Você está na página 1de 60

Guia do formador

da Escola Ativa
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
Diretoria de Programas Especiais
Fundescola

Guia do formador
da Escola Ativa

Elaboração:
Lílian Barboza de Sena

Brasília, 2005
2005. Fundescola/DIPRO/FNDE/MEC
Esta obra poderá ser reproduzida desde que citada a fonte.
“Deus nos fez perfeitos e não
escolhe os capacitados,
capacita os escolhidos.
Fazer ou não fazer algo só
depende de nossa vontade e
perseverança”.

Autor desconhecido
Sumário:

Carta aos formadores 9

Orientações para o planejamento do curso de formação 11

Procedimentos que antecedem a formação 15

Desenvolvimento da formação 21

Anexos 41

Considerações finais 47

Diário do formador 49
Carta aos formadores
Caro formador,

Este guia tem como objetivo orientá-los nos procedimentos necessários para a formação
inicial dos professores que deverão atuar em escolas que implantarem a estratégia metodológica
Escola Ativa.

Imaginamos um formador ativo, estudioso, líder, com conhecimento didático


a respeito do universo onde irá atuar e comprometido com o sucesso das escolas
multisseriadas que estarão sob sua responsabilidade.

São aspectos importantes, pois consideramos que a tarefa de formação e seu


sucesso dependem, também, de quem a ministra.

Não estamos buscando um profissional pronto, mas um profissional que saiba


que está em processo constante de aprendizagem e comprometido com sua formação.

Um formador precisa ter conhecimento sobre a metodologia, os materiais instrucionais


e sobre a realidade social em que irá atuar. Deve ajudar o professor a identificar as teorias que
orientam seu trabalho, para que este, tomando consciência delas, torne-se mais autônomo para
planejar a sua própria prática, sabendo por que, para que e como ensinar.

Consideramos esta formação como o início de um processo que desencadeará


mudanças educacionais e sociais nas comunidades do campo.

Este é o grande desafio que lhe propomos: aprender como formar pessoas
que, na sua prática, venham a assumir a condição social de fazer brotar, na
comunidade escolar do campo, a valorização do seu universo cultural.

Para desenvolver bem o seu trabalho, você precisará ter em mente que a tarefa
que o espera não é simples, pois investir em sua formação e na formação de outros
agentes educacionais não acontece de maneira mágica.

É um processo que depende da disponibilidade para conhecer o novo, para


refletir sobre a prática, para ousar transformar...

9
Guia do formador da Escola Ativa

Você verá que as ações desenvolvidas o tornarão um profissional mais experiente, capaz
de favorecer não apenas a sua própria aprendizagem, mas também a aprendizagem e a reflexão
do cursista, conscientizando-o da importância da sua formação.

Acreditamos em sua capacidade de desencadear e monitorar todo esse processo,


garantindo assim a sustentabilidade da estratégia metodológica Escola Ativa em seu estado ou
município.

Um abraço,

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

10
Orientações para o planejamento do curso de formação
Orientações para o planejamento do
curso de formação

Este documento objetiva traçar as linhas gerais de uma formação de


professores que inclua estratégias presenciais, bem como, estratégias da formação
a distância.

Propomos, com este material, um modelo alternativo de formação de


professores da Escola Ativa, onde o município ou o estado se responsabilize pela
efetividade e pelo sucesso da implantação da estratégia, partindo da suposição de
que, quando o gestor adota em sua rede algum projeto educacional, se torna
responsável por seu sucesso.

Neste modelo, o formador, que pode ser o supervisor técnico responsável pelo
monitoramento das escolas, é agente fundamental. Ele deve conhecer a diversidade
das histórias dessas escolas e de seus professores, os quais possuem necessidades
diferentes de formação, tentando minimizar os problemas enfrentados por estes em
suas classes e, com isso, contribuindo para a melhoria do ensino.

A proposta desta primeira formação pressupõe um sujeito/cursista responsável


por sua formação e crescimento profissional e envolvido em seu processo de
aprendizagem. Este cursista utilizará materiais auto-instrucionais (impressos e
vídeo) e participará de atividades coletivas (grupos de estudo) e de atividades
individuais. Sugerimos que os estudos coletivos sejam realizados aos sábados
(microcentros 1 quinzenais, mensais ou bimensais). A proposta pressupõe, também,
atividades de prática pedagógica (aulas simuladas) e um serviço de assessoramento
pedagógico por meio do monitoramento às Escolas Ativas.

1
Microcentros são encontros pedagógicos onde os professores das Escolas Ativas estudam e
debatem seus progressos e dificuldades com outros professores 11
Guia do formador da Escola Ativa

Caracterização do material instrucional para


a formação

Os materiais que comporão o kit de formação da estratégia metodológica


Escola Ativa 2 são:

1 - Guia de formação de professores3:

Foi elaborado para o estudo da metodologia e nele se encontra toda a


c o n c e p ç ã o o rg a n i z a c i o n a l e e d u c a c i o n a l d a e s t r a t é g i a . P o s s u i m ó d u l o s
auto-instrucionais, textos e estudos de casos e atividades, permitindo ao cursista
vencer as unidades, os módulos e suas atividades, de acordo com o seu próprio
ritmo: “O passo eu faço”. É voltado para todo educador que queira aprender sobre
a metodologia.

2 - Guia do formador:

Voltado para o formador da Escola Ativa, ou seja, para o responsável pela


formação de profissionais que irão implantar a metodologia em suas escolas
multisseriadas. É um passo-a-passo de todo o módulo de formação.

3 - Vídeos instrucionais:

Os programas que farão parte da série Escola Ativa terão a tarefa de substituir
a formação presencial que foi, até o momento, oferecida integralmente em oficinas
nos estados e municípios. A complexidade deste trabalho reside em se pensar em
uma formação interativa que faça com que o cursista reflita a todo o momento sobre
a sua prática pedagógica, propiciando a transposição da metodologia à sala de aula.

A metodologia de capacitação empregada até o momento foi realizada baseando-se na


leitura e na discussão de textos. Em atividades individuais e em grupo, portanto, os vídeos
valorizarão estas estratégias, que serão orientadas, também, pelo guia de formação de
professores e pelo formador.

2
Kit formado por guia de formação de professores, guia do formador, aspectos legais, vídeos instrucionais,
coleção de alfabetização e conjunto de Guias de Aprendizagem.
12 3
Cada professor receberá um guia de formação de professores na oficina.
Orientações para o planejamento do curso de formação
O formato da série obedecerá ao desenvolvimento dos conteúdos de cada unidade do
guia de formação de professores. O apresentador deverá fornecer informações e as ilustrará
com situações simuladas de uma sala de aula, quando necessário.

