Você está na página 1de 104

Apostila AB – Física1 2018 3º ano

TÓPICO - 01 1.2 SENTIDO DA CORRENTE


INTRODUÇÃO ELETRODINÂMICA

Podemos dizer que a eletrodinâmica é


simplesmente a parte da eletricidade
que estuda as cargas elétricas em
movimento.
Lembre-se, daqui para frente, sempre
1.1 CORRENTE ELÉTRICA que nos referirmos ao sentido da
corrente, estamos falando do senti do
Consideremos um fio metálico. Como o convencional.
fio é um material condutor, ele
apresenta um grande número de 1.3 INTENSIDADE DA CORRENTE
elétrons livres. Os elétrons livres
movimentam-se desordenadamente Consideremos um fio metálico de área
dentro do fio. de seção transversal S. Definimos a
intensidade média da corrente como
sendo a razão entre a quantidade de
carga elétrica que atravessou a seção S
e o intervalo de tempo necessário para
Para que os elétrons tenham um que a carga passe por S. Observe o
movimento ordenado, estabelece- se esquema a seguir:
entre dois pontos do condutor uma
diferença de potencial U (ddp), que cria
no seu interior um campo elétrico E .
Esse campo exerce em cada elétron
livre uma força F capaz de movimentar
esse elétron no sentido oposto ao
campo elétrico. Observe a figura a
seguir:

Define-se corrente elétrica como sendo É comum a utilização de submúltiplos


o movimento ordenado de elétrons, do ampere. São eles:
como mostrado no exemplo acima. • 1 mA = 1 miliampere = 10–3 A;
Corrente elétrica: movimento • 1 µA = 1 microampere = 10–6 A.
ordenado de elétrons promovido por
uma diferença de potencial.

APOSTILA 2018 Página 1


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

1.4 TIPOS DE CORRENTES


De acordo com o comportamento da Obs2: Densidade de corrente
intensidade e do senti do da corrente
podemos classificá-la em: Nos metais, o sentido da corrente é o
do movimento dos prótons ou seja
corrente convencional.
A) Corrente Contínua Constante

Dizemos que a corrente é contínua e


constante quando sua intensidade e
seu senti do não variam com o tempo.
Observe o gráfico abaixo.

Unidade: A / m2
B) Corrente Alternada Obs 3:
Dizemos que a corrente é alternada A passagem da corrente elétrica por um
quando sua intensidade e seu sentido condutor elétrico traz diferentes efeitos,
mudam periodicamente. Observe o dependendo da natureza do condutor e
gráfico a seguir: da intensidade da corrente. Podemos
citar cinco efeitos principais: fisiológico,
térmico (ou joule), luminoso, químico e
magnético.

1- Efeito fisiológico
2- Efeito térmico ou efeito joule
3- Efeito luminoso
O fornecimento de energia para nossas 4- Efeito químico
casas e para as indústrias é feito por 5- Efeito magnético
corrente alternada.

Obs1: No gráfico i x t , a área que a


curva define com o eixo dos tempos, Vamos Fixar
corresponde a carga total que atravessa
uma secção do condutor. 1. Uma lâmpada é percorrida por uma
corrente de 2 mA, durante 10 minutos.
Então a quantidade de carga elétrica
que passa pelo filamento da lâmpada é:
12 C 20 C 1200 C
0,02 C 1,20 C

APOSTILA 2018 Página 2


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2. Cinco microcoulombs de carga 5. Ao tentar ligar seu carro pela manhã,


atravessam a secção reta de um fio Otacílio verificou que sua bateria estava
metálico, num intervalo de tempo igual em pane. Verificou a referência para
a 2,0 milissegundos. A corrente elétrica poder comprar uma nova e na etiqueta
que atravessa a secção é de: constava 45 Ah. Esta medida se refere
1,0 MA 1,5 mA 2,0 mA à:
2,5 mA 3,0 mA

3. A frase “O calor do cobertor não me


aquece direito” encontra-se em uma
passagem da letra da música Volta, de
Lupicínio Rodrigues. Na verdade, sabe-
se que o cobertor não é uma fonte de Carga Armazenada;
calor e que sua função é a de isolar Potência de Partida;
termicamente nosso corpo do ar frio Energia Armazenada;
que nos cerca. Existem, contudo, Corrente Máxima;
cobertores que, em seu interior, são Diferença de Potencial.
aquecidos eletricamente por meio de
uma malha de fios metálicos nos quais 6. Uma corrente elétrica, de intensidade
é dissipada energia em razão da 10 A, é mantida em um condutor
passagem de uma corrente elétrica. metálico durante 10 min. Determine O
Esse efeito de aquecimento pela número de elétrons que atravessa a
passagem de corrente elétrica, que se referida seção para esse intervalo de
observa em fios metálicos, é conhecida tempo.
como
efeito Joule. 2,47. 1022e- 2,95. 1022e-
efeito Doppler. 3,75. 1022e- 3,95. 1022e-
efeito estufa.
efeito termoiônico. 7. Medidas elétricas indicam que a
efeito fotoelétrico. superfície terrestre tem carga elétrica
total negativa de, aproximadamente,
4. Na figura abaixo temos um avião em 600 000 coulombs. Em tempestades,
pleno voo atingindo por um relâmpago, raios de cargas positivas, embora raros,
a carga elétrica envolvida na descarga podem atingir a superfície terrestre. A
atmosférica é da ordem de 10 corrente elétrica desses raios pode
coulombs. Se o relâmpago dura cerca atingir valores de até 300 000 A. Que
de 10– 3 segundos, a corrente elétrica fração da carga elétrica total da Terra
média vale, em ampères: poderia ser compensada por um raio de
300 000 A e com duração de 0,5 s?
10 1/2
100 1/3
1.000
1/4
10.000
1/10
1/20

APOSTILA 2018 Página 3


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

8. O capacitor é um elemento de 2. Ao acionar um interruptor de uma


circuito muito utilizado em aparelhos lâmpada elétrica, esta se acende quase
eletrônicos de regimes alternados ou instantaneamente, embora possa estar
contínuos. Quando seus dois terminais a centenas de metros de distância. Isso
são ligados a uma fonte, ele é capaz de ocorre porque:
armazenar cargas elétricas. Ligando-o a a velocidade dos elétrons da
um elemento passivo, como um corrente elétrica é igual a velocidade da
resistor, ele se descarrega. O gráfico luz.
representa uma aproximação linear da os elétrons se põem em movimento
descarga de um capacitor. quase imediatamente em todo circuito,
embora sua velocidade média seja
relativamente baixa.
a velocidade dos elétrons na
corrente elétrica é muito elevada.
não é necessário que os elétrons se
movimentem para que a lâmpada
acenda.
os elétrons livres apresentam um
Sabendo que a carga elétrica movimento desordenado por todo o
fundamental tem valor 1,6 x 10–19 C, o condutor.
número de portadores de carga que
fluíram durante essa descarga está 3. Quando a concentração de cargas no
mais próximo de centro positivo e negativo da nuvem
1017. 1014. 1011. cresce muito, o ar que os circunda já
108. 105. não consegue isolá-los eletricamente.
Acontecem então descargas elétricas
De olho no Enem entre regiões de concentração de
cargas opostas que aniquilam ou pelo
1. Uma corrente de 0,3 A que atravessa menos diminuem essas concentrações.
o peito pode produzir fibrilação A maioria das descargas(80%) ocorre
(contrações excessivamente rápidas dentro das nuvens, mas como as
das fibrilas musculares) no coração de cargas elétricas na nuvem induzem
um ser humano, perturbando o ritmo cargas opostas no solo, as descargas
dos batimentos cardíacos com efeitos podem também se dirigir a ele.
possivelmente fatais. Considerando que
a corrente dure 2,0 min, o número de
elétrons que atravessam o peito do ser
humano vale:
(Dado: carga do elétron = 1,6 · 10-19 C.)
5,35 · 102
1,62 · 10-19
4,12 · 1018 Garoto atingido por raio é transferido
2,45 · 1018 para hospital de SP em estado grave. A
2,25 · 1020 criança que foi atingida pela descarga
elétrica de um raio em Mongaguá, no
litoral de São Paulo, na tarde do último
sábado (19), foi transferida para o
APOSTILA 2018 Página 4
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

hospital Nove de Julho, em São Paulo, GABARITO


na madrugada deste domingo (20), em Vamos Fixar
estado grave. Sabendo que o choque 1 2 3 4 5 6 7 8 9
elétrico é o efeito causado por uma E D A D A C C A
corrente elétrica ao passar pelo corpo
humano ou de um animal qualquer. O De olho no Enem
efeito pode ser desde uma sensação de 1 2 3 4
formigamento (corrente de 1 mA a 10 E B D
mA) até uma parada cardíaca (corrente
acima de 200 mA). Denomina-se
intensidade da corrente elétrica, através
da secção transversal do condutor, a TÓPICO - 02
razão entre o módulo:
RESISTORES
do quadrado da diferença de
potencial e a resistência elétrica. 2.1 Resistência Elétrica
do quadrado da quantidade de carga
elétrica e o intervalo de tempo. É um dispositivo que transforma a
da diferença de potencial e o energia elétrica integralmente em
intervalo de tempo. energia térmica (calor). Os resistores
da quantidade de carga elétrica e o também são usados para limitar a
intervalo de tempo. corrente elétrica em alguns dispositivos
da diferença de potencial e o eletrônicos.
quadrado do intervalo de tempo.
Exemplos: os aquecedores, o ferro
4. Em uma sala existem duas lâmpadas elétrico, o chuveiro elétrico, a lâmpada
acesas, ligadas a um único interruptor. comum e os fios condutores em geral.
Em um certo instante, uma das
lâmpadas se apaga enquanto a outra
permanece acesa. Em relação a esse
fato, foram formuladas as seguintes
hipóteses:

I. Se apenas uma das lâmpadas se


apagou, elas estão ligadas em série.
II. Se o defeito fosse no interruptor, as
duas lâmpadas se apagariam.
III. Se as duas lâmpadas estivessem
ligadas em série, o rompimento do
filamento de uma delas interromperia a
corrente também na outra.
A hipótese está correta em: “Mantendo-se constante a temperatura
T de um resistor, sua resistência
I apenas. I e II. elétrica R não varia, independente da
I e III. II e III. ddp aplicada a seus terminais”. Assim,
variando-se a ddp U no resistor varia a
corrente elétrica i no mesmo, mas a sua
resistência elétrica R permanece
constante.
APOSTILA 2018 Página 5
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2.2 Potência dissipada por um


resistor

Pelo próprio conceito de resistor,


visto no início desta unidade, podemos
Para o sistema internacional de dizer que a potência dissipada por um
unidades, temos: resistor sob forma de calor é igual à
potência elétrica que este recebe,
conforme o diagrama abaixo:

OBS: A curva característica do resistor


ôhmico (R = cte) é uma reta crescente, Assim, podemos calcular a potência
pois U = R . i é uma função do 1º Grau. dissipada por um resistor pela
expressão que indica da corrente
elétrica, vista na unidade anterior.

SEGUNDA LEI DE OHM: permite P = i . U = U² ¸ R = R . i²


calcular a resistência de um fio condutor
em função de suas características.
Assim, dado um fio condutor
homogêneo, de comprimento L e área
de secção transversal A, a resistência
elétrica R entre seus extremos é:

1 KW = 1 03 W = 1 000 J/s
1 MW = 1 06 W = 1 000000 J/s
1 GW = 1 09 W = 1 000000000 J/s

Vamos Fixar

1. Um ferro de passar roupa possui um


resistor de aquecimento de 12 Ω e está
conectado à rede de alimentação com
uma tensão de 120 V. Um disjuntor de
proteção foi instalado para este ferro de
passar e deve se desarmar (“abrir”) com
uma corrente 50% maior que a corrente
nominal de operação do ferro. Qual
deve ser a corrente especificada para o
disjuntor?
APOSTILA 2018 Página 6
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

10 A 15 A 20 A 5. (Fatec) Atualmente, a maioria das


30 A 120 A pessoas tem substituído, em suas
residências, lâmpadas incandescentes
2. (UECE) Um chuveiro elétrico tem por lâmpadas fluorescentes, visando a
uma resistência ôhmica de 10 Ω. Após uma maior economia. Sabendo-se que
duas horas ligado, verificou-se que o a luminosidade da lâmpada
consumo de energia foi de 2,42 fluorescente de 15 W equivale à da
kW.hora. Assim, a tensão em Volts da lâmpada incandescente de 60 W, o
rede em que o chuveiro foi ligado é efeito da substituição de uma lâmpada
12. 110. incandescente que funcione em média
220. 360. 6 horas por dia por outra fluorescente
será uma economia mensal, em kWh,
3. Um resistor ôhmico é ligado a uma de
bateria de tensão V0 para aquecer um 4,5. 8,1. 10,2.
volume de água de 24OC até 37OC 13,5. 15,0
dentro de certo intervalo de tempo,
desprezando qualquer perda para o 6. (Udesc) Um fio condutor foi
meio ambiente. Para que a mesma submetido a diversas voltagens em um
quantidade de água seja igualmente laboratório. A partir das medidas dessas
aquecida em 25% do tempo anterior, a voltagens e das correntes que se
tensão da bateria deve ser multiplicada estabeleceram no condutor, foi possível
por um fator de obter o gráfico a seguir.
¼. ½.
2. 4.

4. Considere duas lâmpadas: uma


lâmpada incandescente com consumo
de 20 W, vida útil de 1.000 horas e
rendimento (fração energética O valor da resistência desse condutor é:
efetivamente transformada em luz) de 32 Ω 250 Ω
25%; e uma segunda, do tipo 0,02 Ω 50 Ω
fluorescente, com vida útil de 7.500 150 Ω
horas e rendimento de 60%. Considere
um experimento em que as duas 7. Um menino, que não conseguia
lâmpadas são ligadas em paralelo a dormir de luz apagada, fez um acordo
uma tomada de energia elétrica com seu pai: dormiria 15 noites no mês
residencial, permanecendo ligadas com a luz desligada, em troca de um
durante suas vidas uteis. Qual deve ser aumento da sua mesada. A média do
a potencia, em Watts, consumida pela consumo de energia elétrica da família
fluorescente para que perca energia em era de 150 kWh por mês, sendo que, a
forma de calor tanto quanto a partir do acordo, houve uma economia
incandescente durante o período do mensal de 5%. Como o menino dormia
experimento? em média 10 horas por dia, a potência
20. 25. da lâmpada de seu quarto era de:
60. 5. 150 W 75 W
50 W 7,5 W

APOSTILA 2018 Página 7


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

8. (Fuvest-modificada) No sistema 2. Um eletricista deve instalar um


cardiovascular de um ser humano, o chuveiro que tem as especificações
coração funciona como uma bomba, 220 V — 4 400 W a 6 800 W. Para a
com potência média de 10 W, instalação de chuveiros, recomenda-se
responsável pela circulação sanguínea. uma rede própria, com fios de diâmetro
Se uma pessoa fizer uma dieta adequado e um disjuntor dimensionado
alimentar de 2160 kcal diárias, a à potência e à corrente elétrica
porcentagem dessa energia utilizada previstas, com uma margem de
para manter sua circulação sanguínea tolerância próxima de 10%. Os
será, aproximadamente, igual a (note e disjuntores são dispositivos de
adote: 1 cal = 4J ). segurança utilizados para proteger as
1% 4% 10% instalações elétricas de curtos-
20% 25% circuitos e sobrecargas elétricas e
devem desarmar sempre que houver
De olho no Enem passagem de corrente elétrica superior
à permitida no dispositivo.
1. No rio Amazonas, um pescador Para fazer uma instalação segura desse
inexperiente tenta capturar um poraquê chuveiro, o valor da corrente máxima do
segurando a cabeça do peixe com uma disjuntor deve ser
mão e a cauda com a outra. 20A. 25A. 30A.
35A. 40A.

3. Um pássaro pousa em um dos fios


de uma linha de transmissão de energia
elétrica. O fio conduz uma corrente
elétrica i = 1.000 A e sua resistência,
por unidade de comprimento, é de 5,0
O poraquê é um peixe elétrico, capaz x 10-5/m. A distância que separa os
de gerar, entre a cabeça e a cauda, pés do pássaro, ao longo do fio, é de
uma diferença de potencial de até 1500 6,0 cm. A diferença de potencial, em
V. Para esta diferença de potencial, a milivolts (mV), entre os seus pés é:
resistência elétrica do corpo humano, 1,0 2,0 3,0
medida entre as duas mãos, é de 4,0 5,0
aproximadamente 1000 Ω. Em geral,
500 mA de corrente contínua, passando 4. Uma fábrica de lâmpadas utiliza a
pelo tórax de uma pessoa, são mesma liga de tungstênio para produzir
suficientes para provocar fibrilação o filamento de quatro modelos de
ventricular e morte por parada lâmpadas para tensão de 127 V. Os
cardiorrespiratória. Usando os valores modelos diferenciam-se entre si pelo
mencionados acima, calculamos que a comprimento e área da secção
corrente que passa pelo tórax do transversal do filamento, conforme o
pescador, com relação à corrente indicado no quadro.
suficiente para provocar fibrilação
ventricular, é:
um terço. a metade.
igual. o dobro.
o triplo.

APOSTILA 2018 Página 8


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

disponível no cômodo em que passa


Modelo Comprimento Área da roupas. As cinco extensões que
secção encontra à venda suportam as
Lâmpada 1 L S intensidades de correntes máximas de
Lâmpada 2 L 2S 5A, 10A, 15A, 20A e 25A, e seus preços
Lâmpada 3 2L S aumentam proporcionalmente às
Lâmpada 4 2L 2S respectivas intensidades. Sendo assim,
a opção que permite o funcionamento
Quando ligadas em paralelo a uma adequado de seu ferro de passar em
mesma fonte de tensão de 127 V, as potência máxima, sem danificar a
potências P1, P2, P3 e P4 das extensão de fio e que seja a de menor
respectivas lâmpadas guardam a custo para Jorge, será a que suporta o
relação máximo de

P1> P2> P3> P4 5A 10 A 15 A


P4> P3> P2> P1 20 A 25 A
P1= P2> P3> P4
P3> P4> P1> P2
GABARITO
P2> P1 = P4> P3.
Vamos Fixar
1 2 3 4 5 6 7 8 9
5. Uma lâmpada LED (diodo emissor de B B C D B D C C
luz), que funciona com 12V e corrente
contínua de 0,45A, produz a mesma De olho no Enem
quantidade de luz que uma lâmpada 1 2 3 4 5 6
incandescente de 60W de potência. E D C E A C
Qual é o valor da redução da potência
consumida ao se substituir a lâmpada
incandescente pela de LED? TÓPICO - 03
54,6W 27,0W
ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES
26,6W 5,4W
5,0W
Uma associação de resistores consiste
6. No anúncio promocional de um ferro de vários resistores ligados
de passar roupas a vapor, é explicado eletricamente entre si. Numa residência,
que, em funcionamento, o aparelho as lâmpadas e os diversos aparelhos
borrifa constantemente 20g de vapor de elétricos ligados entre si constituem
água a cada minuto, o que torna mais uma associação semelhante a dos
fácil o ato de passar roupas. Além resistores.
dessa explicação, o anúncio informa
que a potência do aparelho é 1440W e 3.1 ASSOCIAÇÃO EM SÉRIE DE
que sua tensão de funcionamento é de RESISTORES:
110V. É aquela em que o terminal de saída do
primeiro é ligado ao terminal de entrada
Jorge comprou um desses ferros e, do segundo; o terminal de saída do
para utilizá-lo, precisa comprar também segundo é ligado ao terminal de entrada
uma extensão de fio que conecte o do terceiro e, assim, sucessivamente.
aparelho a uma única tomada de 110V
APOSTILA 2018 Página 9
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Ao aplicarmos uma ddp U nos terminais


A e B da associação em série, a
corrente elétrica i, que vai para a
associação, será a mesma para todos
os resistores e a ddp U será dividida
entre eles.
iT = i1 + i2 + i3

- mesma ddp
OBS: - iT = i1 + i2 + i3
- Mesma corrente

OBS: - UT = U1 + U2 + U3

- Req = R1 + R2 + R3 1º) Para somente dois resistores de


resistências R1 e R2.
Obs: As três lâmpadas da foto A estão
associadas em série. Quando uma
delas é retirada (foto B) ou “queima”,
a corrente é interrompida no circuito e
as outras duas se apagam. 2º) Para n resistores de resistências
iguais a R.

3.2 ASSOCIAÇÃO EM PARALELO DE


RESISTORES:

É aquela em que os terminais dos


resistores estão ligados a dois pontos
comuns (como A e B, na figura
abaixo). Ao aplicarmos uma ddp U nos As três lâmpadas da foto A estão
terminais A e B dessa associação, a associadas em paralelo. Quando uma
ddp U será a mesma para todos os delas é retirada (foto B) ou “queima”,
resistores e a corrente elétrica i, que vai as correntes elétricas nas outras duas
para a associação, será dividida entre não se alteram, desde que a ddp da
eles. associação não mude. Assim, as
outras lâmpadas continuam com o
mesmo brilho.

APOSTILA 2018 Página 10


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

3)
1- O DIVISOR DE CORRENTES
SIMPLES

1)

Vamos Fixar

1. O diagrama a seguir representa um


circuito simplificado de uma torradeira
2)
elétrica que funciona com uma tensão U
= 120 V. Um conjunto de resistores RT =
60 Ω é responsável pelo aquecimento
das torradas e um cronômetro
determina o tempo durante o qual a
torradeira permanece ligada.

2. DIVISOR DE CORRENTES
COMPOSTO

1) A corrente elétrica que atravessa cada


resistor RT é igual a:
1A 2A 3A
4A 8A

2. (UECE) Considere um conjunto


constituído de infinitos resistores iguais
(R), ligados entre si formando conforme
a figura abaixo.

2)

A resistência equivalente entre os


pontos P e Q vale:

APOSTILA 2018 Página 11


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Sendo 12V a voltagem da bateria, a


corrente no circuito, em mA, quando o
tanque está pela metade é:

3. Calcular a intensidade da corrente


que atravessa o resistor A na figura 0,15
abaixo. 1,5
15
150

6. (UECE) A figura adiante representa


6,6 A 4,4 A 3,3 A um ramo de uma instalação elétrica
1,1 A 2,2 A residencial alimentada com uma tensão
de 220V. Compõem esse ramo um
“relógio medidor de luz”, R, duas
4. Considere o circuito a seguir: lâmpadas, L1 e L2, um interruptor
ligado, S1, e um interruptor desligado,
S2. Toda vez que Clara liga o
interruptor S2, observa que o “relógio”
passa a marcar mais rapidamente.

É INCORRETO afirmar que queimando


a lâmpada
L 3 , a tensão sobre a lâmpada L 2
diminuirá.
L 1 , a tensão entre os pontos X e Y Isso acontece porque a corrente que
continua igual a 3 V. circula no “relógio medidor de luz”, após
L 4 , a intensidade da corrente elétrica o interruptor S‚ ser ligado, é:
na lâmpada L 1 • será nula. igual à corrente que circulava antes
L 2 , a intensidade da corrente elétrica e a tensão é maior que 220V.
na lâmpada L 3 aumentará. maior que a corrente que circulava
antes e a tensão permanece 220V.
menor que a corrente que circulava
5. (UECE) A figura mostra o esquema
antes e a tensão permanece a 220V.
de um medidor de gasolina usado em
maior que a corrente que circulava
automóveis. O indicador, no painel, tem
antes e a tensão é menor que 220V.
resistência de 10Ω. A unidade sensora
do tanque é uma bóia ligada a um
resistor que tem resistência de 120Ω
quando o tanque está vazio, 20Ω
quando o tanque está cheio, e varia
linearmente com o volume de gasolina.

APOSTILA 2018 Página 12


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

7. (UERJ) o gráfico a seguir apresenta


os valores das tensões e das correntes
elétricas estabelecidas em um circuito
constituído por um gerador de tensão
contínua (uma pilha, por exemplo) e
três resistores – R1, R2 e R3.

