Você está na página 1de 108

Asher e Asherah

Sheryl
Administrador do site

Asher e Asherah


# 1 Postagem Sáb 07 Abr 2012 4:51 pm
Amigos de Shalom!

Louvado seja Elohim que nos provê doces delícias!

No Zohar, quando se fala dos filhos de Jacó / Israel reunidos em torno de seu leito de
morte para receber bênçãos - reunindo-os apropriadamente, ou perfeitamente, isso é
ensinado - a bênção dada a Asher recebe menção especial.

De Asher, rico é o pão dele ...

Amarrando isto a um verso de Juízes, Asher morou às margens do mar e se estabeleceu


por suas enseadas.

Asher parece ser chave no imperfeito sendo reunido perfeitamente. Faz parte do
nome divino Eheieh Asher Eheiehe é dito que significa quem, quem, quem, quem,
aquilo. Talvez Asher esteja implicando um lugar crucial ou ponto no tempo e espaço de
se tornar? Um ponto de bênção da Mãe ou um influxo do Supernal? Onde o que é
pretendido ou desejado vem a ser?

É curioso que mais tarde no Antigo Testamento esta palavra se torne negativamente
associada com algo que se tornou proibido no templo. Asherah ets , ou o que é
traduzido como um bosque de árvores. Ets sendo ayin tzadi, tzadi na forma final.

Eu estou querendo saber se este uso posterior de asher, com um hei adicionado, está
falando de uma reunião que se tornou imperfeita? Um ajuntamento de 'árvores' ayin
tzadi que não foi feito apropriadamente?

Em algum lugar na história de Israel, o Feminino Divino se perdeu ou tornou-se


proibido. Gostaria de saber se algo dessa ocorrência está oculto no termo Asherah
ets?

Mais pode ser dito sobre isso?


Shalom!

Sheryl
T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Rosh


# 2 Post seg Abr 09, 2012 8:38 pm
Shalom Sheryl!

Também estou muito interessado em saber por que os rabinos lançam o discurso de
Israel dando sua bênção final e profecia a cada um de seus filhos, com a bênção de
Asher como uma espécie de prólogo. Quando vejo estranhas "anomalias" como essa
no Zohar, aprendi que a estrutura da conversa, as transições, até mesmo a
sobreposição de ideias-chave, é em si um ensinamento de nuances elaboradas. A
bênção de Asher é de fato discutida em detalhes e sequência muito mais tarde, mas
quando citada abaixo, seu propósito pela abertura do rabino com sua bênção está me
apontando para vários mistérios simultaneamente:

"Venha e veja: Do mundo que vem emana um fluxo para este justo, para fornecer
iguarias e delícias para esta terra, que é o pão da pobreza, transformando-o em
pastelaria, como é dito: De Asher, rico é o seu pão , ele proverá delícias de um rei -
com certeza, como nós estabelecemos.

"Venha e veja: De Asher - um mistério, aludindo ao lugar que todos chamam de


feliz. Que é aquele? O mundo que está chegando, a quem os que estão acima e abaixo
chamam de feliz e anseiam.

" Rico é o seu pão. De quem? Até aqui, ele não explicou quem é a fonte. Bem, há pão, e
há pão - assim como há uma árvore e depois há uma árvore! Há uma Árvore da Vida, e
há uma árvore da qual depende a morte. Há pão chamado "pão da pobreza" e há pão
chamado "pastelaria". Que é aquele? Pão de vav, e este é o seu pão. Disto está
escrito: Eis que estou a ponto de chover para ti, pão do céu - do céu, certamente! "
A conversa continua, descontroladamente se aventurando nos mistérios de uma
Árvore que nutre, coroada, providenciando a Assembléia de Israel pelo sinal da
Sagrada Aliança. O pão do sábado (pastelaria) é mais tarde tecido com o pão de cada
dia (pobreza), a união de Shekinah superior e inferior, Binah e Malkut, tudo
implícito. Neste ensinamento, o próprio pão é igualado a feminino, às vezes
masculino. Esta parte conclui lindamente,

"Venha e veja: Asher está inscrito acima e inscrito abaixo nos adornos da Noiva. O mar
repousa sobre todas as doze tribos e está nelas montado, como está escrito, com o
mar sobre eles (1 Reis 7:25). Mistério da matéria: em cima, colocado abaixo na terra,
em certos adornos correspondentes ao mundo celestial, abaixo, nestas doze tribos,
correspondendo ao padrão, assim Shekinah acima, Shekinah abaixo, em virtude de
Israel: Ela é cercada e vestida de ambos os lados.

"Asher é inerente à matriz como as outras tribos, e se Moisés não revelou, não seria
conhecido, pois está escrito: mergulhando em óleo seu pé(Deuteronômio 33:24) -
mostrando a localização de seu elo, pois ele extrai esse óleo da unção de cima. Por isso
está escrito: Bendito entre [filhos] é Aser . "(Zohar 1: 246a)

Os ângulos e justificativas para a bênção de Asher, introduzindo todas as bênçãos


sobre os filhos de Israel, desafiam uma explicação direta. Onde você
está recaindo sobre Asher de Eheieh Asher Eheieh é um segmento que o Élder Sarah
ofereceu em nosso estudo mais recente, que nos levou a muitos territórios: Quem , O
Que e Que flanqueado por Eu Souou Farei, são apenas o começo de a bênção que é
unicamente de Asher, prometendo e profetizando o advento do Messias e sua
recepção completa com Lady Mirya.

Quando consideramos a Sarça Ardente a partir da qual Eheieh Asher EheiehFala-se, a


Árvore do Conhecimento e a Árvore da Vida tornam-se muito mais dimensionais nas
aplicações de Asherah . Embora a edição patriarcal e a eliminação de tudo ligado à
adoração à deusa no judaísmo do templo impeçam uma perspectiva bíblica completa,
a argumentação muito acurada de Rafael Patai em A Deusa Hebraica sugere que a
influência da religião cananéia estava constantemente influenciando o que ele chama
de culto judaísta dos sacerdotes judaicos do templo. . A Árvore do Conhecimento (Eva)
e a Árvore da Vida (Mirya) são certamente um espectro de como Elohim traz à
manifestação Quem e Que nós verdadeiramente Seremos : Asher de Asherah.

Há outra camada que me ocorreu recentemente na preparação de outro talismã, com


o qual concluirei. As mesmas letras que soletram Asher ‫ א ש‬são também reversíveis
em outra palavra significativa inteiramente paralela a tudo o que foi dito acima pelos
rabinos da iniciação, transformação e manifestação da soberania de
Deus. Cabeça, rosh , é soletrado ‫ר א ש‬. Rosh Hashaná , Chefe do Ano, é um festival
crucial para neste dia sagrado, precedido pelos dez dias de vigília e oração, confissão e
arrependimento em Yom Kippur, é o julgamento do Santo para o ano vindouro,
simbolizado pela chuva. "Lembre-se de nós para a vida", é uma oração neste festival,
pois Rosh Hashaná também é chamado O Dia da Memória: "Lembre-se de nós para a
vida O Rei. O Rei que deseja a vida, inscreva-nos no livro da vida por sua causa, ó
Vivendo El, Deus da Vida e nosso Protetor". (Gikatilla 57)

Onde 'Head' nos leva é múltiplo. Eu sinto tudo de Keter-Daat, assim como a Cabeça do
Corpo de todos os ungidos no Nome Abençoado: Cristo. Pela emanação de Cristo
como Yeshua, transformando o pão da pobreza em pastelaria, reconciliando a Árvore
do Conhecimento com a Árvore da Vida, unificando Shekinah Above com Shekinah
Below, e tornando-se Sumo Sacerdote para sempre segundo a Ordem de Melchizedek,
o sentido da bênção de Asher introduzindo todas as outras bênçãos sobre os filhos e
tribos de Israel começam a se alinhar e profetizar por que os rabinos nesta porção
do Zohar declaram misteriosamente: "Jacó não morreu".

Que possamos nos abrir para a sua Presença, Salvador Ressuscitado.


Batendo na porta do nosso coração, você pode entrar
e apoiar conosco e nós com você e viver.

Amém e amém!

Elder Gideon +
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

O Pão da Vav


# 3 Post Seg 16 de abril de 2012 22:00
Shalom Elder Gideon!

Obrigado pela sua resposta e acrescentando a esta contemplação.

É curioso que o pão de massa também seja chamado de pão de Vav, que eu acredito
que você aborda quando diz:

O pão do sábado (pastelaria) é mais tarde tecido com o pão de cada dia (pobreza), a
união de Shekinah superior e inferior, Binah e Malkut, tudo implícito.

Vav no Grande Nome sendo o elo entre os dois Heis, representando a Shekinah
superior e a Shekinah Inferior.

Também é fascinante como o pão de Vav é igualado a dar e receber as iguarias do Rei -
participar, comer, o que me faz lembrar de algo que Yeshua disse na parábola das
ovelhas e dos bodes:

Então os justos lhe responderão, dizendo: 'Senhor, quando te vimos com fome e te
alimentamos, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos um estranho e te
vestimos, ou nus e te vestimos? Ou quando te vimos doente ou na prisão e viemos a
Ti? E o rei responderá e lhes dirá: Certamente, digo-te, visto que fizestes a um destes
meus pequeninos irmãos, fizeste-o a mim.

Ao considerar esta lição no Zohar, eu me pergunto se o Mestre aqui está falando


esotericamente da Segunda Vinda?

Que ligação deliciosa o Élder Sarah fez entre Quem , o que e aquilo . Eu me lembro
também dos ensinamentos de Quem do Zohar e dos ensinamentos de Isto . Parece que
tais declarações nos oferecem um vislumbre da experiência de mistérios mais
profundos, o que faz minha mente girar.

E se eu posso perguntar, você está fazendo uma correspondência entre Eva, a Árvore
do Conhecimento, e Asherah, assim como Mirya, a Árvore da Vida, e Asher, quando
você diz:

A Árvore do Conhecimento (Eva) e a Árvore da Vida (Mirya) são certamente um


espectro de como Elohim traz à manifestação Quem e Que nós verdadeiramente
Seremos: Asher de Asherah.

A correlação que você oferece entre Asher e Rosh traz à mente a única palavra em
hebraico que começa com Vav - confissão. A confissão como o reconhecimento e o
desapego da falsa identificação pessoal parece ser o que nos permite unir-nos ao elo -
parte do pão da Vav - unindo-se a este mundo e ao mundo por vir.

É correto dizer que o mundo vindouro está falando esotericamente da corporificação


do nosso Eu Verdadeiro, como estamos em Deus, a Luz Verdadeira?

Que todos recebam das iguarias do rei!

Sheryl
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Asherah: Nome da Shekinah do Messias


# 4 Post quarta-feira 18 Abr 2012 10:54
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Segundo os apóstolos da tradição, originalmente Asherah era um nome comum para a


Santa Shekinah, a manifestação da presença e poder de Yahweh, mas com o tempo, na
ignorância, muitos entre os filhos de Israel começaram a conceber de Asherah como
separado de Yahweh, como se uma "deusa" e "deus" fossem distintas uma da
outra; em outras palavras, a tradição monoteísta dos hebreus foi corrompida pela
influência das tradições pagãs dos povos que os cercavam, e muitos entre os filhos de
Israel começaram a se dedicar à adoração de deuses e deusas menores, adotando
práticas de outras religiões. Isso levou os profetas a falar contra “Asherah” e crenças e
práticas que se tornaram associadas a Asherah; daí, a visão negativa de Asherah que
está registrada na Torá.

O Antigo Testamento, como sabemos, foi registrado por escrito durante o exílio
babilônico; Antes disso, os ensinamentos espirituais dos hebreus eram em grande
parte uma tradição oral. Se olharmos para o Antigo Testamento, há toda indicação de
uma compreensão mais dinâmica de Deus como masculino e feminino, e uma
aceitação das mulheres santas juntamente com os homens santos; daí, uma
espiritualidade menos patriarcal. Além da construção de uma estrutura de poder
voltada para os homens, a remoção progressiva do Feminino Divino e Sagrado teve
muito a ver com a tentativa de preservar e distinguir a espiritualidade e religião do
antigo Israel da dos povos que os cercavam; daí, das antigas tradições pagãs. A fim de
enfatizar a revelação monoteísta do Deus Único, e não dar lugar ao dualismo de um
"deus" e "deusa, Ou uma pluralidade de divindades a serem adoradas, havia um foco
no Masculino Divino e uma diminuição do papel do Feminino Divino. Durante o exílio
hebreu na Babilônia, naturalmente houve um forte sentimento e movimento em
relação a isso, e isso molda o cânon das Escrituras.

A ênfase em Deus, o Divino, como masculino, no entanto, apresenta uma visão parcial
e muito limitada do Divino, e essa visão parcial e limitada do Divino passou a dominar
o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. É hora de uma restauração do Feminino
Divino e Sagrado no Cristianismo, algo muito mais do que a inclusão simbólica da
Virgem Maria nas Igrejas Romana e Ortodoxa. A própria natureza da Segunda Vinda de
Cristo em Glória é a revelação de Deus, a Mãe, e a plena recepção da Noiva Sagrada, e
podemos dizer a redenção ou restauração de Asera.

Se olharmos para o Nome de Deus revelado a Moisés na sarça ardente, Eheieh Asher
Eheieh, Asher é um Nome de Deus; se, então, examinarmos o nome de Aserá, que é
escrito com o acréscimo de uma letra, Ele, Asherah é também um Nome do Deus
Único, o aspecto feminino do Santo, o Shekinah. Entendendo isso, é muito
interessante para Christian Mekubalim ver o Zohar começar a discussão das bênçãos
de Jacó sobre seus filhos com a bênção de Asher, pois isso sugere mistérios profundos
em nossa Cabala Cristã.

Olhe e veja! Eheieh Asher Eheieh corresponde a Keter-Crown, e Jacob, ou Israel,


corresponde a Tiferet-Beauty, e aqui nesta passagem do Zohar Asher corresponde a
Yesod. Geralmente é José quem corresponde com Yesod, mas aqui é Asher e isto é
muito selvagem!

Há, com efeito, o desenho de um Nome correspondente a Keter em Yesod e, ao fazê-


lo, há a revelação de um profundo mistério esotérico. No Santo Nome falado a Moisés,
Asher, “Quem” ou “Aquilo”, indica todos os Atributos Divinos, todas as Sefirot
Sagradas - Asher neste Santo Nome é a Árvore da Vida inteira, e é toda a grande matriz
de emanação, criação. , formação e criação, toda a criação.

Se Yesod é chamado "Asher", então por extensão lógica Malkut-Kingdom é Asherah, e


por natureza Asherah indicaria a realização completa de Asher, ou a realização
completa de Eheieh Asher Eheieh.

Eheieh, "Eu Sou" ou "Eu Sou", aparece duas vezes no Nome correspondente a Keter, e
a primeira aparição indica o potencial do Ser Divino ou Iluminado, enquanto a segunda
aparição indica a realização e realização do Ser Divino ou Iluminado; Asher é o veículo
desta atualização e realização do Ser Divino, ou é o jogo inteiro do Ser em Tornar-
se. Asherah indica a incorporação, a manifestação deste Ser Divino - o despertar do
Divino Eu Sou. Como sabemos e entendemos, o Nome Essencial de Deus, Eheieh, é
realizado no Yeshua Messiah, e especificamente em Hayyah Yeshua, o Messias
ressuscitado, e podemos dizer que Asher é um nome secreto do Messias ressuscitado
e, portanto, o Shekinah de o Messias é Asherah - a Shekinah de Atzilut encarnada.

Por um lado, o que é representado por Asher e Asherah é realizado no intercâmbio


entre Hayyah Yeshua e Magdalene - esta Verdade e Luz sendo incorporada
neles; todavia, por outro lado, a Santa Noiva não foi recebida por completo na época
da Primeira Vinda, mas ela foi recebida apenas em parte e, portanto, a plena e
completa realização do que é representado por Asher e Asherah está no Segundo.
Vinda de Cristo em Glória, Asherah sendo a Glória Divina, Asherah sendo o Nome da
Shekinah do Messias, a Santa Mãe e a Santa Noiva, na Segunda Vinda.

Isto é reflete outra camada de interpretação de Eheieh Asher Eheieh, a Primeira Vinda
correspondendo à primeira Eheieh e a Segunda Vinda correspondendo com a segunda
Eheieh do Nome, Asher correspondendo com a revelação contínua do Messias entre a
Primeira e a Segunda Vinda.

Como sabemos e entendemos, estamos vivendo na Segunda Vinda e, portanto,


Asherah se manifesta conosco - este é o Nome da Santa Shekinah na Segunda Vinda!

Agora, na Primeira Vinda, Malkut é chamado Adonai, e na Primeira Vinda há a


revelação do Pai e do Filho, mas na Segunda Vinda, Malkut é chamado de Elohim e há
a revelação da Mãe e Filha, ou Noiva Sagrada. Adonai indica um único centro da Graça
Divina, ou a Ação Divina, Yeshua Messias e o círculo de companheiros ao seu redor,
enquanto Elohim indica uma multiplicidade de centros da Graça Divina, ou a Ação
Divina, um número de tsadikim vivos e comunidades recebendo o influxo. do Espírito
do Messias.

Como sabemos, Adonai é o vaso de Yahweh, como um véu do Nome Yahweh, e


podemos dizer que Asherah é o vaso de Elohim, como um véu do Nome Elohim -
através da Primeira e Segunda Vinda a plenitude de Yahweh Elohim é revelado e
realizado, para a plenitude do Humano, a imagem e semelhança de Yahweh Elohim, é
realizada.

Adonai Yeshua é freqüentemente chamado de “Segundo Adão”, e se há um Segundo


Adão, então também deve haver uma Segunda Eva - esta é a Madalena; mas a
plenitude da Segunda Eva é manifestada na Segunda Vinda e representa a realização
completa da imagem e semelhança do Ser Humano na Segunda Vinda. Nisto, talvez,
possamos entender o voto da Santa Noiva de continuar a encarnar até que tudo seja
cumprido; Daí a fruição da segunda vinda de Cristo em glória.

Na Primeira Vinda havia a Santa Mãe e a Santa Noiva distintas uma da outra, mas na
Segunda Vinda a Mãe e a Noiva Sagradas são unidas como uma só, assim como o Pai e
o Filho estão unidos como um na Primeira Vinda. Aqui podemos dizer que Asherah
indica a união da Mãe e Filha-Noiva, e a fruição desta união é a Grande Ressurreição e
Ascensão, a plena “entronização” da Santa Noiva (Malkut) na Santa Mãe (Binah).

Como já foi dito acima, Asher é um nome secreto do Messias ressuscitado, e se


olharmos para as letras que compõem este Nome de Deus, isso implica um rosto feliz,
um rosto brilhante, pois há Alef, ar primordial, e Shin, primordial fogo, e Resh, "cara",
um rosto que está iluminado! Isto é descritivo do rosto do Messias ressuscitado, que
sorri sobre seus discípulos, e que respira sobre eles o Espírito Santo, uma Inteligência
de Fogo, transmitindo a Shekinah do Messias para eles, a Presença Viva e Poder do
Ungido de Deus. Isso transparece no cenáculo com seus discípulos originais, aqueles
que andaram com o Mestre no mundo, mas não é isolado para seus discípulos
originais, pois o Messias ressuscitado, o Cristo Vivo, continua a aparecer aos discípulos
durante todo o tempo, e nós estamos estabelecidos na Segunda Vinda através da
experiência direta do Messias ressuscitado, o Cristo Vivo na Glória, na companhia dos
santos santos e anjos. Quando entramos na experiência direta do Messias ressurreto,
o Cristo Vivo, e recebemos o Espírito Santo, assim a Santa Shekinah do Messias está
conosco, Asherah.

Como sabemos, o Messias ressuscitado é Rosh, o Cabeça do Corpo Vivo de Cristo, a


Comunidade dos Eleitos Espirituais, experiência direta do Messias ressuscitado, sendo
o fundamento desta comunidade iluminada, o Espírito do Messias unindo-se aos
membros deste Viver. Corpo unido em uma única comunhão de uma mente, coração e
vida em Cristo.

Para encerrar, podemos dizer que Asherah é a plenitude da Shekinah do Messias com
todo o Corpo de Crentes na Segunda Vinda, todos unidos em Um Espírito Vivo, Uma
Presença Viva.

Há muito que se pode dizer sobre Vau e a realização do mundo vindouro, mas aqui
estou inclinado a fazer uma pausa, esperando para ver onde o Espírito Materno
poderia levar nossa contemplação e discussão antes de continuar.

Que você conheça a boa companhia da Shekinah do Messias com você hoje! Um
homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi
Sophia Comunhão
Ecclesia Pistis Sophia
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Shekinah Primordial Primordial


# 5 Post Qui Abr 19, 2012 11:26 pm
Shalom Dear Tau,

Suas postagens recentes definiram minha mente como uma fiação!

Louvor e gratidão a nossa mãe que nos presenteia com tal conhecimento e
compreensão.

Eu tenho muitas perguntas e se eu poderia oferecer algumas delas aqui para


consideração.

Na discussão sobre as sobrepostas Sefirot, o Élder Gideon expandiu a revelação de que


essas três interseções são o Corpo Trino de Melquisedeque, perguntando se a mais
íntima emanação primordial de Shekinah era o Corpo da Verdade do Corpo da
Verdade.

Ao levar essa contemplação para fora, uma coisa curiosa é vista. Os Corpos de Glória
do Corpo da Verdade, o Corpo de Glória e o Corpo de Emanação são Messias, Rafael e
Malakim, respectivamente. É curioso ver Tiferet alinhado com o Corpo Glorioso dentro
de cada Corpo! Mais curioso quando se considera que Yesod em ensinamentos simples
é o Corpo Glorioso, e o Nome Secreto do Messias Ressuscitado é Asher, que na lição
Zohar em questão corresponde a Yesod.

Eu estou querendo saber se os mistérios do Messias ressuscitado e do Corpo Glorioso


estão sendo apontados para isso? Sendo um deles que o Corpo Glorioso desempenha
um papel na redenção - conectando ou unindo o Corpo da Verdade com o Corpo de
Emanação?

Os espelhos continuam vindo à mente, com espelhos quebrando e remendando, e


reflexos de um espelho para outro, com talvez Asher sendo o próprio reflexo? Quando
um espelho conserta e reflete de volta, é Asherah?

Asher corresponde de algum modo com a mais íntima emanação primordial de


Shekinah? Talvez com a Shekinah de Adam Kadmon, que é canalizada através de
YHWH, sendo assim a Essência de todos os Nomes Divinos e Partzufim? E assim,
quando a Santa Mãe e a Noiva estão unidas como Unas, na Segunda Vinda, em plena
entronização, elas estão refletindo algo da mais íntima Shekinah primordial, tornando-
se Aserá?

Um último pensamento.

Outro nome veio à mente ao ler Asherah é manifesto com a gente - este é o nome da
Santa Shekinah na segunda vinda!e isso é Emanuel, Deus conosco, o Nome do Messias
na Primeira Vinda!

É curioso que outro significado de Asherah seja bosque, como em bosque de árvores, e
outro significado de Emmanuel é o topo da árvore!

Que todos os seres recebam as bênçãos da segunda vinda!

Sheryl
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Asherah: Malkut de Atzilut, Shekinah Supernal


# 6 Post Fri 20 de abril de 2012 10:48
Saudações e bênçãos na Luz do Messias!

Asher corresponde a Yetzirah de Atzilut, o sagrado Tzaddik, e Asherah corresponde a


Malkut de Atzilut, a Superna Shekinah, a Shekinah do Messias. Como sabemos, até a
vinda do Messias não havia nenhum vaso sagrado no qual Malkut pudesse se derramar
completamente e completar seu “alcance”, e assim a Shekinah Superna não foi
revelada em toda a sua glória e poder; mas quando o Espírito do Messias entrou em
Adonai Yeshua, e ele recebeu o Influxo Supernal, Malkut foi capaz de se esvaziar
completamente e completar seu alcance. Seu pleno derramamento, e a conclusão de
seu alcance, é claro, acontece na ressurreição, com Hayyah Yeshua, o Messias
ressuscitado, pois é na ressurreição e ascensão que ele, por sua vez, se derrama por
completo e “alcança” quando ele transmite a Transmissão de Luz, o Espírito Santo,

Yesod é chamado o Tzaddik Sagrado e Yesod recebe todos os influxos (shefa) das
Sefirot Superiores e os transporta para Malkut, o Shekinah; Yesod de Malkut detém
todos os influxos supernais, e quando Malkut de Atzilut os recebe, ela os transmite
para todos os mundos, para cada um de acordo com sua capacidade de receber. O
maior afluxo de Malkut de Atzilut ocorre quando verdadeiros seres humanos, ou
tsadikim vivos, aparecem em um mundo, mas o influxo completo só acontece quando
um Tzaddik Perfeito aparece; daí, o advento do Messias em um mundo.

Por um lado, podemos dizer que na época da ressurreição do Messias Yeshua, nosso
Adonai, a plenitude de Malkut de Atzilut foi incorporada e revelada, ou que ela se
derramou por completo e seu alcance estava completo naquele dia sagrado, e isso
seria verdade. Por outro lado, entretanto, a maior revelação e encarnação da Shekinah
Superna e, portanto, seu pleno derramamento e alcance completo, está na Segunda
Vinda; portanto, seu derramamento e seu alcance continuam, e não está completo até
que todas as almas destinadas a serem ungidas com Luz e Verdade Supernas sejam
ungidas e reunidas no Continuum de Luz, Yahweh, Yeshua.

Assim, na Primeira Vinda, Malkut, a Santa Shekinah, é revelada como Adonai, mas na
Segunda Vinda ela é revelada como Elohim; e podemos dizer que na fruição da
Segunda Vinda, ou melhor, a fruição da Grande Ressurreição e Ascensão, Malkut é
revelado como Yahweh Elohim, o Fim-de-Dias tendo chegado.

Dentro e por trás de tudo isso existe a Shekinah Primordial, mas é a realização da
Shekinah Superna que transpira através da Primeira e Segunda Vinda; a realização da
Shekinah Primordial não neste mundo, mas sim no Mundo-Para-Vem. Embora grandes
tzaddikim possam guardar algo desta realização primordial enquanto no corpo, neste
mundo, permanece makifin (envolvente, transcendente) não p'nimi (internalizado,
encarnado), pois a plena realização da Shekinah Primordial é no final. Of-Days, ou no
Mundo-Para-Vem.

Aqui, o Espírito Santo nos inspira a falar um mistério secreto: De acordo com os
mestres da tradição, Binah-Imma de Atik Yomin é chamada de Fim-de-Dias. Nada mais
pode ser dito disso na presente discussão, e nenhuma resposta pode ser dada a
qualquer pergunta sobre isso, mas aqueles que podem contemplar e meditar sobre
este profundo mistério buscam conhecimento através do Espírito Materno, e assim
compreendem!
Em termos de Shekinah Primordial e Asher, ou o Messias ressuscitado, podemos dizer
isso, no entanto, a realização do Shekinah Primordial está na fruição da ascensão,
quando Hayyah Yeshua é traduzido em Luz Pura e entra em Clear Light Union, ou
completa unificação com o Pai Vivo. Da mesma forma, quando se diz que a Alma do
Messias é a “Alma de Adam Kadmon”, isso corresponde à Shekinah Primordial dentro
e por trás de tudo o que acontece, a verdade maior do Messias Melquisedeque,
“iluminação primordial”.

No momento, porém, as gradações mais profundas da consciência realizadas e


encarnadas são gradações da Consciência Superna, que transcendem as gradações da
consciência cósmica, o ápice da consciência mental; e como é, no atual estado da
humanidade coletiva, esses são graus muito elevados de consciência, os graus mais
íntimos ainda permanecem além da realização e da incorporação neste mundo,
embora existam grandes tzaddikim que tocam nessas gradações mais baixas à medida
que correm e retornam. . Assim, o nosso trabalho espiritual na Segunda Vinda é a
plena realização e incorporação da Shekinah Superna, a Shekinah Primordial
representando uma realização e incorporação no Mundo-Para-Vem.

Do primeiro temos muito a dizer, pois é em nossa experiência de auto-realização em


Cristo, mas do último há pouco a ser dito até a época devida. Na verdade, não há como
falar da Shekinah Primordial, mas é um segredo íntimo, conhecido apenas pelas almas
que entram na União da Luz Clara; daí, os verdadeiros "Mestres Ascensos".

Agora, com respeito a Malkut como Elohim, e a maior realização e encarnação da


Shekinah Superna, que corresponde a Elohim, e com o Nome de Asherah como o
Nome da Santa Shekinah na Segunda Vinda, Elohim designa muitos em Unidade
Sagrada, unidade, e Asherah significa “bosque”, implicando também muitos que são
um. Esta é a natureza da Segunda Vinda, pois múltiplos tzaddikim vivos incorporam a
Shekinah do Messias e se tornam centros da Graça Divina, centros desta Ação Divina, a
Shekinah do Messias fazendo raios para muitos mais indivíduos nas comunidades que
os rodeiam. Há uma e a mesma presença de Luz (Cristo) e poder de Luz (Espírito
Santo), mas manifesta, incorporada, em muitas - uma e a mesma Presença Viva, ou
Espírito Vivo. É como uma personificação do Ser Diamante ou do Ser Jóia, com muitas
facetas, rostos, e esta é a maior realização de Malkut de Atzilut na Segunda Vinda; daí,
Asherah.

Podemos dizer, Asher é a unidade, unidade e Asherah a multiplicidade, muitas


emanações, corporificações; daqui, Asher está em Asherah.

Podemos também dizer que Asher é Rosh, o Cabeça, e Asherah é o Corpo; através do
Corpo Vivo, a Inteligência Ardente na Cabeça é atualizada e realizada.
Se quisermos examinar o mistério de Vau, correspondendo ao mistério de Asher,
primeiro, além de uma única palavra que começa com Vau, indicando “confissão”,
também existem nomes de anjos ocultos e supernos que começam com Vau. E, como
sabemos, o mistério interior de Vau são as Seis Sefirot de Atzilut, Hesed, Gevurah,
Tiferet, Netzach, Hod e Yesod de Atzilut. Asher corresponde a Yesod de Atzilut e Yesod
é a “plenitude dos Seis”, o canal dos influxos dos Seis em Malkut de Atzilut; daí a
plenitude de Vau.

No Grande Nome de Yahweh, Vau representa o Messias, e Vau se une ao primeiro Ele
com o Ele final, correspondendo com a Mãe e a Noiva, Shekinah Superior e Inferior,
respectivamente; na Segunda Vinda, quando Adonai se torna Elohim, esta união da
Mãe e da Noiva é completa, a Noiva-Kallah se tornando a Mãe-Imma. Esta é a
plenitude de Vau realizada.

Como a noiva se torna a mãe? Este é o mistério da câmara nupcial, pois a Noiva se
torna Mãe através da união com o Noivo, concebendo, gestando e dando nascimento
a uma Criança Sagrada, a imagem e semelhança da Noiva e do Noivo; então, o Filho se
torna Pai, e a Filha se torna Mãe.

Esta, exatamente, é a Segunda Vinda de Cristo em Glória, pois receber a plenitude do


Espírito de Cristo um homem é a imagem e semelhança do Esposo (Segundo Adão) e
uma mulher é a imagem e semelhança da Noiva (Segunda Eva) ; ainda mais, tornam-se
Esposo e Noiva, o Espírito de Cristo, a Luz Superna, sendo incorporados neles, assim
como em Adonai Yeshua e a Madalena.

A plena realização do Espírito de Cristo, ou a Luz Superna, é quando é incorporada,


integrada, e quando o Espírito de Cristo é comunicado a outro; daí, através da
transmissão e recepção da Transmissão de Luz, mistério de Vau!