Especificações dos vídeos:

Programa 01 – A Escola Ativa no contexto educacional brasileiro

O programa contextualizará a educação do campo e a multisseriação no Brasil.


Discorre sobre os problemas educativos que tradicionalmente afetam as escolas
multisseriadas e apresenta a Escola Ativa como uma possibilidade de se transformar
estas escolas.
Fala sobre:
1) Problemas educacionais das escolas multisseriadas.
2) A estratégia metodológica Escola Ativa no contexto educacional
brasileiro.
3) Fundamentos metodológicos da estratégia Escola Ativa.
4) Princípios básicos que norteiam a Escola Ativa.
5) Principais fatores que contribuem para uma prática pedagógica eficaz.

Programa 02 – Gestão Escolar

1) A Gestão Escolar.
2) O Governo Estudantil como fator importante para o desenvolvimento
afetivo, social e para a construção da cidadania.
3) Como organizar o Governo Estudantil.
4) Responsabilidades e funções dos alunos no Governo Estudantil.
5) Como garantir o bom andamento dos comitês.
6) Instrumentos que os alunos utilizam no Governo Estudantil.

Programa 03 – Guias de Aprendizagem

1) O que são Guias de Aprendizagem.


2) Estrutura metodológica dos Guias de Aprendizagem.
3) Planejando com os Guias de Aprendizagem.
4) Os Guias e a avaliação da aprendizagem.
5) Aprovação flexível, um estímulo para o sucesso escolar do aluno.
6) A utilização dos Guias de Aprendizagem no ambiente escolar.

13
Guia do formador da Escola Ativa

Programa 04 – Cantinhos de Aprendizagem

1) O que são Cantinhos de Aprendizagem.


2) Os Cantinhos de Aprendizagem no ambiente da sala de aula.
3) A organização dos Cantinhos de Aprendizagem: um processo coletivo e
participativo.
4) A utilização dos Cantinhos de Aprendizagem no processo de
aprendizagem.

Programa 05 – Escola e comunidade

1) Escola e comunidade: uma articulação possível e necessária.


2) Conhecendo a comunidade.
3) Instrumentos que permitem conhecer a comunidade.

Programa 06 – Orientações para a supervisão municipal

1) O papel do supervisor na formação dos professores.


2) Funções e atribuições do supervisor.
3) Como organizar o trabalho de monitoramento.
4) O que assegurar durante o monitoramento das escolas.
5) Como elaborar uma proposta pedagógica.

Duração e carga horária

Sugerimos uma duração de cinco dias, com carga horária de quarenta horas.
Este período poderá ser estendido conforme a necessidade e o ritmo do grupo de
cursistas.
As atividades coletivas terão a periodicidade e a duração definidas pelo estado
ou município, considerando-se as especificidades de cada região.

14
Procedimentos que antecedem a formação
Procedimentos que antecedem a formação

O curso de formação na estratégia metodológica Escola Ativa foi estruturado


de maneira que os cursistas possam vivenciar situações nas oficinas que deverão
implementar em suas escolas.

A oficina de formação utiliza as mesmas estratégias pedagógicas das salas de


aula das Escolas Ativas. Durante a formação, o espaço físico onde se realiza a oficina
vai adquirindo, aos poucos, os ares de uma “sala ativa”.

Os procedimentos didáticos utilizados são práticos e vivenciais, permitindo


que o professor tenha uma experiência pessoal com a mesma metodologia que
utilizará com seus alunos.

Como material essencial, ele utilizará o guia de formação dos professores,


que é o documento que traz toda a concepção teórica da estratégia e ensina como
implantá-la na escola.

Você, formador, deverá ler com bastante atenção o guia de formação para aprender
sobre a estratégia e como cada atividade deverá ser realizada, bem como, assistir aos vídeos,
o que lhe proporcionará uma ampliação nos conhecimentos adquiridos e uma maior assimilação.

Estar apto para desempenhar esta função é uma competência necessária a ser
desenvolvida por você, pois o conhecimento profissional o habilita à formação a
qual você é responsável.

Espera-se que as habilidades e competências que os cursistas deverão


desenvolver sejam progressivamente construídas ao longo do desenvolvimento dos
módulos e unidades.

Visando orientá-lo melhor, estabelecemos alguns passos a serem seguidos.

1 o Passo – Organização e estudo:

Partimos do pressuposto de que o conhecimento que você possui da estratégia


metodológica Escola Ativa é composto por informações incipientes para uma
formação, pois foram fornecidas para que se soubesse somente para o que serve ou
para que clientela se destina. A Escola Ativa é muito mais do que isso, como você verá no
decorrer do seu estudo.
15
Guia do formador da Escola Ativa

A Escola Ativa reúne concepções pedagógicas modernas, onde o foco é o aluno,


permeada por um sistema que a estrutura e que envolve vários agentes para o seu sucesso.

É importante compreender que existe um processo organizacional a ser seguido e que


este deverá ser obedecido.

Você poderá organizar a duração (flexibilizando o tempo de estudo) e o período do


curso, ou ainda, como ele se dará, mas não poderá privilegiar estudos desta ou daquela unidade
ou não cumprir metodologicamente o cronograma que orientamos.

É extremamente importante, também, que você se aproprie das concepções da estratégia


metodológica Escola Ativa que norteiam o trabalho que irá desenvolver, lendo o guia de
formação dos professores e assistindo aos vídeos, até se sentir seguro(a) para passar ao
planejamento.

Roteiro:

z separe todo o material necessário para o estudo: guia de formação do professor,


vídeos, orientações para a supervisão municipal, guia do formador, folder, coleção
de alfabetização, aspectos legais, Parâmetros Curriculares Nacionais, entre outros
e destine diariamente uma hora ou mais para estudar;

z estude todo o guia de formação de professores, que trata dos objetivos, conteúdos,
atividades e formas de avaliação. Durante o estudo, dúvidas poderão ocorrer e será
importante que você as registre no diário do formador e que busque os
esclarecimentos necessários;

z assista aos vídeos, duas ou mais vezes, treinando as pausas e as intervenções


(falas), o que garantirá a segurança necessária para a sua atuação;

z informe-se sobre os professores que participarão da formação e sobre as escolas


que implantarão a estratégia metodológica Escola Ativa. Se possível, faça um
diagnóstico prévio do grupo de cursistas: formação profissional, tempo de experiência
no magistério, se é morador da comunidade, ou outras informações que julgar
necessárias.

