Você está na página 1de 239

Suplementação

nutricional
APLICANDO OS CONHECIMENTOS
ADQUIRIDOS
Precisamos suplementar ?
 Dieta adequada?
 Sono adequado?
 Sobrecarga de trabalho x repouso?
 Qualidade dos alimentos?
 Disponibilidade de fitoquímicos e micronutrientes?
 Individualidade bioquímica?
GARVIN, D F et al .Historical shifts in the seed mineral micronutrient concentration of US
hard red winter wheat germplasm Journal of the Science of Food and Agriculture J Sci Food
Agric 86:2213–2220, 2006.

A produtividade aumentou dramaticamente devido


à modificação genética - maior crescimento, resistência a
doenças e melhor adaptação, melhoria de práticas de manejo.
Mostra redução severa nos níveis de Fe, Zn, Cu e Se
em grãos de trigo
Grande responsável – GLIFOSATO que impede que o crescimento
das ervas daninhas ao reduzir o teor destes nutrientes.
Agricultura moderna reduz ainda níveis de w3 e w6 nos alimento
Gaino, NM. Estado nutricional e disponibilidade de nutrientes e carotenóides para
a população brasileira, teses Usp.2012.
http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-16082012-110404/pt-br.php acessado
em 23.09.2012

 O conteúdo médio observado para as vitaminas A, B1 e B2 atendeu aos valores de referência para a
a disponibilidade de cálcio,
totalidade das famílias. No tocante aos minerais,

magnésio, zinco, potássio e ferro revelou-se reduzida na


maioria dos domicílios brasileiros. Os valores médios
observados para os minerais sódio e manganês
superaram o recomendado para a totalidade das famílias. A
disponibilidade de carotenóides apresentou um aumento importante na última pesquisa (POF 2008-2009)
quando em comparação com os valores identificados por meio da POF 2002-2003. Porém, revela-se ainda
pouco expressiva nos domicílios brasileiros. Ressalta-se que os resultados referem-se às estimativas das
quantidades de alimentos adquiridos para consumo no domicílio, podendo os mesmos envolver algum grau
de subestimação. Os resultados obtidos nesta pesquisa evidenciam diferenças expressivas da
disponibilidade de energia e nutrientes para as famílias brasileiras. Maior disponibilidade de carotenóides
totais foi observada nos domicílios da Região Sul, com destaque para as famílias residentes nas áreas rurais.
O sobrepeso e a obesidade destacaram-se entre os adultos.
Refeição alimento Quantidade
Desjejum Suco feito com frutas e folhas verdes 1 copo
orgânicas
Brotos germinados
Oleaginosas e sementes 1 colher de sopa
Lanche manhã Fruta ou oleaginosas 1 porção

Almoço Vegetais crus variados organicos 2 xícaras


Arroz integral ou quinua ½ xícara
Feijão tipos variados ou lentilha 1 concha
Gado, frango ou peixe – grelhado ou assado 150 a 200 g
Azeite extravirgem
Suco de limão ou chá de ervas 1 colher de sopa
farelo de aveia ou linhaça 200 ml no máximo
1 colher de sopa
Lanche tarde Frutas picadas com sementes, óleo de coco 1 porção
ou abacate com cacau e mel ou vitamina
com frutas e cereais germinados
oleaginosas
Jantar Vegetais crus variados e legumes cozidos 2 a 3 xicaras
no vapor
Peixe ou frango grelhado ou ovo cozido 150 a 200 g
Mandioca ou arroz integral
Azeite extravirgem 100 g
Suco de fruta organica ou vinho tinto seco 1 colher de sopa
150 ml
Ceia Fruta com sementes ou oleaginosas 1 porção
O que pensar na hora de
suplementar?
 Queixa principal
 Dieta atual e a mudança?
 Disponibilidade – tempo, financeira, vontade, disciplina
 Prioridades – parasitas? Constipação? Metais tóxicos?
Alergias/imunidade?
 Vislumbrar o “projeto paciente”
A farmácia
 Elo cliente – profissional – farmácia
 Acesso – tele entrega, proximidade casa ou trabalho
 Negociação com cliente
 Feedback profissional – farmácia
 Relacionamento – atendimento, informação e conhecimento,
flexibilidade
Paciente

Nutricionista
farmacêutico Médico
Terapeuta
O nutricionista pode fazer prescrição
de suplementos nutricionais?
A Lei nº 8.234, que regulamenta a profissão de nutricionista, define no
art. 4 atividades atribuídas ao profissional, desde que relacionadas à
alimentação e nutrição, entre elas a prescrição de suplementos
nutricionais, necessários à complementação da dieta. Ainda, a
Resolução CFN nº 390/2006, que regulamenta a prescrição dietética de
suplementos nutricionais pelo nutricionista traz em seu art. 2 que devem
ser respeitados os níveis máximos de segurança, regulamentados pela
ANVISA, e na falta destes, os definidos como “Tolerable Upper Intake
Levels” (UL), ou seja, Limite de Ingestão Máxima Tolerável, sendo este o
maior nível de ingestão diária de um nutriente que não causará efeitos
adversos à saúde.
RDC – n417/2008
ANEXO I cód 07.022

Prescrição de suplementos nutricionais: ...visando


complementação da dieta para atender as demandas
específicas e/ou prevenir carências nutricionais.

www.cfn.org.br
RESOLUÇÃO CFN nº 525/2013
(D.O.U de 28/06/2013, página 141, Seção I)
REGULAMENTA A PRÁTICA DA FITOTERAPIA PELO NUTRICIONISTA, ATRIBUINDO-LHE COMPETÊNCIA PARA, NAS
MODALIDADES QUE ESPECIFICA, PRESCREVER PLANTAS MEDICINAIS, DROGAS VEGETAIS E FITOTERÁPICOS COMO
COMPLEMENTO DA PRESCRIÇÃO DIETÉTICA E, DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
(Revoga pela Resolução CFN nº 402/2007)
• SUPLEMENTOS • FITOTERÁPICOS
NUTRICIONAIS formados a partir de
formulados de plantas ou parte destas,
vitaminas, minerais, reconhecidas como
aminoácidos, ácidos eficazes e seguras para
graxos, carboidratos e determinado sintoma
fibras isolados ou agudo.
associados entre si. • Deve complementar a
conduta dietética e
• Existe associação de norteará a recuperação
suplementos com nutricional do paciente.
extratos vegetais com
finalidade terapêutica.
TABELA NECESSIDADES
NUTRICIONAIS
 compilação da tabela da USDA da The National Academies

 http://www.nal.usda.gov

 Google – dietary reference intakes – DRI tables


Absorção intestinal
ESTOMAGO
Cl, Mg, Ca, Fe, Zn, Cu, Mn,
DUODENO
monossacarídeos (frutose,
(25 cm) maltose, galactose)
Lipideos (AGCC, AGCL)
JEJUNO Vits B1, B2, B6, folato, C
A, D, E, K
(2,5 m)
ÍLEO
(3,5 m)
Dissacarideos, B1, B2, B6, folato,
Proteínas e aminoácidos

Colesterol, B12, sais biliares


E quando estes nutrientes sofrem
interrupção no seu trajeto?

A homeostase orgânica
está assegurada por
nutrientes perfeitamente
identificáveis, com funções
definidas, atuando como
cofatores essenciais ao
metabolismo bioquímico.
Componentes que afetam o
estado nutricional

Ingestão Digestão Absorção Necessidade Estado


alimentar nutrientes nutrientes nutricional nutricional

Qualidade
Doenças ,
Quantidade dos
Hcl, estresse,
Alimentos
enzimas, idade, sexo,
(orgânicos, Competên Efeito
sais biliares, ambiente,
fortificados, cia combinado
medicamen genética,
frescos, integrais) intestinal, de todos os
medicamen
tos alergias, anteriores
tos
disbiose
Avaliação clínica

• Anamnese adequada – sintomatologia,


pele, unhas, cabelos...
• Questionário de rastreamento metabólico :
serve para reflexão da necessidade do
paciente e para posterior avaliação dos
resultados
Nossos recursos
• DIETA ALIMENTAR –
alimentos funcionais
• MINERAIS
• VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS
• VITAMINAS LIPOSSOLÚVEIS
• AMINOÁCIDOS
• ENZIMAS, PREBIÓTICOS, PROBIÓTICOS,
ÓLEOS VEGETAIS
• FITOQUIMICOS ?
• FITOTERÁPICOS
Por onde começar ????

DETOXIFICAÇÃO
HEPATICA INTESTINAL
Dose da droga
administrada

FARMACOCINÉTICA
ABSORÇÃO
Droga nos
DISTRIBUIÇÃO
tecidos de
Concentração da
distribuição
droga na
circulação Droga
sistêmica metabolizada ou
Concentração excretada
da droga

FARMACODINÂMICA
no local
de ação
Efeito farmacológico

Resposta clínica

Toxicidade Eficácia
Má absorção
• Mudanças na dieta alimentar e suplementação serão de
pouca ou nenhuma valia se houver dificuldades de absorção
– hiperpermeabilidade intestinal aonde as microvilosidades
retém nutrientes para sua reparação, aonde há fezes
acumuladas em blocos dificultando acesso aos sítios
absortivos.
• TRATAR DISBIOSE – REPARAR MUCOSA
• DESTOXIFICAÇÃO HEPÁTICA
Por onde começar?
• Disbiose – hiperpermeabilidade
• Detoxificação hepática e intestinal –
xenobioticos
• Nutrição celular – produção ATP
• Estresse oxidativo – reduzir EROs
• Neuroquimica – mente e cérebro
A saúde do TGI
• Sucos digestivos e enzimas ?
• Mucosa intestinal integra ?
• Capacidade hepática de eliminação de
metabólitos?

RESTAURAR E
REPARAR ANTES
DE SUPLEMENTAR
CONSEQUÊNCIAS DO DESEQUILÍBRIO INTESTINAL

Grande circulação de moléculas antigênicas levando ao


estresse do mecanismo de detoxificação e perpetuação
da carga tóxica –
estresse oxidativo no organismo
como um todo
Passam toxinas e macromoléculas –
alimentos mal digeridos
Início do quadro alérgico
substâncias
tóxicas
e deletérias
Permite a entrada de
nutrientes através da
barreira intestinal,
enquanto bloqueia a
entrada de
macromoléculas e
toxinas

.
Interfere na funcionalidade
da barreira, bloqueando
nutrientes para a reparação
das vilosidades, enquanto
permite a translocação de
toxinas e macromoléculas
para a circulação
• Parte superior – hipocloridria (azia)
• Imediata – falta de mastigação
• 3 horas após refeição – fermentação no cólon, super
crescimento bacteriano intestinal, alergia alimentar
• Gases o dia inteiro – disbiose, fermentação no cólon
ANTES DA EVACUAÇÃO
processo inflamatório
bactérias patogênicas
pólipos
excesso de açúcar

HALITOSE
má digestão, disbiose,
déficit Zn, hipocloridria
• Fezes ideais: bem formadas, hidratadas, saem com
facilidade e com aspecto de uma banana marrom
• Fezes muito tempo no cólon: pequenas bolas secas,
grandes com fendas
• Trânsito muito rápido – má absorção: pedaços moles,
pedaços de alimentos inteiros, disformes
• Fezes em forma de cobrinhas : alergia alimentar

Escala de Bristol, publicada no British Medical Journal em 1992


ESCALA BRISTOL DE FEZES

TIPO 1 Pedaços separados – cápricas

TIPO 2 Forma de salsicha – segmentada

TIPO 3 Forma de salsicha com fendas na superfície


Forma de salsicha ou cobra, lisa e mole

TIPO 4

Pedaços moles, contornos nítidos

TIPO 5
Pedaços aerados, contornos esgarçados
TIPO 6

Aquosa sem peças sólidas

TIPO 7
• Remover: patógenos, xenobióticos e alérgenos
alimentares
• Reinocular: probióticos e prebióticos
• Recolocar : enzimas digestivas
• Reparar : dieta não irritativa, nutrientes e fitoquímicos
tróficos e de reparo da mucosa
Pode se iniciar os 4 passos ao
mesmo tempo ou dependendo do
caso ir aos poucos

1º dieta desintoxicante+ tratar parasitas


2º enzimas digestivas + Hcl
3º probióticos + prebióticos
4º suplementos nutricionais que dependem
de uma boa capacidade digestiva para
serem absorvidos e exercer efeitos
benéficos
• Parasitoses e fungos : óleo de alho e tomilho, tintura
removedora, Aloe Vera, sementes e condimentos.
• Alergenos alimentares
• Alimentos tóxicos: açúcar em excesso, adoçantes,
corantes, aromatizantes, café em excesso, refrigerantes
...
• Tintura
Mentha piperita------------ 50%
Thymus vulgaris ----------- 50%
preparar 50 ml
tomar 20 gotas 3x ao dia diluídas em água longe
das refeições
crianças acima de 2 anos : 5 gotas
• Mistura de sementes moídas:
sementes : abóbora, melão, melancia “torrada” e moída : 2 colheres
de sopa ao dia (adultos) 1 colher de sopa (crianças) por 7 a 10 dias
• Alho e tomilho (Garlic thyme forever) : 4 a 8 cápsulas ao dia durante
7 dias ou cápsulas de alho desodorizado – 500 mg: 4 cp ao dia por 30
dias
Candida
Integrante da flora
É dimorfa – esporo e
micélio
É oportunista,
aproveita
deficiência do
sistema
imunológico para
se tornar micélio e
Adora açúcar, cerveja, cogumelos,
queijos mofados ultrapassar a
barreira intestinal
TRATAMENTO CANDIDA