Existe uma confissão natural que surge em um momento de plena Transmissão de Luz
na corrente Cristã, “Messias Yeshua é Adonai!” De fato, de repente percebemos o
poder no Abençoado Nome ao recebermos o Espírito do Messias, a consciência da Luz
e Verdade Suprema, Eheieh, Eu Sou.

Aqui podemos dizer que o primeiro Eheieh corresponde ao Yeshua Messiah, e com o
santo apóstolo através do qual experimentamos a Transmissão de Luz, e o segundo
Eheieh corresponde a nós quando recebemos a Transmissão de Luz e entramos na
realização do Divino I Am; e assim, Asher corresponde à Transmissão de Luz, a
transmissão do Espírito Santo, e Asherah corresponde à incorporação na Comunidade
dos Eleitos, a Comunidade de Israel.
Como sabemos e entendemos em nossa experiência, toda a comunidade, o Corpo Vivo
de Cristo, é o veículo dessa Transmissão de Luz.

Estou inclinado a parar neste ponto e ver onde o Espírito nos guia em seguida.

Que a Luz da Verdadeira Cruz (Shin-Tau) brilhe em todas as direções do espaço


infinito, e que todos os espíritos e almas vivos sejam elevados em Hayyah
Yeshua. Um homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
BrandonLw

Asher, Asherah


# 7 Postado Sáb 21 Abr 2012 5:55 pm
Hallelu-Imma pela revelação dos mistérios e pela comunidade sagrada!

Ao ler que Asherah é a vessal de Elohim, uma pergunta:

O que é dito de tomar Asher e Asherah para intentar como Divine Names? Podemos
inferir que eles podem ser entoados com quatro sons de vogais diferentes para
enfatizar certos aspectos? Eu me pergunto como nomes ideais para extrair energia da
Segunda Vinda e talvez abrir o caminho para a revelação da Mãe-da-Noiva e o
fortalecimento para multiplicidades de Tzaddakim ...
T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Asher Asherah

# 8 Post Dom 22 de abril de 2012 8:24
Shabat Shalom Tau Malachi!

Esses ensinamentos sobre Asherah são maravilhosos! Estou ouvindo como nossa
tradição oral encontra correspondências tão profundas com Asherah e a
Shekinah. Que ela seja recebida em plenitude: Nossa plenitude!

De repente eu estou ouvindo o nome divino YHVH Elohim de forma diferente, porque
você escreveu:

Como sabemos e entendemos, o Nome Essencial de Deus, Eheieh, é realizado no


Yeshua Messiah, e especificamente em Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado, e
podemos dizer que Asher é um nome secreto do Messias ressuscitado e, portanto, o
Shekinah de o Messias é Asherah - a Shekinah de Atzilut encarnada.

e,

Como sabemos, Adonai é o vaso de Yahweh, como um véu do Nome Yahweh, e


podemos dizer que Asherah é o vaso de Elohim, como um véu do Nome Elohim -
através da Primeira e Segunda Vinda a plenitude de Yahweh Elohim é revelado e
realizado, para a plenitude do Humano, a imagem e semelhança de Yahweh Elohim, é
realizada.

e,

Como a noiva se torna a mãe? Este é o mistério da câmara nupcial, pois a Noiva se
torna Mãe através da união com o Noivo, concebendo, gestando e dando nascimento
a uma Criança Sagrada, a imagem e semelhança da Noiva e do Noivo; então, o Filho se
torna Pai, e a Filha se torna Mãe.

Se eu não estou entendendo mal, YHVH é manifesto, encarnado, em Hayyah Yeshua:


Asher. Elohim é manifesto, corporificado em comunidades reunidas no Nome
Abençoado de Hayyah Yeshua: Asherah. A Câmara nupcial do Pai-Mãe gera
continuamente esta Criação; quando o Filho e a Filha se unem, tornando-se Pai e Mãe,
uma nova Criação é gerada, a qual nós experimentamos em sua união: a Transmissão
de Luz, a Segunda Vinda. Parece que uma nova kavannah do nome divino é YHVH
Elohim abriu em minha audição, sendo a consciência de Asher Asherah,
respectivamente.
Se isso pudesse ser ajustado ou corrigido, ficaria muito grato.

Elder Gideon +
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Um fluxo de seres vivos na luz


# 9 Post Dom 22 de abril de 2012 20:37
Shabat Shalom!

Elogie Imma Elohim por esses ensinamentos e contemplações! Louvor e gratidão a


Imma e Seu Filho por guiar nossas contemplações.

Como o Élder Gideon, eu me vejo buscando uma maior compreensão e kavannah em


relação ao Nome Divino YHWH Elohim.

O Continuum de Luz veio à mente enquanto ouvia o discurso do Shabat da semana


passada, onde Tau falou da Segunda Vinda como uma corrente de seres vivos em Luz ,
ou uma corrente crescente de transmissão e ensino.. Com Asher como a Transmissão
de Luz em cheio - assim chamado Adonai, e Asherah como uma múltipla manifestação
da Transmissão de Luz - assim chamada Elohim, podemos dizer que como Adonai,
YHWH, o Continuum de Luz, toca o mundo, e como Elohim , Ela se espalha na
fisicalidade através de múltiplas manifestações, de modo que Asherah está falando do
Continuum de Luz, através da Transmissão de Luz, movendo-se através do tempo e
espaço?

O fluxo vivo de Potencial fora do tempo se tornando uma corrente viva de Tempo e
espaço atualizadas?

Tau, ao falar do mistério de Vau, você disse:

No Grande Nome de Yahweh, Vau representa o Messias, e Vau se une ao primeiro Ele
com o Ele final, correspondendo com a Mãe e a Noiva, Shekinah Superior e Inferior,
respectivamente; na Segunda Vinda, quando Adonai se torna Elohim, esta união da
Mãe e da Noiva é completa, a Noiva-Kallah se tornando a Mãe-Imma. Esta é a
plenitude de Vau realizada .

Enquanto pensava na plenitude de Vau percebeu, mais do que um link vem à


mente. Talvez estejamos apontando para a diferença entre YHWH Elohim em Binah
versus YHWH Elohim em Da'at?

Na Gnose do Cristo Cósmico, você diz:

Yahweh é a única força da consciência; Elohim é a única força da consciência que se


torna muitas forças cósmicas na criação. Em Binah, todas as forças cósmicas estão
unidas na única força, mas através do Da'at, elas são separadas em formas individuais
distintas da força.

E então, em um post no fórum feito nos primeiros anos, você disse:

Em um post anterior sobre esse assunto, mencionei o poder do Zer Anpin (a Pequena
Face de Deus) personificada pelo Messias e pelos Tzaddikim - é esse Rosto de Deus que
os Tzaddikim escondem e revelam, o Habitante da Luz. O que é esse poder divino? É o
poder de Vau no Grande Nome de Deus, e é o poder do Mundo de Maggidim
(Anjos); Quando este poder se une ao poder de Nukva, e ela se torna Kallah, então as
bênçãos e graça de Imma e Abba são derramadas, como no Dia de Pentecostes e como
na Revelação Divina do Messias Ressuscitado no Monte das Oliveiras.

Com Vau, podemos estar falando do Poder Divino por trás de "todas as forças
cósmicas sendo unidos na única força"?

Vau sendo um mistério por trás de YHWH e seu nome sendo um?

Por favor, continue corrigindo e orientando nossas contemplações.

Que Asherah continue a florescer neste mundo!

Sheryl
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Olhando mais fundo em Asher-Asherah


# 10 Post seg Abr 23, 2012 11:09 am
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Emmanuel, tendo o significado “topo da árvore”, isto corresponde com Asher e com o
Tzaddik Sagrado, e Asherah, tendo o significado “bosque”, isto corresponde com o
Círculo Sagrado, Comunidade dos Eleitos. Se e quando uma alma é tomada como um
veículo da Graça Divina, um centro da Ação Divina da Segunda Vinda de Cristo, a
própria natureza dessa experiência de pleno despertar é uma experiência profunda e
íntima de Hayyah Yeshua, o Messias Ressuscitado. e nesta experiência há uma
recepção plena do Espírito de Cristo, a Luz Superna e a aurora da Consciência Superna
ou Messiânica; a própria natureza dessa experiência gnóstica de Cristo é uma
unificação consciente com Hayyah Yeshua, e a presença da Luz e o poder da Luz
tornam-se corporificados naquela mulher santa ou homem santo, a imagem e
semelhança da Noiva Sagrada ou Noivo. Esta presença de Luz e poder de Luz
resplandece dentro e ao seu redor, e irradia-se, comunicando-se a todos os que se
reúnem no Sagrado Círculo, Comunidade, para que recebam, cada um receba, cada um
de acordo com sua capacidade atual e desejo de a Santa Luz. A natureza desta Luz
Sagrada, o Espírito de Cristo, é unidade, e assim todos estão unidos e unidos como um
Corpo Vivo de Cristo, espiritual, psíquico e físico, um e o mesmo Espírito Cristo
corporificado em um e em todos.

Há o Tzaddik Sagrado (ou Tau Sagrado), e há a Comunidade (ou Círculo Sagrado), e


esta é a manifestação de Asher e Asherah, que podemos dizer que é o veículo de
recepção dos influxos de Yahweh Elohim.

Emmanuel, "Deus está conosco", e Asherah, "Santa Mãe-Noiva", é manifestada


repetidas vezes em progressão, evolução, da revelação do Messias e do Santo
Evangelho. Tal é a natureza da Palavra Viva, é progressão, crescimento e evolução; daí,
“viver”.

A própria ideia do “topo de uma árvore” e um “bosque de árvores” implica


crescimento, evolução, vida!
Asher e Asherah, Tzaddik e Comunidade no Messias; esta é a Presença Viva de Hayyah
Yeshua, o Messias ressuscitado, ou o verdadeiro Reino de Deus (El, Elohim).

Lembremo-nos que a Árvore da Vida, a matriz das Santas Sefirot através dos Olamot, é
frequentemente chamada de “pomar”, um bosque de árvores frutíferas cultivadas e
nutridas pelo Ser Humano, que nutre e sustenta o Ser Humano, e fornece Vida.
Abundante. Os galhos mais comuns usados para a Árvore da Vida como um pomar são
o “Jardim das Romãs” ou “Pomar das Maçãs”, e assim, quando o pleno Afluxo Supernal
é trazido, encarnado, a Sagrada Shekinah é corretamente chamada Asherah (bosque,
pomar). ), e o primeiro centro deste Santo Afluxo é corretamente chamado Asher
(topo da árvore), uma “face de Emmanuel sorrindo para todos”, ou a “Fundação do
Mundo”.

Agora, com relação ao mistério de Yahweh Elohim como Binah ou Da'at, primeiro
Binah é chamado Elohim, mas quando Binah se une a Hokmah, e Da'at e as Sete Sefirot
da Construção emanam de Binah, então Binah se torna Yahweh Elohim e Da'at é o
poder de Yahweh Elohim, Imma-Mother, tendo “dado à luz”, emanando de dentro de
si mesma. Hokmah é Yah, Binah é Elohim, mas através de Elohim, quando há união e
geração, Vau-He (as Sete Sefirot da Construção) surge; daí, Yahweh Elohim como Mãe
(Binah) e Criança (Da'at).

O Da'at é como um prisma através do qual a Luz Sagrada e Superna passa e irradia
para os raios do arco-íris, o espectro completo da Luz Sagrada, muitas gradações da
Luz Sagrada; em Binah, no útero, tudo isso é potencial, crescente, em
desenvolvimento, dentro da Imma-Mãe, mas através de Da'at tudo isso é realizado,
nascendo, por assim dizer, não mais no Santo Ventre de Deus (Elohim ). Como
sabemos e entendemos, uma vez nascida, essa Vida Divina permanece em grande
parte em potencial, uma “criança”, e deve crescer e evoluir para a plena maturidade,
plena realização e realização, ou incorporação. Em Da'at, no início, há o Noivo e a
Noiva em potencial, mas através de uma revelação contínua do Santo (Yahweh
Elohim), o Noivo e a Noiva se tornam realizados e realizados, incorporados em plena
glória e poder. Quando incorporado no mistério completo e unificado da câmara
nupcial, este é o cumprimento de toda a criação, o cumprimento de Ratzon Elyon, a
Vontade do Altíssimo; esta é a realização do Humano como a imagem e semelhança de
Yahweh Elohim.

Asher é o Noivo e Asherah é a Noiva Sagrada, e eles são a manifestação do poder de


Yahweh Elohim.

Aqui podemos dizer que esta Grande Realização transpirou, está transpirando e
transpirará; portanto, o Messias e Shekinah do Messias vieram, estão chegando, e
ainda estão por vir - a revelação do Santo com, dentro e através do Humano, está em
andamento.

A natureza mesma desta revelação do Divino, Ain Sof, o Infinito e Eterno, é um


Continuum de Luz de Transmissão; o que é emanado, revelado, é Or Ain Sof, a Luz
Sagrada do Infinito. Yahweh corresponde ao Continuum de Luz e Elohim corresponde
às muitas emanações do Continuum de Luz e às muitas gradações da Transmissão de
Luz. O Continuum de Transmissão de Luz é como um rio vivo de luz, e em revelação,
transmissão, está crescendo, evoluindo com, em e através de nós, a Luz Sagrada sendo
revelada e realizada em gradações cada vez mais altas, uma maior presença de Luz e O
poder da luz é incorporado.

Esta Luz Sagrada, a Luz Superna, é o Messias, e a Shekinah do Messias é a Transmissão


de Luz, e, como sabemos em nossa experiência, a Luz Sagrada e a Transmissão de Luz
são inseparáveis; contudo, no jogo da Transmissão de Luz há a recepção e
reconhecimento da Luz Sagrada, e então há a realização e transmissão da Luz Sagrada,
Transmissão de Luz - percebendo, comunicando, isto é a fruição da união consciente, e
isto é a manifestação de Asherah.

Asher e Asherah, esta é a manifestação do Continuum of Light Transmission no


mundo, uma encarnação contínua da presença da Luz e do poder da Luz; na maior
parte, na longa “noite escura da alma” através da qual a Igreja, o Cristianismo, passou
este Continuum de Luz, a Transmissão estava quase perdida neste mundo, mas na
Segunda Vinda de Cristo em Glória foi restaurada, e tem progredido, gradações ainda
maiores da Luz Sagrada, da Força da Consciência, sendo recebidas e comunicadas,
realizadas e corporificadas.

Esta progressão da Transmissão de Luz não só aconteceu na corrente Cristã de


Transmissão de Luz, mas com o Influxo Supremo está transpirando em muitas
correntes de Transmissão de Luz. Esta é a verdade maior, a maior realização de
Asherah: todos os povos, todas as almas, sendo filhos de um e o mesmo Deus Mãe, e
sendo irmãos em uma e mesma Noiva Sagrada (Shekinah, Presença Viva e Poder).

Nossas almas são emanações da Luz Sagrada, o Continuum de Luz e, portanto, a


experiência dessa Transmissão de Luz é a realização de nossas almas; esta revelação
contínua de Cristo e Deus, a Verdadeira Luz, é a realização de nossa verdadeira
essência e natureza, a Luz Sagrada, o Ser Sem Nascimento (Eheieh). Isto sugere um
grande e supremo mistério, pois, por um lado, Deus, a Verdadeira Luz, não muda ou
evolui, mas é transcendente às criaturas e à criação. Este aspecto transcendente de
Deus, a Verdadeira Luz, é Deus o Pai. Por outro lado, no entanto, Deus, a Verdadeira
Luz, está mudando, evoluindo, tornando-se realizado e realizado através de criaturas e
criaturas. Este aspecto imanente de Deus, a Verdadeira Luz, é Deus a Mãe. De um
modo semelhante, há um aspecto mais profundo da alma, a essência e a natureza da
alma, que não muda ou evolui,

Se e quando falamos da Graça Divina, este é um influxo para o Reino do Ser do Reino
do Ser - um influxo da Verdadeira Luz e nossa essência da alma do reino imutável ou
eterno, que se manifesta como uma nova revelação e uma radical transformação ou
salto na consciência, ou no desenvolvimento e evolução das almas. A Primeira Vinda e
a Segunda Vinda são grandes influxos de Ser Eterno (Eheieh), e podemos dizer que
desde o tempo da Primeira Vinda houve um aumento progressivo destes Influxos
Supernos, a Segunda Vinda representando o tempo em que esses influxos se tornam
quase constante e manifesta com maior intensidade, maior poder e glória; daí, uma
plenitude maior de Influxo Supernal, Luz Supernal ou Graça Superna.

A este respeito, podemos contemplar a ascensão do sol na primavera e o surgimento


das flores, florescer, através do aumento da luz, a realização do grande potencial, a
grande glória e poder dentro da criação; da mesma maneira, é o que acontece com as
almas quando os influxos da Luz Superna crescem e aumentam, seu maior Potencial
Divino, sua maior glória e poder, é ativado e se torna realizado.

Como sabemos, a primavera é uma época de grande felicidade, grande alegria, para
todas as criaturas e para o ser humano - há um rosto feliz, uma face alegre, Asher,
neste crescente derramamento de Luz Sagrada, e a Vida Divina que manifesta-se neste
aumento da transmissão de luz é Asherah.

Deve-se dizer, porém, que a primavera não é a estação da fruição, ou o fim da


ascensão da luz, e que da mesma forma deve ser dito que, com os influxos maiores da
Luz Superna, também há uma intensidade e manifestação maiores. de sombras e
sombras, ou escuridão - tudo é, de fato, amplificado e acelerado pelo influxo da Luz
Sagrada, tudo em prol de uma maior fruição, uma maior realização, do Ser Divino em
Tornar-se.

Isso sugere outro grande mistério de Asherah, pois, como sabemos, Imma e Kallah,
Mãe e Noiva, abrangem, incluem, Luz e Escuridão, e todos os seres cósmicos e
espirituais - forças, e Ruach Elohim, o Espírito de Deus, move-se com dentro e através
da Grande Matriz de forças cósmicas e espirituais, e se manifesta como a Grande
Matriz; mesmo as forças espirituais de mistura (arquônicas) e trevas (demoníacas) são
movimentos do Espírito de Deus, embora corretamente chamadas de “operações
secretas”, ou seja, ignorantes, desconhecidas para aqueles seres espirituais -
forças. Isto também é sugerido na revelação da Santa Mãe-Noiva (Asherah) como
Nossa Senhora de Guadalupe, pois ela aparece no meio de grande escuridão, grande
horror, e no meio de duas religiões caídas em grande ignorância e violência, Asteca e
católica; ela pega a grande escuridão, grande ignorância, como veículo para a maior
revelação da Verdade e da Luz. Esta é a dança da Shekinah do Messias, Asherah, na
Segunda Vinda, movendo-se para a fruição da revelação do Divino no Fim-de-Dias e no
Mundo-Para-Vem.

A invocação de Asherah, porém, é uma invocação de uma manifestação maior do


Continuum of Light Transmission, um maior derramamento da Luz Sagrada, o Espírito
Santo, e se unindo a Asherah, a Shekinah de Yahweh, Yeshua, nós colocamos um
Corpo de Visão, uma visão de esperança espiritual em meio aos bons e maus
momentos da mesma forma; portanto, as vestimentas de luz, os corpos de luz de
Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado.

De fato, o mistério de Vau é algo mais que um elo ou conexão, é um canal, um canal,
do Influxo Supremo, e é o agente da unificação consciente, da realização; a união do
céu e da terra, Deus e o Humano. Aqui podemos dizer, a "Coroa do Vau é Da'at", e
Da'at é a realização de Keter, a realização de Eheieh, o Divino Eu Sou.

É dado que podemos falar em um segredo aberto. A natureza desta realização do


Divino Eu Sou, este Divino Eu Serei, é Ani-Ain; e podemos dizer que esta é a
“confissão” final que traz a salvação, ou iluminação e libertação. Esta auto-realização é
mostrada a nós através da cruz e do aparecimento do Messias ressuscitado, Hayyah
Yeshua, e ainda mais, na ascensão do Messias ressuscitado. E assim nos é dito que o
Messias aparecerá novamente da mesma maneira que o Messias ascendeu; e nos é
dito: “Você o encontrará no ar (Espírito).” Isso acontece quando entramos na mesma
auto-realização de Yeshua e Mirya, reconhecendo e percebendo a verdade do Divino
Eu Sou, Ani-Ain (Eu , Não auto).

Como sabemos, Ain, No-Thingness, é a natureza mais íntima de Deus, a Verdadeira


Luz, e assim, como emanações do Deus Único, esta é a mais íntima essência e natureza
de nossa alma, nosso ser; este Vazio, ou Sem Coisa, é ao mesmo tempo Plenitude, ou
Todo-Coisa. Se e quando nós percebermos a Natureza Ain de nossa alma, nosso ser,
assim nós percebemos nossa unidade inata, unidade, com Deus.

É dado que podemos falar em outro segredo aberto. Como sabemos, a forma interior
do Rito Triplo de Iniciação é comunicada através da expressão de uma palavra mística
(ou Nome Divino), respiração sagrada radiante e imposição de mãos. Como sabemos,
existe um nome secreto de Cristo, o Messias, dado em evangelhos esotéricos e
ensinado em nossa Cabala Cristã, IAO; este nome secreto do Messias revela a
realização de Eheieh como Ani-Ain, e é o Nome do Messias em revelação e realização
em curso, ou como o Continuum de Transmissão de Luz.

Nesta sagrada consciência, esta santa lembrança, Asher e Asherah são, na verdade,
nomes de Deus a serem invocados, cantados e cantados; em primeiro lugar, eles são
entoados e cantados em forma simples como Asher-Asherah com várias melodias; um
canto ou canção de celebração na pura alegria, puro deleite, de união consciente.

Então, de fato, sons de vogais podem ser adicionados às letras do Nome, Ah-Sh-R e
H; a vogal soa a, i, o e u, que correspondem à manifestação da Presença Divina em
Atzilut, Beriyah, Yetzirah e Asiyah, respectivamente, portanto, atraindo os influxos das
Sefirot de Atzilut para Asiyah através do canto ou da canção.

Como e exemplo, Ah-Sha-Ra-Ah-Sha-Ra-Ha seria o canto destes dois Nomes juntos


correspondendo a Atzilut.

Outra maneira de cantar ou cantar os Nomes é juntar sons de vogais com Ah-Sh-R e
depois cantar Asherah. Como exemplo, Ah-Sha-Ra Asherah.

Juntamente com várias melodias, vários cantos de Asher e Asherah são gerados dessa
maneira.

Podemos também compartilhar que vários Nomes Divinos podem ser unidos a
Asherah, por exemplo, o cântico de Yahweh Asherah e Yeshua Asherah são comuns,
assim também, por exemplo, Asherah Yah e Asherah Eheieh são comuns. Como você
pode supor, Imma, Nukva e Kallah se juntam a Asherah em cânticos e canções muitas
vezes - existem muitos, muitos cantos de Asher-Asherah. Com o tempo, veremos se
podemos registrar alguns exemplos deles para compartilhar com irmãs e irmãos que
vivem à distância; os planos já estão em andamento para fazer isso!

Aqui estou inclinado a pausar em silêncio contemplando, permanecendo em Asherah,


esperando no Espírito Mãe.

Ó Yahweh Elohim, por favor, abençoe e nos capacite para manifestar Sua imagem e
semelhança na íntegra, e assim tornar manifesta a plenitude de Asherah, Sua Santa
Shekinah. Um homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Yonah

# 11 Post seg Abr 23, 2012 3:02 pm
Saudações e Bênçãos no Nome de Yeshua Messias!

Eu tenho acompanhado esse tópico por algum tempo e intrigado pela peça.

Eu sou especialmente atraído pelos ensinamentos de Asherah sendo a unidade da


Mãe-Noiva e, portanto, a Mãe de todos os povos e todas as almas. Isso aponta para
Asherah ser a mãe da segunda vinda, porque ela é a unfication de todos voltando
juntos. A Mãe e a Noiva unificaram-se levando seus filhos com ela para a unidade.

Olhando para as histórias de Guadalupe e dela sendo a unificação das tradições asteca
e católica na mãe, vejo como ela é, portanto, uma manifestação de Asherah. Sempre
me perguntei e contemplei que Guadalupe me lembra tanto a Madre Maria quanto a
Madalena em uma encarnação. Isso faz muito mais sentido com base nesses
ensinamentos.

Obrigado por esses ensinamentos e pelo insight!


Shalom, Yonah
Shalom,
Yonah
EPS Coleta de Recolhimento
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Shekinah do Cristo Cósmico


# 12 Post Ter 24 de abril de 2012 11:15
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Você tocou em uma maravilhosa percepção acerca da união da Mãe e da Noiva


querido irmão, pois em um nível a Noiva, Kallah, é a comunidade individual com um
tsadic ou apóstolo vivo, e o derramamento, movimento, da Shekinah e do Espírito
Santo. em uma comunidade individual, uma emanação individual e única da Shekinah
do Messias, ou presença de luz e poder de luz. A Mãe, Imma, é a maior comunidade
composta de todas as comunidades individuais e tsadikim, a Grande Matriz de Luz
unida em uma e a mesma Presença Viva, uma e a mesma Luz-poder (Espírito Santo) e
presença de Luz (Cristo). Assim, há o Corpo Vivo de Cristo manifesto como
comunidades individuais e o Corpo Vivo de Cristo manifesto como todas as
comunidades juntas, unidas em Cristo ressuscitado e Espírito Santo (Espírito Materno);

No entanto, podemos também dizer isto, a Santa Noiva é o Corpo de Cristo na terra, e
a Santa Mãe é o Corpo de Cristo no céu; em nossa experiência do Cristo Vivo e o maior
derramamento do Espírito Santo, o Infinito Supernal, este Corpo Santo na terra e no
céu estão unidos - Um Corpo de Cristo.

Esta Presença Viva, Corpo Vivo, no entanto, não é isolada à corrente Cristã de
Transmissão de Luz, mas abrange todas as correntes vivas de Transmissão de Luz, de
modo que todos são progredidos, aumentados e elevados na Segunda Vinda. Nisto
podemos falar das várias correntes, linhagens e tradições como a Santa Noiva, Kodesh
Kallah, e sua unidade interior na Única Verdade e Luz como a Santa Mãe, Kodesh
Ima. Aqui podemos dizer que há um movimento na Segunda Vinda em direção a uma
tecelagem de correntes, tradições, ou uma consciência da Verdade e Luz maiores
dentro de todos, preservando a singularidade e diversidade de cada um, enquanto
honram sua unidade na maior Verdade e Luz. . Isso também fala da união da Santa
Mãe e da Noiva na Segunda Vinda de Cristo em Glória.

Nisto, talvez, possamos obter uma percepção mais profunda de algo da revelação
maior de Cristo na Segunda Vinda, ou no Evangelho da Segunda
Vinda. Essencialmente, é a revelação do Cristo Cósmico e do Cristo Primordial, e uma
salvação universal, uma evolução universal para a iluminação e libertação, Consciência
Supra ou Supramental. A própria natureza do Cristo ressuscitado é, na verdade, a
revelação do Cristo Cósmico; portanto, Cristo transcendente da pessoa de Yeshua,
Jesus. Em certo nível, isso foi revelado através da Primeira Vinda, evangelhos
esotéricos como o Pistis Sophia transmitindo mistérios mais profundos do Cristo
Cósmico; mas a revelação do Cristo Cósmico na primeira vinda foi de um grau, e em
um certo aspecto foi parcial e incompleta, a revelação da Segunda Vinda é uma
revelação maior do Cristo Cósmico. Isto é refletido pelo reconhecimento de Yeshua,
Jesus, como o Cristo, e a recepção de Cristo ressuscitado, ou Deus se torna humano e
Deus derramando o Espírito de Deus sobre os seres humanos, mas ligado em certa
ignorância, idolatria, de Cristo isolado para a pessoa de Yeshua, Jesus. Assim, surgiu a
klippah, a casca, de acreditar que a Tradição Cristã é o único caminho de salvação, ou
iluminação e libertação, e a negação de todas as outras tradições de sabedoria. Algo
disso tem atormentado todas as tradições de sabedoria, mesmo aquelas que aceitam
os outros, pois embora aceitar os outros, em geral, cada um tendeu a se apresentar
como o "melhor" ou "maior", e de alguma forma isso obstrui a maior visão e gnose do
Cristo Cósmico. Embora seja verdade que existem muitos graus diferentes de
revelação e Transmissão de Luz, há uma Luz e Verdade Sagradas, e dentro e por trás de
tudo existe uma única Ordem Universal e Tradição Primordial. Se e quando pudermos
olhar e ver isso, então poderemos olhar para os mistérios mais profundos do Cristo
Cósmico e Primordial, e adquirir discernimento e conhecimento da revelação maior de
Deus, a Luz Verdadeira, neste mundo e em todos os mundos da totalidade. .

De fato, pois, como sabemos em nossa experiência, quando ouvimos o nome de Buda
ou Krishna e tal, isso para nós é Cristo, embora seja uma emanação única e individual
de Cristo, o Humano da Luz (Iluminação); e em nossa experiência do Continuum de
Luz, como sabemos, não são apenas “santos e anjos” cristãos que aparecem e se
juntam a nós em adoração, mas muitas vezes somos unidos por “santos”, tsadikim e
“anjos, “Seres divinos, de outras tradições ou correntes de transmissão de
luz. Basicamente falando, nos tornamos conscientes de uma Ordem Universal de
Transmissão de Luz, ou a revelação do Divino, ou Iluminação. Há muitos caminhos,
mas há um caminho; Há muitos rios vivos, mas há um rio sagrado - essa consciência é
parte integrante da segunda vinda de Cristo em glória.

No início da Segunda Vinda, e talvez até certo ponto ainda hoje, esta mensagem maior
do Evangelho da Segunda Vinda foi obscurecida, foi difícil de receber e ouvir. Como
exemplo, se olharmos para Ann Lee e William Lee, e aqueles que vieram a ser
chamados de Shakers, embora algo disso tenha sido em sua experiência de adoração,
eles se apegaram a uma visão da Segunda Vinda isolada da fé cristã, e em de maneira
semelhante, a revelação de Guadalupe foi obscurecida, consumida pela fé católica
romana. No entanto, na época de Tau Miriam houve uma progressão do Evangelho da
Segunda Vinda, e mais e mais uma grande revelação e mensagem do Cristo Cósmico e
Primordial foi recebida e comunicada. Quando a Mãe Miriam entrou em Consciência
Superna ou Messiânica, e experimentou o Messias ressuscitado em unificação
consciente, ou a mais íntima comunhão, sua experiência foi uma gnose, daat do Cristo
Cósmico e Primordial, Cristo além dos nomes de "Cristo" ou "Cristão", e foi isso que ela
testemunhou e pregou. No entanto, ao mesmo tempo, seu foco e trabalho estavam na
corrente Cristã de Transmissão de Luz, e sua missão e mensagem era uma Cabala
Cristã, enquanto sempre apontava para uma Verdade e Luz maior, o Cristo Cósmico,
dentro e por trás de todas as tradições autênticas de sabedoria. . De fato, ela
demonstrou um conhecimento íntimo e experimental das múltiplas tradições de
sabedoria antigas e relativamente modernas, enquanto ensinava a Cabala Cristã, e da
mesma forma, na experiência de culto gnóstico com ela, ou oração, meditação e
cerimônia sagrada com ela,
O mesmo aconteceu na experiência de Enlevamento Superno de Tau Elias, ou plena
recepção do Espírito de Cristo, e também em minha própria experiência do Enlevo
Supremo durante um retiro espiritual no deserto em julho de 1993. Através de cada
geração, porém, há uma progresso em Habad (sabedoria, compreensão e
conhecimento) do novo Evangelho, uma revelação maior do Cristo Cósmico. Assim,
desde que o tempo de Tau Miriam, nosso Evangelho, nossa Cabala Cristã, continuou a
se desenvolver, continuou a progredir e evoluir, e continuará a fazê-lo, pois tal é a
natureza da experiência direta do Cristo Vivo e do Espírito Santo. e a manifestação de
Asherah.

