Você está na página 1de 7

Vigésimo Dia

A célula é um organismo vivo


A célula precisa ser parte de um organismo e não de uma mera
organização. Para que a célula funcione apropriadamente precisamos
percebê-la como algo vivo. Segundo a biologia existem sete
características que definem um ser vivo:

● Alimento
● Movimento
● Respiração
● Excreção
● Crescimento
● Sensibilidade e
● Reprodução
Creio que todas essas características podem se aplicar à célula.

1. Alimento
Todo ser vivo necessita de substâncias do seu meio ambiente para obter
energia, crescer e se manter saudável. A célula também precisa de
alimento. Na verdade tudo o que se move precisa de combustível. A
célula precisa ser suprida com abundante alimento espiritual.
Depois que somos salvos e nascidos de novo, a nossa necessidade mais
imediata é que aprendamos a comer do Senhor como nosso leite e
alimento espiritual. Sem esse alimento espiritual nós também não temos
o crescimento normal e em pouco tempo estaremos espiritualmente
mortos.
Nos Evangelhos, o Senhor Jesus Se apresenta como um banquete para
nós bebermos e comermos. Ele diz no quarto capítulo de João que Ele é
“a água viva” para nós bebermos. No sexto capítulo do mesmo livro, Ele
diz que Ele é “o pão da vida” para ser comido. Depois, a Bíblia diz em 1
Corintios 12: “E a todos nós foi dado beber de um só Espírito”. Nós O
bebemos e comemos, e, em conseqüência disso, O recebemos como o
nosso alimento espiritual.
O modo pelo qual o Senhor alimenta o Seu Corpo é pela Sua Palavra. Se
desejamos ser alimentados por Ele, precisamos vir à Palavra para provar
do Senhor. Mas além da Palavra somos alimentados com a água do
Espírito. Tudo o que Deus faz em nós ele o faz pela Palavra e pelo
Espírito. Esse é o alimento de uma célula saudável.
Como líder não é sua responsabilidade trazer algum ensino novo para o
grupo, sua responsabilidade é ruminar a comida que já foi liberada no
domingo na reunião de celebração. Sei que soa estranho falar de
ruminar, mas a palavra de Deus diz que somos ovelhas. Como todo
ruminante elas possuem um estômago duplo e a sua digestão ocorre em
duas fases: após mastigarem o alimento ele vai para uma das cavidades
do estômago e depois de algum tempo voltam para serem deglutidos
novamente. Eles fazem assim para poderem absorver todo o nutriente
possível dos vegetais.
A Palavra de Deus diz que somos ovelhas e, portanto, precisamos
aprender a ruminar a palavra que recebemos. Devemos ouvi-la, mas
depois precisamos voltar a meditar nela e compartilha-la na célula até
que ela seja completamente absorvida.

2. Movimento
Todo organismo vivo demonstra algum tipo de movimento, seja interno
ou externo. Isso significa que tudo o que está vivo segue o mover de
Deus. Quando falamos de mover de Deus estamos também falando de
movimento. O mover de Deus no meio de seu povo resulta em que esse
povo se movimentará para segui-lo.
Todavia quando uma célula se move ela precisa estar atento a alguns
princípios naturais do movimento. Em primeiro lugar é preciso lembrar
que tudo o que se move produz tensão. Tensão não significa que algo
está errado, mas que algo está acontecendo. Sempre que estruturarmos
e nos organizamos veremos algum tipo de atrito. Se os atritos forem
tratados apropriadamente ele permitirá que a estrutura se torne ainda
mais eficiente.
A segunda característica é que tudo que se move produz calor. O
resultado natural da tensão é o calor. Existe o fogo do Espírito, mas
também existe o calor da fricção. É preciso o óleo do Espírito como
combustível do mover, mas também precisamos do óleo da unção para
refrigerar a estrutura. É a unção que permite que nos relacionemos de
forma hamoniosa na obra de Deus.
Lembre também que tudo que se move se desgasta. Toda faca depois de
algum tempo de uso precisa ser amolada, todo violão depois de tocado
precisa ser afinado. A sua célula também precisará de reciclagens e de
tempos em tempos precisamos parar a renovar a visão e a prática pois
tudo se gasta com a rotina e o uso. Isso não é algo negativo. Faz parte da
vida, as células com o tempo precisam ser novamente ajustadas.
E por último lembre-se que tudo que se move tende à inércia. As coisas
nunca tendem a acelerar, mas sempre tendem a parar por causa das
resistências no caminho. A grande ilusão é presumir que uma vez que
nossa célula esteja indo bem ela irá bem para sempre e que não
precisaremos fazer coisa alguma e as coisas vão acontecer
espontaneamente. Tudo o que está em movimento tende a parar, por
isso há necessidade de frequentemente darmos novos impulsos para
mantermos o ritmo da célula.