9. Considere o circuito a seguir

Quando os três resistores são ligados


em paralelo, e essa associação é
submetida a uma tensão constante de No circuito, por onde passa uma
200 V, a corrente total que o gerador corrente elétrica de 4 A, três resistores
fornecerá ao circuito será, em ampères, estão conectados a uma fonte ideal de
igual a: força eletromotriz de 20 V. Os valores
0,5. 1,0. 2,0. da resistência total deste circuito e da
3,5. 7,5. resistência RX são, respectivamente,
0,8 e 2,6 
8. (ESPCEX) Quatro lâmpadas ôhmicas
0,8  e 4,0  .
idênticas A, B, C e D foram associadas
e, em seguida, a associação é ligada a 5,0  e 5,0  .
um gerador de energia elétrica ideal. 5,0  e 10,0  .
Em um dado instante, a lâmpada A 10,0  e 4,0  .
queima, interrompendo o circuito no
trecho em que ela se encontra. As
lâmpadas B, C e D permanecem
acesas, porém o brilho da lâmpada B De olho no Enem
aumenta e o brilho das lâmpadas C e D
diminui. Com base nesses dados, a 1. (ENEM-PPL) Um grupo de amigos foi
alternativa que indica a associação passar o fim de semana em um
formada por essas lâmpadas é: acampamento rural, onde não há
eletricidade. Uma pessoa levou um
gerador a diesel e outra levou duas
lâmpadas, diferentes fios e bocais.
Perto do anoitecer, iniciaram a
instalação e verificaram que as
lâmpadas eram de 60 W – 110 V e o
gerador produzia uma tensão de 220 V.
Para que as duas lâmpadas possam
funcionar de acordo com suas
especificações e o circuito tenha menor
perda possível, a estrutura do circuito

APOSTILA 2018 Página 13


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

elétrico deverá ser de dois bocais 3. (Enem PPL 2014) Os manuais dos
ligados em fornos micro-ondas desaconselham,
série e usar fios de maior espessura. sob pena de perda da garantia, que
série e usar fios de máximo eles sejam ligados em paralelo
comprimento. juntamente a outros aparelhos
paralelo e usar fios de menor eletrodomésticos por meio de tomadas
espessura. múltiplas, popularmente conhecidas
paralelo e usar fios de maior como “benjamins” ou “tês”, devido ao
espessura. alto risco de incêndio e derretimento
paralelo e usar fios de máximo dessas tomadas, bem como daquelas
comprimento. dos próprios aparelhos.

2. (Enem 2014) Um sistema de Os riscos citados são decorrentes da


iluminação foi construído com um resistividade da conexão, que
circuito de três lâmpadas iguais diminui devido à variação de
conectadas a um gerador (G) de tensão temperatura do circuito.
constante. Esse gerador possui uma corrente elétrica superior ao máximo
chave que pode ser ligada nas posições que a tomada múltipla pode suportar.
A ou B. resistência elétrica elevada na
conexão simultânea de aparelhos
eletrodomésticos.
tensão insuficiente para manter
todos os aparelhos eletrodomésticos
em funcionamento.
intensidade do campo elétrico
elevada, que causa o rompimento da
rigidez dielétrica da tomada múltipla.

4. (ENEM) Para ligar ou desligar uma


mesma lâmpada a partir de dois
Considerando o funcionamento do interruptores, conectam-se os
circuito dado, a lâmpada 1 brilhará mais interruptores para que a mudança de
quando a chave estiver na posição posição de um deles faça ligar ou
B, pois a corrente será maior nesse desligar a lâmpada, não importando
caso. qual a posição do outro. Esta ligação é
B, pois a potência total será maior conhecida como interruptores paralelos.
nesse caso. Este interruptor é uma chave de duas
A, pois a resistência equivalente será posições constituída por um polo e dois
menor nesse caso. terminais, conforme mostrado nas
B, pois o gerador fornecerá uma figuras de um mesmo interruptor. Na
maior tensão nesse caso. Posição
A, pois a potência dissipada pelo I a chave conecta o polo ao terminal
gerador será menor nesse caso. superior, e na Posição II a chave o
conecta ao terminal inferior.

APOSTILA 2018 Página 14


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

IA  IE e IC  ID.
IA  IB  IE e IC  ID.
IA  IB, apenas.
IA  IB  IE, apenas.
IC  IB, apenas.

O circuito que cumpre a finalidade de


funcionamento descrita no texto é: 6. (Enem 2016) Por apresentar
significativa resistividade elétrica, o
grafite pode ser utilizado para simular
resistores elétricos em circuitos
desenhados no papel, com o uso de
lápis e lapiseiras. Dependendo da
espessura e do comprimento das linhas
desenhadas, é possível determinar a
resistência elétrica de cada traçado
produzido. No esquema foram utilizados
três tipos de lápis diferentes (2H, HB e
6B) para efetuar três traçados distintos.

5. (Enem 2016) Três lâmpadas


idênticas foram ligadas no circuito Munida dessas informações, um
esquematizado. A bateria apresenta estudante pegou uma folha de papel e
resistência interna desprezível, e os fios fez o desenho de um sorvete de
possuem resistência nula. Um técnico casquinha utilizando-se desses
fez uma análise do circuito para prever traçados. Os valores encontrados nesse
a corrente elétrica nos pontos: A, B, C, D e experimento, para as resistências
E; e rotulou essas correntes de IA , IB, IC, ID elétricas (R), medidas com o auxílio de
e IE, respectivamente. um ohmímetro ligado nas extremidades
das resistências, são mostrados na
figura. Verificou-se que os resistores
obedeciam a Lei de Ohm.

O técnico concluiu que as correntes que Na sequência, conectou o ohmímetro


apresentam o mesmo valor são nos terminais A e B do desenho e, em
seguida, conectou-o nos terminais B e
APOSTILA 2018 Página 15
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

C, anotando as leituras RAB e RBC,


respectivamente. Ao estabelecer a TÓPICO - 04
razão RAB qual resultado o estudante GERADORES E RECEPTORES
RBC 9.1 Gerador elétrico
obteve? É todo aparelho que transforma uma
1
4 10 modalidade de energia qualquer em
7 27 energia elétrica.
14 4
81 81

7. (ENEM) Considere a seguinte


situação hipotética: ao preparar o palco
para a apresentação de uma peça de
teatro, o iluminador deveria colocar três
atores sob luzes que tinham igual brilho
e os demais, sob luzes de menor brilho.
O iluminador determinou, então, aos
técnicos, que instalassem no palco oito
lâmpadas incandescentes com a
mesma especificação (L1 a L8),
interligadas em um circuito com uma REPRESENTAÇÃO E ELEMENTOS
bateria, conforme mostra a figura. DE UM GERADOR

Nessa situação, quais são as três


lâmpadas que acendem com o mesmo
brilho por apresentarem igual valor de
corrente fluindo nelas, sob as quais
devem se posicionar os três atores?
L1, L2 e L3. L2, L3 e L4.
L2, L5 e L7. L4, L5 e L6.
L4, L7 e L8.

GABARITO
Vamos Fixar 4.1 Equação do gerador
1 2 3 4 5 6 7 8 9
É a equação que determina a ddp
fornecida U por um gerador.
De olho no Enem O gerador não fornece a fem, E, pois
1 2 3 4 5 6 7 parte dessa ddp cai naresistência
interna, r.i, dissipando-se na forma de
calor. O restante da ddp, U, é fornecida
ao circuito externo. Logo:
APOSTILA 2018 Página 16
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

U=E–r.i
4.2 Lei de Ohm–Pouillet
É usada para determinar a corrente
fornecida i por um gerador. Representação e elementos de um
receptor

4.4 Equação do receptor


É a equação que determina a ddp U
recebida pelo receptor. Da ddp
recebida pelo receptor, U, uma parcela
Curva característica do gerador
correspondente à fcem, E’, e a restante
É uma reta decrescente, pois
cai na resistência interna, r’.i,
U = E – r . i é uma função do 1º grau
dissipando-se na forma de calor. Logo:
com coeficiente angular negativo
(– r).
U = E’ – r’ . i
Lei de Ohm generalizada
Você já sabe que se entre dois
pontos A e B existir uma resistência R e
por ela passar uma corrente i, a
diferença de potencial entre os pontos
A e B é calculada pela lei de Ohm.

4.3 Receptor elétrico


É todo aparelho que transforma
energia elétrica em outra modalidade
de energia, que não seja
exclusivamente térmica. VAB = U = R . i
Se agora, entre os pontos A e B,
existirem várias resistências, a
diferença de potencial entre os pontos
A e B será calculada como a soma dos
produtos Ri.

APOSTILA 2018 Página 17


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

4.6 Voltímetro real


VAB = U = ΣR . i
É um aparelho que se destina a medir
Mas se entre os pontos A e B, além diferenças de potencial entre dois
de resistência, existir geradores e pontos de um circuito elétrico. O
receptores calcula-se a d.d.p. como voltímetro ideal é aquele que apresenta
antes, (ΣRi) e no final subtrai-se o efeito uma resistência interna infinita.
produzido pelos geradores e receptores Um voltímetro real apresenta
(Σε). resistência interna grande e pode ser
construído a partir de um galvanômetro
modificado.

VAB = U = Σε – Σ R . i
4.5 Galvanômetro
É um indicador de corrente elétrica. O
princípio de funcionamento de um 4.7 Ponte de Wheatstone
galvanômetro baseia-se na força É o nome dado ao circuito elétrico
magnética que age sobre um condutor montado segundo o esquema abaixo e
percorrido por corrente elétrica, quando usado na determinação do valor de uma
esse condutor está imerso em um resistência elétrica desconhecida (Rx).
campo magnético.

9.8 Amperímetro real


É o instrumento que se destina a
medir intensidades de correntes
elétricas. O amperímetro ideal tem
A partir da variação do valor da
resistência interna nula. O amperímetro
resistência elétrica variável R (reostado)
real tem pequena resistência interna e
chega-se a uma situação tal que o
pode ser fabricado a partir de um
galvanômetro não acusa a passagem
galvanômetro modificado.
de corrente elétrica. Nessa situação
dizemos que a ponte está em equilíbrio.
Numa ponte de Wheatstone em
equilíbrio são iguais os produtos das
resistências elétricas dos resistores
situados em lados opostos.

RX . R2 = R . R1

APOSTILA 2018 Página 18


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Vamos fixar Determine a fem da bateria B sabendo


que a mesma é menor que 12 V.
1. No circuito, com a chave desligada, o 3V
voltímetro mede 1,68 V. Ao se ligar a 4V
chave, fecha-se um circuito com um 6V
resistor de resistência 250 Ω e então o 9V
voltímetro passa a indicar o valor 1,50 12V
V.

4. No circuito da figura abaixo, A é um


amperímetro e V um voltímetro
supostos ideais, cujas leituras são,
respectivamente:
Nessas condições, o valor da
resistência interna da pilha é, em Ω, de:
6. 15. 25.
30. 108.

2. No trecho de circuito representado a


seguir, o voltímetro marca 10 V e o
6,0 A e 0,5 V 2,0 A e 1,5 V
galvanômetro G garante que não há
0,5 A e 2,5 V 3,0 A e 1,0 V
passagem de corrente no ramo em que
1,0 A e 2,0 V
está inserido.
5. (PUCPR) O circuito representado é
formado pelo gerador de F.E.M. 60V,
resistência interna 1Ω e por resistores.
A corrente no resistor de 9Ω e a
diferença de potencial entre os pontos A
e B são respectivamente:

Pode-se afirmar que o valor da


resistência R, em ohms, é:
1,0. 2,0. 3,0.
4,0. 5,0.

3. Os circuitos I e II, da figura abaixo,


foram montados para a determinação
do valor da força eletromotriz, fem, da
bateria B. Neles foram utilizados os 4A, 4V. 2A, 2V.
mesmos componentes elétricos. Na 2A, 6V. 3,3A, 6,6V.
montagem do circuito I, o amperímetro, 4A, 8V.
A, indicou uma corrente I1 = 1 A e, na
montagem do circuito II, indicou uma
corrente I2 = 3 A. As resistências
internas das duas baterias e do
amperímetro são de valor desprezível.

APOSTILA 2018 Página 19


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

6. Uma questão tecnológica importante A tensão entre os terminais A e B do


nos dias de hoje consiste em produzir motor é 4, 0 V. Qual é a potência
baterias portáteis capazes de elétrica consumida pelo motor?
armazenar muita energia elétrica. Uma
medida da energia que a bateria é
capaz de fornecer por unidade de 0,5W.
tempo (potência) pode ser obtida a 1,0W.
partir do levantamento da curva da 1,5W.
tensão produzida entre seus terminais, 2, 0 W
em função da corrente que passa por 2, 5 W.
ela. Considere uma bateria cujo gráfico
U × i se comporta como mostra a figura 8. (Mack-SP) No circuito representado
abaixo. abaixo, a bateria é ideal e a intensidade
de corrente i1 é igual a 1,5 A. O valor da
força eletromotriz ε da bateria é:

10 V.
20 V.
30 V.
40 V.
Com base nas informações acima, a
alternativa correta é: 50 V.
A potência máxima fornecida pela
bateria vale 1,2 W.
a bateria tem uma força eletromotriz, 9. (ITA-SP) Quando se acendem os
faróis de um carro cuja bateria possui
ou fem, que vale 2,5 V.
resistência interna ri = 0,050 Ω, um
Ao produzir uma tensão de 2,0 V
amperímetro indica uma corrente de 10
entre seus terminais, a bateria é
percorrida por uma corrente de 100 mA. A e um voltímetro, uma voltagem de 12
a resistência interna da bateria vale V. Considere desprezível a resistência
12,5 W. interna do amperímetro. Ao ligar o
A corrente de curto-circuito da motor de arranque, observa-se que a
leitura do amperímetro é de 8,0 A e que
bateria é de 400 A.
as luzes diminuem um pouco de
7. O circuito a seguir representa três intensidade. Calcular a corrente que
pilhas ideais de 1, 5 V cada uma, um passa pelo motor de arranque quando
resistor R de resistência elétrica 1, 0 Ω os faróis estão acesos.
e um motor, todos ligados em série.

120 A 70 A 50 A
(Considere desprezível a resistência 40 A 30 A
elétrica dos fios de ligação do circuito.)

APOSTILA 2018 Página 20


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

De olho no Enem
2. (ENEM-PPL) Um eletricista precisa
1. (Enem 2013) Um eletricista analisa o medir a resistência elétrica de uma
diagrama de uma instalação elétrica lâmpada. Ele dispõe de uma pilha, de
residencial para planejar medições de uma lâmpada (L), de alguns fios e de
tensão e corrente em uma cozinha. dois aparelhos: um voltímetro (V), para
Nesse ambiente existem uma geladeira medir a diferença de potencial entre
(G), uma tomada (T) e uma lâmpada dois pontos, e um amperímetro (A),
(L), conforme a figura. O eletricista para medir a corrente elétrica. O circuito
deseja medir a tensão elétrica aplicada elétrico montado pelo eletricista para
à geladeira, a corrente total e a corrente medir essa resistência é
na lâmpada. Para isso, ele dispõe de
um voltímetro (V) e dois amperímetros
(A).

Para realizar essas medidas, o


esquema da ligação desses
instrumentos está representado em:

3. (Enem 2015) Um estudante,


precisando instalar um computador, um
monitor e uma lâmpada em seu quarto,
verificou que precisaria fazer a
instalação de duas tomadas e um
interruptor na rede elétrica. Decidiu
esboçar com antecedência o esquema
elétrico.

“O circuito deve ser tal que as tomadas


e a lâmpada devem estar submetidas à
tensão nominal da rede elétrica e a
lâmpada deve poder ser ligada ou
desligada por um interruptor sem afetar
os outros dispositivos” — pensou.

APOSTILA 2018 Página 21


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

mostra caminho para uso do óleo de


Símbolos adotados: fritura na produção de biodiesel.
Disponível em: <http://www.nutrinews.com.br>
Acesso em: 14 fev. 2009 (Adaptado).
De acordo com o texto, o destino
inadequado do óleo de cozinha traz
diversos problemas. Com o objetivo de
Qual dos circuitos esboçados atende às contribuir para resolver esses
exigências? problemas, deve-se:
utilizar o óleo para a produção de
biocombustíveis, como etanol.
coletar o óleo devidamente e
transportá-lo às empresas de produção
de biodiesel.
limpar periodicamente os esgotos
das cidades para evitar entupimentos e
enchentes.
utilizar o óleo como alimento para os
peixes, uma vez que preserva seu valor
nutritivo após o descarte.
descartar o óleo diretamente em
ralos, pias e bueiros, sem tratamento
prévio com agentes dispersantes.

5. (Enem PPL 2014) Fusíveis são


dispositivos de proteção de um circuito
elétrico, sensíveis ao excesso de
4.(Enem) Metade do volume de óleo de corrente elétrica. Os modelos mais
cozinha consumido anualmente no simples consistem de um filamento
Brasil, cerca de dois bilhões de litros, é metálico de baixo ponto de fusão, que
jogada incorretamente em ralos, pias e se funde quando a corrente ultrapassa
bueiros. Estima-se que cada litro de determinado valor, evitando que as
óleo descartado polua milhares de litros demais partes do circuito sejam
de água. O óleo no esgoto tende a criar danificadas. A figura mostra um
uma barreira que impede a passagem diagrama de um circuito em que o
da água, causa entupimentos e, fusível F protege um resistor R de 12Ω,
consequentemente, enchentes. Além uma lâmpada L de 6 W e um alto-
disso, ao contaminar os mananciais, falante que conduz 1 A.
resulta na mortandade de peixes. A
reciclagem do óleo de cozinha, além de
necessária, tem mercado na produção
de biodiesel. Há uma demanda atual de
1,2 bilhões de litros de biodiesel no
Brasil. Se houver planejamento na
coleta, transporte e produção, estima-se
que se possa pagar até R$ 1,00 por litro
de óleo a ser reciclado. Programa

APOSTILA 2018 Página 22


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Sabendo que esse fusível foi projetado


para trabalhar com uma corrente até
20% maior que a corrente nominal que
atravessa esse circuito, qual é o valor,
em ampères, da corrente máxima que o
fusível F permite passar?
1,0. 1,5. 2,0.
2,5. 3,0.

GABARITO
Vamos Fixar
1 2 3 4 5 6 7 8 9
5.2 Cálculo de DDP´s em Circuitos
Elétricos
De olho no Enem
1 2 3 4

TÓPICO - 05
CIRCUITOS ELÉTRICOS

5.1 Leis de Kirchhoff

Leis dos nós

“A soma das intensidades das


correntes que chegam a um nó é igual à
soma da intensidade das correntes que
saem do mesmo”.

APLICAÇÃO

1. Em cada um dos trechos de circuito


abaixo, calcule todas as correntes elétricas
do circuito bem como a ddp entre os
pontos A e B, ou seja, UAB = VA - VB.
Lei das malhas de Kirchhoff:

“Percorrendo uma malha em um certo


sentido, partindo e chegando ao mesmo
ponto, a soma algébrica das tensões é
nula”.

APOSTILA 2018 Página 23


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

4. No circuito abaixo, determine as


tensões UAB = VA – VB entre os
pontos A e B com a chave k
fechada e com a chave k aberta

2. No circuito abaixo, todas as baterias são


ideais. O prof. Renato Brito pede que você
determine a corrente elétrica através da
bateria de 30V.

5. No circuito abaixo, determine as


tensões UAB = VA – VB entre os
pontos A e B com a chave k
fechada e com a chave k aberta.

3. Determine todas as correntes elétricas


nos ramos do circuito abaixo.

APOSTILA 2018 Página 24


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

7. No circuito abaixo, todas as baterias em paralelo entre si, a resistência


são ideais. O prof. Renato Brito pede equivalente Req será dada por:
que você determine todas as correntes
elétricas do circuito. Req = R1 // R2 // R3 // .... Rn

Além disso, temos simplesmente

εeq = ε
Ou seja, se tivemos várias baterias de
12V em paralelo, todas com a mesma
polaridade, a bateria equivalente será
de 12V!

8. Ache todas as correntes elétricas no Caso 2 (geral): polaridades,


circuito abaixo. resistências internas e f.e.m.s
quaisquer

Num circuito contendo um número


qualquer de baterias, com polaridades
quaisquer e forças eletromotrizes (fem)
genéricas, o Método de Millman permite
facilmente se determinar a versão
simplificada dessa associação.

5.3 Associação de Baterias (Método


de Millman)

Caso 1: mesma f.e.m. e mesma


polaridade

Num circuito contendo um número


qualquer de baterias, todas com a
mesma polaridade e com a mesma
força eletromotriz (fem) e, a sua versão
simplificada é mostrada abaixo.

APLICAÇÃO

1. No circuito abaixo, calcule todas as


correntes elétricas.

Segundo esse teorema, apesar de os


resistores R1, R2, R3 etc não estarem

APOSTILA 2018 Página 25


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2. No circuito abaixo, calcule todas as B) sem usar lei das malhas e sem
correntes elétricas. sofrimento

7. Ache todas as correntes elétricas no


circuito abaixo, usando as seguintes
3. No circuito abaixo, demonstre a técnicas:
seguinte equivalência.

4. Determine a versão mais simples


equivalente ao circuito abaixo:
8. (ITA) Considere o circuito elétrico
mostrado na figura formado por quatro
resistores de mesma resistência R =
10Ω e dois geradores ideais de forças
eletromotrizes respectivamente iguais a
ε1 = 30V e ε2 = 10V. Determine cada
uma das correntes elétricas i1, i2, i3 e
i4 indicadas na figura.
5. Determine a versão mais simples
equivalente ao circuito abaixo:

6. Ache todas as correntes elétricas no


circuito abaixo, usando as seguintes
técnicas:
A) fazendo uso da lei das malhas
tradicional (Kirchhoff);
APOSTILA 2018 Página 26
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

10. Ache todas as correntes elétricas no 1ª) O ímã possui dois pólos: o polo
circuito abaixo sem usar lei das malhas norte (N) e o pólo sul (S),
e sem sofrimento. que correspondem às regiões do ímã
onde as ações magnéticas são mais
intensas.

2ª) Os pólos de um ímã são


inseparáveis. Cada pedaço do
ímã gera um novo ímã com seus polos
norte (N) e sul (S).

TÓPICO - 06
MAGNETISMO

6.1 ÍMÃS

Numa região da Ásia Menor, conhecida


como Magnésia, descobriu-se que 3ª) Polos opostos se atraem e polos
alguns tipos de rocha atraíam umas iguais, repelem-se
às outras e podiam também atrair
objetos de ferro. Essas
pedras, denominadas magnetita, são
constituídas por um óxido de ferro
(Fe3O4), a que damos o nome de ímãs
naturais.
ATENÇÃO: Todo ímã, podendo girar
livremente na superfície terrestre, terá,
aproximadamente, seu polo norte
indicado para o norte geográfico e seu
polo sul indicado para o sul
Contudo, através de processos de geográfico. Isto ocorre devido ao
imantação, pode-se obter ímãs planeta Terra funcionar como um
artificiais em forma de barra, ferradura gigantesco ímã, onde o norte
ou disco. geográfico coincide com o sul
magnético e o sul geográfico coincide
com o norte magnético,
aproximadamente. Com base nisto, os
chineses criaram a bússola, onde o
6.2 PROPRIEDADES DO ÍMÃ: ímã utilizado, em forma de losango, é
chamado de agulha magnética.

