Você está na página 1de 17

MEC 1340 - TRANSMISSÃO DE CALOR

3o. Teste: 27/5/97 Consulta livre a recursos próprios

1a. Questão (2 pontos): Um tubo longo de 5 cm de diâmetro passa através de um ambiente


e está exposto ao ar na temperatura de 25 C. A temperatura da superfície do tubo, não
isolado, é de 85 C. Considerando que as emissividades do tubo e do ambiente são,
respectivamente, 0,6 e 0,8, calcule a energia perdida por metro de comprimento do tubo.
Despreze perdas por convecção.

2a. Questão (3 pontos): Dois discos paralelos, ambos de 2 metros de diâmetro e afastados
de 2 metros, são mantidos uniformemente a 560 C e 280 C, respectivamente. Determine a
perda de energia do disco de temperatura mais alta se o meio ambiente, que os envolve,
estiver a 0 K. As emissividades são 0,6 e 0,8, respectivamente. O meio é suposto ser um
corpo negro. Obs: fator de forma de entre o disco i para o disco j é dado pela fórmula:

Fij = 0,5 * ( S - [ S2 - 4 (rj / ri)2] ½ )

onde Ri = ri / L, Rj = rj / L e S = 1 + [( 1 + Rj2 )]/ Ri2 e ri e rj são os raios dos discos em


questão e L é a distância que os separa.

3a. Questão (2 pontos): 1500 W / m2 chegam por cima a uma placa que está a 80 C. O
material da placa é tal que sua transmissividade é 0,4 e a refletividade 0,3. Determine a
quantidade de energia que deve chegar por baixo da placa para que ela se mantenha na
mesma temperatura. Determine ainda as irradiações e as radiosidades das duas faces da
placa para dar suporte ao seu resultado.

4a. Questão (3,0 pontos): Hidrogênio a 20 C e pressão atmosférica normal escoa sobre
uma placa plana à velocidade de 3 m/s. Se a placa tiver 30 cm de largura e estiver a 75 C,
calcule as grandezas abaixo na posição x = 30 cm e na posição correspondente à
transição. Use Re = 5 x 105 e RH2 = 4,1242 KJ / Kg K.
a) camada limite hidrodinâmica;

b) coeficiente local de atrito;

c) espessura da camada limite térmica;

d) coeficiente local de convecção;

e) coeficiente médio de convecção;

f) taxa de troca de calor;

Eu não usei nem passei recursos ilícitos nesta prova.

MEC 1340 - TRANSMISSÃO DE CALOR

Exame Final: 2 de Julho de 1997 Consulta livre a recursos próprios

1a. Questão (3 pontos):

Uma fonte interna de valor constante e igual a 106 W/m3 é utilizada para aquecer uma
placa de condutividade térmica igual a 32 W/m. K. A placa tem uma face isolada
(esquerda) e a outra é mantida a 30 C. Por limitações nos valores máximos que as tensões
térmicas podem assumir, a temperatura da placa não pode ultrapassar 95C. Calcule a
máxima espessura L, em metros, que a placa pode ter.

2ª Questão (4 pontos):

Um lingote de aço inoxidável de 18 cm de diâmetro passa por um forno de tratamento


térmico, antes da laminação. A esteira rolante que conduz a peça na velocidade V,
constante, tem 8 metros de comprimento. Para que o lingote possa ser laminado, sua
temperatura, inicialmente de 170 C, deve alcançar um mínimo de 800 C. Pode-se estimar
um coeficiente global de convecção e radiação entre os gases (T = 1400C) do forno e a
peça da ordem de 180 W / m2 K. Pede-se determinar V, sabendo-se ainda que:

Aço Inox:  = 7900 kg / m3;

Cp = 557 J / Kg K;

K = 19,8 W / m K;

3ª Questão (3 pontos):

Pretende-se aumentar a dissipação de calor em um chip de computador de face quadrada


(l = 0,004 m) através do uso de um pino de cobre (aleta) de comprimento 20 mm e
diâmetro (D) = 2 mm. O ar ambiente está a 27 C (T ) e V = 10 m/s. A superfície do chip
(superfície primária) é mantida a Tb = 350 K. Pede-se:

i. determinar o coeficiente médio de troca de calor por convecção;


ii. o calor trocado através do chip antes do uso do pino;
iii. o calor trocado através do chip depois do uso do pino, supondo que a ponta da
aleta esteja à temperatura do ar ambiente;
MEC 1340:
Transmissão
de Calor