Orientações básicas:

Para facilitar a sua compreensão, observe o guia de formação de professores. Ele está
estruturado em unidades, módulos e seções (atividades básicas, práticas e de aplicação e
compromisso).
16
Procedimentos que antecedem a formação
As unidades têm como temas:

1- A estratégia metodológica Escola Ativa no contexto educacional brasileiro


2- A estratégia metodológica Escola Ativa
3- O Governo Estudantil
4- Guias de Aprendizagem
5- Cantinhos de Aprendizagem
6- Escola e comunidade

Essas unidades trazem informações gerais sobre a estratégia e detalham sobre sua
estrutura em componentes, elementos e instrumentos. Cada unidade é composta por módulos
que serão desenvolvidos pelo cursista e posteriormente implementados e vivenciados em sala
de aula. Cada módulo está estruturado em três seções intituladas:

Atividades Básicas

Atividades Práticas

Atividades de Aplicação e Compromisso

Atividades Básicas – visam averiguar os conhecimentos prévios, experiências


pessoais como sendo o ponto de partida das atividades, ou seja, devem sempre conter
uma introdução dos conteúdos, envolvendo trabalho individual, em grupo ou em duplas.

Atividades Práticas – constituem-se de atividades sobre os conteúdos trabalhados,


e estes deverão ser discutidos e realizados em regime de cooperação ou
individualmente, auxiliando na construção dos conhecimentos.

Atividades de Aplicação e Compromisso – compõem-se de atividades que


serão realizadas na oficina ou que despertarão um planejamento prévio a ser
desenvolvido na escola e que envolverá a participação dos alunos, pais, demais membros
da família, pessoas que residem na comunidade, entre outros parceiros.

Cada unidade deverá levá-lo à compreensão do que o professor precisa assegurar em


seu processo de formação, pois reúne um conjunto de orientações didáticas que permeiam as
explicitações sobre o ensinar e o aprender; sobre o conhecimento e as oportunidades de
aproximação dos conhecimentos como meios para a sua reflexão e mudança, contribuindo
para a construção de novos valores e permitindo até mesmo intervir na realidade de sua sala de
aula, compreendendo-a e transformando-a. 17
Guia do formador da Escola Ativa

Além das unidades, lembre-se de ler também as considerações iniciais que compõem o
guia de formação de professores, a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da educação, no 9394/96),
pareceres do Conselho Nacional de Educação citados no guia de formação, o manual do
professor da coleção de alfabetização da Escola Ativa (que contém toda a concepção pedagógica
da Escola Ativa em relação à alfabetização), as diretrizes operacionais do campo e os aspectos
legais.

2 o Passo – Planejamento da formação:

Você estudou e agora se considera apto a passar para a ação seguinte que é o
planejamento da formação.

O sucesso da formação dependerá de um bom planejamento do tempo, do


espaço e do material didático.

Para que tudo saia como o esperado, é necessário organização e, para tanto,
você deverá providenciar:

z agenda do curso. Como já orientamos, você poderá planejar o período que


destinará ao curso de formação, mas existem condições que não são flexíveis, por
exemplo: o curso de formação inicial da Escola Ativa tem a duração mínima de
cinco dias, ou seja, quarenta horas. Cada dia é destinado ao estudo de uma ou duas
unidades, tendo a duração de oito horas. Você poderá organizar o curso em uma
semana ou em dias intercalados.

O que solicitamos é que se siga rigorosamente o planejamento proposto para a


formação.

z material de consumo para uso diário (lápis, borracha, blocos, etc.);

z exemplares ou cópias dos materiais instrucionais;

z espaço físico adequado à aprendizagem dos cursistas e ao desenvolvimento das


atividades;

z equipamentos necessários para a formação;

z comunicação formal convocando os professores;

z transporte para os professores, caso necessário;


18
z alimentação, caso necessário;

Procedimentos que antecedem a formação


z hospedagem para os cursistas, caso necessário.

Bom, agora chegou a hora de rever os conteúdos que deverão ser desenvolvidos durante
a oficina de formação, como definido no planejamento sugerido. Este planejamento deverá ser
enriquecido por você com dinâmicas, textos para reflexão, depoimentos ou o que mais a sua
criatividade ditar. Sugerimos, caso seja possível, uma visita a uma escola que já implantou a
Escola Ativa. Caso acate nossa sugestão, inclua mais um dia no planejamento da oficina de
formação.

O planejamento possui os conteúdos que serão trabalhados a cada dia, mas


lembre-se:

z reveja todo o planejamento proposto e as atividades que serão


desenvolvidas. Replaneje, caso seja necessário;

z viabilize, junto aos órgãos competentes, as condições necessárias para a


execução da formação.

19
Desenvolvimento da formação
Desenvolvimento da formação

A partir do início da oficina, se desencadearão momentos muito importantes para você


e para os cursistas. Este é o seu momento e o seu espaço, ocupe-o. Seja o ator coadjuvante
desta grande tarefa, orientando os professores para que sejam eles os atores principais do
processo de aprendizagem que será desencadeado.

A interação entre formador e cursistas e entre os próprios cursistas é fundamental.


Propicia a construção de um clima favorável à aprendizagem, à confiança e ao respeito a
diferentes pontos de vista e opiniões, ou seja, um espaço para a discordância por meio de
atitudes que devem ser previstas. O debate gerado por opiniões diferentes amplia o conhecimento
sobre o conteúdo trabalhado e integra o processo de formação. Muito cuidado com este momento
tão precioso. Inicie a oficina sensibilizando-os, demonstrando toda a expectativa que você
possui em relação ao sucesso deles.

Durante muito tempo, as escolas multisseriadas foram consideradas como escolas onde
o ensino proporcionado estava muito aquém do oferecido em escolas seriadas. Acreditamos
que o problema não é a sua organização escolar e sim a metodologia adotada nesta
organização. Por isso, precisamos quebrar esse paradigma, inicialmente, com nossos
professores.

Você, como formador, precisa manter uma linguagem que deverá ser muito clara e
dialógica, deixando sempre explicitados os objetivos da oficina de formação, além de intervir
observando o conhecimento que estará sendo construído pelos professores.