3. Respiração
Todas as coisas vivas necessitam de respirar. A respiração da célula é o
sopro de vida. Quando respiramos estamos fazendo uma troca de gases.
Estamos aspirando o oxigênio e expelindo outros gases tóxicos. Isso faz
com que a corrente sanguínea seja renovada. Assim a respiração é a
expressão mais básica de vida.
Mas quando falamos de respiração estamos nos referindo à atmosfera e
isso aponta para o ambiente da célula. Um ambiente cheio de amor e
hospitalidade permite ao visitante respirar aliviado num mundo cheio
da poluição do pecado e do egoísmo.
O ambiente da célula deve estar permeado pelo amor de Deus. A força
da célula está nos vínculos de amor. São esses vínculos que favorecem o
crescimento. Nós não fomos salvos simplesmente para participar de
cultos aos domingos, fomos salvos para sermos membros uns dos outros
na Igreja, que é o Corpo de Cristo. É justamente por isso que nos
reunimos nas células, porque lá os vínculos de amor podem ser
firmados.
Decida amar os irmãos. Decida andar com eles. Decida abençoar e falar
coisas boas de sua igreja e de sua célula. Você não pode amar aquilo que
você não abençoa. Se suas palavras são sempre negativas em relação aos
irmãos, em relação à sua célula e à igreja, você nunca será capaz de amá-
los.
Que palavras você tem dito a respeito dos irmãos e da visão de Deus
neste lugar? E mais: o que você tem se permitido ouvir? Pessoas que
falam continuamente palavras negativas e de morte a respeito dos
irmãos são enviadas do maligno para gerar em você ira, raiva, rancor e
ressentimento.
Você jamais receberá da unção que você não reconhece e não honra.
Algumas pessoas dizem que já não sentem mais a mesma unção entre
nós, como se a unção tivesse partido. Na verdade, o que acontece é que
elas já não conseguem receber através de nós justamente porque suas
palavras sobre nós são negativas. A unção só flui através do amor. Para
que eu possa ministrar na sua vida, eu preciso amá-lo; caso contrário, a
unção não fluirá. Mas o inverso também é verdadeiro. Se você não me
ama, não pode receber da unção que está sobre mim. O amor é o meio,
o caminho pelo qual a fé e unção fluem.
Essa é a razão porque muitos têm se sentido áridos e secos, mesmo
vivendo na beira do rio. Se você amaldiçoa o rio, você não desejará beber
dele.
Não espere até que os irmãos sejam perfeitos para serem dignos de seu
amor. Não espere até que a igreja chegue à glória para amá-la. Tome a
decisão de amar hoje. Mude suas palavras, comece a abençoar a fonte
que o nutre.

4. Sensibilidade
Todos os seres vivos reagem a mudanças ao redor deles, como o toque,
luz, calor, frio e som. É a sensibilidade na célula que permite a vida em
comunidade.
Todos precisam saber que é bom chorar juntos. Precisamos entender
que, quando enfrentamos uma crise juntos, não precisamos ser estóicos.
Não precisamos fazer de conta que não sentimos nada. Podemos nos
desprender em lágrimas e emoções. Vejo os presbíteros de Éfeso
abraçando e beijando calorosamente a Paulo; e os irmãos de Cesaréia
chorando e implorando-lhe para não subir a Jerusalém; até que ele
respondesse: “Que fazeis chorando e quebrantando-me o coração?” (At
21.13). Mas eles sabiam que não mais veriam Paulo face a face. Por toda
a Bíblia, encontramos horas em que se devia gritar, horas em que se
devia chorar, horas em que se devia rir. Todas as emoções humanas são
válidas em Deus! Deus não quis que suprimíssemos nossas emoções –
elas têm a sua manifestação legítima. A igreja e a célula como sua
expressão é o lugar onde expressamos nossos sentimentos em liberdade
e os nossos irmãos são aqueles que são sensíveis e solidários com a nossa
dor e com a nossa alegria.
Uma célula que é sensível à dor e à aflição e que dá uma resposta de amor
e cuidado é um lugar cheio de vida. Essa vida certamente vai se expressar
em algum momento no crescimento e na multiplicação.