No Cristo Vivo, Cristo ressuscitado, há revelação viva - tradição viva; e podemos dizer
que o deus da religião dos velhos tempos, ou o demiurgo da religião como o
conhecemos, está realmente "morto" na Segunda Vinda, mostrado como um cadáver
antes da revelação do Deus Vivo (Hayyim Elohim), Deus Mãe, Pai Deus, a Verdadeira
Luz!

Embora, como uma questão de direito no reino arquônico, a sociedade não iluminada,
nós devemos chamar nossa linhagem e tradição de uma “religião” para sermos
reconhecidos naquele domínio, não é a religião que nós proclamamos e ensinamos,
mas sim é uma religião espiritualidade da experiência direta, iluminação espiritual ou
iluminação em Cristo. Isso nós chamamos de “Cristianismo Gnóstico” e “Gnosticismo
Sophiano”. Embora nosso foco e mensagem estejam na corrente Cristã de Transmissão
de Luz, e no veículo desta Transmissão de Luz em nossa linhagem, uma Cabala Cristã,
sempre há uma consciência do Cristo Cósmico, ou a Verdade e a Luz, transcendendo o
nome “Cristo” e “Cristão”; daí, uma consciência da Transmissão da Luz Superna de
uma Ordem Universal, e a Tradição Primordial, a Iluminação Primordial (Cristo
Primordial).

No meio da Influência Superna maior, como já dissemos, há uma maior manifestação


de Luz e uma maior manifestação de Escuridão, e assim há uma maior manifestação da
Luz Verdadeira juntamente com muitas, muitas luzes falsas. Assim, juntamente com
muitas correntes de Transmissão de Luz, e um progresso, evolução na revelação de
Cristo na Segunda Vinda, assim também há uma geração de muitas ab-aberturas,
falsas revelações, ou ensinos estranhos e falsos. Como já dissemos, a Santa Mãe-Noiva
engloba tudo e assume a Escuridão como parte integrante de Sua maior revelação, e
assim também é com o jogo de falsas luzes; de algum modo, tudo num grande e
supremo mistério, estes também servem para facilitar a Sua maior revelação, embora
através de um processo de tentativa e erro, e várias experiências na evolução que são
“becos sem saída, ”Ou não viável. Nós aprendemos e crescemos através da
experiência, e as almas só podem se desenvolver e evoluir através da experiência e,
portanto, uma vasta gama de experiências é necessária para todos os Seus filhos virem
a ser e despertarem nela - esta é a Sabedoria de Asherah!

Aqui podemos dizer que Asherah é a Shekinah do Cristo Cósmico, a Realização Superna
do Messias; Daí a Santa Mãe-Noiva, Imma-Kallah.

Nisto conhecemos um adorável canto, ou canção, de Asherah: Ima-Ma, Ka-Lá-Lá-Lá,


Ah-Sha-Ra-Ha.

Aqui estou inclinado a pausar e habitar nas delícias interiores de Asherah, a Santa
Mãe-Noiva.

Hallelu Imma-Kallah, Asherah! Nós louvamos e agradecemos a você pelo


derramamento de suas abundantes bênçãos em sua revelação contínua entre
nós! Hallelu Yah! Um homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Asherah como um Partzuf?


# 13 Post Qui Abr 26, 2012 11:51 am
Shalom Caro Tau!

Quão maravilhosas são as delícias da mãe! Muita gratidão e louvor por este
ensinamento, essas revelações e tudo o que está surgindo delas.

Ao nos envolvermos no culto usando os cantos que nos são oferecidos, uma imagem
de um Partzuf está tentando irromper. Parece algo como a imagem da Mulher de Luz
em Apocalipse 12, mas algo mais, à medida que mais está sendo revelado.

Esta imagem parece ser um composto de Mãe e Noiva, uma com uma coroa sobre a
cabeça, e me pergunto se há alguma direção que possa ser fornecida.
Grata,

Sheryl
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Mistério de Vau


# 14 Post Qui Abr 26, 2012 1:47 pm
Shalom novamente Querido Tau!

Algo que você compartilhou anteriormente continua surgindo em minhas meditações:

Olhe e veja! Eheieh Asher Eheieh corresponde a Keter-Crown, e Jacob, ou Israel,


corresponde a Tiferet-Beauty, e aqui nesta passagem do Zohar Asher corresponde a
Yesod. Geralmente é José quem corresponde com Yesod, mas aqui é Asher e isto é
muito selvagem!

E:

Se quisermos examinar o mistério de Vau, correspondendo ao mistério de Asher,


primeiro, além de uma única palavra que começa com Vau, indicando “confissão”,
também existem nomes de anjos ocultos e supernos que começam com Vau. E, como
sabemos, o mistério interior de Vau são as Seis Sefirot de Atzilut, Hesed, Gevurah,
Tiferet, Netzach, Hod e Yesod de Atzilut. Asher corresponde a Yesod de Atzilut e Yesod
é a “plenitude dos Seis”, o canal dos influxos dos Seis em Malkut de Atzilut; daí a
plenitude de Vau.

Eu não posso dizer que eu entendo porque dois filhos de Israel poderiam
simultaneamente representar Yesod, exceto apontar seus ensinamentos da matriz dos
tsadikim vivos.
Há, porém, algo de belo em contemplar Asher como Transmissão de Luz, como
Tzaddik, e deitado à beira do Mar, compartilhando iguarias. Há algo nisso que parece
apontar para Tzaddik como o canal das Seis Sefirot em cada Olamot, especialmente
aqui neste mundo, como Tzaddik é o caminho do canal, incorporando o mistério de
Vau na plenitude da manifestação das Seis Sefirot. , enquanto Tiferet, talvez, incorpora
a plenitude de Vau dentro da própria câmara nupcial que se une em Da'at com Binah?

Ficaria muito grato se você pudesse ajustar e direcionar esses pensamentos.

Sheryl
T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Vivendo Asherah: A Árvore da Vida


# 15 Post Fri 27 de abril de 2012 05:13
Saudações e Bênçãos da Festa da Noiva!

Felizes são aqueles que encontram sabedoria


e aqueles que obtêm entendimento,
pois sua renda é melhor do que a prata,
e sua renda é melhor do que o ouro.
Ela é mais preciosa que jóias,
e nada que você deseje pode comparar com ela.
A vida longa está em sua mão direita;
na sua mão esquerda estão riquezas e honra.
Seus caminhos são modos de agradabilidade,
e todos os seus caminhos são a paz.
Ela é uma árvore da vida para aqueles que a prendem;
aqueles que a abraçam rapidamente são chamados felizes. (Provérbios 3: 13-18)

O que eu também estou apreciando sobre a questão de Tzaddik e Vav da irmã Sheryl
tem ocupado minha contemplação ao longo do estudo deste tópico, que
continuamente amplia e amplia minha consciência de quão radical e rara a própria
aparência da incorporação do Tzaddik neste mundo realmente é. Como uma árvore
viva, o mesmo é Tzaddik e Asherah, uma Árvore da Vida.
A Árvore da Vida é equivalente a Asherah ao longo de uma compreensão cabalística
das escrituras, como o que é citado acima. A meditação sobre a Árvore da Vida em si
só começa com o glifo clássico com o qual estamos familiarizados de três pilares
colunares ligados por dez esferas, dispostos em três tríades, com uma esfera final
pendular sendo sua manifestação ou 'fruto' cheio de sementes. essência. Como este
mesmo glifo continua a crescer e evoluir ao longo de séculos de meditações de
mekubalim (mestres cabalistas) em nosso tempo, o lugar e o contexto da Árvore da
Vida nas Escrituras mudam com implicações notáveis de Asherah.

De Gênesis, aprendemos que a Árvore da Vida está no meio do Jardim do Éden,


gramaticalmente em segundo lugar, ainda que Cabalisticamente inseparável da Árvore
do Conhecimento. Depois de comer da Árvore do Conhecimento, o Humano caído é
impedido de acessar a Árvore da Vida porque "YHVH Elohim enviou o Humano do
jardim do Éden para cultivar o solo do qual o Humano foi levado. YHVH Elohim
expulsou o humano, e ao oriente do jardim do Éden YHVH Elohim colocou os
querubins, e uma espada flamejando e girando para guardar o caminho da árvore da
vida. " (Gênesis 3: 23-24)

Além de alusões posteriores, como no Sarça Ardente, do qual Eheieh Asher Eheiehé
proclamada unicamente nas Escrituras, a Árvore da Vida não irá explicitamente
recorrer até o Apocalipse, onde dois momentos estendendo nossa contemplação de
Asherah surpreenderam. Uma é a mensagem do Grande Anjo para a Igreja de Éfeso,
que em ordem crescente das mensagens, corresponde a Malkut:

"A todos que vencerem , darei permissão para comer da árvore da vida que está no
paraíso de Deus". " (Apocalipse 2: 7)

O outro diz respeito à visão final da Nova Jerusalém:

"Então o anjo mostrou-me o rio da água da vida, brilhante como cristal, fluindo do
trono de Deus e do Cordeiro pelo meio da rua da cidade. De ambos os lados do rio está
a árvore da vida com seus doze tipos de frutas, produzindo seus frutos a cada mês, e as
folhas da árvore são para a cura das nações ". (Revelação 22: 1-2)

O que é fascinante sobre o movimento da Árvore da Vida através das escrituras me


fascina igualmente sobre o movimento da revelação de Asherah. Ela é potencial,
realizada em Holy Mother Binah, esperando para ser revelada e real em Holy-Bride-
Bride Malkut. O que os liga, é claro, é Vav, o Filho, o Salvador Ressuscitado,
"Felicidade": Asher.

Nessa mesma consideração, o que Tau Malachi compartilhou acima de Ani-Ain como a
realização deEheieh Asher Eheieh , inclina-me a perguntar se estamos ouvindo Mãe e
Filha em cada proclamação de Eheieh, preenchida por Vav, por Tzaddik, por Asher.

É dado que podemos falar em um segredo aberto. A natureza desta realização do


Divino Eu Sou, este Divino Eu Serei, é Ani-Ain; e podemos dizer que esta é a
“confissão” final que traz a salvação, ou iluminação e libertação. Esta auto-realização é
mostrada a nós através da cruz e do aparecimento do Messias ressuscitado, Hayyah
Yeshua, e ainda mais, na ascensão do Messias ressuscitado. E assim nos é dito que o
Messias aparecerá novamente da mesma maneira que o Messias ascendeu; e nos é
dito: “Você o encontrará no ar (Espírito).” Isso acontece quando entramos na mesma
auto-realização de Yeshua e Mirya, reconhecendo e percebendo a verdade do Divino
Eu Sou, Ani-Ain (Eu , Não auto).

Estou ouvindo corretamente Binah como uma dimensão de Ain e Malkut como uma
dimensão de Ani? Se assim for, também estou ouvindo em contexto como a Mãe
Superna possui em Si o potencial sem exaustão da primeira Eheieh , o Filho, o Tzaddik,
o Salvador Ressuscitado sendo Asher , e a Filha sendo a realização sem exaustão da
segunda Eheieh ?

Como Hokmah-Binah-Da'at (Habad) é o que pode ser conhecido de Keter, então o


ensinamento de que "Keter está em Malkut e Malkut está em Keter" torna-se uma
requintada meditação sobre a Mãe e a Filha unidas pelo Filho no Altíssimo,
respondendo a Moisés da Sarça Ardente: Eheieh Asher Eheieh .

Reúna seu povo, noiva santa!


Nos guie e nos guie em toda a verdade,
Árvore da Vida! Santo Asherah!

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Imagem verdadeira de Asherah



# 16 Post sex Abr 27, 2012 10:38
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Se olharmos para Tiferet, Yesod e Malkut, Tiferet corresponde ao Messias, ou Espírito


de Cristo, Yesod com os Tzaddikim Vivos, ou Apóstolos, que representam a primeira
aparição a qualquer momento em qualquer linhagem ou comunidade, e Malkut
corresponde às Comunidades Espirituais através de que a Transmissão de Luz irradia
para o mundo, a matriz de almas recebendo o Espírito de Cristo, ou Influxo
Supremo. Há um ensinamento muito importante nisso, pois quando falamos de uma
multiplicidade de tsadikim encarnando o Espírito de Cristo na Segunda Vinda, e uma
multiplicidade de comunidades incorporando o Espírito de Cristo, não estamos falando
de uma multiplicidade de cristo ou messias, mas em vez de múltiplas emanações do
único Cristo, ou o único Espírito de Cristo. Esta unidade, unidade, corresponde a
Tiferet, enquanto as muitas emanações correspondem a Yeshua e Malkut. Como
sabemos em nossa experiência, Cristo transcende toda e qualquer aparência e, no
entanto, Cristo aparece em um e em muitos; esta é a sabedoria de Cristo
correspondente a Tiferet.

Adonai Yeshua é o Messias, o primeiro nascido dentre os mortos, o primeiro a


incorporar o Espírito do Messias por completo e manifestar Malkut de Atzilut por
completo e, portanto, ocupa o lugar do “Filho Unigênito de Deus”. Mais
especificamente No entanto, a plena revelação do Messias e a plena manifestação do
Reino Superno está no Ressuscitado Messias, Hayyah Yeshua - esta é a plena aparição
do Cristo Eterno, que emana ao longo do espaço-tempo em todas as eras e em todos
os espaços, no passado. , presente e futuro, um Cristo. Todos recebem o Espírito de
Cristo através do Cristo Eterno, o Ressuscitado e Tiferet corresponde ao Cristo Eterno,
o Cristo ressuscitado.

A Primeira Aparição, ou Primeira Vinda, de Asher e Asherah está em Yeshua e a


Madalena, especificamente na primeira manhã de Páscoa; e é de seu encontro e
abraço que a Transmissão de Luz flui através do tempo, o Segundo Adão e a Segunda
Eva de uma nova criação surgindo no mundo, sendo sua união a revelação do Grande
Seth, o Humano da Luz. A maior glória e poder da Santa Noiva, no entanto, ou a sua
plena recepção, transparece na Segunda Vinda, e ela é a Grande Glória na qual o Noivo
aparece novamente.

Em Cristo, o Humano da Luz, não há homem nem mulher, mas na emanação, quando
Cristo aparece, Cristo aparece como macho e fêmea, pois a plenitude maior de Cristo
não pode ser revelada e incorporada, exceto pelo homem e pela mulher juntos; o
homem à parte da mulher, ou mulher à parte do homem, é parcial e incompleto - eles
são contrapartes complementares, inteiros e completos juntos, e quer em um nível
espiritual ou material, os descendentes passam a existir apenas através de sua
união. Assim, a plenitude da Transmissão de Luz se manifesta através de homens e
mulheres unidos em união santa; portanto, a geração de filhos da Luz, irmãos da Luz,
almas tomadas na Grande Ressurreição e Ascensão.

Como sabemos e compreendemos, embora a Noiva Sagrada tenha sido recebida na


Primeira Vinda, sua recepção foi parcial, incompleta, mas agora, na Segunda Vinda, ela
é e será recebida completamente, completamente; recebendo a Shekinah do Messias
na Segunda Vinda, nós trabalhamos para sua plena recepção no mundo, e assim, para
a maior revelação e incorporação de Cristo, o Humano da Luz (Grande Seth, Seth =
Shin-Tau, Tau Sagrado) .

Isto transparece através de tsadikim vivos, mulheres e homens recebendo o Espírito de


Cristo por inteiro, e através de mulheres e homens em comunidade juntos recebendo
o Espírito de Cristo; portanto, o Corpo Vivo de Cristo composto de mulheres e homens
em igualdade que recebem e incorporam o Espírito de Cristo, agindo como co-
pregadores e co-redentores com o Noivo e a Santa Noiva, o Messias e Shekinah do
Messias. Deve ser dito, o maior dinamismo do Messias e Shekinah, ou Asher e
Asherah, e todo o espectro da Luz de Transmissão não pode acontecer por homens
reunidos sozinhos ou mulheres reunidas sozinhas, mas somente através de homens e
mulheres reunidos no amor e fé de Cristo, e ainda mais o conhecimento de Cristo
ressuscitado, pois homens e mulheres têm um trabalho único e distinto na realização e
encarnação de Cristo,

A união de homens e mulheres, homens e mulheres, em Um Corpo de Luz - o Corpo


Vivo de Cristo, é a manifestação da Árvore da Vida; através disso, o influxo Supernal
completo é recebido e encarnado, e o completo Continuum de Transmissão de Luz é
manifestado neste mundo - os influxos de todas as Sefirot de Atzilut fluem através do
Recipiente de Recepção, o verdadeiro Santo Graal.

O verdadeiro Santo Graal não é a linhagem de Yeshua, Jesus, que vem através da
Madalena, mas é a linhagem de Transmissão de Luz que flui através do Cristo
ressuscitado e Madalena; o Santo Sacerdote-Rei que nos ensina, dizendo: "Meu reino
não é deste mundo"não procura uma linhagem deste mundo, ou da ordem natural de
geração - mas ele é da Ordem da Regeneração, a Ordem de Melquisedeque, e assim
também é a Noiva Sagrada. Entenda isso bem!

Sempre e onde quer que haja um Vaso Sagrado de Recepção, Sagrado Tzaddik e
Comunidade, o Influxo Supernal completo é transmitido, os influxos de todas as Sefirot
Sagradas sendo recebidas, encarnados, então Malkut de Atzilut é manifesto, a
plenitude da Shekinah do Messias, Asherah Hallelu Yah!

Como sabemos e compreendemos, a plenitude de Asherah é manifestada conosco, e


há uma maior manifestação de Asherah que está vindo - esta Árvore Viva continuará a
crescer, este Santo Influxo continuará a aumentar, esta revelação e falando dos Vivos
Palavra e Sabedoria de Deus continuarão progredindo e evoluindo. De uma plenitude
para outra, maior plenitude, de uma perfeição para outra, maior perfeição,
permanecemos no Evangelho da Segunda Vinda, e não há fim à vista para a realização
maior de Cristo que é possível.

Se eu contemplar uma imagem de Asherah, no início da Segunda Vinda, contemplarei


a Mulher de Luz com as asas da Grande Águia Superna; esta é uma imagem da Santa
Mãe-Noiva movendo-se neste mundo. No entanto, na fruição da Segunda Vinda há a
imagem da Nova Jerusalém com a Árvore da Vida, a plena recepção e realização da
Noiva Sagrada em união com o Noivo, ou Cordeiro de Deus. Há algo a ser dito da Santa
Mãe-Noiva, ou Asherah, no entanto, pois sua verdadeira imagem é revelada na
experiência do Infinito Supernal completo, pois na experiência da aurora da
Consciência Superna ou Messiânica, contemplamos o mundo inteiro. , toda a criação,
radiante com a Glória Supernal, como se o mundo inteiro estivesse em chamas com o
Espírito Materno, mas o mundo não é consumido por esse fogo nuclear
espiritual. Moisés viu uma sarça ardente, e o Nome Essencial, Eheieh Asher Eheieh, foi
falado da Presença Viva no mato; mas nós vemos um mundo ardente, uma criação
ardente, e o Nome de Eheieh é falado de dentro de nós, e de dentro de tudo,
enquanto também de sempre além de criatura e criação. Naquele instante o Corpo de
Tzaddik está radiante com a Glória Supernal, o “rosto de Asher” é manifesto, e assim o
Continuum de Transmissão de Luz é corporificado para todos que desejam recebê-lo,
Asherah se manifestando no lugar, e em todo lugar.

A verdadeira imagem de Asherah é toda a Grande Matriz da Criação radiante com a


Glória Supernal; Ela em tudo, tudo nela, Deus em tudo, tudo em Deus - é a visão da
criação de acordo com a Ordem da Regeneração, ou na Grande Transformação, a visão
de um novo céu e nova terra, e nova humanidade, Superna e Divino. Além do
surgimento espontâneo da Grande Visão de Melquisedeque, ou do Messias
ressuscitado, e da visão do Pleroma de Luz que emerge, quem pode visualizar esta
Verdadeira Imagem de Asherah?

Assim, aguardando o Espírito Materno por Sua revelação direta, temos a imagem da
Mulher de Luz com as asas da Grande Águia para imaginar e meditar, e Ela está em
movimento cavalgando sobre o Grande Dragão; Ela não é fixa ou estática, ou
"entronizada", mas sim Ela dança sobre as costas do Grande Dragão, imagem e
semelhança da Rainha do Eterno Shabat, Vida Eterna.
Sim, de fato, podemos dizer que a Santa Mãe é Ain e a Santa Filha é Ani, mas também
podemos dizer que a Mãe é a Natureza Ain de todos (universal) e a Filha é a Natureza
Ain de todos e de cada um. (Individual); daí, Mãe Clara Luz e Filha Clara Luz. É através
da união da Mãe e da Filha Clara Luz em nós que a aurora da Consciência Superna ou
Messiânica surge, e assim a revelação da Verdadeira Imagem de Asherah dentro da
Grande Visão.

É dado que um mistério secreto pode ser falado aqui, tudo como El Elyon ordena. Se
desejamos contemplar a Verdadeira Imagem de Asherah, é o Corpo Vivo de Cristo em
todas as emanações, através de todos os reinos, mundos e universos da totalidade, ao
longo de todo o tempo, passado, presente e futuro. Assim, é a manifestação do Corpo
Triplo de Melquisedeque, ou o Cristo ressuscitado, manifestado por todos os sagrados
tsadikim passado, presente e futuro através dos campos da existência senciente; daí o
cumprimento de todos os espíritos e almas viventes no Continuum de Luz, Yahweh-
Yeshua Asherah!

Nisto, talvez, possamos entender o que Imma Gadol, “Grande Mãe”, realmente
significa.

Que imagem única pode abranger Dela, ou como pode haver uma imagem do Pai
Vivo? No entanto, no Filho, vemos o Pai Vivo e, na Filha, vemos a Grande Mãe - Um
Deus, a Luz Verdadeira, Um Cristo, a Luz Verdadeira, o Santo do Ser! Hallelu Yah!

Aqui podemos rir e nos alegrar com a Santa Shekinah em Sua Louca Sabedoria, pois a
Verdadeira Imagem (Zelem) da Mãe é também a Verdadeira Imagem do Pai, Ela é Ele e
Ele é Ela, e “Ela” é Tudo, macho e fêmea, e "Ela" nem macho nem fêmea - como
selvagem, como GRANDE "ELA" é de fato! Louvado seja Ma!

Aqui podemos dizer, a Verdadeira Imagem do Pai é Sem Imagem, e a Verdadeira


Imagem da Mãe é Cada Imagem; Pai-Mãe, Ain-Ani, Não-Coisa é Tudo!

Talvez nisto possamos entender como a Segunda Vinda é a revelação de Deus Mãe,
pois é o derramamento do Espírito Materno sobre um e todos, todos e tudo - tudo na
Mãe e a Mãe em todos.

A Palavra Viva está falando e é o silêncio, e agora parece a hora do silêncio, a união do
nosso silêncio com o Grande Silêncio.

Ó Santo, que o silêncio do nosso coração e mente seja a oração perfeita da Tua
Vontade cumprida na terra e no céu. Um homem.
Que a paz esteja com você!
Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
MeganDon

O semblante e a sarça ardente


# 17 Post sex 18 de maio de 2012 09:24
Shalom,

Que imagem selvagem e bonita, ou talvez mais precisamente, não-imagem, somos


dados de Asherah como Imma Gadol enquanto Ela se transforma em feminina,
masculina e além do além.
De maneira semelhante, contemplando Asher como o "rosto radiante e feliz", sou
atraído pela imagem, ou ainda, a não-imagem de Metatron como Príncipe do
Semblante. Isso também parece falar além do masculino, feminino e além do além.

Além disso, como pungente que Eheieh Asher Eheieh é o nome dado no Burning Bush -
o Burning Asherah! Talvez um redemoinho na forma / nome ou no-form / no-name de
Asher e Asherah.

Ansioso para mais extrapolação destes pensamentos muito pequenos sobre um


assunto muito grande!
Irmã Meghan
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Transcendência e Imanência: Asher-Asherah


# 18 Post sex 18 de maio de 2012, 11h56
Saudações e bênçãos na Santa Luz do Messias!

É muito interessante contemplar a revelação a Moisés na sarça ardente e contemplar a


imagem de uma sarça ardente. Na verdade, um arbusto pode se assemelhar muito a
uma árvore, e uma árvore pode parecer um arbusto e, consequentemente, em vez de
ler uma “sarça ardente”, podemos ler uma “árvore em chamas ” , Asherah! De fato,
temos todas as boas razões para suspeitar que na história original, antes que a
tradição oral fosse escrita e modificada em um período posterior, é muito provável
que fosse uma árvore em chamas que Moisés viu, mas com a rejeição de Aserá. Como
um nome da Shekinah em um período posterior, naturalmente uma árvore em chamas
tinha que se tornar uma “sarça ardente” para não sugerir Asherah.

O próprio Nome de Deus revelado a Moisés na “sarça ardente” implica uma árvore em
chamas, Eheieh Asher Eheieh, Asher que significa “quem” ou “aquilo” ou “o quê”, e
designando toda e qualquer emanação ou manifestação de Eheieh, “eu Am. ”Assim, a
qualquer momento, no meio de uma manifestação ou revelação, Asher se torna
Asherah, a adição da letra Hey indicando a manifestação da Shekinah, a Divina
Presença e Poder, em revelação. Asher como um Nome de Deus implica Asherah como
o Nome da Presença Viva, Shekinah, revelando.

Assim, de acordo com a nossa Cabala Cristã, YAOHUH ULHIM é revelado a Moisés, uma
revelação da presença do SENHOR através de uma árvore em chamas, Aserá, falando o
Nome Essencial de Deus, Eheieh, "Eu Sou", ou "Eu Serei". "

Agora, por um lado, Asher é entendido como indicando masculino e Asherah é


entendido como indicando feminino; daí, Yesod e Malkut. Por outro lado, Asher
também pode indicar a essência transcendente, além do masculino ou feminino, e
Asherah pode indicar a manifestação do masculino e feminino, e sua união. Em outras
palavras, Asher pode indicar a essência andrógena e a natureza de todos, e a
transcendência de todos, enquanto Asherah pode indicar a manifestação e o jogo
dinâmico da imanência masculina e feminina. Esta última interpretação corresponde a
Keter e Malkut, entendendo Keter como transcendente de toda dualidade ou
pluralidade; portanto, além de homem e mulher, ou pai e mãe. É nesse sentido que
usamos o cântico de Asher-Asherah em nossa festa de casamento do Shabat,
implicando o mistério da transcendência e incorporação, e o mistério de tudo
transpirando na Santa Mãe-Noiva, Asherah; e não apenas tudo transpirando na Santa
Mãe-Noiva, mas o mistério de Imma-Kallah, ou Asherah, manifesto como tudo.

Asher-Asherah expressa nossa compreensão de Deus e de Deus como Dois-Em-Um, ou


como Um-Aparecendo-Como-Dois; portanto, o Santo, o Único Verdadeiro Deus, que é
Pai e Mãe.
O mistério de Asher correspondente a Keter e Asherah correspondendo a Malkut é
muito profundo. Como sabemos, a natureza de Asher-Keter é Ain, No-thingness, mas o
No-Thingness é a própria essência e natureza de todos, o Potencial Infinito do qual
tudo surge e surge e, como tal, este No- A coisa é todo-coisa. Asherah-Malkut,
naturalmente, compartilha esta mesma natureza, Ain, mas enquanto Asher-Keter é o
Potencial Infinito, Asherah-Malkut é o Infinito Real, ou Infinito
Manifestante. Naturalmente, Asher e Asherah, ou o Infinito Potencial e Infinito
Manifesto, estão completamente interconectados, inseparáveis uns dos outros; daí, o
ensinamento na Santa Cabala, "Keter está em Malkut e Malkut está em Keter".

Asher é delicioso, indica a singularidade de Deus, o Divino; existe um Deus e nenhum


outro, e assim o Santo é completamente único. Da mesma forma, Asher indica a
essência única de cada criatura individual uma emanação de Deus, a singularidade das
criaturas e todas as coisas na criação sendo uma expressão da singularidade de
Deus. Quando contemplamos Asherah sob esta luz, Asherah é a manifestação e
realização da singularidade de Deus com, em e através de criaturas e todas as coisas na
criação, a singularidade de cada criatura e cada coisa na criação sendo uma expressão
da singularidade de Deus.

Podemos também dizer que Asher corresponde a Deus como Deus é em Deus, e
Asherah corresponde a Deus como Deus está nas criaturas e na criação. Assim, Asher
indica que Deus transcende completamente as criaturas e a criação, enquanto Asherah
indica que Deus emana e se manifesta como criaturas e criação.

Na medida em que nossa alma é uma emanação de Deus, o Divino, tudo o que
podemos dizer de Asher-Asherah em relação ao Divino, também podemos dizer com
respeito à nossa alma; assim, em Asher-Asherah é o mistério de nosso próprio ser,
transcendente e imanente, andrógino, e ainda se manifestando como masculino e
feminino, e assim por diante.

Aqui estou inclinado a fazer uma pausa.

Ó Senhor Yahweh Elohim, YAOHUH ULHIM, que a Tua Última Graça seja derramada
neste dia, abençoando e iluminando a todos. Um homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Ain-Ani como a árvore ardente


# 19 Post Sun 20 de maio de 2012 09:27
Shabat Shalom, queridos amigos!

A mãe nos presenteou com imagens tão bonitas para acompanhar essas maravilhosas
revelações! Hallelu - Imma!

Contemplando Ain-Ani como revelado em Asher-Asherah e uma criação em chamas


que não queima, vem à mente que em Asherah nós temos o despertar, a consciência,
da cintilação entre Ain-Ani, e que é este tremeluzir em consciência que coloca toda a
totalidade em chamas.

E então podemos dizer que Asher é Ain e Asherah é o tremeluzir entre Ain-Ani?

Que a visão vista por Moisés e uma única árvore se estenda a todas as pessoas,
engolfando toda a criação!

Sheryl
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Asher-Asherah, Ain-Ani


# 20 Post Qui 24 de maio de 2012 14:25
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Em geral, Ain corresponde a Asher e Ani corresponde a Asherah, mas a própria


essência e natureza de Ani é Ain, e deste modo podemos falar de Ani-Ain em
Asherah; Nisto, é claro, estamos apontando para o aspecto mais profundo de Asherah
como transcendente, daí a inseparabilidade de Asher-Asherah, ou Yahweh Asherah.

Podemos recordar o ensinamento comum na Santa Cabala: "Ele e Seu Nome são Um."

Aqui podemos dizer, na verdade, que a Mãe e o Pai são inseparáveis um do outro, um
Deus, e assim também a Noiva e o Noivo são inseparáveis. um do outro, um Messias,
um Ungido.

Agora aqui podemos falar um mistério, pois o Deus é Ain Sof, Infinito Não-Coisa, mas
os Atributos Divinos (Sefirot), Nomes e Partzufim, são como o Ani do Deus Altíssimo, e
assim também os arcanjos e ordens de anjos e todos os seres cósmicos e espirituais -
forças e todos os espíritos e almas, todas as criaturas e toda a criação. Como sabemos,
a Mãe, Elohim, corresponde com tudo o que podemos conhecer e experimentar de
Deus e Deus, tudo o que é manifesto e revelado do Divino, e assim, Asherah chega a
Atzilut, com sua essência sendo Ain Sof, Infinito. Isso é refletido nas infinidades do
Atributo Divino e na infinidade da criação e do universo, todas surgindo do Um-Sem-
Fim e, portanto, sendo infinitas.