É importante, durante a oficina:

z apresentar, no primeiro dia, o guia de formação e a dinâmica da oficina, explicando


aos professores quais as habilidades e competências se pretende com o
desenvolvimento das atividades;

z administrar o tempo destinado a cada atividade, assumindo com firmeza o controle


do tempo de trabalho e a conclusão das atividades previstas;
21
Guia do formador da Escola Ativa

z avaliar processualmente, durante o dia, a aprendizagem dos cursistas, intervindo,


quando necessário, para alimentar as discussões, fomentar as reflexões, estimular
a participação solucionando dúvidas e, também, sistematizar, ao final do dia, o
conteúdo estudado;

z registrar os avanços dos cursistas na Ficha de Acompanhamento e


Progresso. Esta ficha será preenchida após o término de cada módulo e
unidade. Siga as mesmas orientações dadas no guia de formação de
professores;

z registrar o cumprimento do roteiro diário planejado, realizando neste momento uma


auto-avaliação do seu desempenho e do desempenho dos cursistas.

Não se esqueça de registrar, não só durante a fase de estudo, mas


também durante a formação propriamente dita, todos os fatos ocorridos
na capacitação; suas dificuldades, as principais dificuldades dos cursistas,
os progressos, os temas que mais denotaram preparação profissional e a
relação entre suas expectativas e os objetivos alcançados. As anotações
servirão como fundamentação durante os processos de avaliação da
aprendizagem dos cursistas e no seu processo de auto-avaliação.

Sugerimos, no guia dos professores, um Diário da formação para que,


durante a oficina, os professores registrem suas impressões. É necessário,
desde o início, falar-lhes sobre a importância do registro escrito para o
processo de formação profissional e de desenvolvimento pessoal.

Competências profissionais a serem desenvolvidas pelos


professores cursistas

O bom desempenho do professor depende de uma série de fatores que


poderíamos elencar indeterminadamente: motivação, incentivos em sua carreira,
bons salários, entre outros. Mas é fundamental uma boa formação teórica, base
para determinar suas práticas pedagógicas.

Chamamos de competência a reunião de conhecimentos que são necessários e que


habilitam o professor a desempenhar com efetividade seu papel em sala de aula. Podemos
citar então:

22
Desenvolvimento da formação
z selecionar estratégias para intervir intencionalmente na aprendizagem de seus
alunos;

z avaliar processualmente, aproveitando erros e dificuldades, para intervenções


pedagógicas;

z promover a interação e a socialização constante entre os alunos;

z viabilizar um espaço para a discussão dos valores, desenvolvendo o


aspecto sócio-afetivo;

z estimular a síntese dos temas apresentados;

z possibilitar a auto-avaliação na geração de novas aprendizagens;

z sistematizar o progresso dos alunos;

z contextualizar as aprendizagens;

z desenvolver saberes mais sólidos sobre os conteúdos a serem trabalhados


durante o ano letivo;

z alinhar os conteúdos sugeridos pela gestão educacional a serem


trabalhados em sala de aula, com os conteúdos que fazem parte do núcleo
comum nacional;

z planejar suas aulas levando em consideração a organização do tempo,


espaço e materiais didáticos;

z avaliar os alunos sob uma nova perspectiva, realizando permanentemente


o desenvolvimento da sua aprendizagem;

z compreender o universo em que a escola está inserida, orientando


coerentemente os alunos para que se transformem em cidadãos produtivos;

z aprender sobre a cultura da comunidade do campo onde a escola está inserida, suas
peculiaridades e as formas de funcionamento social, desenvolvendo a valorização,
a auto-estima e o sentimento de pertinência nos alunos;

z estimular a tolerância, a convivência e a cooperação entre os membros da escola.


23
Guia do formador da Escola Ativa

Procedimentos didáticos

Combinados:

Na Escola Ativa, usamos uma estratégia didática que tem como função
estabelecer regras tanto de convivência como de organização de um grupo de estudo:
os combinados.

Estes combinados são estabelecidos pelo próprio grupo junto com o formador, que orienta
as regras que auxiliam no cumprimento do planejamento estabelecido por ele mesmo quanto
aos conteúdos que devem ser estudados e às atividades que devem ser desenvolvidas pelos
cursistas; organizam o grupo, regulando o tempo gasto em cada atividade; propiciam a atenção,
desfavorecendo a dispersão dos cursistas para outros assuntos.

Os combinados estabelecidos na oficina de formação se assemelham aos que


serão estabelecidos nas salas dos professores posteriormente, só que, neste caso, o
caráter é essencialmente didático, pois nele deve constar: a agenda do dia, os horários
e o que o formador espera do dia de trabalho.

Sugerimos que os combinados sejam estabelecidos desde o primeiro dia e ao


longo de toda a formação.

Formação dos grupos:

O trabalho em grupo é uma ação fundamental na condução da estratégia, tendo


em vista que os alunos passam não só a assegurar sua aprendizagem, mas também a
contribuir significativamente na aprendizagem de seus colegas.

Na oficina, os professores se organizam em grupos, algo semelhante ao que acontece


na sala de aula, e as atividades pressupõem o desenvolvimento individual, em dupla, com os
colegas ou com o professor.

Na oficina, também os professores assumem a responsabilidade pela sua aprendizagem,


pesquisando e buscando informações em outros materiais instrucionais e na vida real, orientados
pelo professor, pelos colegas e pelo guia. Esta deverá ser, também, a prática do aluno em sua
sala de aula.

É necessária a utilização de uma dinâmica para que a turma se organize em grupos de


estudo.

24
Desenvolvimento da formação
Após a organização dos grupos, oriente a definição dos nomes, lemas e músicas que
identificarão cada grupo. Peça para que eles escolham também um representante de cada
grupo que será o monitor. Este monitor terá a função de representar o grupo, coordenar o tempo
para a execução das atividades e apresentar as conclusões. Será escolhido um monitor para
cada dia de oficina.

Utilização do guia de formação

No guia de formação, está contemplada toda a concepção curricular proposta na


metodologia para o atendimento das classes multisseriadas que atendem alunos em processo
de alfabetização (da educação infantil) e de 1a a 4a séries, situadas no campo, enfatizando a
auto-aprendizagem como princípio educativo.

O trabalho a ser desenvolvido com o guia de formação deve levar em consideração a


garantia dos seguintes princípios:

z a compreensão da estrutura metodológica do guia e dos ícones pelos cursistas,


assegurando-se uma visão completa da atividade e a leitura compreensiva;

z a avaliação no processo, contemplando os erros e as dificuldades para a realização


de intervenções pedagógicas;

z a promoção da interação e a socialização constante entre os alunos, com a


viabilização de um espaço para discussão dos valores e desenvolvimento do aspecto
sócio-afetivo e da síntese dos temas apresentados;

z a sistematização do progresso dos alunos, contextualizando as aprendizagens.

