Você está na página 1de 100

Grupo Único PDF PaD

Grupo Único PDF PaD


Ano 23
Edição 273

22

Hugo Santarém
Junho/2019

Foto de capa:
Shutterstock

6 Grande Angular
Notícias e novidades
30
14 Revele-se
Fotos dos leitores em destaque

18 Câmeras Clássicas
Douglas Pinheiro

Contax, uma câmera quase perfeita

Grupo Único PDF PaD


22 Retrato

54
A luz de cinema de Hugo Santarém

30 NU E SENSUAL
Cinco projetos para você se inspirar

54 Natureza
Uma aventura na Antártica

64 Cristiano Mascaro
André Dib

Os 50 anos de carreira do fotógrafo

74
Ueslei Marcelino/Reuters

70 Fotografia solidária
Conheça o projeto Galera do Click

74 Fotojornalismo
O Pulitzer de Ueslei Marcelino

84 Fotógrafo da rainha
A trajetória do britânico Tim Rooke

Fotografe Melhor no 273 3


Fundador
Aydano Roriz
Diretores
Luiz Siqueira
Tânia Roriz

Diretor Executivo: Luiz Siqueira

CARTA AO LEITOR
Diretor Editorial e Jornalista Responsável:
Roberto Araújo – MTb.10.766 – araujo@europanet.com.br

C
REDAÇÃO
Diretor de Redação: Sérgio Branco (branco@europanet.com.br)
ontar histórias sempre parece algo ligado à produção de
Editora de arte e capa: Izabel Donaire
Colaboradores especiais: Diego Meneghetti e Livia Capeli
WH[WRVVHMDPHOHVMRUQDOtVWLFRVRXOLWHUiULRV0DVDIRWRJUDÀD
Repórter: Juliana Melguiso (estagiária) vive de contar histórias por meio de imagens. E quem
Colaboraram nesta edição: Ana Luísa Vieira, André Dib, Érico Elias
e Juan Esteves consegue entender (ou inventar) a fórmula de fazer isso de maneira criativa,
Revisão de texto: Denise Camargo
WHFQLFDPHQWHEHPUHVROYLGDHHÀFLHQWHDFDEDVHGHVWDFDQGRQRVHJPHQWR
seja ele qual for. Um casamento não é a história de duas pessoas que se
PUBLICIDADE
publicidade@europanet.com.br
São Paulo FRQKHFHUDPVHDSDL[RQDUDPHGHFLGLUDPYLYHUMXQWDV"8PGHVÀOH
Equipe de Publicidade: Angela Taddeo, Alessandro Donadio,
Elisangela Xavier, Ligia Caetano, Renato Perón e Roberta Barricelli
de moda não é a história do(a) estilista que criou uma coleção e vai
Outras Regiões
apresentá-la ao julgamento do público e da crítica por meio de mulheres e
Head de Publicidade Regional: Mauricio Dias (11) 98536 -1555 KRPHQVTXHVHJXHPXPSDGUmRGHÀQLGRGHEHOH]D")RWRJUDIDUDQDWXUH]D
Bahia e Sergipe: Aura Bahia – (71) 3345-5600/9965-8133 não é contar a história de hábitats, ecossistemas, cenários e comportamento
Brasília: New Business – (61) 3326-0205
Rio Grande do Sul: Semente Associados – (51) 8146-1010 da vida selvagem ou do homem em seu meio ambiente?
As histórias estão aí, aos montes, para serem contadas. E cabe a
Santa Catarina: MC Representações – (48) 9983-2515
Outros estados: Mauricio Dias – (11) 3038-5093
Publicidade – EUA e Canadá: Global Media, +1 (650) 306-0880 nós da redação de Fotografe contar a história sobre as histórias que
ASSINATURAS E ATENDIMENTO AO LEITOR
Gerente: Fabiana Lopes (fabiana@europanet.com.br)
os fotógrafos apresentam. Como a do fotojornalista brasiliense Ueslei
Coordenadora: Tamar Biffi (tamar@europanet.com.br) Marcelino, da Reuters, que acaba de receber o Prêmio Pulitzer com a
equipe da agência depois de acompanhar por 62 dias a caravana de
Equipe: Josi Montanari, Camila Brogio, Regiane Rocha,
Gabriela Silva e Bia Moreira
ATENDIMENTO LIVRARIAS E BANCAS – (11) 3038-5100 migrantes da América Central rumo à fronteira do México com os EUA.
Equipe: Paula Hanne (paula@europanet.com.br)
Sinto-me pessoalmente orgulhoso por ter publicado a primeira foto de
Ueslei de divulgação nacional: na seção “Revele-se” da edição 87, em
EUROPA DIGITAL (www.europanet.com.br)
Gerente: Marco Clivati (marco.clivati@europanet.com.br)
Equipe: Anderson Ribeiro, Anderson Cleiton, Adriano Severo, dezembro de 2003 – e lá se vão 16 anos...
Fábio Molliet e Karine Ferreira
PRODUÇÃO E EVENTOS
Gerente: Aida Lima (aida@europanet.com.br)
Grupo Único PDF PaD Nesta edição, ainda mostramos as histórias de cinco projetos
diferentes de nu e sensualidade, a matéria de capa, que certamente
inspirarão todos os que têm interesse pela área. Temos ainda a história
Equipe: Beth Macedo (produção)

DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA
Coordenação: Henrique Guerche
de Hugo Santarém, que, em busca de suas origens genéticas, criou uma
(henrique.moreira@europanet.com.br) série de retratos com uma luz muito especial.
Ou a história de André Dib no comando de uma
Equipe: Gabriel Silva e Edvaldo Santos
ADMINISTRAÇÃO
Gerente: Renata Kurosaki expedição para a Antártica; a do britânico Tim
Equipe: Paula Orlandini e Laura Araújo
Rooke, que há 29 anos fotografa a família da rainha
Elizabeth II, do Reino Unido; a do mestre Cristiano
DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL
Tânia Roriz e Elisangela Harumi
Rua Alvarenga, 1.416 – São Paulo/SP, CEP: 05509-003 Mascaro, que completa 50 anos de carreira.
Telefone: 0800-8888-508 (ligação gratuita) e
(11) 3038-5050 (cidade de São Paulo)
Histórias não faltam. Boa leitura.
Juan Esteves

Pela Internet: www.europanet.com.br


E-mail: atendimento@europanet.com.br Sérgio Branco
A Revista Fotografe Melhor é uma publicação da Editora Europa Ltda Diretor de Redação
(ISSN 1413-7232). A Editora Europa não se responsabiliza pelo
conteúdo dos anúncios de terceiros. branco@europanet.com.br
DISTRIBUIDOR EXCLUSIVO PARA O BRASIL
Total Publicações
Rua Dr. Kenkiti Shimomoto, 1678, Osasco (SP), CEP 06045-390.
IMPRESSÃO: Log&Print Gráfica e Logística S.A.

NOSSO OBJETIVO É A EXCELÊNCIA. ENTRE EM CONTATO EDIÇÕES DIGITAIS


• EuroClube
• GoRead
• Tim Banca
• Claro Banca
• Oi Revistas
• Clube de Revistas
• Bancah
• UOL Banca
• Nuvem do Jornaleiro
LIGAÇÃO GRATUITA FALE COM A REDAÇÃO SITE EDITORA EUROPA • Revistarias
0800 8888 508 (11) 3038-5114 europanet.com.br • Mais Banca
GRANDE SÃO PAULO SITE REVISTA FOTOGRAFE • Magzter
• Ubook
(11) 3038-5050
4 Fotografe Melhor no 273 fotografe@europanet.com.br fotografemelhor.com.br • Bookplay
Grupo Único PDF PaD
GRANDE ANGULAR Diana Markosian
A adolescente
Pura (à esq.)
percorre sua
vizinhança em
um conversível
cor-de-rosa
dos anos 1950,
quando a
comunidade
se reúne para
celebrar seus
15 anos de idade
em Havana,
Cuba; Diarra
Ndiaye, Ndeye
Fatou Mbaye e
Mariza Sakho (à
dir.) posam como
modelos do
estilista Adama
Paris, no bairro
de Medina,
em Dakar, no
Senegal, para
curiosidade
dos vizinhos

Grandes fotos A lém das grandes histórias


premiadas World Press
Photo, o maior concurso
de fotojornalismo do mundo, as fotos
únicas, que fazem parte da categoria

do World Press
Grupo Único PDF PaD
Single, são um show à parte, com
muitos olhares para fatos que geram
notícia mundo afora. Veja aqui os
ganhadores de 2019, os melhores
entre dezenas de
milhares de imagens
enviadas: a russa
Diana Markosian,
na categoria
Contemporâneo; o
sul--africano Brent
Stirton, na categoria
Meio Ambiente;
o australiano
Chris McGrath, na
categoria Notícias
Gerais; o britânico
Finbarr O’Reilly, na
categoria Retratos;
e o norueguês John
T. Pedersen, na
categoria Esportes.

O boxeador Moreen
Ajambo (à esq.)
treina em academia
de Katanga,
grande favela em
Kampala, Uganda
John T. Pedersen

6 Fotografe Melhor no 273


Finbarr O’Reilly

Grupo Único PDF PaD


Chris McGrath/Getty Images

Imprensa é contida na chegada de investigadores da Arábia Saudita no


consulado do país em Istambul, Turquia, depois do desaparecimento do
jornalista Jamal Khashoggi; abaixo, Petronella Chigumbura, membro de
uma unidade feminina anticaça, chamada Akashinga, no Zimbábue
Brent Stirton/Getty Images

Fotografe Melhor no 272 7


GRANDE ANGULAR

MINEIRO VENCE DESAFIO “MEU


OLHAR SOBRE OS NOIVOS”
O fotógrafo Johélio Gonçalves dos
Santos, de Pouso Alegre (MG), foi o
YHQFHGRUGRGHVDÀR´0HX2OKDUVREUH
os Noivos”. Com isso, ele receberá
um passaporte grátis, no valor de R$
479, para participar do Photo in Rio
Conference, programado para ocorrer
entre 8 e 11 de julho de 2019. Será o
SULPHLURFRQJUHVVRGHIRWRJUDÀDQD
área de casamentos, ensaios artísticos e
marketing de negócios a ser realizado na
cidade do Rio de Janeiro.
Uma comissão julgadora, formada
Johélio Gonçalves dos Santos

por Marcio Sheeny (organizador do


evento), Sérgio Branco (diretor de
redação de Fotografe), Juan Esteves
(articulista de Fotografe) e mais dois
fotógrafos convidados, Valerio Romahn
e Tales Azzi, escolheu o trabalho de
Joélio na avaliação técnica. Não houve
premiado na avaliação artística. (PR), Robison Kunz (RS), Marco Costa (SP), Acima, a foto premiada
O Photo in Rio Conference será André Mansano (PR), Anderson Marques GRSURÀVVLRQDO-RKpOLR
realizado no Sheraton Grand Rio Hotel (DF), Lucas Lermem (RS), Anderson Macedo Gonçalves dos Santos,
& Resort, na Praia do Leblon. Serão três (GO), Nila Costa (RJ), Marcio Sheeny (RJ), de Pouso Alegre (MG)
dias de palestras e feira de negócios (de Ricardo Fontana (ES), Ana Paula Costa
Grupo Único PDF PaD
9 a 11 de julho) e um dia de masterclass (MG), Camila Renaux (SC) e Wellington
GLDGHMXOKR (VWmRFRQÀUPDGRVRV Fugisse (RN). Para saber mais detalhes,
palestrantes Junior Luz (SC), Gui Dalzoto acesse: www.photoinrio.com.

Inscrições para NATGEO DIVULGA UMA


Bolsa ZUM/IMS FOTO (MAL) MANIPULADA
Estão abertas as inscrições A National Geographic publicou de carimbo de preenchimento
para a 7a edição da Bolsa recentemente em seu site a matéria facilmente detectável. Segundo
GH)RWRJUDÀD=80,06 LQWLWXODGD´$ViUYRUHVPDLVDQWLJDV a fotógrafa, uma estagiária que a
reforçando sua aproximação do mundo à luz das estrelas”, com ajudava durante a produção das
FRPDSURGXomRIRWRJUiÀFD uma série de imagens da fotógrafa imagens teria feito as alterações.
contemporânea do Brasil. As Beth Moon. Porém, delas apresenta A National Geographic retirou
inscrições vão até dia 21 de colagens malfeitas de pontos que todas as imagens do site e iniciou
junho de 2019. formam a Via Láctea. A imagem uma investigação para saber se
São duas bolsas no LQWLWXODGD´%DREiVFRQWUDD9LD/iFWHD elas se adéquam à sua política de
valor de R$ 65 mil, e os em Botsuana” tem uma espécie manipulação de imagens.
selecionados terão um
Beth Moon

prazo de oito meses para Os internautas


a entrega dos resultados não perdoaram
ÀQDLVGRVSURMHWRVTXHVHUmR e acharam falhas
incorporados à Coleção de na manipulação
)RWRJUDÀD&RQWHPSRUkQHDGR da imagem
Instituto Moreira Salles (IMS).
Os dois projetos ganhadores
serão divulgados em agosto.
Para mais informações, acesse:
revistazum.com.br/bolsa2019.

8 Fotografe Melhor no 273


FOTO DO MÊS CESTA DUPLA
Por três anos, o fotógrafo Willian girar rapidamente a câmera para
Oliveira, especializado em basquete, a vertical, focar e disparar de uma
vinha tentando realizar uma imagem SRVLomRHPTXHD´VRPEUDµQR
idealizada. É que o Ginásio Henrique painel se alinhe ao atleta em ação.
Villaboim, do Esporte Clube Pinheiros, ´7HQWHLPXLWDVYH]HVSHUGLDFRQWD
de São Paulo (SP), tem nas paredes GHTXDQWDVµDÀUPDRIRWyJUDIR
painéis pintados com atletas de vários formado pelo Senac que começou
esportes em ação. E um deles mostra a fotografar em 1998 em coberturas
um jogador de basquete no movimento de casamento. Há seis anos que ele
para fazer a cesta, pois no dia 18 de mudou para a cobertura esportiva
abril de 2019 Willian conseguiu o que e se especializou em basquete,
buscava: alinhar de forma simétrica um atuando nas partidas da NBB pela
jogador real (Toledo, do Pinheiros) com Liga Nacional de Basquete e como
DHQRUPH´VRPEUDµDRIXQGRGXUDQWH IRWyJUDIRRÀFLDOGR&OXEH$WKOHWLFR
o embate entre Pinheiros e Botafogo Paulistano no campeonato.
do Rio, jogo válido pelo SOD\R૽ da
NBB (Novo Basquete Brasil, atual
campeonato brasileiro).
O fotógrafo explica que esse tipo
¦ A seção Foto do Mês é uma parceria
de Fotografe com a Arfoc-SP por meio
do Instagram @arfocsp. Podem participar
de foto requer treinamento, pois se a DSHQDVIRWRMRUQDOLVWDVSURÀVVLRQDLV
câmera estiver na horizontal ela corta contratados ou freelancers. Para saber mais,
a imagem do atleta. Assim, é preciso acesse: www.arfoc-sp.org.br.
Willian Oliveira

Grupo Único PDF PaD

Fotografe Melhor no 273 9


GRANDE ANGULAR

NOVA CANON 85 MM
F/1.2 É INOVADORA
$&DQRQODQoRXDREMHWLYDÀ[D a aberração cromática, assegura
85 mm f/1.2 L USM, a primeira da D&DQRQ,VVREHQHÀFLDR
série RF para câmeras mirrorless full desempenho de lentes de abertura
frame da marca a incluir a óptica ampla, tradicionalmente suscetíveis
BR (Blue Spectrum Refractive). à aberração cromática, mesmo ao
Segundo a empresa, essa fotografar na abertura máxima.
tecnologia chega com o objetivo Com 13 elementos em 9
de alcançar a correção ideal da grupos, a 85 mm f/1.2 L USM Acima a nova lente e,
aberração cromática, oferecendo também incluiu o Air Sphere abaixo, o elemento BR,
características de dispersão anômala Coating (ASC), que ajuda a que faz toda a diferença
LJXDLVRXVXSHULRUHVjÁXRULWD PLQLPL]DURUHÁH[RHRHIHLWR
A óptica adotada é baseada fantasma da lente. A abertura Lente
convexa
em um novo material orgânico vai de f/1.2 a f/16, com distância
que apresenta características mínima de foco a 85 cm e rosca
de dispersão anômala únicas. GHÀOWURIURQWDOGHPP&RPR
O elemento BR é intercalado outras lentes RF, ela tem um Elemento
BR
entre lentes de vidro côncavas e anel de controle personalizável
convexas e possibilita o controle que pode ser usado para ajustar

Fotos: Divulgação
da trajetória da luz azul (espectro a compensação de exposição,
de comprimentos de onda curtos), abertura, ISO ou velocidade do
produzindo imagens nítidas e obturador. O preço sugerido é Lente
côncava
limpas, reduzindo completamente US$ 2.699.

Grupo Único PDF PaD


Rokinon 45 mm VENUS ANUNCIA
f/1.8 para Sony MACRO100 MM F/2.8
A Venus Optics comunicou F e Sony FE, e terá pequenas
que sua macro Laowa 100 mm variações dependendo da versão
f/2.8, mostrada pela primeira vez de montagem. O modelo da
na Photokina de 2018, chegará Canon oferece um motor para
ao mercado custando US$ 449. A permitir alterações de abertura
lente APO ultramacro de 100 mm controladas pelo corpo e para que
pode alcançar uma ampliação os dados EXIF sejam armazenados
de 2:1 e se une a 60 mm f/2.8 da na imagem. A versão Canon
empresa com a mesma taxa de também tem íris de nove lâminas,
ampliação. Ela estará disponível enquanto na da Nikon conta
para montagens Canon EF, Nikon com sete. Já na versão Sony o
diafragma oferece 13 lâminas. Um
colar de tripé está disponível
por um adicional de
US$ 30.
A Rokinon/Samyang anunciou o
lançamento da 45 mm f/1.8 FE, lente
autofoco para câmeras mirrorless full
frame de montagem em FE da Sony.
Um dos aspectos notáveis da lente é a
portabilidade: pequena, mas premium,
mede apenas 5,61 cm e pesa 162 g a
tampa frontal. A distância mínima de foco é
de 45 cm e a construção tem 7 elementos
em 6 grupos e um diafragma de 9 lâminas. Nova lente macro da
O preço sugerido é de US$ 399. Venus terá baioneta para
Canon, Nikon e Sony

10 Fotografe Melhor no 273


FLASH NISSIN
$1LVVLQ'LJLWDOODQoRXRQRYRÁDVK
MG80 Pro com modos de comando
e escravo via rádio Nissin Air System
(NAS) integrados, suporte para vários
tipos de bateria e um LCD colorido. O
DFHVVyULRGHOX]LQFOXLXPWXERGHÁDVK
de quartzo, cabeça resistente ao calor, luz
de modelagem de LED 8W, lente fresnel
removível e compatibilidade com as
baterias AA NiMH e lítio-íon (tipo 14500).
Quando usado com quatro baterias
tipo lítio-íon 14500, ele oferece um tempo
de reciclagem de 1,5s, que aumenta
para 3,8s no caso de quatro baterias AA
2QRYRÁDVK0*3URSURPHWH
recarregáveis. Chega a 280 disparos ao alta performance com quatro
usar quatro baterias lítio-íon de 650mAh pilhas AA (ao lado) NiMh e lítio-íon
ou a cerca de 320 com quatro baterias
recarregáveis de 2.450mAh. Suporte TTL, cabeça de inclinação/rotação, suporte
controle manual e HSS. Tem alcance de para cartões micro SD e SDHC para
transmissão de até 100 metros e um atualizações de ÀUPZDUHe um peso,
modo de zoom que abrange opções de sem baterias, de 520 g. O modelo
distância focal de 24 mm a 200 mm. atenderá câmeras Canon, Nikon,
2XWUDVHVSHFLÀFDo}HVLQFOXHP 6RQ\)XMLÀOP3DQDVRQLFH2O\PSXV
sapata de metal com trava de anel, O preço sugerido não foi revelado.