• 60 dias a 180 dias


• Pool de probióticos ou vital plex : 1 cp ao dia (crise vaginal fazer uso
local)
• Óleo de alho -------------- 60 a 120 cp 2x ao dia
• Clorela ---------------------- 500 mg - 2 a 3 x ao dia
• Aloe vera -------------------- 30 a 60 ml – 2 x ao dia
• Óleo coco extravirgem ------ 1 colher de chá 3 x ao dia = 1 cS
• TINTURA: tomilho+própolis+berberis
• BIOCELL – iodo + cobre + Mn vitta B12
• DIETA baixo IG, livre de açúcar, lácteos e fermentados
• Uso diário por no mínimo 6 meses - para
cicatrização e ação antibacteriana – 30 a 60 ml
ao dia
• O uso de aloe vera reduziu a adesão
leucocitária ao endotélio, mostrando
diminuição nos níveis de TNF-α, um
importante marcador inflamatório.
RATSAMEE P. et al Anti-inflammatory effects of Aloe vera on leukocyte-endothelium
interaction in the gastric microcirculation of Helicobacter pylori-infected rats. Clinical
hemorheology and microcirculation.v. 35 ed 3 p. 359-66, 2006.
Óleo de coco extravirgem
• libera monolaurina no intestino - precursora do ácido láurico – solubiliza as
membranas dos fungos
• Ação antiinflamatória - reduz IL 6 e PGE2 (inflamatórias)
• Parece atuar ainda contra Epstein Barr (mononucleose) e helicobacter pylori
• Não necessita de enzimas para digestão, gera energia, sem ser estocada sob forma
de gordura – não engorda!
• Tipo de gordura estável a altas temperaturas podendo ser aquecido
• Fibromialgia, baixo HDL, AIDS, câncer, alergias,candidíase, úlceras, diabetes

http://www.aromalandia.com.br/oleos_lauricos.html
Óleo de coco extravirgem
• The serum LDL/HDL cholesterol ratio is influenced more favorably by exchanging saturated with
unsaturated fat than by reducing saturated fat in the diet of women. Autores: Muller H,Lindman
AS,Brantsaeter AL,Pedersen JI Revista: J Nutr (The Journal of nutrition). Idioma: InglêsVolume: 133
Edição: 1 Páginas: 78-83 Data: 2003 Jan.
a relação LDL /HDL sofreu melhor influência mais favorável pela inclusão de gordura saturada com
insaturada do que apenas reduzir a gordura saturada da dieta de mulheres.
• ÁCIDO LÁURICO: POTENCIAL “ANTIBIÓTICO NATURAL” CONTRA BACTÉRIA DA ACNE. Journal of Investigative
Dermatology advance online publication, 2009

• http://www.dr-organico.com.br
O óleo de coco possui os seguintes ácidos graxos, pela ordem de
quantidade:
Ácido láurico 44-52%
Ácido mirístico 13-19%
Ácido palmítico 7,5-10,5%
Ácido oléico 5,8%
Ácido caprílico 5,5-9,5% (anti fúngico)
Ácido cáprico 4,5-9,5%
Ácido linoléico 1,5-2,5%
Ácido esteárico 1-3%
Ácido capróico 0,3-0,8%.
Ácido araquídico até 0,04%
MODELO de SUPLEMENTAÇÃO
para
DETOXIFICAÇÃO INTESTINAL
I) Aloe Berry Néctar (suco de babosa)--------- 1 frasco

Ingerir 30 ml (1/2 xícara cafezinho) usar até 3x ao dia

OU aloe vera gel (sem sabor)


casos de disbiose, candida, hiperperm, SII, Chron, gastrite,
úlcera, aftas, gases, imunidade baixa)

OU chá detoxificante

+ chás DENTE DE LEÃO, CHAPÉU DE COURO, ESPINHEIRA


SANTA, ERVA DOCE ou FUNCHO ou HORTELÀ
II) Óleo de alho ----------------- 120 cápsulas

Ingerir 2 cp junto ao almoço e 2 cp junto ao jantar

Ou GARLIC THYME (sem odor, alho+tomilho) – idem


posologia
Ou cardamomo, alecrim, coentro, gengibre no preparo dos
alimentos ou como chá
Suplementação PROBIÓTICOS
III)
Lactobacilos acidophilus ----------------- 1 bilhão UFC
Lactobacilos bulgaricus --------------------- 1 bilhão UFC
Lactobacilos casei ------------------------ 0,5 bilhões UFC
Lactobacilos Rhamnosus------------------ 0,5 bilhões UFC
Bifidum bacterium ---------------------- 1 bilhão UFC
FOS -------------------------------------------- 500 mg
ou glutamina --------------------------500 mg a 1 g

Preparar 30 ou 60 doses para 30 dias


Modo de Usar: 1 cp pela manhã e 1 cp à noite
GUARDAR NA GELADEIRA
USAR LONGE DE ALIMENTOS QUENTES
AO ACORDAR OU AO DEITAR
AVALIAR A NECESSIDADE DO PACIENTE
AVALIAR O CUSTO COM A FARMÁCIA
IV) L-glutamina ----------------- 1 a 10 g / dia

preparar 30 ou 60 doses para 30 dias


ingerir 1 dose antes do almoço
(CÁPSULAS OU SACHES pode ser somado ao pool de
lactobacilos)
• aminoácido mais abundante no plasma
• nutre várias células do corpo
• nutre e repara os enterócitos
vai ser usado para reparar as células do TGI
OU SUCO VERDE com couve, germinados e frutas
MAIS...
Clorella – até 1 g ao dia
Tinturas – misturar até 3 ervas - espinheira
santa, funcho, hortelã, guaçatonga, alcachofra,
marcela, alecrim, dente de leão, gengibre – 30 a
40 gotas após as refeições
•Solução de Hcl a 5% ------------ 30 ml
Colocar 3 gotas em um pouco dágua e tomar
imediatamente após o almoço e o jantar
Ir aumentando gradativamente até chegar a 7
gotas
não usar em gastrite aguda
OU
vinagre de maçã (ácido málico) : 1 colher
sopa em 1/3 copo dágua
OU suco de limão junto às refeições
•Enzimas digestivas --------- 60 cápsulas
Ingerir 1 cápsula 30 minutos antes do almoço e
jantar (direcionar conforme o caso)
incha a barriga e arrota muito – Hcl + enzimas
A escolha da enzima
Parâmetro a considerar Importância Observações
Tipo de enzima na Direcionamento do tipo de Em caso de deficiência
formulação macronutriente a ser pancreática exócrina –
digerido. lípases, amilases e
Em AA hidrolisar proteínas
proteases
Tipo de cápsula – Relação com a A eficácia da terapia é
microesferas, resistência a digestão maior quando as
microtabletes ou gelatina gástrica enzimas são
administradas entre as
refeições ou logo após
as refeições
Tamanho da particula Critério da eficiência Não pode ser > 1,4 mm
enzimática
Área de superfície Relação com a dispersão 18-19 cm3/g
das partículas com o quimo
Ação da enzima em Auxilia na dosagem Dependendo da marca,
relação ao conteúdo necessária varia entre 35-80%
declarado
Rev Bras Nutr Func. n 47, pg 27, 2010.
• Bromelaina 100 mg – gorduras
• Papaína 100 mg – proteínas
• Pepsina 100 mg – proteínas Estomago
• Protease 100 mg - proteínas
• Lipase 100 mg - gorduras
• Pancreatina 100 mg – carboidratos Duodeno
• Amilase 100 mg – carboidratos

Preparar 60 doses para 30 dias


Tomar 1 dose no almoço e 1 dose no
jantar
www.sunroadsfarmory.com
... “Sprouts are a tremendous source of
(plant) digestive enzymes. Enzymes act as biological
catalysts needed for the complete digestion of protein, carbohydrates & fats. The
physiology of vitamins, minerals and trace elements is also dependant on
enzyme activity.”. ...

Shipard, I. (2005). “How Can I Grow and Use Sprouts as Living Food ?”
Stewart Publishing.
Bahl, P. N. The role of food legumes in the diets of the
populations of Mediterranean areas and associated nutritional
Sprouting of seeds and nutrient composition of seeds
and sprouts. Journal of Food Science 40: 552-556. ...

Dikshit, M. and Ghadle, M. Effect of sprouting on nutrients,


antinutrients and in vitro digestibility of the MACS-13 soybean
variety. Plant Foods for Human Nutrition v. 58, n. 3, 1-11, 2003

Masutani, H. et al. Thioredoxin and Thioredoxin Inducers


against Oxidative Stress Journal of Clinical Biochemistry and
Nutrition. V. 37, 2005.
BROTOS CASEIROS

pt.petitchef.com/.../cultura-de-brotos-passo-a-passo-fid-286240
1) COQUETEL LAXATIVO
• 4 ameixas em molho por 8 horas
• 1 a 2 colheres de sopa de linhaça
• 1 laranja com bagaço e pectina
Bater tudo no liquidificador e beber em
seguida
2) FAROFA de SEMENTES : usar 1 a 2
colheres de sopa ao dia
www.maribel.com.br
3) MISTURA de SEMENTES :
200 g farinha de linhaça
200 g de amaranto em flocos ou farelo de aveia
200 g de farinha de coco ou uva ou maracujá
100 g de semente de gergelim
Misturar todos os ingredientes e guardar em pote escuro
na geladeira. Usar 2 colheres de sopa ao dia
• Proteínas de boa qualidade: peixes, soja,
leguminosas, ovos
• Gorduras poli e monoinsaturadas: ômega 3,
linhaça, oleaginosas, sementes, óleos
prensados a frio
• Cereais integrais: no mínimo 2 vezes ao dia
• Água: 30 ml por kg de peso/dia
• Probióticos e prebióticos
• Antioxidantes e antiinflamatórios: gengibre,
açafrão, frutas e vegetais, sucos verdes
• Aloe Vera, glutamina
Muito sódio,
Muito
conservante
Muito sabor
artificial
fechandoziper/com/blog
SAL de ERVAS
Ingredientes:
• 2 colheres de sopa de alecrim
• 2 colheres de sopa de manjericão iodo
• 2 colheres de sopa de orégano
• 1 colher de sopa de tomilho
• 3 folhas de alga nori cortada em tirinhas
• 1 colher de chá de curcuma em pó
• 1 pitada de pimenta do reino curcumina
• 2 colheres de sopa de sal marinho
Modo de Preparo
• Para desidratar ervas frescas, coloque em um saco de papel e pendure em um local
aquecido.
• Bata no liquidificador todos os ingredientes secos até formar uma mistura
homogênea.
• É ideal para quem precisa diminuir o uso do sal e manter a pressão controlada. A
mistura pode ser usada em qualquer alimento, feijão, saladas, vegetais refogados.
Carboidratos de boa qualidade
• Cereais integrais : arroz integral, pão integral,
aveia, granola - vitaminas do complexo B,
magnésio, zinco, vitamina E, amido resistente e
oligossacarídeos
• Farelo de aveia: rica em beta glucana e ácido
gama linolênico - auxilia na redução do LDL
• Soja, rica em vitamina E, lecitina, ácidos graxos
essenciais – omega 3 e 6, isoflavonas e boa fonte
de proteína.
100 x mais zinco que
cádmio

16 x mais zinco que


cádmio
• Cádmio = fixador de agrotóxicos
folheares – colheita de fumo,
cana de açúcar, café, chá,
maconha
Gorduras de boa qualidade

• Abacate protetor do fígado – ajuda a melhorar o nível do HDL


• Azeite de oliva extravirgem - omega 9, auxiliando a redução
da oxidação do LDL, reduz hipertensão.
• Semente de linhaça, rica em omega 3 e lignanas com
propriedades antifúngicas e antioxidantes. Promove redução
da agregação plaquetária.
• Oleaginosas : nozes, castanhas, amêndoas e avelãs, semente
de girassol. Ricas em vitamina E, selênio, magnésio,
manganês, resveratrol e arginina, omegas 3 e 9.
Consumo de ômega 6 e 3 ?

3 3
3

6
6 6
X
Proteínas de boa qualidade
• Aumentar o consumo de peixes, atum ou
sardinha em óleo, fornecendo ômega 3, além de
ser uma carne de mais fácil digestão.
Recomendação: 1 a 2 vezes por semana, assado
ou cozido.
• Acrescentar limão e ervas como alecrim e sálvia
que protegem da oxidação e também inibem a
ação de toxinas.
OVOS
• Boa fonte de proteínas, já foi considerado o
grande responsável pelo colesterol elevado.
• Contem colesterol, lecitina, ômega 3,
vitamina A, colina e aminoácidos essenciais
DESEMPENHAR UM CONSUMO CONSCIENTE
BUSCANDO ALIMENTOS QUE FAZEM NOSSO
CORPO FUNCIONAR ADEQUADAMENTE
DETOXIFICAÇÃO
• Ocorre naturalmente
• 60% no figado
• 20% intestino
• Pulmões, cérebro, pele, rins, adrenais ...
FASE I – biotransformação da substância apolar
em polar - metabólito reativo
FASE II – bioinativação 12 processos - transforma
moléculas reativas para serem eliminadas –
metabólito não reativo
FASE III – P-glicoproteina – transporta o
metabólito para ser eliminado – intestino, urina
Suplementação de vitaminas e minerais durante os três períodos

Nutriente Ação Fase 1 Ação Fase 2


Ácido ascórbico/ Ação antioxidante; CYP450 é
dependente para transporte ------
Bioflavonóides
de elétrons; hidroxilação do
(rutina,quercetina,hisperidina) ácido biliar
Ação antioxidante devido à ------
hiperatividade do CYP450
Alfa-tocoferol
(reduz a formação de
peróxidos)
Auxilia na metabolização de Enzima glutationa
aldeídos redutase
Tiamina
Enzima flavina Enzima glutationa
monoxigenase e redutase
Riboflavina
Composição do CYP 450
Enzima glutationa
Composição do CYP 450 reditase
Nicotinamida
------ Fundamental para o
processo de
Pantotenato de cálcio
transaminação, liga-se à
Coenzima A; Carreador
dos grupos acetil
Nutriente Ação Fase 1 Ação Fase 2

5-PIRIDOXAL Fosfato ------ Metabolismo da metionina e


glutationa
------ Importante na metilação
Ácido fólico
------ Participa de reações em que
ocorre transferência do
Cianocobalamina
grupo metil
Síntese de glutationa; Participa do processo de
Biotransformação da metilação
Magnésio
amônia; Produçaõ de ATP
Presente nas enzimas que Atua na síntese e utilização
catalisam reações de óxido- de aminoácidos sulforosos;
Molibdênio
redução, tais como xantina Fundamental na utilização
oxidade, aldeído oxidade e da vitamina C em nível
molibdênio hidroxilase celular

Zinco Presente na enzima álcool Fundamental para enzima de


desidrogenase conjugação
Cobre Ativação de enzimas – SOD ------
Alimentos que auxiliam a fase III