Como você, sem dúvida, pode imaginar, existem infinitas gradações de Ani, desde a
criatura finita até o maior dos seres divinos, e enquanto o Ani dos seres sencientes do
menor para o maior é um fenômeno impermanente, é, no entanto, um contínuo
interminável de mudanças, dançando entre o ser e o não-ser, Ani-Ain, e como tal,
participa do infinito. Da mesma forma, em plena realização, sabemos que é possível
para Ani receber a vida eterna, surgindo entre os vivos, ou “imortais”; portanto, os
santos e iluminados, ou “mestres ascensos”, que continuam a emanar e aparecer para
nós em sonho, visão e até consciência desperta como se estivessem na carne. Toda
essa peça está em Asherah, e é Asherah, mas a realização completa de Asherah está
nos santos e iluminados, os mestres ascensos.

Neste, talvez, você pode entender que existem inúmeras gradações de Asherah, a
Shekinah do Messias manifestadas como indivíduos e comunidades (ou coletivos); na
verdade, não há fim para essa evolução ou realização no Messias, então,
verdadeiramente, existem infinitas gradações de progresso e realização.

Isso pode sugerir o que realmente significa Imma Gadol, “Grande Mãe”, ou Asherah
como a Santa Mãe-Noiva.

Há mais que pode ser dito, mas aqui o Espírito Mãe me chama ao silêncio e quietude
nela.

Que todo o mundo resplandeça Luz e Fogo Superna, e que a plenitude de Asherah, a
Shekinah do Messias, seja realizada. Um homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
JeffK

# 21 Post sex 25 de maio de 2012 05:08
Obrigado por suas palavras perspicazes.

Em um nível pessoal, poderia também ser dito que não importa qual seja o nosso
"estado", sempre há mais problemas (ou obstruções) a serem resolvidos? Que
estamos continuamente crescendo em silêncio e luz (um processo infinito)?

Obrigado e amor.
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Barreiras e sem barreiras


# 22 Post sex 25 de maio de 2012 09:44
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Sim, enquanto estivermos neste corpo, neste mundo, encontraremos obstáculos,


barreiras e experimentaremos provações e tribulações, independentemente de
qualquer gradação de consciência superior que incorporemos. Essa vida é um contínuo
de mudança constante, e é uma dança de aparentes opostos, fluxos e refluxos, bons e
maus momentos, prazer e dor, e assim por diante. A experiência da vida realmente
não muda na experiência gnóstica, ou iluminação, mas sim estamos despertos na
experiência e, portanto, nosso relacionamento com nossas experiências
muda; progressivamente há cada vez menos apego e aversão, menos auto-estima, e
nossos julgamentos de ego de "isso é bom" e "isso é ruim" começam a desaparecer,
simplesmente o que está acontecendo, e é nossa experiência - mas mais então,
começamos a receber tudo como de Deus, e começar a tomar consciência do jogo da
vontade de Deus dentro de tudo o que acontece. Quando isso acontece, obstáculos ou
barreiras não são mais “obstáculos” ou “barreiras”, eles se tornam veículos para nosso
progresso no Evangelho e nossa auto-realização em Cristo.

A fisicalidade é um ótimo exemplo. Por um lado, é a mais severa klippah ou


obstrução; todo místico se torna consciente disso. No entanto, por outro lado, ao
mesmo tempo, é o veículo para a realização da alma e a incorporação da Luz
Sagrada. Se e quando estamos conscientes disso, nossa relação com este corpo e esta
vida muda, as obstruções se tornando o veículo, pois temos grande zelo pelo
Evangelho e por Cristo, ou pelo progresso rumo à iluminação e libertação da alma, e
não somente nossa própria liberdade, mas a liberdade dos outros também. Se e
quando conhecermos o real propósito desta vida e os desafios que enfrentamos, de
repente a vida é preciosa, inestimável, e os desafios que vêm são bênçãos, veículos
para uma maior proximidade e união com Deus, ou maiores saltos em nossa evolução
consciente em Cristo.

Nós podemos falar um segredo aberto aqui. De alguma maneira misteriosa, o que
parecem ser barreiras são, de fato, parte integrante do progresso ou evolução de
nossa alma, assim como vemos que as regressões são parte integrante das maiores
progressões no movimento ondulatório da realização da alma. Assim, de fato,
quaisquer barreiras que encontramos são como degraus em uma escada da
consciência, e à medida que as superamos ascendemos a escada, passando de uma
gradação de consciência para outra em Cristo e em Deus, a Luz Verdadeira.

Isto se torna muito claro em nossa experiência dos sete céus, ou a ascensão da alma
ao oitavo céu, pois as divisões entre os céus são, na verdade, barreiras energéticas e
vibracionais, e em nossa experiência de ascender pelos céus é como se o céu exterior
inferior é uma barreira para o céu interior mais elevado, e assim é todo o caminho
para o oitavo céu. Estes céus, porém, são o veículo experiencial da ascensão das almas,
proporcionando a experiência que as almas necessitam para o seu progresso ou
evolução, correspondendo ao presente desenvolvimento e evolução da alma. De um
céu a outro existe maior luz, amor e santidade, e há maior conhecimento e poder, e
assim por diante, e almas se estabelecem em um céu quando a glória do próximo céu é
esmagadora para eles, que, ou quando eles se apegam a um céu, desejando
permanecer nele e não ir mais longe, ou não tendo nenhum pensamento de ir além. A
experiência desse céu, entretanto, fornecerá à alma o que é necessário para ascender
ou ir além; portanto, facilitará a progressão ou evolução da alma, embora muitas
vezes, permanecendo assim no céu, uma alma precise reencarnar antes de ascender
além.

Há algo semelhante no oitavo céu, o Pleroma da Luz ou a Morada Superna, mas


quaisquer distinções, “divisões” ou “barreiras” das quais possamos falar são muito
diferentes daquelas dos sete céus e seus reinos, pela ilusão da separação. , o dualismo
cessa. No entanto, nos tornamos conscientes de inúmeros reinos de luz na Morada
Superna, inúmeras gradações de Consciência Superna e Inteligência se movendo em
Ain Sof, o Infinito; e, como tal, há, de certa forma, "barreiras" ou distinções
energéticas. Qualquer que seja a gradação de Consciência Supernal que
experimentamos, há sempre o potencial de uma maior realização, maior expansão,
maior glória e poder, maior proximidade e união, e como tal continuam a existir
“barreiras” e “avanços”, embora muito, muito diferente do que podemos conceber na
consciência mental; portanto, nada como o que queremos dizer com “barreiras” na
mente e no intelecto comuns.

Todos esses, no entanto, são como “degraus em uma escada da consciência”, e através
desses degraus a alma progride, ascende; o mesmo acontece com os desafios, ou
barreiras, que encontramos nesta vida.

Aqui deve ser dito, Deus sempre nos dá o que precisamos para superar qualquer
desafio ou barreira que encontramos. O Espírito de Cristo sempre nos capacitará a
romper todas as barreiras, e quanto maior for nosso progresso no Evangelho, maior
será nossa corporificação do Espírito de Cristo, mais é o Espírito de Cristo em nós que
realiza tudo, sendo cada aparente obstrução superado através da Graça Divina, o
poder do Espírito Santo.

Talvez o melhor exemplo disso seja com Adonai Yeshua, e a crucifixão e ressurreição,
pois, como sabemos, no Jardim do Getsêmani ele orou,"Por favor, tire este cálice de
mim", mas também "será feito", e o que ele enfrentou talvez tenha sido o maior
desafio ou barreira possível nesta vida. Independentemente disso, ele deixou de fazer
e deixou o Espírito de Deus ser o fazedor, e através da Graça Divina sua morte foi
transformada na revelação de Cristo ressuscitado - a libertação de todos! Hallelu
Yah! Louve o Senhor!

Nesta Ação Divina, Cristo supera todas as barreiras, ou supera a barreira final, por
assim dizer, e como sabemos e entendemos, o Cristo ressuscitado não está preso - não
há barreiras para o Cristo Eterno, totalmente reintegrado com Deus, o Verdadeiro
Leve. No entanto, na verdade, existem barreiras, pois inúmeros espíritos vivos e almas
permanecem ligados à ignorância, e embora o Cristo ressuscitado deseje aparecer a
todos e deseja a salvação de todos, nem todos estão dispostos e aptos a receber o
Ressuscitado. Cristo; onde quer que haja amor e fé, o Cristo ressuscitado pode e
aparece, mas quando há falta de amor e fé, então, na verdade, há uma barreira para
esta presença de Luz e poder de luz.

É o mesmo com os tsadikim vivos, embora eles desejem que todos recebam a
Transmissão de Luz, ou Espírito de Cristo, eles não podem transmitir a Transmissão de
Luz a todos, mas somente àqueles que se aproximam e desejam receber, e que têm
amor e fé. em Deus, ou iluminação.

O Cristo ressuscitado, e os tsadikim vivos, ou apóstolos em Cristo, assumem nossas


barreiras, nossas barreiras se tornando suas; mas ao fazê-lo, é um trabalho espiritual
ativo para ajudar e capacitar-nos a superar as barreiras que enfrentamos!

Da perspectiva do Cristo Eterno e do reino eterno - Continuum de Luz, “barreiras” não


são o que parecem ser, e na verdade não há barreiras; e, no entanto, na dança do
devir, nesse jogo do despertar, há barreiras, desafios e é bom.

Aqui podemos dizer, quando o Espírito de Cristo nos invade e assume a nossa pessoa e
a nossa vida, Cristo assume a nossa humanidade, incluindo o nosso sofrimento e
barreiras, tornando-se plenamente humanos como em Adonai Yeshua; O que o Cristo
Eterno começou em Yeshua, nosso Irmão Mais Velho, o Cristo Eterno continua em nós,
e assim como o Cristo Eterno foi vitorioso nele, assim o Cristo Eterno será vitorioso em
nós! Hallelu Yah! Louve o Senhor!

Tudo isso, naturalmente, o jogo de barreiras e sem barreiras, e a recepção do Espírito


de Cristo, a Unção, está em Asherah, a Santa Mãe-Noiva; e podemos dizer, quanto
mais estamos dispostos a entreter Sua dança, mais, na verdade, não há barreiras, pelo
que uma vez chamamos de “barreiras” que conheceremos como bênçãos e veículos
para nossa plena auto-realização em Cristo.

Você sabe, mais do que fisicalidade, é o “eu-pensamento” (Ani) que é a maior


barreira; mas então, quando o auto-agarramento e a vontade própria são trazidos à
cessação, e nós percebemos a Natureza Ain de Ani, Ani se torna a emanação de
Eheieh, o Divino Eu Sou.

Se tudo é Ain, vazio, vazio, não-coisa, e tudo existe em um continuum constante de


mudança; onde está a barreira, ou quem, ou o quê, está vinculado?

Estes são alguns pensamentos que eu estava inclinado a compartilhar.

Que saibamos e nos lembremos da nossa liberdade em Cristo, e assim atraia muitos
outros em ascensão conosco! Um homem.
Que a paz esteja com você!
Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Desejo de nada


# 23 Post Wed Mai 30, 2012 9:23 am
Shalom Amado Tau.

Nossa conversa com o Élder Sarah no bate-papo da noite passada trouxe novas
perspectivas e entendimentos.

Estávamos falando de desejo, e o desejo por Ain foi mencionado, levantando


pensamentos sobre o desejo de Ani por Ain, atendendo ao desejo de Ain por Ani como
sendo o lugar da Unidade.

E veio à mente que uma perspectiva simplificada da jornada é a remoção de barreiras


a essa unidade bem-aventurada do desejo. Eu não posso deixar de rir aqui
considerando um significado de Asher que você nos deu - um rosto que está
iluminado!

Ele e Seu Nome são Um! Hallelu-Yah!

Que todos saibam o rosto que está em chamas! Asherah!

Sheryl
T
o
p
o
Yonah

# 24 Post seg Jun 04, 2012 4:25 pm
Saudações Irmã!

Não pude deixar de ler o seu post, mas penso em Moisés e como o rosto dele estava
radiante depois de estar na presença de Deus.

A contemplação que vem a mim é que, se Asher pode significar um rosto que é
iluminado ... e o rosto de Moisés se iluminou após seu encontro com o Santo, então
Ehieh Asher Ehieh tem muitas conotações interessantes.

Como sabemos Ehieh Asher Ehieh significa "eu sou quem eu sou" ou "eu sou quem eu
serei". Parece haver uma implicação de que o "quem" neste nome é um rosto que está
iluminado ... ou um ser que "viu" Deus.

Nós nos tornamos quem nós seremos (nosso verdadeiro eu) através deste encontro
com Deus que literalmente ilumina nosso semblante através da Transmissão de Luz.

Esta é uma afirmação bastante óbvia, mas ao mesmo tempo impressionante como o
significado do nome de Deus e as histórias nas Escrituras se unem e nos mostram o
caminho para a iluminação e libertação.

Shalom, Yonah
Shalom,
Yonah
EPS Coleta de Recolhimento
T
o
p
o
Yonah

# 25 Post seg Jun 04, 2012 4:35 pm
Saudações!
Eu também queria mencionar que compartilhei os ensinamentos básicos de Asherah
com o Círculo aqui em Austin no fim de semana passado. Alguns leram esses posts e
outros não. Para todos, foi uma incrível experiência energética e um canal de
transmissão de luz. Ensinamentos sobre Asherah e Second Coming estão gerando
muita emoção na comunidade.

Aguardo com expectativa a visita de Tau Malachi e do Élder Gideon ao nosso Círculo no
final deste mês e a luz que se moverá!
Shalom, Yonah
Shalom,
Yonah
EPS Coleta de Recolhimento
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Asher-Asherah da cara grande & da cara pequena


# 26 Post Ter Jun 12, 2012 12:33 pm
Saudações e Bênçãos à luz do Messias!

Você escovou um profundo mistério sobre Asher e Asherah, querido irmão; um que eu
estou inclinado a extrair por causa da contemplação.

Asher, um rosto feliz, um rosto iluminado e, como sabemos, há dois Partzufim


sagrados que são o "Rosto de Deus", Arik Anpin, o "Grande Rosto" e Zer Anpin, o
"rostinho" e, portanto, podemos falar de duas gradações principais de Asher, maior e
menor, "grande" e "pequena". É claro que quando falamos de grandes e pequenos em
Deus, o que é pequeno para Deus é imensamente grande para nós, então o que Cara
”significa não é exatamente tão pequena, é incrivelmente vasta!

Agora há Asherah, Mãe, e há Asherah, Noiva, uma Asherah, a Santa Mãe-Noiva; o


aspecto de Imma, a Mãe, corresponde à revelação da Face Grande, e o aspecto de
Kallah, a Noiva, corresponde à Rapariga - e podemos dizer que estas são duas
gradações da revelação de Eheieh Asher Eheieh, “ Eu Sou Quem Eu Sou. ”Um
corresponde à Face Grande e o outro corresponde à Rostinho, e dentro de cada uma
dessas duas gradações existem, de fato, inúmeras gradações.

A Grande Face é o Partzuf de Keter e corresponde à primeira Eheieh, o infinito


potencial do Divino Eu Sou; O Rosto Pequeno é o Partzuf de Tiferet (ou o Seis-Vau) e
corresponde à revelação de Asher Eheieh (Quem Sou). De acordo com as Sagradas
Escrituras, na Segunda Vinda de Cristo em Glória, Cristo vem com todos os anjos e
todos os santos, maggidim e tsadikim; portanto, há o Espírito de Cristo, que é o
primeiro Eheieh, e a Face Grande, e há todos os santos anjos e santos incorporando e
revelando o Espírito de Cristo no céu e na terra, que é Asher Eheieh, e o Rosto
Pequeno . Isso, exatamente, fala da realidade da Segunda Aparição de Cristo.
Quando o rosto de Moisés brilha, ele brilha com luz espiritual, correspondendo com
Tiferet de Beriyah, pois tal é a Luz Sagrada da sucessão profética, mas quando o rosto
de um apóstolo brilha, ele brilha com a Luz Superna, pois tal é a Luz Sagrada. da
sucessão apostólica. Se e quando houver necessidade, na compaixão, o rosto de um
apóstolo pode brilhar com luz espiritual, uma restrição de luz e bênçãos medidas, mas
quando o rosto deles brilha com glória total, brilha com a Luz Celestial, a Luz Sagrada
do Messias. e assim o Espírito do Messias é visto, ouvido e conhecido, e é isso que é
verdadeira iniciação e capacitação espiritual entre os gnósticos.

Aqui podemos dizer que a Transmissão de Luz também transpira através dos santos
anjos de Deus, mas a plenitude da Transmissão de Luz no Messias, ou a maior
Transmissão de Luz, acontece através de tsadic vivos, ou santos apóstolos, pois são
eles que encarnam a Luz. presença e Luz-poder neste mundo, e assim ensina e inicia
no modo de encarnação. De fato, pois como está escrito: “por algum tempo, você nos
criou um pouco abaixo dos anjos”, mas recebendo o Espírito do Messias por inteiro, no
Messias ressuscitado, somos exaltados acima dos anjos; sabemos disso na história de
Enoque, o Iniciado, que em realização e ascensão foi traduzido em Metatron, o
Príncipe da Face (Asher), exaltado acima de todos os santos anjos de Deus.

Pode ser que apenas a face de um santo tsadic ou apóstolo pareça se iluminar, ou
apenas o rosto e o coração, mas num momento de Transmissão de Luz a glória é
freqüentemente muito maior do que isso, para todo o corpo do santo tsadic ,
juntamente com todo o ambiente, pode tornar-se radiante de glória, luz e no corpo de
glória os espíritos dos tsadikim e dos maggidim podem aparecer, e junto com todo o
ambiente e atmosfera, também nossos corpos se tornarão auto-radiantes de glória,
leve. Há uma sugestão disso na história da transfiguração dentro dos evangelhos
canônicos, bem como nos Atos de São João.

Deve-se dizer, porém, que tais aberturas da dimensão visionária não são as únicas
formas que a Transmissão da Luz Superna assume, mas, sim, pode ocorrer em muitas
gradações diferentes, e de muitas maneiras diferentes - tanto quanto uma
transmissão, comunicação, da Luz Supernal, também do Ser Supernal, da Consciência
Supernal e da Força Suprema, e nas gradações mais profundas é a transmissão da mais
sutil e sublime Gnose ou Iluminação, Habad de Atzilut (Hokmah-Binah-Da-at). Na
gradação mais profunda da Transmissão de Luz, não há nada para ver, ouvir ou
conhecer, mas há apenas ver, ouvir e conhecer, a Consciência Radiante Pura da
Consciência Superna ou Messiânica.

Ouça, ouça e entenda, todos vocês que estão lendo este ensinamento. Isto não está
muito longe de você, mas está aqui, agora, entre nós, e em qualquer instante podemos
experimentar esta verdadeira Crisma, a Verdadeira Unção com o Influxo Supremo, o
Espírito de Cristo! Não pense que é impossível para você, ou distante de você, mas
permaneça na fé, esperança e amor, permaneça em Cristo, e creia que com Cristo e
Deus tudo é possível! Permanecendo assim, deixe que o desejo ardente, anseio, pela
Luz Sagrada te consuma completamente, e ore pela plena revelação e recepção desta
Luz e Verdade Sagradas, sabendo que o Deus Altíssimo (El Elyon) responderá às suas
orações, pois foi prometido por Deus que você está destinado a essa realização
espiritual em Cristo.

Agora olhe e veja, e saiba! O rosto é Asher e a transmissão da luz é Asherah; Asher está
sempre presente, esperando no Espírito Materno, e quando o Espírito Mãe se move,
há Transmissão de Luz, e Asherah se manifesta por completo. Asherah, a Noiva
Sagrada, corresponde às gradações exteriores da Transmissão de Luz, e Asherah, a
Mãe, corresponde às gradações interior e íntima da Transmissão de Luz. Há, na
verdade, é claro, Uma Luz Sagrada, Um Espírito Santo, mas aquela Luz Clara se
manifesta em um vasto espectro de Luz, em várias gradações, e em qualquer instante
de Transmissão de Luz é a mesma Luz Sagrada, e a Luz espectro completo de Luz está
nele, independentemente da gradação da transmissão; daí, Mãe e Noiva, Um Asherah,
Shekinah do Messias!

Asherah é, de fato, Transmissão de Luz, e é a personificação da presença da Luz


(Cristo) e do poder da Luz (Espírito Santo) no céu e na terra, aqui e agora,
sempre. Hallelu Yah!

Há algo mais que o Espírito Mãe nos inclina a compartilhar, uma sugestão de um
mistério esotérico muito profundo, para qualquer um que tenha ouvidos para ouvi-
lo. Como sabemos, Keter de Atzilut é Tiferet de Adam Kadmon, o Messias Primordial, e
Tiferet de Atzilut é Malkut de Adam Kadmon, a Shekinah Primordial do Messias
(Asherah Primordial). Ninguém pode falar os mistérios do Messias Primordial e
Shekinah Primordial (Reino dos Céus). É possível, entretanto, adquirir o Habad desses
mistérios através da experiência direta, se e quando a alma for elevada pelo Cristo
Eterno e o Da'at (Gnosis) do Messias Universal (Cristo Cósmico) surgir; Assim, através
da experiência espiritual e mística do Messias Universal, a consciência do Messias
Primordial, a plena iluminação e liberação da alma.

O Cristo Eterno, o Messias Universal, corresponde, é claro, a Tiferet de


Atzilut; portanto, a Transmissão de Luz Superna.

Aqui podemos dizer que o Da'at do Messias Universal pode se tornar p'nimi,
corporificado, neste mundo, mais ou menos, mas o Da'at do Messias Primordial
permanecerá makifin, transcendente, até que o Mundo-Para-o-Mundo Venha.
Assim, existem mistérios de Asherah que são indescritíveis, mas a sabedoria deles
pode ser adquirida através do Espírito do Messias. De fato, quem pode falar de
Asherah no Mundo-Para-Vem, ou na fruição da Segunda Vinda, que ainda está por vir?

Eu poderia acrescentar que todos os Partzufim Sagrados têm uma Face, e há mistérios
de Asher e Asherah com todos eles, mas esta é uma discussão para outro dia.

Também estamos ansiosos para nossa estada no querido irmão do Texas, orando no
Espírito e nos regozijando no Espírito ao nos prepararmos para partir, conscientes da
boa obra de vocês, irmãs e irmãos ali, e do amor e fé em Cristo que você personifica
como uma comunidade; e, por isso, aguardamos com grande expectativa a visita e
estamos cheios de grande alegria ao aguardarmos que o Espírito Santo nos separe.

Que Asherah se manifeste neste dia com todos que a convidam e a recebem! Um
homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Faces de Asher e Asherah


# 27 Post Wed 13 de junho de 2012 7:35
Saudações Tau Malachi!

Quando me lembro que as letras do Grande Nome representam cada uma parte e que
cada partzuf representa simultaneamente uma gradação de revelação,

Y: Arik Anpin / Abba: Revelação como Partzufim


H: Ima: Revelação como Arcanjos
V: Zer Anpin: Revelação como o Mundo dos Anjos
H: Nukva: Revelação como Inteligência Celestial, o
que acontece com Asher e Asherah, Maior e Menor, conforme consideramos o que é
tradicionalmente entendido dos Partzufim?

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Asher: Faces do Santo Partzufim


# 28 Post Wed 13 de junho de 2012 11:44 am
Saudações e bênçãos na Luz do Messias!

Se olharmos para os ensinamentos do Grande Nome, Yahweh, as letras sagradas do


Nome representam os Universos Olamot, a ponta de Yod, Adam Kadmon, o corpo do
Yod, Atzilut, o primeiro Ele, Beriyah, o Vau, Yetzirah. e o final Ele, Asiyah. Atzilut
corresponde aos Partzufim, e assim todos os Partzufim Sagrados estão dentro do Yod
do Grande Nome. Essencialmente, Partzufim são constelações de Sefirot dentro de
Atzilut, uma consciência de Sefirot dentro de Sefirot, cada Sefirah contendo todas as
dez Sefirot. Assim, por exemplo, Arik Anpin é formado pelas dez Santo Sefirot dentro
de Keter de Atzilut. O Partzuf mais complexo é Zer Anpin, formado não apenas pelas
dez Sefirot de Tiferet, mas também pelas dez Sefirot dos Seis, Hesed, Gevurah, Tiferet,
Netzach, Hod e Yesod; daí uma constelação de sessenta Sefirot. Os Olamot têm suas
raízes no Partzufim, e fluir dos Partzufim, e podemos dizer que os Partzufim
representam sua realização e perfeição, mas em manifestação os Olamot são distintos
dos Partzufim, especialmente no nível de Beriyah, Yetzirah e Asiyah, correspondendo
com Imma (Mãe), Zer. Anpin (Rosto Pequeno) e Nukva (Filha). Yod do Grande Nome
corresponde com o Reino de Yichud (Unidade), Adam Kadmon e Atzilut inseparáveis
um do outro, e o Yod contém o Partzufim, e assim como o He-Vau-He flui de Yod no
Grande Nome, então o Olamot inferior correspondente flui para fora do Partzufim
correspondente, mas são distintos do Partzufim. Podemos dizer, no entanto, que na
fruição da Segunda Vinda, o Fim-de-Dias, os Olamot inferiores são elevados e
unificados com os Partzufim correspondentes, sua intenção divina se tornando
realizada.
Há cinco Grandes Partzufim, e eles são representados pelas letras que compõem o
Nome de Deus, Elohim, o Nome indicando macho e fêmea em Deus, e indicando Um
que emana como muitos; portanto, os “muitos” são os vários Partzufim
(personificações divinas) e as Sefirot que eles contêm, junto com as Sefirot que
compõem os vários Olamot. Os cinco Grandes Partzufim são Arik Anpin (Face Grande),
Abba (Pai), Imma (Mãe), Zer Anpin (Face Pequena) e Nukva (Filha). Dentro de todos
estes Partzufim há uma manifestação da Santa Shekinah, Shekinah Superior e Inferior,
Mãe e Filha, e cada uma tem uma “Cabeça” e “Face”, correspondendo com
Asher; assim, cada Partzuf é uma revelação de Eheieh, "Eu Sou", correspondente a
Asher Eheieh, "Quem Sou".

A “Cabeça” do Partzufim são as Supernais, Keter-Hokmah-Binah, na configuração de


Sefirot compondo-a; o rosto é Da'at, ou melhor, Hokmah-Binah-Da'at
(Habad). "Cabeça" é o potencial infinito do Partzuf escondido, enquanto "Face" é o que
é revelado desse potencial infinito e, portanto, o que pode ser realizado e
realizado. Em que a Cabeça é Keter-Hokmah-Binah, ela está contida, ou oculta, dentro
de Binah, a Shekinah Superior, e naquela Face é Da'at, emana de Binah, então ela é
revelada, “nascida”, através de Binah. . Malkut, ou o Shekinah Inferior, é claro, é o que
se torna realizado e realizado do que foi revelado pela Shekinah Superior, e o veículo
dessa realização é o Seis. Isto é verdade dentro de todo o Santo Partzufim. Estude e
contemple bem isso e entenda!

Como dito acima, o Santo Partzufim é composto de constelações das dez Sefirot
dentro de cada Sefirá de Atzilut. Arik Anpin é o ten Sefirot dentro de Keter, Abba é o
ten Sefirot dentro de Hokmah, Imma é o ten Sefirot dentro de Binah, Zer Anpin é o ten
Sefirot dentro dos Seis, e Nukva é o ten Sefirot dentro de Malkut.

Estes são o Grande Partzufim, ou o princípio Partzufim, mas como sabemos, há outros
Partzufim contidos neles. Assim, por exemplo, há Atik Yomin (Ancião dos Dias), que é
composto das dez Sefirot de Keter de Keter de Atzilut, e há Ben (Filho), que são as dez
Sefirot dentro do Da'at de Atzilut. Há também Partzufim formado através da unificação
de Partzufim, por exemplo, Nukva é chamado Kallah (Noiva) quando unificado com Zer
Anpin, ou mais verdadeiramente, quando unificado com Ben (o Filho). Assim, existem
Sefirot dentro de Sefirot, e há Partzufim dentro de Partzufim, inúmeras Sefirot
Sagradas e incontáveis Partzufim Sagrados, todos emanando de Ain Sof, o Infinito, e
todos alcançando Ain Sof.

Como já dissemos, a “Face” de qualquer Partzuf é Da'at, a “Cabeça” é Keter-Hokmah-


Binah, e em cada Partzuf Sagrado há um nível ou gradação diferente da revelação
de Eheieh Asher Eheieh , “I Sou Quem Sou. ”A primeira Eheieh corresponde à Cabeça
do Partzuf, Asher corresponde à Face, e a segunda Eheieh, ou a realização do que é
revelado, corresponde ao Corpo; portanto, as sete Sefirot da Construção no
Partzuf. Binah, a Shekinah Superior, revela, e Malkut, a Shekinah Inferior, percebe e
incorpora - revelando e percebendo em qualquer nível ou gradação está tudo em
Asherah, e é Asherah, a Santa Mãe-Noiva!

Como você pode supor, com cada Partzuf Sagrado há gradações correspondentes de
Transmissão de Luz Superna, ou gradações correspondentes de Consciência e
Inteligência Superna, gradações externas e gradações internas, e exatamente como
revelação e realização correspondem com a Santa Mãe e a Noiva Sagrada,
respectivamente. assim também as gradações internas e externas da correspondente
Consciência e Inteligência Supernal correspondem à Mãe e à Noiva, respectivamente.

As Sefirot Sagradas de Beriyah, Yetzirah e Asiyah estão abaixo, fora, externas àquelas
de Atzilut, e assim estão abaixo, fora, externas aos Partzufim; e, no entanto, eles estão
enraizados em seus Partzufim correspondentes e são veículos para a realização de seus
Partzufim correspondentes na Grande Ascensão.

Atzilut e, portanto, o Santo Partzufim, corresponde à Transmissão da Luz Supernal em


incontáveis gradações; Beriyah e, portanto, os arcanjos, correspondem às várias
gradações de transmissão, revelação, de luz espiritual; Yetzirah e, portanto, as ordens
dos anjos, correspondem às várias gradações da transmissão, revelação, da luz astral; e
Asiyah corresponde às várias manifestações de luz, inteligência energética, na
dimensão material ou matéria.

Há algo que precisa ser dito aqui por uma questão de esclarecimento. Quando falamos
de Asherah, a Shekinah do Messias, a Noiva e a Mãe, estas são as gradações da
Transmissão da Luz Superna de Malkut de Atzilut para Binah de Atzilut, todas as quais
são corporificadas e manifestadas no Messias Ressuscitado; Asherah propriamente
dita, é a Shekinah Superna, mas como a Luz Superna é incorporada em várias
gradações, a Shekinah Superior e Inferior de Beriyah, Yetzirah e Asiyah são
transformadas, edificadas e unificadas com a Shekinah Superna, Asherah se
manifestando abaixo, como acima.

Muito verdadeiramente, Asherah é a manifestação de uma Inteligência Trovão


Perfeita, e há gradações infinitas desta Consciência e Inteligência Superna; como esta
Inteligência Trovão Perfeita é incorporada, então Asherah é manifestada no mundo. A
maior realização de Asherah, no entanto, está no World-To-Come no Fim-de-Dias.

Existe naturalmente uma evolução, uma progressão, em nossa capacidade de


incorporar esta Consciência e Inteligência do Messias desde a Primeira Vinda até a
Segunda Vinda, e naturalmente, enquanto a Segunda Vinda continua a se desdobrar,
continuará havendo uma evolução, progressão, da nossa capacidade de incorporar
esta Consciência Superna ou Messiânica e, portanto, influxos cada vez maiores de Luz
Superna ocorrerão, e maiores gradações de Transmissão de Luz Superna serão
manifestas. De certa forma, Asherah, esta Árvore da Vida, ou Árvore das Luzes,
crescerá e aumentará; e mais do que uma única árvore, será um "bosque" ou uma
"floresta", à medida que mais e mais indivíduos e comunidades se tornarem centros,
veículos ou corporificações desta Ação Divina, ou desta Revelação e Realização
Divinas. Hallelu Yah!