APOSTILA 2018 Página 27


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

01. (G1 - IFSP) Os ímãs têm larga


aplicação em nosso cotidiano tanto com
finalidades práticas, como em alto-
falantes e microfones, ou como
meramente decorativas. A figura mostra
dois ímãs, A e B, em forma de barra,
com seus respectivos polos
magnéticos.
6.3. SUBSTÂNCIAS MAGNÉTICAS

1. SUBSTÂNCIAS DIAMAGNÉTICAS:
São aquelas que não podem ser Analise as seguintes afirmações sobre
imantadas (cobre, chumbo, água, ímãs e suas propriedades magnéticas.
bismuto e antimônio).
I. Se quebrarmos os dois ímãs ao meio,
2. SUBSTÂNCIAS PARAMAGNÉTICAS: obteremos quatro pedaços de
material sem propriedades
São aquelas que podem ser magnéticas, pois teremos separados
imantadas, porém o poder magnético os polos norte e sul um do outro.
é muito fraco (a maioria das II. A e B podem tanto atrair-se como
substâncias, como alumínio, platina, repelir-se, dependendo da posição
estanho, manganês, cromo e o ar). em que os colocamos, um em relação
ao outro.
3. SUBSTÂNCIAS FERROMAGNÉTICAS:
III. Se aproximarmos de um dos dois
ímãs uma pequena esfera de ferro,
São aquelas que podem ser
ela será atraída por um dos polos
imantadas e o poder magnético é
desse ímã, mas será repelida pelo
forte (ferro, níquel, aço e cobalto).
outro.
OBS: Um corpo, de determinada
É correto o que se afirma em
substância ferromagnética, pode ser
imantado temporariamente atritando-
se sobre ele um ímã, sempre no
I, apenas.
mesmo sentido para orientar os seus
I e III, apenas.
ímãs elementares (minúsculos ímãs no
II, apenas.
interior do corpo), ou colocando-o
II e III, apenas.
simplesmente em contato com um
I e II, apenas.
ímã.
02. Um professor de Física mostra aos
seus alunos 3 barras de metal AB, CD e
EF que podem ou não estar
magnetizadas. Com elas faz três
experiências que consistem em
aproximá-las e observar o efeito de
atração e/ou repulsão, registrando - o
na tabela a seguir
Vamos fixar
APOSTILA 2018 Página 28
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

acrescentados elétrons à barra


retirados elétrons da barra
acrescentados ímãs elementares à
barra
retirados ímãs elementares da barra
ordenados os ímãs elementares da
Após o experimento e admitindo que barra.
cada letra pode corresponder a um
único polo magnético, seus alunos 5. (Uni-Rio/RJ) - Assinale a opção que
concluíram que apresenta a afirmativa correta, a
somente a barra CD é ímã. respeito de fenômenos
somente as barras CD e EF são eletromagnéticos.
ímãs. É possível isolar os polos de um imã.
somente as barras AB e EF são Imantar um corpo é fornecer elétrons
ímãs. a um de seus polos e prótons ao outro.
somente as barras AB e CD são Ao redor de qualquer carga elétrica,
ímãs. existe um campo elétrico e um campo
AB, CD e EF são ímãs. magnético.
Cargas elétricas em movimento
03. (G1 - CPS) geram um campo magnético.
As propriedades magnéticas de um
imã de aço aumentam com a
temperatura.

6. (Unesp 2016) Um ímã em forma de


barra, com seus polos Norte e Sul, é
colocado sob uma superfície coberta
com partículas de limalha de ferro,
Para vender a fundições que fabricam fazendo com que elas se alinhem
aço, as grandes indústrias de segundo seu campo magnético. Se
reciclagem separam o ferro de outros quatro pequenas bússolas, 1, 2, 3 e 4,
resíduos e, para realizar a separação e forem colocadas em repouso nas
o transporte do ferro, elas utilizam posições indicadas na figura, no mesmo
grandes guindastes que, em lugar de plano que contém a limalha, suas
possuírem ganchos em suas agulhas magnéticas orientam-se
extremidades, possuem segundo as linhas do campo magnético
bobinas que geram corrente elétrica. criado pelo ímã.
bobinas que geram resistência
elétrica.
dínamos que geram campo
magnético.
eletroímãs que geram corrente
elétrica.
eletroímãs que geram campo
magnético. Desconsiderando o campo magnético
4. (PUC-SP) Quando uma barra de terrestre e considerando que a agulha
ferro é magnetizada, são: magnética de cada bússola seja

APOSTILA 2018 Página 29


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

representada por uma seta que se I e II.


orienta na mesma direção e no mesmo II e III.
sentido do vetor campo magnético II e IV.
associado ao ponto em que ela foi III e IV.
colocada, assinale a alternativa que
indica, correta e respectivamente, as 8. O ano de 2009 foi o Ano
configurações das agulhas das Internacional da Astronomia. A 400
bússolas 1, 2, 3 e 4 na situação anos atrás, Galileu apontou um
descrita. telescópio para o céu, e mudou a nossa
maneira de ver o mundo, de ver o
universo e de vermos a nós mesmos.
As questões, a seguir, nos colocam
diante de constatações e nos lembram
que somos, apenas, uma parte de algo
muito maior: o cosmo.
Um astronauta, ao levar uma bússola
para a Lua, verifica que a agulha
magnética da bússola não se orienta
numa direção preferencial, como ocorre
7. A bússola é um dispositivo composto na Terra.
por uma agulha imantada que pode
girar livremente em torno de um eixo
perpendicular a ela.

Considere as seguintes afirmações, a


partir dessa observação:
1. A agulha magnética da bússola não
cria campo magnético, quando está na
Lua.
2. A Lua não apresenta um campo
Sobre seu funcionamento, afirma-se: magnético.
Sobre tais afirmações, marque a
I- O pólo sul magnético aponta para o alternativa CORRETA:
norte geográfico terrestre.
II- O pólo norte magnético aponta para Apenas a afirmação 1 é correta.
o sul de um ímã colocado próximo à
Apenas a afirmação 2 é correta.
bússola.
As duas afirmações são corretas.
III- A agulha sofre uma deflexão quando As duas afirmações são falsas.
está próxima e paralela a um fio que
conduz corrente elétrica. 9. (G1 - ifsp 2014) As bússolas são
IV- A agulha, na ausência de campos muito utilizadas até hoje, principalmente
magnéticos externos, orienta-se na por praticantes de esportes de aventura
direção leste-oeste terrestre.
ou enduros a pé. Esse dispositivo
São corretas apenas as afirmativas
funciona graças a um pequeno imã que
é usado como ponteiro e está dividido
em polo norte e polo sul. Geralmente, o
APOSTILA 2018 Página 30
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

polo norte de uma bússola é a parte do 2. Frequentemente, em alto mar, um


ponteiro que é pintada de vermelho e velejador recorre a bússolas, bem como
aponta, obviamente, o Polo Norte a mapas e estrelas, para sua
geográfico. orientação. Considerando-se essa
Na Física, a explicação para o informação, é correto afirmar que a
funcionamento de uma bússola pode orientação, nesse caso, é possível
ser dada porque as linhas de campo porque a bússola indica a
magnético da Terra se orientam direção leste – oeste da Terra.
do polo Sul magnético ao polo Leste direção do campo magnético da
magnético. Terra.
do polo Norte magnético ao polo Sul posição do meridiano local.
magnético. trajetória do Sol no céu.
na direção perpendicular ao eixo da
Terra, ou seja, sempre paralelo à
linha do Equador. 3. Na figura, dois ímãs iguais, em forma
na direção oblíqua ao eixo da Terra, de anel, são atravessados por um
ou seja, oblíqua à linha do Equador. bastão que está preso em uma base. O
na direção do campo gravitacional. bastão e a base são de madeira.
Considere que os ímãs se encontram
De olho no Enem em equilíbrio e que o atrito entre eles e
o bastão é desprezível.
1. Da palavra aimant, que traduzido do
francês significa amante, originou-se o
nome ímã, devido à capacidade que
esses objetos têm de exercer atração e
repulsão.
Sobre essas manifestações, considere
as proposições:

I. Assim como há ímãs que possuem os Nessas condições, o módulo da força


dois tipos de polos, sul e norte, há ímãs que a base exerce sobre o ímã de baixo
que possuem apenas um. é:
II. O campo magnético terrestre diverge igual ao peso desse ímã.
dos outros campos, uma vez que o polo nulo.
norte magnético de uma igual a duas vezes o peso desse
bússola é atraído pelo polo norte ímã.
magnético do planeta. maior que o peso desse ímã e menor
III. Os pedaços obtidos da divisão de que o dobro do seu peso.
um ímã são também
ímãs que apresentam os dois polos GABARITO
magnéticos, independentemente do Vamos Fixar
tamanho dos pedaços. 1 2 3 4 5 6 7 8 9
Está correto o contido em
I, apenas.
III, apenas. De olho no Enem
I e II, apenas. 1 2 3
II e III, apenas.
I, II e III.

APOSTILA 2018 Página 31


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

TÓPICO - 07
ELETROMAGNETISMO

7.1 CAMPO MAGNÉTICO


- Direção: tangente à linha de indução
que passa pelo ponto P;
A EXPERIÊNCIA DE OERSTED
- Sentido: Regra da mão direita;
Em 1820, o cientista Hans C. Oersted
realizou uma experiência que
demonstrou que os fenômenos elétricos
e magnéticos estão intimamente
relacionados.
- Intensidade:

Onde :
o=permeabilidade magnética do vácuo
e vale 4π.10-7 T.m/A
i = intensidade da corrente que percorre
o fio.
r = o raio do círculo

Conclusão
A corrente elétrica (carga elétrica em
movimento) que passa no fio gera um 7.3 Espira circular
campo magnético, ortogonal a essa
corrente. Considere uma espira circular (condutor
dobrado com forma de circunferência)
7.2 Campo magnético em torno de um de centro O e raio R.
fio retilíneo

APOSTILA 2018 Página 32


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

No interior do solenoide, o vetor


indução magnética B tem as seguintes
características:
-Direção : do eixo geométrico do
solenoide.
- Direção : perpendicular ao plano da - Sentido : determinado pela regra da
espira. mão direita
- Sentido: determinado pela regra da - Intensidade:
mão direita.
- Intensidade:

 = n° de espiras.
L = comprimento do solenoide
7.4 Campo de uma solenoide

Denomina - se solenoide um fio


condutor enrolado segundo espiras
iguais, de um lado ao outro, igualmente Vamos Fixar
espaçadas.
1. (Pucsp 2017) Dois longos fios
metálicos, retilíneos e flexíveis estão
inicialmente dispostos conforme indica
a Figura 1 e localizados numa região do
espaço onde há a presença de um
intenso campo magnético constante e
perpendicular ao plano da folha.

No interior do solenoide, o campo é Quando os fios são percorridos por


praticamente uniforme e tem direção corrente elétrica de mesma intensidade
de seu eixo geométrico. Na região constante, verificam-se as deformações
externa o campo é praticamente nulo. indicadas na Figura 2.

APOSTILA 2018 Página 33


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

3. A figura abaixo mostra dois fios retos


e longos, ortogonais entre si, cada um
percorrido por uma corrente elétrica i,
de mesma intensidade, com os sentidos
mostrados.

Para que isso seja possível, o sentido


do campo magnético e da corrente
elétrica em cada fio deve ser:
Campo magnético entrando na folha
(X) e sentido da corrente elétrica de A
para B no fio 1 e sentido de B para A
no fio 2. De acordo com seus conhecimentos e
Campo magnético saindo da folha ( ) com as informações dadas, das regiões
e sentido da corrente elétrica de A I, II, III, IV, aquelas em que podem
para B no fio 1 e sentido de B para A existir pontos nos quais o campo
no fio 2. magnético resultante criado pelas
Campo magnético entrando na folha correntes seja “não nulo”, são:
(X) e sentido da corrente elétrica de B apenas I e IV.
para A no fio 1 e sentido de B para A I, II, III e IV.
no fio 2. apenas II e III.
Campo magnético saindo na folha ( ) apenas II, III e IV.
e sentido da corrente elétrica de B apenas I, II e III.
para A nos fios 1 e 2.
4. A figura representa um condutor
2. (UECE) Um fio condutor reto é retilíneo C, de grande comprimento,
percorrido por uma corrente elétrica perpendicular ao plano da página, e
constante, que gera um campo uma agulha magnética situada no plano
magnético nas suas proximidades. da página, que coincide com o plano
Nessa situação, é correto afirmar que horizontal, a qual pode girar livremente,
as linhas de campo magnético são tendo como apoio o ponto A.
paralelas à direção do fio, e o campo
elétrico no interior do condutor é
diferente de zero.
as linhas de campo magnético são
perpendiculares à direção do fio, e o
campo elétrico no interior do condutor é
zero.
as linhas de campo magnético são Desprezando o campo magnético
paralelas à direção do fio, e o campo terrestre, quando o condutor for
elétrico no interior do condutor é zero. percorrido por uma corrente elétrica i,
as linhas de campo magnético são dirigida de cima para baixo, a
perpendiculares à direção do fio, e o extremidade Norte da agulha se
campo elétrico no interior do condutor é posicionará sobre o ponto
diferente de zero.
APOSTILA 2018 Página 34
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

1 2 3 2,48
4 5 4,96
17,5
6. (Fac. Albert Einstein - Medicin 2016) 24,8
Desde o aparecimento de sistemas
artificiais de estimulação cardíaca, 7. (Acafe 2016) O LHC fica na periferia
dotados de circuitos de sensibilidade da cidade de Genebra, na Suíça, sendo
(os marca-passos), tem-se observado formado por um enorme tubo circular
sua relativa vulnerabilidade frente a com circunferência de 26,7 km e diâmetro
interferências de diferentes naturezas, de 7 m; é subterrâneo, ficando a cerca
tanto em situações ambientais de 100 m abaixo do solo. Ele é um dos
características do dia a dia do paciente experimentos do CERN (Organização
portador de marca-passo, quanto em Europeia para Pesquisa Nuclear), onde
circunstâncias em que há a a internet foi inventada.
necessidade de submetê-lo a
procedimentos terapêuticos envolvendo
correntes elétricas, ondas
eletromagnéticas ou radiações. Campos
magnéticos da ordem de 17,5 μT são
encontrados em regiões próximas a
condutores de altas correntes como, por
exemplo, alarmes antirroubo, detectores
de metais, linhas de transmissão etc. e
podem inibir o gerador de estímulos O diagrama acima mostra o tubo em
cardíacos, mudando consequentemente forma de anel, onde um feixe de
seu comportamento. partículas elétricas (prótons ou íons) é
acelerado por um campo elétrico e
passa a rodar sob poderosos campos
magnéticos (perpendiculares aos
planos das órbitas dos feixes) em um
sentido do anel, enquanto outro feixe
acelerado roda no sentido oposto do
mesmo anel. Até que, no momento
certo, eles entram em rota de colisão,
http://paginas.fe.up.pt/~mam/Linhas-01.pdf
onde as forças elétricas e nucleares
[Adaptado] serão tão intensas que partículas
poderão ser criadas.
Determine até que distância
aproximada, em metros, de uma linha Nesse sentido, analise as afirmações a
de transmissão muito comprida seguir.
(condutor retilíneo), percorrida por uma
corrente contínua de 217 A, a uma ( ) A função do campo magnético é
tensão de 400 kV, o campo magnético apenas mudar a direção da
produzido teria magnitude capaz de velocidade do feixe de prótons.
poder alterar o comportamento do ( ) A força magnética aplicada em cada
gerador de estímulos cardíacos. Adote: próton possui direção tangente à
trajetória.
μ0  4  π  107 T  m  A 1.

APOSTILA 2018 Página 35


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

( ) A força magnética tem a mesma


direção do campo magnético.
( ) A função do campo magnético é
aumentar a energia cinética dos
prótons.
( ) A força magnética aplicada em cada
próton não realiza trabalho. OBS: Se a carga for lançada
obliquamente ao campo, a
A sequência correta, de cima para intensidade da força será:
baixo, é:
V–F–F–F–V
V–V–V–F–F
F–V–F–F–V
F–F–F–V–F

9. (OSEC-SP) Uma bolinha chata é Unidade de Fm, no S.I.: N (Newton)


formada de 50 espiras circulares de raio
0,1 m. Sabendo que as espiras são 8.2 REGRA DO “TAPA” DA MÃO
percorridas por uma corrente de 3 A, a DIREITA
intensidade do vetor campo magnético Para carga positiva, o sentido da
no seu centro será de (µo = 4π x 10-7 força magnética é dada pela regra do
T.m/A): "tapa" da mão direita, onde o polegar
indica a velocidade, os quatro dedos
3 x 10-4 T 60 x 10-7 T restantes indicam o campo magnético
15 x 10-8 T 19 x 10-6 T e a palma da mão indica a força
nda magnética.
OBS: Se a carga for negativa, inverte-
GABARITO se o sentido da força magnética
Vamos Fixar encontrada com a regra do “tapa”.
1 2 3 4 5 6 7 8 9

TÓPICO - 08
ELETROMAGNETISMO

8.1 Força Magnética


Quando uma carga puntiforme q
atravessa perpendicularmente as linhas
de um campo magnético uniforme B,
com velocidade v, fica sujeita a uma
força magnética Fm, de intensidade:

APOSTILA 2018 Página 36


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

8.3 MOVIMENTO DE UMA CARGA Considere um fio condutor reto, de


PUNTIFORME NUM CAMPO comprimento L, percorrido por uma
MAGNÉTICO UNIFORME corrente elétrica i, mergulhado
perpendicularmente em um campo
magnético uniforme B. Devido ao
movimento de elétrons no condutor,
surge sobre o mesmo uma força
magnética de intensidade:

ATENÇÃO: Se a carga não "cruzar"


as linhas do campo, não
existir força magnética sobre ela Obs 1: se o fio for oblíquo ao campo, a
(Fm = 0). intensidade da força será:

8.4 Se v é perpendicular a B

Obs 2: se o fio for paralelo ao campo, a


intensidade da força será:

Como a força magnética se comporta


como uma força centrípeta (força que
aponta para o centro de uma trajetória
circular), a carga executa um
Movimento Circular Uniforme
(M.C.U.), ou seja, ela sofre desvio na Na regra do “tapa” da mão direita, o
trajetória ao entrar no polegar deixa de indicar a velocidade v,
campo, mas a intensidade de sua passando a indicar a corrente
velocidade permanece constante. convencional i.

8.5 FORÇA MAGNÉTICA SOBRE UM


FIO CONDUTOR RETO

APOSTILA 2018 Página 37


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

ao quadrado da distância que os


separa.
repulsão e inversamente
proporcional ao quadrado da distância
que os separa.
repulsão e inversamente
proporcional à distância que os separa.
8.6 FORÇA ENTRE FIOS repulsão e diretamente proporcional
CONDUTORES PARALELOS à distância que os separa.
Considere dois fios condutores retos e
paralelos, percorridos por correntes 2. Um condutor elétrico retilíneo e de
elétricas, i1 e i2, e separados por uma pequeno diâmetro tem 10
distância d. Os fios interagem entre cm de comprimento e, enquanto é
si com uma força magnética de percorrido pela corrente elétrica de
intensidade: intensidade i = 10 A, se encontra numa
região onde existe um campo de
indução magnética de intensidade 5,0 .
10-1 T, conforme a figura abaixo. A força
de origem eletromagnética que age
nesse condutor é:

OBS: As forças que agem nos fios


constituem um par de ação e reação,
logo podem ser de atração ou de
repulsão.
F = 5,0.10-4 N, vertical ascendente.
F = 5,0.10-4 N, vertical descendente.
F = 5,0.10-1 N, vertical ascendente.
F = 5,0.10-1 N, vertical descendente.
F = 5,0.102 N, vertical descendente.

3. Um corpo eletrizado positivamente


Vamos fixar com 5 µC e velocidade 1.104 m/s
penetra em um campo magnético
1. O ônibus elétrico é alimentado com uniforme de intensidade 2 T como
corrente elétrica contínua. Para sua mostra a figura e não sofre desvio na
alimentação, são colocados dois fios sua trajetória horizontal. (Adote g = 10
paralelos na linha aérea que, ao serem m/s2) A massa desse corpo, em
percorridos por uma corrente elétrica, gramas, é:
interagem entre si por uma força
magnética de: 100
50
atração e inversamente proporcional 30
à distância que os separa. 20
atração e inversamente proporcional 10

APOSTILA 2018 Página 38


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

4. Um guerreiro do futuro dispara, velocidade do escoamento. Assinale a


horizontalmente, seu canhão de prótons opção com o módulo dessa velocidade
em direção a uma fortificação inimiga, quando a diferença de potencial medida
mas um sistema de defesa faz acionar entre as placas for de 0,40 mV.
a criação de um campo uniforme de 2 cm s 3 cm s
direção e módulo constantes, de tal 1m s 2m s
forma que o feixe se desvia para a 5 m s.
direita em relação ao guerreiro e não
atinge a fortificação. Escolha, entre as 6. Espectrometria de massas é uma
opções abaixo, aquela que corresponda técnica instrumental que envolve o
àquele campo capaz de produzir o estudo, na fase gasosa, de moléculas
efeito mencionado. ionizadas, com diversos objetivos,
dentre os quais a determinação da
Um campo magnético vertical para massa dessas moléculas. O
cima, se a trajetória após a aplicação do espectrômetro de massas é o
campo for um arco de parábola. instrumento utilizado na aplicação
Um campo elétrico horizontal para a dessa técnica.
esquerda em relação ao guerreiro, se a (www.em.iqm.unicamp.br. Adaptado.)
trajetória após a aplicação do campo for A figura representa a trajetória
um arco de circunferência. semicircular de uma molécula de
Qualquer campo elétrico que seja massa m ionizada com carga +q e
perpendicular a um campo magnético. velocidade escalar V, quando penetra
Um campo elétrico horizontal para a numa região R de um espectrômetro de
direita em relação ao guerreiro, se a massa. Nessa região atua um campo
trajetória após a aplicação do campo for magnético uniforme B perpendicular ao
um arco de circunferência. plano da figura, com sentido para fora
Um campo magnético vertical para dela, representado pelo símbolo .A
cima, se a trajetória após a aplicação do molécula atinge uma placa fotográfica,
campo for um arco de circunferência. onde deixa uma marca situada a uma
distância x do ponto de entrada.

5. (Ita 2016)

Um líquido condutor (metal fundido) flui


no interior de duas chapas metálicas Considerando as informações do
paralelas, interdistantes de 2,0 cm, enunciado e da figura, é correto afirmar
formando um capacitor plano, conforme que a massa da molécula é igual a
a figura. Toda essa região interna está
submetida a um campo homogêneo de
indução magnética de 0,01 T, paralelo
aos planos das chapas, atuando
perpendicularmente à direção da
APOSTILA 2018 Página 39
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

TÓPICO - 09
INDUÇÃO MAGNÉTICA

9.1 FLUXO MAGNÉTICO (ø)

O fluxo do campo magnético


7. Imagine que 0,12 N seja a força que uniforme B através de uma
atua sobre uma carga elétrica com espira de área A é dado por:
carga de 6 μC e lançada em uma região
de campo magnético igual a 5 T.
Determine a velocidade dessa carga
supondo que o ângulo formado entre v
e B seja de 30º.

v = 8 m/s
v = 800 m/s
v = 8000 m/s
v = 0,8 m/s Onde θ é o ângulo formado entre o
v = 0,08 m/s vetor campo B e a normal à espira n

GABARITO Unidade de ø, no S.I: T.m2 = Wb


Vamos Fixar (weber)
1 2 3 4 5 6 7 CASOS PARTICULARES PARA O
FLUXO MAGNÉTICO:

ATENÇÃO: Para variar o fluxo


magnético (∆ø) através de uma espira,
podemos variar a área da espira (∆A),
variar o campo magnético (∆B) ou
variar o ângulo (∆θ), girando a
espira.

APOSTILA 2018 Página 40


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

9.2 LEI DE FARADAY 9.4 LEI DE LENZ:

Se o fluxo magnético varia com o “O sentido da corrente induzida (i) em


tempo em uma espira, também, surge uma espira é tal que se opõe à
na mesma uma fem induzida média variação do fluxo magnético que lhe
(em) dada por: deu origem”

OBS: O significado do sinal negativo


será visto na próxima aula: lei de Lenz.

9.3 FORÇA ELETROMOTRIZ


INDUZIDA – fem induzida (e)

Considere um condutor reto de


comprimento L atravessando
perpendicularmente, com velocidade ATENÇÃO: No caso de ímãs, a
constante v, um campo magnético corrente induzida na espira tem um
uniforme B. Uma força magnética atua sentido que se opõe à aproximação ou
nos elétrons livres do condutor, ao afastamento do ímã, ou seja, a
deslocando-os para uma de suas espira repele o ímã na aproximação e
extremidades. A outra extremidade fica atrai no afastamento.
com excesso de prótons. Assim, nas
extremidades do condutor surge uma
ddp e o mesmo passa a se comportar
como um gerador de fem
induzida (e), dada por:

9.5 TRANSFORMADOR

É um aparelho que permite transformar


a ddp alternada, aumentando-a ou
diminuindo-a conforme a
conveniência. O transformador consta
de duas bobinas independentes,
enroladas sobre um mesmo núcleo de
Unidade de e, no S.I: V (volt) ferro. A bobina que recebe a ddp a ser
transformada chama-se de primário
(P) e a outra, que fornece a ddp
transformada, chama-se de
secundário (S).