• Extrato de alho envelhecido, pimenta


vermelha (capsaicina), pimenta preta
(piperina), gengibre, brássicas, cebola,
chá verde, ginseng, silimarina, cúrcuma.
BERGINC, K, 2009
ZHANG, W, 2009
Cálcio – citrato, CMG, quelato 300 mg
Magnésio – aspartato, citrato, 300 mg Exige avaliação:
ascorbato, piruvato, glicinato bioquímica, clinica,
Zinco quelado 40 mg
biorressonância..
Cobre quelado 1 mg
Boro quelado 1 mg
Preparar 30 doses para 30 dias dividir
Selênio quelado 40 mcg em 2 tomadas
Tomar 1/2 dose ANTES do almoço e ½
Cromo quelado, DNG ou 400 mcg dose ANTES do jantar
picolinato OU
Fósforo complex 25 mg Preparar 60 doses para 30 dias
Tomar 1 dose APÓS o almoço e
Molibdenio quelado 10 mcg jantar
Iodo biológico ou kelp 50 mg
Potássio quelado 25 mg
Silicio quelado 15 mg
cloridrato de riboflavina 10 mg Colina 100 mg
cloridrato de tiamina 10 mg Inositol 100 mg
Ácido lipoico 100 mg
piridoxal fosfato 30 mg
Coenzima Q10 100 mg
biotina 50 mcg
Nacetilcisteína 300 mg
Nicotinamida 15 mg
Ácido fólico 200 mcg MSM 250 mg
Sylimbum marianum 200 mg
Ácido pantotenico 50 mg
Sulfidrilbase 200 mg
Vitamina C 500 mg
Bioflavonóides mistos 100 mg
Suporte hepático
Vitamina E 100 UI
Vitamina D3 1000 UI
Preparar 30 doses para 30 dias dividir
Vitamina A 500 UI em 2 tomadas
Tomar 1/2 dose ANTES do almoço e ½
Vitamina K2 40 mcg dose ANTES do jantar
antioxidante
Pinus pinaster 50 a 100 mg
articulações
Colageno UCII 40 mg
Suporte
tireoide
L-tirosina 100 a 500 mg
Suporte
Cordiceps sinensis 500 a 1000 mg adrenal

Metilcobalamina ( PHD) 500 a 1000 mcg Indicar o


fornecedor
PQQ 5 a 10 mg
Suporte
Exynutriment 100 a 300 mg
cognitivo
Curcuma longa 100 a 300 mg
Suporte
Transresveratrol 15 a 50 mg cutaneo
antioxidante Suporte
Preparar 30 doses para 30 dias dividir em 2 tomadas antiinflamatório
Tomar 1/2 dose ANTES do almoço e ½ dose ANTES do jantar
• MSM : metilsulfonilmetano - ação antiinflamatória e
antálgica (dores articulares e osteoporose)
• Usar 300 a 500 mg por dia
• SULFIDRILBASE : cisteina + metionina+ taurina :
usar de 100 a 200 mg por dia
• NACETILCISTEINA : usar de 200 a 300 mg por dia
• SILIMARINA – fitoterápico protetor do fígado, pode e
deve ser usado para eliminar toxinas
150 a 400 mg /dia
• Complexo B + Mo + Mn + antioxidantes + flavonóides
Cálcio ?

Gergelim: 1 colher sopa


= 97 mg

Feijão : 100 g =
Couve : 4 folhas =135 mg 83 mg

Sardinha : 1 lata
= 550 mg
Amêndoas: 15 unidades Aveia : 2 colheres
= 80 mg sopa = 80 mg
Alimento Porção Conteúdo Fração Ca Porções
Absorção absorvível necessárias
(g) para
(%) (mg)
igualar 1
copo de
leite

Leite 240 300 32,1 96,3 1,0


Feijões 177 50 15,6 7,8 12,3
secos
Brócolis 71 35 61,3 21,5 4,5
Repolho 85 79 52,7 41,6 2,3
Couve 65 47 58,8 27,6 3,5
Espinafre 90 122 5,1 6,2 15,5
Tofu 126 258 31 80 1,2
• Brócolis : 1 xícara = 48 mg
• Feijão: preto = 83 mg, branco =173 mg grão
de bico = 105 mg, lentilha = 51 mg
• Kiwi : 1 unidade = 24 mg (30 mg Magnésio)
• Sardinhas : 1 lata = 550 mg
• Queijo de soja (tofu) 2 fatias = 41 mg
• Melado: 2 colheres sopa = 102 mg
• Cenoura: 1 unidade = 23 mg
• Semente girassol : 1 colher sopa = 18 mg
(53 mg Magnésio)
• Mulher jovem consumindo dieta pobre em
proteína animal e sódio
necessidade
de 450
mg/dia de

cálcio

Mulher jovem consumindo dieta rica em


proteína animal e sódio
Necessidade
de 2000
mg/dia Ca
Life extension http://www.lef.org/

• Quase metade de todos os americanos com mais de 50 anos vão sofrer de


osteoporose no ano de 2020.
• A osteoporose é apenas uma das conseqüências da nutrição óssea inadequada.
• Pesquisadores descobriram recentemente ligações conclusivas entre a saúde
óssea e de todo o sistema de saúde.
• A pesquisa mais recente revela que os ossos fracos contribuem para aumento da
massa de gordura, diminuição da sensibilidade à insulina, inflamação e maior risco
de doença cardiovascular.
• Enquanto a maioria dos indivíduos sabem da importância do cálcio para os ossos
saudáveis, muitos permanecem não esclarecidos da necessidade crítica para a
vitamina D3, vitamina K, magnésio, potássio e boro
5500 mulheres
Suplementação isolada de cálcio com a
aumento no risco de fraturas de quadril
Feskanich, D., Willett, W. and Colditz, G. Calcium, vitamin D, milk
consumption, and hip fractures: a prospective study among
postmenopausal women. American Journal of Clinical Nutrition, Vol.
77, No. 2, 504-511, February 2003

• Em uma análise de 18 anos em 72 337 mulheres pós-menopausa, a ingestão


de dieta e uso de suplementos nutricionais foram avaliados no início em 1980 e
atualizado várias vezes durante o acompanhamento.
Foram identificadas 603 fraturas de quadril incidente resultante de trauma de
baixa ou moderada.
Riscos relativos (RRs) a partir de modelos de riscos proporcionais foram
controlados para outros fatores dietéticos e não dietéticos.
• Resultados: As mulheres que consomem ≥ 12,5 mg de vitamina D/dia dos
alimentos mais suplementos tiveram um risco 37% menor de fratura de quadril
do que as mulheres consomem <3,5 mg / dia
A Ingestão de cálcio total não foi associado com o risco de fratura de quadril
(RR = 0,96, 95% CI: 0,68, 1,34 para ≥ 1200 em comparação com <600 mg / d)
fratura. Consumo de leite também não foi associada a um menor risco de
fratura de quadril ( P para tendência = 0,21).
• Conclusões: Uma adequada ingestão de vitamina D está associada a um
menor risco de fraturas de quadril por osteoporose em mulheres pós-
menopáusicas.Nem leite, nem uma dieta rica em cálcio, parece reduzir o
risco. Porque as mulheres geralmente consomem menos do que a ingestão
recomendada de vitamina D, suplemento de uso ou consumo de peixe escuro
pode ser prudente.
• Bischoff-Ferrari , H. A, et al. Calcium intake and hip fracture risk in men and
women: a meta-analysis of prospective cohort studies and randomized
controlled trials. American Journal of Clinical Nutrition, Vol. 86, No. 6, 1780-
1790, December 2007

• Conclusões: os resultados reunidos de estudos de coorte prospectivos


sugerem que a ingestão de cálcio não é significativamente associado com o
risco de fratura de quadril em mulheres ou homens. Resultados obtidos a partir
de ensaios clínicos randomizados não mostram redução do risco de fratura de
quadril com a suplementação de cálcio, e um aumento do risco é
possível. Para qualquer fraturas não-vertebrais, houve um efeito neutro nos
ensaios clínicos randomizados.

• Jeri W Nieves and Robert Lindsay. Calcium and fracture risk


• So where does that leave clinicians? The best public health recommendation
would be that people should consume an overall healthful diet including
adequate consumption of both calcium and vitamin D. This meta-analysis
highlights the importance of not segmenting nutrition into heterogeneous
populations and isolated nutrients. Bone is not just calcium, and calcium
does not function in isolation.
Google academico
• Calcium vit D milk fractures
• Milk and dairy consumption and
incidence of cardiovascular diseases
and all-cause mortality: dose-response
meta-analysis of prospective cohort
studies Am J Clin Nutr 2011 93: 1 158-
171;
... mesmo em condições controladas, as condições
de constituição química definida, a solubilidade de
uma fonte tem muito pouca influência sobre a sua
absorção, e absorção de cálcio de fontes
alimentares é determinada principalmente por
componentes de outros alimentos.
• BOLLAND, M.J et al. Vascular events in healthy older women
receiving calcium supplementation: randomised controlled trial.
BMJ, v 336, n 7638, 2008.

Que a suplementação de cálcio pode ter efeitos adversos sobre a incidência da


doença vascular é de preocupação porque a morbidade e a mortalidade que se
seguiria até mesmo um pequeno efeito negativo sobre as taxas de eventos
vasculares é tal que os efeitos benéficos da suplementação de cálcio sobre a
perda óssea seria rapidamente compensada, como demonstrado pelos cálculos
de números necessários para tratar e danos neste estudo.
OSTEOPOROSE
• Reduzir carga ácida da dieta – pH da urina
• FITOESTROGENOS
isoflavonas – soja (> teor proteico - Ptn isolada)
cumestanos- cereais integrais
lignanas – linhaça
• RESVERATROL – melhora hidroxiprolina no
fêmur (XIAO Ben-xi, 2005)
• CHÁ VERDE
• Cálcio – quando isolado pode predispor a fraturas
• Magnésio – um dos principais minerais da trabécula – se usar apenas Ca
vai depletar Mg
Dosagem usual: 100 a 1000 mg/dia
Formas mais prescritas : cálcio quelado, cálcio
glicina, cálcio taste free, citrato de cálcio,
aspartato de cálcio
CALCIUM FOREVER : 1 tablete = 289 mg Ca
+105 mg Mg + 3,3 mcg vit
D3

Cálcio CMG
CHELMAX®
(CITRATO - MALATO -
GLICINATO)
(AMT® LABS)
Pacientes com náuseas
PROTEÍNA
SÓDIO Valores séricos de
Cloreto de sódio tem albumina são
efeito negativo sobre inversamente
os ossos; alto relacionados ao
consumo de sal em risco de fratura.
mulheres pós 1g PTN
menopausadas. Em Excreção metabolizada,
mulheres adultas cada de aumenta
grama extra de Na/dia concentraçäo
cálcio
= taxa perda de óssea urinaria de Ca em
de 1% ao ano (urinário)
1,75mg
adicionais. PT N + P tb
aumenta efeito
hipocalciúrico
Ác. FÍTICO
A fermentação reduz o ac. fítico e 2,3g Na excretados
absorção de cálcio.
Somente fontes concentradas de
fitato (farelo) reduzem 24-40mg Ca
substancialmente a absorção do Ca excretados junto
• Carbonato : 23% (tem resíduos ácidos e é
constipante)
• Leite : 27%
• Cálcio quelado : 44%
• Citrato : 25%
• Outros : 17%

Respeito ao sinergismo de todos os nutrientes


Restauração da função digestiva
Aumento da acidez gástrica
Restauração da disbiose com pré e probióticos
Magnésio Controle ácido básico
Cobre Incorporação colágeno e elastina à matriz óssea
Zinco Aumenta os osteoblastos, prod colágeno
atividade da fosfatase alcalina
Manganês Produção proteínas da matriz óssea
Cálcio Integridade do esqueleto, participa da resposta mecânica
do tecido ósseo à carga
Potássio Reduz excreção urinária de Ca
Vitamina D Maior absorção do Ca, impede a reabsorção óssea, induz a
secreção de PTH
Boro Mantém o metabolismo do Ca e Mg
aumenta a produção estrogeno
Reduz a excreção urinária de Ca e Mg
Vitamina K Formação da gama carboxilação da osteocalcina
Vitamina C Formação do colágeno e apoptose dos osteoclastos
estrôncio interage com cristais de hidroxiapatita a nivel tissular
W3 Reduz a produção de citocinas inflamatórias
Lisina Melhora abs intestinal de Ca e o conserva a nível renal
Ca
K
P
Óxido
nítrico
Tiamina MOLÉCULAS
Cobre QUE
Ferro NECESSITAM
Hcl DE MAGNÉSIO
Zn DURANTE O
Chumbo METABOLISMO
Cádmio
Acetilcolina
• Síntese de ácidos graxos
• Ativação de aminoácidos
• Síntese de proteínas
• Fosforilação da glicose e seus metabólitos na
via glicolítica
• Formação do AMP cíclico em 100 reações
• Transporte de íons potássio e cálcio
• Estabiliza a estrutura do ATP no músculo e
tecidos moles
Dosagem usual : 150 a 400 mg / dia

Formas : Mg quelado, Mg glicina, Mg arginina, Mg


buffered, taste free, citrato de Mg, aspartato de Mg
ascorbato de Mg
Magnésio
• Exerce papel fundamental na transmissão nervosa.
• bloqueador dos canais de cálcio - bloqueia a entrada deste na célula
muscular.
• O magnésio quelado é a forma mais eficaz na ativação das enzimas do
ciclo de Krebs.
• Potencializa a transcrição do NFkB – fator de transcrição gênica
pro inflamatório – efeito direto na sinalização intracelular da
insulina
• Na sua deficiência há ativação do eixo hipotálamo-hipófise-
adrenal, aumentando a produção de cortisol e catecolaminas
• Na sua deficiência a nível cerebral, leva a redução de
serotonina, pois é cofator da triptofano hidroxilase
MAGNÉSIO
• Os aspartatos (obtidos pela ligação de um metal ao acido
aspártico) são a forma ideal para introduzir minerais no interior
das células, por penetrarem facilmente na camada interna da
membrana, onde são metabolizados e os íons liberados.
• O magnésio glicina contém 20% do metal; o citrato, 17%; o
ascorbato, 10%; o orotato, 20%; o aspartato, 17%; o gluconato,
5,5% e o lactato, 12%.
• fontes de magnésio: legumes de folhas verdes, cereais integrais,
sementes de girassol, amêndoas, nozes, banana, frutos do mar,
soja e carnes. O leite é uma fonte pobre (Ca/Mg é igual a 20:1).
Fósforo (alimentos PTN > 94g/dia = Diuréticos
ricos em fitato Mg) excreção renal (excreção de Mg)

captação de Zn
Cálcio (12 p/ 142mg/dia)
Consumo de Ca > Mg = Ca balanço do Mg
2600mg/dia intracelular
(balanço do Mg)

Cãibras, Doenças
hipertensão, cardiovasculares e
Consumo de PT n < alterações neuromusculares,
30g/dia abs de mg coronarianas e síndromes de má
cerebrais absorção, DM,
Síndromes renais e no
alcoolismo.
Formas de apresentação dos fitoterápicos
INFUSÃO Colocar água fervente na planta e deixar em repouso, por 5
a 10 min.
DECOCÇÃO Usada para raízes, cascas e sementes. Ferver em fogo baixo
de 10 a 20 min. Depois deixar em repouso de 10 a 15 min.
MACERAÇÃO Preparação a frio. Deixar a planta amassada com água fria
de 7h a 24h.
TINTURA Maceração da erva em álcool ou vinho

EXTRATO FLUÍDO São preparações obtidas a partir de 1000g de erva seca; não
sofre ação do calor
XAROPES 2/3 do peso da planta ou fruto em açúcar ou mel. Coloca-se
para ferver, não permitindo o aumento da temperatura
superior a 80ºC após solubilização filtra-se sobre gaze
conservando em frasco âmbar.Contra indicado para
distúrbios do metabolismo de carboidratos.
CÁPSULAS/ Feitas com o pó; óleo ou extrato seco da planta.
COMPRIMIDOS
FÓRMULA Relação quantitativa de todos os componentes de um
FITOTERÁPICA medicamento fitoterápico.
TESKE, M.e TRENTINI, A.M.M. Herbarium. Compêndio de Fitoterapia, 4ª edição.
Curitiba: Herbarium Laboratório Botânico, 2001
Composição química das plantas
Alcalóides
Antraquinonas
Saponinas
Resinas
Mucilagens
Ácidos orgânicos
Flavonóides
QUEBRA PEDRA
Taninos Phylantus sp

Óleos essenciais
Glicosídeos ESPINHEIRA SANTA
(Maytenus ilicifolia)
Salicilatos
Os princípios ativos das drogas vegetais e suas funções
ALCALÓIDES Atuam no sistema nervoso central (efeitos calmante, sedativo,
estimulante, anestésico, analgésico). Alguns podem ser cancerígenos e
outros antitumorais.
Ex.: cafeína do café e guaraná, teobromina do cacau, pilocarpina do jaborandi.