Aqui podemos dizer que a ascensão do Messias ressuscitado corresponde à realização


de todo o Santo Partzufim; mas especificamente, a realização de Nukva, Zer Anpin e
Imma. Esta é a compreensão esotérica do que está escrito nas Sagradas Escrituras, que
o Messias está "entronizado à destra do Pai", que o trono sagrado é Binah-Imma, e se
o Partzuf de Abba-Pai está voltado para fora do Árvore da Vida, esse trono sagrado
está à direita do Pai. Nisto podemos entender que a realização de Abba e Arik Anpin
correspondem ao Mundo-Para-Vem, e é fundada sobre uma progressão contínua da
Encarnação Divina, ou incorporação da Consciência e Inteligência Superna.

A Segunda Vinda corresponde a Deus, a Mãe e maior recepção da Noiva Sagrada,


porque é um grande derramamento e incorporação do Espírito do Messias, a Luz
Superna.

Há algo dado no Espírito Santo que precisa ser compartilhado. Como sabemos e
entendemos, através do Yeshua Messiah somos elevados na Grande Ascensão, e nós
estamos progredindo radicalmente; mas é ordenado por El Elyon que possamos dar
como nós recebemos, e que possamos servir para elevar e glorificar ainda mais o
Messias Yeshua, pois quanto maior a realização e a manifestação do Corpo Vivo de
Cristo, maior será a progressão, a glória , poder e manifestação, do irmão mais velho
que foi o primeiro portador de Cristo. Estamos em uma ação recíproca com Adonai
Yeshua como co-pregadores e co-redentores com ele, edificante e progredindo um ao
outro - o Dom que recebemos é muito maior do que a maioria dos bons cristãos
imagina ou entende!

Nesta luz, considere a revelação do Messias ressuscitado na fruição da primeira vinda,


e considere a revelação do Messias na fruição da segunda vinda expressa na visão do
Santo Cordeiro e da Nova Jerusalém - considere isto e contemple isso e entenda bem!

Também neste contexto, considere e contemple a famosa parábola dos talentos, pois
o adversário tem levado muitos bons cristãos a enterrarem o único talento que
receberam, de modo que, embora um pouco procurem ser semelhantes a Cristo,
poucos trabalham ativamente para ser e tornar-se tudo o que eles podem ser em
Cristo; Portanto, poucos sabem e compreendem como trabalhar em uma evolução
consciente para ser e se tornar Cristo. Ao fazer isso, muitos, na verdade, privam o
Messias Yeshua, Cristo Jesus, de sua maior glória, Deus me livre!

Há algo que precisa ser dito sobre o verdadeiro Evangelho de Cristo. A única maneira
de falar o mais claramente possível é pegar emprestado um termo de nossos irmãos e
irmãs nas Tradições Orientais do Sabedoria - o termo "Avatar". Avatar significa
literalmente uma encarnação do Divino, Deus e Divindade, e se lermos o Evangelhos
de perto, especialmente os evangelhos gnósticos esotéricos, a própria mensagem do
verdadeiro Evangelho de Cristo não é apenas que Yeshua, Jesus, era um Avatar, mas
que todos os que estão em Cristo devem se tornar Avatares, encarnações,
encarnações, do Divino ; todos são feitos para serem portadores de Cristo.

Isso sugere um entendimento de Asherah, Shekinah do Messias; é a Presença Divina e


o Poder corporificados em um “Avatar”, ou portador de Cristo, envolvido no trabalho
espiritual da Transmissão de Luz, ou na comunicação do Espírito de Cristo.

Deve-se dizer, no entanto, que esta não é uma grande reivindicação a ser feita de si
mesmo, nem é um conceito imbecil, "eu sou Deus", além de uma auto-realização e
incorporação real, mas é o nobre ideal. e objetivo de uma evolução consciente, um
trabalho ativo para o progresso no Evangelho e auto-realização em Cristo - é um
trabalho viver como Cristo, viver como o Divino; somente assim o Divino Eu Sou (Asher
Eheieh) está corporificado, e Asherah se manifesta em plena glória e poder.

Como podemos colher o que foi compartilhado acima, há literalmente intermináveis


gradações dessa auto-realização; assim, sempre há sempre o que podemos ser e nos
tornar em Cristo e em Deus, a Verdadeira Luz.

Na verdade, não temos grandes pretensões de fazer de nós mesmos em Cristo, pois
nossa salvação, nossa iluminação em Cristo, é um dom de Deus, da Graça Divina e
qualquer que seja nosso progresso, tudo se deve ao trabalho e à auto-oferta. do nosso
irmão mais velho, o Messias Yeshua, que abriu o caminho e que é o caminho; portanto
não temos grandes pretensões a fazer, mas sim glorificamos Adonai Yeshua Messiah e
El Elyon, e damos todo o louvor e gratidão ao Messias e El Elyon, o Santo do Ser a
quem todo o louvor e glória são devidos! Hallelu Yah!

Aqui estou inclinado a repousar na Santa Mãe-Noiva, Asherah.

Ó Yahweh Elohim nós oramos, através de sua Divina Graça, que a Árvore Sagrada da
Vida, Asherah, cresça e se expanda neste mundo, e que todos os espíritos vivos e
almas recebam seu abrigo em sua Santa Shekinah. Um homem.
Que a paz esteja com você!
Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Yeshua, a sarça ardente


# 29 Post Qui 14 de Junho de 2012 9:50 am
Shalom Tau!

Estou muito agradecido por este esclarecimento sobre o Partzufim e seu olamot, um
que você falou muitas vezes e muitos lugares; a distinção que você tirou é realmente
muito simples e extremamente útil. Obrigado!

O que seu esclarecimento também faz é alinhar tanta complexidade a uma


simplicidade. Senti a mudança imediatamente, como se isso preparasse minha
compreensão do que se seguiu em sua resposta, particularmente das gradações de
transmissão de luz que você esboça fluindo através dos Partzufim e seu olamot. Eu
estarei gastando tempo com a sua ajuda mais importante, distinguindo "cabeça" de
"cara".

Um mistério particular, que agora é estabelecido para detalhes, diz respeito à


Transfiguração que se constrói ao longo da revelação de Deus,

Enoque andou com Deus; então ele não era mais, porque Deus o levou. (Gênesis 5:24)

Ali o anjo do Senhor apareceu a [Moisés] em uma chama de fogo de um arbusto; ele
olhou, e a sarça ardia, mas não foi consumida. (Êxodo 3: 2)

Enquanto eles continuavam andando e conversando, uma carruagem de fogo e cavalos


de fogo separaram os dois, e Elias subiu em um redemoinho para o céu. Eliseu ficou
observando e gritando: 'Pai, pai! Os carros de Israel e seus cavaleiros! Mas quando ele
não podia mais vê-lo, ele agarrou suas próprias roupas e rasgou-as em dois pedaços. (2
Reis 2: 11-12)

Seis dias depois, Jesus levou consigo Pedro, Tiago e João e os conduziu por uma alta
montanha à parte, sozinhos. E ele foi transfigurado diante deles, e suas roupas
tornaram-se brancas, como se ninguém na terra pudesse branqueá-las. E apareceu-
lhes Elias com Moisés, que conversavam com Jesus. (Marcos 9: 2-4)

De repente, reconheci um padrão simétrico entre esses versos! Quando entendemos


Enoque no lugar de Moisés na Transfiguração registrada por Marcos, então Enoque, a
Sarça Ardente e Elias antecipam juntos os relatos sinópticos do Evangelho da
Transfiguração! Yeshua é a sarça ardente!

Nós já fomos ensinados acima neste segmento que a Mulher de Luz de Apocalipse 12 é
a visualização essencial de Asherah. O que você acabou de dizer do Partzufim Imma e
Nukva-kallah traz nova dimensionalidade a como esse movimento de Transmissão de
Luz pode ser contemplado em gradações maiores. Não é essa a sua transfiguração? Se
assim for, então eu estou ouvindo como nunca antes que o mesmo é a experiência do
povo de Deus na Nova Jerusalém!

Não vi templo na cidade, pois o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso e o


Cordeiro. E a cidade não precisa de sol nem de lua para brilhar, pois a glória de Deus é
sua luz, e sua lâmpada é o Cordeiro. As nações andarão por sua luz e os reis da terra
trarão sua glória para ela. Seus portões nunca serão fechados por dia - e não haverá
noite lá. As pessoas trarão a glória e a honra das nações. (21: 22-26)

Embora este seja um relato visionário, pela primeira vez, estou ouvindo e imaginando
a qualidade sobrenatural da luz vinda de dentro de todos, de todo o povo de Deus em
um estado transfigurado. É maravilhoso, particularmente quando experiências de
Transmissão de Luz são lembradas como luz dentro e ao redor de si mesmo. Que esta
Transmissão de Luz ainda está acontecendo em nossa própria geração, sugere que os
mistérios da Transfiguração no Antigo Testamento profetizam a Luz de Transmissão do
Novo Testamento: Asherah!

Como as transfigurações são descritas nas escrituras podem parecer externas, como
acontece com Elias, até mesmo necessitando da presença da raiz Tzaddik, mas no
primeiro fagote dessa experiência de transfiguração para mim, ela surgiu de dentro de
mim e Tzaddik, então ao redor, sugerindo que tudo o que você disse acima do
Partzufim são realidades mergulhadas na alma, cujo alinhamento é a revelação da
Transmissão de Luz. Espero não simplificar os magníficos ensinamentos acima, aliando-
me ao interno, mas como esta é minha experiência até agora, todo o corpo de
discussão de Asherah parece orientar Sua revelação de dentro do praticante, onde o
mundo desses Partzufim é encontrado. Isso tem profundas conseqüências, pois fomos
guiados recentemente para ir além de nossas expectativas do influxo vindo de Ma.

Que todos os que estão dispostos sejam vestidos em Asherah!

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

expandindo o bosque sagrado de árvores em chamas ...


# 30 Post Qui Jun 14, 2012 11:40 am
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Eu não acredito que o que você compartilhou seja uma simplificação excessiva,
querido irmão, mas, ao contrário, parece ser uma percepção essencial e uma base
prática do que foi compartilhado; todo o propósito da Transmissão de Luz é o
despertar, a ativação da alma e da luz que está em nós e o resultado dessa retidão e
verdade, aquela Luz Sagrada. Yeshua Messiah, nosso irmão mais velho, nos ensina,
dizendo: "Eu sou a luz do mundo", e ele também nos ensina, dizendo: "Você é a luz do
mundo". Isso não expressa a realidade e a verdade de a transmissão de luz em toda e
qualquer série? Quando contemplamos o santo tzadik ou apóstolo em glória, isso
corresponde a “Eu sou a luz do mundo”, mas quando vemos um santo tsadic ou
apóstolo dessa maneira, nesse instante também nos tornamos conscientes da glória
dentro de nós. e tudo ao nosso redor e isto corresponde com "você é a luz do mundo".
Em um momento de Transmissão de Luz é como se este mesmo ensinamento estivesse
sendo falado em um nível energético, ou melhor, que está sendo mostrado ser
literalmente verdadeiro, e uma vez nós experimentamos isso, somos dirigidos por
Adonai Yeshua, "Deixe a sua luz brilhar", e fomos capacitados pelo Espírito de Deus
para deixá-lo brilhar. Hallelu Yah!

O prazer, a alegria, no entanto, é isto - não há fim para esta Transmissão de Luz, pois é
uma comunicação de Ain Sof Ou, Luz infinita e infinita!

Sim, de fato, na montanha sagrada Messias Yeshua é Asherah, “sarça ardente”,


“árvore em chamas”, e assim é com qualquer apóstolo sagrado em um momento de
Transmissão de Luz, Asherah é manifesto como eles, e se recebermos o Santo Luz, e
deixe que a Luz Sagrada brilhe de dentro de nós, assim também é Asherah se
manifestar como nós. A imagem de Asherah é um bosque de arbustos em chamas,
árvores em chamas, em chamas com o Espírito do Messias; portanto, toda a
comunidade daqueles que recebem o Espírito do Messias, a Luz de Transmissão, o
Corpo Vivo do Messias.

Yeshua, porém, é algo mais, pois, como o primogênito, nosso irmão mais velho, ele é
Emanuel, o “topo da árvore”, o Cabeça do Corpo Vivo; na transfiguração ele revela a
realidade de Emmanuel, “Deus está conosco”. O mesmo é verdade em nosso tempo
com os tsadikim vivos ou apóstolos que são o Coração do Corpo Vivo, é a revelação de
Emanuel, mas a Cabeça, o Topo da Árvore, continua sendo a Cabeça, Rosh, embora
aquela Luz Sagrada, aquele Espírito Santo, seja revelada através de muitas Faces
(Resh), muitas emanações do Sagrado Coração.

(Um rosto sorridente vem da alegria no coração, e assim o rosto e o coração estão
conectados!)

O aparecimento dos espíritos dos grandes tzaddikim em corpos de glória e o


aparecimento de maggidim em corpos de glória, juntamente com o santo tzaddik ou
apóstolo em glória, isso não é um “bosque”, a imagem de Asherah? Através da
Transmissão de Luz, é claro, ou a facilitação da experiência gnóstica de Cristo, este
santo bosque cresce e se expande, de modo que aquele que recebe esta Verdadeira
Crisma permanece no bosque, está entre os vivos, os santos imortais. ! Hallelu Yah!

Aqui podemos dizer, quando recebemos este Verdadeiro Cristo, recebemos o nome de
cristão como um presente, e nossa salvação, nossa libertação, é assegurada e,
portanto, podemos permanecer na confiança de nossa fé e gnose; mas permanecendo
na gnose de Cristo desta maneira, naturalmente, nós trabalhamos sempre pelo
progresso no Evangelho, uma evolução consciente em Cristo, ou trabalhamos sempre
por uma “ressurreição melhor”.

Aqui podemos dizer que o anjo de Asher é Metatron. eo anjo de Aserá é Sandalfon, e
com Sandalfon, como sabemos, existe a ordem dos Ashim, “almas de fogo”; em um
nível, como sabemos, estas são almas em chamas com o Espírito do Messias, o Espírito
Santo, os Gnósticos na assembléia dos fiéis.

É isso que a Mãe me inclina a compartilhar no momento.

Que Asherah, a Shekinah do Messias, seja manifesta entre nós em plena glória e
poder; que a Santa Luz da Verdadeira Cruz brilhe intensamente neste mundo! Um
homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Criação de Novos Céus e Mundos


# 31 Postado em Sábado 23 de junho de 2012 8:35
Shalom Caros Amigos,

Louvado seja a nossa Mãe por estas revelações! Acrescentam cada vez mais
profundidade às meditações do Reino dos Céus, Malkut de Atzilut e Metatron e
Sandalfon como os anjos de Asher e Ahserah.

Um pensamento surge ao ler seus posts, querido Tau, especialmente quando você fala
de Asherah como Light Transmission, e continua dizendo:

Os Partzufim Sagrados são compostos de constelações das dez Sefirot dentro de cada
Sefirá de Atzilut. Arik Anpin é o ten Sefirot dentro de Keter, Abba é o ten Sefirot dentro
de Hokmah, Imma é o ten Sefirot dentro de Binah, Zer Anpin é o ten Sefirot dentro dos
Seis, e Nukva é o ten Sefirot dentro de Malkut.

Você está falando tanto da criação dos Novos Céus e Mundos, quanto da eventual
elevação destes em ascensão, trazendo-os para a Unidade com o Corpo de Cristo?

Já havíamos ensinado antes que o tsadic traz os Novos Céus e Mundos com o influxo e
o derramamento de Novas Revelações, e o que estou ouvindo é uma expansão no
entendimento de Asherah, com o desdobramento do potencial na obra do tsadic.
Que Asherah continue a se desdobrar e que todos sejam abraçados e abrigados em
Sua Luz.

Sheryl
Última edição por sheryl em domingo 24 Jun 2012 21:52, editado 1 vez no total.
T
o
p
o
BrandonLw

New Heavens


# 32 Postado em Sábado 23/06/2012 21:03
Shalom!

Depois de ler sua pergunta Sheryl, lembro-me de uma pergunta que veio
recentemente e gostaria de oferecê-lo em conjunto com o seu.

Recentemente, no discurso, ouvi um ensinamento que dizia (parafraseado): "Que com


todo ensino que é feito p'nimi, mais estão no makafin". Eu me pergunto se isso fala
diretamente sobre o fenômeno dos "Novos céus e mundos". Que para todos que estão
ancorados, mais são criados. Recordo-me recentemente que isso também se
relacionava com Filha-feita-Noiva, depois com a Mãe e depois com a Avó. Isso lembra
uma mudança de semente em um bosque prolífico.

Apenas um complemento para uma contemplação fascinante. Que todos na


comunidade e além tenham uma maravilhosa Noite de Shabat!
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Novas moradas na Casa de YHVH


# 33 Post seg 25 de junho de 2012 23:24
Shalom Irmão Brandon!

Obrigado por suas adições a esta contemplação!


Em outro tópico, o Élder Sarah ofereceu um ensinamento sobre a Segunda Vinda e o
Novo Pentecostes, no qual uma correlação entre O Lugar que os Apóstolos reuniram
e A Casaem que estavam assentados foi desenhada.

Vem à mente que nos ensinamentos sobre a criação dos Novos Céus e Terras, nós
frequentemente apontamos para a declaração de Yeshua em João 14:

Não se perturbe o seu coração. Acredite em Deus; acredite também em mim. Na casa
do meu pai há muitos quartos. Se não fosse assim, eu teria lhe dito que vou preparar
um lugar para você? E se eu for e preparar um lugar para você, voltarei e o levarei para
mim mesmo, para onde eu também posso estar.

Poderíamos dizer que esta declaração de Yeshua está falando do mistério que você
está abordando? Que com todo ensinamento que é feito p'nimi, mais estão em
makafin.

E também podemos dizer que no movimento de Pentecostes, os Apóstolos foram


"levados" ao Lugar que Yeshua havia preparado para eles?

Louvado seja para nossa Mãe, que provê estas contemplações de deleite!

Sheryl
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Nova geração


# 34 Post Ter Jul 03, 2012 3:03 pm
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Sim, de fato, irmão Brandon, o ensinamento sobre p'nimi e makifin estão


profundamente ligados a uma geração em curso de uma nova terra e um novo céu; Se
entendermos que a realidade de nossa experiência é uma exibição radiante de nossa
mente, consciência ou alma, então como a consciência se expande e se transforma, há
uma transformação da terra e do céu, e uma nova terra e novos céus surgem. . Os
tsadikim vivos têm um poder especial para a geração de novos anjos e novos céus
através da oferta de novos ensinamentos e interpretações das Escrituras e novas
revelações; No entanto, como membros do Corpo Vivo de Cristo, todos participamos
desta geração de novos anjos e novos céus como co-criadores, e quando trazemos
novos ensinamentos e insights, também há um fluxo de bênçãos,

É bem verdade, irmã Sheryl, que, por um lado, há uma geração contínua de anjos e
céus, entendendo a formação dos céus a partir dos anjos, enquanto, por outro lado, há
uma elevação e transformação contínua, ou atualização e realização, dos céus e vários
reinos e mundos que já existem. De fato, essas duas ações são inseparáveis uma da
outra e andam juntas como um movimento na Consciência Messiânica. De alguma
forma a geração de uma nova terra e um novo céu, e uma nova humanidade em
Hayyah Yeshua, é a realização e fruição da antiga terra, céus e humanidade, e na
geração contínua do novo, o velho é realizado e feito completo. Vemos isso em nossa
experiência de crescimento e amadurecimento no Evangelho, pois onde quer que
tenhamos pecado no passado, quando a justiça é realizada em Cristo, o que era
pecado não é mais pecado, mas se torna parte integrante dessa percepção, de alguma
forma levando a isso. Assim é com os antigos céus e terra, e a velha humanidade, com
a geração do novo todos são elevados, todos são realizados e realizados através deste
processo contínuo de Revelação Divina (Apocalipse).

Em um certo nível, talvez se diga que no Messias de Pentecostes Yeshua elevou os


apóstolos ao lugar preparado para eles - há verdade nisso; todavia, mais ainda, ele
parece estar falando do tempo de plena reintegração com o Continuum de Luz, que é
na hora da morte, e falando sobre o Mundo-Para-Vem, que amanhece no Fim-de-Dias.

Em termos de Transmissão de Luz e Partzufim, e a contemplação das Sefirot Sagradas


formando os Partzufim, isto aponta para as incontáveis gradações de Transmissão de
Luz, graus dentro de graus, mundos dentro de mundos, sem fim; portanto, falando
sobre o Continuum of Light Transmission, é um imensamente vasto e infinito espectro
de experiências espirituais e místicas, ou movimentos do Espírito Santo atraindo a
alma para estados expandidos de consciência e maior inteligência, incontáveis
dimensões da experiência de iluminação.

Basicamente falando, "despertar" no Espírito-Cristo, vamos despertar de novo e de


novo, sendo elaborados na grande ascensão da consciência.

Estes foram alguns pensamentos que eu estava inclinado a acrescentar.

A paz esteja com você, e Deus abençoe!


Tau Malachi

Sophia Comunhão
Ecclesia Pistis Sophia
T
o
p
o
Anna

# 35 Post Dom 04/07/2012 06:10
Bênçãos de graça e paz para todos!

Algo bastante surpreendente está vindo à luz nestas palavras:

... onde quer que tenhamos uma vez pecado no passado, quando a justiça é realizada
em Cristo, o que era pecado não é mais pecado, mas torna-se parte integrante dessa
percepção, de alguma forma levando a isso. Assim é com os antigos céus e terra, e a
velha humanidade, com a geração do novo todos são elevados, todos são realizados e
realizados através deste processo contínuo de Revelação Divina (Apocalipse).

Sim, segue-se que tudo o que faz parte da matriz da experiência de realização seria
elevado. Todos os que estavam envolvidos em um passado pecaminoso, parte da
matriz do pecado passado, pode-se dizer, também são elevados no Espírito de
Cristo. Também estou ouvindo que até mesmo os arcontes e demônios estão sendo
elevados desta forma, pois certamente isso faria sentido aqui. Ouvi dizer que o tikkune
de nossa alma é o tikkune do mundo dos anjos, o mundo dos arcanjos, o mundo das
sefirot e o tikkune de Adam Kadmon. Também nos ensinamentos lemos que, quando
se desperta, é como se uma parte do corpo de Adam Kadmon estivesse acordando
também. Então, os reis de Edom também são elaborados em ascensão com crescente
compreensão?

Como a paz reina dentro de nós, como nosso amor e alegria se expandem no espaço
do Sagrado Coração, todos os seres são oferecidos santuário em Cristo ressuscitado,
pois todos sofrem muito na ignorância, todos precisam de compaixão. Parece que
ninguém é excluído dos benefícios da realização em Cristo. À luz de tais grandiosas
bênçãos para todos os seres, certamente nós poderíamos trabalhar apaixonadamente
por nossa salvação e buscar uma ressurreição melhor, como Paulo exorta, não apenas
para si mesmo, mas para todos os seres, pois nada fazemos sem o seu efeito.

Graças à Grande Mãe por tais ensinamentos da Luz e pelas muitas oportunidades de
colocá-los em prática nesta vida humana que nos foi dada!
Shalom!
Anna
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Tudo em Asherah: Liberando Arcontes e Demônios


# 36 Post Wed 4 jul 2012 11:21
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Sim, de fato, através de Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado, e a manifestação de


Asherah, a Shekinah do Messias, em plena glória e poder, os reis de Edom são
redimidos e serão redimidos; portanto, há e haverá tikkune das Sefirot de Adão
Kadmon no Messias. O que o tikkune é das Sefirot de Adam Kadmon nós não podemos
conceber com a consciência mental, mas podemos dizer que este tikkune é a
realização do Cristo Primordial, o Iluminismo Primordial, e é na realização do Habad de
Atzilut, ou Habad de o Messias ressuscitado.

De acordo com a Cabala, e os ensinamentos do Ari de Safed, as Sefirot de Adam


Kadmon de Da'at a Malkut correspondem aos Reis de Edom, e eles se quebram e
quebram porque não têm conexão ou modo de interagir um com o outro, e nenhum
meio de teshuvah, arrependimento e tikkune, consertar. De sua destruição, Atzilut
vem a existir, e assim Beriyah, Yetzirah e Asiyah, e é através de Atzilut, e o jogo do
Reino de Perud, Beriyah, Yetzirah e Asiyah, que o tikkune de Adam Kadmon se torna
possível e é realizado. Tudo em um grande e supremo mistério, este tikkune é
realizado através da Encarnação do Messias, o Ungido com a Luz Superna de El Elyon,
Eheieh; esta é a formação de um vaso sagrado, uma Sefira viva, por assim dizer, em
Asiyah e este mundo, que é capaz de receber o influxo total de Luz Superna e
incorporar a Iluminação Primordial, a plenitude de Asherah. Através da cruz o Santo
Vaso foi quebrado que surgiu dentro de Perud, mas através da ação da Graça Divina na
ressurreição e ascensão, este Vaso Sagrado foi consertado, curado, elevado e
glorificado, feito perfeito e completo, e a Luz Superna completa Transmissão foi feita
manifesto em Este Mundo, abrindo o caminho para o Mundo-Para-Vem. Quando
Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado, apareceu neste mundo, assim a Santa Luz do
Messias foi feita para brilhar em todos os mundos e céus, de Asiyah a Beriyah, e o
Habad de Atzilut e Malkut de Atzilut foi realizado, encarnado . Neste é o tikkune de
Olam Ha-Adam Kadmon, o Universo do Ser Humano Primordial.

Este tikkune é realizado na ressurreição e ascensão do Adonai Yeshua Messiah, e ainda


assim este tikkune está em andamento neste Reino do Ever-Becoming (Perud), e como
membros do Corpo Vivo de Cristo está transpirando através de nós, como através do
nosso Elder Irmão e irmã, Yeshua e Mirya, porque somos co-pregadores e co-
redentores com eles, e co-criadores com Yahweh Elohim. Nossa essência mais
profunda, Yechidá, é extraída de alguma parte do Corpo de Adão Kadmon e, como tal,
quando percebemos e incorporamos o Espírito do Messias por completo, e a alma é
despertada e realizada na íntegra, de modo que o aspecto de Adam Kadmon é
realizado, despertado; assim, a Realização Supernal em cada espírito e alma vivos é o
tikkune, ou atualização e realização, de Adam Kadmon. Quando qualquer espírito ou
alma individual entra em Realização Supernal, A Consciência Superna ou Messiânica,
os raios de presença de Luz e de Poder de Luz, e muitos outros espíritos e almas
também são redimidos, realizados e despertados, e, portanto, elaborados na Grande
Ascensão. Vemos isso com Yeshua e Mirya, e o que aconteceu através deles, e também
com tsadikim ou apóstolos depois deles, e o que aconteceu através deles - este jogo
contínuo de Transmissão de Luz Superna, que continua a crescer e aumentar entre
nós. Assim, essa realização espiritual sempre se estende para além do indivíduo, pois
ele irradia um grupo inteiro de espíritos e almas viventes, tudo ordenado por El Elyon,
Eheieh. Vemos isso com Yeshua e Mirya, e o que aconteceu através deles, e também
com tsadikim ou apóstolos depois deles, e o que aconteceu através deles - este jogo
contínuo de Transmissão de Luz Superna, que continua a crescer e aumentar entre
nós. Assim, essa realização espiritual sempre se estende para além do indivíduo, pois
ele irradia um grupo inteiro de espíritos e almas viventes, tudo ordenado por El Elyon,
Eheieh. Vemos isso com Yeshua e Mirya, e o que aconteceu através deles, e também
com tsadikim ou apóstolos depois deles, e o que aconteceu através deles - este jogo
contínuo de Transmissão de Luz Superna, que continua a crescer e aumentar entre
nós. Assim, essa realização espiritual sempre se estende para além do indivíduo, pois
ele irradia um grupo inteiro de espíritos e almas viventes, tudo ordenado por El Elyon,
Eheieh.

Se e quando esta Luz Superna, Consciência Supernal, estiver incorporada neste


Mundo, então ela brilha em mundos dentro das dimensões internas, ou "planos
interiores", e irradia em todos os tipos de reinos abaixo e acima, e através dos
céus; portanto, não são apenas as almas humanas que são tocadas e despertadas por
esta Luz Sagrada, mas todos os tipos de espíritos e almas viventes, incluindo
divindades maiores e menores, arcontes e seus anjos, e até mesmo demônios e
demônios em arco. De fato, se encontrássemos um tsadic e uma comunidade vivos, e
pudéssemos olhar e ver nas dimensões mais sutis dentro e por trás da assembléia
material, descobriríamos que o tsadic sagrado tem muito mais discípulos entre os
espíritos invisíveis e tais que eles fazem neste mundo; o Corpo Vivo de Cristo
manifesto com eles é muito maior do que a aparente comunidade material. Se
observarmos desta maneira quando o tsadic e a comunidade se reunirem e se
envolverem em discurso sagrado, em oração e meditação, cerimônia e adoração
sagradas, veremos que juntos eles estão constantemente elevando os espíritos vivos e
almas, trazendo salvação ou iluminação e libertação. Enquanto trabalhamos em nossas
práticas espirituais diárias, orando, meditando e realizando cerimônias sagradas, como
membros do Corpo Vivo, isso está acontecendo conosco todos os dias, o tempo
todo. Nós não praticamos a prática espiritual em Cristo somente para nossa própria
salvação, ou simplesmente para nossa maior ressurreição e ascensão, mas ao invés
disso fazemos para a salvação de todos, uma melhor ressurreição e ascensão para
todos (Kol). Desta forma, o nosso contínuo diário de prática espiritual é um trabalho
real de amor, um trabalho real na colheita de almas,

Juntamente com os arcanjos e anjos de Deus, a Verdadeira Luz, assim também há


arcontes e seus anjos, e arc demônios e demônios, através de Asiyah, Yetzirah e
Beriyah, o domínio dessas forças klippotic sendo o mais forte nos exteriores Olamot-
Universes. . Esses Olamot têm sua raiz nos Partzufim de Nukva, Zer Anpin e Imma,
respectivamente, e a redenção das forças espirituais correspondentes é a realização do
Partzuf correspondente, resultando nos tikkunim do Mundo das Sefirot (Atzilut).

Quando se ensina que o tikkune de nossa alma é o tikkune de todo o mundo, o mundo
dos anjos, o mundo de neshamot e o Mundo das Sefirot, não é somente através do
tikkune de nossa alma que o tikkune do os aspectos correspondentes desses mundos,
universos, são cumpridos, mas, ao contrário, quando uma alma desperta plenamente
no Espírito do Messias, aquela santa e iluminada pode ser de grande benefício para os
outros, capaz de facilitar o despertar e a redenção do mundo. muitos outros espíritos
vivos e almas, estabelecendo muitos espíritos e almas no Caminho da Grande
Ressurreição e Ascensão.