Questão única: Pretende-se dissipar 9 kW através de uma placa de aço


inoxidável (AISI 304), suposta isotérmica, de dimensões 9 m
(comprimento) x 1 m (largura) x 10 cm (espessura). A temperatura da
placa é desconhecida e seu perfil transiente é desejado. Sabe-se que a
placa está em contato com uma corrente de ar que escoa a 5 m/s e que está
à temperatura de 25 C. Desprezando a influência da temperatura nas
propriedades termodinâmicas, resolva os ítens abaixo:
i. Você tem a opção de alinhar a placa na direção A, ao longo da
maior dimensão ou na direção B, ao longo da menor dimensão. Por
questões operacionais, convém que a placa trabalhe na menor
temperatura possível. Seu companheiro de trabalho argumenta que
você deve alinhar ao longo da maior dimensão, A, pois o número
de Reynolds sendo 9 vezes maior, já que L = 9 W, isto implicará
então num aumento de cerca de 91/2 = 3 vezes da energia dissipada.
Emita teu parecer técnico conclusivo sobre esta questão.
ii. Na condição de melhor dissipação, encontre a temperatura de
regime permanente da placa, desprezando a radiação térmica.
iii. Após o início do processo, encontre o tempo necessário para
que a temperatura da placa, inicialmente 25 C, atinja Tperm / 2, onde
Tperm é a temperatura de regime permanente (encontrada no ítem
anterior). Se você não tiver terminado o ítem anterior, use Tperm =
100 C;
iv. Suponha que você pretenda analisar a propriedade de ter
desprezado radiação neste problema. Considerando que a
emissividade da placa seja 0,5, a emissividade do ambiente igual a
0,8 e que a Tamb de radiação seja 300 K, analise suas respostas sob
esta ótica.
v. Extra 2,0 pontos: Supondo que radiação seja importante, re-
calcule a temperatura de equilíbrio, utilizando a temperatura obtida
no ítem ii, como estimativa inicial.
MEC 1340 - TRANSMISSÃO DE CALOR

Exame Final: 24 de novembro de 1997 - Consulta livre a recursos próprios

1a. Questão (3 pontos):

A superfície exposta de uma barreira de radiação (isto é, uma placa fina de metal) posta
em frente a uma parede (suposta ser um corpo negro a 400 K) tem refletividade de 0,90.
Presa ao lado de trás da barreira, está uma placa de material isolante, de 25 mm de
espessura e k = 0,016 W/ m K. O coeficiente combinado de convecção e radiação da
superfície externa desta placa isolante exposta ao ar ambiente a 300 K é estimado em h =
10 W / m2. Desprezando a convecção no espaço entre a barreira de radiação e a parede
negra, estime as perdas de calor, por unidade de área, através da parede quente.

2ª Questão (2 pontos):

Em um processo industrial, um filme transparente está sendo preso a um substrato


(material da base). Para curar a ligação à temperatura To, um fluxo radiante de
qo"(W/m2) é utilizado. A superfície inferior do substrato é mantida a T1 enquanto a
superfície livre do filme transparente é mantida em contato com fluido a T , com um
coeficiente de troca de calor igual a h. Considere os dados:
Espessura do filme 0,25 mm
k do filme 0,025 W / m K
espessura do substrato 1,0 mm
k do substrato 0,05 W / m K

Suponha que T = 20 C, h = 50 W / m2 K e T1 = 30 C. Calcule o fluxo de calor, qo",


necessário para manter a superfície de cura a 60 C.

3ª Questão (3 pontos):

Água, num fluxo de massa de 0,01 kg/s, entra em uma tubulação de paredes grossas de
0,12 m de diâmetro externo, à temperatura de 92 C. Objetivando reduzir as perdas de
energia, utiliza-se isolante (k = 0,06 W/ mK) de 20 mm de espessura, conseguindo-se
então manter suas temperaturas superficiais a 70 C (interna) e 30 C (externa). Pede-se
estimar a temperatura da corrente de água à saída do tubo de 10 metros de comprimento.