APOSTILA 2018 Página 41


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Vamos fixar

1. (Ucs 2016) A Costa Rica, em 2015,


chegou muito próximo de gerar 100% de
sua energia elétrica a partir de fontes de
energias renováveis, como hídrica,
eólica e geotérmica. A lei da Física que
permite a construção de geradores que
A corrente alternada no primário (iP) transformam outras formas de energia
origina um fluxo magnético variável em energia elétrica é a lei de Faraday,
no secundário. Esse fluxo variável que pode ser melhor definida pela
origina no secundário uma corrente seguinte declaração:
induzida (iS) e uma ddp induzida toda carga elétrica produz um campo
(US). elétrico com direção radial, cujo sentido
OBS: Nos bons transformadores, a independe do sinal dessa carga.
potência no secundário e no primário toda corrente elétrica, em um fio
são aproximadamente iguais. Assim: condutor, produz um campo magnético
com direção radial ao fio.
uma carga elétrica, em repouso,
imersa em um campo magnético sofre
uma força centrípeta.
a força eletromotriz induzida em uma
espira é proporcional à taxa de variação
do fluxo magnético em relação ao
OBS: A tensão elétrica (U) é tempo gasto para realizar essa
diretamente proporcional ao número variação.
de espiras (N). Assim, se o número de toda onda eletromagnética se torna
espiras do secundário for o dobro do onda mecânica quando passa de um
primário, a ddp do secundário também meio mais denso para um menos
será o dobro do primário. denso.

2. (ENEM 2010) Os dínamos são


geradores de energia elétrica utilizados
em bicicletas para acender uma
pequena lâmpada. Para isso, é
necessário que a parte móvel esteja
em contato com o pneu da bicicleta e,
quando ela entra em movimento, é
gerada energia elétrica para acender a
lâmpada. Dentro desse gerador,
encontram-se um ímã e uma bobina.

APOSTILA 2018 Página 42


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Com o uso dessas cordas, o


amplificador ligado ao instrumento não
emitia mais som, porque a corda de
náilon:
isola a passagem de corrente elétrica
da bobina para o alto-falante.
varia seu comprimento mais
intensamente do que ocorre com o aço.
O princípio de funcionamento desse apresenta uma magnetização
equipamento é explicado pelo fato de desprezível sob a ação do ímã
que a: permanente.
corrente elétrica no circuito fechado induz correntes elétricas na bobina
gera um campo magnético nessa mais intensas que a capacidade do
região. captador.
bobina imersa no campo magnético oscila com uma frequência menor do
em circuito fechado gera uma corrente que a que pode ser percebida pelo
elétrica. captador.
bobina em atrito com o campo
magnético no circuito fechado gera uma 4. (Enem 2014) O funcionamento dos
corrente elétrica. geradores de usinas elétricas baseia-se
corrente elétrica é gerada em circuito no fenômeno da indução
fechado por causa da presença do eletromagnética, descoberto por
campo magnético. Michael Faraday no século XIX. Pode-
corrente elétrica é gerada em circuito se observar esse fenômeno ao se
fechado quando há variação do campo movimentar um imã e uma espira em
magnético. sentidos opostos com módulo da
velocidade igual a v, induzindo uma
3. (ENEM 2011) O manual de corrente elétrica de intensidade i, como
funcionamento de um captador de ilustrado na figura.
guitarra elétrica apresenta o seguinte
texto:
“Esse captador comum consiste de uma
bobina, fios condutores enrolados em
torno de um ímã permanente”. O campo
magnético do ímã induz o ordenamento
dos polos magnéticos na corda da
guitarra, que está próxima a ele.
Assim, quando a corda é tocada, as
oscilações produzem variações, com o
mesmo padrão, no fluxo magnético que
A fim de se obter uma corrente com o
atravessa a bobina. Isso induz uma
mesmo sentido da apresentada na
corrente elétrica na bobina, que é
figura, utilizando os mesmos materiais,
transmitida até o amplificador e, daí,
outra possibilidade é mover a espira
para o alto-falante.
para a
Um guitarrista trocou as cordas originais
de sua guitarra, que eram feitas de aço,
por outras feitas de náilon.

APOSTILA 2018 Página 43


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

esquerda e o imã para a direita com A lei da indução de Faraday diz que,
polaridade invertida. sempre que houver variação no fluxo
direita e o imã para a esquerda com magnético através de um circuito,
polaridade invertida. surgirá uma força eletromotriz induzida
esquerda e o imã para a esquerda no circuito.
com mesma polaridade. Para gerar corrente alternada
direita e manter o imã em repouso baseando-se na lei da indução de
com polaridade invertida. Faraday, é necessário que um conjunto
esquerda e manter o imã em de espiras, conectadas a um circuito
repouso com mesma polaridade. condutor, gire dentro de um campo
magnético alternado.
5. Michael Faraday (1791-1867), Sempre que houver variação no fluxo
cientista autodidata inglês, dedicou magnético através de um circuito
seus estudos aos diversos ramos da haverá corrente induzida nesse circuito.
Física, especialmente ao A força eletromotriz que um gerador
eletromagnetismo. Sua grande produz é diretamente proporcional à
descoberta foi o fenômeno da indução variação no fluxo magnético que
eletromagnética. Considere um atravessa uma das espiras do gerador e
condutor elétrico, de 20 cm de ao intervalo de tempo em que isso
comprimento, que se desloca ocorre. Assim, quanto maior o
perpendicularmente às linhas de tempo necessário para uma variação do
indução magnética de um campo fluxo magnético, maior a força
magnético uniforme, de intensidade 15 eletromotriz gerada.
T, com velocidade constante de No contexto descrito nessa questão,
90 km/h. A tensão induzida nas a corrente que passa pelo filamento da
extremidades do condutor, em volts, lâmpada é contínua, pois, se fosse
nessas condições é de: alternada, a lâmpada ficaria piscando.
270 225 150
75 25
6. O freio eletromagnético é um
5. Em usinas hidrelétricas, energia dispositivo no qual interações
potencial gravitacional armazenada na eletromagnéticas provocam uma
água contida em uma represa é redução de velocidade num corpo em
convertida em energia elétrica. Essa movimento, sem a necessidade da
transformação é possível devido ao uso atuação de forças de atrito. A
de geradores pelas usinas, os quais experiência descrita a seguir ilustra o
têm como princípio de funcionamento a funcionamento de um freio
lei da indução eletromagnética de eletromagnético. Na figura 1, um ímã
Faraday. Assim, ao acionar um cilíndrico desce em movimento
interruptor para acender a lâmpada acelerado por dentro de um tubo
no teto de uma casa, permite-se que a cilíndrico de acrílico, vertical, sujeito
corrente elétrica, gerada na usina apenas à ação da força peso.
hidrelétrica, passe através do filamento Na figura 2, o mesmo ímã desce em
da lâmpada aquecendo-o até que ele movimento uniforme por dentro de um
irradie luz. Considere esse contexto, tubo cilíndrico, vertical, de cobre, sujeito
analise as afirmativas a seguir e à ação da força peso e da força
marque a correta. magnética, vertical e para cima, que
surge devido à corrente elétrica
APOSTILA 2018 Página 44
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

induzida que circula pelo tubo de cobre,


causada pelo movimento do ímã
por dentro dele. Nas duas situações,
podem ser desconsiderados o atrito
entre o ímã e os tubos, e a resistência
do ar.

GABARITO
Vamos Fixar
Considerando a polaridade do ímã, as 1 2 3 4 5 6
linhas de indução magnética criadas por
ele e o sentido da corrente elétrica
induzida no tubo condutor de cobre
abaixo do ímã, quando este desce por
dentro do tubo, a alternativa que mostra REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
uma situação coerente com o
aparecimento de uma força magnética 1.Tópicos de Física 3:Eletromagnetismo
vertical para cima no ímã é a indicada – Ricardo Helondoca, Gualter José
pela letra: Biscuola. 18ª ed. São Paulo: Saraiva
2001.
2. Física – Volume Único – Caio Sergio
Calcada, José Luiz Sampaio
3. Curso de Física – Volume – Antônio
Máximo, Beatriz Alvarenga
4. Curso de Física –apostila vol.2 –
Renato Brito.

APOSTILA 2018 Página 45


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Florescente: emite luz na presença de


TÓPICO - 10 um agente excitador.
INTRODUÇÃO A OPTICA

CONCEITOS INICIAIS

OPTICA GEOMÉTRICA: É a parte da


Física que estuda a trajetória da luz,
não se preocupa com a sua natureza. Fosforescente: emite luz por algum
tempo na ausência de um agente
Feixe de luz: é um conjunto de raios de excitador.
luz. Um feixe luminoso pode ser:

10.1 Fontes de luz SECUNDÁRIA: aquela que emite, por


Fonte de luz é todo objeto capaz de reflexão, a luz recebida de fontes
emitir luz ao espaço que o circunda. primárias (Lua, planetas, parede, folha
Podemos classificar as fontes de papel, etc.).
luminosas com base em diversos
critérios, conforme está apresentado
a seguir.
1. Quanto à natureza, a fonte luminosa
pode ser:

PRIMÁRIA: aquela que emite luz


própria (Sol, lâmpada acesa, vaga- 2. Quanto à dimensão
lume, etc.).
A) Fonte pontual ou puntiforme: suas
dimensões são desprezíveis em ralação
ao ambiente considerado.
Ex: Uma pequena lâmpada num salão.

B) Fonte extensa: suas dimensões não


são desprezíveis em relação ao
Incandescente: emite lua as altas ambiente considerado.
temperaturas. Ex: Uma lâmpada fluorescente num
quarto.

3. Quanto à cor de luz emitida, a fonte é


classificada em:
A) Monocromática: aquela que emite
luz de uma só cor (uma radiação de
Luminescente: emite luz a baixa frequência única).
temperatura.
APOSTILA 2018 Página 46
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

b) Policromática: aquela que emite 3. OPACO: é o meio que não se deixa


luzes de diversas cores (várias atravessar pela luz e, dessa forma, não
radiações de diferentes frequências). se pode enxergar através dele. Como
exemplos, temos o corpo humano, uma
parede, os metais, entre muitos outros.

10.2 Tipos de meios de propagação 10.3 Princípios de propagação da luz

Chamamos de meio de propagação Nos meios de propagação que sejam


qualquer região do espaço na qual a luz transparentes, isotrópicos e
se propaga. Aqui, vamos classificar os homogêneos, podemos usar
meios apenas para a luz visível. Assim, importantes princípios de propagação
um meio pode ser: da luz, a saber:

1. TRANSPARENTE: é o meio no qual 1. PROPAGAÇÃO RETILÍNEA: a luz


a luz se propaga de forma regular, se propaga, a partir da fonte, em linha
permitindo que se possa enxergar, reta. Isso quer dizer que a energia
de forma nítida, através dele. O ar, o transmitida por um raio luminoso viaja
vidro liso e a água cristalina, em em movimento retilíneo através do
pequenas quantidades, são exemplos meio.
de meios transparentes.

2. INDEPENDÊNCIA DOS RAIOS: dois


ou mais raios ou feixes de luz se
propagam independentemente da
2. TRANSLÚCIDO: é o meio no qual existência de outro(s) na mesma região
uma parte da luz se propaga, porém de e no mesmo instante. Havendo
forma irregular. A luminosidade cruzamento entre eles, cada um segue
passa através dele, mas a imagem o seu caminho sem tomar
formada não apresenta nitidez. O vidro conhecimento da existência do(s)
canelado, plásticos leitosos e água suja outro(s). Veja a seguir.
são alguns exemplos.

APOSTILA 2018 Página 47


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

3. PRINCÍPIO DA REVERSIBILIDADE aquário. Veja a figura a seguir. Ela


DOS RAIOS LUMINOSOS: A trajetória mostra a ocorrência simultânea de três
seguida pelo raio de luz, num sentido, é fenômenos.
a mesma quando o raio troca o sentido
de percurso. 1. REFLEXÃO: corresponde à parte do
feixe luminoso que retorna ao meio de
origem após atingir a superfície de
separação, mantendo o mesmo módulo
da velocidade de propagação.
2. REFRAÇÃO: corresponde à parte do
feixe luminoso que passa para a outra
substância (muda o meio de
propagação), alterando a sua
Exercício resolvido velocidade de propagação.
3. ABSORÇÃO: corresponde à parcela
1. Uma árvore, em determinado horário, da radiação que é absorvida pela
projeta no chão uma sombra de 3,0 m superfície que separa os dois meios
de comprimento. Você, que tem (fica retida na superfície) e que
1,8 m de altura, mede a sua sombra, no geralmente faz a substância aquecer.
mesmo instante, e encontra 0,60 m.
Determinar a altura da árvore.

Resolução:
A solução do exercício usa o princípio
da propagação retilínea da luz. Veja a
figura a seguir.

10.5 As radiações do espectro visível

A luz branca emitida pelo Sol é


policromática e é formada pela
combinação de infinitas radiações de
frequências diferentes. O espectro
Usando semelhança nos triângulos visível é composto, portanto, de uma
destacados, temos: infinidade de cores que vão do
vermelho ao violeta (vermelho,
alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e
violeta). As radiações foram
10.4 Alguns fenômenos ópticos apresentadas na ordem crescente de
frequências. Veja o espectro a seguir.
Quando uma onda luminosa atinge um
objeto, alguns fenômenos ópticos
podem ocorrer. Considere, por
exemplo, a luz que se propaga no ar e
chega à superfície da água de um

APOSTILA 2018 Página 48


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Obs: Para se obter o branco, não é o corpo absorve toda a radiação que
necessário, entretanto, adicionar todas nele incide (e nada reflete).
as cores. Existem algumas radiações,
chamadas de cores aditivas
primárias, que, quando somadas, nos
fornecem o branco. Um trio primário,
muito usado, é o chamado RGB,
empregado no sistema de colorização
do nosso sistema de televisão, e é
formado pelas cores vermelho (R),
verde (G) e azul (B). Cores obtidas pela transmissão da
luz
Considere um objeto transparente,
porém colorido, chamado de filtro
colorido. Um bom exemplo é uma folha
de papel celofane. Ao ser iluminada,
parte da radiação atravessa por ela. Um
observador, que recebe essa luz
transmitida, terá a sensação de cor do
objeto conforme mostrado na figura
seguinte. Considere um celofane azul.
Cores obtidas pela reflexão da luz

Veja a seguir um objeto branco sendo


iluminado por luz branca e por luz azul.

Considere a seguir um objeto azul Exemplos


sendo iluminado por luz branca e por
luz azul. 1. As folhas de uma árvore, quando
iluminadas pela luz do Sol, mostram-se
verdes porque
A) refletem difusamente a luz verde do
espectro solar.
B) absorvem somente a luz verde do
espectro solar.
C) refletem difusamente todas as cores
do espectro solar, exceto o verde.
E os objetos que são vistos como sendo D) difratam unicamente a luz verde do
pretos? Isso pode ocorrer em duas espectro solar.
situações. Se o corpo é preto, ele será E) a visão humana é mais sensível a
visto nessa cor independentemente da essa cor.
radiação que chega a ele, uma vez que

APOSTILA 2018 Página 49


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2. Um rapaz usa uma camiseta que 2. Durante o Maior São João do Mundo,
exposta à luz do sol se apresenta realizado na cidade de Campina
totalmente verde com a palavra Grande, um estudante de Física, ao
ADAUTO gravada no peito com letras assistir a um show, decidiu observar o
azuis. O rapaz entra então numa sala comportamento dos feixes de luz
iluminada por luz monocromática azul. emitidos por três canhões, os quais
Certamente: emitiam luz nas seguintes cores:
A) a camiseta parecerá preta e a canhão A – luz azul; canhão B – luz
palavra gravada se apresentará na cor verde; canhão C – luz vermelha, como
azul. mostra a figura a seguir. Considerando
B) a camiseta e a palavra se que os três feixes de luz têm a mesma
apresentarão com as mesmas cores intensidade e se cruzam na posição 4,
vistas à luz do sol. as cores vistas pelo estudante nas
C) a camiseta e a palavra gravada no regiões iluminadas 1, 2 e 3 do palco e
peito se apresentarão na cor azul. na posição 4 são, respectivamente,
D) a camiseta se apresentará azul, mas
as letras da palavra gravada
desaparecerão.
E) tanto a camiseta como a palavra
gravada ficarão com a cor negra.

1. A) vermelha, verde, azul e branca.


De olho no Enem B) branca, azul, verde e vermelha.
1. (Enem) C) amarela, vermelha, verde e azul.
D) vermelha, verde, azul e preta.
SEU OLHAR E) branca, branca, branca e branca.
Gilberto Gil, 1984 1.5 Aplicações dos princípios
Na eternidade
Eu quisera ter A) Câmara Escura
Tantos anos-luz
Quantos fosse precisar
Pra cruzar o túnel
Do tempo do seu olhar

Gilberto Gil usa na letra da música a


palavra composta anos-luz. O sentido
prático, em geral, não é
obrigatoriamente o mesmo que na
ciência. Na Física, um ano-luz é uma
medida que relaciona a velocidade da
luz e o tempo de um ano e que,
portanto, se refere à(ao)
A) tempo. B) aceleração.
C) distância. D) velocidade.
E) luminosidade.

APOSTILA 2018 Página 50


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

B) Formação de Sombras

Na maioria das situações do cotidiano,


a luz se propaga em linha reta.

Considere uma fonte pontual colocada


a certa distância de uma parede.

D) ECLIPSE DO SOL E DA LUA

Considere a mesma situação anterior,


exceto pelo fato de que a fonte agora é
extensa, conforme representado na
figura a seguir.

C) Fases da lua

APOSTILA 2018 Página 51


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Vamos fixar A) gerar ondas com todas as


frequências desejadas pelo animal.
1. O vendedor de churros havia B) mudar suas propriedades de
escolhido um local muito próximo a um absorção e reflexão das ondas.
poste de iluminação. Pendurado no C) absorver apenas os comprimentos
interior do carrinho, um lampião aceso de onda e refletir apenas as
melhorava as condições de iluminação. frequências.
Admitindo que o centro de todos os D) absorver apenas as frequências,
elementos da figura, exceto as finas mas refletir os comprimentos de ondas.
colunas que suportam o telhado do E) produzir e emitir ondas com
carrinho, estão no mesmo plano diferentes velocidades no vácuo, mas
vertical, considerando apenas as luzes mesmo comprimento de onda e mesma
emitidas diretamente do poste e do frequência.
lampião e tratando-os como os
extremos de uma única fonte extensa 3. A coloração das folhas das plantas é
de luz, a base do poste, a lixeira e o determinada, principalmente, pelas
banquinho, nessa ordem, estariam clorofilas a e b – nelas presentes –, que
inseridos em regiões classificáveis são dois dos principais pigmentos
como responsáveis pela absorção da luz
necessária para a realização da
fotossíntese. O gráfico a seguir mostra
o espectro conjunto de absorção das
clorofilas a e b em função do
comprimento de onda da radiação solar
visível.

A) luz, sombra e sombra.


B) luz, penumbra e sombra. Com base nessas informações, é
C) luz, penumbra e penumbra. CORRETO afirmar que, para realizar a
D) penumbra, sombra e sombra. fotossíntese, as clorofilas absorvem,
E) penumbra, penumbra e penumbra. predominantemente,
A) o violeta, o azul e o vermelho, e
refletem o verde.
2. O camaleão é um animal que possui B) o verde, e refletem o violeta, o azul e
capacidade mimética: pode trocar a o vermelho.
coloração de sua pele para reproduzir a C) o azul, o verde e o vermelho, e
cor da superfície com a qual está em refletem o violeta.
contato. Do ponto de vista do D) o violeta, e refletem o verde, o
comportamento de ondas vermelho e o azul.
eletromagnéticas, a pele do camaleão
tem a propriedade de

APOSTILA 2018 Página 52


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

4. (UECE) Considere duas lâminas A) O Sol está cerca de 400 vezes mais
planas: uma lâmina L 1, distante da Terra do que a Lua, mas a
semitransparente e que exposta à luz luz do Sol é 400 vezes mais intensa do
do sol produz uma sombra verde, com que a luz da Lua, o que o faz parecer
comprimento de onda VERDE; e outra mais próximo da Terra.
lâmina L2 opaca, que ao ser iluminada B) A distância do Sol à Terra é cerca de
pelo sol parece verde a um observador. 400 vezes maior do que a da Terra à
É correto afirmar que as ondas do Lua, mas o volume do Sol é
espectro eletromagnético visível com aproximadamente 400 vezes maior do
comprimento de onda VERDE são mais que o da Lua, o que faz ambos
intensamente parecerem do mesmo tamanho.
A) refletidas por L1 e por L2. C) Trata-se de um recurso do diretor do
B) transmitidas por L1 e refletidas por filme, que produziu uma imagem
L2. impossível de ser vista na realidade,
C) transmitidas por L1 e por L2. fora da tela do cinema.
D) refletidas por L1 e transmitidas por D) O efeito magnético perturba a
L2. observação, distorcendo as imagens,
pois a filmagem foi realizada em região
próxima ao Polo.
E) A distância da Terra ao Sol é cerca
de 400 vezes maior do que a da Terra à
5. Um objeto y de comprimento 4,0cm Lua, compensando o fato de o diâmetro
projeta uma imagem y’ em do Sol ser aproximadamente 400 vezes
uma câmara escura de orifício, como maior do que o da Lua.
indicado na figura. O comprimento de y’
é, em centímetros, igual a:
7. Um relógio de sol simplificado
consiste em uma haste vertical exposta
ao sol. Considere que ela seja fixada ao
solo em algum local na linha do
equador e que seja um período do ano
em que ao meio dia o sol fique
posicionado exatamente sobre a haste.
O tamanho da sombra da haste pode
A) 2,5; B) 2,0; C) 1,8; ser relacionado à hora do dia. É correto
D) 1,6; E) 0,4. afirmar que o comprimento da sombra
às 9h (C9h) e às 15h (C15h) é tal que a
6. No filme A MARCHA DOS razão C15h/C9h é igual a
PINGUINS, há uma cena em que o Sol A) 5/3. B) 3/5.
e a Lua aparecem simultaneamente no C) 1/2. D) 1.
céu. Apesar de o diâmetro do Sol ser
cerca de 400 vezes maior do que o 8. O grupo One Degree Less tem
diâmetro da Lua, nesta cena, os dois promovido a seguinte campanha:
corpos parecem ter o mesmo tamanho. “Pinte seu telhado de branco, e ajude a
A explicação cientificamente aceitável diminuir a temperatura de ‘ilhas de
para a aparente igualdade de tamanhos calor’ nos grandes centros urbanos”.
é: Baseada no fato de o telhado de cor
branca reduzir a temperatura local, a
APOSTILA 2018 Página 53
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

hipótese contida nesta frase é


fundamentada na característica da cor
branca de
A) refletir grande parte da luz.
B) conter todas as outras cores.
C) absorver grande parte da luz.
D) ser polarizável e sofrer interferência.

9. Em uma aula sobre Gravitação, o


professor de Física resolveu escrever A) 08 e 09 de setembro.
um poema e mostrá-lo a seus alunos: B) 15 e 16 de setembro.
C) 22 e 23 de setembro.
“O Sol e a Lua num balé em torno da D) 29 e 30 de setembro.
Terra. E) 06 e 07 de outubro.
Ora a Lua está entre o Sol e a Terra.
Ora a Terra está entre o Sol e a Lua.” 3.(ENEM) Os quadrinhos mostram, por
meio da projeção da sombra da árvore
e do menino, a sequência

Os dois últimos versos desse poema


referem-se, respectivamente,
A) à lua crescente e à lua minguante.
B) à lua cheia e à lua nova.
C) à lua nova e à lua cheia.
D) a uma situação irreal.

