Você está na página 1de 3

12 Casos Clínicos do DSM-5

estava em idade escolar e continuam a college students. J Learn Disabil 40(1):49–65,


causar prejuízo acadêmico, ele satisfaz os 2007
critérios diagnósticos do DSM-5 para esse Sexton CC, Gelhorn H, Bell JA, Classi PM: The
transtorno. Ao fornecer documentação de cooccurrence of reading disorder and ADHD:
ambos TDAH e TEA, Carlos conseguirá epidemiology, treatment, psychosocial im-
pact, and economic burden. J Learn Disabil
ter acesso a auxílio educacional acadêmi-
45(6):538–564, 2012
co especial, o que deve permitir que ele
Svetaz MV, Ireland M, Blum R: Adolescents
prossiga seus estudos na faculdade com with learning disabilities: risk and protective
mais afinco. factors associated with emotional well-being:
findings from the National Longitudinal Stu-
dy of Adolescent Health. J Adolesc Health
Leituras Recomendadas 27(5):340–348, 2000
Frazier TW, Youngstrom EA, Glutting JJ, Wa- Turgay A, Goodman DW, Asherson P, et al:
tkins MW: ADHD and achievement: meta- Lifespan persistence of ADHD: the life tran-
-analysis of the child, adolescent, and adult sition model and its applications. J Clin
literatures and a concomitant study with Psychiatry 73(2):192–201, 2012

CASO 1.4
Problemas Escolares
Arden Dingle

Daphne, uma menina de 13 anos na


a
Testes indicaram que a inteligência de
1 série do ensino médio, foi levada para Daphne estava acima da média, seu rendi-
avaliação psiquiátrica devido a atribula- mento escolar estava adequado à idade em
ções acadêmicas e comportamentais. Suas todas as matérias (exceto em matemática)
maiores dificuldades eram relacionadas a e que havia um pouco de dificuldade nas
começar e completar tarefas escolares e se- habilidades visuoespaciais. Vários anos
guir instruções, além de ter recebido notas antes, seu pediatra havia diagnosticado
vermelhas em matemática. Quando solici- transtorno de déficit de atenção/hiperati-
tada a completar tarefas, Daphne discutia vidade (TDAH) e receitou um estimulante.
e ficava irritável. Ela ficou cada vez mais Ela tomou o medicamento durante uma
resistente em ir à escola, pedindo para fi- semana, mas seus pais pararam de admi-
car em casa com a mãe. nistrá-lo porque ela parecia agitada.

Barnhill_01.indd 12 02/09/14 13:32


Transtornos do Neurodesenvolvimento 13

Em casa, a supervisão intensa dos pais da ao falar sobre sua coleção de miniaturas
de Daphne em relação às tarefas escolares de cavalos e sobre sua família.
frequentemente levava a discussões com
choro e gritaria. Ela tinha duas amigas
de longa data, mas não fez novos amigos Diagnósticos
em vários anos. De modo geral, preferia • Transtorno específico da aprendizagem
brincar com meninas mais jovens que ela. (matemática).
Quando seus amigos escolhiam a ativida- • Transtorno de ansiedade generalizada.
de ou não seguiam suas regras, ela nor-
malmente se retraía. Em geral, permanecia
quieta em grupos e na escola, mas era mais Discussão
atrevida em meio a familiares.
Daphne tem sintomas de desatenção, an-
No início da infância, Daphne tinha di-
siedade, dificuldades acadêmicas, relacio-
ficuldade em pegar no sono, necessitando
namento limitado com pares e baixa au-
de uma luz acesa à noite e que seus pais
toestima que estão causando sofrimento e
a tranquilizassem. Reconhecendo que mu-
comprometimento em seu funcionamento.
danças a incomodavam, os pais de Daph-
Biologicamente, Daphne está passando pe-
ne raramente a forçavam a realizar novas
las mudanças hormonais da puberdade,
atividades. Ela se comportava bem durante
o verão, que passava com os avós em uma tendo como pano de fundo uma história
casa à beira do lago. Seus pais relataram familiar de transtornos do humor, de an-
que não havia nenhum trauma ou estres- siedade e da aprendizagem. Psicologica-
sor em particular, nem problemas médicos mente, Daphne está vivendo com a crença
ou de desenvolvimento. Daphne começou de que é inadequada, provavelmente em
a menstruar cerca de dois meses antes da conexão com as dificuldades atuais na es-
avaliação. Sua história familiar era relevan- cola. Em termos de desenvolvimento, ela
te no que diz respeito a parentes de primei- está funcionando no nível emocional de
ro e de segundo graus com transtornos do uma criança em idade escolar. Socialmente,
humor, de ansiedade e da aprendizagem. tem um ambiente familiar acolhedor que se
Na primeira consulta, Daphne estava destaca pela proteção a ela, possivelmente
tímida e tensa. Fez pouco contato visual, interferindo na aquisição de habilidades re-
e teve dificuldade em falar sobre qualquer lacionadas à independência e à autonomia.
coisa que não fosse sua coleção de cavalos Enquanto isso, o sistema educacional não
de plástico. Depois de 15 minutos, ela ficou proporcionou a Daphne o apoio necessário
mais à vontade e revelou que não gostava para que obtivesse sucesso acadêmico.
da escola porque as tarefas eram difíceis Os problemas acadêmicos de Daphne
e as outras crianças pareciam não gostar podem ser explicados, em parte, por um
dela. Afirmou que tinha medo de come- transtorno específico da aprendizagem de
ter erros, ter notas ruins e desapontar seus matemática. Ela tem dificuldades persis-
professores e pais. A preocupação com in- tentes nessa área, evidenciadas pela testa-
sucessos anteriores levou a desatenção e gem que demonstrou que seu desempenho
indecisão. Daphne negou que fosse com- é inferior ao seu nível intelectual e à sua
petente em algo e que algum aspecto de idade cronológica. Seu rendimento escolar
sua vida estivesse indo bem. Desejava ter em outras áreas acadêmicas e seu nível de
mais amigos. Pelo que conseguia se lem- funcionamento adaptativo, de modo geral,
brar, sempre se sentiu assim. Essas coisas parecem ser adequados à idade, indicando
a deixavam triste, mas negou sentimentos que sua inteligência global e seu funciona-
depressivos persistentes ou pensamentos mento adaptativo são normais e que ela
suicidas. Parecia ansiosa, mas ficou anima- não apresenta deficiência intelectual.