MUCILAGENS Efeitos cicatrizante, antinflamatório, laxativo, expectorante e


antiespasmódico.
Ex.: babosa, tanchagem, psyllium.
FLAVONÓIDES E Fortalecem os vasos capilares; efeitos antinflamatório, antiesclerótico,
DERIVADOS antiedematoso, dilatador de coronárias, espasmolítico,
antihepatotóxico, colerético e antimicrobiano.
Ex.: rutina, quercetina, chá verde.
TANINOS Por via interna, exercem efeito antidiarréico e antisséptico: por via externa,
impermeabilizam as camadas mais expostas da pele e mucosas, protegendo
assim, as camadas subjacentes. Ao precipitar proteínas, os taninos propiciam
um efeito antimicrobiano e antifúngico. Ex.: barbatimão, vitis vinífera.

ÓLEOS ESSENCIAIS Efeitos: bactericida, antivirótico, cicatrizante, analgésico, relaxante,


expectorante e antiespasmódico. Ex.: mentol nas hortelãs, timol no
tomilho, eugenol no cravo da índia.
Os princípios ativos das drogas vegetais e suas funções
SAPONINAS Emulsionam o óleo na água e possuem um efeito hemolítico. As plantas que
contém saponinas são utilizadas também por sua ação mucolítica, diurética
e depurativa.
Ex.: ginseng, erva-mate, prímula.

ANTRAQUINONAS São principalmente purgativos, pois estimulam movimentos peristálticos;


efeitos colaterais negativos, como perda da absorção de eletrólitos. Ex.: sene,
cáscara sagrada.

GLICOSÍDEOS Os cardiotônicos possuem alta especificidade no músculo cardíaco; tem efeito


(cardiotônicos, acumulativo; risco de intoxicação; aumentam o débito cardíaco e diminuem a
antraquinônicos, freqüência cardíaca. Ex.: dedaleira.
fenólicos)
ÁCIDOS ORGÂNICOS As plantas das famílias das borragináceas, das equisetáceas e das gramíneas
(ácidos tartárico, absorvem grande quantidade de sais orgânicos do solo, principalmente o
málico, cítrico e o silício, armazenando-o nas membranas das células ou no seu protoplasma.
Ex.: ruibarbo, azedinha
silícico)
SALICILATOS Contêm salicina; ações antipirética, analgésica e antinflamatória
Ex.: Salgueiro, gautéria, bétula.
Preparados à base da droga pulverizada

Pó da droga fresca Pó da droga dessecada


Pulverização a frio ou temperatura
Suspensão do pó da ambiente
Cápsulas = doses mais elevadas
planta fresca Comprimidos =vegetal com celulose
vegetal (excipiente)
Mistura hidroalcóolica
Produto em que a
planta se estabiliza
Mantém o princípio
ativo
ALONSO, J R. Tratado de fitomedicina – bases clínicas y
farmacológicas.Argentina: ISIS EDICIONES SRL. P. 439-45, 2004.
Extrato seco
Concentração de extrato líquido até eliminação
total do solvente
Ligeiramente higroscópico
A relação droga dessecada/extrato é de 5:1
Mais homogeneo
DESVANTAGENS:
maior custo
facilidade de contaminação bacteriana depende
do fornecedor e deve ser padronizado
ALONSO, J R. Tratado de fitomedicina – bases clínicas y farmacológicas.
Argentina: ISIS EDICIONES SRL. P. 439-45, 2004.
PREPARADOS FITOTERÁPICOS à base de extratos

Uso oral ou externo


Fórmulas sólidas
infusões solúveis = pó ou granulado solúvel em água quente
cápsulas
comprimidos
shakes pós e
extratos
secos
Formas mais usadas
EXTRATO FLUIDO : preparações oficinais obtidas de drogas
vegetais manipuladas
Não sofre ação do calor
1000 g de extrato = 1000 g de erva seca Relação ponderal
simples – facilita a prescrição e posologia
1 g extrato fluido = 1 g de droga seca = 5g de tintura = 10 g de
tintura mãe= 50 g xarope
EXTRATO SECO : forma de pó e é um produto mais homogêneo,
maior conservação das propriedades e padronização dos
princípios ativos com maior concentração
São higroscópicos e devem ficar em cápsulas junto com outros
na forma de extrato seco
HORIZONTE CLÍNICO

Os mecanismos
fisiopatológicos
responsáveis
pelas doenças
estão presentes
anos antes da
doença se instalar
Relações entre inflamação e distúrbios
metabólicos
Estimulo inflamatório HIPERLIPIDEMIA RESISTENCIA PERIFERICA
(patógenos, fatores à INSULINA
ambientais dano
tecidual) DIABETES

LIPOTOXIDADE HAS
INFLAMAÇÃO
ATEROSCLEROSE

AVC
MORTALIDADE INFARTO do
MORBIDADE MIOCARDIO
ENVELHECIMENTO

PAOLONI-GIACOBINI, A.GRIMBLE, R.PICHARD,C.Genome Interactions with disease and nutrition. Clin Nutr. 22(6):507-514,
2003
PROPRIEDADES TERAPEUTICAS
• HIPOGLICEMICOS
• HIPOTENSORES
• HIPOLIPIDEMICOS
• CARDIOPROTETORES
• IMUNOMODULADORES
• DIGESTIVOS
• ANTIINFLAMATÓRIO
• ANTIBACTERIANO
CHÁS
funções e
modo de
preparo
Classificação dos chás mais utilizados, de acordo com
as suas propriedades terapêuticas

Função Terapêutica Ervas Utilizadas Ação


do Chá

Hortelã, camomila, sálvia, Favorecem uma melhor


Digestivos e alecrim, anis-estrelado, digestão e diminuem gases
Carminativos espinheira-santa, dente-de-leão, estomaciais ou intestinais.
erva-doce, alfavaca, angélica,
coentro, poejo, cravo-da-índia,
cominho, cardamomo, menta,
gengibre e alho (bulbo).

Cáscara-sagrada, zimbro, Estimulam o peristaltismo e


Laxativos hortelã, capim-cidreira e a motilidade, aumentando a
carqueja. frequência evaculatória.

Boldo, carqueja, cardo-mariano e Tem ação benéfica sobre o


Hepatoprotetores alcachofra. fígado, melhoram a
atividade dos hepatócitos e
aumentam a secreção biliar.
Classificação dos chás mais utilizados, de
acordo com as suas propriedades terapêuticas

Função Terapêutica Ervas Utilizadas Ação


do Chá

Cavalinha, caroba, carqueja, Aumentam a filtração


DIURÉTICOS bardana (raiz), cabelo de glomerular e a excreção
milho, chapéu-de-couro, urinária (diurese).
dente-de-leão, borragem,
limão e alfafa.

Capim-cidreira, maracujá, Exercem função calmante


CALMANTES hortelã, tília, melissa, angélica, sobre o sistema nervoso e
folha de alface e camomila. induzem o sono.

Angélica, rosa mosqueta, Reduzem o excesso de


EXPECTORANTES alecrim, sabugueiro, guaco, muco, desobstruem as vias
gengibre, alcaçuz, alho e aéreas e diminuem os
agrião. sintomas da gripe.
FORMAS DE PREPARAÇÃO
INFUSO/DECOCTO
2,5 a 5% das plantas secas Chás
5 a 10% das plantas frescas
5 a 10 ml/kg dia 3 a 4 x
INFUSO
95 partes de água / 5 partes da planta
Espera-se de 5 a 10 min, sendo esta forma ideal para as folhas, flores e
ramos. Abafar

DECOCTO
Ervas em fogo brando por 15 a 20 min, sem levantar fervura
15 partes de água para 1 da planta
. 2 minutos = flores e folhas
. 7 minutos = raízes e caules
. 10 minutos = planta toda
MACERAÇÃO
Ideal para
• Preparação líquida que requer drogas
vegetais
longa imersão termolábeis
• Serve para qualquer parte da planta e
pode anteceder a decocção
• Temperatura ambiente
• Coloca-se a planta em água fria, Macerações
cobre-se o recipiente de deixa com vinho,
repousar por uma noite álcool ou
vinagre são
mais
prolongadas
FITOTERAPICOS
DESINTOXICANTES
• ALHO – Allium sativum
• CHORELLA – Chlorella pyrenoidosa
• DENTE DE LEÃO – Taraxacum officinalis
• TANCHAGEM – Plantago major
• SALSAPARILHA – Smilax aristochiifolia
• ALCACHOFRA – Cynara scolimus
• CHÁ VERDE – Camellia sinensis
• CHAPÉU DE COURO – Echinodorus macrophyllum
ALHO: compostos enxofrados
COMPOSTOS POSSIVEL AÇÃO BIOLÓGICA
AJOENO (alhocisteína) Hipotensor, hipoglicemiante
ALIINA Antitrombótica, fibrinolítica
Antiinflamatório, vasodilatador
ALIICINA Antibiótico, antifungico, antiviral,
ALILMERCAPTANO hipocolesterolemiante, prevenção da
aterosclerose, antitumoral e hipotensor
SULFETO DIALIL hipocolesterolemiante, aumento das
enzimas destoxificantes,
anticancerígeno, prevenção de danos
químicos ao DNA
S-ALIL-CISTEÍNA e compostos Hipocolesterolemiante, antioxidante,
glutâmicos quimioproteção, favorece a ação
hepática
SILIMARINA ou cardo mariano
(Silymbum marianum)

Ação cloropéptica e amargo orexígena


Aumento das enzimas antioxidantes e
redução dos níveis de MDA
(malondialdeído)
Hepatoprotetor: melhora a atividade dos
hepatócitos e reduz a carcinogenese
hepática
Antiinflamatória : inibe TNF-α e NF-kB
Anticancerígeno 200 a 400 mg/dia
Caso clinico
Mulher 28 anos
esteato hepatite em atividade leve, sem fibrose
fígado levemente aumentado (biopsia e
ecografia)
SOP (sindrome ovários policisticos) – parou
menstruar aos 19 anos e subiu de 53kg para 87kg
reação alergica a metformina
usando pioglitasona + EVRA (anticonc trans)
sempre cansada, TPM severa – acne, edema,
cólicas
Caso clinico
Exames 20.5.2012 3.8.2012
Glicose 75 80

Triglicerideos 326 219

HDL 49 55

TGO 80 22

TGP 66 29

GGT 56 34

QRM 1.7 – 142 pts 5.10 – 47 pts


PRESCRIÇÃO 1.7.2012
I) silimarina ----------------------------------- 400 mg
alcachofra ----------------------------------- 400 mg
cúrcuma longa ----------------------------- 200 mg
piperina -------------------------------------- 10 mg
preparar 30 doses para 30 dias
tomar 1 dose 2 vezes ao dia junto ao almoço e junto ao jantar
II) citrato de magnésio -------------------------- 200 mg
cálcio CMG ------------------------------------- 300 mg
picolinato de cromo ------------------------- 100 mcg
selênio quelado ------------------------------ 40 mcg

preparar 30 doses para 30 dias


tomar 1 dose após o almoço
III) óleo de coco extravirgem : usar 1 colher de sobremesa
ao dia no preparo dos alimentos ou como manteiga
Associado a conduta dietoterápica detoxificante
dieta sem gluten, sem PLV, sem açúcar
Detox para METAIS TOXICOS
• TINTURA
• Medicago sativa (alfafa) ------------- 30%
Coriandrum sativum (coentro) ----- 40%
Baccharis trimera (carqueja) ------- 30%

preparar 100 ml
diluir em água 30 gotas 4x ao dia longe das
refeições
USAR POR 90 DIAS
• Quanto mais fracionado melhor a eliminação
metais tóxicos
DIGESTIVOS E CARMINATIVOS

ERVA DOCE FUNCHO


ESPINHEIRA CAMOMILA
SANTA

HORTELÃ ANIS ESTRELADO


CARQUEJA
Espécies vegetais antiflatulência
• Mil-folhas (Achillea millefolium) + angelica, camomila ou melissa
• Angélica (Angelica archangelica) + camomima
• Alcaravia (carum carvi) + cominho e coentro
• Cominho (cuminum cyminum)+coentro, cravo, hortelã
• Cardamomo (Elettaria cardamomum) + gengibre
• Funcho (foeniculum vulgare) + erva doce, anis , camomila, poejo
• Anis estrelado ( illicium verum) + funcho e camomila – não usar em
gastrite e úlcera
• Camomila (Matricaria chamomilla) + erva doce, funcho, hortelã –
inflamações da mucosa
• Melissa officinalis + camomila
• Hortelã (Mentha piperita) + funcho e camomila
• Poejo (Mentha pulegium) + funcho = reduz arrotos e azia
• Erva doce (Pimpinella anisum) + camomila e funcho – cólicas
• Cravo da índia (Syzygium aromaticum)+cominho e coentro= melhora
a digestão
• Gengibre (Zingiber officinale) + cominho, cardamomo e coentro =
enjoos
DESINTOXICAÇÃO OBESOS