Todos os espíritos e almas vivos estão contidos em Elohim, e todos emanam de


Yahweh, cuja essência única está em Eheieh; todos estão em Elohim, todos estão em
Asherah, e na verdade, Elohim, Asherah, é manifesto como tudo, bem e mal, e mistura
- a plenitude de Elohim, Asherah, será realizada e realizada. Assim, os arcontes e seus
anjos, juntamente com forças negras e hostis, demônios, também serão redimidos,
iluminados no Messias. A salvação em Cristo é universal, embora, de fato, para alguns
espíritos e almas viventes, essa salvação possa ser alcançada apenas por meio de uma
longa jornada através de muitas encarnações. Entendendo o potencial de tristeza e
sofrimento incomensuráveis através de muitas encarnações, e a realidade dos reinos
do inferno e vários intermediários junto com os céus, teremos grande zelo pela
pregação do Evangelho da Segunda Vinda e pela salvação dos espíritos e almas
viventes, desejando a rápida iluminação e libertação de todos, sempre que possível. De
fato, se alguém verdadeiramente olha e vê a realidade da escravidão das almas, e a
realidade dos ciclos potencialmente infinitos dos gilgulim, ou transmigração, eles
conhecerão e entenderão a necessidade de zelo “evangélico”, não apenas
externamente, mas internamente oração e meditação. Da mesma forma, eles saberão
que a maior pregação do Santo Evangelho não está em palavras, mas está em um nível
energético, através de transmissões energéticas - Transmissão de Luz. É a recepção do
Espírito de Cristo, a Transmissão de Luz, que liberta almas, trazendo paz e alegria e
verdadeira realização. Desejando a rápida iluminação e libertação de todos, sempre
que possível. De fato, se alguém verdadeiramente olha e vê a realidade da escravidão
das almas, e a realidade dos ciclos potencialmente infinitos dos gilgulim, ou
transmigração, eles conhecerão e entenderão a necessidade de zelo “evangélico”, não
apenas externamente, mas internamente oração e meditação. Da mesma forma, eles
saberão que a maior pregação do Santo Evangelho não está em palavras, mas está em
um nível energético, através de transmissões energéticas - Transmissão de Luz. É a
recepção do Espírito de Cristo, a Transmissão de Luz, que liberta almas, trazendo paz e
alegria e verdadeira realização. Desejando a rápida iluminação e libertação de todos,
sempre que possível. De fato, se alguém verdadeiramente olha e vê a realidade da
escravidão das almas, e a realidade dos ciclos potencialmente infinitos dos gilgulim, ou
transmigração, eles conhecerão e entenderão a necessidade de zelo “evangélico”, não
apenas externamente, mas internamente oração e meditação. Da mesma forma, eles
saberão que a maior pregação do Santo Evangelho não está em palavras, mas está em
um nível energético, através de transmissões energéticas - Transmissão de Luz. É a
recepção do Espírito de Cristo, a Transmissão de Luz, que liberta almas, trazendo paz e
alegria e verdadeira realização. eles saberão e entenderão a necessidade de zelo
“evangélico”, não apenas externamente, mas internamente em oração e
meditação. Da mesma forma, eles saberão que a maior pregação do Santo Evangelho
não está em palavras, mas está em um nível energético, através de transmissões
energéticas - Transmissão de Luz. É a recepção do Espírito de Cristo, a Transmissão de
Luz, que liberta almas, trazendo paz e alegria e verdadeira realização. eles saberão e
entenderão a necessidade de zelo “evangélico”, não apenas externamente, mas
internamente em oração e meditação. Da mesma forma, eles saberão que a maior
pregação do Santo Evangelho não está em palavras, mas está em um nível energético,
através de transmissões energéticas - Transmissão de Luz. É a recepção do Espírito de
Cristo, a Transmissão de Luz, que liberta almas, trazendo paz e alegria e verdadeira
realização.

Aqui podemos lembrar que os tikkunim do Partzuf de Abba correspondem com todo o
espectro da Transmissão de Luz, e também podemos lembrar que os Partzufim
revelam incontáveis gradações de Transmissão de Luz Superna; daí o Continuum of
Light Transmission atingir todos os reinos, mundos e universos de Perud, o Entirety (ou
os campos da existência senciente).

A pregação do Evangelho, ou o jogo da Transmissão da Luz, em várias circunstâncias,


no entanto, requer sabedoria na sabedoria, e por natureza é um jogo da Louca
Sabedoria, que assume muitas formas, aparências, e que ocupa o que pode só se
chamam caminhos "não ortodoxos". A esse respeito, poderíamos contemplar a
pregação de Cristo nos reinos dos infernos, e considerar o que nos é ensinado nos
evangelhos gnósticos esotéricos sobre Cristo assumindo diferentes formas, ou
assumindo formas correspondentes àqueles a quem ele aparecia.

É verdade que, ao longo de nossas vidas, entramos em muitos espaços impróprios em


meio ao pecado, e neles entretivemos uma troca de faíscas com muitas e diversas
almas, algumas conexões contínuas, algumas conexões completamente novas. Ao
fazê-lo, porém, tendo formado tais conexões, assim como somos elevados e
despertados em Cristo, aqueles com quem temos conexões formadas estão sendo
elevados e despertados em Cristo, e serão elevados e despertados em Cristo. Quando
vivíamos no pecado, literalmente, era como se agíssemos como "agentes secretos" do
Messias e Shekinah do Messias, Asher-Asherah, secretos até para nós mesmos!

Assim, enquanto podemos falar de um alcance consciente em vários reinos, mundos e


universos através do nosso Corpo de Luz em Cristo, assim tem havido, e existem, esses
esforços inconscientes no que pode ser chamado de “Divina Insensatez”, o que
equivale a dizer Sabedoria, Sophia, agindo através da nossa loucura para trazer a
vontade de Deus. Isso não quer dizer que, tendo recebido o Espírito-Cristo, devemos
continuar com tanta tolice ou intencionalmente cometendo pecados, pensando que
estamos fazendo “bem”, Deus me livre! Isso seria um grave erro e não conseguiria
nada de bom; mas entendemos como o pecado não é mais pecado quando nos
arrependemos, ou reintegramos nossa alma com a Luz Sagrada, e percebemos nossa
justiça no Messias, nossa perfeição e plenitude inatas no Continuum de Luz, Yahweh,
Yeshua.

Aqui podemos dizer que enquanto um certo trabalho espiritual mediúnico pode ser
feito em culto carismático, trabalhando pela libertação de espíritos demoníacos e
arquônicos, esse trabalho espiritual mediúnico é muito imprudente até que tenhamos
progredido no Evangelho e amadurecido em Cristo. Se e quando, com habilidade,
empregarmos espíritos demoníacos e arquônicos para libertá-los, primeiro devemos
estar bem estabelecidos na paz e no amor de Cristo e na consciência de nossa
transcendência em Cristo, para além da consciência de nossa própria liberdade em
Cristo. Cristo, como vamos trazer qualquer outro espírito vivo ou alma para essa
liberdade, ou levá-los no Grande Êxodo?
Aqui voltamos ao que foi compartilhado acima sobre nossa intenção em nosso
trabalho por uma “ressurreição melhor”, pois é um trabalho em prol de nosso
empoderamento espiritual ser do maior benefício possível, uma capacidade crescente
de agir como co-redentores com o Messias Yeshua, ou para facilitar a iluminação real e
libertação de almas no Messias ressuscitado.

Toda esta peça de meios habilidosos em Transmissão de Luz é Asherah, é claro, e


quando nós pegamos essa dança com a Shekinah do Messias, ela é manifestada em
maior glória e poder, o reino dos céus sendo manifesto entre nós para todos os que
procurar entrar e permanecer nele; portanto, um verdadeiro Santo Santuário da Graça
Divina. Sob esta luz, talvez, poderíamos considerar como o Santuário Triplo de
Melquisedeque é a manifestação de Asherah, e como Asher-Asherah se manifesta no
santuário exterior, interior e secreto. Em cada dimensão do Santuário Santo, Asher é o
primeiro objeto de refúgio, e Asherah é o segundo e terceiro. Assim, no santuário
exterior, o Messias Yeshua corresponde a Asher, enquanto o Evangelho e a
Comunidade correspondem a Asherah e, no santuário interior, o Tzaddik ou Apóstolo
Sagrado corresponde a Asher, enquanto o Grande Anjo e a Noiva Sagrada
correspondem a Asherah, e no santuário secreto o Corpo da Verdade corresponde a
Asher, enquanto o Corpo de Glória e Corpo de Emanação correspondem com
Asherah. Em que o Espírito do Messias é transcendente a qualquer aparência,
enquanto Aserah é toda aparição, e todas as aparições do Messias, Asher pode ser
entendido como correspondendo com o Espírito do Messias, e Asherah pode ser
entendido como correspondendo com todo o Santo. Santuário em todos os níveis.

O Santuário Triplo representa ensinamentos esotéricos e metafísicos sobre o


verdadeiro Corpo Vivo de Cristo, na Primeira Vinda e Segunda Vinda, neste Mundo e
no Mundo vindouro; e podemos dizer que é a Árvore da Vida manifesta em cada
geração entre aqueles que têm gnosis do Cristo ressuscitado, Supernal Habad.

Como sabemos e entendemos, a salvação é incompleta no santuário exterior, pois a fé


não salva as almas, mas sim a gnose que traz a salvação plena. O veículo da
Transmissão de Luz e Habad (ou Verdadeira Gnose) é o santuário interior, e a
percepção de Habad é o santuário secreto, quando nós, nós mesmos, nos tornamos
um tsadic vivo envolvido na Transmissão de Luz completamente. Em comunidade, no
entanto, tendo recebido algo da Transmissão de Luz, recebendo o Espírito do Messias
e estando unido ao Corpo Vivo do Messias, mesmo antes do nosso amadurecimento
no Messias como um tsadic vivo, corretamente ligado ao Messias ressuscitado, Tzaddik
e Comunidade, e assumindo o culto carismático, o hitbodedut e as boas obras, ou
caridade, todos e cada um de nós é um veículo dessa Transmissão de Luz, uma
extensão do Corpo de Emanação.
Aqui deve ser dito, o Tzaddik Exterior e o Tzaddik Interior são uma e a mesma presença
de Luz e poder de Luz; portanto, um e o mesmo Espírito de Cristo. O propósito e
intenção do nosso Coração Tzaddik e Root Tzaddik é a realização do Tzaddik Interior, o
Messias que habita em nós.

Para encerrar, estou inclinado a compartilhar algo mais sobre os primeiros ciclos da
Segunda Vinda em que estamos vivendo. Os primeiros ciclos, como sabemos, são
retratados pela visão da Mulher de Luz em Apocalipse, e o que transparece após sua
aparição, enquanto os últimos ciclos são descritos como visão da Nova Jerusalém no
Apocalipse. Se estudarmos e contemplarmos o capítulo doze do Apocalipse, este é o
tempo em que estamos vivendo, e de acordo com esse ciclo das visões de São João,
junto com um influxo maior da Luz Sagrada, também há um influxo maior de
escuridão. e forças espirituais hostis; daí a visão de uma guerra nos céus e Satanás e
seus anjos lançados sobre a face da terra. Embora, de fato, estejamos vivendo nos
primeiros ciclos da Segunda Vinda, também é verdade que estamos vivendo em Kali
Olam, uma Idade das Trevas, e que há uma força cada vez maior de forças arquônicas
e demoníacas neste mundo; portanto, no trabalho de pregar o Evangelho da Segunda
Vinda, ou de engajar-se no jogo maior da Transmissão de Luz, há uma necessidade de
meios mais habilidosos à medida que nos deparamos com forças espirituais de
resistência e várias influências arquônicas e demoníacas. Há uma necessidade para
aqueles que sabem libertar os arcontes e demônios através de meios hábeis, pois eles
também devem ser libertos da ignorância.

Isso é suficiente para um dia.

Que todos os espíritos e almas viventes sejam elevados em Hayyah Yeshua e sejam
despertados em Asherah, a Shekinah do Messias. Um homem.

A paz esteja com você e que Deus te abençoe!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Yonah

# 37 Post Wed 4, 2012 5:59 pm
De fato, se encontrássemos um tsadic e uma comunidade vivos, e pudéssemos olhar e
ver nas dimensões mais sutis dentro e por trás da assembléia material, descobriríamos
que o tsadic sagrado tem muito mais discípulos entre os espíritos invisíveis e tais que
eles fazem neste mundo; o Corpo Vivo de Cristo manifesto com eles é muito maior do
que a aparente comunidade material.

Estou interessado em explorar a montagem invisível. Meu primeiro pensamento foi


que estes eram maggid e tzaddakim, mas ao reler os posts anteriores me faz perceber
que a assembléia poderia ser todo tipo de entidades invisíveis incluindo humanos
desencarnados, arcontes, divindades menores e até mesmo forças demoníacas - tudo
em um caminho de libertação. Eu acho isso fascinante e extremamente excitante
porque aponta ainda mais para os mistérios da iluminação e liberação de todos os
seres.

Se observarmos desta maneira quando o tsadic e a comunidade se reunirem e se


envolverem em discurso sagrado, em oração e meditação, cerimônia e adoração
sagradas, veremos que juntos eles estão constantemente elevando os espíritos vivos e
almas, trazendo salvação ou iluminação e libertação. Enquanto trabalhamos em nossas
práticas espirituais diárias, orando, meditando e realizando cerimônias sagradas, como
membros do Corpo Vivo, isso está acontecendo conosco todos os dias, o tempo
todo. Nós não praticamos a prática espiritual em Cristo somente para nossa própria
salvação, ou simplesmente para nossa maior ressurreição e ascensão, mas ao invés
disso fazemos para a salvação de todos, uma melhor ressurreição e ascensão para
todos (Kol). Desta forma, o nosso contínuo diário de prática espiritual é um trabalho
real de amor, um trabalho real na colheita de almas,

Eu não posso ouvir esse ensinamento o suficiente! A salvação pessoal, com pouca
consideração pelos outros seres, nunca fez sentido para mim. Eu compartilhei isso com
meus companheiros várias vezes para concentrar nossa intenção em círculo e
cerimônia. É tão emocionante saber que o que fazemos não é só para nós, mas para
muitos e muitos seres.

Todos os espíritos e almas vivos estão contidos em Elohim, e todos emanam de


Yahweh, cuja essência única está em Eheieh; todos estão em Elohim, todos estão em
Asherah, e na verdade, Elohim, Asherah, é manifesto como tudo, bem e mal, e mistura
- a plenitude de Elohim, Asherah, será realizada e realizada. Assim, os arcontes e seus
anjos, juntamente com forças negras e hostis, demônios, também serão redimidos,
iluminados no Messias.

Não sei por que não pensei nesse ensinamento dessa maneira. Eu ouvi isto e o conheci
através da discussão das Sefirot - mas eu não pensei nisso através dos nomes divinos -
não exatamente desta maneira. É mais poderoso do que eu poderia imaginar. Esses
ensinamentos sobre Asherah dão uma outra dimensão que torna tudo mais imanente -
mais parte de nossa experiência.
Shalom,
Yonah
EPS Coleta de Recolhimento
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Este mundo


# 38 Post Qui Jul 05, 2012 12:00 am
Shalom Todos!

Que ensinamento delicioso.

Como o bispo Yonah, estou intrigado com a contemplação da salvação universal. Ao


falar da Loucura Divina, Tau Malachi, estou ouvindo o desdobramento da matriz
cármica coletiva e as incontáveis almas com as quais poderíamos nos enredar em
muitas vidas. À medida que somos elevados, à medida que nosso padrão cármico
pessoal é liberado, aqueles com quem estamos conectados também experimentam
uma liberação nesses pontos transversais. E assim, à medida que experimentamos
uma crescente liberação, nossas relações através de muitas vidas também
experimentam uma liberação.

Vem à mente com seu ensino que 'nossas relações' não estão limitadas àqueles que
estão em encarnação física, mas também aos espíritos, demônios e seres angélicos
com os quais poderíamos ter conectado durante a construção de nosso padrão
cármico.

Louvor à nossa mãe!


Também é delicioso receber o ensino expandido no Santuário Tríplice. Obrigado e
obrigado pelo que parece ser uma flor que você plantou em seu post. A capitalização
das primeiras letras deste mundoidentifica nosso mundo como um vaso sagrado,
consertado, curado, elevado e glorificado, feito perfeito e completo, com a
Transmissão Superna completa manifestada. Este Mundo, mesmo com toda a
aparente tristeza e sofrimento, tornou-se um veículo adequado para receber o Messias
e a plena Transmissão da Luz Superna, e continua em sua evolução na Segunda Vinda,
tornando-se apto a receber influxos crescentes de Luz Superna! Elogie Ma, e muita
gratidão aos nossos trabalhadores, aos tzaddikim e maggidim e seus companheiros,
que trabalharam e continuam a fazê-lo geração após geração.

Que toda a Transmissão de Luz Superna seja recebida por este mundo em crescente
medida!

Sheryl
T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Uma árvore


# 39 Post Thu Jul 05, 2012 9:42 am
Shalom para todos vocês!

O que está sendo elaborado aqui inspira uma questão semelhante da natureza não-
dual de Asherah, como a Shekinah do Messias está envolvida com tudo, é tudo da luz
Superna e da vida escondida dentro do conhecimento do processo do bem e do mal.

Recentemente, Tau Malachi lembrou em nosso estudo sobre o Zohar a distinção entre
as duas árvores no Jardim do Éden: "Fora do solo, o Senhor Deus fez crescer cada
árvore que é agradável à vista e boa para a comida, a árvore de vida também no meio
do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal. " (Gênesis 2: 9) A Árvore da
Vida é Supernal, enraizada em Imma-Binah; A Árvore do Conhecimento do Bem e do
Mal é a totalidade, enraizada no Da'at.

Os Rabis postulam "E a árvore do conhecimento do bem e do mal. Por que isso é
chamado assim? Não está no meio. Mas o que o conhecimento do bem e do
mal significa? Já que chupa os dois lados e os conhece como se fossem um bebê doce
e amargo, já que se amamenta dos dois lados, conhecendo-os e habitando entre eles,
é assim chamado. (Zohar 1: 35a)

Já ouvi falar que não há duas árvores, mas uma, a distinção sendo a visão de quem
está se aproximando. Chava e Adam já estavam no mais sutil estado de separação por
terem visto a Árvore como o Da'at do Bem e do Mal e caído. Isto não é totalmente
retificado até a recepção do Messias ressuscitado por Lady Miryah, de quem nós
também devemos receber a mesma Presença Viva: Asher.

Como ela poderia ter chegado àquele momento no túmulo vazio, além de sua descida
no conhecimento do bem e do mal? Como nós também, além de nossa experiência da
mesma Árvore na dualidade? Estou ouvindo ainda outra nuance da Árvore da Vida,
Asherah, como a Supernalidade escondida dentro da experiência espiritual e material
da separação? Estamos discutindo Asherah reconhecido e realizado pela mesma
Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal?

Com gratidão, o

Élder Gideon +
Última edição por Elder Gideon em Qui 05 de julho de 2012 17:35, editado 1 vez no
total.
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Sentimentos de falta


# 40 Post 5 de julho de 2012 15:15
Shalom Elder Gideon!

Em seu ensinamento, estou ouvindo que esse estado sutil de separação


experimentado por Adão e Eva causou sentimentos, ou ilusão, de falta a surgir - que a
percepção da Árvore Única como Duas Árvores surgiu por causa da ilusão da falta ou
do desejo de tem o que eles acreditavam que eles já não tinham.

Ah! É como se eu estivesse vendo isso de novo, Louvado seja!


A ilusão da falta muda nossa percepção de modo que, em vez de Unidade e Vida,
vemos separação e morte. Assim, a percepção ou crença que nos falta ou que não
podemos ter é o que dá origem à percepção da dualidade, o desejo por aquilo que
sentimos que nos falta e, consequentemente, ao pecado.

Isso dá maior significado à admoestação de Yeshua em João 12:

Quem acredita em mim, não acredita em mim, mas naquele que me enviou. E quem
me vê, vê aquele que me enviou.

O Mestre não está falando de crença em abundância em vez de falta, igualando-a à


nossa percepção?

Obrigado Elder Gideon, por estimular essa contemplação.

Que todos os seres sejam libertos da ilusão da falta!

Com gratidão,

Sheryl
T
o
p
o
Joyce

Árvore do bem e do mal


# 41 Post Fri 6 de julho de 2012 10:34
Obrigado a todos por essas sementes maravilhosas!

O significado da Árvore do Bem e do Mal sendo necessário no caminho da realização é


muito potente e intrigante:

"Eu ouvi há muito tempo que não há duas árvores, mas uma, a distinção sendo a visão
de quem está se aproximando. Chava e Adão já estava no estado mais sutil de
separação por ter visto a Árvore como o Da'at do Bem e do Mal e caído, o que não é
totalmente retificado até a recepção do Messias Ressuscitado pela Senhora Miryah, de
quem nós também devemos receber a mesma Presença Viva: Asher.

Como Ela poderia ter chegado naquele momento ao sepulcro vazio, além de sua
descida no conhecimento do bem e do mal? Como deveríamos nós, além de nossa
experiência da mesma Árvore na dualidade? "

Posso estar enganado, mas de repente ouço que o Daat do Bem e do Mal, ou positivo
e negativo, faz parte de tudo o que se manifesta neste Plano de Sementes e, na
realidade, existe uma grande árvore. Talvez essa dualidade que se manifesta na
multiplicidade seja a função de Asherah no grande terreno de nossa manifestação,
necessária para nossas flores.

Isso me lembra a parábola do joio entre o trigo em Matt. 13: 24-30. As ervas daninhas
foram semeadas enquanto dormíamos. O servo perguntou ao Mestre se deviam ir
colher as ervas daninhas, e a resposta dele foi: "Não, porque ao coletar as ervas
daninhas você arrancaria o trigo junto com elas".

Em gratidão,
Joyce
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Uma árvore sagrada, um mundo sagrado


# 42 Post sex 6 de julho de 2012 11:15
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

Há algo que o Espírito Mãe me inclina a compartilhar em relação a Este Mundo e o


Mundo-Para-Vem.

Este Mundo corresponde à Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, e o Verbo-a-


Vem corresponde à Árvore da Vida. Isso se reflete no Apocalipse, na visão da Mulher
de Luz e no que acontece quando ela aparece, e na visão da Nova Jerusalém, com a
Árvore da Vida em seu meio; de alguma forma, porém, devemos entender que Este
Mundo é o veículo para a realização do Mundo-Para-Vem, e entender que, de fato,
eles são inseparáveis um do outro, assim como na verdade existe uma Árvore Sagrada.

Se olharmos para Este Mundo, vemos que por natureza há uma peça de Misericórdia e
Julgamento nele, e então há um jogo de luz e trevas, bem e mal, e quando há um
influxo de Graça Superna, ou existe um maior derramamento do Espírito do Messias,
então há uma manifestação de Misericórdia e Juízo, maior luz e maior escuridão, maior
bem e maior mal.

Se olharmos para o Mundo-Para-Vem, vemos que não há Julgamento nele, ou nenhum


julgamento como nós conceberíamos de julgamento, mas sim, há pura Clemente
Superna, Superna Graça, pois por natureza não há dualidade em o Mundo-Para-Vem, e
assim há somente a Luz Superna, o que é bom e verdadeiro, justo e santo, não há
escuridão ou mal no Mundo-Para-Vem.

Na Cabalá, Misericórdia corresponde ao Nome de Yahweh e o Julgamento corresponde


ao Nome de Elohim, e, com efeito, o Nome de Yahweh e Elohim estão divididos neste
Mundo, o jogo de Misericórdia e Julgamento sendo distinto dentro dele. A unificação
da Misericórdia e Julgamento, no entanto, ou melhor, a cessação ou suspensão do
Julgamento, corresponde ao Nome de Yahweh Elohim e, portanto, no Mundo-Para-
Vem, Yahweh e Elohim são indivisos, unidos como um Santo Nome; portanto, o louvor
das criaturas vivas em Apocalipse da tríplice santidade de Yahweh Elohim Shaddai, o
"Senhor Deus Todo Poderoso".

Isso se reflete em uma oração tradicional: “Oramos por aquele dia em que Você
(Yahweh) e Seu Nome (Elohim) são um na face da terra.” Esta é uma oração para a
realização do Mundo-Para-Vem, Consciente de que Este Mundo é o veículo para essa
realização espiritual, o alvorecer da Consciência Messiânica (Consciência Gnóstica Não
Dupla).

Agora, Este Mundo corresponde à Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, e há


uma peça de Misericórdia e Julgamento nele, o poder de Yahweh e Elohim,
respectivamente; e assim há um grande conflito de forças espirituais neste Mundo, um
conflito de luz e trevas, bem e mal e mistura. Como São Filipe nos ensina, neste mundo
o que muitas vezes é chamado de bom não é bom, e o que é freqüentemente
chamado de mal não é mal, e muitas vezes no meio da adoração a Deus não é Deus
que está sendo adorado aqui em Este mundo, mas é o demiurgo, a ignorância, que é
adorado. A própria natureza deste Mundo é que ele é dominado pela ignorância,
trevas, e há grande confusão, grande esquecimento, e, portanto, há muito mal que é
feito neste mundo; enquanto há grande beleza nisso, também há grande horror,
perigo!

Há algo a ser dito sobre o conhecimento do bem e do mal, e da grande escuridão, a


ignorância, que domina este mundo; Através do conhecimento do bem e do mal,
aprendemos a discernir entre o bem e o mal, e o poder do livre-arbítrio é ativado em
nós para que, vendo o bem, possamos escolher o bem e apegar-nos ao bem, deixar o
mal passar e desaparecer. como o irreal, falso. Ainda mais, nessa grande escuridão
domina este mundo, como escolhemos o bom (Deus) e lutamos pelo bem neste
mundo, há uma resistência muito poderosa, pressão, estresse, que refina, aprofunda e
fortalece as almas à medida que individualizam e evoluir para que possam entrar em
uma união plena e consciente com o universal e o divino sem a perda da
individualidade; daí a realização de Eheieh, o Divino Eu Sou.

Aqui devemos lembrar que existem faíscas de santidade, faíscas da Verdadeira Luz,
dentro de todos os seres sencientes, todas as criaturas, incluindo os arcontes e seus
anjos, e Satanás e seus anjos (demônios), e que em Hayyah Yeshua, o Messias
ressuscitado, todas as centelhas de santidade devem ser reunidas no Pleroma de Luz, e
reintegradas com o Continuum de Luz - nenhuma centelha, nenhuma energia será
perdida, mas todas serão atualizadas e realizadas, e tão elevadas no Messias. Neste
processo de coleta de faíscas, é claro, há um jogo de meios habilidosos, liberação
através da pacificação, enriquecimento, subjugação e destruição; portanto, liberando e
retendo, ou misericórdia e julgamento. Se e quando há julgamento, porém, é
misericórdia, ou compaixão ativa, pois neste jogo de julgamento e misericórdia a
intenção é a iluminação e libertação de todos,

Agora há um grande mistério a ser falado. Ouça e ouça e entenda! Nós dissemos que
não há julgamento no mundo vindouro, e dissemos que a Árvore da Vida corresponde
ao Mundo-Para-Vem; mas Este Mundo é fundado sobre o jogo da Misericórdia e do
Julgamento, e corresponde à Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Da mesma
forma, dissemos que existe uma Árvore Sagrada, e se isso é verdade, então neste
Mundo é possível vislumbrar o Mundo-Para-Vem. Certamente sim!

Olhe e veja, e saiba! O Mundo-Para-Vem aparece como o Messias Ressuscitado, de


modo que contemplando o Messias ressuscitado, e adquirindo o Habad do Messias
Ressuscitado, nós vislumbramos o Mundo-Para-Vem neste Mundo. O que isto
significa? Se eu contemplar o Messias ressuscitado, e tiver o Da'at (Conhecimento) do
Messias ressuscitado, então eu sei e entendo que tudo que acontece é a manifestação
da Infinita Misericórdia de Deus, que tudo o que acontece é a vontade de Deus, e é
para o melhor e, portanto, se uma aparência de misericórdia ou julgamento,
circunstâncias auspiciosas ou inauspicious, bênção ou maldição, é tudo a mesma coisa
para mim. É a misericórdia de Deus, a graça de Deus, iluminando e libertando minha
alma! Hallelu Yah!

Nisto podemos contemplar o sábio ensinamento de São Tiago, que fala tão bem esta
verdade no Da'at do Ressuscitado:“Meus irmãos e irmãs, sempre que enfrentam
provações de qualquer espécie, considerem isso apenas alegria, porque sabem que o
teste de sua fé produz perseverança e permitem que a perseverança tenha seu efeito
pleno, para que você seja maduro e completo, carente nada ” (Tiago 1: 1-4).
Se e quando não há diferença entre Misericórdia e Julgamento, mas tudo é a
Misericórdia de Deus para nós, e tudo é para o melhor, ou para nosso benefício
espiritual, nossa realização espiritual no Messias, nesse mesmo instante nós
unificamos o Nome. de Yahweh e Elohim, e nós vislumbramos o mundo a vir neste
mundo!

Se e quando isto é verdade, então corretamente proclamamos: “Tu e o teu nome são
um na face da terra, neste dia! Hallelu Yah!

Esta unificação de julgamento e misericórdia, ou unificação de Elohim e Yahweh, é no


Shema nós cantamos: Shema Israel, Yahweh Elohenu, Yahweh Achad, "ouça o Israel, o
Senhor é você Deus, o Senhor é um." Yahweh Elohenu nós pode ouvir como Yahweh
Elohim, e quando nós cantamos Yahweh Achad como pode ouvir Yahweh Elohim é Um,
ou Misericórdia e Julgamento são Um, o mesmo - toda a misericórdia; daqui, “Yahweh
Achad!”

No Shema nós proclamamos esta consciência que se uma aparência de Misericórdia ou


Julgamento, é tudo Misericórdia Superna, Graça Supernal.

Se e quando esta realização for incorporada integralmente, neste Mundo nós


experimentamos o Mundo-Para-Vem, e há uma Árvore Sagrada, um Mundo Sagrado -
Este Mundo se torna sagrado e sagrado como é, todos erguidos no Messias
ressuscitado, tudo realizado em Asherah, o Shekinah do Messias.

Deve ser dito, no entanto, que nesta consciência sagrada não há negação da
manifestação ou movimentos do Julgamento, ou das provações e tribulações que
vêm; quando há um movimento de Misericórdia há uma consciência de Misericórdia e
quando há um movimento de Julgamento há consciência do Julgamento. Nos
movimentos do Julgamento, porém, conhecemos e compreendemos a Misericórdia de
Deus, a Sabedoria de Deus, e assim para nós não há Juízo, somente Misericórdia, e é
bom, recebido com alegria.

Isto não é um conceito, nem um sentimento vital, mas se torna nossa experiência no
Messias, e na Shekinah do Messias, Asherah.

Cientes de que estamos vivendo nos estágios iniciais da Segunda Vinda de Cristo em
Glória, e conscientes de que a Segunda Aparição de Cristo começa no ventre de uma
Idade das Trevas (Kali Olam), a consciência da peça da Misericórdia e do Julgamento
no A sabedoria de Deus é mais importante, é crucial, pois, como vemos na visão da
Mulher de Luz em Apocalipse, e o que acontece quando ela dá à luz, sabemos que há
maiores provações e tribulações antes da Idade de Ouro ( Ou Olam) na fruição da
Segunda Vinda. Assim, quando houver uma aparência de um jogo mais radical de
Julgamento e Misericórdia, permanecendo em nossa fé e conhecimento do Messias,
nós permaneceremos e seremos vitoriosos no Messias - o “Dia do Julgamento” não
será um julgamento para nós.

Aqui podemos dizer, a crescente escuridão neste mundo, e os maiores movimentos de


julgamento que estão vindo neste mundo, estes, na verdade, são as dores da mulher
de luz, a rainha do céu, Asherah, dando à luz messiânica Consciência em um segmento
maior da humanidade coletiva - é tudo por causa do despertar das almas e sua
reintegração com o Continuum de Luz, ou unificação consciente com Yahweh, a
realização de Yeshua ("Yahweh entrega").

Existe um segredo aberto para ser falado. Todo o Livro do Apocalipse (Apocalipse) e
tudo o que acontece nele, a Misericórdia e o Julgamento, a Luz e as Trevas, a Beleza e
o Horror - é toda a manifestação de Asherah, Elohim, sendo elevada à unificação com
Asher, Yahweh; daí a realização de Yahweh Elohim, Shaddai.