Grupo Único PDF PaD

Fotografe Melhor no 273 11


GRANDE ANGULAR

A REVOLUCIONÁRIA
LENTE PLANA

Fotos: Divulgação
8PDQRYDUHYROXomRSDUDDIRWRJUDÀDHVWi
a caminho. Os físicos Francesco Aieta, Federico
Capasso e Patrice Genevet, da Universidade
+DUYDUGFULDUDPXPDOHQWHXOWUDÀQDTXHQmR
apenas é totalmente plana como também
focaliza a luz sem as distorções comuns nas lentes
convencionais. Com apenas 60 nanômetros de
espessura, a lente é essencialmente bidimensional,
mas seu poder de focalização se aproxima do
limite físico imposto pelas leis da difração.
´(VVDOHQWHSODQDLQDXJXUDXPQRYRWLSRGH
tecnologia. Estamos apresentando uma nova
forma de fazer lentes. Em vez de criar retardos
de fase conforme a luz se propaga através da
espessura do material, criamos uma alteração
de fase instantânea diretamente na superfície da
lente”, explica o professor Federico Capasso.
$OpPGHÀVLFDPHQWHGLIHUHQWHRSULQFtSLRGH
funcionamento da lente plana se distingue das
lentes comuns baseando-se em um estudo anterior
da mesma equipe, que descobriu um fenômeno superfície da lente, altera a direção da luz da Comparação
bizarro que alterou as leis da óptica. Apesar ser mesma forma que uma grossa lente de vidro. entre a nova
plana em relação às lentes tradicionais, a superfície E há um ganho importante: a lente plana lente plana, que
elimina as aberrações ópticas (como o efeito converge as cores
da nova lente não é lisa como a superfície das
da luz para o
Grupo Único PDF PaD
lentes de vidro: é inteiramente preenchida com
QDQRHVWUXWXUDVHPIRUPDWRGH´9µFXLGDGRVDPHQWH
olho de peixe, a cromática e o astigmatismo)
geradas pelas lentes grossas de vidro. Com isso,
mesmo ponto, e
outra lente plana
espaçadas e dispostas em linhas. a imagem resultante é completamente precisa, que não faz essa
&DGDHVWUXWXUDHP´9µIXQFLRQDFRPRXPD GLVSHQVDQGRTXDOTXHUWpFQLFDFRUUHWLYD´1R correção (no alto);
minúscula antena que captura a onda de luz que futuro, poderemos substituir todos os grandes representação das
DDWLQJH´VHJXUDQGRDµSRUXPEUHYHLQVWDQWH componentes na maioria dos sistemas ópticos nanoestruturas
da lente plana de
antes de liberá-la novamente. Esse retardo, que por superfícies planas”, diz Francesco Aieta, que Harvard (acima)
é ajustado precisamente ao longo de toda a foi quem construiu as lentes planas.

SAMSUNG CRIA SENSOR


DE 64 MP PARA CELULAR
A Samsung anunciou o primeiro atualmente o menor tamanho do mercado.
sensor para smartphone de 64 O GW1 apresenta a tecnologia
megapixels do mundo, menos de um Tetracell, que mescla quatro pixels em
ano após a Sony ter feito barulho um para obter fotos de alta qualidade
com seu revolucionário sensor de em todas as condições de iluminação.
48 megapixels. O novo sensor Isso produz imagens de 16 megapixels
Samsung Isocell Bright GW1 em ambientes com pouca luz e fotos
trabalha com pixel de 64 megapixels em condições de boa
ultra pequeno de luz após a passagem dos dados por
0,8 micrômetro um algoritmo.
njP RPHVPRGR Outros recursos do sensor incluem
sensor IMX586 da Sony, o Super PD (tecnologia de autofoco de
detecção de fase de alto desempenho)
O novo sensor, que e gravação em full HD a 480 fps para
passa a ser o de mais vídeos em câmera lenta. A novidade está
alta resolução para programada para entrar em produção em
smartphones massa na segunda metade de 2019.

12 Fotografe Melhor no 273


POLAROID
LANÇA MODELO
STRANGER THINGS
Em homenagem à terceira temporada
da série Stranger Things, a Polaroid
lançou a câmera Originals OneStep 2:
Stranger Things Edition. Mas não há
nada de especial nela além do colorido
exclusivo e da marca de cabeça para
baixo, uma homenagem ao universo
XSVLGHGRZQ de Stranger Things. A Polaroid aproveitou o
$FkPHUDWHPOHQWHGHIRFRÀ[R VXFHVVRGDVpULHGD1HWÁL[SDUD
lançar a câmera comemorativa
ÁDVKHPEXWLGRFDUUHJDPHQWRYLD86%
e um timerDXWRPiWLFR5HFHEHÀOPHV
Polaroid Originals i-Type, que também
estão sendo vendidos em edição
especial, com 16 designs diferentes
inspirados em vários locais de Hawkins,
a cidade onde Stranger Things acontece.
A Polaroid OneStep 2: Stranger Things
Edition é vendida no exterior por
86 FRPSDFRWHGHWUrVÀOPHV
sai por US$ 157,99).

Grupo Único PDF PaD

Fotografe Melhor no 273 13


REVELE-SE

Grupo Único PDF PaD

Vermelho é a cor mais quente


U
nir vermelho em contraponto com o verde é certeza
de ter a atenção do observador. O fotógrafo Marco
Antonio Perna escolheu um cruzeiro na Floresta da
Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ), para envolver a modelo Bruna
¦ Autor: Marco Antonio Perna
Lima em um pano vermelho – imagem que ele chamou de “A ¦ Cidade: Rio de Janeiro (RJ)
bruxa”, e que não faz jus à beleza da moça. A ideia, segundo ele, ¦ Câmera: Canon EOS 6D
HUDFULDUXPDLPDJHPGHDVSHFWRVRPEULRPDVÀFRXPDLVFRP ¦ Objetiva: Canon 16-35 mm
cara de um ensaio fashion de tecidos da estação... ¦ Exposição: f/2.8, 1/125 e ISO 250

14 Fotografe Melhor no 273


Grupo Único PDF PaD

Vem dançar comigo


N
ão é só movimentos difíceis e acrobáticos
que podem gerar uma boa imagem em um
espetáculo de dança. Aqui, o fotógrafo Paulo
Mendes de Paula, o Paulo Rock, registrou a bailarina ¦ Autor: Paulo Mendes de Paula
Giovanna Bergamaschi como a personagem Kitri, do ¦ Cidade: Barbacena (MG)
balé Dom Quixote, em Tiradentes (MG), com um olhar ¦ Câmera: Nikon D5200
hipnotizante, mostrando que ela estava totalmente ¦ Objetiva: Nikkor 18-140 mm
concentrada no que interpretava no palco. ¦ Exposição: f/4.5, 1/125 e ISO 1.600

Fotografe Melhor no 273 15


REVELE-SE

Grupo Único PDF PaD

Tiro certo
A
SDL[RQDGDSRUIRWRJUDÀDGHQDWXUH]DD
fotógrafa Renata Lucia Santos estava em uma
imersão no Pantanal Norte do Mato Grosso
à caça de imagens do maior felino das Américas, a ¦ Autor: Renata Lucia Santos
RQoDSLQWDGD$UPDGDFRPVXDSRWHQWHWHOHÀ[DGH ¦ Cidade: Petrópolis (RJ)
400 mm, ela disparou algumas vezes até encontrar o ¦ Câmera: Canon EOS 6D
olhar do jaguar diretamente para a câmera, parte na ¦ Objetiva: Canon 400 mm
OX]SDUWHQDVRPEUDGDÁRUHVWD)RLXPWLURFHUWHLUR ¦ Exposição: f/5.6, 1/500 e ISO 1.600

16 Fotografe Melhor no 273


Grupo Único PDF PaD

A vida secreta das abelhas


P
ode parecer macro, mas é o que o professor
IUDQFrVGHIRWRJUDÀD/DXUHQW*XHULQDXGFKDPD
de proxy, um close obtido pelo fotógrafo Filipe
Coutinho nos jardins do Parque da Cidade, em Brasília (DF),
FRPXPDWHOHGHPP,VVRÀFDHYLGHQWHSHORIRFR ¦ Autor:)LOLSH&RXWLQKR
perfeito no tema em primeiro plano e pelo desfoque no ¦ Cidade: Goiânia (GO)
fundo (algo que não ocorre em macro). E a vida secreta das ¦ Câmera: Nikon D7200
abelhas? Apenas um título para que todos os títulos deste ¦ Objetiva: Sigma 300 mm
´5HYHOHVHµWLYHVVHPQRPHGHÀOPH ¦ Exposição: f/8, 1/250, ISO 100

Mande fotos e ganhe uma caneca da Coleção Câmeras Clássicas


Os autores das fotos selecionadas (VSHFLÀTXHQRHPDLOQRPHHQGHUHoR
para publicação na revista receberão WHOHIRQHÀFKDGDIRWR HTXLSDPHQWR
pelo correio uma caneca da Coleção dados técnicos...) e um breve relato
Câmeras Clássicas. Para participar (local, data...) sobre as imagens que
da seção “Revele-se”, envie até três você enviar. Os arquivos devem ter, no
fotos, no máximo, em arquivo digital PtQLPRWDPDQKRGH[FP RX
(formato JPEG), para o e-mail DSUR[LPDGR FRPUHVROXomRGHD
fotografe@europanet.com.br. 300 ppi. Evite arquivos muito pesados.

Fotografe Melhor no 273 17


CLÁSSICAS

Contax
Perto da perfeição

Mário Bock
A concorrente
principal da Leica
foi lançada com
uma série de
inovações para a
época e se tornou Grupo Único PDF PaD
a câmera preferida
de Robert Capa
Um dos visores
da Contax
lembrava um
tambor de
revólver
A história começa na Alemanha, em 1932,
quando a Zeiss Ikon, conceituada fábrica
de lentes e câmeras, compra as principais
concorrentes para fabricar o que seria a melhor 35 mm
do mundo: a Contax – ou a segunda melhor, para os
fãs da também alemã Leica. A câmera foi revolucionária
na época ao trazer grandes inovações: cortina vertical,
baioneta dupla, visor grande e um incrível jogo de
Fotos: Arquivo Fotografe

objetivas – além de acabamento impecável.


Ao lado da Leica, a Contax fez enorme sucesso e
agradou tanto que inspirou a então incipiente indústria
IRWRJUiÀFDMDSRQHVDQDpSRFD1mRpQHQKXPVHJUHGR
que as primeiras câmeras japonesas foram criadas a
partir das duas câmeras alemãs, copiadas nos mínimos
detalhes. E, por sua vez, a Contax deve à Leica, lançada
HPRHVWLORUDQJHÀQGHU YLVRUGLUHWR FRPIRFR
por telêmetro, o intercâmbio de objetivas, além, claro,
do uso do formato 35 mm – que teve o mérito de
popularizar o formato, pois era mais barata do que a
Leica e bem mais fácil de usar.
E, por vir depois dela, corrigiu a maioria das
GHÀFLrQFLDVGDFRQFRUUHQWHQD&RQWD[RYLVRUHUD
EHPPDLRUGRTXHRGD/HLFD SHTXHQRHGLYLGLGRHP
GRLV HMiLQFRUSRUDYDRIRFRSRUWHOrPHWURDWDPSD
WUDVHLUDVDtDSRULQWHLURSDUDDFRORFDomRGRÀOPH QD
/HLFDHUDPDLVFRPSOLFDGR EDVWDYDXPSHTXHQR

18 Fotografe Melhor no 273


Contax era
companheira de Capa
Fotógrafos do quilate dos
americanos Ansel Adams e
Walker Evans, do italiano Mario
Giacomelli, do franco-americano
Andreas Feininger e do espanhol
Alfonso Sanchez García foram
usuários de câmeras Contax. Mas
foi o húngaro Robert Capa, um
dos mais importantes repórteres
IRWRJUiÀFRVGHWRGRVRVWHPSRV
quem mais fez fama com a
câmera alemã – apesar de muitos
acharem que ele usava Leica.
Essa confusão é graças à
foto mais famosa de Capa: a do
miliciano atingido por um tiro
na cabeça durante a Guerra Civil
Espanhola em 1936. Essa foto foi
feita com uma Leica IIIa, mas a
Dois grandes fotógrafos americanos de partir de 1938 e até sua morte,
Contax em punho: Andreas Feininger cobrindo a Guerra da Indochina,
(à esq.) e Ansel Adams (à dir.) em 1954, quando morreu ao pisar
numa mina, ele sempre levava
uma Contax consigo e dizia que
movimento para engatar a baioneta da inovou ao produzir um jogo completo de
ela era sua câmera de preferência,
REMHWLYD QD/HLFDHUDPYROWDVHPDLVYROWDV objetivas para a Contax. Assim, ela ganhou com a qual fez grandes
SDUDURVTXHDUDOHQWHDWpRÀPGRFXUVR  a primeira supergrande angular da história, coberturas em frentes de batalha,
Tudo isso sem contar com o fotômetro a Biogon 21 mm f/4.5, e uma teleobjetiva como o desembarque das tropas
embutido nos modelos III e IIIa, que a de 500 mm, novidade para uma câmera aliadas na Praia de Omaha, na
primeira geração de Leica nunca teve. de visor direto. Para compensar a baixa Normandia, durante a Segunda
VHQVLELOLGDGHGRVÀOPHV3 %GDpSRFD Guerra, o famoso dia “D”, início da
A QUALIDADE DAS LENTES ZEISS GH,62D D=HLVVWDPEpPIH] libertação da França do domínio
As objetivas da Contax eram fabricadas as primeiras objetivas nazista e, em seguida, da Europa.
Grupo Único PDF PaD
pela Zeiss Ikon, reconhecida mundialmente superluminosas, como a
SHODQLWLGH]KiEDVWDQWHWHPSR DQWHVGD 50 mm f/1.5, a 28 mm f/2.8
/HLFD $VOHQWHV=HLVVHTXLSDYDPGHVGH e a 180 mm f/2.8.
câmeras de fole mais simples até as maiores, Mas o uso de lentes de
SURÀVVLRQDLVFRPRWDPEpP5ROOHLÁH[ distâncias focais diferentes não
&RQWDÁH[+DVVHOEODGHRXWUDV era prático em câmeras de visor
O cristal usado na fabricação era direto. A Contax não contava
excelente e o conjunto óptico resolvia sérios com molduras brilhantes para o
problemas de aberração e distorções comuns enquadramento, muito menos
nas objetivas da época. A empresa alemã com correção de paralaxe. Era
IRLDFULDGRUDGRUHYHVWLPHQWRDQWLUUHÁH[R preciso usar visores externos
coating KRMHFRPXPDWRGRVRVIDEULFDQWHV ySWLFRVRXGRWLSRHVSRUWLYR 
de lente. Com o coating, as objetivas da de distância focal única ou
&RQWD[JDQKDUDPPDLRUSUHFLVmRHGHÀQLomR combinada, instalados na
e contraste extraordinários VDSDWDGRÁDVK+DYLDDWp
para aquele tempo. um complicado visor angular
A Zeiss para closes.
Mário Bock

Ao lado, lentes Zeiss de


baioneta diferente para
a Contax; acima, Robert
Capa (à esq.) ao lado do
britânico George Rodgers

Fotografe Melhor no 273 19


CLÁSSICAS

A janela ao lado da
VDSDWDGHÁDVKHUD
para avaliar o ajuste
do fotômetro

Mário Bock
durável
De construção

CORTINA DE METAL
sólida e refinada,
uma câmera
Contax poderia
durar décadas FOI UMA INOVAÇÃO
O obturador com cortina de metal visor e o foco era feito normalmente,
Grupo Único PDF PaD
e de deslocamento vertical foi outra girando-se pelo anel da objetiva
grande inovação da Contax, bem ou acionando um pequeno disco
diferente da cortina de lona da Leica. de foco, localizado acima do visor,
Era composta de pequenas lâminas de RXWURVRÀVWLFDGRUHFXUVR2GLVFR
alumínio, justapostas, que enrolavam ÀFDYDDRDOFDQFHGRGHGRLQGLFDGRU
e desenrolavam como portas de aço o que facilitava o ajuste, e tinha uma
de lojas. Além de ser mais resistente pequena trava que mantinha a lente
e silenciosa, o deslocamento vertical EORTXHDGDQDSRVLomRLQÀQLWR
da cortina era mais rápido do que o
horizontal, o que permitiu aumentar a
velocidade do obturador para 1/1.250s, Conheça a coleção
UHFRUGHSDUDDpSRFD1DVEDL[DV
A cortina de metal tipo “porta de $WpRÀQDOGHDFDGD
YHORFLGDGHV DWpVHJXQGR FRQWDYD
loja” foi uma grande inovação edição de Fotografe, uma câmera
com a vantagem da menor vibração. TXHPDUFRXpSRFDQDIRWRJUDÀD
A cortina vertical aumentou será destacada nesta seção com
a complexidade mecânica, já que um breve histórico. Ao mesmo
requeria engrenagens separadas para tempo será lançada a caneca da
DYDQoDURÀOPH PRYLPHQWRKRUL]RQWDO  Coleção Câmeras Clássicas com o
HDUPDURREWXUDGRU YHUWLFDO 0DV modelo do mês. Para adquirir esse
Zeiss Ikon não se importou com isso produto exclusivo, acesse: www.
nem em usar um complexo sistema de colecaocamerasclassicas.com.br.
dois espelhos móveis do telêmetro no
YLVRU2XWUDVROXomRWpFQLFDVRÀVWLFDGD
Fotos: Arquivo Fotografe

foi a baioneta dupla, um sistema muito


mais rápido e prático. Contava com
duas opções: uma baioneta interna
com rosca helicoidal para a objetiva
normal de 50 mm e outra externa, para
todas as outras lentes.
Baioneta com dois tipos de encaixe Os dois encaixes da baioneta
de lentes foi outra novidade tinham conexão com o telêmetro do