• Cynara scolymus (alcachofra) ----------- 30%


Camellia sinensis (chá verde)------------ 30%
Equisetum arvensis (cavalinha) --------- 40%
• usar no inicio do tratamento
• Ou
Extrato seco 150 mg de cada 2x ao dia
• tintura 20 a 50 gts 3 x ao dia
DISPEPSIA
• ESPINHEIRA SANTA + FUNCHO – usar 1
colher de chá de cada erva seca para 1
xícara de água
ferver a água, colocar a erva com o fogo
desligado, deixar em infusao por 5 minutos,
coar e beber em seguida
logo após a refeição
• SUCO DE LIMÃO JUNTO ao almoço – ½
limão espremido na salada
• USAR BASTANTE ALECRIM, GENGIBRE,
OREGANO no preparo das refeições
GASTRITE e DISPEPSIA
• TINTURA ou INFUSO:
Maytenus ilicifolia (ESPINHEIRA SANTA) ------- 40%
Foeniculum vulgare (FUNCHO) -------------------- 40%
Mentha piperita (HORTELÃ) -------------------------- 20%
• diluir em água 30 a 40 gotas antes das refeições para otimizar a
digestão
FUNCHO – estimula peristaltismo
estomago alto – difícil digestão
tintura 35 a 50 gotas antes das refeições
• ERVA DOCE – 3 xíc (200 ml) ao dia reduz fermentação intestinal ou ANIZ ESTRELADO
HEPATOPROTETORES

BOLDO CARQUEJA

DENTE DE LEÃO
Hepatoprotetor (esteatose)

Dente de leão ----- 250 mg


Curcuma longa ----400 mg Tomar 2x ao
dia por 60 dias
Alcachofra ----------300 mg – após

Associar com chá de carqueja e


Extrato
erva doce seco 5:1
DIURÉTICOS

CAVALINHA CHAPÉU DE COURO

BARDANA
CALMANTES

MELISSA
ANGELICA

CAMOMILA
EXTRATOS VERDES
Produtos ricos em fitoquímicos e antioxidantes (carotenos e
clorofila) que podem melhorar o controle glicêmico
Chá verde, suco de clorofila, chlorella e spirulina
• Spirulina :
clorofila,carotenóides e
ficocianinas; rico em proteínas) A suplementação (por 2
• Chlorella (maior fonte de meses) de 2g/dia de spirulina
clorofila; rica em proteína – 60% reduziu de forma
e vit. B 12) 3g/dia de chlorella
significativa a glicemia de
jejum (27%) e do colesterol
total(22%)

Parikh P eta al. Role of spirulina in the control of glycemia and lipydemia in type
II diabetes mellitus. J Med Food, 2001
Chlorella (Chlorella pyrenoidosa)
Antioxidante
Antiaterogênica (reduz peroxidação
lipídica)
Hipotensora (estabiliza níveis da pressão
diastólica)
Pó: 3 g ao dia Hipocolesterolemiante
Tabletes : 8 a 12 Antifungica (eficaz contra candidiase)
uni/dia Reduz a resistencia a insulina
Cápsulas: 600 mg Inibe a expressão dos marcadores
a 1 g /dia inflamatórios
Imunoestimulante (herpes)
Destoxificante
NAKARO, S et al. J.; Med
Food, 2007
Mistura de chás para a acidose
metabólica
Depurativos do sangue – Quelação de METAIS TÓXICOS= Chá
verde, Salsaparrilha, Coentro
Estimuladores do metabolismo – Guaçatonga; Bardana; Dente de
leão; Funcho; Chá verde.
Para diminuir o ácido úrico - ação levemente diurética - Hibiscus;
ché verde; sabugueiro; zedoária; cipó cabeludo; chapéu de couro

Preparo em infusão: para 200ml de água fervente, usar 2 colheres


de chá da erva rasurada, deixar 10 minutos, coar e tomar.
Quantidade terapêutica: 4 xícaras/dia

Preparar em 600ml de água fervente 2 colheres de sobremesa da


mistura de:
DENTE DE LEÃO; SALSAPARRILHA; COENTRO; CIPÓ
CABELUDO.
TOMAR DURANTE O DIA.
Caso clinico
Mulher 54 anos
gases, náusea, arrotos
sensação estufamento, digestão lenta
alterna diarréia e prisão de ventre
não lembra de periodo sem sintomas
mastiga bem, come devagar
aprendeu a tomar água durante o dia, evita junto
às refeições
12.7.2010 - QRM = 151 pts
19.8.2010- QRM = 45 pts
31.3.2011- QRM = 13 pts
Conduta
I) 1 colher de sopa de VINAGRE DE MAÇÃ
1 colher de chá de MEL
1/3 copo dágua
imediatamente após almoço e jantar
II) SUCO FEITO COM
ÁGUA DE COCO : 1 copo (200 ml)
COUVE VERDE : 2 a 3 folhas (dar preferência para orgânica)
MAÇÃ : 1 unidade
CENOURA : ½ unidade
bater no liquidificador e beber em seguida
metade da manhã ou lanche da tarde ou junto com o jantar

III) CHÁ: DENTE DE LEÃO, FUNCHO, ESPINHEIRA SANTA, HORTELÃ

usar 1 colher de sopa de cada erva seca para 1 litro de água fervendo
deixar em infusão por 10 minutos, coar e tomar ao longo do dia
para melhorar a digestão, eliminar toxinas e aumentar
o teor de magnésio e enzimas
A fitoterapia é uma grande
ferramenta coadjuvante no
tratamento nutricional e sua
aplicação prática requer
profundos conhecimentos
bioquímicos e fisiológicos, já
que muitos fitoterápicos possuem
diversos efeitos benéficos á
saúde, mas também efeitos
colaterais e interações com
alimentos e medicamentos.
OLIGOELEMENTOS
• metais ou metalóides necessários, em
doses mínimas, para o funcionamento dos
organismos Fe, F, Si, Zn, Cu, V, Mn, I, Se,
Mo, Ni, Cr, B )
• pertencem ao grupo de elementos químicos
mais numerosos presentes no corpo
humano
• 0,01% do peso corpóreo (7g/ 70 kg)
• são catalisadores bioquímicos, constituindo
1% dos átomos do corpo humano.
Catálise enzimática
• a introdução de um 3º elemento “catalisador”
desencadeia a reação entre duas substancias capazes
de reagir entre si
• sem o catalisador a reação não ocorre ou acontece muito
lentamente

• o catalisador, depois de
ocorrida
a reação, mantém-se intacto
Atuam ...
a) unidos às proteínas - constituindo enzimas
formadas por uma apoenzima protéica e uma
coenzima metálica
b) isolados ou ionizados - atuando como ativador
ou moderador de uma reação
c) fazendo parte de uma determinada molécula
ex: Co na molécula da cianocobalamina.
Ponderal x iônico
• Ex: o cálcio possui atividade plástica em sua
forma insolúvel, formando parte do tecido ósseo
e dentário, e atividade catalítica na coagulação
sanguínea
• O fósforo possui um papel estrutural no tecido
ósseo e uma ação dinâmica no ATP, como
reserva de energia.
• Os Oligoelementos atuam no funcionamento,
crescimento, cicatrização e ativação de diversos
processos enzimáticos, além de promover
melhora no desempenho e longevidade do
indivíduo.
ABSORÇÃO DE OLIGOELEMENTOS

Absorção intestinal
Captação pelas células
Biodisponibilidade
intestinais Captação pelas células Utilização
intestinais
Distribuição nas
células intestinas Distribuição nas células Aporte
intestinas Digestão
Liberação para o
Liberação para o

(Van Dokkum, 1992)


sangue Captação pelas células
sangue intestinais
Transporte ao tecido Distribuição nas células
alvo intestinas
Liberação para o sangue
Ação
Metabolismo
Excreção
Quando o OE, é administrado sublingual,
eliminamos varias passagens entre aporte e a excreção.
CARÊNCIA DE OLIGOELEMENTOS
a) cultivos agrícolas onde são utilizados: técnicas de extrações impróprias –
produtos antiparasitários – refino dos alimentos – ingredientes químicos –
herbicidas – pesticidas – etc...
b) preparo industrial dos alimentos: condicionamento dos alimentos –
esterilização por raios gama – esterilização química – aditivos – aromatizantes –
edulcorantes – conservantes – colorantes – emulsificantes – umidificantes -
estabilizantes – antioxidantes – surfactantes – antifúngicos – etc...

• Estes agentes inibem por quelação o metabolismo do OE,


o que equivale a sua imobilização e perda de sua atividade
Fósforo = phosporus (portador de luz)
- fósforo complex : composto de fósforo e
uma molécula de peptídeo na forma de
complexo estável - peso molecular de 800
daltons – facilita a absorção
- fósforo Biocell ionizado :

25 a 100
mg/dia
adultos
Cobre
• Ação bactericida nas formas inferiores de vida, 1g de Cu pode exterminar
5kg de microrganismos (colibacilos, Stafilococcus aureus) Ação
bacteriostática sobre o Propionebacterium acnes. Aumenta a proliferação
queratinocitaria em estimulando a atividade mitótica, aÁcidos graxos
• Na síntese das prostaglandinas, o Cu aumenta a produção da PGF 2 α
(vasoconstrictora) em detrimento da PGE 2 (vasodiladora) denotando
uma atividade antiinflamatória. aumentando a proliferação fibroblástica.
• Os efeitos tóxicos aparecem quando as taxas de cobre ultrapassam 800
µg./litro.
• Mo e Se exercem função protetora contra a toxidade do Cu.
• Não usar a noite pois induz a insônia
• Ácidos graxos
• O cobre interfere: na estabilidade da membrana dos
lisossomas, nas biossíntese dos ácidos graxos e na biossíntese
das prostaglandinas. Na síntese dos ácidos graxos, o Cu é
necessário para a atividade d a d e l t a 9 d e s a t u r a s e ,
enzima que catalisa a conversão do ác. Esteárico em ác.
Oléico, o qual entra em competição com a via de síntese do ác.
Arocdônico (conversão do ác. Linoléico em ác. Gama
linolênico).
• Prostaglandinas
• Na síntese das prostaglandinas, o Cu aumenta a produção da
PGF 2 α (vasoconstrictora) em detrimento da PGE 2
(vasodiladora) denotando uma atividade antiinflamatória.
Cromo – Metabolismo glicídico
• O cromo quando convertido biologicamente
em Cr – GTF , potencializa a atividade da
insulina por facilitar a fixação nos tecidos.
• O cromo parece agir aumentando o numero
de receptores de insulina , por uma
mudança de afinidade por este hormônio
• óleo de figado de bacalhau 8387
Iodo – principais fontes


óleo de salmão 2450
badejo 3180
de consumo
• bacalhau 1463 • espinafre 201
• cavala 371 • agrião 180
• salmão 341 • couve 52
• sardinha 284 • batata 45
• lagostin 1300 • cenoura 38
• marisco 783 • feijão 36
• ostras 577 • pepino 25
• centeio 72 • cebola 22
• aveia 60 • tomate 17
• pão integral 58 • couve-flor 12
• milho 27 • ovo 93
• manteiga 56
• arroz 27
• queijo 51
• porco 45 • leite de vaca 35
• boi 28 • pêra 17
• carneiro 27 • maçã 16
Iodo ionizado
• Polifagia,tremore, nervosismo, taquicardia,
emagrecimento, cansaço, artritismo, obesidade,
excitabilidade, arteriosclerose, arritmias, dismenorréia do
tipo hiper e hipo, reumatismo, patologias viróticas
linfatismo em pediatria, síndrome pré – Basedow,
distúrbios do crescimento hipertensão arterial,
menopausa, andropausa
Selenio
• As fibras possuem um efeito inibidor na absorção intestinal do Se.
• A metionina é um inibidor competitivo da absorção do selênio
porque utiliza os mesmos sistemas de transporte da
selenometionina.
• A absorção do selênio é influenciada pelas variações do pH
gástrico.
• No individuo deficiente em selênio, a resposta proliferativa dos
linfócitos aos mitogenos e aos antígenos encontra-se diminuída,
assim como a produção de linfocinas e a atividade das células
citotóxicas.
• Se mostra atividade anti-tumoral, o que lhe confere propriedades na
prevenção do câncer.
Glutationa peroxidase

• Proteína composta de quatro sub-unidades – 1 átomo de


selênio sob a forma de selenocisteina - função de
redução do peróxido de hidrogênio.
• Atividade mais elevada no fígado e nos eritrócitos.
• Sua atividade depende das taxas , da biodisponibilidade
alimentar e do status do Se no organismo.
Como usar?
• Lactantes: 5 a 8 gotas
• Crianças: 10 a 15 gotas
• Crianças de mais de 12 anos: 20 gotas
• Adultos: 35 gotas