5. Excreção
Quando um organismo está expelindo o lixo do seu corpo nós chamamos
isso de excreção. Se esse lixo continuasse dentro do corpo ele se tornaria
venenoso, por isso o organismo precisa eliminar esses resíduos. A
excreção nada mais é que a subtração. A subtração precede a
multiplicação.
Algo que qualquer agricultor sabe é que toda árvore precisa ser podada
para que possa dar frutos. Jesus disse que antes da frutificação é preciso
haver a poda: “Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o
corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda”
(Jo 15.2). Até mesmo a célula que está dando fruto eventualmente será
podada. Eu sei que nós não queremos perder ninguém, mas infelizmente
existem aqueles que não podem avançar conosco.
Na equação da multiplicação não podemos ignorar a subtração. Ela é tão
importante quanto a multiplicação. O banheiro é tão necessário quanto
a cozinha numa casa. Remover pessoas erradas é tão importante quanto
estabelecer as pessoas certas. Provérbios diz: “Lança fora o
escarnecedor, e com ele se irá a contenda; cessarão as demandas e a
ignomínia” (Pv 22.10).
A subtração acontece de dois modos. Algumas subtrações acontecem
porque as pessoas nos deixam. Alguns nos deixam por causa da distância
ou mudança e outros saem por causa de pessoas e amizades.
O segundo tipo de subtração é quando nós mesmos convidamos pessoas
a saírem. Há pessoas com problemas, mas existem aquelas que são um
problema. São aquelas que têm problemas com todo mundo. Se o Zé tem
problemas com todo mundo, é porque o problema é o Zé. Nunca
mandamos embora pessoas com problemas, mas removemos aquelas
que são um problema.
O seu discipulador deve sempre ser comunicado sobre todo tipo de
problema de relacionamento na sua célula. Se houver necessidade de
disciplina, ele o fará. Mas não fique desanimado se a poda for necessária,
é o sinal de que a célula vai frutificar muito mais. A subtração faz parte
da equação da multiplicação da célula.

6. Crescimento
Quando organismos vivos se alimentam eles ganham energia. Uma parte
dessa energia é usada no processo de crescimento. Seres vivos se tornam
maiores e mais complexos na medida em que crescem.
Em nossa experiência como igreja temos observado que o crescimento
de uma célula acontece de duas formas: podemos ter um crescimento
constante ainda que pequeno e podemos ter explosões eventuais. No
Livro de Atos vemos que a igreja primitiva também experimentava esses
dois lados do crescimento. Por um lado Atos 2:47 diz que “acrescentava-
lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”. Esse crescimento
diário não era explosivo, mas eventualmente eles experimentavam essas
explosões. Atos 2:41 diz que houve um acréscimo num dia de quase três
mil pessoas.
É interessante como esse princípio pode ser observado numa criança.
Sabemos que elas crescem todos os dias, mas periodicamente elas têm
um estirão e de repente nos assustam com o crescimento. Na vida de
uma igreja em células saudável sempre vemos esses dois lados do
crescimento.
Como sacerdotes na Casa do Senhor precisamos observar
constantemente a saúde da célula. Não podemos fazer a célula crescer,
mas podemos mantê-la saudável para que ela experimente crescimento
constante.
Normalmente quando os irmãos crescem em maturidade (crescimento
qualitativo) a célula crescerá em quantidade. O crescimento qualitativo
verdadeiro sempre resultará em crescimento quantitativo.