20 Fotografe Melhor no 273


Grupo Único PDF PaD
RETRATO

Nativa da etnia
Grupo Único PDF PaD
Mursi, da Etiópia,
TXHÀFDQDUHJLmR
QRUGHVWHGDÉIULFD

Retrato Do interior do Brasil


ao interior da África, o
fotógrafo Hugo Santarém

no DNA POR ÉRICO ELIAS


criou um projeto inspirado
em um exame que mapeou
suas origens genéticas

C omo retratar e revelar


o que está no interior?
Foi a partir desse
questionamento que Hugo Santarém,
fotógrafo baseado em Brasília (DF),
Primeiro, foram cerca de 5 mil km
percorridos pelo interior do Brasil,
retratando homens e mulheres.
Depois, Santarém vislumbrou um
desdobramento para o trabalho ao
proposta evoluiu e ganhou corpo.
O projeto, batizado de Interior,
continua em andamento e começa a
dar frutos. Santarém foi selecionado
para participar da exibição de portfólios
lançou-se em um processo de encomendar uma análise de seu DNA. GR)HVWLYDOGH)RWRJUDÀDGH7LUDGHQWHV
descoberta que começou no Brasil Uma vez mapeada suas origens, ele em 2019 e teve uma das imagens
e, a partir de um exame de DNA, foi viajou para registrar pessoas em dois LQFOXtGDQD$රRUGDEOH$UW)DLUHP
para a África. O projeto partiu de países africanos: Etiópia e Quênia. Nova York, Estados Unidos. Algumas
uma ideia bastante simples: retratar Manteve a mesma linha do trabalho galerias de arte demonstraram
tradições que sobrevivem longe dos iniciado no Brasil, indo para zonas interesse e o fotógrafo busca agora um
grandes centros urbanos. afastadas das grandes cidades. Assim, a SDUFHLURSDUDÀQDQFLDURSURMHWR

22 Fotografe Melhor no 272


áfrica
Tribos muito
antigas do Quênia
e da Etiópia foram
o alvo do fotógrafo
brasileiro na
viagem

Grupo Único PDF PaD


)RWRV Hugo Santarém

0XOKHUSDVWRUDGD
HWQLD7XUNDQDGR
Quênia, país na
FRVWDRHVWHDIULFDQD

Fotografe Melhor no 273 23


RETRATO

$GHUHoREXFDO
GHMRYHPGD
etnia Mursi
TXHOHPEUDRV
tQGLRVERWRFXGRV
EUDVLOHLURV

Grupo Único PDF PaD

A etapa africana
do projeto
Interior, de Hugo
Santarém, foi
DIMENSÃO AFETIVA
realizada em O projeto que nasceu de um impulso meio dele, estabelecer uma travessia de
2018 com a documental ganhou dimensão pessoal e fronteiras, desbravar o interior dos países
afetiva quando Santarém fez o teste de DNA indicados no resultado do exame – tarefa
ajuda de um para saber de onde vinham as raízes de seus que constitui um paralelo de culturas e
guia e de um DQFHVWUDLV2H[DPHLQGLFDJHRJUDÀFDPHQWH tradições com as do interior do Brasil.
motorista em as regiões de origem, conta Santarém. Acabou sendo só uma amostra do que
Depois, é possível usar bancos de dados é a miscigenação brasileira, um exemplo
viagens pelo disponíveis na internet, como o GEDMatch, GHQWURGRWRGRµUHÁHWH
Vale do Rio para aferir melhor os resultados. A segunda etapa do projeto foi
Na Etiópia, Santarém priorizou tribos realizada em 2018 e pré-produzida pelo
Omo, na Etópia, do Vale do Rio Omo, onde se encontram próprio fotógrafo, que fez as pesquisas
e pela região algumas das comunidades mais antigas necessárias para aproveitar ao máximo as
norte do Quênia da África. No Quênia, foram visitadas as viagens. Para obter o resultado esperado,
WULERV0DDVDL7XUNDQDH6DPEXUX´2 Santarém passou ao largo de pacotes
projeto foi criando mais e mais camadas turísticos e viagens em grupo. Aventurou-
em mim. Naturalmente cheguei à extensão -se sozinho e optou por contratar guia
literal e metafórica do registro iniciado em e motorista locais com carro particular
terras brasileiras. Atualmente, busco, por à disposição. Dessa forma, conseguiu

24 Fotografe Melhor no 273


8PDDGROHVFHQWHGDHWQLD+DPHUWULERTXHYLYHQR9DOHGR5LR2PRQRVXOGD(WLySLD

Grupo Único PDF PaD


)RWRV Hugo Santarém

PDLRUÁH[LELOLGDGHHDXWRQRPLDDOpPGH da Canon, a 5Ds e a 5D Mark IV (além 8PDMRYHPPmH


resolver a necessidade de carregar todo da analógica EOS 30), acompanhadas das GDHWQLD+DPHUR
o equipamento necessário para o projeto, objetivas Canon 24-70 mm f/2.8 L II e 70- FRODUGHPHWDOQR
FRPRGXDVFDEHoDVGHÁDVK3URIRWR PPI/,,HDVÀ[DV6LJPD$UWGH SHVFRoRpRVLQDOGH
TXHHODpFDVDGD
B1, sombrinhas de diferentes tipos, 35 mm, 50 mm e 85 mm, todas f/1.4 (as
rebatedores e tripés de luz. Usou DSLRs duas últimas foram as mais utilizadas).

Fotografe Melhor no 273 25


RETRATO

)RWRV Hugo Santarém


Grupo Único PDF PaD

$FLPDGXDV
PXOKHUHVGDHWQLD
7XUNDQDFRP
COMBINAÇÃO DE LUZ
YiULRVFRODUHV
EULQFRVHDGRUQRV
QDFDEHoDWXGR
NATURAL E ARTIFICIAL
IHLWRFRPFRQWDV Os retratos da série Interior se adaptar às condições que encontra
impressionam pela combinação de luz e nem sempre é possível começar tão
QDWXUDOHDUWLÀFLDOeRTXHHOHFKDPD FHGRTXDQWRJRVWDULD´2UHWUDWRpXPD
GH´LOXPLQDomRGHFLQHPDSDUDUHWUDWRµ colaboração. A pessoa está cedendo sua
TXDQGRRÁDVKID]XPSUHHQFKLPHQWRGH imagem, e aí deve haver muito respeito
luz sutil, quase imperceptível, mesclando com o retratado”, ensina.
com a luz do sol com mais naturalidade. Na série, Santarém compõe dois tipos
´3DUDPLPDOX]DMXGDDFULDURFOLPD de fundo. Nas imagens coloridas, inclui
O que e a ressaltar a identidade da pessoa como fundo a paisagem dos lugares em
chamo de luz de fotografada”, explica Santarém. TXHDIRWRJUDÀDIRLIHLWDFULDQGRXPHOR
cinema para Ele realiza as fotos nos locais onde entre o personagem e o ambiente em
as pessoas vivem e carrega consigo o que vive. Nas imagens em P&B, toda a
retrato é usar equipamento necessário à montagem de força expressiva se concentra no rosto dos
um flash de um pequeno estúdio. Um dos segredos UHWUDWDGRV´)L]HVVDVIRWRVSHQVDQGRHP
preenchimento de para obter o ambiente de brumas preto e branco. Acompanhava na câmera
característico de alguns dos retratos o resultado em P&B e a luz era pensada
forma bem sutil da série é começar a clicar o mais cedo de forma a dar o melhor contraste. Como
em conjunto com possível, quando o sol está se levantando. fundo, usei a face preta do rebatedor,
a luz solar Como não se trata de atores, mas de PXURVRXÀ]GHQWURGDVFDVDVPDVPH
pessoas em seus ambientes reais, com preocupando sempre em manter um
Hugo Santarém suas vidas e rotinas, o fotógrafo tem que padrão”, comenta o fotógrafo.

26 Fotografe Melhor no 273


-RYHPGDHWQLD Importância da
6DPEXUXGR pré-produção
QRUWHGR4XrQLD
TXHWHPWUDGLomR
QDSHFXiULD Com formação em
Publicidade, Hugo Santarém
trabalhou como diretor de
arte em agências. Em 2006,
começou a atuar como
fotógrafo de cinema e, em
HVWXGRX)RWRJUDÀDQD
School of Visual Arts, em
Nova York. De volta ao Brasil,
especializou-se em Artes
Visuais no Senac, em Brasília
(DF). Ao migrar da direção
GHDUWHjIRWRJUDÀDFDUUHJRX
consigo toda a bagagem
SURÀVVLRQDODGTXLULGDQD
publicidade. Atualmente, busca
conciliar a atuação comercial
com projetos autorais.
)RLGHVVHLPSXOVRTXH
nasceu o projeto Interior.
(DDWXDomRSURÀVVLRQDOQD
publicidade foi fundamental
para o sucesso da empreitada,
MiTXHFRQIHULXD6DQWDUpPD
prática de planejar tudo de
forma minuciosa antes de
sair a campo para fotografar.
“A pré-produção é uma das
Grupo Único PDF PaD HWDSDVTXHFRQVRPHPPDLV
tempo, e a mais importante
para o sucesso de um projeto.
Há o medo de perder algo,
HVTXHFHUDOJR1mRpQDGD
legal viajar para o outro lado
do mundo e depois descobrir
TXHYRFrHVWDYDPXLWR
próximo de algo imperdível e
deixou passar”, explica.
No Brasil, em 2016, a
primeira etapa foi produzida
SRU5DLOXDQH6RDUHVTXH
trabalhava no estúdio de
Santarém. O fotógrafo
HVFROKHXORFDLVTXH
representam regionalidade,
mas também tradições
herdadas de matrizes
africanas e europeias, como
DFRPXQLGDGHTXLORPEROD
Lagoa da Pedra, em
Tocantins; os boiadeiros
TXHYLYHPQDUHJLmRGH
Gilbués, no interior do
Piauí; e os gaúchos do Rio
Grande do Sul, no extremo
sul do país, divisa com o
Uruguai. “São comunidades
TXHHYLGHQFLDPGLIHUHQWHV
LQÁXrQFLDVPLJUDWyULDVFDGD
uma dentro do seu contexto
histórico”, explica ele.

Fotografe Melhor no 273 27


RETRATO

recursos
)RWRV Hugo Santarém

O fotógrafo vai
5HWUDWRGHDGROHVFHQWHGD buscar parceiros
WULER6DPEXUXFRPRXVR e patrocínio para
GHÁDVKGHSUHHQFKLPHQWR dar continuidade
ao projeto

DESDOBRAMENTOS FUTUROS
Grupo Único PDF PaD
Santarém conta que sua atuação Ricardo Moreira, e a preocupação fazer, de uma forma profunda e
na publicidade ensinou a importância foi interferir pouco nas imagens, emocional, e não podia depender
do trabalho em equipe, já que os utilizando apenas correção de cor da morosidade de editais ou busca
SURÀVVLRQDLVGHSURGXomRÀJXULQR e contraste na grande maioria dos SRUSDWURFtQLRV´0HWLDVFDUDV
e pós-produção trazem olhares casos. Assim, a pós-produção garante literalmente. O projeto tem ganhado
TXHVRPDPQRUHVXOWDGRÀQDO3DUD uma uniformidade ao ensaio. uma boa repercussão tanto no Brasil
desenvolver a série Interior não foi Até aqui, o projeto foi realizado como fora, o que me deixa muito
diferente. O tratamento das imagens inteiramente com recursos próprios, feliz com a decisão”, conta. Para
foi realizado em parceria com pois era algo que ele queria muito seguir em frente, ele está em fase de
EXVFDGHSDUFHLURVHÀQDQFLDPHQWR
Conta a seu favor o fato de já ter
imagens marcantes para mostrar.
O fotógrafo até contratou
uma assessoria de imprensa, fator
que parece ter contribuído para a
divulgação do trabalho, que virou
notícias em veículos do Brasil e do
exterior – divulgadas em seu site.
´0LQKDPHWDpYLDMDUSDUDRVSDtVHV
em que há maior proximidade
com o meu DNA, separando por
continentes: Portugal, na Europa, e
Etiópia, na África. Nas Américas, há
proximidade com povos ameríndios,
mas ainda preciso aprofundar a
pesquisa para saber de qual região.
Em menor quantidade no DNA, há
outros países que me despertaram
interesse, como Espanha e Argélia”,
+XJR6DQWDUpP VHQWDGRjIUHQWH QD(WLySLDFRPJXHUUHLURVGDHWQLD0XUVL explica o fotógrafo.

28 Fotografe Melhor no 273


Grupo Único PDF PaD
MATÉRIA DE CAPA

Nu e
sensualidade
Conheça cinco projetos que tratam de visões bem diferentes para ensaios
no segmento e saiba mais sobre processo criativo, iluminação e direção
Grupo Único PDF PaD
POR LIVIA CAPELI

A IRWRJUDÀDGHQXHVHQVXDOLGDGHp
XPGRVJrQHURVPDLVUHFRUUHQWHV
HQWUHJUDQGHVIRWyJUDIRVKHUDQoD
TXHYHPGDDUWHFOiVVLFDJUHJDHPTXH
KRPHQVHPXOKHUHVHUDPHVFXOSLGRVHP
(PFDGDSURMHWRKiREMHWLYRVHFDPLQKRV
EHPGLVWLQWRVHQWUHWDQWRWRGRVRVFLQFR
FRPSDUWLOKDPGHXPPHVPRUDFLRFtQLRHP
DOJXQVWHPDV8PGHOHVpVREUHRFRQWDWR
FRPDPRGHORpSUHFLVRVHUFXLGDGRVRQD
PiUPRUHHGDIDVHUHQDVFHQWLVWDGDSLQWXUD KRUDGHGLULJLUDFHQDHYLWDUWRFDUQDSHVVRD
EDVHSDUDHVWXGRVGDDQDWRPLD+iYiULDV HVDEHUFRPRGHL[iODjYRQWDGHGHPDQHLUD
IRUPDVGHDERUGDURWHPDFRPRSRGHUiVHU SURÀVVLRQDOHpWLFD
FRQIHULGRQRVFLQFRSURMHWRVVHOHFLRQDGRV 2VFLQFRWDPEpPFRQFRUGDPHPRXWUR
SRUFotografeFRPREUDVGRVEUDVLOHLURV SRQWRDIRWRJUDÀDGHQXHVHQVXDOLGDGH
-XQLRU/X]'RXJODV3LQKHLUR)HUQDQGR SUHFLVDWHUXPDUHODomRGHFRQÀDQoDH
6FKODHSIHUH9LOGQHL$QGUDGHHGDFRORPELDQD VHJXUDQoDHQWUHRVGRLVODGRVHLVVRÀFD
0HOLVVD&DUWDJHQD6mRSURÀVVLRQDLVTXH HYLGHQWHQRUHVXOWDGRÀQDO&RQÀUDQDVSiJLQDV
VHJXHPYHUWHQWHVGLIHUHQWHVGHOLQJXDJHP VHJXLQWHVRWUDEDOKRGRVFLQFRHVSHFLDOLVWDV
SRUpPFRPXP~QLFRSURSyVLWRHPFRPXP YHMDFRPRFDGDXPWUDEDOKDHFRQÀUDGLFDVGH
IRWRJUDIDUDQXGH]HDVHQVXDOLGDGH OX]GLUHomRHSURFHVVRFULDWLYR

O nu e a sensualidade
podem fazer parte de uma
criação artística, como nesta
imagem feita por Júnior Luz

30 Fotografe Melhor no 273


ética
A relação
entre fotógrafo e
modelo deve ser
baseada na ética
e no respeito
mútuo

-XQLRU/X]
Grupo Único PDF PaD

Fotografe Melhor no 273 31


MATÉRIA DE CAPA

Fotos:-~QLRU/X]
O projeto do
fotógrafo goiano
procura juntar JUNIOR LUZ
Grupo Único PDF PaD
a visão que ele 7UDQVIRUPDUDIRWRJUDÀDGHQXH LGHDOL]DDPDTXLDJHPRVÀJXULQRVHRV
tem de arte com VHQVXDOLGDGHHPXPSURFHVVRGHDUWHpR FHQiULRVSODQHMDGRVSRUHOH1RUPDOPHQWH
imagens de nu SURMHWRGH-XQLRU/X]TXHVHFRPSURPHWH WDQWRRVHQVDLRVSDUDFOLHQWHVTXDQWRRV
FRPDOLEHUGDGHFULDWLYDSDUDRIHUHFHU SURMHWRVDXWRUDLVIHLWRVSHORFDVDOWrPXP
e sensualidade, HQVDLRVjVPXOKHUHVTXHEXVFDPXP FXVWRPtQLPRGHGLQKHLUR6mRXPDPDQHLUD
tanto para as WUDEDOKRTXHIXMDGROXJDUFRPXPHGHVHMDP GHPRVWUDUSDUDDVSHVVRDVTXHpSRVVtYHO
produções VHUYLVWDVFRPRSDUWHGHXPDREUDDUWtVWLFD SURGX]LULPDJHQVRXVDGDVFRPPXLWR
eDFRPSDQKHLUD0LFKHOOH&RUGHLUR SRXFR%DVWDVHUFULDWLYR
autorais quanto DUWLVWDSOiVWLFDSURGXWRUDHJUDQGH (OHVWLUDPSURYHLWRGHWXGRGHIROKDV
para as feitas LQFHQWLYDGRUDGRIRWyJUDIRJRLDQRTXHP VHFDVGRTXLQWDOGHFDVDDSHGDoRVGHWHFLGRV
com clientes

Na obra A Criação,
ao lado, o fotógrafo
tirou os mamilos
da modelo para
representar uma
dubiedade de gênero

32 Fotografe Melhor no 273


Na obra Magical, o
aprisionamento do
corpo se contrapõe
à sensualidade

Grupo Único PDF PaD

DRYHQWR-XQLRU/X]WDPEpPWHPPXLWD VXUUHDLVSDUDDPXOKHUVHYHUPHVPRGHXPD As fotos de Junior


DWUDomRSRUFRUHVWH[WXUDVHRHIHLWRREWLGR PDQHLUDGLIHUHQWHRQGHHODGHVHMDVHUXPD Luz buscam criar
FRPOX]HPiTXLQDGHIXPDoD´2REMHWLYRp IDGDXPDVHUHLDRXXPDSULQFHVDPDVVHP uma atmosfera de
FULDUXPDDWPRVIHUDGHIDQWDVLDHPFHQiULRV FOLFKrVµH[SOLFDHOH nudez com fantasia

Fotografe Melhor no 273 33


MATÉRIA DE CAPA

natural
O fotógrafo Grupo Único PDF PaD
usa a luz do
sol e apenas um
rebatedor em
90% das suas
produções