Barnhill_01.indd 13 02/09/14 13:32


14 Casos Clínicos do DSM-5

Pode ser difícil distinguir entre trans- mento, tornando-a emocional e socialmen-
tornos de ansiedade e do humor em crian- te imatura.
ças da idade de Daphne. Neste caso, um Sua imaturidade poderia sugerir um
transtorno de ansiedade é mais provável transtorno do espectro autista. Ela tem
porque os sintomas são crônicos em vez dificuldade em iniciar interações sociais e
de episódicos, como costuma ocorrer com apresentar reciprocidade com pares (apre-
sintomas depressivos. A tristeza de Daph- sentou baixo contato visual durante o exa-
ne está relacionada à sua sensação de insu- me), mas Daphne não tem dificuldades de
cesso e à preocupação com sua competên- comunicação nem rigidez ou comporta-
cia. Com a exceção de uma perturbação do mentos estereotipados associados ao au-
sono, ela não apresenta sintomas neurove- tismo. Seu comportamento melhora com
getativos. Sua dificuldade em dormir pare- a familiaridade e ela expressa interesse em
ce fundada em ansiedade, assim como sua seus pares.
inaptidão social, sua relutância em se sub- De modo semelhante, suas habilidades
meter às demandas escolares e sua reação de linguagem, fala e comunicação também
exagerada quando se depara com tarefas parecem ser adequadas em seu nível de
indesejadas. Além da ansiedade em rela- desenvolvimento, tornando improvável a
ção a suas capacidades, Daphne parece es- existência de transtornos nessas áreas.
tar preocupada com segurança, o que pode O transtorno de oposição desafiante
explicar seu aspecto tenso. Ela lida com a também poderia ser considerado, uma
ansiedade evitando ou controlando ativi- vez que Daphne é resistente e não cola-
dades. Embora algumas de suas preocupa- bora na escola e em casa na hora de rea-
ções sejam compatíveis com outros trans- lizar seu trabalho acadêmico. Contudo,
tornos de ansiedade, como transtorno de essa atitude e esse comportamento não se
ansiedade social (fobia social) ou transtor- repetem em outras situações e seus com-
no de ansiedade de separação, as preocu- portamentos não satisfazem os requisitos
pações de Daphne vão além dessas esferas. para nível e frequência de sintomas do
Devido ao âmbito global de sua ansiedade, transtorno de oposição desafiante. Eles
o diagnóstico mais adequado é transtorno são mais bem interpretados como uma
de ansiedade generalizada (TAG). manifestação de ansiedade e uma tentati-
O TAG é caracterizado por preocupa- va de lidar com ela.
ção e ansiedade excessivas persistentes. Os Desatenção é um sintoma que ocor-
critérios sintomáticos incluem inquietação, re em uma ampla gama de diagnósticos.
má concentração, irritabilidade, tensão Indivíduos com TDAH têm problemas
muscular, perturbação do sono e cansaço com atenção, impulsividade e/ou hipe-
fácil. Embora três dos seis critérios sejam ratividade que ocorrem em vários contex-
necessários para adultos, um diagnóstico tos antes dos 12 anos de idade e causam
de TAG pode ser estabelecido para crian- prejuízo significativo. Embora Daphne
ças com apenas um sintoma além de ansie- tenha vários sintomas compatíveis com
dade e preocupação excessivas. desatenção, eles parecem estar restritos
Dificuldades sociais são comuns em ao ambiente escolar. Ela também não pa-
crianças e adolescentes, especialmente rece apresentar problemas significativos
entre os que apresentam transtornos psi- com comportamentos relacionados a im-
quiátricos. As questões de Daphne estão pulsividade ou regulação de atividade.
relacionadas à sua ansiedade quanto a ser O TDAH deve permanecer uma possibi-
competente e ao desejo de que os outros lidade diagnóstica, mas outros diagnós-
gostem dela. As atribulações acadêmicas ticos explicam melhor as dificuldades de
e a ansiedade retardaram seu desenvolvi- Daphne.

Barnhill_01.indd 14 02/09/14 13:32

Você também pode gostar