Os quadrinhos mostram, por meio da


De olho no Enem projeção da sombra da árvore e do
1. Um grupo de pescadores pretende menino, a sequência de períodos do
passar um final de semana do mês de dia: matutino, meio-dia e vespertino,
setembro, embarcado, pescando em que é determinada
um rio. Uma das exigências do grupo é A) pela posição vertical da árvore e do
que, no final de semana a ser menino.
escolhido, as noites estejam iluminadas B) pela posição do menino em relação à
pela Lua o maior tempo possível. A árvore.
figura representa as fases da Lua no C) pelo movimento aparente do Sol em
período proposto. Considerando-se as torno da Terra.
características de cada uma das fases D) pelo fuso horário específico de cada
da Lua e o comportamento desta no ponto da superfície da Terra.
período delimitado, pode-se afirmar E) pela estação do ano, sendo que no
que, dentre os fins de semana, o que inverno os dias são mais curtos que no
melhor atenderia às exigências dos verão.
pescadores corresponde aos dias

APOSTILA 2018 Página 54


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

4. (ENEM) Para que uma substância claros, principalmente os brancos,


seja colorida ela deve absorver luz na aparecerão esverdeados. Para
região do visível. Quando uma amostra equilibrar as cores, deve-se usar um
absorve luz visível, a cor que filtro adequado para diminuir a
percebemos é a soma das cores intensidade da luz verde que chega aos
restantes que são refletidas ou sensores da câmera fotográfica. Na
transmitidas pelo objeto. A Figura 1 escolha desse filtro, utiliza-se o
mostra o espectro de absorção para conhecimento da composição das
uma substância e é possível observar cores-luz primárias: vermelho, verde e
que há um comprimento de onda em azul; e das cores-luz secundárias:
que a intensidade de absorção é amarelo = vermelho + verde, ciano =
máxima. Um observador pode prever a verde + azul e magenta = vermelho +
cor dessa substância pelo uso da roda azul.
de cores (Figura 2); o comprimento de Disponível em: http://nautilus.fis.uc.pt. Acesso em
20 maio 2014 (adaptado).
onda correspondente à cor do objeto é
encontrado no lado oposto ao Na situação descrita, qual deve ser o
comprimento de onda da absorção filtro utilizado para que a fotografia
máxima. apresente as cores naturais dos
objetos?
A) Ciano. B) Verde.
C) Amarelo. D) Magenta.
E) Vermelho.

GABARITO
Vamos Fixar
1 2 3 4 5 6 7 8 9

De olho no Enem
1 2 3 4 5

TÓPICO - 11
REFLEXÃO E ESPELHO PLANO

Qual a cor da substância que deu 1.1 Reflexão da luz


origem ao espectro da Figura 1?
A) Azul. B) Verde. A reflexão é o fenômeno luminoso pelo
C) Violeta. D) Laranja. qual a luz, após atingir uma superfície,
E) Vermelho. continua no mesmo meio de
propagação inicial. A reflexão é um
5. (ENEM) É comum aos fotógrafos tirar fenômeno físico muito presente em
fotos coloridas em ambientes nosso cotidiano e é responsável pela
iluminados por lâmpadas fluorescentes, visão que temos dos objetos que nos
que contêm uma forte composição de cercam, tanto no que se
luz verde. A consequência desse fato refere à sua forma como também à sua
na fotografia é que todos os objetos cor.
APOSTILA 2018 Página 55
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

11.4 Espelho plano

Espelhos Planos: é aquele em que a


superfície refletora é plana. De maneira
geral, os espelhos são feitos de uma
superfície metálica bem polida.
Comumente, usa-se uma placa de vidro
onde é depositada uma camada bem
fina de prata (ou alumínio) numa das
fases – a outra é o espelho.
11.2 Leis da reflexão
11.4.1 Imagem de um objeto pontual
• 1ª Lei: R I, N e RR são coplanares
(estão sempre contidos no mesmo
Uma fonte puntiforme A (primária ou
plano).
secundária), colocada à frente de um
• 2ª Lei: Os ângulos de incidência e de
espelho plano, forma (ou conjuga) uma
reflexão são sempre congruentes (i = r).
imagem A’, que pode ser vista pelo
observador, pois o raio refletido chega
ao seu globo ocular.

11.3 Tipos de reflexões


O observador vê a imagem A’ como se
a fonte estivesse atrás do espelho. Isso
ocorre porque o prolongamento do raio
refletido Rr passa por A’.

Na primeira figura, a reflexão é


chamada de especular (ou regular) e
ocorre em superfícies polidas, como um
espelho ou uma lâmina de água parada.
Na outra figura, a reflexão é difusa (ou
irregular) e acontece quando a luz Se o observador estiver em qualquer
atinge superfícies rugosas, tais como posição a, b ou c, verá a mesma
uma parede, uma folha de caderno ou o imagem A’ pelo mesmo motivo. Note-se
rosto de uma pessoa. que qualquer que seja a posição do
observador, os valores dos ângulos de
incidência e reflexão mudam, mas
sempre i = r.
APOSTILA 2018 Página 56
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Atenção:

Portanto, para se obter


geometricamente a imagem de um
objeto pontual, basta traçar por ele,
perpendicularmente ao espelho, uma
reta e marca simetricamente o ponto Se essa pessoa levanta seu braço
imagem. esquerdo, ela vê sua imagem levantar o
braço direito; se com a mão direita ela
segura a espada, sua imagem segura
com a mão esquerda, ou seja: A
imagem troca o “lado direito” pelo “lado
esquerdo” – e a imagem é dita
enantiomorfa (do grego, “formas
opostas”). Esse fenômeno é chamado
de reversão da imagem.

11.4.2 Imagem de um corpo extenso


Podemos considerar um corpo extenso
como sendo constituído por infinitos
objetos pontuais.
11.4.3 Campo visual de um espelho
plano
Assim, cada ponto desse corpo extenso
tem uma imagem pontual e simétrica
É a região que um observador
em relação ao espelho, P’, Q’, R’, S’. . .
consegue ver por reflexão.

A figura abaixo mostra uma pessoa


colocada em frente a um espelho plano. A partir de 0’, para delimitar o campo
visual, traçamos duas retas que passam
pelos extremos do espelho. Estas retas
determinam o campo visual em frente
do espelho plano.

APOSTILA 2018 Página 57


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Quanto mais próximo estiver o Um raio de luz incide sobre um espelho


observador, maior será o campo visual. plano e, ao refletir, origina o raio R1. Se
o espelho girar de um ângulo α, em
11.4.4 Translação do espelho plano torno de um eixo contido em seu plano,
ao mesmo raio incidente teremos um
Considere um observador O parado em novo raio refletido R2.
frente a um espelho vertical na posição
1. Suponha que o espelho se desloque
de ∆xe (afastando-se de O) e passe a
ocupar a posição 2, também vertical. A
imagem, simultaneamente, passa de I1
para I2, deslocando-se de ∆xi.

Pela geometria plana, o ângulo de


rotação do raio refletido ∆ é igual ao
dobro do ângulo de rotação α do
espelho:

11.4.6 Dois espelhos planos associados


Observa-se, pela figura, que: Coloquemos um objeto P entre dois
espelhos planos E1 e E2, que formam
entre si um ângulo α.

(deslocamento da imagem).

O deslocamento da imagem é o
dobro do deslocamento do espelho.

Dividindo-se os termos pelo tempo ∆t,


teremos a seguinte relação entre as Obs: As imagens param de ser
velocidades: formadas quando “caem” entre os
prolongamentos dos espelhos (ângulo
morto); e as imagens no ângulo morto
não sofrem reversão.

É possível calcular o número N de


imagens formadas pela fórmula:
A velocidade da imagem é o dobro
da velocidade do espelho.

11.4.5 Rotação do espelho plano

APOSTILA 2018 Página 58


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Vamos fixar
3. No esquema abaixo, é mostrado um
1.(UECE) Uma superfície plana tem homem de frente para um espelho
suas duas faces refletoras, conforme a plano, vertical e de costas para um
figura a seguir. cajueiro de 4m de altura. Qual deverá
ser o comprimento mínimo do espelho
para que o homem possa ver nele a
imagem completa da árvore ?

A) 5m
B) 4m
C) 3m
D) 2m
E) 1m
Dois objetos muito pequenos,
desenhados em linhas cheias, estão 4. (UECE) Você está em pé em uma
em lados opostos e a uma distância sala, parado diante de um espelho
D da superfície. O conjunto dos pontos plano vertical no qual pode se ver,
formados pelos objetos e suas apenas, dois terços de seu corpo.
respectivas imagens refletidas nas Considere as ações descritas a seguir:
superfícies define os vértices de um I. Afastar-se do espelho;
quadrado. As imagens foram II. Aproximar-se do espelho
desenhadas com linhas tracejadas. III. Usar um espelho maior, cuja altura o
Qual a distância entre os objetos? permita ver seu corpo inteiro, quando
você está na posição inicial.
A) B) 2d. Você gostaria de ver seu corpo inteiro
C) d) 5d. refletido no espelho. Para atingir seu
objetivo, das ações listadas
2. A figura mostra Amaral se anteriormente, você pode escolher:
aproximando de um espelho plano com A) apenas a I
velocidade constante V. O gráfico que B) Apenas a II
melhor representa a altura H’ da C) Apenas a III
imagem do Amaral, conjugada pelo D) a I ou a III, apenas.
espelho plano, em função do tempo t, é:
APOSTILA 2018 Página 59
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

5. Você pula de um trampolim alto E) o ângulo era inicialmente de 72°, e o


sobre uma piscina de água ângulo entre os espelhos estava
completamente calma no fundo da qual aumentando.
existe um espelho plano. Se sua
imagem refletida nesse espelho 8. Piero, que utiliza seu relógio na mão
aproxima-se de você, num dado esquerda, coloca - se a três metros de
instante, a 16 m/s, com que velocidade um espelho plano. O garoto levanta a
você se aproxima do espelho? mão esquerda. Analise as afirmações a
A) 16 m/s. B) 8 m/s. C) 32 m/s. seguir:
D) 4 m/s. E) 64 m/s. I - Piero vê sua imagem a seis metros
de si.
6. Um homem de 1,70 m de altura tem II - A imagem é invertida, isto é, está
seus olhos 10 cm abaixo do topo da com os pés para cima.
cabeça. Qual deve ser a máxima III - A imagem levanta a mão que não
distância d, em cm, da borda inferior de possui relógio.
um espelho plano, em relação ao chão, IV - A imagem tem a mesma altura do
para que o homem veja a imagem de garoto.
seu sapato? Assinale a única alternativa correta:
A) I e III.
B) II e IV.
C) Apenas I.
D) I e IV.
E) Apenas II.

A) 10 B) 40 C) 80 9. Num relógio de ponteiros, cada


D) 160 E) 170 número foi substituído por um ponto.
Uma pessoa, ao observar a imagem
7. Observando as imagens formadas desse relógio refletida em um espelho
por dois espelhos planos de um objeto plano, lê 8 horas. Se fizermos a leitura
entre eles colocado, Syned, um curioso diretamente no relógio, verificaremos
aluno, verifica que, para determinado que ele está marcando:
ângulo, formam-se 5 imagens, A) 6 h B) 2 h C) 9 h
entretanto, fazendo variar o ângulo D) 4 h E) 10 h
entre os espelhos, o número de
imagens diminui. Pode-se concluir que:
A) o ângulo era inicialmente de 60°, e o
ângulo entre os espelhos estava
aumentando De olho no Enem
B) o ângulo era inicialmente de 30°, e o 1. Uma pessoa está parada em frente a
ângulo entre os espelhos estava um grande espelho plano, observando a
aumentando sua própria imagem, e começa a se
C) o ângulo era inicialmente de 60°, e o lembrar dos conceitos aprendidos no
ângulo entre os espelhos estava ensino médio, na disciplina de física.
diminuindo Levando em conta que se trata de um
D) o ângulo era inicialmente de 72°, e o espelho plano, analise as afirmações a
ângulo entre os espelhos estava seguir:
diminuindo

APOSTILA 2018 Página 60


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

I. A imagem tem as mesmas dimensões IV. Ao afirmar que nada pode ser
do objeto. ouvido sem ter essência real, o autor se
II. A imagem e o objeto estão refere ao som, que é uma onda
simetricamente colocados em relação mecânica capaz de se propagar em
ao plano do espelho. todos os meios materiais.
III. A imagem formada é real e menor V. Quanto ao espelho, pode-se dizer
que o objeto. que, qualquer um deles (plano ou
IV. A imagem e o objeto apresentam esférico), sempre produzirá imagens de
formas contrárias, isto é, são figuras coisas que estão diante dele.
enantiomorfas.
Assinale a opção correta.
Estão corretas: A) Apenas as afirmativas I, II e III são
A) apenas I e II verdadeiras.
B) apenas III e IV B) Apenas as afirmativas II, IV e V são
C) apenas I, II e IV verdadeiras.
D) I, II, III C) Apenas as afirmativas I, III e V são
E) I, II, III e IV. verdadeiras.
D) Apenas as afirmativas II, III e V são
2. Leia o texto a seguir. verdadeiras.
E) Apenas as afirmativas I, II e IV são
“É impossível para o espelho da alma verdadeiras.
refletir na imaginação alguma coisa que
não esteja diante dele. É impossível 3. Ao acordar pela manhã, Camilla
que o lago tranquilo mostre em sua levantou-se e saiu em direção
profundeza a imagem de qualquer perpendicular ao espelho plano colado
montanha ou o retrato de qualquer à parede de seu quarto, com velocidade
árvore ou nuvem que não exista perto constante de 45 cm/s.Nesta situação,
do lago. É impossível que a luz projete pode-se afirmar que
na terra a sombra de um objeto que não A) a imagem de Camilla aproximou-se
exista. Nada pode ser visto, ouvido ou dela a 45 cm/s.
de outro modo sentido, sem ter B) a imagem de Camilla aproximou-se
essência real...” do espelho a 90 cm/s.
C) a imagem de Camilla aproximou-se
(Trecho de “Desabafo de Segunda-Feira” – Raul
Seixas)
dela a 90 cm/s.
Com base no texto acima, analise as D) a imagem de Camilla afasta-se do
afirmativas abaixo. espelho a 45 cm/s.
E) a imagem de Camilla afasta-se dela
I. A imagem de um objeto mostrada a 90 cm/s.
pelo lago tranquilo é virtual, direita e do
mesmo tamanho do objeto.
II. A sombra de um objeto projetada
pela luz, na terra, acontece devido ao
princípio da propagação retilínea da luz.
III. Nada pode ser visto, sem ter
essência real. Neste caso, a visão
ocorre por causa da refração da luz ao
passar pelos objetos reais.

APOSTILA 2018 Página 61


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

4. Com base no estudo da Óptica TÓPICO - 12


Física, mais especificamente no que se
estuda sobre Espelhos, é correto REFLEXÃO-ESPELHOS ESFÉRICOS
afirmar:
12.1 Definição
I. Nos automóveis, os retrovisores,
espelhos externos ao lado do motorista Espelho esférico e uma calota esférica
e passageiro, são espelhos esféricos na qual uma de suas superfícies e
convexos, pois eles apresentam maior refletora. Quando a superfície refletida e
campo de visão. a interna, o espelho e denominado
II. Para realizar um exame de canal côncavo e, quando a superfície refletora
auditivo, os médicos utilizam um e a externa, o espelho e convexo.
instrumento com um espelho côncavo e
uma fonte de luz, o que fará com que a
imagem conjugada no instrumento seja
aumentada quando a distância entre o
canal auditivo e o instrumento for menor
que a distância focal do espelho.
III. Nos espelhos planos, quando um
objeto é colocado à sua frente, teremos
uma imagem conjugada nesse espelho 12.2 Principais elementos geométricos
que será, virtual, direita e de mesmo
tamanho do objeto.
IV. Quando colocamos um objeto entre
dois espelhos planos, cujas superfícies
refletoras formam entre si um ângulo de
40C, obteremos a formação de 8
imagens.

Estão corretas as afirmativas • R e o raio de curvatura


A) I, II e III, apenas. • C e o centro de curvatura
B) I, II, III e IV. • F e o foco do espelho
C) II, III e IV, apenas. • E.P e o eixo principal do espelho
D) I, III e IV, apenas. • V e o vértice do espelho
• ƒ e a distancia focal

12.3 Espelhos Esféricos de Gauss


GABARITO
Vamos Fixar São os espelhos esféricos que
1 2 3 4 5 6 7 8 9 obedecem as condições de nitidez de
Gauss.
Condições de nitidez de Gauss: os raios
De olho no Enem incidentes sobre o espelho devem ser
1 2 3 4 paralelos ou poucos inclinados em
relação ao eixo principal e próximo dele.

APOSTILA 2018 Página 62


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

12.4 Propriedades dos espelhos de


Gauss
1. Todo raio de luz que incide
paralelamente ao eixo principal reflete-
se numa direção que passa pelo foco
principal.

4. Todo raio de luz que incide sobre o


vértice do espelho reflete-se
simetricamente em relação ao eixo
principal.

2. Todo raio de luz que incide numa


direção que passa pelo foco principal
reflete-se paralelamente ao eixo
principal.

12.5 Formações das imagens

1) Espelhos côncavos

Se o objeto se aproxima do espelho, a


sua imagem se afasta deste e vice
versa.

3. Todo raio de luz que incide numa


direção que passa pelo centro curvatura
reflete-se sobre si mesmo.

APOSTILA 2018 Página 63


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

O = Objeto real
I = Imagem 3º caso: Objeto entre o centro e o foco

O espelho côncavo, ao contrário do


convexo, pode formar diversos tipos de
imagens, dependendo da posição do
objeto em relação ao foco e ao centro
de curvatura do espelho.
Assim, a imagem pode ser real ou
virtual e pode ser maior, menor ou de
mesmas dimensões que o objeto. Veja A imagem forma-se além do centro de
os casos a seguir. curvatura

1º Caso: Objeto antes do centro de 4º caso: Objeto sobre o foco


curvatura.

A imagem forma-se no centro de Imagem e de natureza impropria (a


curvatura e o foco principal do espelho: imagem se forma no “infinito”)

Real; Imprópria
Invertida;
Menor do que o objeto.

2º caso: Objeto sobre o centro de 5º caso: Objeto entre o foco e o vértice


curvatura.

A imagem forma-se no centro de A imagem forma-se atrás do espelho


curvatura
Virtual;
Real; Direita ou direta;
Invertida; Maior do que o objeto.
Mesmo tamanho do objeto.

APOSTILA 2018 Página 64


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

B) Espelhos Convexos

O espelho convexo apresenta um único


tipo de imagem, independentemente
da posição do objeto em relação ao
espelho. Assim pelo referencial de Gauss temos:

Virtual;
Direita ou direta;
Menor do que o objeto. 12.7 Equações

1. Equação dos pontos conjugados de


Gauss: é a equação que relaciona a
distância focal (f), a distância do objeto
ao espelho (p) e a distância da imagem
ao espelho (p’).

12.6 Estudo analítico

Podemos obter as características de


uma imagem de forma analítica, ou 2. AUMENTO LINEAR TRANSVERSAL
seja, a partir de equações. Estas (A):
equações estão de acordo com o É a equação que relaciona o tamanho
referencial de Gauss mostrado na figura da imagem (i) e o tamanho do objeto
abaixo: (o).

APOSTILA 2018 Página 65


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2. (UFJF-MG) Na entrada de um
shopping, é colocado um grande
espelho convexo de distância focal 40
cm. Uma criança se assusta quando vê
sua imagem refletida no espelho.
Considerando-se que, nesse momento,
a criança se encontra a 1,2 m do vértice
do espelho, podemos afirmar que ela vê
sua imagem nesse espelho
A) três vezes maior.
B) duas vezes menor.
C) quatro vezes maior.
D) quatro vezes menor.
E) três vezes menor.

3. (UFRN) Deodora, aluna da 4ª série


do Ensino Fundamental, ficou confusa
na feira de ciências de sua escola, ao
observar a imagem de um boneco em
Vamos fixar dois espelhos esféricos. Ela notou que,
1. (UFV-MG) Um farol de automóvel com o boneco colocado a uma mesma
consiste em um filamento luminoso distância do vértice dos espelhos, suas
colocado entre dois espelhos esféricos imagens produzidas por esses espelhos
côncavos de mesmo eixo, voltados um apresentavam tamanhos diferentes,
para o outro e de tamanhos diferentes, conforme mostrado nas figuras 1 e 2,
de modo que todos os raios oriundos do reproduzidas a seguir.
filamento se refletem no espelho maior
e se projetam paralelos, conforme a
figura a seguir.

Observando-se as duas imagens, é


CORRETO afirmar que
A posição CORRETA do filamento é A) o espelho da figura 1 é côncavo, o
A) no centro de curvatura do espelho da figura 2 é convexo, e o boneco está
menor e no foco do espelho maior. entre o foco e o vértice desse espelho.
B) no vértice do espelho menor e no B) o espelho da figura 1 é convexo, o
centro de curvatura do espelho maior. da figura 2 é côncavo, e o boneco está
C) no foco de ambos os espelhos. entre o centro de curvatura e o foco
D) no centro de curvatura de ambos os desse espelho.
espelhos. C) o espelho da figura 1 é convexo, o
E) no foco do espelho menor e no da figura 2 é côncavo, e o boneco está
centro de curvatura do espelho maior. entre o foco e o vértice desse espelho.

APOSTILA 2018 Página 66


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

D) o espelho da figura 1 é côncavo, o 7. (PUC PR) Considere as figuras que


da figura 2 é convexo, e o boneco está representam uma vela colocada em
entre o centro de curvatura e o foco frente a vários tipos de espelhos.
desse espelho.

4. (UPE) Um objeto foi colocado sobre o


eixo principal de um espelho côncavo
de raio de curvatura igual a 6,0 cm.
A partir disso, é possível observar que
uma imagem real foi formada a 12,0 cm
de distância do vértice do espelho.
Dessa forma, é CORRETO afirmar que
o objeto encontra-se a uma distância do
vértice do espelho igual a
A) 2,0 cm B) 4,0 cm
C) 5,0 cm D) 6,0 cm
E) 8,0 cm

5. (UECE) Um pequeno objeto é


colocado perpendicularmente sobre o A imagem da vela formada pelo espelho
eixo principal e a 12cm do vértice de um será virtual em:
espelho esférico côncavo, cujo raio de A) I, IV e V. B) II e III.
curvatura é 36cm. A imagem conjugada C) I e II. D) somente V.
pelo espelho é: E) somente IV e V.
A) real, invertida e maior que o objeto
B) virtual, direita e maior que o objeto 8. Um espelho esférico convexo tem
C) virtual, direita e menor que o objeto distância focal igual a 30 cm. Um objeto
D) real, invertida e menor que o objeto. de 10 cm de altura é colocado a 30 cm
do espelho. A imagem obtida é:
6. (ITA) Um espelho esférico convexo A) real, invertida, de 5 cm de altura e a
reflete uma imagem equivalente a 3/4 15 cm do espelho.
da altura de um objeto dele situado a B) virtual, direita, de 5 cm de altura e a
uma distância p1. Então, para que essa 15 cm do espelho.
imagem seja refletida com apenas 1/4 C) virtual, direita, de 10 cm de altura e a
da sua altura, o objeto deverá se situar 30 cm do espelho.
a uma distância p2 do espelho, dada por D) real, invertida, de 10 cm de altura e a
30 cm do espelho.
E) real, direita, de 5 cm de altura e a 15
cm do espelho.