A NATUREZA COMO
PLANO DE FUNDO
+RMHYLYHQGRHPXPDFDVDGH WDPEpPJRVWDHQWUHWDQWRGHFULDU QDKRUDGRFOLTXHWHPHVVHDVSHFWR
IUHQWHSDUDRPDUHP)ORULDQySROLV WRQVFRORULGRVQDVSURGXo}HVSRU VXUUHDOPHVPRHPXLWDJHQWHDFKD
6& RJRLDQRGL]TXHRFRQWDWRPDLRU LVVRUHFRUUHDODQWHUQDVVLPSOHVHXP TXHpPDQLSXODomRGH3KRWRVKRS
FRPDQDWXUH]DRDMXGDDGHVHQYROYHU EDVWmRGH/('GHWUrVFRUHV5*%( 2TXHIDoRpSRWHQFLDOL]DUDOX]H
GHPDQHLUDPDLVFODUDDLGHLDSDUDRV QDKRUDGHIRWRJUDIDUWHPHPPmRV DVFRUHV1HPPHVPRH[DJHURQD
HQVDLRV(PGRVFDVRVDVVHVV}HV GXDV'6/5V&DQRQD(26';0DUN SHOHSRLVQmRJRVWRGDTXHOHDVSHFWR
VmRH[WHUQDVEXVFDQGRVHPSUH ,,HD(26'0DUN,,3UHIHUHOHQWHV HPERUUDFKDGR*RVWRWDPEpPGH
FHQiULRVH[yWLFRVHPPHLRDDUHLD OXPLQRVDVHWDPEpPWHPLQFOXtGRXP XVDUDOJXQVDSOLFDWLYRVGHHIHLWR
iJXDGRPDUHYHJHWDomRUDVWHLUD GURQHQDVFDSWXUDVSDUDFRQVHJXLU FRPRR3L[$UWHDWpRSRSXODU
XVDQGRDVSDLVDJHQVQDWXUDLVFRPR kQJXORVGLIHUHQWHV 6QDSFKDWµFRQWD
SODQRGHIXQGR $SyVSURGXomRpIHLWDQR 2WUXTXHGRIRWyJUDIRSDUDGHL[DU
$OX]QDWXUDOpDPDLRUDOLDGD /LJKWURRPH3KRWRVKRSH-XQLRU/X] DVPRGHORVjYRQWDGHpEHPVLPSOHV
GRIRWyJUDIRTXHXVDDSHQDVXP JDUDQWHTXHQmRID]PDQLSXODomRGH DFOLHQWHSUHFLVDWHUFRQÀDQoDQR
UHEDWHGRUTXDQGRQHFHVViULR(OH LPDJHQV´DIRWRJUDÀDTXHSURGX]R SURÀVVLRQDO2FRQWDWRFRPHoDSHODV

34 Fotografe Melhor no 273


Maquiagem e
ÀJXULQRVÀFDPSRU
conta de Michelle
Cordeiro, casada
com Junior Luz

UHGHVVRFLDLVHSDVVDSDUD QLQJXpPHVWLYHVVHROKDQGR Quem é ele


Grupo Único PDF PaD
R:KDWV$SS´JRVWRTXHDV
SHVVRDVHVFXWHPPLQKDYR]
YRFrFRLVDVDVVLPµH[SOLFDHOH
TXHWHPFRPRUHIHUrQFLDVRV José Luiz Guimarães Junior
HQWmRIDoRiXGLRVSRLVDFUHGLWR DPHULFDQRV'DYLG/D&KDSHOOH no documento de identidade tem 37
anos e incorporou o Luz como nome
TXHLVVRSURSRUFLRQDPDLV H$QQLH/HLERYLW]'L]TXH
artístico. Ele fotografa há cerca de
VHJXUDQoDMiTXHDYR]WUD] HVWXGDUVREUHFLQHPD
Aqui e abaixo, o nove anos e diz ser um domador e
nu em que nada VHQWLPHQWRV'HSRLVRSURFHVVR DMXGDEDVWDQWHQRSURFHVVR encantador da luz, a matéria-prima
é mostrado, VHLQWHQVLÀFDDRYLYR1DKRUD FULDWLYR3RULVVRDRODGR que produz a magia com ingredientes
apenas sugerido GHGLULJLUFULRXPDDomRSDUD GDFRPSDQKHLUD0LFKHOOH básicos da fotografia: técnica,
TXHHODSRVVDGHVHQYROYHUWLSR DVVLVWHDDWpWUrVÀOPHVH criatividade e ousadia. Para divulgar
¶¶YHPYLQGRSDUDFiFRPRVH GRFXPHQWiULRVSRUGLD o trabalho, o goiano usa o Instagram
(@jrluzfotografia) como força principal
– tinha 175 mil seguidores até o
Fotos:-XQLRU/X]

fechamento desta edição. Porém,


sites de fotografia de várias partes
do mundo recebem as imagens de
Junior Luz, o que ajuda bastante na
visibilidade e na comercialização de
imagens como obras de arte. Para
saber mais, acesse: www.jrluz.art.
$UTXLYR3HVVRDO

Fotografe Melhor no 273 35


MATÉRIA DE CAPA
caseiro
A luz de uma
janela é a principal
matéria-prima
do fotógrafo
fluminense

Grupo Único PDF PaD


DOUGLAS PINHEIRO
Fotos:'RXJODV3LQKHLUR

7HQWDUUHSURGX]LUQDIRWRJUDÀDD
DWPRVIHUDGHLQWLPLGDGHHFRQIRUWRGH
XPTXDUWRXVDQGRDOX]GHMDQHODFRPR
DOLDGDpRSURMHWRGH'RXJODV3LQKHLURDR
SUHVWDUVHUYLoRVDPXOKHUHVTXHEXVFDPXP
HQVDLRVHQVXDO3DUDGHL[DURDPELHQWHHP
FOLPDFDVHLURHWDPEpPQmRVREUHFDUUHJDU
RRUoDPHQWRRIRWyJUDIRÁXPLQHQVH
GHFLGLXXVDUDSUySULDFDVDFRPRHVW~GLR
´DLGHLDLQLFLDOHUDDGHIRWRJUDIDUQDFDVD
GHFDGDFOLHQWHPDVSHUFHELTXHLVVRQmR
DFRQWHFHULDSRLVHODVVHPSUHGL]LDPTXH
PRUDYDPFRPPXLWDJHQWHRXFRPSDLV
LUPmRVPmHµH[SOLFD
$YDQWDJHPGHXVDUDSUySULDUHVLGrQFLD
pTXH'RXJODVHVWiKDELWXDGRFRPD
OX]QDWXUDOTXHLOXPLQDRDPELHQWHH
DSUHQGHXDSRVLFLRQDUDVPXOKHUHVQRV
SRQWRVHVWUDWpJLFRVRQGHDLOXPLQDomRID]
RPHOKRUGHVHQKRQRFRUSRGHODV$VVLP
QRUPDOPHQWHDVLPDJHQVVmRIHLWDVEHP

Fazer ensaios de nu
e sensualidade com
simplicidade é o
objetivo do projeto

36
O espelho é outro
recurso usado por
Pinheiro, que dá um
clima voyeur às
fotos que produz

Percebi
que não daria
certo fazer os
ensaios na casa
da cliente e
passei a fazê-los
na minha casa,
onde o clima é
sempre de ética e
de muito respeito
às mulheres
Douglas Pinheiro

Grupo Único PDF PaD

SUy[LPDVGDVMDQHODVGRDSDUWDPHQWRFRP OXPLQiULDRXXPDEDMXUTXHFRQWULEXLSDUD Uma luminária


OX]GLUHWDDOWHUQDQGRjYH]HVFRPXPD DTXHFHUDWHPSHUDWXUDGHFRUHIDYRUHFHU pode ser o
FRUWLQDSDUDGLIXQGLUDLOXPLQDomR DLQWHUDWLYLGDGHQDKRUDGDGLUHomRGD complemento da
)RUDLVVR'RXJODVWDPEpPJRVWDGH PRGHOR8VDDLQGDXPHVSHOKRSDUDUHEDWHU iluminação natural
PLVWXUDUDOX]GHMDQHODFRPDGHXPD DOX]HPDOJXQVFDVRV

Fotografe Melhor no 273 37


direção
O principal
desafio é fazer a
modelo relaxar e
se sentir segura
para posar
nua

Quem é ele Grupo Único PDF PaD


Morador de Niterói (RJ), Douglas
Pinheiro tem 41 anos. Ainda na
época do filme, em 1996, ele fez
um curso na Sociedade Fluminense
de Fotografia e trabalhou durante
sete anos em laboratório fotográfico.
Depois disso, acabou ingressando
no mercado imobiliário e atuou
durante oito anos como corretor
de imóveis. Com a crise, em 2015,
Douglas retornou ao mercado
fotográfico e desde então se dedica
somente a esse segmento, tendo se O DESAFIO DE DEIXAR
especializado em ensaios sensuais.
Para conhecer mais, acesse o
Instagram dele (11,8 mil seguidores
A MULHER À VONTADE
até o fechamento desta edição):
@douglaspinheirofotografia. )D]HUDFOLHQWHWLUDUDURXSDHGHL[i JDUJDOKDGD6mRFRLVDVTXHTXDVHVHPSUH
ODjYRQWDGHGLDQWHGHXPDFkPHUDTXH IXQFLRQDPµHQVLQDHOH
WHPSRUWUiVXPGHVFRQKHFLGRQmRp $P~VLFDWDPEpPFRQWULEXLEDVWDQWH
WDUHIDIiFLOPDV'RXJODV3LQKHLURDÀUPD SDUDFULDURFOLPDLQWLPLVWDSURMHWDGR
TXHXPDFRQYHUVDSUpYLDVHPSUHDMXGD SHORIRWyJUDIR6HJXUDUREMHWRVFRPR
$VHVWUDWpJLDVDLQGDHQYROYHPDOJXQV XPDFDQHFDRXEULQFDUFRPRVELFKLQKRV
WUXTXHVVLPSOHVFRPRSHGLUSDUDTXH GHHVWLPDomRGDFDVDVmRHVWtPXORV
DFOLHQWHQmRROKHGLUHWDPHQWHSDUDHOH SURYHLWRVRVWDQWRSDUDDGLUHomRTXDQWR
HQTXDQWRSRVDHUHDOL]HPRYLPHQWRV SDUDDQDUUDWLYDGRWUDEDOKR(TXDQGR
GHOLFDGRVHVXDYHVGXUDQWHRVUHJLVWURV QDGDPDLVIXQFLRQD'RXJODVDLQGDWHQWD
´'RXDOJXQVFRPDQGRVFRPRSHGLUSDUD PRVWUDUFRPRGHVHMDXPDSRVHXVDQGRR
HODVSUHQGHUHPRFDEHORVHHVSUHJXLoDUHP SUySULRFRUSRFRPRUHIHUrQFLD(OHDÀUPD
$XWRUUHWUDWR

RXVLPSOHVPHQWHROKDUHPSHODMDQHOD TXHIXQFLRQDQDPDLRULDGDVYH]HV
(PDOJXQVPRPHQWRVWDPEpPSHoRSUD 3DUDUHDOL]DURVHQVDLRVXVDD1LNRQ
HODVIHFKDUHPRVROKRVRXGDUHPXPD 'FRPXPDOHQWHPPI$

38 Fotografe Melhor no 273


Grupo Único PDF PaD
Fotos:'RXJODV3LQKHLUR

Boa parte das


clientes de
Pinheiro vem
por indicação de
alguém que já
posou para ele

SyVSURGXomRpIHLWDSULPHLUDPHQWH DEUHFDPLQKRSDUDRXWUDVHQWUDUHP FOLHQWHVHQWUHHDQRVPDVHOH


QR/LJKWURRPHGHSRLVRVDMXVWHV HPFRQWDWR1HPWRGDVIHFKDP SHUFHEHXTXHGHXQVWHPSRVSDUDFiR
ÀQRVQR3KRWRVKRSFRPRRGH DOJXPDVTXHUHPHVSHUDURUHVXOWDGR SHUÀOGHFOLHQWHWHPPXGDGREDVWDQWH
UHPRYHUPDQFKDVPDUFDVFLFDWUL]HV GHXPDGLHWDMiRXWUDVDQVHLDPSRU ´$VGHTXDUHQWDHDWpDVGHVHVVHQWD
HDWpDOJXQVDMXVWHVGHPHGLGDV ID]HUXPDWDWXDJHPDQWHVGHID]HU WrPPHSURFXUDGR,VVRPHGHL[DPXLWR
DOpPGHFRUUHomRGHOX]HFRUWHV RHQVDLR´eXPQHJyFLRTXHWHPD IHOL]SRLVGHFHUWDIRUPDLQWHUSUHWR
-iDGLYXOJDomRGRWUDEDOKRpYLD YHUFRPDXWRFRQÀDQoDHDXWRHVWLPD FRPRFUHGLELOLGDGHFRQTXLVWDGD7HQGR
UHGHVVRFLDLVDOpPGRERPHYHOKR 3UHFLVDWHUSDFLrQFLDHQmRSRGHIRUoDU HPYLVWDTXHPXLWDVSHVVRDVDLQGD
ERFDDERFD6HJXQGRHOHORJRDSyV DEDUUDMDPDLVµHQVLQD WrPUHFHLRG~YLGDHPHGRHPSRVDU
IRWRJUDIDUDOJXpPDFDEDYLQGRD 2VHQVDLRVRIHUHFLGRVSRUHOHVmR SDUDHVVHWLSRGHHQVDLRHVVDUHVSRVWD
DPLJDDSULPDHDYL]LQKDSURFXUiOR SDUDPXOKHUHVGHWRGRVRVWLSRVGH SRVLWLYDpVLQDOGHFRQÀDQoDQRPHX
%DVWDDSULPHLUDWHUFRUDJHPTXHORJR FRUSRVHLGDGHV1RFRPHoRHUDP WUDEDOKRµDYDOLDHOH

Fotografe Melhor no 273 39


MATÉRIA DE CAPA

Grupo Único PDF PaD

O fotógrafo de
Pirassununga,
interior de
São Paulo,
busca locações VILDNEI ANDRADE
externas na sua 5HXQLUVHQVXDOLGDGHGRFRUSRIHPLQLQR ´-iWHYHFDVRGHDPRGHORGHLWDU
região que fujam QDWXUH]DH3 %HPXPPHVPRHVSDoRpR SHODGDHPFLPDGHIRUPLJXHLURHQmRPH
SURMHWRGH9LOGQHL$QGUDGHTXHSUHWHQGH FRQWDUQDGDHTXDQGRVHOHYDQWRXHVWDYD
do comum e só UHXQLUVHXVHQVDLRVGHÀQHDUWHPXPOLYUR SDUHFHQGRXPODUDQMDD]HGDGHWDQWR
trabalha com IXWXUDPHQWH(OHWHPFRPRPDUFDUHJLVWUDGD FDURoRQDVFRVWDV2XWURFDVRpDWDTXHGH
luz natural para DIRWRJUDÀDGHQXGH]HPORFDo}HV´H[yWLFDVµ DEHOKDV8PDYH]XPDHQWURXQRVFDEHORV
HIRLFRPRDGYRJDGRIRFDGRQDiUHDDJUtFROD GDPRGHOR(ODVDLXGHVHVSHUDGDFRUUHQGR
produzir fotos TXHFRQKHFHXID]HQGDVHPWRGRRLQWHULRUGR SHODGDSRUXPDHVWDomRDEDQGRQDGDHIRL
sempre em P&B (VWDGRGH6mR3DXORFHQiULRSHUIHLWRSDUDRV SHJDHPÁDJUDQWHSHORVWUDEDOKDGRUHVTXH
HQVDLRV'HID]HQGDVFHQWHQiULDVGHVDELWDGDV FDSLQDYDPDOLSRUSHUWRµFRQWDHOH
DHVWDo}HVGHWUHQVDEDQGRQDGDV9LOGQHLWLUD (OHOHYDGXDV'6/5V&DQRQSDUDRV
SURYHLWRGRVHOHPHQWRVFHQRJUiÀFRVTXH HQVDLRVD(26'HD(26'HIRWRJUDID
HQFRQWUDFRPRSHGUHLUDVH[WUDWRUHVGHDUHLD FRPDDMXGDGHXPWULSpSRLVQDPDLRULD
FDPSRVHSDVWRV GDVYH]HVSUHIHUHDMXVWDUYHORFLGDGHEDL[DH
$SHVDUGDEHOH]DSURSRUFLRQDGDSDUDD DEHUWXUDVDFLPDGHI²LVVRID]RDMXGD
IRWRJUDÀDGHQXDVORFDo}HVXVDGDVSRUHOH DIRWRJUDIDUFRP,62EDL[RVHPTXHKDMD
WrPVHXVSHULJRVeFRPXPHQFRQWUDUGH UXtGRGLJLWDOQDVLPDJHQV2FRQMXQWRGH
DEHOKDVDHVFRUSL}HVHFREUDVYHQHQRVDV OHQWHVDGRWDGRSRUHOHVmRDPPI
2UHVXOWDGRGRWUDEDOKRpyWLPRPDVVmR DPPIDPPIHSDUD
PXLWRVSHUUHQJXHVYLYLGRVSHORIRWyJUDIR DOJXQVGHVIRTXHVXPDPPI

40 Fotografe Melhor no 273


O projeto de Vildnei Andrade é produzir material em estilo ÀQHDUW para um livro apenas de imagens em P&B,
Grupo Único PDF PaD
que poderá ser em parceria com o colega Guilherme Lechat, de São Carlos, também no interior paulista
Fotos:9LOGQHL$QGUDGH

Fotografe Melhor no 273 41


MATÉRIA DE CAPA

regra
Jamais tocar
na modelo
é uma máxima
que o fotógrafo
leva muito a
sério Grupo Único PDF PaD