Ressaltamos novamente a importância da sua orientação para que os cursistas


compreendam o significado de cada ícone que está no guia para facilitar a execução das
tarefas, e a importância de você explicar que o guia de formação de professores possui a
mesma estrutura dos guias de aprendizagem dos alunos. É como se fosse um “exercício” do
que os professores devem orientar em sala de aula para os alunos.

Avaliação

Este momento é muito importante, pois assegura a avaliação processual que deverá ser
feita durante o processo de aprendizagem. Ao final de cada módulo e ao final de cada unidade,
o formador deverá realizar a avaliação do conteúdo estudado pelos cursistas, propiciando, se
achar viável, o avanço para o estudo do módulo ou unidade seguinte. 25
Guia do formador da Escola Ativa

Perguntar quais foram as eventuais dúvidas durante o estudo, anotá-las em seu diário e
socializá-las posteriormente com toda a turma aprofundando as questões, ouvindo opiniões e
questionando suas respostas é muito importante.

Estes momentos farão com que os cursistas notem a importância de se avaliar


antes, durante e depois do desenvolvimento das atividades por eles realizadas. Só
assim poderão em sua sala transpor este “modelo” à sua prática.

Diário da formação

Espaço destinado para que você, como professor, possa registrar roteiros,
planos, ações, dificuldades e o seu olhar sobre a formação que ministrará. Ele será,
futuramente, um material de apoio com relatos que propiciarão a melhoria em
próximas formações e conseqüentemente em sua formação profissional.

26
Agenda de formação
Agenda de formação

1 o dia

Tempo previsto: 08 horas

Conteúdos a serem desenvolvidos:


z Considerações iniciais para a formação na estratégia metodológica Escola Ativa
z Contexto histórico da Escola Ativa no Brasil
z Unidade 1 – A estratégia metodológica Escola Ativa no contexto educacional
brasileiro
Módulo 1 – Finalidades da educação básica
Módulo 2 – Princípios do ensino fundamental
Módulo 3 – Educação básica e diretrizes do campo
z Unidade 2 – A estratégia metodológica Escola Ativa
Módulo 1 – Fundamentos metodológicos da estratégia Escola Ativa
Módulo 2 – Princípios básicos que norteiam a Escola Ativa
Módulo 3 – Principais fatores que contribuem para uma prática pedagógica
eficaz

Sessão de vídeo:
Programa 1

Atividades propostas pelo guia de formação nas unidades 1 e 2:

z acolhimento dos cursistas;

z apresentação da primeira parte do programa 1;

z organização dos cursistas em grupos; escolha do nome, do lema, da música


e do monitor de cada grupo;

z exploração, discussão e sistematização dos conceitos prévios sobre a


educação básica;

z ampliação do conceito sobre a educação básica, sua importância e o que


a legislação contempla em relação à sua organização;

z leitura, discussão e sistematização dos princípios básicos do ensino


fundamental; 27
Guia do formador da Escola Ativa

z leitura, discussão e sistematização dos fundamentos e princípios da educação do


campo;

z leitura visando à compreensão da estrutura metodológica da estratégia Escola Ativa


em componentes, elementos e instrumentos;

z formação de conceitos sobre os fundamentos metodológicos da estratégia Escola


Ativa e seus princípios básicos;

z leitura das necessidades para se viabilizar uma prática pedagógica eficaz nas
Escolas Ativas;

z exploração, discussão e sistematização dos textos lidos e dos conteúdos


desenvolvidos em atividades a serem realizadas em grupo, dupla, com o
formador ou sozinho;

z apresentação de atividades em plenária na oficina;

z produção de textos estimulando a internalização e a compreensão da


estratégia metodológica Escola Ativa.

Orientações:

Após o acolhimento dos cursistas, sugerimos que, ainda em organização de


plenária, se mostre a primeira parte do vídeo que trata da estratégia metodológica
Escola Ativa para eles.

Este vídeo tem a função de sensibilizar os professores, apresentando a estratégia


metodológica Escola Ativa por meio de depoimentos de alunos, professores e supervisores. Ele
terá a duração de cerca de vinte minutos e mostrará exemplos de escolas demonstrativas4 de
três estados brasileiros.

Após a apresentação do vídeo, pergunte aos professores o que eles entenderam


do que assistiram; se há alguma pergunta ou comentários sobre a estratégia. Deixe-
os à vontade para participar, falar, se expressar. Estabeleça, desde o início, um
clima de interação, confiança e tranqüilidade.

Antes da formação dos grupos, faça uma dinâmica para que eles se apresentem.
Organize a turma e depois estabeleça os combinados.

4
Escolas demonstrativas são escolas que servem de modelo para outras escolas, ou seja, que
28 desenvolvem com eficácia e eficiência a metodologia.
Agenda de formação
Depois de estabelecer um ambiente propício para iniciar as atividades, peça para que os
cursistas manuseiem o guia de formação que possuem. Você deverá apresentar este guia falando
de sua estrutura estabelecida em unidades, módulos e seções, citando que este possui ícones e
principalmente que obedece à mesma estrutura do guia dos alunos.

O guia de formação possui vantagens semelhantes aos guias dos alunos:

z articula a capacitação em serviço com a prática do professor;

z integra conteúdos, processos e práticas;

z constitui um recurso fundamental para escolas multisseriadas;

z articula e dá coerência à relação entre o texto e a metodologia do


professor;

z desenvolve a escrita e a compreensão da leitura;

z oferece o equilíbrio apropriado entre trabalho personalizado e


aprendizagem cooperativa.

É necessário que o grupo leia as “considerações iniciais para a formação” e o


“contexto histórico da Escola Ativa no Brasil”, antes do estudo dos módulos da
unidade 1. É importante que os cursistas conheçam a forma como a estratégia Escola
Ativa foi implantada no Brasil, por quais fases passou, enfim, que conheçam o
contexto histórico da estratégia.

As introduções de cada unidade, as quais trazem informações


prévias para o estudo dos módulos, também não podem ser ignoradas.

Após o estudo dos módulos da unidade 1, passe para a segunda parte do


programa 1, que traz informações sobre os problemas educacionais das escolas
multisseriadas. Sugerimos que este vídeo seja apresentado após o estudo da unidade,
porque sistematiza o conteúdo estudado.