• Via sublingual ou diluído em água


OLIGOS DE MINHA ESCOLHA
• Mn VITTA B12 – TGI, sistemas osteoarticular, fadiga,
reposição vit B12, oxigenação tecidual, detoxificação
• CROMO – controle glicêmico, redução apetite por doces,
resistência a insulina
• COBRE – melhora da imunidade, tratamento candidíase
repetição, fadiga adrenal
• IODO – alteração tireoidiana, candidíase, imunidade
• SELENIO – esteatose hepática, aporte glutationa,
detoxificação, metais tóxicos, ferritina elevada
OLIGOS DE MINHA ESCOLHA
• VITTA B6 – ansiedade, insônia, compulsão alimentar
• NEUROCELL – tensão, depressão, ansiedade,
compulsão, sensação derrotista
• FERRO – anemia
• MULTIMINERAIS – para quem não usa cápsulas
• VITA SELE – para quem teve câncer, geriátrico, para
revitalizar
Aplicando SISTEMA
ATMS
Fernando – 26 anos
1,78 m - 77,7 kg - 17,7% gordura corporal
• Percebe que depois de 1 noite em que dorme pouco, fica 1 semana cansado,
com sensação de não ter reparado o sono, mesmo tendo dormido.
• Tem feito musculação de 2ª a 6ª feira há 1ano6meses e os colegas ganharam
massa muscular e ele praticamente está na mesma, inclusive é alvo de piadas
dos seus amigos.
• Tem sentido gases, refluxo, mal estar depois de tomar café e chimarrão
• Costuma ter arrotos sem cheiro, necessidade de arrotar
• Percebe que quando come uma determinada bolacha tem dor no esôfago.
• Tem um pensamento de que quanto mais comer, mais os mùsculos irão
crescer
• Sente que é muito ansioso e belisca muito durante o dia.
Acredita que quanto mais comer mais musculo vai fazer ! Alteração no ciclo do
Excesso de chimarrão e café, biscoitos, gordura hidrogenada, sódio, sono
Gases, arrotos, cereais refinados. Carência de ácidos graxos essenciais
refluxo, mal estar DESEQUILIBRIOS
Dificuldade de ganho
depois de comer NUTRICIONAIS de massa muscular
Evacuações Catabolismo proteico
Antecedentes – alergias
ALTERAÇÕES
irregulares GASTRINTESTINAIS alimentares na família – mãe DISFUNÇÕES
Parasitose NEUROENDO
enxaqueca crônica, irmãs com CRINAS
intolerância a lactose. Relata não
Falta de evacuar diariamente.
vitalidade e Gatilhos - trabalho em uma loja Ansiedade pelo
ESTRESSE
disposição OXIDATIVO
de tintas por 5 anos. LPS trabalho novo
METABOLISMO (lipopolissacarídeos bacterianos) INTERAÇÃO
Sonolência CORPO MENTE Cobrança em casa
diurna
ENERGETICO aumentando as citocinas Falta de disposição
Dificuldade de inflamatórias Sonolência e fadiga
recuperação do Mediadores – redução da Baixa auto estima
sono serotonina e melatonina em
função da deficiência dos
DISF.
IMUNOLÓGICAS nutrientes. Ambiente pró DETOXIFICAÇÃO
Dor no esôfago e E INFLAMAÇÃO inflamatório, devido a falta de
refluxo – gastrite? nutrientes e excesso de citocinas.
Exposição a chumbo (tinta), uso de
Alergia alimentar DESEQUILIBRIOS aparelho ortodôntico (níquel)
Sobrecarga tireoidiana ESTRUTURAIS
26 anos – 17% gordura corporal – consumo de cerveja e alimentos in
e adrenal
musculação 5x por semana dustrializados – xenobioticos
PONTOS ALVO DO TRATAMENTO
• DIGESTÃO E ABSORÇÃO
• DETOXIFICAÇÃO HEPÁTICA
• SUPLEMENTAÇÃO NUTRICIONAL
• REGULAÇÃO HORMONAL e
NEUROTRANSMISSORES
• ADEQUAÇÃO DIETÉTICA PARA HIPERTROFIA
MUSCULAR
VITAMINA B12, ácido fólico, Zn, Cu, Mn, Se, Ca iônico, Mg, PTH, D3 Cortisol
Biorressonancia TSH, T4 livre, T3
para alimentos e DESEQUILIBRIOS
Testosterona livre
parasitas NUTRICIONAIS Testosterona total
Creatina
Antecedentes – alergias
ALTERAÇÕES
DISFUNÇÕES
fosfoquinase
GASTRINTESTINAIS alimentares na família – mãe
NEUROENDO
enxaqueca crônica, irmãs com CRINAS
intolerância a lactose. Relata não
Se, Zn, Cu, Mn evacuar diariamente.
Painel de Gatilhos - trabalho em uma loja Vitamina B12, ácido
ESTRESSE
metais tóxicos OXIDATIVO
de tintas por 5 anos. LPS fólico
METABOLISMO (lipopolissacarídeos bacterianos) INTERAÇÃO
Painel de CORPO MENTE
minerais na ENERGETICO aumentando as citocinas
hemácia inflamatórias
Mediadores – redução da
serotonina e melatonina em
função da deficiência dos
DISF.
IMUNOLÓGICAS nutrientes. Ambiente pró DETOXIFICAÇÃO
Proteina C reativa, E INFLAMAÇÃO inflamatório, devido a falta de
Hemograma nutrientes e excesso de citocinas.
Painel de metais tóxicos,
DESEQUILIBRIOS biorressonancia de metais tóxicos
ESTRUTURAIS

Ca iônico, Mg, PTH, vit D3, bioimpedância


Dieta alimentar adequada, whey protein hidrolisado, dieta anti Abacate,
inflamatória, hipo alergênica, rica em fitoquimicos e ômega 3 oleaginosas,
PROGRAMA 4Rs
glutamina, DESEQUILIBRIOS
cordiceps sinensis,
probioticos NUTRICIONAIS vit C, E, D, Zn, Cu,
Se, Nac, Cr, Mg,
Antecedentes – alergias
ALTERAÇÕES
GASTRINTESTINAIS alimentares na família – mãe DISFUNÇÕES
NEUROENDO
enxaqueca crônica, irmãs com CRINAS
intolerância a lactose. Relata não
Nutrientes evacuar diariamente.
antioxidantes, Gatilhos - trabalho em uma loja Mg, Vit B6, B3, B12,
ESTRESSE
coenzima Q10, OXIDATIVO
de tintas por 5 anos. LPS ômega 3, inositol,
METABOLISMO (lipopolissacarídeos bacterianos) INTERAÇÃO
L-tirosina, Se, CORPO MENTE colina, coenzima
Mn, Mg
ENERGETICO aumentando as citocinas Q10, ac lipoico,
inflamatórias
Mediadores – redução da
serotonina e melatonina em
função da deficiência dos
DISF.
IMUNOLÓGICAS nutrientes. Ambiente pró DETOXIFICAÇÃO
Omega 3, azeite E INFLAMAÇÃO
oliva, inflamatório, devido a falta de
Suco de uva, chá nutrientes e excesso de citocinas.
Selenio Biocell + suporte hepático
verde, DESEQUILIBRIOS detox
Gengibre, cúrcuma, ESTRUTURAIS
Açaí, alho, cebola,
aveia Sugestão: incluir atividade aeróbica
I) Citrato de Cálcio 150 mg
Citrato de magnésio 300 mg
Aspartato de magnesio 400 mg Preparar 30 doses para 30 dias dividir em 2 tomadas
Zinco quelado 50 mg Ingerir ½ dose APÓS o almoço e ½ dose APÓS o jantar
Cobre quelado 1 mg
Picolinato de cromo 400 mcg
Selênio quelado 40 mcg
II) Pool de lactobacilos -------------------------- 4 bilhões UFC
Fósforo complex 25 mg L-glutamina -------------------------------------- 1000 mg
Manganes 10 mg L-carnosina ---------------------------------------- 200 mg
Molibdenio 10 mcg
Iodo biológico 50 mcg Preparar 30 doses para 30 dias
Nacetilcisteina 200 mg Ingerir 1 dose ao acordar
Sulfidrilbase 200 mg (GUARDAR SOB REFRIGERAÇÃO)
Silybum marianum 300 mg
Vitamina C 1000 mg
Bioflavonóides mistos 200 mg III) Óleo de peixe 1 g -------------------------------------- 60 cápsulas
Vitamina A 1000 UI
Vitamina E 100 UI Tomar 1 cápsula junto ao almoço e 1 cápsula junto ao jantar
Vitamina D3 1000 UI
Cloridrato de riboflavina 10 mg
Cloridrato de tiamina 10 mg
Ácido pantotênico 150 mg IV) SELENIO (BIOCELL) ---------------------------------- 1 frasco
Acido folico 400 mcg
Metilcobalamina 2000 mcg diluir 40 gotas em água ao acordar
Nicotinamida 10 mg
Piridoxal fosfato 30 mg
Biotina 100 mcg
Colina 100 mg V) L-GLUTAMINA ------------------------ 300 g
L-tirosina 500 mg
Inositol 100 mg
diluir 10 g em água antes de dormir
Picnogenol 50 mg
Ácido lipoico 100 mg
Coenzima Q10 100 mg
DESJEJUM antes treino
Fruta 1 porção 1 banana DIETA PARA FERNANDO
Whey protein hidrolisado 1/3 de medida Diluída em água, suco ou
misturado com a banana
Aveia 1 colher de sopa Misturado com o whey
+banana, usar no pão LANCHE 18h
Pão integral 2 fatias Ou bolo integral: 1 fatia
Pão integral 1 fatia Ou granola: 2 col.sopa ou
LANCHE PÓS TREINO bolo Alimentaria: 1
Whey protein hidrolisado 1 shake Com água ou suco unidade
Margarina 1 colher de sobremesa Ou azeite de oliva e
ALMOÇO tomate
Salada crua e/ou cozido Comer no mínimo 1 prato Quanto mais variada Presunto ou peito de peru 1 fatia Ou ovo cozido ou pasta
(livre em quantidade) melhor atum
Arroz integral 2 colheres de servir ou massa : 2 xícaras ou Suco de frutas 1 copo (200 ml)
batata: 2 unidades ou
milho
Feijão ou lentilha 1 concha Variar os tipos de feijão JANTAR
Salada crua e/ou cozido Comer no mínimo 1 prato Quanto mais variada melhor ou
Gado, porco, frango, peixe 200 g (2 pedaços médios) Assado, grelhado, SOPA DE LEGUMES : 2
(livre em quantidade)
ensopado conchas
(VARIAR OS TIPOS) Arroz integral 4 colheres de servir ou massa : 3 xícaras (medir
Azeite extravirgem 1 colher de sopa Colocar sobre a salada crua)
Feijão ou lentilha 1 concha Variar os tipos de feijão
Suco de frutas ou água Tomar no máximo 1 copo No período da refeição (
(200 ml) 30 min antes e 1 hora
Gado, porco, frango, peixe 200 g (2 pedaços médios) Assado, grelhado, ensopado
depois)
(VARIAR OS TIPOS)
LANCHE 16H Azeite extravirgem 1 colher de sopa Colocar sobre a salada
Suco de frutas ou água Tomar no máximo 1 copo No período da refeição ( 30 min
Castanha do Pará 4 a 6 unidades Ou amêndoas: 10 unidades
(200 ml) antes e 1 hora depois)
ou nozes: 8 metades
Fruta 1 porção Ou damascos: 8 unidades
Fruta 2 porções ou unidade Ou barra de cereal ou
damascos
MANGANÊS 5 a 10
mg/dia
• UL = adultos 9 a 11 mg
• Manganês quelado, manganês glicina e
manganês arginina
• Cálcio, cobalto e ferro competem com Mn
pela absorção
• Muitas de suas funções são substituídas
pelo Mg
• Necessário à síntese de tiroxina
• Síntese de ácidos graxos
• Citosol usa Zn e Cu
• Extracelular usa Zn e Cu
• Mitocondria usa Mn

Sem Zn, Cu e Mn não há defesa


celular contra peroxidação lipidica e
danos ao DNA
• Cofator em + 200 enzimas
• Estabiliza a estrutura do DNA
• Regula expressão gênica
• Síntese e reparo do DNA
• Metabolismo de Chs, Pts, Lips
• Sistema imunológico
• Digestão (forma Hcl) e auxilia o pâncreas
• SOD
• Auxilia na função imunológica 15 a 50
mg/dia
• Cicatrização
• Percepção de gosto
• Produção de esperma
• Desenvolvimento fetal e da criança
• Ação da insulina – cofator enzimático
• Hormônios da tireóide – conversão da
tiroxina em triiodotironina
• Síntese do heme da hemoglobina
• SISTEMA IMUNE
• ACNE
• REPRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO
• TRATO GASTRINTESTINAL
• DOENÇA DE CHRON
• DIARRÉIA CRONICA E PERSISTENTE
• ALTERAÇÕES TIREÓIDE
• AUTISMO, HIPERATIVIDADE, DEFICIT ATENÇÃO
• OSTEOPOROSE
• DIABETES E DCV
• DOENÇAS OCULARES
• ALCOOLISMO – cofator da enzima que metaboliza álcool
Sulfato ferroso > Fatores dietéticos: afetam
CÁLCIO 600mg de
30 mg/dia absorção do Zn exógeno e
Ca c/ refeição
reabsorção do Zn endógeno

Suplemento de Fe
Ambiente do TGI:
ou solução líquida Absorção influencia
(ex. gestação)
de Zn solubilidade do Zn e
sua absorção

Cádmio, Chumbo e Mercúrio podem se quelar ao Zn

Excreção
• Durante os períodos de stress
físico, o organismo aumenta a
excreção urinária de cromo , contribuindo
para criar ou agravar a deficiência em
cromo
• Antiácidos reduzem absorção de Cromo
• Fontes: cereais integrais, grãos e carnes
• Cromo picolinato é uma forma lipofílica que
facilita a entrada deste na célula
• 200 a 600 mcg/dia.
• A deficiência de cromo é associada ao aumento
das patologias cardíacas, pois causa aumento do
colesterol e diminuição do HDL-colesterol,
hipertensão arterial, arritmias e obesidade

• No homem a deficiência de cromo causa


diminuição do número de espermatozóides e da
fertilidade

• A deficiência grave de cromo causa neuropatia


periférica e encefalopatia

• A melhora dos parâmetros clínicos e laboratoriais


da suplementação com cromo inicia-se geralmente
após três meses
SELENIO Dosagem = 40 mcg/dia