TIRAR PROVEITO
DA LUZ NATURAL
&RPRQmRKiHQHUJLDHOpWULFDQR HSDVVDSRUFRPDQGRVEHPFODURV VHYHUPDLVVH[\HDWUDHQWHHLVVR
PDWRDOX]GRVROpDPDLRUDOLDGD HSRQWXDLV1DGDGHODFRQLVPRV SRGHVLJQLÀFDUTXHHODHVWiFRPEDL[D
GRIRWyJUDIRTXHUDUDPHQWHXVDXP HSDODYUDVG~ELDV(OHH[SOLFDTXH DXWRHVWLPD´(YLWHTXHHODVHOHPEUH
UHEDWHGRUSDUDSUHHQFKHUVRPEUDV XPDUHJUDQmRSRGHVHUPXGDGD GLVVRYiQDGLUHomRFRQWUiULD)DoD
DFHQWXDGDV8PDSDUHOKRTXH QHPHVTXHFLGDMDPDLVWRFDUQD SHTXHQRVHORJLRVPDVFRPFDOPD
WUDQVIRUPDRV9GDEDWHULDGRFDUUR PRGHOR4XDOTXHUFRLVDTXHWHQKD SDUDQmRSDUHFHUIDOVRµUHFRPHQGD
HP9pD~QLFDIRQWHGHHQHUJLD TXHVHUIHLWDHPUHODomRDWRFDUQD $VPXOKHUHVIRWRJUDIDGDVSRGHPVHU
SDUDOLJDUXPYHQWLODGRUTXHVHUYHSDUD SHVVRDGHYHVHUIHLWDSRUDOJXpP FOLHQWHVTXHRFRQWUDWUDPRXDPLJDV
GDUPRYLPHQWRDRFDEHORGDPRGHOR H[FOXVLYDPHQWHHVFROKLGDHWUHLQDGD TXHFRODERUDPFRPVHXWUDEDOKR
(TXHPVHDWUHYHDIRWRJUDIDU SDUDLVVRRXVHMDXPWUDEDOKRDVHU DXWRUDO
HPPHLRjQDWXUH]DWHPVHPSUHD IHLWRSRURXWUDPXOKHU 1DKRUDGHGLYXOJDUVHXV
RYDLYpPGDVQXYHQVRTXHSRGH ´$PDQHLUDGHIDODUFRPDPRGHOR WUDEDOKRV9LOGQHL$QGUDGHXVD
GHL[DUDLOXPLQDomRFRPSURPHWLGD GHYHVHUVpULDGLUHWDHREMHWLYDPDV DLQWHUQHWHDOJXPDVUHYLVWDV
(PFDVRVDVVLP9LOGQHLUHFRUUHDR VHPSDUHFHUXPJHQHUDOFRPDQGDQGR LQWHUQDFLRQDLV(OHGL]TXHMiWHYH
/LJKWURRPDSHQDVSDUDDMXVWDUDOX]H DWURSD6HMDFODURHSRQWXDO8PD SUREOHPDVFRPVXDVIRWRVQDV
FRUULJLURVWRQV$SyVSURGXomRGHOH SDODYUDPDOH[SUHVVDGDSRGHDFDEDU UHGHVVRFLDLVSRLVHVEDUURXHP
pPDLVYROWDGDjFRQYHUVmRSDUDR FRPDVHVVmR8VHYRFDEXOiULR GLÀFXOGDGHVFRPREORTXHLRVGH
3 %(OHIRWRJUDIDHP5$:HGHSRLV FRORTXLDOQDGDGHWHFQLFDOLGDGHH FRQWDGHYLGRDRFRQWH~GRRX
WUDEDOKDRDUTXLYRQR3KRWRVKRS H[LELFLRQLVPRVµHQVLQDRIRWyJUDIR GHQ~QFLDGHDOJXQVXVXiULRVPHQRV
$GLUHomRGHFHQDFRPHoDFRP (OHH[SOLFDTXHHPPXLWRVFDVRV WROHUDQWHVjDUWHTXHFRQVLGHUDUDP
XPERPEDWHSDSRFRPDPRGHOR DPRGHORHVWiID]HQGRDVHVVmRSDUD DVSXEOLFDo}HVGHOHRIHQVLYDV

42 Fotografe Melhor no 273


Quem é ele
Morador de Pirassununga, interior de
São Paulo, Vildnei Andrade, 58 anos,
abandonou a carreira de advogado para
se dedicar à fotografia. Ele produz tanto
ensaios para clientes quanto projetos
autorais de nu fine art. Ele mesmo é o
produtor e arca com todos os custos
e despesas. Além disso, os trabalhos
autorais são usados em exposições e
já foram publicados em doze revistas
estrangeiras dos Estados Unidos, Reino
Unido, Rússia, Itália, França, Austrália e
Índia. Para conhecer mais sobre o trabalho
dele, acesse: www.vildneifotografias.
wixsite.com.

&ODXGLD0DULD
Fazendas na região
Grupo Único PDF PaD
onde mora Vildnei
são bastante usadas As modelos dos ensaios
como locações são geralmente amigas ou
clientes do fotógrafo
Fotos:9LOGQHL$QGUDGH

43
Fotos:0HOLVVD&DUWDJHQD
Nos seus ensaios, a
fotógrafa colombiana
procura criar histórias

MELISSA CARTAGENA
$LGHLDGHIRWRJUDIDUPXOKHUHVQXDVFRPHoRXDRVDQRV
Grupo Único PDF PaD
&RPXPSURMHWRDXWRUDOLQWLWXODGRGHDócilDFRORPELDQDMi
FKHJRXjPDUFDGHPLOLPDJHQVVHQVXDLVGHPXOKHUHV2IRFR
GRWUDEDOKRpFRQVWUXLUHQVDLRVVHQVXDLVXVDQGRQDUHFHLWD
PXLWDOX]DPELHQWHXPWRTXHGHSURGXomRGHFHQDHWRGRR
SRGHUGDVKLVWyULDVGHYLGDGHJDURWDVUHDLV
$VHVFROKDVGRVFHQiULRVVmRRSRQWRGHSDUWLGDGH0HOLVVD
TXHFXLGDSHVVRDOPHQWHGDFRPSRVLomRGRVDGHUHoRVHGD
FRPELQDomRGHOHVFRPDVORFDo}HV1DVIRWRVTXHSURGX]
SUH]DSHODGLUHomRGHDUWH&DGDHOHPHQWRpLQVHULGRQDFHQD
FRPRREMHWLYRGHFULDUXPDKLVWyULDSDUDRHQVDLR8PWHOHIRQH
UHWU{SRUH[HPSORSRGHVHUDFKDYHSDUDDGLUHomRGHFHQDH
DMXGDUDFULDUDQDUUDWLYD
$VUHGHVVRFLDLVWrPVLGRXPDIHUUDPHQWDGHWUDEDOKR
LPSRUWDQWHSDUDGLIXQGLUDVLGHLDVGH0HOLVVDTXHJRVWDVHPSUH
GHSRVWDUIRWRVFRPOHJHQGDVGHIUDVHVHLGHLDVLPSDFWDQWHV
$DXGLrQFLDGDFRQWDQR,QVWDJUDPDSHUPLWLXH[SRUR
WUDEDOKRDXWRUDODOpPGHDMXGiODDVHFRQHFWDUFRPSHVVRDV
GLIHUHQWHVGHGLYHUVDVUHJL}HVGRPXQGRHFRPSDUWLOKDUVXD
DUWH-iDHVFROKDGDVPXVDVSDUDRSURMHWRDXWRUDOVHEDVHLD
SULQFLSDOPHQWHQDKLVWyULDGHYLGDGHODVHGRSRGHUTXHFDGD
XPDWHP0XLWDVYrPGHORQJHRXDFRORPELDQDVHGHVORFDGH
UHJLmRRXSDtVHPXPHVIRUoRSDUDJDUDQWLUDPHOKRUKLVWyULD
3DUDTXHPTXHUVHJXLUQDiUHDDVXJHVWmRGDFRORPELDQD
GHDQRVGHLGDGHpHVWXGDUEDVWDQWHKLVWyULDGDDUWHQXQFD
GHVLVWLUGRVVRQKRVHQmRWHUPHGRGHH[SHULPHQWDU´%XVTXH
VHXFDPLQKRSRLVDYLGDpFRPSOHWDHYRFrQXQFDYDLHVWDU
HUUDGRVyHVWDUiVHJXLQGRVHX
A fotógrafa faz
questão de escolher FRUDomR2EULJDGDSHORVRWLPLVWDVTXH
os adereços e os PHPRWLYDUDPHSHORVSHVVLPLVWDVTXH
objetos de cena PHDMXGDUDPDSURYDUTXHSRVVRVHU
para os ensaios FDSD]µGHFODUDHOD

44 Fotografe Melhor no 273


frases
Melissa gosta
de postar fotos
com ideias que
possam causar
impacto

Grupo Único PDF PaD

0HOLVVDXVDÀOPH
colorido em suas
produções, e isso
ÀFDHYLGHQWHQD
textura das fotos

Fotografe Melhor no 273 45


MATÉRIA DE CAPA

Fotos:0HOLVVD&DUWDJHQD
Melissa Cartagena
prefere luz natural, mas
XVDÁDVKHOX]FRQWtQXD
quando necessário
USO
GrupoDE FILME
Único É
PDF PaD
Quem é ela
O DIFERENCIAL
Melissa Cartagena é de 0HOLVVDGL]TXHVXDLOXPLQDomRGHSHQGH
Medellín, na Colômbia, conhecida no PXLWRGDORFDomRGRHVWLORGHSURGXomRGH
Instagram como @perazna (somava FHQDHGDGHFRUDomR)ODVKHOX]FRQWtQXD
331 mil seguidores até o fechamento VmRRSo}HVPXLWRXWLOL]DGDVSRUHODPDV
desta edição). Com DNA profissional DOX]QDWXUDOpDIDYRULWD´2REMHWLYRp
que une fotografia e direção de arte, EXVFDUDOJRVXDYHHKRPRJrQHRHPLWLQGR
a jovem colombiana de 25 anos é QDWXUDOLGDGHHLQWLPLGDGHµGL]
graduada em direção de cinema. E,
$H[SHULrQFLDFRPRXVRGHFkPHUDV
além do projeto autoral, trabalha para
editoriais de revistas e campanhas GHÀOPHpRXWURSRQWRHQWXVLDVPDQWHGR
de moda. O projeto autoral com WUDEDOKRGDIRWyJUDIDTXHQmRTXLVUHYHODU
mulheres reais é dedicado à mãe e TXDORPRGHORGHFkPHUDDGRWDGRPDV
às tias de Melissa. Para saber mais IRLSRVVtYHOGHVFREULTXHHODXVDEDVWDQWH
sobre a fotógrafa, acesse: www. RÀOPHFRORULGRPP.RGDN3RUWUDGH
melissacartagena.co. ,62H²UHFXUVRTXHDVVHJXUD
RUHVXOWDGRUHWU{HFRPDDXWrQWLFD
JUDQXODomRVDXGRVLVWDGDHUDDQDOyJLFD
GDIRWRJUDÀD(ODFRQWDTXHWDPEpPID]
HQVDLRVFRPD'6/51LNRQ'
(QTXDGUDPHQWRVHFRUWHVRXVDGRV
PDUFDPRHVWLORGH0HOLVVD&DUWDJHQDTXH
WHPXPDOLQJXDJHPIDVKLRQPXLWRSUHVHQWH
QRVWUDEDOKRVGHQXHVHQVXDOLGDGHTXH
SURGX]$OpPGDLQÁXrQFLDSURYHQLHQWHGR
FRQWDWRTXHWHYHFRPRPXQGRHGLWRULDO
$UTXLYR3HVVRDO

HFDPSDQKDVGHPRGDXPDGDVJUDQGHV O contato com o mundo fashion


LQVSLUDo}HVYHPGDPmHGHODTXHp inspira a colombiana na linguagem
DSDL[RQDGDSHORXQLYHUVRGDPRGD que adota para seus trabalhos

46 Fotografe Melhor no 273


Tenho
como meta nos
ensaios buscar
algo suave e
homogêneo,
que transmita
naturalidade e
intimidade
Melissa Cartagena

Grupo Único PDF PaD

Melissa escolhe
suas modelos
colaboradoras
baseada na história
de vida delas

Fotografe Melhor no 273 47


MATÉRIA DE CAPA

365 nus
Durante um
ano o fotógrafo
clicou uma pessoa
nua por dia,
homem ou
mulher

Fotos:)HUQDQGR6FKODHSIHU
FERNANDO
Grupo Único PDFSCHLAEPFER
PaD
'XUDQWHGLDVLQLQWHUUXSWRVRFDULRFD
)HUQDQGR6FKODHSIHUSXEOLFRXIRWRVGH
SHVVRDVQXDVHPXPSURMHWRTXHWLQKD
FRPRREMHWLYRURPSHUWDEXVHTXHEUDU
SDGU}HVHVWpWLFRV(UDGHDEULOGH
GLDGRDQLYHUViULRGHOHTXDQGRDLQLFLDWLYD
IRLODQoDGDQRVLWH www.365nus.com(R
SULPHLURUHWUDWRHUDGRDY{XPQDWXULVWD
ÀJXUDTXHLQVSLURXHDSUHVHQWRXDR
IRWyJUDIRDYLVmROLEHUWDGRUDGHFRPRpOLGDU
FRPDQXGH]FRPQDWXUDOLGDGH
)HUQDQGRSHUGHXDVFRQWDVGRQ~PHUR
GHYH]HVTXHIRLEORTXHDGRQDVUHGHVVRFLDLV
SRUFRQWH~GRLPSUySULRHDLQGDDVVLPQmR
GHVLVWLXGDLGHLDGHSURYDUTXHDIRWRJUDÀD
GHQXYDLDOpPGHPRVWUDUyUJmRVVH[XDLV
HPGHVWDTXH´$LGHLDGRSURMHWRQXV
VXUJLXHPXPPRPHQWRHPTXHHXHVWDYD
EDVWDQWHDWRODGRGHWUDEDOKRQRPHUFDGR
GDPRGDHDQGDYDEHPFDQVDGRGHWHUTXH
VHJXLUSDGU}HVHQmRWHUOLEHUGDGHSDUD
FULDU2VLPSOHVIDWRGHQmRSUHFLVDUHVFROKHU
SHVVRDVSDUDIRWRJUDIDUTXHDWHQGHVVHP
DXPDHVWpWLFDGHEHOH]DSDGURQL]DGDPH
GHL[DYDHPSROJDGRµOHPEUD

O projeto de nus diários


foi uma forma de Fernando
Schlaepfer ter mais liberdade
FULDWLYDQDIRWRJUDÀD

48
Por morar no Rio de Janeiro (RJ) e adorar o mar, a água foi um elemento bastante usado pelo fotógrafo
nas produções que fazia diariamente para cumprir a meta do projeto, que teve 365 pessoas diferentes

Grupo Único PDF PaD

2IRWyJUDIRFRQWDTXHQmRIRLGLItFLO SDUWLFLSDUGHSURQWLGmR'HSRLVTXHR FRPHoDUDPDSHGLUSDUDSDUWLFLSDU


HQFRQWUDUPRGHORVSDUDFRODERUDU WUDEDOKRÀFRXFRQKHFLGRDVSHVVRDV WDPEpP)RUDPSHVVRDVGLIHUHQWHV
FRPRSURMHWR2FRQYLWHIRLIHLWR TXHMiDFRPSDQKDYDPDVSXEOLFDo}HV DQ{QLPDVHFHOHEULGDGHVGHGLYHUVDV
SULPHLURSDUDRVDPLJRVTXHDFHLWDUDP SHUFHEHUDPTXHHUDDOJRVpULRH LGDGHVJrQHURVHWLSRVItVLFRV

Fotografe Melhor no 273 49


MATÉRIA DE CAPA

estreia
Quem é ele A maioria das
Fernando Schlaepfer, 34 pessoas posou nua
anos, começou aos 15 anos pela primeira vez e
fotografando amigos do skate. o projeto mobilizou
Pouco depois, foi chamado por
algumas marcas do meio para
gente mundo
trabalhos pagos. Na faculdade de afora
Comunicação Visual, começou
uma relação mais próxima com
a moda e a publicidade, onde se
estabeleceu, tendo fotografado
campanhas, editoriais e peças
publicitárias para marcas como
Adidas, Nike, Puma, Reserva,
Wöllner, Warner, Skol e Gatorade.
Também teve imagens autorais
e editoriais publicadas em capas
e matérias de importantes
jornais e revistas nacionais e
internacionais. Paralelamente,
atua com DJ, tocando em festas
e festivais. Para saber mais,
acesse o Instagram dele (113
mil seguidores até o fechamento
desta edição): @anendfor.

Grupo Único PDF PaD

Fotos:)HUQDQGR6FKODHSIHU
$XWRUUHWUDWR

PELADOS POR TODOS OS LADOS


)HUQDQGRFRQWDTXHDPDLRULDGDV HPGHVHUWRVQRWRSRGHPRQWDQKDV FHQDOX]GRVROOX]GHMDQHODHDWpOX]
SHVVRDVTXHIRWRJUDIRXHVWDYDSRVDQGR GHEDL[RG·iJXDHDWpHPORFDLVS~EOLFRV QHRQGRDPELHQWH&RPRHTXLSDPHQWR
QXDSHODSULPHLUDYH]HFRPRTXHULD FRPROLQKDVGHWUHQVQR/RV$QJHOHV XVRXYiULRVUHFXUVRVSDUDH[SHULPHQWDU
TXHHODVVHVHQWLVVHPFRQIRUWiYHLVH 5LYHU (8$ HQRHOHYDGR&RVWDH6LOYD HFDSWXUDURVUHWUDWRVGHVGHXP
VHJXUDVSURSXQKDDFDGDXPDHVFROKHU R0LQKRFmR 6mR3DXOR ´8PDYH] VPDUWSKRQHL3KRQHFkPHUDV
XPORFDOVLJQLÀFDWLYRSDUDHODV$VGXDV HVWDYDIRWRJUDIDQGRHPXPGHVVHV GHVFDUWiYHLVGHÀOPH.RGDNDQDOyJLFDV
~QLFDVH[LJrQFLDVHUDPTXHRORFDO ORFDLVS~EOLFRVHDOJXpPYLXHFKDPRX 3HQWD[.H1LNRQ)0DOpPGH
SHUPLWLVVHRFRQWUROHWRWDOGDOX]HTXH DSROtFLDTXHTXDVHPHSUHQGHXSRU '6/5VFRPRD1LNRQ'HD&DQRQ
IXJLVVHGRyEYLRHGD]RQDGHFRQIRUWR DWHQWDGRDRSXGRU)RLEHPFKDWRH (260DUN,,DOpPGDUDQJHÀQGHU
RTXDUWRGDFDVDGHODVSRUH[HPSOR)RL YHUJRQKRVR0DVQRÀQDOGHXWXGR GLJLWDO/HLFD0
DVVLPTXHVXUJLUDPFOLTXHVHPYiULDV FHUWR6XJLURSDUDTXHPSUHWHQGHID]HU $HGLomRWDPEpPSUHFLVRXVHU
SDUWHVGRPXQGR'HVFREULQGRFDQWRV LVVRTXHpPHOKRUVHFHUFDUGHFXLGDGRV UiSLGDGHYLGRDRÁX[RHjSURSRVWDGD
SHUGLGRVHQWUHDSRQWHDpUHD5LR6mR HVHSUHFDYHUµDOHUWDHOH SRVWDJHPGLiULD&RPLVVRR$GREH
3DXORDOpPGH%UDVtOLD5HFLIH&URiFLD 'XUDQWHDVHVVmRGHIRWRV)HUQDQGR &DPHUD5DZIRLRUHFXUVRPDLVXVDGR
5HS~EOLFD&KHFD(VSDQKDH(8$ GL]TXHWHQWDYDVHURPDLVSUiWLFRH TXDQGRIRWRJUDIDYDFRPDVGLJLWDLV$V
$EXVFDSRUFRQHFWDUROXJDUjV QDWXUDOSRVVtYHO6HPOHYDULOXPLQDomR IRWRVQmRUHFHEHUDPQHQKXPWLSRGH
SHVVRDVOHYRXRIRWyJUDIRDIRWRJUDIDU H[WUDXVDYDRTXHHVWDYDGLVSRQtYHOQD UHWRTXHRXPDQLSXODomRVHJXQGRHOH

50 Fotografe Melhor no 273


Tudo começou com a família e
amigos; depois que o projeto
engrenou, pessoas procuravam o
fotógrafo para posar para ele