9. (CEFET MG) Emílio observa-se em


um espelho côncavo e vê seu rosto
direito (não invertido) e ampliado 3
vezes. Se o raio de curvatura do
espelho for de 90 cm, a distância do
rosto de Emílio ao espelho, em
centímetros, será:
APOSTILA 2018 Página 67
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

A) 10. B) 15. C) 30. 2. No dia 24/04/90 foi colocado em


D) 45. E) 90. órbita o telescópio Hubble. Entre os
instrumentos de observação,
monitoração e análise estão dois
De olho no Enem espelhos de 2,4 m e 0,3 m de diâmetro.
A respeito de espelhos esféricos, afirma
1. Na madrugada do dia 15 de abril de se que:
2014, os olhares dos latino-americanos I. todo raio de luz que incide no espelho
voltaram-se para o céu, no qual era passando pelo seu centro de curvatura
possível observar o alinhamento entre reflete-se sobre si mesmo.
Sol, Terra e Lua, formando o eclipse II. todo raio de luz que incide no vértice
lunar conhecido por “Lua Vermelha”. do espelho reflete-se simetricamente
Astrônomos e observadores amadores em relação ao eixo principal do espelho.
direcionaram telescópios para visualizar III. todo raio de luz que incide
o fenômeno. Considerando a utilização paralelamente ao eixo principal do
de um telescópio do tipo refletor, é espelho reflete-se passando pelo centro
correto afirmar que a imagem final do de curvatura do espelho.
objeto estelar que se apresenta aos Das afirmativas:
olhos do observador tem as seguintes A) somente I é correta.
características: B) somente II é correta.
A) real e invertida. C) somente I e II são corretas.
B) real e direita. D) somente I e III são corretas.
C) virtual e invertida. E) I, II e III são corretas.
D) virtual e direita.
E) virtual e maior.
3. Mãe e filha visitam a “Casa dos
Espelhos” de um parque de diversões.
TEXTO PARA A QUESTÃO 2 Ambas se aproximam de um grande
O CAMINHO DA LUZ espelho esférico côncavo. O espelho
A luz do objeto observado A entra no está fixo no piso de tal forma que o
Hubble através de seu topo B e é ponto focal F e o centro de curvatura C
refletida pelo espelho primário C. do espelho ficam rigorosamente no
Depois disso é refletida no espelho nível do chão. A criança para em pé
secundário D, que a concentra na base entre o ponto focal do espelho e o
do telescópio E, onde estão os vértice do mesmo. A mãe pergunta à
instrumentos científicos de análise. filha como ela está se vendo e ela
responde:
Folha de S. Paulo, 25 abr 1990. A) “Estou me vendo maior e em pé.”
B) “Não estou vendo imagem alguma.”
C) “Estou me vendo menor e de cabeça
para baixo.”
D) “Estou me vendo do mesmo
tamanho.”
E) “Estou me vendo em pé e menor.”

APOSTILA 2018 Página 68


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

4. A figura mostra um objeto e sua grandes espelhos côncavos para fazer


imagem produzida por um espelho convergir os raios solares sobre os
esférico. navios da esquadra romana. A
concentração da luz solar provoca uma
grande elevação de temperatura e,
assim, teria sido possível incendiar a
esquadra inimiga.

Escolha a opção que identifica


corretamente o tipo do espelho que
produziu a imagem e a posição do Alguns séculos depois, no sertão da
objeto em relação a esse espelho. Paraíba, um grupo de pesquisadores
A) O espelho é convexo e o objeto está resolveu retomar a ideia de
a uma distância maior que o raio do Arquimedes.
espelho. Com o objetivo de melhorar a vida do
B) O espelho é côncavo e o objeto está sertanejo e diminuir o desmatamento da
posicionado entre o foco e o vértice do caatinga, criaram o fogão solar. O fogão
espelho. transforma a irradiação solar em calor
C) O espelho é côncavo e o objeto está para o preparo de alimentos. Espelhos
posicionado a uma distância maior que esféricos convergem a energia para um
o raio do espelho. ponto central, que aquece.
D) O espelho é côncavo e o objeto está
posicionado entre o centro e o foco do
espelho.
E) O espelho é convexo e o objeto está
posicionado a uma distância menor que
o raio do espelho.

5. Leia o texto a seguir e responda:


O cientista e inventor grego Arquimedes
viveu no século III a.C., na cidade de
Siracusa (sul da Itália). Uma
preocupação constante do rei de
Siracusa era a proteção de sua cidade
contra as ameaças de invasão pelas
Dos esquemas colocados a seguir, qual
tropas romanas. Por isso, ele contratou
representa corretamente o
Arquimedes para projetar e construir
funcionamento do fogão solar:
dispositivos de guerra, destinados a
defender e contra-atacar o inimigo.
Entre as armas que Arquimedes teria
preparado para defender Siracusa,
contam os historiadores que havia
APOSTILA 2018 Página 69
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

É a relação entre a velocidade da luz no


vácuo (c = 3.108 m/s) e a velocidade da
luz no meio considerado (v).

OBS1: Comparando dois meios, o de


maior índice de refração é o que
apresenta maior refringência (meio mais
refringente).

OBS2: Quando dois meios apresentam


o mesmo índice de refração, um é
invisível em relação ao outro, dizemos
que existe uma continuidade óptica.
Isto acontece com o bastão de vidro e o
tetracloroetileno na figura (nvidro =
GABARITO
ntetracloroetileno).
Vamos Fixar
1 2 3 4 5 6 7 8 9

De olho no Enem
1 2 3 4 5

13.3 Dioptro plano


TÓPICO - 13
Quando olhamos para um objeto dentro
REFRAÇÃO DA LUZ d’água, ele nos parece estar mais perto
13.1 Refração: da superfície. Por exemplo, a
É a variação de velocidade da luz ao profundidade de uma piscina cheia
mudar de meio. A refração pode ser parece menos do que realmente é.
acompanhada por um desvio na direção Nesse caso, o que vemos é uma
de propagação da luz, ou não. imagem do objeto, determinada pela luz
que se refratou ao atravessar a
superfície de separação entre o ar e a
água.

13.2 Índice de refração de um meio(n):

APOSTILA 2018 Página 70


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Obs: O observador vê uma imagem


virtual do objeto numa posição acima da
real.

Para pequenos ângulos de refração


(r < 10o) é válida a relação:

13.3.1 Aproximação da imagem 13.4 LEIS DA REFRAÇÃO


Seja Ri um raio de luz incidente que
A luz emitida pelo objeto sofre refração forma, com a normal N, o ângulo de
ao atravessar a superfície água/ar, incidência i. Após a refração, origina-se
antes de chegar ao observador. o raio refratado Rr, que forma com a
Observe a figura a seguir. normal o ângulo de refração r.

1ª Lei: o raio incidente (Ri), a normal (N)


e o raio refratado (Rr) estão no mesmo
plano.

2ª Lei ( ou lei de SNELL-DESCARTES):


o produto do índice de refração do meio
no qual se encontra o raio pelo seno do
13.3.2 Afastamento da imagem ângulo que esse raio forma com a
normal é constante

Assim, se a velocidade diminui, o raio


refratado se aproxima da normal; e se a
velocidade aumenta, se afasta da
normal.

APOSTILA 2018 Página 71


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

13.5 Ângulo limite e reflexão total

Considere um raio de luz passando do


vidro, meio mais refringente, para o ar,
meio menos refringente (Fig.a).
Aumentando o ângulo de incidência i, 13.6 Decomposição da luz branca
observamos que o raio refratado afasta- (DISPERSÃO LUMINOSA)
se da normal (Fig.b). Quando o ângulo Num mesmo meio material, o índice de
de refração atinge seu valor máximo, r refração é mínimo para a luz vermelha
= 900, o ângulo de incidência atinge o e máximo para a luz violeta (nve < nvi).
ângulo limite, i = L (Fig.c). Logo, pela equação do índice de
Se ângulo de incidência for superior ao
ângulo limite (i >L), a luz sofre a refração ,a luz de maior
reflexão total.
velocidade é a luz vermelha e a de
menor velocidade é a luz violeta
(vve > vvi). Assim, a luz vermelha é a que
menos desvia da direção original, pois é
a que menos se aproxima da normal, e
a luz violeta, é a que mais desvia, pois
é a que mais se aproxima da normal
(caracteriza o Fenômeno da Dispersão
Luminosa). As cores intermediárias
sofrem desvios intermediários.

OBS 3: Uma das principais aplicações


da reflexão total reside na fabricação da
fibra óptica. O índice de refração do
núcleo da fibra óptica é maior do que o
da casca (nnúcleo > ncasca). Dessa forma,
as mensagens transmitidas por
impulsos luminosos podem se propagar Obs: Num prisma, o fenômeno da
no interior da fibra óptica por sucessivas dispersão da luz branca é mais
reflexões. acentuado.

APOSTILA 2018 Página 72


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

13.7 Fenômenos Opticos passam por camadas de ar cada vez


menos refringentes, afastando-se da
13.7.1 Refração Atmosférica normal até o instante que sofrem
Exemplo 1: reflexão total.

Nos mares e regiões polares ocorre


fenômeno semelhante, porém com
efeito contrário.

À medida que a altitude diminui, o ar


atmosférico torna-se mais concentrado;
com isso sua densidade aumenta e,
consequentemente, seu índice de
refração também aumenta. Logo, a luz
emitida por uma estrela sofrerá refração 13.7.3 Arco-íris
ao penetrar na atmosfera terrestre. Com
isso, um observador na superfície do O arco-íris surge quando a luz solar
planeta vê a estrela numa posição sofre refração nas gotículas de água
aparente, E', mais elevada do que a suspensas no ar atmosférico. Ao sofrer
posição real, E. refração, a luz solar decompõe-se nas
luzes coloridas que a constituem
Obs : O desvio da luz na atmosfera (dispersão), e essas luzes coloridas
permite ver o Sol depois que ele sofrem reflexão total na parede oposta
ultrapassa a linha do horizonte, ao da gotícula de água e são então
anoitecer; e ao amanhecer, novamente refratadas.
começarmos a vê-lo antes que alcance
a linha do horizonte. Isto faz com que a
duração do dia seja maior

13.7.2 Miragens
Nos desertos, o ar em contato com o
solo encontra-se aquecido (logo, menos
denso e com menor índice de refração).
Assim, os raios luminosos que partem
de um objeto e se dirigem para o solo

APOSTILA 2018 Página 73


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Por geometria plana, temos:

Opcional

13.8 Lâminas de fases paralelas Vamos fixar

Considere uma lâmina de vidro de faces 1. (UFCE) Marcos está em seu barco,
paralelas, de espessura (e), colocada pescando em um lago, e deseja atingir
no ar. Um raio de luz monocromática um peixinho com um feixe de raios
incide obliquamente sobre uma das laser. Na figura, estão representados o
faces da lâmina. Ao atravessá-la, peixe e sua imagem vista por Marcos.
emerge da outra face, sofrendo um Pescador e Peixe estão parados.
desvio lateral (d), dado por:

Obs: Quanto maior a espessura (e) da Sobre a situação podemos afirmar


lâmina, maior será o desvio lateral (d). corretamente:
A) Independente de qual seja a posição
real do peixe, Marcos deverá orientar o
laser para uma posição intermediária
entre A e B.
B) O peixe está na posição A e, para
atingi-lo, Marcos deverá apontar o laser
para essa posição.
13.9 PRISMA: é o conjunto de três C) O peixe está na posição A, mas,
meios homogêneos e transparentes para atingi-lo, Marcos deverá apontar o
separados por duas superfícies planas laser para a posição B.
não-paralelas, que são as faces do D) O peixe está na posição B, e, para
prisma. atingi-lo, Marcos deverá apontar o laser
Considere um prisma de vidro colocado para essa posição.
no ar e um raio de luz monocromática E) Peixe está na posição B, mas, para
que o atravessa, conforme é mostrado atingi-lo, Marcos deverá apontar o laser
na figura. para a posição A.

APOSTILA 2018 Página 74


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2. (Unirio) Um cão está diante de uma


mesa, observando um peixinho dentro
do aquário, conforme representado na
figura. Ao mesmo tempo, o peixinho
também observa o cão. Em relação à
parede P do aquário e às distâncias
reais, podemos afirmar que as imagens
observadas por cada um dos animais
obedecem às seguintes relações:
Com relação à velocidade de
propagação da luz nesses três meios,
assinale a alternativa CORRETA.
A) v1 > v2 > v3 D) v1 > v3 > v2
B) v3 > v1 > v2 E) v3 > v2 > v1
C) v2 > v3 > v1

4. (UFTM-MG) A miragem é um efeito


óptico, frequente nos desertos,
produzido pela reflexão total da luz
A) O cão observa o olho do peixinho solar na superfície comum a duas
mais próximo da parede P, enquanto o camadas de ar aquecidas
peixinho observa o olho do cão mais diversamente, sendo a miragem vista,
distante do aquário. via de regra, em posição invertida. Esse
B) O cão observa o olho do peixinho fenômeno é consequência da
mais distante da parede P, enquanto o A) difração da luz durante sua trajetória.
peixinho observa o olho do cão mais B) difusão da luz ao atravessar as
próximo do aquário. diferentes camadas da atmosfera.
C) O cão observa o olho do peixinho C) presença de oásis nas regiões
mais próximo da parede P, enquanto o desérticas da Terra.
peixinho observa o olho do cão mais D) forma esférica da Terra que facilita a
próximo do aquário. dispersão da luz na atmosfera.
D) O cão observa o olho do peixinho E) variação do índice de refração do ar
mais distante da parede P, enquanto o com a sua densidade.
peixinho observa o olho do cão também
mais distante do aquário. 5. (UFC) O índice de refração de um
E) O cão e o peixinho observam o olho material é a razão entre:
um do outro, em relação à parede P, A) a densidade do ar e a densidade do
em distâncias iguais às distâncias reais material.
que eles ocupam na figura. B) a intensidade da luz no ar e a
intensidade da luz no material.
3. Um raio de luz monocromática passa C) a frequência da luz no vácuo e a
de um meio 1 para um meio 2 e deste frequência da luz no material.
para um meio 3, conforme indicado na D) a velocidade da luz no vácuo e a
figura. velocidade da luz no material.
E) o comprimento de onda da luz no
vácuo e o comprimento de onda da luz
no material.
APOSTILA 2018 Página 75
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

6. Um pincel de luz se propaga do em relação à normal da superfície.


vácuo para um meio material de índice Neste caso, podemos afirmar que:
de refração absoluto 4/3. Sendo a A) a velocidade de propagação da luz é
velocidade de propagação da luz no igual em ambos os meios e sua direção
vácuo de 3 x 105 km/s, podemos afirmar não é alterada.
que a velocidade da luz no meio B) a velocidade de propagação da luz é
material é de: maior no vidro do que no vácuo e sua
A) 4 x 105 km/s B) 2,25 x 105 km/s direção é alterada.
C) 3 x 105 km/s D) 2 x 105 km/s C) a velocidade de propagação da luz é
E) 3,25 x 105 km/s maior no vácuo do que no vidro e sua
direção é alterada.
7. Um raio luminoso amarelo incide do D) a velocidade de propagação da luz
ar para um meio X com um ângulo de não é alterada quando muda de meio e
60° e refrata-se, formando um ângulo apenas sua direção é alterada.
de 30° com a normal. O índice de E) a velocidade de propagação da luz é
refração do meio X é: alterada quando muda de meio, mas
sua direção de propagação não é
alterada.

De olho no Enem

1. Durante o dia, uma pessoa dentro de


casa olha através do vidro de uma
8. (ITA) Um pescador deixa cair uma
janela e enxerga o que está do lado de
lanterna acesa em um lago a 10,0 m de
fora. À noite, a pessoa olha através da
profundidade. No fundo do lago, a
mesma janela e enxerga sua imagem
lanterna emite um feixe luminoso
refletida pelo vidro, não enxergando o
formando um pequeno ângulo θ com a
que está do lado de fora. Assinale a
vertical (veja figura).
alternativa que melhor explica a
situação descrita.
A) O índice de refração da luz no meio
externo à janela é maior à noite do que
durante o dia.
B) O índice de refração da luz no meio
externo à janela é menor à noite do que
durante o dia.
Considere o índice de refração da água
C) Durante o dia, a luz que atravessa o
n = 4/3. Então, a profundidade aparente
vidro da janela, proveniente dos objetos
h vista pelo pescador é igual a:
localizados no exterior da casa, é muito
A) 2,5 m B) 5,0 m C) 7,5 m
mais intensa que a luz refletida pelo
D) 8,0 m E) 9,0 m
vidro da janela, proveniente dos objetos
no interior da casa.
9. Uma onda luminosa se propagando
D) Durante o dia, a polarização da luz
no vácuo incide sobre uma superfície
no vidro da janela é positiva e permite
de vidro cujo índice de refração é maior
que se enxergue o lado de fora.
que o índice de refração do vácuo
E) Durante a noite, a polarização da luz
tendo um ângulo de incidência de 30°
no vidro da janela é negativa e não
permite que se enxergue o lado de fora.
APOSTILA 2018 Página 76
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2. (ENEM) Alguns povos indígenas O fenômeno ótico que, segundo os


ainda preservam suas tradições pesquisadores, provoca a Fata
realizando a pesca com lanças, Morgana é a
demonstrando uma notável habilidade. A) ressonância. B) refração.
Para fisgar um peixe em um lago com C) difração. D) reflexão.
águas tranquilas o índio deve mirar E) difusão.
abaixo da posição em que enxerga o
peixe. 4. (ENEM) Uma proposta de dispositivo
capaz de indicar a qualidade da
Ele deve proceder dessa forma porque gasolina vendida em postos e,
os raios de luz. consequentemente, evitar fraudes,
A) refletidos pelo peixe não descrevem poderia utilizar o conceito de refração
uma trajetória retilínea no interior da luminosa. Nesse sentido, a gasolina
água. não adulterada, na temperatura
B) emitidos pelos olhos do índio ambiente, apresenta razão entre os
desviam sua trajetória quando passam senos dos raios incidente e refratado
do ar para a água. igual a 1,4. Desse modo, fazendo incidir
C) espalhados pelo peixe são refletidos o feixe de luz proveniente do ar com um
pela superfície da água. ângulo fixo e maior que zero, qualquer
D) emitidos pelos olhos do índio são modificação no ângulo do feixe
espalhados pela superfície da água. refratado indicará adulteração no
E) e refletidos pelo peixe desviam sua combustível.
trajetória quando passam da água para Em uma fiscalização rotineira, o teste
o ar. apresentou o valor de 1,9. Qual foi o
comportamento do raio refratado?
3. (ENEM) Será que uma miragem A) Mudou de sentido.
ajudou a afundar o Titanic? O fenômeno B) Sofreu reflexão total.
ótico conhecido como Fata Morgana C) Atingiu o valor do ângulo limite.
pode fazer com que uma falsa parede D) Direcionou-se para a superfície de
de água apareça sobre o horizonte separação.
molhado. Quando as condições são E) Aproximou-se da normal à superfície
favoráveis, a luz refletida pela água fria de separação.
pode ser desviada por uma camada
incomum de ar quente acima, chegando 5. Suponha que não houvesse
até o observador, vinda de muitos atmosfera na Terra. Nesse caso, é
ângulos diferentes. De acordo com correto afirmar que veríamos:
estudos de pesquisadores da A) o Sol nascer mais cedo no horizonte.
Universidade de San Diego, uma Fata B) o Sol se pôr mais cedo no horizonte.
Morgana pode ter obscurecido os C) o nascer e o pôr-do-sol mais tarde.
icebergs da visão da tripulação que D) o nascer e o pôr-do-sol no mesmo
estava a bordo do Titanic. Dessa forma, horário como se houvesse atmosfera.
a certa distância, o horizonte verdadeiro GABARITO
fica encoberto por uma névoa Vamos Fixar
escurecida, que se parece muito com 1 2 3 4 5 6 7 8 9
águas calmas no escuro.
Disponível em: http://apod.nasa.gov. Acesso em: 6 De olho no Enem
set. 2012 (adaptado).
1 2 3 4 5

APOSTILA 2018 Página 77


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

14.4 Comportamentos das lentes


TÓPICO - 14
LENTES ESFÉRICAS Qualquer lente pode ter um
comportamento convergente ou
14.1 Definição divergente, pois tal comportamento não
A lente esférica e uma associação de depende só da lente. Depende também
dois dioptros na qual pelo menos um do meio onde se situa a lente.
deles e, obrigatoriamente, um dioptro
esférico, e o outro pode ser um dioptro A) nLENTE > nMEIO
esférico ou um dioptro plano.

14.2 Elementos geométricos de uma


lente Esférica

B) nLENTE < nMEIO

14.3 Nomenclatura das Lentes

Cita-se em primeiro lugar o nome da 14.5 Condições de nitidez de Gauss


face com o maior raio da curvatura, em
seguida pelo nome da face com menor Neste curso, estudaremos apenas as
raio de curvatura. lentes esféricas delgadas, isto e, sua
espessura e muito pequena quando
• Lentes de bordas finas comparada aos raios de curvatura das
faces esféricas.
Vamos considerar que os raios de luz
incidentes na lente serão pouco
inclinados em relação ao eixo principal
e pouco afastados de seu centro ótico.

Representação:

• Lentes de bordas grossas

APOSTILA 2018 Página 78


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

14.6 Propriedades das lentes 14.7 Características das imagens

Comportamento de alguns raios Faremos a determinação gráfica


luminosos ao atravessarem uma lente (geométrica) da imagem de pequenos
esférica delgada. objetos frontais as lentes delgadas.
A) Lentes convergentes
• Todo raio luminoso que atravessa uma
lente, passando pelo seu centro ótico, Objeto real colocado diante de uma
não sofre desvio. lente divergente:

• Todo raio luminoso que incide numa


lente, paralelamente ao seu eixo
principal, emerge na direção do foco Virtual;
principal imagem. Direita ou direta;
Menor do que o objeto.

B) Lentes convergentes
Objeto real colocado diante de uma
lente convergente.

1º Caso: Objeto colocado além do


• Todo raio luminoso que incide numa ponto objeto antiprincipal A:
lente, numa direção que passa pelo
foco principal objeto, emerge
paralelamente ao eixo principal.

A imagem obtida esta situada entre o


foco F’ e o ponto antiprincipal A’

Real;
Invertida;
Menor do que o objeto.

APOSTILA 2018 Página 79


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

2º caso: Objeto colocado sobre o ponto 4º caso: Objeto sobre o foco


objeto antiprincipal A.

Temos uma imagem impropria, pois os


raios emergentes da lente são
paralelos.
A imagem obtida agora esta situada
exatamente sobre o ponto antiprincipal
Imprópria
A’

Real;
Invertida; 5º caso: Objeto entre o foco e o centro
Mesmo tamanho do objeto. óptico.

3º caso: objeto colocado entre o ponto


objeto antiprincipal A e o foco principal
F.

A imagem formada é :

Virtual;
Direita ou direta;
Maior do que o objeto.
A imagem esta situada além do ponto
antiprincipal A’
14.8 Óptica da Visão
Real;
Invertida; 14.8.1 Olho humano
Maior que o objeto. Na Óptica da Visão, estudamos o
funcionamento ótico do olho humano,
enfatizando as lentes que constituem o
olho e o funcionamento destas.
O olho funciona como um receptor de
luz que possui a capacidade de
transformar a energia luminosa em
impulsos elétricos que são interpretados
pelo cérebro, constituindo a visão.

APOSTILA 2018 Página 80


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

14.8.3 Ametropias da visão

A) Miopia: ocorre devido a um


alongamento do globo ocular na direção
do eixo antero-posterior ou por um
aumento na vergência do cristalino.
Assim, a imagem se forma antes da
retina.

Sintomas: dificuldade para ver de longe


e facilidade para ver de perto.
Correção da miopia: lentes
divergentes.

B) Hipermetropia: ocorre devido a um


encurtamento do globo ocular na
14.8.2 Olho normal direção do eixo antero-posterior ou por
uma diminuição na vergência do
cristalino. Assim, a imagem se forma
depois da retina.

Sintomas: dificuldade para ver de perto


e esforço para ver de longe.
A imagem do objeto real se forma na Correção da hipermetropia: lentes
retina. convergentes.

C) Presbiopia (Vista cansada): ocorre


devido ao endurecimento do cristalino
em pessoas por volta de 40 anos de
idade.
APOSTILA 2018 Página 81
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Sintomas: dificuldade para ver de perto


e visão normal para ver de longe.
Correção da presbiopia: lentes
convergentes.

D) Astigmatismo: Ocorre devido à


córnea não se apresentar como uma
perfeita calota esférica, seu raio de
curvatura é variável, algo como uma
casca de ovo.
Sintomas: Visão "manchada" dos
objetos.
Correção do astigmatismo: lentes
cilíndricas.