Lembre-se que, após cada sessão de vídeo, é necessário reservar


um momento para a discussão do que entenderam. Você, como formador,
pode sistematizar em um cartaz as principais idéias e tópicos que não
podem ser esquecidos.

29
Guia do formador da Escola Ativa

2 o dia

Tempo previsto: 08 horas

Conteúdos a serem desenvolvidos:


z Unidade 3 – O Governo Estudantil
Módulo 1 – A Gestão Escolar
Módulo 2 – O Governo Estudantil como fator importante para o desenvolvimento
afetivo e social e para a construção da cidadania
Módulo 3 – Como organizar o Governo Estudantil
Módulo 4 – Responsabilidades e funções dos alunos no Governo Estudantil
Módulo 5 – Como garantir o bom andamento dos comitês
Módulo 6 – Instrumentos que os alunos utilizam no Governo Estudantil
z Instituição do Governo Estudantil da oficina de formação

Sessão de vídeo:
Programa 2

Atividades propostas pelo guia de formação na unidade 3:

z apresentação do programa 2 - Gestão Escolar;

z discussão e sistematização dos conceitos prévios sobre Gestão Escolar;

z ampliação do conceito sobre Gestão Escolar e a sua importância e o que


a Escola Ativa contempla em relação à sua funcionalidade;

z leitura, discussão e sistematização do que é o elemento Governo Estudantil


e a sua importância para o desenvolvimento social e cidadão do aluno;

z leitura e compreensão das fases para a organização do Governo Estudantil;

z leitura e compreensão das responsabilidades e funções dos alunos no


Governo Estudantil;

z discussão das etapas para a implantação do Governo Estudantil;

z discussão sobre a funcionalidade dos instrumentos do Governo Estudantil;

z confecção dos instrumentos do Governo Estudantil;


30
Agenda de formação
z exploração, discussão e sistematização dos textos lidos e dos conteúdos
desenvolvidos em atividades a serem realizadas em grupo, dupla, com o
formador ou sozinho;

z produção de textos estimulando a internalização e a compreensão do elemento


Governo Estudantil;

z organização do processo eleitoral do Governo Estudantil da oficina de


formação;

z implantação do Governo Estudantil na oficina de formação.

Orientações:

Inicie o segundo dia de formação com uma sessão de vídeo sobre a Gestão
Escolar e o Governo Estudantil.

Logo após a sistematização do que foi apresentado, dê prosseguimento às


atividades programadas para o dia de estudo. Lembre aos grupos de elegerem outro
monitor.

O elemento Governo Estudantil alinha as atividades escolares com as ações


de gestão da escola, isto deve ser internalizado pelo professor. Por isso, durante o
estudo dos módulos, é necessário que você circule entre os grupos, debatendo com
os professores sobre a função didática deste elemento.

Compreender que, em uma escola multisseriada, a gestão é preponderante


para o bom desenvolvimento das atividades educacionais é indispensável.

Durante o estudo da função dos instrumentos do Governo Estudantil e da


confecção destes pelo grupo, deve sempre ser citado que estes instrumentos devem
ser trabalhados diariamente nas atividades permanentes em sala de aula, a fim de
dinamizá-los criando uma rotina.

Para que você possa, junto à sua turma, organizar o Governo Estudantil da
oficina, siga os seguintes passos:

z sistematize o que foi estudado na unidade, principalmente o módulo que


informa como o Governo Estudantil deve ser organizado;

31
Guia do formador da Escola Ativa

z elenque as qualidades que o candidato a presidente do Governo Estudantil precisa


ter: trace o perfil do candidato. Após a exposição do perfil, pergunte aos cursistas
quem se candidata ao cargo;

z organize o TREE (Tribunal Regional Eleitoral Escolar), que será formado pelos
membros: presidente, 1o mesário e 2o mesário e que ficará responsável pela condução
do processo eleitoral. O TREE deverá organizar os processos eleitorais: edital de
eleição, inscrição das chapas e a eleição. O TREE será o responsável pela mesa
exclutinadora, que procederá a contagem dos votos válidos, nulos e brancos,
registrando em ata todos os procedimentos. O modelo da ata consta no guia de
formação;

z oriente o grupo no sentido de haver respeito, ética e senso crítico, quando da análise
das propostas de trabalho das chapas inscritas;

z o grupo deverá escolher qual chapa irá apoiar e deverá se organizar para
confeccionar o material a ser utilizado no processo de eleição do Governo
Estudantil – cabine, urna eleitoral, cédulas, lista de eleitores, título de
eleitor, ata de eleição, dentre outros;

z as chapas inscritas e seus membros deverão produzir músicas, lemas,


slogans, santinhos, entre outros, para a campanha eleitoral.

Você já percebeu que são os mesmos procedimentos orientados no guia do


formador, não é? Portanto, não esqueça de reler passo-a-passo o módulo 3 do guia
do formador.

Dando andamento à implantação do Governo Estudantil, depois da eleição,


forme os comitês. Estes comitês deverão exercer suas funções até o final do período
da formação e concluir as ações planejadas. O plano de ação dos comitês deverá
seguir o mesmo modelo que consta no guia de formação.

Sistematize o que foi desenvolvido durante o dia, promovendo uma plenária


para avaliação do processo de organização do Governo Estudantil da oficina. Liste
os pontos positivos e os negativos.

32
Agenda de formação
3 o dia

Tempo previsto: 08 horas

Conteúdos a serem desenvolvidos:


z Unidade 4 – Guias de Aprendizagem
Módulo 1 – O que são os Guias de Aprendizagem
Módulo 2 – Estrutura metodológica dos Guias de Aprendizagem
Módulo 3 – Planejando com os Guias de Aprendizagem
Módulo 4 – Os Guias e a avaliação da aprendizagem
Módulo 5 – Aprovação flexível, um estímulo para o sucesso escolar do aluno
Módulo 6 – A utilização dos Guias de Aprendizagem no ambiente escolar

Sessão de vídeo:
Programa 3

Atividades propostas pelo guia de formação na unidade 4:

z apresentação do programa 3 - Guias de Aprendizagem;

z discussão sobre os livros didáticos utilizados em classes multisseriadas;

z assimilação do que são Guias de Aprendizagem, sua importância e sua


funcionalidade em classes multisseriadas;

z leitura, discussão e sistematização da estrutura metodológica dos Guias


e do seu processo lógico de aprendizagem;

z compreensão da importância do planejamento e de como planejar com os


Guias de Aprendizagem;

z elaboração e apresentação de um planejamento com conteúdos dos Guias


de Aprendizagem;

z leitura e compreensão do processo avaliativo da Escola Ativa;

z discussão do regime de aprovação flexível e progressão continuada


adotado pela Escola Ativa;

z exploração para o entendimento da estrutura dos Guias de Aprendizagem;


33
Guia do formador da Escola Ativa

z discussão e entendimento dos procedimentos didáticos a serem adotados na


utilização dos Guias de Aprendizagem;

z discussão e sistematização dos textos lidos e dos conteúdos desenvolvidos em


atividades a serem realizadas em grupo, dupla, com o formador ou sozinho;

z produção de textos estimulando a internalização e a compreensão do elemento


Guia de Aprendizagem.

