Você está na página 1de 3

Design: História, Teoria e Prática do Design de Produtos

Bernhard E. Bürdek

Índice

4. Design e Metodologia 225


4.1. Métodos de conhecimento no design 227
Alguns aspectos da filosofia grega
Da antiguidade aos tempos modernos
4.2. Semiótica e design 230
Uma curta revisão da história da semiótica
- Charles Sanders Pierce
- Ferndinand de Saussure
- Jan Makarovsky
- Charles William Morris
- Max Bense
- Jean Baudrillard
- Umberto Eco
Semiótica e Arquitetura
Semiótica na HfG Ulm
Semiótica e Comunicação
4.3. Fenomenologia e Design 239
Edmund Husserl
Exemplos de análises fenomenológicas
4.4. Hermenêutica e Design 244
Um curto esboço da história da hermenêutica
- Friedrich Daniel Ernst Schleiermacher
- Johann Gustav Droysen
- Wilhelm Dilthey
- Otto Friedrich Bollnow
- Hans-Georg Gadamer
Alguns conceitos hermenêuticos básicos
- O triângulo hermenêutico
- O pré-entendimento e a fusão de horizontes
- O círculo hermenêutico
- A interpretação do trabalho
- Design e significado
Sobre a aplicação da hermenêutica
Crítica à hermenêutica
Sobre uma hermenêutica empírica
4.5. Desenvolvimento da metodologia do design 251
A pesquisa de sistemas de primeira geração
- O método de Christopher Alexander
- Sobre a metodologia da HfG Ulm
- A ciência transclássica
- Modelos de Processos de design
A mudança de paradigmas na metodologia
- A “Pattern Language” de Christopher Alexander
- Pela problemática da forma e do context
Exemplos de novos métodos de design
- Mind Mapping (mapeamento mental)
- A técnica do cenário
- Cenário como instrumento de prognóstico
- Cenário no desenvolvimento de software
- Mood Charts
- Métodos empíricos
- A determinação de grupos-alvo por meio de “milieus” (meios)
- Clínica de produtos
- Usabilidade
- NID - Design não intencional

5. Design e Teoria 273


Sobre o princípio da estética da informação
A influência da teoria crítica
No caminho da teoria do design disciplinar
5.1. Aspectos de uma Teoria Disciplinar do Design 280
A função informacional do produto
Design com linguagem do dia a dia
O senso das coisas
A escola de Munique de Eugen Leitherer
A escola de colônia de Udo Koppelmann
Produtos como mensagem
Três contribuições escandinavas
Duas contribuições holandesas
Não resumo
5.2. Sobre a Função Comunicativa do Design
Alguns precursores
Um modelo das funções do produto
Sobre a nova relevância da configuração
5.3. As Funções Estético-Formais
A pesquisa da percepção inicial
Os pioneiros da psicologia da Gestalt
A importância especial de Christian Von Ehrenfels
Os grandes psicólogos da Gestalt
Percepção e pensamento
Sobre os aspectos da ordem e da complexidade
Sobre o critério ecológico da percepção visual
Princípios da configuração formal
- Configuração aditiva
- Configuração integrativa
- Configuração contínua
- Configuração escultórica
- Configuração natural
- Um exemplo
5.4. As Funções Indicativas 312
Visualização das funções práticas
Discussão de casos de precedência
Mudanças da microeletrônica
Configuração de superfície de uso
5.5. As Funções Simbólicas 322
Símbolos e contexto
Métodos de investigação semiótica
Alguns exemplos
5.6. Da Linguagem do Produto à Semântica do Produto 333
Os pioneiros
Influências da linguística
Os Mccoys e Cranbook
Semântica do produto na RDA

Referências Bibliográficas 433

Citações 459