E) Estrabismo: pode estar relacionado 14.10 Equações


a uma falta de coordenação dos
movimentos de uma série de seis A) Equação dos pontos conjugados
músculos que, ligados à parede externa
do globo ocular, permitem os diferentes
movimentos do olho no interior da
órbita. Em alguns casos é possível
corrigir o defeito com o uso de prismas.

F) Daltonismo: é uma anomalia


genética, geralmente herdada, na qual
o portador é incapaz de distinguir certas
cores, mais comumente o vermelho e o B) Aumento linear
verde. Os cones, receptadores de luz
localizados sobre a retina, contêm
pigmentos que selecionam as luzes
vermelha, verde e azul. Se a
quantidade de pigmentos é reduzida ou
se um (ou mais) dos três sistemas de
cones estiver ausente, o portador será
daltônico. A anomalia é impossível de
ser corrigida. C) Vergência de uma lente

14.9 Estudo Analítico

No eixo y, a parte de cima é positiva e a


de baixo, negativa.
Existem dois eixos x: um para o objeto
(x) e o outro para a imagem (x’). Onde Unidade de V, no S.I é 1/m = di
se encontra o objeto está o lado positivo (dioptria) que é conhecida
do eixo x do objeto e também o lado popularmente como o “grau” da lente.
negativo do eixo x’ da imagem. Assim:

APOSTILA 2018 Página 82


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

D) Equação dos fabricantes de lentes

A fórmula dos fabricantes de lentes ou


fórmula de Halley é a equação para
calcular a vergência de uma lente, ou
seja, o “grau” de uma lente.

Para conseguir seu intento de modo


mais rápido, a folha deve estar a uma
distância da lente igual a:
A) 10 cm. D) 60 cm.
B) 20 cm. E) 80 cm.
C) 40 cm.
Vamos fixar 4. Uma lente conjuga, a um objeto real,
uma imagem também real de mesmo
1. De um objeto real, uma lente tamanho. A distância entre o objeto e a
esférica produz uma imagem real, imagem é de 120 cm. A distância focal
distante 30 cm da lente. Sabendo que o da lente vale:
objeto se encontra a 50 cm de sua A) 60 cm. C) 40 cm. E) 20 cm.
imagem, a distância focal da lente é de: B) 50 cm. D) 30 cm.
A) 80 cm B) 24 cm
C) 40 cm D) 12 cm 5. Texto de Guimarães Rosa - “Campo
E) 16 cm geral”
(Corpo de baile, 1956):
2. Um projetor de slide tem lente de O doutor era homem muito bom, levava
distância focal igual a 10,0 cm. Ao o Miguilim, lá ele comprava uns óculos
focalizar a imagem, o slide é pequenos, entrava para a escola,
posicionado a 10,4 cm da lente. A que depois aprendia ofício.
distância da lente deve ficar a tela? - “Você mesmo quer ir?”
Miguilim não sabia. Fazia peso para
não soluçar. Sua alma, até ao fundo, se
esfriava.
De acordo com o Texto, pode-se inferir
que Miguilim necessita de óculos para
corrigir uma deficiência visual
(ametropia).
Entre as ametropias estão a miopia e a
A) 260 cm B) 130 cm hipermetropia. Sobre essas ametropias,
C) 390 cm D) 520 cm julgue como verdadeiro (V) ou como
E) 680 cm falso
(F) o que se afirma a seguir.
3. Um estudante possui uma lente I - A miopia é um defeito da visão que
convergente de 20 cm de distância focal não permite visão nítida de um objeto
e quer queimar uma folha de papel distante, pois, estando os músculos
usando essa lente e a luz do Sol. ciliares relaxados, o foco imagem do
APOSTILA 2018 Página 83
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

olho está antes da retina, portanto, 8. (UECE) Uma lente biconvexa é


formando a imagem de um objeto imersa num meio cujo índice de
distante antes da retina. ( ) refração é igual ao do material de que
II - A lente corretora da miopia deve ser ela é constituída. Podemos afirmar
divergente e um míope não precisa usar que, nessas condições, a lente:
lentes para perto. ( )
III - A lente corretora da hipermetropia A) Será convergente.
deve ser convergente. ( ) B) Será divergente.
A sequência CORRETA, de cima para C) Comportar - se - á como um prisma
baixo, é de reflexão total.
A) F,F,F. B) F,F,V. D) Não desviará os raios luminosos
B) F,V,V. D) V,V,F. que sobre ela incidem
E) V,V,V.

6. Para observar uma pequena folha em De olho no Enem


detalhes, um estudante utiliza uma lente
esférica convergente funcionando como
lupa. Mantendo a lente na posição 1. Ótica Arco-Íris
vertical e parada a 3 cm da folha, ele vê armações e lentes especiais
uma imagem virtual ampliada 2,5 vezes.
Além dos menores preços, dispomos de
grande estoque de lentes convergentes,
divergentes e cilíndricas de diferentes
graduações, permitindo-nos aviar sua
receita mais rápido que a concorrência.
Venha nos conhecer. Na ordem em que
aparecem, as lentes citadas podem ser
utilizadas para corrigir:
A) astigmatismo ou miopia, presbiopia e
Considerando válidas as condições de hipermetropia.
nitidez de Gauss, a distância focal, em B) miopia ou astigmatismo, presbiopia e
cm, da lente utilizada pelo estudante é hipermetropia.
igual a: C) miopia ou presbiopia, hipermetropia
e astigmatismo.
A) 5. B) 2. C) 6. D) presbiopia ou astigmatismo,
D) 4. E) 3. hipermetropia e miopia.
E) hipermetropia ou presbiopia, miopia
7. (Fatec) A imagem de um objeto real, e astigmatismo.
fornecida por uma lente divergente, é
A) real, invertida e maior que o objeto 2. Certo professor de física deseja
B) real, direita e menor que o objeto. ensinar a identificar três tipos de
C) virtual, direita e maior que o objeto. defeitos visuais apenas observando a
D) real, invertida e menor que o objeto. imagem formada através dos óculos de
E) virtual, direita e menor que o objeto. seus alunos, que estão na fase da
adolescência.

APOSTILA 2018 Página 84


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Ao observar um objeto através do A) divergente, comprimento focal f=–


primeiro par de óculos, a imagem 300 cm.
aparece diminuída. O mesmo objeto B) divergente, comprimento focal f=–25
observado pelo segundo par de óculos cm.
parece aumentado e apenas o terceiro C) divergente, comprimento focal f=–20
par de óculos distorce as linhas quando cm.
girado. D) convergente, comprimento focal
f=+20 cm.
E) convergente, comprimento focal f=
+300 cm.

4. Considere a tirinha abaixo.

Através da análise das imagens


produzidas por esses óculos podemos
concluir que seus donos possuem,
respectivamente:
A lente da historinha do Bidu pode ser
A) miopia, astigmatismo e
representada por quais das lentes cujos
hipermetropia.
perfis são mostrados a seguir?
B) astigmatismo, miopia e
hipermetropia.
C) hipermetropia, miopia e
astigmatismo.
D) hipermetropia, astigmatismo e
miopia.
E) miopia, hipermetropia e A) 1 ou 3. B) 2 ou 4.
astigmatismo. C) 1 ou 2. D) 3 ou 4.
E) 2 ou 3.

3. “Olho mágico” é um dispositivo de


segurança residencial constituído 5. (Enem PPL 2015) O avanço
simplesmente de uma lente esférica. tecnológico da medicina propicia o
Colocado na porta de apartamentos, desenvolvimento de tratamento para
por exemplo, permite que se veja o diversas doenças, como as
visitante que está no hall de entrada. relacionadas à visão. As correções que
Quando um visitante está a 50 cm da utilizam laser para o tratamento da
porta, um desses dispositivos forma, miopia são consideradas seguras até 12
para o observador dentro do dioptrias, dependendo da espessura e
apartamento, uma imagem três vezes curvatura da córnea. Para valores de
menor e direita do rosto do visitante. dioptria superiores a esse, o implante
Assinale a opção que se aplica a esse de lentes intraoculares é mais indicado.
caso quanto às características da lente Essas lentes, conhecidas como lentes
do olho mágico e o seu comprimento fácicas (LF), são implantadas junto à
focal: córnea, antecedendo o cristalino (C),
APOSTILA 2018 Página 85
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

sem que esse precise ser removido,


formando a imagem correta sobre a
retina (R).

O comportamento de um feixe de luz


incidindo no olho que possui um
implante de lentes fácicas para
correção do problema de visão
apresentado é esquematizado por

Se fizermos uma analogia entre a


A) ilustração e o olho humano, o tecido
corresponde ao(à)
A) íris
B) retina
B) C) pupila
D) córnea
E) cristalino

C)

GABARITO
D) Vamos Fixar
1 2 3 4 5 6 7 8

De olho no Enem
E) 1 2 3 4 5 6

6. (Enem 2015) Entre os anos de 1028


e 1038, Alhazen (lbn al-Haytham: 965-
1040 d.C.) escreveu sua principal obra,
o Livro da Óptica, que, com base em REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
experimentos, explicava o
funcionamento da visão e outros 1.Tópicos de Física 2:ondas , optica e
aspectos da ótica, por exemplo, o termologia – Ricardo Helondoca,
funcionamento da câmara escura. O Gualter José Biscuola. 18ª ed. São
livro foi traduzido e incorporado aos Paulo: Saraiva 2001.
conhecimentos científicos ocidentais 2. Física – Volume Único – Caio Sergio
pelos europeus. Na figura, retirada Calcada, José Luiz Sampaio
dessa obra, é representada a imagem 3. Curso de Física – Volume – Antônio
invertida de edificações em tecido Máximo, Beatriz Alvarenga
utilizado como anteparo. 4. Apostila C7S vol.4 – prof. Ulisses
Castro.
5. Apostila de Física II – UECEvest –
Prof: Rogério Andrade.

APOSTILA 2018 Página 86


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

TÓPICO - 15
1.2 Tipos de radiações
FÍSICA NUCLEAR

Estuda o comportamento dos Emissão α:


constituintes do núcleo atômico.
A emissão alfa , desintegração alfa ou
1.1 Tipos de radiações decaimento alfa é uma forma de
decaimento radioativo que ocorre
quando um núcleo atômico instável
emite uma partícula alfa transformando-
se em outro núcleo atômico com
número atômico duas unidades menor e
número de massa 4 unidades menor.

A
Z X 24  ZA24X  00

Ainda no ano de 1898, Ernest


Rutherford utilizou uma tela
fluorescente para detectar as radiações Emissão β:
provenientes de um material radioativo.
Com o auxílio de placas metálicas As partículas beta são elétrons (β–) ou
eletricamente carregadas. Rutherford pósitrons (β+), que são partículas
chamou de partículas alfa α aquelas idênticas ao elétron exceto pelo sinal de
cujo feixe era atraído pela placa sua carga.
negativa, deduzindo que elas possuem
carga positiva; e designou de partícula
beta β, aquelas cujo feixe era atraído Beta menos
pela placa positiva e que, portanto,
possuíam carga elétrica negativa. Em
1900, Paul Villard, na França, descobriu
W 10  Z A1W  00
A
Z
uma outra forma de radioatividade que
não apresenta carga elétrica, sendo
chamada de radiação gama ˠ. Beta mais

A
ZW 10  Z A1W  00

APOSTILA 2018 Página 87


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

1.3 Meia Vida

A meia vida de um elemento radioativo


é o intervalo de tempo em que uma
amostra deste elemento se reduz à
metade. Este intervalo de tempo
também é chamado de período de
semidesintegração.

M = massa residual (kg)


Mo = massa inicial (kg)
X = quantidade de meias-vidas.

Emissão ϒ:

São as ondas eletromagnéticas de mais


alta frequência que se conhece emitidas
pelos núcleos dos elementos
radioativos. Os raios gama são de
mesma natureza que os raios X.
Quando um núcleo excitado decai
emitindo um fóton gama o número
atômico permanece o mesmo (diferente
do que acontece nos decaimentos alfa
e beta).

FISSÃO NUCLEAR

É a divisão de um núcleo em dois


núcleos menores, com a liberação de
uma quantidade de energia muito
grande.

Uma fissão nuclear importante é reação que


explica o princípio de funcionamento da
bomba atômica.

APOSTILA 2018 Página 88


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Vamos fixar

1. (Ufrgs 2017) Os seres, quando


vivos, possuem aproximadamente a
mesma fração de carbono  14 (14 C), isótopo
radioativo do carbono, que a atmosfera.
Essa fração, que é de 10 ppb (isto é, 10
átomos de 14 C para cada bilhão de
átomos de C), decai com meia-vida de
5.730 anos, a partir do instante em que o
organismo morre. Assim, o 14 C pode ser
usado para se estimar o tempo
FUSÃO NUCLEAR
decorrido desde a morte do organismo.
É a junção de núcleos atômicos
Aplicando essa técnica a um objeto de
produzindo um núcleo maior, com
madeira achado em um sítio
liberação de uma grande
arqueológico, a concentração de 14 C
quantidade de energia.
nele encontrada foi de 0,625 ppb. Esse
Este processo ocorre no sol, onde valor indica que a idade aproximada do
núcleos de hidrogênio leve se fundem, objeto é, em anos, de
1.432.
formando núcleos de hélio, com
3.581.
liberação de grande quantidade de 9.168.
energia. 15.280.
22.920.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


Considere o campo gravitacional uniforme.

2. (Pucrs 2017) Utilize as partículas β


(beta-mais), β (beta-menos) e α (alfa)
para completar as lacunas dos
decaimentos radioativos abaixo:

99
43 Tc 99
44 Ru  _____  υe

169
79 Au 165
77 Ir  _____

164
74 W 164
73 Ta  _____  υe

Considerando que υe e υe são,


respectivamente, as representações do
anti-neutrino do elétron e do neutrino do
elétron, o correto preenchimento das
lacunas, de cima para baixo, é

APOSTILA 2018 Página 89


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

β α β  Nuclídeo é um átomo de um elemento


β  β X, identificado por um número atômico
α

Z e por um número de massa A : AZ X. A
β
α β carta de nuclídeos é urna construção
β β  α gráfica que organiza todos os nuclídeos

β existentes, estáveis e instáveis, em
α β
função dos números atômicos Z e de
3. (Ufjf-pism 3 2016) Em um reator nêutrons N que eles apresentam. A
nuclear, átomos radioativos são distribuição dos nuclídeos está
quebrados pelo processo de fissão representada pela região cinza da
nuclear, liberando energia e átomos de Figura 1 acima. Nessa construção,
menor massa atômica. Esta energia é isóbaros, isótopos e isotórios são
convertida em energia elétrica com um facilmente identificados, assim como os
aproveitamento de aproximadamente produtos de decaimentos radioativos.
30%. A teoria da relatividade de Einstein
torna possível calcular a quantidade de A Figura 2, excerto da Figura 1, destaca
226
energia liberada no processo de fissão o nuclídeo 89
AC, que decai
nuclear. Nessa teoria, a energia de uma principalmente por emissão de
partícula é calculada pela expressão partículas α e por emissão de elétrons.
E  mc 2 , onde m  m0 1  (v c)2 . Em uma Usando a Figura 2, podem-se identificar
residência comum, se consome, em os produtos desses dois tipos de
média, 200 kWatt  hora por mês. Neste decaimento como, respectivamente,
222
caso, CALCULE qual deveria ser a 87 Fr e 226
Th.
90
massa, em quilogramas, necessária 222
87 Fr e 226
Ra.
para se manter essa residência por um 88
224
ano, considerando que a transformação 87 Fr e 226
90
Th.
de massa em energia ocorra no 224
87 Fr e 226
Ra.
repouso. 88
222 224
87 Fr e 87 Fr.
Dado: c  3  108 m/s.
3,6  108 kg 5. (Ufrgs 2014) Escolha a opção que
5 associa as colunas da tabela abaixo, de
6,3  10 kg
3,2  107 kg modo a completar corretamente as
9,6  108 kg lacunas pontilhadas nas reações
5,3  105 kg
nucleares indicadas na coluna da
esquerda.
4. (Ufrgs 2015) Considere as figuras
abaixo.

APOSTILA 2018 Página 90


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

dilacerados, queimados, mutilados.


(8) – (4) – (2) – (7) Cerca de 40 minutos após a explosão,
(3) – (4) – (5) – (7) caiu uma chuva radioativa. Muitos se
(8) – (6) – (2) – (1) banharam e beberam dessa água. Seus
(3) – (6) – (5) – (1) destinos foram selados.
(8) – (4) – (2) – (1)
Adaptado de Sidnei J. Munhoz, “O pior dos fins”. Revista de
História da Biblioteca Nacional, maio 2015. Disponível em:
6. (Ufrgs 2012) Assinale a alternativa http://www.revistadehistoria.com.br/secao/capa/o-pior-dos-
que preenche corretamente as lacunas fins.
Acessado em: 23/08/2016.
do enunciado abaixo, na ordem em que
aparecem. A explosão da bomba mencionada no
texto
As reações nucleares ocorre a partir da desintegração
espontânea do núcleo de urânio
2
H1  2H1  3He2  n enriquecido em núcleos mais leves,
liberando uma enorme quantidade de
e energia. Esse bombardeio significou o
início da corrida armamentista entre
n  235U92  91Kr36  142Ba56  3 n
EUA e União Soviética.
ocorre devido à desintegração do
núcleo de urânio em núcleos mais
liberam energia e são, respectivamente, leves, a partir do bombardeamento com
exemplos de reações nucleares nêutrons, liberando uma enorme
chamadas ........ e ........ . quantidade de energia. Esse ataque é
fissão nuclear — fusão nuclear considerado um símbolo do final da II
fusão nuclear — fissão nuclear Guerra Mundial.
reação em cadeia — fusão nuclear ocorre a partir da combinação de
reação em cadeia — fissão nuclear núcleos de urânio enriquecido com
reação em cadeia — reação em nêutrons, formando núcleos mais
cadeia pesados e liberando uma enorme
7. (Unicamp 2017) Era o dia 6 de quantidade de energia. Esse
agosto de 1945. O avião B-29, Enola bombardeio foi uma resposta aos
Gay, comandado pelo coronel Paul ataques do Japão a Pearl Harbor.
Tibbets, sobrevoou Hiroshima a 9.448 ocorre devido à desintegração do
metros de altitude e, quando os núcleo de urânio em núcleos mais
ponteiros do relógio indicaram 8h16, leves, a partir do bombardeamento com
bombardeou-a com uma bomba de nêutrons, liberando uma enorme
fissão nuclear de urânio, com 3 m de quantidade de energia. Esse ataque
causou perplexidade por ser desferido
comprimento e 71,1 centímetros de
contra um país que havia permanecido
diâmetro e 4,4 toneladas de peso. A neutro na II Guerra Mundial.
bomba foi detonada a 576 metros do
solo. Um colossal cogumelo de fumaça
envolveu a região. Corpos carbonizados
jaziam por toda parte. Atônitos,
sobreviventes vagavam pelos
escombros à procura de comida, água e
abrigo. Seus corpos estavam
APOSTILA 2018 Página 91
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

8. (Espcex (Aman) 2018) "À medida 99 β 99m γ 99 β


que ocorre a emissão de partículas do Mo 
 Tc  Tc   99 Ru
87,5% (estável)
núcleo de um elemento radioativo, ele
está se desintegrando. A velocidade de Os geradores de Tc  99m consistem em
desintegrações por unidade de tempo é recipientes com pequenas esferas de
denominada velocidade de alumina sobre as quais o Mo  99,
desintegração radioativa, que é
produzido em um reator nuclear, liga-se
proporcional ao número de núcleos
firmemente. O Tc  99m é utilizado na
radioativos. O tempo decorrido para que
composição de radiofármacos para
o número de núcleos radioativos se
diagnóstico, para a obtenção de
reduza à metade é denominado meia-
mapeamentos (cintilografia) de diversos
vida."
USBERCO, João e SALVADOR, Edgard. Química. 12ª ed.
órgãos. O paciente recebe uma dose de
Reform - São Paulo: Editora Saraiva, 2009. (Volume 2: Físico- um radiofármaco, sendo,
Química). posteriormente, examinado por um
equipamento capaz de detectar a
Utilizado em exames de tomografia, o radiação oriunda do paciente e
radioisótopo flúor-18 (18 F) possui meia- convertê-la em uma imagem que
vida de uma hora e trinta minutos (1h representa o órgão ou o sistema
30min). Considerando-se uma massa avaliado.
inicial de 20 g desse radioisótopo, o
tempo decorrido para que essa massa Adaptado de:
http://qnesc.sbq.org.br/online/cadernos/06/a08.pdf. Acesso
de radioisótopo flúor-18 fique reduzida a em: 10/07/2016.
1,25 g é de
Nesse processo, é CORRETO afirmar
Dados: log 16  1,20; log 2  0,30 que
21 horas. o molibdênio, o tecnécio e o
16 horas. rutênio são isótopos radioativos.
9 horas. as imagens são produzidas pela
6 horas. conversão da energia gerada por um
1 hora. radioisótopo emissor de radiação gama.
a alta meia-vida do molibdênio-99 é
9. (Upe-ssa 3 2017) Todos os isótopos uma das vantagens para a sua
conhecidos do tecnécio são radioativos utilização como radiofármaco para
e incluem oito pares de isômeros diagnósticos.
nucleares, entre eles 99m Tc 99 Tc, que o Tc  99m emite um tipo de onda
são nuclídeos diferenciáveis apenas eletromagnética que apresenta grande
pelo seu conteúdo energético. O penetrabilidade nos tecidos e alto poder
nuclídeo no estado mais energético de ionização, quando comparada às
(metaestável) libera energia radiações de partículas alfa (α) ou de
eletromagnética na transição para um négatrons (β).
estado isomérico de energia mais baixa. o tecnécio-99m apresenta excelentes
O Tc  99m apresenta meia-vida de 6 características para a utilização em
horas, sendo um produto do Medicina Nuclear Diagnóstica, pois
decaimento do molibdênio-99, que possui possui tempo de meia-vida físico
uma meia-vida de 66 horas. relativamente curto (6,02 h) e emite
radiação do tipo particulada.

APOSTILA 2018 Página 92


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

10. (Fatec 2017) Leia o texto. indústria petrolífera nos processos de


hidrodessulfuração e reforma catalítica.
Lise Meitner, nascida na Áustria Sabe-se que este radioisótopo possui
em 1878 e doutora em Física pela uma meia-vida de 5,3 anos.
Universidade de Viena, começou a Considerando os anos com o mesmo
trabalhar, em 1906, com um campo número de dias e uma amostra inicial
novo e recente da época: a de 100 g de cobalto-60, após um período
radioquímica. Meitner fez trabalhos de 21,2 anos, a massa restante desse
significativos sobre os elementos radioisótopo será de
radioativos (descobriu o protactínio, Pa, 6,25 g
elemento 91), porém sua maior 10,2 g
contribuição à ciência do século XX foi 15,4 g
a explicação do processo de fissão 18,6 g
nuclear. A fissão nuclear é de extrema 24,3 g
importância para o desenvolvimento de
usinas nucleares e bombas atômicas, 12. (Upf 2016) A charge apresentada a
pois libera grandes quantidades de seguir, além de rememorar os tristes
energia. Neste processo, um núcleo de acontecimentos ocorridos há trinta
U  235 (número atômico 92) é anos, após o acidente na usina
bombardeado por um nêutron, termonuclear de Chernobyl, na Ucrânia,
formando dois núcleos menores, sendo lembra que seus efeitos ainda estão
um deles o Ba  141 (número atômico 56) presentes. Na época, o teto do reator,
e três nêutrons. que pesava mil toneladas, foi destruído
Embora Meitner não tenha na explosão, e uma nuvem de radiação
recebido o prêmio Nobel, um de seus tomou a cidade. A vegetação, o solo e a
colaboradores disse: “Lise Meitner deve água foram contaminados, sendo
ser honrada como a principal mulher necessária a evacuação dos
cientista deste século”. moradores. A nuvem radioativa,
representada na charge, contendo
Fonte dos dados: KOTZ, J. e TREICHEL, P. Química e Reações césio-137 e o iodo-131 (além de outros),
Químicas. Rio de Janeiro. Editora LTC,1998. Adaptado.
FRANCO, Dalton. Química, Cotidiano e Transformações. São
estendeu-se por vários países da
Paulo. Editora FTD,2015. Adaptado. Europa e os impactos ambientais no
continente europeu continuam a causar
O número atômico do outro núcleo preocupação em escala mundial.
formado na fissão nuclear mencionada
no texto é
34
35
36
37
38

11. (Espcex (Aman) 2016) O


60
radioisótopo cobalto-60 ( 27 CO) é muito
utilizado na esterilização de alimentos,
no processo a frio. Seus derivados são
empregados na confecção de esmaltes,
materiais cerâmicos, catalisadores na
APOSTILA 2018 Página 93
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Entre os núcleos mencionados, o


césio-137 sofre decaimento, emitindo
partículas beta e radiação gama. A
equação que representa
adequadamente a emissão da partícula
beta, por esse núcleo é:
137 0 131
55 Cs  1β  54 Xe  γ
137 0 137
55 Cs  1β  54 Xe  γ
137 0 131
55 Cs  1β  52Te
137 0 137
55 Cs  1β  56Ba  γ
137 0 133 4
55 Cs  1β  54 Xe  2 α

GABARITO
Vamos Fixar
1 2 3 4 5 6 7 8 9

10 11 12

APOSTILA 2018 Página 94


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

BANCO DE QUESTÕES 3. (Puccamp 2017) Há alguns anos a


iluminação residencial era
1. (Uerj simulado 2018) O gráfico predominantemente feita por meio de
abaixo indica o comportamento da lâmpadas incandescentes. Atualmente,
corrente elétrica em função do tempo dando-se atenção à política de
em um condutor. preservação de bens naturais, estas
lâmpadas estão sendo trocadas por
outros tipos de lâmpadas muito mais
econômicas, como as fluorescentes
compactas e de LED.