4ª Questão (2 pontos):

Um aquecedor elétrico por resistência elétrica é embutido em um cilindro longo de 30


mm de diâmetro. Água escoa à temperatura de 25 C, velocidade de 1 m/s,
transversalmente ao cilindro e a potência por unidade de comprimento necessária para
manter uniforme a temperatura da superfície a 90 C é de 28 kW/m. Quando ar, à mesma
temperatura mas escoando a 10 m/s é utilizado, a potência para garantir a mesma
temperatura superficial passa para 400 W/m. Determine e compare os coeficientes
médios de troca de calor por convecção nos dois casos.
MEC 1340: Transmissão de Calor
4o. Teste 1998.1

1a questão (2,5 pontos): Um satélite artificial, feito de alumínio, de


diâmetro equivalente de 5 metros, gira em torno da Terra, embora
permanentemente voltado para o Sol. A absortividade e a emissividade
resultantes do tratamento térmico superficial externo do alumínio seguem
a tabela abaixo. Considerando que a radiação refletida da Terra e a emitida
por ela podem ser desprezadas nesta primeira aproximação, que a
temperatura aparente do Sol é estimada em 5800 K e que fontes internas
ao satélite dissipam 10 kW, indique:
 o balanço de energia associado ao satélite, levando em conta o
período inicial de aquecimento do mesmo;
 a temperatura final (de equilíbrio) do satélite;

Dados adicionais: distância do satélite ao Sol: 1,5 x 108 km e raio solar =


0,7 x 106 km

Absortividade Temperatura
0,4 até 500 K
0,6 de 501 a 3000 K
0,8 acima de 3000 K

2a questão (2,5 pontos): Um aquecedor elétrico, de potência P [kw],


utilizando fio de Nicromo deve ser projetado. A superfície do material
deve ser limitada a uma temperatura máxima de Tmax C. São dados
adicionais: kNi-Cr = k [W / m.K]; Tmeio ambiente = Tamb [C]; Resistividade
Elétrica = [micro-ohms-cm]; Voltagem de Trabalho: V [Volts];
coeficiente de troca de calor por convecção = h [W / m2K]. Pede-se
determinar o diâmetro e o comprimento do fio nestas condições. Analise o
que acontecerá se o coeficiente de troca de calor por convecção for
reduzido? Se a voltagem for reduzida? Se a potência for aumentada?

3a questão (2,5 pontos): Uma haste de seção circular deve ser projetada de
forma a poder ser utilizada no carregamento de peças recém-fundidas.
Considere que a ponta da haste em contato com a peça quente esteja a 250
C. A outra ponta pode ser considerada como isolada. O diâmetro e o
comprimento da haste são 5 cm e 1,5 metros, respectivamente. Se o
coeficiente de filme local for 15 W/m2 K, determine qual dos materiais
abaixo poderá ser utilizado na haste: cobre (material 1) ou aço inoxidável
(material 2). Sabe-se ainda que Tambiente = 30 C e T(face isolada) não
poderá ultrapassar 60 C.

Sugestão: considere x = 0 na superfície em contato com a peça fundida.

4a questão (2,5 pontos): 60 m3/hr de ar escoam através de um tubo,


fazendo com que a troca de calor seja por convecção forçada. O tubo tem
diâmetro interno de 2,5 cm e a temperatura superficial é estimada em 100
C. Se a temperatura média de mistura na entrada vale 20 C e na saída, 55
C, calcule o comprimento do tubo.
MEC 1340:
Transmissão
de Calor
Exame Final
1998.1

1a questão (3 pontos): Água, usada como fluido refrigerante, escoa à


velocidade de 0,02 m/s através de uma tubulação de comprimento 3
metros e diâmetro 2,54 cm. A temperatura superficial é mantida a 90 C. Se
a água entra na tubulação a 60 C, calcule a temperatura na saída.

2a questão (2,5 pontos): A parede de um forno consiste numa placa de aço


e uma parede de 0,80 m de espessura feita de tijolos e separada por um
espaço vazio de 0,5 m. Estime a temperatura interna da parede de tijolos
(aquela voltada para a placa de aço) para a situação na qual a temperatura
de placa de aço é 620 C, a temperatura externa da parede de tijolos é 45 C.
Considere que a condutividade térmica dos tijolos seja igual a 1,2 W/m.K.
Despreze a convecção no espaço de ar entre a parede de tijolos e a placa
de aço. As emissividades do aço e do tijolo valem 0,3 e 0,4,
respectivamente.