Aqui, talvez, possamos nos lembrar de um dos significados de Shaddai, o “Breasted


One”. Nisto podemos conhecer e compreender a íntima conexão entre o Nome de
Shaddai e o Nome de Asherah. Podemos também lembrar que no Zohar Asher
corresponde a Yesod, e o Nome de Shaddai corresponde a Yesod na Cabala, e assim
também o conhecimento da Sabedoria de Deus em Misericórdia e Julgamento, ou a
unificação de Misericórdia e Julgamento, corresponde com Da 'em-Yesod.

É preciso dizer que quando falamos das maiores provações e tribulações que estão por
vir, não é com “desgraça e melancolia” que falamos, nem qualquer alegria na grande
tristeza e sofrimento de muitos; mas sim, é com uma visão de esperança, a Mulher de
Luz e Nova Jerusalém, e o Messias ressuscitado, e a compreensão deste conflito do
Bem e do Mal, e este jogo de Misericórdia e Julgamento, como integral e necessário
para o Grande Ascensão, a grande libertação.

O ponto culminante do Nome Shaddai, Dai, significa “suficiente” e, por hoje, isso
parece ser o suficiente para mim, então estou inclinado a parar e esperar o Espírito
Materno em silêncio e repouso.

Que a plenitude de Asher-Asherah seja realizada entre nós, e que a Luz da


Verdadeira Cruz (Shin Tau) brilhe sobre todos, elevando todos na Grande
Ascensão. Um homem.

Paz seja convosco, e que o Senhor Asherah te abençoe!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Jon

Ramos sagrados de Asher-Asherah


# 43 Post Dom Jul 08, 2012 7:55 pm
Shalom Tau Malachi, Irmão e Irmãs,

Vocês todos compartilharam muitas intrigantes percepções e profundos ensinamentos


sobre Asher-Asherah, e eu agradeço por tudo o que foi revelado neste discurso até
agora. Parece que novos aspectos maravilhosos do meu ser se desdobraram por causa
deles. Realmente, obrigado por estes tesouros.

Um dos ensinamentos aqui compartilhados que particularmente impressiona é o


Grande Tikkun dos Olamot e Partzufim, como o tikkun (im) dos Partzufim pode ser
encontrado no tikkun (im) dos Olamot: como o tikkun de Nukva é encontrado no
tikkun de Asiyah, de Zer Anpin em Yetzirah, de Imma em Beriyah, e de Abba em
Atzilut.

O que eu estou querendo saber é: como o Netivot Sagrado joga nos tikkunim dos
Mundos (Olamot), Partzufim e Sefirot?

Minha contemplação começa assim: Tudo começa com o relacionamento - desde o


desejo de relacionamento, até o cumprimento do relacionamento. O Santo desejava
(desejos) estar em relação: relacionamento que abrange todos os sefirot, partzufim,
universos (olamot) ... basicamente tudo o que abrange os reinos de Yichud e Perud. O
Netivot Sagrado parece ser uma chave integral que liga todos esses ensinamentos, e
assim o entendimento de um dos tikkunim implicava; porque se é tudo sobre
relacionamento, então o que estamos vendo no tikkunim do partzufim e do olamot é
algo maravilhoso acontecendo na cura, na restauração, na transformação de todos
esses relacionamentos e inter-relacionamentos uns com os outros. De fato,

Para continuar, isso também se liga a outros ensinamentos encontrados neste fórum
que descrevem a relação entre o Netivot e Sefirot como o mesmo entre o Logos e
Sophia, ligando assim o Messias e o Reino de outra forma relevante, revelando assim
algo mais a se desdobrar. sobre os ensinamentos de Asher-Asherah.

É como se o Santo Netivot fosse os ramos da Árvore da Vida, ramos que se estendam
do Coração da Árvore, até mesmo os "ramos como raízes" que interligam a Árvore
(Asher) a todas as outras árvores (Asherah), talvez mesmo apontando para mistérios
ocultos relacionados à Árvore Composta da Vida.

Mesmo mais, se alguém desdobra o ensinamento de que todas as Sefirot podem ser
encontradas em cada Sefirah, então também, descobre-se que até mesmo todos os
Netivot podem ser encontrados em cada Sefirah!

Antes de me desdobrar mais do que está surgindo, estou me perguntando primeiro se


estou no caminho certo com essas contemplações iniciais. O que eu estou esperando,
e começando a sentir, é uma maneira potencialmente muito sólida que alguém pode
continuar a praticar e praticar os ensinamentos sobre Asher-Asherah sendo
compartilhados neste discurso.

A gnose dos Sagrados Ramos da Grande Árvore - Asher-Asherah - estende-se ...


interconectando Acima e Abaixo, curando-restaurando-transformando todos os
aspectos de nosso Ser-n-Tornando-se ... assim acelerando a Segunda Vinda, com
Através de, e como o Ressuscitado, o Messias Hayyah Yeshua ... Amém

~ irmão j ~
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

O Coração Imensurável do Sacerdote-Rei


# 44 Post seg Jul 09, 2012 11:00 am
Shalom queridos amigos.

Que beleza está surgindo nesses ensinamentos! Louvor e gratidão a Yahweh Elohim
pelo falar desses mistérios.

Podemos dizer que há uma conexão aqui entre a Árvore Sagrada e o Coração
Imensurável do Rei-Sacerdote? Este coração infinitamente espaçoso é um reflexo da
Única Árvore Sagrada deste Mundo?

Eu também estou ouvindo Asherah e a União da Mãe-Noiva, embora a dualidade possa


assumir um número infinito de expressões neste Mundo.

A Profundidade do Fim e a Profundidade do Mal vêm à mente, a União desses dois


infinitos. Certamente, a profundidade do início e a profundidade do bem também
estão em jogo. Talvez algo possa ser dito para alimentar essa contemplação?

Jon, é bom te ver no fórum!

Ao contemplar o desejo de relacionamento, estou ouvindo o jogo dos desejos de dar e


receber.

E se considerarmos a liberação como a união da plena oferta de Deus com a plena


oferta de si mesmo, então talvez possamos dizer que as gradações deste dar e receber
se relacionam com o Netivot.

Eu estou ouvindo o Messias e o Padrão-Que-Conecta.

Que o mundo a vir pisque cada vez mais a consciência da humanidade!

Sheryl
T
o
p
o
Yonah

# 45 Post seg Jul 09, 2012 4:38 pm
Saudações e Bênçãos em nome de nosso Adonai, Yeshua!

Agora há um grande mistério a ser falado. Ouça e ouça e entenda! Nós dissemos que
não há julgamento no mundo vindouro, e dissemos que a Árvore da Vida corresponde
ao Mundo-Para-Vem; mas Este Mundo é fundado sobre o jogo da Misericórdia e do
Julgamento, e corresponde à Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Da mesma
forma, dissemos que existe uma Árvore Sagrada, e se isso é verdade, então neste
Mundo é possível vislumbrar o Mundo-Para-Vem. Certamente sim!

Eu estou continuamente impressionado com a simplicidade e beleza da Cabalá. A


Árvore da Vida e a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal são a mesma
árvore. Assim, este mundo e o mundo a começar são o mesmo lugar. É a consciência
que define a barreira entre os dois - nossa visão do mundo e se estamos em um sonho
ou acordados. A dualidade é o que nos liga na ignorância da separação e da unificação
é a cessação do fazedor ao despertarmos para a absoluta unidade completa de tudo -
até Misericórdia e Julgamento.

Devemos realmente ouvir e ouvir, ver e ver.

Muito obrigado por este ensinamento porque é exatamente o que eu preciso ouvir
agora.
Shalom, Yonah
Shalom,
Yonah
EPS Coleta de Recolhimento
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Tikkune através da Palavra e Discurso Justo


# 46 Post Ter Jul 10, 2012 11:33 am
Saudações e bênçãos na Luz do Messias!

O tikkunim do Partzufim é a realização do Mundo-Para-Vem, e o veículo desse tikkune


é Este Mundo - portanto, o Mundo-Para-Vem representa a fruição do tikkune de
criaturas e criação, a reparação, conclusão e cumprimento da criação de acordo com
Ratzon Elyon, a Vontade do Altíssimo.

Como sabemos, shiverat ha-kelim, a quebra dos vasos, de Olam Ha-Adam Kadmon, o
Universo do Ser Humano Primordial, leva à geração dos Partzufim e Nomes de
Deus; daí, Olam Ha-Atzilut, o Universo da Emanação, ou Mundo das Sefirot
propriamente dito. Uma vez geradas, no entanto, as Sefirot de Atzilut também se
quebram e se quebram, e assim Beriyah surge, e as Sefirot de Beriyah são destruídas, o
que leva à formação de Yetzirah, e com a quebra das Sefirot de Yetzirah, então Asiyah
vem em ser, as Sefirot de Asiyah também se despedaçando. Cada Olam-Universo surge
para o tikkune daquele que o precede, mas as Sefirot de cada Olam, por sua vez,
fraturam e quebram, e os fragmentos dos vasos quebrados, Sefirot, ou suas faíscas
sagradas, ficam amarrados em klippot, e na escuridão e no caos da matéria, o universo
material. Tikkune, a correção, reparo, restauração, conserto ou cura das Sefirot e
Olamot é a reunião, elevação e reintegração desses fragmentos, ou faíscas sagradas,
no Continuum de Luz (Yahweh, Yeshua), e especificamente, no Ser Humano. de Luz, o
Messias, que é Adam Kadmon despertou, percebeu.

Basicamente falando, todas as Sefirot de todos os Olamot devem ser consertadas, o


que quer dizer realizado, completado, e em sua realização, ou conclusão, elas devem
ser elevadas e unificadas, reintegradas com as Sefirot do Olam superior e interior, do
qual eles emanaram. Este processo é refletido no Livro do Apocalipse (Apocalipse)
pelos sete selos, sete trombetas e sete taças, que representam as sete Sefirot da
Construção de Asiyah, Yetzirah e Beriyah, respectivamente; como ensinado em
Apocalipse, as klippot, ou emanações impuras, nas quais as faíscas estão ligadas
devem ser quebradas e transformadas, as faíscas da santidade sendo extraídas delas e
elevadas na Grande Ascensão, e reintegradas com o Pleroma da Luz, o Reino de Yichud
(Adam Kadmon-Atzilut).

Aqui podemos compartilhar um segredo aberto. Este Mundo, e os reinos e mundos


dentro e por detrás dele, e que são coexistentes com ele, material, astral e espiritual,
corresponde ao Reino de Perud (Asiyah-Yetzirah-Beriyah), e o Mundo-Para-Vem
corresponde com o Reino de Yichud (Adam Kadmon-Atzilut); daí o Mundo-Para-Vem
corresponde ao corpo de Adam Kadmon (Atzilut) realizado. Como sabemos e
entendemos, e discutimos em nossas contemplações anteriores da “purificação do
templo” em outros lugares, o tikkune das Santas Sefirot e Olamot, e a realização do
Corpo de Adam Kadmon, ou o despertar de Adam Kadmon, está em o aparecimento de
Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado; Quando o Messias Ressuscitado aparece e é
revelado, e a Transmissão da Luz Suprante é recebida e encarnada, o tikkune deste
Mundo é realizado, e o mundo a vir se manifesta. Contudo, embora isto seja verdade
da perspectiva de Yichud, o reino eterno, este processo e trabalho de tikkune, a
realização de todos no Messias ressuscitado, está em andamento dentro de Perud,
Este Mundo, e aqui e agora está transpirando através de nós, e através de todos que
recebem o Espírito do Messias e que são ungidos com a Luz Superna. O movimento do
maior tikkunim está na Segunda Vinda de Cristo, e a conclusão do tikkunim está na
fruição da Segunda Vinda, que é representada pela visão da Nova Jerusalém no
Apocalipse. e através de todos que recebem o Espírito do Messias e que são ungidos
com a Luz Superna. O movimento do maior tikkunim está na Segunda Vinda de Cristo,
e a conclusão do tikkunim está na fruição da Segunda Vinda, que é representada pela
visão da Nova Jerusalém no Apocalipse. e através de todos que recebem o Espírito do
Messias e que são ungidos com a Luz Superna. O movimento do maior tikkunim está
na Segunda Vinda de Cristo, e a conclusão do tikkunim está na fruição da Segunda
Vinda, que é representada pela visão da Nova Jerusalém no Apocalipse.

Aqui e agora estamos vivendo nos estágios iniciais da Segunda Vinda, como descrito na
visão da Mulher de Luz, e o que transparece com sua aparência, e trabalhamos por
uma evolução consciente em direção à Nova Jerusalém, a realização da Vir.

Para não perder o fio desta discussão, que são os mistérios de Asher-Asherah como o
Messias e Shekinah do Messias, Asher-Asherah é a realização progressiva do Mundo-
Por-Vem neste Mundo, o que significa dizer que o progressivo trabalho da Grande
Transformação e Grande Ascensão. Em um nível, a este respeito, o Mundo-Para-Vem
corresponde a Asher, e sua realização neste Mundo corresponde a Asherah, e como
Este Mundo é o veículo da realização, conclusão, assim Asherah (Elohim) é o veículo da
realização. , pois ela é Este Mundo e o Mundo-Para-Vem, ou Malkut de Atzilut
corporificados e manifestos.

Agora, em termos de shiverat ha-kelim, a quebra dos vasos, há um segredo mais


profundo, um mistério esotérico mais profundo a ser falado, e ao orarmos, Ruach Ha-
Kodesh, o Espírito Santo, abre nossos corações e mentes e presentes nos com
conhecimento e compreensão do mistério. Que assim seja - Amém e Amém!

Primeiro, há um segredo aberto no Sefer Yetzirah, ou melhor, o texto sagrado


associado a ele, intitulado “Os Trinta e Dois Caminhos da Sabedoria” (Lev-Bet Netivot
Ha-Hokmah); neste texto sagrado as Sefirot (Vasos) e Netivot (Caminhos) são todos
chamados Netivot. Se isso é verdade, então, ao falar sobre shiverat ha-kelim, ou a
quebra de Sefirot, também é a quebra de Netivot.

Ouça e ouça e entenda! O Netivot corresponde ao Otiyot, as Cartas Sagradas, e Adam


Kadmon é o “universo primordial das letras”, e como sabemos, os Otiyot compõem os
Nomes de Deus e formam os Partzufim, e eles compõem a Sagrada Torá e o Evangelho,
sobre os quais toda a criação é fundada, e as inteligências de energia primordiais e
cósmicas que eles representam formam todas as coisas na criação, todos os seres
sencientes e todos os reinos da existência senciente (todas as criaturas e todos os
mundos). O Netivot, ou melhor, o Otiyot, é a matriz das forças espirituais primordiais e
cósmicas, ou inteligências energéticas, sobre as quais a grande matriz da criação é
fundada, e sobre a qual tudo o que aparece e transpira na criação é fundado; portanto,
toda a criação que surge das declarações de Deus (Elohim), ou da Palavra Viva de Deus.

Essa quebra, basicamente falando, é uma reorganização ou reconfiguração das Cartas


Sagradas de sua ordem primordial e ordem superna, e nesse rearranjo ou
reconfiguração está a geração, criação, das Sefirot e Olamot inferiores e externas. Em
cada nível há uma Ordem Sagrada das Cartas-Otiyot correspondentes a Ratzon Elyon, a
Intenção Divina, mas na ruptura dos vasos de alguma forma os Otiyot tornam-se
desordenados, o que equivale a dizer que eles se manifestam em uma ordem diferente
daquela de Ratzon Elyon. Esta é a geração do klippot, as forças e reinos arquônicos e
demoníacos, e é a geração do pecado e da morte, as faíscas sagradas se ligando em
klippot e nas trevas e caos da matéria.

Tudo em toda a criação, em todos os níveis, seja divino, arquônico ou demoníaco, é


formado por uma combinação das inteligências energéticas representadas pelas
cartas-otiótas; daí os “nomes” para todas as coisas. Em uma ordem, em um arranjo, as
letras podem formar o nome de algo divino, ou justo, o que equivale a dizer algo que
está de acordo com a Intenção Divina, mas em outra ordem elas podem formar algo
arquiônico, misturado ou demoníaco, maligno ou injusto. Elas podem ser as mesmas
letras, mas na formação das palavras em uma ordem elas são boas e verdadeiras, a
expressão da Intenção Divina, enquanto em outra ordem elas não são boas e não são
verdadeiras, e não expressam a Intenção Divina.

Este mesmo princípio se estende desde o ordenamento de letras até a ordenação de


palavras e a formação de sentenças, “proferimentos”. O que é bom e verdadeiro pode
ser falado, comunicado e manifestado, ou o que não é bom e falso pode ser falado,
comunicada e manifesta, ou, como é frequentemente o caso na fala não esclarecida,
pode haver uma mistura do que é bom e não bom, ou verdade e falsidade, e assim a
comunicação e manifestação correspondentes são misturadas, impuras.

Deus, Elohim, fala criação em ser, e então nós, e nossos irmãos mais velhos, os anjos
de Deus, como co-criadores estão falando na terra e no céu, e estão falando criação
em estar com Deus, seja falando de acordo com o vontade de Deus e nosso verdadeiro
ser como somos em Deus (Asher), ou falando de acordo com alguma outra inclinação,
alguma outra vontade e desejo. Quando falamos, vivemos de acordo com a vontade de
Deus e nosso verdadeiro ser em Deus (Asher), então a Shekinah de Yahweh, Asherah, é
manifestada, mas quando falamos de acordo com alguma outra vontade e desejo,
então o klippot de Malkut é manifesto, Lilith.

Em Apocalipse esta é a distinção entre a Mulher de Luz e a Prostituta da Babilônia, e


podemos ler Shekinah e Lilith, ou melhor, Asherah e Lilith.

Aqui o óbvio deve ser dito: Com o livre-arbítrio, ou melhor, a liberdade de expressão,
há responsabilidade e conseqüência, pois conforme desejarmos, e falarmos, as
realidades de nossa experiência serão formadas! Sob esta luz, como nos ensina São
Tiago, somos sábios para dominar nossa língua ou dominar nosso discurso!

Agora, o Messias ressuscitado é chamado de “Alfa e Ômega”, o que significa Alef e Tau
- esta é a ordem primordial das Cartas-Otiyot, e como sabemos, o Messias é chamado
a Palavra de Deus, que corresponde com o celestial. ordem do Otiyot; assim, no
Adonai Messiah, a Sagrada Ordem de Otiyot, de acordo com Ratzon Elyon, é
corporificada e manifesta, e assim revelada. Nisto temos discernimento sobre o
caminho de tikkune em todos os níveis, é o rearranjo, reordenamento, das cartas-
otiótas que compõem tudo na Ordem Sagrada que expressa a Intenção Divina, a
vontade de Deus, tudo se manifestando como Deus ordena.

É exatamente assim que o tikkune de todos é realizado em Hayyah Yeshua, o Messias


ressuscitado - no Messias ressuscitado, a verdade e realidade de todos como é em
Deus é corporificada, falada pelo Espírito de Deus (o Espírito de Deus).
Messias)! Hallelu Yah!

Aqui podemos falar um segredo aberto: Escutar e ouvir o Santo Evangelho, e receber o
Evangelho, é ouvir e ouvir a verdade e realidade de todos como é em Deus, e receber o
Santo Evangelho, nós devemos pregar o Evangelho isto é, devemos dizer que a
verdade e a realidade se tornam, falando, vivendo, como Deus quer; Desta forma,
somos co-pregadores e co-redentores com Yeshua Messiah, cooperando para o
tikkune de toda a criação.

Asher corresponde com a Palavra de Deus, que é a Vontade de Deus, e Asherah


corresponde com a Voz e a Boca falando a Palavra de Deus, representando a Vontade
do Deus Altíssimo (El Elyon, Eheieh).

Quando estamos falando do rearranjo, reordenando, de Cartas Sagradas de acordo


com a Vontade Divina, estamos falando do relacionamento das Santas Sefirot e
Netivot, ou o relacionamento correto de todas as coisas com Deus, a Luz Verdadeira.

Se contemplarmos o Nome Essencial de Deus, Eheieh Asher Eheieh, nesse contexto, a


primeira Eheieh é o potencial, a Palavra como o Pensamento da Vontade, e a segunda
Eheieh é a atualização, a Palavra Falada; e assim Asher é o único que fala, e Asherah é
o falar do justo (Tzaddik).

Podemos falar dos tikkunim do Santo Partzufim de uma maneira simples, ou melhor,
de um modo geral. O tikkune de Nukva está em oração e adoração carismática ou
talentosa. O tikkune de Zer Anpin está no discurso sagrado, na transmissão de novos
ensinamentos e interpretações da Santa Torá e do Evangelho, especificamente nas
revelações contínuas do Evangelho. O tikkuna de Imma está na verdadeira profecia,
que é um falar direto da Palavra de Deus em revelação, e o tikkune de Abba está em
Transmissão de Luz Suprema, o poder da Palavra de Deus comunicado na íntegra e
recebido na íntegra. Estes são todos tikkunim que transpiram neste mundo, mas os
tikkunim de Arik Anpin e Atik Yomin transpiram no mundo-a-vir; se e quando o
Mundo-Para-Vem se manifestar neste mundo, no entanto, então os tikkunim desses
Partzufim mais sagrados podem ser realizados neste mundo. O tikkunim do íntimo
Partzufim Sagrado, é claro, requer a reunião de pelo menos doze tsadikim santos que
incorporam a Luz Superna, o Espírito do Messias, e uma Lâmpada Sagrada, um Tzaddik
Perfeito no Messias. Até agora tais grandes assembléias luminosas são muito raras
neste Mundo, mas na progressão e fruição da Vinda Secundária de Cristo em Glória
elas se tornarão mais comuns, e haverá muitas grandes assembléias luminosas, uma
grande matriz de tais assembléias sagradas, e é através disso que a Grande
Transformação irá transpirar neste Mundo, o Mundo-Para-Vem sendo manifestado em
sua totalidade (Nova Jerusalém). o Espírito do Messias e uma Lâmpada Sagrada, um
Tzaddik Perfeito no Messias. Até agora tais grandes assembléias luminosas são muito
raras neste Mundo, mas na progressão e fruição da Vinda Secundária de Cristo em
Glória elas se tornarão mais comuns, e haverá muitas grandes assembléias luminosas,
uma grande matriz de tais assembléias sagradas, e é através disso que a Grande
Transformação irá transpirar neste Mundo, o Mundo-Para-Vem sendo manifestado em
sua totalidade (Nova Jerusalém). o Espírito do Messias e uma Lâmpada Sagrada, um
Tzaddik Perfeito no Messias. Até agora tais grandes assembléias luminosas são muito
raras neste Mundo, mas na progressão e fruição da Vinda Secundária de Cristo em
Glória elas se tornarão mais comuns, e haverá muitas grandes assembléias luminosas,
uma grande matriz de tais assembléias sagradas, e é através disso que a Grande
Transformação irá transpirar neste Mundo, o Mundo-Para-Vem sendo manifestado em
sua totalidade (Nova Jerusalém).

Primeiro, porém, este mundo deve passar por uma grande Kali Olam (Idade das
Trevas), que agora está em andamento, e o "fim do dia" deve acontecer; então isto Ou
Olam (Idade da Luz, ou “Idade de Ouro”) irá amanhecer.

Se olharmos para todos os tikkunim do Santo Partzufim, todos são vários modos e
níveis de Falar a Palavra de Deus, um arranjo de Cartas Sagradas e Palavras de acordo
com Ratzon Elyon; Juntamente com estas ações teúrgicas, como sabemos, é viver o
Evangelho, vivendo em Cristo e como Cristo.

Como, talvez, você possa supor, a emanação completa ou manifestação de Asherah


está na grande reunião luminosa de tsadikim vivos unidos com uma Lâmpada Sagrada
(ou Estrela do Céu), e ainda mais, em uma multiplicidade destas assembléias sagradas,
uma grande Matriz da Luz Superna encarnada e manifestada neste Mundo.

Como o Corpo Vivo na Segunda Vinda, esta é a nossa intenção, nosso nobre ideal, ou
melhor, nossa ambição!

Aqui devo fazer uma pausa, pois isso basta para um dia; talvez mais do que suficiente.

O Adonai, oramos, por favor, conceda-nos a Sua Sabedoria para que possamos
permanecer no Discurso da Retidão e na Ação da Sua Vontade. Um homem.

A paz esteja convosco, e que o rosto de Yahweh Elohim brilhe sobre você neste dia!
Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Letras gravadas nos ossos


# 47 Post Wed 11 de julho de 2012 6:26
Shalom Tau Malachi:

Bênçãos, graça e paz para estas palavras edificantes. Até mesmo ouvi-los é participar
do tikkunim de que você está falando. Que nossas orações e nossa atenção a tal
ensinamento emendam o olamoto de Nukva e Zer Anpin, preparando-nos para os
tikkunim do mundo da Mãe Asherah: profecia das revelações do Mundo-de-Vem!

Pela primeira vez, na companhia de companheiros reunidos em Austin neste verão,


ouvi você elaborar sobre um ensinamento do Rebe Nachman que "os pecados estão
gravados em nossos ossos" e que "os tsadikim carregam o poder e a realização para
reorganizá-los". " Eu sempre me perguntei onde o carma negativo é retido na alma,
gerando as condições de suas reencarnações-transmigrações subseqüentes, até que
você tenha esclarecido que é Nefesh e Ruach de Neshamah onde esse karma positivo e
negativo permanece. Nisso, ouvi dizer que o que é "gravado nos ossos" é uma
metáfora para a memória de Neshamah.

Então Elohim disse: 'Façamos a humanidade à nossa imagem, de acordo com a nossa
semelhança. (Gênesis 1:26)

Assim, fora do solo, o YHVH Elohim formou todos os animais do campo e todas as aves
do ar, e os trouxe ao homem para ver como ele os chamaria; e tudo o que o homem
chamou a cada ser vivente, esse era o seu nome. (Gênesis 2:19)
e

"Seu nome não será mais Abrão, mas seu nome será Abraão; porque eu vos fiz o
antepassado de uma multidão de nações. [...] Quanto a Sarai, sua esposa, você não
deve Chame-a Sarai, mas Sarah será o seu nome. Eu a abençoarei e, além disso, lhe
darei um filho por ela. (Gênesis 15: 5,9)

Como essa contemplação da memória, Neshamah, o que é gravado em "ossos" e seu


rearranjo por Tzaddik, deve ser detalhada à luz de Asher e Asherah, a Árvore de
Otiyot?

Que todas as boas criaturas de Elohim Asherah se lembrem do Salmo 25:10:

"Todas as veredas do Senhor são amor e fidelidade constantes".

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Ossos e Tikkunim


# 48 Post Wed Jul 11, 2012 12:51 pm
Saudações e bênçãos à luz do Messias!

O ensinamento de que “o pecado está gravado em nossos ossos” é antigo, precedendo


o tempo de Rebe Nachman, mas ele tem muito a dizer sobre isso, muitos
ensinamentos maravilhosos a respeito dele e muito a dizer sobre o poder espiritual em
viver tsadikim. para reorganizar cartas ou para apagar letras "gravadas nos nossos
ossos"; daí o poder de tsadikim de receber os pecados, ou carma, de seus discípulos e
facilitar o tikkune das almas, especialmente aquelas de seus companheiros espirituais.

O ensinamento sobre “pecado gravado em ossos” e o poder de Deus na realização


espiritual de um tsadic para redimir do pecado, ou carma negativo, tem sua raiz em
Ezequiel 37, onde em uma visão o profeta foi ordenado a profetizar sobre os ossos de
muitos em um vale, restaurando-os à vida; é uma profecia do poder da ressurreição e
ascensão que vem com o Messias, bem como um ensinamento do poder de Deus em
viver os tsadikim que incorporam a realização espiritual do Messias.

Existem três ciclos de profecia que Ezequiel é direcionado a falar nesta visão:

“Profetize a estes ossos e diga-lhes: 'Ó ossos secos, ouçam a palavra do Senhor'. Assim
diz o Senhor Deus a esses ossos: 'Farei com que a respiração entre em você e você
viverá. Eu te porei tendões, e farei vir carne sobre ti, e te cubro de pele, e te farejei, e
viverás; e sabereis que eu sou o Senhor ” (37: 4-6).

“Profetiza para a respiração, profetiza o filho do homem e diz à respiração: 'Assim diz o
Senhor Deus: Vem dos quatro ventos, sopro e respira sobre estes mortos, para que eles
possam viver'” (37: 9) .

Portanto, profetiza e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Abrirei os teus sepulcros e vos
trarei dos teus sepulcros, ó meu povo; e eu te trarei de volta à terra de Israel. E sabereis
que eu sou o Senhor, quando eu abrir os teus sepulcros e vos levantar das tuas
sepulturas, ó meu povo. Porei o meu espírito dentro de ti e viverás, e eu te porei no teu
próprio solo; então saberás que eu, o Senhor, falei e agirei, diz o Senhor ” (37: 12-14).

Estes ossos de muitos na visão de Ezequiel, claro, representam toda a Comunidade de


Israel, os eleitos espirituais, e o último ciclo de profecia deve ser falado aos filhos de
Israel, uma promessa de libertação da escravidão, restauração para a vida abundante,
e iluminação espiritual. De acordo com os mestres da tradição, como os tsadikim são
capazes de redimir através do poder de Deus, o Messias, e capaz de transmitir bênçãos
e capacitações espirituais, é revelado nesta coleção de versos, que é revelado nesta
visão. Como sabemos, essa visão é também a base das práticas de cura e,
especificamente, da prática da “cura do zelem” ou da auto-imagem.

Por um lado, “ossos” podem ser uma metáfora para neshamá e a capacidade de
neshamá reter, lembrar, o que foi feito, o que aconteceu, nas encarnações da alma,
sejam eles justos ou injustos, ou positivos ou negativos. carma. Essa capacidade de
reter ou lembrar é como as almas são capazes de se desenvolver e evoluir, e se tornam
atualizadas e realizadas; no entanto, é uma espécie de “espada de dois gumes”
cortando os dois lados, pois enquanto isso facilita a realização final das almas, também
mantém almas em cativeiro, ligando as almas aos gilgulim, à transmigração e ao jogo
do continuum kármico, destino e fortuna sob a lei. Neshamá de Neshama é sempre
pura e pura, sem mancha, traço, marca ou mancha de pecado ou impureza, mas
Nefesh e Ruach retêm os desenvolvimentos e evoluções da alma, e tudo o que foi
feito, tudo o que foi realizado. “Pecado gravado em nossos ossos” é essa memória na
alma e, na condição não iluminada, os ruachot e nefeshim, ou encarnações da alma,
são gerados a partir desse contínuo kármico, esses padrões de pensamentos, desejos e
ações habituais retidos.

Por outro lado, “ossos” também podem ser uma metáfora para a nefesh e as “estrelas
do nosso nascimento”, e a realidade de um certo jogo de destino e fortuna em uma
encarnação, que permanece em jogo enquanto permanecermos. naquele corpo e
vida; daí, um certo continuum cármico que está se desenrolando, tendo sido posto em
movimento com a entrada da alma na encarnação. Essas duas interpretações de
"ossos", é claro, estão profundamente interconectadas e inseparáveis umas das
outras; elas são expressões do mesmo princípio do contínuo kármico das almas e seu
desenvolvimento e evolução. Esta verdade está contida na letra Nun, que quando
soletrada é composta de dois Nun e um Vau, os dois Nun representando neshamah e
nefesh, e o Vau ruach; Daí, nossa natureza divina e nosso ser vital, unidos pelo nosso
espírito ou inteligência, "respiração".

Freira significa literalmente “peixe”, e em termos de salvação de almas, a redenção de


almas, Adonai Yeshua nos chama para sermos “pescadores de pessoas”, almas, e
capacita seus discípulos durante todo o tempo para libertar e redimir almas, ou para
ajude a trazer o tikkunim das almas.