7. Reprodução
Uma célula pode crescer e nem por isso estará pronta para se
multiplicar. Para que uma célula se multiplique primeiro precisamos
multiplicar a liderança.
As células surgem e desaparecem, começam e terminam, a menos que
os membros de grupos se transformem em líderes de célula, os frutos
não serão duradouros. Assim a prioridade máxima de um líder de célula
é identificar líderes em potencial e iniciar o processo de discipulado. A
primeira condição para a multiplicação de uma célula é que o próprio
líder tenha gerado outro. Cada semente gera de acordo com a sua
espécie. Ovelhas geram ovelhas, mas líderes geram líderes.
O objetivo principal do líder não é simplesmente sustentar e cuidar da
célula. Evidentemente, ele fará isso, mas seu trabalho principal é
encontrar, treinar e enviar novos líderes. A célula não é uma estratégia
de organização, mas de liderança. Nosso alvo não é ter membros, mas
discípulos. E cada discípulo deve ser treinado para liderar uma célula.
Alguns líderes se contentam em ter uma reunião de célula cheia, mas
uma reunião cheia não atinge o alvo completamente. Se não tiver, pelo
menos, um líder em treinamento, será uma célula fraca mesmo sendo
grande. Precisamos levar cada membro a se tornar um líder de célula.
Cada líder deve constituir pelo menos três líderes-em-treinamento na
sua célula, esses líderes-em treinamento serão seus discípulos e
cooperadores. Ele deverá então se encontrar semanalmente com seus
três discípulos. Esse encontro poderá acontecer um pouco antes ou um
pouco depois da reunião da célula. Toda a célula deve ser distribuída
entre os três discípulos para que atuem como anjos da guarda cuidando
dos demais irmãos.
O que Paulo falou em IITimóteo 2:2 é o padrão do avanço do reino de
Deus. “E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas,
isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a
outros”.
Veja se você entendeu. “E o que da minha parte ouviste, através de
muitas testemunhas”, Paulo não falou isso em particular, mas em
público. “Isso mesmo transmite”. Para quem? Para qualquer homem?
Para que tipo de homem? Homens fiéis. Mas qual que é a fidelidade que
se espera dele? A fidelidade de manter o processo e instruir outros. Esse
aqui é o processo de reprodução na célula. Nós não multiplicamos
células, nós multiplicamos liderança. Se você não está reproduzindo
liderança na célula, você não compreendeu a visão apropriadamente.
O próprio Paulo é um exemplo do processo. Paulo diz, “O que de mim
ouviste”, então Paulo começou o processo. Timóteo ouviu. Ele era o
discípulo. E agora Paulo diz: “o que você recebeu, Timóteo, transmite
para homens fiéis”. E esses homens fiéis por sua vez vão transmitir para
outros. E esses outros, para outros. Qual é o propósito de Deus?
Desencadear um processo, uma reação em cadeia que ninguém pode
impedir. Você recebe e passa para outro, que passa para outro, que passa
para outro.
Nós temos muitos cursos em nossa igreja, mas os cursos não substituem
o discipulado. Curso não forma líderes e nem gera discípulos. A única
maneira de se tornar um líder é sendo treinado por outro líder. Se você
não anda com um líder, você não se torna líder. E se você não tem
ninguém andando com você como discípulo o processo reprodutivo da
célula está interrompido. A célula pode até crescer, mas não se
multiplicará.
Não pense que o nosso trabalho é simplesmente mandar alunos para o
curso de treinamento da Igreja. Assim como evangelizar não é só
mandar alguém para o encontro. Cada ministro precisa perceber o
espírito da obra de Deus e ter o encargo devido.
A ordem de Jesus foi muito clara: “Ide, portanto, fazei discípulos [...]
ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (Mt.
28:19-20).
A ordem do Senhor é para fazermos discípulos. Como é que os
discipulamos? Ensinando-os a guardar. Ensinar a guardar não é ensinar
usando curso de treinamento. Não é só ensinar de maneira teórica, é
ensinar fazendo, ensinar a guardar é você fazer junto. Você não vai só
ensinar ele a orar, você vai orar junto com ele. Você vai ensinar ele a
pregar, sim, mas vai pregar junto com ele. Isso é se reproduzir. O avanço
da obra hoje depende da sua seriedade como ministro na Casa de Deus.
O seu principal encargo deve ser se reproduzir gerando discípulos.

Você também pode gostar