• Antioxidante – GSH peroxidase, tiorredoxina,


selenoproteína P
• Protege contra metais tóxicos e xenobióticos –
cádmio e mercúrio
• Prevenção doenças crônicas não transmissíveis
• Sistema imunológico – aumenta linfócitos T e
modula produção de prostaglandina anti agregante
• Essencial na síntese da GSH- px – enzima que
combate estresse oxidativo
• Ajuda a reduzir a peroxidação lipídica – melhora
ação da vit E
• Dores musculares, fadiga e fraqueza muscular
• Aumento nos níveis de creatina quinase – reduz a
modulação do estresse oxidativo
• A deficiência de selênio pode causar aumento
das cáries dentárias
• EXAMES:
selênio eritrocitário
glutationa peroxidase no eritrócito
creatina quinase – CPK (perda de massa magra)
manchas brancas nas unhas
• Pão integral possui o dobro do Se do pão branco -
castanha do Pará – 400 mcg em 100 g
COBRE - funções
• Atua como cofator de enzimas – monoamina oxidase,
ceruloplasmina, tirosinase, SOD e outras
• Ceruloplasmina – antioxidante hepático – sua deficiência
pode interferir na produção do HDL
• Defesa imunológica adequada em níveis adequados de
cobre
• Neutropenia tem relação com deficiência de cobre
• A baixa de cobre em estágios mais avançados causa
anemia microcítica resistente ao tratamento habitual com
ferro
• Pode causar também mechas brancas precoces nos
cabelos, osteoporose com aumento do número de fraturas,
vasos sangüíneos mais fracos formando veias tortuosas
COBRE
• Dosagem usual = 1 a 3 mg /dia
• Relação segura : Zn/Cu <15
Cu/Zn < 1
Cu/Se < 3300
• Sua excreção é via bile - pessoas com danos hepáticos
tendem a acumular cobre
• Suplementos de cálcio podem tornar cobre menos
solúvel por tornar o Ph intestinal mais básico
• Zn e Fe podem inibir absorção de Cu
• Altas doses de vit C podem reduzir o Cu
• Excesso de chumbo, mercúrio e cádmio dificultam a
absorção do cobre
• Mobiliza Fe através da mucosa intestinal e dos
locais de armazenamento(fígado) para a medula
óssea
• Mais de 80% do Cu plasmático está ligado à
ceruloplasmina que catalisa Fe++ para Fe+++
• Compete com Zn pela mesma proteína ligadora
na mucosa intestinal
• Suplementos de Ca aumentam o Ph intestinal,
tornando os sais de Cu menos solúveis.
• Exames: cobre eritrocitário e ceruloplasmina
• Perda da cor do cabelo e pele (menor síntese melanina)
• Fadiga, baixa temperatura corporal
• Quebra do tecido conectivo
• Problemas cardiovasculares
• Diminuição da resistência a infecção
• Anemia hipocrômica não responsiva a terapia com ferro

INDICAÇÕES: estresse, alergias (enzima diamina oxidase


inativa histamina), flacidez, envelhecimento precoce (lisil
oxidase), anemia, defesa antioxidante, Alzheimer
(manutenção da mielina) vitiligo, osteoporose
• Dosagem usual = 10 a 40 mcg
• Forma mais prescrita = vanádio aa complex
• Não usar em transtorno bipolar pois costuma estar
elevado nestes casos
• Necessário para a formação da insulina mantendo
níveis equilibrados de glicose
• Estimula a proliferação e diferenciação celular
• estimula a mineralização dos ossos e dentes e
previne a formação de cáries
• faz parte de uma enzima tireoideana necessária no
processo de organificação do Iodo, necessário à
síntese dos hormônios tireoideanos
• Pode inibir a metástase de células de câncer
Fontes: Mariscos, cogumelos, salsa são boas fontes
de vanádio.
Dosagem usual em adultos: 100 a 400 mg/dia
Citrato de Potássio, ascorbato de potássio, sulfato de
potássio UL não estabelecida
• Equilibra a acidez sanguínea – controla o pH
dos fluidos
• Dietas ricas em proteína levam a aumento da
acidez sanguínea e renal afetando a saúde
óssea
• Altera a transmissão neural, a contração
muscular e o tônus vascular
• Deficiências: fraqueza muscular, câimbras,
fadiga, alterações cardíacas, anorexia e apatia
mental
• Interferem na sua absorção: excesso de Mg ou
vit C, diuréticos, corticóides, aspirina, álcool,
cafeína, uso excessivo de sal, açúcar, estresse
crônico
• Hipertensão: dietas rica em K – vegetais e frutas
– efeito positivo no tonus muscular pela
regulação da pressão sanguinea
• Arritmias cardíacas: K regula a atividade elétrica
– atividade muscular das células
• Osteoporose – estudo com menopausadas
suplementadas com citrato de K + sal revelou
menor excreção de Ca
• Cálculos renais : o K diminui a excreção urinária
de Ca
• Glicogenese : K é necessário para converter
glicose em glicogênio
• Constipação : reflexo da deficiência de K
• Dosagem usual : 10 a 25 mg/dia
• Formas ativas : silício quelado e silício orgânico
• UL não estabelecida
• Maiores concentrações na pele e cartilagem
• Componente de mucopolissacarídeos e colágeno: dão
força, rigidez e flexibilidade a ossos, dentes, ligamentos,
parede celular e membranas, pele e unhas
• Ossos e dentes : inicia a construção da matriz organica
para a mineralização apropriada
• APLICAÇÕES CLÍNICAS: crescimento de cartilagem,
imunidade (linfóticos e imunoglobulinas), osteoporose
(formação da matriz óssea)
• Fontes : aveia, centeio e cereais integrais
• EXSYNUTRIMENT (Orthosilício estabilizado em colágeno
marinho) como doador de silício, possui uma ótima
atividade biológica e metabólica, equivalente ao do silício
ingerido nos alimentos, com perfeita assimilação e
verdadeira atividade
• Posologia e dosagem recomendadas:
• Até 300mg/dia preferencialmente longe das refeições
• Exsynutriment  (mg) equivalem Silício Ativo (mg)
• 100,00 1,67
• 200,00 3,34
• 300,00 5,00
• Deve ser tomado no mínimo por 3 meses
CABELOS : associar biotina e lisina
Com o envelhecimento do indivíduo o teor de silício diminui e
sua reposição promove uma regeneração dos tecidos
danificados
GLUTAMINA
• Combustível para linfócitos, macrófagos,
polimorfonucleares
• O exercício físico intenso depleta glutamina,
levando a imunodepressão transitória
• 60% de todos aas livres do corpo
• Cérebro e pulmão - produz
• Fígado – produz e consome
• Músculo – produz, armazena e consome
• Intestino, rins e sistema imune – consome
• LIPOSSOLÚVEIS : A, D, E, K
• HIDROSSOLÚVEIS :
Tiamina, riboflavina, biotina, niacina,
ácido pantotênico, cianocobalamina,
ácido fólico, piridoxina
Vitamina C ou ácido ascórbico
• Colina, inositol, coenzima Q10
As vitaminas do complexo B
são fundamentais para
obtenção de energia
Não se usa vitaminas
complexo B isoladamente
trabalhar pelo menos com 4.
Vitamina B3 – nicotinamida, ácido nicotínico,
hexaniacinato de inositol
• Envolvida no metabolismo de carboidratos, ácidos
graxos e aminoácidos – produção de energia
• Única vitamina sintetizada no cérebro
• Os estados de ansiedade aumentam o consumo da
vitamina B3 - induzindo o organismo a produzi-la.
• A produção endógena se faz a partir do triptofano, à
razão de 60:1
• A ação tranqüilizante da vitamina se deve a sua
capacidade de ligação aos receptores
benzodiazepínicos.
• Pode ser utilizada para o tratamento da enxaqueca
junto com Mg e B6.
Dosagem mais comum: 20 a 35 mg
B6 e aas
• O metabolismo dos aminoácidos depende da presença da
vitamina B6.
• Necessária para a formação da serotonina a partir do triptofano
• Envolvida na produção de acetilcolina, histamina e noradrenalina
• Necessária para a síntese do GABA, como catalisador nas
reações de transaminação e descarboxilação
• São fontes de vitamina B6: as carnes, as vísceras, os grãos
integrais, o melão, o repolho, os ovos, a aveia, o amendoim e o
levedo de cerveja.

• Prescrever na forma de piridoxal fosfato – forma ativa da


vitamina
Exemplos de suplementação de vitamina C
• Ascorbato de potássio ------ 300 mg/dia

aonde 20% é potássio = 60 mg


80% é Vit C = 240 mg

• Vitamina C ------------------- 200 mg /dia


Bioflavonóides mistos ------- 40 mg/dia
Antioxidante eficiente, efeito hepatoprotetor
AÇÃO DIRETA – scavenger de RLs
AÇÃO INDIRETA – substrato para formação de glutationa

A glutationa S transferase só aumenta a partir da Nacetilcisteína

A NaC tem baixa toxicidade e é imunoestimulante, elimina xenobióticos, reduz


estresse oxidativo e hepático

NaC : desde 300 a 600 mg 2x ao dia


• Metilsulfonilmetano (MSM) é uma forma orgânica de enxofre, que aparece
na natureza em todos os organismos vivos biologicamente ativos
• o enxofre é o terceiro mineral mais importante no corpo humano,
encontrada no tecido muscular, pele e ossos.

• O MSM aumenta a ação de vitaminas e outros nutrientes, entre eles


vitamina C, coenzima Q 10, todas as vitaminas do complexo B, vitamina
A, D e E, aminoácidos, selênio, cálcio, magnésio e muitos outros.
O MSM melhora a captação desses nutrientes e prolonga a vida deles.
é um potente antioxidante, capaz de se ligar e inativar radicais livres
DESINTOXICAÇÃO
• dissolve compostos orgânicos e inorgânicos, pois reage com toxinas,
inativando-as e promovendo a excreção delas
• aumenta a permeabilidade da membrana da célula, tornando mais fácil a
entrada de nutrientes na célula
• aumenta drasticamente a habilidade da célula em excretar produtos
tóxicos
• ÁCIDO LIPOICO – antioxidante que previne danos ao DNA,
tratamento disfunção hepática, previne a glicação
50 a 250 mg
• COENZIMA Q10 – energia celular, antioxidante,
imunoestimulante, cardiotonica e hipotensora
10 a 300 mg/dia
• BIOFLAVONÓIDES (hisperidina, rutina e quercitina)
condições inflamatórias e alérgicas, reduzem mediadores de
inflamação. Associar a vitamina C, melhora a integridade do
tecido conjuntivo, reduzindo a disseminação das infecções.
Herpes simples
usar 20% sobre a vitamina C
• LEUCOANTOCIANINAS – extraído da semente da uva
(resveratrol) potente atividade varredora de radicais livres,
mais do que a vitamina E
150 a 250 mg/dia
frutas vermelhas
L – CARNOSINA
ANTIOXIDANTE, ANTI-ENVELHECIMENTO E NEUROPROTETOR
Nome químico: b-Alanil-L-histidina
Encontrado naturalmente nos músculos esqueléticos e outros tecidos como
cérebro,músculo cardíaco e rins.
Ação
L - carnosina atua como antioxidante de amplo espectro – RLs : peróxidos,
hidroxilas e oxigenio singlet

Posologia
A dose usual varia de 150 mg a 500 mg , divididos em 2 tomadas diárias.
Indicação
Suplemento nutricional antioxidante;
Déficit de memória;Autismo (terapia adjuvante);Doença de Alzheimer;
Doença de Parkinson;Doença Cardiovascular;Impotência.
Contra indicação
Grávidas, crianças e lactantes
Pirroloquinolina quinona (PQQ)
• Ou metoxatin é uma substância naturalmente
encontrada em alimentos como: soja fermentada,
kiwi, salsa, pimentão verde, espinafre e chá verde
entre outros.
• nutriente essencial que nosso corpo não pode
fabricar, catalisador de reações redox, elimina e
neutraliza as reações oxidativas.
• Melhora função cognitiva, promove a biogênese
mitocondrial, antioxidante, proteção imune e
neurológica
ERGOCALCIFEROL (D2) COLECALCIFEROL (D3)

Sintetizada pela ação


Esteróide vegetal
da luz a partir do 7-
derivado do
dehidrocolesterol
ergosterol

Sofrem duas hidroxilações para formar a molécula


biologicamente ativa: 1,25 (OH)2D (calcitriol)

Dosagem : 25 – OH – vit. D (30 a 80ng)


Vit D 25(OH) ²D
Pré vitamina D
pele

Maioria dos
1,25(OH)²D
tecidos corporais
Fontes
alimentares de
vitamina D 1,25(OH)²D Mantém
economia
de Ca

Previne e/ou trata:


câncer, osteoporose,
DCV, esclerose
múltipla, diabetes,
hipertensão
• melhora o aproveitamento do Fósforo e do
Cálcio pelo organismo
• A presença das vitaminas A e C, Colina,
Cálcio e Fósforo levam a um aumento de
sua eficácia
• Medicamentos anti-convulsivantes podem
levar à sua deficiência

Óleo fígado de bacalhau, óleo de salmão, peixes, ovos,


carnes, manteiga
• 1,25-dihidroxicolecalciferol (1,25-(OH)²D), forma
considerada funcional que atua como pseudo
hormônio
• Aumenta a quantidade de Ca no sangue e
proporciona maior absorção intestinal, e caso
haja necessidade vai para o osso
• Retira um pouco pelo osteoclasto e repõe muito
mais pelo osteoblasto
• Quando há pouco Ca no sangue há
necessidade de buscar no osso e intestino, há
estímulo da paratireóide a produzir PTH e 1,25-
(OH)²D
• Atua no metabolismo do Ca – estimula transcrição gênica dos
receptores de ligação do Ca e osteocalcina
• Estimula absorção de Ca, diminui secreção de PTH, a reabsorção
óssea e atividade dos osteoblastos
• Diminui a produção de colágeno tipo I
• Tem influencia na função muscular
• Estimula diferenciação celular e sist imune
• Tem influência na secreção de insulina
• Secreção de insulina
• Síntese e secreção de
• Cérebro
hormônios
• Coração • Inibição da produção
• Pâncreas de IL por linfócitos T e
• Células de IgE por linfócitos B
Mononucleares • Diferenciação de
células precursoras de
• Linfócitos ativos
monócitos
• Pele • Modulação da
proliferação celular
• 25 (OH)D: forma absorvida mais rapidamente e
menos dependente de ácidos biliares
• Ác. Graxos de cadeia longa absorção
• Fibras eliminação
• Fe, Cu e Mn: absorção
• Idosos apresentam < eficiência na síntese cutânea
• Sem a vitamina D – 10 a 15% do Cálcio seria
absorvido e 60% do fósforo

APLICAÇÕES CLÍNICAS: esclerose múltipla,


diabetes, dor crônica, cancer, DCV, osteoporose e
osteopenia, HAS, autismo
• Melhor indicador: 25(OH)D plasmático (Há
informações escassas sobre as concentrações
ideais para manutenção do ótimo metabolismo
do cálcio)
• Concentração sérica de PTH 400 a 800 UI
• Ca total e ionizado no soro ao dia
• Fosfato inorgânico no soro
• Alcalino-fosfatase no soro
Fator de conversão
1 mcg vitamina D = 40 UI
• Essencial para a formação normal do osso: a osteocalcina
serve como matriz protéica para nova formação óssea
• Cofator para a síntese de gamacarboxiglutamico (GLA)
aminoácido presente nos fatores de coagulação e
carboxilação da osteocalcina
• Gamaglutamato carboxilase atua na osteocalcina ligando
íons Ca para prover a calcificação normal do osso, evitando
artrite, artrose
• Atua como coenzima na síntese de proteínas envolvidas na
coagulação sangüínea – inibe coagulação das artérias
• Espinafre fervido: biodisponibilidade de 4% da
filoquinona
• Espinafre fervido consumido com manteiga:
biodisponibilidade de 10% da filoquinona
• Essa baixa biodisponibilidade da filoquinona
está relacionada com a forma de ligação da
vitamina nos cloroplastos
• Biodisponibilidade estimada nos vegetais: 20%
• Biodisponibilidade estimada nos suplementos:
80%
• Transporte: sistema linfático (não há
proteína ligadora)
• Distribuição para os tecidos: LDL e HDL
• Absorção de 80% do total ingerido

