Você está na página 1de 19

Teologia Pastoral

INTRODUÇÃO

Prof. Denilson Matos


04/2019
Pastor (a)?

Artista
Servo
Filósofo

Empresário Psicólogo Advogado


Pastor (a)?

 Há uma profunda confusão em relação ao Ministério Pastoral.


 Qual a natureza do ministério pastoral? Onde nasce a autoridade
espiritual do pastor? O que a Bíblia diz sobre a vida e a obra do
pastor? Quais são as lutas enfrentadas pelo pastor e sua família?
Quais as respostas bíblicas para esses problemas? Como o pastor
enfrenta a depressão? Como vencer o estresse no ministério? Quais
os campos de atuação pastoral? Como o pastor deve agir e interagir
com as ovelhas? Como o pastor deve comportar-se numa visita?
Como deve aconselhar suas ovelhas? Essas e outras questões
buscaremos responder neste curso com profundo embasamento
bíblico e rica experiência pastoral.
Pastor (a)?

 O que norteia nossa compreensão do assunto é a Bíblia, pois ela


norteia todo o ofício e o papel do pastor.
 As escrituras dizem que todos podem ser pastores?
 Sim, desde que se enquadre nos pré-requisitos, um em especial:
 A vocação: “Ninguém toma esta honra para si mesmo, mas deve ser
chamado por Deus, como de fato o foi Arão” (Hb 5:4).
Pastor (a)?

 Assim dois modelos se estabelecem ontem e hoje:

Vocação VS Autodenominação

Voltado para Deus e seu Reino Voltado para Si e seus interesses


Pastor (a)?

 Profissão de Teólogo ou Vocação Pastoral?

TEÓLOGO PASTOR

Viés acadêmico Viés Devocional


Pastor (a)?

 Teólogo:

 I - ministrar o ensino da Teologia, desde que cumpridas as exigências legais;


 II - elaborar, supervisionar, orientar, coordenar, planejar, programar, implantar,
controlar, dirigir, executar, analisar ou avaliar estudos, trabalhos, pesquisas,
planos, programas e projetos atinentes à realidade científica da religião;
 III - assessorar e prestar consultoria a pessoas físicas e jurídicas, públicas ou
privadas, relativamente à realidade científica da religião;
 IV - participar dos trabalhos de elaboração, supervisão, orientação, coordenação,
planejamento, programação, implantação, direção, controle, execução, análise ou
avaliação de estudo, trabalho, pesquisa, plano, programa ou projeto global,
regional ou setorial, atinente à realidade científica da religião.
Pastor (a)?

 Pastor:
 Realiza liturgias, celebrações, cultos e ritos; dirige e administra
comunidades; forma pessoas segundo preceitos religiosos das
diferentes tradições; orienta pessoas; realiza ação social na
comunidade; pesquisa a doutrina religiosa; transmite
ensinamentos religiosos, pratica vida contemplativa e
meditativa e preserva a tradição.
Pastor (a)?

 Para fundamentar a reflexão sobre estes termos, é relevante uma


breve palavra a respeito da palavra “profissão”. Ela está relacionada
com “confissão”, que, por sua vez, pode ser compreendida como
convicções a serem professadas. Daí, por exemplo, ser utilizado o
termo da seguinte forma: “profissão de fé”, que envolve declaração
explícita de votos religiosos de uma pessoa. Na compreensão de
Fabri, o termo “profissão” também pode ser empregado para se
referir ao conceito “profeta”. A partir da identificação do termo,
fundamentado nessas duas interpretações, pode-se dizer que elas
são compatíveis com a teologia e, portanto, nada impede que se
identifique como “profissão” a atividade do teólogo e do pastor.
Pastor (a)?

 “Profissão” também pode significar “ser conhecido por”. Essa


forma é a mais usual na sociedade e serve para identificar as
pessoas pelas habilidades e serviços que exercem. Esse sentido
associa o conceito diretamente ao trabalho e à luta pela
sobrevivência por meio dele. Nesse sentido é que surge certo
conflito quando se pergunta em que medida o teólogo pode, ou
não, usufruir do seu trabalho para sua sobrevivência.
Pastor (a)?

 E quando o assunto é o pastorado?


 Uma vez que, para alguns, parece ser surreal imaginar um
clérigo que tenha carteira profissional assinada, filiado a uma
“Central Única dos Teólogos”, reivindicando melhores
condições de trabalho. Não se pode esquecer que o pastor ou
clérigo é pessoa inserida no mundo, confrontado com seus
problemas, com seu próprio choro e agonias pessoais. No caso
de possuir família, ele está em busca da sua própria
sobrevivência e, dos que lhe foram confiados e essas
preocupações influenciam no exercício do seu ministério.
Pastor (a)?