3a questão (2 pontos): Uma superfície condutora extremamente fina é


colocada entre dois planos não condutores elétricos de mesma área
transversal e espessura L. Uma corrente elétrica é passada através da
superfície condutora, de forma que energia qo (conhecida) é "gerada" na
interface das placas. Considere a situação na qual as paredes estejam em
contato com fluidos nas temperaturas T1 e T2, e trocando calor via
coeficiente de filme igual a h1 e h2. Determine e represente graficamente
os perfis de temperaturas nas placas para os casos abaixo:

 placas de mesma condutividade térmica k, h1 = h2 e T1 = T2;


 placas de espessuras e condutividades térmicas diferentes,
tornando isolada termicamente a face esquerda;
 placas de mesma espessura mas sendo uma de material muito bom
condutor e a outra de um péssimo condutor, mas T1 = T2 e h1 = h2;

4a questão (2,5 pontos): Um cubo de alumínio de lado 10 cm está
inicialmente à temperatura 350 C e é imerso em um fluido a 90 C. O
coeficiente de troca de calor vale 1000 W / m2 K. Calcule a temperatura no
centro do cubo após 3 minutos.
MEC 1340: TRANSMISSÃO DE CALOR
4o Teste: 10 / 12 / 98

DURAÇÃO: 2 horas
Consulta Livre a Recursos Próprios.

1a questão (2,5 pontos): 1a. questão (4 pontos): Um galpão industrial de dimensões 100m x
sistema de aquecimento por água quente com capacidade de 170 kW. As quatro fachadas s
envidraçada de 96 m2 A área ocupada pelas portas alcança 28 m2. As paredes são composta
(k = 9 W/m.C) de espessura 25 cm e gesso de espessura 2 cm (k = 9 W/m.C). Com o objet
energia, pretende-se instalar um isolamento em fibra de vidro (k = 0,34 W / m.C) em placa
cerâmicos de suporte, com 10 cm de espessura (k = 20 w / m.C) e finalmente cobertos por
acima (espessura de 2 cm e mesma k). Pede-se:
i. calcular a temperatura no interior do galpão;
ii. espessura mínima de isolante que será necessário instalar, sabendo-se que ele é vendido
e 7 cm, para manter a temperatura no interior do galpão nas mesmas condições.
iii. Calor trocado nesta condição;

Dados adicionais:

 vidro de espessura 6 mm, k = 7,5 W/m.C;


 coeficiente global da porta, U = 3,5 W/m2.C;
 U do teto: 1,2 W/m2 C e U do solo: 0,6 W/m2.C;
 h interior: 9,2 W/m2.C;
 h exterior: 23 W/m2.C;
 t exterior: - 1 C;

2a questão (3 pontos): Tem-se uma placa de ferro (k = 45 W / m C, Cp = 0,46 kJ / kg C, de


de espessura, à temperatura de 500 C, uniforme. A placa é colocada em um local cuja temp
coeficiente de troca de calor por convecção é 50 W / m2 C. Pede-se, ao cabo de 3 horas, de

 a posição em que o fluxo de calor (q/A) é máximo;


 o valor deste fluxo máximo;

3a questão (3 pontos): Vapor é condensado na superfície externa de uma tubulação manten


à temperatura de 488,7 K. Ar escoa dentro da tubulação e é aquecido por meio de convecç
metros de comprimento, com um diâmetro interno de 2,54 cm. A velocidade do ar é 7,62 m
kPa. Se a temperatura média de mistura for 477,6 K, determine o coeficiente de troca de ca
troca de calor por unidade de área. Use a correlação de Dittus-Boelter. Para as duas situaçõ
cuidadosamente a informação fornecida e faça seus comentários, justificando-os sempre.

Erros mais importantes (ou sérios) cometidos pelos alunos:

1a questão:

 houve confusão com o conceito de coeficiente global de troca de calor, U. Por exem
condução pura, podemos escrever a lei de Fourier como sendo q = k A (Delta T) / L
L;
 O enunciado se referia às temperaturas dos ambientes interno e externo. Alguns alu
temperaturas como sendo as da parede, interna e externa, desprezando os efeitos da
 Alguns alunos se assutaram com o tamanho do enunciado. Não souberam trabalhar

2a questão:

 Alguns alunos erraram o cálculo do número de Biot, que se escreve como a razão e
Pelos dados e enunciado do problema, a peça perde calor por duas superfícies, e nã
 apesar do texto falar explicitamente na duração do experimento (3 horas), alguns a
problema com técnicas de regime permanente;