Orientações:

Os Guias de Aprendizagem têm se constituído no maior desafio dos professores durante


o trabalho com os alunos, pois, de acordo com a concepção que a maioria possui, não se
assemelham aos livros didáticos “normais”, porque sua estrutura é diferente, e é mesmo. É
diferente porque não possui textos longos e porque suas atividades precisam ser preparadas
para serem orientadas. Como você percebeu durante o seu estudo, é necessário que o professor
planeje suas aulas.

É importante que você, formador, desenvolva esta unidade com seus


professores com muita seriedade e compromisso, pois é no Guia de Aprendizagem
que está toda a proposta curricular a ser vista pelos alunos e é a partir dele que
serão desenvolvidas as habilidades e as competências relacionadas às áreas do
conhecimento.

Inicie o seu dia de trabalho motivando os cursistas para o estudo consciente


desta unidade, estabelecendo os combinados. Depois explore os Guias de
Aprendizagem e faça a comparação da sua estrutura com a do guia de formação.
Deixe que discutam a estrutura e coloquem suas opiniões.

Após o estudo de cada módulo, realize a avaliação dos cursistas, percebendo


a compreensão deles em relação aos Guias. Intervindo quando necessário e para
dissipar possíveis dúvidas ou dificuldades de compreensão sobre os textos lidos.

Geralmente, as maiores dúvidas existentes são em relação ao uso do Guia I


de Língua Portuguesa, pois os professores acham que os alunos só poderão
desenvolver as atividades propostas quando já souberem ler. Desmitifique essa idéia,
pois a concepção adotada pela Escola Ativa e que se encontra coerente com as
orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais é a de que só se aprende a ler e
a escrever lendo e escrevendo, ou seja, sendo usuário efetivo da língua portuguesa.

34
Agenda de formação
Não pretendemos apenas derrubar uma idéia velha. O que queremos é fornecer subsídios
para uma prática nova, capaz de transformar o cotidiano dessas salas de aula e
conseqüentemente contribuir na melhoria da aprendizagem escolar dos alunos que ingressam
no ensino fundamental e experimentam, na escola, o primeiro contato sistemático com atos de
leitura e escrita.

Para auxiliá-los a compreender isso, lembre-se de informá-los sobre a coleção de


alfabetização que compõe o material didático da Escola Ativa. Cada escola receberá uma
coleção, e cada professor receberá um manual onde se encontram todas as orientações que ele
precisa para uma alfabetização coerente, de acordo com as concepções adotadas na
metodologia.

4 o dia

Tempo previsto: 08 horas

Conteúdos a serem desenvolvidos:


z Unidade 5 – Os Cantinhos de Aprendizagem
Módulo 1 – Os Cantinhos de Aprendizagem no ambiente da sala de aula
Módulo 2 – A organização dos Cantinhos de Aprendizagem: um processo
coletivo e participativo
Módulo 3 – A utilização dos Cantinhos de Aprendizagem no processo de
aprendizagem

Sessão de vídeo:
Programa 4

Atividades propostas pelo guia de formação na unidade 5:

z discussão sobre a organização do espaço escolar que ofereça aos alunos


condições para ampliarem a sua concepção sobre os conteúdos trabalhados
em sala de aula;

z assimilação do que são Cantinhos de Aprendizagem, sua importância e


sua funcionalidade em classes multisseriadas;

z leitura, discussão e sistematização dos textos que descrevem como deve


ser um ambiente propício à aprendizagem;

z compreensão da importância da organização do espaço escolar; 35


Guia do formador da Escola Ativa

z discussão das atividades que os alunos podem desenvolver com os Cantinhos de


Aprendizagem;

z compreensão do processo de montagem dos Cantinhos de Aprendizagem;

z exploração dos materiais que compõem os Cantinhos de Aprendizagem;

z montagem dos Cantinhos de Aprendizagem na oficina de formação;

z discussão e sistematização dos textos lidos e dos conteúdos desenvolvidos


em atividades a serem realizadas em grupo, dupla, com o formador ou
sozinho;

z produção de textos estimulando a internalização e a compreensão do elemento


Cantinho de Aprendizagem;

z sistematizar a unidade estudada, apresentando o programa 4 – Cantinhos


de Aprendizagem.

Orientações:

Você já deve ter percebido que o estudo desta unidade levará os professores a
reorganizarem o espaço físico da oficina de formação. Como já referendamos, a
oficina deve ter “ares” de uma sala ativa, então, propositalmente, os Cantinhos
deverão ter os materiais didáticos que fazem parte do kit pedagógico da Escola
Ativa 5. Você deverá providenciar estes materiais deixando-os à disposição para que
os grupos possam manuseá-los e escolher a melhor forma de organizá-los.

Os professores precisam, nesta ocasião, receber informações sobre como o


espaço escolar deve refletir a concepção metodológica que a escola adota. Você
saberia dizer o porquê?

Lembre-se que o guia de formação de professores irá auxiliá-lo nesta resposta,


pois os textos são esclarecedores, objetivos e claros, e as atividades o levará à
organização dos Cantinhos de maneira lúdica.

Os professores deverão organizar um Cantinho para cada área do


conhecimento, mas ficarão livres para organizar outros Cantinhos. A nossa

5
A listagem dos materiais didáticos que compõem o kit pedagógico da Escola Ativa você
36 encontrará no documento “Diretrizes para a implantação da Escola Ativa”.
Agenda de formação
orientação é a de que os deixem livres para criar, propiciando momentos que serão ricos para
suas intervenções. Por exemplo: se resolverem montar um Cantinho voltado para o meio
ambiente, podem? Podem, mas faça-os refletir que o “meio ambiente” faz parte do conteúdo
da área de ciências, então isto seria necessário? Assim como o Cantinho com notícias,
jornalzinho e piadas, que são produções de texto que deverão fazer parte do Cantinho de
Língua Portuguesa.