 O entendimento da palavra “vocação”, nesses casos, tem a ver com


um conjunto de habilidades, competências e personalidade que
resultam num bom profissional para a empresa.
 Tais habilidades, competências e personalidade não estão
desvinculadas da vocação pastoral, contudo, temos que diferenciar a
vocação profissional da vocação pastoral:
 “Cremos que ela se fundamenta na escolha feita por Cristo e na atuação
interior do Espírito Santo na vida do aspirante ao exercício do ministério da
Palavra. Ribeiro assinala que o chamado interno, o chamado do Espírito, é
uma impressão sobre a mente humana, que se sente proceder de Deus, por
meio de circunstâncias da vida, das emoções da alma, da convicção da
consciência, dizendo ao homem que ele deve abraçar a obra do ministério
como tarefa de sua vida”
Pastor (a)?

 Eis aqui o cerne da distinção entre o “teólogo” e o “pastor”. O


primeiro é um pesquisador de temas teológicos e religiosos, que
pode ter pouco ou nenhum envolvimento com o campo pastoral
ou compromisso com qualquer religião. O segundo é possuidor
do “cheiro” da ovelha. Por causa disso, podemos afirmar que a
muitos dos formados em teologia, professores dos cursos de
teologia e seminários confessionais e dos programas de pós-
graduação não cabe a identificação como “pastores”, a não ser
que estejam efetivamente em atuação no campo pastoral. Do
contrário, são “teólogos” e não “pastores”.
Pastor (a)?

 Existem cursos de teologia que contemplam tanto a formação


pastoral como a formação em teologia.

Educação
Teológica

Ensino Educação
religioso Cristã
Pastor (a)?

 Existem cursos de teologia que contemplam tanto a formação


pastoral como a formação em teologia.

Se a preocupação for um perfil voltado para o ensino


religioso, a instituição necessariamente deverá
Ensino contemplar em sua matriz curricular disciplinas que
religioso tratem de temas das mais diversificadas religiões. Além
disso, a instituição deve precaver-se de fazer
proselitismo.
Pastor (a)?

 Existem cursos de teologia que contemplam tanto a formação


pastoral como a formação em teologia.

Se o foco for o de prover educação teológica, a


instituição não se limitará a formar ministros,
missionários e líderes de sua comunidade. Ela terá de
discutir teologia e fenômenos do campo religioso. Sua
Educação
ênfase estará no estudo dos conteúdos teológicos,
Teológica preocupando-se com a integração das mais diversas
áreas do conhecimento no estudo da Bíblia, que não
precisará ser necessariamente estudada como texto
sagrado, mas sim como texto religioso.
Pastor (a)?

 Existem cursos de teologia que contemplam tanto a formação


pastoral como a formação em teologia.

Se a tônica for propiciar educação cristã, a instituição


terá de oferecer em sua matriz curricular disciplinas
compatíveis com a cosmovisão cristã, o que significa ler
Educação as áreas do conhecimento humano pelo referencial
Cristã teórico (isto é, pela lente) das Escrituras Sagradas, a fim
de que, na prática, não se vise apenas a beneficiar o
aluno, mas que este encontre a verdade, tenha
comunhão com o Criador e o ame.
Pastor (a)?

 A instituição teológica cujo foco é a formação pastoral


certamente ressaltará as disciplinas relacionadas com o
cotidiano dinâmico da igreja. Tais instituições prezam por uma
teologia com ênfase na área pastoral.58 Assim, nessa instituição
serão contempladas disciplinas como aconselhamento cristão,
administração eclesiástica, educação cristã, liturgia, dentre
outros conteúdos. São cursos centrados na formação pastoral,
geralmente relacionada a suas confessionalidades internas, e
objetivam o preparo de seus pastores, missionários e liderança
em geral.
Pastor (a)?

 Essa abordagem não excluí a aproximação entre o Teólogo e o


Pastor, ambos devem ter uma boa formação acadêmica.
Contudo, devemos tem em mente que o pastor não vai ao curso
teológico para ser pastor, mas vai porque possui a vocação ao
pastorado, que advém de Deus. Ou seja,

 “pastores são feitos por Deus para serem pastores. Não é


questão de nossa escolha. Os pastores não escolhem ser
pastores [...]. Deus escolhe pessoas para serem pastores e as
torna pastores, de acordo com seu plano” (A arte de pastorear)