Estrutura Não-sistematizados ou sistematizados


DELÍRIO HIPOCONDRÍACO

Congruentes ou incongruentes com o humor.


DELÍRIO DE REIVINDICAÇÃO

DELÍRIO DE INVENÇÃO OU DESCOBERTA

Sentimento de perda ou de
DELÍRIO DE REFORMA (OU SALVACIONISMO) Despersonalização
transformação do Eu
Outros tipos de delírio ALTERAÇÕES
mnos frequentes PSICOPATOLÓGICAS
Afirma que existem animais ou objetos dentro de seu corpo DELÍRIO CENESTOPÁTICO DA VIVÊNCIA DO EU Transformação e a perda da
Desrealização relação de familiaridade com
o mundo comum
DELÍRIO DE INFESTAÇÃO

DELÍRIO FANTÁSTICO OU MITOMANÍACO