Você está na página 1de 2

Gênero e Mídia

Muito se tem discutido a respeito de gênero e mídia, a relação que esses


dois tem hoje em dia é explorada na apresentação de ideias e imagens, tanto de
quem produz quanto de quem ver. A utilização dessas imagens em
representações visuais tem como objetivo passar o que maioria deseja para si,
através de corpos bem esculpidos, curvas perfeitas e boa aparência. É só o que
se vê “literalmente”, porque para demonstrar a utilidade do seu produto, fazem
uso das mulheres apenas como linguagem visual, ou seja, elas basicamente não
têm fala, isso se dá pelo fato de que viemos de uma cultura patriarcal, portanto,
ainda existe o conceito do homem que tudo pode e a mulher vista como
submissa, dona de casa, sem voz e opinião. Portanto, há um contraste entre o
real e a ideologia.
Ilusão é o que é vendido, vemos esse fato explicitamente nas novelas,
comercias, revistas e programas televisionados, pois a maioria dos
consumidores não se contentam com o que tem, sempre querem ir em busca de
mais e do melhor compulsivamente, fazendo com que alguns se aproveitem
dessa necessidade e acabem dando exatamente o que essa sociedade
consumista quer, visando sempre o prevalecimento desse desejo. Mesmo
sabendo que algumas pessoas não querem seguir esse costume, essa é a
mensagem passada, de que as mulheres têm que ter em maior importância sua
beleza exterior e que é só isso que se aproveita delas para o mundo. Será que a
aparência realmente é o mais importante? Ou os valores precisam ser
ressaltados em demonstração de caráter? Garotas recebem desde cedo a
mensagem de que o mais importante é a sua aparência, que seu valor depende
disso, e os garotos recebem a mensagem de que isso é importante sobre as
meninas. Isso é visto nitidamente pelas influencias que elas sofrem ao
assistirem programas televisivos.
É imprescindível o cuidado que temos de tomar com o nosso corpo,
entretanto, os meios de comunicação devem dar mais importância aos valores
morais que precisam ser construídos, como: o perdão, a honestidade, o amor e
a consideração pela vida. A base de uma sociedade estruturada deve ser erguida
a partir do respeito mútuo entre seus componentes, onde ninguém é tratado
como objeto, tendo em vista a igualdade de gêneros. A mensagem passada aqui
expõe a imposição da sociedade; colocando um padrão de vida nas pessoas, e
alguns podem se perguntar o que tem de mais? Simples, a geração que está por
vir terá uma ideia de que a mulher não terá outra utilidade a não ser a satisfação
inevitável dos desejos comuns entre as pessoas.
Contudo, deveríamos ter mais ações de projetos que intensificassem o
apoio, a motivação à auto-estima e a aceitação de quem você é e não o que te
impõem a ser. Seria necessário uma reforma de conceitos que atingisse toda a
população e não só uma parte dela, isso acarretaria em mudanças satisfatórias
para ambos os gêneros e igualizaria a posição de pensamento das pessoas
fugindo desse padrão antiquado e nada prático porque a partir deste conceito
nos livramos deste conflito.