Grupo Único PDF PaD

O avô de Fernando (ao


lado), um naturalista, foi
o primeiro a posar nu

Nesse
projeto, eu nunca
tive compromisso
com padrões de
beleza e estética,
e essa liberdade
foi uma das coisas
que mais me
empolgaram
Fernando Schlaepfer

Fotografe Melhor no 273 51


Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
FOTOGRAFIA DE NATUREZA

Pinguins-de-barbicha,
próximos da Ilha
Decepção, saltando
em frente a um iceberg

Grupo Único PDF PaD

Aventura na
Antártica
Veja detalhes de uma expedição fotográfica para o extremo sul do
planeta que reuniu um grupo de 12 pessoas a bordo de um veleiro

J
POR ANDRÉ DIB

á era meia-noite e o grupo madrugada clara das altas latitudes. habilitado capitão amador pela
ainda fotografava o entardecer Durante o verão antártico, e quanto Marinha com cerca de 30 mil milhas
na Antártica. Do alto da mais próximo ao Círculo Polar, a luz do navegadas. Charlie foi chefe de
colina, era possível presenciar o sol dia é quase ininterrupta. Por mais de mergulho da família Schurmann na
tocar as águas do Mar de Drake, e a um mês, o sol nunca se põe durante WUDYHVVLDGR2FHDQR3DFtÀFRHP
temperatura pouco abaixo de zero as 24 horas do dia. e tripulante de sete barcos polares,
incomodava, mas nada que tirasse o Essa história começou oito meses DWpTXHHPFRPSURXRSUySULR
ânimo do pessoal. Era uma chance antes, quando encontrei o amigo veleiro, batizado de Fernande.
única de explorar as luzes sublimes da Charlie Flesch, biólogo brasileiro, Barco preparado para navegar em

54 Fotografe Melhor no 273


gelado
Mesmo no verão
a temperatura é
de cerca de zero
grau e o vento faz
Grupo Único PDF PaD o frio aumentar
sensação

condições adversas, com ele liderou outras


quatro expedições pelos mares bravios do
extremo sul já como capitão. Eu havia pisado
na Antártica com a marinha chilena para
SURGX]LUXPDUHSRUWDJHPHP&KDUOLH
conhecia minha trajetória como fotógrafo
de alta montanha e de lugares isolados, de
difícil acesso. A partir daí falamos sobre a
possibilidade de levar um grupo para uma
Fotos: André Dib

H[SHGLomRIRWRJUiÀFDDRFRQWLQHQWHJHODGR
A Antártica está no imaginário de
fotógrafos de natureza de várias partes
do mundo. Entretanto, poucos têm a
oportunidade de ir até lá. Com isso em
mente e querendo fugir do modelo de com independência para fotografar – ao Um pinguim-gentoo
turismo convencional, planejei com Charlie contrário do que sugere os roteiros comuns DOLPHQWDQGRRÀOKRWH
XPDYLDJHPGHGLDVDERUGRGRYHOHLUR a bordo de transatlânticos, quando, na a natureza selvagem
GHQWURGHXPDSHUVSHFWLYDIRWRJUiÀFDH maior parte das vezes, se assiste a Antártica da Antártica é um dos
atrativos para fazer a
convidei alguns fotógrafos interessados em de longe, com pouquíssimas possibilidades longa viagem
conhecer aquela região inóspita e ímpar, de desembarque.

Fotografe Melhor no 273 55


FOTOGRAFIA DE NATUREZA

Grupo Único PDF PaD


PERIGOSA TRAVESSIA
Acima, os veleiros
Fernande e Sarah
NO MAR DE DRAKE
atracados no mar
congelado, próximo 2JUXSRHUDSHTXHQRGH HPSUHLWDGD(PMDQHLURGH]DUSDPRV
ao Canal de Lemaire; pessoas, entre elas o capitão Charlie, de Ushuaia, Argentina, extremo sul do
abaixo, uma dois tripulantes e oito fotógrafos, além continente sul-americano, já sabendo
foca-caranguejeira de mim, que iria orientar o grupo nessa que viajar para lá não é tarefa fácil. Para
se chegar a Antártica, é preciso vencer
a temível travessia do Mar de Drake. O
nome faz referência a um corsário inglês,
destemido navegador que deu a volta
DRPXQGRQRVpFXORHTXHWUDEDOKRX
para a rainha da Inglaterra saqueando os
galeões espanhóis da época.
A passagem situa-se entre a extremidade
da América do Sul e a Península Antártica.
É conhecida por condições meteorológicas
difíceis, em que há a convergência das
iJXDVGRVRFHDQRV3DFtÀFRH$WOkQWLFR
sob tempestades, correntes divergentes e
RQGDVTXHFKHJDPIDFLOPHQWHDRVPHWURV
GHDOWXUD²RTXHMXVWLÀFDRWHPRUTXH
desperta nos marinheiros. Ciente disso, o
grupo rumou para a mítica passagem. Para
sorte de todos, a travessia se deu de forma
UHODWLYDPHQWHWUDQTXLODHRGHVDÀRGRV
SDUWLFLSDQWHVIRLRFRQÀQDPHQWR'XUDQWHRV
quatro dias de travessia, dividimos um espaço

56 Fotografe Melhor no 273


A travessia do
Grupo Único PDF PaD Mar de Drake
levou quatro
dias na ida e
cinco na volta,
período de
confinamento
para o grupo,
o que sempre
gera algum
desconforto
Fotos: André Dib

Foca-caranguejeira
disputando espaço
com pinguim-gentoo

limitado, de 70 pés, com uso racional os percalços, preparando as pessoas indicando roupas e acessórios
da água doce. Aproveitamos para e informando sobre o cotidiano da para que o fotógrafo conseguisse
FRQYHUVDUVREUHIRWRJUDÀDHSUHSDUDURV expedição em que todos participam; e transitar pela área externa do veleiro
equipamentos para o que estava por vir. dentro de um cronograma de turnos e desembarcar com a frequência
Quem encara uma aventura são estimulados a ajudar nos afazeres que o roteiro propõe. Num lugar
assim já vem preparado, com o cotidianos. Da minha parte, orientei extremo como esse, a temperatura
espírito colaborativo e a vontade de os participantes na escolha do não foge muito da casa do zero
somar. Charlie faz questão de falar equipamento (o que faz a diferença grau, no verão, mas o vento faz a
pessoalmente, muito antes da viagem, numa viagem dessa magnitude), sensação térmica despencar e a
com cada participante, detalhando falei sobre como enfrentar o frio, proteção adequada se torna vital.

Fotografe Melhor no 273 57


FOTOGRAFIA DE NATUREZA

ilhas
A expedição
teve desembarque
em várias ilhas
da Antártica por
causa da agilidade
do veleiro

Grupo Único PDF PaD

Veleiro Fernande
próximo de uma
baleia jubarte, em
imagem captada
com um drone

VER UM MUNDO
NOVO DE PERTO
A vida selvagem
A grande diferença de viajar a bordo Nesse roteiro, há desembarque em
na Antártica de um veleiro é a proximidade com a belas ilhas, aproximação de colônias com
pode oferecer fauna, tão abundante que impressiona, e milhares de pinguins, de várias espécies,
surpresas a cada as possibilidades de desembarque, que são buscando sempre novos cenários com tempo
frequentes e permitem fotografar dentro para esperar a luz dourada incidir sobre as
momento e o GHXPFURQRJUDPDÁH[tYHOQRWHPSRTXH montanhas ou o espetáculo do fenômeno do
fotógrafo deve DERDIRWRJUDÀDH[LJH$SyVDWHGLRVD sol da meia-noite. Navega-se pelos canais
estar preparado e travessia de quatro dias, a viagem adquire antárticos, avista-se baleias praticamente
atento para não uma nova dimensão. É hora de ver de perto todos os dias, com a disponibilidade de
um novo mundo, a Antártica, de caminhar tempo para acompanhar essas criaturas
perder a chance HPWHUUDÀUPHHIRWRJUDIDUYLGDVHOYDJHPH colossais, com dezenas de tonelada,
de fazer uma com cenários que surpreendem mesmo os passando a poucos metros do barco.
grande imagem viajantes experientes. Uma questão crucial é estar sempre

58 Fotografe Melhor no 273


Fotos: André Dib
Acima, duas
jubartes que
estavam próximas
do veleiro, em foto
Grupo Único PDF PaD
com drone; ao
lado, o mergulho
da baleia e, abaixo,
um dos fotógrafos
do grupo diante
de pinguim na
parada feita na
Ilha Decepção

preparado para o momento decisivo.


Na Antártica, a vida selvagem é
presente, dando ritmo ao ciclo,
pulsando sobre uma transitória
inquietude, seja por conta de uma
foca que disputava território com
outras da mesma espécie ou por
conta de uma skua predando
ÀOKRWHVHRYRVGHSLQJXLQV(FRPR
as condições do tempo também
mudam muito (às vezes um céu
límpido dá lugar rapidamente para
a chuva), sempre insistia para os
participantes desembarcarem para
fotografar, independentemente do
FOLPDSRLVH[LVWHDWHQWDomRGHÀFDU
no conforto do ambiente caloroso do
veleiro em dias de tempo ruim.

59
FOTOGRAFIA DE NATUREZA

brancura
O excesso de
branco leva a erros
na exposição: a
dica é compensar
+1 ponto

Em foto com drone,


Grupo Único PDF PaD o veleiro Fernande
próximo a um
iceberg no formato
do mapa do Brasil
MUITO BRANCO
DIFICULTA A EXPOSIÇÃO
8PDGDVPDLRUHVGLÀFXOGDGHVGH os participantes a fazer os ajustes no fotômetro terá como parâmetro os
fotografar as paisagens antárticas é modo manual e estarem atentos a GHFLQ]DSDUDDWLQJLURSDGUmR
o branco intenso. Normalmente, a essa variação de luz frequente. Se o automático da exposição.
refração e o excesso de luz podem fotógrafo deixar a câmera controlar Em casos assim, eu recomendava
enganar o fotômetro se a câmera a exposição automaticamente, uma leve superexposição de cerca
estiver em modo automático. Na é provável que terá imagens de um ponto. Não mais do que isso,
viagem, procurava sempre estimular subexpostas. Isso porque o para não haver perda de detalhes
e nuances das geleiras, que, ao
contrário do que se pensa, são
repletas de texturas e semitons.
Houve tempo também para falar
sobre o histograma da imagem,
UHFXUVRTXHWRUQDSRVVtYHOLGHQWLÀFDU
uma exposição errada por meio de
XPJUiÀFRQRYLVRURXQRPRQLWRU
da câmera, evitando assim que se
perca alguma informação importante
do assunto. E, nos momentos de

Um dos fotógrafos da
expedição em ação
após desembarque
na Ilha de Cuverville

60
Fotos: André Dib
Parte do grupo de oito fotógarfos na colina da Ilha Paradise: eles puderam registrar paisagens únicas na expedição
Grupo Único PDF PaD

ancoragens em águas tranquilas, e quando traduz a natureza selvagem do lugar. Já Nas Ilhas Cuverville
o tempo permitia, aproveitava para fazer nos momentos de descanso, aproveitava (acima, à esq.) e
SDOHVWUDVVREUHIRWRJUDÀDGHSDLVDJHQVHGH para conferir as fotos, corrigir e sugerir Decepção (à dir.), os
fotógrafos se viram
vida selvagem, orientando os participantes. enquadramentos, ressaltando a importância diante de milhares
Havia dois momentos na expedição, da nitidez para imagens de vida selvagem. de pinguins
o de navegar sempre com a câmera Também aproveitava para orientar o
preparada e o de deitar no gelo, fazer grupo no cuidado e na manutenção dos
silêncio e esperar a aproximação dos equipamentos em ambiente extremo,
animais. Ali os ímpetos reprodutivos sujeitos a condensação, por conta do
encontram-se em efervescência. Dentro choque de temperaturas, de possíveis
dessa perspectiva, a vida animal eclode, respingos de água salgada (que pode ser
exibindo-se sem pudores, e esse pode fatal para a câmera) ou no cuidado com as
ser o instante certo para um clique que baterias expostas ao frio intenso.

Fotografe Melhor no 273 61


FOTOGRAFIA DE NATUREZA

Fotos: André Dib


Grupo Único PDF PaD
Acima, a beleza
do fenômeno do
sol da meia-noite
FOTOGRAFAR EM
registrada em
Port Charcot QUALQUER CONDIÇÃO
Apesar do cronograma
preestabelecido ter sido seguido,
XPDFRLVDÀFRXFODUDGHVGHRLQtFLR
da expedição: havia um roteiro,
mas quem ditava as regras eram as
condições climáticas, as correntes
marítimas, o gelo e, claro, o interesse
IRWRJUiÀFRGLDQWHGRVSURJQyVWLFRV
do clima. Esse conjunto era
determinante para tomar a decisão
de onde jogar a âncora. Como dizia
o capitão Charlie, “um marinheiro
nunca sabe para onde vai”.
Assim, para vencer um dos
JUDQGHVGLOHPDVGDIRWRJUDÀDGH
natureza, a incerteza, reforçava
para o grupo que em dias de céu
tempestuoso também é possível fazer
grandes fotos. Nuvens carregadas
aliadas a raios de sol, formas, luzes
e sombras oferecem imagens
dramáticas que inspiram e expressam
Iceberg em forma de rampa de skate fotografado no Estreito de Gerlache a força da natureza pulsante do lugar,

62 Fotografe Melhor no 273


Adriano Kirihara

que tanto assombra como fascina. Isso é inevitável e até um preço baixo a André Dib (acima,
'HSRLVGHGLDVQD$QWiUWLFDHGDV se pagar, pois o grupo trazia na bagagem à esq.) liderou
surpresas cotidianas, a viagem não havia a lembrança de um silêncio inexplicável a expedição
IRWRJUiÀFDHR
acabado. Ainda era necessário vencer e a recompensa traduzida em imagens capitão Charlie
a travessia de volta, que durou cinco de um dos redutos mais belos, intensos e Flesch (à dir.)
dias, quando o veleiro balançou muito selvagens do planeta. comandou o
novamente no Mar de Drake, e aproveitar veleiro Fernande
para admirar o voo dos albatrozes tocando até a Antártica
o mar com a ponta das asas. Uma baleia
ou um bando de orcas saltando próximo
¦ SERVIÇO
A próxima expedição à Antártica com o
veleiro Fernande está prevista para partir no dia
à proa do Fernande ajudavam a quebrar 4 de janeiro de 2020. Mais informações com
a monotonia e o insistente sacolejar – André Dib, andredibfoto@gmail.com ou
dois integrantes do grupo passaram mal. www.andredib.com.br.

Grupo Único PDF PaD

Fotografe Melhor no 273 63


CULTURA

O alcance
dos olhos
Ao completar 50 anos de carreira, o celebrado
fotógrafo Cristiano Mascaro ganha uma
exposição que mostra a sua brilhante trajetória

Grupo Único PDF PaD


Cristiano Mascaro

64 Fotografe Melhor no 273


POR JUAN ESTEVES

A luno aplicado da Faculdade de


Arquitetura e Urbanismo da Universidade
de São Paulo (FAU-USP) nos anos 1960,
o jovem Cristiano Mascaro emprestou do arquiteto
paulista João Xavier, seu professor, uma câmera
extrema-direita, ditador boliviano da época
muito respeitado pelo povo. Algumas dessas
imagens foram selecionadas para a exposição
O que os olhos alcançam, em cartaz até 23 de
junho de 2019 no Sesc Pinheiros, em São Paulo
Pentax para documentar a primeira grande viagem, 63 HVSpFLHGHDQWRORJLDFRPRGHÀQHRFXUDGRU
uma aventura até a Bolívia no famoso “trem da Rubens Fernandes Junior. “Não é exatamente uma
morte” (de Puerto Quijarro, fronteira com o Mato retrospectiva, mas contempla 50 anos da produção
Grosso do Sul, a Santa Cruz de La Sierra), então hit de Mascaro”, explica ele.
HQWUHRVULSRQJRVEUDVLOHLURVWDUGLRVLQÁXHQFLDGRV O título O que os olhos alcançam foi extraído
pelo americano Jack Kerouac e seu antológico livro por Fernandes Junior do grande romance Em
On the Road, de 1957. Busca do Tempo Perdido, do francês Marcel
Alguns anos depois, ele voltou à Bolívia já Proust, com sete volumes publicados entre 1913
como fotojornalista para a primeira cobertura e 1927. Serve como excelente analogia para
internacional pela revista Veja. Foi em Cochabamba DVIRWRJUDÀDVGH0DVFDURFRQMXJDQGRFRPR
que Mascaro fotografou, em 1969, o enterro na obra proustiana, o poético e o lírico, o fator
do general René Barrientos Ortuño, militar de memorialista ao lado do narrativo.

Grupo Único PDF PaD

Fortaleza de Sagres, no
Algarve, fotografada para
o livro Portugal, de 2016

Fotografe Melhor no 273 65


CULTURA

Carregadores de sacos
de farinha registrados no
Brás, São Paulo, em 1977

Grupo Único PDF PaD

Fotografias
publicadas na
revista Life e o
livro Images à INFLUENCIADO POR
la Sauvette, de
Cartier-Bresson, REVISTAS ESTRANGEIRAS
foram algumas Natural de Catanduva, interior paulista, e André Kertész. Entretanto, conta ele,
das primeiras o arquiteto Cristiano Mascaro abraçou quem teve uma grande importância na sua
referências DIRWRJUDÀDSRUPHLRGDVUHYLVWDVTXH JXLQDGDSDUDDIRWRJUDÀDIRLXPHQVDLR
chegavam à biblioteca da FAU-USP, pela sobre Cuzco, Peru, feito pelo americano
de Mascaro qual se graduou. Mesma instituição em que Irving Penn, publicado em revistas do grupo
fez seu mestrado e doutorado nos anos Condé Nast, como a Vogue.
1980 e 1990 e, onde, de 1974 a 1988, dirigiu (OHOHPEUDWDPEpPTXHÀFRX
o Laboratório de Recursos Audiovisuais. profundamente comovido quando viu o
A FAU mantinha a assinatura da revista clássico Images à la Sauvette (Verve, 1952)
Life, na qual Mascaro encontrou imagens do de Cartier-Bresson. É um livro até hoje
francês Henri Cartier-Bresson, do americano guardado por ele, uma preciosidade por
Eugene Smith e dos húngaros Robert Capa ser a primeira edição – está na memorabilia

66 Fotografe Melhor no 273


Grupo Único PDF PaD
Palácio da Juventude e um edifício
futurista em Varsóvia, Polônia, em
2013; ao lado, arranjo fotografado
em Ouro Preto (MG), em 1990

montada para a exposição ao lado


GHRXWURVFOiVVLFRVGDIRWRJUDÀD(OH
UHODWDDLQGDTXHIRLPXLWRLQÁXHQFLDGR
pelo cinema francês dos anos 1960,
a contestadora Nouvelle Vague, e
OHPEUDRLPSDFWRFDXVDGRSHORÀOPH
italiano O Leopardo, de 1963, dirigido
por Luchino Visconti.