3a questão:

 os alunos não reconheceram a necessidade de se corrigir o valor da densidade para


pressão existente. Isto é, a equação de estado de gás perfeito não foi utilizada, com
densidade ficou menor que deveria, o número de Reynolds ficou menor que deveri
 Apesar do enunciado pedir o uso da correlação de Dittus-Boelter, alguns alunos nã
 Alguns alunos não entenderam que a temperatura média de mistura (entre a entrada
problema = 477,6 K;

 Muitos alunos não checaram a validade da correlação. Isto é muito importante, aind
utilização da fórmula. Ou seja, é importante saber se estamos utilizando uma mode
MEC 1340:
TRANSMISSÃO
DE CALOR
Exame Final:
17 / 12 / 98

DURAÇÃO: 2 horas
Consulta Livre a Recursos Próprios.

1a questão (2,5 pontos): A temperatura inicial (uniforme) de um grande bloco de alumínio


apenas uma das suas superfícies tem sua temperatura aumentada e mantida a 420 C. Consi
cm, após 3 horas, calcule:

 A temperatura naquele ponto;


 A taxa de troca de calor entrando na superfície naquele instante de tempo;
 O calor total trocado através da superfície até aquele instante;

2a questão (3,0 pontos): Uma placa plana vertical de 1,5 metros de comprimento e espessu
ambientes. A largura é também muito grande, indicando que o fluxo de calor pode ser cons
dimensional. A face direita desta placa troca calor por radiação com uma segunda placa, ig
mesmas dimensões, cuja temperatura superficial é mantida a 60 C; sabe-se que convecção
espaçamento entre as duas é de 0,10 m. No lado esquerdo, entretanto, água a 450 C e press
velocidade de 20 m/s, ao longo do comprimento da placa. Considerando apenas convecção
unidimensional, determine o fluxo de calor trocado entre os dois ambientes. As emissivida
inox e da placa da direita valem 0,6 e 0,8 respectivamente. Use valor médio para o coeficie
convecção.

3a questão (2,5 pontos): Água, usada como agente refrigerante, escoa à velocidade de 0,2 m
metros de comprimento e 2,54 cm de diâmetro. A temperatura superficial do tubo é mantid
calcule a temperatura média de mistura na saída. Use a correlação de Sieder & Tate.

4a questão (2,0 pontos): Na questão anterior, considere que a tubulação esteja exposta a um
um fluido a 20 C. Se a emissividade superficial do material do tubo for 0,5, determine o co
convecção. Se, por acaso, você fizer esta questão antes da 3a, ou se não tiver confiança no
20 000 W / m2.
Erros mais importantes (ou sérios) cometidos pelos alunos:

1a questão:

 80% dos alunos reconheceram a modelagem como sendo a de corpo semi-infinito,


da temperatura. Alguns tentaram solução por parâmetros concentrados ou cartas de
expressão "grande Bloco de alumínio" e nenhuma especificação de dimensões imp
de análise;
 Alguns alunos tentaram calcular o fluxo de calor trocado através da expressão q =
profundidade. Esqueceram que a expressão da lei de Fourier só se reduz àquela, em
discussão detalhada);
 Nenhum aluno reconheceu que o calor trocado do instante t=0 até o instante t, qual
dt. Alguns alunos utilizaram uma fórmula já pronta mas não perceberam que a inte
energia, expressa em Joules;

2a questão:

 O enunciado na prova estava realmente ruim. Entretanto, alguns alunos entenderam


outros entenderam o suficiente para resolver o problema;
 Nenhum aluno reconheceu que nas condições do problema poderíamos tratar água
(pressão muito baixa e temperatura super elevada);
 A maior dificuldade foi a extensão do enunciado. Isto confunde um pouco os aluno

3a questão:

O maior problema encontrado foi o fato que diversos alunos calcularam certo que o
turbulento mas utilizaram a correlação de Sieder & Tate para o regime laminar (vál
desenvolvimento não tiver sido atingido);
a
4 questão:
 alguns alunos calcularam a troca de calor por radiação utilizando temperatura em g

 A idéia desta questão foi mostrar quais os cuidados que se deve ter na hora de med
calor por convecção. Assim, esta questão foi pensada como vinculada à terceira. En
( isto é, eu!) a vinculação ficou comprometida. Observe que na terceira questão, o f
ao escoar no tubo, implicando que energia está sendo retirada da tubulação. Para qu
alterada, há necessidade que um agente externo forneça a energia necessária. Entre
deste problema, a tubulação também perde energia para o ambiente externo (de con
situação claramente impossível. Felizmente, isto não complicou a solução, especial
ser utilizado para a energia (20 000 W/m2). A maior parte dos alunos utilzou este va
bem;
MEC 1340:
TRANSMISSÃO
DE CALOR
Exame Final:
15 / 07 / 2000

DURAÇÃO: 3 horas
Consulta Livre a Recursos Próprios.

