Você está na página 1de 3

Três nomes divinos da fundação de Yesod

# 1 Post Seg 16 de janeiro de 2006 14:21


Em resposta a uma pergunta:

Há três Nomes Divinos associados a Yesod, a Fundação - Shaddai, Shaddai El Hai e El


Shaddai, correspondendo ao manifesto de Yesod em Juízo, Compaixão ou
Misericórdia, respectivamente. O que isto significa?

Talvez a melhor maneira de entender esses três modos de Yesod e o jogo de


Misericórdia, Julgamento e Compaixão seja considerar o atributo dos planos astrais
para Yesod - as dimensões internas mais próximas da dimensão material na freqüência
vibratória. Essencialmente, há a dimensão material, e depois há dimensões astrais, e
além do astral existem as dimensões mental, superior vital, causal e espiritual, e além
delas estão as dimensões supernas - todas ocupando o mesmo espaço e o mesmo
tempo, e todos se interpenetram, embora distintos um do outro pela freqüência
vibratória na consciência. As dimensões supernas são o Pleroma da Luz, o reino eterno,
e as dimensões espiritual, causal, superior vital, mental, astral e material são a
totalidade, os campos da existência senciente no espaço-tempo.

Do ponto de vista da dimensão material, as forças dos seres espirituais são atraídas
para as dimensões astrais das dimensões internas ou “superiores” e, através do astral,
essas forças espirituais ganham influência na dimensão material - influenciando as
mentes e os corações dos seres sencientes encarnados a dimensão material e, assim,
“entrar” na dimensão material através de seres sencientes encarnados (neste mundo,
tipicamente através da humanidade). As forças-seres espirituais são atraídas para o
astral correspondendo aos pensamentos, palavras e ações dos seres humanos (nossos
desejos e medos), e da mesma forma, essas forças espirituais dos seres influenciam os
pensamentos, palavras e ações dos seres humanos - assim há um jogo oculto de seres
espirituais - forças nas dimensões astrais da terra,

Em qualquer ponto da Terra, nas dimensões astrais, existe uma certa configuração dos
seres espirituais - forças, sejam elas divinas e luminosas ou misturadas e escuras. Em
momentos diferentes e em momentos diferentes, o equilíbrio no jogo de forças
cósmicas e espirituais pode mudar - pode haver um equilíbrio dinâmico entre as forças
divinas e as forças misturadas e escuras, ou seja, as forças divinas e luminosas ou as
misturadas e escuras. forças podem entrar em domínio. Quando há um equilíbrio
dinâmico entre as forças da luz e as trevas, Yesod se manifesta como Shaddai El Hai
(Compaixão); quando há uma mudança para as forças divinas e luminosas com
domínio, Yesod se manifesta como El Shaddai (Misericórdia); mas quando misturadas e
as forças das trevas ganham domínio, Yesod se manifesta como Shaddai
(Julgamento). Em outras palavras,
Naturalmente estamos falando da manifestação da Santa Shekinah - a Divina Presença
e Poder de Deus, e se ela se manifesta em restrição ou plenitude, ou se surgem
condições auspiciosas ou auspiciosas, ou se uma exibição pacífica, colérica ou
abençoada da O poder da vida aparece. Correspondente ao estado de Yesod está a
manifestação de Malkut, o Reino ou a Santa Shekinah.

Isso fala com a natureza do julgamento nos ensinamentos da Cabala Cristã, pois
embora, como um artifício literário, as antigas Escrituras possam falar do “julgamento
de Deus”, na verdade, Deus não julga, mas sim o “julgamento”. é a conseqüência de
nossas próprias ações, baseadas na Lei de Causa e Efeito (karma), e somos nós que
invocamos o julgamento ao nos apegarmos à mistura e às trevas em nossa
ignorância. Deixando de lado os ensinamentos dogmáticos sobre a frase “o unigênito
Filho de Deus”, e tendo em mente os ensinamentos esotéricos sobre esta frase que é
dada em outro lugar, o Evangelho de São João fala perfeitamente à natureza do
julgamento, dizendo:

“De fato, Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o
mundo fosse salvo por ele. Aqueles que acreditam nele não são condenados; mas
aqueles que não crêem já estão condenados, porque não crêem no nome do unigênito
Filho de Deus. E este é o julgamento, que a luz veio ao mundo, e as pessoas amaram
mais as trevas do que a luz, porque suas ações eram más [ignorantes]. Pois todos os
que praticam o mal [atentam na ignorância] odeiam a luz e não se aproximam da luz,
para que suas obras não sejam expostas. Mas aqueles que fazem o que é verdadeiro
vêm para a luz, de modo que pode ser claramente visto que suas ações foram feitas em
Deus [a Luz Verdadeira] ”(3: 17-21).

Nisto entendemos a experiência de julgamento ou misericórdia como dependente do


que aderimos e nos unimos em nossas mentes (pensamentos), corações (palavras) e
vidas (atos) - daí a radiante manifestação de nossa própria mente, consciência ou
alma.

Quando invocamos os Nomes Divinos e invocamos as Potências Divinas (arcanjos,


ordens de anjos e semelhantes), e adoramos a Deus em espírito e verdade, isso é
bom. No entanto, essa bondade deve ser levada ao nosso cotidiano, e devemos
aprender a prestar atenção aos nossos pensamentos, palavras e ações ao longo do dia,
em todas as atividades - pois, de acordo com os pensamentos que entretemos, e nossa
fala e ações, ligamos com e atrair os seres espirituais, forças constantemente. Em
essência, estamos determinando a manifestação de Yesod em nossas vidas, seja em
Misericórdia, Julgamento ou Compaixão, e à medida que tendemos ao continuum da
vida e prática espiritual, podemos ajudar a desviar o equilíbrio do Juízo para a
Compaixão ou Misericórdia em a terra em que vivemos e entre os povos com quem
vivemos. Esta é uma parte integral do trabalho divino, um iniciado ou portador de luz;
Há muito a ser dito sobre o contínuo diário da vida e prática espiritual e as bênçãos
divinas que podem ser manifestadas e ampliadas através dele.

Ó Santa Mãe do Ungido, capacita-nos a dar nascimento ao Reino da Luz entre nós; Um
homem.

Bênçãos e shalom!