Durante o estudo e a montagem dos Cantinhos, induza-os a refletir sobre a idéia de que
este espaço não poderá ser um espaço decorativo em sala de aula, e que também não poderá
ser um depositório de todos os espécimes e objetos que encontrarem, e, finalmente, que não
poderão utilizar as letras que compõem o kit pedagógico para decorar os Cantinhos. Intervenha
falando sobre sua funcionalidade e a importância deste espaço interatuar com o planejamento
de aula.

Nos Parâmetros Curriculares Nacionais, você poderá encontrar também, no


texto sobre a organização do espaço e seleção do material, as orientações didáticas
necessárias para o desenvolvimento desta unidade com seus professores.

Finalmente, termine o estudo dos Cantinhos de Aprendizagem com o programa


4, que sistematizará o conteúdo estudado.

5 o dia

Tempo previsto: 08 horas

Conteúdos a serem desenvolvidos:


z Unidade 6 – Escola e comunidade
Módulo 1 – Escola e comunidade: uma articulação possível e necessária
Módulo 2 – Conhecendo a comunidade
Módulo 3 – Instrumentos que permitem conhecer a comunidade

Sessão de vídeo:
Programa 5

Atividades propostas pelo guia de formação na unidade 6:

z apresentação do programa 5 – Escola e comunidade;

z debate e sistematização dos conceitos prévios sobre a importância da


comunidade escolar nos processos de ensino e de aprendizagem; 37
Guia do formador da Escola Ativa

z ampliação do conceito sobre a necessidade da participação da comunidade, sua


importância e seu papel para a formação do cidadão;

z o que a Escola Ativa contempla em relação ao papel da comunidade na gestão da


escola do campo;

z leitura, discussão e sistematização do que é o componente Escola e comunidade;

z leitura e compreensão das técnicas que a estratégia Escola Ativa emprega


para que os alunos possam conhecer a comunidade onde vivem;

z leitura e compreensão das responsabilidades da comunidade escolar para o sucesso


da Escola Ativa em sua escola;

z entendimento e confecção dos instrumentos do elemento Escola e


comunidade;

z discussão sobre a funcionalidade dos instrumentos do elemento Escola e


comunidade;

z exploração, discussão e sistematização dos textos lidos e dos conteúdos


desenvolvidos em atividades a serem realizadas em grupo, dupla, com o
formador ou sozinho;

z produção de textos estimulando a internalização e a compreensão do


elemento Escola e comunidade.

Orientações:

Valorizar o papel da comunidade na escola reforça a auto-estima dos alunos e


articula saberes elaborados socialmente com o programa curricular a ser seguido,
mas, antes de tudo, desenvolve um sentimento de pertinência desta escola ao grupo
social onde está inserida.

Ser espaço de informação e formação em comunidades do campo vai além do


que hoje a escola já representa: posto de vacinação e de distribuição de cestas básicas
ou centro comunitário.

38
Agenda de formação
É necessário integrar esta comunidade aos processos de formação do cidadão íntegro e
preocupado com as mudanças sociais e políticas que afetam o seu universo social, formação
esta que queremos que nossos alunos tenham.

Por meio desta oficina, almejamos que os professores percebam a importância desta
articulação, pois as notícias que nos chegam das escolas que já estabeleceram a metodologia
informam que este elemento é muito forte e decisivo para o sucesso da implantação.

As técnicas e os instrumentos deste elemento, desenvolvidos na sala de aula, levam


para os alunos o conhecimento da história da comunidade e à comunidade, o trabalho pedagógico
que a escola estará empreendendo.

A gestão da escola compartilhada com a comunidade auxilia o professor, que muitas


vezes desempenha várias atribuições na escola multisseriada

Nas oficinas de formação, geralmente as unidades Cantinhos de Aprendizagem e Escola


e comunidade partilham o mesmo dia, desta vez planejamos um dia para o estudo de cada uma.

Os módulos desta unidade e as atividades que deverão ser desenvolvidas com


textos instrucionais fundamentarão suas explicações e intervenções durante o estudo,
lembre-se disto.

39
ANEXOS

Agenda da capacitação
Diário do formador
43
Anexos
Guia do formador da Escola Ativa

44
45
Anexos
Considerações finais
Considerações finais

Caro formador,

Esperamos que você tenha entendido a abordagem didática que contamos que
adote nesta formação, ou seja, uma abordagem reflexiva na forma de conduzir a
oficina, sendo o orientador e facilitador da aprendizagem dos professores.

Há um longo caminho a ser percorrido e contaremos sempre com a sua


dedicação.

Esperamos que você esteja tão entusiasmado quanto nós e comprometido com
o sucesso de sua escola.

Segue, em anexo, o diário do formador, para que você anote suas observações
durante este processo de implantação e implementação da Escola Ativa. Seus
registros contribuirão para que se estabeleça uma relação entre o seu
desenvolvimento profissional e a sua história pessoal, registrando suas descobertas,
as estratégias que utilizou em sala de aula e as suas dificuldades para que possa
buscar as orientações necessárias.

Outro abraço!

47
DIÁRIO DO
FORMADOR
Diário do formador
Informações Gerais:

Me chamo __________________________________________________________

Nasci na cidade de _________________ , no dia _________________________

Meu endereço é _____________________________________________________

___________________________________________________________________

Sou professor(a) há _____________ anos.

Leciono na escola ___________________________________________________

Minha escola está situada ____________________________________________

Leciono para _________alunos, das séries ______________________________

Trabalho no município _____________ ,no estado _______________________

Estou participando desta formação porque _____________________________

___________________________________________________________________

Minha expectativa em relação a esta formação é ________________________

___________________________________________________________________

Ser formador para mim é _____________________________________________

___________________________________________________________________

51
Guia do formador da Escola Ativa

____________ / ________ / ____________

52
Diário do formador
____________ / ________ / ____________

53
Guia do formador da Escola Ativa

____________ / ________ / ____________

54
Diário do formador
____________ / ________ / ____________

55
Guia do formador da Escola Ativa

____________ / ________ / ____________

56
Diário do formador
____________ / ________ / ____________

57
Guia do formador da Escola Ativa

____________ / ________ / ____________

58
Diário do formador
____________ / ________ / ____________

59