Você está na página 1de 4

Habilidades Clínicas

Descrição das lesões elementares

Denominam-se lesões elementares as modificações do tegumento


cutâneo determinadas por processos inflamatórios, degenerativos,
circulatórios, neoplásicos, distúrbios do metabolismo ou por defeito de
formação

As lesões elementares classificam-se em:


◗ Alterações de cor

◗ Elevações edematosas

◗ Formações sólidas

◗ Coleções líquidas

◗ Alterações da espessura

◗ Perda e reparações teciduais.

Alterações de cor (mancha ou mácula):

A mancha ou mácula corresponde a uma área circunscrita de coloração


diferente da pele que a circunda, no mesmo plano do tegumento e sem
alterações na superfície. A própria definição mostra que o correto
reconhecimento de uma mácula não se faz apenas pela inspeção. É pela
palpação – deslizando-se as polpas digitais dos dedos indicador, médio e
anular sobre a área alterada e sua vizinhança – que melhor se pode
constatar qualquer elevação da pele e eventuais alterações da superfície.
As manchas ou máculas dividem-se em:

◗ Manchas pigmentares: quando decorrem de alterações do pigmento


melânico. Subdividem-se em três tipos:

 Hipocrômicas e/ou acrômicas: resultam da diminuição e/ou


ausência de melanina. Podem ser observadas no vitiligo, pitiríase
alba, hanseníase; algumas vezes são congênitas, como no nevo
acrômico e no albinismo.
Mancha: acrômica (vitiligo) (A); hipocrômica (pitiríase alba) (B)

 Hipercrômicas: dependem do aumento de pigmento melânico.


Exemplos: pelagra, melasma ou cloasma, manchashipercrômicas
dos processos de cicatrização, manchas hipercrômicas da estase
venosa crônica dos membros inferiores, nevos pigmentados,
melanose senil. Mancha hipercrômica (eritema fixo
medicamentoso).

 Pigmentação externa: substâncias aplicadas topicamente que


produzem manchas do cinza ao preto. Exemplos: alcatrões,
antralina, nitrato de prata, permanganato de potássio.
◗ Manchas vasculares: decorrem de distúrbios da microcirculação da pele.
São diferenciadas das manchas hemorrágicas por desaparecerem após
compressão (digitopressão, quando se comprime a região com a polpa
digital; vitropressão, quando a compressão é feita com uma lâmina de
vidro transparente; e puntipressão, quando se emprega um objeto
pontiagudo). As manchas vasculares subdividem-se em:

 Telangiectasias: são dilatações dos vasos terminais, ou seja,


arteríolas, vênulas e capilares. As telangiectasias venocapilares são
comuns nas pernas e nas coxas das pessoas do sexo feminino e se
denominam varículas ou microvarizes. Podem ser vistas, também,
no tórax de pessoas idosas. Outro tipo de telangiectasia são as
chamadas aranhas vasculares, que têm este nome porque sua
forma lembra a desses aracnídeos (um corpo central do qual
emergem várias pernas em diferentes direções). Localizam-se no
tronco, e para fazê-las desaparecer basta fazer uma puntipressão
exatamente sobre seu ponto mais central. Desaparecem porque
esta manobra oclui a arteríola central, alimentadora dos vasos
ectasiados. Há outros tipos de telangiectasias, tais como os nevos
vasculares de origem congênita.
 Mancha eritematosa ou hiperêmica: decorre de vasodilatação, tem
cor rósea ou vermelho-viva e desaparece à digitopressão ou à
vitropressão. É uma das lesões elementares mais encontradas na
prática. Podem ser simples, ou seja, sem outra alteração da pele ou,
ao contrário, acompanhar-se de outras lesões: pápula, vesícula,
bolha. Costumam ser de variados tamanhos; ora são esparsas, ora
confluentes, ou seja, fundem-se por estarem muito próximas umas
das outras. Surgem nas doenças exantemáticas (sarampo, varicela,
rubéola), na escarlatina, na sífilis, na moléstia reumática, nas
septicemias, nas alergias cutâneas e em muitas outras afecções.
◗ Manchas hemorrágicas: são também chamadas “sufusões
hemorrágicas” e, como já foi assinalado, não desaparecem pela
compressão, o que as diferencia das manchas eritematosas. Não
desaparecem por se tratar de sangue extravasado. De acordo com a forma
e o tamanho, subdividem-se em três tipos:

 Petéquias: quando são puntiformes (Figura 11.12A), e com até 1 cm


de diâmetro
 Víbices: quando tomam a forma linear. Esse termo também é
empregado para lesão atrófica linear
 Equimoses: quando são em placas (Figura 11.12B), maiores que 1
cm de diâmetro.