UM CRONISTA VISUAL
O trabalho de Cristiano Mascaro
está vinculado à sua produção
urbana, notadamente da arquitetura
paulistana, embora ele não se
considere exatamente “fotógrafo de
arquitetura”. De fato, é um cronista
visual urbano, e não somente de São
Paulo, onde vive, como provam os
livros Portugal (Editora Bei, 2016),
Fotos: Cristiano Mascaro

Rio Revelado (Casa da Palavra, 2015)


e Viagem a Tóquio ( DBA, 2014). O
consagrado arquiteto português
Alvaro Siza diz que qualquer um pode
fotografar uma cidade hoje em dia,

Fotografe Melhor no 273 67


CULTURA

global
O trabalho de
Mascaro contempla
tanto bairros de
São Paulo como
grandes cidades
do mundo

Grupo Único PDF PaD


Fotos: Cristiano Mascaro

No alto, vista da
Basílica de São Petrônio,
em Bolonha, na Itália, em
2016; ao lado, cena
urbana registrada
diante de um muro em
Carapicuíba (SP), em 2018

mas poucos, como Mascaro, atingem Do pequeno 35 mm do sobre os bairros Luz e Bom Retiro,
a sua atmosfera, a sua respiração. fotojornalismo, Mascaro migrou para vizinhos à Pinacoteca do Estado, a
Essa relação é visível quando se o médio formato, adotando uma convite da então curadora Aracy
avalia a amplitude no caminho traçado Hasselblad 6 x 6 cm, opção que surgiu Amaral, algo que o levou a trabalhar
pelo fotógrafo. Não apenas a crônica dessa parceria com Martinelli no em micro histórias, como lembra
das cidades, mas a mais humana, Brás. “Como o Pedrão estava usando Fernandes Junior, criador do Gabinete
vista em retratos colhidos em bairros o 35 mm, quis fotografar de forma )RWRJUiÀFRGD3LQDFRWHFD(GHSRLV
paulistanos, como o Brás – trabalho GLIHUHQWHSDUDQmRÀFDUSDUHFLGRµ adotou também uma câmera de 4 x 5
feito em parceria com o renomado comenta. O resultado foi a série de polegadas com back de 6 x 9 cm, com
Pedro Martinelli, em 1974, colega dos retratos antológicos de uma geração a qual viajou o Brasil com ela montada
tempos da revista Veja, publicação em de imigrantes e trabalhadores. QRWULSpHÀQDOPHQWHVHUHQGHXj
que trabalhou de 1968 a 1972. Fez outro ensaio marcante tecnologia digital.

68 Fotografe Melhor no 273


Grupo Único PDF PaD
Seven, obra do escultor Richard
Serra documentada por
Mascaro (retrato abaixo) em
Doha, no Catar, em 2014

UM APRENDIZ DE
ANDUJAR E BISILLIAT
Os primeiros passos rumo Já como fotógrafo independente,
jIRWRJUDÀDSURÀVVLRQDOIRUDP ao fotografar para o Programa
dados na mítica escola Enfoco, na Monumenta e para o livro Patrimônio
capial paulista, onde foi aluno da Construído, ele documentou cidades
suíça Claudia Andujar e da inglesa de todo o território brasileiro, com
Maureen Bisilliat – foi por indicação exceção do Amapá. Rubens Fernandes
Juan Esteves

de Andujar que Mascaro integrou Junior avalia que essas viagens foram
a primeira equipe de Veja, lançada uma forma de Mascaro aguçar o
em setembro de 1968. Depois, ele olhar e a técnica para o mundo
mesmo se tornou professor da cotidiano. “Fiquei entusiasmado com
Enfoco entre 1972 e 1975. a possibilidade de viver fotografando fotografando e interpretando a obra
Desde a primeira aventura para a o mundo de uma forma leve e dele em diferentes países do mundo,
Bolívia e Peru, ainda como estudante descontraída”, diz o fotógrafo. como o Catar. Sem dúvida, uma
de Arquitetura, Mascaro sempre Em outra frente, desde 2013 enorme distância percorrida desde
gostou de viajar e o fotojornalismo Mascaro vem trabalhando com o que aquele rapaz meio hippie subiu
lhe ofereceu muitas oportunidades. escultor americano Richard Serra, no trem para Santa Cruz de La Sierra.

Fotografe Melhor no 273 69


FOTOGRAFIA SOLIDÁRIA

inclusão
Um dos objetivos
do projeto é que
os alunos também
trabalhem com
fotografia

Jovens ganham
oportunidade
de aprender
e trabalhar

Kaká Mendes
FRPIRWRJUDÀD
graças ao
Galera do Click

Um olhar
Profissional paulistana cria o projeto Galera
do Click para ensinar fotografia a jovens com
Síndrome de Down e já conta com 90 alunos

muito especial Grupo Único PDF PaD

POR JULIANA MELGUISO

Abaixo, Sandra
Reis, a idealizadora
A IRWRJUDÀDVHPSUHIRLXPD
PDQHLUDGHUHJLVWUDURPXQGRSRU
LQWHUPpGLRGHGLIHUHQWHVROKDUHV
$SHVDUGHPRVWUDULQ~PHUDVUHDOLGDGHV
SRXFDVYH]HVSHVVRDVTXHSUHFLVDPVHU
GHMRYHQVTXHQDVFHUDPFRP6tQGURPHGH
'RZQ")RLDSDUWLUGHVVHTXHVWLRQDPHQWRTXH
DIRWyJUDIDSDXOLVWDQD6DQGUD5HLVUHVROYHX
FULDUR*DOHUDGR&OLFNSURMHWRTXHHQVLQD
IRWRJUDÀDDHVVHS~EOLFRHVSHFLDOGHVGH
do projeto, posa
ao lado de um dos RXYLGDVHLQFOXtGDVHVWmRDWUiVGDVOHQWHV $LQLFLDWLYDQDVFHXDSyVREVHUYDUDV
DOXQRVGHIRWRJUDÀD (QWmRFRPRVHULDYHURPXQGRSHORVROKRV GLÀFXOGDGHVYLYLGDVSRUVHXÀOKR)HOLSSHTXH
WHP6tQGURPHGH'RZQ4XDQGR6DQGUD
GHVFREULXRFXUVRGHWHDWUR2ÀFLQDGRV
)HOLSSH5HLV

0HQHVWUpLVFRPXPJUXSRSDUDDOXQRVFRP
'RZQDIRWyJUDIDWHYHFRQWDWRFRPRXWUDV
PmHVHDOXQRVTXHWDPEpPVHHQFRQWUDYDP
QDPHVPDVLWXDomRDIDOWDGHLQFOXVmR
$ROHYDURÀOKRSDUDDMXGiODDIRWRJUDIDU
HVSHWiFXORVDHVSHFLDOLGDGHGHOD6DQGUD
SHUFHEHXDDSWLGmRGRMRYHPSDUDDIRWRJUDÀD
HDSyVUHDOL]DUXPFDOHQGiULRIRWRJUiÀFR
FRPRVFROHJDVGH)HOLSSHIRLTXHVWLRQDGD
SRUXPDGDVPmHV´9RFrHQVLQRXR)HOLSSH
DIRWRJUDIDU3RUTXHQmRHQVLQDQRVVRVÀOKRV
WDPEpP"µDTXLORDLQVWLJRXHDVVLPD*DOHUD
GR&OLFNFRPHoRXDJDQKDUIRUPD
$SDUWLUGDtDIRWyJUDIDSDVVRXDEXVFDU
PHLRVGHHQVLQDUIRWRJUDÀDGHPDQHLUD

70 Fotografe Melhor no 273


7DLQi2UWL]
*DEULHOD'RUDPDV

Os retratos foram tema da última exposição organizada pelo projeto, em 2018

O~GLFDSDUDHVVHVMRYHQVTXHKRMH DXPHQWDQGRRDSUHQGL]DGRGHOHV
FKHJDPDDOXQRVHYHPLQFOXLQGR eFODURTXHQHPWRGRVSRGHUmR
RXWURVWLSRVGHGHÀFLrQFLDVFRPR SDUWLFLSDUQRPRPHQWRpSUHFLVR
RDXWLVPR´(QVLQRIRWRJUDÀDGH DQDOLVDURGHVHQYROYLPHQWRGH
YHUGDGHSDUDHOHV$SHVDUGHXVDUHP FDGDXP0DVVHDOXQRVGHVVHV
DFkPHUDQRDXWRPiWLFRDSUHQGHP FRQVHJXLUHPVHULDIDQWiVWLFRµ
RTXHpHVWpWLFDGDLPDJHP DÀUPD6DQGUDTXHSODQHMDWDPEpP
HQTXDGUDPHQWRFRPSRVLomR DSUy[LPDH[SRVLomRGRVDOXQRV²
GHVIRTXHWLSRVGHOX]HYiULRVGrupo Único PDF PaD
HVWHDQRFRPRWHPD´0mRVµD
RXWURVDVVXQWRVeXPDSUHQGL]DGR GHIRL´5HWUDWRµ
FRQVWDQWHWDPEpPSDUDPLPµH[SOLFD +RMHD*DOHUDGR&OLFNHVWi
DSURÀVVLRQDO2PDLRUREMHWLYRGR PLJUDQGRSDUDRXWURV(VWDGRV
SURMHWRGHÀQHHODpHVWLPXODUD FRPRpRFDVRGD*DOHUDGR&OLFN
FULDWLYLGDGHDSHUFHSomRVREUHRV HP$UDFDMX 6( $SURSRVWDpOHYDU
RXWURVHGHVLPHVPRHFODURRV RSURMHWRSDUDGLYHUVRVOXJDUHV
GLIHUHQWHVWLSRVGHROKDU ´*RVWDULDGHTXHPDLVSURÀVVLRQDLV
$QRYLGDGHDJRUDpIRUPDUXPD GDIRWRJUDÀDDEUDoDVVHPHVVDLGHLD
YH]DRPrVJUXSRVGHDWpVHLVDOXQRV HOHYDVVHPRSURMHWRSDUDDEULU
SDUDHQVLQiORVDIRWRJUDIDUQRPRGR SRVVLELOLGDGHSDUDRXWURVMRYHQVe
PDQXDO´0XLWRVGHOHVSHGHPSDUD LVVRTXHDIRWRJUDÀDID]DEUHSRUWDV
GHL[DUDFkPHUDQRPRGRPDQXDO SDUDWRGRVµVXVWHQWDHOD3DUDVDEHU
SDUDDSUHQGHUHYiULRVMiWUDEDOKDP PDLVDFHVVH@galeradoclick no
FRPIRWRJUDÀD,VVRYDLDRVSRXFRV )DFHERRNHQR,QVWDJUDP
/HDQGUR3DOKDUHV

Os alunos
aprendem
IRWRJUDÀD
na prática,
principalmente
a estética da
imagem

)RWRJUDIH0HOKRUQ
Fotografe Melhor no
273 71
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
FOTOJORNALISMO

Parte dos migrantes da caravana


de milhares de pessoas da América
Central que seguiu rumo aos Estados
Unidos (aqui, o grupo estava em
Mapastepec de Huixtla, México):
reportagem deu o Prêmio Pulitzer
ao brasileiro Ueslei Marcelino
Ueslei Marcelino/Reuters

Grupo Único PDF PaD

Do Revele-se
ao Pulitzer
Ueslei Marcelino publicou sua primeira imagem em Fotografe
há 16 anos e hoje é o segundo fotógrafo brasileiro a ganhar o
principal prêmio de jornalismo dos Estados Unidos
74 Fotografe Melhor no 273
jornada
Ueslei Marcelino
acompanhou a
caravana de rumo
aos EUA em
2018 por
62 dias

Grupo Único PDF PaD

POR ÉRICO ELIAS

D a primeira imagem
publicada em um veículo
de circulação nacional,
no caso a edição 87 de Fotografe, à
recente conquista do Prêmio Pulitzer,
milhares de migrantes na América
Central que, em outubro de 2018,
partiu de Honduras, atravessando a
Guatemala e o México, até chegar à
IURQWHLUDFRPRV(VWDGRV8QLGRV
Nicholson (Reino Unido) e Mike Blake
&DQDGi 2WUDEDOKRIRLFRRUGHQDGR
SHODVHGLWRUDV&ODXGLD'DXW $OHPDQKD 
e Corinne Perkins (Austrália), que
SODQLÀFDUDPWRGDDFREHUWXUD
principal referência do jornalismo Assim como Lima e seus colegas 2SULPHLURSUrPLRTXHFRQTXLVWRX
nos Estados Unidos (e uma das mais do jornal The New York Times, Ueslei segundo ele, foi a publicação de uma
importantes no mundo), a trajetória do ganhou o prêmio junto com outros foto de sua autoria na seção “Revele-se”
brasiliense Ueslei Marcelino tem sido dez fotógrafos da agência Reuters, de Fotografe, na edição de dezembro
marcada pelo sucesso na carreira de de diferentes nacionalidades: Alkis de 2003, que mostrava um incêndio
UHSyUWHUIRWRJUiÀFR'HSRLVGRSDXOLVWD Konstantinidis (Grécia), Adrees Latif ÁRUHVWDO´&RQVHJXLXPDLPDJHP
Mauricio Lima, em 2016, tratando do (Paquistão), Carlos Barria (Argentina), DUWtVWLFDGLIHUHQWHHHODIRLSXEOLFDGD
tema dos refugiados, Marcelino se Carlos Garcia Rawlins (Venezuela), Comprei várias revistas na época, todo
tornou o segundo brasileiro a receber Edgard Garrido (Chile), Goran Tomasevic orgulhoso de ter visto uma foto minha
o prêmio americano com temática (Sérvia), Kim Kyung Hoon (Coreia do na maior publicação do gênero no
parecida ao cobrir a caravana de Sul), Loren Elliott (Estados Unidos), Lucy %UDVLOµOHPEUDRIRWyJUDIR

Fotografe Melhor no 273 75


FOTOJORNALISMO
Um hondurenho
SURWHJHRÀOKR
depois que outros
migrantes invadiram
um posto fronteiriço na
Guatemala, em Ciudad
Hidalgo, México

O fotojornalista
começou como
freelancer da Grupo Único PDF PaD
agência Reuters
em 2011 e ainda
naquele ano foi
contratado por
FILHO DE PEIXE QUE
ter se destacado NADOU MUITO
em coberturas
Filho do fotojornalista Antônio fotografou de tudo um pouco: casamento,
Marcelino, Ueslei cresceu circulando pelo book de cachorro, festas, frilas para jornais
DPELHQWHGDVUHGDo}HVGDFDSLWDOIHGHUDO locais e revistas nacionais, trabalhos autorais
“Brincava pelos corredores dos jornais, para instituições governamentais, produção
na redação com as máquinas de escrever SDUDEDQFRGHLPDJHQVHGLWRULDLVGD218
HODERUDWyULRVRQGHPHXSDLWUDEDOKDYD 8QHVFRHRXWURVRUJDQLVPRVLQWHUQDFLRQDLV
As recordações de criança me trazem à “Tenho orgulho de ter trabalhado por três
PHPyULDRDQWLJRSDUTXHJUiÀFRRQGHSRU anos na agência de esportes AGIF, onde tive
algumas vezes escorregava entre as bobinas a honra de aprender muito com o editor
gigantes de papel que seriam usadas para )HUQDQGR6RXWHOORµGHFODUD
LPSULPLURVMRUQDLVµUHFRUGDHOH
2SULPHLURHPSUHJRIRLFRPR TALENTO LEVOU À EFETIVAÇÃO
laboratorista da sucursal da Folha de S. Paulo 'HSRLVGHFRPHoDUDFRODERUDUFRP
em Brasília, cidade onde nasceu em 1979, no a Reuters, Ueslei chamou a atenção do
GLDGRUHSyUWHUIRWRJUiÀFRGHVHWHPEUR experiente fotógrafo Sergio Moraes, editor da
²OiFUHVFHXHYLYHDWpKRMH-iTXDQGR DJrQFLDQR%UDVLOSRUFRQWDGRVHXWDOHQWR
estudante universitário de Publicidade Moraes deu oportunidade para que o jovem
H3URSDJDQGDQDV)DFXOGDGHV2EMHWLYR fotógrafo mostrasse o potencial que tinha
conseguiu um estágio como fotógrafo no e ainda em 2011 o efetivou como membro
Primeira foto publicada
em mídia nacional: Jornal de Brasília GDHTXLSH7UDWDVHGHXPVHOHWRWLPHGH
“Revele-se” da edição Até começar a trabalhar como freelancer SURÀVVLRQDLVGHDOWDTXDOLGDGHFDSD]HVGHVDLU
87 de Fotografe na Reuters, em 2011, Ueslei Marcelino a campo e trazer informações em primeira

76 Fotografe Melhor no 273


Mercado exige
perfil multimídia
Para Ueslei Marcelino, hoje
em dia não basta ter boas fotos
para conseguir se destacar. É
preciso se informar sobre aquilo
que se está fazendo, ler muito,
saber escrever e fazer vídeo.
2SURÀVVLRQDOPXOWLPtGLDp
uma exigência do mercado e,
segundo ele, deve estar ativo nas
redes sociais e ligado nas novas
tecnologias. Precisa dominar

Fotos: Ueslei Marcelino/Reuters


Jonathan outros idiomas e se comunicar
Rodriguez, bem em inglês principalmente.
migrante de “Para quem está começando,
7 anos de idade, sugiro que se jogue de cabeça.
esperava por Tem que entrar com tudo,
carona depois de participar de tudo. Estou vendo
descansar em um PXLWRVFROHWLYRVIRWRJUiÀFRV
acampamento superinteressantes surgindo nas
grandes cidades. Experimente.
Faça testes, estude. Anote
PmR2DPELHQWHGHWUDEDOKRHVWLPXODD HVSRUWHVHRHGLWRUJOREDOµFRQWD8HVOHL LQIRUPDo}HVWpFQLFDVFRPR
iniciativa própria e a expressão pessoal, Ele aponta a plataforma online Wider velocidade, ISO, diafragma e
dentro dos limites éticos e da necessidade de Image como exemplo de abertura criada compare os resultados. Participe
LQIRUPDULQHUHQWHVjSURÀVVmR pela Reuters para a publicação de histórias de associações de repórteres
“A sensação de quando saio para uma contadas de um ponto de vista autoral, IRWRJUiÀFRVVHHQYROYDDR
pauta é exatamente a mesma que pensava usando o fotojornalismo como ferramenta máximo”, ensina ele.
ter quando sonhava acordado em trabalhar SDUDGLYXOJDURVIDWRV)RUDLVVRDDJrQFLD
QDPDLRUDJrQFLDGHIRWRJUDÀDGRSODQHWD estimula seus fotógrafos a viajar para
Tenho total liberdade para propor assuntos coberturas especiais, como no caso da
e matérias, iniciativa para avaliar o que caravana de migrantes – quando deu esta
GHYRRXQmRFREULU7DPEpPUHFHERSDXWDV entrevista a Fotografe, Ueslei Marcelino
Migrante de El Salvador
Grupo Único PDF PaD
diretamente do meu editor no Brasil, que
coordena tudo e sempre tenta facilitar nossa
estava retornando de uma viagem de
40 dias pela Venezuela, onde cobriu os
FDUUHJDDÀOKDGH
1 ano na travessia do
YLGD$OpPGLVVRWHQKRRXWURVHGLWRUHVSDUD GLVW~UELRVSROtWLFRVHDVGLÀFXOGDGHV Rio Suchiate em Ciudad
pautas especiais, editor de América Latina, HQIUHQWDGDVSHODSRSXODomRORFDO Hidalgo, México

