Você está na página 1de 6

MATERIA: PRÓTESE PARCIAL REMOVÍVEL

DATA: 13/08/218
AULA: 01 PRATICA AVALIAÇÃO: AP1
ASSUNTO: CLASSIFICAÇÃO DOS ARCOS PARCIALMENTE DESDENTADOS
TRANSCRITO POR: HÉLEME MARINHO

Razões para uma classificação:


• Didática: reunir em grupos elementos com as mesmas características, para facilitar na
hora de realizar um planejamento e reabilitação do paciente;
• Comunicação com o laboratório: conhecer as classificações para melhor comunicação
com o técnico de laboratório;
• Sistematização do desenho: cada ppr tem uma configuração de estrutura e um
“desenho” para cada classe/grupo.

Três classificações principais da PPR:


• classificação de RUMPEL,1921
• classificação de Helbert,Miller
• classificação de KENNEDY.

Classificação de RUMPEL
Baseado no tipo de suporte que o paciente apresenta para reabilitar:

• Afisiológico – Mucososuportado (Prótese Total): paciente não possui nenhum dente,


só mucosa/edentado, é classificado como prótese afisiológica por que fisiológico é
utilizarmos os dentes para mastigar, a partir do momento em que não tenho dente e
utilizo prótese total, não terei mas uma situação fisiológica e assim afisiológica.

• Fisiológica – dento-suportado (espaço intercalar): fica suportada sobre os dentes/


necessita de pilares que são os dentes (prótese fixa (totalmente dento suportada) e
ppr).
• Semi-fisiológica – Mucoso-suportado (extremidade livre): todos os componentes da
ppr vão ficar apoiados sobre mucosa.

Classificação de Helbet, Miller


Classificação pelo rendimento baseado no tipo de espaço protético que está presente no
caso; toda ausência de dentes chamamos de espaço protético :

• Prótese intercalar: possui espaço protético intercalar, ou seja, tem dentes pilares de
ambos os lados (a ppr está entre dentes);

• Prótese de Alavanca/ extremidade livre: espaço protético formado por extremidade


livre=alavanca.;
• Prótese combinada: tem espaço protético intercalar e extremidade livre

Classificação topográfica de Kennedy


(mais utilizada) classificação baseada na topografia e como se ajustava as combinações
presentes nos casos de ppr.

• Classe I – Edentado Posterior Bilateral : presença de duas extremidades livres


• Classe II – Edentado Posterior Unilateral: presença de uma extremidade livre
• Classe III –Edentado Posterior Intercalar: não tem extremidade livre, apenas espaço
intercalar
• Classe IV – Edentado Anterior Intercalar: espaço intercalar na região anterior .

Classificação dos arcos parcialmente desdentados – Variações

Classe I com modificação – permite modificações (modificação é todo espaço


complementar que não é a classificação): além de extremidades livres vou ter
espaços intercalares. Exp: Classe I Mod. 1, Classe I Mod. 2...

A extremidade livre é dominante na classificação independente de quantos espaços


houver a primeira coisa a se observar é se o paciente/modelo possui extremidades
livres e a quantidade.

Letra romana pra escrever a CLASSE e em letra arábica para MODIFICAÇÃO.

Classificação envolve a classe e modificação se houver

Classe II com Modificação: Uma extremidade livre e um ou mais espaço


intercalar=modificação. Ex: classe II Mod. 1, classe II mod. 2...
Classe III com Modificação: espaço intercalar na região posterior + modificação,
um espaço intercalar você tira para a classificação e os espaços que sobrarem são
as modificações. Ex: Classe III mod. 1, Classe III mod. 2

Classe IV: Não permite modificações


Regras:
• É obrigatório cruzar a linha mediana
• Envolve região anterior
• Espaço único.
• Não permite que haja modificação

Regras de Applegate, 1960: criadas exclusivamente para serem na classificação de kennedy:

• Regra 1: A classificação deverá ser feita após o preparo de boca 1 (tudo o que você faz
antes da prótese, dentistica, endo, cirurgia, ortodontia ect) principalmente
considerando as exodontias que podem modificar a classificação original que o
paciente aparenta.
• Regra 2 : se o terceiro molar estiver ausente e se não for substituído não entra na
classificação (se houver 3molar na arcada antagonista deve-se colocar o terceiro na
prótese para suportar as forças da mastigação e não ficar sem dente antagonista).
• Regra 3: se o 3 molar for substituído ele entrará na classificação
• Regra 4: se o 2 molar estiver ausente e se não for substituído não entrará na
classificação.
Teoria do arco reduzido: eu posso trabalhar ate 2 pré-molar. Quando o paciente já
perdeu os molares e só tem de segundo pré-molar a segundo pré-molar em ambas
arcadas.
• Regra 5: áreas desdentadas mais posteriores determinam a classificação. Extremidade
livre sempre vai dominar a classificação
• Regra 6: os espaços que não são a classificação e os espaços sobram são modificações.
• Regra 7: o espaço e não a quantidade de dentes que está faltando que é levado em
conta!
• Regra 8: Não há modificação para classe IV. Teve qualquer outro espaço, não será
classe 4.
A classificação depende da reabilitação

Se o paciente não tem o dente antagonista, não precisa colocar dente e não vira espaço livre.
Exemplo: se o paciente não tiver 2 molar superior e na arcada antagonista o espaço protético
não precisa ter o 2 molar, pode ir só até o 1 molar.