1a questão (2,5 pontos): Considere dois tubos cilíndricos de diâmetros internos iguais à 15
isolados lateralmente. No primeiro, colocamos água e no segundo ar, nos dois casos, inicia
um destes cilindros, colocamos aquecedores elétricos que garantem que a temperatura da s
55 C. As duas colunas de fluido são altas o suficiente de forma que nos respectivos fundos
variações de temperatura. Quanto tempo leva para que a temperatura em pontos localizado
aquecedores alcancem 35 C, supondo que a aproximação unidimensional seja garantida pe

Solução

2a questão (3,0 pontos): Uma chapa quadrada de aço AISI 1010, plana e de espessura igual
dois ambientes. No inferior, uma fonte de energia é capaz de liberar cerca de 100 W/m2, e
essencialmente parado a 300 K. Se o comprimento da placa for igual a 1 metro, determine
placa alcance o regime permanente. Determine as propriedades supondo temperatura do fi
troca de calor determinado à temperatura de regime permanente.

Solução
Continuação

3a questão (2,5 pontos): Água, usada como fluido aquecedor, escoa à velocidade de 1 m/s a
horizontal de 6 metros de comprimento e 2 cm de diâmetro. A tubulação está enterrada a c
no solo (k = 0,52 W/m.K). A temperatura superficial do solo é estimada em 25 C. Supondo
mistura da água na entrada seja de 95 C, pressão atmosférica normal), determine a tempera
saída e o calor trocado.

Solução
Continuação
4a questão (2,0 pontos): Um trocador de calor de tubos concêntricos de paredes finas é usa
160 para 60 C, utilizando água disponível a 25 C como fluido refrigerante. Os fluxos de m
e 3 (água) kg/s e o diâmetro do tubo interno é de 0,4 m. Se o comprimento do trocador for
coeficiente global de troca de calor correspondente à área interna?

Solução
Continuação

Erros mais importantes (ou sérios) cometidos pelos alunos:

1a questão:

 Alguns alunos tiveram dificuldade em reconhecer que o confinamento impede a cir


estável, quando o escoamento já é mais complicado de se iniciar;
 Alguns daqueles que entenderam o problema como sendo de condução pura, optara
infinito, esquecendo que foi dito que a lateral estava isolada e que foi dito que a alt
suficiente para que no fundo não se percebesse o aquecimento. Ou seja, uma situaç
 A modelagem que utilizamos para tratar das propriedades variáveis com a tempera
é o uso da temperatura média do problema. No caso, as duas temperaturas limites s
infinito. Claro, quando a variação das propriedades for linear, o resultado é o mesm
 Difusividade térmica é definida como sendo a razão entre a condutividade térmica
calor específico. Sempre;

2a questão:

 Alguns alunos resolveram "chutar" valores para h, usando uma tabela referencial d
diversas correlações empíricas para tratar do caso.

3a questão:

 Na situação do problema, é impossível fisicamente falando que a temperatura da sa


 Não havia necessidade de se resolver a equação pois a única coisa que se desejava
atingiria o regime permanente. Na modelagem adequada para o problema: parâmet
regime permanente é BiFo = 8;
 Reconhecer a situação de resistências combinadas, através do coeficiente global de
alguns alunos;

4a questão:
 Poucos alunos se preocuparam em determinar se o trocador era de correntes parale
temperatura de saída da corrente fria, fica claro que apenas um trocador de corrente
condições. Para aqueles que usaram o conceito da efetividade-NTU esta decisão é
 Alguns alunos desconfiaram da falta de dados ao não entenderem outros caminhos
Como saída, arbitraram diâmetros externos. Muito complicado;

 A modelagem usual de trocadores de calor considera propriedades constantes ou no


temperatura média entre as médias de mistura, na entrada e na saída, para cada corr

Você também pode gostar