Fotografe Melhor no 273 77


FOTOJORNALISMO

eleição
Os colegas
do brasileiro na
Reuters o elegeram
o Fotógrafo do
Ano em 2018

Parte da caravana de milhares de


migrantes espera carona em um
caminhão ao longo da estrada para
Arriaga de Pijijiapan, México
Grupo Único PDF PaD
ESCOLHA FEITA PELOS COLEGAS
Em 2018, Ueslei Marcelino foi eleito não tenho ego para isso e não trabalho
Fotógrafo do Ano da Reuters pelos EXVFDQGRSUrPLRV7RGDVDVPHQVDJHQV
Centenas de migrantes
comemoram uma FROHJDVHHGLWRUHV)RLRSULPHLUREUDVLOHLUR que chegavam diziam em um só tom que
carona com caminhões a conquistar esse feito, o que de certa eu era merecedor do reconhecimento e, de
na estrada em forma serviu como prenúncio ao Prêmio YHUGDGHLVVRIRLLQFUtYHO0HIH]HQWHQGHU
Tapachula, México 3XOLW]HU´4XHPPHFRQKHFHVDEHTXH que vale a pena se dedicar e abdicar das
outras coisas em busca de um
fotojornalismo coerente e com
FRQWH~GRµDÀUPD
Ele participou das
coberturas das mudanças
políticas do Brasil nos últimos
DQRVIRLDRVFRQÁLWRVQD
Venezuela, acompanhou
%DUDFN2EDPDQDYLVLWDD
Cuba, cobriu a Copa do
Mundo na Rússia e teve,
ainda em 2018, a chance de
fotografar o que mudaria para
sempre sua vida: a caravana
de migrantes de países da
América Central rumo aos
(VWDGRV8QLGRV
“Existe um Ueslei Marcelino
antes e outro depois da
FDUDYDQD)D]HUSDUWHGD

78 Fotografe Melhor no 273


Fotos: Ueslei Marcelino/Reuters

0XOKHUHPSXUUDRÀOKRQDFDGHLUDGHURGDVHPHVWUDGDGH-XFKLWDQ0p[LFR

equipe que cobriu essa história é selecionou as imagens que compõem


XPPDUFRSURÀVVLRQDOLPSRUWDQWH RWUDEDOKRYHQFHGRUGR3XOLW]HU
mas também uma mudança pessoal “Na prática, cada fotógrafo
JLJDQWHVFD&UHVFLFRPRSHVVRD fazia sua rotina e acompanhava a
como ser humano, como pai, como caminhada dos migrantes de um
ÀOKRFRPRKRPHPFRPRVRFLyORJR SRQWRGHYLVWDPXLWRSDUWLFXODU2
DQWURSyORJR$QGHLSRUTXLO{PHWURV ÁX[RGHWUDEDOKRHDURWLQDItVLFD
GRUPLQDUXD7RPHLEDQKRHPULRV QmRHUDPWmRVLPSOHV7tQKDPRV
Grupo Único PDF PaD
e senti muitas sensações que jamais que fotografar, transmitir, informar,
YRXHVTXHFHUµUHODWD coordenar o transporte, fazer um
Foram um total de 62 dias vividos plano para a próxima parada juntos
GHIRUPDLQWHQVD8HVOHLDFRPSDQKRXD FRPRVLQWHJUDQWHVGDFDUDYDQD
caravana desde a partida em Honduras, Encontrar um quarto ou lugar para
em meados de outubro de 2018, até colocar as baterias para recarregar,
a chegada à Cidade do México, em tomar banho, comer, cuidar dos
GHGH]HPEUR$RWRGRFHUFDGH pés, tentar descansar com um olho
20 fotógrafos da Reuters estiveram dormindo e o outro acordado,
HQYROYLGRVQDFREHUWXUD$GUHHV/DWLර porque muitas vezes eles decidiam
além de participar como fotógrafo, sair mais cedo do que haviam
foi o editor chefe em Nova York e SODQHMDGRµUHODWD8HVOHL

Famílias
descansam à
beira da estrada
a caminho de
Mapastepec de
Huixtla, México

Fotografe Melhor no 273 79


Com os pés na
estrada sempre
A vantagem de se
trabalhar em uma agência
pWHUDHVWUXWXUDGHXPD
equipe de primeira linha
coordenando a logística
SDUDTXHRVSURÀVVLRQDLV
que estão em campo
possam fazer o trabalho da
melhor forma possível. É a
Reuters que fornece hotel,
alimentação, transporte,
conexão à internet e todos os
equipamentos de segurança
obrigatórios, como
capacetes, coletes à prova de
bala e máscaras de gás.
“O fotógrafo de agência
YLYHFRPRV¶SpVQDHVWUDGD·
mas nem sempre no sentido
corriqueiro da expressão.
1DFKR'RFHSRUH[HPSORp
Fotos: Hugo Santarém

um fotógrafo espanhol que


trabalha pela Reuters
Nonono no em
Caravana na
nonononono
São Paulo. no
Tem um trabalho chegada a
nononono nonono
incrível que mostra uma San Pedro
no nono
São Paulo poucononono
vista antes. Tapanatepec de
(QWmRpSRVVtYHOFRORFDURV Arriaga, México
¶SpVQDHVWUDGD·PHVPRVHP
sair da cidade onde está
EDVHDGR$OLiVHVVHpXP
HQRUPHGHVDÀRµSRQWXD Grupo Único
DIANTE DAPDF PaD
DOR DO OUTRO
Ueslei conta que na
maior parte das pautas os
fotógrafos da Reuters saem a Mesmo com uma bagagem YH]HVÀ]RH[HUFtFLRGHPHFRORFDUQR
campo sozinhos e trabalham de situações tensas vividas, Ueslei lugar do outro para poder avaliar bem o
de forma independente em Marcelino revela ter sido muito difícil TXHGHYLDRXQmRVHUUHWUDWDGRµOHPEUD
relação aos jornalistas de ver o sofrimento físico e emocional de 'HSRLVGDSULPHLUDFDUDYDQDRXWUDV
texto e de vídeo. “Texto, TV e muitas famílias e não conseguir fazer iniciativas surgiram com o mesmo
foto têm tempos e processos algo concreto que pudesse mudar a vida SULQFtSLR$VLWXDomRWHPVHWRUQDGRFDGD
diferentes para produzir
GHODV1HVVHVPRPHQWRVGHOLPLWHHUDXP dia mais tensa na fronteira do México
conteúdos de acordo com
cada pauta. Exatamente GHVDÀRHQFRQWUDUXPDIRUPDGHH[SUHVVDU FRPRV(VWDGRV8QLGRV8HVOHLVHJXH
agora, começamos a a crise humanitária sem ferir a dignidade acompanhando a pauta, mas de uma
trabalhar em um projeto GDVSHVVRDVHQYROYLGDV´3DUDLVVRPXLWDV IRUPDGLIHUHQWH7HPEXVFDGRLQIRUPDo}HV
novo, completamente
multimídia. Vem coisa boa
por aí”, diz Ueslei Marcelino Rosendo Noviega,
(foto abaixo). da Guatemala,
FRPDÀOKD
Belinda Izabel
na estrada até
Juchitan, México
Carlos Becerra

80 Fotografe Melhor no 273


Cobrir essa
jornada foi um
marco muito
importante e
provocou uma
enorme mudança

Fotos: Ueslei Marcelino/Reuters


em mim. Não sou
a mesma pessoa,
cresci como ser
humano
Ueslei Marcelino

sobre algumas famílias que 2IRWyJUDIRDPHULFDQR-RKQ0RRUH Glenda Escobar,


participaram da primeira caravana, publicou recentemente um livro de Honduras,
com o intuito de reencontrá-las e que, além de ser um documento descansa com
contar o que mudou na vida delas e importante, ajuda a entender o RÀOKR$GRQDL
a caminho de
RTXHYLVOXPEUDPSDUDRIXWXUR ÁX[RPLJUDWyULRGHXPDIRUPD Pijijiapan de
´2WHPDpUHFRUUHQWHHFODUR bem interessante, com fotos Mapastepec,
ganhou mais notoriedade na incríveis”, conta ele, referindo-se a México
imprensa e nas redes sociais pelo Undocumented: Immigration and
grande número de pessoas que the Militarization of the United
WHQWDYDPDWUDYHVVDUQRDQRSDVVDGR States-Mexico Border

Grupo Único PDF PaD

Fotografe Melhor no 273 81


Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
VIDA DE FOTÓGRAFO

Grupo Único PDF PaD


O príncipe Harry
mostra habilidade no
futebol durante uma
SDUWLGDEHQHÀFHQWH
na Austrália, em 2015

Fotos: Tim Rooke/Shutterstock

84 Fotografe Melhor no 273


viagens
O fato de ter
de acompanhar a
família real mundo
afora foi um
atrativo para
Rooke

Imagem feita no Palácio de Buckingham, em Londres, no dia do aniversário de 90 anos da rainha Elizabeth II, em 2016

Tim Rooke Grupo Único PDF PaD

Um fotógrafo real
Conheça a história do britânico que há 29 anos ganha a vida em Londres
registrando nobres, príncipes, princesas e a rainha Elizabeth II
POR ANA LUÍSA VIEIRA

Q uando o príncipe Charles e a princesa


Diana do Reino Unido visitaram a
Austrália, em 1988, por ocasião do
bicentenário do país, o britânico
7LP5RRNH²UHFpPIRUPDGRHP)RWRJUDÀDSHOD
RÀFLDLVGDUHDOH]DTXHDFRPSDQKDYDPRV
membros da monarquia em tours mundo afora.
“Fiquei encantado com o fato de que eles viajavam
por vários países para registrar a família real e
pensei comigo mesmo que aquelas eram as
Universidade Nottingham Trent – era freelancer. GXDVFRLVDVTXHHXPDLVDPDYDID]HUYLDMDUH
Ele havia se mudado para a Austrália em 1987 para fotografar”, lembra.
começar a carreira na Sydney Freelance Agency. O britânico não precisou de muito tempo para
“O ano seguinte foi cheio de comemorações, entender que era esse o caminho que desejava
com visitas de chefe de Estado, e eu acabei seguir na carreira. “Voltei para o Reino Unido em
por encontrar com Charles e Diana enquanto 1990 para me tornar um fotógrafo real e, quase
trabalhava no Grande Prêmio da Austrália”, conta WUrVGpFDGDVGHSRLVpRTXHFRQWLQXRID]HQGRGD
RSURÀVVLRQDO vida”, declara ele, que trabalha para a Rex Features,
Durante a corrida de Fórmula 1, Rooke teve agência ligada ao banco de imagens Shutterstock,
a oportunidade de conhecer vários fotógrafos que pertence à gigante Getty Images.

Fotografe Melhor no 273 85


VIDA DE FOTÓGRAFO

Grupo Único PDF PaD


Camila, duquesa da
Cornualha, e o príncipe
Charles em visita a
A DOCUMENTAÇÃO DE
Porthcurno, no litoral
britânico, em 2016;
abaixo, o príncipe
MOMENTOS HISTÓRICOS
Harry e o ex-presidente A empreitada não só rendeu cliques bilhões de pessoas no planeta – e também
americano Barack famosos e carimbos dos mais diversos no no enlace de Harry e Meghan Markle, que
Obama durante um
passaporte como também o testemunho se consagrou como a primeira união de um
jogo de basquete em
cadeiras de rodas no de momentos marcantes da história membro da família real britânica com uma
Canadá, em 2017 PXQGLDO7LP5RRNHHVWHYHSUHVHQWHQR mulher afro-americana.
casamento do príncipe William com a 2IRWyJUDIRGL]TXHDRWRGRMi
plebeia Kate Middleton – assistido por 2,5 DFRPSDQKRXDUHDOH]DSRUFHUFDGH
países, desde europeus, como Noruega,
Dinamarca e Suécia, até nações menos
desenvolvidas, como Brunei, Malásia, Índia
e Bangladesh. Só no último mês de maio
de 2019, Rooke trabalhou em locais como
País de Gales e Holanda – onde o príncipe
Harry esteve para participar de um evento
com veteranos de guerra um dia depois
de apresentar ao mundo seu primogênito,
Archie Harrison Mountbatten-Windsor.

EQUIPAMENTO E PROTOCOLO
A tiracolo, Rooke revela que sempre
leva consigo uma Nikon D5 (dois corpos
do mesmo modelo para o caso de
imprevistos) e lentes 180-400 mm f/4 e
70-200 mm f/2.8. “Como backup, costumo

86 Fotografe Melhor no 273


Fotos: Tim Rooke/Shutterstock

Grupo Único PDF PaD Ao lado, as duquesas Kate Middleton e Meghan


Markle antes da missa de Natal de 2018; acima, a
SULQFHVD&KDUORWWHÀOKDGRSUtQFLSH:LOOLDPH.DWH

usar a Nikon D850 e uma tele de capturados. Ele conta que existem H[SOLFD(QRTXHGL]UHVSHLWRDR
PPµDFUHVFHQWD(OHGL]TXH RXWURVGHVDÀRVHQYROYLGRVHjV famigerado protocolo, garante
geralmente prefere escolher uma YH]HVID]HUXPDERDIRWRVHWUDWDGH TXHQmRKiVHJUHGRV´(PJHUDOVy
câmera e uma lente para não correr timing e habilidade. esperam que eu faça o básico para
o risco de perder algo importante Segundo Rooke, as melhores eventos sociais, como me vestir
SRUÀFDUID]HQGRWURFDV´$'FRPD oportunidades ocorrem durante UD]RDYHOPHQWHEHPHQmRJULWDU
180-400 mm tem um alcance incrível, viagens dos príncipes e princesas Trata-se realmente de ser educado,
então esse conjunto acaba sendo a SDUDIRUDGR5HLQR8QLGR´(OHV como você seria com qualquer líder
minha primeira opção”, explica. costumam estar mais relaxados”, RXFKHIHGH(VWDGRµDÀUPD
Consciente de que não tem
segunda chance caso erre ou perca
DOJXPÁDJUDQWH5RRNHFRQWDTXH
costuma chegar cedo a todos os
eventos para estudar os ambientes
e treinar os melhores ângulos antes
dos cliques propriamente dito.
“Também torço para não ter que
usar uma capa de chuva”, brinca.
0DVQRÀQDOGDVFRQWDVWRGRR
SODQHMDPHQWRRSURÀVVLRQDOLVPR
e os melhores equipamentos do
PXQGRQmRVmRVXÀFLHQWHVSDUD
que os momentos perfeitos sejam

O príncipe Harry e Meghan numa


recente visita do casal real ao
Morrocos, em fevereiro de 2019

Fotografe Melhor no 273 87


VIDA DE FOTÓGRAFO

Fotos: Tim Rooke/Shutterstock


Grupo Único PDF PaD

Acima, o príncipe Harry


diverte-se com um
bebê durante uma visita
O PRÍNCIPE, A DUQUESA
à Nova Zelândia, em
2015; abaixo, Tim Rooke
diante do Palácio de
E A RAINHA EM FOCO
Buckingham, residência 'HRXWURVPHPEURVGDUHDOH]D com a família real e nunca gostaria de
RÀFLDOGDUDLQKD britânica, Tim Rooke tem ainda apreço por compartilhar qualquer coisa que não os
XPDIRWRJUDÀDGRSUtQFLSH+DUU\IHLWDHP representasse de forma justa”, acrescenta.
uma viagem à Nova Zelândia. “Um bebê O britânico ainda ressalta que, de
estava gritando e Harry simplesmente maneira geral, as celebrações das quais
decidiu gritar de volta. Foi tão engraçado SDUWLFLSDFRPRIRWyJUDIRGDUHDOH]DVmR
HÀTXHLPXLWRIHOL]SRUWHUFDSWXUDGRR EHPHVWUXWXUDGDVSDUDRVSURÀVVLRQDLVGH
exato momento disso,” rememora. IRWRJUDÀDHYtGHR´1yVFRVWXPDPRVWHU
$VIRWRVGDUDLQKD(OL]DEHWK,,FRPR XPOXJDUSDUDÀFDUGHSpHID]HPRVQRVVDV
é de se esperar, também são para lá de respectivas fotos enquanto a família real
HVSHFLDLVSDUDRSURÀVVLRQDO(OHMiHVWHYH passa”, explica. Uma das curiosidades é
com a rainha na Austrália, na África do que, geralmente, as melhores posições
Sul, no Canadá, na Tailândia e na Irlanda, VmRGHÀQLGDVSRUVRUWHLR´2VOXJDUHV
Andy Parsons/TimeOut

SDUDFLWDUDOJXQVSDtVHV$ÀUPDTXHIRL são limitados e os nomes são sorteados,


apresentado formalmente à monarca PXLWDVYH]HVHPXPFKDSpXµFRPHQWD
GXDVYH]HV´0DVWHQKRFHUWH]DGHTXH Rooke, que também fotografa casas reais
ela não sabe quem eu sou. De qualquer de outros países europeus, como Noruega,
forma, sou completamente respeitoso Dinamarca, Suécia e Holanda.

88 Fotografe Melhor no 273


Uma foto especial
de Lady Di
Dos privilégios que teve
ao longo de sua trajetória,
fotografar a lendária “princesa
do povo”, Diana Spencer, é um
dos que Tim Rooke guarda com
carinho. “Há uma foto de Diana
com seu mordomo, Paul Burrell,
que é muito importante para
mim. Não é uma das minhas
melhores fotos, mas foi feita
pouco antes dela morrer, em
1997, no aeroporto de Sarajevo,
na Bósnia”, lembra.
Rooke confessa que,
LQLFLDOPHQWHÀFRXDERUUHFLGR
com a presença de Burrell em
quadro. Mal sabia que, poucos
anos depois, o mordomo iria a
julgamento por três acusações
de furto de objetos do espólio
de Diana, do príncipe Charles
e do príncipe William. Burrell
acabou inocentado, mas o
registro de Rooke (um dos
poucos da princesa ao lado de
seu funcionário) se tornou um
dos mais publicados de sua
carreira. “O próprio Paul Burrell
Grupo Único PDF PaD diz que é sua foto favorita de si
mesmo e da princesa”, reforça.

$FLPDDSULQFHVD$QQH~QLFDÀOKDGDUDLQKD(OL]DEHWK,,GR5HLQR8QLGR
abaixa-se para cumprimentar o rei Felipe VI, da Espanha, em 2017

Ao lado, a condessa Sophie,


PXOKHUGRSUtQFLSH(GZDUGÀOKR
mais novo da rainha Elizabeth II,
numa visita a Bangladesh, em 2017

Fotografe Melhor no 273 89


Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD
Grupo Único PDF PaD