Você está na página 1de 2

SEMANA 10

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO


TRIBUNAL FEDERAL

PARTIDO POLÍTICO BETA, com representação no Congresso Nacional, CNPJ, com sede no
endereço, e-mail ________, neste ato representado por seu presidente, nacionalidade, estado civil,
profissão, da identidade n°, inscrito no CPF sob n°, com endereço eletrônico, residente e
domiciliado na, vem por seu advogado, OAB, com endereço profissional, e-mail, conforme art. 77,
V do CPC, 2015 vem propor a presente:

ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL

pelo rito especial, diante da violação constitucional contida no art. 11 e 12 da Lei Orgânica do
Município Alfa, pelos fatos e fundamentos que passo a expor:

I- DOS FATOS

O P refeito do Município Alfa, preocupado com a adequada conduta no seu


mandato, procura o presidente nacional do seu partido po lítico Beta , o qual possui
representação no Congresso Nacional, e informa que a Lei Orgânica d o Município
Alfa, publicada em 30 de maio de 1985, estabelece, no seu art. 11, diversas condutas
como crime de responsabilidade do Prefeito, entre elas o não atendimento, ainda que
justificado, a p edido de informações da Câmara Municipal, inclusive com previsão de
afastamento imediato d o Prefeito a pa rtir da abertura do processo p olítico. Informou,
também, que a mesma Lei Orgânica, em seu art. 12, contém previsão que define a
competência de processamento e julgamento do Prefeito pelo cometimento de crimes
comuns perante Justiça Estadual de primeira inst ância. Por fim, informou que, em razão de disputa
política local, houve recente representação of erecida po r Vereadores
da oposição com o objetivo de instaurar processo de apuração de crime de
responsabilidade com fu ndamento no referido art. 11 da Le i Orgânica, a qual poderá
ser analisada a qualquer momento. Assim, d iante da gritante inconstitucionalidade dos
artigos 11 e 12 é que se ajuíza a presente ação.
II- DOS FUNDAMENTOS
A arguição prevista no § 1º do art. 102 da Constituição Federal será proposta
perante o Supremo Tribunal Federal, e terá por objeto evitar ou reparar lesão a
preceito fundamental, resultante de ato do Poder Público.
É sabido que o texto da constituição federal garante a independência e
harmonia entre os Poderes , principio este não respeitado pelo legislativo do município
Alfa. Não sendo admitido, ainda, a violação d o art. 22, I, da CRFB/88, que co nfirma a
competência privativa por parte da União para legislar sobre direito civil, comercial,
penal p rocessual, eleitoral, agrário marítimo, aeronáutico, espacial e d o trabalho
tendo em vista que a matéria discutida, ser de direito penal, ocorrendo ent ão violação
de princípio federativo.
O Art. 29, inciso X, CRFB/88, d ispõe sobre os municípios e sobre as respectivas
leis orgânicas, a s quais devem observar os preceitos constitucionais, espe cialmente
garantindo aos Prefeitos a p rerrogativa d e f oro perante o T ribunal de Justiça em
crimes comuns. Conforme disposto n a Súmula Vinculante 46, a def inição dos crimes
de responsabilidade e das respectivas normas d e processo e julgame nto é de
competência legislativa privativa da União. No caso concreto, a decisão reclamada
reconheceu que o diploma normativo adotado para o julgamento da parte reclamante
foi o Regimento Interno da Câmara Municipal. A Câmara Municipal prestou
informações no mesmo sentido. O parâmetro normativo utilizado, portanto, é
incontroverso.. A violação à Súmula vinculante, portanto , é clara.
III- DA TUTELA DE URGÊNCIA
Presentes os requisitos que autorizam a tutela de u rgência. O fumus boni iuris, pela
gritante inconstitucionalidade dos artigos 11 e 12 da Lei Orgânica do município Alfa e
o periculum in mora está caracterizado pela instauração de processo de apuração de
crime de responsabilidade, fundamentado no art. 11 da Lei Orgânica e que está
prestes a ser julgado em desfavor do Prefeito.
IV- DO PEDIDO
Diante do exposto requer:
1- A concessão da tutela de urgência pa ra suspender a tramitação da
representação por crime de responsabilidade oferecida contra o Prefeito d o
Município Alfa;
2- A modificação das autoridades para o p razo de 10 dias apresente informações;
3- A intimação do Advogado Geral da União;
4- A intimação do Procurador Geral da República;
5- Seja julgado procedente para declarar a incompatibilidade da Lei Orgânica d o
município Alfa, dos seus artigos 11 e 12 com a constituição federal.
V- DAS PROVAS
A presente a ção está instruída com os documentos necessá rios para comprovação
das inconstitucionalidades elencadas.
Nestes termos
Pede deferimento
Ad vogado/OAB