Numa residência usavam-se 10


lâmpadas incandescentes de 100 W que
ficavam ligadas em média 5 horas por
A carga elétrica, em coulombs, que
dia. Estas lâmpadas foram substituídas
passa por uma seção transversal desse
por 10 lâmpadas fluorescentes
condutor em 15 s é igual a:
compactas que consomem 20 W cada
a) 450
uma e também ficam ligadas em média
b) 600
5 horas por dia.
c) 750
Adotando o valor R$ 0,40 para o preço do
d) 900
quilowatt-hora, a economia que esta
2. (Espcex (Aman) 2018) O desenho troca proporciona em um mês de trinta
abaixo representa um circuito elétrico dias é de
composto por gerador, receptor, a) R$ 18,00.
condutores, um voltímetro (V), todos b) R$ 48,00.
ideais, e resistores ôhmicos. c) R$ 60,00.
d) R$ 120,00.
e) R$ 248,00.

4. (Puccamp 2017) Um 1chef de cuisine


precisa transformar 10 g de gelo a 0 C
em água a 40 C em 10 minutos. Para
isto utiliza uma resistência elétrica
percorrida por uma corrente elétrica que
fornecerá calor para o gelo. Supondo-se
que todo calor fornecido pela
O valor da diferença de potencial (ddp), resistência seja absorvido pelo gelo e
entre os pontos F e G do circuito, desprezando-se perdas de calor para o
medida pelo voltímetro, é igual a meio ambiente e para o frasco que
a) 1,0 V contém o gelo, a potência desta
resistência deve ser, em watts, no
b) 3,0 V
mínimo, igual a:
c) 4,0 V
d) 5,0 V Dados da água:
e) 8,0 V Calor específico no estado sólido:

APOSTILA 2018 Página 95


Apostila AB – Física1 2018 3º ano
0,50 cal g C Sobre estas grandezas, podemos
Calor específico no estado líquido: afirmar que
1,0 cal g C a) o volt expressa a quantidade de
Calor latente de fusão do gelo: 80 cal g energia por unidade de tempo.
Adote 1cal  4 J b) em amperes, mede-se a quantidade
de energia por unidade de tempo.
1
chefe de cozinha c) em ohms, mede-se a quantidade de
a) 4. amperes por unidade de tensão
b) 8. elétrica.
c) 10. d) o volt expressa a quantidade de
d) 80. joules por unidade de carga elétrica.
e) 120. e) o ampere expressa a quantidade de
volts por unidade de tempo.
5. (Uece 2017) Uma corrente elétrica
percorre um chuveiro elétrico construído 7. (Enem 2017) Em algumas
com um resistor ôhmico. A corrente residências, cercas eletrificadas são
elétrica pode ser medida em unidades utilizadas com o objetivo de afastar
de possíveis invasores. Uma cerca
a) ampères/segundo. eletrificada funciona com uma diferença
b) volts/segundo. de potencial elétrico de
c) coulombs/segundo. aproximadamente 10.000 V. Para que não
d) ohms/segundo. seja letal, a corrente que pode ser
transmitida através de uma pessoa não
6. (G1 - ifpe 2017) Em Pernambuco, a deve ser maior do que 0,01 A. Já a
energia elétrica residencial é distribuída resistência elétrica corporal entre as
pela Companhia Energética de mãos e os pés de uma pessoa é da
Pernambuco (CELPE), criada em 10 ordem de 1.000 .
de fevereiro de 1965, privatizada no ano
2000 e hoje controlada pelo grupo Para que a corrente não seja letal a
Neoenergia. Ela atende a cerca de 3,2 uma pessoa que toca a cerca
milhões de habitantes, em 184 eletrificada, o gerador de tensão deve
municípios pernambucanos, através de possuir uma resistência interna que, em
redes de distribuição elétrica, como relação à do corpo humano, é
mostrado na figura abaixo. As principais a) praticamente nula.
grandezas físicas envolvidas em um b) aproximadamente igual.
circuito elétrico são a Tensão Elétrica c) milhares de vezes maior.
(medida em volt), a Corrente Elétrica d) da ordem de 10 vezes maior.
(medida em ampere) e a Resistência e) da ordem de 10 vezes menor.
Elétrica (medida em ohm).
8. (Uece 2017) Uma pilha (1,5 V) e um
resistor (1,5 ) são conectados um ao
outro por apenas um de seus terminais
durante o experimento I. Em outro
experimento, o experimento II, os dois
terminais da bateria são conectados
aos terminais do resistor.

APOSTILA 2018 Página 96


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

A diferença de potencial elétrico e a resistência R, em Ω, para que o


corrente no resistor são, aparelho não seja danificado?
respectivamente, a) 4
a) 0,0 V e 0,0 A no experimento I e 1,5 V e b) 5
1,5 A no experimento II. c) 6
b) 1,5 V e 1,0 A no experimento I e 0,0 V e d) 7
0,0 A no experimento II.
11. (Uece 2017) A lei da Física que
c) 1,5 V e 0,0 A no experimento I e 1,5 V e
estabelece uma relação linear entre
1,0 A no experimento II.
corrente elétrica e diferença de
d) 0,0 V e 0,0 A no experimento I e 1,5 V e potencial é a Lei
1,0 A no experimento II. a) da inércia.
b) de Ohm.
9. (Pucrj 2017) Quatro resistores c) de Coulomb.
idênticos, de resistência R, estão d) de Ampere.
ligados a uma bateria de 12 V. Pela
bateria, flui uma corrente I  12 mA. A 12. (Uece 2017) Considere duas pilhas
resistência R de cada resistor, em k, é de 1,5 V ligadas em paralelo (com os
polos iguais entre si) e conectadas a um
resistor ôhmico de 15 . A corrente
elétrica que passa pelo resistor, em
Ampères, é
a) 1,0.
b) 0,1.
c) 2,0.
d) 0,2.
a) 4
b) 1
13. (Enem 2017) Dispositivos
c) 34
eletrônicos que utilizam materiais de
d) 53 baixo custo, como polímeros
e) 14 semicondutores, têm sido
desenvolvidos para monitorar a
10. (Eear 2017) Um aparelho continha concentração de amônia (gás tóxico e
as seguintes especificações de incolor) em granjas avícolas. A
trabalho: Entrada 9 V  500 mA. A única polianilina é um polímero semicondutor
fonte para ligar o aparelho era de 12 V. que tem o valor de sua resistência
Um cidadão fez a seguinte ligação para elétrica nominal quadruplicado quando
não danificar o aparelho ligado à fonte: exposta a altas concentrações de
amônia. Na ausência de amônia, a
polianilina se comporta como um
resistor ôhmico e a sua resposta
elétrica é mostrada no gráfico.

Considerando a corrente do circuito


igual a 500 mA, qual deve ser o valor da
APOSTILA 2018 Página 97
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

nessas informações e nos


conhecimentos de eletricidade, que
a) o gerador elétrico transforma energia
elétrica em outras formas de energia.
b) a diferença de potencial elétrico entre
os terminais do gerador é igual a
110,0 V.
c) a intensidade da corrente elétrica que
circula através do gerador é igual a
8,0 A.
d) a potência dissipada em outras
formas de energia no interior do
O valor da resistência elétrica da gerador é igual a 512,0 W.
polianilina na presença de altas e) a potência elétrica que o gerador
concentrações de amônia, em ohm, é lança no circuito externo para
igual a alimentar as instalações é igual a
a) 0,5  100. 800,0 W.

b) 0,2  100.
c) 2,5  105. 16. (Espcex (Aman) 2017) O desenho
d) 5,0  105. abaixo representa um circuito elétrico
e) 2,0  106. composto por resistores ôhmicos, um
gerador ideal e um receptor ideal.
14. (Uece 2017) Considere um fio
condutor, fabricado com uma liga
metálica que confere uma determinada
resistência elétrica proporcional ao
comprimento do fio e com pouca
variação em função da temperatura
(1 C). A configuração que produz a
mesma resistência equivalente a uma
peça de 2 m de fio é
a) 2 peças de 4 m ligadas em paralelo. A potência elétrica dissipada no resistor
b) 2 peças de 4 m ligadas em série. de 4  do circuito é:
c) 4 peças de 2 m ligadas em paralelo. a) 0,16 W
d) 4 peças de 2 m ligadas em série. b) 0,20 W
c) 0,40 W
15. (Ebmsp 2017) Unidades d) 0,72 W
hospitalares utilizam geradores elétricos e) 0,80 W
para se prevenir de interrupções no
fornecimento de energia elétrica. 17. (G1 - col. naval 2017) Em uma aula
prática, um grupo de alunos recebeu
Considerando-se um gerador elétrico de como tarefa a montagem de um
força eletromotriz 120,0 V e resistência dispositivo elétrico que fosse capaz de
interna 4,0  que gera potência elétrica produzir a maior potência possível
de 1.200,0 W, quando ligado a um circuito quando ligado a uma fonte de 125 V.
externo, é correto afirmar, com base Para isso, receberam 4 resistores
APOSTILA 2018 Página 98
Apostila AB – Física1 2018 3º ano

iguais, conforme mostrado na figura a


seguir. Qual é o máximo valor da tensão U
para que o fusível não queime?
a) 20 V
b) 40 V
c) 60 V
d) 120 V
Sendo assim, para cumprir essa e) 185 V
atividade de forma correta, o grupo
associou GABARITO
a) quatro resistores em série e obteve Vamos Fixar
um dispositivo de 625 W. 1 2 3 4 5 6 7 8 9
b) quatro resistores em paralelo e
obteve um dispositivo de 625 W.
c) três resistores em paralelo e obteve 10 11 12 13 14 15 16 17 18
um dispositivo de 680 W.
d) dois resistores em paralelo e obteve
um dispositivo de 470 W.
e) dois resistores em série e obteve um
dispositivo de 470 W.

18. (Enem 2017) Fusível é um


dispositivo de proteção contra
sobrecorrente em circuitos. Quando a
corrente que passa por esse
componente elétrico é maior que sua
máxima corrente nominal, o fusível
queima. Dessa forma, evita que a
corrente elevada danifique os aparelhos
do circuito. Suponha que o circuito
elétrico mostrado seja alimentado por
uma fonte de tensão U e que o fusível
suporte uma corrente nominal de 500 mA.

APOSTILA 2018 Página 99


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

Usando a relação massa-energia:


Radiação
E 2,88  1010
Gabarito: ET  m0 c 2  m0  T   m0  3,2  107 kg.
c2 9  1016
Resposta da questão 1:
[E]
Resposta da questão 4:
12
A cada meia-vida t passada o isótopo decai pela metade, [A]
conforme esquema:
- No decaimento alfa  α  o nuclídeo perde 2 prótons e 2
4
2
1 t1 2 2 t1 2 3 t1 2 4 t1 2
10 ppb  5 ppb 
 2,5 ppb 
1,25 ppb 

nêutrons. Assim:
0,625 ppb
226  4
226
89 Ac  24α  X  222
Fr
89  2 87

Logo, se passaram 4 t1 2
- No decaimento beta  β o nuclídeo perde 1 elétron,
0
1
Então, o tempo total do organismo estimado é de: aumentando o número de prótons e reduzindo o número
de nêutrons em 1 unidade, não alterando o número de
Δt  4  5730 anos  Δt  22920 anos massa. Assim:
226 0
226
89 Ac  0
-1β  89 (-1)
X  226
90
Th
Resposta da questão 2:
[A]
Resposta da questão 5:
1ª reação: [C]
Temos o decaimento beta, que transforma um nêutron
instável do núcleo em próton, liberando um antineutrino e Seja ZA X um elemento ou partícula, em que:

uma partícula β (beta-menos), aumentando assim o Z é o número atômico (para um elemento) ou a carga (para
número atômico, mas o número de massa se mantém uma partícula) e
constante. A é o numero de massa (prótons + nêutrons).

2ª reação: Identificando as partículas presentes na questão:


A redução do número de massa em 4 unidades caracteriza a β : elétron  01β;
emissão α (alfa) que representa a perda de massa
equivalente ao núcleo do Hélio, diminuindo em 2 unidades o β : pósitron 01β;
número atômico do elemento inicial. γ :radiação (fóton)  00 γ;
υ :neutrino  00 υ;
3ª reação:
Chama-se decaimento β  (beta-mais), em que um próton se υ :antineutrino 00 υ;
transforma em um nêutron e liberando um neutrino e a
Completando as lacunas pontilhadas:
partícula β  (também chamada de pósitron), que possui a
I. 222 218
88 Ra  86 Rn  ..... 
222
88 Ra  218 A
86 Rn  Z X
mesma massa de um elétron, porém com carga positiva. Com
isso, o número de massa do átomo se mantém, mas o
222  218  A  A  4
número atômico diminui de uma unidade.   24 X  24α.
88  86  Z  Z  2
Resposta da questão 3:
[C] II. 143 143
61Pm  61Pm  ..... 
143 143 A
61Pm  61Pm  Z X 

A energia útil consumida pela residência em 1 ano (12 meses) 143  143  A  A  0
é:   00 X  γ.
61  61  Z  Z  0
   
EU  200 kW  h  12  2 400 kW  h  2 400  10 W  3,6  10 s  8,64  10 9 W  s 
3 3

EU  8,64  109 J.

III. 146 C  β  υ  .....  146 C  10β  00 υ  ZA X 

Considerando o rendimento de 30%, a energia total 14  0  0  A  A  14


produzida pela fissão é:   14 14
7 X  7 Na.
6  1  0  Z  Z  7
E E 8,64  109
η  U  ET  U   ET  2,88  1010 J.
ET η 0,3

APOSTILA 2018 Página 100


Apostila AB – Física1 2018 3º ano

IV. ZA X  23 A 23 0 0
11Na  β  υ  Z X  11Na  1 β  0 υ 
0
99m γ
0  99 Tc
Tc 
 A  23  0  0  A  23 23 23
  12 X  12 Mg.
Z  11  1  0  Z  12 O equipamento detecta essa radiação gama (radioisótopo
emissor) emitida pelo paciente e converte em imagem.

Resposta da questão 6: Resposta da questão 10:


[B] [C]

235 1 141 A 1
A primeira reação mostra dois átomos de Hélio fundindo-se e 92U  0 n  56Ba  Z X  3 0 n
formando um átomo de Hidrogênio, portanto trata-se de
fusão nuclear. Assim, teremos:
235  1  141  A  3
A segunda reação mostra um nêutron quebrando um átomo
A  92
de Urânio em Criptônio e Bário, portanto, trata-se de fissão
nuclear. 92  0  56  Z  0
Z  36
Resposta da questão 7:
[B] Resposta da questão 11:
[A]
[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
O ataque norte-americano às cidades japonesas de 21,2
 4 meias  vidas
Hiroshima e Nagasaki marcou o episódio final da Segunda 5,3
Guerra Mundial, selando a vitória dos aliados sobre o eixo e 5,3 anos 5,3 anos 5,3 anos 5,3 anos
100 g 
 50g 
 25 g 
 12,5 g 
 6,25 g
massacrando o Japão.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Física] Resposta da questão 12:


Na bomba atômica, o nêutron, ao atingir um núcleo de [D]
urânio, provoca sua quebra em dois núcleos menores e a
137
liberação de mais nêutrons, que por sua vez, irão atingir 55 Cs  01β  ZA X  γ
outros núcleos e provocar novas quebras, gerando uma 137  0  A
reação em cadeia. O processo é conhecido como fissão
A  137
nuclear e libera enorme quantidade de energia.
55  1  Z
Resposta da questão 8: Z  56
[D] 137
 01β  137
55 Cs 56 Ba  γ

t1 t1 t1 t1
20 g 
2  10 g 
2  5 g 
2  2,5 g 
2  1,25 g

t  4 t1 Gabarito:
2
t  4 1,5 h  6 h
Resposta da questão 1:
[A]
ou
A carga elétrica em módulo que atravessa uma seção
transversal do condutor é representada pela área sob a reta,
minicial isto é, a área entre o gráfico e o eixo do tempo no intervalo
m
2n citado.
20 g
1,25 g 
2n
2n  16
2n  24
n4
t  4n
t  4  1,5 h
t6h

Resposta da questão 9:
[B]
APOSTILA 2018 Página 101
Apostila AB – Física1 2018 3º ano
15  60
Q  área  Q   Q  450 C A expressão da corrente elétrica é:
2
| Q |  coulomb 
i  
Resposta da questão 2: Δt  segundo 
[D]
Resposta da questão 6:
Redesenhando o circuito, temos:
[D]

[A] Falsa. O volt expressa a quantidade de energia por


unidade de carga.
[B] Falsa. Em ampères mede-se a quantidade de carga por
unidade de tempo.
[C] Falsa. O ohm mede a tensão elétrica por unidade de
corrente elétrica.
[D] Correta.
[E] Falsa. Como já especificado, ampère mede a quantidade
de carga por unidade de tempo.

Resposta da questão 7:
Obtemos assim as equações: [C]
 V  8  2i1
 Sendo r o valor da resistência interna do gerador, pela 1ª Lei
 V  4  4i2 de Ohm, temos que:
 V  r  R  i
 V  4  i1  i2 
10000  r  1000  0,01
Resolvendo o sistema, chegamos a:
r  999000 Ω  106 Ω
3 1
i1  A, i2   A e V  5 V
2 4
Em relação à do corpo humano:
r 106
Resposta da questão 3:   103
[B] R 103

Antes da troca Ou seja, o valor da resistência deve ser cerca de 1000 vezes
P  10  100  P  1.000 W maior.
E  P  Δt  E  1.000  5  30  E  150.000 Wh  E  150 kWh
Resposta da questão 8:
[D]
Depois da troca
P  10  20  P  200 W - Na experimento I, o circuito não é fechado. Então a
E  P  Δt  E  200  5  30  E  30.000 Wh  E  30 kWh corrente é nula e a ddp no resistor também é nula.

U1  0; i1  0.

Logo a economia foi de 120 kWh


- No experimento II, considerando a pilha ideal, a ddp no
1kWh  R$ 0,40
resistor é a própria força eletromotriz da bateria.
120 kWh  x
U2  1,5 V.
x  0,4  120  x  48 reais

A corrente no circuito é:
Resposta da questão 4:
U 1,5
[B] i2  2   i 2  1 A.
R 1,5
Q1  m  L  Q1  10  80  Q1  800 cal
Q2  m  c  ΔΘ  Q2  10  1 (40  0)  Q2  400 cal Resposta da questão 9:
[A]
Qt  Q1  Q2  Qt  1.200 cal  Qt  4.800 J
Q 4.800 Usando a Primeira Lei de Ohm no circuito, com os dados,
P P P8J sP8W
Δt 10  60 obtemos o valor do resistor equivalente do circuito.
U 12 V
U  Req  i  Req   Req   Req  1kΩ
Resposta da questão 5: i 12 mA
[C]

APOSTILA 2018 Página 102


Apostila AB – Física1 2018 3º ano
Observando o circuito, todos os resistores estão associados ρ 2ρ
em paralelo, ou seja, a resistência equivalente foi dividida por R  R0 
A A
quatro, então cada resistor será de:
R Para 2 peças de 4 m ligadas em paralelo, a resistência
Req   R  4  Req  R  4 kΩ
4 equivalente será:
4ρ 4ρ
Resposta da questão 10: 

Req  A A   R0
[C] 4ρ 4ρ A

A A
V  R i
V 3 3 Portanto, esta é a configuração adequada.
R R  R  R 6
3
i 500  10 0,5
Resposta da questão 15:
Como a fonte foi feita pra funcionar com 12 V e não com [E]
9 V, precisamos colocar uma resistência em série com o
Pt  εi
aparelho, já que nesse circuito em série a d.d.p. total é
1200  120i
definida como Vt  V1  V2, onde V1  3 V e V2  9 V.
Ou seja, precisamos colocar uma resistência por onde passe i  10 A
500 mA e que tenha uma diferença de potencial de 3 V .
Dessa forma a fonte irá funcionar com 9 V e 500 mA. Pd  r  i2
Pd  4  102
Resposta da questão 11:
Pd  400 W
[B]

A 1ª Lei de Ohm é a única que apresenta uma relação linear Pu  Pt  Pd


entre corrente elétrica (I) e diferença de potencial elétrico Pu  1200  400
(U) : Pu  800 W
U  R I
Resposta da questão 16:
Resposta da questão 12: [A]
[B]
Para se obter a potência elétrica dissipada no resistor de
Considerando que as pilhas sejam ideais, estando elas em 4  é necessário calcular a corrente elétrica do circuito:
paralelo, a ddp no resistor é:
U  1,5 V.

Aplicando a 1ª lei de Ohm:


U 1,5
i   i  0,1 A.
R 15

Resposta da questão 13:


[E]

Escolhendo o ponto (1, 2) do gráfico, temos: Aplicando-se a segunda Lei de Kirchhoff (Lei das Tensões ou
U 1 Lei das Malhas) no sentido da corrente (definida
r   r  0,5  106 Ω hipoteticamente) tem-se que:
i 2  10 6
083I4I6 3I  0
Como a resistência quadruplica nas condições dadas, 10 I  2
obtemos: I  0,2 A
6
R  4r  4  0,5  10
A potência dissipada no resistor de 4  é dada por:
 R  2  106 Ω
Pd  RI2  4  0,22
Resposta da questão 14:
Pd  0,16 W
[A]

Pela 2ª Lei de Ohm, temos: Resposta da questão 17:


[B]

APOSTILA 2018 Página 103


Apostila AB – Física1 2018 3º ano
U  R AC  i  80  1,5
A potência elétrica em função da tensão e da resistência é  U  120 V
dada pela equação:
U2
P
R

Nota-se que por manter uma relação inversamente


proporcional entre si, quanto menor for a resistência
equivalente do circuito, maior será a potência.

De acordo com a associação de resistores, a disposição que


possui menor resistência é a associação em paralelo.

O valor da resistência em paralelo para resistores iguais é:


100 Ω
R  R  25 Ω
4

Logo, a potência será:


125 V 2
P  P  625 W
25 Ω

Resposta da questão 18:


[D]

Redesenhando o circuito, temos:

Como pelo fusível deve passar uma corrente de 0,5 A, a


corrente i' que deve passar pelo resistor de 60 Ω em
paralelo com ele deve ser de:
120  0,5  60  i'  i'  1 A

Sendo assim, por BC deve passar uma corrente de:


i  iF  i'  0,5  1  i  1,5 A

Resistência equivalente no ramo AC :


120  60
R AC   40  R AC  80 Ω
120  60

Como os ramos estão em paralelo, podemos calcular U


como:

APOSTILA 2018 Página 104

Você também pode gostar