Em primeiro lugar entre os cristãos Mekubalim, ou tsadikim vivo no Messias, é através


do poder do Sangue do Cordeiro que os pecados gravados nos ossos são removidos,
pois o poder de perdoar, ou liberar os pecados (carma negativo) está em o Sangue do
Cordeiro, que é o Espírito do Messias, pois, como sabemos, o "espírito está no
sangue", que é o significado do nome de Adão (o Humano). Este poder espiritual para
o perdão dos pecados vem através da fé, mas é efetivado quando nós mesmos somos
capazes de perdoar os outros e amar uns aos outros, pois assim como nós perdoamos
aos outros e amamos os outros, também recebemos e experimentamos o perdão e o
amor. . Pela fé transformamos a nefesh behamit, a alma bestial, em nefesh elokit, uma
alma piedosa, e começamos a acessar nosso ruach, nosso espírito ou inteligência, e é
nosso ruach, nossa inteligência humana e divina, que é capaz de perdoar e amar, e de
expressar as qualidades de nossa neshamá, nossa natureza divina e o Messias. Ruach
significa literalmente "espírito", "vento" ou "respiração", e é através de ruach que
temos a verdadeira vida, a vida espiritual no Messias.

Agora, um verdadeiro tsadic vivo é uma alma realizada, ou ser realizado, encarnando
seu ruach e neshamah unido a sua nefesh, e tsadikim maior pode até atingir hayyah, a
força vital ou poder da luz da alma, e yechidah, o divino. faísca ou essência única,
incorporando algo dos aspectos mais íntimos de sua alma sagrada. No Messias, ou na
Consciência Superna ou Messiânica, sua alma está unida ao Espírito do Messias, e é
como se Ruach Ha-Kodesh (o Espírito Santo) se tornasse seu ruach, sua
inteligência; Daí a iluminação que eles incorporam e sua capacidade de transmitir o
poder de sua realização espiritual. Quando temos fé no Messias, e fé em um tsadic ou
apóstolo vivo no Messias, e nos apegamos ao Ressuscitado Messias e ao santo tsadic,
podemos receber faíscas da alma do tsadic, nos elevando,

Por um lado, os pecados gravados em nossos ossos são apagados, ou as “cartas


rearranjadas”, através da educação espiritual que recebemos de um tsadic ou apóstolo
enquanto pregam o Santo Evangelho e nos instruem no evangelho, ensinando-nos a
viver o evangelho. vida espiritual em Cristo, e como perdoar e amar, e como cultivar
nossa verdadeira inteligência (fé e gnose); mas mais ainda, é através de uma
transmissão energética, Transmissão de Luz, e a união de almas no Espírito do Messias
e a troca de faíscas que ocorre.

Também é verdade que através do Espírito Santo e sua realização no Messias que os
tsadikim ou apóstolos têm discernimento sobre o tikkunim das almas, e como trazer o
tikkune necessário, e assim, servir como um guia espiritual, ou pastor, para cada um.
discípulo ou companheiro dão instruções especiais, conselhos únicos e individuais na
vida e na prática espirituais, o caminho para o tikkune de cada companheiro ser
incorporado na orientação recebida. Isto também é uma transmissão de algo de seu
ruach e mochin, e tomando-o, agindo sobre ele, nós recebemos aquele ruach e mochin
deles.

Há algo mais, no entanto, nesse trabalho espiritual de apagar ou reorganizar, pois,


num nível energético, os tzaddikim podem literalmente tomar sobre si mesmos os
pecados ou o carma negativo dos outros, engajando-se em trabalhos espirituais mais
profundos para os outros e até sofrendo com e por por causa dos outros; no Messias,
vivendo tsadicim, tome literalmente o chamado do Mestre: “Toma a tua cruz e segue-
me”, e eles estão perfeitamente dispostos.

Quando falamos do que o tsadikim pode fazer, porém, não estamos falando da pessoa
externa do tsadic, mas estamos falando da presença da Luz e do poder da Luz que está
neles - o poder de Deus; Seu chamado e capacitação para todos os trabalhos
espirituais vem do Espírito do Messias e da Shekinah do Messias, Asher-Asherah. É, na
verdade, o Espírito do Messias e Shekinah do Messias que realiza tudo com, dentro e
através deles, tornando-se manifesto como eles.

Há algo mais a ser dito sobre o tikkunim das almas, entretanto, e este trabalho
espiritual de “remover” e “rearranjar”. Há algo muito mais envolvido, pois, como
sabemos, os espíritos e almas viventes carregam faíscas uns dos outros, e existem
conexões cármicas muito intrincadas e complexas entre espíritos e almas, e portanto o
tikkune de uma alma envolve necessariamente o tikkune de outros espíritos e almas
viventes. Da mesma forma, dentro e por trás de tudo o que acontece, há um jogo de
forças espirituais e, na verdade, um grande conflito de forças espirituais, divinas,
arquônicas e demoníacas, e através de pensamentos, palavras e ações, almas ligadas,
conectadas, com seres espirituais correspondentes. Forças, e ter conexões com vários
reinos e mundos, céus e infernos, e tudo mais. Assim, através da oração, meditação e
cerimónia sagrada existem os trabalhos teúrgicos tomados pelos tsadikim, na
consciência desperta, no tempo do sonho, e através das projeções da consciência ou
da alma nas dimensões internas, trabalhando por mudanças e transformações no
equilíbrio das influências e poderes espirituais, banindo e entregando sombras e
sombras, defendendo, resgatando e coisas semelhantes, e invocando Poderes Divinos
e estabelecendo alma neles. Neste trabalho espiritual para a iluminação e libertação
das almas, ou verdadeira salvação, este é um alcance nas Sefirot e Netivot dos vários
Olamot, todos na Ação Divina de correr e retornar, descendo e subindo, atraindo a Luz
Sagrada e Poderes Divinos e almas edificantes na Grande Ascensão. Neste, talvez,

Tendo insight sobre o tikkunim das almas, há insights sobre as conexões cármicas dos
espíritos vivos e almas, e há conhecimento de influências espirituais ou forças a serem
banidas e a serem invocadas; Portanto, existem muitas obras ocultas e invisíveis de
assistência espiritual que são realizadas.

Como sabemos, o tikkune da nossa alma é também o tikkune do Este Mundo, e é o


tikkune do mundo dos anjos, o mundo das almas e o Mundo das Sefirot Sagradas (O
Nome); entendendo a interconexão das almas e o jogo das forças espirituais nas
incontáveis dimensões que formam a matriz cármica, ou matriz da criação, podemos
ver como isso acontece. Da mesma forma, talvez, veremos como a salvação, a
libertação, deve ser universal, para interconectados e interdependentes com todos,
nossa própria salvação, libertação, é unida com a redenção de todos (Kol).

Nos termos desta Ação Divina do Espírito do Messias e Shekinah do Messias, ou Asher-
Asherah, a extensão em que esta Ação Divina pode ser aceita para nós por um tsadic
depende inteiramente de nossa fé e devoção, e de nosso apego ao Messias
ressuscitado e nossa conexão de coração ou apego ao nosso tsadic. Quanto mais nos
aproximamos de nosso tsadic, maior o vínculo de fé e amor na amizade sagrada, maior
será a assistência espiritual que eles podem oferecer e podemos receber. Existe um
segredo aberto, no entanto, em relação à proximidade, ou proximidade espiritual, para
“perto” ou “longe” ou “distância espiritual”, é determinado pela semelhança ou
semelhança. Aproximar-se significa tornar-se semelhante a, ou assemelhar-se, e num
nível psíquico e espiritual, quanto mais nos assemelharmos a algo, quanto mais
próximo, mais próximo estivermos, mais chegamos a ele. Assim, aproximar-se de um
tzaddik,
Acima, dissemos que é perdoando os outros e amando os outros que recebemos
perdão e experimentamos o amor de Cristo; portanto, ao fazê-lo, os pecados são
“apagados” ou suas cartas “rearranjadas” de modo que não mais “soletram pecados”.
Todas as obras espirituais de tsadikim no Messias são ações de perdoar e
amar; portanto, compaixão ativa no nível material, psíquico e espiritual.

Há outro segredo aberto a ser falado aqui também. O grau em que um tsadic vivo
pode transmitir a Transmissão de Luz, ou se engajar em uma Ação Divina maior, é
completamente dependente de sua assembléia de discípulos ou companheiros, seu
“séquito”. Independentemente da gradação de sua realização espiritual, a entrega do
maior poder de sua realização espiritual depende de uma “comitiva auspiciosa”, ou de
uma comunidade fiel e devota; portanto, depende de seus companheiros espirituais
realizarem trabalhos espirituais com eles e se tornarem um veículo de Transmissão de
Luz com eles, como membros individuais e como um grupo. Quanto mais indivíduos e
a comunidade juntos pegarem o trabalho espiritual do tsadic, e viverem como o tsadic,
tanto maior será a Ação Divina que o santo tsadic pode tomar,

Isso se reflete nos tikkunim dos Partzufim, pois os tikkunim maiores vêm do tsadic e da
comunidade envolvidos em obras espirituais juntos, e mais ainda é refletido pelos
tikkunim dos mais íntimos Partzufim Sagrados, que requerem uma reunião de tsadikim
vivos e um quem é uma lâmpada sagrada, ou o sol do céu.

Esse trabalho espiritual de libertação e redenção de almas, promulgado pelos tsadikim,


não é isolado a quem é reconhecido como o tsadic em círculo ou comunidade, mas, de
fato, é o trabalho espiritual de toda a comunidade, o Corpo Vivo de Cristo. Seja qual
for o grau em que recebemos e incorporamos o Espírito de Cristo, assim o Espírito de
Cristo assumirá essa Ação Divina com, em e através de nós; quanto maior nossa
consciência disso, maior será nossa fé e devoção, maior será essa Ação Divina.

Como dissemos nesta contemplação da Segunda Vinda e Asher-Asherah muito antes,


quando o primeiro em uma linhagem ou comunidade experimenta o influxo total da
Luz Superna, ou Espírito de Cristo, ele se irradia e se comunica com o todo.
comunidade, para cada um de acordo com seu desejo e capacidade de receber e
integrar a Santa Luz, o Espírito da Verdade.

Contemplando o tikkunim, e o santo tzaddik e comunidade engajados no trabalho


espiritual de tikkune juntos como um Corpo Vivo - um Corpo de Luz, podemos obter
uma visão mais profunda de um ensinamento do Adonai Messiah: “Onde dois ou mais
estão reunidos em meu Nome, Eu estou com eles.
Você está perfeitamente correto Gideão, no próprio ato de escrever e ler esses
ensinamentos, assim como ao falar e ouvi-los, escritos ou orais, enquanto nos
envolvemos no discurso sagrado revelando mistérios mais profundos da Torá e do
Evangelho, então todos nós juntos estão trazendo tikkunim de Zer Anpin, e se este
discurso sagrado inspira oração e adoração, então os tikkunim de Nukva também estão
sendo realizados; se este discurso sagrado leva a um movimento profético, ou abre o
caminho para um momento de Transmissão de Luz, então os tikkunim de Imma e Abba
também estão dentro dele!

Ao nos aproximarmos da Festa da Sucessão Apostólica, estou inclinado a compartilhar


uma oração muito significativa que os tsadikim ou apóstolos em nossa linhagem oram
durante este ciclo a cada ano, um que é muito bom para todos nós orarmos. Eles oram
pela manifestação de um círculo de doze ou mais tsadikim vivos com um Sol do Céu
em seu meio na geração atual, e eles oram pela bênção do grande influxo da Graça
Superior e da Ação Divina que aconteceria através de tal santa assembléia, ou círculo
sagrado. Se você está inclinado a orar esta oração comigo durante este ciclo, por favor
faça; mas ao orar, ore não apenas com humildade espiritual, mas também com auto-
estima espiritual, disposto a fazer parte de uma Unção maior - tendo uma aspiração,
ambição, ser tzaddik,

Para encerrar, podemos compartilhar outra interpretação de Asher e Asherah. Em um


nível, em plena emanação, Asher corresponde a uma Lâmpada Sagrada, um Sol do
Céu, e Asherah corresponde a um círculo completo de Tzaddikim Vivos; Asher-
Asherah, assim, corresponde ao maior Corpo de Luz Superna manifestado dessa
maneira.

Há certamente muito mais que pode ser dito sobre “apagar e rearranjar”, ou “liberar e
reter do pecado”, e o jogo de tikkunim, mas sem dúvida isso é suficiente para hoje.

O Adonai, oramos pela emanação completa de Asher-Asherah nesta geração. Um


homem.

Que a paz esteja com você!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Apagando a respiração


# 49 Post sex 13 de julho de 2012 7:45
Shalom Tau Malachi:

O que você ofereceu tão claramente agora permite que alguém investigue um dos
eventos mais misteriosos do Evangelho:

'A paz esteja com você'. Depois que ele disse isso, mostrou-lhes as mãos e o
lado. Então os discípulos se alegraram quando viram o Senhor. Jesus disse-lhes
novamente: 'A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, eu mando você. Quando
ele disse isso, ele soprou sobre eles e disse-lhes: 'Receber o Espírito Santo. Se você
perdoar os pecados de alguém, eles são perdoados; se você retém os pecados de
alguém, eles são retidos. (João 19:23)

No princípio, quando Deus criou os céus e a terra, a Terra era um vazio sem forma e as
trevas cobriram a face das profundezas, enquanto um vento de Deus varreu a face das
águas. (Gênesis 1: 1-2)

Quando o dia de Pentecostes chegou, eles estavam todos juntos em um só lugar. E de


repente veio do céu um som como a agitação de um vento violento, e encheu toda a
casa onde eles estavam sentados. Línguas divididas, como de fogo, apareceram entre
elas, e uma língua descansou em cada uma delas. Todos eles ficaram cheios do Espírito
Santo e começaram a falar em outras línguas, como o Espírito lhes dava
capacidade. (Atos 2: 1-4)

O que é esse vento, que Ezequiel é dito para invocar, como você cita abaixo, que faz
viver de novo, as letras dos ossos de alguém sendo rearranjadas? Como esse mesmo
mistério está desdobrando as iniciações interiores contadas no Evangelho? O que tem
a ver com apagar ou reorganizar os pecados gravados em nossos ossos?

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Respiração Sagrada Radiante: Ruach Elohim


# 50 Post Fri 13 de julho de 2012 12:01
Paz e graça para você no bendito nome de Yeshua Messias!

De acordo com os mestres da tradição Ruach Elohim é o Espírito do Messias, e


podemos dizer que Ruach Elohim é a plenitude de Ruach Ha-Kodesh, o Espírito
Santo. Ruach Elohim corresponde com Binah e Malkut de Atzilut, e é a manifestação
do Espírito Santo no Enlevo Supremo. Elohim, como sabemos, corresponde ao
Julgamento, mas em Atzilut o Julgamento não é como nós conceberíamos, mas é, de
fato, Puro Misericórdia; Gevurah em Atzilut indica forma, Hesed indica ausência de
forma, e a própria natureza de Malkut de Atzilut, ou Consciência Supernal, é uma
consciência de que a forma é sem forma e sem forma é forma, que forma e sem forma
são inseparáveis uma da outra - daí a consciência de Ani -Em, auto como não-eu, o
vazio de todos, que ao mesmo tempo é a plenitude de todos.

É nesta sagrada consciência, através do poder de Ruach Elohim, que os tsadikim no


Messias têm a capacidade de apagar “o pecado gravado sobre os ossos”, ou o poder
de reorganizar as cartas, ou como eles são capazes de libertar e reter os pecados de
almas. Contemple isso bem e entenda!

Como sabemos, há tsadikim de várias gradações de realização espiritual e,


naturalmente, quanto maior a percepção de um tsadic sagrado, maior é sua
capacidade de facilitar a libertação e a redenção das almas. Em Hayyah Yeshua, no
entanto, nós permanecemos em um santuário da Graça Divina, recebendo o
empoderamento de Ruach Elohim através da fé no Messias e através da clivagem ao
Messias, e, portanto, além da gradação de nossa realização espiritual, se e quando
houver é fé e devoção apaixonadas, kavvanah intensa e devekut, Graça Divina, Ruach
Elohim, pode mover-se com, em e através de nós para libertar e redimir as almas. É
tudo uma questão de desenvolvimento, clivagem ou ligação correta.

Ouça e ouça e entenda! O Nome de Asher está na dupla iniciação ou empoderamento


dado aos discípulos quando eles foram ordenados como apóstolos, ou verdadeiros
tsadikim. Primeiro, o Messias ressuscitado sopra sobre eles, dizendo: “Recebe o
Espírito Santo”, e eles recebem o poder de liberar e reter o pecado; daí o poder da
Misericórdia e do Julgamento. Isso corresponde ao Alef do nome. Então, no
Pentecostes, há um vento maior, ou respiração, e línguas de fogo vêm sobre eles,
iluminando-os, o que corresponde com Shin do Nome. Recebendo esta dupla iniciação
ou fortalecimento de Ruach Elohim suas bocas são abertas e eles são capazes de falar
em Ruach-Espírito, uma Inteligência Flamejante, capaz de pregar o Evangelho com
poder de Luz e capaz de falar em “línguas” ou vários “idiomas”. . ”Isto corresponde
com Resh do Nome; conseqüentemente, todo esse movimento está no Nome de
Asher. Quando os tsadikim, os apóstolos falam, e comunicam o Espírito Santo, e o
Evangelho é ouvido e o Espírito recebido, Aser se torna Asherah.

A respiração, o espírito, é o veículo para a pronúncia e expressão de Cartas e Palavras,


e através de Ruach Elohim há conhecimento da Palavra de Deus, o arranjo de Cartas e
Palavras de acordo com Ratzon, a vontade, ou desejo, de Deus. ; tendo recebido o
resplendor sagrado radiante, o Espírito Santo, assim com a pregação do Evangelho as
Cartas da Torá foram rearranjadas, uma revelação maior sendo dada, e as Cartas sobre
os ossos de todos aqueles que ouvem e ouvem, e recebem o Espírito, ou respiração
sagrada radiante, também são rearranjados, tudo como Deus (El) ordena. Como
sabemos, a criação é fundada sobre a Santa Torá, e assim com o falar do Evangelho, o
rearranjo das Cartas Sagradas, uma nova criação vem a ser, um novo céu e nova terra
e nova humanidade. Este movimento de uma nova criação está em andamento, e à
medida que “pregamos o Evangelho”, as Cartas Sagradas, Otiyot, estão sendo
rearranjadas e novas relações entre as Cartas estão sendo formadas; portanto, novas
conexões espirituais estão sendo feitas entre os Atributos Divinos e a humanidade e,
portanto, toda a criação.

Esta pregação do Santo Evangelho, no entanto, não é a pregação de palavras ociosas,


nem a repetição estúpida das escrituras em um literalismo divorciado da experiência
direta do Messias ressuscitado e a recepção do Espírito do Messias, Ruach Elohim,
mas, na verdade, há um discurso sagrado dando ensinamentos e orientação na vida
espiritual, assim também há uma transmissão espiritual, energética, Transmissão de
Luz. Uma verdadeira pregação do Evangelho é energética, é com, no e através do
Espírito Santo, e tanto quanto as palavras de ensino, assim há uma transmissão e
recepção da Santa Luz do Messias. É nisto que as Cartas são apagadas e rearranjadas
em nossos ossos, o que equivale a dizer que é através disso que ocorre uma
transformação radical em nossa consciência, nossa alma e verdadeira libertação,
redenção.

Existe um segredo aberto que pode ser falado. Sempre que um verdadeiro tsadic está
pregando, ou está dando um ensinamento ou revelação, ele ou ela está na experiência
direta do que está sendo falado - eles estão falando da experiência e, portanto, suas
palavras têm poder de luz neles, o poder de despertar algo dessa experiência nos
outros e elevar aqueles que ouvem e ouvem com fé e devoção. Junto com a recepção
da energia, a centelha de uma transmissão experiencial, se escutarmos e ouvirmos a
instrução, ou ensino, de um tsadic, assim seguiremos a instrução deles exatamente,
colocando-os em ação, e quando fizermos as letras do pecado serão apagados, e as
cartas do pecado serão rearranjadas para significar justiça, bondade, verdade.

O apagamento e rearranjo de letras está em um nível energético, mas junto com isto
nós também devemos seguir as instruções ou ensinamentos dados, e assim rearranje
ou reordene as cartas através de nossos próprios pensamentos, palavras e ações,
vivendo de acordo com a verdade e luz reveladas. . Se recebermos transmissões
energéticas, junto com instruções, ensinamentos, mas não seguirmos as instruções, ou
encenarmos os ensinamentos, perderemos a energia ou o poder da luz, pois não
integraremos o fortalecimento espiritual.

Isso corresponde a Zakhor e Shamor, que é falado sobre o Shabat, que devemos
lembrar e manter o Shabat sagrado; então, lembrar é manter, esquecer é perder -
lembrar de um momento de Transmissão de Luz é lembrar a revelação e os
ensinamentos dados, e viver de acordo com esse conhecimento, daat.

Através da transmissão energética e experiencial, temos o empoderamento para


provocar mudanças radicais em nossa pessoa e vida, e através das instruções que
recebemos, temos o conhecimento de como fazê-lo em um nível prático - neste os
tsadikim servem para apagar e reorganizar as letras do pecado e da falsidade,
formando letras de justiça e verdade.

Se e quando pudermos nos aproximar de um tsadic vivo, e formarmos uma conexão


espiritual muito forte com eles em fé e devoção, e no amor do Messias, então eles
podem se engajar em maiores obras espirituais para nós, ou tornar maior assistência
espiritual invisível. Se e quando as condições necessárias estiverem presentes, elas
podem se engajar nas ações cirúrgicas, ou em movimentos muito poderosos e
poderosos do Poder Divino, que podem trazer mudanças radicais em nossa consciência
e realizar diretamente o tikkunim de nossa alma.

Como exemplo, com aqueles que são muito próximos a eles, os “melhores amigos”,
por causa dessa amizade, gerando um Corpo de Luz Superna, eles podem fundir seu
Corpo de Luz com o corpo sutil de um querido amigo completamente, um quem deseja
receber na totalidade e quem se doa ao seu tsadic na íntegra; quando o tsadic fizer
isso no Espírito do Messias, o corpo sutil de seu amigo será transformado, haverá um
grande influxo de Luz Sagrada vinda de cima, as estrelas interiores serão abertas e o
poder da serpente será elevado - o corpo sutil de seu amigo se tornará como seu corpo
sutil, um corpo da ressurreição.

Existem todos os tipos de gradações de bênção e fortalecimento, ou tikkune, desse


tipo, de uma fusão e união completa no corpo sutil, até várias gradações de
aproximação, de um jogo de Transmissão de Luz direta à Transmissão de Luz indireta,
todos dependentes de nossa proximidade e nosso desejo e capacidade de receber.

Existem outros meios também, mas considerando este método para a libertação e
redenção de almas, há também um jogo de respiração santa radiante, o uso de
tsadikim, unido à intenção de consciência, e pensamento e desejo focalizados. A este
respeito, considere a prática de Dar e Receber, e considere esta prática com um
tzaddik sagrado que tem a capacidade real de fundir e unir seu Corpo de Luz com o
corpo sutil dos outros, ou a habilidade de fundir sua alma com outros seres vivos.
espíritos e almas. Essa mesma prática revela uma maneira enérgica e secreta de os
tzaddikim agirem diretamente para envolver o tikkune das almas, ou a libertação e
redenção das almas através do apagamento ou rearranjo de letras nos ossos.

Nesta contemplação, lembre-se também do conhecimento das cinco respirações


sagradas e da respiração do dragão, e dos vários ventos, respirações, movendo-se no
Corpo de Luz do tsadic, e sua capacidade de mover conscientemente, direcionar essas
várias respirações ou ventos; se unidos a Dar e Receber, e à União com Partzuf dando
bênçãos, o uso dessas respirações realiza o tikkunim correspondente das almas.

O modo como os tsadikim apagam e rearranjam, ou liberam e retêm, está oculto à


vista de todos, dentro das práticas espirituais básicas ensinadas abertamente em nossa
linhagem e tradição. Essas práticas espirituais nascem da experiência espiritual e da
realização dos tsadikim, e são expressões de sua realização espiritual e obras
espirituais, e, portanto, há grande poder espiritual nelas; assumindo-os com fé e
devoção, também nos tornamos co-pregadores e co-redentores com o Messias Yeshua
e a Madalena.

O agente ativo de todos os tikkunim, no entanto, é o Sangue do Cordeiro, que é o


Espírito do Messias (Ruach Elohim); portanto, nosso fortalecimento para produzir o
tikkune de nossa alma e facilitar o tikkune das almas dos outros é, em nossa
experiência de Transmissão de Luz, nossa recepção do Espírito do Messias, esse “Vento
de Deus”. o tsadic não é o praticante disto, e nós não somos o praticante disto, mas
antes o Messias e o Espírito do Messias são o fazedor, nós simplesmente cooperamos
com a Graça Divina, Ruach Elohim, em uma rendição ativa e dinâmica. e assim as
bênçãos fluem e maravilhas transpõem através do poder de Deus, o Espírito do
Messias.

Aqui podemos dizer que há vários níveis através dos quais os tsadikim podem produzir
o tikkunim das almas, dependendo da gradação da realização espiritual incorporada no
tsadic, e da natureza da amizade sagrada que se forma entre eles e aqueles que eles
ensinam e iniciam. No nível mais íntimo, pode haver tikkune através de uma simples
intenção consciente, e assim o tikkune é realizado em um instante como pretendido. O
próximo nível é através da permanência da pura consciência radiante, e no meio da
permanência do tikkune do realizado - daí a libertação através da meditação
primordial, ou contemplação primordial. Então, há tikkune através do pensamento,
que corresponde à oração, juntamente com a transmissão de uma transmissão
energética concentrada, ou capacitação. Depois disso, há tikkune através da fala, que é
o modo de pensar unido a dar instrução, mas também pode incluir trabalhos
espirituais dinâmicos mais ativos pelas dimensões internas, trabalhando para a
liberação e cura de uma alma, e com isto, geralmente falando, há um continuum de
oração e trabalhos espirituais realizados ao longo do tempo. No nível mais externo,
existe o tikkune através da ação, que pode assumir inúmeras formas, jejum e caridade,
obras cerimoniais e talismânicas, todo tipo de movimentos e gestos simbólicos no
mundo, e também, mais ou menos, ajuda e orientação. O jogo do karma se desenrola,
trabalhando por sua cessação nesta vida. há um continuum de oração e obras
espirituais realizadas ao longo do tempo. No nível mais externo, existe o tikkune
através da ação, que pode assumir inúmeras formas, jejum e caridade, obras
cerimoniais e talismânicas, todo tipo de movimentos e gestos simbólicos no mundo, e
também, mais ou menos, ajuda e orientação. O jogo do karma se desenrola,
trabalhando por sua cessação nesta vida. há um continuum de oração e obras
espirituais realizadas ao longo do tempo. No nível mais externo, existe o tikkune
através da ação, que pode assumir inúmeras formas, jejum e caridade, obras
cerimoniais e talismânicas, todo tipo de movimentos e gestos simbólicos no mundo, e
também, mais ou menos, ajuda e orientação. O jogo do karma se desenrola,
trabalhando por sua cessação nesta vida.

Em todos os casos, o trabalho para libertação e redenção começa em intenção


consciente, mas dependente das circunstâncias ou condições kármicas, em meios
habilidosos os tsadikim assumirão seu trabalho espiritual em consciência, pensamento,
fala ou ação, ou várias combinações, tudo como é necessário de acordo com a visão
cármica e o condicionamento cármico das almas, usando quaisquer meios que sejam
necessários para trazer alívio do sofrimento e salvação, ou iluminação e libertação.

Há uma questão de discernimento espiritual neste trabalho para a salvação das almas,
entretanto, nem todos os espíritos e almas que se aproximam de um tsadic são dados
a eles no Espírito Santo, e nem todos os espíritos ou almas que eles encontram estão
maduros e maduros. para a colheita. Embora, de fato, façam tudo o que puderem para
aliviar o sofrimento das almas e prestar assistência espiritual às almas, seu foco está
naqueles que as receberam no Espírito Santo, e naquelas que estão maduras para a
colheita, aquelas pelas quais elas foram enviado e veio.

Agora, na Segunda Vinda, com a revelação de Deus, a Mãe, e a plena recepção da


Noiva Sagrada, temos um maior poder para este trabalho espiritual de redenção, e
embora estejamos vivendo nos primeiros ciclos da Segunda Vinda, e vivendo em Kali
Olam, uma Idade das Trevas, há uma Grande Luz manifesta entre nós, e há influxos
contínuos da Luz Superna; e enquanto muitos amam as trevas e são vencidos pelas
trevas, também há muitos que são atraídos para a Luz Sagrada que desejam a Luz
Sagrada, muitos que estão prontos para a colheita. Assim, há uma grande necessidade
desse trabalho espiritual ativo e consciente no Messias, a plena manifestação e ação
de Asher-Asherah.

Você pode lembrar o que Adonai Yeshua disse a seus discípulos,"A colheita é
abundante, ore ao seu Pai que muitos trabalhadores possam ser enviados para os
campos." É bom que levemos esta oração, e orando para que mais portadores de luz
se juntem a nós, que nos envolvamos ativamente no trabalho de a colheita de almas
nos níveis espiritual, psíquico e material.

Aqui estou inclinado a compartilhar um segredo aberto. Junto ao Corpo Vivo do


Messias, e unido ao Corpo de Emanação do Tzaddik, sempre que oramos, meditamos
ou realizamos cerimônias sagradas, ou sempre que nos envolvemos em culto
carismático, estamos entregando e redimindo espíritos e almas viventes nesse
movimento, reunindo e faíscas edificantes de santidade; se andamos na beleza e
santidade do Messias ressuscitado, caminhando com Deus (Elohim), assim nossa
caminhada entrega e redime, não somente nossa própria alma, mas também as almas
dos outros, nossas relações.

Devemos lembrar que o poder espiritual em viver tsadikim também está em nós
através do Messias; nós também somos ungidos com o Espírito do Messias, Ruach
Elohim, cada um como Deus (El) ordena. Quando falamos de ensinamentos como
estes, e quando os ouvimos e ouvimos, não estamos falando ou ouvindo em uma
ilusão de falta ou ilusão de separação, mas sim em uma consciência de nossa perfeição
inata e união inata com Cristo em Deus, a verdadeira luz.

Existe quem você é em si mesmo, e então há quem você é em Deus, a Verdadeira


Luz. Eu vou compartilhar um grande segredo com você. Quem você é em Deus é Asher,
é Tzaddik!

Se olharmos para o trabalho espiritual do Tzaddik Exterior pelo tikkune de nossa alma,
isso está refletindo para nós e nos revelando o Tzaddik Interior para que possamos
reconhecer e perceber quem somos em Deus e no Continuum de Luz, e assim
permanecer. na santa recordação do Divino Eu Sou Eheieh. Lembrar e ser quem somos
em Deus, a Verdadeira Luz, é o derradeiro tikkune de nossa alma, e é a redenção do
mundo, alcançando o mundo dos anjos e do mundo de neshamot, e até mesmo no
Mundo das Sefirot, o tikkune do nome, Yahweh.

Isto é o que significa “colocar o abençoado Nome de Yeshua”, e é a realização e


incorporação de Asher; daí, a manifestação de Asherah, Shekinah do Messias, Mãe e
Noiva se juntou como uma Presença Viva.

Deixarei mais ensinamentos e revelações hoje para Hashmal, o “silêncio falante”.

Ó Abba Vivo, oramos, que haja muitos trabalhadores nos campos, e que todos os
bons frutos sejam colhidos e oferecidos a Você (Atoh). Um homem.

Deus te abençoê!