• Suplementos > absorção que alimentos


• Hipervitaminose A = hemorragias e
hipoprotrombinemia( absorção)
• Alfa-tocoferol: atua na absorção da
vitamina K e na inibição da protrombina
Fácil sangramento
Manchas roxas
Sangramento da gengiva
Sangramento nasal
Urina vermelha com sangue
Sangramento vaginal fora da menstruação

Dose usual: 20 a 90 mcg em adultos


Usar vitamina K2 (menaquinona) + D3 – efeito na
densidade óssea
vitamina K3 é sintética e solúvel em água
• Forma biologicamente ativa: ASCORBATO
(reversivelmente oxidado a semideidroascorbato e
radical ascorbato)
• Atua na fase aquosa como antioxidante, reciclando a
vitamina E e prevenindo a peroxidação lipídica e a
oxidação da LDL-c
• Produção e manutenção do colágeno, participando da
hidroxilação da prolina para a formação da
hidroxiprolina
• Atua na oxidação da fenilalanina e da tirosina
• NÃO age nos compartimentos lipofílicos para inibir a
peroxidação lipídica
• Metais de transição + Vitamina C = Radicais Livres
• Síntese de colágeno: atua na hidroxilação dos resíduos de
lisina e prolina envolvidos na síntese de colágeno
• Biossíntese de cartinina: favorece a metilação de lisina e de
metionina, essenciais a síntese de carnitina
• Síntese de neurotransmissores: atua como cofator de enzimas
que catalizam reações de hidroxilação de neurotransmissores
• Proteção do acido fólico e do alfa-tocoferol: dá estabilidade ao
acido fólico (dihidrofolato e tetrahidrofolato) impedindo sua
excreção
• Converte radical em tocoferil em alfa-tocoferol, a forma ativa da
vitamina E
• Absorção de ferro: ingestão simultânea de acido ascórbico e
ferro favorece a absorção de ferro
• A vitamina C atua na hidroxilação de colesterol
durante a síntese de ácidos biliares
• Degradação da tirosina: Sob a presença de
Cu²+ e Fe²+
• Síntese de epinefrina: Atua sobre a ß-
hidroxilase que sintetiza epinefrina a partir da
tirosina
• Síntese de sais biliares: Atua sobre a 7 alfa-
hidroxilase
• Função do córtex adrenal: Hormônios
adrenocorticóides
• ácido Ascórbico - melhor atividade quando
ministrada junto com Bioflavonóides
( Rutina, Quercetina, Hesperidina)
100 mg vitamina C = 20 mg bioflavonóides
• Com as vitaminas A, B3, B5, B6 e E e os
minerais Cálcio, Magnésio, Fósforo,
Selênio e Sódio – usar vit C
• Sua velocidade de eliminação aumenta
significativamente na presença do Ácido
Acetil Salicílico - AAS
Por ser muito instável e fortemente redutora não é recomendável
sua prescrição numa formulação geral.
Usar na forma de Ascorbatos (Cálcio, Magnésio, Potássio ou
Sódio), pode ser incluída nas formulações sem maiores problemas

MINERAL %
CÁLCIO 12,27
POTÁSSIO 20
MAGNÉSIO 7,42

Forma de manter a vitamina C mais estável,


associando a minerais, são matérias primas
compradas prontas pela manipulação
• Atua juntamente com as demais vitaminas do
Complexo B, vitaminas A, C e E
• os minerais Cálcio, Cobalto, Cobre, Fósforo e
Sódio tem sua absorção melhorada
• Álcool, estrógenos, ácidos e a presença da luz
solar diminuem sua eficiência.
• Intermediário no ciclo dos ácidos tricarboxílicos
• Essencial para a degradação dos ácidos
graxos e aminoácidos
• É sintetizada pelas bactérias intestinais
Consumir muita carne vermelha tem B12,
mas há falta de B6 (cereais integrais) e ác.
Fólico (folhosos).
O vegetariano tem menor risco de DCV,
porque tem alto consumo de antioxidantes
(fitoquímicos e fibras) apesar da alta
homocisteína.
Necessidade de suplementar vit. B12
sublingual.
Levedura de cerveja – retenção hídrica por
ser altamente alergênico.
• Participa do ciclo de formação e uso do folato
(THF- METHF)
• Cofator enzimas essenciais ao RNA e DNA e
metilação
• Sua deficiência pode causar: anemia
megaloblástica e neuropatia, aumento da Hcy
• Absorção : associada ao fator intrínseco e por
difusão passiva no íleo terminal. Flora intestinal.
• Antidepressivos depletam B12 e deficiencia de B12
causa depressão!
Melhora a conduçaõ nervosa - Alhzeimer
• 50 a 400 mcg/dia em solução oral para absorção
SUBLINGUAL
Andres et al , 2005
Etapas Alteração do Etiologias
metabolismo
Ingestão Alimentos Vegetariano estrito
Digestão Secreções Gastrectomias;
gástricas (Hcl e síndrome da não
pepsina); fator dissociação; má
intrinseco; digestão das
secreções proteínas
pancreáticas e
biliares
Absorção Fator intrinseco Ressecções
ileais;má-absorção
Transporte Transcobalaminas Déficits congênitos
• Língua vermelha e dolorida
• Dormência e falta sensibilidade nas
extremidades
• Alterações mentais e cognitivas:
depressão, sonolência, alucinações
• QUANDO MUITO BAIXA: gastrite atrófica
ou veganismo usar Rubranova 5000
(solicitar prescrição médica) injeção
intramuscular
Dor de cabeça
Tontura/Vertigem/Zonzeira Falta de apetite
Irritabilidade Indigestão
Humor lábil Digestão lenta
Fraqueza muscular Intestino preso
Fadiga Dificuldade
Formigamento evacuação
Língua vermelha, lisa e Dificuldade respirar
dolorida Respiração curta
Irvingia ------- 500 mg Sinetrol ------- 700 mg
Bauhinia ------ 300 mg Chá branco ---- 500 mg
Magnolia ------ 200 mg Pholia magra -- 300 mg

preparar 30 doses e preparar 60 doses para


dividir em 2 tomadas 30 dias
tomar ½ dose às 11h e tomar 1 dose 1h antes
½ dose às 17h almoço e 1 dose 1 h
antes do jantar

Avaliar a disponibilidade financeira


TERMOGENICOS
• Citrus aurantium REDUÇÃO APETITE /ANSIEDADE
• Sinetrol •Kombu
•Garcínia Camboja
• Chá verde (vontade comer doce)
• Chá branco •Rhodiola rósea
• Bauhinia •Magnólia
• Coleforin
ABSORÇÃO CARBOIDRATOS
• Pholia magra •Faseolamina
ABSORÇÃO GORDURAS
SACIETOGENOS •Caseolamina
• Slendesta
• Caralluma fimbriata
• Pectina
• Glucomanan
• Pinnothin
Mulungu : 50 a 200 mg Niacinamida ----- 50 mg
Passiflora : 100 mg Piridoxal fosfato -- 50 mg
Melissa 100 mg Magnesio -------- 50 mg
Piridoxal fosfato : 15 a 60
mg Preparar 30 doses e tomar
1 dose pela manhã
Magnésio : 50 mg
pode usar até 3x ao dia

Preparar 30 doses e tomar


1 dose 1h antes de
dormir
• MUCUNA PRURIENS --------------- 100 mg
• TRIBULUS TERRESTRIS ---------- 200 mg
• MACA PERUANA --------------------- 600 mg
• ASHWAGANDHA EXT----------------250 mg
• ZINCO --------------------------------------30 mg
• PICNOGENOL --------------------------100 mg
• L-ARGININA ---------------------------------- 1 g
Preparar 30 doses
Tomar 1 dose ao dia dividindo em 3 tomadas
I)
Zinco quelado ----------------------- 20 mg
Cobre quelado ----------------------- 2 mg
Ascorbato de potássio ----------- 100 mg
Vitamina D3 -------------------------- 200 UI
Vitamina A ---------------------------- 50 UI
Selênio quelado --------------------- 20 mcg
Boro quelado -------------------------- 1 mg
Cromo picolinato -------------------- 50 mcg
Fósforo complex ---------------------- 50 mg
iodo biológico ------------------------ 25 mcg
Manganês quelado ------------------- 2 mg
Coenzima Q10 ------------------------- 25 mg
Inositol ---------------------------------- 50 mg
licopeno -------------------------------- 5 mg
clorela ---------------------------------- 150 mg
extrato semente uva ---------------- 50 mg

Preparar 60 doses para 30 dias II)


Tomar 1 dose APÓS o desjejum e 1 dose Citrato de Magnésio------------ 350 mg
APÓS o jantar Citrato de cálcio ----------------- 700 mg

Preparar 30 doses para 30 dias


Tomar 1 dose após o almoço
• A deficiência da prostaglandina E1 = deficiência de ácido gama
linonenico com maior expressão dos sintomas da síndrome pré-menstrual
• Micronutrientes essenciais na conversão do omega 6 em prostaglandina E1 -
magnésio, priridoxina, zinco, niacina, ácido ascórbico
• óleo de prímula , uma planta nativa da América do Norte, mais conhecida
como evening primrose , é uma rica fonte de ácido graxo gama-
linolênico – 500 mg – 2x ao dia
• Em substituição ao óleo de prímula, tem-se usado o óleo da semente de
borrage (feito a partir das sementes do Borago officinalis) 500 mg 2 x
ao dia
• Vitamina B6 : 30 a 300 mg/dia
• Vitamina E : 400 UI
• Cálcio
• Magnésio
• Manganês
DIABETES
• BAUHINIA EXT SECO---------- 300 mg
• GYMENA EXT SECO -----------250 mg
• GARCINIA EXT SECO --------- 500 mg
• POMEGRANATE ---------------- 100 mg
• CATEQUINAS MIX ------------- 400 mg
• IRVINGIA ------------------------- 300 mg
• VANADIO ----------------------- 30 mcg
• CROMO PICOLINATO ----- 400 mcg

Preparar 30 doses
INGERIR ½ dose APÓS o almoço e ½ dose após
o jantar
ARTRITE e ARTROSE
• CONDROITINA SULFATO ------ 800 mg
• GLUCOSAMINA SULFATO------1500 mg
• MSM ------------------------------------500 mg
• VIT C -----------------------------------200 mg
• PROLINA ----------------------------- 500 mg
• BETAINA CLORIDRATO---------- 300 mg
• MANGANÊS QUELADO----------- 5 mg

Preparar 30 DOSES
Tomar 1 dose ao dia ( ½ dose manha e ½ dose noite)
OSTEOPENIA
• VITAMINA D3 ---------------------------1000 UI
• COLAGENO BIOESTAVEL ---------------1 g
• LITHOTAMINUM
ou CITRATO DE CALCIO ---------------- 1 g
• MAGNÉSIO ------------------------------300 mg
• BORO QUELADO -------------------------2 mg
• MANGANES QUELADO------------------4 mg
• MSM ----------------------------------------400 mg
• SILICIO QUELADO ------------------- 500 mcg

Preparar 30 doses e tomar 1 dose ao dia ( ½ dose


manha e ½ dose noite)
FORMULA PARA RETENÇÃO LIQUIDOS

• ALCACHOFRA----------------------400 mg
• EQUISETUM (cavalinha) -------- 400 mg
• QUEBRA PEDRA ------------------ 300 mg
• PERSEA GRATÍSSIMA------------ 300 mg
• VIT B6 --------------------------------- 150 mg
• MAGNESIO -------------------------- 300 mg

Preparar 30 DOSES
UMA DOSE DIA ( ½ dose manha e ½ dose noite
FADIGA
• CORDICEPIS SINENSIS ----------- 300 mg
• GINSENG SIBERIANO -------------- 300 mg
• ASHWAGANDHA EXT seco ------- 250 mg

Preparar 30 DOSES
Tomar 1 dose ao dia pela manhã
DEPRESSÃO COM DEFICIENCIA DE SEROTONINA

• Griffonia simplifolia ---------------- 50 mg


• RHODIOLA ROSEA --------------400 mg
• TRIPTOFANO --------------------- 400 mg
• Vitamina B3 ------------------------- 50 mg
• L- TIROSINA ----------------------- 100 mg

Preparar 30 doses
Tomar ½ dose manha e ½ dose à tarde
INFECÇÃO URINARIA REPETIÇÃO

• ASTRAGALUS --------------------- 250 mg


• BIOFLAVONOIDES --------------- 400 mg
• CRANBERRY ----------------------- 400 mg

Tomar 1 dose ao dia para prevenção e quando iniciar os


sintomas tomar 3 vezes ao dia
Está ao nosso
alcance e
podemos ser
instrumento
para nutrir de
forma
saudável
• Moura, José Gilberto Perez – Nutrientes e Terapêuticas, como usá-los,
quando usá-los, como avaliar suas carências radicais livres na saúde.
Visão Artes Gráficas, Pelotas/RS-2006;
• Paschoal, Valeria – Nutrição Clinica Funcional: dos princípios à prática
clínica. Valeria Paschoal Editora. São Paulo, 2007;
• Paschoal, Valeria – Suplementação Funcional Magistral: dos nutrientes
aos Compostos Bioativos. Valeria Paschoal Editora. São Paulo, 2008;
• Cozzolino, Silvia M. Fransciscato. Biodisponibilidade de Nutrientes (2ª
edição). Editora Manole Ltda: São Paulo, 2007;
• Oliveira, J.E. Dutra e Marchini, J. Sérdio – Ciências Nutricionais.
Sarvier: São Paulo, 1998;
• Hendler, Sheldon Saul. A enciclopédia de vitaminas e minerais.
Campus: Rio de Janeiro, 1994.
• http://www.cfn.org.br
OBRIGADA !

maribel@maribel.com.br
www.maribel.com.br
30290923
99978606